Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIANA DO CASTELO: CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO "O TRAJE NO MUNDO INFANTIL" ESTÁ DISPONÍVEL NO MUSEU DO TRAJE

Está disponível para visitantes o catálogo da exposição “O Traje no Mundo Infantil”, no Museu do Traje de Viana do Castelo. Numa organização da Câmara Municipal, a mostra apresenta o uso de trajes regionais vianenses no imaginário do mundo infantil, que geralmente está associado a recreações fotográficas, brinquedos, ilustrações, ao vestuário das crianças no passado e ao uso atual destes trajes nas festas e romarias no concelho.

ABELO0138_catalogo_mundo_infantil.jpg

A mostra apresenta uma variedade de vestuário utilizado pelas crianças nas aldeias vianenses, bem como de trajes à vianesa infantis. A exposição revela curiosidades, detalhes e registos variados, demonstrando a importância que o vestuário vianense sempre teve na infância das crianças portuguesas.

Assim, nesta exposição pode ser encontrada um coleção do Museu do Traje constituída por um conjunto de bonecas, datadas entre a década de 30 e a de 40 do século XX, que pertenciam à “Casa das Miudezas”, antiga loja de artigos e trajes regionais, bonecas “vestidas à Vianesa”, entre outros, que se situava no edifício que confronta com a Praça da República e a Rua Sacadura Cabral.

No que toca a brinquedos, da década de 60 do século passado podemos ver uma boneca de trapos, executada pela artesã Maria Helena, com um Traje à Vianesa de Areosa. Também estão expostas duas bonecas de celuloide, da década de 60/70, uma com um Traje de Domingar e a outra com um Traje de Noiva, doadas por Marie Françoise de Lima. Já dos finais do século XX estão expostas oito bonecas de porcelana doadas ao Museu do Traje por Ana Paula Meira, a envergarem diversos trajes típicos.

O traje infantil é também apresentado através dos Retratos, visto que desde o século XIX que surgem vários registos onde os trajes populares das aldeias vianenses dão corpo às interpretações do mundo rural alto-minhoto. Há mais de 100 anos que as famílias mais abastadas, por altura do Carnaval, para bailes e quermesses, ou apenas para registo fotográfico, trajavam os seus filhos “à moda do Minho”.

O traje infantil é ainda encontrado no Mundo das Miniaturas, com a existência de pequenas peças para vestir bonecas com trajes regionais vianenses. As peças, executadas por Gemeniana Branco, demonstram o rigor e a mestria que esta ilustre vianense dedicava às artes populares.

Também o traje infantil foi inspiração para a criação de postais ou simples desenhos. Um dos postais expostos é da 1ª Guerra Mundial e, para além de um menino vestido como um soldado português da época, utilizou uma menina com um Traje à Vianesa de Areosa.

Na atualidade, desde há vários anos que, na Romaria em Honra de Nossa Senhora da Agonia, muitas crianças vestem alguns dos trajes regionais vianenses. Especialmente no cortejo etnográfico, podemos ver centenas de crianças, com toda a chieira, a usarem estas roupas de tempos passados.

“O CANCIONEIRO DO ALTO MINHO” NO LUXEMBURGO E O TRAJE DE VILA FRANCA DO LIMA – FOTO DE UMBERTO DA SILVA

Segundo reza a tradição, o traje verde de Geraz do Lima foi pela primeira vez confeccionado por volta de 1850, e apresentado publicamente por ocasião da visita da rainha D. Maria II àquela localidade do concelho de Viana do Castelo. Desde então, pela sua singularidade, não mais deixou de aparecer, destacando-se de entre os demais trajes tradicionais da região. Mas, apesar de já possuir 170 anos de uso, há quem questione a sua autênticidade como traje tradicional de lavradeira. Mas ele aí está, sempre representado pelos ranchos folclóricos e desfilando na Romaria da Senhora d’Agonia, em Viana do Castelo.

212534923_348013263348885_3271760876759733304_n.jp

VIANA DO CASTELO: SANTA MARTA SAIAS NEGRAS / TEM VIDRILHOS DE LUAR – FOTO DE ABEL CUNHA

208619746_5077420665605745_7346471971626887626_n.j

A minha terra é Viana

Sou do monte e sou do mar

Só dou o nome de terra

Onde o da minha chegar.

 

Ó minha terra vestida

De cor de folha de rosa

Ó brancos saios de Perre

Vermelhinhos de Areosa

 

Virei costas à Galiza

Voltei-me antes para o mar

Santa Marta saias negras

Tem vidrilhos de luar.

 

Dancei a gota em Carreço

O Verde Gaio em Afife

Dancei-o devagarinho

Como a lei manda bailar

Como a lei manda bailar

 

Dancei em fila a Tirana

E dancei em todo o Minho

E quem diz Minho diz Viana.

 

Virei costas à Galiza

Voltei-me então para o Sul

Santa Marta saias verdes

Deram-lhe o nome de azul.

 

A minha terra é Viana

São estas ruas estreitas

São os navios que partem

E são as pedras que ficam.

È este sol que me abrasa

Este amor que não engana

Estas sombras que me assustam

A minha terra é Viana.

 

Virei costas à Galiza

Pus-me a remar contra o vento

Santa Marta saias rubras

Da cor do meu pensamento.

 

Poema de Pedro Homem de Mello

COMO SE CARACTERIZA O TRAJE DE CAPOTILHA DA CIDADE DE BRAGA?

42197752_1154847268006041_8181903262836850688_n.jp

O Traje do Vale do Cávado, Romeira ou Capotilha (característico da cidade de Braga) é composto pelos seguintes elementos:

Véu branco em cambraia ou tule bordado; Camisa de linho, bordada a branco, no peito, ombros e punhos com gola de renda.

Colete preto bordado; Capotilha em vermelho vivo para as moças e azul escuro ou preto para as casadas e mais idosas; guarnecidas de veludo, cordões, cetim e vidrilhos, com grandes pontas traçadas sobre o peito (para o lado esquerdo), presa nas ancas e atada na zona lombar.

Saia preta bordada em veludo e vidrilhos; Avental tecido em cores vivas, com tirados de lã, debruados a veludo; “Lenço de pedidos” na cintura do lado direito.

Meias brancas, rendadas, de linho ou algodão; Chinelas pretas com pespontos brancos; Enfeites em ouro no peito e brincos nas orelhas.

Inácio Ferreira

Grupo Folclórico Dr. Gonçalo Sampaio – Braga