Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DA BARCA PROMOVE CONFERÊNCIA “CONSEQUÊNCIAS DOS MAUS TRATOS À PESSOA IDOSA”

É no dia  25 de Novembro que terá lugar, na Casa da Cultura, a Conferência “Consequências dos Maus Tratos à Pessoa Idosa” que a Câmara Municipal de Ponte da Barca promove no âmbito do Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

A palestra, marcada para as  21h, vai ser ter como orador convidado o Dr. José Ferreira  Alves, Professor Auxiliar do Departamento de Psicologia Básica, da Escola de Psicologia da Universidade do Minho.

Capturarpbarcalz.PNG

CELORICO DE BASTO CELEBRA DIA MUNDIAL DA DIABETES

Idosos do Celorico a Mexer estiveram ontem, 14 de novembro, Dia Mundial da Diabetes, nas antigas instalações do ciclo Velho, a participar numa aula de educação física e a participar num flash Mob, como forma de consciencializar para a prevenção da Diabetes. Uma ação promovida pela Unidade Móvel de Saúde de Celorico de Basto.

_DSC8397 (1).jpg

Nem o frio que se faz sentir demoveu os idosos a participar numa das iniciativas promovidas no âmbito da prevenção e sensibilização para a diabetes, “uma doença que afeta muitas pessoas e que pode condicionar verdadeiramente a sua qualidade de vida por isso atuamos na sensibilização, com conselhos preventivos que incentivem a comportamentos saudáveis” disse Joaquim Mota e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto. Um trabalho de sensibilização feito pela UMS, “neste campo, a UMS tem feito um trabalho de excelência e com formas de sensibilizar cada vez mais diversificadas e que chegam verdadeiramente às populações, mudando comportamentos”.

Neste dia, Dia Mundial da Diabetes, a sensibilização para a problemática foi mais intensa e direcionou-se ao público-alvo que acode à UMS. Estiveram presentes idosos das freguesias de Agilde, Arnoia, Borba da Montanha, Codessoso, Rego, Ribas e Veade e dos lugares de Pereira e Nespereira. Juntos fizeram uma aula de educação física orientada pela técnica Sandra Novais e terminaram a sessão com a presentação de um flash mob ao som de uma das músicas do Toy (toda a noite) com letra original criada pela UMS para sensibilizar para a diabetes.

“A música é uma excelente forma de sensibilizar para uma doença que pode surgir a qualquer momento sendo crucial uma atenção redobrada à alimentação e ao exercício físico como forma de a combater. É uma doença grave que leva a uma perda considerável da qualidade de vida das pessoas e por isso é das doenças com mais enfoque na sensibilização” disse Joana Teixeira, técnica da UMS. Efetivamente, em Portugal são diagnosticados, diariamente, 200 novos doentes com diabetes, “é um número assustador que nos deve fazer refletir e levar os outros à reflexão” disse.

Vários dos idosos que participaram nesta iniciativa têm diabetes como nos testemunhou Maria Oliveira, de Nespereira, “é muito duro, muito difícil viver com a diabetes, condiciona muito a minha vida”.

A ação terminou com a distribuição de uma peça de fruta pelos participantes uma vez que, a Organização Mundial de Saúde recomenda como forma de prevenção para esta e outras doenças, o consumo de 400g diárias de frutas e hortaliças.

Esta atividade insere-se no mês dedicado à prevenção para Diabetes e centrado no tema “Família e Diabetes”. A ação é promovida pela UMS de Celorico de Basto que resulta da parceria entre o Câmara Municipal de Celorico de Basto e a ARS Norte, na unidade de prestação de cuidados UCC Mãos Amigas, no Centro de Saúde de Celorico de Basto.

Até ao final de novembro, a Biblioteca Municipal continuará azul, cor que simboliza a Diabetes, e a UMS mantém a sensibilização para a saúde de combate à diabetes.

_DSC8418.jpg

_DSC8421.jpg

_DSC8425.jpg

CELORICO DE BASTO SENSIBILIZA PARA A PREVENÇÃO DA DIABETES

Mês da prevenção para a Diabetes em Celorico de Basto

Associada à Federação Internacional da Diabetes, e ao tema “Família e Diabetes”, a Unidade Móvel de Saúde de Celorico de Basto está a promover um mês de sensibilização para a Diabetes com atividades marcadas para o Dia Mundial da Diabetes celebrado oficialmente a 14 de novembro.

_DSC4623.jpg

Sensibilizar e consciencializar para a Diabetes é o objetivo da UMS durante este mês por isso, “de forma lúdica vamos procurar incutir na nossa população mais idosa, principais utentes da UMS, o gosto por uma atividade física regular e uma alimentação saudável como forma de prevenção para esta doença. Procuraremos, em simultâneo, informar e esclarecer para as principais causas, sintomas e fatores de risco, e, em caso de já estar diagnosticado com a doença, sensibilizar para os comportamentos a adquirir para um melhor controlo da doença” disse a técnica da UMS, Joana Teixeira.

No dia 14 de novembro, dia Mundial da Diabetes será realizado um flash mob com os idosos do programa Celorico a Mexer, uma iniciativa que “mexe com todos, não apenas com os intervenientes. Efetivamente, em Portugal são diagnosticados, diariamente, 200 novos doentes com diabetes, é um número assustador que nos faz refletir e por isso, continuamos este exemplar trabalho da UMS na sensibilização. É urgente que as pessoas tomem consciência e percebam que não acontece só aos outros, é preciso que ajam, que tenham comportamentos benéficos para a sua saúde” disse Helena Martinho, Coordenadora dos Serviços Sociais e de Saúde do Município de Celorico de Basto.

Durante o mês, alguns espaços públicos estarão iluminados de azul, como a Biblioteca Municipal e são promovidas avaliações da glicemia capilar na UMS com ensinos complementares na perspetiva da prevenção.

_DSC9292.jpg

TERRAS DE BOURO PROMOVE PREVENÇÃO DA AMBLIOPIA

Câmara Municipal de Terras de Bouro participou novamente no PROJETO PIMPOLHO 2019

Pelo quarto ano consecutivo, a Câmara Municipal participou na implementação do Projeto Pimpolho–Projeto de Prevenção da Ambliopia, no âmbito do Protocolo de Colaboração celebrado entre o Município e o Hospital de Braga. A ambliopia, conhecida como “olho preguiçoso”, é uma doença exclusiva da infância e apenas tratável nesta faixa etária (até aos 5 anos). São objetivos do Projeto Pimpolho realizar uma avaliação oftalmológica a todas as crianças entre os 3 e 4 anos que frequentem os estabelecimentos de ensino público e privado da área do Município de Terras de Bouro e sinalizar todas as crianças com ambliopia ou fatores de risco ambliogénicos. O Hospital de Braga recebe as crianças nas instalações do Serviço de Oftalmologia, sendo a avaliação clínica de despiste da Ambliopia supervisionada por Médicos Oftalmologistas.

p1tbourr (1).jpg

No corrente ano, as consultas realizaram-se nos dias 16 de outubro e 06 de novembro e destinaram-se às crianças nascidas no ano 2015. Na primeira deslocação ao Hospital de Braga participaram 25 crianças dos Jardins de Infância de Moimenta, Chorense, Carvalheira e Souto. Na segunda consulta participaram 13 crianças dos Jardins de Infância de Rio Caldo, Gerês e Valdosende.

A Câmara Municipal entende que esta iniciativa é muito importante na promoção da saúde das crianças e na melhoria da sua qualidade de vida, uma vez que, detetada atempadamente, a Ambliopia é tratável, sendo o tratamento menos eficaz depois desta faixa etária. Neste sentido, é objetivo do Município dar continuidade ao Projeto Pimpolho, encontrando-se já a colaborar com o Hospital de Braga na organização das consultas para o ano de 2020, em que serão destinatárias as crianças nascidas no ano 2016.

Considerando que só através de um efetivo trabalho de articulação e parceria entre todos os agentes locais se consegue concretizar esta e outras iniciativas, a Câmara Municipal agradece ao Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro e aos Centros Sociais de Souto e de Valdosende a participação e colaboração no desenvolvimento do Projeto Pimpolho.

p1tbourr (2).jpg

CELORICO DE BASTO SENSIBILIZA PARA AS ALERGIAS DE ORIGEM ALIMENTAR

“Alergia Alimentar - Anafilaxia” é tema de ação de formação em Celorico de Basto

 As alergias de origem alimentar são um fenómeno cada vez mais frequente, estimando-se que tenha aumentado 18 % numa década com uma prevalência de 8% na população infantil

Decorreu ontem, 7 de novembro, no auditório da Escola Básica e Secundária de Celorico de Basto, uma ação de formação direcionada aos docentes, auxiliares da ação educativa e manipuladores de alimentos subordinada ao tema “Alergia Alimentar-Anafilaxia”.

anafilaxia_fYlwRA3.jpg

A ação ministrada pela Equipa Médica de Pediatria do hospital da Senhora da Oliveira – Guimarães, EFE procurou, de forma concreta e objetiva, esclarecer os formandos para a forma de atuação junto dos alunos em caso de “alergia alimentar – Anafilaxia”.

Efetivamente, o tratamento base para a alergia alimentar e a prevenção das reações alérgicas consiste na não ingestão do alergénio em causa e também de todos os alimentos ou preparações culinárias que contenham ou possam conter o alergénio em questão. Contudo, num contexto de consumo fora de casa, pode verificar-se um risco acrescido (a uma exposição acidental aos alimentos implicados) associado por exemplo, a uma contaminação cruzada dos alimentos. Nestas situações, as manifestações clínicas das reações alérgicas podem ser particularmente graves, podendo mesmo, em alguns casos, ser fatais.

Este é um tema que tem vindo a preocupar os pais e encarregados de educação de Celorico de Basto e por isso a Associação de Pais de Celorico de Basto e Arnoia uniu forças com outras entidades nomeadamente com a Câmara Municipal, a UCC Mão Amigas, o Agrupamento de Escolas e, em conjunto, promoveram a ação de formação para capacitar a comunidade escolar para uma intervenção pronta e exemplar em caso de alergia alimentar – anafilaxia.

De realçar que “a Escola, os seus profissionais e os fornecedores de refeições têm um papel determinante na prevenção das reações alérgicas, quer através de um trabalho de prevenção à exposição aos alergénios (para as situações de alergia alimentar já identificadas) quer através da capacidade de resposta da Escola a um episódio de reação alérgica, devendo conhecer os sinais e sintomas associados à anafilaxia, assim como os procedimentos a adotar mais adequados, nos casos de uma reação alérgica” referiu a equipa técnica de Saúde.

imagemalergalim.jpg

PAN PEDE AUDIÇÃO SOBRE O CASO DE ALEGADA NEGLIGÊNCIA EM ECOGRAFIA OBSTÉTRICA

  • A audição é solicitada ao Bastonário da Ordem dos Médicos, à Presidente da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) e à Ministra da Saúde

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, pediu hoje uma audição ao Bastonário da Ordem dos Médicos, à Presidente da Entidade Reguladora da Saúde e à Ministra da Saúde sobre o caso do bebé nascido com malformações graves, que alegadamente não tinham sido detetadas nas ecografias obstétricas realizadas por um médico obstétrica numa clínica privada em Setúbal. O requerimento para esta audição foi enviado hoje à presidente da Comissão Parlamentar da Saúde.

As notícias veiculadas na comunicação social nas últimas semanas sobre este caso despoletaram não só a divulgação de casos idênticos que envolviam o mesmo médico e a mesma clínica, como ainda pedidos de aconselhamento à Ordem dos Médicos por parte de pais e mães que estavam a ser acompanhados na referida clínica.

Apesar de a Ordem dos Médicos ter já anunciado que estaria a tomar um conjunto de medidas relativamente a este e outros casos, o PAN entende que é urgente uma explicação, junto da Comissão Parlamentar de Saúde, sobre quais os objetivos e operacionalização destas medidas, bem como esclarecer de que forma se pode evitar que casos como este se repitam no futuro.

Aqui está em causa, entre outros aspetos, a falta de fiscalização da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) a esta clínica em concreto, matéria que deve ser alvo da nossa análise. Não podemos ignorar que as limitações de recursos humanos na ERS são, de facto, um entrave ao desempenho eficaz em termos de fiscalização dos milhares estabelecimentos de saúde do país. É também essencial que nesta audição se conheça a posição e os esclarecimentos que o Governo terá a prestar sobre este caso”, afirma Bebiana Cunha, deputada do Grupo Parlamentar do PAN.

LAÇOS ROSA PARA SENSIBILIZAÇÃO PARA O CANCRO DA MAMA ELABORADOS PELAS IPSS’S LOCAIS EM EXPOSIÇÃO NOS PAÇOS DO CONCELHO

No âmbito da sensibilização para a problemática do Cancro da Mama que se assinala durante todo o mês de outubro, a autarquia de Ponte da Barca, depois de no passado domingo ter promovido uma caminhada e a formação de um laço rosa, simbolo usado como forma de apoio a quem luta contra o cancro da mama, desafiou, também, no âmbito das Oficinas de Lazer, da Rede Social local, as IPSS’s locais a construir os Laços Rosa que estão agora expostos no átrio dos Paços do Concelho que desde logo corresponderam e envolveram os utentes neste processo, sendo que o resultado está à vista, com este conjunto de diferentes versões de Laços que ajudam a alertar a comunidade para uma problemática galopante.

barcarosa (1).jpg

Esta é uma iniciativa local que se materializa com os trabalhos expostos, inteiramente idealizados e concebidos pelos utentes das Instituições.

“Momentos como este revestem-se de grande importância para os utentes, para as famílias e respetivas instituições, pelo que reforçar a promoção de um envelhecimento saudável e a valorização da autonomia, são alguns dos objetivos traçados pela autarquia que me honra presidir e que, estamos certos, contamos com a colaboração de todos os parceiros”, disse Augusto Marinho, Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca por ocasião da abertura oficial da exposição, que estará patente até ao dia 8 de novembro, podendo ser visitada das 09h às 12h30, e das 14h às 17h30.

barcarosa (2).jpg

barcarosa (3).jpg

barcarosa (4).jpg

barcarosa (5).jpg

barcarosa (6).jpg

barcarosa (7).jpg

barcarosa (8).jpg

TERRAS DE BOURO ASSINALA DIA NACIONAL DA PREVENÇÃO DO CANCRO DA MAMA

Centro Municipal de Valências assinalou o Dia Nacional da Prevenção do Cancro da Mama

O Município de Terras de Bouro, através do Centro Municipal de Valências assinalou o Dia Nacional da Prevenção do Cancro da Mama . O mês de outubro é marcado por duas efemérides: a 15 de outubro assinala-se o Dia Mundial da Saúde da Mama e a 30 de outubro o Dia Nacional de Luta Contra o Cancro da Mama.

IMG_1525.JPG

Como forma de assinalar estas datas, o Município de Terras de Bouro, através do Centro Municipal de Valências, desenvolveu um conjunto de atividades que visaram a sensibilização das pessoas para esta problemática. Durante o mês de outubro o concelho ficou mais colorida tendo sido enfeitadas as estradas do concelho com grandes laços cor-de-rosa para que estas datas não passem despercebidas. Em Terras de Bouro, esta iniciativa contou com a parceria do Agrupamento de Escolas, onde foram feitos laços humanos nas Escolas em Rio Caldo e na Vila de Terras de Bouro, com as crianças e restante comunidade escolar. O objetivo primordial é informar a comunidade para a importância da prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama. Pretendendo-se, ainda, alertar a comunidade para a necessidade de aderir ao rastreio, e ainda para a importância da prática do autoexame, realização de exames de diagnóstico e realização de consultas médicas, sendo estes os meios mais eficazes de prevenção e controlo da doença.

IMG_1526 (1).JPG

IMG_1593 (1).JPG

IMG_1820 (2).JPG

IMG_1829.JPG

IMG_1831.JPG

IMG_1834.JPG

IMG_1837.JPG

BARQUENSES CAMINHAM CONTRA O CANCRO

Ponte da Barca caminhou pela Luta Contra o Cancro da Mama

Para assinalar o Dia Nacional da Luta Contra Cancro da Mama que se comemora, anualmente, no dia 30 de outubro, a Câmara Municipal de Ponte da Barca promoveu ontem uma caminhada solidária pelo belíssimo percurso da ecovia, a que se seguiu a formação de um laço rosa humano símbolo usado como forma de apoio a quem luta contra o cancro da mama.

A iniciativa que decorre há alguns anos e sempre com a participação de centenas de pessoas pretende, além da sensibilização para a prevenção precoce da doença, promover a angariação de fundos destinados ao apoio social à mulher com cancro da mama e à divulgação de projetos da Liga Portuguesa Contra o Cancro.

pbarcanccam (1).jpg

pbarcanccam (2).jpg

pbarcanccam (3).jpg

pbarcanccam (4).jpg

pbarcanccam (5).jpg

pbarcanccam (6).jpg

MONÇÃO REALIZA INQUÉRITO MUNICIPAL DE SAÚDE

O Inquérito Municipal de Saúde é um projeto de investigação e ação, cujo objetivo incide no aprofundamento de conhecimentos sobre o estado de saúde da população residente no concelho de Monção, tendo em vista uma futura intervenção para a melhoria deste setor.

Nesse sentido, nos dias 2, 9, 16 e 23 de novembro, 26 alunos do curso de enfermagem do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) deslocam-se a várias juntas de freguesia do nosso concelho para proceder ao preenchimento de inquéritos junto das populações locais.

As entrevistas, focadas nos hábitos alimentares e físicos das pessoas, decorrem nas sedes das juntas de freguesia, sendo as pessoas informadas sobre algumas metodologias de prevenção. O resultado final permitirá uma abordagem mais precisa na área da saúde.

Esta iniciativa permitirá dar mais um passo para a concretização dos objetivos traçados pela Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis (RPMS), organismo que engloba 57 localidades do território nacional. No Alto Minho, Monção e Viana do Castelo são os únicos municípios pretendentes à RPMS. 

Dia 2

Sede das juntas de freguesia de Monção, Mazedo, Cortes

Dia 9

Sede das juntas de freguesia de Monção, Mazedo, Cortes, Barbeita

Dia 16

Sede das juntas de freguesia de Riba de Mouro, Tangil, Longos Vales

Dia 23

Sede das juntas de freguesia de Pinheiros, Pias, Moreira e Barroças e Taias

BARCELENSES CAMINHAM CONTRA O CANCRO

Na manhã do próximo domingo, dia 27 de outubro de 2019 pelas 8h30, a Associação ACB - Albergue Cidade de Barcelos, a Associação de Pais da Escola de Pontes (Tamel S. Veríssimo) e a Liga Portuguesa Contra o Cancro (delegação de Barcelos), promovem uma "Caminhada Solidária" pelo "Mundo Maravilhoso do Figurado de Barcelos".

O valor de inscrição (Donativo) é de 3 euros (a reverter, na sua totalidade, para a Delegação de Barcelos da Liga Portuguesa Contra o Cancro). OFERTA: T-shirt.

27OUT2019_CaminhadaSolidária.jpg

O donativo relativo à inscrição deverá ser efetuado no início da caminhada diretamente à Delegação de Barcelos da Liga Portuguesa Contra o Cancro. Contudo, para efeitos de organização, as inscrições são obrigatórias no seguinte formulário:

Formulário de Inscrição

Ou, como alternativa, em geral@alberguedebarcelos.com .

Mais informações:

Concentração dos participantes: Albergue Cidade de Barcelos (Rua Miguel Bombarda, 36, em Barcelos). A caminhada inicia e termina no Albergue Cidade de Barcelos. Distância: 6,0 km; Dificuldade: Fácil; Ritmo: LENTO.

Evento no Facebook disponível em:

https://www.facebook.com/events/1019750121566459/

Apoios: 

- Município de Barcelos (Posto de Turismo)

- Green Pilates

Contamos com a sua presença!

Votos de Bom Caminho!

A organização da "Caminhada Solidária"

ESPOSENDE PROMOVE CONCERTO SOLIDÁRIO A FAVOR DA LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO

“Cumplicidades” de Rui Nova e Ana Oliveira

No âmbito da campanha de sensibilização “Outubro Rosa”, o Município de Esposende vai promover o espetáculo solidário “Cumplicidades” de Rui Nova e Ana Oliveira, no próximo dia 26 de outubro, às 22h00, no Auditório Municipal de Esposende.

concerto cumplicidades.jpg

O concerto, em versão acústica – piano e voz, convida a uma viagem fantástica pelo mundo da música, da rádio e da televisão, desde os festivais da canção aos sucessos internacionais. Acompanhados ao piano por Joaquim Bento, Rui Nova e Ana Oliveira vão interpretar algumas das mais marcantes canções das décadas de 60, 70 e 80 até à atualidade, bem como alguns dos seus êxitos discográficos.

Este espetáculo resulta da cumplicidade da Cultura e da Solidariedade e, também, da de dois amigos que têm dividido o palco e a vida em diversos projetos musicais. Através da música pretende-se sensibilizar o público para a campanha “Outubro Rosa” e criar um momento de particular ênfase para o trabalho desenvolvido pela Liga Portuguesa Contra o Cancro no concelho, nomeadamente o apoio psicológico a doentes e seus familiares, rastreios, campanhas de sensibilização e informação, entre outros. Apesar de ter entrada livre, o concerto é de cariz solidário, pelo que as pessoas são convidadas a contribuir financeiramente a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro.

A campanha “Outubro Rosa”, que decorre ao longo de todo este mês, é dirigida à sociedade em geral, mas sobretudo às mulheres, e visa consciencializar sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do cancro de mama. De acordo com a Liga Portuguesa Contra o Cancro, estima-se que na Europa surjam todos os anos 430 mil novos casos e que uma em cada dez mulheres venha a desenvolver a doença antes dos 80 anos. Em Portugal são detetados, anualmente, cerca de 4500 novos casos de cancro da mama e 1500 mulheres morrem da doença. No entanto, se detetado cedo e tratado logo de início, a taxa de cura pode chegar aos 95 por cento.

Esta iniciativa reflete-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que respeita a Saúde de Qualidade (ODS 3) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

ARCUENSES COMBATEM A DIABETES

Diabetes em Movimento®

Arrancou no passado dia 2 de outubro o Diabetes em Movimento® Arcos de Valdevez.

Este programa comunitário de exercício físico para pessoas com diabetes tipo 2 é implementado em Arcos de Valdevez numa parceria entre o Município de Arcos de Valdevez, a ULSAM – Unidade Local de Saúde do Alto Minho e o Centro de Saúde de Arcos de Valdevez. A coordenação é realizada pelo Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física e pelo Programa Nacional para a Diabetes da Direção-Geral da Saúde.

IMG_20191002_141131_resized_20191009_034903907.jpg

As sessões de exercício decorrem às 2ªs, 4ªs e 6ªs no Pavilhão Municipal de Arcos de Valdevez e são monitorizadas por profissionais do exercício físico e por enfermeiros.

As inscrições estão abertas até 31 de dezembro de 2019, através de referênciação dos médicos de família das unidades de saúde aderentes.

A participação é gratuita!

Este programa de intervenção multi-institucional, multidisciplinar e multicomponente representa um esforço articulado da sociedade para proporcionar uma solução concreta e efetiva de exercício físico para esta população.

A diabetes é um dos principais problemas de sáude pública do nosso país (existem cerca de 1 milhão de pessoas com esta doença crónica em Portugal) e a atividade física é um dos pilares do tratamento - melhorando o controlo metabólico, reduzindo o risco cardiovascular, e aumentando a funcionalidade e a qualidade de vida.

IMG_20191002_142005_resized_20191009_034903594.jpg

IMG_20191009_150958_resized_20191009_034904228.jpg

IMG_20191009_151058_resized_20191009_034904551.jpg

PROGRAMA DIABETES EM MOVIMENTO® CAMINHA JÁ ARRANCOU

Iniciativa dirige-se a pessoa com diabetes tipo 2 e a participação é gratuita

Arrancou no passado dia 2 de outubro, o Diabetes em Movimento® Caminha, um programa comunitário de exercício físico para pessoas com diabetes tipo 2. A participação é gratuita e as sessões decorrem três vezes por semana, no Pavilhão Municipal de Caminha. As inscrições decorrem até ao final do ano.

4Out_2ªsessão.jpg

Este programa de intervenção multi-institucional, multidisciplinar e multicompetente representa um esforço articulado da sociedade para proporcionar uma solução concreta e efetiva de exercício físico para esta população.

Este programa foi implementado em Caminha numa parceria entre a Unidade Local de Saúde do Alto Minho, o Município de Caminha, e o Centro de Saúde de Caminha. A coordenação é realizada pelo Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física e pelo Programa Nacional para a Diabetes da Direção-Geral da Saúde.

Como referimos, este programa é gratuito e dirige-se a portadores de diabetes tipo 2. Contudo, as pessoas só poderão inscrever-se mediante areferenciação dos médicos de família das unidades de saúde aderentes.As inscrições estão abertas até 31 de dezembro de 2019.

Em Caminha, as sessões de exercício decorrem às 2ªs, 4ªs e 6ªs no Pavilhão Municipal de Caminha e são monitorizadas por profissionais do exercício físico e por enfermeiros.

É de referir que a diabetes é um dos principais problemas de saúde pública do nosso país (existem cerca de 1 milhão de pessoas com esta doença crónica em Portugal) e a atividade física é um dos pilares do tratamento - melhorando o controlo metabólico, reduzindo o risco cardiovascular, e aumentando a funcionalidade e a qualidade de vida.

Apresentação_Caminha.jpg

MUNICÍPIO DE VIEIRA DO MINHO RECLAMA NOVO CENTRO DE SAÚDE

COMUNICADO

O Executivo Municipal, liderado por António Cardoso, atento aos problemas da população Vieirense, nomeadamente ao nível da Saúde, tem vindo, insistentemente, a efetuar diligências junto da Administração Central para que seja construído um Novo Centro de Saúde em Vieira do Minho, uma vez que é o único Centro de Saúde pertencente ao ACES Gerês/Cabreira que não sofreu obras nos últimos 30 anos, encontrando-se muito degradado e desajustado face aos utentes que o frequentam, na sua maioria idosos.

Este Executivo Municipal disponibilizou um terreno para a edificação do Novo Centro de Saúde que já teve, a 19 de Julho de 2019, a emissão de um parecer positivo por parte da ARS Norte, assim como reiterou a disponibilidade de colaboração com Apoio Técnico na realização de Projeto e Acompanhamento de Obra, mediante a realização de um Protocolo.

Face a tudo isto, é com grande admiração que se constata que o Partido Socialista de Vieira do Minho tenha emitido um comunicado sobre o Centro de Saúde de Vieira do Minho, em pleno período de campanha eleitoral para as Eleições Legislativas, onde é referido que “… o Governo está a apreciar o terreno que foi disponibilizado para a construção do mesmo”.

A construção de um Novo Centro de Saúde de Vieira do Minho é condição essencial para a aceitação por parte deste Município da transferência de competências na área da Saúde, devendo as obras ter início o mais rapidamente possível, para bem de toda a comunidade Vieirense e dos que nos visitam, pelo que ainda não foi aceite a transferência de competências neste domínio, sendo tal aprovado, por unanimidade, em reunião de Câmara realizada a 4 de Setembro de 2019, na qual estiveram ausentes as Vereadoras do Partido Socialista.

No que respeita à atribuição de uma nova ambulância do INEM aos Bombeiros Voluntários, trata-se da substituição da ambulância existente, o que já deveria ter ocorrido há muito tempo, dado o elevado estado de desgaste e os problemas mecânicos deste veículo.

Em relação à contratação de mais um médico para o Centro de Saúde de vieira do Minho, trata-se da substituição de uma médica e não do aumento do número de médicos ao serviço da nossa população. Nunca na Transferência de Competências apresentada ao Município foi proposta a gestão do Corpo Clínico.

O Executivo Municipal de Vieira do Minho trabalha todos os dias para melhorar as condições de vida dos Vieirenses, de uma forma séria e eficiente, e não se lembra dos problemas dos nossos Munícipes apenas em véspera de eleições. Esperando que na Saúde não aconteça como na Educação, onde o Município teve que substituir o Estado para que a Comunidade Escolar de Vieira do Minho tenha uma Escola EBS requalificada e modernizada.

Concluímos que o Comunicado do Partido Socialista Local é demagogo, sem conteúdo, com ausência de verdade talvez por ignorância ou por incompetência.

QUEIMADAS DE RESÍDUOS AGRÍCOLAS PREJUDICAM AMBIENTE E SAÚDE

Investigação da Universidade de Aveiro

As queimadas de resíduos agrícolas prejudicam a qualidade do ar, contribuindo para o aquecimento global, e são um perigo para a saúde pública. As conclusões são de um estudo da Universidade de Aveiro (UA) que, pela primeira vez, estudou em Portugal as consequências para o ambiente e para a saúde do fumo das queimadas ao ar livre provenientes dos restos das podas de árvores.

A investigadora Célia Alves 2.jpg

A investigadora Célia Alves, da Universidade de Aveiro

 

“As queimas possuem um efeito significativo na qualidade do ar a nível local e regional, contribuindo para algumas das excedências aos valores limites impostos na legislação”, aponta Célia Alves, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar, uma das unidades de investigação da UA. 

O estudo refere ainda que “a influência no clima representa também um dos impactos das queimas de resíduos agrícolas, devido à emissão de gases com efeito de estufa e a sua consequente contribuição para o aquecimento global”.

Em relação à saúde humana, a “inalação de fumo constitui um perigo”. Este é um alerta que está a ser confirmado em laboratório com a exposição de células do pulmão humano aos compostos químicos contidos nas partículas de fumo emitidas: “A viabilidade celular, determinada através de um ensaio colorimétrico que permite avaliar a atividade metabólica das células, diminuiu com a exposição”. Em colaboração com o Departamento de Biologia da UA, Estela Vicente, estudante de doutoramento orientada por Célia Alves, está ainda a avaliar os processos inflamatórios, o stress oxidativo e os danos genéticos em células de pulmão humano quando expostas aos constituintes químicos extraídos das partículas emitidas durante as queimas.

Centenas de compostos perigosos

A equipa centrou-se na análise química detalhada das partículas e dos gases emitidos durante a queima de ramos de videira, de oliveira, de salgueiro e de acácia. No laboratório, a equipa da UA encontrou centenas de compostos distintos, tais como hidrocarbonetos, álcoois, ácidos, açúcares, esteróis, fenóis, metano, etano, etileno e formaldeído.

Apesar de não haver estatísticas oficiais do número de queimas realizadas anualmente em Portugal, Célia Alves estimou que a queima de vides representava uma emissão total anual de 380 mil toneladas de Dióxido de Carbono, de 12 mil toneladas de Monóxido de Carbono e de 3,3 mil toneladas de partículas inaláveis.

Em relação aos valores para as queimas os restos das podas das oliveiras, a investigadora estima uma libertação anual para a atmosfera de 316 mil toneladas de Dióxido de Carbono, de 18 mil toneladas de Monóxido de Carbono e de 3,4 mil toneladas de partículas.

“Estas estimativas devem ser tomadas como valores máximos, uma vez que uma parte dos resíduos produzidos, apesar de minoritária, não é queimada”, explica a cientista.

Resíduos podiam ajudar à economia circular

Apesar dos resíduos de poda terem potencial para serem convertidos em energia, “os altos custos de transporte e processamento, a produção intermitente e os problemas operatórios gerados durante a combustão em unidades de grande escala, tornam a sua utilização economicamente inviável”. Também a “presença de teores elevados de metais alcalinos nestes resíduos origina normalmente emissões elevadas de partículas e gases ácidos e a formação de incrustações e depósitos nas superfícies onde ocorre transferência de calor”.

Assim, aponta Célia Alves, “devem procurar-se soluções alternativas de pequena escala que representem um nicho de oportunidade para as comunidades rurais”. A transformação dos resíduos de poda numa “opção viável para aquecimento residencial permitiria reduzir os custos energéticos, tornando estas comunidades mais autossuficientes”, há semelhança do que já acontece em autarquias rurais de alguns países onde têm sido testadas e implementadas soluções direcionadas para a produção de pellets para aquecimento doméstico. Antes da pelletização, os resíduos são primeiro lixiviados com água para remover o excesso de metais alcalinos e depois secos. O lixiviado pode ser usado para rega, uma vez que é rico em nutrientes.

“Uma outra solução implementada nalguns países consiste na recolha pelos serviços municipais deste tipo de resíduos, na trituração em equipamentos adequados e no encaminhamento para centrais de compostagem, obtendo-se um material estável, rico em substâncias húmicas e nutrientes minerais para adubar e melhorar as propriedades do solo”, refere.

Ultimamente, diz, alguns grupos de investigação têm-se dedicado também ao estudo da transformação da biomassa residual de atividades agrícolas em biocarvão, através do processo de pirólise lenta, e à introdução deste produto nos solos. “Há indicações de que o biocarvão, para além de ser sequestrador de Dióxido de Carbono, aumenta a matéria orgânica e melhora a biologia do solo, a retenção de nutrientes e de água”, explica Célia Alves.

CERVEIRA LUTA CONTRA A DIABETES

Arranque do programa Diabetes em Movimento em Vila Nova de Cerveira

Decorreu, no passado dia 2 de outubro, a apresentação do 'Diabetes em Movimento', um programa comunitário de exercício físico gratuito para pessoas com diabetes tipo 2. Em Vila Nova de Cerveira, as sessões estão marcadas para as 2ª, 4ª e 6ª feiras, entre as 17h15 e as 18h45, no Pavilhão Gimnodesportivo da Escola Secundária.

IMG_6172.JPG

Sob coordenação da Direção-Geral da Saúde e desenvolvido numa parceria entre a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho, esta iniciativa inclui a realização de três sessões semanais de exercício físico, monitorizado por profissionais do exercício e por enfermeiros, e ainda por sessões de educação para a saúde.

Durante esta ação de apresentação, os utentes foram informados sobre o modo de funcionamento do programa, tendo colocado algumas questões mais personalizadas de acordo com as rotinas diárias. Estiveram presentes a Vereadora da Ação Social da Câmara Municipal, Aurora Viães, um dos administradores da ULSAM e representante dos Municípios junto da ULSAM, Dr. Rui Teixeira, o enfermeiro do Centro de Saúde, Alberto Dias, o técnico responsável da Câmara Municipal, André Silva, e o técnico responsável pela orientação das aulas, Pedro Ribeiro.

Dado tratar-se de um programa que se desenvolve em Vila Nova de Cerveira, no período entre outubro 2019 e junho 2020, os interessados em integrar este grupo devem obter mais informações junto do médico e/ou enfermeiro de família.

As sessões, que são gratuitas, estão marcadas para as 2ª, 4ª e 6ª feiras, entre as 17h15 e as 18h45, no Pavilhão Gimnodesportivo da Escola Secundária de Cerveira.

MONÇÃO ADERIU AO “DIABETES EM MOVIMENTO”

Programa comunitário de exercício físico para pessoas com diabetes tipo 2, iniciou-se na passada quarta-feira, 2 de outubro, prolongando-se até junho de 2020, com três sessões semanais, no quartel dos bombeiros voluntários de Monção, monitorizadas por um técnico de educação física e duas enfermeiras.

mondiabetmov (1).jpg

O Município de Monção aderiu ao “Diabetes em Movimento”, um programa comunitário de exercício físico para pessoas com diabetes tipo 2. A apresentação realizou-se, na passada quarta-feira, no salão polivalente dos Bombeiros Voluntários de Monção.

Além dos primeiros participantes no programa, marcaram presença o Dr. Carlos Cunha, enfermeiras Sandra Reis e Maria José, e os técnicos da autarquia, Eliana Costa, Magda Pinto e Xavier Rodrigues. Na apresentação, efetuada em powerpoint, foram comunicadas as regras e objetivos do programa, seguindo-se um período de esclarecimento de dúvidas.

Decorrendo ao longo de nove meses, entre outubro de 2019 e junho de 2020, no salão polivalente dos bombeiros voluntários de Monção, o programa “Diabetes em Movimento” compreende três sessões semanais (segundas, quartas e sextas), entre as 10h00 e as 11h30.

Monitorizadas por um profissional de exercício físico e duas enfermeiras, as sessões são gratuitas, sendo os participantes sinalizados pelo Centro de Saúde de Monção. Qualquer pessoa diagnosticada com diabetes tipo 2 pode participar no programa, devendo, para tal, informar-se com o seu médico de família. 

O programa “Diabetes em Movimento” envolve exercícios aeróbios, resistidos, de agilidade/equilíbrio e flexibilidade, tendo sido testado como ferramenta terapêutica para o tratamento da diabetes tipo 2. Todos os participantes são acompanhados, clinicamente, com recurso ao controlo da glicemia capilar, da pressão arterial e da intensidade do esforço.

Este programa de intervenção comunitária, enquadrado no 4º processo de expansão em território nacional, é coordenado pela Direção-Geral da Saúde, através do Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física e do Programa Nacional para a Diabetes.

mondiabetmov (2).jpg

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MONÇÃO: UNIDADE DE HEMODIÁLISE MAIS PERTO DA ABERTURA

Falta apenas a aprovação do Tribunal de Contas para que o serviço entre em funcionamento, garantindo que os doentes diagnosticados com insuficiência renal de Monção e concelhos vizinhos possam receber tratamento naquela instituição social.

ARS Norte (1).jpg

O contrato entre a ARS Norte e a empresa responsável pelo serviço de hemodiálise na unidade da Santa Casa da Misericórdia de Monção, foi assinado, ontem à tarde, na sede daquele organismo, contando, entre outros, com a presença do Provedor, Agostinho Caldas Afonso, do Vice-Provedor, Armindo Ponte, e do Presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa.

Com espaço equipado e pronto a funcionar, a unidade de hemodiálise conheceu, desta forma, um avanço significativo para a abertura da nova valência ao público, garantindo que os doentes diagnosticados com insuficiência renal de Monção e concelhos vizinhos possam receber tratamento naquela instituição social.

Com a assinatura deste contrato, uma aspiração dos responsáveis da Santa casa e dos doentes locais, falta unicamente a aprovação do Tribunal de Contas para que os utentes de Monção e dos concelhos vizinhos possam usufruir deste serviço, até agora apenas possível em Viana do Castelo, Arcos de Valdevez e Ponte da Barca.

Em declarações à Rádio Vale do Minho, Armindo Ponte, mostrou-se satisfeito com o avanço deste processo, referindo: “Ando há dois anos nesta luta tremenda. Mas comigo andam outros elementos da Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia e o próprio Município”.

Numa nota enviada à comunicação social, a ARS Norte assinalou que “a nova unidade de hemodiálise vai dar resposta aos muitos doentes da área geográfica de Monção e concelhos vizinhos”, permitindo “um acesso mais facilitado para os doentes que necessitam de tratamentos regulares, garantindo cuidados de qualidade e evitando deslocações”.

A unidade de hemodiálise da Santa Casa foi inaugurada no dia 13 de julho de 2018. Naquela cerimónia, António Barbosa congratulou-se com a funcionalidade do novo espaço e mostrou-se empenhado na abertura efetiva desta nova valência para servir todos os monçanenses.

Na ocasião, deixou uma mensagem de esperança aos responsáveis da Santa Casa: “Não desanimem e continuem firmes e empenhados na concretização deste serviço. Mais um esforço. A conquista, quando difícil e trabalhosa, é mais saborosa. Também nós, dentro das nossas competências, tudo faremos para que o serviço de hemodiálise seja uma realidade”.

BRAGA INTEGRA PROGRAMA “DIABETES EM MOVIMENTO”

Cidadãos com diabetes tipo 2 passam a ter sessões gratuitas de exercício físico

O Município de Braga aderiu ao programa ‘Diabetes em Movimento’, um projecto comunitário de exercício físico para pessoas com diabetes tipo 2. O projecto este mês de Outubro e prolonga-se até Junho de 2020. Durante este período, os participantes terão três sessões semanais gratuitas de exercício físico, com uma duração de 90 minutos, no Pavilhão Municipal de Lamaçães.

Diabetes em Movimento1.jpg

Em Braga, o projecto acontece em parceria entre o Município de Braga, o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Braga e a União de Freguesias Nogueira, Fraião e Lamaçães. Com este programa pretende-se proporcionar à população a prática de exercício físico recomendada para o controlo da diabetes pelas principais organizações científicas internacionais, sem custos directos para os participantes.

As actividades são monitorizadas por professores de educação física e por enfermeiros, sendo que as sessões envolvem vários tipos de exercício físico (aeróbio, resistido, de agilidade e equilíbrio e de flexibilidade) mas também actividades de educação para a saúde e para a cidadania.

Durante a apresentação do projecto, que decorreu esta Terça-feira, 2 de Outubro, a vice-presidente do Município de Braga, Sameiro Araújo, referiu que as intervenções comunitárias para a promoção da actividade física “são consideradas como um dos melhores investimentos do Município para promover a actividade física na população, permitindo envolver um número alargado de cidadãos, utilizando os recursos locais já existentes e potenciando ainda a sua interligação”.

A dose semanal deste programa foi testada como ferramenta terapêutica para o tratamento da diabetes tipo 2, sendo todos os participantes acompanhados clinicamente através do controlo da glicemia capilar, da pressão arterial e da intensidade do esforço. Durante este período, decorrerão ainda actividades de educação para a saúde e para a cidadania, de forma a que, no final da intervenção, os utentes obtenham mais saúde e melhor actividade física.

Em Portugal, os números da diabetes têm vindo a crescer desde que há registos, ocupando um lugar na linha da frente dos países europeus com maior prevalência desta doença crónica, sendo que as estimativas apontam para uma prevalência entre 9,8% e 13,3% na população adulta e idosa (mais de um milhão de portugueses).

“Braga pretende constitui-se como um modelo de inspiração para o desenvolvimento e disseminação de projectos semelhantes a implementar a nível local, algo que se tem verificado nos últimos anos”, concluiu Sameiro Araújo.

Diabetes em Movimento2.jpg