Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

1200 PESSOAS JÁ VIRAM TEATRO NA UCHA ESTE ANO

Comemorações dos 30 anos d’Os Pioneiros da Ucha

| Próximo espetáculo é esta sexta-feira. Grupo da casa sobe ao palco

| Ciclo de teatro na freguesia começou em janeiro

É já na próxima sexta-feira que Os Pioneiros da Ucha voltam a subir ao palco. Prometem animar com um espetáculo que foram buscar ao baú das representações dos últimos 30 anos.

FB_IMG_1565084083018.jpg

A estreia da peça “Os dois surdos” foi precisamente em agosto de 2010, agora voltam a levá-la a cena com algumas diferenças.

“Alterámos bastantes pormenores, mas o que caracteriza as personagens e dá personalidade à peça mantivemos. Na altura, houve um feedback fantástico do público e foi por isso que decidimos repescar este espetáculo agora”, explica o presidente do grupo, Filipe Gomes.

O grupo de teatro amador continua a celebrar a data redonda - festejaram 30 anos em abril - com um ciclo de teatro que já levou ao Salão Paroquial da Ucha quase 1200 pessoas.

Pela Ucha já passaram 5 grupos de teatro barcelenses e bracarenses.

Depois de março e abril, o grupo da casa volta a subir ao palco quando forem 21h30 da próxima sexta-feira.

Vão contar a  história de uma jovem casadoira que vive sozinha com um pai que é surdo e a quer casar com um homem também surdo. No meio há um mordomo que se aproveita da fraca audição do patrão e farta-se de fazer troça dele.

Uma comédia de Manuel de Rodeado que Os Pioneiros da Ucha elegeram para levar a palco no mês de excelência dos emigrantes.

FB_IMG_1565084059834.jpg

FB_IMG_1565084076782.jpg

PAREDES DE COURA PÕE “O MUNDO AO CONTRÁRIO”

novo circo : animação de rua : teatro : música : robótica

26 - 28  jul | Paredes de Coura

Carlos Adriano (Argentina), Karkocha (Chile), La Bella Tour (Espanha), ManoAmano (Argentina), Gigante (Espanha), Olé (Espanha), Flash Gonzalez (Chile), Joan Catalã (Espanha), Barto (Bélgica) e Aziz Gual (México), bem como os portugueses Mika Paprika, Sílvia Barbosa, Daniel Gonçalves, Mariela – Tuba & Clown e as bandas Xaral’s Dixie e Orquestra Improvável prometem voltar a proporcionar muita magia, sonhos e fantasia a todos quantos vão passar por Paredes de Coura no fim de semana de 26, 27 e 28 de julho, para mais uma edição de ‘O Mundo ao Contrário’.

Mundo ao Contrário a.jpg

Ao longo de uma semana, de 22 a 28 de julho, as ruas e largos desta bonita vila no coração do Alto Minho ganham uma animação sem igual e convidam a participar e a assistir a espetáculos de teatro, música, novo circo, animações de rua, residências artísticas, instalações e oficinas, numa iniciativa dirigida a toda a família e com entrada livre. Organizado pelo Município de Paredes de Coura, ‘O Mundo ao Contrário’ reúne artistas nacionais e estrangeiros que transportam os participantes para um mundo ao contrário onde o riso, o deslumbre, a fantasia, a criatividade, o risco e o absurdo assumem um lugar especial na imaginação de pequenos e graúdos.

Um leque de excelência de artistas do fantástico e promotores de sonhos trazem ao público de todas as idades a oportunidade de sorrir e até integrar os espetáculos, transformando o óbvio em incompreensível, o real em fantasia pelo que virar tudo ao contrário é nestes dias possível. Têm de ter a capacidade de sonhar e imaginar. Entrem neste mundo de fantasia. Visitem Paredes de Coura, que por estes dias também sugere oficinas de artes plásticas, construções LEGO®, robótica, pinturas faciais e leitura que proporcionam a grandes e pequenos liberdade à imaginação e criatividade.

Residências artísticas, oficinas, instalações e construções em LEGO®

As residências artísticas, asseguradas por Gonçalo Fonseca -- ator e criador das Comédias do Minho --, decorrerão durante a semana, de 22 a 26 de julho, no Centro Cultural, e destinam-se sobretudo aos jovens que vão criar o espetáculo ‘Há monstros debaixo da cama”, que tal como no ‘O Mundo ao Contrário’ também vai virar tudo de pernas para o ar. Mas também há o “O bairro das emoções”, oficina de artes plásticas, numa criação de Rita Nicolau, bem como a instalação “Estranhofone”, de Samuel Coelho e César Estrela, que promete espicaçar o visível e o audível, para incitar a visão e a escuta sensível do banal, do inútil, da aparição comum.

A imagem do evento e a instalação artística ao longo da rua principal de Paredes de Coura, em construção durante a semana pelas mãos de Madalena Martins, trazem à vila uma nova estética que promete também marcar a diferença.

As oficinas de robótica e impressão 3D, mas também construções em LEGO® e artes plásticas acrescentam valor a um programa recheado de talento e animação. Por exemplo, no âmbito da robótica e impressão 3D é possível conhecer as diferentes aplicações da impressão 2D e 3D e cada criança poderá recriar um brinquedo tecnológico.

Já na oficina ‘Lego – Caixa de Brinquedos: Comunidade 0937’ as crianças e jovens poderão ver construções originais, fazer as próprias, ver sets e construir sets num espaço inteiramente dedicado às construções LEGO@.  As pinturas faciais ‘Animakids’ marcam mais uma vez presença, enquanto no fim de semana dos dias 26, 27 e 28 de julho as ruas de Paredes de Coura são percorridas por um divertido comboio turístico “Devagar devagarinho”, como que se dando a conhecer a miúdos e graúdos os cantos e recantos desta nossa bonita vila, entre muitas outras propostas para rir e divertir, num evento muito especial, onde se vira “de pernas para o ar” a rotina e a rigidez, permitindo que reine o inesperado e a fantasia.

Mundo ao Contrário e.jpg

ESPOSENDE PARTICIPA NO ENCONTRO INTERNACIONAL DE MARIONETAS

“Viagem ao fundo do mar” apresentado no EI!!! Marionetas”

Esposende marcou presença na 5º edição do Encontro Internacional de MarionetasEI!!! Marionetas” com a peça de teatro de marionetas “Viagem ao fundo do mar” apresentada pelo Centro de Educação Ambiental de Esposende.

ei.marionetasmandragora.jpg

Organizado pela Companhia de Teatro de Marionetas de Mandrágora, com o apoio da Câmara Municipal de Gondomar, este evento internacional contou com um programa rico e diversificado, com mais de 40 iniciativas culturais de rua e de palco. Várias companhias de marionetas nacionais e internacionais deram corpo a apresentações, exposições, conversas, feiras, mostras, workshops e concertos.

Foram cerca de 80 as crianças que assistiram ao espetáculo de marionetas “Viagem ao fundo do mar” que decorreu no CEA da Quinta do Passal, em Gondomar. A peça, que aborda diferentes temáticas relacionadas com os oceanos e a biodiversidade, nomeadamente os impactes do lixo marinho e as atividades agro-marítimas associadas ao concelho de Esposende, foi criada no âmbito do projeto OMARE, Observatório Marinho de Esposende, cofinanciado pelo POSEUR.

O espetáculo “Viagem ao fundo do mar” insere-se nas atividades de educação ambiental que contribuem para a concretização de vários Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, em particular para os ODS’s ODS’s 12, 13 e 14.

ei.marionetasmandragora1.jpg

Ó DIABO!... CABECEIRENSES PASSEIAM PELA LITERATURA

‘Rio’ de gente na ‘Praia Fluvial’ do Poço do Frade para um Passeio Literário pela ‘mão’ do Centro de Teatro

Centenas de pessoas assistiram ontem à noite, 18 de julho, na ‘Praia Fluvial’ do Poço do Frade, ao Passeio Literário conduzido pelo Centro de Teatro da Câmara Municipal de Basto. ‘Ó Diabo! O Rapaz que lhe tirou o coiso de ser bruxa’ foi o espetáculo cómico levado à cena, inspirado nas histórias e crendices populares dos mais antigos sobre os seres mais misteriosos da nossa imaginação: as bruxas.

Passeio Literário 'Ó Diabo' (1).JPG

“Nada como o amor. Tão cheio de surpresas… Quando tudo parece bem, afinal não está! O Quim gosta da Rosa. A Rosa é Bruxa. As Bruxas são prometidas ao Diabo. E agora, Quim? Esta história acaba assim?” lê-se na sinopse. Mas Não! Esta história não acabou assim porque o Quim enfrentou o Diabo! O amor venceu e a Rosa livrou-se de ser bruxa.

Este Passeio Lieterário traduziu-se em mais uma brilhante encenação teatral, desta feita com a participação especial da Associação Vilela com Vida, Amigos da Galhofa e Sérgio Oliveira.

Organizado pela Câmara Municipal, o evento foi produzido pelo Centro de Teatro com o apoio da Associação Encanto Radical.

Participaram neste Passeio Literário o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, a vereadora da Cultura, Dra. Carla Lousada, os presidentes das Juntas de Freguesia de Refojos, Outeiro e Painzela e também de Abadim, respetivamente, Leandro Campos e Fernando Basto, entre outros convidados e população em geral.

Uma vez mais, o numeroso público que participou neste evento demonstra bem o interesse dos Cabeceirenses por este projeto cultural que valoriza o teatro de comunidade.

Passeio Literário 'Ó Diabo' (2).JPG

MUNICÍPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ LEVA TEATRO AOS LARES

No âmbito das atividades inseridas no Plano Municipal do Idoso, o qual congrega um conjunto de ações levadas a cabo em áreas tão importantes como a saúde, a ocupação dos tempos livres, as condições habitacionais, as acessibilidades, as respostas sociais e os serviços de apoio à população idosa, a Câmara Municipal, em parceria com o Grupo de Teatro do Vez, levou, durante todas as sextas-feiras dos passados meses de abril a junho, sessões de teatro às várias Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho.

59805172_1221367101351798_2413883134882873344_o.jpg

Tal como o Projeto Seniores + Ativos ou as Olimpíadas Seniores, também estas sessões de teatro têm como principal objetivo promover a melhoria da condição física e emocional da população com mais idade e, consequentemente, um envelhecimento mais ativo.

Sendo o teatro uma arte que permite expressar emoções, vivências e memórias de vida, é também um excelente veículo para proporcionar momentos de entretenimento, convívio e alegria, principais objetivos desta iniciativa.

A dinâmica criada com estas sessões, a forma como a população idosa institucionalizada e as respetivas instituições onde se encontram inseridas aderiram à iniciativa, fazem crer que este é um projeto que deverá ter continuidade.

60853333_1236414793180362_3700557656323260416_n.jpg

60876660_1236415333180308_7515884204664553472_n.jpg

62148203_1242616855893489_1934464007536640000_n.jpg

62649103_1246785865476588_26586573411713024_n.jpg

CERVEIRA ACOLHE ESPETÁCULO "PAISAGEM COM PESSOAS"

“Paisagem com Pessoas” continua em circulação pelo Vale do Minho, e na próxima sexta-feira e sábado chega ao Auditório do Fórum Cultural de Cerveira. Trata-se da apresentação final do trabalho conjunto do Teatro do Vestido e das Comédias do Minho, que teve início em janeiro deste ano, com apresentação intercalar em março, em “Pontos na Paisagem”. De entrada livre, o espetáculo tem início às 21h30, estando sujeito à lotação do espaço.

Paisagem com Pessas.jpg

Com texto e direção de Joana Craveiro e interpretação de Ana Lúcia Palminha, Estevão Antunes, Rosinda Costa, Tânia Guerreiro (Teatro do Vestido), Joana Magalhães, Luís Filipe Silva e Rui Mendonça (Comédias do Minho), “Paisagem com Pessoas” faz parte do projeto “Viagem a Portugal”, que o Teatro do Vestido tem vindo a desenvolver. Nesta paragem pelo Minho, e no encontro entre as duas companhias, mergulhamos na geografia humana e física não só do território, mas também na autobiografia e no percurso individual e geográfico de cada um dos criadores do projeto. Tudo isto no encalço da resposta à nossa pergunta de sempre –como chegámos até aqui?

De acordo com a sinopse: “Várias são as perguntas de partida: que país é este? Fale-me de árvores. Fale-me da guerra. Fale-me de si. Viaje connosco por Portugal e pelas histórias das nossas famílias. Conte-me a história da sua família. Conte-me como lhe contaram as coisas, como as aprendeu. Diga-nos o que não lhe contaram, os segredos, as omissões, os apagamentos. “Portugal, questão que tenho comigo mesmo”, escrevia, acertado, incisivo, Alexandre O’Neill. E é bem verdade. Questão que temos connosco próprios, pois claro.

Parte do projeto “Viagem a Portugal,” que o Teatro do Vestido está a empreender ao longo de 2019, Paisagem com Pessoas é o feliz encontro da companhia lisboeta com as Comédias do Minho e o seu território vasto e profundo. Desde janeiro que escavamos, que procuramos, que perdemos o que encontramos, que nos perdemos assim em conjunto – que é a melhor forma de procurar alguma coisa. Agora deu-nos para falar de morte, mas também de coisas menos pesadas, como crocodilos, esse animal frio, como nos disse P. Um projeto sobre paisagens habitadas por pessoas. Ou sobre pessoas com paisagens dentro de si”.

De entrada livre, ‘Paisagem com Pessoas’ chega a Vila Nova de Cerveira esta sexta-feira e sábado, com espetáculos agendados para as 21h30, no Auditório do Fórum Cultural de Cerveira.

TEATRO EM DARQUE APRESENTA A "GUARDIÃ DE RETRETES"

A Guardiã de Retretes do À Margem- Armazém Teatral vai desta vez a Darque!

Sim, vai visitar a Sociedade de Instrução e Recreio de Darque e as gentes de Darque no próximo  dia 3 de Julho  quarta-feira, pelas 21,30 horas.

DQ.jpg

Desta vez a convite e com o apoio da junta de Freguesia de Darque ,em colaboração com A SIRD integrado no programa das comemorações dos 33ª aniversário de elevação de Darque a Vila! 

A nossa guardiã  entrará na ribalta do palco da SIRD para mais uma vez além de limpar e desinfectar retretes, ainda dará conselhos, venderá papel higiénico e emprestará sonhos como cugnomista  multifacetada.

Esta já é a 11ª vez que surge nos palcos do concelho na sua sessão de terapia do stress através da libertação do riso com as cenas que se desenrolam no decorrer da sua visita.

Elas são duas senhorecas que  vêm defecar ,um  presidente irrequieto que distribui comendas e prebendas a umas quantas figuras agraciadas,um Hollywoodesco 10 de Junho, enfim numa retrete  onde tudo acontece, até uma selfie com Donald Trump.

Por fim chegamos a Morpheus 80, onde o 80 é apenas para dar ar de ficção.

Apenas faltam os alentejanos com a sua exposição  ao M. da Agricultura e aquele homem, como todos nós sempre aflito.

A entrada é gratuita e se ainda não viu este nosso espectáculo não perca esta última oportunidade antes de finalizarmos a nossa digressão e de entrarmos em férias !

Venha ao teatro.

Venha  ver a “Guardiã de Retretes!” esta quarta-feira a Darque.

GIL VICENTE SOBE AO PALCO EM BARCELOS - A SUA TERRA NATAL!

Theatro Gil Vicente comemora 118 anos com auto de Gil Vicente

A Câmara Municipal de Barcelos apresenta para o mês de julho uma programação repleta de arte e talento, com entradas gratuitas. Ao longo do mês, podemos contar com momentos de cultura e lazer nas Salas do Theatro Gil Vicente bem como outros espaços.

Capturargilvi.PNG

A programação inicia no dia 5, às 21h30, com a Associação Clube Moto Galos apresentar no TGV o espetáculo de música “3.º Cinemoto Barcelos”.

No dia 11, às 21h30, o Theatro Gil Vicente recebe o Memorial a Bernardete Costa com um recital de poesia autógrafa pelos alunos da Oficina de Teatro e do Clube de Leitores da Barcelos Sénior, para maiores de 3 anos.

O teatro vem ao palco, já no dia 27 de julho, às 10h30, com  a peça infantil “Um Assunto Malcheiroso” da responsabilidade do “Teatro A Quatro” destinado a crianças dos 0 aos 5 anos.

A rubrica “Em família no TGV” reserva a tarde de domingo, dia 24, às 16h, com a peça “Os Músicos de Bremen”, da CTB – Companhia de Teatro de Braga,  para maiores de 4 anos.

No dia 31, às 21h30, dia em que se comemoram os 118 anos do Theatro Gil Vicente, o espaço vicentino recebe a peça “Auto da Barca do Inferno” protagonizada pela CTB – Companhia de Teatro de Braga, para maiores de 12 anos.

Ainda no âmbito da programação cultural do mês de julho, a Igreja Matriz recebe, no dia 10, às 21h00, o espetáculo Rejoice “Alegrem-se” pelo Grupo Word and Voice de Lviv, Ucrânica.

O Ciclo Jazz ao Largo regressa a Barcelos, no dia 12, às 22h00, no Largo da Porta Nova, com o espetáculo da Orquestra de Jazz de Matosinhos, concerto incluído na programação da Feira do Livro.

No dia 19, às 22h00, o Paço dos Condes recebe o concerto “Slower Pace of Existence” de Frederico Dinis.

O segundo semestre do ciclo de concertos Música no Salão regressa no dia 20 de julho, às 21h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com o Duo Harpa e Saxofone com Angélica Salvi & Isabel Anjo. A entrada é livre.

Barcelos integra pela primeira vez o Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous – o mais influente festival de circo contemporâneo do país, que decorre  entre 24 e 27 de julho, nas quatro cidades que formam o projeto de cooperação intermunicipal Quadrilátero.

A celebrar a sua estreia no Festival, Barcelos recebe o primeiro espetáculo desta sexta edição. “A Simple Space”, dos Gravity & Other Myths está agendado para o dia 24 de julho, às 22h00 , no Largo da Porta Nova.

No dia 25 de julho, às 19h00, o Largo da Porta Nova recebe o grupo Coração nas Mãos que apresenta a sua peça “Chá das Cinco”. À 22h00, é a vez da  estreia do espetáculo “Fábrica da Mentira”.

Tal como nas edições anteriores, o festival volta ainda a apostar num “Showcase”, no dia 26 de julho, às 11h00, no Theatro Gil Vicente, que permite aos criadores emergentes apresentarem os seus projetos aos programadores que marcam presença no Vaudeville Rendez-Vous.

Ainda de destacar, no âmbito das estreias nacionais, a dança acrobática “Zoog”, de Amir and Hemda, no dia 26 de julho, às 19h00, no Largo da Porta Nova,que representa o amor e o ódio numa relação, assim como a rotina e os altos e baixos de uma história íntima.

No dia 26, às 22h00, é a vez do grupo francês Cirque Exalté protagonizar o espetáculo “Furieuse Tendresse”, na Praceta Francisco Sá Carneiro.

O Vaudeville Rendez-Vous termina no dia 27 de julho, às 11h00, com as performances da companhia portuguesa Dulce Duca com a peça “Um belo dia”  um espetáculo sem narrativa, baseado nas memórias do autor, que coloca a artista no centro do palco a representar emoções e, às 19h00, com um espetáculo que concilia dança, circo, teatro e performance, de Joan Català, de Barcelona, que apresenta, pela primeira vez em Portugal, “Pelat”, projeto que promove uma interação única com o público um espetáculo. Ambos os espetáculos decorrem no Largo da Porta Nova.

Os bilhetes para assistir aos espetáculos no Theatro podem ser adquiridos no local, ou através de reserva por e-mail (tgv@cm-barcelos.pt) ou telefone (253 809 694).

TEATRO EM FAMALICÃO SAI DO "BAÚ DOS SEGREDOS"

Teatro que sai do “Baú dos Segredos”

Julho é sinónimo de um exercício cénico de introdução ao Teatro que assume por nome “Baú dos Segredos” e que mobiliza um exército de pequenos atores e atrizes dos 8 aos 18 anos de idade.

“Baú dos Segredos” é um ateliê de teatro anual, da responsabilidade da Casa das Artes de Famalicão e do encenador João Regueiras que se realiza, nas instalações da Casa das artes de Famalicão, de outubro a julho do ano seguinte.

É de um texto de Alice Vieira, que mergulha numa história da tradição popular, que é retirado a primeira das encenações teatrais que a Casa das Artes de Famalicão programa e coproduz para o mês de julho. “Leandro, o Rei de Helíria” sobe a cena nos dias 24 e 25 de julho, às 21h3, no Grande Auditório. Segundo a história, um pai decide repartir o reino pelas filhas e põe-nas à prova, acabando, contudo, por deserdar a mais nova. Esta vem a revelar-se, afinal, a única que era merecedora da sua generosidade. Vítima do próprio orgulho e castigado pela sua cegueira, o rei expia as culpas mergulhando na miséria, até ser finalmente salvo e perdoado pela filha mais nova entretanto reencontrada.

Uma história onde se fala de amor, de ingratidão, e do que acontece a um rei quando a coroa lhe cai da cabeça, num enredo em muitos aspetos semelhante ao de "Rei Lear", de Shakespeare.

A entrada custa quatro euros, ou dois para os portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

“Leandro, o Rei de Helíria” é encenado por João Regueiras, numa adaptação de Ana J. Regueiras e a interpretação está a cargo dos alunos da Classe A (10 aos 14 anos), do “Baú dos Segredos”.

De 26 e 27 de julho, às 21h30, o Grande Auditório da Casa das Artes assiste à peça “Mulheres Invisíveis”, numa interpretação da Classe B (15 aos 18 anos), do Baú dos Segredos e encenada por Ana J. Regueiras. Uma viagem ao trágico 25 de março de 1911 que, na cidade de Nova Iorque, viu perecer mais de uma centena de mulheres no incêndio na fábrica da Triangle Shirtwaist. O título “Mulheres Invisíveis” ilustra o facto de muitas das vítimas, por serem mulheres, operárias e imigrantes, não terem sido alertadas para o incêndio que consumiu o prédio onde laboravam. Trabalhavam, à mingua de uns 6 a 10 dólares por semana, 14 horas por dia, em semanas de trabalho de 60 a 72 horas. Na hora da calamidade, a sua maior desgraça foi terem sido ignoradas. Mulheres invisíveis pela cegueira do lucro a qualquer custo, pela falta de condições de segurança no trabalho e pela completa ausência de sentido humano. “Quando tudo terminou, juntei-me ao meu povo. As outras mulheres cujas vidas, as mortes, não foram vistas. Nós, as Mulheres Invisíveis. Eu vejo-as. E elas a mim.”

A entrada custa quatro euros, ou dois para os portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

TEATRO EM CABECEIRAS DE BASTO CONTA HISTÓRIAS COM MENSAGENS QUE EMOCIONAM

Oficinas de Jogos Dramáticos do CTCMCB encerram época com duas magníficas representações

Para assinalar o encerramento da temporada das Oficinas de Jogos Dramáticos, espaço de aprendizagem, partilha e formação de crianças dos 6 aos 12 anos, que o CTCMCB – Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto dinamizou ao longo dos últimos meses, na passada quarta-feira, dia 19 de junho de 2019, na Casa da Juventude, familiares, amigos e muitos outros cabeceirenses lotaram o auditório da Casa da Juventude, para assistirem à representação de duas magníficas peças protagonizadas pelo pequenos atores e atrizes.

DSC_9041.JPG

“Onde está o branco?”

Os mais pequeninos contaram-nos uma extraordinária história, a partir da representação de um ambiente de competição e egoísmo que existia numa fábrica de tintas onde as cores, faltava lá o branco, não se entendiam, não trabalhavam em equipa e competiam desenfreadamente entre si. Com a chegada do branco tudo muda e passa a existir a harmonia e o trabalho de equipa. Uma bela história que encantou todos os presentes não só pela atuação dos dezassete meninos e meninas mas também pela mensagem de paz e amor que a história transmitiu.

Uma história baseada no texto de Luciano Luppi, encenada por Francisca Magalhães, com cenografia, figurinos e adereços de Joana Veloso e Francisca Magalhães.

“O Construtor de Sonhos”

Os onze atores mais velhinhos contaram aos espetadores a história de um mundo imaginário que de repente se vê mergulhado num grande roubo. O “construtor de sonhos” foi roubado pelas malvadas insónias e para que tudo se resolvesse foi preciso muita determinação e uma grande e forte união entre todos. Cansado e velho, o “construtor de sonhos” morreu mas, felizmente, houve alguém para continuar o seu extenuado trabalho, até porque a força, a determinação e o trabalho de todos permitiu recuperar o objeto mágico, simbolizado por um martelo, que possibilitou continuar a construir todos os sonhos. Com efeito, um mundo sem sonhos é um mundo triste, enfadonho e infeliz.

Uma história que emocionou os presentes, com texto e encenação de Roberto Moreira e cenografia, figurinos e adereços de Joana Veloso e Francisca Magalhães

Entre outras participações, designadamente na Festa do S. Pedro da Raposeira, no final deste mês, o CTCMCB está já a preparar o próximo espetáculo da agenda cultural do Município, o Passeio Literário que terá lugar no dia 18 de julho à noite.

DSC_9182.JPG

BARCELOS REALIZA FESTA DO TEATRO

Festa do Teatro com seis espetáculos de grupos de Barcelos. Iniciativa decorre de 22 de junho a 7 de julho

Depois da primeira edição da Festa do Teatro de Barcelos ter sido um sucesso, o Município de Barcelos aposta mais uma vez na realização da mesma, de 22 de junho a 7 de julho,  com o objetivo de  promover e valorizar os grupos de teatro amador do concelho, bem como descentralizar o acesso à cultura, levando o teatro a várias freguesias do concelho e, simultaneamente, dinamizando diferentes espaços.

Capturarfesteatrbarc.PNG

Com a realização da Festa do Teatro, o Município tem como objetivos promover e valorizar os grupos de teatro amador do concelho, bem como descentralizar o acesso à cultura, levando o teatro a várias freguesias do concelho e, simultaneamente, dinamizando diferentes espaços.

A decorrer ao longo de duas semanas esta mostra do teatro vai contar com espetáculos de seis grupos teatrais barcelenses em seis diferentes freguesias do concelho. 

A Festa do Teatro começa no dia 22 de junho, às 21h30, com as peças “Menina Júlia” para maiores de 12 anos e “Viva a Paródia” para maiores de 13 anos, pela Capoeira -Companhia de Teatro de Barcelos no Auditório de Alvito S.Pedro e,  pelo Grupo TeatroNeiva de A Mó, no Salão Paroquial de Cambeses, respetivamente.

No dia 6 de julho, às 21h30, é a vez do Auditório da Junta de Freguesia de Oliveira receber a peça “Trais pelos Dois” pelo Grupo de Teatro Amador da Pousa “O Branselho” que abrange todas as faixas etárias e, à mesma hora, o Salão Paroquial de Remelhe recebe a peça “Tira Dali a Menina” pelo Grupo de Teatro Amador Os Pioneiros da Ucha, para maiores de 3 anos.

A Festa do Teatro encerra no dia 7 de julho, às 16h00, com a peça “TPE-Tudo para Enterros” pelo TPC-Teatro Popular de Carapeços para maiores de 6 anos no Salão Paroquial de Macieira de Rates e, “O Genro Doutor” na Sede de Junta de Freguesia de Areias de Vilar pelo Teatro Experimental dos Feitos, peça para maiores de 6 anos.

A iniciativa tem como principal objetivo a troca de experiências entre grupos, o desenvolvimento da arte teatral e a promoção de novos projetos teatrais.

O Município de Barcelos, como membro da Rede de Cidades Educadoras e no enquadramento dos princípios da Carta das Cidades Educadoras, defende a necessidade de “construir uma cidade que se relacione com o mundo e que garanta liberdade de fruir a informação e a cultura”, sendo que esta é uma iniciativa que vai precisamente ao encontro deste desiderato.

FAMALICÃO RECEBE SHAKESPEARE

Nos dias 07 e 08 de junho, pela mão da ACE - Escola de Artes: Shakespeare antecipa verão na Casa das Artes

É de encantamento, amores e fantasia que as noites de 7 e 8 de junho estarão habitadas na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. “Sonho de uma noite de verão” é a peça de teatro da autoria de William Shakespeare que será interpretada pelo jovem elenco dos alunos do 2º ano do curso de interpretação da ACE – Escola de Artes, em ambos os dias às 21h30. Bilhetes a 4 euros e 2 euros para estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural. Mais uma coprodução a envolver o teatro municipal famalicense.

ACE_Photo by Gerd Altmann.jpg

A peça de Shakespeare é contemporânea de “Romeu e Julieta” pelo que há pontos comuns às duas obras, concretamente, tudo que envolve um enredo de amores proibidos e casamentos arranjados à revelia do que ditam os corações enamorados.

Mas, apesar do negror da morte pairar sobre os desvalidos corações, ganha força a comédia, numa mescla que marca o teatro shakespeariano. Por isso, o espetador vê as personagens a mergulharem numa floresta povoada por elfos, fadas e outros seres encantados.

Uma flor mágica, que faz com que qualquer pessoa se apaixone pelo primeiro ser que vir pela frente é outro dos condimentos deste “Sonho de uma noite de verão” que resulta na inesperada paixão de uma donzela por um burro.

Ficha Técnica

Tradução: Maria Cândida Zamith

Encenação: Paulo Calatré

Assistente de encenação: Rafaela Sá

Cenografia: Ana Gormicho

Figurinos: Ana Isabel Nogueira

Desenho de Luz: José Diogo

Som: Rui Vieira

Fotografia de Cena: Pedro Figueiredo

Foto de Gerd Altmann da Pexels

com: Alunos do 2º ano do Curso de Interpretação da ACE Escola de Artes – Famalicão: Alberto Batista, Alexandra Guimarães, Ana Guimarães, Ana Marques, Catarina Matos, Andreia Coelho, Bruna Fernandes, Diogo Ribeiro, Diogo Sousa, Filipe Calder, Francisco Madureira, Íris Mendes, João Lin, Patrícia Nogueira, Patrícia Silva, Pedro Lemos, Tiago da Costa, Tiago Pereira e Vitória Ferreira

Direção de Produção: Glória Cheio

Produção: João Faustino

Direção Executiva: Liliana Moreira

TEATRO PERCORRE FREGUESIAS DE ESPOSENDE

“O Teatro e a Música vão a… Gandra” nos dias 15 e 16 de junho

No âmbito da política de descentralização cultural e integrado no projeto CREARTE – Crescimento da Arte Teatral em Esposende, a Câmara Municipal de Esposende vai levar a efeito, no fim-de-semana de 15 e 16 de junho, a iniciativa “O Teatro e a Música vão a… Gandra”.

15E16JUNHO_vai.jpg

O Município associa-se, assim, à União de Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra, Paróquia de S. Martinho de Gandra, Escola Básica e respetiva Associação de Pais na realização de um fim-de-semana cultural, aberto à comunidade e que terá como mote os Santos Populares.

No dia 15 de junho, às 21h30, no Salão Paroquial de Gandra, o grupo de teatro amador Forjães em Cena apresenta a peça “‘A Vizinha do Lado’”, de André Brun.

No dia 16 de junho, o Coro de Pequenos Cantores de Esposende soleniza a Eucaristia Dominical, às 10h30, na Igreja Paroquial de Gandra. Já no período da tarde, pelas 18h00, terá lugar o Desfile de Marchas Populares, pela Escola Básica de Gandra, no Largo da Igreja, evento que já vai na 13.ª edição e que, este ano, tem como tema o rio Cávado. A partir das 20h00, decorre no mesmo local um Arraial-convívio.

Este fim-de-semana cultural reflete o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimentos Sustentável da Agenda 2030 da ONU Educação de Qualidade (ODS 4), Reduzir as desigualdades (ODS 10) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

TEATRO EM VILA PRAIA DE ÂNCORA APRESENTA "A GUARDIÃ DE RETRETES!"

O À Margem- Armazém Teatral   vai apresentar no Cine teatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora o seu último espectáculo "A Guardiã de Retretes!" no próximo  dia 15 de Junho pelas 21h30m.

CARTAZ Ancora.jpg

Trata-se de um espectáculo de benificência para a Associação dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

O espectáculo visa obter ajuda financeira para esta associação destes homens e mulheres que se dedicam a trabalhar em prol da comunidade. Toda a receita reverterá a favor da Associação dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

Esta iniciativa do À Margem- Armazém Teatral vem no seguimento da sua intervenção na comunidade de Viana do Castelo.

O teatro deve servir para ajudar a comunidade em todos os seus pólos!

Esperamos casa cheia para assim conseguir o máximo de ajuda possível para  esta Associação de homens e mulheres  e assim conseguirem melhores meios para ajudar toda a comunidade.

"O TEATRO VAI A... ANTAS" NO CONCELHO DE ESPOSENDE!

“O Teatro vai a… Antas” com o grupo Forjães em Cena

Integrado na estratégia de descentralização cultural e no âmbito do programa CREARTE – Crescimento da Arte Teatral em Esposende, o Município de Esposende vai promover a iniciativa “O Teatro vai a… Antas”.

8JUN_TEATRO_vai.jpg

Assim, no próximo dia 8 de junho, às 21h30, no Salão Paroquial de Antas, o grupo de teatro Forjães em Cena apresenta a peça de teatro “A Vizinha do Lado”, de André Brun. O espetáculo tem entrada livre.

O professor de moral Plácido Mesquita vai de Forjães a Lisboa visitar o seu sobrinho Eduardo para o resgatar de uma vida condenável de maus vícios e encontra-o dividido entre a paixão pela sua vizinha do lado, a jovem Mariana, e a relação amorosa que mantém com Isabel Moreira, artista de variedades arrojada e muito determinada. O vizinho Saraiva e o porteiro Jerónimo contribuem para a confusão que se instala no prédio e contagia o professor, que vê o objetivo da sua viagem ser radicalmente alterado.

Através do desenvolvimento deste programa descentralizado de atividades, o Município proporciona à comunidade o acesso a eventos culturais nas suas próprias localidades e a possibilidade de apreciar o trabalho que é desenvolvido a este nível no concelho. De resto, tendo o Município vertido para o seu plano de ação os Objetivos de Desenvolvimentos Sustentável da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, está também a contribuir para as metas Educação de Qualidade (ODS 4), Reduzir as desigualdades (ODS 10) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

A IDADE DO SILÊNCIO | TEATRO DO MAR: O ÚLTIMO ESPECTÁCULO DE TEATRO DA TEMPORADA 2018-2019 DO TEATRO DIOGO BERNARDES

Criação e Direcção de Julieta Aurora Santos e Interpretação de Luís João Mosteias e Sérgio Vieira. Dia 24 de Maio – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Esta sexta-feira à noite, dia 24 de Maio, a partir das 22h00, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, apresenta o espectáculo de teatro A Idade do Silêncio, pelo Teatro do Mar, com Criação e Direcção de Julieta Aurora Santos e Interpretação de Luís João Mosteias e Sérgio Vieira.

a_idade_mupi_.png

Trata-se do último espectáculo de teatro da temporada de 2018-2019 do Teatro Diogo Bernardes, que apresentará ainda os concertos de Miguel Araújo, a 25 de Maio, de Kika Cardoso, a 26 de mesmo mês e o espectáculo de teatro para a infância e famílias Simão e o Livro Mágico, a 1 de Junho, Dia Mundial da Criança, data que o Teatro Diogo Bernardes reservou para os mais novos, com duas sessões do referido espectáculo, às 16h00 e às 18h30.

Voltaremos em Outubro para iniciar a temporada de 2019-2020, cujo trimestre de Outubro a Dezembro já se encontra encerrado em termos de programação, a qual será oportunamente apresentada à imprensa pelo Executivo Municipal.

Para a nova temporada continuaremos a apostar numa programação plural e diversificada, garantia da continuidade do bom nome do Teatro Diogo Bernardes no panorama cultural nacional e exemplo de autêntico serviço público de cultura.

Estamos certos que não iremos defraudar os espectadores e os públicos que continuamos a ver crescer e a acreditar nos espectáculos apresentados no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima.

Encontrámo-nos a ultimar os últimos pormenores do Festival Percursos da Música, que decorrerá em Julho e Agosto próximos, para apresentar oficialmente o programa.

Voltando ao espectáculo A Idade do Silêncio, que será mais um momento de alto nível cultural, o mesmo resume-se assim:

“Disponibilizámo-nos a simplesmente estar, sem grandes perguntas, nem invasões, a ouvir mesmo sem entender, a procurar olhar para lá do que se vê. Observámos aquele universo, muito particular, sabendo que eventualmente um dia faremos parte do mesmo, se o corpo resistir.

Vivemos numa tensão entre a permanência e a transitoriedade na vida e uma total impotência face à nossa condição de finitude.

Testemunhámos de perto as rotinas de idosos institucionalizados.

Construímos, com o artista polaco Lukasz Trzcinski, marionetas que são réplicas do rosto dos intérpretes, mas envelhecidos. O conflito explorado na criação, começa na própria projecção do actor num corpo com cerca de 80 anos.

Esta criação reflecte sobre a nossa relação com a dimensão temporal, colocando em conflito o frenesim do homem contemporâneo e a imediatez de tudo, com o tempo do idoso e a sua

necessidade de hábitos que, incorporados à vida, se tornam poesia do quotidiano, parecendo estabelecer uma relação continuada e duradoura com o mundo.”

Criação e Direcção Julieta Aurora Santos

Interpretação Luís João Mosteias, Sérgio Vieira

Banda Sonora Tiago Inuit

Vídeo Carlotta Premazzi

Marionetas Lukasz Trzcinski

Cenografia Luís Santos, Carlos Campos

Figurinos Sandra Santos, Adriana Freitas

Direcção Financeira e Gestão Sónia Custódio

Produção Executiva Miguel Marques Silva

Promoção e Grafismo Frederico Salvador

Maiores de 10 anos.

Bilhetes à venda (4,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

CERVEIRA RECEBE "RINOCERONTE"

Grupo de Teatro Amador ‘Outra Cena’ apresenta “¡RINOCERONTE¡”

Após a apresentação de sucesso durante o 9ª FITAVALE, o Grupo de Teatro Amador de Vila Nova de Cerveira ‘Outra Cena’ sobe ao palco do Cineteatro de Cerveira, esta sexta-feira, 24 de maio, para dar a conhecer o seu mais recente espetáculo - “¡RINOCERONTE¡” – com o apoio das Comédias do Minho. Entrada livre.

CARTAZ Rinoceronti.jpg

Com início às 21h30, “¡RINOCERONTE¡” é retratada como uma “comédia absurda”, a partir da obra de Eugène Ionesco de 1959, mais diálogos adicionais de 2019.

De acordo com a sinopse, trata-se de “um retrato contemporâneo mais velho que a velha senhora ou selfie dos tempos vindouros ou tourada em que todos somos … E se todos os habitantes apanhassem ‘rinocerontite‘? E se a ‘rinocerontite‘ fosse uma doença contagiosa, propagada pelo ‘Totalitarismo + Carneirismo’? Ou será pelo ‘Conformismo + Político-Corretismo’? Ou pela Hipersensibilidade? Certamente que o espectador, não se revendo nestas categorias, já se sentirá imune à ‘rinocerontite’. Mas será, realmente? Que expressam essas suas rugas?… Ui! Não se enerve, que se lhe rebenta a veia, vai-lhe inchar o focinho todo. Ui! Talvez tenha ido longe demais… mas não corra atrás, pode ser um caminho sem retorno. Por falar em retorno, haverá antídoto à ‘rinocerontite’ ou não? Retorcido será certamente o corno da questão. Calma! Quem sou eu para comentar o que lhe cresce na fronte ou chamar-lhe rinoceronte? Sossegue e veja pelos seus próprios olhos”.

Com direção, adaptação e Diálogos adicionais ao cuidado de Rui Mendonça, o espetáculo de teatro conta com interpretação de 15 pessoas, numa produção do Outra Cena e Comédias do Minho, com apoio da Câmara Municipal de Cerveira.

De entrada livre, a apresentação de “¡RINOCERONTE¡” acontece esta sexta-feira, 24 de maio, às 21h30, no Cineteatro de Cerveira.

CABECEIRAS DE BASTO PROMOVE GRANDE PRODUÇÃO TEATRAL

Grande produção teatral ‘Todas Somos Tu’ em Cabeceiras de Basto. Espetáculo tem como palco o Centro Hípico na noite de 25 de maio

‘Todas Somos Tu’ é a mais recente produção teatral do CTCMCB – Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto que vai estar em destaque na noite do próximo sábado, 25 de maio, naquela que é a nona edição da Feira do Cavalo que decorre este fim de semana no Centro Hípico de Cabeceiras de Basto. O espetáculo conta com o apoio da IBERDROLA.

CTCMCB - Todas somos tu - Feira do Cavalo (25-05-2019).jpg

A grande produção que vai ter em palco 55 pessoas é um espetáculo que exalta a força da mulher através de história de Diana, uma rapariga que decide deixar a sua terra para ir trabalhar numa grande cidade. “Cheia de medos e de incertezas, ela descobre através de um sonho a grandeza das qualidades femininas e percebe que pode conquistar o mundo. Afinal uma mulher nunca está sozinha”, lê-se na sinopse.

Para a IBERDROLA, “têm grande valor as oportunidades que lhe permitem aproximar-se da cultura das comunidades locais que envolvem o Sistema Eletroprodutor do Tâmega, projeto em construção até 2023. O apoio ao espetáculo ‘Todas Somos Tu’ é um exemplo disso. A capacidade de mobilização tanto dos que estão em palco como dos que irão assistir a esta peça é algo de grande relevância”.

São esperadas largas centenas de pessoas para assistir a mais uma brilhante peça de teatro produzida pelo Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto que continua, assim, a promover a cultura ao seu melhor nível em Cabeceiras de Basto, cativando e fidelizando o público que acarinha este projeto de sucesso no nosso concelho.