Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

"PORTA LARGA" DA MOURARIA: TABERNA DE VALENCIANOS EM LISBOA VIROU MESQUITA PARA A PRÁTICA DO CULTO ISLÂMICO

O BLOGUE DO MINHO publicou recentemente um artigo que dava conta da abertura de mesquitas nos bairros antigos de Lisboa em locais que foram velhas tabernas pertencentes a minhotos. Um desses estabelecimentos – outrora dedicado ao culto dionisíaco – que foi recentemente convertido à religião islâmica, situa-se em pleno bairro da Mouraria, alomerado urbano situado fora da cerca Fernandina por razões estratégicas.

90920441_1438272866379960_4856395177436119040_o.jp

O referido estabelecimento – o “Porta Larga” que foi taberna e casa de pasto – foi criado em 1958 por José Luís, um valenciano da Freguesia de S. Julião, e situava-se na rua do Terreirinho, com os números de polícia 82 – 86. De um lado situava-se a taberna propriamente dita onde junto aos pipos de vinho podia-se jogar às cartas e ao dominó e, do outro lado separado por um guarda-vento, uma sala de refeições que, apesar de designada por “casa de pasto”, não consta que alguma vez tivesse servido forragem aos animais. Uma pequena passagem sob a escada do nº 84 do mesmo prédio ligava as duas partes do estabelecimento.

Em 1962, o proprietário cedeu o estabelecimento António Pereira Marinho, também conhecido por "Antónia da Porta Larga", outro valenciano, natural de Fontoura, o qual o manteve até quase aos nossos dias, enquanto José Luís foi abrir uma cervejaria situada em local próximo, na esquina da rua do Desterro com a rua Capitão Renato Baptista: a “Gruta do Desterro”.

48419871_1075543945986189_3858859688313487360_o.jp

Entretanto, António Pereira Marinho, o seu último proprietário – pai do sr. Zé Marinho, também ele um valenciano embora já nascido em Lisboa e a quem devemos a gentileza desta informação e das fotos que publicamos – cessou a sua actividade comercial, tendo a velha taberna virado mesquita para a celebração do culto muçulmano. E tal utilização continuará a ser dada àquele local, pelo menos até à altura que será construída a nova mesquita…

Enquanto decorria tal conversão, o venerando sacerdote de Dionísos que até então celebrava o culto do vinho por detrás da ara do balcão como se de um altar se tratasse, servindo sucessivas rodadas de verdasco numa inebriante comunhão eucarística, retirava-se para a terra onde nasceu e onde ecoaram os primeiros gritos de guerra da Reconquista Cristã: Valença do Minho!

91008922_1438272566379990_4406981718116925440_o.jp

91079942_1438272119713368_8530845789151297536_o.jp

ONDE ESTÃO AS FRONTEIRAS DE PORTUGAL?

Desde que Portugal aderiu à Comunidade Económica Europeia (CEE) andaram a propalar aos cidadãos portugueses a ideia utópica de que os países que dela faziam parte deixavam de ter fronteiras entre si, reservando apenas as exteriores vulgarmente designadas por Espaço Schengen.

unnamedeuroival.jpg

Ao longo de todos estes anos assistiu-se a uma abertura desenfreada de atalhos um pouco por toda a parte ao longo de toda a linha fronteiriça… pequenas pontes, trilhos de aldeias ou estreitas estradas municipais foram criadas, por vezes sob o estalejar de foguetes e discursos proferidos por demagogos de aldeia!

Entretanto, bastou que uma epidemia alastrasse por todo o continente para que os países que antes juravam a pés juntos solidariedade comunitária, para encerrarem as suas fronteiras com os demais países vizinhos. E, cada qual tratou dos seus problemas internos sem a menor preocupação com os demais membros do clube a que agora tratam por União Europeia.

Portugal também seguiu o exemplo. Porém, ao longo das últimas décadas procedeu à abertura de tantas passagens que agora se torna difícil controlar devido à inexistência de postos fronteiriços. E assistimos agora à remoção de obstáculos na fronteira portuguesa sem qualquer autoridade para o impedir, o mesmo é dizer que a autoridade do Estado deixou aqui de ser exercida!

Em Portugal entra quem quer sem precisar de se submeter a quaisquer normas estabelecidas, inclusive às medidas de quarentena e isolamento a que os demais cidadãos estão obrigados, emigrantes e cidadãos estrangeiros trazendo consigo o vírus que há-de infectar toda a comunidade. Eis as nefastas consequências de uma política irresponsável que ao longo de várias décadas infectou a consciência dos cidadãos portugueses!

VALENÇA CANCELA "SABORES DA LAMPREIA"

Cancelado Festival Sabores da Lampreia

O Município de Valença comunica o cancelamento da 11ª edição do Festival Gastronómico Sabores da Lampreia, programado para este fim de semana, de 13 a 15 de março.

O cancelamento deste evento segue as orientações estipuladas pelo despacho 2836-A/2020, bem como as recomendações da Direção Geral da Saúde, em virtude do Coronavírus (COVID-19).

O Município lamenta os inconvenientes do cancelamento do evento, mas dadas as medidas preventivas e orientações, a nível nacional, é a medida mais sensata e correta. A saúde é o bem mais precioso e para nós é inegociável.

LAMPREIA É FESTIVAL EM VALENÇA

Lampreia É Festival em Valença 13 a 15 de Março. Festival Gastronómico

É apreciador de lampreia? 13 a 15 de março, chega o desejado Festival Gastronómico “Sabores da Lampreia”, na comunidade de pescadores de São Pedro da Torre. Para os apreciadores é uma oportunidade única de se deliciar com os cinco sabores da lampreia.

unnamedlampreiavalençafest.jpg

Arroz de lampreia, lampreia à bordalesa, lampreia recheada, lampreia assada no forno e lampreia seca qual a sua preferida?

Cinco Sabores de Lampreia

No prato cinco sabores, ou individualmente, é possível saborear as cinco formas de apresentar a lampreia neste festival, tudo com a marca habitual da tradição local.

Tradição e Especialização

A arte de preparar a lampreia tem saber, tradição e uma mão cheia de segredos.

Aqui os pratos são elaborados com tradição por cozinheiros especializados, verdadeiros guardiões dos segredos seculares deste saber e arte que tem passado de geração para geração.

Lampreia do Rio Minho é a Melhor do Mundo

Os mais afamados gastrónomos consideram a lampreia do rio Minho a melhor do mundo e este festival é a oportunidade para a saborear.

Pescada Artesanalmente como há séculos

Em Valença a pesca à lampreia é artesanal, desenvolvida sobretudo pelas comunidades de pescadores de São Pedro da Torre e Cristelo Côvo. As redes de tresmalho retiram do rio a lampreia vivaça e com toda a qualidade.

A Nossa Lampreia é Batida

Pescada nas últimas semanas a lampreia estagia já nos tanques da Associação Sabores do Rio Minho, em água corrente. A técnica é antiquíssima e conhecida por “bater a lampreia”, um modo que enrije-se a sua carne, o que permitirá, aquando da sua confeção, pratos de excelência.

Novas Receitas

Aliada à tradição e aos emblemáticos cinco pratos, que fazem a história deste festival, os visitantes tem a oportunidade de descobrir as novas tendências de confeção da lampreia. Durante os três dias estão programados um showcooking e degustação de lampreia.

Sabores da Lampreia é uma genuína festa gastronómica valenciana que, ano após ano, se tem afirmado como o maior evento gastronómico da região dedicado à lampreia.

Programa do Festival

13 de março

11H: Inauguração Oficial

12H/15H: Serviço Almoço

12H/14H: Degustação “Isto Também é Lampreia” - EPRAMI

16H/19H: Petiscos e Tapas

19H/24: Serviço de Jantar

24H: Encerramento

14 de março

11H30: Degustação “Isto Também é Lampreia”

12H/15H: Serviço Almoço

16H/19H: Petiscos e Tapas

19H/24: Serviço de Jantar

24H: Encerramento

15 de março

09H: Trilho Sabores da Lampreia

11H30: Degustação “Isto Também é Lampreia”

12H/15H: Serviço Almoço

16H/19H: Petiscos e Tapas

19H: Encerramento

BACALHAU EM VALENÇA TEM NOME DE SANTO

Fim de Semana do Bacalhau em Valença

É apreciador de Bacalhau? 14 a 16 de fevereiro, Bacalhau à São Teotónio é a proposta gastronómica de Valença. Valença é a grande referência da Peninsula Ibérica para comer bacalhau, aqui tem o carimbo da fama e tradição e é destino obrigatório dos bons garfos apreciadores do “fiel amigo”.

unnamedbacalvalença.jpg

À mesa o bacalhau é rei em Valença, saboreado de tantas formas. Em prato ou em tapa é o produto gastronómico emblemático das 85 unidades de restauração valencianas.

Em Valença Bacalhau é Santo

O bacalhau à São Teotónio, é um prato de sabor genuíno digno do prazer dos deuses, com nome de santo, em homenagem ao primeiro santo português, natural de Valença.

Há séculos que por Valença se apuram os sabores e a arte de apresentar as receitas de bacalhau. O bacalhau é um produto, há muito presente na gastronomia valenciana e que atrai, até nós, visitantes de toda a Península Ibérica para saborear as múltiplas formas de o confecionar.

A Melhor Sopa de Portugal e Borrachinhos Conventuais

Neste fim de semana não podia faltar o Caldo Verde de Valença, eleita uma das Maravilhas Gastronómicas de Portugal.

Os “Borrachinhos de Valença”, são uma sobremesa conventual tradicional e a proposta doce de Valença. Uma iguaria à base de pão, canela, açúcar e raspa de limão, bem encharcado numa calda digna dos deuses à base de mel, vinho tinto, canela, entre outros ingredientes.

A iniciativa é da Câmara Municipal de Valença e do Turismo Porto Norte de Portugal.

VALENÇA E TUI REÚNEM-SE EM ASSEMBLEIA HISTÓRICA

Eurocidade Tui Valença Realiza Reunião Histórica e Inédita na Europa: Primeira Assembleia Entre Cidades de Países Diferentes

As forças políticas de Valença e Tui promovem a Primeira Assembleia da Eurocidade, segunda-feira, 10 de fevereiro, às 20h00 (PT), no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Valença.

unnamedeuroival.jpg

Esta é uma assembleia histórica e inédita na Europa que pela primeira vez coloca todas as forças políticas, de duas cidades, de dois países distintos, a debater o presente e futuro do seu espaço territorial a Euro cidade Tui Valença.

Ato Histórico na Europa

O ato inédito pretende evocar o oitavo aniversário da constituição formal da Eurocidade Tui Valença. Na Assembleia da Eurocidade participarão todos os elementos da Assembleia Municipal de Valença, bem como do Pleno da Corporación Municipal de Tui. A primeira decorrerá em Valença, terá carácter rotativo e anual. Em Valença seguirá a normativa da Assembleia Municipal de Valença e em Tui a da Corporación Municipal de Tui. A Assembleia terá, também, uma parte aberta à intervenção do público.

Primeira Assembleia de uma Eurocidade

Pela primeira vez os elementos da Assembleia Municipal de Valença e do Pleno de Tui, promovem uma assembleia para debater a Eurocidade. Esta é, também, a primeira vez que uma Eurocidade realiza uma assembleia alargada a todas as suas forças políticas com representação popular nos seus órgãos.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Valença, Manuel Rodrigues Lopes, “este é um ato pioneiro na Europa, de aprofundamento democrático, de cooperação, de avanço do projeto Eurocidade que é uma vontade comum das duas cidades continuar no roteiro do estreitamento de laços e partilha para máximo beneficio das nossas populações e territórios.”

Debater o Presente e Futuro da Eurocidade

Da agenda de trabalhos consta a proposta de troca de bandeiras para colocação em todos os atos municipais de Valença e Tui. Em debate estará, também, a implementação do projeto UNICIDADE, bem como os desafios que se deparam à Eurocidade no espaço temporal de 10 anos.

ONDA VERDE NO VALE DO MINHO LANÇA O "DESAFIO DESPERDÍCIO ZERO"

Prosseguindo com a aposta num maior envolvimento das populações, o Projeto Onda Verde no Vale do Minho, liderado pelo Aquamuseu do rio Minho, acaba de lançar mais um desafio – concurso fotográfico e workshops interativos - que visa a consciencialização para a redução dos três R’s: resíduos, reutilização e reciclagem.

Onda Verde no Vale do Minho.jpg

Numa primeira abordagem, os parceiros vão dinamizar um concurso fotográfico denominado “Foto em Ação!”, mais direcionado para as escolas, através do qual os alunos são desafiados a investigar alternativas mais sustentáveis para as compras familiares e, consequentemente, incentivar a família para enveredar por estas opções no dia a dia. O objetivo é que, posteriormente, todas as fotografias integrem uma exposição itinerante organizada pelo projeto, em estreita colaboração com as escolas.

A segunda fase do desafio é a realização de workshops “Dá nova vida à tua T-shirt”, pretende consciencializar para a redução de resíduos, reutilização e reciclagem. Aqui, os alunos desenvolverão com ajuda dos docentes e da equipa do projeto Onda Verde, um workshop com as famílias para a elaboração de sacos personalizados que evitam o consumo de plástico.

A prioridade do ‘Desafio Desperdício Zero’ passa por envolver ativamente as famílias em atividades promotores de alternativas sustentáveis, além de estimular a criatividade e promover uma competição saudável entre os jovens das escolas participantes no projeto.

De salientar que o projeto ‘Onda Verde no Vale do Minho’, financiado pelo POSEUR, pretende contribuir para a mudança deste cenário, através de uma ação, que decorrerá até 2020, e que engloba um maior conhecimento da gestão de resíduos na região, a identificação de desafios, a análise da perceção dos cidadãos e a criação e conteúdos para diferentes públicos. Liderado pelo Aquamuseu do rio Minho, o projeto engloba os municípios de Melgaço, Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira e Caminha.

PEREGRINOS DE TODO O MUNDO PASSAM POR VALENÇA

Novo recorde de peregrinos em Valença: 89 Mil Peregrinos de todos os cantos do mundo passaram pela Eurocidade Valença Tui

A Eurocidade Tui Valença reforça a liderança como centro das grandes rotas dos Caminhos de Santiago. Em 2019 foram 88310 os peregrinos que passaram ou começaram a sua peregrinação na Eurocidade.

unnamedVALPEREGR.jpg

O número de peregrinos pela Eurocidade tem crescido sempre. Se no ano passado foram 88310, os que chegaram a Santiago e pediram a Bula Compostelana em em 2014 eram 35494 mil oriundos de todos os cantos do mundo.

Percurso Lendário com Autenticidade

A história e simbologia jacobeia que Valença e Tui aportam, há séculos, com autenticidade, às peregrinações para Santiago muito tem contribuído para alcançar estes números. Associada à história, às marcas patrimoniais, o aspeto lendário e de cultura popular fazem parte indissociável de Valença e Tui.

Próximo Ano Jacobeu

O Município de Valença tem objetivos ambiciosos para o próximo Ano Jacobeu, considerando os Caminhos de Santiago um dos grandes nichos de fluxo turístico com mais potencial de crescimento no território. Preparam-se ações culturais e promocionais de impato para os próximos tempos.

Caminho Português do Interior Mantém a Liderança

Em 2019 foram 72361 os peregrinos a percorrer o Caminho Português do Interior, quando em em 20'18 foram 67816 e em 2014 34715 peregrinos. O Caminho Português do Interior é o segundo percurso que mais peregrinos leva a Santiago de Compostela depois do Caminho Francês.

O Caminho Português da Costa atrai, cada vez, mais peregrinos até Valença. Em 2019 foram 15949 quando no ano passado eram 13836 e em 2014 apenas 779.

O que Valença Oferece Mais Hoje

Os grandes fluxos de peregrinos tem permitido, capacitar alojamentos, cada vez mais diversos e qualificados, uma restauração mais versátil e diversificada e a readaptação de parte do comércio para o nicho de peregrinos com uma ampla oferta de souvenirs e produtos locais. Apostas que apresentam um grande potencial de crescimento e oportunidade para quem quer investir no turismo religioso.

Peregrinos Projetam Marca Valença

Os peregrinos tem sido verdadeiros embaixadores de Valença por esse mundo fora, mostrando os pontos mais “instagram” do concelho, as suas singularidades culturais, naturais, patrimoniais e gastronómicas. Uma projeção que se nota no dia a dia. A nenhum escapa, por exemplo, o fato de Valença proporciona uma experiência única aos peregrinos: a meio da ponte internacional, em pleno Caminho, é possível estar com um pé em Portugal e outro em Espanha, sobre o rio Minho, com a Catedral de Tui em frente a a Fortaleza de Valença atrás.

LAMPREIA DO RIO MINHO JÁ DESOVA EM VALENÇA NO PRATO DOS MELHORES APRECIADORES DO CICLÓSTOMO

Já há lampreia em Valença. Se gosta aproveite. Seja dos primeiros de 2020

É apreciador de lampreia? A espera de a saborear na abertura desta temporada? Valença então é o seu destino, abriu oficialmente a época da lampreia à mesa. Os

apreciadores dizem que este ano é de eleição e apresenta-se com tradição, fama e inovação como pratos de excelência da gastronomia valenciana.

unnamedlamprvalen.jpg

A época da lampreia na restauração valenciana prolonga-se até finais de abril e tem o seu ponto alto no Festival Gastronómico Sabores da Lampreia, no fim de semana de 13 a 15 de março.

Lampreia de Tantas Formas

A tradição apresenta a lampreia, em Valença, à bordalesa, em arroz de lampreia, recheada, assada no forno ou na brasa. Tantas formas para saborear, deliciar-se e encantar-se com os sabores únicos da lampreia do rio Minho. Às tradicionais os chefes da restauração valenciana vão acrescentando novas formas de apresentação e confeção.

Lampreia em Valença Tem Fama e Tradição

Há séculos que a lampreia é um verdadeiro petisco em Valença, tem tradição, fama e serve-se à mesa como um manjar.

Por esta época saborear a lampreia, em Valença, é uma verdadeira romaria, no mínimo uma vez por ano, assim manda a tradição. Os segredos da preparação, confeção e apresentação tem passado de geração para geração pelas mãos sábias das cozinhas das aldeias que a restauração local recria.

Festival Sabores da Lampreia

No fim de semana de 13 a 15 de março a comunidade de pescadores de São Pedro da Torre, promove o Festival Gastronómico Sabores da Lampreia, o maior de Portugal dedicado a este ciclóstomo e um dos maiores do mundo.

Lampreia do Rio Minho

As primeiras lampreias da época já estão a sair nas redadas dos pescadores das comunidades de São Pedro da Torre e Cristelo Côvo e segundo os mesmos é de excelente qualidade.

A lampreia é um prato de época e é entre janeiro e abril que se apresenta na plenitude dos seus sabores.