Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MINHOTOS NA SUIÇA DANÇAM EM LAUSANA

Lausana é uma pequena cidade na Suiça francófona onde trabalha e reside a esmagadora maioria dos portugueses emigrados naquele país, contando-se em perto de duzentas mil pessoas. Entre eles, destaca-se a comunidade minhota que possui no Rancho Folclórico Os Minhotos de Lausanne um dos seus principais estandartes em terras helvéticas.

23519286_1830025017025335_1110322297524322551_n

Como refere o seu historial, o Rancho folclórico Os Minhotos foi fundado em finais de 1974 por Helena Vasques e suas filhas que pertenciam à Associação Democrática dos Trabalhadores Portugueses Emigrantes de Lausanne (A D T P E L), também ela fundada nesse mesmo ano logo após o 25 de Abril por um grupo de pessoas das quais algumas ainda se encontram hoje aqui na Suíça e bem conhecidas, entre elas o Sr. António Cunha.

Helena Vasques motivou algumas pessoas para dançar e tocar, tendo procurado várias músicas e danças. Na altura, o tocador de concertina que arranjaram foi o Sr. Bonfim, que morava em Orbe, tendo assim de o ir buscar e levar a Orbe todas as vezes para os ensaios que eram feitos numa sala do Cazar em Lausanne. As primeiras actuações começaram no final de 1975. Ao longo dos anos, foram muitas as actuações que se concretizaram em festivais na Suíça, França e Alemanha.

Este rancho começou com um grupo de adultos, mas mais tarde foi também formado um grupo infantil que, no total, chegou a ter 95 elementos, até ao ano de 2008 quando esta associação foi dissolvida.

Com muito esforço e dedicação e dificuldade em arranjar locais para ensaiar, o grupo nunca deixou de existir por força de vontade de alguns membros entre outros, Florbela Teixeira, Palmira Mendes e Albino Pinheiral, presidente até 2017 do Rancho e da Associação Cultural Portuguesa norte/sul que foi fundada em 2009 para manter viva nossa cultura e as nossas raízes junto dos mais novos. Este espirito de associativismo continua hoje vivo na sede e sala de ensaios em Ch. Du Chêne 19 em Renens onde o grupo ensaia ás sexta-feira á noite. O Rancho Folclórico possui aproximadamente 50 elementos, tendo continuado a participar em vários festivais na Suíça, França e Luxemburgo."

As sua próximas iniciativas são as seguintes:

3.3.2018 – Torneio de Sueca

10.03.2018 – Dia da Mulher

21.04.2018 – Atuação do Rancho “Os Minhotos” em “Os Amigos do Arcuense”

22.9.2018 – Festival Folclórico do Rancho “Os Minhotos” em Renens

8.12.2018 – Festa de Natal ACPns

13466427_1283920288302480_5579568008723062447_n

HISTORIADOR DANIEL BASTOS LEVA A TERRAS HELVÉTICAS NO DIA DE PORTUGAL LIVRO SOBRE A EMIGRAÇÃO PORTUGUESA

Livro sobre a emigração portuguesa apresentado na Suíça no Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas

No passado dia 10 de Junho, celebrado como Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, foi apresentado em Genebra, na Suíça, um dos principais destinos da emigração portuguesa, o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.

O historiador Daniel Bastos na Livraria Camões em Genebra, ladeado pelo tradutor Paulo Teixeira (esq.), e o antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa (dir.).JPG

O historiador Daniel Bastos na Livraria Camões em Genebra, ladeado pelo tradutor Paulo Teixeira (à esquerda), e o antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa (à direita)

 

A obra, uma edição bilingue em português e francês, concebida pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a gesta da emigração portuguesa para o centro da Europa nos anos 60 e 70, foi apresentada na Livraria Camões, um espaço cultural de referência da lusofonia em terras helvéticas, e esteve a cargo do tradutor Paulo Teixeira, e do antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa.

No decurso da sessão, que contou com a presença de vários representantes da comunidade portuguesa em Genebra, assim como do apresentador e jornalista Jorge Gabriel, que no âmbito do programa “Aqui Portugal” dedicado ao 25.º aniversário da RTP Internacional esteve em antena a partir da Livraria Camões, e do Cônsul-geral de Portugal em Genebra, Miguel de Calheiros Velozo, todos foram unânimes em considerar que as fotografias de Gérald Bloncourt constituem um contributo fundamental para a história da emigração portuguesa.

Da dir. para a esq. o apresentador e jornalista Jorge Gabriel, o proprietário da Livraria Camões, António Pinheiro, o historiador Daniel Bastos, o tradutor Paulo Teixeira, e o antigo dirigente associativo e sindical.JPG

A contar da direita, o apresentador e jornalista Jorge Gabriel, o proprietário da Livraria Camões, António Pinheiro, o historiador Daniel Bastos, o tradutor Paulo Teixeira, e o antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa.

 

O historiador Daniel Bastos e o Cônsul-geral de Portugal em Genebra, Miguel de Calheiros Velozo, ladeados pelo tradutor Paulo Teixeira (esq.), e o antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa (di.JPG

O historiador Daniel Bastos e o Cônsul-geral de Portugal em Genebra, Miguel de Calheiros Velozo, ladeados pelo tradutor Paulo Teixeira (à esquerda), e o antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa (à direita)

 

Segundo Daniel Bastos, a edição do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt e apresentação do livro em Genebra, na Suíça, um dos principais destinos da emigração portuguesa, cuja comunidade é a terceira maior em terras helvécias, representam “um justo reconhecimento aos protagonistas anónimos da história portuguesa que lutaram aquém e além-fronteiras pelo direito a uma vida melhor e à liberdade”.

Refira-se que a sessão de apresentação, que impulsionou uma enriquecedora tertúlia que revisitou experiências, memórias e testemunhos sobre o fenómeno da emigração lusitana, em particular na Suíça, incluiu um Porto de Honra, um produto emblemático da cultura portuguesa.

4Daniebastoss (4).JPG

4Daniebastoss (7).JPG

4Daniebastoss (1).JPG

4Daniebastoss (2).JPG

4Daniebastoss (3).JPG

4Daniebastoss (10).JPG

DANIEL BASTOS APRESENTA EM GENEBRA LIVRO SOBRE A EMIGRAÇÃO PORTUGUESA

No Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, 10 de junho (sábado), é apresentado em Genebra, na Suíça, um dos principais destinos da emigração portuguesa, o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.

O historiador Daniel Bastos (esq.) acompanhado do      tradutor Paulo Teixeira

O historiador Daniel Bastos (esq.) acompanhado do tradutor Paulo Teixeira

 

A obra, concebida pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa, é apresentada às 18h00 na Livraria Camões, um espaço cultural que se assume como uma embaixada da lusofonia em terras helvéticas. 

A apresentação do livro, uma edição bilingue em português e francês, com prefácio do pensador Eduardo Lourenço, direcionada à comunidade portuguesa que é a terceira maior comunidade estrangeira da Suíça, estimada em 270.000 pessoas, estará a cargo do tradutor Paulo Teixeira, e do antigo dirigente associativo e sindical na Suíça, Manuel Barbosa.

Composta por um conjunto de centena e meia de fotografias da maior importância para a história portuguesa do último meio século, como as que Gérald Bloncourt captou sobre a vida dos emigrantes portugueses nos bidonvilles parisienses, a obra reúne ainda memórias, testemunhos e imagens originais que o fotógrafo francês realizou durante a sua primeira viagem a Portugal na década de 1960, onde retratou o quotidiano das cidades de Lisboa, Porto e Chaves. Assim como as da viagem a “salto” que fez com emigrantes lusos além Pirenéus, e as das comemorações do 1.º de Maio de 1974 em Lisboa, que permanecem como a maior manifestação popular da história portuguesa.

Segundo Daniel Bastos, cujo percurso tem sido alicerçado junto das comunidades lusófonas, a edição do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt, constitui “um justo reconhecimento aos protagonistas anónimos da história portuguesa que lutaram aquém e além-fronteiras pelo direito a uma vida melhor e à liberdade”.

Refira-se que desde o seu lançamento, o livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”, além dos vários distritos do território nacional, foi já apresentado junto das comunidades portuguesas em Paris, Luxemburgo, Toronto, Bruxelas, e agora em Genebra, a segunda mais populosa cidade suíça.

Capa do livro

FOLCLORE JUNTA MINHOTOS NA SUÍÇA

O Rancho Folclórico Português de Aarburg foi fundado a 27 de Maio de 1995 por um Grupo de Amigos e entusiastas pelas culturas dos nossos antepassados.

Aarburg (2).jpg

Desde então tem vindo a manter bem viva as nossas Tradições por terras Helveticas e por onde tem passado como em França, no Principado do Mónaco, Luxemburgo, Portugal, Itália, tendo também já Participado em um Festival de Competição na Alemanha.

O Rancho Folclórico Português de Aarburg realiza anualmente o seu Festival de Folclore contando com a participação de Grupos do nosso querido Portugal, Suíça , França, Alemanha, Luxemburgo entre outros.

Este Grupo é composto por 52 componentes que representam bem vivas as Culturas do Baixo Minho.

O Grupo Folclórico é Membro Efectivo e Fundador da Federação Portuguesa de Folclore na Suíça.

A sua Festada é composta por:

Concertinas, Viola Braguesa, Cavaquinhos, Bombo Romeiro, Violão, Flauta, Ferrinhos e Reco- reco e os nossos dançadores com as Castanholas.

Fazemo-nos Representar com Trajes de Lavradeiras Ricas, Trajes de Feira, Trajes de Campo e Trajes de Trabalho.

Este ano comemoramos os 22 anos de existência e dia 17 de Junho realizamos o XVI Festival de Folclore com participações de de Grupos de Folclore vindos de outras comunidades portuguesas como o Luxemburgo e também de Portugal.

Participações:

Rancho Folclórico Português de Aarburg, Suiça

Rancho Folclórico de Wetzicon, Suíça

Grupo Etnográfico do Alto Minho, Luxemburgo

Grupo Etnográfico de Vila das Aves, Portugal

Ainda Vamos ter convidados especiais, Drª. Elizabete Faria, Presidente da Junta de Freguesia de Vila das Aves, Carlos Valente, Presidente da dos Bombeiros Voluntários de Vila das Aves, Camilo Cruz da Rusga de Joane e ainda Sérgio da Fonseca a fazer cobertura do Festival pela Rádio do Folclore Português.

Aarburg 1.png

Aarburg 2.png

Aarburg 3.png

Aarburg 4.jpg

Aarburg.jpg