Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VILA PRAIA DE ÂNCORA ACOLHE REUNIÃO DESCENTRALIZADA DO EXECUTIVO CAMINHENSE ESTA QUARTA-FEIRA

Presidente e vereadores estarão na Casa do Orfeão em Vila Praia de Âncora, no dia 26 de fevereiro, às 18h30, para auscultar os ancorenses

Esta quarta-feira, dia 26, o presidente da Câmara e restante executivo estarão em Vila Praia de Âncora para ouvirem e esclarecerem diretamente os ancorenses. A partir das 18h30, a Casa do Orfeão vai receber a reunião pública descentralizada do executivo. Na opinião do presidente da Câmara, estas reuniões contribuem para uma democracia local mais participativa e mais próxima dos cidadãos, com mais diálogo e maior transparência

As sessões públicas descentralizadas são um instrumento de participação que a população tem à disposição, desde o início do ano, para comunicar diretamente com os decisores políticos do concelho. Para Miguel Alves, as reuniões descentralizadas são sinónimo de democracia e resultam de “uma forma diferente” e “nova de governarmos”.

Assim, quarta-feira, o executivo caminhense estará na Casa do Orfeão em Vila Praia de Âncora, às 18h30, para ouvir os ancorenses, naquela que será a segunda reunião descentralizada. O único ponto da ordem de trabalhos desta reunião é a audição dos munícipes.

A primeira reunião pública descentralizada decorreu no passado dia 29 de janeiro, e contou com a adesão dos deenses que aproveitaram a sessão para inquirirem e pedirem esclarecimentos ao presidente da Câmara e vereadores sobre os mais variados assuntos.

Recorde-se que as reuniões públicas descentralizadas, a par da transmissão em direto das Assembleias Municipais, através do sítio do município, entre outras iniciativas, ditam a nova forma de gestão camarária, marcada pela transparência, pela proximidade com as populações e pelo diálogo.