Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

POSTAL ILUSTRADO MOSTRA "GRUPO DE BANHEIROS” EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Vila Praia de Âncora, no concelho de Caminha, é porventura a mais afamada e concorrida estância baldenar do Minho.

20431633_1026890574080198_4053623527823901577_n

Um postal centenário dá-nos conta de um "grupo de banheiros” junto à lage da Praia Norte, a qual ainda lá existe. O postal deverá ter sido editado antes de 1911 em virtude de ainda utilizar a grafia em vigor antes da Convenção Ortográfica imposta pelos republicanos naquele ano ou seja, pouco tempo após a implantação do novo regime.

Por outro lado, a gravura mostra um grupo de banhistas e não de “banheiros” – estes vestiam-se de forma diferente e encontravam-se ao serviço do Real Instituto de Socorros a Náufragos - o qual, apesar do Alto Patrocínio da Rainha D. Amélia, após a mudança de regime passou a designar-se simplesmente por Instituto de Socorros a Náufragos, assim se mantendo na actualidade.

Trata-se, pois, de pessoas da região que porventura resolveram ir a banhos, transportando eventualmente um delas o merendeiro numa cesta de vime coberta com um pano. Os fatos são os que à época se usavam pelos banhistas e a boina muito usual das gentes minhotas e galegas.

Com vista a despertar um maior interesse comercial e recorrendo a um expediente muito comun nesta profissão, o editor do postal muito provavelmente juntou pessoas de diferentes estatutos sociais e profissionais que ocasionalmente se encontravam na praia sem nenhuma relação familiar entre si, nomeadamente um pescador e uma família de banhistas de origem citadina...

Não esquecer as origens galegas dos pescadores de Vila Praia de Âncora… e, finalmente, convém não correr atrás do primeiro “boneco” que aparece quando pretendemos identificar o traje tradicional!

CAMINHA COMEMORA ARMISTÍCIO DA GRANDE GUERRA

“Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais”. Homenageia mortos da Grande Guerra. Ponto alto do programa acontece já no próximo domingo

De 11 de novembro a 14 dezembro Caminha vai promover a iniciativa “Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais”, composta por múltiplas atividades, com destaque para a Homenagem aos Mortos da Grande Guerra, que decorrerá no dia 11 de novembro. Esta iniciativa tem como objetivo assinalar dois factos históricos, o Armistício e o Assassinato de Sidónio Pais.

Armisticio_Cartaz (1) f

A coincidência de calendário faz com que ocorra em finais de 2018 o centenário de dois eventos relevantes da vida política nacional de inícios do século XX, com destaque para o Armistício, que em 11 de novembro de 1918 pôs fim à Primeira Guerra Mundial iniciada quatro anos antes e que sacrificara milhões de vidas humanas, entre as quais muitos militares portugueses, incluindo dezenas de jovens do Alto Minho. Era então Presidente da República Portuguesa o major Sidónio Pais, nascido em Caminha, que pouco mais de um mês depois, em 14 de dezembro, jazia assassinado após um ano de polémico governo. 

Assinalando estes dois factos históricos e o impacto que ambos tiveram no município, na região e no país, a Câmara Municipal de Caminha e o Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, com o apoio da União de Freguesias de Caminha e Vilarelho, o Centro de Formação Vale do Minho e o Locus Cinemae-Cineclube de Caminha, organizaram um vasto e diversificado programa de eventos dirigidos ao público em geral e à comunidade escolar em particular, que inclui cinema, exposições, conferências, mostra bibliográfica e colóquios, e tem o seu ponto alto na manhã de 11 de novembro, domingo, com uma solene homenagem aos combatentes e mortos do concelho na Grande Guerra.

Embora o programa arranque efetivamente no domingo, dia 11 de novembro, com uma série de iniciativas, de que se destaca a homenagem aos mortos da Grande Guerra, pelas 10H00, numa cerimónia no “Largo dos Combatentes”, no dia 9, terá lugar a exibição do filme “Cavalo de Guerra”, de 2012, um drama na categoria de “guerra”, de Steven Spielberg. Trata-se da história de Ted Narracot (Peter Mullan), “um camponês destemido e ex-herói de guerra. Com problemas de saúde e bebedeiras, batalha junto com a esposa Rose (Emily Watson) e o filho Albert (Jeremy Irvine) para sobreviver numa fazenda alugada, propriedade de um milionário sem escrúpulos (David Tewlis). Cansado da arrogância do senhorio, decide enfrentá-lo em um leilão e acaba comprando um cavalo inadequado para os serviços de aragem nas suas terras. O que ele não sabia era que seu filho estabeleceria com o animal uma conexão jamais imaginada. Batizado de Joey pelo jovem, os dois começam seus treinamentos e desenvolvem aptidões, mas a 1ª Guerra Mundial chegou e a cavalaria britânica o leva embora, sem que Albert possa se alistar por não ter idade suficiente. Já nos campos de batalha e durante anos, Joey mostra toda a sua força e determinação, passando por diversas situações de perigo e donos diferentes, mas o destino reservava para ele um final surpreendente”. O filme será exibido pelas 21H45, no Valadares, Teatro Municipal, com o apoio da Locus Cinemae.

Homenagem aos Mortos da Grande Guerra

Domingo, dia 11, o dia começa com a Cerimónia no “Largo dos Combatentes”, em pleno Centro histórico de Caminha, pelas 10H00, seguida da inauguração da mostra bibliográfica ‘A Livraria do Coronel Júlio Torres’ e da exposição “Da Batalha de Lalys ao Armistício”.

‘A Livraria do Coronel Júlio Torres’ poderá ser visitada durante um mês na Biblioteca Municipal de Caminha. Trata-se de um espólio que foi constituído ao longo da vida do Coronel e que o terá acompanhado pelas diversas residências, designadamente, Braga, Porto, Lisboa ou Caminha. 1876 e 1949 são as datas extremas que as edições apresentam. Os temas predominantes nestes volumes são: literatura portuguesa e estrangeira, sobretudo francesa; história; geografia; política; filosofia; estratégia militar e viagens. Os autores são de renome e alguns já raros ou muito ausentes nos catálogos do sec. XXI.  

A exposição “Da Batalha de Lalys ao Armistício” poderá ser visitada no Museu Municipal de Caminha.

À tarde há cinema e muito atual. Desta vez, o filme a exibir é “Soldado Milhões”, de Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão da Costa. É uma produção deste ano, destinada a maiores de 12 anos. Acompanha o percurso do soldado Milhais, que valia milhões, através das suas memórias da guerra.

Cinema, conferências e colóquio marcam o programa

Dias 12 e 13 de novembro volta a ser exibido o mesmo filme, no Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora, com sessões para alunos do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais.

Sexta-feira, dia 16 de novembro, pelas 18H00, “A Maçonaria e a Loja Ancorense Vedeta do Norte” é o tema da conferência com Paulo Torres Bento e um convidado da Maçonaria. Sobre esta temática, Paulo Torres Bento (Professor de História e historiador de temas locais e regionais) escreve ‘por meados do mês de novembro de 1914, em dia incerto e lugar desconhecido do Vale do Âncora, reuniu-se um grupo de indefetíveis e históricos republicanos ancorenses para constituírem um Triângulo maçónico, que em poucos meses evoluiria para uma Loja com o sugestivo nome de “Vedeta do Norte”. O momento era dramático para o Grande Oriente Lusitano, a mais antiga e principal confissão da Maçonaria portuguesa, que tinha sofrido uma grave dissidência em meados desse ano, mas a nova oficina veio reforçar o movimento maçónico na região, afirmando-se nos tempos conturbados da República como uma das três únicas lojas de todo o Minho. A recente oportunidade de estudar parte do seu espólio documental proporcionou que se possam agora começar a revelar os seus segredos’.

Na semana seguinte, a 23 de novembro, também pelas 18H00, decorrerá a conferência “A Pneumónica no Concelho de Caminha”, com Aurora Rego (Doutorada em História, investigadora da História das Populações, Comunidades Marítimas ou Relações Transfronteiriças, privilegiando o território do concelho de Caminha e do Alto Minho) e Luís Belo (diretor do Hospital Particular de Viana do Castelo). ‘Considerada a última pandemia da Humanidade, a pneumónica ou gripe espanhola produziu efeitos significativos na evolução da população do concelho de Caminha. Que conjuntura socioeconómica lhe está associada? Que impacto teve a sua incidência nas diferentes freguesias? Que segmentos etários e profissionais foram mais atingidos? Como responderam as autoridades locais e assistenciais durante a sua erupção e contágio? O quadro geral encontrado no concelho de Caminha corresponde ao do território vizinho?’ são alguns dos aspetos a ser desenvolvidos na presente comunicação.      Doutorada em História, Aurora Botão Rego tem-se dedicado à investigação desde há uma década em estudos relacionados, entre outros, com a História das Populações, Comunidades Marítimas ou Relações Transfronteiriças, privilegiando o território do concelho de Caminha e do Alto Minho.

Colóquio “Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais” com José Santos, Paulo Torres Bento, Armando Malheiro e Fernando Rosas

No dia 8 de dezembro, terá lugar o colóquio “Do Armistício da Grande Guerra ao Assassinato de Sidónio Pais”, composto por dois painéis “O CEP e os Militares do Concelho de Caminha”, orientado pelo sargento José Santos e Paulo Torres Bento, e “Sidónio, a Guerra e a Política”, com Armando Malheiro e Fernando Rosas. Esta formação dirige-se a todos os grupos de professores e educadores.

O colóquio terá inicio, pelas 10H00, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha, cuja abertura está a cargo de Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha; Maria Esteves, diretora do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais, e Jorge Oliveira Fernandes, diretor do Centro de Formação Vale do Minho.

O painel “O CEP e os Militares do Concelho de Caminha” apresenta as comunicações ‘Os militares do concelho de Caminha a e Brigada do Minho na Flandres’, por Paulo Torres Bento (Professor de História e historiador de temas locais e regionais) e ‘Na pele do soldado Português na Grande Guerra: necessidades e realidades’, com José Manuel Alves dos santos (Sargento Ajudante do Exército, historiador de temas militares).

O painel e “Sidónio, a Guerra e a Política” encerra o colóquio com as intervenções ‘Portugal na 1ª Guerra Mundial, o quadro interno e o quadro externo’, a cargo de Fernando Rosas (Doutor em História, Universidade Nova de Lisboa) e ‘Sidónio Pais, o Sidonismo e a 1ª Guerra Mundial’, por Armando Malheiro da Silva (Doutor em História, Faculdade de Letras da Universidade do Porto).

OBRAS NA SANDIA – VILA PRAIA DE ÂNCORA ARRANCAM A 5 DE NOVEMBRO

Mais de 1,2 milhões de euros de investimento na requalificação urbana mais importante dos últimos anos

A intervenção estrutural na zona da Sandia, em Vila Praia de Âncora, arranca dentro de menos de uma semana, a 5 de novembro, e deverá prolongar-se por cerca de um ano. Trata-se de um investimento de larga escala, orçado em mais de 1,2 milhões de euros, que permitirá requalificar um espaço amplo da Vila e resolver questões de escoamento de águas pluviais. Para o presidente da Câmara, “esta é a obra de requalificação urbana, em zona residencial, mais importante dos últimos anos, quer em Vila Praia de Âncora, quer no concelho de Caminha. Estamos a falar de uma zona importante de Vila Praia de Âncora que cresceu sem planeamento e que apresenta graves problemas de infraestruturas e de ordenamento de trânsito automóvel e pedonal”.

Trata-se de uma obra desejada por todos ancorenses, em especial pelos moradores da zona da Sandia, tendo sido uma intervenção amplamente participada e que teve em atenção as preocupações da população, que se arrastavam há longos anos. A obra em causa custará 1.220.113,30€.

A área inserida no projeto, designado “Ação de Reabilitação Urbana – Sandia – Rede Viária e Espaço Público, Acessibilidade a Pessoas com Mobilidade Reduzida” compreende as ruas Luís de Camões, Sandia, António Aleixo, Vista Alegre (desde o topo Norte até ao entroncamento com a Rua António Aleixo), Eça de Queirós, Gontinhães (desde o topo Norte até ao entroncamento com a Trav. 5 de Outubro) e Rua Júlio Dinis (desde o entroncamento com a Rua da Vista Alegre até ao entroncamento com Rua Eça de Queirós).

Serão contempladas redes hidráulicas de Águas Pluviais nas ruas: Luis de Camões, Sandia, António Aleixo e Gontinhães. Prevê-se a reformulação das redes de drenagem de Águas Residuais Domésticas nas ruas Luís de Camões, António Aleixo e Vista Alegre.

Prevê-se também a construção da passagem pedonal e clicável erguida sob a EN 13, para ligar a Rua 25 de Abril e a Póvoa ao centro da vila, através da Rua Luís de Camões.

Os trabalhos têm a duração prevista de 360 dias e visam promover a melhoria do ambiente urbano e do espaço público, através da melhoria do mobiliário urbano, da pavimentação de arruamentos e passeios, condução de águas, da introdução de elementos arbóreos, da eliminação de barreiras arquitetónicas e visuais.

“Batalhamos durante anos para ter esta obra e ela arranca finalmente! As pessoas da Sandia e da Vista Alegre merecem este investimento, há anos que são castigadas com enxurradas de água, são vítimas de inundações, andam em pisos maltratados e correm riscos de atropelamento”, refere Miguel Alves.

Sublinha ainda o presidente que, “estas obras não são tão visíveis como outras que se possam fazer no centro ou na praia, mas são obras que vão resolver problemas de décadas a centenas de pessoas que vivem ou passam férias na zona norte de Vila Praia de Âncora”.

A empreitada é financiada por duas candidaturas denominadas “Rede viária e espaço publico (Sandia)” e “Acessibilidade a pessoas com mobilidade reduzida (Sandia)”, submetidas ao Aviso Planos de Ação de Regeneração Urbano do Programa Operacional Regional do Norte – NORTE2020.

SÉNIORES DE VIEIRA DO MINHO DIVERTEM-SE NA QUINTA DO CUZEIRO EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Seniores Vieirenses em convívio na Quinta do Cruzeiro

Cerca de 400 utentes dos Centros de Convívio e Lazer, das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS´s) e da Universidade Sénior de Vieira do Minho rumaram, ontem, a Vila Praia de Âncora para participar num convívio sénior.

DSC_8132

A  iniciativa foi organizado pela Câmara Municipal de Vieira do Minho com o intuito de promover o convívio e a confraternização entre a população do Concelho.

Do programa constou um almoço na Quinta do Cruzeiro, em Vila Praia de Âncora. A promoção de um convívio saudável num arraial minhoto repleto de alegria, muita música e boa disposição foi o objetivo da iniciativa promovida pelo Município proporcionando um dia diferente, destinado a celebrar o bem-estar da população.

A atividade contou também com a presença do presidente da Câmara Municipal, António Cardoso, que fez questão de acompanhar os seniores neste dia.

Neste convívio, o autarca vieirense salientou a importância desta iniciativa lúdica, no sentido de garantir o bem-estar da população sénior, já que para muitos deles, os convívios são os únicos momentos para se divertirem.

Estas ações assumem especial importância por permitirem aos seniores preencher o tempo livre e possibilitar a convivência entre todos.

Foi com certeza um dia inesquecível e de franca confraternização, onde os laços de amizade, afeto e sociabilidade saíram fortalecidos.

Esta iniciativa foi concretizada em ligação com todas as Juntas de Freguesia e IPSS’s e é apenas mais um momento que se insere num vasto conjunto de iniciativas que o Executivo Municipal desenvolve para promover uma inserção ativa dos seniores.

DSC_8205

ETNOGRÁFICO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA É UM DOS MAIS LÍDIMOS REPRESENTANTES DO FOLCLORE DO MINHO

O ÂncoraFolk é um dos mais prestigiados festivais de folclore que se realizam no Minho, numa iniciativa do Etnográfico de Vila Praia de Âncora

O Etnográfico de Vila Praia de Âncora foi fundado em Março de 1976 por um grupo de Ancorenses, onde assumiu papel de destaque o saudoso José Augusto Brito Meira. É um grupo que representa o Alto Minho, com especial destaque para a vertente poente da Serra d'Arga considerada a região de Portugal mais rica em folclore e etnografia. É considerado Instituição de Utilidade Pública e está filiado no INATEL. Foi membro fundador da Federação do Folclore Português.

Etnográfico 2

Mar, rio, longo areal, verdes campos cultivados, pinhais verdejantes!

Região povoada desde os alvores do Mundo.

Ao longo da praia encontram-se os “picos Ancorenses” do período paleolítico, marca inconfundível dos primeiros homens que a pisaram. No sublime e mágico Vale do Âncora onde corre o nosso Rio Âncora, surge-nos na entrada o Dólmen da Barrosa, sobrevivência do Megalítico. A Idade Média e o seu fervor religioso são assinalados pela ermida de S. Pedro de Varais, românica, que nos contrafortes da Serra de Arga espreita cuidadosamente o Oceano Atlântico.

Vila Praia de Âncora é uma Vila repleta de tradições e encantos que acolhe os seus visitantes de braços abertos, oferecendo-lhes lições de História viva e uma Praia de encantar, a Praia das “Crianças”.

Etnográfico 4

Ao longo destes 42 anos de intensa actividade ininterrupta, o grupo tem levado o folclore do Alto-Minho, da vertente poente da Serra de Arga, a todo Portugal Continental e à Ilha da Madeira, bem como, a alguns países Europeus como é o caso: Espanha, França, Andorra, Bélgica, Alemanha, Suíça, Holanda, Itália, Jugoslávia, Hungria e Áustria.

Organizou e organiza festivais de folclore nacionais e internacionais de elevado sucesso, entre muitos outros eventos.

O Etnográfico organiza-se em três sectores: Tocata, cantata e dança. Os instrumentos utilizados na tocata são: Concertina, acordeão, viola, cavaquinho e ferrinhos. A cantata canta os temas tradicionais da região e na dança pode-se apreciar danças como o vira, a gota ou a chula entre outras. Outra da riqueza etnográfica são os trajos, onde assumem destaque os de “Festa” e os de “Trabalho”.

O Etnográfico apresenta-se também, sempre que solicitado, numa outra vertente tradicional que tem a ver com o mar e os pescadores, tendo feito uma recolha dos cantares, danças e trajos vareiros usados em Vila Praia de Âncora, uma justa homenagem aos Homens do mar.

Conquistou inúmeros prémios nacionais e internacionais e desde 1989 por despacho do então Primeiro-ministro Prof. Doutor Aníbal Cavaco Silva, é considerado Instituição de Utilidade Pública.

O Etnográfico de Vila Praia de Âncora é uma verdadeira explosão de fogo-de-artifício, dado o colorido dos seus trajos, a alegria dos cantares, a vivacidade das suas músicas e a subtileza dos seus dançarinos – eis o Etnográfico de Vila Praia de Âncora!

Etnográfico 5

Mas, sendo o Etnográfico de Vila Praia de Âncora a entidade organizadora de um dos mais grandiosos e conceituados festivais de folclore do nosso país – o Âncora Folk 2018 – não podíamos deixar de referir aqui esse grande evento que todos os anos se vem realizando junto à capela de Nossa Senhora da Bonança, a Padroeira das gentes do mar desta linda terra.

Tal como foi dito, o Âncora Folk é um festival organizado pelo Etnográfico de Vila Praia de Âncora e tem como principal objectivo divulgar e celebrar o folclore, dando a conhecer outros grupos, outras músicas e sonoridades, danças, trajes, em suma, outras culturas.

A própria palavra folclore, significa isso mesmo, o saber do povo - FOLK (povo) e LORE (conhecimento) ou seja, o folclore é parte essencial da cultura de cada povo.

Esta iniciativa conta já com 4 anos de existência e, pela qualidade dos grupos que cá tem trazido, é hoje considerado um evento de excelência em franco crescimento, no sentido em que procura ir sempre mais além, e é nesse espírito que alargou fronteiras e saiu do concelho de Caminha.

Este ano, como o BLOGUE DO MINHO oportunamente noticiou, o Âncora Folk´18 contou com a participação do Servia – Associação Cultural Laza Nancic; Roménia – Grupo folclórico FIII CAMARASULUI; Espanha – Asociación Cultural XINGLAR – Zaragoza e, naturalmente, o anfitrião Etnográfico de Vila Praia de Âncora.

O prestígio deste evento tem vindo a ser de tal ordem que, para além do incondicional apoio da Câmara Municipal de Caminha, contou ainda com o apoio da Câmara Municipal de Ponte da Barca, da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora e ainda do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais de Caminha, sinais indicadores da sua rápida expansão a toda a região.

Etnográfico 1

27173823_1581656808555509_4942603461074005132_o

27024003_1581655051889018_7804516707496644073_o

Etnográfico 3

EXECUÇÃO DA REDE DE SANEAMENTO DE VILAR DE MOUROS APROXIMA-SE DO FINAL

Valas já estão a ser pavimentadas

A execução da rede de saneamento de Vilar de Mouros aproxima-se da reta final com os trabalhos de pavimentação das valas nas principais artérias da freguesia. Trata-se de um investimento que ronda os 800 mil euros e que vai garantir a qualidade do serviço prestado às populações e a sustentabilidade dos sistemas.

vilar de mouros (5)

Esta obra prende-se com a construção das infraestruturas em “Baixa” do Saneamento da Freguesia de Vilar de Mouros, da “EE 01, EE02 e EE03 e conduta elevatória e emissário “em alta” que coletarão as redes em causa, transportando os efluentes até à EE de Lanhelas.

 A execução da Rede de Saneamento da Freguesia de Vilar de Mouroséfinanciada pelo POSEUR em 85% e o restante pelo Município de Caminha.

Dotar as freguesias do concelho das infraestruturas necessárias para melhorar a qualidade de vida dos munícipes é uma das apostas do executivo caminhense. São muitas as obras já efetuadas, como por exemplo: execução da rede de drenagem da Ribeira das Preces, em Moledo; rede de saneamento zona Sul Vila Praia de Âncora, Vile e Riba de Âncora; execução da rede de saneamento da Meia Légua em Moledo; execução da "Infraestrutura em "Baixa" do subsistema de Aspra, Viso e Currais - 1.ª fase", na freguesia de Âncora, entre outras.

Para além da execução da Rede de Saneamento de Vilar de Mouros, outras obras estão a ser realizadas. Exemplo disso são as empreitadas de construção da rede de saneamento e sistemas de interseção e elevação de Argela e de Aspra, Viso, Currais e Igreja, na freguesia de Âncora. Estas obras são financiadas pelo POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos

MUNICÍPIO DE CAMINHA VAI ASSINALAR O DIA NACIONAL DO PEREGRINO EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Momento musical decorre sábado, pelas 14H30, junto ao Forte da Lagarteira

No dia 13 de outubro comemora-se o Dia Nacional do Peregrino. O Município de Caminha vai assinalar a efeméride com um momento musical a cargo da Academia de Música Fernandes Fão, em Vila Praia de Âncora, junto ao Forte da Lagarteira, pelas 14H30.

As comemorações do Dia Nacional do Peregrino inserem-se no projeto de valorização do Caminho de Santiago - Caminho Português da Costa. Trata-se de uma ação conjunta com os restantes municípios que compõem o traçado, isto é, municípios do Porto, Maia, Matosinhos, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença.

Recorde-se que, o movimento de peregrinos registados nos Postos de Turismos de Caminha e Vila Praia de Âncora, no primeiro semestre deste ano, cresceu 39% face ao mesmo período de 2017.

PASSEIO FRANCISCO SAMPAIO É A NOVA ATRACÇÃO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

O Presidente da Câmara Municipal de Caminha, Dr Miguel Alves, proceder recentemente à inauguração do “Passeio Francisco Sampaio”, em Vila Praia de Âncora. A homenagem foi presidida pelas Secretárias de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos.

DSCF2294

Trata-se de uma nova atracção a convidar os ancorenses e visitantes de Vila Praia de Âncora para a realização de caminhadas ao longo de um extenso passadiço, num trajecto aprazível em comunhão com a natureza, junto ao rio Âncora, rodeado de árvores e desfrutando de uma bonita paisagem.

Este magnífico percurso já é bastante frequentado e promete dentro em breve tornar-se numa grande atracção, a convidar para a manutenção de estilos de vida saudável.

DSCF2296

O Dr Francisco Sampaio foi desde 1980 Presidente da Região de Turismo do Alto Minho e a ele se deve em grande medida a promoção do Minho também nas suas vertentes económica, cultural e paisagística, nomeadamente o seu folclore e o turismo rural.

Conceituado estudioso e defensor da gastronomia tradicional minhota, a sua atividade científica tem sido marcada pelos inúmeros trabalhos que tem produzido na área do turismo, marketing e definição do produto turístico do Alto Minho. Esclareça-se que, neste conceito geográfico, a Região de Turismo do Alto Minho abrangeu, para além dos concelhos do distrito de Viana do Castelo, ainda os de Terras de Bouro, Barcelos e Esposende, no distrito de Braga.

Presença assídua em programas televisivos e em todos os fóruns que poderiam constituir uma oportunidade de promoção turística da nossa região, ela é atualmente em grande medida resultado da estratégia delineada e perseguida pelo Dr. Francisco Sampaio.

Para além da sua atividade como investigador e divulgador das potencialidades turísticas do Minho, integrou desde sempre numerosas instituições da nossa região, mormente do concelho de Caminha onde tem vive, entre as quais se salienta a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e o Orfeão de Vila Praia de Âncora onde foi coralista e maestro. Tem ainda integrado muitas Comissões de Festas como as de Nossa Senhora da Agonia, em Viana do Castelo, e Nossa Senhora da Bonança, em Vila Praia de Âncora.

O seu trabalho em prol do Minho e do país tem merecido público reconhecimento por parte de inúmeras entidades oficiais das quais destacamos a Secretaria de Estado do Turismo que, em 1996, atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Turístico, a Xunta de Galiza com a Medalha de Honra em 2003, a Secretaria de Estado do Turismo com a Medalha de Honra em 2005 e, ainda no mesmo ano, a atribuição da Comenda de Mérito do Presidente da República.

DSCF2297

DSCF2298

DSCF2299

DSCF2300

DSCF2301

DSCF2302

DSCF2303

DSCF2304

DSCF2305

DSCF2306

DSCF2307

DSCF2308

DSCF2309

DSCF2310

DSCF2311

DSCF2312

DSCF2313

DSCF2314

DSCF2315

DSCF2317

DSCF2318

DSCF2319

DSCF2320

DSCF2321

DSCF2322

DSCF2323

DSCF2324

VILA PRAIA DE ÂNCORA HOMENAGEIA FRANCISCO SAMPAIO

O Presidente da Câmara Municipal de Caminha, Dr Miguel Alves, acaba de proceder à inauguração do “Passeio Francisco Sampaio”, em Vila Praia de Âncora. A homenagem foi presidida pelas Secretárias de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos.

42839109_2104492462934408_5108791288522604544_n

O Dr Francisco Sampaio foi desde 1980 Presidente da Região de Turismo do Alto Minho e a ele se deve em grande medida a promoção do Minho também nas suas vertentes económica, cultural e paisagística, nomeadamente o seu folclore e o turismo rural.

Conceituado estudioso e defensor da gastronomia tradicional minhota, a sua atividade científica tem sido marcada pelos inúmeros trabalhos que tem produzido na área do turismo, marketing e definição do produto turístico do Alto Minho. Esclareça-se que, neste conceito geográfico, a Região de Turismo do Alto Minho abrangeu, para além dos concelhos do distrito de Viana do Castelo, ainda os de Terras de Bouro, Barcelos e Esposende, no distrito de Braga.

Presença assídua em programas televisivos e em todos os fóruns que poderiam constituir uma oportunidade de promoção turística da nossa região, ela é atualmente em grande medida resultado da estratégia delineada e perseguida pelo Dr. Francisco Sampaio.

Para além da sua atividade como investigador e divulgador das potencialidades turísticas do Minho, integrou desde sempre numerosas instituições da nossa região, mormente do concelho de Caminha onde tem vive, entre as quais se salienta a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e o Orfeão de Vila Praia de Âncora onde foi coralista e maestro. Tem ainda integrado muitas Comissões de Festas como as de Nossa Senhora da Agonia, em Viana do Castelo, e Nossa Senhora da Bonança, em Vila Praia de Âncora.

O seu trabalho em prol do Minho e do país tem merecido público reconhecimento por parte de inúmeras entidades oficiais das quais destacamos a Secretaria de Estado do Turismo que, em 1996, atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Turístico, a Xunta de Galiza com a Medalha de Honra em 2003, a Secretaria de Estado do Turismo com a Medalha de Honra em 2005 e, ainda no mesmo ano, a atribuição da Comenda de Mérito do Presidente da República.

Fotos: António Garrido

42699630_2104486946268293_1244808223916032000_n

42713289_2104487356268252_7973452526978596864_n

42719825_2104487126268275_1535164278166781952_n

42723469_2104486696268318_6432127427463348224_n

42723660_2104487739601547_775621933461929984_n

42752053_2104487606268227_2577762220561661952_n

42766365_2104488476268140_4827965062327042048_n

42766374_2104486846268303_248825988241162240_n

42780564_2104488312934823_1533110098388320256_n

42782854_2104488072934847_4041543115771740160_n

42790909_2104488372934817_5562013696638582784_n

42792883_2104491229601198_8833058109212590080_n

42878932_2104492496267738_4829944234796646400_n

OBRAS E LEI QUE PROÍBE ABATE DE ANIMAIS NOS CANIS DOMINARAM REUNIÃO DESCENTRALIZADA EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Cineteatro dos Bombeiros Voluntários acolheu encontro entre Executivo e munícipes

Dois grandes temas dominaram ontem a reunião descentralizada do Executivo, que teve lugar em Vila Praia de Âncora. Por um lado, as obras já em curso na freguesia, as que se iniciarão em breve e as intervenções desejadas pela população local. Por outro, a aplicação da lei que acaba com o abate de animais nos canis, que entrou em vigor no domingo, e que exige novos comportamentos de cidadania e um trabalho sério ao nível da esterilização.

3M1A4725

O Salão Nobre do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora acolheu mais uma reunião descentralizada, a quarta que tem lugar naquela Vila. Caracterizadas pela intervenção dos cidadãos, que interpelam livremente os membros do Executivo sobre os temas que entendem, estas reuniões iniciam-se por norma com a tomada da palavra pelo presidente da Junta de Freguesia. Carlos Castro felicitou o presidente da Câmara por estas iniciativas que “promovem a proximidade” e agradeceu a obra em curso no Lugar da Rocha, assim como a Ação de Reabilitação Urbana – Sandia – Rede Viária e Espaço Público, Acessibilidade a Pessoas com Mobilidade Reduzida, que em breve terá início, numa parte da freguesia que nem sempre mereceu dos poderes públicos a melhor atenção.

O autarca local defendeu ainda a necessidade de outras obras, como por exemplo nas ruas de Vales, Calvário, António Simão e Miguel Bombarda, assunto que, aliás, foi consensual em relação a algumas das intervenções dos munícipes, mas também ao Executivo. Conforme foi explicado, porém, algumas destas obras são bastante complexas, além de implicarem avultados investimentos, e estão a ser avaliadas pela Câmara, encontrando-se os respetivos processos em diversas fases.

No terreno, entretanto, está já uma importante requalificação, na parte alta da freguesia, no Lugar da Rocha. Com um valor próximo dos 140 mil euros, inclui a requalificação da Rua Jacob Afonso Martins Pinheiro, e vai pôr fim a inúmeros problemas de inundações.

Foi um assunto referido pela primeira munícipe que interveio, Carlota Lima, que agradeceu a Miguel Alves por ter ouvido a população desta zona “esquecida” da freguesia, manifestada através de abaixo-assinado.

Esta obra, como referimos, inclui intervenções na rua Jacob Afonso Martins Pinheiro, desde a rua do Bulhente até à rua de Vales. Trata-se de uma obra de grande importância para os moradores daquelas artérias, já que vai terminar com as torrentes de águas pluviais que, vindas dos montes, inundavam as ruas e as casas das pessoas.

A boa notícia, agora, é que os trabalhos possam mesmo ser concluídos antes do período previsto, conforme anunciou o vereador das Obras Públicas, Rui Lages, sublinhando a importância deste esforço financeiro da Câmara, um investimento direto sem comparticipação.

“Calvário burocrático” atrasa arranque da Sandia

O presidente da Câmara, Miguel Alves, referiu-se também à empreitada designada por Ação de Reabilitação Urbana – Sandia – Rede Viária e Espaço Público, Acessibilidade a Pessoas com Mobilidade Reduzida, um investimento estruturante para Vila Praia de Âncora que ultrapassa o milhão de euros.

Prestes a concretizar-se, a obra está a causar grande expetativa e alguma impaciência. O presidente referiu-se ás questões processuais e ao que chamou “calvário burocrático” e que foi necessário ultrapassar. Com o assunto já no Tribunal de Contas, onde terá de ser dado o visto, a perspetiva é de que se chegue ao final desta fase em breve, podendo a obra, já adjudicada, avançar para o terreno.

Duas outras munícipes, Fátima Pereira e Helena Castro, referiram-se à Rua António Simão, reclamando também obras. Reconhecendo a necessidade de agir, o vice-presidente da Câmara explicou que, concretamente neste caso, há uma grande complexidade envolvida, uma vez que o necessário alargamento dependerá sobretudo, da vontade das pessoas cederem espaço em condições aceitáveis. “requer um trabalho de concertação”, frisou, para além do projeto e daparte financeira.

Os casos das Ruas de Vales e do Calvário envolvem também grandes investimentos e a Câmara está atenta. Guilherme Lagido lembrou que não basta qualificar o piso, havendo implicações de redes de águas residuais, pluviais e às vezes de abastecimento de água.

Miguel Alves revelou também, em resposta ao presidente da Junta sobre animação e eventos, que só no Cineteatro foram realizados, em 2017, 24 espetáculos. Quanto à venda de bilhetes de cinema, no mesmo espaço, já foram contabilizados 11 mil ingressos. Além disso há sessões livres, que não entram nesta contabilidade. O presidente referiu também que, em Vila Praia de Âncora, os eventos se dispersam mais pelo território, enquanto em Caminha se concentram à volta do centro da Vila, dando a ilusão de que em Caminha o número de iniciativas é maior, o que não corresponde à realidade. 

Importância da esterilização e do microchip nos animais

A última munícipe a intervir foi Idalina Torres, presidente da Associação Selva dos Animais Domésticos, que defendeu a necessidade de se encarar seriamente a questão da esterilização dos animais e de se cumprir uma lei que tem dez anos, a colocação de microchip nos cães nascidos a partir de 1 de julho de 2008.

Desde essa data, os cães têm de ser identificados com um microchip sob a pele no pescoço e registados nas juntas de freguesia. Ora, disse a munícipe, se simplesmente se tivesse cumprido a lei, estimando-se a duração média de vida dos animais, o problema do abandono estaria praticamente resolvido. Infelizmente não é assim e Idalina Torres alertou para a vergonhosa taxa de abandono, muitas vezes de animais velhos, no final da vida, uma crueldade ainda maior. Defendeu por isso a esterilização, sublinhando a campanha que a sua associação está a desenvolver, e que explica as vantagens da esterilização. Os números de reprodução possível são alarmantes e trata-se também sublinhou, de uma questão também de saúde pública.

Idalina Torres manifestou-se também muito preocupada com a falta de resposta no Canil Intermunicipal da CIM, que recebe animais de vários municípios, abrangendo a área geográfica dos concelhos do Alto Minho (Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira) e o concelho de Esposende.

Recorde-se que a Câmara, no âmbito do orçamento Participativo, irá pôr em prática um processo de esterilização, estando a ser ultimado o respetivo regulamento.

FEIRA AGRÍCOLA DE VILA PRAIA DE ÂNCORA É UM FESTIVAL DE PALADARES

Terminou ontem a Feira Agrícola e dos Produtos Tradicionais que se realizou em Vila Praia de Âncora. E, porque esta localidade não é apenas praia e terra de bom peixe, durante três dias mostrou o que de melhor possui no que respeita a produtos tradicionais dos mais diferentes gostos e paladares.

42256258_1863239717063882_2183194200827232256_n

Das terras em redor do concelho de Caminha, do alto da serra d’Arga às povoações ribeirinhas e do Vale d’Âncora, até à vizinha localidade de Vile, veio o mel e os mais deliciosos sabores da doçaria tradicional, os enchidos, a pecuária e um sei lá de iguarias da nossa cozinha tradicional.

Vila Praia de Âncora e o concelho de Caminha de que faz parte é terra onde corre o leite e o mel – é um doce e delicado paraíso em pleno Alto Minho!

42147886_1863239253730595_2612888503217815552_n

42257244_1863239067063947_8849076971427069952_n

42261199_1863239830397204_1167164191686000640_n

42266830_1863240883730432_2375457192061960192_n

42269579_1863239290397258_8553826600079065088_n

42280352_1863240570397130_2259135854050017280_n

42289778_1863239757063878_7726924719902949376_n

42290345_1863240497063804_4543672630019883008_n

42303393_1863240627063791_3074434356089978880_n

42306127_1863240707063783_6704083365076664320_n

42309017_1863239023730618_4787722575973187584_n

42310992_1863240077063846_2029514910857166848_n

42320470_1863239667063887_2051239542635102208_n

42324465_1863240343730486_8786627760396173312_n

42332443_1863241030397084_5834773360071933952_n

42357862_1863240417063812_3339040320464617472_n

42371181_1863239467063907_8768903023071068160_n

42380592_1863240983730422_1314918050285223936_n

CÂMARA DE CAMINHA ABRE CANDIDATURAS PARA ATRIBUIÇÃO DE INCENTIVOS A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR

Prazo termina a 19 de outubro

A Câmara Municipal de Caminha acaba de abrir as candidaturas para atribuição de incentivos a estudantes do ensino superior para o ano letivo 2018/2019. Para além dos beneficiários de anos anteriores, o Município vai apoiar mais cinco estudantes do concelho. O prazo termina a 19 de outubro.

A educação e o apoio financeiro às famílias caminhenses continuam a estar no rol de prioridades do executivo camarário. Recorda-se que, no ano letivo 2017/2018, a Câmara beneficiou 9 estudantes, num investimento superior a 15 mil euros.

É de sublinhar que os incentivos se dirigem a estudantes que reúnam os requisitos seguintes: residam no concelho de Caminha, há pelo menos 2 anos; ingressem ou frequentem um curso superior; façam prova do pedido de bolsa de estudo aos serviços sociais da respetiva universidade/ instituto ou comprovativo do benefício da mesma; não sejam titulares de curso superior; e que o agregado familiar não ultrapasse um rendimento "per capita" superior a 40 % do Salário Mínimo Nacional. Estes requisitos também se aplicam aos beneficiários de anos anteriores.

O valor a atribuir a cada estudante será igual a três vezes o salário mínimo nacional fixado para o primeiro dos anos civis que constituem o ano letivo respetivo e a sua duração será igual à do tempo mínimo estabelecido para a obtenção do grau de licenciatura com aproveitamento escolar.

As candidaturas terminam a 19 de outubro. Os candidatos deverão efetuar a inscrição na Câmara Municipal de Caminha, no Gabinete de Ação Social ou no Gabinete de Apoio no Munícipe, em Vila Praia de Âncora.

CÂMARA DE CAMINHA ESTÁ A INTERVIR NO LUGAR DA ROCHA EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Obra vai custar mais de 125 mil euros

A Câmara Municipal está a intervir no Lugar da Rocha, em Vila Praia de Âncora. Trata-se deuma obra orçada em 125.440.20€+IVA, que vai por fim a inúmeros problemas de inundações. O presidente da Câmara, Miguel Alves, e o vereador com o pelouro das obras públicas, Rui Lages, estiveram ontem, no locala fim de acompanharem os trabalhos. Para o presidente da Câmara estas obras têm grande importância: ‘a prossecução destas obras dão-me particular satisfação.

Lugar da Rocha _VPA

Em primeiro lugar porque resolvem um problema gravíssimo de inundação de ruas e casas naquela zona; em segundo lugar, porque correspondem a um velho anseio da população da parte interior de Vila Praia de Âncora, tendo motivado um abaixo-assinado de dezenas de moradores, já em 2015; em terceiro lugar porque, mais do que torres de marfim colocadas à vista de todos mas de duvidosa utilidade, são obras como estas, se calhar menos populares, de certeza menos visíveis, que resolvem os problemas concretos das pessoas e, neste caso, os problemas concretos da população de Vila Praia de Âncora.

Estamos a fazer um esforço financeiro muito grande para fazer esta obra, mas é justo que o façamos, é justo que olhemos para uma parte da freguesia que esteve esquecida durante demasiado tempo’.

Esta obra inclui intervenções na rua Jacob Afonso Martins Pinheiro, desde a rua do Bulhente até à rua de Vales. Trata-se de uma obra de grande importância para os moradores daquelas artérias, já que vai terminar com as torrentes de águas pluviais que, vindas dos montes, inundavam as ruas e as casas das pessoas.

Os trabalhos incluem a execução de uma rede de águas pluviais e repavimentação dos referidos arruamentos. Os trabalhos estão a decorrer com normalidade. A decorrer desde agosto, tudo aponta para que a obra fique concluída até ao final do ano.

CINETEATRO DOS BOMBEIROS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA ACOLHE A PRÓXIMA REUNIÃO DESCENTRALIZADA

Sessão terá lugar dia 26 de setembro, pelas 18H30

Na próxima semana, o executivo desloca-se à freguesia de Vila Praia de Âncora para realizar mais uma reunião pública descentralizada. A reunião terá lugar no dia 26, pelas 18H30, no Salão Nobre do Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora.

Cineteatro Bombeiros VPA

As reuniões públicas descentralizadas são um instrumento de participação que os munícipes têm à disposição para dialogar diretamente com os decisores políticos concelhios. Estas reuniões favorecerem a proximidade junto da população e permitem ao presidente e vereadores da Câmara Municipal ouvir, esclarecer e prestar contas da gestão municipal, contribuindo assim para uma democracia local mais participativa.

Recorda-se que estas reuniões apresentam como único ponto da ordem de trabalhos a audição dos munícipes. Assim, os munícipes interessados em intervir deverão proceder à respetiva inscrição, com uma antecedência mínima de 48 horas, na Câmara Municipal, através do telefone 258 710 300 ou do e-mail geral@cm-caminha.pt.

Ainda o podem fazer na sede da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora. É de realçar que, no momento da inscrição, os munícipes deverão indicar o contacto telefónico e o assunto a tratar. Será dada prioridade aos assuntos relacionados com as freguesias em questão e de interesse coletivo e/ou público.

É de salientar que a partir de amanhã, Vila Praia de Âncora acolhe mais uma edição da Feira Agrícola e dos Produtos Tradicionais. De 21 a 23 de setembro, são muitas as ofertas disponíveis no Parque Dr. Ramos Pereira: workshops, expositores com produtos tradicionais e artesanato, passeios de pónei e música tradicional.

A Feira Agrícola e dos Produtos Tradicionais visa a divulgação e promoção da agricultura, bem como a comercialização dos seus produtos. Pretende ainda servir de incentivo à instalação de Jovens Agricultores com projetos inovadores e permitir o debate de questões ligadas ao setor primário, integrando parceiros e instituições ligados à atividade agrícola.

FEIRA AGRÍCOLA E DOS PRODUTOS TRADICIONAIS REGRESSA A VILA PRAIA DE ÂNCORA DE 21 A 23 DE SETEMBRO

Parque Dr. Ramos Pereira, em Vila Praia de Âncora, acolhe mais uma edição do certame

A Feira Agrícola e dos Produtos Tradicionais está de regresso a Vila Praia de Âncora. De 21 a 23 de setembro, são muitas as ofertas disponíveis no Parque Dr. Ramos Pereira: workshops, expositores com produtos tradicionais e artesanato, passeios de pónei e música tradicional. A abertura do certame está agendada para sexta-feira, pelas 15H00.

40828142_1843127612408426_8790618077071933440_n

A Feira Agrícola e dos Produtos Tradicionais visa a divulgação e promoção da agricultura, bem como a comercialização dos seus produtos. Pretende ainda servir de incentivo à instalação de Jovens Agricultores com projetos inovadores e permitir o debate de questões ligadas ao setor primário, integrando parceiros e instituições ligados à atividade agrícola. O certame é  organizado pelo Município de Caminha.

Com um programa aliciante, para todos os tipos de públicos, esta edição promete. Expositores com produtos tradicionais e artesanato, passeios de pónei e workshops infantis são as ofertas permanentes. Para além destas, há um programa variado. No dia de abertura, a partir das 18H00, a animação de rua será constante. Pelas 21H30, a música tradicional com a atuação da Academia de Danças e Cantares de Vilarelho vai encher o Parque Dr. Ramos Pereira.

Sábado, durante o dia vão decorrer vários workshops. Pelas 11H30, terá lugaro Workshop “Entradas Aromáticas” com a colaboração da Aromáticas Vivas. Pelas 14H30,  “Aromas Silvestres”, com a colaboração de Carlos Venade e Elena Varela e, pelas 19H00, “Sabores da Floresta”  a cargo do Conselho Diretivo do Baldio de Riba d’Âncora. Das 16H00 às 18H00, pelo palco do Parque vão passar o Grupo de Danças e Cantares Genuínos da Serra d’Arga; Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão de Vila Praia de Âncora e o Rancho Folclórico “As Lavradeiras de Orbacém”. A noite termina com um concerto a cargo da Banda Musical Lanhelense.

No domingo, o dia começa com a animação de rua. Pelas 11H00, terá lugar o workshop“Com as mãos na massa” – workshop infantil de fabrico de pão - a cargo de Ema Gonçalves. O certame vai encerrar com música tradicional a cargo do Grupo de Cavaquinhos da Associação Recreativa e Cultural de Riba de Âncora e do Grupo Etnográfico de Vila Praia de Âncora.

Informação adicional

Programa

Sexta-feira, 21 de setembro

15H00 – Abertura

18H00 -          Animação de rua com grupo de música tradicional

21H30 – Atuação da Academia de Danças e Cantares de Vilarelho

23H00 –Encerramento

Sábado, 22 de setembro

10H00 – Abertura

Animação de rua com grupo de música tradicional

11h30 – “Entradas Aromáticas - Workshop

            Preparação edegustação de canapés aromatizados com plantas aromáticas

                Colaboração: Aromáticas Vivas   

14h00 – Animação de ruacom grupo de música tradicional

14h30 – “Aromas Silvestres” – Workshop

            Plantas silvestres comestíveis e sua aplicação na culinária

             Colaboração: Carlos Venade e Elena Varela

16H00 –Atuação de Grupo de Danças e Cantares Genuínos da Serra d’Arga

17H00 - Atuação de Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão de Vila Praia de Âncora

18H00 – Atuação do Rancho Folclórico “As Lavradeiras de Orbacém”

19H00 –“Sabores da Floresta”Workshop

             Preparação e degustação de cogumelos

            Colaboração: Conselho Diretivo do Baldio de Riba d’Âncora

21H30 –Atuação da Banda Musical Lanhelense

24H00 – Encerramento

Domingo, 23 de setembro

10h00 – Abertura

Animação de rua

11h00 – “Com as mãos na massa”Workshop infantil de fabrico de pão

            Colaboração: Ema Gonçalves

15H30 –Atuação do Grupo de Cavaquinhos da Associação Recreativa e Cultural de Riba de Âncora

17H00 –Atuação do Grupo Etnográfico de Vila Praia de Âncora

19H00 –Encerramento

DURANTE TODO O EVENTO:

PRODUTOS TRADICIONAIS

PASSEIOS DE PÓNEI

ARTESANATO TRADICIONAL

WORKSHOP’S INFANTIS