Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DA BARCA: ECOVIA DO RIO LIMA COM CERCA DE 45 MIL PASSAGENS DE UTILIZADORES REGISTADAS DESDE JUNHO

No âmbito da candidatura "Greenways4you” - Valorização e Promoção da Rede de Percursos Verdes do Alto Minho, foi instalado um contador na entrada do Troço dos Açudes da Ecovia do Rio Lima, Ponte da Barca, com o objetivo de fazer uma análise da utilização daquele espaço, baseada em informação diretamente recolhida do próprio local.

Desde junho até à presente data, foram contabilizadas cerca de 45 mil entradas na Ecovia, o que representa para o autarca de Ponte da Barca, Augusto Marinho, “um número muito expressivo de utilizadores deste belo percurso pela margem esquerda do rio Lima, cuja paisagem natural envolvente é riquíssima e deve continuar a ser preservada. Uma zona  onde se podem apreciar paisagens únicas e desfrutar de momentos de grande tranquilidade, enquanto se observa o curso do Rio Lima e a entrada do Rio Vez no caudal.

256259234_3939354079498879_2088879022702114959_n.j

Estes contadores foram implementados em todos os municípios do Alto Minho e, no caso de Ponte da Barca, a Ecovia foi o local foi escolhido por estarem nele presentes importantes valores naturais, e por se tratar de um ponto da rede de percursos verdes pedonais.

A ecovia dispõe ainda de uma nova sinalética informativa e interpretativa junto à entrada, estrutura que foi instalada nos percursos das  ecovias dos rios Lima e Vez, com informação relevante sobre o território para utilizadores e turistas, no âmbito do projeto de cooperação transfronteiriça CTC II – Comunidade Territorial de Cooperação Lima-Límia-Cávado, dinamizado pela CIM Alto Minho, em articulação com os municípios de Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo.

Recorde-se que o percurso dos Açudes, da Ecovia do rio Lima, faz a ligação entre as vilas minhotas de Ponte da Barca e Ponte de Lima. Com 15 quilómetros de extensão, este percurso verde pode ser percorrido de bicicleta ou a pé, sempre acompanhado pelas fantásticas paisagens e águas transparentes do Lima.

256365816_3939353822832238_1659187939240630317_n.j

257242124_3939353879498899_1816462996545494303_n.j

GALIZA: ALDEIA DE ACEREDO EMERGE DAS ÁGUAS DO RIO LIMA

Aceredo, a aldeia galega "sepultada" que emergiu agora no Rio Lima

Aldeia foi submersa em 1992 para a construção do projeto da barragem hidroelétrica do Alto Lindoso.

249948264_10227577438408096_9919179610459824_n.jpg

concelho de Lobios, em Espanha, é por estes dias alvo de um inusitado tráfego de visitantes portugueses e espanhóis que ouviram dizer que a aldeia de Aceredo, “sepultada” em 1992, segundo a agência Efe, emergiu agora no Rio Lima.

Explica o jornal La Región que a aldeia de Aceredo, apelidada agora de a ‘Atlântida galega’, veio à superfície devido ao facto de a barragem do Alto Lindoso, que a soterrou há 30 anos, ter apenas, neste momento, 20% da sua capacidade.

Quem visita agora Lobios encontra uma paisagem muito diferente da habitual, algo fantasmagórica. Entre as águas tranquilas, há toda uma vila que, apesar de ter permanecido quase três décadas debaixo de água, ainda conserva algumas casas, ruas e até veículos.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com/ Fotos: Carlos Vieira

249751718_10227577438568100_7395361504484195904_n.

249280180_10227577438768105_4996497558304375730_n.

249298146_10227577438448097_2989221413414100014_n.

249552607_10227577441848182_7793479234812279903_n.

249474663_10227577441808181_977506177478323673_n.j

249859636_10227577441968185_5146856060950902988_n.

248977825_10227577444728254_8353738831828110918_n.

249480578_10227577444648252_1556435224088040345_n.

250736341_10227577439928134_4446594399237120714_n.

249249131_10227577440128139_7702270822245368873_n.

248916726_10227577443688228_1499985445657800727_n.

250291266_10227577443648227_1045731481561124018_n.

248976258_10227577446528299_3568059318292653243_n.

249593763_10227577440168140_3063513668652097512_n.

PONTE DA BARCA E ARCOS DE VALDEVEZ: PRIMEIRAS PÁGINAS DO PROCESSO DE LICENÇA EM 1887 PARA COLOCAR ENGENHO DE MACERAR O LINHO NO RIO LIMA

Primeiras páginas de um processo datado de 1887, referente a licença de colocação de engenho de macerar linho no Rio Lima, no sítio do Bolão. Local: Rio Lima, sítio do Bolão e Távora, freguesia de Bravães, concelhos de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo

Fonte: Arquivo Distrital de Viana do Castelo

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0001_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0002_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0004_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0006_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0007_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0008_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0010_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0012_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0014_derivada.jpg

PT-ADVCT-SCHVCT-001-00131_m0015_derivada.jpg

PONTE DE LIMA: CONSTRUÇÃO DA PONTE DE NOSSA SENHORA DA GUIA FOI AUTORIZADA PELO GOVERNO EM 1973

O Ministério das Obras Públicas - Junta Autónoma de Estradas, através do Decreto nº. 557/73, publicado em Diário do Governo n.º 251/1973, Série I de 1973-10-26, autorizou a Junta Autónoma de Estradas a celebrar contrato para a execução da empreitada de construção da ponte sobre o rio Lima, em Ponte de Lima.

Capturarpontepl1.JPG

Capturarpontepl2.JPG

VIANA DO CASTELO: EXECUTIVO MUNICIPAL APROVA ABERTURA DE PROCEDIMENTO DE PROJETO DE EXECUÇÃO DE NOVA TRAVESSIA DO RIO LIMA

O executivo municipal aprovou hoje, em reunião ordinária, a abertura de procedimento para o projeto de execução de uma nova travessia do Rio Lima entre a EN 202 / área de localização empresarial de Nogueira e a EN 203 / Zona Industrial de Deocriste. A empreitada será financiada pelo PRR – Plano de Recuperação e Resiliência no capítulo Áreas de Acolhimento Empresarial (AAE) - Acessibilidades Rodoviárias.

01_virt_0142.jpg

Viana do Castelo é o 16º concelho mais exportador do país, contribuindo com 1,5% do volume nacional local. As empresas situadas nas áreas de localização empresarial abrangidas pela nova travessia evidenciam grande capacidade expansionista com os novos investimentos previstos. Neste sentido, o Município de Viana do Castelo propõe a nova travessia do Rio Lima, uma ligação rodoviária rápida e segura que fomenta o desenvolvimento socioeconómico da região e acrescenta o seu contributo no panorama nacional.

A nova infraestrutura vai iniciar na EN 202, junto ao campo de futebol da Torre, com a reformulação da interceção giratória de acesso à área de localização empresarial de Nogueira e à A27, no sentido Viana-Ponte de Lima.

A travessia desenvolve-se na maior parte do percurso em tabuleiro de betão pré-esforçado, numa estrutura que permite minimizar os impactos na galeria ripícola e habitats incluídos na Rede Natura 2000.

A nova travessia termina na interceção giratória da EN 203, Zona Industrial de Deocriste, junto à DS Smith (antiga Portucel), permitindo desviar o tráfego de viaturas pesadas da estrada nacional que tem sofrido com o aumento pela crescente atividade industrial deste complexo.

Recorde-se que o Plano de Recuperação e Resiliência apresenta-se como um documento estratégico onde estão plasmadas reformas estruturais fundamentais para assegurar a saída da crise pandémica e garantir um futuro resiliente para Portugal. No capítulo Infraestruturas estão inscritos dois grandes investimentos necessários à dinamização económica do concelho vianense, nomeadamente a construção da nova travessia sobre o Rio Lima entre a Estrada Nacional 203 - Deocriste e EN202 - Nogueira, e o acesso rodoviário da zona industrial do Vale do Neiva ao nó da autoestrada 28 (A28), que liga Viana do Castelo ao Porto, empreitadas que ascendem a um valor global de 22 milhões de euros.

02b_virt_0127.jpg

05_virt_0165.jpg

PONTE DE LIMA E A IMPORTÂNCIA DO RIO LIMA

35922660_1749853358428503_3697575518795726848_n.jp

  • Crónica de Carlos Gomes

A propósito do feito que o atleta limiano Fernando Pimenta acaba de realizar, cabe-nos lembrar a importância do rio Lima desde os tempos mais remotos.

O rio Lima foi sempre de enorme importância, não apenas para os limianos mas também para outros povos. Desde logo, a ele que se deve a origem da feira e a fundação da vila de Ponte de Lima precisamente no local onde se cruza com a estrada romana de Braga a Astorga aqui servida pelas pontes romana e medieval. Por aqui passaram antes as legiões romanas, razão pela qual escolheram o local para a construção da referida ponte.

Séculos mais tarde, o rio Lima passou a assistir à passagem dos peregrinos que rumavam a Santiago de Compostela, servindo-se da ponte – de Ponte de Lima – para atravessá-lo a pé enxuto.

Com os seus embarcadouros, o rio Lima foi uma importante via navegável para transporte de pessoas e mercadorias. E aqui se captura uma das melhores lampreias que fazem as delícias dos seus apreciadores.

Durante muito tempo, guardou no seu leito as ameias da ponte medieval, as poucas que nos anos oitenta foram recuperadas e restituídas à ponte onde ainda se encontram.

Na segunda metade da década de 70 do século passado, tornou-se local de extracção de areias para a construção civil.

Mas, o rio Lima também é feito do sal das lágrimas dos limianos, causa de desespero das gentes da região. As inundações cíclicas que destruíam património e os constantes afogamentos causados àqueles que, confiando na sua pacatez, ousavam atravessá-lo para encurtar o caminho para a feira quinzenal, esquecendo-se precisamente que se tratava do mítico rio Lethes – o rio do Esquecimento na mitologia clássica!

Nas suas margens juntavam-se as lavadeiras e coravam a roupa ao sol, emprestando a Ponte de Lima um curioso quadro pitoresco que a maior parte da pontelimenses retém na memória com saudade dos tempos idos. E veio o açude a juzante de Nossa Senhora da Guia. Mas, o rio Lima ainda não era devidamente valorizado, pelo menos nos mais modernos conceitos, promovendo o desporto e o turismo.

E, eis que graças à existência do rio Lima e ao seu aproveitamento, passa a poder praticar-se desportos náuticos, criando as condições para que os seus atletas triunfem nas mais variadas competições, como acaba de suceder com o limiano Fernando Pimenta nos Jogos Olímpicos que decorrem no Japão.

Este exemplo – refiro-me às potencialidades do rio Lima – deve servir de inspiração para o aproveitamento que sempre deve ser feito dos recursos que a Natureza coloca à nossa disposição. E, o próprio rio Lima, tem ainda muito para nos oferecer, saibamos nós entender o que se encontra à nossa volta!

CANOÍSTAS DE VIANA DO CASTELO CONQUISTAM TÍTULO DE CAMPEÃO NACIONAL DE ESPERANÇAS EM PROVA REALIZADA EM PONTE DE LIMA

Darque Kayak Clube de Viana: André Barreto e Miguel Ricardo conquistaram o título de Campeão Nacional de Esperanças em c2 cadete. Diogo Caleiro conquistou o terceiro lugar em c1 cadete.

Campeões nacionais André Barreto_Miguel Ricardo.

Com 702 atletas de todo o país a disputar os títulos de Campeão Nacional de Esperanças, a DKC de Viana apresentou-se com três dezenas de atletas em competição, mais dez do que no ano anterior.

Com quase todos os atletas a pontuar este clube vianense conseguiu conquistar os dois primeiros campeões nacionais deste ano com André Barreto e Miguel Ricardo a repetirem o feito dos campeonatos regionais e a vencerem a prova nas canoas bilugares.

Nas canoas monolugares foi a vez de Diogo Caleiro repetir o resultado do regional e conquistar a medalha de terceiro lugar.

Em destaque também a dupla Marta Jooris e Eva Vieira em k2 que alcançaram o 4º lugar em k2 iniciado, assim como Daniela Almeida nas canoas cadetes. Maria Enes, vice campeã regional foi durante muito tempo segunda, tendo sido ultrapassada a final, mas segurou o quinto lugar.

Por equipas a DKC de Viana manteve o mesmo lugar que na época anterior, embora tendo duplicado o número de pontos.  

Resultados:

André Barreto e Miguel Ricardo 1º - Campeões nacionais.

Diogo Caleiro – 3º c1 cadete

Marta Jooris / Eva Vieira 4º – k2 iniciado feminino

Daniela Silva – 4º c1 cadete feminino

Maria Enes – 5º k1 cadete feminino

Dinis Veloso – 8º k1 menor

Gonçalo Passos – 10º k1 infantil

Francisco Marques / Tomás Marques – 10º k2 infantil

Mafalda Rodrigues 11º k1 cadete feminino

Daniel Querales – 12º k1 menor

Ricardo Veloso / Gustavo Marinho – 13º k2 cadete.

Tiago Vieira – 18º k1 iniciado

Daniela Almeida - 19º k1 iniciado feminino

Adriana Jooris - 25 k1 iniciado feminino

Beatriz Caldas – 30º k1 iniciado feminino

Tomás Silva – 41º k1 infantil

Jorge Brito – 46º k1 cadete

Pedro Cardona – 54º k1 cadete

Francisco Pereira – 54º k1 infantil

Ricardo Esteves – 64º k1 infantil

Miguel Costa - 71º k1 cadete

Créditos cedidos DKC com Jorge Silva e Ernesto Rodrigues

O Presidente da DKC de Viana,

Dr. Américo Castro

Mafalda Rodrigues2.JPG

Maria Enes2.JPG

Marta Jooris_Eva Vieira2.jpg

Daniela Silva2.JPG

Dinis Veloso2.jpg

Diogo Caleiro (2)2.JPG

Diogo Caleiro2.JPG

Gonçalo Passos2.JPG

André Barreto e Miguel Ricardo DKC2.JPG

André Barreto e Miguel Ricardo2.JPG

Class coletiva.jpg

VIANA DO CASTELO E A PONTE DE MADEIRA QUE LIGAVA AS DUAS MARGENS DO RIO LIMA

Há 203 anos, em 1818, foram cravadas no leito do rio Lima as primeiras estacas que deram início à construção duma Ponte de Madeira para unir as duas margens do rio, junto à vila de Viana. Uma passagem para a outra margem, para aproximar gentes, fazer do longe perto.

Hoje, da antiga ponte de madeira, restam os vestígios de uma parte da estacaria, apenas visível com a maré baixa.

Fonte: https://www.facebook.com/olharvianadocastelo

171729096_204255068170114_4433920826120082653_n.jp