Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VILA VERDE SEGUE NA ROTA DAS COLHEITAS

Na Rota das Colheitas: Mais de 35 iniciativas em Vila Verde para preservar a tradição e promover o território

Diz a voz do povo que ‘o que é bom acaba rápido’ e não poderíamos estar mais de acordo. As 17 semanas de promoção e divulgação da cultura minhota passaram num abrir e fechar de olhos tal foi a envolvência, a dinâmica e a alegria de mais uma edição da programação turístico cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde. De agosto a novembro, foram quase 40 iniciativas que se assumiram como um autêntico hino à cultura popular e que, em simultâneo, criam uma excelente dinâmica turística e económica no território. Um programa que colocou Vila Verde nas bocas do mundo e trouxe ao concelho largas dezenas de milhares de visitantes de todo o país e do estrangeiro.

montagem rota.jpg

Vila Verde fervilhou de vida. Das fiéis recriações de práticas ancestrais aos espetáculos de música popular, do folclore ao artesanato, passando pelos produtos locais, pela gastronomia e pelos espetáculos culturais, entre muitos outros, não faltaram motivos de interesse para vir e ficar por Vila Verde, já que os espaços de alojamento também brindaram o público com várias promoções durante este período. Uma odisseia à descoberta das maravilhas do mundo rural, num concelho que se orgulha das suas raízes sem descurar os ritmos da modernidade, que celebra a tradição e nela alicerça a valorização do território e a dinamização do tecido económico local.

Festa das Colheitas foi a iniciativa rainha

Não faltaram as iniciativas emblemáticas, como a Festa do Caldo do Pote, a Festa do Sarrabulho de porco caseiro, a Desfolhada do Milho e a Espadela do Linho, entre muitas outras. Nota de destaque ainda para a estreia da Mirtifrutos - Feira Nacional de Pequenos Frutos e para a iniciativa rainha da programação, a Festa das Colheitas 2016 – XXV Feira Mostra de Produtos Regionais, com seis dias consecutivos dedicados à raiz da tradição minhota, que garantiram aos visitantes uma experiência ainda mais arrebatadora e incrementaram a visibilidade dos atores locais. O campo da feira ganhou nova vida e recebeu de braços abertos as largas dezenas de milhares de visitantes que se deslocaram a Vila Verde para sentirem o genuíno pulsar do mundo rural.

Desenvolvimento cultural e económico

Recentemente, e em jeito de balanço, o presidente do Município de Vila Verde, António Vilela, manifestou enorme satisfação com a qualidade das iniciativas desenvolvidas durante os quatro meses de preservação da tradição e promoção do mundo rural. “Uma programação que decorreu durante 17 fins-de-semana consecutivos, em que se falou de Vila Verde pela positiva e em que se colocou em prática uma das estratégias de desenvolvimento económico para o concelho. Uma programação que mobilizou os vilaverdenses e a maioria das instituições do concelho, que faz de Vila Verde uma terra que gera atratividade e mobiliza as pessoas, valorizando as potencialidades do território em áreas muito diversificadas”, afirmou.

A população está de parabéns

Uma programação alargada e extremamente atrativa, que, como o edil lembrou, só é possível graças ao trabalho voluntário de associações, juntas de freguesia, agentes turísticos, instituições diversas e pessoas a título individual. Os vilaverdenses trabalharam de forma abnegada e altruísta, com afinco e determinação, para preservar a tradição local e valorizar as suas freguesias e o concelho de Vila Verde, promovendo os costumes da tradição minhota dentro e fora de portas. “Deixo um agradecimento sentido a todos os que se envolveram nesta programação, muitos de forma totalmente voluntária, e ajudaram a enriquecer uma iniciativa valoriza o território, ajudaram a valorizar as nossas tradições e perpetuá-las”, concluiu António Vilela.