Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA AVANÇA COM CONCURSO PÚBLICO PARA RENATURALIZAÇÃO DO RIO ESTE

Governo garante financiamento para troço entre a rua da Fábrica e Av. Frei Bartolomeu dos Mártires

O Município de Braga vai avançar com o lançamento do concurso público para a concretização de uma nova fase do projecto de regularização e renaturalização do rio Este, na denominada ‘zona da lagoa’ (entre a Avenida Mestre José Veiga e a zona da comporta da lagoa, no eixo desportivo da Rodovia).

CMB05112023SERGIOFREITAS0220560.jpg

A Autarquia Bracarense e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) formalizaram esta Segunda-feira, 6 de Novembro, o acordo que prevê o financiamento desta intervenção, em cerca de 80% através do Fundo Ambiental. Na cerimónia de assinatura do protocolo, o secretário de Estado Ambiente, Hugo Pires, assumiu o compromisso do Governo para o financiamento de 1,4 milhões de euros para o prolongamento desta intervenção até à Avenida Frei Bartolomeu dos Mártires.

Para o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, que esta intervenção vem dar sequência à primeira fase do plano de renaturalização do rio Este realizada em 2014, entre o hotel Meliá e o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL). “Este não é um acto isolado. Além desta intervenção, que será co-financiada pelo Fundo Ambiental, temos já a garantia de financiamento para uma nova fase da valorização do rio que será, cada vez mais, usufruído pelos Bracarenses”, referiu Ricardo Rio.

Simultaneamente, referiu o Autarca, a Câmara Municipal está já a preparar uma intervenção na nascente do rio, “um projecto há muito ambicionado pela União de Freguesias de Este e que irá contribuir para a valorização de um espaço único em termos paisagísticos”.

A nova fase que irá seguir já para concurso e cujo prazo de execução está estimado em 180 dias, vai retirar o betão e renaturalizar as margens do rio Este, à semelhança do que aconteceu nas imediações do INL. A par de uma nova via pedonal, o projecto inclui a introdução de uma rampa de acesso à lagoa e a colocação de bancos de jardim.

3D_3.png

3D_10.png

CMB05112023SERGIOFREITAS0220559.jpg

CMB05112023SERGIOFREITAS0220565.jpg

CMB05112023SERGIOFREITAS0220569.jpg

CMB05112023SERGIOFREITAS0220570.jpg

CAMPANHA DE SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL CONVIDA POPULAÇÃO A LIMPAR MARGENS DO RIO ESTE EM RUÍLHE

A Associação Mãos à Obra (AMO), de Braga, e a Associação Cultural Rodellus, promovem, no próximo dia 16 de julho, a partir das 9h30, com ponto de encontro no Adro da Igreja de Ruílhe, uma ação de sensibilização ambiental, que se destina a limpar as margens do Rio Este, em Ruílhe. Realizada em parceria com o grupo Protetores do Rio Este, a iniciativa “Limpeza das Margens do Rio Este” assinala o pontapé de saída para o grande evento de limpeza daquele rio, programada para meados de setembro em várias freguesias do concelho de Braga. A data será comunicada oportunamente.

Limpeza das margens - AMO Braga.jpeg

Os promotores da ação do próximo dia 16, aconselham os participantes a levar roupa confortável, se possível à prova de água, luvas, sachola, ancinho e proteção solar.

Sobre:

Associação Mãos à Obra Portugal (AMO) é herdeira da organização de base do Projeto Limpar Portugal e estará sempre intimamente ligada à metodologia de ação implementada pelo Projeto, que culminou no DIA L, 20 de março de 2010. A AMO Portugal celebrou no dia 20 de março 12 anos de existência e tem por finalidade a promoção de eventos de âmbito nacional com recurso à mobilização de Voluntários e ao envolvimento de Parcerias públicas e privadas gratuitas. A AMO Portugal não possui qualquer património material, não aplica nenhuma quotização nem pode cobrar qualquer taxa pelos serviços prestados. De igual modo, a AMO Portugal não pode adquirir quaisquer bens nem receber qualquer doação, deixa testamentária ou título oneroso. A AMO Portugal apenas se pode envolver em eventos onde não haja necessidade de movimentação de bens pecuniários. Consideram-se Sócios da AMO Portugal todos os Cidadãos Voluntários que se inscrevam numa das diversas formas disponibilizadas e participem nos eventos promovidos;

https://www.amoportugal.org/

Mãos à Obra.jpeg

Rodellus é uma associação sem fins lucrativos fundada e composta por jovens de Ruilhe e outras freguesias limítrofes. Além do festival Rodellus, a associação organiza igualmente múltiplos eventos, relacionados ou não com o próprio festival que se realizam predominantemente na freguesia de Ruilhe, mas também na União das Freguesias de Arentim e Cunha. Um dos vetores fundamentais do Festival Rodellus é a preocupação ambiental. Exemplo disso é o prémio atribuído pelo Fundo Ambiental no âmbito do programa Sê-lo Verde ao evento desde 2017. Também o evento de 2019 que, com base na programação e planeamento, foi selecionado para a fase final dos Iberian Festival Awards na categoria de Melhor Festival de Pequena Dimensão, Contributo para a Sustentabilidade e Melhor Fotografia em Festivais;

https://www.facebook.com/rodellusmovimentocultural/ 

grupo Protetores do RIO ESTE foi criado em agosto de 2014 por quem vive perto do rio, o avô era o moleiro do moinho do Crasto em Priscos. Paulo César Costa sempre foi um apaixonado pelo rio Este. E verificou que havia uma necessidade de criar uma rede (social), onde toda a população que goste tanto do rio Este, pudesse acompanhar o que pelo rio acontecesse, quer para denunciar o mal, como para preservar o bem e a beleza do mesmo na zona de cada um. Esta seria uma corrente Humana de proteção do rio. Hoje são já mais de 500 membros protetores. O objetivo será sempre fazer do rio Este um rio selvagem e moderno. Selvagem porque a sua fauna e a sua flora podem coabitar com o desenvolvimento do ser humano, se o rio tiver água pura e as margens sem lixos, e assim os animais recuperam o seu habitat (eles vão voltar). Já se têm visto peixes e lontras. O grupo procura membros que possam ser uma brigada de investigação de focos poluidores, que possa ter biólogos e até fotógrafos, para que as margens do mesmo possam voltar a ter caminhos transitáveis para caminhadas, trails, picnics, banhos, ou seja, para trazer de novo a população para junto do rio.

Cartaz - AMO Braga.jpeg

FAMALICÃO: LIVRO SOBRE O ENCANAMENTO DO RIO ESTE E O REGADIO DAS VEIGAS DE NINE APRESENTADO NO ENGENHO

«O encanamento do Rio Este e o regadio das veigas de Nine nos séculos XVIII e XIX» é o título do livro de Luzia Pinto da Silva que foi apresentado no passado sábado, dia 5 de março, nas instalações da Engenho - Associação Desenvolvimento Local do Vale do Este, freguesia de Arnoso Santa Maria. A sessão contou com a presença do Vereador da Educação e Ciência, Augusto Lima, do Presidente da Direção da Engenho, Manuel Augusto de Araújo e da autora, Luzia Pinto da Silva.

livro_luzia_pinto_silva.jpg

A obra resulta do trabalho desenvolvido pela autora no âmbito do mestrado em arqueologia, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, em dezembro de 2013. O texto apresentado resulta de um trabalho desenvolvido ao longo de três anos, “para o qual obtive contributos inestimáveis de instituições e particulares que contribuíram desmedidamente para a realização deste estudo”, refere Luzia Pinto da Silva na nota prévia do livro. “Este é o livro que, pela sua natureza e alcance, irá permitir um olhar diferente com novas perspetivas que se impõem sobre o Vale do Este, fruto de uma investigação séria e minuciosa em torno dos processos e das obras de encanamento do Rio Este e construção dos Canais de Rega de Nine, projeto/sistema único de hidráulica agrícola da autoria do Engenheiro militar Custódio José Gomes de Vilas Boas” destaca Manuel Augusto de Araújo.

AGÊNCIA PORTUGUESA DO AMBIENTE INVESTE 100 MIL EUROS NA REABILITAÇÃO DO RIO ESTE, EM FAMALICÃO

Investimento insere-se no projeto “Os Nossos Rios” e vai permitir a criação de um corredor ecológico pedonal e ciclável que ligue o Mosteiro de Arnoso Santa Eulália até à ciclovia, em Gondifelos

DSC_3439.JPG

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) vai investir 100 mil euros na reabilitação e valorização do rio Este, que atravessa as freguesias de Arnoso, Nine e Louro, no concelho de Vila Nova de Famalicão. O objetivo é criar um corredor ecológico pedonal e ciclável que ligue o Mosteiro de Arnoso Santa Eulália até à ciclovia, em Gondifelos.

O investimento nacional surge no âmbito do projeto “Os Nossos Rios”, promovido pela autarquia. O protocolo de colaboração entre a APA e a Câmara Municipal de Famalicão que foi celebrado no passado mês de dezembro, visa promover a prevenção e defesa da margem deste troço do rio Este, com a recuperação e valorização da zona envolvente tendo em vista a proteção e salvaguarda de pessoas, infraestruturas e bens; a defesa da galeria ripícola; evitando a erosão fluvial do leito e das margens e garantindo condições de escoamento da água, em situações normais e extremas.

De acordo com o vereador do ambiente do município, Pedro Sena, “trata-se de um investimento muito importante da APA no nosso concelho”, cabendo à autarquia a execução da intervenção.

“O projeto incide sobre a recuperação do leito do rio e das margens e, neste âmbito, temos vindo a trabalhar com os proprietários dos terrenos ribeirinhos, pois o objetivo é criarmos um corredor pedonal e ciclável que ligue o Mosteiro de Arnoso Santa Eulália até à ciclovia, em Gondifelos”.

Com esta ação, a autarquia quer que a população possa usufruir do rio a partir das suas margens. Pedro Sena admite que esta é, também, uma forma de manter a vigilância do rio.

Refira-se que o projeto “Os nossos Rios” foi lançado em 2016, pela autarquia famalicense e pela APA, visando a proteção do ambiente e a promoção do património natural do concelho. As áreas de intervenção são Rio Este, Guisande, Pele, Pelhe e Ave, levando à reabilitação dos cursos de água e património envolvente, estabelecendo-se como princípio a valorização dos leitos e das margens fluviais como elementos fundamentais da dinâmica ecológica e paisagística.

DSC_3442.JPG

BRAGA APRESENTA SISTEMA INOVADOR DE MONITORIZAÇÃO AMBIENTAL NO RIO ESTE

Amanhã, Terça-feira, dia 30 de Maio, pelas 16h30, na Rua Eng.º Afonso José Fonseca, Braga

O Município de Braga e o Grupo dst apresentam amanhã o sistema de monitorização ambiental do Rio Este que terá lugar pelas 16h30, na Rua Eng.º Afonso José Fonseca, junto ao Rio Este, em Braga.

A iniciativa contará com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e do presidente do Conselho de Administração do grupo dst, José Teixeira.

Esta é uma solução inovadora de monitorização de qualidade ambiental, desenvolvida pela Innovation Point, empresa de investigação e desenvolvimento do grupo dst, para controlar as águas fluviais, a atmosfera e a intensidade sonora.

Trata-se de um projecto de vanguarda, que se insere na estratégia para as Cidades Inteligentes, consistindo na instalação de uma rede de comunicação que interliga um conjunto de sensores, que permitirão monitorizar, em tempo real e de forma contínua, as condições ambientais facilitando, assim, a detecção de problemas de degradação do meio ambiente e uma rápida intervenção. Este sistema apresenta-se, ainda, como um factor de dissuasão de comportamentos ambientalmente menos responsáveis.

DESCARGA ILEGAL NO RIO ESTE MOTIVA POSIÇÃO DO AUTARCA DE FAMALICÃO

Paulo Cunha quer municípios com mais competências na fiscalização e proteção dos rios.

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão reivindicou hoje um conjunto de novas competências para os municípios portugueses ao nível da fiscalização, conservação e proteção dos recursos hídricos naturais nos territórios municipais. A posição de Paulo Cunha surge na sequência de uma descarga ilegal detetada na manhã desta quinta-feira no Rio Este, afluente da margem direita do rio Ave que nasce na serra do Carvalho, a nordeste de Braga, e que se junta ao rio Ave no concelho de Vila do Conde, atravessando, entre outros, o município de Vila Nova de Famalicão.

Rio Este foi alvo de descarga ilegal.jpg

“Recusamos acomodar-nos nesta competência tão singela de dar conhecimento do que vai acontecendo nos nossos rios às entidades competentes, como o são o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana (GNR) e as Comissões de Coordenação de Desenvolvimento Regional”, disse o autarca quando confrontando pelos jornalistas com o “atentado ambiental” ocorrido. “Reivindicamos mais competências para sermos mais eficazes”, referiu. E explicou: “Uma maior proximidade na ação traz mais condições para a obtenção de melhores resultados, o que passa por uma atenção maior ao nível da fiscalização e por uma tomada de posição enérgica quando são cometidas ilegalidades como a desta manhã”.

Paulo Cunha condenou a “absoluta irresponsabilidade e inconsciência” dos responsáveis pela descarga ilegal verificada. “Os rios são da comunidade, não são das pessoas, e é absolutamente inaceitável que alguém possa atentar contra este património natural que é de todos ”. O autarca famalicense exige por isso das entidades competentes “medidas rápidas e eficazes para sancionar os responsáveis pela descarga” e pede “medidas preventivas que evitem este tipo de atividades, não só no Rio Este como em todos os rios que atravessam o concelho de Vila Nova de Famalicão.”

rioeste (2).jpg

LIMPEZA DO RIO ESTE GARANTE SEGURANÇA DE PESSOAS E BENS

Ricardo Rio visitou intervenção em curso na zona da Ponte Pedrinha

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, visitou hoje, 27 de Outubro, as operações de limpeza e manutenção que estão a decorrer no rio Este, no troço situado entre a Avenida Padre Armando Lira e o complexo industrial da Grundig.

CMB27102016SERGIOFREITAS0000003231.jpg

Na ocasião, Ricardo Rio salientou que a limpeza do rio resulta do cumprimento escrupuloso das obrigações legais do Município, no sentido de contribuir para a segurança pública. “Durante muitos anos houve um acumular de situações que levaram a que, em muitos pontos, o rio Este se transformasse num problema para moradores e empresas”, referiu o Edil, que se fez acompanhar pelo vereador do Ambiente, Altino Bessa.

A qualidade da água foi outra das dimensões destacadas pelo Autarca Bracarense, anunciando que, em breve, a Câmara Municipal irá avançar com um projecto que permitirá um acompanhamento mais escrupuloso de tudo o que tem a ver com as descargas e com a qualidade da água do rio. “Continuamos a assistir a diversas descargas, mas temos accionado todos os mecanismos ao nosso dispor para identificar os infractores e denunciá-los às autoridades competentes”, frisou Ricardo Rio.

Segundo o Edil, a limpeza do rio permite, ainda, uma maior fruição do mesmo por parte da população para a prática desportiva, para lazer ou mesmo na óptica de promoção de uma via alternativa de mobilidade urbana.

O Autarca adiantou, igualmente, que a curto prazo será lançado o concurso para a execução da extensão, a montante, da ciclovia até ao Instituto Ibérico de Nanotecnologia. “Neste momento, estamos a iniciar o estudo para o projecto de prolongamento a jusante, até ao Complexo da Grundig pelo que, ao longo do próximo ano, teremos a ciclovia reforçada em cerca de dois quilómetros”, sustentou o Edil.

As operações de limpeza e manutenção do rio Este iniciaram-se no final do mês de Julho, junto ao Complexo Desportivo da Rodovia. Além da limpeza manual das margens, os trabalhos incluem a utilização de máquinas nas zonas da Rodovia, Galos, junto à ‘FOC’ e ao Complexo da Grundig. “Só da zona da ‘FOC’ foram retiradas mais de 1.300 toneladas de inertes”, referiu o vereador do Ambiente, Altino Bessa, notando que o grande objectivo desta intervenção é dar um melhor aspecto ao rio e evitar as cheias.

CMB27102016SERGIOFREITAS0000003233.jpg

CMB27102016SERGIOFREITAS0000003235.jpg