Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS APRESENTA REVISTA "ESTUDOS REGIONAIS" EM VIANA DO CASTELO

Apresentação pública da Revista Estudos Regionais

No próximo dia 15 de novembro (quinta-feira), o Centro de Estudos Regionais apresenta o número 12, da segunda série, da revista Estudos Regionais. O lançamento público decorrerá na Sala Couto Viana, da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas. A apresentação estará a cargo da Profª. Doutora Alexandra Esteves, doutorada em História pela Universidade do Minho, docente na Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Católica Portuguesa e investigadora do Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT).

RER 12

A revista Estudos Regionais é uma publicação de periodicidade anual, editada pelo Centro de Estudos Regionais, que conta com a colaboração de investigadores de diferentes áreas no domínio das Ciências Sociais e Humanas. Coordenada cientificamente pela Profª Doutora Glória Solé, docente na Universidade do Minho, a publicação é composta por 260 páginas e apresenta estudos, artigos e recensões da autoria de António Cardoso, António Matos Reis, António Pimenta de Castro, Aurora Rego, Goretti Barros, Henrique Rodrigues, Horário Faria, Ivone Magalhães, José Carlos Loureiro, José Rodrigues Lima, Liliana Neves, Maria Olinda Rodrigues Santana, Pedro Pereira e Rui Maia. O design é da responsabilidade de Rui Carvalho. A edição é apoiada pela Fundação Caixa Agrícola do Noroeste. A revista Estudos Regionais é um projeto editorial duradouro (perfaz, com a presente edição, 37 anos de publicação consecutiva, considerando a 1ª série), do Centro de Estudos Regionais que completa este ano 40 anos de atividade em prol do estudo, divulgação e defesa do património regional.     

Alexandra Esteves é doutorada em História Contemporânea pela Universidade do Minho. Professora Auxiliar com Agregação também em História Contemporânea, exerce funções docentes na Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais – Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa, de cuja Direção também faz parte, e onde tem assumido a coordenação de cursos de licenciatura e mestrados.

Lecionou na Universidade do Minho, no Instituto Politécnico de Viana do Castelo (Escola Superior de Educação) e na Universidade Unisinos (Brasil). É investigadora integrada do Centro de Investigação Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT), do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, investigadora colaboradora do Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Universidade Católica Portuguesa e membro do Instituto de Estudos da Religião desta instituição, fazendo parte do seu Conselho Científico.

Nos últimos anos, a sua atividade investigativa tem-se desenvolvido nas áreas da História Social e da História da Assistência, centrando-se nas questões relacionadas com a saúde, a doença, a marginalidade, a violência e as prisões, bem como da História do Turismo, do Lazer e das Sociabilidades, entre os séculos XVIII e XX. É autora, coautora e coordenadora de diversas obras e capítulos de obras e tem dezenas de artigos científicos publicados em livros e em revistas da especialidade de diversos países.

A sessão de apresentação é pública.

Os associados do Centro de Estudos Regionais, com as quotas atualizadas, recebem um exemplar da revista.  

A Direção do Centro de Estudos Regionais

VIANA DO CASTELO RECEBE EXPOSIÇÃO SOBRE "FIRMAS NA TRADIÇÃO VIANENSE"

EXPOSIÇÃO “Firmas na Tradição Vianense”. Organização do Núcleo de Viana do Castelo da Associação EPHEMERA

A abertura, nos antigos Paços do Concelho, Praça da República, está prevista para o próximo sábado, dia 10 – 11,00 horas –, e conta com a presença do Professor Doutor José Pacheco Pereira. Aí estará patente entre 10 e 25 de novembro.

cartazEPHEMERAfirmas2B

A Associação EPHEMERA, dirigida por José Pacheco Pereira, no seguimento de outras

exposições já realizadas em Viana do Castelo, como, a de "Material EPHEMERO utilizado nas Eleições Autárquicas. Viana do Castelo - 1976/2013”, “A propaganda nas eleições americanas, em 2016” e “Um Colecionador de Pins em Viana do Castelo – o Dr. Eurico Silva”, através do seu núcleo de Viana do Castelo, vai abrir esta nova mostra com o objetivo de permitir que os visitantes apreciem materiais diversos relativos a firmas vianenses já desaparecidas ou a firmas em atividade, com mais de 40 anos de existência, numa perspetiva de reavivar a memória da vida urbana, como compreensão do passado e perspetivação do futuro.

A exposição conta com o apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo, da Associação Empresarial de Viana do Castelo e do Café Girassol.

O cartaz foi concebido pelo designer Carlos Torre e a conceção técnica da montagem da exposição foi da responsabilidade de Carlos Vieira, com a utilização de equipamentos disponibilizados pelos Serviços de Animação da Divisão Cultural da Camara Municipal de Viana do Castelo.

Sob o lema “Não deite nada fora, nós sabemos dar-lhe uma utilidade”, pretende a  EPHEMERA contribuir para uma maior compreensão da História e da vida dos povos. Daí de novo o convite para uma visita ao seu site https://ephemerajpp.com/ onde é possível visualizar toda a sua atividade.

Em Viana do Castelo, a EPHEMERA está todas as terças feiras, de tarde, no Café Girassol, a prestar esclarecimentos e a recolher material que lhe queiram ceder.

José Escaleira

Imagem_1

Imagem_2

Imagem_3

Imagem_4

SÃO PAULO VI CRIOU A DIOCESE DE VIANA DO CASTELO HÁ 60 ANOS

Viana do Castelo: Imagem de São Paulo VI na Catedral recorda Papa responsável pela criação da diocese há 40 anos

«Igreja que não agradece não é Igreja», salienta D. Anacleto Oliveira 

O bispo de Viana do Castelo destacou este domingo a memória de São Paulo VI, Papa que foi responsável pela criação da diocese a 3 de novembro de 1977.

paulovi_viana-390x260

De acordo com uma nota enviada à Agência ECCLESIA, D. Anacleto Oliveira abençoou durante a Eucaristia uma imagem do Papa italiano (1897 – 1978), que passa assim a estar representado na Catedral de Viana do Castelo.

Num dia de festa e de ação de graças, o bispo de Viana do Castelo salientou que “Igreja que não agradece não é Igreja”, e defendeu que a melhor forma de “agradecer” as graças recebidas, ao longo destas quatro décadas, “é testemunhar no meio do mundo” a forma como Cristo é vivido neste território do Alto Minho.

“Anunciemos este amor no meio do mundo através das nossas palavras, mas sobretudo através da nossa própria vida, pois o amor anuncia-se melhor quando é vivido”, lembrou D. Anacleto Oliveira.

A 3 de novembro de 1977, Paulo VI erigiu canonicamente a Diocese de Viana do Castelo através da Constituição Apostólica ‘Ad aptiorem populi Dei’, separando-a da Arquidiocese de Braga.

Este domingo, D. Anacleto Oliveira encerrou também a Porta Santa da Gratidão que apontou simbolicamente também para este 40.º aniversário da Diocese de Viana do Castelo.

“Agradecer o amor que de Deus recebemos leva-nos a amarmo-nos uns aos outros, pois, quando nos unimos verdadeiramente a Deus, unimo-nos aos outros. Amando a Deus recebemos força para amar os outros”, frisou o responsável católico.

O encerramento das comemorações dos 40 anos da fundação da Diocese de Viana do Castelo coincidiu entre 28 de outubro e 04 de novembro com uma semana especial para a comunidade católica da região, que “contou com diversos momentos formativos e celebrativos”.

Na terça-feira, dia 30, tendo presente que a diocese minhota se encontra a viver um Ano Pastoral dedicado à Evangelização, e centrado na figura de São Teotónio, primeiro santo português, os padres de Viana reuniram-se com D. Anacleto Oliveira na terra de onde aquele santo é originário, em Ganfei, Valença.

Os participantes debruçaram-se sobre o tema ‘O padre evangelizado e evangelizador’, a partir de uma conferência do sacerdote José Vilar.

Na sua intervenção, aquele responsável recordou que a alegria deve ser uma marca fundamental da vida de cada evangelizador e alertou para as dimensões essenciais da vida do padre: “comunhão, evangelização, vida espiritual, vida humana (cuidado com a saúde), harmonia, formação, partilha”.

No dia 3 de novembro, data do 40.º aniversário da Diocese de Viana do Castelo, D. Anacleto Oliveira presidiu a uma Missa evocativa também na Sé local.

O programa de aniversário foi completado com um jantar-conferência no Centro Pastoral Paulo VI, em Darque, dada pelo chefe Luís Lavrador, da Seleção Portuguesa de Futebol), que assinalou também a abertura solene do ano letivo no Instituto Católico de Viana do Castelo.

JCP / http://www.agencia.ecclesia.pt/

VIANA DO CASTELO REALIZOU ENCONTRO DE CULTURAS

Um espetáculo grandioso para um público pouco numeroso

Sem dúvida que era um espetáculo que deveria fazer lotar o Centro Cultural da cidade. Provavelmente falhou a divulgação da iniciativa, mas bem sabemos que em Viana se não falta isto há-de faltar aquilo e que as pessoas só se deixam mobilizar por razões muito especiais.

Imagem_5

O espetáculo que aconteceu na sexta-feira passada, dia 28 - 21,45 horas, precisamente no Centro Cultural, foi grandioso, não só porque envolveu dezena e meia de organizações e centenas de atores, mas porque tinha dimensão na reposição do passado, sem esquecer o presente. Ali havia enquadramento e ação, recriação e reposição de factos, práticas e costumes. Em suma, representava-se, por vezes de forma comovente, a vida das nossas gentes, especialmente das aldeias. Era a vida do campo e do mar, intensa e participada, que se alegrava com a música, os cantos e os bailaricos, a participação divertida nas festividades, atenta e respeitosa perante os atos religiosos, uma vida autêntica, que irmanava as populações, que reforçava solidariedades, que incentivava e praticava o trabalho comunitário.

E tudo isto foi superiormente representado, com acompanhamentos musicais, cantos, e declamações, obedecendo a um guião que teve a preocupação de dar fidelidade genuína a uma realidade que tende, muita dela, a desaparecer. Foram cerca de duas horas que nos transportaram a um mundo que foi e continua em parte a ser o nosso mundo, especialmente no Norte de Portugal. De salientar a participação do canto cigano, porque também esta etnia fez sempre parte da sociedade que fomos tendo ao longo dos tempos, e uma representação de Rap, que, tratando-se de um discurso rimado e cadenciado, ainda relativamente novo, faz já parte da nossa identidade, embora de forma mais alargada ao todo nacional. Referência, ainda, para o excelente trabalho do artista Hugo Soares, que, numa demonstração evidente de segurança e destreza artística, foi desenhando ao longo de todo o espetáculo representações deste, com projeção em simultâneo no palco. Uma variante que enriqueceu muito o trabalho realizado.

Estão de parabéns a Associação de Grupos folclóricos do Alto Minho, que chamou à participação quase todos os seus Grupos associados e o Teatro do Noroeste, que, com muitos colaboradores voluntários perderam horas incontáveis para recriar e mostrar o que não pode ser olvidado. Se falhas houve, poderá ter sido apenas na menor divulgação do evento. Nós que vamos vendo meses seguidos outdoors espalhados um pouco por toda a parte a anunciar os espetáculos dos artistas que se vão contratando por outras bandas, não podemos deixar de deplorar que se esqueça por completo o que representa a alma do povo que somos. Má cultura.

Texto: Gonçalo Fagundes Meira

Fotos: José Maria Barroso

Imagem_1

Imagem_2

Imagem_3

Imagem_4

Imagem_6

Imagem_7

Imagem_8

Imagem_9

Imagem_10

Imagem_11

Imagem_12

Imagem_13

SANTA MARTA DE PORTUZELO RECEBEU CONCERTO DE OUTONO

Com a igreja cheia, a expectativa de um excelente concerto confirmou-se, no passado dia 13 de outubro, na Igreja Paroquial de Santa Marta de Portuzelo.

Concerto de Outono1

Sob a batuta do Maestro Martinho Rodrigues, a Banda Club Pardilhoense realizou a 4ª edição, este ano com o nome de Concerto de Outono.

Mais uma vez a voz de Sílvia Sequeira encheu a igreja, soprano de uma excelente qualidade.

Com a duração de quase duas horas o Maestro guardou para final uma surpresa, arrancando do público o Cristovão Siano para cantar “Amar pelos dois”, fazendo lembrar dois anos atrás a apresentação do cartaz da Romaria de Santa Marta.

Este concerto teve a organização da Junta de Freguesia, com a colaboração da Câmara Municipal de Viana do Castelo e da Paróquia de Santa Marta.

Fotos: Junta de Freguesia de SantaMarta de Portuzelo

Concerto de Outono2

Concerto de Outono3

Concerto de Outono4

Concerto de Outono5