Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

AUTARCA DE CERVEIRA REUNIU COM SECRETÁRIA DE ESTADO DO TURISMO, COMÉRCIO E SERVIÇOS

Numa aposta clara no Turismo como pilar de desenvolvimento do concelho:

Preservar o património turístico e paisagístico, potenciando, ao mesmo tempo, uma oferta cultural diferenciada é uma prioridade para o Executivo Municipal. 

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, recebeu hoje, 5 de agosto, a Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, nos Paços do Concelho, para uma reunião de trabalho, à qual se seguiu uma visita guiada à XXII Bienal Internacional de Arte de Cerveira. O momento permitiu ao autarca de Cerveira partilhar preocupações e avaliar soluções que têm influência direta no turismo do concelho.

7c8092c5-273d-4570-9e1f-17550b4747a1.jpg

Uma das preocupações do atual Executivo é a concessão do Castelo de Vila Nova de Cerveira, aprovado no âmbito do Programa “REVIVE”, em 2019. Apesar de não concordar com a referida concessão, o atual Executivo Municipal não se opõe à mesma, porém apresenta duas condicionantes. “Em primeiro lugar que o espaço se mantenha aberto a visitas, pois, para além de ser considerado um “Imóvel de Interesse Público” e o principal baluarte de Vila Nova de Cerveira, é, também, um património turístico importante no centro da Vila e muito procurado por residentes e turistas. Em segundo lugar, que não seja construída uma piscina no espaço pretendido, pois é um património de usufruto público, criando-nos estranheza o facto de Instituições responsáveis pelo património público aprovarem tal pretensão” refere Rui Teixeira, salientando que “acresce, ainda, o facto de a população também discordar, em absoluto, de tal intenção”.

O autarca de Vila Nova de Cerveira apresentou, ainda, o projeto do primeiro Albergue de Peregrinos Municipal que será construído no edifício da escola primária de Loivo, dando resposta às lacunas e necessidades identificadas pelo atual Executivo de forma a colmatar uma carência de albergues públicos no concelho. O objetivo do futuro albergue de Loivo é ter uma gestão totalmente municipal, com a aplicação de uma taxa simbólica aos peregrinos, como mais um fator atrativo.

Após a cedência do edifício a título gratuito, por um período de 30 anos, pela Junta de Freguesia de Loivo, o Município apresentou uma candidatura à linha de apoio Regenerar Territórios do Programa Transformar o Turismo, do Turismo de Portugal, e que consiste numa requalificação profunda do espaço para vir a alojar um máximo de 32 pessoas, num investimento previsto de 312 mil euros, com financiamento a 70%. Por se tratar de um edifício histórico, há o compromisso de se manter a traça original, assim como de outros elementos que sejam passíveis de recuperação, salvaguardando a memória da antiga utilização do espaço. Rui Teixeira salienta “a opção de intervir neste equipamento em concreto está alinhada com a estratégia do Município em recuperar em detrimento da construção nova e em atribuir novas funcionalidades a espaços, atualmente, sem qualquer ocupação e que outrora tiveram uma grande presença e impacto nas comunidades locais”.

Entre os objetivos da autarquia estão a valorização do Caminho Português da Costa como itinerário de peregrinação e produto turístico que visa atrair “turismo cultural e patrimonial”, “turismo religioso”, “city breaks” e “turismo de natureza”, a dinamização do potencial Cultural e Turístico das peregrinações a Santiago de Compostela, fomentando o desenvolvimento económico, social e ambiental nos territórios atravessados por este traçado, a contribuição para o desenvolvimento de produtos identificados como estratégicos para esta região e que permitam complementar a oferta existente, nomeadamente nas vertentes do Touring Cultural e Paisagístico, a atração de novos públicos com vista a aumentar o número de turistas e de dormidas em Vila Nova de Cerveira e na região Norte de Portugal e a oferta de novas e renovadas ofertas culturais, geradoras de interesse turístico e que vão ao encontro à expetativas dos turistas, nomeadamente, os que procuram destinos com elevado interesse cultural, dos operadores turísticos, dos prestadores de serviços locais e da comunidade.

CERVEIRA_VISITA SEC. ESTADO TURISMO (3).jpg

APOSTA CRESCENTE EM PROJETOS TURÍSTICO PARA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO

No decorrer da reunião de trabalho, foram ainda apresentados dois projetos recentemente implementados com o apoio do Programa Valorizar do Turismo de Portugal, designadamente, o Centro de Cycling & Walking, na freguesia de Covas, e o Centro de Atividades Rio & Natureza para a colocação de ancoradouros no Rio Minho (um deles já instalado no Parque do Castelinho).

Foi, ainda, um importante momento para debater soluções e avaliar possibilidade de investimento noutros projetos de interesse para o território, nomeadamente, no projeto de construção do “Cerveira Palco das Artes”, no projeto de “Valorização e Qualificação Ambiental do Rio Coura na Aldeia de Covas”, focado no turismo natureza, no turismo náutico e nos recursos endógenos e outros projetos de promoção e revitalização do comércio local - onde se inclui o Mercado Municipal - , bem como na promoção do turismo e de outros serviços.

Outro projeto em destaque foi a requalificação da doca de recreio, que embora tenha sido alvo de um importante investimento no Turismo Náutico, no âmbito do NORTE 2020, ainda carece de investimento e daí a importância de se perceber a viabilidade de o mesmo poder via a ser apoiado pelo Turismo de Portugal.

O autarca deixou ainda o alerta para “a falta de recursos humanos, nomeadamente, no setor do Turismo e a urgência da formação de profissionais nesta área e de encontrar soluções turísticas que possam dar também resposta à urgência de soluções que garantam a sustentabilidade ambiental, nomeadamente, a escassez de água”.

CERVEIRA_VISITA SEC. ESTADO TURISMO (5).jpg

CERVEIRA_VISITA SEC. ESTADO TURISMO (7).jpg

VIANA DO CASTELO: QUINTA DO SANTOINHO COMEMORA 50 ANOS AO SERVIÇO DO FOLCLORE E TURISMO LOCAL

292435624_1768355433513370_3967966448569845657_n.jpg

Grande Festa em Santoinho – 50 Anos

Para além dos artistas convidados poderá também disfrutar do verdadeiro Folclore do Alto Minho!

Com os Ranchos Residentes de Santoinho

Rancho Regional das Lavradeiras de Carreço

Grupo Etnográfico de Areosa_Oficial

Grupo Folclórico de Viana do Castelo

Rancho Folclórico das Lavradeiras de Vila Franca

A Quinta de Santoinho é um empreendimento idealizado e concebido pelo empresário António Cunha, situa-se numa antiga quinta da família, recriando as tradições e costumes do Alto Minho, aberto de Maio a Novembro. Está localizado em Darque, apenas a 5 km de Viana do Castelo.

22788913_1714539841912385_2977221285422713601_n.jpg

Empreendimento idealizado e concebido pelo empresário António Cunha, situa-se numa antiga quinta da família, recriando as tradições e costumes do Alto Minho, aberto de Maio a Novembro. Está localizado em Darque, apenas a 5 km de Viana do Castelo.

Aberto de Maio a Novembro. Desde 1972, sempre com a mesma regularidade!

CELORICO DE BASTO: TURISMO EM BASTO FOI TEMA DE CONFERÊNCIA

O Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto foi, no dia 27 de julho, um dos oradores da conferência “Turismo em Basto com vida – os desafios e oportunidades de financiamento, promovida pela recém criada Associação Comercial de Celorico de Basto.

_DSC7997.jpg

A iniciativa decorreu no Centro cultural Marcelo Rebelo de Sousa e procurou elucidar uma vasta plateia para os desafios, ameaças e oportunidades inerentes ao turismo na região de Basto.

Para o autarca José Peixoto Lima, Celorico de Basto é um concelho pleno de potencial de desenvolvimento no setor do turismo sendo fundamental reorganizar os produtos turísticos “promovendo uma relação de proximidade, diálogo e coesão entre os Municípios deste território, impulsionando uma estreita cooperação entre todos e com isso, dotar esses produtos de escala, com a dimensão que nos pode alavancar para outros patamares de desenvolvimento, juntos somos mais fortes. Vivemos um paradigma diferente, em que a parceria e colaboração são fundamentais para vencer os problemas”. O autarca salientou neste aspeto a importância da marca “terras de Basto”, “com uma forte identidade histórica e geográfica que é importante promover na área do turismo, produtos locais e outros produtos que verificarmos como fundamentais. Temos um potencial único, demarcado pelo turismo do interior, o turismo de natureza”. O edil Celoricense fez ainda algumas observações estatísticas que denotam a evolução concertada e crescente deste setor no concelho, como o aumento do alojamento local, de empresas de animação turística, número de dormidas e fluxo de turistas nacionais, enfatizando que é importante continuar o concelho e o território a nível interno. Referiu que tem já implementado um conjunto de medidas amigas dos investidores, “como é o caso de não cobrarmos qualquer valor pela derrama e do IMI estar no valor mínimo”. Referiu a criação do Gabinete de Apoio ao Investidor a funcionar na Câmara Municipal com capacidade de apoiar e informar os investidores. O autarca salientou a importância de “pegar nos melhores indicadores para puxar o concelho para cima, indicadores muito positivos, como o aumento do volume das nossas exportações e aumento das empresas fixadas no concelho”, referindo que um dos principais problemas com que as empresas se confrontam “é a falta de mão de obra”, e nesse aspeto salientou ser preciso “criar politicas ativas para fixar as populações, um trabalho que a Câmara Municipal está a desenvolver, criando condições para uma educação inclusiva e uma habitação acessível para todos”.

A terminar, o autarca destacou alguns dos grandes problemas que o setor do turismo enfrenta no concelho para se afirmar, como o combate à sazonalidade,  referindo ser necessário, “em cooperação com os concelhos vizinhos, desenvolver programas atrativos, de grandes eventos que possam contribuir para que os turistas se sintam movidos a visitar o território na chamada época baixa, a organização de produtos turísticos em escala local e regional, a preservação ambiental como ativo muito importante, o reforço das infraestruturas públicas (fibra óptica, acessos rodoviários, equipamentos culturais  e animação desportiva)e por último a formação de pessoas ligadas ao setor.

A conferência que contou com sala cheia, foi promovida pela Associação empresarial de Celorico de Basto tendo o seu presidente, Jorge Reis, observado que “esta é a primeira grande iniciativa desenvolvida por esta associação que assenta em três pilares fundamentais, informar, formar e aproximar. O setor do turismo é uma atividade económica relevante para Portugal e Celorico não pode ser exceção, a criação de riqueza e empregabilidade é aquilo que nos move.

 A iniciativa contou ainda com a participação de Idalino Leão, Presidente da Confagri que ressalvou a importância da agricultura no turismo, crucial para promoção de uma gastronomia de qualidade que seja, por si só porta de entrada de turistas.

Intervenção muito aguardada a do Presidente do Turismo Porto e Norte de Portugal, Pedro Martins, que apresentou as entidades que preside ressalvando os múltiplos prémios ganhos pelo TPNP na promoção do território e destacou de forma clara os desafios, as ameaças e as oportunidades de financiamento de um setor em crescimento galopante. Ressalvou as levadas como produto deste território e que poderão servir de alavanca para coesão territorial e tornar-se um forte produto de atratividade turística.

_DSC8007.jpg

_DSC8015.jpg

RANCHO DAS LAVRADEIRAS DE SANTA MARTA DE PORTUZELO EXIBIU-SE PARA O DIRETOR DE TURISMO DE SUL DA FRANÇA EM 1954

PT-AMPL-Casa+da+Lage-ACL_P12_040_m001_dissemination.jpg

Ofício remetido do Porto e datado de 24 de Agosto de 1954, enviado pelo Dr. António Maria Pinheiro Torres, chefe da delegação do Secretariado Nacional da Informação, Cultura Popular e Turismo, ao Dr. José da Rocha Coelho, a agradecer a cedência da casa agrícola que possuía em Santa Marta de Portuzelo, para a exibição do Rancho das Lavradeiras dessa localidade, durante a visita ao norte do Diretor de Turismo do sul de França, o Comandante Marcel Prat.

Fonte: Arquivo Municipal de Ponte de Lima

MELGAÇO REGISTOU UMA TAXA DE OCUPAÇÃO-CAMA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL

Em 2021 e de acordo com dados do INE, Melgaço foi o município do Parque Nacional Peneda-Gerês (PNPG) que mais cresceu nas dormidas e no número de hóspedes

Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) demonstram que Melgaço registou em 2021 uma taxa de ocupação-cama acima da média nacional (31,1%) e do Norte (27,8): o município mais a norte de Portugal registou uma taxa de 37,2%. Foi, aliás, a melhor taxa do município neste indicador em comparação com os quatro anos anteriores a 2021. Mesmo com as limitações da pandemia, em 2020, Melgaço manteve a taxa de ocupação-cama num registo similar ao dos últimos anos.

Vila_Melgaco.jpg

Prova de que a aposta que a autarquia melgacense está a fazer em prol do turismo do concelho, em articulação com os vários agentes do território e de todo o trabalho que estes têm desenvolvido, é ainda o resultado no que respeita ao número de dormidas e de hóspedes: Melgaço registou uma taxa de 31% e 37,4%, respetivamente, posicionando-se como o município do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) que mais cresceu neste indicador.

Importante ainda referir que, em 2021, Melgaço registou 80% das dormidas de 2019. Foi, a par de Ponte de Lima, o 2º município da CIM Alto Minho que mais se aproximou dos números pré-pandemia (apenas Ponta da Barca superou Melgaço, registando, inclusive, um valor muito similar ao de 2019). Melgaço registou, em 2021, 34.950 dormidas e de 20.492 hóspedes.

Em 2020, o RevPAR (rendimento médio por quarto) de Melgaço foi de 23,7€, sendo o valor mais elevado dos municípios do PNPG, situando-se acima da média nacional (22,6€) e do NORTE (19,2€). De salientar ainda de que é o terceiro valor mais elevado de todos os municípios da CIM Alto Minho.

NOS PRIMEIROS CINCO MESES DE 2022 MELGAÇO ALCANÇOU JÁ 28% E 19% DOS VALORES REGISTADOS EM 2019 NO QUE RESPEITA AO NÚMERO DE HÓSPEDES E DORMIDAS

A salientar ainda que, de acordo com o INE, nos primeiros cinco meses do corrente ano (2022), período de época baixa, Melgaço alcançou já 28% e 18% dos valores registados em 2019 no que respeita ao número de hóspedes e dormidas. «Os dados que temos são indicadores da retoma do turismo no nosso município. Estes números confirmam que o trabalho que tem sido desenvolvido de forma a fomentar o crescimento do turismo em Melgaço é uma aposta ganha. Melgaço é, de ano para ano um destino cada vez mais procurado, de interesse. Prevê-se um ano bastante positivo, sendo expectável que os resultados deste ano possam igualar ou mesmo superar os valores de 2019 e de 2018.», atenta Manoel Batista, Presidente da Câmara Municipal.

Melgaço tem 45 empreendimentos turísticos e no total, entre empreendimentos turísticos, parques de campismo e alojamento local, Melgaço oferece 725 camas.

MELGAÇO É O ÚNICO MUNICÍPIO DO PNPG COM A DISTINÇÃO DE DESTINO TURÍSTICO SUSTENTÁVEL

Melgaço é, neste momento, o único município situado no Parque Nacional Peneda Gerês - PNPG com a distinção de Destino Turístico Sustentável. «Assumirmos um rumo cada vez mais sustentável para Melgaço é um propósito com impactos enormes no futuro do nosso território único e da nossa comunidade», realça o autarca de Melgaço. É nesta visão que se enquadra a certificação de Melgaço como destino turístico sustentável segundo os critérios definidos pela Global Sustainable Tourism Council - GSTC - orgão máximo na definição e gestão dos padrões mundiais para o turismo sustentável.

«O Turismo está no nosso ADN.  Por isso, apostamos num Plano Estratégico e de Marketing para o Turismo que definiu os caminhos a percorrer para a afirmação e diferenciação como destino turístico. Criámos a marca Descubra Melgaço e posicionámo-nos como o destino de natureza mais radical de portugal, recebemos o selo de prata da Earthcheck – órgão acreditado pela Global Sustainable Tourism Council (GSTC) para certificar destinos turísticos e alcançamos a certificação como destino turístico sustentável, tornando o nosso concelho Best Practice Internacional, ao nível das emissões de gases com efeito de estufa, consumo de água potável e resíduos sólidos enviados para aterro.», realça Manoel Batista.

MELGAÇO APAIXONA, POR DIFERENTES RAZÕES!

Melgaço tem um potencial enorme e cada vez com mais procura. Situado na Área Protegida mais importante de Portugal, o PNPG – Parque Nacional Peneda Gerês, consagrado pela UNESCO Reserva Mundial da Biosfera, Melgaço é um destino de natureza por excelência, com características geográficas e geológicas que lhe concedem uma posição de destaque de entre todos os subdestinos do Porto e Norte de Portugal.

A oferta é completa: da natureza ao bem-estar, passando pelo Alvarinho e pelo fumeiro, dando uma volta entre a cultura e o património, sem esquecer o desporto, a sugestão é que se Descubra Melgaço em redor de uma sossegada e deslumbrante natureza. 

Localizado a menos de duas horas do Porto e perto da Galiza, Melgaço é um destino a não perder, é o destino de natureza mais radical de Portugal.

DESCUBRA-MELGAÇO.jpg

ÉPOCA BALNEAR CONTA COM O CONTRIBUTO DO MUNICÍPIO DE ESPOSENDE

Ciente da importância e necessidade de garantir as adequadas condições de higiene e de segurança tanto nas praias como nas áreas de lazer do concelho, o Município de Esposende vai financiar os encargos com a limpeza dos sanitários instalados nestes locais.

Apúlia.JPG

Assim, em reunião do executivo, a Câmara Municipal aprovou a concessão de apoios financeiros às Juntas de Freguesia para a execução de ações de limpeza de sanitários de apoio às praias e Castro de S. Lourenço, em Vila Chã, num investimento global de 24 000 euros.

Em causa estão os encargos com os recursos humanos e o material de limpeza necessários para assegurar a manutenção e higienização dos equipamentos sanitários de apoio às praias da Foz do Neiva (Antas), S. Bartolomeu do Mar, Suave Mar (Esposende), Cepães e Rio de Moinhos (Marinhas), Ofir (Fão), Ramalha e Apúlia, bem como do sanitário existente no Castro de S. Lourenço. A logística será, assim, assegurada pelas Juntas de Freguesia de Antas e de Vila Chã, e pelas Juntas de Freguesia das Uniões de Freguesia de Belinho/Mar, Esposende/Marinhas/Gandra e Apúlia/Fão.

Esta medida enquadra-se na habitual envolvência e colaboração o Município na preparação de cada época balnear, de modo a salvaguardar a saúde e a segurança de toda a comunidade, tanto local como visitante, em linha com as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030.

Entre outras medidas, o Município disponibiliza, anualmente, infraestruturas de apoio em quatro praias concelhias, essenciais para o cumprimento dos critérios referentes ao galardão Bandeira Azul da Europa (Apúlia, Ofir, Suave-Mar e Cepães), e ao galardão Praia Acessível (Cepães e Apúlia).

De modo a garantir a segurança dos banhistas, a Câmara Municipal, indo além das suas competências, assegura a colocação de nadadores-salvadores nas praias onde não existe concessionário, nomeadamente em Cedovém/Pedrinhas - Apúlia, e em Rio de Moinhos - Marinhas.

Saliente-se a existência de duas praias para cães, uma situada na zona norte do concelho, entre a Praia Suave Mar Norte e Cepães e outra em Apúlia, a sul da Praia da Ramalha. Com esta medida, integrada no Plano Estratégico Municipal de Promoção do Bem-Estar Animal, o Município de Esposende assegura um local específico, com as condições necessárias, para permanência e circulação de animais de companhia.

Na aplicação Smart Cities pode obter-se informação online sobre as condições meteorológicas de Esposende, bem como informação útil sobre a intensidade de UV, o que permite a tomada das melhores opções quanto à exposição ao sol.

A tudo isto acresce a existência de bibliotecas de praia, aliando a atividade balnear à promoção do livro e da leitura, equipamentos que estão disponíveis nas praias de Cepães (Marinhas), Suave Mar (Esposende), Ofir (Fão) e Apúlia.

Não obstante o empenho das entidades responsáveis para garantir todas as condições na época balnear, torna-se fundamental o contributo de todos os utilizadores das praias, dos quais se espera o cumprimento das normas para a manutenção das zonas balneares nas melhores condições, nomeadamente respeitando a recolha de resíduos.

MUNICÍPIO ARCUENSE PROMOVE ARCOS DE VALDEVEZ COM O APOIO DAS EMPRESAS DE TURISMO

A Autarquia está a lançar um conjunto de iniciativas para reativar a dinâmica do Turismo no concelho, pois é um dos pilares da economia arcuense.

entrega dos expositores_turismo (2).JPG

Este programa tem várias iniciativas ao nível da promoção do destino, capacitação dos trabalhadores do turismo e do apoio ao investimento neste setor.

Pretende-se igualmente criar uma rede de expositores com informação turística e cultural do concelho em diversos estabelecimentos de restauração, alojamento e animação turística, localizados no concelho e no exterior.

No âmbito da promoção, uma das ações é a celebração de um Acordo de Cooperação com as empresas do turismo para promover e divulgar as potencialidades turísticas de Arcos de Valdevez.

A Câmara Municipal procedeu à entrega de mais 32 expositores de informação, o que perfaz atualmente um total de 173 pontos de divulgação na rede.

Com esta parceria a Câmara Municipal e os agentes de Turismo pretende-se incrementar o turismo como ferramenta de desenvolvimento económico do concelho.

entrega dos expositores.JPG

entrega dos expositores_turismo (1).JPG

VIANA DO CASTELO: QUINTA DO SANTOINHO COMEMORA 50 ANOS AO SERVIÇO DO FOLCLORE E TURISMO LOCAL

Grande Festa em Santoinho – 50 Anos

Para além dos artistas convidados poderá também disfrutar do verdadeiro Folclore do Alto Minho!

Com os Ranchos Residentes de Santoinho

Rancho Regional das Lavradeiras de Carreço

Grupo Etnográfico de Areosa_Oficial

Grupo Folclórico de Viana do Castelo

Rancho Folclórico das Lavradeiras de Vila Franca

A Quinta de Santoinho é um empreendimento idealizado e concebido pelo empresário António Cunha, situa-se numa antiga quinta da família, recriando as tradições e costumes do Alto Minho, aberto de Maio a Novembro. Está localizado em Darque, apenas a 5 km de Viana do Castelo.

292435624_1768355433513370_3967966448569845657_n.jpg

CAMINHA É O CONCELHO DO ALTO MINHO COM MAIS ALOJAMENTO LOCAL

Crescimento do número de turistas e prestígio do território justificam expansão do negócio em todo o concelho

De acordo com os dados mais recentes do Registo Nacional de Turismo, o concelho de Caminha tem registadas 472 unidades de Alojamento Local num universo de 1697 registos por todo o Alto Minho. Apesar de ser o quinto concelho com maior número de habitantes do distrito de Viana do Castelo, o território da Foz do Minho lidera a tabela do Alto Minho seguido de Viana do Castelo, com 400 Alojamentos Locais e Ponte de Lima com 274.

Caminha.jpg

Para Miguel Alves, Presidente da Câmara Municipal de Caminha, “os números oficiais confirmam o crescimento exponencial do número de turistas nos últimos anos e atestam a estratégia de valorização e divulgação do território que tem vindo a ser seguida". Para o autarca “todo o trabalho que vem sendo desenvolvido, tem permitido trazer cada vez mais gente, e mais dias, ao concelho e mais gente e mais tempo de estadia obrigam a mais camas, mais alojamento e, naturalmente, injetam mais dinheiro na economia local".

Miguel Alves mostra-se satisfeito por liderar este ranking distrital, mas não esquece a outra face da moeda nem o que ainda pode ser feito. Para o edil, “o crescimento do uso de imóveis para Alojamento Local também retira possibilidades para a residência permanente. É preciso que a valorização do património através do turismo não esqueça a necessidade de termos habitação suficiente, a preços moderados, para que as pessoas e as famílias possam viver no concelho. Por outro lado, estes números bons não mudam a minha opinião sobre a necessidade de termos mais investimento na hotelaria e nos empreendimentos turísticos. O crescimento exponencial da hospedagem e dormidas no concelho de Caminha tem que ser acompanhada por mais investimento privado em novas camas e o que tenho dito aos promotores é que o negócio compensa porque há muitos dias do ano, e não só no verão, onde não há um único quarto vago".

O concelho de Caminha tem vindo a apresentar este ano um número muito elevado de ocupação hoteleira e os valores das reservas para o que resta de verão apontam para um ano muito promissor, próximo dos números record alcançados em 2019. Esta semana é marcada pelo evento Caminha Medieval que, mais uma vez, trará milhares de pessoas ao Centro Histórico de Caminha.

Moledo.jpg

Vila Praia de Âncora.jpg

TURISMO DE WELLNESS É TEMA DE DEBATE EM WEBINAR PROMOVIDO PELO MUNICÍPIO DE TERRAS DE BOURO

Dia 8 de julho, às 10h000

Iniciativa conta com intervenção de várias entidades como o Turismo do Porto e Norte de Portugal e o NEST – Centro de Inovação do Turismo

‘minH2O Wellness Experience’ é o tema do webinar promovido pela Câmara Municipal de Terras de Bouro que irá decorrer no próximo dia 08 de julho, a partir das 10h. Esta é uma iniciativa inserida no projeto Terras de Bouro – Minho Tourism Design Experience e que constitui o lançamento de um novo conceito de experiências turísticas focadas no turismo de wellness, criadas e desenvolvidas com o objetivo de capacitar a região de uma maior oferta turística, permitindo reforçar o vasto leque de opções já existentes.

“Um dos nossos objetivos visa promover e reforçar a oferta turística da região, com vista a atrair turistas de novos segmentos de mercado e a potenciar novas oportunidades de negócio para os operadores turísticos locais e nacionais. Neste sentido, estamos a trabalhar na criação de novas experiências turísticas, assentes no conceito de wellness, um dos segmentos em crescimento a nível mundial. O turismo associado ao wellness e à Natureza é uma das principais tendências e vai ao encontro das características naturais e únicas deste território de Terras de Bouro e do Parque Nacional da Peneda-Gerês”, comenta Manuel Tibo, presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro.

A sessão de abertura do webinar ‘minH2O Wellness Experience’ contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, à qual se segue a intervenção de Marta Salvador, Coordenadora de Inovação do NEST – Centro de Inovação do Turismo, que abordará o tema "A inovação ao serviço do Turismo".

O webinar integra ainda com uma mesa-redonda sobre o presente e futuro do Turismo, com foco no turismo de wellness. Este painel contará com os seguintes oradores: Sónia Almeida, Administradora-Delegada da ADERE-Peneda-Gerês; José Arriscado, presidente da Associação Gerês Viver Turismo; Cristina Mendes, da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte; Joana Peixoto, Coordenadora da Unidade de Planeamento Territorial da Comunidade Intermunicipal do Cávado; e Caroline Staedtler, psicoterapeuta e personal trainer. A moderação ficará a cargo de Victor Jorge, diretor do jornal Publituris.

"Experiências autênticas: o que procuram os turistas?" é o tema da intervenção de Rui Barbosa Baptista, Vice-Presidente da Associação de Bloggers de Viagens Portugueses. 

A sessão de encerramento ficará a cargo de Luís Pedro Martins, Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Assista a esta iniciativa no Facebook da Câmara Municipal de Terras de Bouro ou no Facebook do Publituris. A participação é gratuita, não sendo necessária inscrição. O webinar conta com a parceria do jornal Publituris.

ARCOS DE VALDEVEZ: PAÇO DA GIELA FOI MENCIONADO NA ASSEMBLEIA NACIONAL EM 1964… E A AUTARQUIA PRETENDIA AÍ INSTALAR UMA POUSADA!

Capturargieladebat.JPG

Capturardiasessoesgiela.JPG

Capturarjosepinheirodasilva.JPG

José Pinheiro da Silva – o deputado à Assembleia Nacional que mencionou o Paço da Giela – nasceu em 1924 em Maiombe, no antigo Congo Belga. Era licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Universidade de Coimbra e foi Professor do Ensino Secundário (1961); Funcionário do Quadro Administrativo de Angola (1961-1965); Assistente dos Estudos Gerais de Angola (1965).

Foi Presidente da Junta Directiva da Causa Monárquica e Vogal da Comissão Distrital da União Nacional de Viana do Castelo (antes de 1961). Foi também Secretário Provincial de Educação de Angola (1961).

No que respeita à sua carreira parlamentar, entre outros aspetos integrou a Comissão de Educação Nacional (Secretário); Cultura Popular e Interesses Espirituais e Morais pelo Círculo de Viana do Castelo.

MONÇÃO APRESENTA APLICAÇÃO TURÍSTICA TRAVIZCO

Projetando uma dimensão global, Monção é o primeiro município a aderir à plataforma digital.

A Travizco, aplicação turística para Android e IOS da empresa Impact Zero Solutions, Lda, é uma marca registada a nível europeu, em quatro idiomas (português, francês, inglês e castelhano), com informação em texto e áudio, estando preparada para o processo de internacionalização, de forma a chegar ao maior número de países.

monçmon (3).JPG

Monção é o primeiro município a aderir aquela plataforma digital inovadora e inclusiva. A apresentação decorreu ontem, segunda-feira, no Núcleo Museológico Torre de Lapela, contando com a presença do autarca monçanense, António Barbosa, do CEO da Impact Zero Solutions, Lda, Bernardo Machado, bem como do representante do Porto e Norte de Portugal, Inácio Ribeiro, e do Alcalde de As Neves, Xose Manuel Mendez.

Para António Barbosa, a aplicação constituirá “um facilitador de visitação ao nosso território”, promovendo “tudo aquilo que temos para oferecer”, de uma forma “gratuita, inovadora e pormenorizada”, captando a “atenção, interesse e curiosidade dos visitantes”.

Nesta aplicação com potencial extraordinário, adiantou António Barbosa, “as portas do concelho estarão abertas ao visitante durante as 24 horas”, permitindo “uma vantagem turística elevada para o nosso território que, desta forma, passa a ter uma maior visibilidade e notoriedade”.

“Além do toda a informação disponível na aplicação, existe ainda a opção do QR Code, em meia centena de monumentos do nosso concelho, e a possibilidade de incorporar eventos com duração limitada como, por exemplo, a Feira do Alvarinho de Monção” acrescentou.

Plataforma inovadora e integradora

Apontando como objetivo transformar a Travizco numa marca global, António Machado destacou a “componente altamente inovadora da plataforma”, que garante “pesquisar na aplicação, usar o leitor de códigos QR e fazer visitas em modo exploratório e automático”.

António Machado realçou a vantagem da Travizco ser a única aplicação com a opção “mãos livres”, possibilitando o seu funcionamento como áudio guia, isto é, sempre que o visitante se aproximar de um ponto de interesse, a aplicação, automaticamente, começa a contar a sua história.

Aberta a todas as instituições e empresas que queiram promover-se num contexto agregador e inclusivo, o CEO da Impact Zero Solutions, Lda, tem uma estratégia bem definida para a empresa, querendo fazer desta uma referência mundial: “a médio prazo, o nosso objetivo é que quando alguém pensar em turismo, pense, instantaneamente, no nome Travizco”.

monçmon (1).JPG

monçmon (2).JPG

CALOR LEVA MINHOTOS E TURISTAS ÀS PRAIAS DO CONCELHO DE CAMINHA

Começou a época balnear e a subida das temperaturas leva muitos minhotos a procurar as magníficas praias do concelho de Caminha, nomeadamente em Moledo do Minho e Vila Praia de Âncora.

Para além de muitos residentes dos concelhos do interior do Minho, entre os banhistas encontram-se muitos turistas em visita à nossa região, emigrantes em férias e pessoas oriundas da Galiza.

285468981_5118937681494053_8371010589620902269_n.jpg

285281837_5118937774827377_8654792879712237439_n.jpg

285205410_5118937788160709_3745353256066266223_n.jpg

287293946_5118937834827371_2176609396608599545_n.jpg

287254069_5118937638160724_3980434366166959801_n.jpg

285748781_5118937664827388_8801948324005453811_n.jpg

285133815_5118937661494055_174927473522566584_n.jpg

285133815_5118937658160722_4320752860601182619_n.jpg

285756357_5118938008160687_2224416459729103998_n.jpg

INVESTIMENTO DE 883 MILHÕES DE EUROS CRIA COMPLEXO DE AGROTURISMO E 22 POSTOS DE TRABALHO EM VIANA DO CASTELO

O Presidente da Câmara Municipal, Luís Nobre, assinou um contrato investimento com uma empresa que vai edificar um complexo de agroturismo, numa empreitada de 883 mil euros e que vai criar 22 postos de turismo no concelho.

A Quinta da Arga – Fruticultura, Pecuária e Turismo, Lda. é uma empresa vocacionada para a cultura de produtos hortícolas, árvores e arbustos, silvicultura e atividades florestais e também explora a atividade de turismo em espaço rural. A empresa pretende, assim, levar a cabo a edificação de um complexo de agroturismo, num investimento que irá beneficiar do Regime de Incentivos da autarquia.

Recorde-se que o Regime de Incentivos para 2022 prevê a continuidade das reduções e isenções de taxas diversas. Pela primeira vez, o regime prevê a isenção do valor final das taxas administrativas e de urbanização e edificação em operações urbanísticas / 1ª habitação para jovens até aos 35 anos.

 O regime inclui reduções e isenções de taxas para investidores de empreendimentos turísticos e acolhimento empresarial, atividades económicas relacionadas com as fileiras da agricultura, floresta e produtos de base regional e do mar, setor tecnológico, serviços partilhados e indústrias/atividades criativas, equipamentos de utilização coletiva, abrangendo ainda a regeneração urbana e operações urbanísticas. O regime inclui ainda a atividade hoteleira, de restauração e de espaços de bebidas, possibilitando o pagamento em prestações das taxas de ocupação dos lotes do Parque Empresarial da Praia Norte.

O Regime de Incentivos aplica-se, pois, para empreendimentos turísticos com a isenção total de taxas de licenciamento em todas as operações urbanísticas, apoio e acompanhamento dos projetos de investimento, nomeadamente na agilização dos processos de licenciamento. No que toca a acolhimento empresarial (novas empresas e empresas existentes no concelho), implica a isenção total de taxas de licenciamento em todas as operações urbanísticas, bonificação do preço de cedência de terrenos, realização de obras de infraestruturas e ainda apoio e acompanhamento dos projetos de investimento.

Para as atividades económicas relacionadas com as fileiras da agricultura, floresta e produtos de base regional, os incentivos previstos passam pela isenção total de taxas de licenciamento em todas as operações urbanísticas e apoio e acompanhamento dos projetos de investimento, vigorando o mesmo regime para equipamentos de utilização coletiva.

A pensar no setor tecnológico, serviços partilhados e indústrias/atividades criativas, além das isenções nas taxas de licenciamento, serão disponibilizados os espaços equipados a custos controlados e com possibilidade de períodos de carência, entre outros apoios.

Para a regeneração urbana / operações urbanísticas em loteamentos / outras operações urbanísticas, vigora a isenção do valor final das taxas administrativas e de urbanização e edificação em operações urbanísticas de reabilitação urbana e em operações urbanísticas. Está ainda prevista a isenção de taxas na ocupação do domínio público e domínio público por motivos de obras, desde que requerida até ao período máximo de 90 dias.

Como incentivo à atividade hoteleira, de restauração e de espaços de bebidas, isenção pela ocupação do espaço público com esplanadas e isenção de taxas por fixação de publicidade ou ocupação do domínio público, não comercial, associada à atividade principal dos respetivos espaços.

O regime inclui ainda o pagamento em prestações das taxas de ocupação dos lotes do Parque Empresarial da Praia Norte.

VIANA DO CASTELO: SECRETÁRIA DE ESTADO DO TURISMO VISITOU CARAVELA VERA CRUZ E ELOGIOU CAMINHO MARÍTIMO DE SANTIAGO COMO “PRODUTO INOVADOR”

Em Viana do Castelo, a Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, visitou hoje a Caravela Vera Cruz, que está atracada na antiga doca comercial ao longo de dois dias no âmbito do cruzeiro inaugural do “Caminho Marítimo de Santiago em Portugal”. A bordo da caravela, a governante desejou continuação de boa viagem aos navegadores e considerou este um “projeto inovador” que deve ser valorizado e financiado.

secritamarques_caravela (1).jpeg

“Espero que dentro em breve possamos rentabilizar e monetizar este produto turístico. Este produto tem enorme potencial porque junta duas enormes valências nacionais: o Mar, porque Portugal é um país virado ao mar e sempre a abraçar o mar; e o Caminho de Santiago, que ganhou, nos últimos tempos, até fruto das situações pandémicas, uma importância enorme”, indicou.

Por isso, Rita Marques assumiu existir a “responsabilidade” de “acarinhar projetos desta natureza, independentemente das vicissitudes”. “Este é um projeto regional, mas também nacional e transfronteiriço, pelo que chamo a mim a responsabilidade de, com tempo, no próximo ano encontrarmos formas de financiamento para este produto turístico inovador e que junta dois ativos nacionais enormes”, frisou.

Já o Presidente da Câmara Municipal, Luís Nobre, referiu ser “um privilégio, em terra de mar e de marinheiros”, receber a Caravela Vera Cruz e o Caminho Marítimo de Santiago em Portugal”. “O Caminho de Santiago é terrestre, mas acho que o Caminho Marítimo faz sentido e tudo isto se conjuga, pelo que estamos todos de parabéns”, declarou.

António José Correia, da Fórum Oceano – Associação da Economia do Mar, explicou que há uns meses começaram a trabalhar para que “pudéssemos ancorar este projeto na rede que já temos”, garantindo que “houve uma adesão instantânea a este Caminho” que integra a Estação Náutica do Alto Minho e diversos parceiros.

O Presidente da Entidade de Turismo do Porto e Norte (ETPN), Luís Pedro Martins, indicou que a ETPN é parceira das Estações Náuticas “por todas as razões”, incluindo “sermos a entidade gestora dos Caminhos de Santiago”.

“Estamos a falar de uma região que é a que tem mais Caminhos certificados, o Caminho do Interior e o Caminho da Costa, estando a dias da certificação do Caminho Central e com mais dois em bom andamento. Agora temos esta surpresa do Caminho Marítimo, que foi surpresa por surgir em tempo recorde”, considerou o responsável da entidade. “Queremos agora, com tempo, estruturar este produto”, disse, assumindo vontade em conseguir captar financiamentos para este projeto que vem valorizar os Caminhos de Santiago.

Recorde-se que Viana do Castelo recebe, até ao início da manhã desta sexta-feira, a Caravela Vera Cruz no âmbito do cruzeiro inaugural do “Caminho Marítimo de Santiago em Portugal”, na qual foi acompanhada por cerca de 20 embarcações de recreio que fizeram esta “peregrinação marítima”. O “Caminho Marítimo de Santiago em Portugal”, composto por nove etapas em Portugal, teve início em Vila Real de Santo António, no passado dia 28 de maio, com paragens em Vilamoura, Lagos, Sines, Cascais, Peniche/Nazaré, Ria de Aveiro, Leixões e, agora, Viana do Castelo. Seguiu depois rumo à Galiza, passando por Baiona, Vila Garcia de Arousa e Padrón. A partir de Padrón, o percurso faz-se a pé até Santiago de Compostela, num total de 12 km, com a chegada a acontecer a 13 de junho.

secritamarques_caravela (2).jpeg

secritamarques_caravela (3).jpeg

secritamarques_caravela (4).jpeg

secritamarques_caravela (5).jpeg

secritamarques_caravela (6).jpeg

secritamarques_caravela (7).jpeg

SECRETÁRIA DE ESTADO DO TURISMO EM MELGAÇO PARA INAUGURAÇÃO DA REDE MUNICIPAL DE PERCURSOS PEDESTRES E CICLÁVEIS

Amanhã, 9 de junho, pelas 14h30, na Porta Lamas de Mouro

Melgaço dá mais um passo em prol do desenvolvimento do Turismo de Natureza: inaugura a rede municipal de percursos pedestres e cicláveis e celebra a certificação do concelho como Destino Turístico Sustentável.

A ação acontece amanhã, dia 9 de junho, pelas 14h30, na Porta Lamas de Mouro, e conta com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques.

percurso-pedestre-cevide-melgaco (45).jpg