Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CAMPANHA PROMOCIONAL DA FEIRA DO ALVARINHO 2019 EM EXPOSIÇÃO NO MUSEUM OF DESIGN

De 15 de Outubro a 15 de Novembro, na cidade de Como, em Itália. Desenvolvida pela Marka Branka, conquistou, em Abril passado, a medalha de prata no “A Design Award & Competition”, na categoria “Publicidade, Marketing e Comunicação”.

“O Reino do Alvarinho”, trabalho desenvolvido pela agência criativa Marka Branka para a edição de 2019 da Feira do Alvarinho de Monção, estará em exposição no Museum of Design, na cidade de Como, em Itália, entre 15 de outubro e 15 de novembro.

O trabalho criativo e, consequente, campanha promocional da Feira do Alvarinho de Monção, edição 2019, conquistou a medalha de prata no “A`Design Award & Competition”, o mais relevante e prestigiado concurso de design do mundo, na categoria “Publicidade, Marketing e Comunicação”.

Organizado em Itália, com apresentação de trabalhos de todo o mundo, o primeiro lugar deste concurso foi atribuído à MG Motors Austrália e o terceiro à Nissan South Africa, tendo a Feira do Alvarinho de Monção, repartido o segundo lugar com a Unilever Food Solutions.

Além de obter o logotipo do "A`Design Award Winner", o qual é atribuído aos projetos vencedores e atesta a originalidade e excelência do design dos produtos/projetos, o Município de Monção e a MarkaBranka vêm reconhecido, mundialmente, o projeto que inspirou a Feira do Alvarinho de Monção, edição 2019.

Denominado “O Reino do Alvarinho”, baseou-se na criação de um reino antigo e fictício, não mencionado nos livros de história. Com nome e civilização próprios, este reino foi inspirado na história real, nos lugares, nas pessoas icónicas e nas lendas de Monção.

O concurso Internacional “A`Design Award & Competition”, onde já venceram marcas como a Nike, a Disney, a Coca-Cola, a Samsung, a Vodafone e a Nestlé, premeia, anualmente, os melhores designers, arquitetos, engenheiros e estúdios/empresas do mundo inteiro, em diferentes categorias, bem como os projetos que privilegiam a inovação, tecnologia, design e criatividade.

feiraalvar.jpg

PROVAS DE ALVARINHO E ENTRADAS GRATUITAS NO DIA MUNDIAL DO TURISMO

Domingo, 27 de setembro

Um convite para partir à Descoberta de Melgaço!

No próximo domingo, dia 27 de setembro, o Município Mais a Norte de Portugal vai assinalar o Dia Mundial do Turismo com entradas gratuitas nos espaços museológicos e com provas de alvarinho no Solar do Alvarinho, também gratuitas. Mas, não fosse este o destino de natureza mais radical de Portugal, Melgaço sugere ainda diferentes atividades, como rafting no Rio Minho, passeio TT Buggy/Moto4, canyoning e visitas a quintas de alvarinho.

DESCUBRA-MELGAÇO.jpg

E ainda, durante este dia, os turistas que visitem a Loja Interativa de Turismo ficarão habilitados a um prémio: a Loja terá em sorteiro três vouchers para atividades radicais - rafting no Rio Minho e canyoning no Rio Laboreiro. As sugestões do município complementam-se com a boa gastronomia e o alvarinho, que poderão ser apreciados em vários pontos do concelho.

ESPAÇOS MUSEOLÓGICOS DISPERSOS PELO CONCELHO

A rota cultural vai permitir a visita a vários pontos da vila melgacense, já que os espaços estão dispersos pelo concelho: Museu de Cinema Jean Loup Passek, Espaço Memória e Fronteira e o Núcleo Museológico de Castro Laboreiro.

No Solar do Alvarinho os turistas terão a possibilidade de degustar, gratuitamente, o magnífico néctar da região, o alvarinho.

Horário dos Museus e da Porta de Lamas de Mouro

Abril – setembro: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 18h00
Outubro – março: das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h00
Encerrados nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro, e todas as segundas-feiras e domingo de Páscoa.

Horário do Solar do Alvarinho
Sala de Prova, Loja e Bar
Abril – setembro: das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 19h00
Outubro – março: das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 18h00
Encerra no domingo e segunda-feira de Páscoa, nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro

ATIVIDADES RADICAIS PARA OS MAIS AVENTUREIROS

O dia poderá, ainda, ser preenchido com atividades radicais: às 10h rafting no Rio Minho - uma descida em grupo num bote pneumático, superando todos os obstáculos do rio (informações e marcações: geral@melgacoradical.com / 967 006 347); às 9h ou às 14h um passeio TT Buggy/Moto4, que possibilita percursos fascinantes em dois veículos diferentes (informações e marcações: geral@melgacoww.pt  / 933 459 751); e ainda uma atividade de canyoning, pelas 10h ou 15h, que consiste em caminhar sob as reservas naturais melgacenses (esta última atividade é organizada pela Montes de Laboreiro que oferecerá aos visitantes 10% de desconto - informações e marcações: geral@montesdelaboreiro.pt / 251 466 041).

CONHECER O ALVARINHO

Durante este dia, Melgaço sugere também visita a quintas de alvarinho:

Quinta de Soalheiro: a marca possibilitará a experiência de diferentes provas de alvarinho e convida os visitantes a conhecerem a adega e apreciarem as deslumbrantes paisagens (informação e marcação: enoturismo@soalheiro.com / 251 416 769);

Quintas de Melgaço: proporcionará um dia de portas abertas, onde os turistas terão a oportunidade de provar as suas três grandes referências - Torre de Menagem, Loureiro Alvarinho QM e Alvarinho QM (informação e marcação: enoturismo@quintasdemelgaco.pt/ 251 410 020).

SOLAR DO ALVARINHO É O ESPAÇO MAIS VISITADO

Este foi um ano diferente, dada a situação pandémica, mas, assim que os espaços reabriram, com todas as medidas de segurança, os turistas voltaram a visitar Melgaço.

Dados do Observatório Turístico de Melgaço (relativos aos meses de verão – junho, julho e agosto) demonstram que o Solar do Alvarinho continua a ser o espaço preferencial: 4.979 visitas. Segue-se a Porta de Lamas de Mouro – 1.966; a Loja Interativa de Turismo – 1.220; a Biblioteca Castro Laboreiro – 1.070; o Museu de Cinema Jean Loup Passek – 899; o Museu de Castro Laboreiro – 585 e o Espaço Memória e Fronteira – 518. A Torre de Menagem encontra-se encerrada para obras de requalificação.

Estes números são o resultado de uma aposta clara da autarquia na qualidade dos espaços e do seu acervo. A oferta em Melgaço é completa: da natureza ao bem-estar, passando pelo Alvarinho e pelo fumeiro, dando uma volta entre a cultura e o património, sem esquecer o desporto. Localizado a menos de duas horas do Porto e perto da Galiza, Melgaço é um destino a não perder. Aqui, é possível descobrir histórias únicas, contadas com o rigor histórico, mas com as novas tecnologias apelativas e sem dúvida cativantes para o visitante, a sugestão é que se Descubra o que Melgaço Tem. 

Em virtude da situação de contingência, apela-se a que todos sigam, rigorosamente, as normas de segurança emanadas pela Direção-Geral da Saúde: uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social.

A saber…o Dia Mundial do Turismo tem o objetivo de consciencializar sobre a importância do turismo e do seu impacto social, cultural, político e económico, promovendo o desenvolvimento sustentável. A data começou a ser celebrada no ano de 1980, após decisão da Organização Mundial de Turismo. Este ano celebra-se sob a temática Desenvolvimento Rural e Turismo.

Mais informações em www.cm-melgaco.pt.

alvarinho-melgaco1.jpg

TURISMO DO PORTO E NORTE CONSIDERA ENOTURISMO ESTRATÉGICO PARA MONÇÃO E MELGAÇO

Visita ao território da Origem do Alvarinho

Em plena época das vindimas, o Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) esteve em Melgaço para acompanhar a colheita 2020 e descobrir as potencialidades desta Sub-Região dos Vinhos Verdes com foco no turismo sustentável. A visita decorreu na Quinta de Soalheiro, primeira marca de alvarinho de Melgaço, onde tiveram a oportunidade de conhecer um projeto de Enoturismo que vai muito para além do vinho, pois assenta nas potencialidades do território, dos produtos e dos serviços locais de qualidade.

Soalheiro - visita Turismo Porto e Norte.jpg

Inácio Ribeiro, Vice-Presidente do TPNP parabenizou o projeto que, salientou, “vai muito para além do vinho. Nós, no Turismo Porto e Norte, temos excelentes territórios para promover, mas precisamos de produtos nesses territórios que nos ajudem a convencer os visitantes a cá virem, a ficarem e, acima de tudo, a levarem as melhores razões para os recomendar”. “E a aposta do Soalheiro numa oferta integrada contribui para isso mesmo. Através do vinho estão a alavancar um projeto assente no território, assente no enoturismo, o que para nós é muito importante, pois podemos levar como bandeira um produto que nos ajudará a voltar aos 5 milhões de visitantes no Porto e Norte, a fazer com que os turistas fiquem mais do que as duas noites que se alcançou em 2019 e que continuem a visitar este maravilhoso Minho”.

Para os produtores Soalheiro, Maria João Cerdeira e António Luís Cerdeira, as expetativas acerca da qualidade desta colheita são as melhores e acreditam que este ano será desafiante, mas que é fundamental continuar a trabalhar para criar uma oferta turística integrada, fundada na qualidade do território, dos produtos e dos serviços. Maria João Cerdeira garante que o foco continua a ser “conseguir um bom produto, uma matéria prima de grande qualidade para depois na adega ser trabalhada de forma adequada”. Reforçando “Esta é a base de tudo. Nós queremos estar no território como a natureza está. Melgaço tem muitas potencialidades que fazem deste local especial. Melgaço não é só vinho ou vinha, é um destino a descobrir”. António Luís Cerdeira acrescenta que “2020 será um ano de grandes vinhos, mas também de grandes oportunidades de desenvolvimento do território. A título de exemplo, inauguramos a Casa das Infusões, uma casa de alojamento local, e estamos a desenvolver, através do Clube de Produtores de Monovarietais de Vinho Verde, promovido pelo Soalheiro, o projeto ENOTOUR que tem como objetivo criar uma rede de entidades que promovam um turismo direcionado para a sustentabilidade ambiental, social e económica e, ao mesmo tempo, promover o Turismo na região de Monção e Melgaço, território alvo nesta primeira fase do projeto".

O “ENOTOUR – Promoção do Turismo Sustentável no Território dos Vinhos Verdes e do Alvarinho de Monção e Melgaço” prevê ainda a criação de uma plataforma digital colaborativa que reunirá conteúdos e percursos onde se explorará a realidade aumentada, aliando a tecnologia à tradição, história e culturas locais.

EXECUTIVO MUNICIPAL DE PONTE DE LIMA VISITA A APHROS WINE

No âmbito da política de apoio às empresas instaladas no concelho, o Executivo Municipal visitou, na passada terça-feira, a quinta da produtora vinícola Aphros Wine.

IMG_8779-2 (Medium).jpg

A empresa, que conta com 15 anos de existência, tem-se empenhado em valorizar as castas locais, nomeadamente o loureiro assim como o vinhão e o alvarelhão. Contando com 20 hectares de terreno a empresa produz cerca de 100 a 110 mil garrafas por ano.

“Em Ponte de Lima temos condições magníficas em termos de solo, clima e na riqueza das próprias castas tradicionais” palavras do dono e fundador da Aphros Wine, Vasco Croft.

A Aphros Wine exporta para todo o mercado internacional chegando aos quatro continentes. Os EUA e o Canadá ocupam uma grande fatia das exportações assim como o continente europeu, nomeadamente países como a França, Inglaterra e a Alemanha. No continente asiático estão presentes em países como a Tailândia, Singapura e o Japão. O mercado nacional tem vindo a crescer e representa entre 10% a 15% do valor total de vendas.

A empresa possuí uma estreita ligação com a Escola Superior Agrária de Ponte de Lima proporcionado estágios para os alunos, ensinando-os e permitindo formação qualificada para aqueles que pretendam seguir o ramo da viticultura.

O próximo projeto será a aposta no enoturismo, com a criação de um wine bar para a prova de vinhos, visitas guiadas às adegas e a oportunidade de observar todo o processo de produção mecanizado assim como a produção de vinhos em ânfora usando ferramentas manuais. A empresa pretende dar a conhecer a marca e a filosofia da viticultura num projeto que se espera estar em funcionamento já no próximo verão.

“Este é um bom exemplo do ponto de vista da produção ecológica, mas também nos processos de vinificação e acima de tudo no facto de este ser um produto de altíssima qualidade servindo também para promover o nosso território” referiu Victor Mendes, Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima.

O autarca refere-se ao setor vinícola, afirmando que este “faz parte da nossa cultura e das nossas tradições e é sempre uma alavanca fundamental do ponto de vista da economia e da preservação do nosso mundo rural.”

Face às dificuldades criadas pela pandemia de COVID-19 o edil menciona que “É bom saber que esta empresa regressou à normalidade. Excelente projeto para Ponte de Lima à semelhança de outros projetos de alta qualidade que têm vindo a dignificar o nosso concelho. É um bom exemplo de uma aposta no mundo rural demonstrando a possibilidade em criar projetos criativos, inovadores e rentáveis no mundo rural.”

O Presidente da Câmara conclui “Existem muitos jovens a trabalhar neste setor, técnicos altamente qualificados, exemplo de parceria entre o setor privado com as escolas do concelho, nomeadamente a Escola Superior Agrária de Ponte de Lima.”

Como forma de auscultar as dificuldades sentidas e as perspetivas de futuro, promovendo a sustentabilidade e o progresso do tecido empresarial de Ponte de Lima, o Executivo Municipal vai continuar as visitas in loco às unidades empresariais e respetivos projetos do concelho.

IMG_8862-2 (Medium).jpg

IMG_8767-2 (Medium).jpg

IMG_8801-2 (Medium).jpg

IMG_8796-2 (Medium).jpg

IMG_8860-2 (Medium).jpg

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE VINHOS E SABORES

Combinações Improváveis “ÀS SEXTAS NO TRASLADÁRIO”

O Trasladário é um espaço de eleição em Arcos de Valdevez. É um local edílico para os Arcuenses, para os visitantes e para os passantes. Aqui se situa desde Janeiro o “ESPAÇO VINHOS & SABORES”.

Combinações Improváveis  (1).jpg

Este espaço foi construído pelo Município de Arcos de Valdevez, e está a ser explorado pela AVVEZ – Associação dos Vinhos de Arcos de Valdevez. Aqui são promovidos, degustados e comercializados os produtos do artesanato alimentar local e os Vinhos de Arcos de Valdevez. 

Os produtos de Arcos de Valdevez diferenciam-se dos seus similares pela sua origem. As características do território, os seus solos de origem granítica, a sua exposição a sul e nascente, a sua protecção dos ventos marítimos, a sua pluviosidade elevada e as suas elevadas amplitudes térmicas dão aos produtos de origem agrícola características distintivas, inclusive dos seus vizinhos. E isso é bem explicado e percebido neste espaço que também é um Centro de Interpretação e uma espécie de museu de aromas, sabores e tradições disponibilizados de uma forma contemporânea.

Para além disso, desde 26 de Junho, todas as semanas, às sextas-feiras, depois das 18h30, no “ESPAÇO VINHOS & SABORES”, decorrem iniciativas de promoção/degustação dos produtos dos Associados da AVVEZ. Em cada iniciativa, um ou mais Produtores dão a conhecer os seus produtos nas mais variadas harmonizações, por vezes em algumas combinações improváveis!

O conceito proposto é desfrutar de uma “happyhour”, depois de um dia e uma semana de trabalho, descontraidamente e em amena cavaqueira, em partilha com colegas, amigos ou familiares, uma nova experiência, degustando um produto diferente, uma nova combinação de paladares, um novo casamento de vinhos & sabores.

Pode acontecer que as combinações improváveis possam raiar o inusitado, combinando com arte e cultura. Quem sabe? ”ÀS SEXTAS no TRASLADÁRIO”, será sempre agradavelmente surpreendente, sempre com carinho e simpatia.

O ambiente é harmonioso, resultado de um cuidado trabalho da Arquitecta Filipa Gomes, e a música ambiente, cuidada. O espaço começa a ser pequeno, mas as horas são longas até ao fecho.

Ah… e muito importante nos tempos que correm: com toda a garantia das medidas de higiene e segurança do espaço.

Visite, no Campo do Trasladário!

Combinações Improváveis  (2).jpg

Combinações Improváveis  (3).jpg

Combinações Improváveis  (4).jpg

Combinações Improváveis  (5).jpg

Combinações Improváveis  (6).jpg

Combinações Improváveis  (7).jpg

Espaço Vinhos e Sabores (4).jpg

Espaço Vinhos e Sabores (8).JPG

NA ADEGA OU EM CASA: UM CONCEITO DE ENOTURISMO RENOVADO

A primeira marca de Alvarinho de Melgaço leva até casa das pessoas a paixão e os segredos da casta Alvarinho. Nova Soalheiro Digital Tasting inclui uma experiência adicional: acesso a livro de receitas exclusivo.

Depois do sucesso das primeiras edições da Soalheiro Digital Tasting, a primeira marca de Alvarinho de Melgaço vai continuar a levar até casa das pessoas a paixão e os segredos da casta Alvarinho. A mais recente novidade é a Origem Soalheiro Digital Tasting, uma prova que conta com os vinhos que marcam a origem da marca: o Soalheiro clássico – o primeiro alvarinho Soalheiro e o vinho mais emblemático da marca, o Soalheiro Granit – a origem dos vinhos alvarinhos de montanha e o Soalheiro Terramatter - a origem do território, da “terra mãe” e das suas particularidades. Um alvarinho natural, com pouca intervenção na adega.

Origem Soalheiro Digital Tasting .jpg

A Origem Soalheiro Digital Tasting pode ser adquirida, sem sair de casa, através da página www.soalheiro.com/loja e será entregue na morada indicada. Para que a experiência seja completa, para além dos vinhos, será enviado o acesso exclusivo ao vídeo da prova comentada, guia com informação do Soalheiro, fichas técnicas dos vinhos e notas de prova, doseadores e saca rolhas profissional. O kit inclui ainda uma novidade: acesso ao livro de receitas "Soalheiro na Cozinha". Um livro, exclusivo, elaborado pela equipa Soalheiro que decidiu partilhar a paixão pela gastronomia e pelos vinhos e transmitir pequenos grandes momentos gastronómicos harmonizados com Alvarinho.

"SOALHEIRO NA COZINHA": UM LIVRO QUE SURGE DE MOMENTOS PARTILHADOS

A paixão pela gastronomia e pelos vinhos está no ADN da equipa Soalheiro. Por isso, várias vezes, partilharam momentos gastronómicos harmonizados com Alvarinho, com todos os nossos seguidores nas redes sociais… mas sem nunca revelar as receitas. Com um feedback superior ao esperado, não faltaram os pedidos de divulgação das receitas dos pratos sugeridos. E para dar resposta a esses múltiplos pedidos, a equipa colocou mãos à obra e preparou este livro.

As receitas, de base mais tradicional ou mais irreverente, têm todas um toque especial de quem as confecionou e são polvilhadas de detalhes. São caseiras e dividem-se entre sabores da terra, do mar e do rio, vegetarianas e vegans e claro, como não podiam faltar petiscos e coisas doces.

Encarando o Enoturismo Digital como complemento às visitas presenciais, será oferecido, em cada kit, um voucher de uma visita à adega para duas pessoas, com validade de um ano.

UMA EXPERIÊNCIA DE ENOTURISMO NA NATUREZA

No ponto mais a norte de Portugal, longe dos aglomerados populacionais, o Soalheiro é o local ideal para aproveitar momentos em família e entre amigos. Estando garantidas todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde e do Turismo de Portugal (certificado como "Clean & Safe"), o circuito das visitas foi reformulado, passando a experiência a ser feita, maioritariamente, na parte exterior com vista para o vale do Rio Minho, num contacto privilegiado com a natureza. Sem dúvida, uma mais valia para os visitantes.

Continuando a privilegiar as experiências personalizadas, os grupos irão manter-se limitados, tal como já acontecia. O objetivo é proporcionar momentos que vão além da prova de vinhos… mas que contemplam uma descoberta de tudo o que o vinho tem para ensinar. As propostas são variadas e todas as reservas podem ser feitas, comodamente, através da plataforma www.soalheiro.com/enoturismo.

Vídeo apresentação Origem Soalheiro Digital Tasting AQUI!

Livro Soalheiro na Cozinha.jpg

INOVAÇÃO DO SOALHEIRO CRIA A PROVA DIGITAL

UM NOVO ENOTURISMO E O FUTURO DAS PROVAS EM CASA?

Soalheiro Digital Tasting… de uma forma simples, mas emotiva, nos “pequenos” momentos da vida.

Sempre motivada, resiliente e imaginativa, a equipa de Enoturismo do Soalheiro, agora que está com a atividade, momentaneamente, suspensa, devido ao plano de contingência Covid-19, implementado há mais de duas semanas na adega, criou um projeto inovador: a “Soalheiro Digital Tasting”. Esta é a mais recente proposta, da primeira marca de Alvarinho de Melgaço, para levar até casa das pessoas a paixão e os segredos desta casta. Trata-se de uma prova digital comentada, onde o enólogo Luís Cerdeira desvenda todos os detalhes da casta Alvarinho. O objetivo é continuar a marcar de uma forma simples, mas emotiva, os “pequenos” momentos da vida.

Para além de permitir a descoberta de três estilos de vinhos, em casa, também mostra novidade e incentiva os consumidores a adquirirem no comércio local ou através de lojas especializadas na internet já existentes, pois não está nos objetivos do Soalheiro a criação de uma loja de vinhos online. A marca pretende continuar a promover a elasticidade e a descoberta da casta alvarinho, motivando, nesta fase, a procura dos vinhos no online, nas garrafeiras que distribuem ao domicílio e nos restaurantes que continuam a prestar serviços de take away.

“O Alvarinho, além da casta rainha do nosso território, é a nossa paixão. Esta fantástica casta permite, em equipa e com um espírito de inovação constante, criar dimensões diferentes nos vinhos que produzimos. O KIT inclui três dimensões desses perfis e um vídeo comentado que ajudará a descobrir os segredos de cada um. Depois, pode encontrar o seu Soalheiro preferido em restaurantes, garrafeiras e lojas online” afirmam os produtores. Acrescentando “em breve, tudo voltará à festa e ao convívio. Nós acreditamos. E por isso incluímos um voucher, com validade de um ano, para poderem, quando isto passar, visitar o Soalheiro”.

O kit de prova inclui: três dimensões Soalheiro - Granit 2019 (lançamento), Terramatter 2018 (natural, sem filtração) e Reserva 2018 (nova colheita), um vídeo comentado pelo enólogo Soalheiro, Luís Cerdeira, informação técnica da marca, fichas técnicas dos vinhos, notas de prova, saca rolhas profissional e doseadores e, ainda, um voucher Enoturismo para duas pessoas, com validade de um ano. O mesmo pode ser adquirido através da página soalheiro.com/enoturismo.

BUSINESS AWARDS 2019: FEIRA DO ALVARINHO PREMIADA COMO EVENTO DO ANO EM MONÇÃO

A Gala Alto Minho Ativar IPVC Business Awards 2019, realizada ontem à noite, no Centro Cultural do Alto Minho, em Viana do Castelo, distinguiu a Feira do Alvarinho como evento do ano. Em representação da Câmara Municipal de Monção, Célia Rodrigues, chefe de gabinete, recebeu o prémio atribuído à “Maior Wine Party de Portugal”.

IMG_5966.JPG

Promovidos pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e pela Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL), os prémios, entregues anualmente, têm como finalidade premiar o ‘melhor do universo científico, tecnológico e empresarial’ do distrito de Viana do Castelo.

No total, foram entregues 10 galardões, distinguindo os empresários que se destacaram pelas melhores práticas nos domínios de inovação, gestão e empreendedorismo na região alto minhota. A iniciativa visou ainda promover momentos de networking entre as empresas e as entidades geradoras de ciência e conhecimento na região.

Além de promover os produtos vínicos daquela casta excecional, a Feira do Alvarinho é um evento marcado pela animação e convívio entre pessoas de diferentes regiões e nacionalidades. Célia Rodrigues enalteceu a honra e orgulho que representa para todos os monçanenses verem o certame ser reconhecido fora do concelho.

Após agradecer o prémio de evento do ano à entidade organizadora, Célia Rodrigues, expressou um voto de felicitações aos restantes premiados e convidou os presentes a visitarem a feira na próxima edição, no primeiro fim de semana de julho, onde serão recebidos com a natural simpatia que carateriza os monçanenses.

UM ALLO AO ATLÂNTICO: LOUREIRO E ALVARINHO SÃO AS ESTRELAS DE UM VINHO ONDE A INFLUÊNCIA ATLÂNTICA IMPÕE UM TEOR ALCOÓLICO MODERADAMENTE BAIXO

Soalheiro Allo 2019 apresenta perfil aromático intenso, frescura e um teor alcoólico moderadamente baixo

De cor amarela citrina e aroma elegante e mineral, assim se apresenta a edição 2019 do Soalheiro Allo. Recentemente, chegado ao mercado, o Allo 2019 revela uma excelente conjugação da fruta da região do Minho com as castas Alvarinho e Loureiro. O que esperar? Um vinho branco vibrante e preciso, com um equilíbrio ímpar, devido ao perfil aromático, à frescura e ao teor alcoólico moderadamente baixo (11,5%).

image004hallo.png

No copo, os sabores fundem-se! Por um lado, os frutos tropicais, característicos da casta Alvarinho, conferem-lhe estrutura, por outro, os aromas florais, característicos da casta Loureiro, de vinhas de influência atlântica, conferem-lhe elegância.

Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves, trata-se de um vinho pleno de leveza e sobriedade. A descobrir…

O "PORTANHEIRO" ESTÁ DE VOLTA - VEM AÍ O "PORTANHEIRO"!

Dia 24 de dezembro, a partir das 17h, no Jardim Velho

A Câmara Municipal de Barcelos volta a associar-se ao ‘Portanheiro’, uma iniciativa que convida todos os barcelenses a rumar ao Jardim Velho no dia da consoada, 24 de dezembro, a partir das 17h, para beber um cálice de vinho do Porto.

Portanheiro 2019.jpg

Segundo a tradição, ao longo do dia 24, amigos e familiares juntam-se em cafés e estabelecimentos do concelho para brindar ao Natal antes da consoada. Assim, o ‘Portanheiro’ convida todos os barcelenses a aparecer no Jardim Velho, no dia 24 de dezembro,  entre as 17h e as 19h, e a brindar com um cálice de vinho do Porto, rever amigos e confraternizar. Basta trazer um copo e um bom vinho do Porto.

O Portanheiro nasceu em 2015,  no seio de um grupo de amigos que todos os anos se encontravam num café para desejar boas festas e que decidiram encontrar-se no coreto do Jardim Velho, em Barcelos, para brindar com vinho do Porto.

CLÁSSICO OU IRREVERENTE… COMO VAI SER O SEU NATAL?

Duas novidades mesmo a tempo da sua consoada: O Soalheiro Oppaco 2016 e o Soalheiro Alvarinho 2019

Com os preparativos festivos que se avizinham, a primeira marca de Alvarinho de Melgaço lança duas novidades: a edição 2016, do Soalheiro Oppaco e a edição 2019, do Soalheiro Alvarinho. Duas propostas completamente distintas que harmonizarão na perfeição com perfis mais irreverentes ou mais clássicos.

soalheiro_oppaco_2016.jpg

PARA OS MAIS IRREVERENTES!

Começamos pelo primeiro Soalheiro tinto. De perfil único, delicado e elegante, baseado nas castas Vinhão, Pinot Noir e Alvarinho, o Soalheiro Oppaco 2016 continua a apresentar-se de cor rubi mais ligeira, diferente dos tradicionais vinhos verdes tintos de cor carregada e consumo jovem que habitualmente estamos habituados a conhecer. Figurando-se ideal para harmonizar com pratos de peixe gordo, pratos de carne branca (pato e peru por exemplo) ou vermelha, pratos de caça, fumeiro e queijos curados.

Nas duas primeiras colheitas, o lote do Soalheiro Oppaco foi baseado nas castas Vinhão e Alvarinho com a convicção de que a rusticidade do Vinhão é em parte moldada pela elegância do Alvarinho, encontrando um excelente balanço de aroma e sabor.  Mas a busca pela melhor expressão dos “terroirs” levou, no lote 2015, a introduzir uma novidade, a casta Pinot Noir, que agora se mantem. “As uvas de Vinhão (sinonímia de Sousão no Douro) que produzimos na nossa região são muito especiais sobretudo pela concentração em taninos e cor, sendo por isso essencial o lote com outras castas, neste caso particular escolhemos o Alvarinho e o Pinot Noir, para produzir um vinho mais contido e elegante” afirmam os produtores.

MAS UM CLÁSSICO É SEMPRE UM CLÁSSICO!

O Soalheiro Alvarinho 2019, continua a ser, sem dúvida, um Clássico no Soalheiro: perfeito, elegante e com volume. Um perfil mais consensual pela frescura aromática da casta Alvarinho, intensidade gustativa e invulgar longevidade em garrafa.

Intenso e tropical, é perfeito como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves. E, por isso, é, sem dúvida, uma das sugestões que não pode faltar na sua mesa este Natal.

Consulte todas as sugestões Soalheiro para a época festiva que se avizinha em:

https://www.soalheiro.com/pt/festas2019

soalheiro_classico_2019.jpg

Oppaco e Clássico.png

image005soalh (1).png

ADEGA DE MONÇÃO SUGERE 3 VINHOS PARA CELEBRAR O NATAL: DEU LA DEU; DEU LA DEU RESERVA E DEU LA DEU FERNANDO MOURA

Pela solenidade, pela gastronomia ou pela companhia, a noite de Natal constitui-se como um momento privilegiado para se celebrarem grandes vinhos. Escolher o vinho certo é uma questão de harmonia, de equilíbrio e de prazer à mesa.

Alvarinho Deu la Deu reserva.png

A Adega de Monção sugere para acompanhar os pratos típicos da noite de Natal, a marca Alvarinho mais vendida em Portugal e uma das mais prestigiadas da casa: Deu La Deu.

Dos vinhos antes do jantar, aos vinhos a servir com o bacalhau ou a acompanhar as típicas sobremesas da época, o Deu la Deu, o Deu la Deu Reserva e o Deu la Deu Fernando Moura são três excelentes opções para harmonizar a Ceia de Natal.

O Alvarinho Deu la Deu apresenta-se como um excelente aperitivo e acompanhante de pratos de marisco, peixe e carnes brancas. Com aroma predominante a fruta de caroço, onde se salientam as notas de pêssego, alperce, frutos tropicais e nuances florais, é um vinho harmonioso, elegante e intenso na boca, onde termina longo. Temperatura de consumo recomendada de 12ºC.

Alvarinho Deu La Deu.jpg

Produzido com base numa seleção de uvas Alvarinho, provenientes de vinhas antigas da sub-região de Monção e Melgaço, o Deu la Deu Reserva mostra-se no aroma fresco, típico da casta, com forte presença de flor de laranjeira, pêssego e alperce. Na boca, onde é seco, macio e encorpado, sobressaem frutos de caroço e tropicais, como manga. Temperatura de consumo recomendada de 12ºC.

O vinho de homenagem a Fernando Moura, enólogo com mais de 30 anos de ligação à Adega de Monção, tem notas de pólvora seca e uma robustez que lhe permite ser servido a acompanhar uma entrada de queijos ou patés mas igualmente “uma carne mais pesada”, como uma posta de uma das maravilhosas carnes típicas da celebração, que, por norma, obriga a vinhos mais robustos.

Deu-la-Deu, a história

A Adega Cooperativa de Monção quis prestar uma homenagem a um episódio único da história nacional e da região, dando o nome de Deu la Deu a um dos seus mais prestigiados vinhos.

Segundo reza a história, em pleno século XIV D. Fernando estava em guerra com Castela e Monção estava cercada. A vila aguentou o cerco apesar da falta de recursos. Os alimentos eram escassos e os homens válidos muito poucos. Deu-la-Deu Martins, esposa do capitão-mor de Monção, Vasco Gomes de Abreu, que estava ausente a acompanhar o rei D. Fernando e o seu exército, tomou o comando da praça e, durante o tempo que durou o cerco, dirigiu os seus homens. Esgotava-se tudo, lentamente: os recursos militares, a comida, os próprios homens e a coragem também. E foi num desses momentos de desespero que, Deu-la-Deu mandou recolher a pouca farinha que ainda existia na vila e com ela fazer os últimos pães. Após a cozedura, Deu-la-Deu subiu à muralha com os pães nas mãos. Chegou-se a uma ameia e atirou-os aos sitiantes, gritando bem alto: “A vós, que não podendo conquistar-nos pela força das armas, nos haveis querido render pela fome, nós, mais humanos e porque, graças a Deus, nos achamos bem providos, vendo que não estais fartos, vos enviamos esse socorro e vos daremos mais, se pedirdes! Na verdade, também o inimigo tinha fome, muita fome. Por isso, face àquele esbanjamento de pão, acreditaram na fartura dos sitiados e levantaram o cerco, partindo para terras de Castela. Desta forma, com audácia e coragem, Deu-la-Deu salvou a praça e ficou, para sempre, ligada à história de Monção.

Adega de Monção

Fundada a 11 de outubro de 1958, por iniciativa de 25 viticultores, a adega encontra-se situada em plena Região Demarcada dos Vinhos Verdes, na sub-região de Monção e Melgaço, onde a casta Alvarinho é melhor representada.

Esta sub-região da Região dos Vinhos Verdes é onde o Alvarinho tem origem e onde iniciou a sua evolução, o que aconteceu mesmo antes da existência de qualquer registo escrito.

A adega agrega 1.600 cooperantes e tem uma área vinícola1.151Ha.

Deu-la-Deu Fernando Moura.jpg

EMPRESAS E ASSOCIAÇÕES LOCAIS UNEM-SE PARA POTENCIAR O INVESTIMENTO NO INTERIOR

Investimento, superior a meio milhão de euros, tem como objetivo apoiar a reestruturação e reconversão de mais de 40ha de vinha na sub-região de Monção e Melgaço – a Origem Alvarinho.

Com o objetivo de continuar a potenciar o investimento no interior, criando condições económicas e laborais na vinha para a fixação da população, nomeadamente, na região de Monção e Melgaço – a Origem Alvarinho, o Soalheiro e a Avitiminho-Associação dos Viticultores do Vale do Minho criaram uma agrupada de 88 produtores, com uma área superior a 40ha de vinha, que se candidatou ao projeto VITIS. Trata-se de um financiamento, para a promoção do território e valorização da vinha, através do apoio à sua reestruturação e reconversão, superior a meio milhar de euros.

Soalheiro vinha (1).jpg

Coordenada pela Avitiminho, os elementos do Clube de Produtores de Monovarietais do Vinho Verde, fundado pelo Soalheiro, e outros viticultores da região integraram uma agrupada onde os viticultores de minifúndio têm ajuda para tornar as suas parcelas de pequena dimensão rentáveis. “A parceria do Soalheiro, através do Clube de Produtores de Monovarietais do Vinho Verde, com a Avitiminho, surgiu em 2018 para a formação dos produtores da região, nomeadamente na formação obrigatória em COTS (Conduzir e Operar o Trator em Segurança). O Clube de Produtores integra atualmente mais de 150 viticultores cujo foco na qualidade, no enoturismo e na inovação são prioridades!” afirmam os produtores do Soalheiro.

Esta candidatura representa mais uma aposta no território do vinho, neste caso da sub-região de Monção e Melgaço: a Origem do Alvarinho, que mostra que a união dos concelhos de Monção e de Melgaço, das entidades locais, do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), da ViniPortugal e dos Vinhos Verdes fará toda a diferença na sua sustentabilidade social, económica e ambiental deste território.

AVITIMINHO PROMOVE FORMAÇÃO TÉCNICA VALORIZANDO

O POTENCIAL E A MÃO-DE-OBRA EXISTENTE NA REGIÃO

A Avitiminho é uma associação que desempenha na região um papel importante de apoio aos viticultores, nomeadamente como delegação da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, contribuindo para a modernização e desenvolvimento do setor vitícola e agrícola nos domínios do desenvolvimento rural, apoio técnico, económico, comercial e formação profissional.  Criada em 2001, é a única associação do concelho de Melgaço certificada pela DGERT (Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho) para promover formação profissional na área de comércio, produção agrícola e animal e silvicultura /caça.

As ações de formação promovidas pela Avitiminho visam aumentar a competência dos agricultores, valorizando a mão-de-obra existente na região tornando-a mais capacitada e apta podendo ser direcionada a jovens agricultores, vitivinicultores, produtores de vinho, produtores e comerciantes de animais, operadores e condutores de tratores, maquinaria e alfaias agrícolas, bem como produtores e operadores florestais.

PORTUGAL NO SALÃO DO VINHO E DO GOSTO EM PARIS (DRANCY)

Portugal é o país convidado a participar na 17ª edição do Salão do Vinho e do Gosto, a realizar na cidade de Drancy, arredores da capital francesa, numa organização do município local.

19112019-1.jpg

O evento decorrerá no fim de semana de 29 de Novembro e 1 de Dezembro no Ginásio Joliote Curie, com horário de funcionamento das 10,00h ás 18,00h. Limitado ao espaço disponível realizou-se uma escolha de produtores, o Salão do Vinho e do Gosto contará este ano com 40 expositores provenientes de toda a França, com suas especialidades enogastronómicas, muitas delas já como escolha para prenda de Natal.

Quanto á participação lusitana, a Presidente do município Aude Lagard, convidou a ADAP (Associação Portuguesa dos Amigos de Drancy), presidida por Carlos Alves para organizar o espaço.

Assim, estão a ser selecionados em Portugal vários vinhos de regiões demarcadas, especialmente Alvarinho, Verde, Douro e Alentejo, na sua maior parte medalhados com ouro e prata em concursos nacionais e no estrangeiro, para além de azeites, doces, salgados e charcutaria variada.

Portugal ocupará o stand número 27 do Salão, cuja coordenação está a cargo da Profª Odete Mendes. Uma visuta por parte da comunicação social e deputados da Assembleia Nacional francesa está a ser agendada ao cantinho da língua de Camões.

Brevemente divulgaremos alguns dos produtos que estarão disponíveis para degustação e compra por parte dos nossos compatriotas, lusodescendentes e de outras nacionalidades que habitualmente frequentam as edições do Salão do Vinho e do Gosto de Drancy, arredores de Paris, com destaque nos rótulos Minho / Ponte de Lima.

Tito Morais / https://www.luso.eu/

DESCUBRA MELGAÇO DURANTE A FESTA DO ESPUMANTE!

Entre os dias 22 e 24 de novembro

Momento de inauguração acontece pelas 17h00, com a presença da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira.

CapturarESPUM3.PNG

A V Festa do Espumante, em Melgaço, vai reunir uma grande montra de espumantes de Alvarinho, diversidade de produtos regionais, sessões de showcooking com chefes Michelin e provas comentadas. O certame arranca na sexta-feira, pelas 11h00, e prolonga-se até domingo, no Largo do Mercado. A abertura oficial acontece pelas 17h00 com a presença da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira.

A Festa do Espumante de Melgaço tem como objetivo contribuir para afirmar a identidade de Monção & Melgaço como território vínico de excelência, fruto de condições naturais e humanas singulares: solo, microclima e saber-fazer. Com o consumo de espumantes a crescer de ano para ano, a Câmara Municipal de Melgaço pretende apostar num segmento que se tem revelado num dos mais bem-sucedidos produtos já experimentados. «A Festa do Espumante foi uma aposta arriscada, mas hoje o certame já se afirmou. E prova disso são os números: em 2018 tivemos cerca de 7 mil visitantes. É uma montra privilegiada para o nosso Alvarinho e para a gastronomia regional. Não tenho dúvidas, nenhumas, de que é uma aposta ganha!», afirma Manoel Batista, autarca melgacense.

ESPUM4.jpg

A elevada adesão levou ao aumento da área de exposição, num total de 1350 metros quadrados. Estarão em prova 26 espumantes produzidos por 14 produtores de Monção e Melgaço: Adega do Sossego, Alvaianas, Casa de Canhotos, Cortinha Velha, Dom Ponciano, Dona Paterna, PROVAM, Quinta do Mascanho, Quinta do Regueiro, Quintas de Melgaço, Reguengo de Melgaço, Soalheiro, Terras de Real e Valados de Melgaço.

À Festa junta-se um vasto conjunto de produtores regionais, que apresentarão iguarias de elevada qualidade, tais como fumeiro, enchidos, queijos e doçaria: Melgaço em Sabores, Mel do Zé, Prados de Melgaço, Prendokas, Quinta de Folga, NB Bruno Afonso, Broa de Mel e Sabores Castrejos. O restaurante Chafarix/DOP MAT, mestre na confeção do maravilhoso receituário de Melgaço e do Alto Minho, irá apresentar variadas propostas gastronómicas.

Merecem ainda destaque as sessões de cozinha ao vivo com a assinatura de mediáticos cozinheiros que reinterpretarão o tradicional receituário, conferindo-lhe toques contemporâneos: João Cura do Restaurante Almeja, Porto; Chefe Estrela Michelin Óscar Geadas, estrela Michelin do Restaurante G, Pousada de Bragança; Chefe Rui Ribeiro da Escola Profissional do Alto Minho Interior; e o Chefe Estrela Michelin Vítor Matos - Restaurante Antiqvvm, Porto e Hotel Vidago Palace, Chaves. Para aprofundar conhecimentos sobre os espumantes de Melgaço, as provas comentadas com o sommelier Manuel Moreira terão muitas dicas práticas e úteis.

A animação completa o cartaz da Festa do Espumante, com música ao vivo de Rui Afonso e Bruno Pereira e os DJ John Fan, Pedro Simões (RFM).

Horários da Festa

Sexta-feira, 22 de novembro: das 11h às 02h

Sábado, 23 de novembro: das 12h às 02h

Domingo, 24 de novembro: das 12h às 18h

O certame pretende valorizar os produtos locais e a imagem do concelho através de uma oferta turística integrada onde o enoturismo, o turismo rural, os desportos aventura, o património cultural e paisagístico, a hotelaria e restauração constituem fatores dinamizadores para o Destino de Natureza Mais Radical de Portugal.

A entrada é livre e o acesso às provas de espumantes faz-se mediante a aquisição do copo oficial no valor de 2,50€. Uma organização da Câmara Municipal de Melgaço com produção da EV-Essência do Vinho.

O programa e todas as informações sobre o evento estão disponíveis em www.festadoespumante.com.

Capturarespum1.PNG

Capturarespum2.PNG

GOSTAVA DE PROVAR O PRIMEIRO ESPUMANTE BRUTO DE ALVARINHO SEM SULFITOS?

De 22 a 24 de novembro, poderá fazê-lo na Festa do Espumante em Melgaço

De 22 a 24 de novembro, na Festa de Espumante de Melgaço terá a oportunidade de provar o primeiro espumante de Alvarinho sem sulfitos – o Soalheiro Bruto Nature. Lançado este ano, trata-se de uma das novidades da família de Espumantes da primeira marca de Alvarinho de Melgaço e apenas está disponível em locais muito específicos, pois a produção é limitada.

Durante esse fim de semana também poderá visitar a adega Soalheiro e conhecer in loco os detalhes da produção de espumantes. As propostas de visita são diversificadas e as reservas podem ser feitas no portal de Enoturismo em www.soalheiro.com.

Tendo a sua aposta nos Espumantes começado em 1995, o Soalheiro tem no seu portefólio quatro variações 100% pur terroir da região de Monção e Melgaço - o Soalheiro Espumante Bruto Alvarinho, o Soalheiro Espumante Bruto Rosé, o Soalheiro Espumante Bruto Nature e o Soalheiro Espumante Bruto Barrica. De perfil mais conservador ou mais “fora da caixa”, pelas suas particularidades arrojadas não deixarão os consumidores indiferentes. Muito versáteis acompanham uma grande diversidade de gastronomia e são claramente espumantes para carne ou gastronomia intensa.

SOALHEIRO ESPUMANTE BRUTO NATURE

Acreditava se lhe disséssemos que tem pérolas reais?

image004perolas.png

Pura inovação, o Soalheiro Bruto Nature desafia-o a provar o primeiro espumante de Alvarinho sem sulfitos. Após o lançamento do primeiro Alvarinho produzido sem adição de sulfitos, o Soalheiro Nature "Pur Terroir", chegou a hora de criar um espumante na mesma linha e completamente “fora da caixa”. Baseado no método ancestral, onde as Pérolas de Leveduras criam o gás muito fino e delicado existente dentro da garrafa, e a rolha, especialmente selecionada para o efeito, acompanha o espumante desde a sua criação e fermentação em garrafa até à abertura final para os vossos copos.

A ausência de adição de sulfitos e de dosagem no final (bruto natural sem qualquer adição) e a permanência na cave, a temperatura baixa e constante durante 18 meses permitiu que este espumante mostre toda a elegância da casta Alvarinho numa perspetiva de maior complexidade e menos fruta. A cor e o aroma do Soalheiro Bruto Nature são intensos e o sabor complexo, a pedir que seja descoberto com entusiasmo. Afinal é um Alvarinho 100% elaborado sem adição de sulfitos, com fermentação alcoólica e malolática completas e sujeito a uma segunda fermentação em garrafa para se tornar espumante. A rolha, de seleção especial, sujeita a fermentação não apresenta a conicidade habitual do espumante e as Pérolas de Leveduras são reais, de sabor neutro e bem visíveis, normalmente no último copo, podendo ser também degustadas.

SOALHEIRO ESPUMANTE BRUTO BARRICA

Barrica de carvalho confere-lhe um carácter de aroma mais evolutivo e intenso

unnamed-intensivo.jpg

A elaboração de um Espumante a partir da casta Alvarinho obriga a uma escolha criteriosa das uvas. A nossa tradição recorria à fermentação neutra em inox para obter o vinho base com mais intensidade de fruta. O Soalheiro Espumante Bruto Barrica fermenta e estagia em barricas de carvalho usado durante 12 meses antes da segunda fermentação em garrafa. Esta etapa vai conferir ao espumante um carácter de aroma mais evolutivo e intenso, bem com uma textura de boca mais larga e persistente.

A permanência na cave, a temperatura baixa e constante durante 36 meses permitiu que este espumante mostre toda a elegância da casta Alvarinho, numa perspetiva de maior complexidade e menos fruta, a que o espumante Soalheiro Espumante clássico nos habituou. Apresenta cor amarela intensa, bolha fina e persistente. O aroma revela aroma terciários e abaunilhados, denotando um bom equilíbrio entre a acidez e o álcool. O sabor apresenta persistência, complexidade, mas ao mesmo tempo elegância.

SOALHEIRO ESPUMANTE BRUTO ALVARINHO

Exuberante e expressivo

unnamedexpressivo.jpg

Exuberante e expressivo, apresentamos o Soalheiro Espumante Bruto Alvarinho. Um Espumante de Alvarinho, de cor amarela citrina, bolha fina e persistente, que possui um aroma que revela a fruta da casta, denotando um bom equilíbrio entre a acidez e o álcool. O mosto, resultante de uma seleção criteriosa das uvas, fermenta a temperatura controlada, obtendo-se o vinho base para espumante.

Este vinho sofre, já em garrafa, uma segunda fermentação. A permanência na cave e a temperatura baixa e constante durante vários meses permite que mostre toda a elegância da casta Alvarinho. Um versátil acompanhamento gastronómico, ideal como aperitivo ou para acompanhar pratos tradicionais como assados no forno, bacalhau ou cabrito.

SOALHEIRO ESPUMANTE BRUTO ROSÉ

Contido e persistente

unnamedrose.jpg

A cor rosa salmão, a bolha fina e persistente e o aroma elegante e delicado são caraterísticas do Soalheiro Espumante Bruto Rosé. O sabor é persistente, com muita profundidade e agradável complexidade, o que o torna um versátil acompanhamento gastronómico, ideal como aperitivo ou para acompanhar pratos tradicionais como assados no forno, bacalhau ou cabrito.

As uvas de Touriga Nacional, caraterizadas pela pouca intensidade de cor na região, juntamente com a casta Alvarinho são a base deste Soalheiro, fornecendo estrutura de boca. O mosto resultante desta seleção fermenta a temperatura controlada, obtendo-se o vinho base para espumante. Este vinho sofre, já em garrafa, uma segunda fermentação.