Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO: “O REINO DO ALVARINHO” NO COMÉRCIO TRADICIONAL LOCAL

Município de Monção dinamiza campanha de incentivo ao comércio tradicional

Neste Natal, faça compras nas lojas do Comércio Tradicional de Monção e colecione os cinco peluches exclusivos da coleção “O Reino do Alvarinho”, um projeto divertido do Município de Monção, destinado aos meus pequenos. E não só!

Durante esta época, convidamo-lo/a a preencher a caderneta do “Reino do Alvarinho”, que lhe permitirá colecionar os cinco famosos habitantes deste reino - Coquinhas, Capitão Lampreia, Dona Rosca, João da Raya e “A Maravilha”.

Por cada 20 euros em compras, receberá 1 ponto. Ao juntar 15 pontos, poderá trocar a caderneta preenchida por um dos cinco peluches exclusivos. Caso deseje completar a coleção mais rapidamente, poderá juntar 10 pontos + 2,50 € e, assim, obter um dos peluches da sua preferência. Como alternativa, terá a possibilidade de adquirir cada um dos peluches pelo valor de 12,00 euros (PVP).

Paralelamente à Coleção de Peluches, poderá, também, adquirir o primeiro de três volumes da Banda Desenhada “O Reino do Alvarinho”, pelo valor de 12,00 € (PVP). Denominado “A Origem”, é um divertido convite para uma viagem até às mais recônditas origens da história de Monção, o fascinante e lendário Reino do Alvarinho, através da qual poderá descobrir a magia única deste território - as tradições, os costumes e os lugares.

campanha (15).jpg

MONÇÃO APRESENTA “UM GUIA INOVADOR DE UMA REGIÃO EM CRESCIMENTO”

O Guia de Vinhos da Sub-Região de Monção e Melgaço 2022, da autoria de João Paulo Martins, apresentado ontem, no Museu Alvarinho, afirma-se como um auxiliar precioso para os amantes do nosso universo vinícola.

guiamon (2).JPG

Na presença de elementos da Real Confraria do Vinho Alvarinho e vários produtores desta casta elegante e aromática, o Guia de Vinhos da Sub-Região de Monção e Melgaço 2022, da autoria de João Paulo Martins, jornalista conceituado com larga experiência na área dos vinhos, foi apresentado ontem, no Museu Alvarinho.

Presente no lançamento, António Barbosa, referiu que o presente guia de vinhos, revela-se, no seguimento do anterior, como um auxiliar precioso para os amantes do universo vinícola de Monção e Melgaço, bem como para os apreciadores desta casta distinta, feita com alma, num território singular.

Realçando que a publicação contribuirá para cimentar a dimensão dos nossos vinhos no contexto nacional e mundial, António Barbosa agradeceu o trabalho minucioso, com linguagem acessível e informada, do autor, João Paulo Martins, e desejou que a leitura do guia seja o ponto de partida para novas descobertas e experiências.

João Paulo Martins abordou as diferentes etapas do projeto editorial, com visitas aos locais, contactos com os produtores e a realização de provas, reforçando a ideia que, partindo do prestígio e da notoriedade da região, este guia constituirá mais um elemento de afirmação de Monção e Melgaço.

Defensor de vinhos Alvarinho em grande formato, devido à maior lentidão imprimida no estágio, e em produtos com alguns anos em garrafa, originando vinhos com mais idade, João Paulo Martins mostrou-se satisfeito com a adesão dos produtores ao guia de vinhos, tendo enaltecido o crescimento e diversidade da casta Alvarinho, através do lançamento de novos produtos no mercado. 

Vítor Cardadeiro, Grão-Mestre da Real Confraria do Vinho Alvarinho, deu nota que o guia de vinhos é “uma excelente obra de divulgação dos produtos de Monção e Melgaço”, revelando confiança “no presente e futuro do Alvarinho” e orgulho “na atratividade da nossa região junto dos investidores”.

Englobando notas de prova, o Guia de Vinhos da Sub-Região de Monção e Melgaço 2022, contempla, também, um capítulo da história da região e dos seus vinhos, um capítulo de vinhos velhos e, como é habitual neste género de publicações, uma seleção dos melhores do ano. Além dos vinhos brancos, inclui rosés, espumantes, tintos e aguardentes vínicas.

guiamon (1).JPG

guiamon (4).JPG

guiamon (5) (1).JPG

guiamon (3) (4).JPG

QUINTAS DE MELGAÇO LANÇA NOVA COLHEITA TARDIA E TEM LISTA DE ESPERA

Pioneira na produção de vinhos verdes Alvarinhos de colheita tardia, a Quintas de Melgaço apresenta o novo QM Alvarinho Vindima Tardia. São apenas 250 litros, engarrafados em 666 garrafas de 37,5cl, e mais de metade da produção já está em lista de espera e reservada, há mais de um ano.

CapturarQMELG1 (3).JPG

Depois do grande sucesso e das avaliações muito positivas das colheitas anteriores, feitas por conceituados críticos especializados que as classificaram como as melhores colheitas tardias do mercado, designadamente a última de 2016, esta 5.ª edição deste vinho especial (2009, 2010, 2014, 2016 e, agora, 2020) promete continuar a surpreender os especialistas e apreciadores mais exigentes.

Para Pedro Soares, administrador da empresa, “Este vinho é um ex-líbris da Quintas de Melgaço e um sucesso no mercado. Vendido em quantidades muito reduzidas tem uma enorme procura, não só pela sua exclusividade, mas também pela qualidade que apresenta sempre, colheita após colheita. Temos uma listagem de interessados, há mais de um ano, que esperam, tranquilamente, pelo lançamento deste produto singular que resulta de um processo de fabricação manual bastante trabalhoso. É, efetivamente, um produto especial muito apreciado no setor.”

Trata-se de um vinho tranquilo elaborado, com todo o cuidado, a partir de uvas exclusivamente da casta Alvarinho, colhidas tardiamente. QM Alvarinho Vindima Tardia apresenta uma “podridão nobre” e uma desidratação que lhe confere níveis de açúcar mais elevados.

A colheita destas preciosas uvas Alvarinho, preservadas pelo frio típico da sub-região até ao início de dezembro, é efetuada de forma cuidadosa e manual, e o seu estágio é realizado em cubas de inox com temperatura controlada e removimento regular das borras, durante 6 a 9 meses. Após a fermentação, parte do vinho estagia em barricas velhas de carvalho francês, durante o mesmo período.

QM Alvarinho Vindima Tardia deve ser servido bem frio, a uma temperatura entre 6ºC e 8ºC, como aperitivo ou no acompanhamento de foie gras, patês e queijos. É um vinho doce de cor dourada, tem um aroma e paladar a frutos maduros, mel e amêndoas, com um final de boca complexo e persistente.

O preço recomendado é de 49,50 Euros e arranca, no início de dezembro, a comercialização das cerca de 250 garrafas que a Quintas de Melgaço preservou para os seus parceiros e clientes que não efetuaram qualquer reserva.

Sobre a Quintas de Melgaço

Nascida na década de 1990, a Quintas de Melgaço é um projeto único em Portugal e os primeiros capítulos da sua história foram escritos pelas mãos de um filho da terra, Amadeu Abílio Lopes, que detinha um forte espírito empreendedor.

Rumou ao Brasil, em meados do séc. XX, para crescer e se afirmar como empresário industrial de referência. Apesar do sucesso alcançado, nunca esqueceu a sua terra de berço e regressou, anos mais tarde, para investir em Melgaço e potenciar o crescimento do concelho. Com a sua audácia e visão inovadora, desafiou pequenos e médios produtores vitivinícolas a juntarem forças e a trabalharem, em conjunto, na produção e promoção do potencial dos vinhos da região e da nobre casta Alvarinho.

O projeto rapidamente ganhou escala e tornou-se num importante motor de desenvolvimento para a comunidade e para Melgaço, já reconhecida, em todo o mundo, pela produção de vinhos Alvarinho de qualidade excecional. Nascia, assim, a sociedade Quintas de Melgaço, constituída, atualmente, por 530 membros acionistas que defendem a sua terra, as suas gentes e a sua origem e produzem vinhos que refletem toda a essência e cultura da região, um exemplo vivo da vontade e prosperidade dos produtores da sub-região de Monção e Melgaço.

CapturarQMELG3 (1).JPG

CapturarQMELG2 (3).JPG

MARCA DE VINHOS DE MELGAÇO APOSTA EM NOVOS SABORES

DE VIAGEM A MELGAÇO, PARA A FESTA DO ESPUMANTE, TEM DE PROVAR AS SUGESTÕES DA DONA PATERNA

Tatin de cebola roxa refrescado com o espumante bruto 100% alvarinho Dona Paterna e gelado de aguardente de alvarinho Dona Paterna são os novos sabores para provar em Melgaço

Tatin de cebola roxa refrescado com o espumante bruto 100% alvarinho Dona Paterna e gelado de aguardente de alvarinho Dona Paterna são as iguarias gastronómicas para provar este fim de semana em Melgaço, a propósito da Festa do Espumante. Para acompanhar, a Dona Paterna sugere o seu espumante bruto 100% alvarinho e a aguardente vínica XO de alvarinho.

Capturaraguardentepater (4).JPG

O fim de semana é de festa e a marca de vinhos de Melgaço não quis deixar de assinalar a data, presenteando os visitantes e turistas que por estes dias passam por Melgaço com sabores únicos e de excelência.

Neste sentido, desafiou o restaurante Tasquinha da Portela a preparar uma sugestão de entrada: tatin de cebola roxa refrescado com o espumante bruto 100% alvarinho Dona Paterna. “Uma fina camada de cebola adocicada e amanteigada, numa cama de massa folhada, com um toque especial do espumante de alvarinho Dona Paterna.», revela o responsável do restaurante, Filipe Vieira, não duvidando de que se trata de «um prato que promete abrir o apetite e agradar o paladar de todos que o experimentarem, até domingo no nosso restaurante.»

E, para a sobremesa, a sugestão é o gelado de aguardente de alvarinho Dona Paterna, que nasce de uma parceria com a conceituada gelataria portuense Neveiros, acompanhado de um cálice da aguardente que dá o sabor a este gelado. Esta sugestão será apresentada em dois restaurantes de Melgaço: na Adega do Sabino (Largo Hermenegildo Solheiro, 4960-568 Melgaço) e na Tasquinha da Portela (Portela, Paderne, 4960-263 Melgaço).

Mas, para quem preferir provar o gelado na Festa do Espumante, também o poderá fazer. A Dona Paterna vai promover sessões de prova no sábado e domingo, no período entre as 15 e as 18h00. E, aqui, será ainda possível um brinde com o espumante bruto 100% alvarinho Dona Paterna.

A Festa do Espumante arranca hoje em Melgaço e prolonga-se até domingo. Tem lugar no Largo do Mercado e entrada gratuita. Programa disponível em www.festadoespumante.com.

alvarinho-dona-paterna-vinhos (1).jpg

O GELADO DE AGUARDENTE DE ALVARINHO DONA PATERNA

Numa parceria com a conceituada gelataria portuense Neveiros, o resultado é uma harmonia perfeita entre o doce do gelado e o sabor da aguardente vínica de alvarinho, a Dona Paterna XO. Tem apenas três ingredientes – leite, açúcar e aguardente, na sua forma artesanal e natural. «É um gelado requintado, como a aguardente que lhe dá forma. Uma simplicidade com explosão de sabores.», garante a Neveiros.

«Tenho a certeza de que mesmo os mais céticos e quem não aprecia aguardente não irão ficar indiferentes a este gelado. O resultado é excecional. Um gelado com caráter.», garante o produtor da Dona Paterna, Carlos Codesso.

A PAIXÃO PELA VINHA LEVOU À CRIAÇÃO DA MARCA DONA PATERNA EM 1990

Localizada numa das mais importantes sub-regiões da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, a sub-região de Monção e Melgaço, a adega Dona Paterna situa-se, concretamente, no município mais a norte de Portugal, Melgaço, na Quinta da Carvalheira, no centro da freguesia de Paderne, uma região fortemente marcada pela cultura da vinha, nomeadamente da casta alvarinho, uma das castas brancas mais ilustres e considerada, por muitos, a melhor casta branca enxertada nas vinhas portuguesas.

O alvarinho Dona Paterna nasceu da paixão de Carlos Codesso que, inspirado pelo seu pai, Manuel Francisco Codesso, desde muito novo se interessou pela viticultura. Obstinado e incentivado pelo progenitor, em 1974, iniciou as primeiras plantações de alvarinho. O acumular de experiência, o contacto com a vinha, o cultivo de videiras, o explorar e conhecer o terroir e, por fim, a experiência na vinificação, foi a pedra-base para a criação, em 1990, da marca de vinho alvarinho Dona Paterna. «Foram das primeiras vinhas contínuas em Melgaço. Comecei a produzir vinho, como lavrador, na altura nas designadas adegas de garagem, e a participar em concursos de vinho, recebendo algumas distinções. Em 1990 decidi criar a marca Dona Paterna.», conta Carlos Codesso.

Esta relação entre o vinho e o terroir onde se insere, a sub-região Monção e Melgaço, o respeito pelo meio ambiente, bem como a aposta na tecnologia, permite hoje apresentar diferentes perfis de alvarinho Dona Paterna de elevada qualidade, entre vinhos, espumantes e aguardentes.

Capturartatin (15).JPG

QUINTAS DE MELGAÇO LEVA TRADIÇÃO À MESA DE NATAL DOS PORTUGUESES

“É tempo de preparar o Natal” é o mote da campanha que a Quintas de Melgaço acaba de lançar, a pensar nos apreciadores de vinho Alvarinho e de produtos regionais, com o intuito de promover os cabazes natalícios que a empresa tem para oferecer este ano, tanto ao nível particular como empresarial.

CapturarMELG2 (1).JPG

Com estas sugestões da Quintas de Melgaço pode começar a planear os presentes para os amigos, familiares e parceiros, com toda a tranquilidade, valorizar as origens e escolher tradição para levar à mesa dos portugueses na ceia de Natal.

Vinhos, espumantes, queijos e compotas de reconhecida qualidade são alguns dos ingredientes que constituem estes cabazes, que podem ser alterados de acordo com o gosto, de quem vai dar ou receber estes presentes.

A Quintas de Melgaço apresenta quatro cabazes standard com opções distintas: o Cabaz Tradição, o Cabaz Família, o Cabaz Paixão e o Cabaz Origem, todos eles com produtos diversificados e preços que variam entre os 59,90 e os 42,90 Euros. Qualquer um destes conjuntos pode ser personalizado e adquirido diretamente no site da empresa em www.quintasdemelgaco.pt/categoria-produto/cabazes/ ou através dos contactos: comercial@quintasdemelgaco.pt e 251 410 020.

Cabazes de Natal Quintas de Melgaço

- Cabaz Tradição – Contém 2 garrafas QM Homenagem Reserva, 1 garrafa QM Espumante Alvarinho Super Reserva, 1 Queijo Cura Longa Prados de Melgaço (300g) e 1 Compota Abóbora, Amêndoa e Alvarinho (215g) | Preço: 59,90 Euros + IVA | https://www.quintasdemelgaco.pt/produto/cabaz-tradicao/

- Cabaz Família – Contém 1 garrafa QM Alvarinho, 1 garrafa QM Homenagem, 1 garrafa Espumante Alvarinho Super Reserva, 1 Queijo Cura Longa Prados de Melgaço (300g) e 1 Compota Abóbora, Amêndoa e Alvarinho (215g) | Preço: 51,40 Euros + IVA | https://www.quintasdemelgaco.pt/produto/cabaz-familia/

- Cabaz Paixão – Contém 2 garrafas QM Rosé, 1 garrafa Espumante Alvarinho Super Reserva, 1 Queijo Cura Longa Prados de Melgaço (300g) e 1 Compota Abóbora, Amêndoa e Alvarinho (215g) | Preço: 45,90 Euros + IVA | https://www.quintasdemelgaco.pt/produto/cabaz-paixao/

- Cabaz Origem – Contém 1 garrafa QM Alvarinho, 1 garrafa QM Alvarinho Vinhas Velhas, 1 garrafa QM Alvarinho Nature, 1 Queijo Cura Longa Prados de Melgaço (300g) e 1 Compota Abóbora, Amêndoa e Alvarinho (215g) | Preço: 42,90 Euros + IVA | https://www.quintasdemelgaco.pt/produto/cabaz-origem/

Sobre a Quintas de Melgaço

Nascida na década de 1990, a Quintas de Melgaço é um projeto único em Portugal e os primeiros capítulos da sua história foram escritos pelas mãos de um filho da terra, Amadeu Abílio Lopes, que detinha um forte espírito empreendedor.

Rumou ao Brasil, em meados do séc. XX, para crescer e se afirmar como empresário industrial de referência. Apesar do sucesso alcançado, nunca esqueceu a sua terra de berço e regressou, anos mais tarde, para investir em Melgaço e potenciar o crescimento do concelho. Com a sua audácia e visão inovadora, desafiou pequenos e médios produtores vitivinícolas a juntarem forças e a trabalharem, em conjunto, na produção e promoção do potencial dos vinhos da região e da nobre casta Alvarinho.

O projeto rapidamente ganhou escala e tornou-se num importante motor de desenvolvimento para a comunidade e para Melgaço, já reconhecida, em todo o mundo, pela produção de vinhos Alvarinho de qualidade excecional. Nascia, assim, a sociedade Quintas de Melgaço, constituída, atualmente, por 530 membros acionistas que defendem a sua terra, as suas gentes e a sua origem e produzem vinhos que refletem toda a essência e cultura da região, um exemplo vivo da vontade e prosperidade dos produtores da sub-região de Monção e Melgaço.

CapturarMELG3.JPG

CapturarMELG4 (2).JPG

MELG1 (4).JPG

AUTARQUIA BARQUENSE DINAMIZOU JANTAR VÍNICO PARA PROMOVER PRODUTORES LOCAIS

Um Jantar Vínico promovido pela Câmara Municipal decorreu ontem, no Hotel Cotto do Gato, em Grovelas, com o propósito de celebrar a excelência dos vinhos e produtores da região, aliados à gastronomia de excelência. A iniciativa, que juntou produtores de vinho da casta loureiro de Ponte da Barca e o setor da restauração, insere-se no âmbito do projeto “Loureiro do Vale do Lima – uma casta, o vale inteiro”, que tem como objetivo alavancar o Vale do Lima como destino enoturístico de excelência, bem como de promover os produtores e os seus vinhos.

4a3d4b0f-416e-474d-98dd-bf7dcbf3d316 (2).jpg

Augusto Marinho, Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca, salientou “a importância crescente dos Vinhos Verdes na economia do concelho e da região, destacando a relevância de eventos como este para a expansão do enoturismo, sustentada numa oferta cada vez mais qualificada”.

O autarca destacou ainda “a aposta na afirmação da casta Loureiro, consubstanciada numa estratégia de promoção territorial forte, coesa e inovadora, defendida em concertação pelos Municípios do Vale do Lima”.

Num concelho fortemente ligado às tradições vitivinícolas, o autarca deixou ainda uma palavra de destaque aos produtores da Casta Loureiro de Ponte da Barca, e um agradecimento em geral aos vitivinicultores do concelho, “pela entrega na valorização dos nossos produtos e pelo contributo que dão na dinamização da economia local”

Num ambiente intimista, o evento começou com um Welcome Drink Loureiro no qual os produtores locais - Encostas do Vade; PAR.TI.LHA; Reserva de Sócios - Adega Cooperativa de Ponte da Barca; Terras de Vade e Crasto ; CYPRIANO – Vinhas de Cypriano -, fizeram a apresentação do seu vinho/quinta, seguida do jantar degustativo em harmonização com o néctar da casta  Loureiro, protagonista deste certame.

Além do Presidente da Câmara de Ponte da Barca, Augusto Marinho, e do Vereador e Vereadoras Municipais, José Alfredo Oliveira, Rosa Maria Arezes e Diana Sequeira, marcaram ainda presença o representante dos Presidentes de Junta, José Carlos Silva, representantes dos restantes municípios integrados no projeto “Loureiro Vale do Lima”, designadamente, Arcos de Valdevez, Ponte de Lima e Viana do Castelo, a representante da Região de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Cristina Mendes, o Embaixador de Ponte da Barca no projeto “Loureiro Vale do Lima”, Jaime Ferreri, representantes de vários estabelecimentos de restauração local, a Rainha das Vindimas, Ana Luísa Almeida, entre outros convidados.

Entre provas, brindes e conversas, e porque eventos vínicos e gastronómicos merecem ser acompanhadas pela melhor música, João Santos - Sonus Sax acompanhou a sessão ao som do saxofone.

8c0d2f9a-b55d-4605-a9a4-13b0c02c511e (2).jpg

64c9e98f-edac-4a0a-b21b-f5d053132401 (2).jpg

72a96626-9c4a-4ef5-9448-30d1050707ef (4).jpg

5910d8a2-2bd7-44b9-ba90-184b4249f345 (3).jpg

5d42508b-6562-475b-9dad-495b208da95f (8).jpg

9f01d450-d801-4436-8b58-37b78c706650 (8).jpg

 

530 PRODUTORES DE MELGAÇO REPRESENTADOS NUM VINHO EXCLUSIVO

A Quintas de Melgaço, que representa 530 produtores da região, apresenta QM Patriam, a primeira edição deste vinho exclusivo, numerada e limitada a 3.276 garrafas. Inspirada no orgulho e paixão pela terra, a empresa vitivinícola criou este vinho ímpar, um branco 100% Alvarinho.

QMPatriam_QuintasdeMelgaco_PR_4 (3).jpg

Estagiado em inox e barrica, é um blend que nasce a partir de quatro lotes distintos dos anos de 2017, 2018, 2019 e 2020, em que o 2019 foi feito apenas em inox e as restantes colheitas resultam da combinação de inox e madeira usada.

QM Patriam é uma ode à pátria, à região e às gentes de Melgaço que, diariamente, cuidam dos seus terroirs e cultivam as melhores uvas de Alvarinho, que originam vinhos excecionais. QM Patriam é uma homenagem à terra, à alma, ao conhecimento e à tradição e assenta numa história verdadeira e envolvente, num forte conceito de união e de trabalho que traduz a singularidade deste vinho.

“A prática da empresa ir armazenando lotes de cada colheita tem sido cumprida, há já alguns anos, com o objetivo de se apostar, no futuro, na produção de novas edições especiais, de muita qualidade e lançadas em quantidades reduzidas, e que enaltecem ainda mais a nobre casta Alvarinho. QM Patriam é a primeira concretização desta vontade antiga que tínhamos de fazer vinhos especiais e o resultado é tão bom que promete ficar para a história como um branco de grande nível.”, refere Pedro Soares, administrador da Quintas de Melgaço.

O vinho desta primeira edição resulta do trabalho do conceituado enólogo Jorge Sousa Pinto. É límpido e de cor citrina; no nariz revela notas de floral fresco, com ligeiro fruto seco a complexar; na boca muito suave, consistente, volumoso, com uma acidez envolvente a suportar o conjunto. Final de boca longo e muito persistente. É complexo, rico e com anos pela frente. A temperatura de consumo é entre 10-12ºC e pode acompanhar marisco e peixe, de confeção criativa ou tradicional.

A identidade desta edição especial é da autoria da Rita Rivotti e a equipa apostou em tons, materiais e acabamentos nobres, clean e minimalistas, em linha com o posicionamento pretendido para este vinho exclusivo, que se encontra disponível no mercado com uma imagem envolvente, atrativa e premium e tem o PVP recomendado de 55,00€.

Aqui pode ver o filme conceito – https://bit.ly/3TEQK3M –, criado para apresentar o vinho QM Patriam, que reflete o detalhe, a dedicação e toda a essência que cada uma das 3.276 garrafas carrega em si.

QMPatriam_QuintasdeMelgaco_PR_3 (2).jpg

Sobre a Quintas de Melgaço

Nascida na década de 1990, a Quintas de Melgaço é um projeto único em Portugal e os primeiros capítulos da sua história foram escritos pelas mãos de um filho da terra, Amadeu Abílio Lopes, que detinha um forte espírito empreendedor.

Rumou ao Brasil, em meados do séc. XX, para crescer e se afirmar como empresário industrial de referência. Apesar do sucesso alcançado, nunca esqueceu a sua terra de berço e regressou, anos mais tarde, para investir em Melgaço e potenciar o crescimento do concelho. Com a sua audácia e visão inovadora, desafiou pequenos e médios produtores vitivinícolas a juntarem forças e a trabalharem, em conjunto, na produção e promoção do potencial dos vinhos da região e da nobre casta Alvarinho.

O projeto rapidamente ganhou escala e tornou-se num importante motor de desenvolvimento para a comunidade e para Melgaço, já reconhecida, em todo o mundo, pela produção de vinhos Alvarinho de qualidade excecional. Nascia, assim, a sociedade Quintas de Melgaço, constituída, atualmente, por 530 membros acionistas que defendem a sua terra, as suas gentes e a sua origem e produzem vinhos que refletem toda a essência e cultura da região, um exemplo vivo da vontade e prosperidade dos produtores da sub-região de Monção e Melgaço.

QMPatriam_QuintasdeMelgaco_PR_2 (1).jpg

QMPatriam_QuintasdeMelgaco_PR_1 (1).jpg

MELGAÇO: VINHOS DONA PATERNA SUGEREM BOMBONS “MEDONHOS” E DE ALVARINHO PARA ESTE HALOWEEN

… acompanhados pelo vinho e aguardente que lhes dão a essência.

Com o Halloween mesmo à porta, os bombons de alvarinho Dona Paterna “vestiram-se” a preceito para celebrar a noite mais assustadora do ano. Com dois sabores, uns confecionados com Alvarinho Reserva Dona Paterna e outros com a Aguardente Bagaceira de alvarinho Dona Paterna, estas iguarias prometem deliciar os mais gulosos, mas também os apreciadores de alvarinho.

alvarinho-dona-paterna-vinhos (1).jpg

Os bombons estão decorados com imagens e elementos alusivos ao terror, como fantasmas e olhos, e o recheio tem sabor a fruta e alvarinho: os bombons de Alvarinho Reserva Dona Paterna têm recheio de essência de abacaxi e os de Aguardente Bagaceira sabor a morango. A cobertura de chocolate tem 64% de cacau, “para agradar a todos”, diz a produtora Elisangela Castro.

Apresentam-se agora com uma imagem temática, mas os bombons de alvarinho Dona Paterna nasceram em abril de 2022, de uma sinergia e colaboração com a pastelaria melgacense Sabor do Céu, pelas mãos de Elisangela Castro que afirma que “o resultado é um equilíbrio perfeito entre o doce e o azedo e com um sabor a alvarinho”, salientando que “tentamos sempre surpreender os nossos clientes. Os bombons de alvarinho Dona Paterna são um sucesso e quisemos, desta forma, mimar os nossos clientes com uns bombons temáticos para o Halloween”.

“Temos a certeza de que estes bombons vão marcar a diferença pela qualidade e pelo sabor autêntico.”, refere o produtor da Dona Paterna, Carlos Codesso, realçando a importância de criar sinergias com os produtores locais de forma a promover Melgaço: “É certo que o vinho alvarinho é um dos maiores ex-libris de Melgaço, da região, mas as pessoas gostam e devem ter outras sugestões. Aqui temos excelentes produtos, não só gastronómicos, como de turismo, desporto, natureza..., mas temos potencial para inovar e proporcionar novas experiências, e com o alvarinho conseguimos isso. No final, todos saímos a ganhar, porque se o território ganha, nós também.”

O produto encontra-se à venda, até dia 31 de outubro, na pastelaria da produtora, a Sabor do Céu, que se situa em Melgaço (Rua Dr. Augusto César Esteves – Melgaço, tlf +351 934 352 915) e, no fim de semana, no restaurante Tasquinha da Portela (Portela, Paderne, 4960-263 Melgaço, tlf +351 968 825 682).  A saber que os bombons de alvarinho Dona Paterna (confecionados com o Alvarinho Reserva) estão à venda diariamente nesta pastelaria e ainda no Solar do Alvarinho (Antigo Quartel dos Bombeiros Voluntários de Melgaço, Alameda Inês Negra 4960-561 Melgaço) e, ao fim de semana, na Tasquinha da Portela Restaurante.

A PAIXÃO PELA VINHA

Os alvarinhos Dona Paterna nasceram da paixão de Carlos Codesso que, inspirado pelo seu pai, Manuel Francisco Codesso, desde muito novo se interessou pela viticultura. Obstinado e incentivado pelo progenitor, em 1974, iniciou as primeiras plantações de alvarinho. O acumular de experiência, o contacto com a vinha, o cultivo de videiras, o explorar e conhecer o terroir e, por fim, a experiência na vinificação, foi a pedra-base para a criação, em 1990, da marca de vinho alvarinho Dona Paterna. «Foram das primeiras vinhas contínuas em Melgaço. Comecei a produzir vinho, como lavrador, na altura nas designadas adegas de garagem, e a participar em concursos de vinho, recebendo algumas distinções. Em 1990 decidi criar a marca Dona Paterna.», afirma Carlos Codesso.

Esta relação entre o vinho e o terroir onde se insere, a sub-região Monção e Melgaço, o respeito pelo meio ambiente, bem como a aposta na tecnologia, permite hoje apresentar diferentes perfis de alvarinho Dona Paterna de elevada qualidade, entre vinhos, espumantes e aguardentes.

bombons-de-alvarinho-dona-paterna-melgaco-halloween (4).jpg

bombons-de-alvarinho-dona-paterna-melgaco-halloween (3) (1).jpg

bombons-de-alvarinho-dona-paterna-melgaco-halloween (5) (5).jpg

bombons-de-alvarinho-dona-paterna-melgaco-halloween (2) (3).jpg

PARA CELEBRAR O DIA MUNDIAL DO TURISMO: MELGAÇO CONVIDA PARA DIFERENTES EXPERIÊNCIAS

Da natureza ao bem-estar, passando pelo alvarinho e pelo fumeiro, dando uma volta entre a cultura e o património, sem esquecer o desporto, a sugestão é que se Descubra Melgaço

Melgaço celebra o Dia Mundial do Turismo com um programa repleto de atividades, numa parceria com diferentes entidades do concelho. A ação assume-se como uma forma de convidar os turistas a descobrirem o destino de natureza mais radical de Portugal. A efeméride assinala-se a 27 de setembro, mas Melgaço alarga as comemorações para o fim de semana seguinte: dias 1 e 2 de outubro.

melgaco-descubra (1) (1).jpg

Entrada gratuita nos espaços museológicos, provas de alvarinho, oferta de noites de acampamento em parques de campismo, descontos em atividades, visita a quinta de alvarinho, trilho pedestre e workshop sobre plantas aromáticas e medicinais do PNPG são as sugestões para assinalar o Dia.

A rota cultural vai permitir a visita a vários pontos do concelho, já que os espaços estão dispersos pelo concelho: Torre de Menagem, o Espaço Memória e Fronteira, o Museu de Cinema - Jean Loup Passek e o Núcleo Museológico de Castro Laboreiro. Os turistas poderão ainda visitar a Porta de Lamas de Mouro, umas das Portas do Parque Nacional da Peneda Gerês – PNPG, um espaço com exposição permanente sobre o contexto histórico-geográfico desta área protegida e ter uma experiência 360º através de uns óculos 3D: poderão visualizar um vídeo sobre a ocupação do território e da transumância (Brandas e Inverneiras). Poderão ainda visitar a Loja Interativa de Turismo (no centro da Vila de Melgaço).

No Solar do Alvarinho haverá a possibilidade para um brinde, com alvarinho, claro: o espaço promove provas gratuitas, proporcionando ao visitante a oportunidade de provar os magníficos vinhos da região, num ambiente acolhedor.

E, não fosse Melgaço o destino de natureza mais radical de Portugal, o convite estende-se ainda para praticar atividades de desporto de natureza e radical com as empresas Montes de Laboreiro, Melgaço Radical, Ecotura, Coraltours e JustNatur. Se pretender pernoitar em Melgaço existem descontos nos parques de campismo das Termas de Melgaço e de Lamas de Mouro. E ainda um Welcome Drink no restaurante Miradouro do Castelo e visita à Quinta de Soalheiro com prova de vinhos.

PROGRAMA

Dia Mundial do Turismo | 27 de setembro  

Entrada gratuita nos espaços museológicos de Melgaço*

Provas de alvarinho no Solar do Alvarinho**

27 de setembro e fim-de-semana de 1 e 2 de outubro

ATIVIDADES COM AS EMPRESAS LOCAIS

27 de setembro e fim-de-semana de 1 e 2 de outubro

Coraltours:

  • Desconto de 50% em atividades

Ecotura:

  • Desconto de 50% em atividades

Melgaço Radical:

  • Oferta de uma noite de acampamento no Parque de Campismo das Termas de Melgaço
  • Desconto de 50% em atividades

JustNatur:

  • Trilho pedestre e workshop sobre plantas aromáticas e medicinais doParque Nacional Peneda-Gerês e degustação de produtos à base das plantas observadas.
    Mínimo de 5 pessoas | Nível fácil | 2h | 20€ p/pessoa | Ponto de encontro: Castro Laboreiro, nas instalações da Just Natur, no centro da Vila de Castro Laboreiro
    Inscrições: +351 967 200 344 | nogueira@sapo.pt
    Montes de Laboreiro:
  • Welcome Drink no restaurante Miradouro doCastelo
  • Oferta de uma noite de acampamento no Parque de Campismo Lamas de Mouro
  • Desconto de 50% em atividades

Soalheiro:

  • Visita à Quinta de Soalheiro com prova de vinhos (Soalheiro Clássico e Soalheiro Granit)

Máximo de 20 pessoas | 15h00 | 1h | 10€ p/pessoa

Inscrições: visitas1@soalheiro.pt 

*Horário dos Museus e da Porta de Lamas de Mouro

Abril – setembro: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 18h00

Outubro – março: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h00

Encerrados nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro, e todas as segundas-feiras e domingo de Páscoa.

A Oficina Temática da Porta de Lamas de Mouro encerra à segunda-feira, mas a receção está aberta ao público.

**Horário do Solar do Alvarinho

Abril – setembro: das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 19h00

Outubro – março: das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 18h00

Encerra no domingo e segunda-feira de Páscoa, nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro

INFORMAÇÃO: o Solar está a ser alvo de intervenções, pelo que o espaço provisório se situa no antigo Quartel dos Bombeiros Voluntários de Melgaço, na Alameda Inês Negra (4960-561 Melgaço)

MELGAÇO APAIXONA, POR DIFERENTES RAZÕES!

Melgaço tem um potencial enorme e cada vez com mais procura. Situado na Área Protegida mais importante de Portugal, o PNPG – Parque Nacional Peneda Gerês, consagrado pela UNESCO Reserva Mundial da Biosfera, Melgaço é um destino de natureza por excelência, com características geográficas e geológicas que lhe concedem uma posição de destaque de entre todos os subdestinos do Porto e Norte de Portugal.

A oferta é completa: da natureza ao bem-estar, passando pelo Alvarinho e pelo fumeiro, dando uma volta entre a cultura e o património, sem esquecer o desporto, a sugestão é que se Descubra Melgaço em redor de uma sossegada e deslumbrante natureza.

Localizado a menos de duas horas do Porto e perto da Galiza, Melgaço é um destino a não perder, é o destino de natureza mais radical de Portugal.

SOLAR DO ALVARINHO CONTINUA A SER O ESPAÇO PREDILETO PARA QUEM VISITA MELGAÇO: 6.635 VISITANTES

De janeiro de 2022 e até final de agosto, de acordo com os registos dos vários espaços, 25.984 turistas visitaram os espaços museológicos do concelho de Melgaço, a Porta Lamas de Mouro, a Loja Interativa de Turismo e o Solar do Alvarinho. O Solar do Alvarinho continua a ser o espaço predileto: 6.635 visitantes.

Segue-se a Torre de Menagem – 6.361; a Porta de Lamas de Mouro – 3.539; a Loja Interativa de Turismo – 2.573; o Museu de Cinema Jean Loup Passek – 2.081; o Espaço Memória e Fronteira – 1.854; o Museu de Castro Laboreiro – 1.706; e a Biblioteca de Castro Laboreiro – 1.235.

MELGAÇO É O ÚNICO MUNICÍPIO DO PNPG COM A DISTINÇÃO DE DESTINO TURÍSTICO SUSTENTÁVEL

Melgaço é, neste momento, o único município situado no Parque Nacional Peneda Gerês – PNPG com a distinção de Destino Turístico Sustentável. «Assumirmos um rumo cada vez mais sustentável para Melgaço é um propósito com impactos enormes no futuro do nosso território único e da nossa comunidade», realça o autarca de Melgaço. É nesta visão que se enquadra a certificação de Melgaço como destino turístico sustentável segundo os critérios definidos pela Global Sustainable Tourism Council – GSTC – orgão máximo na definição e gestão dos padrões mundiais para o turismo sustentável.

«O Turismo está no nosso ADN.  Por isso, apostamos num Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo que definiu os caminhos a percorrer para a afirmação e diferenciação como destino turístico. Criámos a marca Descubra Melgaço e posicionámo-nos como o destino de natureza mais radical de portugal, recebemos o selo de prata da Earthcheck – órgão acreditado pela Global Sustainable Tourism Council (GSTC) para certificar destinos turísticos e alcançamos a certificação como destino turístico sustentável, tornando o nosso concelho Best Practice Internacional, ao nível das emissões de gases com efeito de estufa, consumo de água potável e resíduos sólidos enviados para aterro.», realça Manoel Batista.

DMT_cartaz.jpg

DONA PATERNA CELEBRA DIA MUNDIAL DO TURISMO COM COPO DE BOAS-VINDAS DE ALVARINHO

No dia 27 de setembro, no restaurante A Lanterna

A marca de Melgaço volta, uma vez mais, a apostar em sinergias com os produtores locais.

No dia 27 de setembro (terça-feira), quem almoçar no restaurante A Lanterna, em pleno centro histórico da Vila de Melgaço, será brindado com um copo de vinho alvarinho Dona Paterna. A ação é uma forma da marca Dona Paterna assinalar o Dia Mundial do Turismo.

DONA-PATERNA-MELGACO-ALVARINHO-SUNSET (5)-min.jpg

A efeméride, celebrada desde 1980, promove a tomada de consciência sobre o valor social, cultural, político e económico do turismo e a contribuição desta atividade para serem alcançados os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Este ano, a Organização Mundial do Turismo (OMT) comemora o dia com um foco no futuro. A entidade sublinha que este é o momento para repensar a forma como fazemos turismo: colocar as pessoas e o planeta em primeiro e juntar todos em torno de uma visão comum e partilhada de um turismo mais sustentável, inclusivo e resiliente.

alvarinho-dona-paterna-vinhos.jpg

Melgaço é um lugar de excelência. Aqui há natureza, desporto, cultura, história, património, boa gastronomia e alvarinho, que aliás é uma das principais atrações turísticas, e em crescendo. «Os turistas visitam a nossa região à espera de uma diversidade de atividades. E encontram, porque temos de facto uma enorme oferta. Aliado a isso temos o alvarinho, de qualidade e único.», refere o produtor Carlos Codesso, considerando que «é na mesa que os nossos alvarinhos revelam o que de melhor têm para oferecer, em conjunto com a deliciosa gastronomia da região. Por isso decidimos brindar todos os visitantes do restaurante A Lanterna neste Dia Mundial do Turismo.»

patern (1).jpg

ALVARINHO RESERVA E ALVARINHO TRAJADURA ESCOLHA PARA UM BRINDE AO DIA MUNDIAL DO TURISMO

O vinho Alvarinho Reserva Dona Paterna é um clássico.

Um néctar cheio de delicadeza, frescura e mineralidade, com fruta branca delicada, citrinos, tons salinos e flores.

Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves. Deve ser bebido entre 10-11ºC.

O vinho Alvarinho Trajadura Escolha Dona Paterna resulta da combinação harmoniosa da casta Alvarinho com a casta Trajadura. Apresenta uma cor amarela citrina, aroma elegante e mineral e delicado paladar.

Este vinho é ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves. Deve ser bebido entre 8-9ºC.

UM TERROIR ÚNICO NO MUNDO

Graças à exposição atlântica e a um clima caracterizado por elevada pluviosidade, humidade atmosférica, temperatura amena e pequenas amplitudes térmicas, a casta alvarinho atinge neste terroir o máximo das suas potencialidades.

O vinho Alvarinho é um vinho nobre. Esta casta só se produz até 200 metros de altitude, e é aqui que esta casta encontra as condições ideais para o cultivo e maturação. Por isso a sua raridade e baixa produção. Monção e Melgaço é, não só o berço, mas o solar do Alvarinho.

A sub-região de Monção e Melgaço foi criada em 1908, integrada na Região dos Vinhos Verdes, mas a casta Alvarinho existe em Portugal há mais de 700 anos.

SINERGIAS COM OS ATORES DO TERRITÓRIO

Com esta ação, a marca Dona Paterna volta, uma vez mais, a apostar em sinergias com os produtores locais. «Só faz sentido criando experiências que envolvem o território. Os vários agentes que aqui atuam. A sub-região só faz sentido assim e, para isso, temos de trabalhar em conjunto. O visitante, o cliente, não quer apenas uma experiência ou produto, mas sim uma variedade de vivências.», considera Carlos Codesso. Quem visitar o restaurante A Lanterna neste dia receberá ainda um outro miminho da marca Dona Paterna, como forma de agradecimento pela escolha neste Dia Mundial do Turismo.

O restaurante A Lanterna situa-se em pleno centro histórico de Melgaço - Rua Dr. Afonso Costa, 53, Melgaço, Portugal, 4960-519. O espaço convida a saborear os sabores autênticos de Melgaço. As reservas podem ser efetuadas através do telefone 251 402 602.

A PAIXÃO PELA VINHA LEVOU À CRIAÇÃO DA MARCA DONA PATERNA EM 1990

Localizada numa das mais importantes sub-regiões da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, a sub-região de Monção e Melgaço, a adega Dona Paterna situa-se, concretamente, no município mais a norte de Portugal, Melgaço, na Quinta da Carvalheira, no centro da freguesia de Paderne, uma região fortemente marcada pela cultura da vinha, nomeadamente da casta alvarinho, uma das castas brancas mais ilustres e considerada, por muitos, a melhor casta branca enxertada nas vinhas portuguesas.

O alvarinho Dona Paterna nasceu da paixão de Carlos Codesso que, inspirado pelo seu pai, Manuel Francisco Codesso, desde muito novo se interessou pela viticultura. Obstinado e incentivado pelo progenitor, em 1974, iniciou as primeiras plantações de alvarinho. O acumular de experiência, o contacto com a vinha, o cultivo de videiras, o explorar e conhecer o terroir e, por fim, a experiência na vinificação, foi a pedra-base para a criação, em 1990, da marca de vinho alvarinho Dona Paterna. «Foram das primeiras vinhas contínuas em Melgaço. Comecei a produzir vinho, como lavrador, na altura nas designadas adegas de garagem, e a participar em concursos de vinho, recebendo algumas distinções. Em 1990 decidi criar a marca Dona Paterna.», conta Carlos Codesso.

Esta relação entre o vinho e o terroir onde se insere, a sub-região Monção e Melgaço, o respeito pelo meio ambiente, bem como a aposta na tecnologia, permite hoje apresentar diferentes perfis de alvarinho Dona Paterna de elevada qualidade, entre vinhos, espumantes e aguardentes.

patern (3).jpg

MINHO WINE EXPERIENCE

Evento decorreu no passado domingo nas belas e inspiradoras paisagens de Monção e Melgaço. No sábado, ao final da tarde, os participantes foram recebidos no Museu Alvarinho.

alvar (1).jpg

Promovida pelo Consórcio Minho Inovação, que integra as Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave, a iniciativa “Minho Wine Experience”, realizada no passado domingo, 11 de setembro, teve um resultado bastante positivo, propiciando aos participantes uma “viagem” tranquila e deliciosa pelas paisagens naturais e pelos sabores gastronómicos da Sub-Região de Monção e Melgaço.

Na sexta-feira, o Presidente, António Barbosa, e o Vice-Presidente, João Oliveira, estiveram na apresentação do evento, no Hotel Feel Viana. No sábado, ao final da tarde, João Oliveira, recebeu os participantes e elementos da organização no Museu Alvarinho.

Na ocasião, desejou aos presentes um domingo bem passado e enalteceu a importância destes eventos para a promoção do nosso território e para a captação de novos visitantes. Como bons anfitriões, aguçamos o apetite dos visitantes com as nossas roscas e papudos e outros regalos culinários, confecionados pelo chefe Rui Ribeiro.

Cerca de meia centena de participantes, percorreram as paisagens naturais e históricas deste território singular, pontuado por magnificas plantações de vinho Alvarinho, complementando esta atividade desportiva, turística e gastronómica com visitas a equipamentos culturais, provas de vinhos e degustações de produtos locais.

Entre outros, marcaram presença no “Minho Wine Experience” antigos ciclistas profissionais, como Vítor Gamito e Marco Chagas, bem como diversas personalidades ligadas ao mundo dos vinhos. No próximo ano, esta iniciativa irá percorrer os territórios do Cávado e Ave, dinamizando os respetivos territórios.

alvar (2).jpg

alvar (5).jpg

alvar (6).jpg

alvar (7).jpg

REVISTA DE VINHOS DESTACA OS LOUREIROS DO VALE DO LIMA

A Revista de Vinhos foi à descoberta da casta do Loureiro do Vale do Lima!

Este projeto que envolve quatro concelhos do Alto Minho prevê um investimento de 200 mil euros ao longo de dois anos, estimando-se um aumento de 5% de turistas na região.

Viana do Castelo é um dos quatro municípios, que se associa à valorização da sua casta loureiro, numa estratégia conjunta que visa promover o vinho, em articulação com o território.

306358797_5766266113404756_5057011088501668512_n.png

306449840_5766266116738089_4743419802157086078_n.png

305990118_5766266100071424_5171268744929636104_n.png

VINHOS DE CELORICO DE BASTO PREMIADOS NO CONCURSO MUNDIAL

Concurso mundial de Bruxelas reconheceu a qualidade dos vinhos produzidos neste concelho, atribuindo 4 medalhas de ouro e 7 medalhas de prata.

Das 32 medalhas atribuídas aos vinhos verdes no concurso mundial de Bruxelas, realizado no passado fim de semana na capital Belga, 11 viajam para Celorico de Basto, premiando o trabalho dos produtores locais.

vinhas 5.jpg

A Quinta da Raza obteve 2 medalhas de grau ouro, relativas aos seus vinhos Dom Diogo Azal 2021 e Quinta da Raza Alvarinho 2021, a Quinta de Santa Cristina obteve também duas medalhas de ouro com o seu Alvarinho 2021 e Alvarinho/Trajadura 2021.

Além dos galardões maiores atribuídos neste certame, um dos mais conceituados a nível Mundial, os produtores do concelho trouxeram ainda 7 medalhas de prata: A Quinta de Miramontes com o seu Infusa Rose, a Quinta de Santa Cristina com seu Reserva 2018 e Grande Escolha 2021. A Quinta da Raza, obteve quatro medalhas de prata com o Raza Rose, Raza 2021, Dom Diogo Arinto 2021 e Avesso/Alvarinho 2019.

Para José Peixoto Lima, Presidente da autarquia Celoricense, “este é o momento de reconhecer e dar os parabéns aos produtores locais pelo trabalho de enorme qualidade que tem vindo a ser desenvolvido ao longos dos anos. Celorico de Basto é, cada vez mais, uma referência na produção vitivinícola, com várias marcas a afirmarem-se no panorama nacional e internacional. Estes resultados, obtidos num concurso mundial de referência, refletem os investimentos neste setor e a capacidade dos nossos viticultores, modernizaram as suas explorações e métodos de produção, acompanhando as evoluções tecnológicas e as exigências do mercado. Este é um trabalho iniciado há mais de 20 anos, envolvendo os empresários, o Município e as associações de desenvolvimento local, nomeadamente a Probasto, que esteve sempre na linha da frente da modernização deste setor… Os resultados deste concurso são um motivo de orgulho para Celorico de Basto e um sinal inequívoco do potencial deste setor para o desenvolvimento do concelho”, concluiu.

Os vinhos verdes de qualidades são, cada vez mais, uma imagem de marca do território de Celorico de Basto. Com uma produção crescente, que era em 2016 de 49.520 hl, este concelho é o maior produtor do distrito de Braga e de todo o Minho, que se pretende afirmar como “Capital das Camélias e Solar dos Vinhos Verdes”.

PONTE DE LIMA CONVIDA A “LOUREAR A PEVIDE”

300431163_5323775187676521_8652015749055203917_n.jpg

Lourear a Pevide à Moda de Ponte de Lima

23 setembro a 23 outubro 2022

"Laurear a pevide" - passear, estar sem fazer nada, sem preocupações. A expressão tem duas variantes "larear a pevide" e "laurear a pevide".

Larear é o mesmo que andar ao laré, ou seja, "vadiar", "não fazer nada". Pevide significa "nada". Quanto a laurear, trata-se de uma variante de larear.

Se adicionarmos à forma original um bom copo de vinho loureiro e duas de treta numa esplanada na vila mais antiga de Portugal, resulta no mais divertido evento de vinho.