Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VIANA DO CASTELO: NEVES APRESENTA O “AUTO DA FLORIPES”

Estão já a decorrer as Festas da Senhora das Neves!

Como é habitual, um dos pontos altos da programação é a representação do Auto da Floripes. Nesse sentido, o Presidente da Câmara recebeu ontem não apenas a mordomia das festas, mas também uma breve apresentação do Auto, que andou a ser promovida pelas principais artérias da cidade.

297285284_5655566627808039_9167595861230738624_n.jpg

O Auto da Floripes é, nos dias que correm, um dos poucos resistentes do velho teatro popular e, por isso mesmo, impõe-se a nível nacional e internacional no panorama do património cultural imaterial. Como manda a tradição, esta representação de teatro popular é sempre levada a palco no dia 5 de agosto, no Largo das Neves.

Opondo cristãos e turcos, o Auto da Floripes é um drama de cariz guerreiro que se insere no “Ciclo Carolíngio”, por se inspirar na segunda parte do livro “História de Carlos Magno e dos Doze Pares de França”. Nesta peça encontramos vários elementos reunidos, que vão desde ação, expressão dramática, texto, canto, até à dança e a mímica.

Apesar do carácter evangelizador na sua génese, o Auto da Floripes é uma história de ficção que tem também um papel lúdico e que intercala os vários momentos solenes com comédia e sátira.

Fotos: João Tiago Lomba

296155309_5655566294474739_812632034134518390_n.jpg

296076134_5655566544474714_1311857774389276240_n.jpg

296542828_5655566541141381_395732056799357366_n.jpg

278686906_1298954290585254_7174548624601727461_n.jpg

BARCELOS: TEATRO COMUNITÁRIO REGRESSOU À IGREJA DE BALUGÃES

O adro da Igreja Românica de São Martinho de Balugães, em Barcelos, encheu para o espetáculo de teatro comunitário TERREIRO.

TERREIRO 2022_2.jpg

Depois da residência artística levada a cabo durante o mês de julho, no passado sábado a aldeia de Balugães e a companhia de teatro local, o Teatro de Balugas, levaram à cena um trabalho que procura refletir sobre as aldeias envelhecidas, despovoadas e a evolução da paisagem rural, marcadas pelas monoculturas e pela escassez da água, como retrato da realidade que afeta o próprio território do espetáculo. Nas palavras do diretor artístico da companhia de teatro, Cândido Sobreiro, “o TERREIRO é também essa consciência necessária ao meio que o rodeia, e o teatro comunitário tem esse poder de alertar as pessoas”.

O projeto “TERREIRO - teatro comunitário” é desenvolvido no âmbito do Programa Cultura para Todos numa Cidade Educadora Inclusiva, promovido pelo Município de Barcelos e cofinanciado pelo Fundo Social Europeu através do Programa Norte 2020.

TERREIRO 2022_3.jpg

TERREIRO 2022_1.jpg

BARCELOS: CASA CHEIA PARA VER COMÉDIA COM FERNANDO MENDES

Theatro Gil Vicente celebrou 120 anos

Ontem foi dia de aniversário para o Theatro Gil Vicente. Ao celebrar 120 anos de existência, o Theatro Gil Vicente acolheu a peça “Insónia”, do apresentador e comediante Fernando Mendes. Esta encenação, que já no sábado teve casa cheia, voltou a lotar a secular casa de espetáculos barcelense, numa tarde que animou de gargalhadas toda a plateia.

tgvbarcel (1).jpg

O ano de 2022 tem sido de enorme atividade e sucesso, com a programação do TGV a ficar classificada entre as melhores a nível nacional, merecendo, por isso, o financiamento da dgARTES de apoio à programação, até 2025, no valor 600.000€. Foi também aprovada uma outra candidatura, apresentada pelo Município no âmbito do PRR para modernização de infraestruturas tecnológicas de vídeo e imagem, no valor de 150 mil euros.

Por outro lado, os números que o Theatro vai registando até ao momento indicam claramente que 2022 será um ano de records, ultrapassando todos os números desde a reabertura do teatro em 2013. Com efeito, dados relativos a 31 de julho dão conta da realização de 134 espetáculos, no Theatro Gil Vicente, a que correspondem 16.398 espetadores, ou seja, 63,7 % de taxa de ocupação global, numa receita de bilhética 33.326,75€; sublinhando, no entanto, que muitos desses espetáculos tiveram entrada grátis. A estes números acrescem 3 sessões de cinema e 10 espetáculos realizados fora de portas, onde estiveram presentes 1698 espetadores.

SINOPSE:

Em ‘Insónia’, Fernando Mendes estará a solo e encarnará na pessoa de Custódio Reis, um vendedor de vinhos e licorosos, que vive com a corda no pescoço. Tanto financeiramente, como familiarmente. É o comum português de classe média, que vive afogado em dívidas e créditos.

Custódio encontra-se à beira do divórcio. A mulher, Sónia, esgotou de vez a sua paciência para com um marido que é cada vez mais um falhado e um tipo sem rumo ou grandes objetivos de vida para além de comer, beber e dormir. É um marido ausente e um pai ainda mais. Não tanto por falta de amor, mas mais de energia… Custódio sente-se cansado, pesado e sem paciência. A única ginástica que faz é financeira e a pouca pachorra que ainda vai tendo é para o trabalho. Aos dezassete anos começou a trabalhar como padeiro. Hoje em dia, vende vinho, mas, na verdade, é quase tanto aquele que bebe como aquele que vende. Até gosta do que faz e acha-se entendido em vinhos, não o sendo verdadeiramente.

É, em boa verdade, um tipo sem grande profundidade intelectual e sem grandes teses filosóficas. Por sua vez, é desenrascado e tem lábia de vendedor. O típico português de café que fala de tudo sem dizer quase nada.

Certa noite, Custódio, que sempre teve preguiça de pensar muito na sua vida, pára para pensar e ao contrário de passar a noite a ressonar, como é seu hábito, não consegue dormir. Tem uma terrível insónia. Uma insónia onde vai questionar tudo na sua vida e tentar encontrar soluções. Só que, por mais que grande parte dos seus problemas tenham soluções óbvias, para um homem que foi toda a vida assim, a mudança não parece fácil.

Assistimos, então, a uma hilariante crise interior pela qual, em tempo real, Custódio vai passar, na tentativa de alcançar a paz de alma necessária para que volte a conseguir dormir.

Pelo meio desta ‘Insónia’ vamos assistindo a alguns programas de televisão que Custódio vai vendo para “ver se chama o sono”, onde Fernando Mendes protagoniza momentos muito improváveis com alguns dos seus amigos e colegas de toda a vida.

‘Insónia’, um espetáculo para brincar com coisas sérias.

Insónia – o que é?

Insónia é um distúrbio do sono caracterizado por dificuldades em adormecer ou manter-se adormecido durante o tempo desejado. No dia seguinte, a pessoa geralmente apresenta sonolência, falta de energia, irritabilidade e depressão. As insónias podem ser de curta duração, durando dias ou semanas, ou de longa duração, com duração superior a um mês. As insónias podem ocorrer de forma independente ou ser uma consequência de outro problema. Entre as condições que podem ser causa de insónias estão o stresse psicológico, dor crónica, insuficiência cardíaca, hipertiroidismo, azia, síndrome das pernas inquietas, menopausa, alguns medicamentos e substâncias viciantes como a cafeína, nicotina e álcool.

O tratamento inicial das insónias consiste geralmente em higiene do sono e alterações no estilo de vida. Entre as práticas de higiene do sono estão deitar-se sempre à mesma hora, manter o quarto sossegado e escuro, praticar exercício físico com regularidade e apanhar luz do sol com regularidade. Embora os medicamentos para dormir possam ajudar, este tipo de medicamentos está associado a dependência psicológica, lesões e demência. O tratamento com medicamentos não está recomendado para durações superiores a quatro ou cinco semanas. Em qualquer momento no tempo, entre 10 a 30% dos adultos são afetados por insónias. Cerca de metade das pessoas apresenta pelo menos um episódio de insónias por ano. Cerca de 6% da população apresenta insónias que não são causadas por outros problemas e com duração superior a um mês. A insónia é mais comum entre as pessoas com mais de 65 anos de idade e mais comum entre mulheres do que entre homens.

tgvbarcel (2).jpg

BARCELOS: HÁ TEATRO COMUNITÁRIO NO CAMINHO DE SANTIAGO!

Está de volta o teatro ao terreiro da Igreja Românica de São Martinho de Balugães, em Barcelos. Depois da residência artística levada a cabo durante o mês de julho, este sábado, pelas 22h00, e com entrada livre, a aldeia de Balugães e a companhia de teatro local, o Teatro de Balugas, levam ao adro da igreja um espetáculo bienal de teatro comunitário e de forte identidade local, intitulado TERREIRO, assente numa cultura de valorização do espaço e na materialização artística da memória coletiva desta aldeia e do noroeste peninsular.

Terreiro_espetáculo1_peq.jpg

Nesta aldeia do Minho, marcada pelo caminho português de Santiago, e nas palavras do diretor artístico da companhia de teatro, Cândido Sobreiro, “o TERREIRO junta a terra e o palco como dois planos que são indissociáveis da sobrevivência espiritual do homem, mas também da natureza de um teatro popular e comunitário que sempre foi feito do povo, para o povo, e a partir de uma ideia de pertença comum”.

O projeto “TERREIRO - teatro comunitário” é desenvolvido no âmbito do Programa Cultura para Todos numa Cidade Educadora Inclusiva, promovido pelo Município de Barcelos e cofinanciado pelo Fundo Social Europeu através do Programa Norte 2020.

TERREIRO_teatro comunitário [cartaz geral].jpg

Terreiro_ensaio2_peq.jpg

Terreiro_ensaio3_peq.jpg

PAREDES DE COURA: PROGRAMA DE “O MUNDO AO CONTRÁRIO”

Capturarprogmundocontr1.JPG

Programa

Dia 29 - Sexta-feira

14h00 – Ruas da Vila – Gooze (BANDA) Portugal

15h00 – Largo Visconde de Moselos(1) – Nuvem Voadora Portugal

16h00 – Chafariz Hintze Ribeiro (3) – El Kote Chile/França

17h00 – Largo 5 de Outubro (5) – Murmuyo* Chile/Espanha

18h00 – Largo Hintze Ribeiro (2) – Silvia Barbosa Portugal

19h00 - Largo Visconde de Moselos(1) – Nuvem Voadora Portugal

19h30 – Ruas da Vila – Gooze (BANDA) Portugal

NOITE

21h30 - Largo Hintze Ribeiro (2)

– Da Minha Janela

- Residência teatro Portugal

- El Kote Chile/França

– Boa Companhia Portugal

Dia 30 - Sábado

10h00 – Ruas da Vila – Gooze (BANDA) Portugal

11h00 – Largo Visconde de Mozelos (1) – Kokolores* Alemanha/Espanha

12h00 – Largo Hintze Ribeiro (2) – Murmuyo** Chile/Espanha

13h00 – Ruas da Vila – Gooze (BANDA) Portugal

14h30 – Largo D. Maria Luísa Abreu Antas (4) – El Kote Chile/França

15h30 - Largo D. Maria Luísa Abreu Antas (4) – Boa Companhia Portugal

16h30 – Chafariz Hintze Ribeiro (3) – Silvia Barbosa Portugal

17h30 – Largo Visconde de Mozelos (1) – Kokolores** Alemanha/Espanha

18h30 –– Largo 5 de Outubro (5) – Mundo Costrini* Chile

19h30 – Ruas da Vila – (BANDA) – Crassh (BANDA) Portugal

21h30 – Largo Hintze Ribeiro (2) – Murmuyo** Chile/Espanha - Rob Spence Austrália – Mundo Costrini** Chile

Dia 31- Domingo

10h00 – Ruas da Vila – (BANDA) Crassh Portugal

10h30 – Largo Visconde de Mozelos (1) – Mr. Copini Chile

11h30 – Largo 5 Outubro (5) – Murmuyo* Chile/Espanha

12h30 – Ruas da Vila – Crassh (BANDA) Portugal

14h00 – Largo Visconde de Mozelos (1) - Mundo Costrini* Chile

15h00 – Chafariz Hintze Ribeiro (3)- Rob Spence Austrália

16h00 – Largo Hintze Ribeiro (2) – Kokolores** Alemanha/Espanha

17h00 – Largo 5 Outubro (5) – Mr. Copini Chile

18h00 – Centro Cultural – Rui Paixão Portugal

19h00 – Largo Hintze Ribeiro (2)

– LA COMPAÑÍA BERGAMOTTO Espanha

– Spasmo Teatro Espanha *Espetáculo 1 **Espetáculo 2

Palco 1

– Largo Visconde de Moselos

Palco 2 – Largo Hintze Ribeiro

Palco 3 – Chafariz Hintze Ribeiro

Palco 4 – Largo D. Maria Luísa Abreu Antas

Palco 5 – Largo 5 de outubro Palco 6 - Centro Cultura

Residência Artística

TEATRO

De 25 a 29 de julho

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA

Teatro Gonçalo Fonseca

Oficinas

OFICINAS Largo Visconde de Mozelos Sexta-feira - 14h00 -19h00 Sábado e Domingo -10h00 - 12h30 e 14h00 - 19h00

Oficina de artes plásticas

Livro de Bolso Rita Nicolau – Ó da Terra

Experiências Musicais Crassh Style

Os Jogos do Hélder

PINTURAS FACIAIS Cavaleiros do mar

Oficinas 4Makers

Organização Espaço Maker

LEGO – CAIXA DE BRINQUEDOS

Largo Hintze Ribeiro

CapturarCOMBPC.JPG

Devagar Devagarinho: Durante os dias 29, 30 e 31 de julho poderás conhecer a vila de Paredes de Coura e passear pelas suas ruas num divertido comboio turístico.

892690_10203126792068673_1871133010_o.jpg

A instalação de Madalena Martins será feita ao longo da rua principal de Paredes de Coura. Madalena Martins, natural de Ponte de Lima, licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, escolheu o Porto para viver onde, desde 1999, trabalha no seu atelier de design "Zain". Em 2010, criou as marcas "Marias Portugal" e "Bicho Sete Cabeças", para as quais desenha peças contadoras de histórias, com uma forte identidade portuguesa. A produção manual das suas peças tem uma componente social, sendo na sua maioria desenvolvida por reclusos e utentes de associações de apoio social. Atualmente dedica-se quase por inteiro a estes dois projectos que começam a dar os primeiros passos para a internacionalização

PAREDES DE COURA: PROGRAMA DE “O MUNDO AO CONTRÁRIO”

Capturarprogmundocontr1.JPG

Programa

Dia 29 - Sexta-feira

14h00 – Ruas da Vila – Gooze (BANDA) Portugal

15h00 – Largo Visconde de Moselos(1) – Nuvem Voadora Portugal

16h00 – Chafariz Hintze Ribeiro (3) – El Kote Chile/França

17h00 – Largo 5 de Outubro (5) – Murmuyo* Chile/Espanha

18h00 – Largo Hintze Ribeiro (2) – Silvia Barbosa Portugal

19h00 - Largo Visconde de Moselos(1) – Nuvem Voadora Portugal

19h30 – Ruas da Vila – Gooze (BANDA) Portugal

NOITE

21h30 - Largo Hintze Ribeiro (2)

– Da Minha Janela

- Residência teatro Portugal

- El Kote Chile/França

– Boa Companhia Portugal

Dia 30 - Sábado

10h00 – Ruas da Vila – Gooze (BANDA) Portugal

11h00 – Largo Visconde de Mozelos (1) – Kokolores* Alemanha/Espanha

12h00 – Largo Hintze Ribeiro (2) – Murmuyo** Chile/Espanha

13h00 – Ruas da Vila – Gooze (BANDA) Portugal

14h30 – Largo D. Maria Luísa Abreu Antas (4) – El Kote Chile/França

15h30 - Largo D. Maria Luísa Abreu Antas (4) – Boa Companhia Portugal

16h30 – Chafariz Hintze Ribeiro (3) – Silvia Barbosa Portugal

17h30 – Largo Visconde de Mozelos (1) – Kokolores** Alemanha/Espanha

18h30 –– Largo 5 de Outubro (5) – Mundo Costrini* Chile

19h30 – Ruas da Vila – (BANDA) – Crassh (BANDA) Portugal

21h30 – Largo Hintze Ribeiro (2) – Murmuyo** Chile/Espanha - Rob Spence Austrália – Mundo Costrini** Chile

Dia 31- Domingo

10h00 – Ruas da Vila – (BANDA) Crassh Portugal

10h30 – Largo Visconde de Mozelos (1) – Mr. Copini Chile

11h30 – Largo 5 Outubro (5) – Murmuyo* Chile/Espanha

12h30 – Ruas da Vila – Crassh (BANDA) Portugal

14h00 – Largo Visconde de Mozelos (1) - Mundo Costrini* Chile

15h00 – Chafariz Hintze Ribeiro (3)- Rob Spence Austrália

16h00 – Largo Hintze Ribeiro (2) – Kokolores** Alemanha/Espanha

17h00 – Largo 5 Outubro (5) – Mr. Copini Chile

18h00 – Centro Cultural – Rui Paixão Portugal

19h00 – Largo Hintze Ribeiro (2)

– LA COMPAÑÍA BERGAMOTTO Espanha

– Spasmo Teatro Espanha *Espetáculo 1 **Espetáculo 2

Palco 1

– Largo Visconde de Moselos

Palco 2 – Largo Hintze Ribeiro

Palco 3 – Chafariz Hintze Ribeiro

Palco 4 – Largo D. Maria Luísa Abreu Antas

Palco 5 – Largo 5 de outubro Palco 6 - Centro Cultura

Residência Artística

TEATRO

De 25 a 29 de julho

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA

Teatro Gonçalo Fonseca

Oficinas

OFICINAS Largo Visconde de Mozelos Sexta-feira - 14h00 -19h00 Sábado e Domingo -10h00 - 12h30 e 14h00 - 19h00

Oficina de artes plásticas

Livro de Bolso Rita Nicolau – Ó da Terra

Experiências Musicais Crassh Style

Os Jogos do Hélder

PINTURAS FACIAIS Cavaleiros do mar

Oficinas 4Makers

Organização Espaço Maker

LEGO – CAIXA DE BRINQUEDOS

Largo Hintze Ribeiro

CapturarCOMBPC.JPG

Devagar Devagarinho: Durante os dias 29, 30 e 31 de julho poderás conhecer a vila de Paredes de Coura e passear pelas suas ruas num divertido comboio turístico.

892690_10203126792068673_1871133010_o.jpg

A instalação de Madalena Martins será feita ao longo da rua principal de Paredes de Coura. Madalena Martins, natural de Ponte de Lima, licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, escolheu o Porto para viver onde, desde 1999, trabalha no seu atelier de design "Zain". Em 2010, criou as marcas "Marias Portugal" e "Bicho Sete Cabeças", para as quais desenha peças contadoras de histórias, com uma forte identidade portuguesa. A produção manual das suas peças tem uma componente social, sendo na sua maioria desenvolvida por reclusos e utentes de associações de apoio social. Atualmente dedica-se quase por inteiro a estes dois projectos que começam a dar os primeiros passos para a internacionalização

“O MUNDO AO CONTRÁRIO” TRAZ MAIS DE 30 ESPETÁCULOS A PAREDES DE COURA

animação de rua + teatro-clown + novo circo + bandas. fim de semana de 29 a 31 julho

Mais de 30 espetáculos por doze artistas oriundos dos mais diferentes países, como Austrália, Chile, Alemanha, França, Espanha, mas também de Portugal, bem como a presenças de bandas fazem de ‘O Mundo ao Contrário’, em Paredes de Coura, uma iniciativa ímpar ao nível da animação de rua, teatro-clown e novo circo, tendo por ponto alto o fim de semana de 29, 30 e 31 de julho pelas ruas, praças e esplanadas desta bonita vila do Alto Minho.

MUNDOCONTRARIOPC (1).jpg

Murmuyo (Chile/Espanha), Rob Spence (Austrália), El Kote (Chile/França), Kokolores (Alemanha/Espanha), La Compañia Bergamotto (Espanha), Mundo Costrini (Chile), Mr. Copini (Chile), Spasmo Teatro (Espanha) e os portugueses Rui Paixão/Holy Clowns, Sílvia Barbosa, Boa Companhia e Nuvem Voadora, bem como as bandas Gooze e Crassh Recycled prometem, dois anos depois de uma paragem forçada devido à pandemia, voltar a proporcionar muita magia, sonhos e fantasia a todos quantos vão passar por Paredes de Coura neste fim de semana para mais uma edição de ‘O Mundo ao Contrário’.

Um leque de excelência de artistas do fantástico e promotores de sonhos trazem ao público de todas as idades a oportunidade de sorrir e até integrar os espetáculos, transformando o óbvio em incompreensível, o real em fantasia, pelo que virar tudo ao contrário é nestes dias possível.

Organizado pelo Município de Paredes de Coura, ‘O Mundo ao Contrário’ reúne artistas nacionais e estrangeiros que transportam os participantes para um mundo ao contrário onde o riso, o deslumbre, a fantasia, a criatividade, o risco e o absurdo assumem um lugar especial na imaginação de pequenos e graúdos.

A vila de Paredes de Coura ganha uma animação sem igual e convida a participar e a assistir a espetáculos de teatro, música, novo circo, animações de rua, residências artísticas, instalações e oficinas, numa iniciativa dirigida a toda a família e com entrada livre.

Têm de ter a capacidade de sonhar e imaginar. Entrem neste mundo de fantasia. Passem por Paredes de Coura, que por estes dias, já a partir desta segunda-feira, também sugere oficinas de artes plásticas, construções LEGO®, robótica, pinturas faciais e leitura que proporcionam a grandes e pequenos liberdade à imaginação e criatividade, entre muitas outras propostas para rir e divertir, num evento muito especial, onde se vira “de pernas para o ar” a rotina e a rigidez, permitindo que reine o inesperado e a fantasia.

MUNDOCONTRARIOPC (2).jpg

MUNDOCONTRARIOPC (3).jpg

MUNDOCONTRARIOPC (4).jpg

MUNDOCONTRARIOPC (5).jpg

MUNDOCONTRARIOPC (6).jpg

MUNDOCONTRARIOPC (7).jpg

MUNDOCONTRARIOPC (8).jpg

MUNDOCONTRARIOPC (9).jpg

FAMALICÃO APRESENTA HIPÓLITO DE EURÍPIDES NA CASA DAS ARTES

Teatro antes de férias

Antes de fechar portas para o período de férias, a Casa das Artes de Famalicão encerra a temporada com a estreia de “Hipólito de Eurípides”, numa encenação de Miguel Eloy e coprodução da Casa das Artes e da ACE Famalicão. O espetáculo tem lugar sexta-feira e sábado, dias 22 e 23 de julho, às 21h30.

CA_Flyer_Hipólito.jpg

Esta estreia constitui o final da temporada do teatro municipal e também o fim do ciclo de formação de um conjunto de novos atores e atrizes formados pela ACE Escola de Artes de Famalicão. O elenco é assim constituído por Ana Lopes, Ana Margarida Silva, Beatrice Gonçalves, César Reguengo, Diana Catarina, Fátima Andreina Velazco, Inês Madureira, Joana Leite, Leonor Pereira, Luís Pacheco, Melro, Mi Gonçalves, Nathan Sabadine, Nicole Ferreira, Paulo Sousa, Rafaela Sousa e Simão Barboss.

Sendo casto e o mais puro dos homens, Hipólito abomina os prazeres da carne, recusando liminarmente venerar e prestar as devidas homenagens à deusa Cípris (Afrodite), incorrendo no tremendo pecado de hybris, sendo por isso punido com a sua morte trágica, lê-se na sinopse do espetáculo.

Esta sua hybris - confiança excessiva, orgulho exagerado, arrogância e/ou insolência - não faz com que Hipólito seja, de forma alguma, totalmente inocente. A sua excessiva – porque exclusiva e exacerbada – veneração a Ártemis, a Deusa virgem das florestas e da caça, que cedo o lançou para uma virgindade ofensiva e anti-natura, é tão responsável pela sua morte quanto a paixão que por ele sente a sua madrasta, Fedra.

Incendiada pelos desígnios da ofendida e vingativa Cípris, Fedra definha de paixão pelo seu enteado Hipólito. Ferida pelo amor, começa por calar e esconder a sua “doença” perante a insistência da sua Ama em descobrir o seu mal, tentando resistir e vencer os delírios da paixão com esforços de reflexão sensata.

Contudo, Cípris “não é uma deusa: é um ser mais poderoso do que um deus.

O espetáculo tem a duração prevista de 1h45 e os bilhetes estão disponíveis nos locais habituais.

FAMALICÃO: ALUNOS VENCEDORES DO FESTIVAL DE TEATRO AMADOR DEDICADO A MOLIÉRE VISITARAM BORDÉUS

Os alunos vencedores do Festival de Teatro Amador dedicado aos 400 anos do nascimento de Molière deslocaram-se a Bordéus, na França, de 10 a 14 de julho, no âmbito do prémio que conquistaram com a peça «Le Bourgeois Gentilhomme», em maio passado, no âmbito da iniciativa cultural que decorreu no Teatro Narciso Ferreira, em Riba de Ave, e que foi oferecido pelo E.Leclerc de Vila Nova de Famalicão.

aepbs_bordeus.jpg

Em Bordéus, a turma A do 9.º ano do Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado foi recebida pelo Cônsul-Geral de Portugal, Mário Gomes, e usufruiu de um momento didático protagonizado por Manuel Dias, membro do Comité Nacional Francês Aristides Sousa Mendes, este último integrado no programa educativo e cultural «De Famalicão para o Mundo».

Nesta viagem, os cerca de 23 alunos de 13 e 14 anos contactaram de perto com o legado deixado pelo cônsul Aristides Sousa Mendes e visitaram aos principais monumentos e praças do centro da cidade de Bordéus seguindo o percurso UNESCO, a catedral de Santo André, a famosa praça da Bolsa com o seu espelho de água, bem como o Museu d'Aquitaine e o Grand Théâtre/Opéra de Bordeaux.

Recorde-se o festival de teatro amador ganho por esta turma resultou das Comemorações dos 400 Anos do Nascimento de Molière, iniciativa que Vila Nova de Famalicão acolheu e que contou com o apoio da Embaixada de França/Instituto Francês de Portugal, da Alliance Française Guimarães-Braga, da rede de distribuição E.Leclerc e do Festival Culturissimo.

FAFE: TEATRO CINEMA RECEBE ESPETÁCULO DE DANÇA CONTEMPORÂNEA “INQUIETUDE” E “HOW DO WE BEGIN”

As duas peças que integram o ciclo “Mulheres no Mundo” serão apresentadas no sábado, 23 de julho, às 21h30, no Teatro Cinema. A entrada é livre

A Escola de Bailado de Fafe apresenta, em parceria com a Zero Amarelo Projetos Culturais, um espetáculo de dança contemporânea no próximo dia 23 de julho, sábado, às 21h30, no Teatro Cinema de Fafe. A apresentação, de entrada livre, é composta por duas peças - "Inquietude" e "How do we begin" - que integram o ciclo "Mulheres do Mundo". Pensar a mulher e o seu lugar no mundo tem sido o mote para viajar pelo universo feminino, pela história, pela vida de mulheres reais ou imaginárias. Este espetáculo apresenta, por sua vez, um olhar masculino sobre esta temática.

Cartazffaf.JPG

 

“How do we begin” pensa o ser humano, na sua plenitude, com as suas diferenças, crenças, desejos, sonhos e vivências. Com a criação e direção de Tiago Amaral, bailarino da Companhia Nacional de Bailado (CNB), conta com interpretação e co-criação de Frederico Gameiro, Inês Ferrer, João Costa e Patrícia Main, igualmente bailarinos da CNB. A outra peça retrata a “Inquietude” de um ser frágil no primeiro olhar, mas eterno e forte na sua essência, tendo como autora e intérprete Alexandra Fonseca, com dramaturgia de Moncho Rodriguez.

Exposição de pintura que celebra o corpo em estreia a Norte

No âmbito da temática do espetáculo de dança, será a apresentada, em estreia na zona norte do país, de 22 a 31 de julho, uma mostra de pintura da autoria de João Costa, também ele bailarino da CNB. Patente no Salão Nobre do Teatro Cinema, “Mutações” parte da ideia de um corpo, antigo, que se degrada, que se torna memória. Eterniza-se a efemeridade, celebram-se as inabaláveis fragilidades da obrigatória identidade do ser. Do desenho em papel, nascem corpos em parte cheios, em parte vazios, criados à escala real. A entrada é livre.

BARCELOS: FESTIVAL VAUDEVILLE RENDEZ-VOUS EM CONTAGEM DECRESCENTE

De 18 a 23 de julho, em Barcelos, Braga, Guimarães e Famalicão

De 18 a 23 deste mês, Barcelos volta a receber o Festival Vaudeville Rendez-Vous, o mais influente Festival de Circo Contemporâneo do país. Na sua 8ª edição, o certame deste ano traz até Barcelos oito espetáculos de circo contemporâneo e cinco oficinas de criação circense. Uma excelente oportunidade para os barcelenses usufruírem de um conjunto inolvidável de atuações pelas mais importantes e famosas companhias internacionais.

Festival Vaudeville Rendez-Vous.jpg

Os espetáculos, todos com acesso livre, vão decorrer na Praceta Francisco Sá Carneiro, Largo da Porta Nova, e Theatro Gil Vicente.

Festival Vaudeville Rendez-Vous um projeto do Quadrilátero Urbano

Falta menos de uma semana para começar a 8ª edição do Festival Vaudeville Rendez-Vous. De 20 a 23 de julho, os barcelenses poderão sair à rua e assistir a espetáculos de circo contemporâneo inéditos, com entrada livre.

O evento organizado pelo Teatro da Didascália conta com 11 espetáculos – cinco estreias nacionais, duas coproduções e sete espetáculos internacionais – que prometem encher as ruas, atalhos e vielas das cidades que compõem o Quadrilátero Cultural, nomeadamente Barcelos, Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão, de artes do circo. Além destas criações, o Festival conta, ainda, com oficinas de criação, dirigidas ao público mais jovem, bem como uma masterclass – para estudantes, profissionais ou entusiastas das artes performativas – e com uma sessão de pitching.

O Festival arranca com a oficina de criação, no Parque da Cidade de Barcelos, das 14:30 às 18:30, que será orientada por Naiana Padial (artista palhaça formada em Artes do Circo). As inscrições poderão ser feitas online e serão dirigidas a jovens até aos 18 anos. Inscrição gratuita através de formulário próprio em: www.teatrodadidascalia.com.

Os espetáculos de rua têm início no dia 20 de julho, às 19h, com os Collectif Protocole que apresentam “Kilometer 97.1”. Esta performance parte da Praceta Francisco Sá Carneiro, em Barcelos,  e percorrerá todas as cidades do Quadrilátero ao longo dos quatro dias do Festival, terminando em Famalicão. Produzido pela companhia francesa Collectif Protocole, esta criação vai deixar o público “saborear” os diferentes espaços e a “poesia invisível e escondida dos lugares”, através da improvisação de malabarismos.

No dia 21 de julho, às 19h00, é a vez dos Office Eléctrico 28 reservarem o Largo da Porta Nova para a sua atuação “The Frame”, estreia nacional, um espetáculo que se propõe cruzar o ordinário, o trivial e o geral para descobrir o extraordinário, o especial e o único.

No mesmo dia, às 22h00, tem lugar o espetáculo ”Mellow Yellow”, às 22h00, na Praceta Francisco Sá Carneiro, que nasceu de três personalidades singulares que partilham uma visão comum do palco. Juntos criam um universo que lhes permite expandir o seu vocabulário e ir além dos limites das suas especialidades: malabarismo, dança, música e representação.

Segue-se “Silêncio do Corpo”, no dia 22 de julho, às 19h00, no Parque da Cidade. Esta performance faz-se à volta do silêncio. O corpo diz que já não aguenta, mas a mente não quer saber, levando o corpo para além do seu limite. Ainda no dia 22, às 22h00, também na Praceta Francisco Sá Carneiro, há lugar para o espetáculo “Ensemble”, uma apresentação delicada, instável e necessária, como deve ser o jogo entre duas pessoas que se encontram num ponto de equilíbrio.

No último dia, 23 de julho, Alan Sencades ocupa o Campo 5 de Outubro, às 11h00, com “Do Ferro à Ferrugem”, um espetáculo que evoca melodias e imagens sobre a maturação, envelhecimento e renascimento dos corpos, sobre suas mudanças e memórias, sobre as distorções e adaptações que os dias impõem aos esqueletos vivos e inanimados.

Rui Paixão traz ao Theatro Gil Vicente, “Kinsky – Roi de Rats”, às 19h00, um espetáculo que conta a história de Kinski, um ator problemático e sem emprego que se vê na circunstância de ter de vender dentes de vampiro para sobreviver.

A encerrar o Festival, Los Galindos apresentam “MDR - mort de riure”, às 22h00, no Largo Dr. José Novais. Esta performance gira em torno de três palhaços - Melon, Rossinyol e Mardi - que enfrentam uma reviravolta inesperada.

Todos os espetáculos são de entrada livre.

Este projeto é cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte, Norte 2020, através do Portugal 2020 e do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Mais informações disponíveis em www.teatrodadidascalia.com

Programa completo Vaudeville Rendez-Vous.JPG

OFICINA DE FANTOCHES EM BARCELOS: CONSTRUÇÃO DE BONECOS ANIMA IDOSOS EM LARES

Cultura para Todos numa Cidade Inclusiva

Mais de cinco dezenas de idosos dos lares e centros de dia do concelho de Barcelos viram o seu quotidiano animado através da participação na construção de bonecos e na conceção e encenação de uma peça de teatro. Estas atividades, cuja primeira fase terminou em maio, decorreram no âmbito do programa Cultura para Todos numa Cidade Educadora Inclusiva, integradas no projeto “Oficina dos Fantoches”, ação destinada à promoção da dinamização cultural junto da população sénior do concelho, nomeadamente das pessoas que se encontram institucionalizadas em lares ou frequentam centros de dia.

barcelgarr (1).jpg

Estas ações fazem parte do programa Cultura para Todos numa Cidade Educadora Inclusiva, promovido pelo Município de Barcelos e cofinanciado pelo Fundo Social Europeu, através do programa Norte 2020.

Focado nos territórios mais periféricos do concelho, o projeto “Oficina de Fantoches”, dinamizado por Luís Cardoso, tem como objetivos proporcionar aos participantes a possibilidade de criar e construir fantoches, tendo por base a recriação de uma história, conto ou rábula.

O projeto consiste numa abordagem sobre todas as etapas da conceção/construção dos fantoches, bem como na organização e encenação de uma peça de teatro.

O material de eleição na construção dos bonecos é a esponja (espuma de poliuretano), sendo os restantes acessórios e acabamentos executados em tecidos, cartão, papel, tintas, colas, madeiras, papel machê, entre outros (de acordo com cada boneco), procurando-se sempre a reutilização e reciclagem de materiais.

Nesta primeira fase do projeto, foram implementados 5 workshops com a duração de 18h00 cada, envolvendo as seguintes instituições: Lar da Cruz Vermelha de Macieira de Rates; Centro de Dia dos Bombeiros Voluntários de Viatodos; Lar do Centro Social de Barqueiros; Centro de Dia do Centro Social de Durrães; Centro de Dia da Cruz Vermelha de Macieira de Rates.

As ações contaram com um total global 90 horas, tendo participado, em média, 10 utentes por instituição, o que perfez um total de 50 participantes ativos. Este número sobe para aproximadamente 150 pessoas, quando nele é integrada a totalidade dos seniores das instituições, utentes que, por patologias diversas, não puderam participar ativamente nas ações, mas que estavam presentes e usufruíram das atividade culturais que lhes proporcionaram momentos de convívio e partilha de histórias e saberes.

Estas oficinas revelaram ir muito para além do seu sentido cultural e de desenvolvimento de expressão artística, uma vez que contribuíram para complementar e diversificar a dinâmica cultural existente nas instituições que as acolheram e, implicitamente, contribuíram para um maior bem-estar deste público-alvo.

barcelgarr (2).jpg

PONTE DE LIMA: LIMIANOS DERROTAM OS TURCOS

Publicou em 1908, o Almanaque Ilustrado de “O Comércio do Lima”, um artigo que descreve em traços gerais a tradição limiana do Auto da Turquia que tem lugar na Freguesia de S. João da Ribeira, o que a seguir transcrevemos:

“No terceiro domingo de agosto, no logar de Castro, freguezia de S. João da Ribeira, a pouco mais de um kuilómetro da vila, tem logar a festividade e romaria do Senhor da Cruz da Pedra.

(…) Ao fim da tarde é costume fazer-se a exibição dum combate simulado entre turcos e cristãos, cheio de peripecias entre o engraçado e ridiculo que fazem rir os romeiros a bandeiras despregadas.

Criticou essa exibição, tradicional nesta romaria, o malogrado Alfredo Mancio que a morte surpreendeu no vigor dos annos, de subito, brutamente, na tarde do Natal de 1905, cortando uma existência que éra de muito valor pela imparcialidade no seu falar, graça e verdade no seu escrever e consciência crítica no seu craião de caricaturista.”

Capturarturcos.JPG

O artigo vem acompanhado de uma caricatura da autoria de Alfredo Mancio – discípulo do caricaturista limiano Sebastião Sanhudo. Alfredo Mâncio

Alfredo Augusto Mâncio de seu nome completo, foi poeta, jornalista e caricaturista. Publicou vários jornais humorísticos como O Phantasma, Piparotes, O Monóculo e O Bohémio, tendo sido também o responsável pela edição de O Commercio, uma publicação sem a vertente humorista dos anteriores. Nasceu em Valença em Agosto de 1868 e faleceu em Dezembro de 1905, onde viveu a maior parte da vida.

Em S. João da Ribeira, no concelho de Ponte de Lima, a peça toma a designação de “Auto da Turquia” e tem lugar de Crasto, por ocasião da Festa do Senhor da Cruz da Pedra que se realiza no segundo domingo de Agosto. Aqui defrontam-se dois exércitos, ostentando as bandeiras onde se inscrevem as respetivas insígnias – a cruz da Cristandade e a Lua Minguante com a Estrela que identifica os muçulmanos – e integrando doze personagens cada, incluindo o rei, o porta-bandeira, o capitão e um espião. Os cristãos saem sempre vitoriosos e o auto termina com a rendição inevitável dos turcos e a sua conversão ao Cristianismo.

Esta tradição filia-se no teatro pré-vicentino cujas origens remontam à Idade Média e versam a história lendária do imperador Carlos Magno e a temática das guerras entre cristãos e sarracenos, estes geralmente identificados como turcos em virtude da sua dominação se ter estendido a zona oriental do mar Mediterrâneo.

Com ligeiras alterações e diferentes designações, encontramos esta tradição na representação do “Auto de Floripes” que ocorre no mês de Agosto, em Mujães, no concelho de Viana do Castelo e ainda na localidade de Portela Suzã esta representação toma a designação de “Auto de Santo António”.

Com ligeiras alterações e diferentes designações, encontramos ainda a representação do “Auto da Floripes” em Palme, no concelho de Barcelos e “Baile dos Turcos”, em Penafiel. Em Argozelo, no concelho de Vimioso, é designado por “Auto da Floripes”ou ainda “Comédia dos doze pares de França”. Em Parada, no concelho de Bragança, chamam-lhe “Auto dos Sete Infantes de Lara”. Em Sobrado, no concelho de Valongo, designa-se por “Dança dos Bugios e Mourisqueiros” enquanto em Vale Formoso, na Covilhã, toma o nome “Descoberta da Moura”. Também é representada no concelho de A Canhiza, na Galiza, com o nome “Auto do Mouro e do Cristão”.

Em Pechão, no concelho de Olhão, o auto “Combate de Mouros e Portugueses” serviu de argumento a uma longa-metragem do realizador Miguel Mendes que, num misto de ficção e documentário, procura retratar o sofrimento da comunidade piscatória daquela vila algarvia.

Também em São Tomé e Príncipe, com a representação de “A Tragédia do Marquês de Mântua e do Príncipe D. Carlos Magno”, também designado por “São Lourenço”por ocorrer no dia dedicado a este santo. Este auto toma no dialeto são-tomense a designação de “Tchiloli” cuja representação tem lugar na Ilha do Príncipe.

Pelo menos, no que a Ponte de Lima diz respeito, os limianos saem sempre vitoriosos na contenda com os turcos, levando à conversão destes ao Cristianismo!

120133235_3728613903835615_8484809086589959800_o.j

Foto: José Costa Lima

BARCELOS COMEMORA 120 ANOS DO THEATRO GIL VICENTE

Comemoração dos 120 anos do Theatro Gil Vicente com programação diversificada

O Theatro Gil Vicente celebra este mês o 120.º aniversário. Para assinalar esta data, esta secular casa de espetáculos vai acolher uma vasta e diversificada programação, que vai desde a dança e da música, ao cinema e ao teatro.

Um dos pontos altos a merecer destaque, é o espetáculo de teatro “Insónia”, com o apresentador e comediante Fernando Mendes, que sobe à cena no dia 30, às 21h30, e no dia 31 de julho, às 16h00. Mas estes não são os únicos dias com teatro. A 3 e 10 de julho, o Largo Dr. Martins Lima vai ser palco de dois espetáculos: dia 3 de julho, às 16h00, é encenada a peça “Sopa de Jerimu” pela Circolando, Cooperativa Cultural; no dia 10, às 16h00, Maria Catrapumbas - Associação Cultural apresenta em Barcelos o espetáculo interativo recheado de música, cor e alegria “Faz magia com a Ecologia”.

O teatro volta, mas desta vez para bebés, no dia 17 de julho, com duas sessões: 10h00 e 11h30, com a peça de teatro “Xiribi Ba Ba Ba Bach” pela Lua Cheia – Teatro Para todos.

1.ª Mostra de Teatro internacional  

Além da produção nacional, o Theatro Gil Vicente abre portas ao teatro internacional. Assim, a 27 e 28 de julho, às 21h30, sobem à cena duas peças. No dia 27, “Il Marinaio” pela Akróama – Teatro Stábile de Innovazione e Ricerca della Sardegna. No  dia 28, é a vez de “Memurin Fasli”, pelo Teatro Municipal de Maltepe- Turquia.

Cinema ao ar livre no Largo Dr. Martins Lima

O espaço exterior do Theatro Gil Vicente - Largo Dr. Martins Lima - vai servir de plateia para três sessões de cinema. No dia 12, “Donbass” de Sergei Loznitsa; no dia 19, “Na Penumbra” de Sharunas Bartas” e, no dia 26 de julho, “Seleção Festival Curtas de Vila do Conde” das Curtas e Curtinhas. As sessões têm início às 21h30 e são propostas do Cineclube ZOOM.

Dança e Música

Entretanto, a dança também faz parte da programação e já no próximo dia 2 será apresentado o espetáculo “Galo Unido”, pela Nico Dance Studio, performance que consiste numa mostra coreográfica de dança urbana. Este espetáculo está inserido no Programa Cultura para Todos numa Cidade Educadora Inclusiva, projeto promovido pelo Município de Barcelos e cofinanciado pelo Fundo Social Europeu, através do Programa Norte 2020.

Ainda na dança, no dia 15, às 21h00, é a vez da H.A.D – Histórias de Arte e da Dança levar a placo a adaptação do conto “Hansel e Gretel”, o seu primeiro espetáculo, que representa o culminar do trabalho feito ao longo do ano pelos alunos de Dança Clássica, Dança Contemporânea e Artes Plásticas.

Mais tarde, já o dia 24 de julho, às 16h00, cabe a vez à Escola de Dança de Barcelos apresentar o espetáculo “A Capuchinha Azul e o Lobo Bom”.

Antes uma semana, no dia 16, às 22h00, é a vez de se ouvir música: os L-Blues trazem ao palco do Theatro Gil Vicente o seu quarto disco intitulado “Euphemismo."

Comemoração Dia dos Avós

No âmbito da comemoração do Dia dos Avós, que se assinala a 26 de julho, a Atrapalharte – Produções Teatrais traz a comédia musical “Velhos são os Trapos”, com duas sessões: 10h00 e 14h30. A peça, com 45 minutos, é uma comédia musical que fala de exclusão social na melhor idade e dos problemas da velhice e das suas consequências, sempre com muito humor e música.

Fora de Portas

Fora de portas, a Igreja de Nossa Senhora do Terço recebe, no dia 16 de julho , às 22h,o trompetista e compositor Peter Evans, uma referência mundial no jazz improvisado e na música avant-garde, no âmbito do Ciclo Jazz ao Largo.

Até ao dia 4 de setembro, pode ainda visitar a exposição “Plim, Plim, Plim”, de Maria Carvalho, no Café Concerto, do Theatro Gil Vicente.

Nota: Os bilhetes para assistir aos espetáculos no Theatro podem ser adquiridos no local, ou através de reserva por e-mail (tgv@cm-barcelos.pt) ou telefone (253 809 694). Mais informações em www.cm-barcelos.pt.

Programação Theatro Gil Vicente_julho.jpg