Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DE LIMA APOSTA NO TURISMO NÁUTICO

Maior Barco de Água Arriba Lançado ao Rio Lima em Viagem Inaugural

Uma réplica do tradicional Barco “Água-Arriba” foi lançada na última sexta-feira ao Rio Lima, no concelho de Ponte de Lima.

IMG_3786 (Medium).jpg

Tendo surgido por iniciativa do Município, esta embarcação construída artesanalmente por Manuel Rocha, mais conhecido como Mestre Caninhas, e por Amélio Pereira, mede 15 metros e tem capacidade para 30 pessoas, pesando 200 toneladas, peso que aumenta em mais 200 a 300 quilos, depois de mergulhado na água.

IMG_3516 (Medium).jpg

Construído ao longo de 117 dias/935 horas de trabalho, este é, nas palavras de Victor Mendes, Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, “uma réplica fiel dos antigos barcos (…) e seguramente, do ponto de vista da sua dimensão, o maior barco de água-arriba existente atualmente no Rio Lima”.

Para o autarca, este projeto resulta de um “encontro de vontades”, dado o facto de “o Rio Lima ser desde a altura do Foral, a alma de um povo”.

A embarcação com o nome de “Ponte de Lima” pretende potenciar o turismo náutico, componente que “tem uma importância muito grande do ponto de vista da atratividade e da competitividade turística do Concelho”, afirmou o Presidente da Câmara, dando relevo à “função também pedagógica [da embarcação], nomeadamente com as nossas crianças e com as nossas escolas”.

Nas palavras de Victor Mendes, “o Rio Lima é inquestionavelmente um recurso que pode e deve ser rentabilizado a favor da nossa economia, e nomeadamente do desporto e do turismo náutico”. Esta é uma forma de “homenagear as gentes da Ribeira Lima, e dar a conhecer às gerações mais novas, o património local”, concluiu.

IMG_3723 (Medium) (1).jpg

Ambos os construtores, como o autarca limiano, mostraram vontade em encarar o desafio de “proporcionar formação aos cidadãos que manifestem vontade e o desejo de dirigir, de uma foram segura, este tipo de embarcações para que no futuro possam existir mais na paisagem do Rio Lima”.

IMG_3693 (Medium).jpg

PONTE DE LIMA LANÇA BARCO "AGUA-ARRIBA" ÀS ÁGUAS DO RIO LIMA

Após seis décadas de ausência o tradicional barco de água-arriba volta às águas do Rio Lima

Mais de seis décadas após a sua “extinção”, o Água-arriba, o barco histórico que cruzava as margens do Lima, volta à terra e ao Rio que outrora subiu.

Capturarbarcpl.PNG

Fruto da iniciativa do Município de Ponte de Lima, este que é o maior barco do género, no Lima, é lançado à água na próxima sexta-feira, 30 de Agosto, pelas 17h30.

O objetivo passa não só pela implementação de um projeto turístico náutico, mas por fins pedagógicos, e de preservação ativa da tradição, património e cultura limiana, já que são escassos os exemplares deste tipo.

Perde-se no tempo a memória da origem desta embarcação, que partia pela Ribeira Lima, rumo às duas feiras mais importantes: Ponte de Lima e Viana. 

Estes que foram dos mais emblemáticos barcos de trabalho do Rio Lima saíam dos ancoradouros na hora da maré, de leme em mão, para que a corrente pudesse ser aproveitada. A vela era usada sempre que o vento o permitia. Mediam entre 12 a 15 metros, e os seus compartimentos eram ocupados por pessoas, animais e mercadorias.

O novo "água-arriba", construído de forma artesanal com técnicas que passaram ao longo de gerações, respeita a tradição dos materiais e ferramentas. Com 15 metros e capacidade para 30 pessoas, este barco histórico volta, na próxima sexta-feira, a navegar nas águas do Rio Lima.

PONTE DE LIMA RECLAMA CONTROLO DA EROSÃO DAS MARGENS DO RIO LIMA

Controlo da Erosão das Margens do Rio Lima – Intervenção de Proteção de Recursos Hídricos

Considerando que a erosão fluvial que se tem registado de forma significativa nas margens do Rio Lima, agravada sobretudo no período de outono /inverno, constitui um fator de agressão e de desequilíbrio determinante para o mau estado de conservação hidromorfológicas do Rio Lima, foi aprovado recentemente uma intervenção de proteção de recursos hídricos.

IMG_2118.JPG

A assinatura do auto de consignação da empreitada realizou-se no passado dia 11 de junho, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Ponte de Lima, entre a APA - Agência Portuguesa do Ambiente e a empresa Primus Lean – Engenharia & Construção, Lda.

De acordo com a APA, a intervenção vai centrar-se nos troços mais vulneráveis à Erosão hídrica, no sentido de mitigar os riscos e efeitos de cheias e inundações na zona crítica influente. O Vice-Presidente da APA, Eng.º Pimenta Machado, identificou três troços que se consideram mais vulneráveis e que “...terão intervenção prioritária, nomeadamente em Arcozelo, Correlhã e Fontão.”

As intervenções previstas serão direcionadas para o controlo das situações de degradação verificadas na margem direita e esquerda do Rio Lima, por via de ações que envolvem medidas de estabilização das margens. Neste contexto, o Vice-Presidente da APA salientou que “estas ações têm um triplo objetivo, de renaturalização do curso de água; melhoria das condições de escoamento dos caudais do Rio Lima; e proteção das margens contra o efeito erosivo dos caudais escoados”.

O Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima classificou este projeto “como mais um dos vários já realizados no município e que consideramos fundamentais para a preservação do maior ecossistema que atravessa o concelho”.

O autarca ressalvou a intervenção nas margens do Rio Lima pela APA, destacando que “o projeto foi elaborado com base nas principais preocupações e sugestões do Municipio dentro dos parâmetros e dos objetivos definidos pela candidatura da APA”.

Com um prazo de execução de 120 dias, a empreitada implica o investimento de 303. 756,50€, financiado em 85% pelo POSEUR- Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

IMG_2112 (1).JPG

IMG_2114.JPG

IMG_2115.JPG

IMG_2117.JPG

APROVADOS FUNDOS EUROPEUS PARA VALORIZAR RIO LIMA

O projeto transfronteiriço “Fronteira Esquecida” vai beneficiar de fundos europeus no âmbito do programa Interreg V. A iniciativa permitirá dotar a Galiza e o Alto Minho (municípios da Ribeira Lima) de uma verba superior a 1,6 milhões de euros com comparticipação FEDER de 75% para desenvolvimento de ações ambientais com fins turísticos.

Capturarrlimbarc.PNG

O Municipio de Ponte da Barca, que detém 30km de ligação ao Rio Lima, de Lindoso a Lavradas, é um dos beneficiarios desta candidatura elaborada conjuntamente com os Municipios portugueses da Ribeira Lima que integram a CIM do Alto Minho, e com os parceiros espanhõies da Diputación Provincial de Ourense, com a Confederación Hidrográfica del Miño-Sil e a Dirección Xeral de Patrimonio Natural - Xunta de Galicia.

A realização deste projeto visa a promoção da visitação e fruição das margens do rio Lima, nas vertentes natural, patrimonial e cultural, explorando o rio enquanto elemento transfronteiriço e de ligação entre as localidades de fronteira.

A participação nesta rede de valorização e promoção dos valores transfronteiriços, patrocinada pela presente candidatura torna-se crucial para o sucesso desta iniciativa que vai potenciar a diversificação do turismo no território da Galiza e do Alto Minho, através de investimentos considerados reprodutivos e focados no impulso turístico da nossa região.

LINO LIMA DEIXA MARCA EM FAMALICÃO

Famalicão não esquece a marca histórica de Lino Lima

“Todo o trabalho que fizermos de dignificação da nossa história nunca estará concluído”. As palavras do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, proferidas hoje no colóquio de encerramento das comemorações do centenário de nascimento de Lino Lima, são um sinal claro de que a autarquia famalicense vai continuar a evidenciar a marca histórica deste prestigiado advogado famalicense e destacado membro da Oposição Democrática à ditadura do Estado Novo.

image56357

A comprovar a intenção da Câmara Municipal está o anúncio feito esta quarta-feira por Paulo Cunha do lançamento de uma obra evocativa da vida de Lino Lima, com a inclusão de várias dezenas de depoimentos de familiares e amigos desta ilustre personalidade famalicense que, como recordou o edil, “foi uma das que mais contribuiu para a instauração e construção da nossa ainda jovem democracia”.

No colóquio desta tarde, intitulado “Uma Vida pela Liberdade: Lino Lima (1917/2017)”, participaram ainda o historiador e coordenador das comemorações, Artur Sá da Costa, o historiador João Madeira, o escritor José Manuel Mendes, o advogado Salvador Coutinho e o membro da Comissão Política Nacional do Partido Comunista Português, Gonçalo Oliveira.

Artur Sá da Costa traçou um balanço positivo das comemorações promovidas ao longo do último ano pela Câmara Municipal em associação com a Direção da Organização Regional de Braga do PCP, na medida em que “trouxeram para o conhecimento das gerações atuais a memória desta figura tão importante da luta pela liberdade e pela democracia em Portugal”. Embora se feche o ciclo das comemorações do centenário, o historiador espera que a homenagem a Lino Lima se projete para além da sua circunstância local e regional.

Gonçalo Oliveira destacou a importância da iniciativa, porque transporta para a atual fase da vida política nacional a mensagem de que importa continuar a lutar para defender os valores de Abril.

image56363 (1)

PONTE DE LIMA ABRAÇA O RIO LIMA

Serviço Educativo da Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos promove VIII Abraço ao Rio Lima. 22 de setembro – 11h45

O Serviço Educativo das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos está a preparar mais uma edição do Abraço ao Rio Lima. Esta iniciativa, que vai já na oitava edição, tem como objetivo sensibilizar a população para a necessidade de preservação do recurso hídrico mais importante do concelho de Ponte de Lima, o Rio Lima.

abraco__vi_1_1024_2500

Este ano o Abraço ao Rio Lima realiza-se no dia 22 de setembro e conta com a parceria dos Centros Educativos do concelho de Ponte de Lima, com uma escola de Ponte da Barca e com uma delegação de Xinzio de Limia, localidade da Galiza onde nasce o Rio Lima, mais concretamente na Serra de S. Mamede, e que tem estreita ligação com Ponte de Lima quer pelo rio quer pelo nome Lima.

A VIII edição do Abraço ao Rio Lima espera, este ano, a presença de mais de 1200 participantes provenientes dos seguintes estabelecimentos escolares: E.B. 1 de Ponte de Lima, Centro Educativo da Gandra, Centro Educativo de Refoios, Centro Educativo de Ribeira, E.B. Rebordões Souto, Centro Educativo de Freixo, Centro Educativo das Lagoas, Centro Educativo de Arcozelo, Centro Educativo de Trovela, E.B. 2,3 António Feijó, Academia de Música Fernandes Fão, AAPEL (Associação dos Amigos da Pessoa especial Limiana). Participam ainda dois colégios de Xinzo de Lima, “Carlos Casares” e “Rosalía de Castro” e a Escola Básica Diogo Bernardes da Ponte da Barca.

O Abraço ao Rio Lima tem, ainda, a colaboração dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima e a, já habitual, presença do Pinchas, a mascote da Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, uma figura muito acarinhada pelos mais pequenos.

A VIII edição do Abraço ao Rio Lima, está marcada para o próximo dia 22 de setembro, com a receção aos participantes marcada para as 09h30, no novo Pavilhão de Feiras e Exposições, na Expolima, inaugurado na passada sexta-feira pelo Executivo Municipal.

O “VIII Abraço ao rio Lima” acontecerá pelas 11h45, com os participantes a estenderem-se de mãos dadas, pelas duas margens do rio, entre pontes, com a ligação pela ponte medieval. Ao sinal sonoro dos Bombeiros irão bater palmas ao nosso rio Lima.

“MASTERS EUROPEAN CUP” ARRANCOU HOJE EM PONTE DE LIMA

“Masters European Cup” arrancou hoje com mais de duas centenas de atletas em competição. 2017 ECA Canoe Marathon European Championships faz rumar a Ponte de Lima vinte e três nações

O Rio Lima e a pista deste acolhem hoje as primeiras provas do campeonato, naquele que é um dos maiores eventos de sempre da modalidade realizado na Europa.

Capturarplim (1).PNG

A “Masters European Cup”, o campeonato europeu para atletas com mais de 35 anos, (Masters), trás ao Norte de Portugal quase duas centenas e meia de atletas, que, durante os dias de hoje e de amanhã competem pelo título europeu nas categorias de “K1”, “K2”, “C1”e “C2”.

Também a 28 de junho, tem lugar a abertura oficial dos “European Championships”. Às 18h30 em pleno Largo de Camões serão apresentadas as comitivas provenientes da Bélgica, República Checa, Dinamarca, Espanha, Estónia, França, Grã-Bretanha, Alemanha, Hungria, Irlanda, Itália, Croácia, Holanda, Noruega, Polónia, Portugal, Rússia, Eslovénia, Sérvia, Eslováquia, Suíça, Ucrânia, e Geórgia. Esta cerimónia marca o tiro de partida para o Campeonato que até dia 2 de julho irá contar com atletas em competição em dois tipos de barcos, Canoa (C), C1 e C2  e Kayak (K), K1 e K2 nas vertentes masculina, feminina e Sub-23.

Organizado pelo Município de Ponte de Lima em conjunto com a Federação Portuguesa de Canoagem e Clube Náutico de Ponte de Lima, o Campeonato que promete ficar gravado na memória da modalidade por muitos anos, vai, nas palavras da Associação Europeia de Canoagem (ECA) "ter a maior produção televisiva de sempre", assim como direito a streaming HD no canal de youtube da ECA, para que nenhum momento passe despercebido, neste que é um dos maiores eventos da modalidade de sempre realizado na Europa.

Os horários, as listas de participantes por prova e os resultados do “Masters European Cup” podem ser consultados em http://canoemarathonportugal.com/index.php?page=timetable-and-results.

A TRAVESSIA DO RIO LETHES PELOS EXÉRCITOS ROMANOS VISTA PELOS REINTEGRACIONISTAS GALEGOS

15492387_1014354252025840_3674376753143855533_n.jpg

O PORQUÊ DA HISTÓRIA DA LÍNGUA

Qualquer que fosse a razom para estares agora a ler a História da Língua em Banda Desenhada, é indicativo do atual conflito linguístico.

Os coletivos que respaldamos este trabalho, propomo-nos dar umha visom histórica sobre o galego e que todos saibamos o que é o reintegracionismo.

Para os nom iniciados, incluímos um guia de leitura nestas mesmas páginas, a descriçom do alfabeto galego e, como a língua é escrita e fala, juntamos também um esquema fonético.

Para os mais conhecedores, trabalhamos com rigor em datas e citaçons (tiradas das respetivas primeiras ediçons).

E para todos -aprovados e reprovados em galego-, apresentamos a história da língua como nunca se tinha feito, utilizando um meio divertido e inovador: a linguagem da banda desenhada: por isso, usando critérios didáticos respeitamos formas orais e expressons coloquiais, em ocasions estranhas ao galego.

Também nos propugemos ser umha alternativa ao folclorismo cultural e linguístico que se promove com dinheiros públicos, umha alternativa a todos os editores, júris e premiados que vem no nosso idioma mais um negócio. Som os que hoje vam a Portugal a vender homogeneidade cultural e linguística, enquanto na Galiza usam umha norma de laboratório, sem rigor histórico, sem passado, de nulo presente e, o que é pior, sem futuro. Nós luitamos para se respeitar a liberdade e nom se discriminar o reintegracionismo no ensino, em publicaçons, meios de comunicaçom, etc. A gente deve estar informada de que existe um amplo conflito linguístico e umha grande desconformidade.

A muitos nom servem as propostas da norma chamada hoje de “oficial”, e exigimos um amplo consenso social.

Os reintegracionistas trabalhamos também, e antes de mais, pola extensom do uso do nosso idioma em todos os ámbitos. Contra os preconceitos e a dialectalizaçom do galego temos argumentos: um idioma internacionalmente útil e usado -nas suas diferentes variedades- por 200 milhons de falantes, em cujo tronco se acha a sobrevivência e consolidaçom do galego na Galiza.

Por tudo isto, se te obrigarem a escrever em castrapo lembra-lhes que o “ñ” só existe em espanhol.

Ourense, Galiza. Abril 1992

https://www.facebook.com/AtravesEditora/

LIMIANOS ABRAÇAM O RIO LIMA

Serviço Educativo da Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos promove o VII Abraço ao Rio Lima de 18 e 19 de outubro

À semelhança dos anos anteriores, o Serviço Educativo das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos está a preparar mais uma edição do Abraço ao Rio Lima, iniciativa que tem como missão sensibilizar para a necessidade da preservação do recurso hídrico mais importante do concelho de Ponte de Lima – o Rio Lima.

VIIAbraco_Cartaz-01 (Small).jpg

Este ano, marcada para o dia 18 de outubro, esta ação de sensibilização vai já na 7ª edição, e conta com a parceria dos Centros Educativos do concelho e com uma delegação da comunidade escolar de Xinzio de Limia, localidade galega onde nasce o Rio Lima, na Serra de S. Mamede, com forte ligação a Ponte de Lima, quer pelo rio que atravessa o concelho, quer pelo nome Lima.

O Abraço ao Rio Lima 2016 conta com uma nova comunidade aderente, o Agrupamento de Escolas da Ponte da Barca, que aceitou o desafio lançado pelo Serviço Educativo da Área Protegida, para participar nesta ação de sensibilização ambiental.

Neste contexto, no próximo dia 3 de outubro, uma turma do Centro Educativo das Lagoas vai participar na caminhada organizada pelo Agrupamento de Escolas da Ponte da Barca, no âmbito do Abraço ao Rio Lima que tal como Ponte de Lima o concelho da Ponte da Barca também dinamiza.

Em Ponte de Lima, o VII Abraço ao Rio Lima conta com o seguinte programa:

Dia 18 de outubro (terça feira)

09h30 – Concentração no recinto da Expolima

10h00 – Receção dos participantes e convidados

 - Atuação da “Academia de Música Fernandes Fão”

 - Atuação da Escola Básica de Ponte de Lima - Hino de Ponte de Lima

 - Sorteio do trabalho mais original “Barco do rio” da turma que irá deslocar-se a Xinzo de Límia, no ano 2017, no âmbito do protocolo de Geminação entre Ponte de Lima e Xinzo de Límia. (Ver regulamento de concurso).

 - Entidades: Agrupamento de Escolas E.B. 2,3 António Feijó; Agrupamento de Escolas de Arcozelo; Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca; Representantes das escolas de Xinzo de Límia; Executivo Municipal de Ponte de Lima

Encenação da peça de teatro “Lenda do rio Lethes” pelo Centro Educativo das Lagoas, desde o recinto da Expolima até às margens do rio.

11h45 – VII Abraço ao rio Lima nas margens do rio.

ONDE ATRAVESSAVAM O RIO LIMA OS PEREGRINOS QUE SEGUIAM PARA SANTIAGO DE COMPOSTELA?

À semelhança das legiões do Império Romano, era em Ponte de Lima que os peregrinos atravessavam o rio Lima

Corria o ano 163 Antes de Cristo quando as legiões romanas comandadas por Decimus Julius Brutus atravessaram o rio Lima, num sítio mais ou menos próximo do local onde posteriormente vieram a construir a ponte que antecedeu a atual ponte medieval e que se situava numa encruzilhada com a antiga estrada romana, via XIX que constava do Itinerário de Antonino, a qual ligava Bracara Augusta (Braga) a Astúrica Augusta (Astorga), passando por Lugo e Tui.

Lethes - Romanos (3)

O sítio escolhido pelas legiões romanas para atravessar o rio Lima foi naturalmente aquele que entenderam por mais adequado para construírem a ponte. Por outras palavras, foi no local onde mais tarde veio a florescer a vila de Ponte de Lima e não noutro sítio qualquer que os romanos efetuaram a travessia do rio que eles próprios vieram a batizar como Lethes em clara alusão ao mítico Lethes, um dos quatro rios que na mitologia grega banhava o Hades, representando a passagem da vida para a morte através de uma barca conduzida por Caronte.

A notícia da descoberta dos restos mortais do apóstolo Santiago Zebedeu ou Santiago Maior, que se crê ter ocorrido na primeira metade do século IX, veio a espalhar-se por toda a Cristandade, desencadeando peregrinações que atravessaram todo o continente europeu rumo a Santiago de Compostela, conferindo ao local uma crescente importância religiosa ao ponto de o transformarem aquele santuário num dos mais destacados destinos de peregrinação.

Sucede que, existindo à época uma ponte – a única até então existente! – que possibilitava a travessia do rio Lima a pé enxuto, era precisamente esse o local que os peregrinos procuravam para prosseguir a sua caminhada rumo a Santiago de Compostela. E, assim sendo, não faria o menor sentido efetuar a travessia noutro local qualquer, sobretudo na foz do rio Lima, enfrentando dificuldades e correndo riscos a efetuarem a travessia a nado ou numa embarcação, à semelhança do que muitos séculos antes sucedera com os romanos.

De resto, a ponte que deu o nome à Vila de Ponte – atual Ponte de Lima – foi até aos finais da Idade Média a única passagem segura do rio Lima, em toda a sua extensão. Refira-se, aliás, que da primitiva ponte romana resta ainda um troço ainda bastante significativo na margem direita do rio Lima.

Foi desta encruzilhada da estrada e da ponte com o rio Lima que veio a nascer a vila medieval que se encontra entre as localidades que há mais tempo recebeu carta de foral por D. Teresa, fazendo uma das mais antigas vilas de Portugal: Ponte de Lima foi tornada vila em 1125!

Pese embora a importância dos Caminhos de Santiago na promoção turística e no desenvolvimento económico da região, deve respeitar-se sempre a verdade histórica e jamais preterir um concelho cujos pergaminhos engrandecem o Minho no seu conjunto. Como qualquer outra terra da nossa região, Ponte de Lima merece o respeito e o apreço de todos os minhotos!

LIMIANOS LIMPAM RIO LIMA

Município de Ponte de Lima e o Clube Náutico promoveram mais uma ação de limpeza no Rio Lima

Quarenta canoas e uma centena de atletas do Clube Náutico percorreram ontem, quinta-feira o Rio Lima, numa ação de sensibilização e limpeza do Rio.

Rio Lima_lim.JPG

Esta iniciativa anual realiza-se no âmbito de um protocolo de cooperação celebrado entre o Município de Ponte de Lima e o Clube Náutico de Ponte de Lima.

Segundo o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Gaspar Martins, “ este é um ato simbólico, que alia desporto e ambiente, no entanto, salienta-se que de ano para ano tem registado um decréscimo na recolha de resíduos, o que significa que a campanha de sensibilização tem causado efeito.”

A iniciativa contou ainda com a presença do Vereador do Desporto Engº Vasco Ferraz, que salientou o fator pedagógico da campanha, “como forma de sensibilizar e incutir nos jovens hábitos de preservar o ecossistema do Rio.”

Os resíduos recolhidos, entre algas, pneus e outros pequenos objeto, num total aproximado de 2 toneladas, foram retirados pelos serviços municipais.

INVESTIGADORES DA UTAD ESTUDAM ALTERNATIVAS A BARRAGENS PARA CONTROLO DAS CHEIAS

As soluções passam por infraestruturas verdes com menor impacte ambiental e igualmente eficazes.

Um grupo de investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) desenvolveu um modelo de redução de cheias com base em bacias de retenção com o objetivo de minimizar o impacto das cheias. O trabalho foi elaborado para a bacia hidrográfica do rio Vez, principal afluente do rio Lima, um dos mais problemáticos do País pela recorrência deste tipo de eventos.

Efeito das cheias na bacia do rio Lima/Vez

O local escolhido para este estudo faz parte das 22 regiões sujeitas a inundações do continente português, segundo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA). Aqui equacionaram-se vários locais para implantação de bacias de retenção, onde foram tidas em conta a proximidade aos locais de jusante, a densidade populacional e atividades humanas com implicações de poluição difusa ou pontual.

“Os resultados mostraram que são necessários mecanismos de menor impacte para diminuir escoamentos superficiais, alicerçados em infraestruturas verdes, focadas para o aumento de retenção de água pelos aquíferos, solo e ecossistemas aquáticos, em vez de obras de grande porte como barragens”, explica Luís Filipe Fernandes, investigador do CITAB - Centro Investigação e de Tecnologias Agroambientais e Biológicas da UTAD.

Estes sistemas melhoram em simultâneo o “estado ecológico das massas de água, reduzem a vulnerabilidade a cheias e secas, restauram o caráter funcional e maximizam o serviço de ecossistemas”, acrescenta o investigador.

Para chegar a este modelo foram aplicadas equações de engenharia acompanhadas de análise multicritério e tratamento espacial de dados através de Sistemas de Informação Geográfica. Através desta metodologia foi aplicado um modelo de redução de cheias com base em bacias de retenção, tendo em conta três módulos (hidrológico, geomorfológico e ambiental) que entram em linha de conta com o volume de armazenamento e localização apropriada bem como com aspetos como ações do homem, qualidade da água, entre outros.

As cheias urbanas são um problema mundial que afeta também Portugal. Já em 2016 ocorreram, de norte ao sul do país, vários eventos com elevados prejuízos materiais, causados por picos de cheias que, no caso do rio Vez, podem chegar aos 550 m3/s com fluxos associados a uma topografia escarpada e a alta pluviosidade.

Por estas razões os investigadores deste estudo indicam como solução um “extenso programa de reflorestamento para aumentar a evapotranspiração, reduzindo, consequentemente, o escoamento”, uma abordagem que passa pela descentralização do sistema de retenção em várias bacias mais pequenas “facilmente integradas na paisagem natural, com baixo impacto ambiental”.

Este estudo foi recentemente publicado no prestigiado Journal of Hydrology e apresentado no 13º Congresso da Água. O método está neste momento a ser aplicado em outros locais considerados críticos pela APA.

QUEM OFERECE UM CÃO "CASTRO LABOREIRO" AO PRESIDENTE DA REPÚBLICA?

Quando o Presidente dos Estados Unidos da América escolheu um cão de raça autóctone portuguesa, concretamente um cão de água, para companhia dos seus filhos na Casa Branca, os portugueses regozijaram-se pela sua escolha que desse modo contribuiu para dar a conhecer um animal de raça originária portuguesa.

Entretanto, ao Presidente da República Portuguesa, Professor Dr. Marcelo Rebelo de Sousa, um português com raízes minhotas, oferecem-lhe um cão de raça “pastor alemão” em lugar de um animal de raça portuguesa, entre a variedade de espécies existentes, porventura um “Sabujo” do Soajo, vulto Castro Laboreiro, entre as várias raças autóctones existentes em Portugal. Até nisto insistimos no nosso provincianismo no pior sentido do termo!

Na área montanhosa limitada pelos rios Minho e Lima e as agrestes penedias das serras do Soajo e da Peneda situa-se a região do Castro Laboreiro, no Concelho de Melgaço, atingindo alguns pontos quase mil e quinhentos metros de altitude. Aqui, o cão de Castro Laboreiro tem o seu solar, guardando os rebanhos comunitários na pastagem de transumância de curta distância que ainda ali se verifica.

Considerada uma das raças caninas mais antigas da Península Ibérica, o cão de Castro Laboreiro é dócil e sociável com os animais de outras raças, afetuoso com as crianças e dedicado ao dono, sendo um excelente cão de guarda e de companhia.

Quem será capaz de levar ao Palácio de Belém um magnífico exemplar da raça Castro Laboreiro para que os portugueses passem a orgulhar-se daquilo que realmente lhes pertence? Ou será que é necessário que o Presidente dos Estados Unidos da América escolha mais um cão de raça portuguesa para servir de exemplo aos envergonhados portugueses?

CACHORROS

SECRETÁRIO DE ESTADO DA JUVENTUDE E DO DESPORTO INAUGURA AÇUDE NO RIO LIMA

Secretário de Estado da Juventude e do Desporto preside à inauguração do Açude de Ponte de Lima no dia 6 de fevereiro, pelas 16h00

O Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Wengorovius Meneses, preside à inauguração do Açude de Ponte de Lima, no próximo dia 6 de fevereiro.

convite_acude_ponte_de_lima-1

A recuperação e remodelação do Açude de Ponte de Lima teve como objetivo criar melhores condições para a prática da canoagem.

Assim, ao abrigo do projeto de Beneficiação e Recuperação Ambiental a implementar nas margens do Rio Lima, a intervenção visou encontrar uma solução que garanta a estrutura hidráulica do Açude, bem como proporcionar condições de escoamento dos caudais, semelhantes às que atualmente se verificam.

Desta forma foi introduzida uma técnica única no país, designada Escada de Peixe, que consiste num alinhamento de pedras em sobreposição, criando agitação das águas, o que facilita a passagem dos peixes. A instalação desta técnica, que se baseia em projetos internacionais, foi orientada pelo ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. As obras não comprometeram os ecossistemas naturais do Rio Lima, tendo-se conseguido concretizar uma intervenção que assegura as condições fundamentais para a prática da canoagem e para a melhoria paisagística.

A obra de recuperação do Açude teve início em julho, cujo investimento total, foi de 656.000,00€ (c/iva) sendo o custo do desassoreamento do Rio Lima de 91.000,00€ (c/iva). O investimento foi assegurado pelo Orçamento Municipal, tendo o Município de Ponte de Lima submetido uma candidatura ao Fundo de Proteção dos Recursos Hídricos, sendo admitido o cofinanciamento do projeto de intervenção.

SECRETÁRIO DE ESTADO DA JUVENTUDE E DO DESPORTO INAUGURA AÇUDE NO RIO LIMA

Secretário de Estado da Juventude e do Desporto preside à inauguração do Açude de Ponte de Lima, no dia 6 de fevereiro, pelas 16h00

O Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Wengorovius Meneses, preside à inauguração do Açude de Ponte de Lima, no próximo dia 6 de fevereiro.

convite_acude_ponte_de_lima-1

A recuperação e remodelação do Açude de Ponte de Lima teve como objetivo criar melhores condições para a prática da canoagem.

Assim, ao abrigo do projeto de Beneficiação e Recuperação Ambiental a implementar nas margens do Rio Lima, a intervenção visou encontrar uma solução que garanta a estrutura hidráulica do Açude, bem como proporcionar condições de escoamento dos caudais, semelhantes às que atualmente se verificam.

Desta forma foi introduzida uma técnica única no país, designada Escada de Peixe, que consiste num alinhamento de pedras em sobreposição, criando agitação das águas, o que facilita a passagem dos peixes. A instalação desta técnica, que se baseia em projetos internacionais, foi orientada pelo ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. As obras não comprometeram os ecossistemas naturais do Rio Lima, tendo-se conseguido concretizar uma intervenção que assegura as condições fundamentais para a prática da canoagem e para a melhoria paisagística.

A obra de recuperação do Açude teve início em julho, cujo investimento total, foi de 656.000,00€ (c/iva) sendo o custo do desassoreamento do Rio Lima de 91.000,00€ (c/iva). O investimento foi assegurado pelo Orçamento Municipal, tendo o Município de Ponte de Lima submetido uma candidatura ao Fundo de Proteção dos Recursos Hídricos, sendo admitido o cofinanciamento do projeto de intervenção.

Neste contexto, convidamos o V/ órgão de comunicação para a cerimónia oficial de inauguração, na margem direita do Rio Lima, junto ao Clube Náutico, no sábado, a partir das 16 horas.

AGÊNCIA PORTUGUESA DO AMBIENTE APRESENTA PLANO DE GESTÃO DA REGIÃO HIDROGR´FICA DO MINHO E LIMA

Plano de gestão da Região Hidrográfica do Minho e Lima apresentado em Arcos de Valdevez

Teve lugar na Casa das Artes de Arcos de Valdevez a sessão pública de apresentação e debate do Plano de Gestão da Região Hidrográfica do Minho e Lima (PGRH Minho e Lima), promovida pela Agência Portuguesa do Ambiente, Administração da Região Hidrográfica do Norte (APA/ARH do Norte), contando com o apoio do Município de Arcos de Valdevez.

sessao_apa2

O PGRH é um instrumento de planeamento das águas que visa a gestão, a proteção e a valorização ambiental, social e económica das águas, ao nível da bacia hidrográfica, neste caso dos rios Lima e Minho.

Neste quadro, a sessão pública ocorrida, de apresentação/debate da proposta de PGRH da Região Hidrográfica do Minho e Lima, foi dedicada ao tema “Os recursos hídricos e a biodiversidade”, com enquadramento no processo de participação pública dos PGRH que se encontra em curso até dezembro de 2015.

Esta sessão iniciou com as intervenções do presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves e do Diretor Regional da APA, Pimenta Machado, cabendo a apresentação do plano às técnicas da ARH do Norte, Maria José Moura e Susana Sá.

sessao_apa

Neste plano estão contempladas medidas, distribuídas por nove eixos de atuação tais como, a Promoção da sustentabilidade das captações de água, a Redução ou eliminação de cargas poluentes, a Minimização de alterações hidromorfológicas, o Controlo de espécies exóticas e pragas, a Recuperação de custos dos serviços da água, a Minimização de riscos, a Promoção da sensibilização, o Aumento do conhecimento e a Adequação do quadro normativo. O investimento total estimado é da ordem dos 105 milhões de euros para o período de 2016-2021.

O Município enviou as suas propostas de intervenção ao nível de medidas que visem garantir uma maior proteção e melhoria nas massas de água contribuindo para a valorização das áreas hidrográficas e melhoria das condições de vida dos arcuenses.

sessao_apa5

LIMIANOS ABRAÇAM O RIO LIMA

VI Abraço ao Rio Lima: Dia Nacional da Água e o Dia Internacional do Idoso

O Serviço da Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, em colaboração com a comunidade educativa do concelho está a preparar mais uma edição do Abraço ao Rio Lima.

A iniciativa que vai já na VI edição, realiza-se a 1 de outubro – Dia Nacional da Água, e consiste em reunir o maior número possível de participantes à volta do Rio Lima.

A ação concentra-se junto ao rio Lima e para além da comunidade escolar conta com a presença dos utentes de instituições de solidariedade social do concelho, que se associam a esta ação, assinalando também o Dia Internacional do Idoso.

Como vem sendo habitual nos últimos anos, a iniciativa conta com a presença de uma delegação vinda de Xinzo de Limia. São cerca de 100 alunos, no âmbito do protocolo de geminação existente há mais de 30 anos entre Ponte de Lima e Xinzo de Limia.

O programa do VI Abraço ao Rio Lima inclui ainda a receção dos participantes, na Expolima, a partir das 9h30 da manhã, onde a festa começa com as seguintes atuações:

- Escola de Musica de Ponte de Lima

- Atuação das turmas da E.B.1 de Ponte de Lima (Hino)

- Encenação da peça de teatro “Lenda do rio Lima” pelo Centro Educativo das Lagoas.

Às 11 horas realiza-se nas margens do Rio Lima o VI Abraço ao Rio Lima.