Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

AXIS PADEL CENTER: UM ESTILO DE VIDA MAIS SAUDÁVEL E SOCIÁVEL

O primeiro centro dedicado ao Padel no distrito de Viana do Castelo vai nascer em Abril de 2019 em Ponte de Lima pelas mãos do Axis Wellness. O AXIS PADEL CENTER será constituído por 3 Campos certificados pela Federação Portuguesa de Padel, totalmente cobertos, localizados em plena natureza junto ao Hotel Axis Golfe e ao Axis Wellness, disponibilizando para sócios e publico em geral horas de prática livre e Escola de Padel.

A Directora Executiva do Axis Wellness, Célia Ventura, explica que este centro de Padel enquadrase na missão do clube: “um estilo de vida mais saudável e sociável”. “O Axis Padel Center é um espaço único que alia o conceito de clube social com o desporto e o bem-estar, uma vez que estimula o espírito de equipa e é divertido”, avança.

O AXIS PADEL CENTER, com 3 courts profissionais de Padel área lounge, estará integrado no Axis Wellness Fitness e Spa Ponte de Lima, disponibiliza tratamentos de SPA, banho turco, sauna, piscina, zona de massagem no exterior (período de Verão), ginásio com equipamentos de vanguarda para treino cardiovascular e resistência muscular.

image008PADEL (1).jpg

O QUE É O PADEL? O Padel é um desporto de raquete, muito fácil de aprender, jogado a pares e utilizando raquetes e bolas próprias. O campo é rectangular, totalmente fechado, tem 10 metros de largura por 20 de comprimento e uma rede no meio. Nos topos e em parte das laterais tem uma superfície em vidro ou em alvenaria. A superfície do campo pode ser em relva sintética, alcatifa ou betão poroso. As duas primeiras são as mais habituais.

image008PADEL (2).jpg

PATRONATO NOSSA SENHORA DA BONANÇA PROMOVE HIGIENE ORAL DAS CRIANÇAS

Workshop "Hábitos Orais e sua influência no Desenvolvimento da Criança" que será dinamizado pela Terapeuta da Fala Joana Terleira, no dia 12 de abril (sexta-feira), pelas 18h30m no Patronato Nossa Senhora da Bonança.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas nos serviços administrativos da instituição, através do e-mail patronato.bonanca@gmail.com ou através do formulário online, em https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSenROPQygJvyLq5Ig-Xw-CxseHQpoqyzWyyjJxUBQQ_QAaSDQ/viewform?fbclid=IwAR0nyTKQkczXmDLHr-NPFEKdO8rf0-XiPIdFsmiXzfMeEYnC4kY_uI5t_xA 

workshop_terapia.jpg

IDOSOS RECUSAM REGIME DE MEDICAMENTOS

"Metade dos idosos acompanhados não adere a regime de medicamentos" – apresentação do livro da professora Lígia Monterroso, do ISAVE

“Quarenta e nove por cento dos idosos, acompanhados por profissionais de saúde não aderem ao regime medicamentoso que lhes é prescrito” – revela o livro da prof. Lígia Monterroso (ISAVE) apresentado hoje, dia 14 de Março, na Feira do Livro, em Amares.

IMG_8064.JPG

A Diretora da Licenciatura de Enfermagem do Instituto Superior de Saúde (ISAVE) apresentou o livro “Regime terapêutico das pessoas idosas dependentes – avaliação da adesão e da gestão”, na Galeria de Artes e Ofícios, na presença do vice-presidente da Câmara Municipal de Amares (Isidro Araújo) e de Arnaldo Sousa, do ISAVE, além de alunos de Enfermagem.

Editado pela Novas Edições Académicas, o livro constitui uma súmula da tese de doutoramento da Prof. Lígia Monterroso, nascida em Amarante, que reflete um levantamento efetuado em várias unidades de saúde no Algarve.

Na sua intervenção, Lígia Monterroso partiu do seu gosto pelo cuidado com os idosos, “cada vez mais medicados, que gastam rios de dinheiro, têm farmácias de remédios em suas casas sem utilidade”.

A sua tese procura responder à pergunta – “que enfermagem podemos desenvolver com os idosos, porque os mais velhos são a mais valia de conhecimento, são eles que nos ensinam, e como é que os marginalizamos e esquecemos”?

Hoje existem mais medicamentos porque há mais patologias, o que desafia os enfermeiros a mais esfoço para tratar um idoso com doença mental.

Numa primeira fase, Lígia Monterroso verificou que, “entre 50 idosos doentes mentais, no Hospital do barlavento que eram acompanhados semanalmente, 37% não cumpriam o pano medicamentoso”.

Um segundo estudo envolveu os Centros de Saúde de Lagos, Vila do Bispo e Aljezur, integrados na Unidade de Cuidados Continuados do Infante e os cuidadores informais que trabalham 24 sobre 24 horas, sem formação, desapoiados e sem saber o que fazer quando entram em depressão.

Não foi por acaso, porque Sagres é a zona do país com maior taxa de suicídio e a adesão ao regime terapêutico era um problema grave. “Em 57 famílias, estudadas, verificou-se o incumprimento do regime medicamentoso por falta de recursos económicos, medicamentos caros e as pensões não chegam para pagar medicamentos”.

Esta situação conduz ao descontrolo das doenças mentais arrastando consigo os cuidadores. Que fazer? Para encontrar uma resposta surge um terceiro estudo que envolveu 198 entrevistas (além de 44 recursas, desistência ou morte) a doentes dependentes em todo o Algarve, integrados em Unidades de Cuidados Continuados e acompanhados diariamente por profissionais de saúde.

O índice de complexidade do tratamento (uma coisa é tomar um comprimido e outra é um injetável) permite concluir que “quanto maior é o grau de complexidade, menor é a adesão ao tratamento”.

Acresce o “erro de comunicação entre o enfermeiro e a pessoa idosa porque comunicar não é fácil nem é inato. Temos de ter a certeza de que o nosso doente perceba aquilo que lhe dizemos” – lembra Lígia Monterroso.

Face aos números apresentados face à adesão ao regime medicamentoso, a professora do ISAVE concluiu: “estamos a fazer um mau trabalho. É um número assustador”.

Mais, este numero têm consequências económicas, porque os “medicamentos são comparticipados por cada um de nós e metade da população (49%) idosa doente está a desperdiçar e deitar fora o meu dinheiro (dos impostos)”.

Os portugueses ignoram, por exemplo, que “uma noite em UCI (Unidade de Cuidados Intensivos) custa seis mil euros” e uma “visita ao Hospital com medicamentos custa 250 euros”.

Outro fator a combater é a iliteracia: “como explicar que o mesmo fármaco seja aplicado três vezes (um princípio ativo, um nome do laboratório e um nome comercial do medicamento)? A Indústria farmacêutica detesta que se fale disto”.

A docente do ISAVE lamentou a demora na prescrição de medicamentos para doenças crónicas (entre 48 a 72 horas) e a “quantidade absurda de fármacos que é prescrita que fomenta o erro, pois é mais fácil a um idoso tomar dois medicamentos do que sete”.

Colocando-se na pele de enfermeira, Lígia Monterroso questionou “o modo como atuamos com os outros: o enfermeiro não tem tempo para tirar as dúvidas aos idosos”.

Do seu trabalho resultou um programa no Algarve, em colaboração com as Câmaras Municipais, de melhorar o acesso ao medicamento a idosos residentes em zona isoladas e recônditas: a s Câmaras recebem as recitas e entregam os medicamentos aos utentes em sua casa”.

Apesar de estarmos mal, Lígia Monterroso reconheceu que a Europa está pior, concluindo pela necessidade urgente de “cuidar do cuidador informal de idosos dependentes. Ele tem um papel ingrato enquanto outros familiares só pensam no que vão herdar. Os cuidadores estão sempre despertos, sem tempo para sair de casa ou parar umas horas”.

“O idoso doente não precisa só de um cuidador mas sim de um cuidador com saúde mental e saúde física” – conclui Lígia Monterroso, ao defender que “as famílias que abandonam os seus idosos ou os depositam nos hospitais deviam perder as pensões deles”.

Arnaldo Sousa traçou o perfil bio-biliográfico da autora e o vice-presidente da Câmara de Amares enalteceu a vontade do Município em colaborar com o ISAVE em outras iniciativas no futuro.

ESPOSENDE REALIZA FEIRA DA SAÚDE

Abertas inscrições para a Feira da Saúde 2019

Integrado no Plano Municipal de Saúde Pública, e no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Saúde, que se comemora a 7 de abril, a Câmara Municipal de Esposende vai levar a efeito mais uma edição da Feira da Saúde.

_DSC9063.JPG

O evento decorrerá no fim-de-semana de 6 e 7 de abril, no parque em frente às Piscinas Foz do Cávado, em pleno centro da cidade, e está aberto à participação das empresas e demais instituições do concelho ligadas à área da saúde e bem-estar. A iniciativa constitui, assim, uma oportunidade para estas darem a conhecer os seus serviços e promoverem algumas atividades, como rastreios ou outras, que incentivem a população a cuidar da sua saúde e a adotar hábitos de vida saudáveis.

A participação é gratuita, contudo carece de inscrição, a efetuar online, até ao dia 29 de março, em https://goo.gl/forms/shdtS9o2Y5WUuSth2.

A Feira da Saúde visa fomentar hábitos de vida saudáveis, assumindo-se também como um mecanismo de informação, na medida em que os visitantes podem obter informações sobre assuntos relacionados com a saúde e, sobretudo, da melhor forma de a garantir, tendo, na oportunidade, a possibilidade de desfrutar de diversos rastreios a vários tipos de doenças, para além de terem, ainda, acesso à informação e conhecimento dos serviços prestados no concelho.

Tendo em conta as metas definidas pela Agenda 2030 da ONU, objetivos que o Município verteu para o seu plano de gestão, este evento enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Saúde de Qualidade (ODS 3) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS17).

_DSC9072.JPG

_DSC9093.JPG

ESPOSENDENSES DEBATEM GESTÃO DAS PISCINAS PÚBLICAS

“Gestão da Segurança, da Higiene e Saúde Pública em Piscinas” em debate em Esposende

“Gestão da Segurança, da Higiene e Saúde Pública em Piscinas” é o tema da conferência que a empresa Main, em colaboração com a empresa municipal Esposende 2000 e a Confederação do Desporto de Portugal, promove amanhã, dia 8 de março, no Auditório Municipal de Esposende.

PiscinasFozdoCavadoESPOSENDE.jpg

A ação é dirigida a diretores técnicos de piscinas, gestores desportivos, coordenadores de instalações desportivas, dirigentes associativos e público interessado.

A receção aos participantes decorre a partir das 9h00 e a sessão de abertura tem lugar às 9h30, com intervenções do Presidente do Conselho de Administração da Esposende 2000, António Maranhão Peixoto, e da Vice-presidente da Câmara Municipal, Alexandra Roeger.

Num primeiro painel, será abordada a temática “Segurança, Higiene e Saúde Pública”, com moderação de Nuno Lopes e João Simão. A Diretora Executiva do ACES Cávado III - Barcelos / Esposende, Carla Sofia Araújo falará sobre "O controlo e a vigilância da qualidade da água no garante da saúde pública", o Diretor Regional do IPDJ/Norte, Vitor Dias, abordará "A segurança na gestão e construção de piscinas" e a Chefe de Serviço de Assistência a Banhistas do ISN, Olga Sofia Marques, intervirá sobre "A segurança e a vigilância, nas piscinas públicas".

Num segundo painel serão abordados “Casos Práticos”. Liliana Madureira, da Associação para a Promoção da Segurança Infantil intervirá sobre “Segurança nos Espaços de Recreio, Desportivos e de Lazer” e Patrícia Cipriano, da Associação Portuguesa da Criança Desaparecida abordará “O planeamento das instalações na prevenção da fuga/rapto”. António Duarte, Professor Auxiliar Universidade do Minho Escola de Engenharia, vai abordar o tema “Tratamento da água de Piscinas Públicas – Análise Comparativa de Sistemas de Desinfeção aplicada a um caso de estudo” e, por fim, João Simão, da Main, centrar-se-á sobre “A Manutenção como fator de melhoria da Higiene e da eficiência energética”.

Haverá, ainda, um período de debate, proporcionando o esclarecimento de eventuais dúvidas. 

conferencia.jpg

ALUNOS DE MEDICINA REALIZAM RASTREIOS DE SAÚDE GRATUITOS À POPULAÇÃO DE CERVEIRA

Entre esta sexta-feira à tarde e domingo pela manhã, vários estudantes de Medicina da Universidade do Porto vão estar, em Vila Nova de Cerveira, a promover rastreios gratuitos a um conjunto de fatores de risco cardiovascular. Dirigida à população em geral, a XV edição do projeto ‘Medicina na Periferia’ concentra-se em pleno centro histórico e no antigo bar dos Bombeiros Voluntários.

Cartaz - Medicina na Periferia 2019.jpg

Apoiada pelo Município de Vila Nova de Cerveira, a atividade consiste na realização de rastreios à população em geral, visando sobretudo a deteção de fatores de risco cardiovascular (medição da Tensão Arterial, Índice de Massa Corporal, Perímetro Abdominal e cálculo do score de risco de Diabetes Mellitus Tipo II).

A ‘Medicina na Periferia’ é dinamizada por estudantes de Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do Porto (AEICBAS-UP), já com introdução à prática clínica e com preparação prévia para o efeito. Com esta ação, os jovens voluntários podem aplicar os conhecimentos adquiridos, interagir com colegas, contactar com vários públicos e sensibilizar uma educação para a saúde.

Com caráter gratuito, o rastreio ‘Medicina na Periferia’ decorre no centro histórico de Vila Nova de Cerveira e no antigo Bar dos Bombeiros Voluntários, entre esta sexta-feira e domingo, com o seguinte horário de funcionamento: sexta-feira das 14h00 às 17h00, no sábado das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, e no domingo das 09h00 às 13h00.

ESPOSENDE CONTRA O CANCRO

Município de Esposende e Liga Portuguesa Contra o Cancro alertam alunos para o HPV

No âmbito do Programa Municipal de Promoção da Saúde, o Município de Esposende associa-se à Liga Portuguesa Contra o Cancro na sensibilização da comunidade educativa sobre as doenças associadas ao Papilomavírus Humano (HPV).

IMG_20190301_092555.jpg

Neste sentido, hoje, dia 1 de março, a Escola Básica António Rodrigues Sampaio, em Marinhas, recebe a campanha itinerante “HPV e Quê?”, que até abril vai percorrer 35 escolas de todo o país.

O objetivo da campanha, que tem uma forte presença digital, é melhorar o conhecimento dos jovens sobre as doenças e riscos associados às infeções por HPV, alertando para a importância da prevenção através da vacinação.

O roadshow “HPV e Quê?” integra uma carrinha Airstream que se abre para o exterior, proporcionando a realização de atividades dirigidas aos alunos, entre as quais a promoção do Quizz “Sabias Que?”, onde, em ambiente de realidade virtual, são transmitidas informações ao alunos e colocadas questões para avaliar o conhecimento adquirido.

É feita também a distribuição de tatuagens temporárias que representam o HPV, com possibilidade de serem vistas através de uma aplicação de realidade aumentada, bem como folhetos com informação sobre o HPV, quais os riscos, como se transmite e como se previne.

Esta campanha itinerante contempla também a presença de um profissional de saúde para enquadramento e esclarecimento de dúvidas da comunidade escolar.

Uma das mais-valias desta campanha é o facto de as atividades dinamizadas facilmente motivarem os jovens para uma conversa em casa com os pais, que poderão saber mais sobre o tema em www.hpv.pt e aconselhar-se com o seu médico assistente.

Por via da promoção desta ação, o Município está a dar cumprimento às metas da Agenda 2030, da ONU, no que diz respeito a Saúde de Qualidade (ODS 3) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos (ODS 17).

IMG_20190301_092648.jpg

IMG_20190301_093528.jpg

IMG_20190301_093612.jpg

INVESTIGAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO CONCLUI PRÁTICA DE PILATES MELHORA QUALIDADE DE VIDA DE DOENTES CRÓNICOS

Investigação da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro

A prática de Pilates melhora a qualidade de vida de quem sofre de doenças cardiovasculares e respiratórias crónicas, cancro e diabetes. O estudo realizado pela Escola de Saúde da Universidade de Aveiro (ESSUA) mostra, que mais do que uma moda, esta prática pode ser uma adjuvante à terapia não farmacológica de várias doenças crónicas.

As investigadoras Alda Marques e Sara Souto Miranda (2).jpg

“Com este estudo verificámos que os doentes que praticam Pilates melhoram significativamente a sua qualidade de vida”, explica Sara Souto Miranda. A investigadora do Laboratório de Investigação e Reabilitação Respiratória (Lab3R) da ESSUA, que juntamente com Alda Marques assina o trabalho, aponta que os doentes que praticam Pilates saem fortemente beneficiados no que diz respeito à força muscular, à tolerância ao esforço físico e aos próprios sintomas das doenças.

Resultado de uma revisão dos artigos científicos que, por todo o mundo, se têm feito nos últimos anos sobre os benefícios para a saúde da prática de Pilates, o trabalho das investigadoras do Lab3R conclui que, entre as várias doenças crónicas não transmissíveis, é nas cardiovasculares, respiratórias, cancro e diabetes que os efeitos terapêuticos desta prática mais se fazem notar.

Os artigos compilados e estudados pelas investigadoras reportam a prática de Pilates por 491 pessoas com um historial de doenças crónicas (cancro da mama, diabetes, doença pulmonar obstrutiva crónica, fibrose quística, insuficiência cardíaca e hipertensão arterial), durante 8 a 12 semanas, uma a três vezes por semana.

As maiores melhorias, descreve Sara Souto Miranda, “foram reportadas para doentes com patologia cardiovascular crónica, diabetes e cancro da mama” e incidiram ao nível da tolerância ao esforço (capacidade para caminhar mais tempo sem parar), sintomas (fadiga, dor, ansiedade e depressão) e qualidade de vida relacionada com a saúde. No entanto, avisa, “essas melhorias podem ter sido superiores nessas doenças devido à escassez de estudos nas restantes”.

“O Pilates parece ser uma boa intervenção a adotar como estratégia adjuvante, isto é, não tem efeitos superiores a outras intervenções na maior parte dos domínios da saúde, pelo que deve ser praticado em conjunto com outras intervenções que já se demonstraram eficazes, como a reabilitação respiratória, cardíaca ou neurológica”, aponta Sara Souto Miranda. “É uma intervenção promissora para manter as pessoas ativas, mas que tem ainda poucos estudos em algumas doenças, tais como as respiratórias ou cardiovasculares, pelo que será necessário ainda maior investimento de investigação nesta área”, explica.

As investigadoras Alda Marques e Sara Souto Miranda.jpg

ISAVE: COMBATE À INFEÇÃO “COMEÇA NO LAVAR AS MÃOS”

“Primeiro, lavar as mãos, segundo, lavar as mãos, e terceiro, lavar as mãos, é o princípio básico para controlar a infeção” — alertou Ricardo Vieira, durante o II Seminário sobre o tema realizado hoje no Instituto Superior de Saúde — ISAVE — em Amares.

IMG_7629.JPG

O Enfermeiro, diretor da Santa Casa de Misericórdia de Barcelos, falava num auditório repleto de alunos e profissionais de saúde, numa iniciativa do ISAVE que contou com mais de uma centena de participantes e encerrou com uma magnífica atuação as Isatuna.

O dia foi preenchido com dez palestras científicas e dois workshops apresentados pelas empresas Hartmann e Factor Plus, bem justificadas porque em quatro pessoas que vão à casa de banho só uma lava as mãos.

Na sessão de abertura estiveram presentes a Presidente do ISAVE, Mafalda Duarte, a vereadora da Câmara de Amares, Cidália Abreu, e o presidente do Conselho Consultivo do ISAVE, João Luís Nogueira

No primeiro painel moderado por Daniela Gonçalves, Professora do ISAVE, do Programa de Prevenção de Controlo de Infeção e resistência aos antimicrobianos, com a participação de Isabel Neves, da Direção Geral de Saúde, foi considerado um dos melhores da Europa. “Somos o único país da Europa que participa em todas as vigilâncias de infeções” — garantiu esta técnica da Direção Geral de Saúde que lançou um alerta: “até 2050, se nada fizermos, a cada três segundos vai morrer uma pessoa com uma infeção intratável e todos os avanços médicos seriam em vão”.

Maria do Céu Morais, do ACES Cávado II (Agrupamento de Centros de Saúde) Gerês/Cabreira, moderou o painel sobre o cenário atual do controlo de infeção, com uma intervenção de Raul Borges, presidente do Conselho Clínico e de Saúde do mesmo Agrupamento de Centros de Saúde. Este médico destacou os notáveis resultados conseguidos nos últimos cinco anos na poupança de antibióticos para doenças de Trato Urinário, amigdalites e pele. A resistência aos antibióticos, devido ao excesso da sua prescrição, mata 390 mil pessoas na Europa e 4,150 milhões em África. Quanto ás amigdalites, 70% são víricas e não necessitavam de antibióticos.

Ricardo Vieira deu conta da sua experiência no controlo de infeções na Santa Casa de Misericórdia de Barcelos, com 650 utentes, e a resistência de enfermeiros e médicos face a cuidados básicos como o simples lavar as mãos. O sistema foi implementado por causa de um surto de sarna e prova que é possível fazer muita coisa sem gastar um cêntimo. Lavar as mãos é a base de tudo e os outros métodos surgem por acréscimo — sustentou Ricardo Vieira.

Após o almoço, o terceiro painel moderado por Lígia Monterroso, Professora do ISAVE, teve como tema Higiene das mãos e higiene ambiental, e contou com quatro intervenções: Alexandra Pais, do Hospital dos Lusíadas (Porto), sobre “Higiene das mãos – da teoria à prática” onde há muito a fazer; Isabel Veloso, do Hospital de Braga, abordou a “importância da higiene e controlo ambiental na prevenção e controlo infeções; ao passo que Rita Seixo, gestora hoteleira do Hospital de braga, apresentou a Monitorização da Higiene ambiental por método visual; e finalmente, Ana Silva, do Hospital de Braga, apresentou o método de bioluminiscência na monitorização da higiene ambiental.

IMG_7597.JPG

MUNICÍPIO DE BARCELOS APOIA CRIANÇAS QUE FREQUENTAM HIPOTERAPIA

Município de Barcelos disponibiliza transporte gratuito a crianças e jovens no âmbito do projeto “ A diferença está no desporto”

A Câmara Municipal aprovou, em reunião ordinária de 22 de fevereiro, um conjunto de acordos de colaboração entre o Município de Barcelos e oito instituições/juntas/uniões de freguesia que visam disponibilizar o transporte gratuito de crianças e jovens, entre a escola que frequentam e o Centro Hípico Irmão Pedro Coelho, onde poderão usufruir de atividades físicas e terapêuticas, entre as quais a hipoterapia, no âmbito do projeto “A diferença está no desporto”.

Hipoterapia_CHIPC.jpg

Nesse acordo de colaboração entre o Município de Barcelos e o Centro Social de Cultura e Recreio da Silva, a União das Freguesias de Viatodos, Grimancelos, Minhotães, e Monte Fralães, a Junta de Freguesia da Lama, a União das Freguesias de Creixomil e Mariz, a União das Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescainha (S. Martinho e S. Pedro), a Junta de Freguesia de Carvalhal, a Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola de Carapeços e a Junta de Freguesia de Martim, a autarquia disponibiliza-se a criar as condições que proporcionem esse transporte de modo gratuito a alunos do ensino básico em situação ou em risco de abandono e insucesso escolar e a alunos com necessidades educativas especiais.

Recorde-se que, no dia 7 de fevereiro, o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, assinou o acordo de colaboração para a implementação do projeto “A Diferença está no Desporto”, inserido no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar do Cávado, que tem como objetivo desenvolver competências pessoais (aprender a ser) e sociais (aprender a conviver) junto dos alunos com dificuldades de aprendizagem, problemas de comportamento e de natureza psicoeducativa, através do desporto; e implementar uma abordagem experimental de promoção do sucesso escolar orientada para a aquisição de competências cognitivas e emocionais, por via do desporto.

O Município de Barcelos candidatou-se à medida 10.1 do quadro comunitário Portugal 2020, relacionada com o combate ao insucesso e abandono escolar. No âmbito da referida candidatura, foi elaborado o referido Plano, que contempla um conjunto de projetos a serem dinamizados, em pleno, pelo Município durante o presente ano letivo.

O projeto “A Diferença está no desporto” é financiado em 85% pelo Portugal 2020 e tem um valor total de 257 mil euros.

PAN QUER ESTATUIR CUIDADOR INFORMAL

PAN leva a debate iniciativa própria para a criação do Estatuto do Cuidador Informal

  •        - Dignificação e qualidade de vida de quem não se demite do seu papel de cuidar dos mais vulneráveis
  •        - Introdução de alterações no que respeita aos direitos laborais, especificamente no direito ao descanso
  •        - O apoio domiciliário deve ser prestado por equipas multidisciplinares
  •        - Cuidadores informais devem ter apoio psicossocial e formação adequada aos cuidados que prestam
  •        - Um tópico exclusivo da proposta do PAN diz respeito à promoção e definição de estratégias de apoio aos Cuidadores Informais

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, apresentou uma iniciativa legislativa que “Cria o Estatuto do Cuidador Informal, reforçando as medidas de apoio aos cuidadores e pessoas em situação de dependência” juntando-se ao debate sobre esta relevante matéria que ocorre no próximo dia 8 de Março.

Os cuidadores informais são pessoas que cuidam de outra, numa situação de doença crónica, deficiência ou dependência, parcial ou total, de forma transitória ou definitiva, ou noutra condição de fragilidade e necessidade de cuidado. O termo informal advém do facto destes cuidadores, ao contrário dos cuidadores formais, como os profissionais de saúde, não serem remunerados pelo seu trabalho e, na sua grande maioria, terem um percurso profissional que não lhes atribui competências específicas no domínio do cuidar.

Os cuidados prestados pelos cuidadores informais podem ser agrupados em três domínios: 1) assistência nas atividades de vida diárias (ex. higiene pessoal, vestir, alimentar e deambular/mobilizar); 2) suporte em atividades instrumentais da vida diária, isto é, tarefas relacionadas com a gestão da casa e a sua manutenção (arrumar e limpar a habitação, preparar as refeições, fazer as compras, pagar as contas); 3) apoio emocional.

Os cuidadores desempenham um papel essencial a nível da promoção da saúde e bem-estar da pessoa que cuidam, assegurando ainda a sua autonomia e a manutenção da sua qualidade de vida e da dignidade humana. Posto isto, o PAN considera da maior importância a aprovação imediata de um estatuto para o cuidador informal. Sendo que, vários foram já os países que procederam à aprovação deste estatuto, nomeadamente França, Alemanha, Reino Unido, Irlanda e Suécia, reconhecendo aos cuidadores vários direitos que variam de país para país. Em contrapartida, o ordenamento jurídico português não contempla um regime específico de proteção de cuidadores informais. E não existe ainda apesar de terem sido já aprovadas na Assembleia da República várias Resoluções que recomendavam ao Governo a criação do estatuto e a implementação de medidas de apoio.

O PAN pretende introduzir alterações no que respeita aos direitos laborais, especificamente ao direito ao descanso com a introdução de horários flexíveis e a possibilidade legal de teletrabalho, a dispensa de prestação de trabalho suplementar e noturno entre outras alterações que possibilitam que o cuidador Informal beneficie, com as necessárias adaptações, dos direitos previstos na legislação laboral.

Pretende-se ainda que na prestação de cuidados, o Cuidador Informal possa contar com o apoio de outras estruturas, designadamente apoio domiciliário, centros de dia ou outros recursos, consoante as necessidades específicas da pessoa dependente. Sendo que, o apoio domiciliário deve ser prestado porequipas multidisciplinares, devendo integrar pelo menos um enfermeiro, um psicólogo, um nutricionista, um assistente social e um assistente operacional.

O PAN pretende ainda que o Cuidador Informal tenha direito a apoio psicossocial e que possa frequentar ações de formação e sessões de esclarecimento,relacionadas com a prestação de cuidados, designadamente cuidados básicos de saúde e atividades básicas de apoio à pessoa cuidada, sendo que, estas ações devem ser desenvolvidas por profissionais de saúde de diversos níveis de cuidados, nomeadamente por equipas da Rede Nacional de Cuidados Continuados ou Equipas Comunitárias de Suporte em Cuidados Paliativos. 

Um tópico exclusivo da proposta do PAN, uma vez que mais nenhum partido está a reivindicar estas condições, diz respeito à promoção e definição de estratégias de apoio aos Cuidadores Informais. Este ponto prevê a promoção de grupos de entreajuda e de apoio no processo de luto, bem como de grupos de voluntariado, com suporte de profissionais com formação adequada; a criação de linha de apoio permanente aos Cuidadores Informais; o reforço das tecnologias de teleassistência, bem como da inovação tecnológica em contexto da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados e dos cuidados domiciliários, potenciando uma melhor comunicação com os profissionais de saúde e sociais; a criação de programas de requalificação profissional dos Cuidadores e procura de alternativas para apoio à manutenção do posto de trabalho, reingresso ao mercado de trabalho e promoção do empreendedorismo e a criação de mecanismos de valorização social das empresas que promovam boas práticas laborais e de apoio aos cuidadores informais.

“A inovação no contexto social e o respeito pela dignificação e qualidade de vida das pessoas passa por estabelecer formas de compensação de quem não se demite do seu papel de cuidar dos mais vulneráveis, seja pela atribuição de benéficos fiscais, seja pela atribuição de direitos laborais, que permitam ao cuidador conciliar o ato de cuidar com o exercício de uma atividade profissional” reforça Cristina Rodrigues da Comissão Política Nacional do PAN.

MELGAÇO GARANTE ACESSO A MEDICAMENTOS AOS MAIS CARENCIADOS

No âmbito do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento

O Município de Melgaço e a Dignitude assinaram hoje, no Solar do Alvarinho, um protocolo de colaboração do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento. A presente formalidade tem por objetivo garantir o acesso ao medicamento em ambulatório aos cidadãos que não têm capacidade financeira para os adquirir. «Um passo para o combate às assimetrias entre classes sociais do concelho.», atenta o autarca de Melgaço, Manoel Batista.

Programa abem melgaco (1).JPG

Ao abrigo deste protocolo, as duas entidades vão colaborar na implementação de estratégias de mobilização da sociedade para os objetivos de filantropia e de solidariedade subjacentes ao Programa abem. Os destinatários são os cidadãos beneficiários de prestações sociais de solidariedade, mas também todos os que se deparem com uma situação inesperada de carência económica, decorrente de desemprego involuntário ou de doença incapacitante, entre outras situações de carência que poderão ser também consideradasA Dignitude, Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos, é a responsável pelo desenvolvimento, operacionalização e gestão deste Programa, sempre em articulação com o Município.

Programa abem melgaco (9).JPG

O Programa abrange, exclusivamente, os medicamentos quando prescritos em receita médica e comparticipados pelo SNS. É conferido ao beneficiário abem o direito a um apoio adicional ao atribuído pelo SNS, que pode ir até ao máximo de 100% do PVP dos medicamentos prescritos, ou 100% do PVP5, quando aplicável. Os beneficiários poderão escolher livremente a farmácia. O Município compromete-se a financiar anualmente em 100€ da comparticipação solidária abem por cada beneficiário identificado e registado pelo mesmo. Os restantes montantes ficarão a cargo do Fundo Solidário abem.

Na sessão estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Melgaço, o Presidente da Delegação do Norte da Associação Nacional das Farmácias e Diretor da Associação Dignitude, Francisco Faria, e a Gestora de Parcerias, Mariana Rolinho.

Programa abem melgaco (12).JPG

BRAGA: “PIMPOLHO” É APOSTA GANHA NA DETECÇÃO PRECOCE DA AMBLIOPIA

Projecto já possibilitou rastreio oftalmológico a cerca de 4100 crianças de Braga

O ‘Pimpolho’ é um projecto pioneiro de prevenção da ambliopia em crianças entre os três e quatro anos de idade. Esta é uma iniciativa inovadora em Portugal, desenvolvida desde 2014 numa parceria entre o Hospital de Braga, o Município de Bracarense e os Agrupamentos de Escolas, que se tem revelado um sucesso no combate à ambliopia, ao sinalizar crianças com esta patologia ou com factores de risco ambliogénicos, para posterior tratamento.

CMB21022019SERGIOFREITAS00000017584.jpg

O ‘Pimpolho’ incide na realização de diagnósticos oftalmológicos a todas as crianças de Braga que frequentam estabelecimentos de ensino público ou privado, numa idade em que esta patologia pode ser revertida. A ambliopia, também conhecida por ‘olho preguiçoso’, é a principal causa da baixa visão e cegueira, contribuindo, mais do que todas as outras patologias, para a perda visual da criança. Em 2015 foram rastreadas 870 crianças e a busca pelo diagnóstico tem-se acentuado ao ponto de, em 2018, o número de crianças rastreadas ter subido para os 1080.

CMB21022019SERGIOFREITAS00000017588.jpg

Lídia Dias e Sameiro Araújo, vereadoras da Camara Municipal de Braga, com os pelouros da Educação e da Saúde e Bem-estar, respectivamente, realizaram esta Quinta-feira, 21 de Fevereiro, uma visita ao projecto onde, semanalmente, passam mais de 30 crianças.

Com este projecto “pretendemos promover o despiste da Ambliopia, uma patologia que pode, se não for tratada, afectar para sempre a saúde e qualidade de vida da criança. A avaliação oftalmológica é realizada através da avaliação da fotorefração que despista os erros refrativos, alguns tipos de estrabismos, entre outras alterações oftalmológicas e, ainda, a avaliação das acuidades visuais”, explicou Lídia Dias, sublinhando que o hospital “tem prestado um contributo extremamente relevante no apoio a um projecto que reverte em benefício de toda a comunidade”.

CMB21022019SERGIOFREITAS00000017578.jpg

Já Sameiro Araújo manifestou toda a sua satisfação pelo projecto se revelar um sucesso e por ajudar as crianças e os Pais a detectarem precocemente problemas oftalmológicos. “Este é um projecto de que nos orgulhamos dia após dia. Com um sucesso crescente, esta parceria permite que as crianças do Concelho de Braga se desloquem ao Hospital em ambiente descontraído, em formato de ‘passeio escolar’, evitando o acompanhamento dos Pais, sem perdas de tempo de trabalho, diminuindo, assim, custos relevantes para as famílias e para a sociedade. Este é também um exemplo de que, quando as mais variadas entidades da sociedade colaboram entre si, toda a comunidade fica a ganhar”.

Este projecto teve ainda ‘grande impacto’ na melhoria da informação junto da população, o que permite aos Pais estarem mais atentos aos sintomas. “Esta é uma aposta ganha na medida em que permite uma redução significativa do impacto da doença, melhorando a prevenção, detecção e correcção de erros refractivos de forma atempada, através da reabilitação após o diagnóstico da presença de Ambliopia. Como tal, o Município de Braga continuará a apostar na sensibilização das famílias para esta problemática e no acesso livre ao diagnóstico para detecção precoce”, vincou Lídia Dias.

Com uma tese de Doutoramento subordinada ao tema: “New Perspectives in Amblyopia Screening”, a oftalmologista Pediátrica Sandra Guimarães, mentora deste projecto pioneiro em Portugal, demonstra orgulho no crescimento positivo do ‘Pimpolho’ que, referiu, “permitiu chegar a 170 escolas do Concelho de Braga e contribuiu para a saúde e bem-estar das crianças e famílias da região do Minho”.

No âmbito do Pimpolho foram já observadas 5667 crianças, 79% das quais são do Município de Braga, sendo que as restantes pertencem aos concelhos vizinhos que, em 2016, se juntaram a este projecto.

Para a médica, este projecto é uma mais-valia para os pais que não têm a possibilidade de levar os seus filhos ao médico podendo, assim, tratar a doença que afecta milhares de crianças de uma forma mais célere. “Temos dados que nos mostram que mais de 4% das crianças têm ou tiveram ambliopia. 2.4% é a taxa dos novos diagnósticos. A boa notícia é que temos uma taxa de eficácia no tratamento de quase 100% quando são diagnosticados e tratados nesta idade”, explicou.

Sandra Guimarães garantiu que a inovação do projecto ‘Pimpolho’ reside “na parceria com as Câmaras Municipais, que garantem o transporte e, assim, reduzem o custo para as famílias e para a sociedade, por isso, são uma mais-valia incalculável”.

De referir, ainda, que a taxa, por turma, de participação actual no projecto é 97.2%, sendo que a maioria das crianças que não participam no ‘Pimpolho’, já são seguidos na oftalmologia, “pelo que podemos dizer que, em cada escola que adere, praticamente todos as crianças são monitorizados pelo projecto ‘Pimpolho’ ou por seguimento prévio em oftalmologia pediátrica”, sublinhou a médica.

De destacar que o transporte das crianças é, desde o início do projecto em 2014, assegurado pelo Município de Braga. Este processo desencadeia-se às quintas-feiras de manhã para grupos de mais 30 crianças que são avaliadas pelo Serviço de Oftalmologia do Hospital de Braga. No decorrer desta avaliação, por vezes, são detectados outros problemas oftalmológicos nas crianças que, posteriormente, são encaminhadas para acompanhamento no respectivo serviço hospitalar.

CMB21022019SERGIOFREITAS00000017582.jpg

PONTE DE LIMA REALIZA EXPOSIÇÃO DA SAÚDE E DA JUVENTUDE

V Expo Saúde/Juventude. Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima. 23 a 24 de fevereiro,

Este fim-de-semana convidamo-lo a assistir a um conjunto de ações de bem-estar, saúde e beleza. Trata-se de mais uma edição da Expo Saúde/Juventude, inserida no projeto “Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta”, que o Municipio de Ponte de Lima está a dinamizar até maio.

banner_expo_saude_juventude_1_1024_1000.jpg

Jantar Vegetariano, workshops, shocookings sobre alimentação saudável e cozinha macrobiótica, em simultâneo com ações de caracter desportivo, prometem um programa para todos os gostos, cujo objetivo é o de promover e estimular um estilo de vida saudável para toda a comunidade, desde Yoga Dance e as atividades desportivas pela Escola Desportiva Limiana.

A dinâmica do programa centra-se ainda em debates sobre temas emergentes da atualidade, nomeadamente a tertúlia “Conversa sobre a Dor” agendada para domingo, às 15 horas e que contará com as intervenções do Dr. Raul Marques Pereira, especialista de dor; Dra. Paula Pina, Psiquiatra e o Padre Jorge Vilaça da Pastoral e Saúde, sendo a moderação efetuada pela Dra. Ana Machado, Vereadora da Saúde e Ação Social do Município de Ponte de Lima. Novo tema será abordado às 16 horas sobre “Estaremos a medicar demais as nossas crianças” pela NovaMente. No sábado, às 18 horas a tertúlia sobre “O Jovem na Saúde” será apresentada pela Associação Ilumiano.

A V Expo Saúde/Juventude abre ao público no sábado, 23 de fevereiro, às 10h00, convidando os visitantes a participar nas inúmeras ações e a observar os serviços e produtos relacionados com saúde, bem-estar e beleza.

PONTE DE LIMA LUTA CONTRA O AUTISMO

Câmara Municipal de Ponte de Lima Apoia a Fundação AMA Autismo

A Câmara Municipal de Ponte de Lima acaba de celebrar um protocolo com a Fundação AMA Autismo.

IMG_1657.JPG

Este apoio traduz-se na cedência gratuita de uma sala no edifício do Espaço Internet, situado na Avenida António Feijó.

A Fundação AMA Autismo, é uma IPSS sediada em Viana do Castelo, sendo Ponte de Lima, o primeiro concelho a receber uma delegação desta Fundação.

IMG_1661.JPG

A Direção da AMA Autismo demonstrou a sua gratidão por esta ação do Executivo Municipal, reconhecendo que é essencial, para “estar mais próximo dos utentes e familiares” revelou a Presidente da Direção AMA Autismo, Adélia Pereira. O objetivo deste novo espaço em Ponte de Lima visa ainda divulgar os serviços da AMA Autismo, nomeadamente: o Diagnóstico, Psicologia, Apoio Social, Terapia da Fala, Psicomotricidade e Terapia Ocupacional.

Por sua vez, o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Eng.º Victor Mendes enalteceu o trabalho efetuado por esta instituição “um trabalho muito importante” (..) “para nós é um prazer celebrar este protocolo com tão importante Fundação”. O autarca revelou ainda que da parte da autarquia “estão sempre disponíveis para apoiar, no sentido de tornar a sociedade mais justa e mais solidária.”

IMG_1663.JPG

ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE VIANA DO CASTELO JÁ POSSUI CENTRO DE APOIO À VIDA INDEPENDENTE

A Associação de Paralisia Cerebral de Viana do Castelo (APCVC) dispõe, desde o início de fevereiro de 2019, de um Centro de Apoio à Vida Independente (CAVI), um projeto-piloto financiado ao abrigo do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE) - Eixo 3.

19958987_1570149023056694_3608254588138729786_n.jpg

Com este serviço, a APCVC pretende implementar o modelo de apoio à vida independente, ajustado às necessidades das pessoas com deficiência ou incapacidade, de forma a contribuir para a efetivação do seu direito a viver de forma independente. Para tal, disponibiliza um serviço de assistência pessoal de apoio à pessoa com deficiência ou incapacidade, para a realização de atividades que, em razão das limitações decorrentes da sua interação com as condições do meio, esta não possa realizar por si própria.

Podem beneficiar do apoio do CAVI as pessoas com deficiência ou incapacidade, igual ou superior a 60% certificada como o Atestado Médico de Incapacidade Multiusos, com idade igual ou superior a 16 anos, que tenham necessidade de apoio na higiene, alimentação, manutenção da saúde e cuidados pessoais; na assistência doméstica; em deslocações; frequência do ensino superior e investigação; na frequência de formação profissional; em contexto laboral; na procura ativa de emprego; na cultura, lazer e desporto; na criação e desenvolvimento de redes sociais de apoio; entre outras.

Ana Isabel Silva - Coordenadora CAVI-APCVC

PONTE DE LIMA PROMOVE EXPOSIÇÃO SOBRE SAÚDE E JUVENTUDE

V Expo Saúde/Juventude, 23 a 24 de fevereiro, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima

O Município de Ponte de Lima aposta em mais uma edição da Expo Saúde/Juventude, que está inserida no projeto “Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta”.

Capturarsau1.PNG

Promover e estimular um estilo saudável para a comunidade, nomeadamente para os jovens, livre de hábitos de consumo, é o principal objetivo do certame. A dinâmica do programa centra-se em debates sobre temas emergentes da atualidade, com que os jovens se debatem no dia-a-dia, mas que deveriam de ser abordados desde o seio das famílias às escolas, abrindo assim uma maior consciencialização por parte de crianças e jovens.

Para além dos debates, os visitantes poderão assistir a workshops sobre culinária e serviços e produtos relacionados com saúde, bem-estar e beleza.

Destaque ainda para a mais recente novidade que alia o conhecimento do património à atividade física e ao turismo de sustentabilidade. Trata-se do Bodymover Go que recorre à utilização de sinalética inteligente através de uma app para promoção de caminhadas e /ou utilização de escadas. A app Bodymover Go permite definir um desafio que envolva angariar pontos por caminhar ou utilizar escadas. Depois de instalada a app, seleciona o desafio e começa o jogo e, em cada etapa, terá de aproximar o smartphone da sinalética Bodymover para fazer o check-in. Desta forma, alia-se a prática de atividade física à promoção do património cultural e comércio local de Ponte de Lima. A atividade é totalmente gratuita e acessível ao público em geral, tendo como ponto de partida o Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima e com destino a vários pontos de interesse no centro de Ponte de Lima.

A V Expo Saúde/Juventude realiza-se de 23 a 24 de fevereiro, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima, com abertura oficial agendada para as 17 horas.

23 de Fevereiro

10h00 Demonstração da Escola Desportiva Limiana

11h00 Showcooking “Alimentação Saudável” c/ Vânia Ribeiro, autora do blog “Made By Choices”

16h00 Showcooking Cozinha Macrobiótica c/ Marta Ribeiro

17h00 Visita Oficial à Expo Saúde/Juventude

19h00 Beatriz Gosta, personagem de ficção que dá vida a um vídeo blog quinzenal.

20h00 Jantar Vegetariano, servido pelo Abrigo do Taboão/Quinta das Águias, ao som do Duo Lethes (mediante inscrição)

22h00 Encerramento

24 de Fevereiro

10h00 Demonstração da Escola Desportiva Limiana

11h00 Workshop Metodologia Urso Azul para famílias – Dança com bonecos e emoções, com Márcia Sobral (mediante inscrição)

15h00 Tertúlia “Conversa sobre a Dor”

            Dr. Raul Marques Pereira (Especialista de dor), Dr.ª Paula Pina (Psiquiatra) e Padre Jorge Vilaça (Pastoral da Saúde)

            Moderadora: Dr.ª Ana Maria Machado (Vereadora da Saúde e Ação Social do Município de Ponte de Lima)

15h30 Yoga Dance, com Márcia Sobral (mediante inscrição)

16h00 Tertúlia “Estaremos a medicar demais as nossas crianças?”

            por NovaMente

17h00 Showcooking “Aprender a cozinhar com –Sal e +Sabor, por Aromáticas Vivas”

19h00 Encerramento

Atividades Paralelas

- Avaliação corporal

- Medição da tensão arterial

- Medição da glicemia

-Atividades de promoção de vida ativa

Capturarsau2.PNG

Capturarsau3.PNG

Capturarsau4.PNG