Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

EURODEPUTADO E CANDIDATURAS DO BLOCO DE ESQUERDA VISITARAM A SERRA D’ARGA

No fim-de-semana passado, o Eurodeputado José Gusmão, as candidaturas de Viana do Castelo, Caminha e Vila Nova de Cerveira  e a Corema - Associação de Defesa do Património visitaram a Serra d’Arga.

serra d argabloesq.jpg

Percebemos no local duas coisas:

1) o privilégio de habitarmos um país com esta beleza natural

2) a responsabilidade que recai sobre nós para preservá-la.

Vimos os efeitos da exploração de volfrâmio (criada para alimentar a máquina da II Guerra, só terminando nos anos 90) na contaminação da água e dos solos, transformando o verde de alguns locais em cenário pós-apocalíptico.

A empresa de extração mineira foi processada e pagou uma multa irrisória quando comparada com

1) os custos do Estado português na tentativa de minimizar os danos

2) os custos ambientais incalculáveis.

Quando falamos de recursos estratégicos e do interesse nacional, como no debate do lítio, muitas vezes nos esquecemos que eles conflituam com outros interesses nacionais, em particular daquele que será o nosso maior bem num planeta em crise climática: a água.

A contaminação resultante da violência da extração é incontrolável, as chuvas arrastam por dezenas de quilómetros os resíduos tóxicos, impedindo que os solos regenerem, secando cursos de água e tornando a restante água imprópria para consumo pelas populações.

O facto de as explorações serem feitas em zonas fora das áreas protegidas não significa que as áreas protegidas (e tantas outras) não sejam afetadas pelo impacto destes processos.

A Diretiva Quadro da Água, entre outras, serve para proteger todos os recursos, não apenas os que se encontram em áreas ditas protegidas.

A preservação do ambiente devia ser uma batalha coletiva da sociedade, em vez de constantes apelos de ativistas às tutelas que tantas vezes permitem que as situações se arrastem até os danos serem irreversíveis.

Denunciar estas situações não é só um compromisso do Bloco, é uma responsabilidade.

CANDIDATOS DO BLOCO DE ESQUERDA VISITAM COVAS E A SERRA D'ARGA

As candidaturas do Bloco de Esquerda de Viana do Castelo, Caminha e Vila Nova de Cerveira estão a organizar uma visita à Serra d´Arga e a Covas (Vila Nova de Cerveira), no próximo sábado, dia 31 de julho, com a presença do Eurodeputado do Bloco, José Gusmão. A visita de trabalho tem como objetivo a temática do lítio no Alto Minho.

14h30 - Encontro na Taberna do Horácio - EM552 19, Arga de Baixo

16 horas - Covas - (junto às minas)

A visita contará com a participação de ativistas na luta contra a exploração de lítio e associações locais, como a COREMA.

Capturargusmaovizela.PNG

ARTE NA LEIRA COMEÇA SÁBADO E ABRE PORTAS A “ARTISTAS DE PALMO E MEIO”

Mostra ficará patente na Casa do Marco até 22 de agosto

A 23ª edição da Arte na Leira abre sábado e traz novidades. Este ano, ao lado de artistas plásticos de renome, três crianças vão expor também os seus trabalhos. O promotor: o pintor, escultor e ceramista Mário Rocha, quer dar aos mais novos a oportunidade de exprimir a sua criatividade e de despertar o seu perfil artístico, convivendo com a natureza, como é próprio desta exposição peculiar, no coração da Serra d’Arga.

208859877_4302338223148864_3931195100780948365_n.j

Na Casa do Marco, em Arga de Baixo, já decorrem os preparativos para mostrar, a partir do próximo sábado e até 22 de agosto, cerca de oito dezenas de trabalhos da autoria de 25 artistas nacionais e estrangeiros. A estes juntam-se criações de alunos do IPVC – Instituto Politécnico de Viana do Castelo, um parceiro que se tem associado à mostra há algumas edições, com obras dos seus alunos.

Este ano, Mário Rocha quis ir mais longe e decidiu integrar três crianças, com idades entre os quatro e os sete anos. Oriundas do Porto e de Felgueiras, as crianças vão participar com quatro trabalhos cada, de pintura em cartão. 

Esta harmonia destituída de preconceitos, que coloca lado a lado artistas consagrados e iniciados, já era habitual na Arte na Leira, mas Mário Rocha considera ser tempo de dar espaço aos mais pequeninos, numa edição que não deixa de ser influenciada pela pandemia COVID-19. Mário Rocha destaca uma das obras onde esta realidade estará patente, uma escultura construída a partir de troncos de árvores, que pretende simbolizar a necessária aproximação entre a humanidade e a natureza.    

A Arte na Leira acontece há 23 anos ininterruptamente, numa “galeria” ao ar livre completamente improvável, a Casa do Marco, agora residência permanente do artista, que optou definitivamente pela casa centenária, encaixada no meio da Serra d’Arga, onde ano após ano vem criando condições para viver durante todo o ano, mas sobretudo para o seu ateliê e “galeria”, sempre no respeito pela traça original e pela profunda ruralidade que marca a aldeia caminhense.

A Arte na Leira é hoje reconhecida internacionalmente e todos os anos, durante pouco mais de um mês, atrai à freguesia de Arga de Baixo milhares de pessoas, que ali visitam livremente a exposição e convivem com o promotor e com os artistas que por lá vão passando.

VALORIZAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS, CULTURAIS E PAISAGÍSTICOS É A FORMA CERTA DE DEFENDER A SERRA D’ARGA

Município de Caminha apoia I Congresso Internacional de Equinologia e Turismo Equestre

O Presidente da Câmara de Caminha defendeu a valorização dos recursos naturais, culturais e paisagísticos da Serra d’Arga como uma das melhores e mais eficazes formas de defender este território, considerando este património muito mais valioso do que qualquer outra atividade que se pudesse perspetivar, inclusive a mineira. Miguel Alves falava na apresentação do I Congresso Internacional de Equinologia e Turismo Equestre, que decorreu no Paço de Lanheses, em Viana do Castelo. O congresso, a decorrer entre 01 e 03 de julho, conta com o apoio do Município de Caminha.

Fotocaminhavalorrec.jpg

“Em parceria com os nossos vizinhos, estamos a colocar cada vez mais valor no prato da balança dos recursos naturais, culturais e paisagísticos da nossa Serra e duvido que qualquer outra atividade que se queira ter nas Argas, sobretudo mineira, tenha sequer metade da importância e do valor económico que a preservação da sua biodiversidade acaba por ter. É mais importante fazer este caminho, este trabalho, do que pintar as paredes de monumentos de Caminha a clamar contra as minas. É este o caminho que vimos fazendo nos últimos anos e que vamos continuar a fazer para defender a nossa jóia da coroa que é a Serra d’Arga!”, sublinhou Miguel Alves.

De acordo com a organização, o I Congresso Internacional de Equinologia e Turismo Equestre pretende acolher, agregar e incentivar uma rede de investigação científica internacional e, a partir desta, consolidar um destino equestre alicerçado na ciência, no conhecimento e no património.

Promovido pelo Município de Viana do Castelo, ao abrigo do projeto Vilas e Aldeias Equestres entre Arga e Lima, cofinanciado pelo Turismo de Portugal, o Congresso conta com o apoio dos Municípios de Caminha e Ponte de Lima, parceiros deste projeto, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo e da Entidade Regional de Turismo Porto e Norte. A sua Comissão Científica integra investigadores filiados em nove universidades, de quatro países distintos, Portugal, Espanha, França e Japão.

GRANDE PRÉMIO CICLISMO ALTO MINHO ASSOCIA-SE À CAUSA EM DEFESA DA SERRA D’ARGA

O  3º Grande Prémio Ciclismo Alto Minho, que se realiza nos dias 15 e 16 de Maio, associa-se ao Movimento SOS Serra d' Arga na luta  contra os projectos  de exploração mineira que pendem sobre este território.

transferirsosserrad'arga.png

A prova será acompanhada  por elementos do Movimento  SOS Serra d'Arga e  pelo Embaixador da  Prova, o ex-ciclista profissional Rui Sousa, natural  do Alto Minho  (Vila de Barroselas - concelho de Viana do Castelo), que estarão também presentes na abertura das etapas,  na cerimónia protocolar do pódio e encerramento do evento  no Centro Cyclin Portugal de Merufe. 

Ao longo do percurso, na passagem pelas várias freguesias estarão afixadas tarjas com o logotipo do Movimento SOS Serra d' Arga. Pretendem  desta forma, os organizadores - Associação de Ciclismo do Minho e a empresa de organização de eventos desportivos e culturais  ENVOLVSPORT - chamar a atenção dos participantes e das populações  para as ameaças que pendem sobre o território da Serra d' Arga, nomeadamente a existência de 4 pedidos de concessão mineira  por parte de uma empresa privada  e a possibilidade de inclusão no concurso público para atribuição de  direitos de exploração em 8 zonas do país que o governo pretende levar a cabo até final do corrente ano, neste momento em fase de procedimento de Avaliação Ambiental Estratégica prévia. 

Pese embora a convicção mostrada  pelo Sr. Presidente da República, na sua recente visita ao concelho de Caminha onde  reuniu com o Movimento  SOS Serra d' Arga, de que considera pouco provável que a Arga venha a ser incluída no concurso público,  este Movimento não deixará o seu labor de alerta e esclarecimento das populações em defesa deste território, na certeza de que é às populações que cabe decidir qual o modelo de desenvolvimento que pretendem para as suas terras. 

A prova, que compreende 3 etapas, terá início no dia 15 de Maio,  no Parque de Estacionamento da Ponte Nova em Arcos de Valdevez  e conta com cerca de 130 ciclistas de 20 equipas  do Minho ao Alentejo. 

Dia 15 de Maio de 2021
08:00h - Abertura da zona 0 e secretariado (Parque de estacionamento da ponte nova - Arcos de Valdevez)
09:30h - Fecho da zona 0 e secretariado
09:45h - Apresentação da 1ª equipa
10:30h - Partida do 1º atleta para o contrarrelógio
10:50h - Entrada da 1º atleta na zona 0 em Ponte Barca (Parque estacionamento Fernão Magalhães)
15:50h - Saída da Zona 0
16:00h - Partida para a 2ª Etapa (Ponte Barca – Arcos de Valdevez)
17:45h - Previsão de chegada
18:00h - Previsão para cerimónia protocolar do pódio
Banhos (Piscinas Municipais)
Dia 16 de Maio de 2021
08:00h - Abertura Zona 0 (Parque estacionamento Portinho – Vila Praia de Âncora )
09:30h - Fecho Zona 0
10:00h - Partida para a 3ª Etapa (Vila Praia Âncora - Merufe)
12:40h - Previsão para chegada
13:30h - Previsão para cerimónia protocolar do pódio
14:00h - Encerramento do evento -  Centro Cyclin Portugal de Merufe  

SÃO JOÃO D’ARGA: EUCARISTIA EM HONRA DA VIRGEM SANTA MARIA

Quinta-feira, 13 de maio de 2021, 14:30

No dia da Senhora da Hora, festejamos a visita que a Virgem Maria fez à Lusitana Gente, em Fátima, mas também recordamos a “visitação” de Nossa Senhora à casa de Sto. Zacarias e Sta. Isabel, que estava grávida de S. João.

Rezaremos por todos os casais que estão de esperanças ou têm esperança de alcançar engravidar.

Agradecemos o dom da vocação materna e da vocação paterna, homenageando os pais e mães.

185337065_1782328091937198_5164081243469992758_n.j

CAMINHA: MOSTEIRO DE S. JOÃO D'ARGA AMANHÃ NA RÁDIO "TSF"

O Vice-presidente da Câmara de Caminha, Guilherme Lagido, é o próximo convidado do Programa Terra a Terra, da TSF. A entrevista foi realizada no Mosteiro de S. João D’Arga e vai ser emitida amanhã, a seguir ao noticiário das 15h00.

181735408_3879573165430517_8611803906588751290_n.j

A entrevista terá a duração de 40 minutos, mas estará disponível também no site da TSF, numa versão alargada.

Este é o 18º programa de uma série especial de 20 que a TSF está a realizar, a propósito da eleição de “Lisboa Capital Verde”. Como se explica no site da TSF, “Eleita capital verde da Europa, Lisboa partilha a distinção com o país, mostrando locais que tentam, todos os dias, serem mais verdes, mais ecológicos e mais sustentáveis. Concelho a concelho, cidade a cidade, vamos dar a conhecer as maravilhas das paisagens, do património, a gastronomia, as histórias e personagens de todos os cantos do país, numa emissão especial verde conduzida por Miguel Midões e com o apoio técnico de Joaquim Pedro”.

Caminha, e neste caso o Mosteiro de S. João D’Arga, é uma escolha da TSF sob indicação do vereador do Ambiente, Clima e Energia e Estrutura Verde, da Câmara de Lisboa, José Sá Fernandes, que também esteve presente.

Não deixe de ouvir, amanhã, terça-feira, depois do noticiário das 15h00.

181996845_3879573025430531_2970631240641453547_n.j

181877757_3879573002097200_1210114901255311883_n.j

182162040_3879573018763865_8621127297039218251_n.j

181580023_3879573192097181_1256146532830526302_n.j

181653840_3879573215430512_6297749491357132962_n.j

MUNICÍPIO DE CAMINHA PREOCUPADO COM PLANO DE RECUPERAÇÃO E RESILIÊNCIA QUE PREVÊ APOSTA NA FILEIRA DO LÍTIO

Câmara de Caminha propõe plano de investimentos para as estradas municipais e defende intervenção profunda no Portinho de Vila Praia de Âncora

O Município de Caminha apresentou ontem a sua participação na consulta pública promovida pelo Governo sobre o Plano de Recuperação e Resiliência. Na exposição assinada por Miguel Alves, Presidente da Câmara Municipal de Caminha, são salientadas preocupações com a proposta de desenvolvimento de uma fileira integrada de lítio e fabrico de baterias no território transfronteiriço que pode ditar uma intervenção mineira prejudicial ao território do concelho, bem como quanto à ausência de menção no documento da ligação entre a A28 em Caminha e a A3 na zona de Sapardos. De acordo com o documento submetido a discussão, faltam também referências claras às empresas ligadas ao setor do Turismo, defendendo-se uma visão específica sobre o sector e financiamento para campanhas de promoção do território, requalificação de oferta, financiamento de obra pública criadora de atratividade e formação para trabalhadores.

A Câmara de Caminha apresentou também algumas medidas, nas quais se destaca a requalificação do Portinho de Vila Praia de Âncora, de modo a enfrentar os constrangimentos à navegabilidade existentes que foram potenciados com as obras terminadas em 2013. Para Miguel Alves, “as condições de assoreamento em Vila Praia de Âncora são piores que nunca, os pescadores e comerciantes saem prejudicados, as atividades de lazer também e há um estudo realizado no mandato do anterior Governo que identificou todos os problemas da infraestrutura. Só é preciso avançar com o projeto porque o financiamento deve vir do PRR”. Para além desta obra, o Presidente da Câmara Municipal de Caminha propõe a criação de um programa de intervenção em estradas nacionais, bem como o lançamento de um programa 100% Fibra que permita levar a fibra ótica à porta da casa de todos os portugueses.

Recorde-se que Miguel Alves já se tinha pronunciado sobre este tema no âmbito do Conselho Regional do Norte a que preside, salientando a importância do peso da Região Norte ser reconhecido na distribuição do dinheiro e da exigência de gestão descentralizada do programa, tendo em conta as especificidades de cada território e a necessária agilização de procedimentos para se cumprir a meta de 2026 para a obra feita.

JORNAL “DINHEIRO VIVO” NA SUA EDIÇÃO DE HOJE: FREGUESIAS DE PONTE DE LIMA RECUSAM PROJETO DE EXPLORAÇÃO DO LÍTIO

As autarquias justificam a posição com "as sucessivas ameaças de que o território tem sido alvo, agora concretizadas por um pedido de exploração de lítio e outros minerais, denominado Cabanas".

imagedinheirovivolitio.jpg

As Juntas de Freguesia de Arcozelo, Calheiros, Labruja e União de Freguesias de Bárrio e Cepões, em Ponte de Lima, manifestaram a sua "total oposição a qualquer projeto de mineração nos seus territórios", foi divulgado esta segunda-feira.

A resolução foi tomada por aquelas autarquias do concelho de Ponte de Lima, no distrito de Viana do Castelo, no domingo e hoje enviada à agência Lusa, pelo movimento Serra SOS d'Arga.

No documento, promovido e subscrito pelo movimento cívico, as autarquias justificam a posição com "as sucessivas ameaças de que o território tem sido alvo, agora concretizadas por um pedido de exploração de lítio e outros minerais, denominado Cabanas".

Segundo as autarquias, o pedido de mineração, apresentado junto da Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), "afetará de forma irremediável os seus territórios, a qualidade de vida, o bem-estar e saúde das suas populações".

As autarquias e o movimento cívico e luta contra a exploração de minérios na Serra D'Arga "rejeitam liminarmente tal intenção".

As freguesias de Ponte de Lima dizem ser "sucessivamente fustigadas pelos impactos de outras indústrias extrativas" e esta posição visa "impedir que mais um atentado ao território seja perpetrado".

"O desenvolvimento não se promove à margem da população. O interesse nacional de nada serve se se colocam em causa a reabilitação do território e os investimentos que estas freguesias têm feito nos últimos anos na promoção do seu património", sustentam as autarquias na resolução.

Além de reafirmarem "a sua total oposição a qualquer projeto de mineração nos seus territórios, aquelas freguesias "repudiam qualquer atentado contra o seu património natural e cultural, únicos e insubstituíveis, não permitem qualquer tipo de exploração mineira que ponha em risco a saúde, o modo de vida e bem-estar das comunidades locais, o investimento privado e ainda todo o investimento público realizado na valorização do território".

Vão ainda "exigir ao Governo a imediata exclusão do território do plano nacional do lítio e a não atribuição de quaisquer direitos de exploração de depósitos minerais a empresas privadas", e "empregar todos os esforços e recorrer a todos os meios ao seu dispor no sentido de impedir a destruição de todo o trabalho desenvolvido, nas últimas duas décadas, quer pelas autarquias e agentes sociais locais, quer pelas comunidades em prol do desenvolvimento sustentado e sustentável nestes territórios".

"Exigimos a todas as empresas mineiras que retirem os seus pedidos de prospeção e exploração. A nossa posição é final e não vamos ceder nem um milímetro: aqui não entram. Aqui não furam. Minas aqui nunca mais", frisa a resolução.

Na nota hoje enviada à Lusa, acrescentam que, "à semelhança das Juntas de Freguesia dos concelhos de Caminha e Vila Nova de Cerveira e da União de Freguesias de Cabração e Moreira do Lima, em Ponte de Lima, que também se veem confrontadas com três pedidos de exploração de lítio e outros minerais, Arcozelo, Calheiros, Labruja e União de Freguesias de Bárrio e Cepões decidem envidar todos os esforços para travar este ataque sem precedentes ao património dos seus territórios".

"As juntas de freguesias de Caminha e Vilarelho, Seixas (no concelho de Caminha) e Montaria (Viana do Castelo) decidiram também subscrever a resolução aprovada em 09 de janeiro, em reunião onde estiveram presentes as Freguesias e Comissões de Baldios afetadas pelos pedidos Aldeia, Ledo e Vilarinho", adiantam.

O movimento SOS Serra d' Arga "congratula-se vivamente com o exercício de solidariedade de todos os autarcas alto-Minhotos, que desembainham armas" em defesa de um território que é a alma de todos".

Fonte: https://www.dinheirovivo.pt/ / Foto:Rui Manuel Ferreira / Global Imagens

SERRA D'ARGA: FREGUESIAS JUNTAM-SE AO PROTESTO

Obrigado União de Freguesias de Gondar e Orbacém, União de Freguesias de Moledo e Cristelo, Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora, Junta de Freguesia de Riba de Âncora, Junta de Freguesia de Freixieiro de Soutelo e Junta de Freguesia de Estorãos!

Recordamos que a resolução continua aberta à subscrição de juntas de freguesia, baldios e associações locais que pretendam juntar as suas às nossas vozes na defesa de um território comum, através do e-mail: sosserradarga@gmail.com

145648661_1888903444599264_636409895636380712_o.jp