Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CASA DO CONCELHO DE ARCOS DE VALDEVEZ DISCORDA DA EXPLORAÇÃO DE LÍTIO NA NOSSA REGIÃO

44460872_2133163440069274_3494356199132889088_n.jpg

A propósito da exploração do lítio no Minho, nomeadamente na Serra d'Arga, o BLOGUE DO MINHO questionou junto de Joaquim Cerqueira de Brito, Presidente da Direcção da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, em Lisboa, qual a posição daquela Instituição regionalista. E obtivémos a seguinte resposta:

“A Casa do Concelho de Arcos de Valdevez discorda completamente. Temos que defender e preservar aquilo que é mais belo no nosso País, a Natureza

Além de tudo isso, é preciso defender o bem estar das populações , que começa pela qualidade de vida.”

CASA DO MINHO EM LISBOA DISCORDA DA EXPLORAÇÃO DO LÍTIO NA SERRA D’ARGA

33696530_1873248869378480_4787462172106031104_n.jpg

A propósito da exploração do lítio no Minho, nomeadamente na Serra d'Arga, o BLOGUE DO MINHO questionou junto Paulo Duque, Presidente da Direcção da Casa do Minho em Lisboa, qual a posição daquela Instituição regionalista. E obtivémos a seguinte resposta:

“Discordo plenamente, quer em termos ambientais quer em termos paisagísticos. Sendo a Serra D’Arga um local de eleição e também protegida, continua a ser um dos locais mais genuínos do Alto Minho.

Não entendo como protegem o Lobo Ibérico (concordo com a sua protecção) que tem causado grande prejuízo a toda a população, que a sua sustentabilidade continua a ser a pastorícia e não querem proteger a própria serra.

No passado, vejamos as minas de Covas, em Vila Nova de Cerveira, que a poluição até hoje afectou muito em termos ambientais, nomeadamente o Rio Coura.

Como presidente da Casa do Minho, não gostaria de ver a Serra D’Arga de outra forma da que está hoje ou seja, sem poluição.”

Este e muitos outros de interesse para a nossa região não têm merecido a preocupação de muitas casas regionais como deveria, apesar de inscreverem no preâmbulo dos seus estatutos a defesa dos interesses locais. Este é um bom exemplo daquilo para que deve servir uma casa regional!

CAMINHA, VIANA E PONTE DE LIMA AMBICIONAM FAZER DA SERRA D’ARGA UMA ÁREA PROTEGIDA DE ÂMBITO REGIONAL

Caminha assinalou o Dia Internacional da Biodiversidade com a apresentação do projeto "Da Serra d'Arga à Foz do Âncora" e uma sessão subordinada ao tema “Conservação, Proteção e Promoção do Património Natural e Cultural”. Sobre a importância deste projeto para os três Município, Miguel Alves disse: “a nossa prioridade absoluta é proteger, conservar e promover o património que temos na Serra d’Arga. Fazemos com este trabalho de valorização da Serra d’Arga uma muralha perante aqueles que quiserem, eventualmente, atacar a biodiversidade da Serra d’Arga, os seus valores naturais e culturais”.

apresentação projeto (1).jpg

O presidente da Câmara de Caminha realçou ainda: “este trabalho é um trabalho que nasce de um projeto e diz tudo sobre a ambição dos três concelhos (Caminha, Viana do Castelo e Ponte de Lima): fazer da Serra d’Arga uma área protegida de incidência regional.Trata-se de um investimento de 350 mil euros na promoção e valorização da Serra d’Arga. Acreditamos na Serra d’Arga e temos um propósito que é dar a conhecer a mais gente a Serra d’Arga, trazer as pessoas à serra d’Arga, levar a Serra d’Arga às pessoas”.

Para Vitor Mendes, presidente da Câmara de Ponte de Lima, disse tratar-se de “um dia histórico”: “é um grande projeto que queremos que seja uma referência nacional. É um projeto que só terá sucesso se tiver o envolvimento da sociedade civil”.

apresentação projeto (2).jpg

O vereador do Ambiente do Município de Viana do Castelo, Ricardo Carvalhido, realçou que o objetivo é “classificar este território como paisagem protegida de âmbito regional”.

Miguel Alves sublinhou ainda que este projeto "Da Serra d'Arga à Foz do Âncora" para além de estar inserido numa estratégia para a Serra d’Arga, está também inserido num projeto que o Município tem para o concelho de Caminha. “Não é só a Serra d’Arga que nós queremos valorizar e proteger. Nos queremos proteger as florestas, os leitos do rio e o Estuário do Rio Minho. Somos daqueles que trabalhamos por todo o concelho de Caminha”.

O presidente da Câmara lembrou o investimento de cerca de um milhão de euros que tem sido feito na valorização do património na Serra d’Arga e que comprova que o Município está empenhado em investir e preservar esse património. “Em Caminha, temos sabido fazer aquilo que até há 5 anos nunca ninguém tinha feito: investir na Serra d’Arga e no seu património. Investimos este dinheiro porque acreditamos na Serra d’Arga. Para além deste projeto, está em curso um projeto de promoção dos Caminhos dos romeiros de São João d’Arga; execução da eletrificação e a recuperação e valorização do Mosteiro de são João d’Arga”.

apresentação projeto (3).jpg

É de referir que o projeto "Da Serra d'Arga à Foz do Âncora" é um trabalho conjunto dos municípios de Caminha, Viana do Castelo e Ponte de Lima,  cujo objetivo é fazer com que a Serra d’Arga se torne uma referência da paisagem portuguesa, nos domínios dos valores naturais e culturais, através da qualificação, proteção e promoção da sua singularidade paisagística, respeitando a identidade do lugar e a ancestral simbiose entre o homem e a natureza.

O âmbito territorial deste projeto intermunicipal incide sobre o território classificado como Sítio de Importância Comunitária da Rede Natura 2000 “Serra de Arga”, que inclui parte do vale do Rio Âncora e o maciço serrano propriamente dito e corresponde a uma área com 4.493 hectares.

Tendo como principal finalidade divulgar a Serra d’Argaforam criados diversos produtos que resultam das ações e atividades realizadas, nomeadamente estudos técnicos e materiais de divulgação para o público em geral. Deste modo, no âmbito do Atlas da Flora foram identificadas: 546 espécies de flora vascular; 476 táxones nativos; 70 espécies exóticas e 32 espécies RELAPE (Raras, endémicas, localizadas e ameaçadas ou em perigo de extinção). Neste âmbito, registou-se uma descoberta notável: a Scrophulariabourgaeana, encontrada em Arga de Cima, e que é um endemismo ibérico. No âmbito do Atlas da Fauna foram identificadas:126 espécies de aves; 10 espécies de anfíbios; 12 espécies de répteis; 23 espécies de mamíferos não voadores; 10 espécies de mamíferos voadores e 5 espécies de peixes. No âmbito do Atlas da Geologia, foram encontrados 60 elementos geológicos, a maior parte no âmbito da geologia e geomorfologia, 2 no âmbito da hidrologia/hidrogeologia e 4 âmbito cultural (relação com a geologia).

O Projeto “Da Serra d’Arga à Foz do Âncora” foi cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020 (NORTE 2020), no âmbito do Eixo Prioritário “Qualidade Ambiental” e Objetivo Temático “Preservar e proteger o ambiente e promover a utilização eficiente dos recursos”. O projeto enquadra-se ainda na Prioridade de Investimento “6.3 Conservação, Proteção, Promoção e Desenvolvimento do Património Natural e Cultural”.

A sessão de apresentação decorreu no Mosteiro de São João d’Arga. "Da Serra d'Arga à Foz do Âncora" foi apresentado Guilherme Lagido Domingos, vice-presidente do Município de Caminha. Para além da apresentação do projeto, esta sessão incluiu mais dois painéis: paisagem e Cultura na Serra d’Arga com as comunicações “Estratégia para a proteção da paisagem” e “Inventário do património arquitetónico e imaterial” e Biodiversidade, geodiversidade e serviços de ecossistemas, que incluiu as seguintes intervenções: “Flora da serra d’Arga, uma joia esquecida”; “património faunístico da Serra d’Arga; “Geologia da Serra d’Arga, um património a descobrir” e “Avaliação dos serviços de ecossitemas na Serra d’Arga”.

apresentação projeto (4).jpg

APRESENTADA LOGOMARCA E MATERIAIS PROMOCIONAIS DA SERRA D’ARGA

Os municípios de Caminha, Ponte de Lima e Viana do Castelo apresentaram, na passada terça-feira, os resultados da primeira fase, bem como a logomarca e materiais promocionais do projeto "Da Serra d'Arga à Foz do Âncora", cujo objetivo é fazer com que a Serra d’Arga se torne uma referência da paisagem portuguesa, nos domínios dos valores naturais e culturais, através da qualificação, proteção e promoção da sua singularidade paisagística, respeitando a identidade do lugar e a ancestral simbiose entre o homem e a natureza.

apresentação projeto Serra d Arga (1).jpg

Os autarcas dos três municípios sublinharam as potencialidades deste projeto para a Serra d’Arga e para os respetivos concelhos. Miguel Alves, presidente da Câmara de Caminha, referiu a importância de “reunir os instrumentos e começar a fazer um caminho de valorização efetiva da Serra d’Arga”. Para o autarca de Caminha ‘não basta a simbologia da Serra. Pois, Serra d’Arga é valorização do património natural, paisagístico, humano, económico que é possível valorizar no contexto dos nossos concelhos’. Este é um investimento importante para a Serra d’Arga e para os nossos concelhos”, rematou.

Vitor Mendes, presidente da Câmara de Ponte de Lima, disse tratar-se de “um dia histórico”: “é um dia muito importante para nós. É um dia em que os autarcas do Alto-Minho dão um grande exemplo a nível nacional. É o início de um grande projeto, um projeto que só terá sucesso se tiver o envolvimento das populações locais”.

O vereador do Ambiente do Município de Viana do Castelo, Ricardo Carvalhido, referiu-se à Serra d’Arga como a “galinha dos ovos de ouro”, sublinhando que esteve muito esquecida até agora. “Temos aqui um património que é fundamental explorar. A primeira parte, a do inventário, está feita. O interesse agora é classificar este território como paisagem protegida de âmbito regional”, concluiu.

apresentação projeto Serra d Arga (2).jpg

A sessão de apresentação decorreu nos Quartéis de Santa Justa, em Ponte de Lima. Durante a apresentação da logomarca e materiais promocionais deste projeto, Guilherme Lagido Domingos, vice-presidente do Município de Caminha, referiu que a próxima apresentação deste projeto decorrerá em São João d’Arga, Caminha, no dia 22 de maio, Dia Mundial da Biodiversidade. Esta será uma sessão mais pormenorizada do conteúdo de cada um dos domínios e direcionada para os especialistas nesta área.

O âmbito territorial deste projeto intermunicipal incide sobre o território classificado como Sítio de Importância Comunitária da Rede Natura 2000 “Serra de Arga”, que inclui parte do vale do Rio Âncora e o maciço serrano propriamente dito e corresponde a uma área com 4.493 hectares.

Os principais objetivos do projeto foram: atualizar o conhecimento sobre o território nas suas diferentes variáveis - paisagem, flora, fauna, geologia, património cultural e imaterial, serviços dos ecossistemas, dinâmica turística e socio economia; promover turisticamente o território e divulgar os seus valores naturais, culturais e paisagísticos; promover a interpretação dos trilhos existentes e associar o território a uma marca.

Tendo como principal finalidade divulgar a Serra d’Argaforam criados diversos produtos que resultam das ações e atividades realizadas, nomeadamente estudos técnicos e materiais de divulgação para o público em geral. Deste modo, no âmbito do Atlas da Flora foram identificadas: 546 espécies de flora vascular; 476 táxones nativos; 70 espécies exóticas e 32 espécies RELAPE (Raras, endémicas, localizadas e ameaçadas ou em perigo de extinção). Neste âmbito, registou-se uma descoberta notável: a Scrophulariabourgaeana, encontrada em Arga de Cima, e que é um endemismo ibérico. No âmbito do Atlas da Fauna foram identificadas:126 espécies de aves; 10 espécies de anfíbios; 12 espécies de répteis; 23 espécies de mamíferos não voadores; 10 espécies de mamíferos voadores e 5 espécies de peixes. No âmbito do Atlas da Geologia, foram encontrados 60 elementos geológicos, a maior parte no âmbito da geologia e geomorfologia, 2 no âmbito da hidrologia/hidrogeologia e 4 âmbito cultural (relação com a geologia).

Com vista à disseminação do conhecimento e também à promoção turística do território da Serra d’Arga, o projeto intermunicipal inclui diversos materiais de divulgação. Esta sessão incluiu o lançamento da logomarca e a disponibilização ao público de informação sobre o território, com destaque para a aplicação móvel para acompanhamento dos seis trilhos pedestres existentes (os trilhos do Cabeço do Meio Dia e da Chã Grande (Caminha), os trilhos da Montanha Sagrada e dos Pastores (Viana do Castelo) e os trilhos do Cerquido e do Lobo Atlântico (Ponte de Lima), correspondendo a um total de 70 km percorridos por uma equipa pluridisciplinar). Esta aplicação móvel permite aos utilizadores acompanhar o seu progresso ao longo do trilho e receber alertas sobre a localização de pontos de interesse específicos, a partir dos quais é possível aceder a informação mais detalhada.

Foram apresentadas cinco brochuras temáticas (Paisagem e Cultura, Trilhos Pedestres, Flora, Fauna e Geologia) em português e inglês, cujo objetivo é sensibilizar as populações para a conservação da Paisagem e da Cultura do Sítio de Importância Comunitária “Serra de Arga”.

Nas áreas da imagem e da multimédia foram divulgados um vídeo promocional, com cerca de 2 minutos de duração; e o website serradarga.pt, que constitui o repositório de toda a informação produzida durante o período de desenvolvimento do projeto e permite aceder a todo o manancial de conhecimento gerado sobre a Serra d’Arga.

O Projeto “Da Serra d’Arga à Foz do Âncora” foi cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020 (NORTE 2020), no âmbito do Eixo Prioritário “Qualidade Ambiental” e Objetivo Temático “Preservar e proteger o ambiente e promover a utilização eficiente dos recursos”. O projeto enquadra-se ainda na Prioridade de Investimento “6.3 Conservação, Proteção, Promoção e Desenvolvimento do Património Natural e Cultural”.

apresentação projeto Serra d Arga (3).jpg

CÂMARA DE CAMINHA PREPARA INVESTIMENTO DE 120 MIL EUROS PARA CONSOLIDAR A “MARCA” SERRA D’ARGA

Candidatura aposta no reforço e preservação dos recursos para dinamizar a oferta turística

A Câmara Municipal de Caminha acaba de submeter uma candidatura para potenciar a Serra d’Arga, denominada “Qualificação das Experiências de Touring Cultural do Minho - Caminhos de São João d’Arga”. Trata-se de mais um investimento que aposta no reforço e preservação dos recursos para dinamizar a oferta turística da Serra d’Arga, no montante de 120 mil euros.

Serra d'Argaaa.jpg

Este projeto para potenciar a Serra d’Arga tem como objetivos contribuir para a classificação, a preservação, a certificação e a qualificação dos recursos patrimoniais em que assenta este produto turístico, tendo em vista a estruturação em rede da oferta turística.

Deste modo, a  “Qualificação das Experiências de Touring Cultural do Minho - Caminhos de São João d’Arga” pretende preservar, potenciar e promover as "marcas" da Serra d'Arga - A Romaria de São João d'Arga, ampliando o seu valor na região, bem como criar condições materiais, de segurança, de informação e de comunicação que ofereçam aos turistas itinerários e experiências de elevado valor cultural, potenciando os recursos endógenos das povoações locais.

De acordo com o projeto, os investimentos em causa são: identificação, interpretação, marcação e colocação de sinalética em quatro percursos pedestres associados às tradições da romaria de São João d’Arga (Caminha- Arga de São João, Vila Praia de Âncora – Arga de São João, Arga de Cima – Arga de São João e Arga de Baixo – Arga de São João), numa extensão aproximada de 50 Km; produção de brochura promocional em português e inglês; produção de conteúdos interpretativos para aplicação móvel; requalificação do Pontão do Lobo, em Arga de Cima; requalificação da Casa da Professora, em Arga de Baixo; ações de dinamização e promoção do território-alvo e dos valores naturais e endógenos.

Esta candidatura foi apresentada ao NORTE2020 – Aviso N.º NORTE-28-2018-04.

ATLETAS ARCUENSES DESTACAM-SE NO GRANDE TRAIL SERRA D'ARGA 2018

Paula Costa Campeã dos 14Km do Grande Trail Serra D'Arga 2018. CAAV subiu por 7 vezes ao pódio

A equipa de Trail do Centro de Atletismo de Arcos de Valdevez esteve em grande evidência no Grande Trail Serra D'Arga 2018, que se disputou nos dias 22 e 23 de Setembro e contou com 2.000 participantes.

IMG_20180923_201548_564

O primeiro dia de competição foi destinado ao Trail Vertical, no qual os atletas tiveram de partir da freguesia Limiana de Estorãos e percorrer os cerca de 4 km de distância com mais de 800m de desnível positivo até ao mítico Alto da Senhora do Minho, já em concelho de Viana do Castelo. Pelo CAAV, nesta autêntica "escalada" alinharam Paula Costa e Rúben Veloso, alcançando um 4º e 5º lugar da geral feminina e masculina respetivamente.

FB_IMG_1538489925052

No segundo dia de competição os atletas do CAAV dividiram-se entre os 14Km para os mais rápidos e os 21Km para os mais resistentes.

Nos 14Km o Centro de Atletismo de Arcos de Valdevez foi um dos grandes dominadores, através do 1º e 2º lugar da Geral Feminina, com Paula Costa a vencer a prova e Diana Costa a alcançar o 2º lugar, bem como através do 3º lugar da Geral Masculina pelo Rúben Veloso que foi o melhor português em prova, apenas superado por dois atletas internacionais de Cabo Verde. Além dos prémios da Geral, todos os 3 atletas do CAAV premiados na Geral receberam ainda o prémio do seu escalão (Sénior), repetindo o mesmo lugar do pódio. Ainda nos 14Km, o CAAV sagrou-se Vice-Campeão da Geral por equipas (sem distinção de escalão/género), pontuando Rúben Veloso, Carlos Loureiro (que foi 6º no escalão M40) e Paula Costa. Ainda no Top5 ficou David Gomes, 5º no escalão M60. Filipe Brito ficou no 68º lugar do escalão Sénior.

Nos 21Km pelo CAAV alinharam Manuel Pinto que foi 15º no escalão M50, Manuel Gomes 50º M40 e Miguel Martins 139º Sénior.

Trail Vertical

Femininos

4ª Sénior Geral 50:41 Paula Costa (4ª Geral)

Masculinos

5º Sénior Geral 36:25 Rúben Veloso (5º Geral)

Trail 14Km

Femininos

1ª Sénior 1:37:58 Paula Costa (1ª Geral)

2ª Sénior 1:44:00 Diana Costa (2ª Geral)

Masculinos

3º Sénior 1:18:01 Rúben Veloso (3º Geral)

6º M40 1:31:43 Carlos Loureiro (22º Geral)

5º M60 2:32:07 David Coelho

68º M40 2:37:52 Filipe Brito

2º lugar Classificação Geral Coletiva

Trail 21Km

Masculinos

50º M40 3:04:21 Manuel Gomes

15º M50 3:10:04 Manuel Pinto

139º Sénior 4:20:54 Miguel Martins

FB_IMG_1537711363253

FEIRA AGRÍCOLA DE VILA PRAIA DE ÂNCORA É UM FESTIVAL DE PALADARES

Terminou ontem a Feira Agrícola e dos Produtos Tradicionais que se realizou em Vila Praia de Âncora. E, porque esta localidade não é apenas praia e terra de bom peixe, durante três dias mostrou o que de melhor possui no que respeita a produtos tradicionais dos mais diferentes gostos e paladares.

42256258_1863239717063882_2183194200827232256_n

Das terras em redor do concelho de Caminha, do alto da serra d’Arga às povoações ribeirinhas e do Vale d’Âncora, até à vizinha localidade de Vile, veio o mel e os mais deliciosos sabores da doçaria tradicional, os enchidos, a pecuária e um sei lá de iguarias da nossa cozinha tradicional.

Vila Praia de Âncora e o concelho de Caminha de que faz parte é terra onde corre o leite e o mel – é um doce e delicado paraíso em pleno Alto Minho!

42147886_1863239253730595_2612888503217815552_n

42257244_1863239067063947_8849076971427069952_n

42261199_1863239830397204_1167164191686000640_n

42266830_1863240883730432_2375457192061960192_n

42269579_1863239290397258_8553826600079065088_n

42280352_1863240570397130_2259135854050017280_n

42289778_1863239757063878_7726924719902949376_n

42290345_1863240497063804_4543672630019883008_n

42303393_1863240627063791_3074434356089978880_n

42306127_1863240707063783_6704083365076664320_n

42309017_1863239023730618_4787722575973187584_n

42310992_1863240077063846_2029514910857166848_n

42320470_1863239667063887_2051239542635102208_n

42324465_1863240343730486_8786627760396173312_n

42332443_1863241030397084_5834773360071933952_n

42357862_1863240417063812_3339040320464617472_n

42371181_1863239467063907_8768903023071068160_n

42380592_1863240983730422_1314918050285223936_n

OS ENCANTOS DA SERRA D’ARGA

O Alto Minho conta este fim-de-semana com o Grande Trail da Serra d’Arga.

Sendo já uma referência a nível nacional o Grande Trail da Serra d’Arga realiza-se nos próximos dias 21, 22 e 23 de Setembro.

CV-ENcantos da Serra d'Arga

Numa Serra cheia de encantos, com várias espécies de animais no seu habitat natural, paisagens inesquecíveis sobre a Serra e sobre o Mar encontra ainda uma outra maravilha escondida na encosta, como uma varanda virada para o Vale do Lima, o Cerquido Village & SPA, um projeto turístico composto por várias casas e bungalows, uma piscina interior onde usufrui de uma vista de cortar a respiração.

O conforto necessário para um fim de semana ou até para acompanhar de perto este grande evento.

SÃO TIAGO E NOSSA SENHORA DO MINHO LEVAM OS MINHOTOS EM PROCISSÃO PELAS RUAS DE LISBOA

As gentes do Minho radicadas na região de Lisboa afluíram hoje ao Jardim Vasco da Gama, em Belém, para mais uma jornada de convívio e divulgação das nossas tradições.

DSCF2085

A festa começou com a celebração de missa campal em honra de S. Tiago e Nossa Senhora do Minho, presidida pelo Padre Alexandre Santos, a que se seguiu a procissão solene pelas ruas da zona monumental de Belém, repleta de turistas nacionais e estrangeiros.

E, quando os minhotos se juntam o folclore aparece, após participarem na procissão, transportanto consigo andores e pendões, subiram ao palco o Grupo Folclórico e Etnográfico de Palmeira – Braga e o Grupo de Danças e Cantares Genuínos da Serra d’Arga – Caminha, além naturalmente do anfitrião Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lisboa.

DSCF2082 (2)

A festa que hoje se realizou vem na linha de continuidade da “Romaria de Santiago” que outrora por ocasião do dia 25 de Julho, juntava minhotos e galegos em redor da velha capelinha de Nossa Senhora da Boa Viagem, situada em Caxias e actualmente em ruínas – numa iniciativa da Casa do Minho e da Xuventud de Galícia – como elo de ligação entre as duas comunidades que possui a mesma matriz etnográfica e cultural e que remonta à vetusta Galaécia.

A esta romaria veio mais recentemente juntar-se a Nossa Senhora do Minho – bela no seu trajar domingueiro de lavradeira e trazendo consigo duas espigas de milho simbolizando o pão – cujo culto se venera no seu santuário, no cimo da serra d’Arga, de onde a nossa vista alcança o Minho quase por inteiro.

DSCF2017

DSCF2024

DSCF2027

DSCF2028

 

DSCF2036

DSCF2037

 

DSCF2039

DSCF2040

DSCF2043

DSCF2046

DSCF2048

DSCF2049

DSCF2051

DSCF2052

DSCF2055

DSCF2059

DSCF2063

DSCF2066

DSCF2067

DSCF2077

DSCF2079

DSCF2084

DSCF2085

DSCF2086

DSCF2087

DSCF2092

DSCF2104

DSCF2105

DSCF2112

DSCF2114

DSCF2115

DSCF2116

DSCF2118

DSCF2120

DSCF2121

DSCF2127

DSCF2128

DSCF2132

DSCF2138

DSCF2141

DSCF2144

DSCF2147

DSCF2152 (2)

DSCF2153

DSCF2155

DSCF2157

DSCF2169

DSCF2171

DSCF2177

DSCF2182

DSCF2184

DSCF2186

DSCF2191

DSCF2192

DSCF2194

CAMINHA APRESENTA 40 ESPECIALIDADES DE BACALHAU ATÉ 5 DE AGOSTO

‘Aposta Bacalhau’ nos restaurantes aderentes do concelho

A partir de amanhã e até ao dia 5 de agosto, tem mais um motivo para visitar o concelho de Caminha. O Município vai promover o certame gastronómico ‘Aposta Bacalhau’, que este ano apresenta 40 especialidades de bacalhau à mesa dos 40 restaurantes aderentes do concelho.

A gastronomia rica e variada é um fator de atração do concelho de Caminha. De facto, são cada vez mais os visitantes que procuram o concelho para degustar as suas iguarias, com destaque para a lampreia do Rio Minho, sável, cabrito à Serra d’Arga, robalo escalado, entre outros. E, são cada vez mais os certames que a Câmara Municipal organiza para promover a sua gastronomia, tais como: Fim de Semana Gastronómico, Festa do Mar e da Sardinha, Mesa de Páscoa, Rota da Rabanada, etc. Para o Município, a aposta na promoção da gastronomia tem como objetivos colocar Caminha nos roteiros gastronómicos nacionais e potenciar o comércio local.

Vila Praia de Âncora, Caminha, Âncora, Seixas, Dem, Vilarelho, Moledo Vilar de Mouros são os locais onde pode saborear as 40 especialidades de bacalhau. Bacalhau no pão à Rio Minho, bacalhau recheado, bacalhau no forno com migas de broa de milho, bacalhau assado na brasa, caras de bacalhau fritas, línguas de bacalhau com agridoce de tomate, bacalhau dourado, bacalhau na cataplana, bacalhau gratinado com gambas, açorda de bacalhau são algumas das sugestões que os restaurantes aderentes têm para oferecer a quem os visitar até 5 de agosto.

VIANA DO CASTELO: BISPO COROOU IMAGEM DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DO MINHO

Na peregrinação diocesana ao santuário mariano na Serra d’Arga

O bispo de Viana do Castelo coroou a imagem de Nossa Senhora da Conceição do Minho na peregrinação diocesana ao santuário no alto da Serra d’Arga, este domingo, “uma tradição” iniciada em 1955.

IMG_9228

Numa nota enviada à Agência ECCLESIA, o Secretariado Diocesano de Comunicação Social de Viana do Castelo informa que a coroação de Nossa Senhora da Conceição do Minho realizou-se depois da homilia de D. Anacleto Oliveira que a benzeu.

Segundo o bispo diocesano, o gesto significou o reconhecimento de Maria como “modelo de fé” para Viana do Castelo”, por parte dos crentes.

A devoção a Nossa Senhora do Minho surgiu em 1945 e a primeira peregrinação anual efetuou-se no dia 31 de maio de 1955.

“Os santuários contribuem, de modo único, para a vida da diocese, porque, apesar de estarem situados em paróquias concretas, estão abertos a todos, não têm fronteiras, permitindo a cada um sair da sua Paróquia e, por conseguinte, sentir-se mais diocesano”, explicou o prelado.

No santuário mariano na Serra d’Arga, D. Anacleto Oliveira explicou que esse lugar de culto está relacionado “de modo muito próprio com a identidade do Povo Alto-Minhoto” e realçou como “feliz a hora” em que tiveram “a ideia de vestir Nossa Senhora à minhota”.

O bispo de Viana sob o mote da gratidão, que inspira a diocese no Ano Jubilar que celebra os 40 anos de criação dessa Igreja, agradeceu às pessoas mais diretamente ligadas ao santuário mariano, como o vigário-geral monsenhor Sebastião Ferreira, à confraria e a todos os peregrinos.

No final da celebração, monsenhor Sebastião Ferreira recordou a peregrinação diocesana da imagem de Maria, desde 28 de janeiro, e “desde aí Maria não teve paragem”.

“Fez-se festa em cada Paróquia, em cada comunidade religiosa”, destacou o vigário-geral.

O Secretariado Diocesano de Comunicação Social dá conta da presença do presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo na celebração, onde José Maria Costa disse que iam lançar um projeto de reabilitação da Estrada Florestal que leva ao Santuário de Nossa Senhora da Conceição do Minho.

CB

Foto: Diocese de Viana do Castelo

Fonte: http://www.agencia.ecclesia.pt/

PORQUE ARDE A SERRA D’ARGA QUANDO CHOVE?

A notícia recente segundo a qual a serra d’Arga, na área de Dem, foi atingida por um violento incêndio enquanto chovia torrencialmente, causou profunda perplexidade na maior parte dos portugueses.

Mapa

Não consta que a água da chuva tenha alguma vez constituído matéria inflamável ou combustível pelo que na origem do fogo terão de serem encontradas outras causas.

Qual coincidência, a revista National Geographic publicou recentemente um artigo sob o título “O lítio pode ser a energia do futuro – e há abundância em Portugal”. Nesse artigo, citando como fonte o Laboratório Nacional de Energia e Geologia, inseriu um mapa em que assinala as seis principais ocorrências de lítio em Portugal, destacando de imediato a Serra d’Arga. Os outros locais são Covas do Barroso, Barca d’Alva, Guarda, Mangualde e Segura.

Será que também nestes locais vão passar a ocorrer incêndios mesmo quando chove?

CÂMARA PROMOVE AÇÃO DE REFLORESTAÇÃO NA SERRA D’ARGA NO DIA 13 DE JANEIRO

A ação vai decorrer na zona envolvente da parede de escalada de Penice, em Arga de Baixo

A Câmara Municipal de Caminha vai promover uma ação de reflorestação na Serra d’Arga no dia 13 de janeiro, pelas 9H30, na zona envolvente à parede de escalada de Penice, em Arga de Baixo. O objetivo é promover o território da Serra d’Arga como espaço privilegiado para a educação, para a sustentabilidade e para o usufruto da natureza.

3M1A5476

Esta ação de reflorestação é organizada pela Câmara Municipal de Caminha em parceria com o Clube de Escalada de Braga e conta com o apoio da Freguesia de Arga (Baixo, Cima e São João).

O Município pretende com a realização de atividades desta natureza potenciaro turismo de natureza, valorizar e preservar o território, bem como dinamizar a população e a economia da Serra d’Arga.

Quanto à escolha do local, é de referir que a Parede de Escalada de Penice, situada em Arga de Baixo, é uma estrutura natural de caraterísticas e potencialidades relevantes para a prática da modalidade de escalada, nomeadamente para a escalada Desportiva e Bloco.

A participação na atividade é gratuita.

Os interessados em participar podem recolher mais informações no Centro de Interpretação da serra d’Arga – CISA – através do email cisa@cm-caminha.pt ou dos telefones 258 721 708 ou 914 476 461.

SERRA D'ARGA ACOLHE O I ENCONTRO DE ESCALADORES A PARTIR DE SEXTA-FEIRA

Escaladas livres, workshop, percurso pedestre e palestras são as atividades que vão marcar este primeiro encontro

Arranca sexta-feira, o I Encontro de Escaladores da Serra d’Arga. Até domingo, a Serra d’Arga vai reunir praticantes de escalada e amantes de desporto de natureza, num dos locais de referência da modalidade. Este primeiro encontro apresenta um programa diversificado: escaladas livres, workshop, percurso pedestre e palestras.

ENCONTRO_ESCALADORES ARGA

A promoção do território da Serra d’Arga como espaço privilegiado de educação para a sustentabilidade e para o usufruto da natureza de forma integrada constitui um dos objetivos estratégicos do Município de Caminha.Esta iniciativa assume um papel importante na valorização dos recursos endógenos e diferenciadores do território, como é o caso da Parede de Escalada de Penice, situada em Arga de Baixo, estrutura natural com caraterísticas e potencialidades de destaque para a prática da modalidade de escalada, nomeadamente para a escalada desportiva e bloco. A escalada é considerada um desporto seguro e responsável, que reúne várias gerações e potencia a prática familiar.

Até domingo são muitas as atividades programadas dirigidas para os praticantes de escalada e para os amantes de desporto de natureza. É de realçar que a participação nas várias iniciativas é gratuita, mas a inscrição é obrigatória e deverá ser efetuada em cisa@cm-caminha.pt ou 258 721 708 / 914 476 461.

O I Encontro dos Escaladores da Serra d’Arga tem inicio no dia 1, sexta-feira, pelas 19H00, no Mosteiro de São João d’Arga. No dia 2, o dia começa cedo: pelas 10H00, terá lugar a escalada livre, na Parede de Parede de Escalada de Penice, Arga de Baixo. Da parte da tarde, pelas 15H30, vai decorrer o Workshop de escalada para principiantes “Experiência de Escalada” e, pelas 16H30, está agendado o percurso pedestre “Até ao Cabeço do Meio-Dia”. À noite, decorrerão duas palestras: “Escalada – percurso com determinante geológico”, por Leal Gomes, geólogo, professor da Universidade do Minho, e “Sem deixar rasto: como conciliar escalada com proteção da natureza”, por AntigoniKaliontzopoulou, assistente de investigação, CIBIO/InBIO, Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto. O dia 3, e último dia do certame, será dedicado à escalada livre.

A iniciativa, organizada em parceria entre o Clube de Escalada de Braga e o Município de Caminha, tem o apoio da Junta de Freguesia, do Conselho Diretivo do Baldio de Arga de Baixo e da Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada.

I ENCONTRO DE ESCALADORES DA SERRA D'ARGA DECORRE DE 1 A 3 DE SETEMBRO

Iniciativa é uma parceria entre o Clube de Escalada de Braga e o Município de Caminha

A Serra d’Arga vai ser palco do I Encontro de Escaladores nos dias 1, 2 e 3 de setembro. O evento, que decorrerá no território da União de Freguesias de Arga (Baixo, Cima e São João), pretende reunir praticantes de escalada e amantes de desporto de natureza, num dos locais de referência da modalidade. O programa incluirá workshops, visitas guiadas e experiências de escalada para principiantes. As inscrições já estão a decorrer.

A iniciativa, organizada em parceria entre o Clube de Escalada de Braga e o Município de Caminha, tem o apoio da Junta de Freguesia, do Conselho Diretivo do Baldio de Arga de Baixo e da Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada.

As inscrições devem ser efetuadas no Clube de Escalada de Braga, através do preenchimento do formulário: https://docs.google.com/forms/d/1KZO0fLGTW096-B38DOEWq3JSrd-tBm1p5lx4BinWSAc/edit

O custo de inscrição é de 10 euros, e inclui a possibilidade de alojamento gratuito em modalidade de acantonamento ou acampamento, transporte de apoio e participação em todas as iniciativas incluídas na programação.

Para informações adicionais pode ser contactado o Clube de Escalada de Braga, através do endereço clubedeescaladadebraga@gmail.com  ou o Centro de Interpretação da Serra d’Arga (cisa@cm-caminha.pt ou 258 721 708 / 914 476 461).

A promoção do território da Serra d’Arga como espaço privilegiado de educação para a sustentabilidade e para o usufruto da natureza de forma integrada constitui um dos objetivos estratégicos do Município de Caminha. Esta iniciativa assume um papel importante na valorização dos recursos endógenos e diferenciadores do território, como é o caso da Parede de Escalada de Penice, situada em Arga de Baixo, estrutura natural com caraterísticas e potencialidades de destaque para a prática da modalidade de escalada, nomeadamente para a escalada desportiva e bloco. A escalada é considerada um desporto seguro e responsável, que reúne várias gerações e potencia a prática familiar.

Por seu lado, o Clube de Escalada de Braga possui, no seu curriculum, uma vasta experiência nesta área, nomeadamente através de protocolos com várias instituições para a promoção da prática da modalidade, sendo os seus recursos humanos conhecedores e praticantes habituais na parede de escalada de Penice, desenvolvendo habitualmente trabalhos de limpeza, manutenção e aberturas de vias de escalada naquela área.

“ASTRONOMIA NA SERRA D’ARGA” CONVIDA A UM SERÃO DIFERENTE

Dia 19, o ponto de encontro é em Arga de Baixo e a participação livre

“Astronomia na Serra d’Arga” é o tema de uma atividade que vai ter lugar no próximo dia 19, à noite, e que convida a um serão diferente, em plena Serra d’Arga, a contemplar o céu e a ver mais e mais longe, com a ajuda de equipamentos próprios e beneficiando dos ensinamentos de quem sabe destas coisas.

O ponto de encontro é em Arga de Baixo, junto à antiga escola primária. Quem estiver interessado numa noite de sábado distinta do habitual, só tem de subir a serra e comparecer por volta das 21h00, porque a participação é livre.                      

A organização é da responsabilidade da Divisão de Ambiente da Câmara Municipal de Caminha. Esta atividade encontra-se inserida na programação anual do CISA – Centro de interpretação da Serra d’Arga. A iniciativa permite aos participantes, em destaque para a população do interior do concelho, ter uma oportunidade de aprender alguns conceitos científicos relacionados com a astronomia, bem como utilizar telescópios para fazer observações do céu noturno.

A atividade terá orientação de Carlos Venade.

REVISTA “EVASÕES” DESTACA PONTE DE LIMA E A SERRA D’ARGA

A revista “Evasões” que acaba de chegar às bancas é uma edição especial sobre Ponte de Lima. Nela, fica a saber como dormir em casas com histórias de famílias fidalgas, comer os melhores rojões e arroz de sarrabulho, descobrir novos lugares de comer e beber, planear passeios pelo centro histórico, pelos jardins e pela Serra d´Arga. Estes e outros desafios estão na revista que é distribuída, gratuitamente, com o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias. E que fica em banca separadamente até quinta-feira.

20139855_10155435867003418_5484428690859638485_n.jpg