Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VINHO ALVARINHO "VALADOS DE MELGAÇO ALVARINHO RESERVA 2019" RECEBEU MEDALHA DE OURO

O International Wine Challenge premiou, com 95 pontos e Medalha de Ouro, o Valados de Melgaço Alvarinho Reserva 2019. 

PARABÉNS Valados de Melgaço

OBRIGADO pela aposta na qualidade. Pela aposta no território.

Este produtor também participa na Festa do Alvarinho e do Fumeiro.

Agende uma visita à sua adega ou visite o Mercado Central no Largo Hermenegildo Solheiro, a partir de amanhã

E ainda poderá encontrar os alvarinhos Valados de Melgaço em www.onwine.pt.

185579110_1569962799865748_1575464076963834380_n.j

PRESIDENTE DA REPÚBLICA FOI A MELGAÇO, VISITOU QUINTA DE SOALHEIRO E PROVOU O VINHO ALVARINHO

O Presidente da República, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, esteve hoje em Melgaço e visitou a Quinta de Soalheiro, em Alvaredo. E, como não podia deixar de suceder, provou o vinho Alvarinho, um dos mais preciosos néctares da nossa região.

183771761_4184154298281771_2723864945080540607_n.j

QUINTA DE SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luís Cerdeira, a orientar os trabalhos.As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste sector e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs”.

185513384_4184154031615131_4633470519822199231_n.j

185634824_4184153974948470_6277629366295940423_n.j

184987290_4184153948281806_3658702754617784702_n.j

185120084_4184153691615165_3889904531854540850_n.j

185356013_4184154278281773_4376417244099333982_n.j

185466689_4184153638281837_6786142184689085923_n.j

185483728_4184153634948504_5640259030919904237_n.j

180599582_4153978777965990_3698081437661073527_n.j

MELGAÇO REALIZA FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO

Festa do Alvarinho e do Fumeiro, de 7 a 9 de maio e de 14 a 16 de maio.

Vamos CELEBRAR O TERRITÓRIO em segurança

Serão dois fins de semana dedicados ao alvarinho e fumeiro de Melgaço, mas também à excelente gastronomia e às diferentes experiências que o território oferece. Sempre em segurança.

PROGRAMA:

Mercado Central com venda de vinhos e produtos regionais, no Largo Hermenegildo Solheiro

- Sexta-feira: 14h-22h

- Sábado: 10h-22h

- Domingo: 10h-20h

Restauração local – harmonização com vinhos de alvarinho

Visitas às adegas dos produtores de vinho e aos espaços dos produtores de fumeiro e dos produtos regionais

Prova temática de alvarinhos, com press tour à região

Venda online dos vinhos (em www.onwine.pt) e dos produtos regionais

181755595_4248182835247685_7111801746785703637_n.j

VINHO VERDE SÓ ENGARRAFADO E COM SELO DE GARANTIA... NÃO HÁ VINHO ENLATADO!

Recebemos da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes a mensagem que a seguir se transcreve.

unnamedcomissaovvinhoverd.jpg

“Temos conhecimento da referência que faz ao Vinho Verde em lata no seu blogue: https://bloguedominho.blogs.sapo.pt/vamos-passar-a-beber-vinho-verde-tambem-16832083

Conforme poderá verificar nessa embalagem, trata-se efetivamente de vinho de mesa e não vinho com Denominação de Origem Vinho Verde. O Vinho Verde apresenta-se obrigatoriamente ao consumidor em embalagem de vidro e com um selo de garantia, cujo número permite fazer o rastreamento desse lote de vinho até às vinhas que lhe deram origem – para mais informações sobre esta certificação, por favor consulte a página https://www.vinhoverde.pt/pt/historia-de-uma-garrafa. Para conhecer mais sobre a nossa região e os vinhos únicos que produzimos, visite o nosso site em www.vinhoverde.pt e não hesite em nos contactar se necessitar de algum esclarecimento.

Dado este esclarecimento, solicitamos pois a gentileza de proceder à correção do texto.

Com os melhores cumprimentos,

Gonçalo Rowett

Departamento de Marketing

Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes”

160202747_5706347822716544_6203910440556366279_n.j

Vinho em lata não é vinho verde... mas vinho de mesa!

MINHO: A CESTARIA TRADICIONAL VAI BEM COM O VINHO VERDE!

“Cesteiro que faz um cesto faz um cento desde que tenha verga e tempo!”

Não há feira no Minho ou em qualquer outro ponto do país na qual a cestaria não ocupe o seu lugar de destaque entre as mais diversas tendas de artesanato. Ela constitui uma das formas mais apreciadas de artesanato popular pela sua utilidade e graciosidade.

museuartpopol (1).jpg

A cestaria constitui uma das artes tradicionais mais antigas do ser humano, praticada entre todos os povos com um objectivo utilitário. As peças de cestaria são criadas de acordo com a sua funcionalidade, adquirindo formas mais ou menos graciosas consoante o talento do cesteiro.

A cestaria compreende a técnica de fabricação de cestos do tipo entrelaçado, que engloba os géneros cruzado, encanado, enrolado e torcido, conforme a maneira de dispor as fibras e o tipo espiral, com ou sem armação de sustentação.

Na nossa região, bem poderia constituir uma forma de promover a nossa região associado o artesanato de vime ao vinho verde – ambos constituem produtos emblemáticos do Minho!

AFS_0330.jpg

SOALHEIRO CLÁSSICO 2020 SURGE COM MAIS MINERALIDADE

Soalheiro Clássico mantém-se um alvarinho frutado como sempre, confirmando 2020 como uma vindima excecional.

Com mais mineralidade, mas mantendo-se fiel às suas caraterísticas intemporais, surge o Soalheiro Clássico 2020. A elegância deste clássico da Primeira Marca de Alvarinho de Melgaço aliada à frescura aromática da casta Alvarinho confere-lhe um perfil mais consensual e intemporal destacado pela intensidade gustativa e pela notável longevidade em garrafa.

soalheiro clássico 2020.jpg

Para António Luís Cerdeira, enólogo do Soalheiro, “embora mais mineral do nunca, a edição 2020 do Soalheiro Clássico distingue-se do Soalheiro Granit - um vinho de montanha, mais vertical - por ter mais fruta, mais volume e uma invulgar longevidade em garrafa”. De cor amarela-citrina, o seu paladar é intenso, fresco e tropical. A sua versatilidade torna-o a companhia perfeita em vários momentos distintos à mesa, sendo eleito para aperitivo ou para acompanhar pratos de marisco, peixe ou carnes de aves.

Este ano, a Vindima em Monção e Melgaço, começou cerca de uma semana antes do que é costume nesta sub-região dos Vinhos Verdes e as expetativas acerca da qualidade desta colheita eram as melhores. Com o lançamento deste Clássico, António Luís Cerdeira confirma que foi “uma colheita excecional”. Para o Enólogo do Soalheiro, o final do ciclo, que ficou marcado por um final de agosto mais ameno e que permitiu experienciar uma amplitude térmica elevada caraterística deste território - com temperaturas de cerca de 30ºC durante o dia e noites com temperaturas por volta dos 16ºC – “levou a uma maturação mais lenta com a manutenção da frescura aromática e gustativa, caraterística marcante dos nossos vinhos”.

O lançamento desta edição realiza-se, em simultâneo, com o lançamento de novos modelos de garrafa e de caixas personalizados e de design ecoeficiente que contribuem para a redução da pegada ambiental da marca. A nova garrafa, cuja produção passa a ser feita em Portugal, permitiu uma redução de 19% das emissões de CO2 no seu fabrico e uma redução de 8,5 vezes emissões de CO2 no transporte, uma vez que, até agora, as garrafas vinham do centro da Europa.

Nesta trajetória de sustentabilidade, também, as caixas do Soalheiro foram personalizadas, consumindo agora menos 39% de cartão em cada embalagem e representando uma redução da pegada no transporte. O cartão passou a ser oriundo de florestas geridas de modo responsável (certificado FSC) e a funcionalidade da caixa veio realçar o potencial de evolução destes alvarinhos, uma vez que depois de aberta, pode ser guardada em pé, por quem pretende beber o vinho ainda jovem, ou deitada, posição ideal para que o vinho possa evoluir em garrafa da melhor maneira possível.

SOALHEIRO TRAZ PARA PORTUGAL PRODUÇÃO DE GARRAFA SUSTENTÁVEL

Nova garrafa, reformulação das caixas e cobertura vegetal da nova adega representam redução significativa da pegada ambiental.

Numa trajetória contínua de procura de soluções cada vez mais sustentáveis e eficientes, o Soalheiro lança um novo modelo de garrafa personalizado e traz a sua produção para Portugal. Os irmãos António Luís e Maria João Cerdeira dizem que estes são novos passos dados no mesmo sentido de sempre: “A qualidade e consistência dos nossos vinhos sempre foram consequência de princípios que não queremos alterar, mas que precisamos de reinventar para não se perderem. Quando os nossos pais, com a ajuda dos nossos avós, plantaram a primeira vinha, nós éramos muito pequenos. Crescemos a ouvir dizer que tínhamos de acarinhar a terra e as videiras para que nos dessem as melhores uvas. Uns anos mais tarde, a garagem deixou de abrigar o nosso Ford Escort vermelho e apareceram os primeiros rótulos com o nome Soalheiro. A partir do momento em que começámos a juntar às nossas uvas as de família e de amigos vizinhos, os nossos pais sempre nos mostraram, sem precisar de o pôr em palavras, que tínhamos de respeitar ao máximo o trabalho destes viticultores e o que as vinhas nos davam. E é daí que vem a nossa preocupação com a natureza e com as pessoas que a trabalham, aquilo a que gostamos de chamar de Território.” 

Soalheiro_garrafa_sustentável.jpg

A aposta na produção em Portugal da nova garrafa reduziu as emissões de CO2 no transporte em 8,5 vezes, uma vez que, até agora, as garrafas vinham do centro da Europa. Para que tal mudança fosse possível, a primeira marca de Alvarinho de Melgaço investiu num modelo personalizado e de design ecoeficiente, que além de colocar Portugal como fornecedor prioritário, permitiu uma redução de 19% das emissões de CO2 no seu fabrico. Um novo modelo que traz, também, melhorias diversas: “A nova garrafa foi concebida para se guardar mais facilmente no frigorífico e numa prateleira, a pensar nas casas de família, restaurantes e garrafeiras. Tem uma marisa dupla que facilita um corte preciso e elegante da cápsula, a pensar não só nos sommeliers, mas também a pensar nos recém-apaixonados pelo vinho. Por último, optamos por gravar Soalheiro no vidro, um pequeno detalhe que terão de procurar com atenção, uma espécie de assinatura de toda a equipa, de todos os viticultores que ajudaram a escrever a nossa história e cujo esforço queremos ver reconhecido em cada uma das nossas novas garrafas.”

Nesta trajetória de sustentabilidade, também, as caixas do Soalheiro foram personalizadas, consumindo agora menos 39% de cartão em cada embalagem e representando uma redução da pegada no transporte. O cartão passou a ser oriundo de florestas geridas de modo responsável (certificado FSC) e a funcionalidade da caixa veio realçar uma das caraterísticas que António Luís Cerdeira, enólogo do Soalheiro, mais aprecia nos vinhos: “Uma das qualidades marcantes do Soalheiro é a frescura aromática que transporta quando consumido jovem, aliada a uma grande capacidade, que nos surpreende constantemente, de evolução em garrafa. Enquanto desenvolvíamos o protótipo da nova caixa com uma empresa portuguesa, decidimos que a caixa deveria passar a contemplar essas duas possibilidades: depois de aberta, pode ser guardada em pé, por quem pretende beber o vinho ainda jovem, ou deitada, posição ideal para que o vinho possa evoluir em garrafa da melhor maneira possível.”

CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL: O REFLEXO DO DESENVOLVIMENTO DE UMA CONSCIÊNCIA COLETIVA

Estes projetos foram desenvolvidos pelo Núcleo de Investigação do Soalheiro, que surgiu após a adega ser a primeira em Portugal, em 2019, a ter uma certificação IDI (Investigação, Desenvolvimento e Inovação). Já antes, a empresa tinha certificação ambiental de toda a atividade e, desde 2006, certificação biológica de todas as vinhas da Quinta. Maria João Cerdeira, responsável pelas Vinhas e Infusões do Soalheiro, diz que as certificações só têm sentido se forem olhadas como uma oportunidade para a reinvenção e aumento da qualidade com redução do impacto: “A nossa ideia é olhar esta trajetória como uma oportunidade para melhorar e não como uma limitação. A certificação biológica das vinhas permitiu um aumento da biodiversidade nas parcelas e o desenvolvimento de vinhos que já são icónicos para o Soalheiro, como o Nature ou o Terramatter. A certificação ambiental é reflexo do desenvolvimento de uma consciência coletiva na empresa que, só em 2020, nos permitiu uma redução de 10% nos resíduos de cartão e plástico. Pensar na eficiência ambiental tem-nos permitido reinventar a empresa, reforçando valores centrais para o Soalheiro como a consistência e a qualidade.”

Já em abril deste ano, o Soalheiro tinha dado a conhecer uma parceria com a fundação The Porto Protocol, cuja missão está centrada na mitigação das alterações climáticas, para o desenvolvimento de uma cobertura vegetal na modernização da adega, que além de um melhor enquadramento paisagístico, trará uma poupança energética estimada de 26% ao ano.

MELGAÇO BRINDA À VIDA COM ESPUMANTE ALVARINHO

“Um Espumante único, fruto de uvas de excelência e muita dedicação.”

Assim é o ESPUMANTE DE ALVARINHO TERRAS DE REAL BRUTO.

Foi lançado na primeira festa do espumante, em 2015. Já provou?

Pode ser adquirido online, via facebook

Terras de Real Alvarinho

e instagram alvarinho_terrasdereal, no Solar do Alvarinho de Melgaço, no Intermarché Melgaço e na adega do produtor.

CONTACTOS: 939 479 134 | terrasdereal@hotmail.com

“Brindar à Vida com Espumante Alvarinho” é o mote da VI edição da Festa do Espumante de Melgaço, que este ano decorrerá num formato diferente: através das redes sociais da autarquia e do site municipal, onde serão apresentadas as 22 referências de espumante alvarinho de Melgaço, bem como os produtos da região.

Dia 28 de novembro, 22h00: BRINDE À VIDA COM ESPUMANTE ALVARINHO

Brinde na sua casa, em segurança, e envie-nos uma fotografia desse momento para o partilharmos neste evento e nas redes sociais.

top_FEM20.jpg

A Festa do Espumante de Melgaço teve a sua primeira edição em 2015. Desde então tem contribuído para a afirmação da identidade de Monção & Melgaço como território vínico de excelência, fruto de condições naturais e humanas singulares: solo, microclima e saber-fazer.

Com o consumo de espumantes a crescer de ano para ano, o Município de Melgaço, com a realização deste certame, pretende apostar num segmento que se tem revelado num dos mais bem-sucedidos produtos já experimentados. Vinho predileto para festas e celebrações, símbolo de glamour e muito apreciado por todas as camadas, especialmente as mais jovens, o espumante de Alvarinho produzido nesta região oferece uma variada gama de produtos que têm demonstrado uma qualidade surpreendente. Trata-se de uma grande celebração em torno dos espumantes elaborados em Monção & Melgaço, facultando aos produtores uma nova oportunidade de promoção e divulgação mas, sobretudo, de contacto direto com diferentes públicos.

«A Festa do Espumante foi uma aposta arriscada, mas hoje o certame já se afirmou. E prova disso são os números: em 2019 tivemos cerca de 9 mil visitantes. É uma montra privilegiada para o nosso Alvarinho e para a gastronomia regional. Não tenho dúvidas, nenhumas, de que é uma aposta ganha!», afirma Manoel Batista.

Este ano, em virtude da situação pandémica provocada pelo novo coronavírus COVID-19, a Festa não se realizará nos mesmos moldes, mas sim num formato online. “Brindar à Vida com Espumante Alvarinho” é o mote desta VI edição da Festa do Espumante de Melgaço, que será assinalada através das redes sociais e do site municipal, onde serão apresentadas as 24 referências de espumante alvarinho de Melgaço, bem como os produtos da região. A Festa decorrerá de 20 de novembro a 4 de dezembro e haverá mesmo um Brinde à Vida com Espumante Alvarinho: a autarquia apela a que todos, no dia 28 de novembro, pelas 22h00, brindem em suas casas e depois partilhem o momento através das redes sociais da autarquia.

126930386_3797194623679844_7665259310097060439_n.j

FESTA DO ESPUMANTE DE MELGAÇO SERÁ CELEBRADA EM FORMATO ONLINE

Entre os dias 20 de novembro e 4 de dezembro

À distância de um clique, todos ficarão a conhecer os espumantes de alvarinho de Melgaço, bem como os produtos da região.

festa-espumante-alvarinho-melgaco (2).JPG

MELGAÇO CELEBRA A FESTA DO ESPUMANTE DESDE 2015

A Festa do Espumante de Melgaço teve a sua primeira edição em 2015. Desde então tem contribuído para a afirmação da identidade de Monção & Melgaço como território vínico de excelência, fruto de condições naturais e humanas singulares: solo, microclima e saber-fazer. «A Festa do Espumante foi uma aposta arriscada, mas hoje o certame já se afirmou. E prova disso são os números: em 2019 tivemos cerca de 9 mil visitantes. É uma montra privilegiada para o nosso Alvarinho e para a gastronomia regional. Não tenho dúvidas, nenhumas, de que é uma aposta ganha!», afirma o autarca melgacense.

“Brindar à Vida com Espumante Alvarinho” é o mote da VI edição da Festa do Espumante de Melgaço, que este ano decorrerá num formato diferente. A autarquia não quis deixar passar em branco o certame e reinventou-o: através das redes sociais e do site municipal irá apresentar as 24 referências de espumante alvarinho de Melgaço, bem como os produtos da região. Perante as vicissitudes em virtude da situação pandémica, Melgaço encontrou aqui uma forma de promover e ajudar os produtores e a economia local a reerguer-se. «Os nossos produtores merecem o reconhecimento do seu trabalho!», afirma o autarca, Manoel Batista.

A Festa deveria acontecer no último fim de semana de novembro (nos dias 27, 28 e 29), mas, uma vez readaptada, a autarquia alargou o período do certame: de 20 de novembro a 4 de dezembro todos os espumantes de alvarinho de Melgaço serão divulgados nas redes sociais e no site municipal, bem como os contactos e devidas informações dos produtores, para que todos possam encomendar os produtos diretamente ao produtor e, assim, celebrar a Festa em casa, em segurança. Aliás, haverá mesmo um Brinde à Vida com Espumante Alvarinho: a autarquia vai apelar a que todos, no dia 28 de novembro, pelas 22h00, brindem em suas casas e depois partilhem o momento através das redes sociais da autarquia.

Paralelamente, serão divulgados os mais variados produtos da região. A Festa do Espumante, tal como foi idealizada, tem como propósito não só valorizar o espumante, mas todos os produtos locais, bem como todo o concelho através de uma oferta turística integrada onde o enoturismo, o turismo rural, os desportos aventura, o património cultural e paisagístico, a hotelaria e restauração constituem fatores dinamizadores para este que é o Destino de Natureza Mais Radical de Portugal. «É esta uma forma de darmos a conhecer o território. Os produtos do território, facilitando a realização de negócios», refere Manoel Batista.

MELGAÇO TEM 14 PRODUTORES DE ESPUMANTE

Adega do Sossego, Alvaianas, Casa de Canhotos, Dom Ponciano, Dona Paterna, Encosta da Capela, Encostas da Cabana, Encostas dos Sobrais, Quinta do Regueiro, Quintas de Melgaço, Reguengo de Melgaço, Soalheiro, Terras de Real e Valados de Melgaço, são os 14 produtores que produzem espumante de Alvarinho em Melgaço, resultando num total de 24 referências e de diferentes perfis.

Ao longo dos tempos, e agora em resposta às dificuldades que a crise provocada pelo novo coronavírus COVID-19 gerou, os produtores têm-se adaptado e são já muitos os que estão a fazer vendas online, levando Melgaço a vários cantos do país e do mundo.

Todas as informações estarão disponíveis nas redes sociais da autarquia e no site – www.cm-melgaco.pt.

FESTA-ESPUMANTE-MELGAÇO (64).jpg

festa-espumante-alvarinho-melgaco (3).JPG

FESTA-ESPUMANTE-MELGAÇO (55).jpg

FESTA-ESPUMANTE-MELGAÇO (58).jpg

Envento-festa-espumante-melgaco-alvarinho.jpg

FESTA DO ESPUMANTE (83).jpg

SOALHEIRO TERRAMATTER: NATURAL E INTEMPORAL

Um Alvarinho biológico que reinventa os vinhos de antigamente com uma atitude exploradora e os olhos postos no futuro.

Como uma obra de arte em aberto, para ser finalizada por quem a aprecia, surge o Soalheiro Terramatter 2019. Pertence à família dos Soalheiros Naturais - um vinho com depósito, não sujeito a filtração e elaborado com uvas biológicas da casta Alvarinho. 

soalhmelg.jpg

É um vinho para os mais jovens, mas também para os enófilos mais experientes. Tem personalidade vincada e um perfil diferenciado que resulta de um processo que olha para a agricultura biológica e para a vinificação minimalista como uma oportunidade para abordar o saber dos antepassados com uma atitude exploradora.

António Luís Cerdeira, Enólogo do Soalheiro, diz que a espontaneidade que carateriza a vinificação do Terramatter é uma aprendizagem que trouxe um enorme respeito pelo acaso. “É engraçado como o vinho nos mostra que o passado e o futuro, muitas vezes, se unem quando experimentamos: ao fazer um vinho sem filtração com o perfil do Terramatter, damos oportunidade a quem o prova de o beber mais ou menos untuoso, mais ou menos frutado ou vegetal, consoante o agitar da garrafa antes de o servir. Atualmente, estão tão em voga os conceitos de obras de arte abertas, de pratos finalizados na mesa, com o toque do comensal, e ao experimentarmos a partir de técnicas ancestrais acabámos por recriar esse conceito neste vinho: o Terramatter que cada um prova é sempre finalizado por quem o serve.”

UMA HOMENAGEM AO TERRITÓRIO

O nome Terramatter surge como uma homenagem ao território onde nasce, Monção e Melgaço - um vale rodeado por montanhas, o Parque Nacional Peneda-Gerês, o Rio Minho, as diferenças de altitude e a infinidade de pequenas parcelas, próprias do minifúndio, onde muitas famílias plantam o Alvarinho. A viticultura biológica, que dá origem ao Terramatter, tem como objetivo aumentar a biodiversidade nas vinhas e sublinha o respeito pelo território, um equilíbrio entre tradição e inovação que se reflete, também,  no processo de vinificação: fermentação malolática parcial em barricas de castanho, típicas do território, e uma combinação inaudita com ovos de cimento que dispensam bâtonnage para o removimento das borras. Segredos que poderá descobrir numa visita ao Soalheiro ou imaginar em cada prova deste vinho.

O teor alcoólico moderado e a versatilidade fazem do Terramatter o companheiro ideal para uma harmonização com pratos de peixe ou carnes brancas ou para um final de tarde num bar de vinhos.

MONÇÃO - MELGAÇO: NO TERRITÓRIO DO ALVARINHO O ENOTURISMO CELEBRA-SE TODO O ANO

Soalheiro convida a conhecer Monção e Melgaço. Condições especiais para reservas feitas até 8 de novembro 2020. As visitas podem ser realizadas até 8 de novembro 2021.

No próximo dia 8 de novembro comemora-se o Dia Mundial do Enoturismo e, de forma a assinalar esta efeméride, o Soalheiro, primeira marca de alvarinho de Melgaço, decidiu brindar os visitantes com uma campanha especial e comemorá-lo durante todo o ano. O convite é para conhecerem o território da origem do alvarinho – Monção e Melgaço – a sua gastronomia, natureza e hospitalidade.

Dia Mundial Enoturismo Soalheiro.jpg

O Enoturismo do Soalheiro é muito mais do que apenas uma prova de vinho. É a descoberta de tudo o que este território tem para ensinar, sendo privilegiadas as experiências personalizadas. Desde a descoberta dos encantos da vinha, da preservação da biodiversidade até aos sistemas de produção, tudo é uma aprendizagem.

Para entrar nesta viagem pelos sentidos, que revelará todo o potencial da casta Alvarinho e do “The Pur Terroir”, basta escolher a prova que gostaria de realizar. A oferta é variada e inclui as diferentes dimensões Soalheiro. Por exemplo, a prova Nature desafia a conhecer a família dos Soalheiro Naturais. Irreverentes e “fora da caixa”, estes vinhos valorizam a biodiversidade e o ecossistema vitícola, fomentando a sustentabilidade ambiental. Já a prova Fusion representa uma verdadeira fusão de sabores, onde o potencial do terroir é explorado no seu expoente máximo para que a aprendizagem seja continua e a inovação esteja sempre presente. Mas se optar pela prova Premium terá a oportunidade de conhecer todas as dimensões do Alvarinho Soalheiro.

A campanha é válida para todas as marcações de provas de vinho, até 8 de novembro de 2021, desde que a reserva seja feita até ao próximo dia 8 de novembro de 2020. Os visitantes têm 10 euros à disposição no total da reserva e, as mesmas, podem ser feitas online, no portal www.soalheiro.com/enoturismo, inserindo o código, 8NOVEMBRO, no campo "Aplicar promoção ou voucher".  

Todas as experiências estão desenhadas de acordo com as recomendações da Direção-Geral de Saúde e do Turismo de Portugal ("Clean & Safe").