Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA: CDS DEFENDE ADSE PARA OS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS

Areia de Carvalho, candidato pelo distrito de Braga, visita corporações

 “Portugal precisa dos bombeiros voluntários e o Estado tem de saber recompensá-los devidamente pelo serviço que prestam à comunidade.”

Areia de Carvalho nos Bombeiros Voluntários de Am

Foi assim que Areia de Carvalho, primeiro candidato do CDS-PP à Assembleia da República pelo círculo eleitoral de Braga, deu o mote para lançar uma ideia que agrada aos bombeiros voluntários: a sua inclusão no grupo de beneficiários da ADSE, o subsistema de saúde dos funcionários públicos.

Na sua campanha para as eleições legislativas de 30 de janeiro, Areia de Carvalho, que tem por objetivo manter o deputado do CDS-PP pelo distrito de Braga, tem privilegiado visitas às corporações de bombeiros. Foi assim em Esposende, Braga, Vila Verde, Vila Nova de Famalicão, Vieira do Minho e Amares, estando outras visitas agendadas até ao fim da campanha.

“Tenho de destacar o voluntariado dos bombeiros portugueses, que é uma característica rara no mundo. O trabalho daqueles que doam o seu tempo e a sua disponibilidade ao bem comum é algo que não tem preço”, considera Areia de Carvalho, para quem “se não fossem os bombeiros voluntários e o voluntariado que os bombeiros fazem os serviços noturnos e de fim de semana não seriam prestados”.

É o que acontece, por exemplo, em Vieira do Minho, e em outras corporações de bombeiros. “O que seria de Portugal se não tivesse bombeiros voluntários?”, pergunta, insistentemente, o candidato do CDS-PP à Assembleia da República.

Areia de Carvalho lembra que “cerca de 90% das funções da proteção civil são desempenhadas pela sociedade civil, nomeadamente através dos bombeiros voluntários”.

Com base nesses elementos, o candidato adianta que “o CDS-PP assume o compromisso de, em parceria com a Liga dos Bombeiros Portugueses, encontrar soluções que recompensem os bombeiros voluntários pelo serviço público que prestam à comunidade”.

“Os bombeiros voluntários precisam de ser devidamente recompensados pelo Estado. Por exemplo, vamos pensar na hipótese de os bombeiros se tornarem beneficiários do subsistema de saúde da ADSE ou de terem acesso a um estatuto favorecido no processo de aposentação”, adiantou Areia de Carvalho.

A campanha do CDS-PP continua marcada pela proximidade e focada em temáticas que interessam às pessoas e instituições. No próximo sábado, 22 de janeiro, Areia de Carvalho terá a seu lado o líder do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, numa ação de campanha no Mercado Municipal de Braga.

Areia de Carvalho nos Bombeiros Voluntários de Vi

Areia de Carvalho nos Bombeiros Voluntários de Vi

Areia de Carvalho nos Bombeiros Voluntários Famal

Areia de Carvalho na Proteção Civil do distrito

FALECEU JOÃO LOBO – PRESTIGIADO ESCRITOR E POLÍTICO VILAVERDENSE

Capturarlobo.JPG

Faleceu hoje João Lobo, prestigiado advogado e escritor natural de Vila Verde. Foi presidente da Assembleia Municipal de Vila Verde e deputado à Assembleia da República eleito pelo PSD.

Integrou a Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias e da Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, tendo sido autor de vários Projectos-Lei, de Resolução e Deliberação, de Pareceres e Iniciativas Nacionais e Europeias.

Foto: Diário do Minho

EPATV ASSEGURA COMPASSO PASCAL EM VILA VERDE E BARBUDO EM 2022

O Diretor Geral da Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), recebeu hoje, dia 8 de dezembro, na Festa da Imaculada Conceição, as seis cruzes do Compasso Pascal das paróquias de Vila Verde e Barbudo, assumindo a responsabilidade (mordomia) deste dia festivo para as gentes do Minho, envolvendo   todos os colaboradores e alunos nesta iniciativa.

IMG_0651.jpg

João Luís Nogueira estava acompanhado  de outros elementos da Direção da EPATV, como Sandra Monteiro, Paula Fernandes, Aurélia Barros, os professores Ana Nogueira e Rui Silva, bem como a Coordenadora do Centro Qualifica, Rosa Vieira. 

A entrega das seis cruzes — como é tradição —   decorreu na festa da Imaculada Conceição, no final de uma Eucaristia celebrada pelo Padre  Artur Gonçalves e animada pelo Coro Paroquial de Vila Verde. 

João Luís Nogueira revelou que as Cruzes, no Domingo de Páscoa, irão cumprir a tradição no percurso da freguesia  com envolvimento de toda a comunidade educativa e que para além desta partilha terá ainda como reflexo um almoço convívio   que será servido no restaurante pedagógico da EPATV.  

Na celebração de hoje participaram, ainda os Bombeiros Voluntários de Vila Verde, que transportaram o andor da Nossa Senhora do Sameiro pelas ruas da Vila, numa procissão no final da Eucaristia  

Na homilia, o Padre Artur Gonçalves elogiou o comportamento da EPATV ao assumir esta responsabilidade para com a comunidade: “ainda nos conseguimos surpreender pela positiva com a ousadia desta escola organizar o Compasso pascal, associando-se a uma das mais belas tradições do Minho. Bem hajam pela vossa disponibilidade”. 

Para a EPATV, esta iniciativa traduz o “espírito de integração na comunidade que servimos, estando ao lado das suas mais lídimas tradições, como é esta do Compasso Pascal, no qual vamos participar com todo o entusiasmo dos nossos professores, alunos e colaboradores. Se é um dia de grande alegria para os Vila-Verdenses, para nós será uma enorme jornada de proximidade que nos enobrece” — reconheceu João Luís Nogueira, Diretor Geral da EPATV.

IMG_0720.jpg

VILA VERDE CONSAGRADA “CAPITAL DO ARROZ PICA NO CHÃO” – VILAVERDENSES JUNTAM-SE EM LOURES PARA CELEBRAR!

Almoço do Pica no Chão – Dia 15 de Maio, 12 horas – Refeitório da Câmara Municipal de Loures

O Grupo Folclórico Verde Minho leva a efeito mais uma importante jornada gastronómica de divulgação da cozinha tradicional minhota – o Almoço do Arroz Pica no Chão, vulgo Cabidela de Galo!

PicaNoChao22.png

A iniciativa tem lugar no próximo dia 15 de Maio, pelas 12 horas, no refeitório da Câmara Municipal de Loures, e deverá contar com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, Dr. António Vilela, entre outras entidades minhotas e do concelho de Loures.

A confecção estará a cargo de conceituados mestres na arte de bem cozinhar como o Chef Fernando Torres, de Vila Verde, vencedor do Prémio Nacional de Gastronomia e o vianense André Rodrigues, justamente reconhecido como o Melhor Cozinheiro Jovem.

Refira-se que o concelho de Vila Verde acaba de ser reconhecido no Festival Nacional de Gastronomia realizado em Santarém como a “Capital do Arroz Pica no Chão”.

Trazido do continente americano nas naus de Cristóvão Colombo, o milho passou a ser cultivado na nossa região e em todo o noroeste penínsular desde há aproximadamente cinco séculos. E, desde então enraizou-se de tal modo nos nossos hábitos alimentares que os minhotos passaram a ser conhecidos por “pica-milhos”.

“Pica-milhos” era uma das designações pelas quais os minhotos eram outrora apelidados, sendo também nas terras mais a sul conhecidos por “galegos”. De igual modo, o “pica no chão” é a designação que no Minho se atribui ao que genericamente designamos por arroz de cabidela, realçando-se porém a criação caseira das aves que está na origem da expressão.

- O Folclore também serve-se à mesa – venha provar o Património!

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO CANTA DE GALO: NO PRÓXIMO ANO LEVA A LOURES O ARROZ PICA-NO-CHÃO À MODA DE VILA VERDE

Almoço do Arroz Pica-no-chão realiza-se em Loures no próximo dia 15 de Maio, no refeitório da Câmara Municipal

O Grupo Folclórico Verde Minho vai no próximo dia 15 de Maio levar a Loures o tradicional “arroz pica-no-chão”, uma especialidade da cozinha tradicional minhota que conferiu recentemente ao concelho de Vila Verde o Prémio Nacional de Gastronomia. A iniciativa conta com o apoio das câmaras municipais de Loures e Vila Verde e aguarda-se a todo o momento a confirmação da presença da Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, Drª Júlia Fernandes.

VM-PicanochaoVilaVerde.JPG

A criação de aves de capoeira constitui desde sempre um dos recursos da economia doméstica em casa do lavrador. Sempre guardada para uma ocasião especial, eventualmente dia de festa ou reunião de família, o galo era especialmente apetecível pela qualidade das suas carnes a que se juntava o tempêro do sangue, pois nada se podia desperdiçar.

“Pica-milhos” era uma das designações pelas quais os minhotos eram outrora apelidados, sendo também nas terras mais a sul conhecidos por “galegos”. De igual modo, o “pica no chão” é a designação que no Minho se atribui ao que genericamente designamos por arroz de cabidela, realçando-se porém a criação caseira das aves que está na origem da expressão.

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO ESTÁ NA VANGUARDA DO FOLCLORE E DO REGIONALISMO

O Grupo de Folclore Verde Minho leva a efeito no próximo dia 18 de Dezembro, em Loures, os tradicionais cantares ao menino Jesus.

Cartaz Novocantaresmeninoloures.png

A convite da Embaixada da República Popular da China, o Grupo Folclórico Verde Minho vai participar uma vez mais nas celebrações do Ano Novo Chinês que em 2022 têm início no dia 1 de Fevereiro, alusivas ao signo zodíaco do Tigre. E em virtude das circunstâncias da pandemia, as festividades serão apenas realizadas on-line em data que esperamos anunciar oportunamente.

O calendário chinês rege-se pelos ciclos lunares em conjugação com a posição do sol, iniciando-se na noite de lua nova mais próxima do dia em que o sol passa pelo décimo grau de Aquário. As representações dos doze animais do horóscopo a que correspondem os anos no calendário chinês possuem a sua origem na lenda segundo a qual, os doze animais se apresentaram a Buda, correspondendo ao seu chamamento.

Ascende a mais de vinte mil o número de chineses que vivem em Portugal, oriundos principalmente da província de Cantão em virtude da sua proximidade com Macau, constituindo uma comunidade pacífica e trabalhadora, dedicada sobretudo ao comércio e com uma presença considerável na nossa região.

DSCF8052

Nos primeiros meses de 2022, estão já programados os almoços regionais do Arroz de Sarrabulho com Rojões à Moda de Ponte de Lima e, de seguida, o Arroz Pica-no-chão à moda de Vila Verde, a promover a gastronomia tradicional.

Capturarsarrabulho2022.JPG

VM-PicanochaoVilaVerde.JPG

Em relação ao FolkLoures'22, a programação já se encontra praticamente assegurada, prometendo uma vez mais um grandioso evento da nossa cultura tradicional.

Cartaz-Verde-280x487.png

"IGUALDADE DE GÉNERO" COM LÚPULO À MISTURA - LUMBER JANE PARTY

Os cervejeiros da Letra, de Vila Verde, estão a organizar uma festa focada na igualdade de género. O encontro está marcado para o próximo sábado, 20 novembro, na fábrica da cerveja Letra. O objetivo é alertar para o tema da igualdade de género no mundo da cerveja, seja na produção, vendas, marketing ou consumidor final.

Filipe-Macieira.gif

Uma vez que é o dia de produção da cerveja chamada “Lumber Jane”, cerveja em colaboração com a marca Colossus (Porto) e com rótulo cuja ilustração foca numa mulher a produtora de cerveja, é o dia ideal para uma iniciativa deste género. 

Estão previstas várias atividades durante o dia onde se pretende sensibilizar todos para o papel da mulher, não só no mundo cervejeiro, mas também nas organizações. 

Às 13h servimos um almoço com harmonização de duas marcas, a D’os Diabos (Amarante) e Colossus (Porto), em seguida uma mesa redonda moderada por Alexandrina Cerqueira (Serviços Ação Social da C.M. Vila Verde) com a temática em torno do tema da igualdade de género nas organizações. 

Pela tarde haverá a apresentação e prova da “Fluidity” cerveja colaborativa com a marca Bolina (Lisboa) cujo  nome, rótulo e produção foram idealizados pela Elsa, pertencente è equipa de cervejeiros da marca lisboeta. Em seguida uma caminhada seguida de magusto com os parceiros Vila Verde a Correr e no final da tarde vai acender-se uma fogueira para fazer um caldo do pote à maneira antiga.

Durante todo o dia a organização vai ter animação musical, com uma playlist feita pelas mulheres cervejeiras e também música ao vivo com a vilaverdense Rita Franklin e no final do jantar haverá a tradicional “concertinada” com a Ângela Rodrigues.

A organização do evento afirma que este não é um evento para as mulheres, mas sim para todos pois é em comunidade, que os homens e mulheres, se constrói uma sociedade mais equalitária."

PROF. JOSÉ PRECIOSO NA EPATV: “FUMAR DEIXOU DE ESTAR NA MODA”

“Está nas nossas mãos deixar de fumar. Fumar é como poluir um rio. É fácil poluir, difícil é despoluí-lo” — garantiu hoje o professor José Precioso, do Instituto da Educação da Universidade do Minho, na EPATV — Escola profissional Amar Terra Verde.

IMG_9828-2.jpg

Acerca dos comportamentos juvenis, José Precioso deixou um alerta: “não tens o direito de pressionar o outro a fazer o que ele não quer. Fumar deixou de estar na moda e vós podeis ser a primeira geração de não fumadores.  Fumar é ser sofisticado/a, ter estilo ou ser charmoso/a. Nada disto é verdade. Se vos pressionarem, tens de aprender a dizer não”.

José Precioso fala na primeira etapa, aberta aos alunos dos primeiros e segundos anos do Curso Técnico Profissional de Estética e de Curso Técnico Profissional Cabeleireiro(a), de uma dupla jornada que assinala o Dia Nacional do Não Fumador que prossegue quarta-feira, com nova sessão em que é oradora a Prof. Isabel Sousa.

Coordenada pelo Prof. José Barros e pelo Serviço de Psicologia Orientada Dra. Catarina Pessoa e Dra. Joana Gomes, esta iniciativa trouxe à EPATV um dos maiores especialistas do não tabagismo, um movimento que quer evitar a morte de cinco milhões de pessoas em cada ano.

“Ninguém nasce fumador” mas aprende-se a fumar com os pais, amigos, no emprego, na escola e por causa da publicidade – lembrou este professor universitário.

Ao consumo do tabaco acontece o mesmo que no álcool ou na alimentação onde também “há uma indústria que o produz e quer vender” — acrescentou José Precioso que desmontou alguns mitos.

Algumas raparigas pensam que fumar ajudar a emagrecer ou que deixar de fumar engorda. “Errado: comer menos, beber menos álcool e consumir menos açúcar e gorduras e queimar calorias com exercício físico são as regras a seguir para emagrecer”.

O consumo de tabaco é responsável pela morte de 650 mil pessoas na União Europeia, entre os 35 e 69 anos, e por 25 a 30 mil portugueses, o que transforma o ato de fumar num “problema de saúde publica grave” e a primeira causa de morte evitável nos países ocidentais.

José Precioso lembrou aos jovens que 90% dos cancros de pulmão, 75% de bronquites crónicas e enfisemas, bem como 25% das doenças cardiorespiratórias são devidas ao consumo de tabaco que é também um “inimigo do coração”.

Esta dependência “prejudica também as mulheres embora estas fumem menos e há menos tempo” e causa outro tipo de cancros como nos lábios, bexiga, fígado, pâncreas e esófago”.

O tabaco — sendo responsável por 50% dos cancros — degrada também a aparência física, como podem ver através do site www.tobaccobody.fi, convida ao decréscimo de exercício físico, gera impotência sexual nos homens.

Se a dependência é causada pela nicotina, o papel que envolve o cigarro  (alcatrão) é o gerador de maior número de doenças, garantiu José Preciso que desmentiu outro mito: bastam dois ou três meses para ficarmos dependentes. É como a cafeína (cf. www.tobaccofacts.com).

Em termos de consumo de tabaco, Portugal está a meio da tabela europeia (12 % de jovens com 15 anos fumam um cigarro por semana) mas já estivemos pior (20%), num movimento semelhante ao do álcool. Por isso, fumar é uma moda em extinção.

20211115_145802.jpg

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO RETOMA A ATIVIDADE COM O MAIOR ENTUSIASMO – É O SANGUE MINHOTO QUE LHE CORRE NAS VEIAS!

Encontro de Tocadores de Concertina realiza-se em Loures no próximo sábado, dia 13 de Novembro

O Grupo de Folclore Verde Minho leva a efeito no próximo dia 13 de Novembro o habitual Encontro de Tocadores de Concertina “Zé Cachadinha”, assim denominado em homenagem póstuma ao popular tocador e cantador limiano. E a adesão ao evento revela bem a nostalgia com que os minhotos vivem a tradição.

Cartaz-Concertinas2.PNG

Vão participar o Grupo de Bombos Arrufarte, Afinados do Catujal, Somos do Norte(João Mota), Mestre João Tomaz, Concertinas de Carenque, Concertinas da Gracieira, Grupo Montes Hermínios, Amigos da Portela, Ruben Rodrigues, Sons da Concertina Alverca da Beira, Escola Filipe Oliveira, Tocata da Casa do Minho e Tocata Alegria do Minho.

Cartaz Novocantaresmeninoloures.png

Entretanto, os tradicionais cantares ao menino Jesus, a ter lugar também em Loures, está marcado para o próximo dia 18 de Dezembro. E, para os primeiros meses de 2022, estão já programados os almoços regionais do Arroz de Sarrabulho com Rojões à Moda de Ponte de Lima e, de seguida, o Arroz Pica-no-chão à moda de Vila Verde, a promover a gastronomia tradicional.

Capturarsarrabulho2022.JPG

Em relação ao FolkLoures'22, a programação já se encontra praticamente assegurada, prometendo uma vez mais um grandioso evento da nossa cultura tradicional.

VM-PicanochaoVilaVerde.JPG

O MINHO É VERDE – FOLCLORE É VERDE MINHO!

Disse um dia o escritor transmontano Miguel Torga, “…no Minho tudo é verde, o caldo é verde, o vinho é verde…” – não podiam, pois, os minhotos que vivem na região de Lisboa, deixar de tomar para si a identificação cromática que caracteriza a sua região.

Respondendo ao chamamento da terra que os viu nascer, os minhotos que vivem nos arredores de Lisboa, mais concretamente no Concelho de Loures, decidiram em tempos criar um grupo folclórico que os ajuda a manter a sua ligação afetiva às origens. Assim nasceu em 1994 o “Grupo Folclórico e Etnográfico Danças e Cantares Verde Minho”, anunciado como seu propósito a preservação, salvaguarda e divulgação das suas raízes culturais.

Visa através da sua atuação promover as tradições da nossa região nomeadamente junto dos mais jovens ao mesmo tempo que valoriza os seus conhecimentos musicais e da etnografia minhota.

As danças e cantares que exibe são alegres e exuberantes como animadas são as mais exuberantes romarias do Minho. Trajam de linho e sorrobeco e vestem trajes de trabalho e domingueiros, de mordoma e lavradeira, de noivos, de ir ao monte e à feira. Calçam tamancos e ostentam o barrete e o chapéu braguês. As moças, graciosas e belas nos seus trajes garridos bordados pelas delicadas mãos de artista, com a sua graciosidade e simpatia, exibem vaidosas os colares de contas e as reluzentes arrecadas de filigrana que são a obra-prima da ourivesaria minhota.

Ao som da concertina e da viola braguesa, do bombo e do reque-reque, dos ferrinhos e do cavaquinho, cantam e dançam a chula e o vira, a rusga e a cana-verde, com a graciosidade e a desenvoltura que caracteriza as gentes do Minho. O seu reportório foi recolhido em meados do século passado, junto das pessoas mais antigas cujo conhecimento lhes foi transmitido ao longo de gerações, nas aldeias mais remotas das serranias da Peneda e das Argas, nas margens do Minho e do Lima, desde Melgaço a Ponte da Barca, do Soajo a Viana do Castelo. Levam consigo a merenda e os instrumentos de trabalho que servem na lavoura como a foicinha e o malho, os cestos de vime e os varapaus, as cabaças e os cabazes do farnel.

Qual hino de louvor ao Criador, o Minho, terra luminosa e verde que a todos nos seduz pelo seu natural e infinito encanto, salpicado de capelinhas aonde o seu povo acorre em sincera devoção, é ali representado por um punhado de jovens, uns mais do que outros, os quais presenteiam o público com o que o Minho possui de mais genuíno – o seu Folclore!

Cartaz-Verde-280x487.png

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO – EMBAIXADOR DA GASTRONOMIA MINHOTA NA REGIÃO DE LISBOA – LEVA A LOURES UMA DAS MAIS APRECIADAS ESPECIALIDADES DA SUA COZINHA TRADICIONAL: O ARROZ PICA-NO-CHÃO À MODA DE VILA VERDE

Almoço do Arroz Pica-no-chão realiza-se em Loures no próximo dia 15 de Maio, n refeitório da Câmara Municipal

O Grupo Folclórico Verde Minho vai no próximo dia 15 de Maio levar a Loures o tradicional “arroz pica-no-chão”, uma especialidade da cozinha tradicional minhota que conferiu recentemente ao concelho de Vila Verde o Prémio Nacional de Gastronomia. A iniciativa conta com o apoio das câmaras municipais de Loures e Vila Verde e aguarda-se a todo o momento a confirmação da presença da Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, Drª Júlia Fernandes.

picavilaverde.jpg

Foto: Carlos Torres

A criação de aves de capoeira constitui desde sempre um dos recursos da economia doméstica em casa do lavrador. Sempre guardada para uma ocasião especial, eventualmente dia de festa ou reunião de família, o galo era especialmente apetecível pela qualidade das suas carnes a que se juntava o tempêro do sangue, pois nada se podia desperdiçar.

“Pica-milhos” era uma das designações pelas quais os minhotos eram outrora apelidados, sendo também nas terras mais a sul conhecidos por “galegos”. De igual modo, o “pica no chão” é a designação que no Minho se atribui ao que genericamente designamos por arroz de cabidela, realçando-se porém a criação caseira das aves que está na origem da expressão.

ARROZ PICA-NO-CHÃO

Ingredientes:

1 Galo caseiro

0,5 dl de azeite

3 Colheres (sopa) de vinagre

1 Cebola grande

2 Dentes de alho

100 gr de toucinho

1 Folha de louro

1 Malagueta

1 Tigela de arroz

Sal q.b.

Preparação:

Aproveite o sangue do galo, deitando-o numa tigela com três colheres de sopa de vinagre e mecha para que não coalhe (como alternativa ao sangue do galo consulte o seu talho, lá poderá encontrar pacotes já embalados). Numa panela ponha a refogar no azeite, a cebola e os alhos picados. Junte-lhe a galo cortado aos bocados pequenos e os miúdos (exceto o fígado), o toucinho cortado, o louro e a malagueta cortada ao meio. Refogue tudo, tempere com sal e deixe estufar em lume brando. Cubra a carne com água quente, tape a panela e deixe cozer até a o galo ficar macia. Depois de cozido retire a galo e retifique a água para que fique na proporção de 3/1 para a cozedura do arroz. Assim que levantar fervura junte o arroz. Três ou quatro minutos antes de ficar pronto junte o sangue, misture-o bem, junte também a carne e deixe apurar.

VM-PicanochaoVilaVerde.JPG

MAIO EM LOURES – PICA NO CHÃO!

Almoço do Pica no Chão – Dia 15 de Maio, 12 horas – Refeitório da Câmara Municipal de Loures

O Grupo Folclórico Verde Minho leva a efeito mais uma importante jornada gastronómica de divulgação da cozinha tradicional minhota – o Almoço do Arroz Pica no Chão, vulgo Cabidela de Galo!

VM-PicanochaoVilaVerde.JPG

A iniciativa tem lugar no próximo dia 15 de Maio, pelas 12 horas, no refeitório da Câmara Municipal de Loures, e deverá contar com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, Dr. António Vilela, entre outras entidades minhotas e do concelho de Loures.

A confecção estará a cargo de conceituados mestres na arte de bem cozinhar como o Chef Fernando Torres, de Vila Verde, vencedor do Prémio Nacional de Gastronomia e o vianense André Rodrigues, justamente reconhecido como o Melhor Cozinheiro Jovem.

Refira-se que o concelho de Vila Verde acaba de ser reconhecido no Festival Nacional de Gastronomia realizado em Santarém como a “Capital do Arroz Pica no Chão”.

Trazido do continente americano nas naus de Cristóvão Colombo, o milho passou a ser cultivado na nossa região e em todo o noroeste penínsular desde há aproximadamente cinco séculos. E, desde então enraizou-se de tal modo nos nossos hábitos alimentares que os minhotos passaram a ser conhecidos por “pica-milhos”.

“Pica-milhos” era uma das designações pelas quais os minhotos eram outrora apelidados, sendo também nas terras mais a sul conhecidos por “galegos”. De igual modo, o “pica no chão” é a designação que no Minho se atribui ao que genericamente designamos por arroz de cabidela, realçando-se porém a criação caseira das aves que está na origem da expressão.

- O Folclore também serve-se à mesa – venha provar o Património!

EPATV EM VIENA COM PROJETO ERASMUS+ SAFE - Safe spAce For IEarning

A EPATV coordena, desde outubro de 2020, o projeto Erasmus+ “SAFE - Safe spAce For lEarning”, centrado na análise da importância dos espaços seguros para a aprendizagem na Educação de Adultos.

1636026466258.jpg

Devido ao período pandémico que marcou os últimos tempos ainda não tinha sido possível a realização de uma reunião presencial. Entre 3 e 4 de novembro, todos os parceiros deste consórcio, liderado pela Amar Terra Verde, estiveram reunidos em Viena (Áustria) para discutir e preparar todos os produtos intelectuais a produzir, entre os quais se destaca um guia orientador para a criação de espaços seguros de aprendizagem e um jogo “simulador” que permite visualizar diferentes espaços, avaliando a perspetiva de segurança.

A EPATV esteve representada nesta reunião por Francisca Borges, coordenadora do projeto, e Rosa Vieira, coordenadora do departamento de Educação de Adultos da EPATV.

Paralelamente, os docentes Alberta Duarte e Arnaldo Sousa, estiveram também num projeto de mobilidade no mesmo país, a contactar com formadores na área de Educação de Adultos que trabalham com públicos em situação de risco.

CITEVE: EPATV A PENSAR NA INDÚSTRIA

Durante os dias 3, 4 e 5 de  novembro, o CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxteis e do Vestuário de Portugal, situado em Vila Nova de Famalicão, apresentou na EPATV um projeto inovador destinado a todos os alunos: o “Pense Indústria i4.0”.

IMG_7556.jpg

O projeto “Pense Indústria i4.0” tem como objetivo a atração de jovens para a indústria, demonstrando oportunidades de desenvolvimento profissional e dando-lhes acesso a experiências únicas e inovadoras. Enfoca 4 grandes atividades:

Nestes dias foram realizadas  sessões de Sensibilização com Demonstração de Tecnologias Industriais i4.0 recorrendo a equipamentos alusivos à digitalização e outras tecnologias da indústria 4.0.

Nestas sessões foram ainda apresentados 2 concursos: F1 in Schools- Concurso internacional multidisciplinar, onde equipas de jovens competem entre si, na construção de um carro de Fórmula 1 em miniatura, de acordo com regulamentos específicos, tendo em conta fatores de sucesso de uma empresa de base tecnológica (tecnologias, manufatura aditiva, comunicação, gestão, marketing e empreendedorismo) e o  Concurso Nacional IoT Isto é uma ideia Concurso nacional para apresentação de ideias/soluções inteligentes e exequíveis baseadas em IoT (internet das coisas), onde os jovens são desafiados a conceber uma nova solução com conexão via internet, que torne o dia a dia mais smart e simples e que preferencialmente também contribua para a sustentabilidade.

IMG_7558.jpg

DIVULGAÇÃO DE OBSERVATÓRIO DE EMPREGABILIDADE DA EPATV

Escola Profissional Amar Terra Verde dispõe há 7 anos de um gabinete designado Observatório de Empregabilidade que tem como propósito orientar, aconselhar, desenvolver competências de empregabilidade e dar a conhecer oportunidades de emprego aos alunos, tanto na transição do mundo escolar para o mercado de trabalho, como nos processos de mudança que possam surgir no seu percurso profissional.

IMG_3850.jpg

Durante os 3 anos de curso a EPATV promove através de um trabalho conjunto entre os diversos professores, o Serviço de Psicologia e Orientação, o Observatório de Empregabilidade e parceiros externos o Projeto Carreira que é direcionado para o desenvolvimento de competências transversais valorizadas pelo mercado de trabalho atual, assim como o apoio à transição para o mercado de trabalho ou ao prosseguimento de estudos.

Após a conclusão do curso, os ex-formandos são acompanhados presencialmente ou à distância por um serviço de consultoria e divulgação de ofertas emprego e de estágios profissionais a nível nacional e/ou internacional.

Este gabinete Observatório de Empregabilidade procura através da sua intervenção ajudar a transformar mentalidades, no sentido de melhor preparar os jovens para um mercado de trabalho cada vez mais global e exigente. Ao longo destes anos de intervenção estabelecemos parceria com várias empresas a nível nacional, o que nos faz acreditar que estamos a cumprir a nossa missão!

São vários os formatos disponíveis para entrar em contacto connosco: presencialmente no 3.º piso da EPATV, via telemóvel-915655583, via email para empregabilidade@epatv.pt ou através do nosso site: www.epatv.pt no campo Observatório de Empregabilidade onde poderão consultar as ofertas disponíveis ou no caso dos empregadores  registar ofertas de emprego  das suas empresas. Ficamos a aguardar o Vosso contacto!

VILA VERDE: VILA DE PRADO PROMOVE DOMINGOS GASTRONÓMICOS

A Confraria Gastronómica das Provas da Feira dos Vinte, fundada em 2019 para garantir a autenticidade do mais emblemático prato, desde sempre associado à "feira das trocas", que se realiza, anualmente, a 20 de janeiro, as papas de sarrabulho e Rojões à moda dos vinte, dia dedicado pela Igreja Católica a S. Sebastião, promove até ao princípio de 2022 os domingos gastronómicos, "Papas à Moda dos Vinte".

IMG_2406.JPG

Os visitantes dos restaurantes 'O Caçador', 'Boca Maldita' ‘A Caranga’, ‘Bodeguilha’ e ‘Arroz de Feijão & C.ª’, os cinco restaurantes aderentes nesta edição,  podem ter acesso a um  'passaporte' que os habilitam a prémios num sorteio cujos contornos estão a ser definidos pelos promotores associados.

O evento, terá como ponto alto o dia 19 de janeiro, onde a “noite das provas”, reproduz a tradição popular, da ronda pelas tascas e tendas, para a degustação e avaliação das papas de sarrabulho e dos rojões, segundos os critérios de confeção diferenciadores que a confraria pretende defender e divulgar. 

Esta tradição remonta ao século XIX, pois, nessa altura, afluíam à Vila de Prado em grande número, gentes de todo país, para realizarem o seu comércio cavalar, o mais representativo à época, na primeira feira de trocas, onde se definia a cotação dos animais para aquele ano.

IMG_2484.JPG

IMG_2462.JPG

IMG_2449.JPG

IMG_2361.JPG