Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ERASMUS: EPATV TRABALHA HERANÇA CULTURAL EM MOBILIDADE HÍBRIDA

Decorreu a terceira mobilidade LTTA do projeto Erasmus+ TRANSMITTING OUR CULTURAL HERITAGES TO NEW GENERATIONS (2019-1-TR01-KA229-073855) que teve lugar em Trnava, Eslováquia. A atividade que, inicialmente, se previa que fosse de tipo presencial, devido aos elevados números de casos de infetados com a variante delta Covid19 que afetaram Portugal, viu a listagem de Portugal como país da Zona Negra no sistema eslovaco.

toch4.png

Esta classificação implicava que qualquer viajante proveniente de Portugal, mesmo com vacinação completa, certificado europeu a atestá-lo e teste PCR negativo, tivesse de cumprir 14 dias de quarentena.

Tal imposição impediu, por força das circunstâncias, a equipa da Escola Profissional Amar Terra Verde de viajar, de participar na mobilidade física e, em consequência, a coordenação de projeto decidiu que a mobilidade fosse híbrida, também devido ao facto da equipa letã, por motivos de ordem logística e de calendarização escolar, já ter comunicado à coordenadora de projeto que não compareceria.

Desta forma os coordenadores de cada país reuniram e agendaram as próximas mobilidades do projeto - Em Novembro de 2021 em Portugal, Letónia em Fevereiro de 2022.

A coordenadora turca comunicou ao grupo que, no próximo ano letivo, mudará de escola e apresentou a colega que a substituirá. Fez-se a "entrega" dos trabalhos de alunos, previstos nesta mobilidade, acerca de Mitos e Lendas, tendo o Portugal escolhido a lenda da Ponte da Misarela e da Rainha Santa Isabel para apresentar aos parceiros. Elencaram-se as tarefas realizadas e por realizar e planearam-se as próximas atribuições, tal como as responsabilidades atribuídas a cada parceiro.

Decorrida a atividade e cumprida a ordem de trabalhos prevista para a mobilidade, encerrou-se a com sucesso.

WhatsApp Image 2021-07-12 at 13.07.44.jpeg

VIANA D CASTELO: DARQUE KAYAK CLUBE PROMOVE RECOLHA BENÉVOLA DE SANGUE E REGISTO PARA MEDULA ÓSSEA

DKC de Viana – 22 de julho – APELO!

Recolha de sangue e registo para medula óssea no Centro de Canoagem, inscrições abertas para darquekc@sapo.pt ou tm 965192731.

A DKC de Viana informa de que em colaboração com o Instituto Português do Sangue e da Transplantação SA e a Associação de Dadores de Sangue da Meadela, vai realizar pela terceira vez no Centro de Canoagem de Viana do Castelo, em Darque, uma recolha de sangue e registo para medula óssea a 22 de julho de 2021, entre as 15h e as 19h.

Destina-se a pessoas entre os 18 e os 65 anos.

Inscrições em darquekc@sapo.pt, ou pelo tm 965192731.

O Sangue escasseia em tempos de pandemia. O seu contributo é importante.

As instalações e procedimentos estão conforme as orientações da DGS e o Instituto Português de Sangue e Transplantação

Centro de Canoagem, DARQUE - Rua Gustavo Eiffel nº 1558

Junto ao Rio Lima, em Darque, entre as duas pontes.

Tm 965192731

O Presidente da DKC de Viana,

Dr. Américo Castro

Recolha de Sangue 6 outubro.png

GUIMARÃES: PSICÓLOGA CLÍNICA SANDRA NETO PARTICIPA EM PALESTRA SOBRE “IMPACTOS DA PANDEMIA DE SARS-CoV-2/COVID-19”

Iniciativa dinamizada no âmbito do Curso EFA B3 de Geriatria

O impacto psicossocial e económico da Pandemia de SARS-CoV-2/ COVID 19, no mundo e em Portugal, tem sido e será marcante.

Sandra Neto.jpg

Houve um despoletar de desigualdades sociais e um recrudescimento de perturbações do foro psíquico, que se explica “por uma diversidade de fatores, designadamente pelo medo de contrair o vírus, pela diminuição dos contactos interpessoais, pelas mudanças abruptas na esfera laboral, por exemplo”.

De facto, adiantou Sandra Neto, “a pandemia de SARS-CoV-2/ COVID 19 provavelmente mudou a forma como nós «vivemos a vida», tendo não só acarretado incertezas, isolamento social e pressões económicas, como também interrompido o ritmo e rotinas habituais.”

Esta nova realidade tem sido motivo de preocupação por parte da comunidade científica, de diversas áreas disciplinares. Assim sendo, neste momento já há diversas investigações que concluem que a pandemia tem e terá impactos colossais, nomeadamente ao nível da saúde mental (stress, ansiedade e depressão). Aquelas investigações frequentemente comparam indicadores avaliados no período pré-pandemia e durante a pandemia, sendo que algumas apontam para um aumento do consumo de álcool e drogas. Por outro lado, há algumas evidências científicas que sugerem que “as pessoas com comportamentos aditivos, por exemplo as dependentes de opioides, terão consequências negativas mais expressivas, na eventualidade de contraírem o vírus. Isso ocorre porque os opioides podem prejudicar a função pulmonar e debilitar o sistema imunológico, causando condições crónicas como doenças cardíacas e pulmonares, aumentando assim o risco de complicações graves do SARS-CoV-2/ COVID 19.

Por todos esses motivos, a Oradora alertou para a necessidade de se apostar no autocuidado, quer físico, quer mental. Ao nível físico sublinhou a importância da qualidade do sono, da prática de atividade física regular, do consumo de alimentos saudáveis, bem como a necessidade de evitar comportamentos aditivos (tabaco, álcool, drogas).

Manter uma rotina, limitar a exposição aos meios de comunicação social, usar ponderadamente as redes sociais, manter-se ocupado, procurar desenvolver pensamentos positivos, estabelecer objetivos, reforçar a rede de suporte social, assim como fazer algo em prol do bem comum (ex: voluntariado) foram algumas das estratégias abordadas por Sandra Neto. A psicóloga clínica reforçou que as “informações excessivas, rumores e informações incorretas podem exacerbar a sensação de falta de controlo, pelo que importa «filtrar» a informação que vai sendo transmitida.”   

Por último, referiu que um problema preocupante foi o aumento da violência doméstica. Neste enquadramento, “confrontado com risco acrescido daquele fenómeno, no contexto do isolamento necessário para a contenção do SARS-CoV-2/ COVID 19, o Governo efetivou uma campanha de sensibilização cujo intuito foi proteger as vítimas de violência doméstica, delineando alguns conselhos de segurança e solicitando ativação das redes de suporte social”, terminou Sandra Neto.

Esta atividade é realizada no âmbito da primeira Atividade Integradora do Curso EFA B3 de Geriatria, financiado pelo Programa Operacional Capital Humano (POCH), Programa Portugal 2020, Estado Português e Fundo Social Europeu (FSE).

215901752_1153193561842335_366081964141765040_n.jp

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA REALIZOU TESTES COVID A ALUNOS DA ACADEMIA DE MÚSICA DA SOCIEDADE FILÁRMONICA VIZELENSE

Ao longo dos últimos meses, e tendo em atenção a situação do surto epidémico, a Câmara Municipal implementou o Programa de Apoio Municipal  VIZELA COVID-19, um conjunto de medidas para assegurar o combate ao surto, o estímulo à recuperação económica e a proteção social, para ajudar quem mais precisa e para retomar, tão rapidamente quanto possível, o fulgor que caracteriza o concelho de Vizela, mas que apenas se tornaram possíveis pela abertura da sociedade civil e a respetiva colaboração em torno desta causa.

testes COVID Academia.JPG

Assim, e tendo em atenção a evolução da situação epidemiológica do Covid-19, a Câmara Municipal de Vizela efetuou testes COVID aos alunos que hoje estiveram na Academia de Musica de Vizela para a escolha dos instrumentos que irão tocar no próximo ano letivo, no âmbito do ensino especializado da música em regime articulado que funciona nesta instituição através de protocolo com o Agrupamento de Escolas de Caldas de Vizela e com o Agrupamento de Escolas de Infias Vizela, sendo que dos 34 testes realizados, todos deram resultado negativo.

De destacar que o ensino articulado é uma modalidade de ensino financiada para alunos dos 2º e 3º cíclos do ensino básico, que funciona em articulação com a escola do ensino básico que os alunos frequentam. Esta é uma modalidade financiada a 100% pelo estado, sem qualquer custo para os alunos, sendo que a Câmara Municipal financia o transporte dos alunos que frequentam este ensino.

De destacar que a realização dos testes de pesquisa de antigénio desenvolvidos para o diagnóstico do SARS-CoV-2 é uma das medidas pioneiras da Câmara Municipal de Vizela, adotada no âmbito do Programa de Apoio Municipal – VIZELA COVID-19, para assegurar o combate ao surto e a proteção social, com o objetivo de salvaguardar o interesse público municipal.

A Câmara Municipal de Vizela tem acompanhado atentamente a evolução do surto epidémico do COVID-19 no Concelho e tomado as medidas necessárias para informar a população e apoiar as várias instituições para fazer face às necessidades acrescidas vividas neste momento, efetuando também uma reavaliação diária das medidas de prevenção adotadas e a adotar de modo a prevenir e conter a respetiva propagação, motivo pelo qual as medidas apresentadas podem ser modificadas a qualquer momento, caso se verifique uma alteração substancial das condicionantes da epidemia.

FAMALICÃO: ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE FORMALIZA PROTOCOLO COM MUNICÍPIO E AGRADECE COLABORAÇÃO "FUNDAMENTAL"

Presidente da ARS Norte e do Município de Famalicão visitaram espaço e formalizaram colaboração

“Agradeço ao Sr. Presidente da Câmara Municipal pelo trabalho que tem sido realizado pela autarquia no Centro de Vacinação de S. Cosme, uma colaboração decisiva através da cedência das instalações, da organização e funcionamento do espaço”. O agradecimento foi transmitido a Paulo Cunha, na primeira pessoa, pelo Presidente da Administração Regional de Saúde do Norte, Carlos Nunes, na presença do diretor executivo do ACES Ave, Ivo Sá Machado, na manhã de ontem, 1 de julho, durante uma visita às instalações e assinatura de protocolo de colaboração entre o Município de Famalicão e a ARS Norte para a formalização da parceria.

AFS_5802.jpg

A parceria estabelecida surge na sequência da disponibilidade do município em ajudar a criar todas as condições para uma boa execução do Plano de Vacinação contra a Covid-19, e inclui a  disponibilização de espaço,  segurança e higienização, com garantia de qualidade, assim como o reforço de recursos humanos na área da enfermagem, e para a receção, orientação e acomodação dos utentes no recinto, inclusive validação dos dados dos mesmos. O município assume, ainda, os encargos decorrentes do funcionamento do centro de vacinação.

O resultado prático desta colaboração materializou-se na contratação de 24 enfermeiros, por parte do município, que se juntaram à equipa de enfermagem destacada pelas entidades de saúde, e na afetação de cerca de 60 recursos humanos para garantir o bom funcionamento do espaço.

Neste momento, estão a ser tomadas uma média de 1500 vacinas por dia no Centro de Vacinação de Vale S. Cosme, tendo já sido administradas perto de 80 mil vacinas desde fevereiro deste ano.  

O Presidente da Câmara Municipal reafirmou a disponibilidade do município em continuar a colaborar e até mesmo em alargar essa colaboração com as entidades de saúde, sempre que estas “percebam que o município pode proporcionar um melhor serviço de saúde no concelho”. “O importante é estarmos todos ao lado dos cidadãos e trabalharmos em prol da sua qualidade de vida”, concluiu.

QUANTAS ASSOCIAÇÕES – RANCHOS FOLCLÓRICOS E CASAS REGIONAIS – IRÃO SOBREVIVER À PANDEMIA?

A pandemia originada pelo Covid-19 veio agravar a crise em que muitas colectividades já se encontravam antes do seu surgimento. Não é propriamente a pandemia que se encontra na origem da situação em que muitas associações actualmente se encontram. Porém, veio seguramente ampliar a sua dimensão de crise crónica, colocando mesmo em risco a sua sobrevivência.

A deficiente gestão, falta de estratégia e pouco envolvimento dos associados ao nível da decisão constituem alguns dos factores com que o associativismo sempre se debateu. No que concerne às casas regionais, é recorrente estas afastarem-se das próprias finalidades para que foram constituídas – consagradas nos preâmbulos dos seus próprios estatutos – e até, com a atribuição de privilégios a elementos estranhos às sua regiões, acabam por afastar aqueles associados que constituem a principal razão de ser da sua existência.

Quebram-se as rotinas e os hábitos de convívio. Procuram-se novos interesses e ocupações. Em muitos casos muda-se de “equipa”… Uma quantidade considerável de associações – casas regionais e ranchos folclóricos – já deixou de eleger os respectivos órgãos directivos. E não se vislumbra que venha a contar com pessoas disponíveis para o efeito.

Espera-se que isto passe… mas não se sabe quando! Deposita-se a fé nos efeitos das vacinas mas estas não impedem novas contaminações e surtos epidémicos. Estão suspensas as festas e romarias porque, ao contrário de outras manifestações culturais, são consideradas de elevado risco.

Não fazemos menção às entidades que neste momento correm o risco de sucumbir perante a pandemia. No caso do folclore, procuramos manter a chama acesa. Mas, receamos que um número muito considerável de colectividades não volte a abrir as suas portas!

ARCOS DE VALDEVEZ ADMINISTRA MAIS DE 22500 VACINAS

O processo de vacinação contra a COVID-19 em Arcos de Valdevez está em andamento, e a correr bem, sendo que esta semana será ultrapassado o número das 22500 doses administradas, entre vacinação completa e primeiras doses.

centro de vacinação - Cópiaarcvald.png

A vacinação está a decorrer, desde o passado dia 17 de fevereiro no Centro de vacinação da Covid-19 instalado pelo Município no Centro de Exposições de Arcos de Valdevez.

Este espaço, que resultou da articulação entre o Município e a ULSAM - Unidade Local de Saúde do Alto Minho, está conforme o programa de vacinação da Covid-19 das Autoridades de Saúde.

As pessoas estão a ser contactadas pelos Serviços de Saúde, que lhes indicam a data da vacinação a realizar no Centro.

De referir que a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez tem estado na linha da frente, a trabalhar em prol da saúde, apoiando arcuenses e instituições no combate a esta pandemia. Desde o início da primeira fase, a Autarquia já investiu na prevenção, combate e mitigação da doença, cerca de 1 milhão de Euros.

CÂMARA DE FAMALICÃO CONTRATA ENFERMEIROS PARA ACELERAR PROCESSO DE VACINAÇÃO NO CONCELHO

Em resposta a uma necessidade sinalizada por parte do Agrupamento de Centros de Saúde de Vila Nova de Famalicão

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão contratou 24 enfermeiros para aumentar a capacidade de resposta do Centro de Vacinação Covid-19 do concelho, instalado no CIIES, em Vale S. Cosme, disponibilizando desta forma às entidades de saúde um banco extraordinário de 4000 horas em serviço de enfermagem até ao final de julho.

AFS_0720.jpg

A decisão responde a um pedido sinalizado à autarquia por parte do Agrupamento de Centros de Saúde de Vila Nova de Famalicão, antevendo que a necessidade de voltar a mobilizar equipas de enfermagem para a normal atividade das várias unidades de saúde pudesse “prejudicar o desempenho no centro de vacinação e também a morosidade do processo”.  Neste momentos estão a ser ministradas em S. Cosme uma media de 1500 vacinas por dia,

Os 26 enfermeiros – que se encontravam em situação de desemprego ou com disponibilidade fora do horário laboral - foram contratados em regime de prestação de serviços. Para este efeito a autarquia recorreu à bolsa de contratação da Ordem dos Enfermeiros, criada para maximizar os esforços para a aceleração e massificação progressiva da vacinação em Portugal.

O Centro de Vacinação Covid-19 de Famalicão, instalado em fevereiro no CIIES mediante uma parceria estabelecida entre o Município e o ACES de Vila Nova de Famalicão, já administrou perto de 73  mil vacinas.

A infraestrutura conta com o apoio de mais de duas dezenas de técnicos cedidos pela Câmara Municipal para acolhimento, encaminhamento e orientação dos utentes. A limpeza do espaço e a vigilância externa também estão entregues aos recursos humanos do município. Ao todo, são cerca de 60 recursos humanos que a autarquia afetou ao Centro de Vacinação.

Para além da cedência do espaço, a Câmara Municipal cedeu ainda diverso equipamento logístico como tendas, biombos, cadeiras, mesas, armários, instalação de rede elétrica e internet, para além de grades, cones e placas sinalizadoras e identificativas. Foi também cedido equipamento de apoio administrativo, como computadores, impressora, telemóvel, entre outros.

Recorde-se que a autarquia oferece ainda transporte gratuito de autocarro a partir das unidades de saúde locais conforme as marcações efetuadas.

Para além disso, o município disponibiliza ainda dois veículos que estão ao serviço do ACES para a deslocação dos profissionais de saúde para a vacinação ao domicílio de doentes dependentes.

O  Centro de Vacinação Covid-19 de Famalicão funciona de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 20h00, e aos fins-de-semana quando existe disponibilidade de vacinas.

AFS_0713.jpg

AMARES ATESTA AO COVID-19 ATLETAS DE FORMAÇÃO

Município de Amares apoiou realização de mais de 150 testes de rastreio à COVID-19 a atletas de formação

Durante o mês de maio, a Câmara Municipal de Amares comparticipou metade do valor de 159 testes de despistagem à COVID-19, a crianças do concelho.

“O Município de Amares decidiu comparticipar metade do montante por cada teste à COVID-19 a todos os atletas de formação do concelho de Amares na medida em que é seu dever assegurar que, em contexto de pandemia, todos os jovens pratiquem desporto em segurança”, explicou o vereador do Município de Amares, João Esteves. O vereador acredita que com este apoio a Autarquia de Amares está a contribuir para uma sociedade “mais segura e para o bem-estar do interesse público”.

Com esta medida cumpre-se, assim, a norma emitida pela Direção Geral de Saúde a 1 e abril de 2021, designadamente a obrigatoriedade dos escalões de formação apresentarem um teste negativo à COVID-19 antes de iniciarem a prática desportiva.

CÂMARA DE BRAGA INICIA TESTAGEM A COLABORADORES DAS PME'S DO CONCELHO

Testes rápidos arrancaram esta Sexta-feira no Gabinete Municipal de Saúde

O Município de Braga, através do seu Gabinete Municipal de Saúde, iniciou esta Sexta-feira, 11 de Junho, a realização de testes rápidos antigénio de diagnóstico à COVID-19 aos colaboradores das pequenas e médias empresas (PME) de Braga.

CMB11062021SERGIOFREITAS002151383095.jpg

Numa altura em que o Concelho se encontra em situação de alerta devido aos números da pandemia, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, salienta que este é mais um mecanismo que a Autarquia Bracarense disponibiliza para mitigar os números da COVID-19.

“A InvestBraga procedeu ao envio da informação às empresas  que tiveram de responder a um questionário, o que nos permitiu aferir o número de colaboradores para a testagem e fazer o planeamento necessário à gestão de todo o processo”, explicou Ricardo Rio.

Neste primeiro dia foram testadas cerca de 500 pessoas, sendo que existe capacidade instalada para efectuar 1.200 testes diários. Nos próximos dias, o Gabinete Municipal de Saúde irá testar cerca de sete mil pessoas de 200 empresas do Concelho.

O processo de testagem, sem qualquer custo, conta com a parceria do Agrupamento de Centros de Saúde Cavádo I e da Administração Regional de Saúde do Norte. Esta acção resulta ainda do Plano de Promoção da Operacionalização da Estratégia de Testagem em Portugal, desenvolvido pelo Ministério da Saúde e Direção Geral da Saúde.

Além do mecanismo de testagem generalizada para o tecido empresarial e no próprio universo municipal, o Município de Braga reforçou as acções de fiscalização em articulação com as forças de segurança e intensificou a sensibilização junto de toda a população, nomeadamente dos jovens estudantes universitários e junto dos estabelecimentos comerciais, para a necessidade imperiosa de cumprir escrupulosamente as medidas de prevenção, bem como a atenção a possíveis sintomas por mais leves que sejam.

De referir que as empresas interessadas em fazer a testagem dos seus colaboradores podem ainda fazê-lo através da InvestBraga.

CMB11062021SERGIOFREITAS002151383096.jpg

CMB11062021SERGIOFREITAS002151383085.jpg

ESCLARECIMENTO SOBRE O PONTO DA SITUAÇÃO PANDÉMICA NO CONCELHO DE ESPOSENDE

Tendo este Município tomado conhecimento da divulgação, em órgão de comunicação social local, da existência de 87 casos positivos de COVID-19 no concelho de Esposende, importa clarificar que o número de casos ativos é de 10, conforme o Relatório de 29 de maio/2021, divulgado pela Administração Regional de Saúde do Norte.

pandemiespo.PNG

Com efeito, foram três os casos registados na última semana e 12 na penúltima e na antepenúltima semanas, situação entretanto já revertida com a recuperação indivíduos infetados.

Na leitura do relatório da ARS Norte deve atender-se que a incidência de casos na penúltima semana, por 100 mil habitantes, exige que se tenha em atenção que Esposende tem 34177 habitantes, estando muito longe dos valores que implicam adoção de medidas especiais.

Assim, e porque a informação veiculada não corresponde à veracidade dos factos, importa prestar este esclarecimento para maior tranquilidade de toda a comunidade.

Não obstante estes números corresponderem a uma situação que não suscita uma preocupação extrema, importa também realçar que não se deve, de forma alguma, minimizar a realidade da existência de uma pandemia por COVID-19 e a obrigação de manutenção de todos os necessários cuidados e cumprimento das regras.

Nesse capítulo, o Município de Esposende tem disponibilizado meios humanos e materiais, no apoio e elucidação da população, estando ao dispor para qualquer esclarecimento adicional.

No concelho de Esposende, 5574 utentes já receberam a primeira dose da inoculação e 2223 utentes já receberam a segunda dose.

Está em fase de conclusão a primeira fase da vacinação no domicílio, que se procede com o acompanhamento dos B.V. Esposende, B.V. Fão e Cruz Vermelha de Marinhas.

Encontram-se em vacinação os utentes com mais de 55 anos e a avançar para a faixa etária subsequente, com mais de 50 anos. Todos os referidos podem neste momento proceder ao seu autoagendamento, caso ainda não tenha sido convocados, em: https://covid19.min-saude.pt/pedido-de-agendamento/

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE BARCELOS VISITA CENTRO DE VACINAÇÃO ACOMPANHADO PELO SECRETÁRIO DE ESTADO COORDENADOR REGIONAL

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, acompanhado pelo secretário de Estado da Mobilidade e coordenador regional para a gestão da pandemia, Eduardo Pinheiro, visitou, esta quinta-feira, 27 de maio, o novo centro de vacinação contra a Covid-19, que está a funcionar há cerca de um mês no pavilhão do Colégio La Salle, em Barcelinhos.

barcavacin (1).jpg

No final da visita, o coordenador regional para a gestão da pandemia salientou os esforços desenvolvidos pelo Município na criação das melhores condições possíveis para a vacinação: “É um processo complexo, que envolve muitos intervenientes e temos aqui, em Barcelos, mais um bom exemplo de uma parceria entre a administração local, no caso a Câmara Municipal de Barcelos, e a administração central, e o resultado é evidente: a ocupação nos nossos hospitais é hoje muito mais baixa e, depois de vacinadas as populações mais frágeis, estamos já a alargar a outras faixas etárias”. Eduardo Pinheiro destacou, ainda, as condições disponibilizadas no centro de vacinação de Barcelos, dizendo que, “graças ao esforço da autarquia, que tem dado um contributo exemplar, em colaboração com o ACES Cávado III e a ARS Norte, Barcelos tem um espaço com todas as condições de comodidade e higiene”.

Miguel Costa Gomes, que tem acompanhado de perto todo o processo, também destacou o bom ritmo a que tem decorrido a vacinação e o empenho de todos os profissionais envolvidos: “O pavilhão do Colégio La Salle oferece as necessárias condições para que o distanciamento social seja cumprido. É de realçar o empenho de todos, não só na vacinação, mas também no encaminhamento e acompanhamento de quem vem ser vacinado. Este é um processo fundamental no combate à pandemia, na medida em que permite atingir a imunidade de grupo e, com isto, chegar, o mais rápido possível, à normalidade”.

A acompanhar a visita esteve também o diretor do ACES Cávado III, Barcelos/Esposende, Fernando Ferreira, que apelou ao cumprimento das regras estabelecidas: “O processo de vacinação desta envergadura é um processo complexo que necessita do cumprimento de objetivos, metas e, sobretudo, das regras de acesso e o respeito pelo cumprimento do agendamento”.

Numa altura em que estão a ser vacinadas, em média, cerca de duas mil pessoas por dia, em Barcelos, existe a expectativa que o número de inoculações diárias atinja um pico de 12.800 em julho. Esta quarta-feira, por exemplo, foram vacinadas 2.250 pessoas.

Até ao dia de ontem, o centro de vacinação de Barcelos tinha já administrado a primeira dose a 38.656 pessoas e a segunda a 14.312 utentes, o que corresponde a uma taxa de cobertura de 27,49%, para a primeira dose, e 11,68%, para a segunda.

Considerando a população acima dos 15 anos, Barcelos precisa ainda de vacinar 107.438 utentes com a primeira dose e 127.897 com a segunda. No entanto, estes números poderão ser variáveis, conforme a vacina a utilizar, já que a da Janssen, por exemplo, implica apenas uma inoculação.

barcavacin (2).jpg

ARCUENSES CORREM CONTRA O CANCRO

Corrida Para a Vida: Arcuenses colaboram com a Liga Portuguesa Contra o Cancro

Muitos foram os arcuenses que deram o seu contributo na 2ª edição da “Corrida para a Vida”, que está a ser promovida pela Liga Portuguesa Contra o Cancro.

ee340e80-6b2f-47e0-b7c8-b61b1e09be64.jpg

O Município tem estado a desenvolver esforços no sentido de promover e apoiar esta iniciativa, cujos Embaixadores, a nível local, são o Presidente da Câmara, João Manuel Esteves e a Vereadora da Ação Social Belmira Reis.

Não se esqueça de participar e dar o seu donativo. Tem até dia 30 de maio para o fazer.

Para mais informações consulte o site da Câmara em https://www.cmav.pt/pages/1848?news_id=4939

IMG_1529.jpeg

8db53459-3f79-4c2f-ae06-ec39554bd790.jpg

9ac0eca1-4092-442f-a7a6-a08552da7d17.jpg

12e17f50-6246-4081-9de8-840e78dd3e75.jpg

16cdcbed-a2ad-49b8-bb9f-27220ad8dabd.jpg

508a907c-a678-4528-85ad-5ecc6dad43ac.jpg

"PREVENIR A OBESIDADE" FOI MOTE DE TERTÚLIA EM PONTE DA BARCA

 “Prevenir a Obesidade” foi o mote da tertúlia promovida pela Comissão de Protecção das Crianças e Jovens  de Ponte da Barca (CPCJ), em parceria com a Câmara Municipal e o Agrupamento de Escolas e que teve lugar no polivalente da escola Secundária.

189567118_3430490007051958_1417095707878332280_n.j

A sessão teve como oradores Carlos Sá, Ultramaratonista, e o Médico José António Costa. Presentes estiveram também o Presidente da CPCJ, José Alfredo Oliveira, o Presidente da Câmara, Augusto Marinho, e o Diretor do Agrupamento de Escolas, Carlos Louro.

Carlos Sá, num testemunho na primeira pessoa, explicou que entrou para o atletismo aos 12 anos e um ano depois já corria os 21 quilómetros da meia-maratona com o tempo canhão de 1 hora e 26 minutos. Aos 18 deixou as provas, e só depois dos filhos nascerem, com 30 quilos a mais e dois maços de tabaco diários, voltou a calçar uns ténis para recuperar a forma física perdida. Hoje, é um dos melhores ultramaratonistas do mundo.

As consequências e a forma de combater este flagelo foram destacadas pelo Médico José António Costa, que salientou o sedentarismo e a alimentação não saudável como as principais causas do aumento da obesidade.

A tertúlia visou sensibilizar para o problema da obesidade e das doenças associadas, assim como das implicações da obesidade na saúde humana, promovendo ainda a prática de exercício físico, de forma a prevenir o aumento da obesidade, em especial a infantil e juvenil, assim como incentivar a adoção de hábitos alimentares saudáveis.

Conscientes da importância desta e de outras temáticas semelhantes, a CPCJ e a autarquia vão continuar a colaborar na promoção deste tipo ações quer junto do público em geral, quer na comunidade escolar.

189773823_3430488853718740_8045981021027596737_n.j

190016959_3430489590385333_4297777024450809412_n.j

190263579_3430489367052022_2659709610458254484_n.j

191667046_3430490067051952_573777744137623368_n.jp

189560424_3430489250385367_1576048956436029073_n.j

189560428_3430489870385305_6470254131226897629_n.j

AMANHÃ, 21 DE MAIO: TÉCNICOS DE RADIOLOGIA PROTESTAM EM VIANA NO CASTELO

Vigília está agendada para as 16h00, em frente ao Hospital de Santa Luzia.

Protestando contra a caducidade dos contratos de trabalho, considerando a continuidade da conceção do Serviço de Imagiologia da ULSAM - Unidade Local de Saúde do Alto Minho à Lifefocus II, os Técnicos de Radiologia da ULSAM vão avançar com nova vigília. A mesma está agendada para amanhã, 21 de maio, entre as 16h00 e as 19h00, em frente ao Hospital de Santa Luzia em Viana do Castelo. Os profissionais vão, mais uma vez, denunciar publicamente as ilegalidades que estão a ser cometidas e as condições de trabalho a que são sujeitos.

Em causa está a precariedade das condições de exercício profissional pelo não reconhecimento da necessidade permanente da manutenção do posto de trabalho, a continuidade da relação jurídica de emprego estabelecida entre a Lifefocus II e TODOS os trabalhadores e a não internalização dos Técnicos de Radiologia na instituição ULSAM.

Os profissionais exigem a internalização dos meios complementares de diagnóstico e terapêutica nas instituições e serviços públicos de saúde, o que neste caso reflete a internalização dos Técnicos de Radiologia na ULSAM, a negociação de remunerações dignas com base no reconhecimento de um exercício consentâneo com a qualificação, conhecimento e competência destes profissionais, a aplicação das normas do Código do Trabalho, no estrito cumprimento das regras de transmissão de empresa ou estabelecimento, sem desvios, o reconhecimento do seu direito ao posto de trabalho, com condições contratuais e de exercício que dignifiquem os profissionais a nível remuneratório.

Recorde-se que em causa está um histórico de precariedade das condições

de exercício profissional destes profissionais de saúde e o não reconhecimento

do direito à manutenção do seu posto de trabalho nos termos da lei.

Pela imprescindibilidade das funções desempenhadas por estes profissionais de saúde, assente na importância do serviço do qual fazem parte, o recurso a uma empresa externa cujo contrato pode não ser renovado e que não quer garantir a continuidade nos termos da lei dos contratos dos Técnicos de Radiologia, remunerando-os com paridade com outros Técnicos de Radiologia da ULSAM e de outras instituições, situação que pode ser resolvida com a internalização pela Unidade Local, sob pena de ser também ser responsável por esta situação.