Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIMARANENSES DEBATEM ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

PROJETO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

Centro de Educação e Interpretação Ambiental inaugurado no Penha-Centro Escutista de Guimarães

Ideia apresentada no Orçamento Participativo teve como proponente Miguel da Silva Araújo. Concelho passa a ter mais um «espaço de excelência» para a educação ambiental e interpretação da natureza.

Guimaraes_CEIA_Penha.jpg

O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, inaugurou no Penha - Centro Escutista de Guimarães o Centro de Educação e Interpretação Ambiental (CEIA), uma proposta apresentada pelo vimaranense Miguel da Silva Araújo no âmbito do Orçamento Participativo de Guimarães, instrumento que permite aos cidadãos participar ativamente na governação municipal.

Este equipamento, além de requalificar a denominada antiga “Casa do Lavrador” do Penha-Centro Escutista de Guimarães, proporciona a criação de um espaço de sensibilização, formação e educação para a preservação da natureza, sustentabilidade e ambiente, dotando o Município de Guimarães de um «espaço de excelência» para a educação ambiental e interpretação da natureza.

Situado na montanha da Penha, “pulmão de Guimarães”, o CEIA é um local onde decorrerão ações formativas sobre boas práticas ambientais em atividades de exterior, permitindo disponibilizar recursos e dinamizar o centro formativo em ações de educação ambiental, privilegiando a realização de atividades no terreno.

O Penha - Centro Escutista de Guimarães passa a ter igualmente mais uma infraestrutura para acolher grupos de crianças, adolescentes e jovens e realizar atividades formativas, privilegiando o contacto com a natureza, o conhecimento do habitat local, bem como a coresponsabilidade na preservação e sustentabilidade ambiental.

«Os nossos escuteiros, parceiros essenciais no caminho de Guimarães como território ambientalmente sustentável, objetivo da Capital Verde Europeia, são preponderantes na formação dos jovens e têm um papel fundamental em formar formadores de qualidade. Com este novo espaço, poderão continuar a desenvolver a componente social e ambiental que tão bem caracteriza o movimento escutista na proteção da natureza», referiu Domingos Bragança.