Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VILA NOVA DE CERVEIRA: PAULO HERNÂNI REPLICA ESCULTURA "IDOSA" PARA BRONZE

‘Idosa’ é uma escultura em gesso muito acarinhada em Vila Nova de Cerveira, pela dimensão real e pelo estado de espírito que transmite, e que, muito recentemente, o seu autor, o artista plástico portuense Paulo Hernâni, concretizou a sua passagem para bronze. As duas peças enriquecem o património artístico-cultural do concelho, encontrando-se expostas nos serviços de receção da Câmara e da Biblioteca Municipal.

IMG_1115.jpg

Em 1996, o artista Paulo Hernâni executou o seu primeiro trabalho escultórico à escala real, de uma figura humana anónima. A ‘Idosa’ captou, de imediato, as atenções e, em 1998, o Professor Henrique Silva, um dos fundadores da Bienal Internacional de Arte de Cerveira, incitou o autor a trazê-la para a ‘Vila das Artes’ e, desde então, por cá ficou.

No entanto, com o passar dos anos, o material – gesso – começou a apresentar sinais de deterioração, pelo que a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira solicitou ao autor a sua reparação, além de o desafiar para fazer uma réplica num outro material, considerado mais resistente, e contribuindo para o enriquecimento do património artístico-cultural de Vila Noa de Cerveira. A peça em bronze já se encontra na receção da Biblioteca Municipal, e a original, em gesso, retomará em breve o seu local, a receção da Câmara Municipal.

A curadora e investigadora em práticas artísticas e culturais contemporâneas, Doutora Helena Mendes Pereira, redigiu um texto sobre o trabalho de Paulo Hernâni, no qual descreve a ‘Idosa’: “No espaço de receção do edifício da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira encontramo-nos frente a frente com uma idosa que espera. A cabeça cai-lhe sobre o tronco e as mãos repousam sobre o ventre. Anónima, a figura confronta-nos com a nossa indiferença face ao outro”. Uma indiferença que, acrescentaria o Município, é preciso estar constantemente a combater.

Paulo Hernâni nasceu Porto, em 1962, licenciou-se em Artes Plásticas pela Escola Superior de Belas Artes do Porto (atual FBAUP) e a sua obra vai do desenho à escultura, passando também pela pintura, cerâmica e ilustração. A sua obra e presença são uma constante nas sucessivas edições da Bienal Internacional de Arte de Cerveira, somando já quase 30 anos de carreira, colecionando prémios e tendo participado em dezenas de exposições individuais e coletivas.

CERVEIRA PROMOVE CINEMA AO AR LIVRE

Cerveira apresenta ‘Noites Disney – Cinema Infantil ao Ar Livre’

Todas as quintas-feiras deste mês de agosto, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira projeta, no Terreiro, quatro das películas infantis mais conhecidas internacionalmente e que fazem as delícias dos mais pequenos. Com caráter gratuito, estas sessões de cinema ao ar livre com filmes da Disney arrancam esta quinta-feira, 6 de agosto, às 21h00, com lugares sentados limitados pelas regras da Direção Geral da Saúde para espetáculos ao ar livre.

Cartaz Noites Disney.jpg

Sabemos o quanto as crianças vibram com as personagens da Disney, e os pais que o digam! Com filmes que transmitem valores como a amizade, a honestidade, a solidariedade ou o respeito pela natureza, a Disney, através das mais diversas personagens, consegue emocionar o público infantil e criar alguns compromissos para o dia a dia. Dando a oportunidade de ver ou rever alguns dos filmes mais badalados para maiores de 6 anos, num ambiente de cinema, mas ao ar livre, a autarquia cerveirense promove um programa seletivo que vai de encontro ao imaginário das crianças.

Para marcar o arranque das ‘Noites Disney – Cinema Infantil Ao Ar Livre’, esta quinta-feira, 6 de agosto, nada melhor do que uma história intemporal embalada na inesquecível banda sonora. Quem não conhece a extraordinária viagem do Simba, uma cria de leão que anseia por ser Rei, e que corre atrás do seu destino no grande "Círculo da Vida"? É a exibição d’ ‘O Rei Leão’.

Na quinta-feira seguinte, 13 de agosto, é a vez de ‘Frozen II – O Reino do Gelo’, um fenómeno mundial, no qual desta vez, Elsa, Anna, Kristoff, Olaf e Sven aventuram-se na floresta encantada e nos mares negros para lá de Arendelle, onde Elsa descobre não só a verdade sobre o seu passado, mas também uma ameaça ao seu reino.

A 20 de agosto chega a aventura de uma vida com animação espetacular, humor e emoção, com ‘Toy  Story 4’. Quando Woody, Buzz e os seus amigos se juntam a Bonnie numa viagem de carro com o seu novo projeto artesanal, estão longe de imaginar as loucas diabruras que os irão lançar numa gigante aventura repleta de novas e inesperadas personagens e um amigo de outrora.

Para encerrar esta programação cinematográfica infantil, ‘Bora Lá’, a 27 de agosto, com a história dos irmãos elfos adolescentes, Ian e Barley Lightfoot, a ter a oportunidade inesperada de embarcar numa missão extraordinária a bordo de Guinevere, a épica carrinha de Barley. Como qualquer boa missão, a sua jornada fica marcada por feitiços, mapas enigmáticos, obstáculos impossíveis e descobertas inimagináveis.

Com início agendado para as 21h00, as sessões de cinema são projetadas numa tela colocada em pleno Terreiro de Vila Nova de Cerveira, com os lugares sentados limitados às regras da DGS. Vem assistir às aventuras dos teus heróis preferidos, ao ar livre.

CERVEIRA E TOMIÑO JUNTAM-SE NA DEFESA DO SECTOR AGRÁRIO

Cerveira e Tomiño apresentam guia para a promoção conjunta do sector da flor e planta ornamental

Os autarcas dos concelhos de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño, Fernando Nogueira e Sandra González, respetivamente, aproveitaram uma reunião de trabalho com os representantes de associações do setor da agricultura de ambos países, para apresentar o “Guia para a Promoção Setor Agrário: Flor e Planta Ornamental”, enquadrado no trabalho de dinamização económica transfronteiriça impulsionado pela Agenda Estratégica de Cooperação da Eurocidade.

Guia para a promoção do setor agrário, flor e planta -Transfronteiriço.jpg

A edição deste guia resulta de várias iniciativas conjuntas dos dois concelhos, com participação de empresas e de centros educativos de ambos os lados da fronteira galego-portuguesa do Rio Minho. Foi na Mostra de Cultivos do Baixo Miño de 2019 que se promoveu um encontro transfronteiriço sobre formação e emprego que reuniu sócios de acuBam (Asociacións de Cultivos do Baixo Miño) ou a Associação Portuguesa de Produtores de Plantas e Flores Naturais (APPPFN), do IES Antón Alonso Ríos e da Escola Agraria do IPVC, em Ponte de Lima. Posteriormente, no passado mês de setembro, 30 empresas da Península Ibérica e de outros três países europeus (Reino Unido, Bélgica e França) participaram da Missão Comercial Inversa que explorou possibilidades de negócio e de projeção exterior com o tecido produtivo transfronteiriço.

A presente publicação recolhe as conclusões destas atividades e a informação básica relativa à dimensão do setor no Baixo Miño e no Norte de Portugal, assim como sobre os centros educativos e titulares relacionados com a agricultura no território da Euroregião. O guia, disponível para download em https://eurocidadecerveiratomino.eu/economia, agrega também eventos como a Mostra de Cultivos do Baixo Miño ou a Lusoflora, não descurando os esforços em prol da inovação das empresas implicadas neste setor produtivo. Apresenta ainda um capítulo com os compromissos do setor agrário para um desenvolvimento sustentável com base nos 17 objetivos estabelecidos pela ONU neste âmbito e encerra com um diretório de empresas.

A alcaldesa de Tomiño, Sandra González, agradeceu a colaboração das associações profissionais e expressou a sua expetativa de que, “nas atuais circunstâncias de crise social e sanitária, o guia possa ser útil para dar um impulso à recuperação da economia, onde se integra o setor agrícola dedicado ao viveirismo, à hortofruticultura e à flor cortada”. Por sua vez, Fernando Nogueira salientou a importância da manutenção e ornamentação dos espaços verdes. “Para nós, o desenvolvimento económico deve basear-se na complementaridade e não se pode entender sem a colaboração entre instituições públicas, agentes económicos e sociais.

O projeto Agenda Estratégica de Cooperação Transfronteiriça Amizade Cerveira-Tomiño é cofinanciado a 75% pelo programa INTERREG VA POCTEP, através de fundos FEDER da União Europeia.

VILA NOVA DE CERVEIRA: FERNANDO NOGUEIRA ASSUME FUNÇÃO DE DIRETOR DO AECT RIO MINHO

Dando cumprimento ao nº 4 do Artigo 15º dos estatutos do AECT Rio Minho, que prevê que o Diretor e o Vice-diretor alternem as suas funções a cada dois anos, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, e até aqui Vice-diretor deste organismo transfronteiro, Fernando Nogueira, passou a assumir, com efeitos imediatos, a função de Diretor e Uxío Benítez de Vice-diretor.

IMG_8022.jpg

Durante a reunião, que decorreu de 31 de julho em Valença, ambos os responsáveis manifestaram a satisfação pelo bom relacionamento conseguido nestes dois anos e pelo desenvolvimento da ação executiva do AECT Rio Minho, assinalando que o trabalho colegial e a procura de consenso foi conseguido através de uma relação próxima e constante. Tendo sido esta metodologia colaborativa mais adequada para o bom funcionamento desta entidade de cooperação territorial, Fernando Nogueira e Uxío Benítez acordaram manter esta relação permanente na tomada de decisões executivas que são atribuídas ao Diretor.

Face aos momentos difíceis vividos recentemente com a Pandemia COVID -19 e o encerramento de fronteiras, a direção do AECT Rio Minho tem a expetativa de uma rápida superação anímica e económica do território do Rio Minho Transfronteiriço, comprometendo-se ambos a continuar a trabalhar em conjunto e com os respetivos municípios associados que compõem o território de intervenção do AECT, para permitir a implementação de projetos e iniciativas de cooperação que promovam a melhoria da situação socioeconómica deste território comum.

CERVEIRA-TOMIÑO: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO TRANSFRONTEIRIÇO VENCE CATEGORIA DO PRÉMIO AUTARQUIA DO ANO 2020

O Lisbon Awards Group atribuiu, esta quinta-feira, ao Município de Vila Nova de Cerveira um prémio na categoria "Democracia, Igualdade e Participação Cívica - Orçamento Participativo" na 1ª edição do Prémio Autarquia do Ano, com o projeto ‘Participação Pública Sem Fronteiras’ (Orçamento Participativo Transfronteiriço – OPT Cerveira-Tomiño).

Premio Autarquia do Ano.jpg

Com caráter pioneiro na Euroregião Galiza-Norte de Portugal, o OPT Cerveira-Tomiño foi implementado em 2017, integrando um projeto mais amplo de envolvimento das populações vizinhas de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño (Galiza) na definição de soluções para necessidades comuns, através de uma Agenda Estratégica de Amizade de Cooperação Transfronteiriça Cerveira-Tomiño.

Com quatro edições concretizadas, o OPT Cerveira-Tomiño já conta com oito projetos executados e dois pendentes devido à mais recente realidade mundial provocada pela pandemia Covid-19. Dotado de um orçamento total de 20 mil euros, desde a primeira edição (2017) que o impacto deste mecanismo de participação pública sem fronteiras ultrapassa qualquer investimento financeiro ou físico, pois na sua essência está a concretização de atividades conjuntas, procurando uma maior coesão social e um maior desenvolvimento económico através da cooperação entre os dois municípios.

O Prémio Autarquia do Ano, do Lisbon Awards Group, nasceu com o objetivo de homenagear os municípios e freguesias que se destacam, nas mais variadas áreas, pelas suas práticas inovadoras e de gestão rigorosa do interesse público. Os vencedores das diversas categorias foram conhecidos, esta quinta-feira, numa cerimónia que, devido às condicionantes derivadas da Covid-9, decorreu através das plataformas digitais.

CERVEIRENSES CORREM PELAS FREGUESIAS DO CONCELHO

24 horas a correr entre as singularidades das freguesias do concelho

São 105kms entre vales e rios e uma previsão de 24h horas para completar um desafio endurance pelas 15 freguesias (antigo mapa administrativo) do concelho de Vila Nova de Cerveira. Com partida agendada para as 21h30, desta sexta-feira, do centro histórico cerveirense, um pequeno grupo de amigos apaixonados pelo desporto em contacto com a natureza vai concretizar esta aventura sem caráter competitivo.

IMG_5010.jpg

Entre o serpentear dos rios Minho e Coura e o património natural, Vila Nova de Cerveira acena com um extraordinário leque de paisagens exuberantes, revelando-se um dos destinos privilegiados para os adeptos da corrida na montanha.

Neste sentido, e uma vez que todas provas desportivas estão suspensas devido à Pandemia Covid-19, os participantes com ligação à Associação Cerveira Team Running aliam a superação pessoal a uma forte componente de promoção associada, em prol das singularidades e potencialidades de cada uma das freguesias do concelho, nas áreas desportivas, cultural, ambiental e turística.

O desafio é percorrer, em 24 horas praticamente non-stop (só para alimentação), cerca de 105kms, com chegada prevista para sábado, 1 de agosto, com passagem prevista XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira.

CERVEIRA REGISTA VALORES DE RENDIMENTO POR AGREGADO FAMILIAR ACIMA DA MÉDIA

Bom desempenho empresarial favorável aos agregados familiares do concelho

Vila Nova de Cerveira registou, em 2018, valores de rendimento por agregado familiar acima da média da Região Norte e também do Alto Minho, ocupando ainda uma posição nacional bastante positiva, ocupando o 110º lugar entre os 308 municípios portugueses. Tendência progressivamente consolidada nos últimos anos resulta do bom desempenho empresarial do concelho.

IRScerveirra.jpg

De acordo com os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o rendimento bruto declarado mediano deduzido do IRS liquidado por sujeito passivo em Vila Nova de Cerveira é de 8.687 euros, ficando acima do valor registado no conjunto dos 86 municípios da Região Norte (8.456 euros) e do Alto Minho (8.203 euros). Ao nível de concelhos alto-minhotos, o município cerveirense surge em segundo lugar, imediatamente a seguir a Viana do Castelo, com 9.007 euros.

Acresce a tudo isto que Vila Nova de Cerveira é dos 25 municípios portugueses (total dos 308) que devolve aos seus munícipes a totalidade do imposto (IRS) a que têm direito.

As estatísticas do rendimento ao nível local em Portugal resultam da análise dos valores do rendimento bruto declarado, do IRS liquidado e da variável derivada do rendimento bruto declarado deduzido do IRS liquidado, por agregado fiscal e sujeito passivo, com base em dados fiscais anonimizados da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) relativos à nota de liquidação do IRS.

Consulte as listas completas dos municípios portugueses:

Rendimento por Agregado Familiar: https://executivedigest.sapo.pt/de-norte-a-sul-do-pais-em-que-concelhos-os-rendimentos-sao-mais-baixos-e-mais-elevados/?fbclid=IwAR2ZH650uulg4JO26YZJ6YwfzrMZBbfneXExO5LM_lgeoBuJRaCpnse01EI

IRS: https://www.dn.pt/edicao-do-dia/30-dez-2019/134-municipios-vao-dar-desconto-no-irs-saiba-se-um-deles-e-o-seu-11659616.html

ARCOS DE VALDEVEZ: PAÇO DA GIELA EM 1938

Vista geral da fachada principal do Palácio da Giela, em Arcos de Valdevez, que foi dos Viscondes de Vila Nova de Cerveira, mais tarde Marqueses de Ponte de Lima. É constituído por dois corpos distintos, ambos denticulados de ameias: o torreão medieval (séc. XIV), da construção primitiva, e a residência paçã, de estrutura quinhentista. A torre, de planta quadrangular, é provida de seteiras e de um balcão de mata-cães.

A residência senhorial, forma uma vasto rectângulo com quatro fachadas. Está arrimada ao torreão e tem um andar graciosamente rústico e acolhedor.

O Paço de Giela (monumento nacional), teve, em 1662, importante função histórica quando o governador de armas de Castela, D. Baltazar de Roxas Pantoja, ali estabeleceu o seu quartel-general, numa enérgica ofensiva sobre o Minho.

Ainda na paróquia de Giela, a Casa do Requeijo, residência palaciana setecentista (meados do séc. XVIII), com duas torres coroadas com ornatos escultóricos.

Capturargiela2.PNG

Pormenor duma janela quinheitista do Paço da Giela, Solar dos Limas, em Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo.

Capturargiela1.PNG

Capturargiela3.PNG

Vista parcial da fachada Oeste e da torre de menagem do Paço da Giela, ou Solar dos Limas, no Lugar do Paço, próximo da Estrada Nacional 202, no concelho dos Arcos de Valdevez.

Capturargiela4 (1).PNG

Vista geral da fachada poente do Paço da Giela, ou Solar dos Limas e da zona envolvente, no Lugar do Paço, próximo da Estrada Nacional 202, no concelho dos Arcos de Valdevez.

Capturargiela5.PNG

Fonte: Arquivo Municipal do Porto

"O CROCHET SAI À RUA" EM CERVEIRA

Em Cerveira, com ‘O Crochet sai à Rua’ a música é outra!

Habituado a provocar surpresa com recurso à criatividade de pormenor, Vila Nova de Cerveira volta a encantar com uma ornamentação única de espaços públicos e ruas do centro histórico. ‘O Crochet Sai à Rua… em Cerveira’ 2020 propõe um hino à arte da música, através da criação de peças em tamanho real e de outras com dimensões entre os 3 e 6 metros. Há maestros e pianistas, há palcos recriados e instrumentos musicais, há todo um cenário itinerante para um passeio em ambiente familiar, de 25 de julho a 30 de setembro!

IMG_0931.jpg

Vila Nova de Cerveira é reconhecida como a ‘Vila das Artes’, por ter uma programação de verão de excelência, onde a música é, sem dúvida, uma das componentes mais destacadas. Contudo, vivemos um ano atípico provocado pela pandemia Covid-19, e por isso, a Câmara Municipal suspendeu os grandes eventos que cativavam aglomerados populacionais, à semelhança do que acontece um pouco por toda a região alto-minhota.

Não havendo, por exemplo, os emblemáticos concertos de verão, acústicos e de fado, e outras iniciativas musicais que evocam a tradição, o projeto comunitário ‘O Crochet Sai à Rua… em Cerveira’ elegeu a temática da música, apresentando um conjunto de instrumentos de cordas, percussão e teclas, que recria uma banda sonora onde cada visitante pode associar, pela imaginação, uma melodia que lhe seja marcante.

Mais um ano, e o roteiro do crochet arranca em plena escadaria do edifício da Câmara Municipal, onde se encontra instalado um imponente piano, todo forrado a crochet, com pianista e outros pequenos pormenores que tornam este cenário convidativo para um primeiro registo fotográfico.

Caminhando até ao centro histórico, os olhares são desviados para um coreto de dimensões reais, com uma banda composta por sete músicos, dirigidos por um maestro, claro, todos bem fardados em crochet e de tamanho real. Depois o desafio é partir à descoberta de mais instrumentos pelas ruas do centro histórico que vão saltar à vista até dos mais distraídos pelas suas dimensões XXL. Com dimensões entre os 3 e 6 metros cada, há uma guitarra acústica, uma guitarra portuguesa, uma viola, uma harpa, uma harmónica e três bombos, resultado de uma estreita parceria entre a Câmara Municipal, algumas freguesias do concelho e a Santa Casa da Misericórdia.

Neste passeio de encantos artesanais, mantenha-se muito atento porque a euforia do crochet associada à temática da música contagiou estabelecimentos comerciais que exibem montras arrojadas, bem como residentes que tornaram as suas varandas palcos de arte.

Pelo cariz comunitário, pela espetacularidade e pela originalidade, desde a sua primeira edição em 2014, o projeto ‘O Crochet Sai à Rua… em Cerveira’ conquistou o seu lugar na programação cultural de Vila Nova de Cerveira, além de se apresentar como uma referência turística do Alto Minho, com grande impacto nacional, na Galiza e mesmo além-fronteiras.

IMG_1031.jpg

IMG_1000.jpg

IMG_1006.jpg

IMG_1022.jpg

IMG_1025.jpg

IMG_0937.jpg

IMG_0947.jpg

IMG_0988.jpg

IMG_0922.jpg

IMG_0929.jpg

CENTRO MUNICIPAL DE ATLETISMO DE CERVEIRA É PALCO DE RECORDES NO LANÇAMENTO DO DISCO

Esta quinta-feira, na 4ª jornada de Lançamento de Lovelhe culminou com o registo de recordes nacionais e melhores marcas mundiais da presente época alcançados em pleno Centro Municipal de Atletismo. O colombiano Maurício Ortega (70,29) e o equatoriano Juan Caicedo (69,60), atletas que treinam com alguma frequência neste espaço de Vila Nova de Cerveira, conseguiram as duas melhores marcas de sempre feitas em Portugal no lançamento do disco, os recordes nacionais nos seus países de origem, o recorde sul-americano e a 1ª e 4ª melhor marca mundial de 2020.

Lançamentovnc.jpg

Vila Nova de Cerveira volta a ser referência na área desportiva com impacto internacional. Esta prova desportiva de caráter anual atrai dezenas de atletas em representação de vários clubes internacionais. Devido ao contexto atual da Covid-19, a edição deste ano teve de restringir o número limite de participantes, mas mesmo assim contou com grandes nomes da modalidade e que obtiveram marcas pessoais de patamar mundial.

A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira congratula a Associação Desportiva Recreativa e Cultural de Lovelhe (ADRC) pela organização e criação das melhores condições técnicas e desportivas que, de forma sucessiva, cativam atletas de renome internacional, além de felicitar os atletas em causa pelos recordes conquistados e que colocam Vila Nova de Cerveira também como um excelente território para a prática da modalidade do atletismo, em particular nos lançamentos.

O Centro Municipal de Atletismo, localizado numa área ribeirinha da localidade num espaço fronteiro ao INATEL e próximo da “Ponte da Amizade” e Praia da Lenta, é constituído exclusivamente por sectores ligados ao lançamento (peso, disco, martelo e dardo) e, fruto das excelentes condições, muito requisitado para acolher estágios de vários grupos de atletas nacionais e internacionais.

CERVEIRA AVANÇA PARA A SEGUNDA FASE DA REQUALIFICAÇÃO DA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA

Autarquia lança concurso público para 2ª fase da requalificação da Escola Básica e Secundária

Foi aprovada, por unanimidade, em reunião de câmara da passada sexta-feira, 17 de julho, a abertura de concurso público para a empreitada de Requalificação Global da Escola Básica e Secundária de Vila Nova de Cerveira (2.ª fase), com um prazo de execução de 15 meses. No conjunto das duas intervenções, o investimento total rondará os 3ME.

Concurso Público Escola Básica e Secundária de Vila Nova de Cerveira.jpg

Com previsão de publicação do Aviso do Procedimento em Diário da República até ao dia 31 de julho, o objetivo da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira é que os trabalhos avancem no terreno até ao final do corrente ano, dada a dimensão e a importância da obra no seio da comunidade escolar.

A candidatura da 2ª fase, entretanto aprovada pela Autoridade de Gestão do Programa Norte 2020, consiste na construção de raiz de um edifício designado como Centro de Recursos composto por biblioteca/auditório para capacidade para 119 lugares sentados, a construção de um edifício de apoio ao ensino articulado de música, a ampliação do espaço de refeitório, a cobertura dos corredores de circulação e dos espaços de recreio exteriores, o reforço das condições de segurança e de acessibilidades, bem como a adaptação à eficiência energética.

No entanto, e para fazer face a alguns problemas imediatos de segurança e de comodidade, a Câmara Municipal concretizou, em 2018, uma 1ª fase de requalificação, trabalhos que incidiram na retirada de todo o amianto, na construção da nova portaria na entrada sul, e na melhoria das condições de conforto térmico, através da implementação de um sistema de isolamento pelo exterior.

No total das duas fases, o investimento global deve aproximar-se dos 3ME, com um financiamento de cerca de 92 mil euros do FEDER e de 8 mil euros do Ministério da Educação na 1ª fase, e de 1.2ME do FEDER e de cerca de 106 mil euros da tutela respeitante à na 2ª fase, cabendo ao Município cerveirense suportar a restante verba necessária.

Construída em 1991, a Escola Básica e Secundária de Vila Nova de Cerveira conta, atualmente, com cerca de 600 alunos.

VILA NOVA DE CERVEIRA: ANTIGO POSTO FISCAL DA CARVALHA INTEGRA LISTA DO PROGRAMA REVIVE NATUREZA

Já são conhecidas as 96 antigas casas de guardas florestais e postos fiscais, propriedade do Estado, que serão reabilitados e destinados para usos turísticos, no âmbito do Programa Revive Natureza recentemente criado pelo Governo. O Antigo Posto Fiscal da Carvalha, em Campos, é um dos 16 imóveis cujo concurso de concessão já se encontra aberto.

Antigo-Posto-Fiscal-da-Carvalha03.jpg

Os imóveis em causa serão explorados por entidades públicas ou privadas, com o objetivo de “compatibilizar a conservação, recuperação e salvaguarda dos valores em causa com novas utilizações, que beneficiem as comunidades locais, atraiam novos visitantes e fixem novos residentes”, refere a portaria publicada, sexta-feira, em Diário da República. Na hora de atribuir a concessão serão tidos em conta, entre outros, critérios como se a entidades com sede ou residência nos concelhos em que se localize o imóvel ou nos concelhos contíguos e se a concessão contribuir para a criação de empregos locais.

Dos 16 selecionados do primeiro lote, quatro estão localizados no distrito de Viana o Castelo, e entre eles encontra-se o Antigo Posto Fiscal da Carvalha, de Campos, com uma área total de 279.47 m2, composto por casa com 1 piso e logradouro, e uma duração de concessão de 25 anos. O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira congratula o Governo por esta “estratégia de valorização e dinamização turística de edifícios estrategicamente localizados e de grande importância histórica, dando-lhes uma utilidade digna”. Fernando Nogueira só espera que “este seja o início de um processo ainda mais alargado, de forma a que outros edifícios no possam vir a integrar o Revive Natureza ou um outro programa”, dado que só no concelho existem dezenas de imóveis antigos pertencentes ao Estado e que se encontram devolutos.

Os imóveis que integram o primeiro conjunto têm em comum a maior facilidade do processo de avaliação e regularização de registos, estimando-se um investimento global de quatro milhões de euros para a sua reabilitação e valorização. O presente concurso está aberto até dia 20 de outubro, iniciando-se depois o processo de análise de candidaturas. Em outubro será lançado um segundo lote composto por 26 imóveis, seguindo-se um terceiro no final do ano.

No total, ao Fundo Revive Natureza encontram-se atualmente afetos 96 imóveis (38 no Norte, 44 no Centro, 5 em Lisboa, 2 no Alentejo e 7 no Algarve), prevendo-se que o investimento total a realizar nos mesmos ascenda a mais de 25 milhões de euros.

Toda a informação sobre o imóvel de Campos, Vila Nova de Cerveira, encontra-se disponível em: https://revivenatura.pt/property/antigo-posto-fiscal-da-carvalha/

Antigo-Posto-Fiscal-da-Carvalha07.jpg

CERVEIRA APOSTA NA PROGRAMAÇÃO CULTURAL

Verão 2020: Cerveira aposta em programação cultural espontânea e itinerante

‘Cerveira – Verão em Movimento, ‘O Crochet Sai à Rua… em Cerveira’ e a ‘XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira’ são os três produtos readaptados com que Vila Nova de Cerveira se apresenta neste período de verão atípico devido à pandemia Covid-19. Todos os fins-de-semana, entre 18 de julho e 31 de agosto, estão previstos pequenos concertos ao ar livre e animação de rua, além da ornamentação única de espaços públicos e da realização da reconhecida bienal.

Verão 2020 Cerveira aposta em programação cultural espontânea e itinerante.jpg

“Quem está habituado a usufruir de um verão de excelência em Vila Nova de Cerveira não vai ficar dececionado”. A garantia é dada pelo Presidente da Câmara Municipal que realça “uma mudança de paradigma e um esforço de adaptação para continuar a ter um Verão animado e com cultura, como é apanágio e tradição na ‘Vila das Artes’”. Fernando Nogueira enaltece a aposta em encontros de expressão cultural concretizados de forma “espontânea e itinerante”, evitando a criação de aglomerados populacionais. E acrescenta: “Temos um otimismo controlado e temos de ser realistas. Precisamos de ganhar confiança, trabalhar com todas as precauções necessárias, e esperar a reciprocidade de quem nos visita”.

Deixando de parte os grandes concertos afetos às ‘Noites de Fado’ e ao ‘Cerveira Acústica’, o ‘Cerveira – Verão em Movimento’, consiste num conjunto de 10 pequenos concertos dinamizados na sala de visitas do concelho, o Terreiro, com o objetivo de trazer artistas de todo o Alto Minho, com um duplo sentido: dar a conhecer o seu trabalho e, consequentemente, apoiar a cultura de proximidade.

Estes concertos estão agendados para as sextas-feiras e sábados às 22h00, a partir de 31 de julho até 29 de agosto, com Lean Cruz (31 de julho), Dário Rocha (1 de agosto), Paulo Baixinho (7 de agosto), Nuno Casais (8 de agosto), Tiago Garrinhas (1 de agosto), Intenso (15 de agosto), Eliseu Matos (21 de agosto), Eva Mina (22 de agosto), Serginho (28 de agosto) e Domingos Moça (29 de agosto). Dando cumprimento na íntegra das orientações da DGS e da legislação do Ministério da Saúde para os Espetáculos ao Ar Livre, o espaço será delimitado e a lotação restrita, havendo a possibilidade de estes momentos musicais serem usufruídos a partir das esplanadas envolventes.

O ‘Cerveira – Verão em Movimento’ conta ainda com animação de rua itinerante, com música e teatro, entre 18 de julho e 30 de agosto. Sem horário fixo ou programa definido, os visitantes podem circular pelas principais artérias do centro histórico e desfrutar de cultura protagonizada pela Velha Lamparina e coletividades do concelho, sem provocar concentração de massas.

Habituado a provocar surpresa com recurso à criatividade de pormenor, o concelho de Vila Nova de Cerveira volta a encantar com uma ornamentação única de espaços públicos e ruas do centro histórico. A edição 2020 d’ ‘O Crochet Sai à Rua’ propõe um hino à arte da música, através da criação de peças em tamanho real e de outras com dimensões entre os 3 e 6 metros. Há maestros e pianistas, há palcos recriados e instrumentos musicais, há todo um cenário itinerante para um passeio em ambiente familiar.

A abrilhantar esta programação cultural de Verão 2020 encontra-se a XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira, de 1 de agosto a 31 dezembro de 2020, sob o tema “Diversidade-Investigação. O Complexo Espaço da Comunicação pela Arte”.  No total serão apresentadas mais de 350 obras de cerca de 370 artistas de 38 países que poderá conhecer, gratuitamente, ao vivo ou sem sair de casa, devido ao duplo formato: presencial e digital (com visita virtual).

“COVAS – IMAGENS QUE FAZEM HISTÓRIA” – UM MAGNÍFICO ÁLBUM FOTOGRÁFICO DE JOÃO CALDAS QUE RETRATA OS USOS E COSTUMES DAS GENTES DAQUELA FREGUESIA DE VILA NOVA DE CERVEIRA

João Caldas prepara a publicação de um novo trabalho a sair oportunamente

“Covas – Imagens Que Fazem História” constitui uma verdadeira enciclopédia da imagem que percorre os mais variados aspectos da vida das gentes da localidade de Covas, no concelho de Vila Nova de Cerveira.

887004_609805615724406_1674462049_o.jpg

O autor deste magnífico álbum – o covense João Caldas – reuniu um rico espólio documental fotográfico que regista entre outros aspectos da religiosidade do povo, as lides do campo, a actividade comercial, a indústria, o desporto, e emigração, o ensino, as actividades de lazer e os costumes tradicionais. Lembra ainda os covenses que combateram na Flandres no contexto da Primeira Grande Guerra e ainda os que lutaram no Ultramar. E, com especial, personalidades que se destacaram nas mais diversas áreas e muitas famílias que ficaram para sempre no coração dos seus conterrâneos.

COVAS-Imagens-livro (1).JPG

A obra – porque é realmente de uma verdadeira obra que se trata! – possui magnífica apresentação gráfica, impressa em papel couché e acabamento em capa dura, tendo sido editada pela Junta de Freguesia de Covas e a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira. Tem prefácio de Rui Manuel de Sousa Esteves, o ilustre Presidente da Junta de Freguesia de Covas que recentemente nos deixou. E ainda, sob o título “Covas, “Aldeia de Portugal” como Marca”, uma excelente apresentação assinada pelo Dr Fernando Nogueira, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, cujas palavras não resistimos a transcrever: “Pérola no Vale do Coura, Covas é, merecida e orgulhosamente, uma das “Aldeias de Portugal”, genuína e representativa da identidade alto-minhota.

Localizada no sopé das serras de Covas e Arga, e atravessada pelo rio Coura, Covas tem um imenso potencial natural, paisagístico e gastronómico, mas também um rico historial das suas gentes, laboriosas e diligentes que, através da migração, procuram suprir as dificuldades de uma vivência digna, durante os períodos mais difíceis da economia local. Saíram da sua terra, sem nunca a esquecer e, hoje, regressam para desfrutar e divulgam-na pelo mundo fora.

Através de uma abrangente pesquisa documental, complementada por um exclusivo registo fotográfico, “Covas, Imagens Que Fazem História” retrata e memoriza para a posteridade muitos desses elementos, daí que a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira sinta que deve apoiar esta publicação redigida pela alma e coração de um Covense, partilhada com a sua comunidade.

Um futuro promissor tem sempre uns bons alicerces. A Freguesia de Covas foi precursora na produção de energia elétrica no Alto Minho e a nível nacional, e detentora da secular exploração mineira e de uma vasta exploração florestal, da qual teve uma grande importância a recolha da resina.

Covas tem passado, é presente e tem um grande futuro pela frente. Aldeia que marca pelas potencialidades turísticas diversas, desde o turismo da natureza, ao desporto de montanha, à potenciação do rio, à preservação de tradições, à exploração da Serra d’Arga e à saborosa e rica gastronomia.

Graças à união e envolvimento das suas gentes, Covas é uma freguesia ConVida.”

João Manuel Araújo Domingues Caldas de seu nome completo é um dinâmico cerveirense que ao longo da sua vida tem vindo a destacar-se nas mais diversas áreas profissional, social e cultural, de entre as quais destacamos o seu papel como autarca e a colaboração que mantém há mais de quatro décadas no jornal Serra e Vale. Na realidade, seria extensa a descrição da sua biografia, o que é aliás dispensável por se tratar de alguém conhecido e estimado pelas gentes de Covas e de Vila Nova de Cerveira em geral, estendendo a sua amizade num abraço a muitos amigos de outros concelhos minhotos.

Mas, o labor de João Caldas não se fica por esta magnífica obra. Como ele próprio nos confidenciou, “Neste momento ando a fazer a recolha de histórias do dia-a-dia, algumas divertidas – os cenários são os mais diversos, desde tabernas, barbearia, igreja, campo, etc. – outras que descrevem brincadeiras de crianças, e outras, mais sérias, que nos contam acontecimentos em que alguém de Covas ou seu descendente esteve envolvido. A este trabalho pretendo dar o nome “Vivencias Passadas, Histórias Contadas”.

Os cerveirenses e os seus admiradores em geral aguardam já com indisfarçada ansiedade o momento em que poderão ter nas mãos mais uma magnífica obra do covense João Caldas!

COVAS-Imagens-livro (2).JPG

CERVEIRA INVESTE NO ATL DE LOVELHE

Investimento de 100 mil euros retira ATL de cave

Concretizadas todas as exigências emanadas pela Segurança Social, e após um investimento de cerca de 100 mil euros suportado na totalidade pelo orçamento municipal, o ATL de Lovelhe já está a funcionar, desde o dia 26 de junho, no edifício da antiga escola primária da freguesia, alvo de uma profunda requalificação, deixando para trás uma cave deteriorada, com pouca iluminação solar e com um índice de humidade elevado.

ATL lovelhe.jpg

Ao longo de 20 anos, o ATL Lovelhe desenvolveu a sua oferta lúdico-pedagógica num espaço que, apesar dos inúmeros esforços e das várias adaptações de que foi alvo, sempre se revelou pouco adequado para a dinâmica das atividades propostas. Neste sentido, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, em sintonia com a União de Freguesias de Cerveira e Lovelhe, avançou com uma intervenção maior do que inicialmente previsto, isto é, alargada no tempo com a execução de duas fases, e mais onerosa para os cofres municipais correspondente a 100 mil euros, mas essencial para o bem-estar das crianças e responsáveis pelas atividades dinamizadas ao longo do período de férias letivas.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, para além de garantir uma sede de trabalho, esta intervenção pretende dar continuidade à política do executivo em privilegiar a ocupação de edifícios existentes com novas funções, devolvendo a utilidade pública ao património municipal, preservando os elos afetivos com a comunidade envolvente. “Congratulo-me com esta concretização, pois já era um anseio do Município expresso há vários anos, difícil de realizar por várias vicissitudes que ultrapassaram sempre o âmbito da autarquia, mas que, com insistência e persistência, alcançou um final feliz”, afirma Fernando Nogueira.

Em 2017, executou-se a 1ª fase que consistiu na necessidade de dotar o antigo edifício escolar de segurança, salubridade, conforto e estética compatíveis com o enquadramento legal e normativo aplicável a espaços para acolher crianças. A 2ªfase, concretizada em 2019 e 2020, resultou das condicionantes dos pareceres de entidades como a Segurança Social, a ANPC e a ULSAM, com a realização de trabalhos ao nível da alteração da arquitetura dos espaços e nas especialidades de betão armado, águas e esgotos, eletricidade, sistema de deteção e alarme de incêndios, ITED e segurança contra incêndios.

Dinamizada pela Associação de Pais da Escola Primária e Infantil de Lovelhe (APEPIL) e pelo Centro Social Paroquial de Lovelhe, a valência de ATL naquela freguesia funcionava, há mais de duas décadas, numa cave do edifício sede da Junta de Freguesia.