Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

RUI TEIXEIRA - PRESIDENTE DO MUNICÍPIO CERVEIRENSE - PARTICIPA NA MANIFESTAÇÃO CONTRAOS PROJETOS DE MINERAÇÃO DO LÍTIO NA SERRA D’ARGA

Sábado, 23 outubro, 10h00, Viana do Castelo

Impedir a prospeção e exploração de minérios no concelho é prioridade para o novo autarca de Vila Nova de Cerveira

Amanhã, 23 de outubro, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, participa na manifestação contra os projetos de mineração do lítio na Serra D’Arga. Para o edil cerveirense, impedir a prospeção e exploração de minérios no concelho é uma das prioridades iniciais deste mandato - “vou defender, intransigentemente, o nosso património ambiental, impedindo a exploração (nociva ao ambiente) do lítio e de outros minerais, no espaço territorial da freguesia de Covas ou em qualquer outro local do concelho”.

A manifestação, que decorre sob o mote “O Minho Unido contra as Minas”, está agendada para as 10h00 e é organizada por quatro movimentos cívicos dos distritos de Viana do Castelo e Braga – Corema: Movimento pela Defesa do Ambiente e Património do Alto Minho, Movimento Em Defesa da Serra de Peneda e Soajo, Movimento SOS Serra d’Arga e Movimento SOS Terras do Cávado. O percurso será feito entre a pousada da Juventude de Viana do Castelo e a Praça da República, no centro histórico da cidade.

Em causa está a consulta pública do relatório de avaliação ambiental preliminar do Programa de Prospeção e Pesquisa de Lítio das oito potenciais áreas para lançamento de procedimento concursal, iniciada pela DGEG - Direção Geral de Energia e Geologia dois dias depois das eleições autárquicas. Entre as oito áreas previstas encontra-se a Serra d’Arga, que abrange o concelho de Vila Nova de Cerveira.

VILA NOVA DE CERVEIRA: RUI TEIXEIRA REALÇA IMPORTÂNCIA DA VISÃO E ESTRATÉGIA ALÉM-FRONTEIRAS NO DESENVOLVIMENTO DO TERRITÓRIO

Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira preside abertura do encontro de parceiros europeus do projeto BRIDGE

Com o objetivo de criar sinergias no âmbito da cooperação transfronteiriça e do intercâmbio de boas práticas, Vila Nova de Cerveira dinamiza um encontro internacional afeto ao projeto BRIDGE. Rui Teixeira, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, procedeu ontem, 21 de outubro, à abertura oficial deste evento onde destacou a importância destes encontros para aproximar a Europa aos Cidadãos e, acima de tudo, como uma “oportunidade para conhecer mais aprofundadamente o nosso território que, ao estar integrado numa região transfronteiriça contribui para uma visão e estratégia além-fronteiras, com as relações fraternas que criamos com nuestros hermanos”.

Cerveira_Encontro projeto Bridge (abertura).JPG

Durante a sessão de boas-vindas, que decorreu no Auditório da Biblioteca Municipal, o edil cerveirense sublinhou que “uma reflexão básica basta para perceber o quão importante é pertencer à União Europeia, seja para o desenvolvimento pessoal e profissional de cada um, como também para a prosperidade económica e social das regiões”. Reforçando que o projeto BRIDGE “contribui para que os cidadãos compreendam a diversidade e a história da União Europeia e fomentem a cidadania europeia”. Para Rui Teixeira, a cooperação transfronteiriça é alicerce para o futuro do concelho: “Portugal e Espanha são só um Estado. Cerveira e Tomiño são uma Eurocidade”.

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, salientou, ainda, que “a trajetória dos valores comuns da União Europeia e o impulso de cooperação partem sempre do local para o global” e que estamos “num momento-chave para analisarmos o impacto da suspensão de uma das maiores liberdades que a União Europeia nos facultou - a liberdade de circulação”.

O primeiro dia do evento ficou, ainda, marcado pela cerimónia de assinatura dos acordos de parceria. Durante a manhã, a jornada de trabalhos prosseguiu com a apresentação do projeto e das entidades presentes. No período da tarde, cada parceiro teve a oportunidade de dar o seu testemunho relativamente às dificuldades de viver peto da fronteira em contexto da pandemia Covid-19. O dia terminou com uma visita ao centro histórico de Vila Nova de Cerveira.

Esta sexta-feira, 22 de outubro, o programa desenvolve-se do lado de Goián, em Tomiño, com a receção às comitivas realizada pela alcaldesa Sandra González, prosseguindo-se com as conferências dedicadas às boas práticas de cooperação transfronteiriça, como as existentes entre Cerveira-Tomiño, entre universidades galegas e portuguesas, ou as desenvolvidas pelo AECT Rio Minho. Este segundo dia de trabalhos conta ainda com a presença e intervenção do representante da Direção-Geral de Política Regional e Urbana da Comissão Europeia, o Dr. Ricardo Ferreira, que abordará o programa europeu de financiamento para investimentos nas regiões transfronteiriças. Para o sábado, 22 de outubro, está previsto um debate sobre o euroceticismo e a realidade dos territórios com fronteiras.

Recorde-se que até sábado, 23 de outubro, cerca de 25 representantes dos 11 parceiros europeus do projeto – Portugal, Bulgária, Hungria, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Itália, Chipre, Lituânia, Letónia e Sérvia vão refletir e debater a União Europeia e, acima de tudo, partilhar e conhecer boas e novas práticas que fomentam o verdadeiro espírito europeu. O desenvolvimento do programa distribui-se entre Cerveira e Tomiño, de forma a dar a conhecer a realidade e dinâmica da Eurocidade.

PROJETO BRIDGE

O projeto BRIDGE, coordenado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e financiado pelo Programa da União Europeia ‘Europa para Cidadãos’, integra 11 entidades e municípios transfronteiriços de 11 países europeus, com o intuito de promover a cidadania e a coesão social além-fronteiras.

Durante a execução do projeto, até outubro de 2022, os parceiros analisarão as causas que alimentam a xenofobia e o euroceticismo em muitos países, apresentando possíveis soluções para garantir que as regiões transfronteiriças da União Europeia possam, através dos seus próprios meios, contribuir para a melhoria da cidadania europeia com experiências partilhadas, como é o caso da Eurocidade Cerveira–Tomiño.

Cerveira_Encontro projeto Bridge (abertura)2.JPG

f234103b-0ccd-4435-8f15-022723b154fa.jfif

VILA NOVA DE CERVEIRA: NOVO EXECUTIVO MUNICIPAL COM PELOUROS ATRIBUÍDOS 1ª REUNIÃO DE CÂMARA DECORREU ONTEM

Após a tomada de posse do novo executivo municipal de Vila Nova de Cerveira para o mandato 2021-2025, no passado sábado, 16 de outubro, realizou-se ontem, 21 de outubro, a primeira reunião de câmara.

Vila Nova de Cerveira.png

Nesta primeira reunião ordinária do novo executivo municipal foram delegadas as competências no Presidente eleito, Rui Teixeira. Foi, ainda, aprovada, por unanimidade, a fixação de duas vereadoras a tempo inteiro e feita a respetiva distribuição das áreas de gestão de acordo com a seguinte repartição:

Rui Teixeira, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, é responsável pelos pelouros da Proteção Civil, Gestão Financeira, Recursos Humanos (contratações), Fundos Comunitários, Planeamento, Obras Públicas, Diplomacia Autárquica, Fundações, Turismo, Cultura, Ambiente, Administração Geral, Apoio às Freguesias, Gabinete do Investidor e Cooperação Transfronteiriça e Geminações.

A Vice-presidência é assumida por Carla Isabel Martins Segadães, que fica, também, responsável pelos pelouros da Ação Social, Obras Particulares, Juventude e Desporto.

A Vereadora Sónia Alexandra Pires Guerreiro fica responsável pelos pelouros da Educação, Recursos Humanos (exceto contratações) e Associativismo.

O executivo é composto ainda por vereadores sem pelouro: Vítor Manuel Inácio Costa e Maria Aurora Amorim Viães.

Recorde-se que Rui Teixeira foi eleito pelo PS com 50,83% dos votos e faz-se acompanhar no executivo pelas duas vereadoras eleitas pelo Partido Socialista.

CERVEIRA RECEBE CONCERTO DE MÚSICA CLÁSSICA NA IGREJA DE S. FÉLIX EM CANDEMIL

Este domingo, 24 de outubro, no âmbito do  projeto RIMA

Considerada a música que advém da alma e despoleta no público os mais diversos sentimentos vai subir ao palco da Igreja de S. Félix, em Candemil. O concerto de música clássica que decorre, este domingo, às 17h00, com entrada livre, integra um alargado conjunto de espetáculos que concilia música e património e que vão percorrer todas as igrejas paroquiais do concelho de Vila Nova de Cerveira.

Cartaz RIMA 24 outubro.jpg

Esta iniciativa resulta da aprovação do projeto intermunicipal ‘RIMA – Diálogos entre a Música e o Património’, que envolve os municípios de Vila Nova de Cerveira, Valença e Viana do Castelo, em torno da estruturação de uma programação em rede que potencie a valorização do património natural e cultural e dos recursos identitários associados à música e à arte, tendo em vista a dinamização e captação de fluxos turísticos associados aos bens e serviços culturais e históricos.

Com a realização de vários concertos, o objetivo é proporcionar experiências diferentes, elevando sempre a harmonização entre música e património. O presente concerto de câmara de música clássica agendado para Candemil é interpretado por um pequeno grupo de elementos afetos à Orquestra Con Spirito, fundada em 2015, e que tem como principais desígnios promover, dignificar e elevar a música erudita.

De sublinhar que a promoção e divulgação conjunta do património cultural, da música e da arte dos três municípios do Alto Minho, mediante uma programação integrada, arrancou no presente ano e prolonga-se durante o primeiro semestre de 2022.

PROJETO BRIDGE: CERVEIRA ACOLHE INTERCÂMBIO EUROPEU DE BOAS PRÁTICAS ENTRE 11 PAÍSES EUROPEUS

Presidente da Câmara Municipal de Cerveira abrirá Encontro Internacional

Durante os próximos três dias, Vila Nova de Cerveira dinamiza um encontro internacional afeto ao projeto BRIDGE, no qual participam 11 parceiros europeus, com o objetivo de criar sinergias no âmbito da cooperação transfronteiriça e do intercâmbio de boas práticas. O desenvolvimento do programa distribui-se entre Cerveira e Tomiño, de forma a dar a conhecer a realidade e dinâmica da Eurocidade. O Presidente da Câmara Municipal de Vila de Cerveira, Rui Teixeira, vai proceder à abertura oficial deste evento, esta quinta-feira, às 09h30, no Auditório da Biblioteca Municipal.

Projeto Bridge.png

O projeto BRIDGE, coordenado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e financiado pelo Programa da União Europeia ‘Europa para Cidadãos’, integra 11 entidades e municípios transfronteiriços de 11 países europeus, com o intuito de promover a cidadania e a coesão social além-fronteiras. A Vila Nova de Cerveira e a Tomiño, juntam-se entidades da Bulgária, Hungria, Eslováquia, Eslovénia, Itália, Chipre, Lituânia, Letónia e Sérvia.

O programa de três dias inicia, esta quinta-feira, às 09h30 com a sessão de boas-vindas às comitivas, protagonizada pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, seguindo-se a cerimónia de assinatura dos acordos de parceria. Durante a manhã, a jornada de trabalhos prossegue com a apresentação do projeto e das entidades presentes. No período da tarde, cada parceiro dará o seu testemunho relativamente às dificuldades de viver peto da fronteira em contexto da pandemia Covid-19, terminando-se o dia com uma visita ao centro histórico de Vila Nova de Cerveira.

Na sexta-feira, 21 de outubro, o programa desenvolve-se do lado de Goián, em Tomiño, com a receção às comitivas realizada pela alcaldesa Sandra González, prosseguindo-se com as conferências dedicadas às boas práticas de cooperação transfronteiriça, como as existentes entre Cerveira-Tomiño, entre universidades galegas e portuguesas, ou as desenvolvidas pelo AECT Rio Minho. Este segundo dia de trabalhos conta ainda com a presença e intervenção do representante da Direção-Geral de Política Regional e Urbana da Comissão Europeia, o Dr. Ricardo Ferreira, que abordará o programa europeu de financiamento para investimentos nas regiões transfronteiriças. Para o sábado, 22 de outubro, está previsto um debate sobre o euroceticismo e a realidade dos territórios com fronteiras.

Durante a execução do projeto, até outubro de 2022, os parceiros analisarão as causas que alimentam a xenofobia e o euroceticismo em muitos países, apresentando possíveis soluções para garantir que as regiões transfronteiriças da União Europeia possam, através dos seus próprios meios, contribuir para a melhoria da cidadania europeia com experiências partilhadas, como é o caso da Eurocidade Cerveira–Tomiño.

VILA NOVA DE CERVEIRA: NOVO EXECUTIVO MUNICIPAL TOMOU POSSE

PRIMEIRA REUNIÃO DE CÂMARA REALIZA-SE AMANHÃ ÀS 14H30

Será conhecida a distribuição das áreas de gestão pelos eleitos

O novo executivo municipal e a Assembleia Municipal de Vila Nova de Cerveira para o mandato 2021-2025 foram empossados no passado sábado, perante um Cineteatro de Cerveira repleto de Cerveirenses e de diversas entidades da euro-região. Rui Teixeira é o novo Presidente da Câmara Municipal e António Quintas, o Presidente da Assembleia Municipal. Rui Teixeira foi eleito pelo PS com 50,83% dos votos e faz-se acompanhar no executivo por duas vereadoras eleitas pelo Partido Socialista: Sónia Guerreiro, professora, e Carla Segadães, enfermeira. A primeira reunião do novo executivo decorrerá amanhã às 14h30, sendo a distribuição das áreas de gestão pelos eleitos um dos principais pontos.

Presidente Rui Teixeira.jpg

O Presidente reiterou aquando da intervenção na tomada de posse que a sua primeira medida vai ser a revisão do contrato com a empresa Águas do Alto Minho (ADAM), garantindo que vai “solicitar todos os documentos que estiveram na base do contrato das águas e pedir parecer jurídico para que todos conheçamos a realidade contratual”. “Sabem que fomos contra a adesão de Cerveira à ADAM e continuamos, pois, os Cerveirenses têm tido o pior de dois mundos: água mais cara e menor qualidade na rede. É preciso ter presente que a água é um bem público, de todos, e também um bem escasso. Uma Câmara Municipal não pode ficar impávida e serena, quando os seus munícipes perdem dinheiro e qualidade. Faremos o que estiver ao nosso alcance para repor um serviço de qualidade”, assegurou.

Entre as prioridades enumeradas, consta ainda a realização de uma “radiografia das principais necessidades de habitação do município, para que não se perca nenhuma oportunidade no âmbito do PRR. Também os transportes e a habitação são necessários ao combate à cada vez maior perda de habitantes”.

Presidente Rui Teixeira e Vereadoras Carla Segadã

Durante a cerimónia pública de tomada de posse dos novos órgãos autárquicos de Vila Nova de Cerveira, o Presidente eleito, fez questão de agradecer aos Cerveirenses “a elevada taxa de participação registada no dia 26 de setembro, um sinal de interesse e de um grande sentido de participação democrática”, acrescentando que “o povo votou de forma determinada e provou que não há donos da democracia nem muito menos de vitórias antecipadas. Muito grato em todos os que em nós confiaram. Obrigado. Fomos eleitos para governar e é isso que faremos. Respeitaremos a oposição e a diversidade de opiniões, e decidiremos no timing adequado, sem hesitações. Não há tempo a perder no respeito pela lei e na concretização do programa que a maioria aprovou com o seu voto. Muito obrigado aos Cerveirenses”.

Elencando as várias áreas de atuação, e cujas ideias constam num “ambicioso programa” eleitoral apresentado e aprovado pela maioria dos Cerveirenses, o novo Presidente da Câmara assegurou ter a missão de “ganhar o futuro. É imprescindível pensar em todas as políticas, colocando o combate ao despovoamento no centro das nossas preocupações e ir gradualmente eliminando os obstáculos à fixação da população”.

Durante o discurso de tomada de posse, Rui Teixeira assumiu ainda outros compromissos nas mais diversas áreas de atuação, nomeadamente:

  • “as freguesias vão ter uma linha permanente de colaboração com o executivo municipal, sendo que a sua autonomia vai ser reforçada”;
  • “especial atenção com o comércio: Cerveira é uma vila com uma secular tradição de comércio local e é dele que temos de cuidar, bem como a revitalização do mercado e a promoção dos produtos locais. Comprar em Cerveira será cada vez mais comprar qualidade”;
  • a elaboração de um “plano integrado de intervenção cultural que, em conjunto com as medidas ambientais e de cuidado urbanístico, irão ajudar a um maior investimento e emprego”;
  • “a atividade desportiva e a saúde merecerão a nossa preocupação. Os jovens têm de ter a oportunidade de crescer de forma saudável e a prática desportiva será incentivada, de modo a aumentar a qualidade de vida de todos, sendo que os cuidados de saúde terão a atenção maior na prevenção de um envelhecimento ativo”;
  • na educação, e após Cerveira ter perdido a Escola Superior Gallaecia, “este executivo pugnará ativamente pelo aumento da oferta educativa”;
  • potenciar o papel da Câmara Municipal “como um verdadeiro acelerador de investimento, possibilitando o desenvolvimento de empresas num ambiente de transição digital, o que significará mais emprego qualificado”;
  • no âmbito da cooperação transfronteiriça, continuar e “aprofundar os laços que sempre nos uniram à Galiza”;
  • “fazer uma nova geminação, uma das mais necessárias. A geminação entre a Câmara e todos os Cerveirenses, sem exceção. Cerveira teve um importante papel na construção de pontes da diplomacia. Os Cerveirenses são embaixadores permanentes de Portugal seja na Galiza, no resto da Europa, nos Estados Unidos da América, e noutros pontos do globo. Estamos por todo o mundo e essa diversidade faz parte da nossa alma. Cerveira também tem de saber cuidar dos que estão distantes”.

Garantindo estar neste desafio “por amor a Cerveira, consciente da cada vez maior exigência do serviço público e com energia para dar um novo impulso à nossa terra, projetando um futuro com mais vigor, repondo dinamismo e ambição perdidos”.  Rui Teixeira garantiu “honrar o passado e construir um futuro comum no qual todos são necessários, todos trabalham em conjunto”.

Executivo com Presidente da Assembleia Municipal,

CERVEIRA: INDEPENDENTES DEIXAM CARTEIRA DE PROJETOS APROVADOS E FINANCIADOS DE 9NE AO NOVO EXECUTIVO

Entre aprovados, financiados e prontos a arrancar, o executivo independente liderado por Fernando Nogueira entrega ao novo executivo socialista mais de 30 projetos na ordem dos 9ME, com um financiamento Feder de 6.5ME, além de uma redução da dívida municipal superior a 50%, passando de cerca de 8ME de dívida em 2013 para cerca de 3.9ME à data de 30 de junho de 2021.

7R206845.jpg

O Presidente da Câmara Municipal cessante, Fernando Nogueira, explica que “atualmente, é imperioso para qualquer autarquia ter, de antemão, uma vasta carteira de projetos, de forma a agilizar todo o processo de submissão de candidatura, aproveitando no imediato a oportunidade para captar financiamentos europeus, e não perder tempo importante na elaboração em cima da hora”. E acrescenta: “O que fizemos foi programar sustentadamente o desenvolvimento futuro do concelho nas várias áreas de atuação. Obviamente, é legítimo o novo executivo fazer a sua ponderação, e atuar mediante as suas opções”.

Distribuídos pelas áreas da educação, cultura, economia, eficiência energética e reabilitação de edifícios, os projetos mais visíveis são: a Adaptação do Antigo Edifício dos Bombeiros para Edifício de Cultura e Inovação, com instalação da Biblioteca Municipal, SMIS e Segurança Social; a Requalificação da Escola Básica e Secundária de Vila Nova de Cerveira - 2.ª Fase, com a construção de um centro de recursos (biblioteca e auditório); o Parque Empresarial de Cerveira - Pólo V, com a construção de 12 lotes em Sapardos; a Reabilitação do Auditório Municipal; a Valorização da Incubadora de Indústrias Criativas de Vila Nova de Cerveira - Casa do Empreendedorismo, através da Requalificação da "Casa Vermelha"; a Requalificação dos edifícios da antiga escola primária, antigo jardim de infância e junta de freguesia de Mentrestido; a Promoção da Sustentabilidade Energética com Intervenções em Infraestruturas Públicas da Administração Local, em Sistemas de Iluminação Decorativa e Pública, nomeadamente a instalação de 2083 luminárias LED; entre outros.

Relativamente à dívida municipal, ao longo dos dois mandatos, a atuação do atual executivo liderado por Fernando Nogueira primou por uma gestão rigorosa em prol de uma consolidação do equilibro económico-financeiro da autarquia, sem descurar investimentos importantes e com impacto no bem-estar e melhoria de qualidade de vidas dos Cerveirenses.

Não obstante, nestes oito anos de governação independente, há a salientar uma redução da dívida municipal superior a 50%, passando de cerca de 8ME de dívida em 2013 para cerca de 3.9ME à data de 30 de junho de 2021, de acordo com a Informação Financeira relativa ao 1º semestre de 2021, em resultado do Relatório Intermédio do Auditor Externo.

De referir ainda que, à data da cessação de funções, e segundo o que está plasmado no mesmo documento, o atual executivo municipal deixa um crescimento do ativo líquido de 4.32% (+ 2.5ME) face a 31 de dezembro de 2020; uma autonomia financeira do Município que passa de 89.63% para 90.69%; e a ausência de pagamentos em atraso. À data de hoje, 15 de outubro, o Resumo Diário da Tesouraria apresenta-se com 2.983.555,98 euros.

RETROSPETIVA DA EUROCIDADE CERVEIRA-TOMIÑO

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira cessante, Fernando Nogueira, foi recebido, esta quinta-feira, pelos membros do executivo do Concello de Tomiño, liderada pela Alcaldesa Sandra Gonzalez, numa cerimónia simples, mas emotiva, para assinalar o fim de um ciclo autárquico que, nos últimos oito anos, ficou marcado por um reforço da amizade institucional e social entre Cerveira e Tomiño e pelo impulso da cooperação transfronteiriça existente.

DSC_0011 (Copy).JPG

Fernando Nogueira e Sandra Gonzalez partilharam o forte sentimento de trabalhar em conjunto em prol da Eurocidade Cerveira-Tomiño e a convicção de terem contribuído para aprofundar os princípios da fundação da União Europeia.

“Foi um prazer tê-lo como companheiro nesta viagem, pessoa comprometida, afetuosa e com um profundo espírito europeísta”, disse a alcaldesa Sandra González a Fernando a Nogueira.

IMG_20211014_125646.jpg

AUTARQUIA CERVEIRENSE REFORÇA PARQUE DE EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS

A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira adquiriu uma nova viatura que vai ficar afeta ao departamento de obras, de forma a garantir uma maior eficácia dos técnicos municipais na resposta dada às necessidades da população.

Viatura Obras.jpg

De salientar que esta requalificação e substituição do parque de equipamentos do Município começou a ser implementada, paulatinamente, em 2013, e consistiu na aquisição de veículos novos, económicos e mais ecológicos (com motores menos poluentes) e com uma imagem mais moderna e atrativa, bem como de equipamentos necessários para o desempenho de funções por parte dos colaboradores, dotando-os de todas as condições de segurança.

ESTUDANTE DA ETAP CERVEIRA VENCE CATEGORIA DO CONCURSO INTERNACIONAL "I'AM EUROPEAN"

Letícia Fernandes, aluna da ETAP – Escola Profissional de Cerveira, acaba de ser distinguida com o 1° prémio do concurso internacional “I’am European”, na categoria de fotografia, faixa etária dos 14 aos 20 anos, com o trabalho "Todos somos Europa". Enquanto parceiro do projeto “European Future Is Our Future”, no qual se enquadra este concurso, o Município de Vila Nova de Cerveira felicita a jovem estudante pelo reconhecimento e, acima de tudo, pela participação e envolvimento em prol dos princípios da inclusão e cidadania europeia.

Foto Etap.jpg

“I’am European - Eu Sou Europeu” procurou contribuir para melhorar a compreensão dos benefícios da União Europeia e fomentar o diálogo intercultural, a compreensão mútua e a reflexão sobre o futuro da Europa, através da apresentação de trabalhos nas categorias da Escrita, do Desenho, da Fotografia e do Clip de vídeo.

Em representação do Município de Vila Nova de Cerveira, foram a concurso 28 trabalhos de crianças e jovens, nas diferentes categorias e escalões etários. Os vencedores foram conhecidos, esta terça-feira, no 4º Encontro do projeto “European Future Is Our Future”, que está a decorrer em Nova Gorica, Eslovénia, tendo o júri anunciado o 1º prémio na categoria de fotografia para Vila Nova de Cerveira.

Com a mensagem “Apesar de não sermos perfeitos, estamos sempre unidos. Somos europeus!”, a aluna Letícia Fernandes apresentou uma fotografia, na qual cinco jovens estão a pintar várias bandeiras de países europeus, enfatizando a bandeira da União Europeia. Conjugando a categoria do concurso, com o conceito de Cerveira’ Vila das Artes’ e os princípios da União Europeia, a estudante vai ser gratificada com uma trotinete elétrica, a entregar em momento oportuno.

O projeto “European Future Is Our Future” resulta de um consórcio de parceiros, nomeadamente Vila Nova de Cerveira, o Município de Dalgopol (Bulgária) - na qualidade de coordenador -, o Município de Aksakovo (Bulgária), o Município de Osilo (Itália), o Município de Nova Gorica (Eslóvenia) e uma organização da Sociedade Civil Bio Network (Bulgária), no âmbito do programa “Europa para os Cidadãos - Rede de Cidades”.

Neste 4º encontro, o Município de Vila Nova de Cerveira partilhou o projeto Pop-up Europe como boa prática para o tópico ‘como motivar os cidadãos a serem Europeus ativos’. Este projeto financiado pelo projeto Erasmus +, pretendeu, por um lado, inspirar os municípios disponibilizando atividades que abordam os tópicos da UE, e por outro lado, convidar os colaboradores das instituições locais a procurar um contacto mais estreito com as suas comunidades locais para uma promoção conjunta da União Europeia.

MENSAGEM DE FERNANDO NOGUEIRA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA NOVA DE CERVEIRA

IMG_8066.JPG

Estimadas e Estimados Cerveirenses,

Após 28 anos ininterruptos dedicados ao serviço público, cesso um ciclo autárquico do qual muito me orgulho. Dediquei-me em permanência a esta causa. Primeiro como vereador durante 20 anos, 15 dos quais como vice-presidente e, os últimos 8 anos, como Presidente de Câmara.

Sinto-me muito orgulhoso e grato aos Cerveirenses que me elegeram, bem como muito agradecido à equipa com a qual trabalhei.

Procurei fazer o melhor que sabia e que pude, sempre em prol de Cerveira e dos Cerveirenses. Empenhei-me sempre ao máximo, colocando o município à frente de tudo, inclusivamente, e já o disse mais do que uma vez, erradamente à frente da minha família, que foi muito penalizada, e a quem tenho de pedir desculpa. Não me arrependo, porque abracei esta causa pública, com toda a dignidade e afetividade, porque estava a fazer o que gostava.

Ninguém é dono da verdade, e por isso peço desculpa aos munícipes por algum lapso, por alguma situação menos bem resolvida e menos bem conseguida da minha parte, mas fiz sempre tudo o que me parecia, na altura, o melhor no imediato e, acima de tudo, para o futuro de Cerveira e dos Cerveirenses.

Saio de cabeça erguida, dei o meu melhor. Saio com o sentimento de dever cumprido e de bem com os munícipes. Saio com o sentimento de estar bem comigo mesmo, e também com Vila Nova de Cerveira e com os Cerveirenses. Se não saísse de bem comigo, também não saía, com certeza, de bem com os Cerveirenses. Esse sentimento é muito forte e levo-o comigo porque sempre procurei honrar os compromissos assumidos.

Ilustres Cerveirenses,

O resultado do ato eleitoral de 26 de setembro de 2021 para a Câmara Municipal e Assembleia Municipal de Vila Nova de Cerveira não foi favorável ao Movimento Independente Pensar Cerveira – PenCe. Sendo a Câmara Municipal o rosto mais visível de um Município, e tendo sido recandidato a Presidente, sou o principal, o primeiro e o único responsável por este resultado que não foi positivo, mas natural e normal em democracia.

No próprio dia das eleições autárquicas tive a oportunidade de felicitar o vencedor e já o fiz também publicamente através das redes sociais.

Pessoalmente, não me sinto minimamente diminuído pelos resultados. Foi a mim que os Cerveirenses quiseram dar o cartão vermelho, com toda a legitimidade. O resultado é inequívoco e expressivo e, como é óbvio, aceito-o com toda a dignidade e o máximo respeito por todos os Cerveirenses. Aceitando os resultados, tirarei as minhas conclusões e as consequências políticas.

Tivemos uma das melhores afluências às urnas de que me lembro, e isso é de saudar. Deixo uma nota de congratulação e de muito apreço a todos os Cerveirenses que tiveram esse comportamento digno e, acima de tudo, exerceram plena e dignamente o seu dever cívico.

Quero fazer uma saudação muito especial a todos os presidentes de junta, principalmente aqueles que, durante os últimos 8 anos, trabalharam comigo, e que têm sido inexcedíveis. Obviamente, um trabalho realizado com uma ou outra discordância, um ou outro ponto de vista diferentes, mas em nada afetou o nosso relacionamento, penso que até enriqueceu o meu trabalho.

Indubitavelmente, os presidentes de junta, e as equipas com quem trabalham, são a base da democracia das autarquias. Um bem-haja aos que continuam a trilhar esse caminho, e aos que não continuam, faço votos de que as suas vidas profissionais prossigam com sucesso.

Já anunciei ao Senhor Presidente da Assembleia Municipal cessante que vai instalar os próximos órgãos autárquicos que, pelos motivos que uns entenderão e outros não, não irei assumir as funções de vereador.

É a despedida de funções autárquicas, e já era tempo. Uma despedida muito grata a todos, aos Cerveirenses em geral, a todos os que me acompanharam, a todos os que me confiaram o voto ao longo destes 28 anos.

Agradeço o privilégio que os Cerveirenses me deram de ser Presidente de Câmara Municipal. Foi um orgulho. Uma honra.

Espero que os Cerveirenses sejam muito felizes, que tenham muito sucesso e que possam, progressivamente, obter tudo aquilo que aspiram e a que têm direito, que é também aquilo que desejo para os meus filhos e para os meus netos.

É um orgulho inabalável ser Cerveirense. Muito obrigado a todos. Até Sempre!

CERVEIRA RETOMA NORMALIDADE NO FUNCIONAMENTO DA PISCINA MUNICIPAL

Aos banhos livres, já é possível agendar a marcação de aulas temáticas para todos os escalões. A Piscina Municipal de Vila Nova de Cerveira já se encontra a funcionar em pleno, com a oferta das atividades do período pré-Covid 19, mas mantendo as necessárias medidas de segurança e de higienização. O horário de funcionamento é das 07h30 às 21h00 de segunda a sexta-feira, e das 09h00 às 19h00 aos sábados.

piscerveira.jpg

Desde o início da pandemia que o Município de Vila Nova de Cerveira tem adotado uma postura proativa, com a implementação de um conjunto de medidas de prevenção e contenção que garantam a salvaguarda dos colaboradores e de todos os munícipes ou visitantes que frequentem os espaços municipais públicos.

O processo de reabertura da Piscina Municipal tem sido progressivo, encontrando-se agora numa fase de normalidade, apresentando-se como um local seguro. Os utentes interessados em regressar ou em efetuar inscrição pela primeira vez podem contactar via telefone (251 708 025) ou dirigir-se ao balcão de atendimento da Piscina, de forma a conhecer todas as atividades e respetivas calendarizações, adaptando-as às suas necessidades e expetativas.

CERVEIRA ACOLHEU AÇÃO PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE TÉCNICOS DE FOGO CONTROLADO

Após um período de suspensão devido à Covid-19, os 25 técnicos do Alto Minho e da Galiza – dois dos quais afetos ao Município de Vila Nova de Cerveira – retomaram, há dias, o curso de prevenção e combate de incêndios florestais dotando-os da credenciação como técnicos de fogo controlado. A formação, certificada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), decorre no âmbito do projeto ARIEM + (Assistência Recíproca Inter-regional em Emergências e Riscos Transfronteiriços), financiado pelo programa INTERREG.

verv.jpeg

VILA NOVA DE CERVEIRA: CONCLUÍDA OBRA DE REQUALIFICAÇÃO DA DOCA DE RECREIO

Volvidos 20 anos desde a sua construção, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira procedeu à requalificação da plataforma da Doca de Recreio com capacidade para 53 embarcações, com o objetivo de melhorar o acesso de pessoas e de embarcações aos planos de água e respetiva saída. A intervenção de cerca de 102 mil euros obteve os pareceres favoráveis das entidades competentes, bem como luz verde a uma candidatura submetida a fundos comunitários.

20211006_143108.jpg

Tratando-se de uma área sensível pela envolvente natural, os trabalhos executados foram minuciosamente planeados, desde a desmontagem da plataforma, ao transporte para estaleiro para reparação e à posterior montagem no local, criando os mínimos impactos.

Na prática, a intervenção consistiu na reparação dos braços articulados, na substituição dos pavimentos em deck e na substituição dos braços de amarração, bem como dos flutuadores. A escolha dos materiais aplicados incidiu na durabilidade e sustentabilidade pelo que, sempre que possível, a opção recaiu em soluções com recurso a matérias primas naturais.

Paralelamente a esta requalificação, a autarquia cerveirense instalou ainda um novo cais de acesso ao rio Minho junto à ilhota do Castelinho, assim como realizou trabalhos de limpeza no leito do rio com a remoção do material orgânico, permitindo a ocupação de todos os lugares das embarcações.

O investimento total da requalificação da Doca de Recreio de Vila Nova de Cerveira foi de cerca de 102 mil euros, cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte 2020 com comparticipação FEDER de 76.862,10 euros.

CERVEIRA TEM NOVO RESERVATÓRIO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM CANDEMIL

Está praticamente concluída a empreitada de instalação de um reservatório em Candemil que vai permitir um reforço de abastecimento de água não só às populações de Candemil, como também às freguesias vizinhas de Gondar, Mentrestido e Sapardos. Com uma capacidade de 250 m3, o espaço envolvente já foi preparado para uma expansão de mais 250 m3, se necessário.

Reservatório.jpeg

O autarca cerveirense, Fernando Nogueira, sublinha que esta obra pretende eliminar, de forma definitiva, os constrangimentos de falta de água, ciclicamente sentidos em alguns pontos destas freguesias, em especial na época de verão. Complementarmente, esta infraestrutura também vai garantir a distribuição de água com qualidade necessária, uma vez que o atual sistema de abastecimento nestas freguesias é o que apresenta maiores inconformidades analíticas, penalizando os consumidores no consumo e o município nos indicadores nacionais, assim como visa constituir-se como reserva de emergência para combate a incêndios.

Esta empreitada de execução de sistemas de abastecimento de água enquadra-se nas Candidaturas do Aviso POSEUR-12-2017-05 – Ciclo Urbano da Água – Município de Vila Nova de Cerveira – Lote 2 SAA Castanheira/ Insalde, com um valor do contrato na ordem de 1ME.

CERVEIRA ASSINALA DIA NACIONAL DO PEREGRINO COM CAMINHADA E VISITA GUIADA

O Município de Vila Nova de Cerveira comemora, no dia 16 de outubro, o Dia Nacional do Peregrino, proporcionando uma experiência conjugada entre natureza e património. Trata-se de uma caminhada de 7kms, com visita guiada a 15 locais emblemáticos do concelho ao longo do Caminho Português da Costa. Limitada a 20 pessoas, a participação nesta atividade está sujeita a marcação por correio eletrónico ( arqueologia@cm-vncerveira.pt )

post_1 Instavnc.jpeg

O que é que um peregrino pode desfrutar na sua passagem por Vila Nova de Cerveira rumo a Santiago de Compostela? Há um vasto património natural e religioso que o Caminho Português da Costa oferece e que deve ser absorvido, de forma a tornar a experiência o mais completa e rica possível.

Assim, a caminhada proposta por Vila Nova de Cerveira para o dia 16 de outubro tem 15 pontos de interesse com paragem obrigatória, e explicação informativa associada, espalhados por três freguesias do concelho. Em Gondarém, podem desfrutar da Capela de S. Sebastião, do Solar da Loureira, do Paço do Outeiral e da Quinta do Couto. Chegados a Loivo,  a Capela do Senhor do Porto e a Capela do Senhor dos Esquecidos; e já em Vila Nova de Cerveira o roteiro é o seguinte: Capela de S. Roque, Senhor no Horto, Rua da Calçada, Igreja de S. Cipriano, Castelo + Capela da Senhora da Ajuda, Largo do Terreiro, Casas quinhentistas (R. Cesar Maldonado + R. Costa Pereira) e Capela de S. Sebastião.

Com uma distância aproximada de 7kms, uma duração de 3h e um grau moderado de dificuldade, o ponto de encontro está agendado para as 07h30 em frente à Câmara Municipal, onde haverá um autocarro que transportará os participantes até Gouvim, Gondarém, local de partida (08h00), com previsão de término pelas 11h00 no Parque de Lazer do Castelinho.

Dada a logística subjacente à organização, a participação na caminhada com visita guiada tem um limite máximo de 20 pessoas, sendo necessária marcação prévia por correio eletrónico para arqueologia@cm-vncerveira.pt

Enquadrada no “Memorando de Entendimento para a Promoção, Dinamização e Gestão do Caminho Português da Costa para Santiago”, subscrito em julho passado por 10 municípios da região Norte (Porto, Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença) e pela Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte, esta ação visa contribuir para a potenciação conjunta deste reconhecido itinerário religioso, em prol de uma intenção posterior de classificação a Património Mundial da Unesco.

De salientar que o Dia Nacional do Peregrino é uma data comemorativa da República Portuguesa, instituída pela Assembleia da República em 2014, para comemorar o Dia do Peregrino a 13 de outubro, data em que se assinala a última aparição de Nossa Senhora de Fátima.

LANCHA DE FISCALIZAÇÃO "NRP RIO MINHO" JÁ REGRESSOU A CERVEIRA

Concluído o longo processo de manutenção e renovação de certificado e licenças de navegabilidade, a lancha de fiscalização da Marinha Portuguesa NRP Rio Minho já se encontra novamente operacional em Vila Nova de Cerveira.

20211006_140915.jpg

Como forma de assinalar este regresso e retribuindo a visita do novo comandante, o Tenente Santos Nascimento, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, esteve, esta quarta-feira, na embarcação, dando as boas-vindas e desejando os maiores sucessos no desempenho das suas funções. 

Os trabalhos de reforço da operacionalidade do NRP Rio Minho decorreram entre agosto de 2020 e setembro de 2021 nos estaleiros de Vila de Conde. Esta lancha de fiscalização foi concebida para a patrulha da fronteira fluvial norte de Portugal, principiada em 1864, tendo como missão fiscalizar e controlar as águas do Troço Internacional do Rio Minho, a jusante de Valença, e, ocasionalmente, a área costeira adjacente à sua foz, exercer presença naval, executar atos de representação e contribuir para o sistema de salvamento marítimo.

VILA NOVA DE CERVEIRA: BENEMÉRITOS DA INSTRUÇÃO NA FREGUESIA DE COVAS

  • Crónica de João Manuel A. Domingues Caldas

É sempre bom recordar - mais não seja do que para demonstrar a nossa gratidão - aquelas pessoas que de forma desinteressada, apenas movidas pelo amor ao próximo, a uma causa ou à sua terra natal, disponibilizaram grande parte dos seus bens, das suas fortunas e do seu tempo, em prol do bem-estar de alguém ou de uma comunidade, como disso é exemplo aquilo que o antigo Jornal “Correio de Cerveira”, na sua edição de 28 de Fevereiro de 1928, publicou com o título “Beneméritos da Instrução”. Vejamos, na íntegra, esse artigo da autoria do Professor Romeu Pimenta, director e editor do referido semanário e que havia sido professor em Covas.

Capturarbencov1.JPG

Na foto, à esquerda e de pé, Luís Francisco Alves da Silva. No centro, de chapéu e de óculos, o então pároco de Covas, João Tavares. À direita, com uma criança ao colo, o professor Romeu Pimenta. Do mesmo lado e de pé, João Alves Silva.

 

«Vai para quinze anos que faleceu em Lisboa o abastado capitalista e proprietário naquela cidade, sr. José Lourenço Martins, natural da freguesia de Covas, deste concelho.

Foi para ali, segundo nos informaram, criança ainda, exercer o mister de moço de carvoaria e nem outra carreira poderia procurar, por não ter sentido em sua alma, de seu natural bem formada, os efeitos benéficos da Escola.

Dentro em pouco, porém, o desejo ardente que sentia de travar conhecimento com os livros amigos que das montras dos estabelecimentos o fascinavam, leva-o a procurar escolas nocturnas onde aprendeu a falar, a ler e a escrever correctamente, não só o português, como diversas línguas estrangeiras.

Com estes conhecimentos, e com um amor ingente pelo trabalho, ele devia, necessariamente, ser protegido pela Fortuna. E foi-o. Conseguiu angariar, honradamente, importantes cabedais. Envelheceu. Não tinha herdeiros forçosos, e por isso em testamento dispôs que todos os seus haveres fossem distribuídos em quinhões de onze contos, com que foram contemplados diversas pessoas, parentes, e casas de caridade. E como, por experiência, ele sabia que a primeira necessidade dos povos é a instrução, e esta só se pode ministrar proficuamente em edifícios próprios, destinou à construção de duas casas de escola, na sua freguesia, dois dos quinhões! Vinte e dois contos, no tempo em que se comprava uma casa boa para habitar, por 500$00!

Que lindas casas se não poderiam ter feito, de que esplêndido mobiliário e material didáctico, elas não poderiam ser dotadas, se essa importância houvesse caído em mãos dignas de realizarem o sonho do honrado benemérito, que ao fechar os olhos em terras distantes estava convencido de que dentro em pouco os seus conterrâneos teriam onde educar e instruir convenientemente os seus filhinhos!

Mas assim não sucedeu!

Encarregada de mandar fazer essa construção a Junta de Freguesia daqueles tempos, não tardaram em aparecer os primeiros empecilhos, motivados por caprichos que em pouco se transformavam em ódios profundos, chegando a dividir-se a freguesia em dois partidos, desejosos, cada um, de impor a sua vontade.

E o resultado desses caprichos e desses ódios foi passar o tempo, o que custava dez passou a custar mil e os vinte e dois contos que davam para construir um palácio, naquele tempo, passaram a não dar para levantar as paredes de uma casa decente. E as crianças de Covas, continuavam a frequentar uns casebres em completo estado de ruína e de abandono, e os professores a viverem em nuns pardieiros onde o vento e a chuva tinham entrada franca. E assim continuariam para todo o sempre, se não fora a simpática iniciativa de Francisco Torres, Carvalhinhos, Gandrachão, Gonçalves de Sousa, Alves da Silva e Francisco Silva, procurando adquirir por cedência do Estado, a antiga residência paroquial e terrenos adjacentes, para, nesse local, e aproveitando todos os materiais do velho casarão, darem começo à construção de edifícios escolares dignos desse nome.

Bem sabiam eles que o dinheiro do saudoso José L. Martins para pouco mais daria do que para as paredes, mas … estava ali Francisco Torres a animá-los com o seu trabalho constante e a garantir-lhes a realização do sonho dourado de toda a gente de Covas, com a sua bolsa bem recheada por virtude de muitos anos de trabalho honrado e persistente.

Iniciaram-se as obras …

Quem estas linhas escreve, teve ocasião de verificar com os seus próprios olhos, a dedicação e o carinho essa meia dúzia de amigos da Escola trabalhavam, sobretudo, principalmente, Francisco Torres!

Assombrava e comovia a dedicação daquele homem! Abandonava tudo, a sua casa, onde trabalhavam diariamente dezenas de operários e jornaleiros, as suas numerosas propriedades, parte das quais deixava ao abandono, para estar ali na “Casa da Escola”, como ele lhe chamava, a dirigir e a trabalhar, a fazer carretos com o seu gado e a puxar às pedras e às traves como qualquer operário, ele que possui bens de fortuna bastantes para viver em qualquer cidade, com todas as comodidades que só os ricos podem ter!

Quão digno de respeito e de admiração é este homem, que desprezou todas as comodidades e veio para a sua terra natal, que tem enchido de benefícios, e que muito dele ainda tem de esperar! …

Mas quem hoje der um passeio pela estrada de Covas, pode contemplar, ao chegar à Igreja daquela freguesia, um belo edifício, ao qual dá acesso uma ampla avenida ligada à estrada, com belos salões de aulas, boas casas de habitação, alpendres, grandes quintais, etc., etc.

O sonho lindo daqueles dedicados amigos da instrução tornou-se realidade.

Que os seus conterrâneos saibam reconhecer quando lhes devem, respeitando a memória querida de José Lourenço Martins, e adorando aqueles que, através de todas as dificuldades, conseguiram satisfazer o seu desejo de moribundo, tendo entre eles o primeiro lugar, quer pelo seu trabalho, quer pela grande soma que despendeu o sr. Francisco Fernandes Torres, a quem vão também, como a todos, mas a este principalmente, os protestos do nosso respeito e da nossa admiração.»

Depois de ter consultado os arquivos da Junta de Freguesia de Covas, nomeadamente os seus livros de actas, constatei que a polémica que se viveu nessa data relativamente à construção da escola, se deveu à escolha do local para a sua implantação. Um grupo de covenses queria que fosse construída sensivelmente onde hoje se encontra. O outro grupo queria que ela fosse construída um pouco mais abaixo, perto do cemitério.

VILA NOVA DE CERVEIRA: TÍTULO DAS CAPELAS ANUAIS NA IGREJA DE COVAS NO SÉCULO XVII

Neste livro encontra-se lançado o título das missas anuais que há na igreja de Covas. Compreende o período de 1617 a 1631 e contém os seguintes elementos: nome dos instituidores, o número de missas e as terras que estão associadas à obrigação. A f. 141 encontram-se as "obrigações que se pagão a igreja do Salvador de Covas para o Natal e Quinta Feira de endoenças. Regista o nome do falecido a o respetiva obrigação. Além de conter o registo de capelas descrito, inclui ainda os assentos de baptismos, casamento e de óbito.

Fonte: Arquivo Distrital de Viana do Castelo

PT-ADVCT-PRQ-PVNC04-008-00001_m0001_derivada.jpg

PT-ADVCT-PRQ-PVNC04-008-00001_m0002_derivada.jpg

PT-ADVCT-PRQ-PVNC04-008-00001_m0003_derivada.jpg

PT-ADVCT-PRQ-PVNC04-008-00001_m0004_derivada.jpg

PT-ADVCT-PRQ-PVNC04-008-00001_m0005_derivada.jpg