Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

AUTARQUIA DE PONTE DA BARCA APOIA SETOR AGROPECUÁRIO LOCAL EM CERCA DE 18 MIL EUROS

A Câmara Municipal de Ponte da Barca vai apoiar financeiramente os produtores do setor agropecuário do concelho ao nível de sanidade animal para fomento da produção pecuária, no valor de cerca de 18 mil euros. A minuta de protocolo a celebrar com a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca foi  aprovada em reunião de câmara e prevê o pagamento a 100% das ações anuais obrigatórias, inscritas no Programa Anual de sanidade Animal, ao nível do rastreio da Brucelose, Leucose Enzoótica e Tuberculose, nos Bovinos; e rastreio da Brucelose dos Pequenos Ruminantes, nos Ovinos e Caprinos.

Esta comparticipação financeira a conceder pelo Município de Ponte da Barca surge da importância do sector agropecuário na economia local, ao nível da criação de emprego e rendimento e do contributo para a fixação e atração de pessoas e investimentos e destina-se a apoiar aos titulares de explorações agropecuárias existentes no concelho, visando o apoio à fixação e rejuvenescimento do tecido produtivo, motor do desenvolvimento rural e da sustentabilidade, atenuando também o efeito negativo do aumento dos custos de exploração no setor, sem o correspondente aumento de receitas dos seus efetivos bovinos, ovinos e caprinos.

“Apoiar este setor é fundamental dadas as características do concelho de Ponte da Barca onde a atividade pecuária tem significativa expressão e assume a maior importância na sustentabilidade da economia rural, na manutenção e preservação da paisagem rural e de algumas raças autóctones para além do papel essencial que representa na gestão do território” refere o Presidente da Câmara, Augusto Marinho,

Tendo o Município de Ponte da Barca uma grande expressão rural, o contributo da autarquia no apoio à manutenção desta atividade garante a qualidade do produto final e a existência de produtores pecuário com condições de trabalho que assegurarão a continuidade de uma atividade económica importantíssima para o concelho, para além da saúde animal que deve representar motivo de atenção para todos os cidadãos ao nível da saúde pública e a segurança alimentar, do controlo de doenças e das questões de bem-estar animal.

VALENÇA ASSINALA DIA MUNDIAL CONTRA O CANCRO

O Município de Valença, em parceria com a Delegação de Valença da Liga Portuguesa Contra o Cancro, vai assinalar o Dia Mundial Contra o Cancro, no próximo sábado, 4 de fevereiro, a partir das 15h00, na sede da Junta de Freguesia de Gandra.

Do programa consta, às 15h00, a apresentação do plano de atuação da Liga a nível regional e local. Às 15h30 irá decorrer uma sessão de meditação e às 16h00 uma aula de zumba.

A participação nas atividades têm um valor simbólico de 5 euros e implica a inscrição prévia junto da Delegação de Valença da Liga Portuguesa Contra o Cancro, presencialmente na sede, no Edifício Atenas, Avenida de São Teotónio ou através do telefone 912 092 357 ou do email: delegacao.valenca@ligacontracancro.pt .

As verbas recolhidas revertem para a Liga Portuguesa Contra o Cancro.

As inscrições para a participação nas atividades solidárias estão abertas e decorrem até 2 de fevereiro.

Os participantes receberão um Kit composto por uma t-shirt e uma garrafa de água.

Valença Liga.jpg

VIANA DO CASTELO: CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS PROPÕE DEBATE SOBRE SAÚDE

Ciclo de Estudos “O que é a saúde?”: Conferência sobre a história da saúde no distrito de Viana do Castelo 

No próximo dia 26 de janeiro, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas, tem lugar a conferência intitulada “Contributos para a história da saúde do distrito de Viana do Castelo (de meados do século XIX às primeiras décadas do século XX)”, por Alexandra Esteves, realizada no âmbito do Ciclo de Estudos “O que é a saúde?”, iniciativa do Centro de Estudos Regionais.

Capturarcersaude.JPG

A conferência de Alexandra Esteves inaugura o programa da 12ª edição do Ciclo de Estudos, composto por um conjunto de comunicações em torno do tema “O que é a saúde?”. Até junho, diversos académicos, investigadores e especialistas abordarão o assunto sob o ponto de vista da antropologia, história, enfermagem, farmacêutica, medicina, entre outras áreas disciplinares. O programa será complementado com visitas culturais e outras atividades paralelas. 

Alexandra Esteves é doutorada em História Contemporânea e professora auxiliar com agregação do Departamento de História da Universidade do Minho, na qual também exerce as funções de diretora do Mestrado em Património Cultural e de vice-presidente para a Investigação do Instituto de Ciências Sociais. É, ainda, investigadora integrada do Laboratório de Paisagens, Património e Território (Lab2PT) do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, onde coordena o grupo Lands, e investigadora colaboradora do Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Universidade Católica Portuguesa. Nos últimos anos, a sua atividade investigativa tem incidido sobre matérias que se inserem nas áreas da História Social (saúde, doença, assistência, marginalidade, violência, prisões), e da História do Turismo, incluindo questões relacionadas com o lazer e as sociabilidades, entre os séculos XVIII e XX.

A entrada é livre.

A direção do Centro de Estudos Regionais

AUTARCA ARCUENSE QUER MAIS E MELHORES SERVIÇOS DE SAÚDE

Na visita a Arcos de Valdevez, do Secretário de Estado da Saúde e da Secretária de Estado da Inclusão, no âmbito do lançamento da iniciativa Balcão SNS24, na Santa Casa da Misericórdia, o Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, solicitou ao Secretário de Estado da Saúde apoio para a realização de obras de melhoria das instalações do Centro de Saúde e das Extensões de Soajo e Loureda.

Presidente da Câmara e Sec.Estado da Saúde.jpg

Presidente do Município e Secretário de Estado da Saúde

Desta forma será possível ter melhores condições para os utentes e os profissionais de saúde.

Também foi abordada a necessidade de reforçar as consultas de especialidade e dos meios complementares de diagnóstico no concelho.

Para o autarca, João Manuel Esteves “Devemos pugnar junto do Governo pelo reforço da proximidade e a melhoria dos serviços de saúde para os arcuenses”.

Centro de Saúde.JPG

Centro de Saúde de Arcos de Valdevez

ISAVE ASSINOU PROTOCOLO DE PARCERIA COM A INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR DIGITAL TRANSFORMATION AND TECHNOLOGICAL INNOVATION – IADITI

ISAVE ASSINOU PROTOCOLO DE PARCERIA COM A INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR DIGITAL TRANSFORMATION AND TECHNOLOGICAL INNOVATION foto.jpeg

Tendo em vista promover a cooperação internacional, a criação de sinergias ao nível da investigação e publicação científica, bem como impulsionar projetos pedagógicos em áreas inovadoras, o ISAVE, Instituto Superior de Saúde e a International Association for Digital Transformation and Technological Innovation (IADITI) assinaram um protocolo de parceria.

A cerimónia, que decorreu no dia 18 de janeiro, nas instalações do Instituto, em Amares, representa mais um passo no processo de internacionalização definido como um dos objetivos estratégicos do ISAVE.

PS-VIEIRA DO MINHO APELA À CÂMARA POR MELHOR SERVIÇO DE SAÚDE

Desde o dia 2 de Janeiro que o Centro de Saúde já não tem o Serviço de Atendimento Prolongado até às 22h00. Tendo em conta este facto e as sucessivas queixas dos Vieirenses em aceder a uma consulta, o PS de Vieira do Minho apela à Câmara Municipal que desenvolva todos os esforços para que, pelo menos, sejam repostos os serviços de atendimento existentes antes da pandemia.

ApeloCMVMsaude.png

Recorde-se que, antes da pandemia, estes serviços estavam abertos até às 24h00. Com a transferência de competências na saúde, é obrigação da Câmara assegurar a equipa de seguranças no Centro de Saúde, mas o PS entende que o Município deve set mais ambicioso nesta matéria e fazer tudo o que estiver ao seu alcance para assegurar um alargamento do horário e uma melhoria do serviço de saúde em Vieira do Minho.

Para o PS de Vieira do Minho, a Câmara deveria garantir um Serviço de Atendimento 24 horas por dia. É isso que o PS tem no seu programa eleitoral das últimas autárquicas, e que teria cumprido, nem que para isso tivesse de recorrer recorrer a acordo com serviços privados, suportando os respetivos custos.

É à Câmara Municipal que compete defender institucionalmente os interesses dos Vieirenses e, por isso, o PS local apela a que a autarquia concentre os seus esforços nas matérias realmente importantes para a comunidade, por forma a melhorar os serviços de saúde disponibilizados aos Vieirenses.

BARCELOS: PROGRAMA “DIABETES EM MOVIMENTO” JÁ ESTÁ NO TERRENO

Combater a doença pelo exercício físico. Este é o objetivo do programa comunitário “Diabetes em Movimento”, destinado a pessoas com diabetes tipo 2.

Diabetes em Movimento.jpg

Implementado pela Câmara Municipal de Barcelos, em parceria com a ARS Norte e o ACES Cávado III – Barcelos/Esposende, este programa iniciou na passada segunda-feira, no Pavilhão Municipal de Adães, e tem coordenação nacional realizada pela Direção-Geral da Saúde, através do Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física e do Programa Nacional para a Diabetes.

As sessões de exercício físico realizam-se às segundas, quartas e sextas, das 9h às 10h30, e são dinamizadas por profissionais licenciados em exercício e educação física e por enfermeiros.

A participação é gratuita, mediante referenciação feita pelos médicos e enfermeiros das Unidades de Saúde Familiar e Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados, dos Centros de Saúde de Barcelos e Barcelinhos.

O programa “Diabetes em Movimento”, de intervenção multi-institucional, multidisciplinar e multicomponente, representa um esforço articulado da comunidade para proporcionar uma solução concreta e efetiva de atividade física a esta população-alvo.

A diabetes é um dos principais problemas de saúde pública do nosso país (há cerca de 1 milhão de pessoas com esta doença crónica em Portugal) e a atividade física é um dos pilares do tratamento – melhorando o controlo metabólico, reduzindo o risco cardiovascular, e aumentando a funcionalidade e a qualidade de vida.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ASSOCIA-SE AO PROGRAMA DIABETES EM MOVIMENTO

O Município de Esposende, em parceria com o ACES Cávado III - Barcelos/Esposende, está a dinamizar o programa Diabetes em Movimento.

IMG_20230109_184454.jpg

Trata-se de um programa comunitário de exercício físico, dirigido a pessoas com diabetes tipo 2, com idades compreendidas entre os 50 e os 65 anos, e que visa aumentar os níveis de atividade física, melhorar o controlo glicémico, diminuir o risco cardiovascular, melhorar a aptidão física e aumentar a qualidade de vida.

Assim, através deste programa, são asseguradas três sessões de exercício físico por semana, com base numa estrutura pré-definida, compreendendo Aquecimento (10 minutos), Exercício Aeróbio (30 minutos), Exercício Resistido (5 a 20 minutos), Exercício de Agilidade e Equilíbrio (10 a 25 minutos) e Retorno à Calma (5 minutos).   

Estas sessões realizam-se no Pavilhão Gimnodesportivo da Escola Básica de Forjães, às segundas, quartas e sextas-feiras, entre as 18h30 e as 20h00, até ao próximo mês de junho. O programa será depois retomado em outubro, prolongando-se até junho de 2024.

O programa Diabetes em Movimento arrancou ontem, na Escola Básica de Forjães, com a participação de 30 utentes de várias freguesias do concelho. A sessão contou também com a presença dos Vereadores da Câmara Municipal de Esposende Alexandra Roeger e Rui Losa, que detêm, respetivamente, as áreas funcionais Saúde Pública e Desporto. 

Por via da adesão à dinamização deste programa de âmbito nacional, o Município de Esposende está a contribuir para as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que concerne ao ODS 3 - Saúde de Qualidade, ODS 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

IMG_20230109_184630.jpg

IMG_20230109_185926.jpg

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS DE VIANA DO CASTELO PROMOVE APRESENTAÇÃO PÚBLICA DO CICLO DE ESTUDOS “O QUE É A SAÚDE?”

Capturarcersaude.JPG

No próximo dia 19 de janeiro, na Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, às 17.00 horas, tem lugar a apresentação do programa do Ciclo de Estudos “O que é a saúde?”, iniciativa do Centro de Estudos Regionais, que decorrerá entre janeiro e junho de 2023

Desde 2009, o Centro de Estudos Regionais organiza, anualmente, um ciclo de estudos que se assume como um fórum de partilha de conhecimento e de reflexão, aberto a toda a comunidade. No presente ano o Ciclo de Estudos terá como tema “O que é saúde?”. A 12ª edição do Ciclo de Estudos será uma oportunidade para conhecer o trabalho científico e profissional, desenvolvido por diversos investigadores e especialistas, sobre o conceito de saúde, considerando diferentes abordagens e perspetivas. A saúde será analisada sob o ponto de vista da antropologia, história, enfermagem, medicina, entre outras áreas disciplinares. O ciclo de estudos integra o plano de atividades da Academia Sénior/CER, mas as sessões estão abertas a todo o público. Organizado em torno de um conjunto de conferências e de visitas de estudo, este projeto de formação e divulgação decorrerá até junho do corrente ano. Na sessão de apresentação, José Carlos Loureiro e Pedro Pereira, coordenadores desta edição do ciclo de estudos, darão a conhecer os objetivos do projeto e divulgarão o programa, desafiando todos a dar respostas à questão que o intitula.

A direção do Centro de Estudos Regionais

BARCELOS VAI TER NOVO HOSPITAL

Presidente da Câmara congratula-se com empenho do ministro, José Luís Carneiro, na construção do Novo Hospital de Barcelos

O presidente da Câmara Municipal de Barcelos aproveitou a primeira reunião do Executivo Municipal do ano, realizada esta segunda-feira, para se dirigir a toda a vereação, congratulando-se com as declarações do Ministro da Administração Interna, nas quais assegurou o seu empenho para que a construção do novo Hospital de Barcelos seja uma realidade.

precabarc.jpg

O edil, Mário Constantino, aludia às palavras que José Luís Carneiro proferiu na parte final do seu discurso, ontem em Barcelos, no decorrer da sessão solene das comemorações dos 140 anos dos Bombeiros Voluntários de Barcelos.

Recorde-se que o Ministro, embora não seja o responsável governamental do setor da Saúde, dirigiu-se diretamente ao Presidente da Câmara e, relativamente à preocupação com o novo hospital de Barcelos, afirmou: “Estamos todos comprometidos com esse objetivo: o Sr. Ministro da Saúde e o Sr. Primeiro-Ministro. Como sabe, já foi objeto de diálogos que tivemos com a Câmara Municipal, sendo, de facto, um objetivo que se justifica e que justifica que todos nós nos empenhemos nele, porque também serve para aquilo que é um elemento fundamental das nossas vidas, que é de facto a saúde, as pessoas, a proteção e qualidade dos serviços. E aquilo que podemos garantir é que poderão continuar a contar connosco para estarmos próximos de vós, das instituições, para servirmos o melhor que pudermos, e soubermos, com os meios que temos, os interesses do nosso país, os interesses deste distrito e deste município”.

Ora, foi justamente face a esta declaração pública do ministro que o presidente da Câmara entendeu hoje dar conta e sublinhar, junto dos restantes membros do Executivo camarário, a sua congratulação pelas palavras e pelo empenho do governante nesta causa que mobiliza todos os barcelenses.

BRAGA: PROGRAMA NACIONAL “DIABETES EM MOVIMENTO” ESTÁ DE REGRESSO

O programa comunitário “Diabetes em Movimento” destinado à prática de exercício físico para pessoas com diabetes tipo 2, está de regresso após a paragem devido à pandemia.

DIABETES 2.jpg

Implementado em 2019 pelo Município de Braga, em parceria com o ACES Braga, este programa conta com uma organização nacional realizada pela Direcção-Geral da Saúde, através do Programa Nacional para a Promoção da Actividade Física e do Programa Nacional para a Diabetes.

Em Braga as sessões irão decorrer às Segundas, Quartas e Sextas, das 9h30 às 11h00, no Pavilhão Desportivo de Sequeira, sendo os exercícios dinamizados por técnicos de Desporto da Autarquia Bracarense, acompanhados por enfermeiros do ACES Braga.

A participação é gratuita, mediante referenciação feita pelos médicos e enfermeiros das Unidades de Saúde Familiar.

Para a vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, Sameiro Araújo, as intervenções comunitárias para a promoção da actividade física “são consideradas como um dos melhores investimentos do Município para promover a actividade física na população, permitindo envolver um número alargado de cidadãos, utilizando os recursos locais já existentes e potenciando ainda a sua interligação”.

A dose semanal deste programa foi testada cientificamente como ferramenta terapêutica para o tratamento da diabetes tipo 2, sendo todos os participantes acompanhados clinicamente através do controlo da glicemia capilar, da pressão arterial e da intensidade do esforço. Durante este período, decorrerão ainda actividades de educação para a saúde e para a cidadania, de forma a que, no final da intervenção, os utentes obtenham mais saúde e melhor qualidade de vida.

Em Portugal, os números da diabetes têm vindo a crescer desde que há registos, ocupando um lugar na linha da frente dos países europeus com maior prevalência desta doença crónica, sendo que as estimativas apontam para uma prevalência entre 9,8% e 13,3% na população adulta e idosa (mais de um milhão de portugueses).

Rui Macedo, director clinico do ACES Braga, relembra que “este projecto e esta parceria fazem com que consigamos colocar Braga como um modelo de inspiração para o desenvolvimento e disseminação de projectos semelhantes a implementar a nível local, algo que se tem verificado nos últimos anos num trabalho muitas vezes feito numa saudável parceria entre o ACES e o Município de Braga”.

DIABETES 3.jpg

DIABETES 4.jpg

DIABETES 5.jpg

BARCELOS: PROGRAMA “DIABETES EM MOVIMENTO” ARRANCA NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

Arranca já na próxima segunda-feira, 9 de janeiro, o programa comunitário “Diabetes em Movimento”, destinado à prática de exercício físico para pessoas com diabetes tipo 2. Implementado pela Câmara Municipal de Barcelos, em parceria com a ARS Norte e o ACES Cávado III – Barcelos/Esposende, este programa tem coordenação nacional realizada pela Direção-Geral da Saúde, através do Programa Nacional para a Promoção da Atividade Física e do Programa Nacional para a Diabetes.

No caso concreto do concelho de Barcelos, as sessões de exercício físico vão decorrer às segundas, quartas e sextas, das 9h às 10h30, no Pavilhão Desportivo de Adães, e serão dinamizadas por profissionais licenciados em exercício e educação física e por enfermeiros.

A participação é gratuita, mediante referenciação feita pelos médicos e enfermeiros das Unidades de Saúde Familiar e Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados, dos Centros de Saúde de Barcelos e Barcelinhos.

O programa “Diabetes em Movimento”, de intervenção multi-institucional, multidisciplinar e multicomponente, representa um esforço articulado da comunidade para proporcionar uma solução concreta e efetiva de atividade física a esta população-alvo.

A diabetes é um dos principais problemas de saúde pública do nosso país (há cerca de 1 milhão de pessoas com esta doença crónica em Portugal) e a atividade física é um dos pilares do tratamento – melhorando o controlo metabólico, reduzindo o risco cardiovascular, e aumentando a funcionalidade e a qualidade de vida.

Diabetes em Movimento.png

MONÇÃO REALIZA ESPETÁCULO SOLIDÁRIO

Dia 7 de janeiro, sábado, pelas 21h00, com entrada a 5,00 €, o Cine Teatro João Verde abre a programação de 2023 com espetáculo de apoio à luta contra a paralisia infantil (poliomielite)

Cartaz espetáculo solidário.png

Este sábado, 7 de janeiro, pelas 21h00, o Cine Teatro João Verde abre a programação deste ano com um espetáculo solidário, cuja receita de bilheteira reverte a favor da luta contra a paralisia infantil (poliomielite). A entrada tem o valor de 5,00 €.

Promovido pelo Rotaract Clube de Monção, com o apoio da Câmara Municipal de Monção, o palco do Cine Teatro João Verde vai receber André Duarte, (Des)fados, Contraponto e o Grupo de Dança “All Styles”. Em perspetiva, uma noite solidária preenchida com música, dança e alegria. 

A poliomielite é uma doença infeciosa grave, causada por um vírus, o poliovírus, que pode originar paralisia permanente de alguns músculos. Podendo afetar idosos e adultos, acontece com maior frequência em crianças.

A doença é prevenida e combatida com vacinação, a qual está indicada a partir das 6 semanas de vida, em 3 doses e 2 de reforço, fazendo parte do Programa Nacional de Vacinação. Em Portugal, a doença está oficialmente eliminada desde 2002.

FAMALICÃO EM SUPORTE BÁSICO DE VIDA PARA MAIS DE 500 COLABORADORES

O Município de Vila Nova de Famalicão está a promover, em articulação com as corporações de Bombeiros Voluntários do concelho (Famalicenses, de Famalicão e de Riba de Ave), ações de formação em Suporte Básico de Vida para 533 colaboradores da área da educação, que prestam serviço nas escolas do concelho.

AFS_3435.jpg

A formação está a decorrer durante o período da pausa letiva, com o objetivo de capacitar o quadro de pessoal das escolas com conhecimento e competências para atuar em caso de situação de emergência, de forma a que ser possível atuar na fase do pré-socorro, isto é, o período que decorre entre o alerta e a chegada dos meios de socorro.

Estas ações de formação ensinam como agir em casos de emergência médica com manobras de reanimação, nomeadamente, que protocolos adotar e como atuar em casos de Paragem Respiratória, Paragem Cardiorrespiratória e Obstrução da Via Aérea.

CÂMARA MUNICIPAL DE BRAGA ATRIBUI APOIO DE 213 MIL EUROS AO PROGRAMA “BRAGA A SORRIR”

Programa de saúde oral já atingiu os 2800 beneficiários

A Câmara Municipal de Braga vai atribuir em 2023 um apoio financeiro de 213 645 euros ao ‘Braga a Sorrir’, um programa de saúde oral desenvolvido em parceria com a associação ‘Mundo a Sorrir’. A proposta será analisada na próxima Reunião do Executivo Municipal, que terá lugar na Segunda-feira, 26 de Dezembro, no Altice Forum Braga.

CMB22062015SERGIOFREITAS0000001921 (2).jpg

O programa ‘Braga a Sorrir’ tem como principal objectivo disponibilizar e reforçar o acesso aos cuidados básicos de saúde oral dos munícipes em situação de vulnerabilidade económica. Contribuir para a inclusão social e para a melhoria da qualidade de vida dos beneficiários são outros dos objectivos deste programa.

Desde que o projecto teve início, em Abril de 2015, e até Setembro deste ano, foram realizadas 39.967 consultas, 70.985 tratamentos dentários, 2.522 próteses dentárias, 4.042 atendimentos sociais, tendo sido fornecidas 5.224 escovas de dentes. A funcionar no Gabinete Municipal de Saúde, no Shopping Santa Tecla, o ‘Braga a Sorrir’ já apoiou 2.893 beneficiários.

Para o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, este projecto tem a mais-valia de “devolver a esperança através do sorriso”. “Este é um excelente exemplo de como o poder local pode identificar lacunas e tomar medidas que beneficiem a comunidade e aumentem decisivamente a qualidade de vida dos cidadãos”, sustenta o Edil, lembrando que Braga “tem assumido uma posição pró-activa nas políticas de apoio à saúde”.

Recorde-se que o processo de sinalização dos beneficiários do projecto desenvolve-se através das parcerias estabelecidas com instituições sociais do Concelho de Braga e pela sinalização por parte do Gabinete de Acção Social da Autarquia.

Transferência de competências na área de acção social

Outro dos pontos da agenda da reunião da próxima Segunda-feira é a proposta de prorrogação do prazo de transferência de competências para a Autarquia em matéria de acção social.

No documento que será submetido à apreciação do Executivo Municipal, a vereadora da tutela considera, juntamente com as entidades que estão no terreno, que ainda não estão reunidas as condições necessárias para o exercício das competências no domínio da acção social no dia 1 de Janeiro de 2023.

De acordo com o mesmo documento, a Autarquia considera que o exercício e a prestação de um serviço de qualidade aos cidadãos “impõe que haja um domínio claro dos instrumentos regulatórios, associado ao conhecimento no terreno e a uma efectiva e cuidada preparação e adaptação a vários níveis”, nomeadamente recursos financeiros, sistemas de informação e recursos humanos.

“112 TRANSFRONTEIRIÇO” NASCE AMANHÃ EM VALENÇA

Valença recebe o lançamento do “112 Transfronteiriço”, projeto-piloto de emergência médica, entre o Norte de Portugal e a Galiza, amanhã, 14 de dezembro, às 11h30, na Pousada de São Teotónio.

319736097_500658618828441_7325998152414676507_n.jpg

A assinatura do memorando de entendimento do “112 Transfronteiriço”, abre portas ao nascimento do primeiro serviço de emergência médica interregional, entre Portugal e Espanha, tendo por região de atuação o Norte e a Galiza.

Este projeto-piloto vai envolver o INEM e os seus homólogos galegos da AXEGA.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Valença, José Manuel Carpinteira, “este é um passo histórico que avança no reforço das relações transfronteiriças e na prestação de melhores e mais rápidos serviços de saúde, na emergência médica, às nossas populações raianas”.

Este memorando tem por objetivo estabelecer as bases e os critérios sobre os quais se vai prestar os cuidados de saúde transfronteiriços, em caso de urgência médica e assim facilitar a assistência, no território escolhido pelo utente, se as suas necessidades de saúde e os critérios médicos o permitirem.

O ato contará com a presença do Presidente da CCDR-NORTE, António Cunha, a Secretária de Estado da Promoção da Saúde, Margarida Tavares, a Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, o Presidente do INEM, Luís Meira, o Diretor-geral para as Relações Externas e com a União Europeia da Xunta de Galicia, Jesus Gamallo, o Conselleiro de Sanidad da Xunta de Galicia, Julio García Comesaña e o Presidente da Câmara Municipal de Valença, José Manuel Carpinteira.

HOSPITAL DE BRAGA: GOVERNO CONTORNA QUESTÕES COLOCADAS PELOS DEPUTADOS DO PCP

A sequência de uma visita ao Hospital de Braga realizada em Outubro, o Grupo Parlamentar do PCP questionou através de pergunta escrita o Governo com as seguintes questões:

  • O Orçamento do Estado para 2023 vai garantir o financiamento adequado relativamente aos custos acrescidos que enfrenta a gestão hospitalar, designadamente nos fornecimentos energéticos e de medicamentos?
  • Garante o Governo uma verdadeira autonomia à gestão hospitalar, designadamente com a aprovação atempada dos planos de atividades, a retirada de limitações ao investimentos e aquisições plurianuais e das que têm relação com o capital social do Hospital de Braga?
  • Como pretende o Governo resolver o problema do reduzido número de camas para internamento, designadamente tendo em conta a vigência da PPP relativa à infraestrutura do Hospital?
  • Por que razão o Hospital de Braga não é qualificado como hospital universitário, à semelhança do que acontece com as restantes unidades ligadas a cursos de medicina?
  • Na sua resposta, o Ministério da Saúde contornou as perguntas e evitou respostas concretas.
  • Sobre o financiamento do hospital, que está a lidar com um aumento significativo dos seus custos de actividade, afirmou que o Orçamento do Estado terá “o maior incremento de sempre” e que o país está perante a “oportunidade” do PRR. Em concreto sobre o Hospital de Braga, nada é adiantado.
  • Sobre a autonomia hospitalar,  questão fundamental para adquirir bens e serviços e realizar investimentos, adianta que está em curso o (perigoso!) processo de transferência de competências para as autarquias e que foi criada a Direcção Executiva do SNS.
  • Sobre o problema das camas disponíveis para internamento, num contexto de uma taxa de ocupação de 95%, adianta que as cerca de 700 camas que hospital dispõe são suficientes.

Sobre a qualificação do Hospital de Braga como hospital universitário tal como acontece com outras unidades ligadas a cursos de medicina, limita-se a dizer que o facto de não o ser não acarreta limitações no trabalho de investigação.

As respostas, ou falta delas, adiantadas pelo Governo do PS confirmam a ausência de uma política de defesa do SNS, abrindo o caminho para o avolumar de dificuldades aos interesses privados e para aproveitamentos de forças e sectores reaccionários. Esta situação adensa as preocupações do PCP, de utentes e profissionais.

Urge acabar com subfinanciamento crónico do SNS, pôr fim à transferência crescente de recursos para os grupos privados, combater a degradação das condições de trabalho que leva à saída de profissionais e impede a sua entrada em número suficiente, promover a autonomia das instituições, resolver os problemas de coordenação e organização dos serviços de saúde.

CELORICO DE BASTO PROMOVE PALESTRA SOBRE DIABETES

O Centro Cultural Marcelo Rebelo de Sousa, contou, no dia 30 de novembro, com uma vasta plateia a ouvir atentamente os oradores convidados a participar na palestra sobre a diabetes. Especialistas de diferentes áreas explicaram a importância da alimentação equilibrada, do exercício físico nesta que é considerada a pandemia do Século XXI.

Capturarcelo1 (4).JPG

Maria José Marinho, Vereadora da Saúde do Município de Celorico de Basto, disse que esta atividade surge na “sequência da campanha realizada pelo Município sobre a diabetes com o intuito de sensibilizar a população para esta temática. Queremos que as pessoas percebam a importância de alguns comportamentos que contribuem muito positivamente para atenuar a doença ou mesmo evitá-la, no caso da diabetes tipo II. Um trabalho de sensibilização que é feito diariamente pelas enfermeiras da UMS e que reflete o investimento que o Município tem feito na sensibilização e na promoção da saúde. Exemplo disso é também o facto de termos assumido a gestão direta dos nossos refeitórios escolares, estamos a investir numa alimentação de qualidade, que privilegia a introdução de legumes, fruta, alimentos saudáveis, que a curto prazo trarão benefícios a todas as nossas crianças e jovens”.

Esta ação contou com a presença de Diana Fernandes, Nutricionista especialista em nutrição clínica da URAP ACES Tâmega I – Baixo Tâmega que esclareceu que “a alimentação está na base quer da prevenção, quer do tratamento, é necessário fazer uma alimentação com pequenas regras ao longo do dia. Fracionar as refeições, evitar alimentos com açúcar adicionado, optar por alimentos com menos gordura, menos sal, privilegiar os alimentos de origem vegetal, os alimentos integrais e também manter um peso corporal saudável”. Já Luís Azevedo, com mestrado em Exercício físico e Nutricionista, investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, acrescentou que o exercício físico “tem um papel essencial na prevenção, e que pode mudar a vida das pessoas. E, mesmo depois da doença surgir mostra-se como capital para controlar a doença acoplado à medicação e, em alguns casos, pode levar a que fiquemos independentes da medicação”.

 A ação contou também com Olinda Marques, Médica Endocrinologista, em representação da SPEDM, e Diretora do Serviço de Endocrinologia do Hospital de Braga, que fez uma abordagem genérica à doença e disse que é “imprescindível conversar sobre a diabetes, a preparação de qualquer médico para lidar com doentes é muito na ótica da sensibilização. Se o doente não entender o que necessita de fazer por si próprio, sendo um agente ativo, vai ficar sempre um défice no tratamento e os resultados não serão os melhores. É difícil mudar comportamentos, as pessoas estão formatadas ao seu dia a dia, aquilo que fazem habitualmente, e o problema da diabetes é que nem sempre dá sintomas suficientes, para a pessoa sentir a necessidade de mudar”. 

O painel foi moderado pelo Coordenador da UCSP DE Celorico de Basto – Assistente Graduado de Medicina Geral e Familiar, Ernesto Martins, que nos disse que a diabetes “é um problema de saúde pública, uma pandemia do século XXI sobretudo pelos problemas que vai acarretar, a diabetes numa fase inicial não dá sintomas, morde pela calada, e mais tarde vai começar a dar problemas muito sérios. Por isso é preciso evitar, evitar que ela apareça sobretudo quando já sabemos que temos um risco aumentado de podermos vir a ter diabetes. Vamos medindo esse risco em função dos nossos antecedentes, se temos uma genética que já aponta para isso, se temos excesso de peso, vida sedentária, todos esses fatores de risco fazem com que sejamos mais proactivos, para prevenir a diabetes. Quando nos é diagnosticada temos que a tratar o melhor possível temos que melhorar a alimentação, melhorar a dieta, fazer exercício físico e no finalmente temos a medicação. Falar é importante, sensibilizar é crucial.”

A ação insere-se na campanha levada a cabo pela UMS, numa parceria entre o Município e a UCC Mãos Amigas e, como nos disse a Coordenadora da Saúde do Município, Helena Martinho, “procura Incidir numa temática, infelizmente recorrente, e que transporta em si muitas dificuldades. Os nossos idosos são os principais utentes da UMS e são diariamente informados pelas nossas enfermeiras dos comportamentos a adquirir para mitigar esta doença. Comportamentos que muitas vezes são negligenciados por fatores culturais e por hábitos difíceis de moldar, mas nos quais incidimos recorrentemente, em educação para a saúde”.

Capturarcelo8 (1).JPG

Capturarcelo2 (2).JPG

Capturarcelo5 (2).JPG

Capturarcelo3 (3).JPG

Capturarcelo4 (4).JPG

BARCELOS: PCP NÃO DESISTE DA CONSTRUÇÃO DE NOVAS INSTALAÇÕES PARA HOSPITAL DE SANTA MARIA MAIOR

Proposta do PCP na discussão na especialidade do Orçamento do Estado 2023 votada hoje na Assembleia da República

Uma delegação do PCP composta por Bernardino Soares, membro do Comité Central e responsável pela Área da Saúde, Belmiro Magalhães, membro da Comissão Política do Comité Central, Mário Figueiredo, membro da DORB e da Assembleia Municipal de Barcelos, Daniela Ferreira e Isabel Novais, da Direcção da Organização Regional de Braga, e Manuel Carvoeiro, da Comissão Concelhia de Esposende, visitou hoje o Hospital de Barcelos, tendo reunido com o seu Conselho de Administração.

reunião_administração (9).jpg

O motivo visita foi abordar a situação em que o Hospital funciona e a necessidade de construção de novas instalações.

No final da visita, em contacto com a comunicação social, Bernardino Soares destacou a proposta do Grupo Parlamentar do PCP no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2023 com vista à dotação de verbas para a construção de novo edifício para o Hospital de Santa Maria Maior -  Barcelos, com a atribuição de €3.500.000, para a elaboração da programação funcional e dos projetos de execução de arquitetura e especialidades para a sua construção, cujo investimento total se estima em €70.000.000.

A votação da proposta do PCP na Assembleia da República coincide com o dia da visita ao Hospital.

Para Bernardino Soares “o sentido de voto de PS, PSD, Chega e IL relativamente à proposta do PCP será clarificador acerca do real compromisso dos deputados destes partidos com o interesse regional e a defesa do Serviço Nacional de Saúde”. Para o dirigente comunista “os responsáveis, autarcas e deputados destes partidos não podem continuar a encher a boca com a vontade de desbloquear a construção do novo hospital e depois impedir a aprovação da proposta do PCP”.

É reconhecido que actual Hospital de Santa Maria Maior, instalado em edifício da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, apresenta inúmeras debilidades que o impedem de dar uma resposta cabal e atempada às populações de Barcelos e Esposende. O Hospital está localizado em instalações que estão há muitos anos subdimensionadas e desadequadas para a prestação de cuidados de saúde. E, para além das insuficiências do edificado, o Hospital continua a debater-se com carência de profissionais de saúde.

A construção das novas instalações do Hospital é uma promessa que os sucessivos governos PS e PSD/CDS tardam em concretizar.

O anterior Governo do PS limitou-se à constituição de um “grupo de trabalho para a elaboração de proposta de perfil assistencial, área de influência e dimensionamento do novo Hospital de Barcelos e do grupo de trabalho para a elaboração de proposta de programa funcional”. Como a DORB do PCP tem lembrado, em 2008 foram entregues um programa funcional e o estudo de viabilidade económico-financeira, foi celebrado um acordo estratégico de colaboração entre o Ministério da Saúde e o Município de Barcelos, e em 2010 foi autorizada a abertura do procedimento de concurso público internacional para a elaboração do projeto que deu até origem a estudo prévio aprovado no início de 2014, sem que se tenha tomado decisão sobre as fases seguintes do projeto.

O PCP tem tido uma intervenção continuada em defesa do novo Hospital, tendo já apresentado diversas propostas na Assembleia da República, incluindo um projecto de resolução que contribuiu para o texto final aprovado por unanimidade em 2021.

A proposta que o PCP voltou agora a apresentar surge em coerência com o conteúdo do projecto de resolução aprovado na Assembleia da República, que prevê que construção do Hospital tenha financiamento do Orçamento do Estado e que a sua construção e a gestão sejam públicas e não decorram de parcerias público-privadas.

A actual situação que se vive no Serviço Nacional de Saúde, com falta de meios e de capacidade de resposta às necessidades, confirma o imperativo de medidas estruturais de reforço do investimento e de defesa do SNS, num quadro de grande pressão dos grupos económicos privados que exploram o negócio da doença e dos partidos que se colocam ao seu serviço.

A construção do novo Hospital de Barcelos com construção e gestão públicas será um importante contributo para defender e reforçar a resposta do SNS na região.

delegação_pcp.jpg

declarações_pcp (1).jpg