Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PAN APLAUDE DECISÃO DOS ESTUDANTES DE COIMBRA DE ACABAR COM A GARRAIADA

PAN reage à decisão dos estudantes de Coimbra de acabar com a garraiada na Queima das Fitas

  • Resultados revelam nova geração que está desperta para mudanças sociais e rejeita a violência gratuita
  • Dos 5638 eleitores, 70.71% votaram contra a continuidade das garraiadas
  • É inequívoco que quem representa o futuro não se revê nesta prática e pede a abolição da tauromaquia
  • Espera-se que a decisão do Conselho de Veteranos vá ao encontro desta maioria

Foi ontem a referendo a decisão sobre a continuidade da garraiada na Queima das Fitas de Coimbra com a maioria da comunidade estudantil a manifestar a sua inequívoca vontade de abolir este evento. A afluência às urnas para este referendo foi bastante significativa: num universo de 5638 eleitores, 70.71% votou contra a continuidade e apenas 26.69% a favor.

A Queima das Fitas do Porto já tinha optado em 2016 por suspender a garraiada académica, pela falta de adesão dos estudantes e pela queda da tradição tauromáquica. Mesmo que a garraiada não inclua, ao contrário das touradas, a parte mais sanguinária do espetáculo, esta prática já não é representativa dos estudantes. Para o PAN este é mais um indício de que o cerco às touradas em Portugal e na Europa está a aumentar, com cada vez mais referendos e manifestações públicas que defendem a abolição da tauromaquia, sendo que aqueles que representam o futuro assumiram claramente que não se revêm nesta tradição bárbara.

Pese embora o referendo, segundo os estatutos da Academia, não seja vinculativo, espera-se que o Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra dê seguimento à expressa maioria dos estudantes da instituição e termine com a garraiada nas Festas Académicas Conimbricenses.

Em 2015, o Parlamento Europeu votou pela primeira vez contra a atribuição de subsídios para a criação de touros que venham a ser utilizados em todas as atividades tauromáquicas onde os animais são mortos. Em Portugal, no mesmo ano, registaram-se 8280 queixas de telespectadores da RTP a propósito das touradas, mais de metade do total. E as poucas corridas transmitidas revelam quebras de audiência permanentes. As touradas só já são legais em oito países no mundo e as consciências estão a mudar naqueles, como Portugal, onde ainda são permitidas.

“Vemos entrar todos os dias nas nossas vidas relatos de violência atroz, com a situação dramática na Síria a escalar e as organizações humanitárias a pedirem à comunidade internacional menos apatia e indiferença. Se em alguns casos podemos sentir-nos impotentes para uma ação direta mais imediata, naqueles que podemos escolher, estamos a decidir, como comunidade, não contribuir para situações de violência gratuita de qualquer espécie”, refere André Silva, Deputado do PAN.

“A adesão dos estudantes a este referendo e os resultados são reveladores de uma nova geração que está desperta para as mudanças sociais de uma nova época e de uma nova consciência. O resultado inquestionável deste referendo vem reconfirmar que a esmagadora maioria dos portugueses rejeita a tortura de animais para divertimento e pede o fim da tauromaquia”, reforça André Silva.

O QUE SIGNIFICA BULLYING?

O bullying é uma forma de assédio moral através de formas mais ou menos violentas, quer do ponto de vista físico como psicológico. Bullying constitui o gerúndio que tem como raíz a palavra inglesa bull que significa touro, sinónimo de força. Consequentemente, bullying é geralmente traduzido como coerção, assédio ou intimidação, considerando a continuidade da acção que determina o gerúndio.

2396

Por outras palavras, classifica-se indirectamente como um toiro quem exerce tal força bruta como método de intimidação. É um boi bravo a quem o nosso bom-senso sempre recomendou: vai marrar com o combóio de Chelas!

Com o uso, os termos vão adquirindo novos significados. É o que sucede com o termo Parvo que provém do latim parvus e significa pequeno. E, muito outros poderíamos aqui citar.

Mas, o que detemos do significado do termo bullying, é que o sujeito deriva de um toiro – um animal chifrudo e violento que preferimos vê-lo a pastar tranquilamente na lezíria! – e que não venha marrar com os pacíficos humanos que não fazem das artes do toureio a sua profissão.

PROTESTO CONTRA TOURADA JUNTA MEIA CENTENA DE PESSOAS EM PONTE DE LIMA

Mais de meia centena em manifestação pacífica contra touradas em Ponte de Lima

Mais de meia centena de pessoas que contestam as touradas manifestaram-se ontem em Ponte de Lima, próximo do local onde decorreu uma corrida de touros integrada no programa das Feiras Novas.

transferir

"Conseguimos juntar 57 pessoas. Consideramos que foi um sucesso. Conseguimos o que pretendíamos. Sensibilizar para a necessidade de se acabar com estes espetáculos bárbaros”, afirmou hoje à Lusa, a porta-voz do movimento cívico, Liliana Marques.

“Da nossa parte, a ação foi pacífica. Registaram-se algumas tentativas de provocação, mas a polícia ajudou imenso para que tudo corresse sem violência. A PSP foi fantástica. Conseguiu sempre controlar a situação", acrescentou.

O protesto decorreu durante cerca de duas horas, junto à Expolima. Os ativistas empunharam pequenos cartazes e envergaram camisolas com as palavras de ordem, como por exemplo: "Vamos mudar a tradição, Ponte Lima sem touradas".

Contactado pela Lusa, o segundo comandante da PSP, Raul Curva adiantou que "a iniciativa contou com a participação de mais de meia centena de manifestantes".

O responsável acrescentou que "ocorreram algumas injúrias e foi identificada uma pessoa. Foi um protesto pacífico".

O protesto começou cerca das 17:30. Os ativistas "começaram a desmobilizar cerca das 19:00".

A ação foi convocada através das redes sociais, numa página criada para o efeito, intitulada "Ponte de Lima Sem Tauromaquia".

Na publicação, o movimento cívico refere que Ponte de Lima "tem tradições e costumes que, em pleno século XXI, não fazem sentido algum, como maltratar animais para divertimento do ser humano", apelando à participação de "todos os que são contra um ato bárbaro, doentio, psicopata e sádico" naquela concentração.

O espetáculo tauromáquico decorreu numa arena amovível instalada no recinto da Expolima, numa organização da Associação Concelhia das Feiras Novas, romaria que termina na segunda-feira.

As corridas de touros regressaram ao programa das Feiras Novas, em 2014, depois de oito anos de interregno.

Fonte: Agência LUSA

PONTE DE LIMA RECEBE MANIFESTAÇÃO DE PROTESTO CONTRA A TOURADA NAS FEIRAS NOVAS

Está a ser convocada através das redes sociais uma manifestação pacífica de protesto contra a realização da tourada em Ponte de Lima, no próximo dia 10 de Setembro. A organização da iniciativa foi já comunicada à Câmara Municipal de Ponte de Lima, à PSP e GNR.

21272378_10155759840064106_1524375171600014946_n

O protesto deverá decorrer entre as 16:00 e as 20:00 horas, junto à ponte medieval, e destina-se a boicotar a tourada que deverá ter lugar às 18:00, na Expolima. Segundo a página do Facebook propositadamente criada para o efeito, “Ponte de Lima Sem Tauromaquia”, Ponte de Lima tem tradições e costumes que, em pleno século XXI, não fazem sentido algum, como maltratar animais para divertimento do ser humano”. Or organizadores classificam ainda a tourada como um “acto bárbaro, doentio, psicopata e sádico”.

A “Corrida das Dinastias”, assim se denomina a tourada prevista para as Feiras Novas, conta com a participação dos cavaleiros João Bastinhas, João Salgueiro Jr, Soraia Costa (cavaleira praticante); os Forcados Amadores de Montemor capitaneados pelo Cabo António Vacas de Carvalho; os Forcados Amadores do Aposento da Chamusca chefiados pelo Cabo Pedro Coelho dos Reis, os quais vão lidar toiros de António dos Reis e António Valente, num espectáculo a ser abrilhantado pela Banda de Música de Ponte de Lima.

cartaz Tourada_ 2017 (1).JPG

TOURADA PREVISTA PARA AMANHÃ EM VIANA DO CASTELO FOI CANCELADA: FOLHETIM JÁ SATURA OS VIANENSES!

Movimento pró-tourada cancela tourada este ano em Viana do Castelo. Tribunal indeferiu providência cautelar para a instalação de uma arena amovível

O movimento "Vianenses pela Liberdade" anunciou hoje o cancelamento, este ano, de uma corrida de touros em Viana do Castelo após o indeferimento, pelo tribunal, de uma providência cautelar para a instalação de uma arena amovível naquela cidade.

Praca-de-Touros-de-Viana-do-Castelo.jpg

Em declarações hoje à agência Lusa, o porta-voz daquele grupo de aficionados, José Carlos Durães afirmou que "a corrida de touros anunciada para domingo, na Meadela, foi cancelada" e "na segunda-feira o movimento irá reunir para analisar um eventual recurso da decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga".

O Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga indeferiu hoje a providência cautelar interposta pelo movimento "Vianenses pela Liberdade" para a instalação de uma arena amovível para uma tourada a realizar no domingo, num terreno na freguesia de Meadela, na capital do Alto Minho.

De acordo com o despacho judicial, a que a agência Lusa teve acesso, a juíza de turno que julgou o procedimento considerou "totalmente improcedente" a ação movida pelo movimento de aficionados, rejeitando os argumentos invocados de "falta de fundamentação" do indeferimento camarário do passado dia 11, "de violação de direitos fundamentais de acesso à cultura e de livre iniciativa económica, consagrados na nossa Lei Fundamental" e do "uso de manobras dilatórias em violação dos princípios da justiça, da imparcialidade e da boa-fé".

O recurso para aquela instância resultou do indeferimento, pela Câmara de Viana do Castelo indeferiu, no passado dia 11, do pedido de instalação de uma arena amovível para uma tourada, alegando "incumprimento" de vários regimes de ordenamento do território.

De acordo com o documento, a que a agência Lusa teve acesso, a autarquia alegou "a ausência de um projeto de segurança contra incêndios e medidas de autoproteção, uma vez que se trata de um terreno situado na encosta norte do monte de Santa Luzia, considerada zona de elevado risco de incêndio".

Do ponto de vista da segurança, relativamente, à prevenção de incêndios florestais, dada a proximidade de um dos limites com a Serra de Santa Luzia, o local apresenta-se como "um dos mais críticos do concelho", lê-se no documento.

Este ano, a tourada estava anunciada para as 17:00 de domingo, dia dedicado a Nossa Senhora da Agonia e em que se realiza um dos pontos altos da romaria, a procissão ao mar, em honra da padroeira dos pescadores.

Contactada pela Lusa, a porta-voz de um movimento local antitouradas, que marcou para domingo uma manifestação "pacífica" a realizar próximo do local onde estava prevista a corrida de touros, afirmou que a "ação vai manter-se mas em vez de manifestação será um encontro de defensores dos direitos dos animais que irão celebrar o cancelamento da corrida de touros".

"Serão um grupo de amigos que se vão juntar para gritar 'viva'", afirmou Ana Macedo.

Fonte: http://www.dn.pt/

MOVIMENTO ANTITOURADAS VAI À MEADELA PROTESTAR CONTRA A CORRIDA DE TOUROS PREVISTA PARA A OCASIÃO DOS FESTEJOS DA SENHORA D’AGONIA

Movimento antitouradas marca manifestação contra corrida em Viana do Castelo

Ativistas que reclamam o fim das touradas em Viana do Castelo estão a convocar uma manifestação para domingo, na Meadela, próximo do local onde está prevista um evento daquele tipo, disse hoje à Lusa a porta-voz do grupo.

mw-1600.jpg

Segundo Ana Macedo, o protesto "pacífico" está a ser convocado através das redes sociais, na sequência do anúncio, na sexta-feira, pelo movimento "Vianenses pela Liberdade", do pedido de licenciamento de instalação de uma praça de toiros amovível para a realização de uma tourada no domingo, às 17:00, no último dia das festas da Senhora da Agonia.

"Eles querem voltar. Nós não vamos deixar. Junta-te a nós", lê-se na publicação do movimento cívico antitouradas.

Ana Macedo lamentou que o grupo de aficionados tenha decidido dedicar "à mulher de Viana", o espetáculo tauromáquico anunciado para o próximo domingo.

"Lamentamos que tenham dedicado uma coisa destas às mulheres de Viana. É ofensivo porque as mulheres de Viana são inteligentes e humanistas e nada querem ter nada a ver com este tipo de coisa. Tudo faremos para que a manifestação seja muito participada, para, de forma pacífica, dizermos 'não' a um espetáculo que nos querem impor", sustentou a porta-voz dos defensores dos direitos dos animais.

Na sexta-feira, em declarações à agência Lusa, o porta-voz do movimento de aficionados que organiza a corrida de touros, José Carlos Durães, adiantou que "o pedido de licenciamento deu entrada na Câmara de Viana do Castelo no dia 19 de julho".

"No período da audiência prévia, a Câmara solicitou documentação adicional. No passado dia 7 de agosto enviámos os documentos pedidos, nomeadamente, a área de estacionamento de viaturas e a planta do local da tourada e estamos a aguardar uma decisão. Este ano, a Câmara não vai ter como impedir a corrida de touros. Estou a trabalhar no processo de licenciamento desde fevereiro", afirmou.

Na altura, contactada pela Lusa, fonte autárquica informou que "o pedido de licenciamento está a ser apreciado".

A tourada está anunciada para as 17:00 de 20 de agosto, dia dedicado a Nossa Senhora da Agonia e em que se realiza um dos eventos marcantes da romaria, a procissão ao mar, em honra da padroeira dos pescadores.

De acordo com José Carlos Durães, o terreno onde irá decorrer o espetáculo "tem uma área de 29 mil metros quadrados".

"Tem condições para acolher uma praça amovível e ainda fica com 581 lugares de estacionamento", especificou.

O movimento "Vianenses pela Liberdade" foi criado em 2009, depois de a câmara local ter aprovado, por proposta da maioria socialista, uma declaração afirmando Viana como "antitouradas", prevendo não autorizar qualquer evento deste género em terrenos públicos ou privados desde que tal dependesse de decisão do município.

O porta-voz do grupo de aficionados que organiza o espetáculo tauromáquico, "dedicado à mulher vianense", revelou que o cartel integra os nomes de Ana Baptista, Sónia Matias, Soraia Costa e da espanhola Rossia Rogante.

Os grupos de forcados do Montijo e Arronches vão lidar os touros da ganadaria de João Dias Coutinho.

O preço dos bilhetes é de 20 euros e estarão à venda no local da corrida.

Em 2012, para contrariar aquela decisão camarária, a Federação Portuguesa das Associações Taurinas "Prótoiro" realizou em agosto uma tourada no concelho, a primeira depois da aprovação daquela declaração municipal, corrida que se repetiu em 2013.

Em 2014, já com organização do movimento "Vianenses pela Liberdade", a corrida inicialmente prevista para 24 de agosto foi adiada para 07 de setembro "devido a problemas administrativos criados pela Câmara de Viana do Castelo".

Entre 2012 e 2015 as touradas decorreram em Viana do Castelo porque o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga aceitou as providências cautelares apresentadas pelos movimentos de aficionados, para suspender os indeferimentos municipais.

Fonte: Agencia LUSA / Foto: http://sicnoticias.sapo.pt/

VIANA DO CASTELO: AFINAL DE CONTAS, VAI ESTE ANO HAVER TOURADA POR OCASIÃO DAS FESTAS DA SENHORA D’AGONIA!

Ao contrário do que anteriormente anunciámos, tudo leva a crer que o espectáculo tauromáquico está de volta a Viana do Castelo e deverá realizar-se na localidade da Meadela, no próximo dia 20 de Agosto. Resta agora saber se a autarquia vianense vai licenciar a sua realização. Até ao momento, desconhece-se a convocação de qualquer manifestação de protesto como as ocorridas em anos anteriores.

12321382_879261828849357_8375249733056776542_n.jpg

Movimento Vianenses pela Liberdade anuncia tourada na Meadela no dia da Senhora da Agonia

O movimento “Vianenses pela Liberdade” anunciou hoje a data de 20 de agosto para a realização de uma tourada na freguesia de Meadela, Viana do Castelo, no último dia das Festas da Agonia, dedicado à padroeira dos pescadores.

O porta-voz do movimento cívico, José Carlos Durães, adiantou que “o pedido de licenciamento deu entrada na Câmara de Viana do Castelo no dia 19 de julho”.

“No período da audiência prévia, a Câmara solicitou documentação adicional. No passado dia 07 de agosto enviámos os documentos pedidos, nomeadamente, a área de estacionamento de viaturas e a planta do local da tourada e estamos a aguardar uma decisão. Este ano, a Câmara não vai ter como impedir a corrida de touros. Estou a trabalhar no processo de licenciamento desde fevereiro”, afirmou.

Fonte da Câmara de Viana do Castelo informou que “o pedido de licenciamento está a ser apreciado”.

Em 2016, o movimento “Vianenses pela Liberdade” não realizou o espetáculo tauromáquico “por não ter conseguido enquadrá-lo” no programa da romaria d’ Agonia.

Este ano, a tourada está anunciada para as 17:00 do dia 20 de agosto, dedicado a Nossa Senhora da Agonia e em que se realiza um dos pontos altos da romaria, a procissão ao mar, em honra da padroeira dos pescadores.

De acordo com José Carlos Durães, o terreno onde irá decorrer o espetáculo “tem uma área de 29 mil metros quadrados”.

“Tem condições para acolher uma praça amovível e ainda fica com 581 lugares de estacionamento”, especificou.

O movimento “Vianenses pela Liberdade” foi criado em 2009, depois de a câmara local ter aprovado, por proposta da maioria socialista, uma declaração afirmando Viana como “antitouradas”, prevendo não autorizar qualquer evento deste género em terrenos públicos ou privados desde que tal dependesse de decisão do município.

O porta-voz do grupo de aficionados que organiza o espetáculo tauromáquico, “dedicado à mulher vianense”, revelou que o cartel integra os nomes de Ana Baptista, Sónia Matias, Soraia Costa e da espanhola Rossia Rogante.

Os grupos de forcados do Montijo e Arronches vão lidar os touros da ganadaria de João Dias Coutinho.

O preço dos bilhetes é de 20 euros e estarão à venda no local da corrida.

Fonte: Andrea Cruz / http://radioaltominho.pt/

Fotos: www.olhartaurino.blogspot.pt / https://www.facebook.com/VianensesPelaLiberdade/

1148948_440823112693233_218006690_n.jpg

VIANA DO CASTELO NÃO VAI ESTE ANO TER TOURADA POR OCASIÃO DAS FESTAS DA SENHORA D’AGONIA … MAS AINDA NÃO É DESTA QUE OS VIANENSES VÃO PODER ASSISTIR A PATINAGEM ARTÍSTICA NO REDONDEL DA ARGAÇOSA!

Este ano não haverá tourada em Viana do Castelo!

Remonta a 1871 a realização da primeira corrida de touros em Viana do Castelo, com a instalação de uma praça em madeira, por ocasião das festas em honra de Nossa Senhora d’Agonia.

1148948_440823112693233_218006690_n.jpg

Em 1949, foi construída a actual praça, vulgarmente conhecida por Redondel da Argaçosa, dispondo de 4900 lugares e 18 camarotes e ainda de uma pequena capela no interior. Porém, em 2009, a autarquia vianense declarou Viana do Castelo como “cidade anti-touradas” e adquiriu aquele equipamento pelo preço simbólico de 5127,74 euros.

O Município de Viana do Castelo tinha então como intenção criar naquele espaço um Centro ou Museu de Ciência Viva, ideia pouco tempo depois abandonada para dar lugar a um “Centro de Mar”. Os projectos sucederam-se ao mesmo ritmo que foram sendo abandonados: depois do museu de ciência viva e do “centro de mar”, sugeriu-se a instalação de um espaço de restauração e actividades náuticas e admitiu-se mesmo a possibilidade da sua demolição.

Porém, em 2014, os autarcas vianenses decidiram transformar o local num espaço desportivo polivalente com vista à prática de ginástica, esgrima, voleibol, patinagem artística, hóquei em patins e basquetebol, de acordo com projecto aprovado no passado dia 3 de Agosto e orçado em cerca de 3,5 milhões de euros, a ser gerida pela Escola Desportiva de Viana do Castelo.

Uma coisa é certa: este ano não vai haver tourada em Viana do Castelo nem patinagem artística no Redondel da Argaçosa. Aos aficionados da tauromaquia, resta-lhes a possibilidade de se deslocarem a Ponte de Lima para assistirem à corrida de touros que ali vai realizar-se por ocasião das Feiras Novas.

1229805_440823099359901_1699824593_n.jpg

cartaz Tourada_ 2017 (1).JPG

PONTE DE LIMA CORRE VACA DAS CORDAS

Tradicional Vaca das Cordas em Ponte de Lima realiza-se amanhã, Quarta-feira, 14 de junho / 18 horas

Ponte de Lima vive esta quarta-feira a tradicional Corrida da “Vaca das Cordas”.

A tradição secular que atrai à Vila de Ponte de Lima milhares de forasteiros, acontece como habitualmente ao final da tarde desta quarta-feira, na véspera do feriado do Corpo de Deus.

v_cordas_foto_lethes_.jpg

 As atenções concentram-se no Centro Histórico, e na Rua do Arrabalde, onde começa a corrida da "Vaca das Cordas", seguindo em direção à Matriz cumprindo a tradição de dar três voltas à igreja. É um dia de festa, que mostra a alma e a tradição do povo.

Ponte de Lima acolhe milhares de forasteiros que desfrutam a noite a deliciar-se com a saborosa gastronomia e a assistir a este momento cheio de simbolismo e tradição.

A tradição cumpre-se, ainda, durante a noite com a confeção dos tapetes de flores nas ruas do Centro Histórico de Ponte de Lima. Amanhã, quinta-feira, a partir das 16h30 horas, realiza-se a Procissão do Corpo de Deus.