Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO RECEBE COM CARINHO O PADRE TIAGO VARANDA, O PRIMEIRO PÁROCO INVISUAL DE PORTUGAL

Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto congratula-se com a ordenação de Tiago Varanda

Missa de Apresentação à Comunidade Cabeceirense realiza-se a 18 de agosto na Igreja do Mosteiro de S Miguel de Refojos.

184265_108671229213246_3269461_n.jpg

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto congratula-se com a ordenação sacerdotal de Tiago Varanda, jovem professor de História que lecionou na Escola Básica e Secundária de Cabeceiras de Basto durante vários anos, período durante o qual granjeou a simpatia e a amizade de muitos Cabeceirenses.

Tiago Varanda, 35 anos de idade, foi o primeiro padre cego a ser ordenado em Portugal. Invisual desde a adolescência, Tiago Varanda foi ordenado padre no domingo, dia 14 de julho, na Cripta do Santuário de Nossa Senhora do Sameiro, em Braga. À cerimónia assistiram dezenas de Cabeceirenses, entre os quais o vice-presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Dr. Mário Machado.

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto deseja as maiores felicidades ao padre Tiago Varanda no desempenho destas suas novas funções.

Cabeceiras de Basto prepara-se, agora, para receber, no próximo dia 18 de agosto, na belíssima Igreja do Mosteiro de S Miguel de Refojos, a Missa de Apresentação à Comunidade, momento que contará com a presença do presidente da Câmara, Francisco Alves.

Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos.JPG

CABECEIRENSES RUMARAM À SENHORA DO ALÍVIO

Piquenique levou centenas ao Santuário de Nossa Senhora do Alívio

Realizou-se ontem, dia 14 de julho, o Piquenique ‘Com'Vivências’ que levou centenas de pessoas ao Santuário de Nossa Senhora do Alívio, em Vila Verde, um passeio-convívio que proporcionou momentos de lazer e de confraternização a todos os participantes.

Piquenique levou centenas ao Santuário do Alívio (1).JPG

O convívio no Parque de Merendas do Alívio foi um momento de reencontro intergeracional de pessoas de todas as freguesias do concelho. Durante a manhã realizou-se a eucaristia no Santuário, seguindo-se uma tarde de grande confraternização.

A animação musical esteve a cargo de Carlos Mendes, bem como de outros grupos de tocadores e cantadores de Cabeceiras de Basto que se quiseram associar ao convívio.

O piquenique contou com a presença dos presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves e Eng. Joaquim Barreto, respetivamente, dos vereadores Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, bem como de presidentes de Juntas de Freguesia, entre outros autarcas.

A iniciativa foi organizada pela Basto Vida, através do Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS 4G), em colaboração com a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e com as Juntas de Freguesia, com o objetivo combater o isolamento e promover a qualidade de vida dos Cabeceirenses.

Piquenique levou centenas ao Santuário do Alívio (2).JPG

Piquenique levou centenas ao Santuário do Alívio (3).JPG

MOTOCICLISTAS LIGAM LAMEGO A VILA VERDE

Soutelo-Lamego. Do Santuário do Alívio ao de Nossa Senhora dos Remédios em motorizada!

O passeio anual de motorizadas 50cc da freguesia de Soutelo uniu duas referências culturais e religiosas da zona Norte do país. Após várias edições com destino a Santiago de Compostela, 2019 foi ano de mudar de ares e de ligar o Santuário do Alívio ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego. A iniciativa organizada pela Junta de Freguesia de Soutelo, com o apoio da Toyota – Caetano Auto, decorreu no passado fim de semana, 6 e 7 de julho.

T (2).JPG

Pouco passava das oito e meia da manhã. O sol ia espreitando entre algumas nuvens enquanto os motociclistas arrancavam para uma jornada de dois dias à descoberta dos encantos do interior Norte de Portugal. Entre vales e montanhas, paisagens de grande beleza natural e marcos histórico-culturais, a viagem decorreu em ambiente de camaradagem e boa-disposição generalizada. Momentos de excelência para o lazer, a cultura, a diversão e a amizade, que contribuíram de forma significativa para fortalecer os laços entre os participantes.

T (1).JPG

BEATO FREI BARTOLOMEU DOS MÁRTIRES VAI SER CANONIZADO

Beato Bartolomeu dos Mártires será Santo

Decisão do Papa Francisco foi hoje anunciada pela Santa Sé. Canonização será no dia 10 de Novembro.

bartolomeu_martires_braga.jpg

O Papa Francisco alargou hoje o culto litúrgico ao Beato Bartolomeu dos Mártires a toda a Igreja e declarou a sua inscrição no catálogo de Santos. A notícia foi anunciada há poucos minutos pela Santa Sé e publicada online.

A decisão foi tomada ontem, durante a audiência com Angelo Becciu, Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos.

"Durante a Audiência, o Sumo Pontífice aprovou os votos favoráveis dos Eminentíssimos e Excelentíssimos membros da Congregação e ampliou o culto litúrgico em homenagem ao Beato Bartolomeo dei Martiri à Igreja Universal, da Ordem dos Frades Pregadores do Arcebispado de Braga, nascido em Lisboa (Portugal) a 3 de Maio de 1514 e falecido em Viana do Castelo (Portugal) a 16 de Julho de 1590, inscrevendo-o no catálogo de Santos", pode ler-se no site da Santa Sé.

No passado dia 20 de Janeiro, o Papa Francisco, em audiência à Congregação para a Causa dos Santos, tinha concedido a autorização necessária à dispensa do milagre formalmente demonstrado para a declaração de santidade do Beato Bartolomeu dos Mártires.

Bartolomeu dos Mártires foi declarado Venerável a 23 de Março de 1845, pelo Papa Gregório XVI e Beato, a 4 de Novembro de 2001, pelo Papa João Paulo II.

A 5 de Fevereiro de 2015, D. Jorge Ortiga entregou, em mãos, ao Papa Francisco um dossier sobre a vida do antigo arcebispo de Braga e formulou o pedido de canonização equipolente (dispensa do milagre). 

Fonte: http://diocese-braga.pt/

bartolomeu-dei-martiri-fernandes.jpg

Promulgazione di Decreti della Congregazione delle Cause dei Santi, 06.07.2019

[B0576]

Il 5 luglio 2019, il Santo Padre Francesco ha ricevuto in Udienza Sua Eminenza Reverendissima il Signor Cardinale Angelo Becciu, Prefetto della Congregazione delle Cause dei Santi. Durante l’Udienza, il Sommo Pontefice ha approvato i voti favorevoli degli Eminentissimi ed Eccellentissimi Membri della Congregazione e ha esteso alla Chiesa Universale il culto liturgico in onore del Beato Bartolomeo dei Martiri (al secolo: Bartolomeo Fernandes), dell’Ordine dei Frati Predicatori, Arcivescovo di Braga; nato a Lisbona (Portogallo) il 3 maggio 1514 e morto a Viana do Castelo (Portogallo) il 16 luglio 1590, iscrivendolo nel catalogo dei Santi (canonizzazione equipollente).

Nella medesima Udienza il Santo Padre ha autorizzato la Congregazione a promulgare i Decreti riguardanti:

- il miracolo, attribuito all’intercessione del Venerabile Servo di Dio Fulton Sheen, Arcivescovo titolare di Newport, già Vescovo di Rochester; nato l’8 maggio 1895 a El Paso in Illinois (Stati Uniti d’America) e morto il 9 dicembre 1979 a New York (Stati Uniti d’America);

- le virtù eroiche del Servo di Dio Elia Hoyek, Patriarca di Antiochia dei Maroniti, Fondatore della Congregazione delle Suore Maronite della Sacra Famiglia; nato a Helta (Libano) il 4 dicembre 1843 e morto a Bkerké (Libano) il 24 dicembre 1931;

- le virtù eroiche del Servo di Dio Giovanni Vittorio Ferro, dell’Ordine dei Chierici Regolari di Somasca, Arcivescovo di Reggio Calabria-Bova; nato a Costigliole d’Asti (Italia) il 13 novembre 1901 e morto a Reggio Calabria (Italia) il 18 aprile 1992;

- le virtù eroiche del Servo di Dio Angelo Riesco Carbajo, Vescovo titolare di Limisa, Vescovo Ausiliare dell’Amministratore Apostolico di Tudela, Fondatore dell’Istituto delle Missionarie della Carità; nato a Bercianos de Vidriales (Spagna) il 9 luglio 1902 e morto a La Bañeza (Spagna) il 2 luglio 1972;

- le virtù eroiche del Servo di Dio Ladislao Korniłowicz, Sacerdote diocesano; nato a Varsavia (Polonia) il 5 agosto 1884 e morto a Laski (Polonia) il 26 settembre 1946;

- le virtù eroiche del Servo di Dio Angelico Lipani (al secolo: Vincenzo), Sacerdote professo dell’Ordine dei Frati Minori Cappuccini, Fondatore della Congregazione delle Suore Francescane del Signore; nato a Caltanissetta (Italia) il 28 dicembre 1842 e ivi morto il 9 luglio 1920;

- le virtù eroiche della Serva di Dio Francesca dello Spirito Santo (al secolo: Francesca de Fuentes), Fondatrice della Congregazione delle Religiose Domenicane di Santa Caterina di Siena; nata a Intramuros (Filippine) nel 1647 e morta a Manila (Filippine) il 24 agosto 1711;

- le virtù eroiche del Servo di Dio Stefano Pietro Morlanne, Laico, Fondatore della Congregazione delle Suore della Carità Materna; nato a Metz (Francia) il 22 maggio 1772 e ivi morto il 7 gennaio 1862.

[01192-IT.01] [Testo originale: Italiano]

[B0576-XX.01]

Fonte: http://press.vatican.va/

bartolomeu_dos_martires_21907495c.jpg

BARTOLOMEU FERNANDES DOS MÁRTIRES (1514-1590)

BARTOLOMEU FERNANDES dos MÁRTIRES nasceu em Lisboa em Maio de 1514.Mártiresrecorda a igreja de S. Maria dos Mártires onde foi baptizado e substituiu o apelido Vale que usara em memória do avô.

Recebe o hábito dominicano a 11 de Novembro de 1528, faz o noviciado no mosteiro de Lisboa, concluindo os estudos filosóficos e teológicos em 1538.

Ensina nos conventos de Lisboa, “da Batalha” e Évora (1538-1557), passando a Prior de Benfica, em Lisboa (1557-1558). É apresentado pela rainha Catarina para suceder a D. Frei Baltesar Limpo, O. Carm., Arcebispo de Braga e o Papa Paulo IV confirma-o, com a BulaGratiae divinae praemium, datada de 27 de Janeiro de 1559. É ordenado bispo em 3 de Setembro em S. Domingos de Lisboa.

Aceitou esa dignidade por obediência ao seu prior provincial, o célebre escritor Ven. Fr. Luis de Granada, o qual, tendo sido primeiramente designado pela rainha, a aconselhou a apresentar antes este seu confrade.

Inicia a sua actividade na vastíssima Arquidiocese no dia 4 de Outubro de 1559A sua actividade apostólica é multifacetada.Recordemos alguns elementos mais sugestivos. Notabilizou­se pela realização de visitas pastorais; empenha-se na evangelização do povo, tendo para o efeito, preparado um Catecismo ou doutrina cristã e práticas espirituais (com 15 edições); a solicitude pela cultura e santificação do clero leva-o a instituir aulas de Teologia moral em vários locais da Diocese e a escrever, entre as 32 obras doutrinais. Merece particular relêvo o Stimulus Pastorum, distribuído aos Padres dos Concílios Vaticano I e II, que já conhece a vigésima segunda edição. A concretização do empenho de reforma encontra-se, também, em espaços estruturais a que deu vida.

Em 1560 confiou aos jesuítas os estudos públicos que se transformaram no Colégio de S. Paulo.

De 1561-1563 participa no Concílio de Trento, onde apresentou 268 petições como síntese das interpelações de Reforma para a Igreja.

Para concretizar as Reformas Tridentinas efectuou um Sínodo Diocesano, em 1564e outro Provincial, em 1566.

Em 1571 ou 1572 dá início à construção do Seminário Conciliar no Campo da Vinha.

Em 23 de Fevereiro de 1582 renuncia ao Arcebispado e recolhe-se ao convento dominicano da Santa Cruz, na cidade de Viana do Castelo, nascido por seu empenho (1561) para favorecer os estudos eclesiásticos e a pregação.

Morre nesse convento a 16 de Julho de 1590reconhecido e aclamado pelo povo como o Arcebispo Santo, pai dos pobres e dos enfermos. O seu túmulo è venerado na antiga igreja dominicana em Viana do Castelo.

Foi declarado Venerável por Gregório XVI em 23 de Março de 1845. O Papa João Paulo II reconheceu em 7 de Julho de 2001 o milagre proposto para a beatificação, celebrada a 4 de Novembro deste ano: dia litúrgico de S. Carlos Borromeu, com quem trabalhou arduamente na prossecução dos objetivos do Concilio de Trento.

Fonte: http://www.vatican.va/

c16f8fbb181ba4fcc01c83c59fe2bb3b.png

Bartolomeu dos Mártires será declarado santo

Papa Francisco dispensou a necessidade de um milagre formalmente demonstrado

O Papa Francisco concedeu, no passado dia 20 de Janeiro, em audiência à Congregação para a Causa dos Santos, a autorização necessária à dispensa do milagre formalmente demonstrado para a declaração de santidade do Beato Bartolomeu dos Mártires.

Este passo significativo permitirá, após o cumprimento de alguns procedimentos, a conclusão do processo de canonização e a declaração pública da santidade de Bartolomeu dos Mártires, antigo arcebispo de Braga e figura de referência do Concílio de Trento.

  1. Jorge Ortiga, numa nota pública, afirmou que esta notícia foi acolhida «como um novo estímulo para a caminhada arquidiocesana de conversão pessoal e pastoral» e reconheceu em Bartolomeu dos Mártires «um companheiro de viagem que abre novos horizontes» no caminho da nova evangelização.

Segundo a mesma nota, confirma-se para breve a colocação de uma estátua do Frei Bartolomeu no Largo de Santiago, junto à Igreja de S. Paulo.

Bartolomeu dos Mártires foi declarado Venerável, a 23 de Março de 1845, pelo Papa Gregório XVI e Beato, a 4 de Novembro de 2001, pelo Papa João Paulo II.

A 5 de Fevereiro de 2015, D. Jorge Ortiga entregou, em mãos, ao Papa Francisco um dossier sobre a vida do antigo arcebispo de Braga e formulou o pedido de canonização equipolente (dispensa do milagre). Com a actual dispensa do milagre, o processo de canonização entra numa fase conclusiva e, posteriormente, será anunciada a data de canonização.

Fonte: http://diocese-braga.pt/

CMB27012017SERGIOFREITAS0000004931.jpg

TRAJES DO MINHO VÃO AO CONGRESSO INTERNACIONAL DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

Entre os milhares de congressistas que este fim-de-semana enchem por completo o Estádio da Luz, em Lisboa, para participarem no Congresso Internacional das Testemunhas de Jeová, contam-se também um considerável grupo de minhotos que marcam presença com os trajes tradicionais da nossa região, mormente o chamado traje à vianesa.

CapturarTJ1.PNG

Congressistas dos mais diversos países apresentaram-se com os seus trajes típicos, fazendo desse modo assinalar a diversidade de culturas e povos ali representados numa celebração que se pretende de concórdia universal.

SÃO JOÃO E O SOLSTÍCIO DE VERÃO

Entrámos em Junho com ele no solstício do Verão. Salta-se a fogueira pelo S. João, brinca-se com alcachofras e martelinhos, tréculas e zaquelitraques, canta-se e dança-se. Pela calada da noite, invadem-se os quinteiros, assaltam-se as eiras e roubam-se vasos com plantas, carroças e carros de bois para seguidamente os levar para o centro da povoação. São as festas sãojoaninas, assim designadas em virtude da Igreja Católica ter atribuído a esta data o nascimento de S. João Baptista, uma reminiscência de antiquíssimos rituais pagãos relacionados com o Solstício de Verão e ainda com a adoração do fogo. De resto, o fogo adquiriu desde sempre um carácter sagrado ao ponto de ter sido deificado.

Sao_joao_Batista%201513-1516

No Porto e em Braga, as suas gentes vivem as festas sãojoaninas com particular intensidade. O Barredo e a Ribeira no Porto enchem-se de povo e a alegria e animação dura até tantas da madrugada. Em Lisboa, as festas solsticiais abrangem todo o mês de Junho, associando S. Pedro e S. António aos festejos de S.João. O nascimento de S. António em Lisboa deve ter contribuído para que os festejos lhe tenham sido dedicados, popularizado ao ponto de muitas pessoas pensarem erradamente ser ele o patrono desta cidade.

Desde tempos remotos, o homem celebrava a chegada do Verão acendendo enormes fogueiras, cantando e dançando em seu redor. É a chegada do lume novo, um rito cuja sacralidade original se foi perdendo e que chegou até nós, transmitido de geração em geração, assegurada pela própria tradição.

Entre os gregos e os romanos, competia às Vestais - sacerdotisas dos templos dedicados a Vesta - a tarefa de preservar aceso o fogo sagrado. Entre nós, persiste o costume de acender o lenho na noite de Natal ou na passagem do ano e o círio pela Páscoa. Manda a tradição católica que, à beira da pia batismal, os padrinhos transportam a vela acesa quando o batizado não o pode fazer se ainda for demasiado jovem. Mas, falo-a quando chegar a altura de confirmar o seu batismo cristão. É que o fogo é a luz que nos ilumina e mostra a Verdade e a Vida. É ainda o fogo que nos aquece e afaga a nossa rude existência, elemento purificador que constitui um dos quatro elementos - os outros são a Terra, o Ar e a Água.

Mas o fogo é também festa. Desde a sua descoberta, aprendeu o Homem aprendeu a produzi-lo e manipular ao ponto de conseguir iluminar os céus e a terra com uma verdadeira constelação de alegria, salpicando-o de lágrimas e girândolas de cores e formas variadas, compondo na abóboda celestial um autêntico hino ao Criador. Afinal de contas, foi Ele quem pela primeira vez nos enviou o fogo sob a forma de um raio ou cuspiu das entranhas de um vulcão - eis o gesto primordial da criação que é ritualizado pelo homem desde os tempos em que Adão e Eva foram expulsos do paraíso por um anjo que empunhava uma espada de fogo.

É tempo de proceder à ceifa do trigo, do centeio e da cevada, de sachar o milho, sulfatar a vinha e crestar o mel das colmeias. Mas também é altura de festejar o S. João e saltar a fogueira. Desde o solstício de Verão até ao equinócio do Outono, é tempo de festa, de estúrdia e de arraial. E, a fazer jus à fama da pirotecnia, não há verdadeiramente festa sem o luminoso colorido do fogo-de-artifício e o estardalhaço dos foguetes. O folclore do nosso povo conserva raízes que nos transportam à origem da própria civilização humana.

Carlos Gomes / http://www.folclore-online.com/

 

CAMINHA CELEBRA CORPUS CHRISTI

Caminha assinalou hoje a Solenidade do Corpo de Deus com Ofício Solene de Vésperas do Santíssimo Sacramento e Procissão do Corpo de Deus.

64682441_2253655334688983_3209144304521969664_n.jpg

Remonta a 1282, ao tempo do reinado de D. Dinis, o início das comemorações em Portugal da celebração da festa de Corpus Christi, termo latino que designa Corpo de Deus.

Fortemente enraízadas no Alto Minho, com particular realce nos concelhos de Monção, Caminha e Ponte de Lima, estas festividades eram outrora celebradas ao som da gaita-de-foles e outros instrumentos tradicionais, através da execução de danças e procissões que constituíam uma simbiose entre o sagrado e o profano.

A partir de determinada altura, mais concretamente no reinado de D. João I, o cavaleiro S. Jorge passou a incorporar a procissão de Corpus Christi, e a partir do reinado de D. Afonso IV a ser invocado pelos portugueses em substituição de S. Tiago, demarcando-se dessa forma dos exércitos leoneses. Ainda hoje, a sua simbologia é empregue nos meios castrenses, principalmente para representar o exército português.

Ainda na região de Entre-o-Douro-e-Minho, mais especificamente em Penafiel, conserva-se por esta ocasião antigas tradições que estão ligadas às festividades do Corpo de Deus como sendo o “Baile dos Pedreiros”, o “Baile dos Ferreiros” e o “Baile das Floreiras”.

O Corpus Christi constitui uma solenidade que se insere na liturgia católica e ocorre sempre na Quinta-feira que sucede ao Domingo (Die Domini) da Santíssima Trindade, constituindo uma “Festa de Guarda” na qual é obrigatória a participação na Santa Missa.

Fotos: Câmara Municipal de Caminha

64480380_2253657841355399_6471610739692929024_n.jpg

64521141_2253652331355950_4292073441525235712_n.jpg

64573808_2253654888022361_5346885901542752256_n.jpg

64585634_2253657521355431_2405781696986218496_n.jpg

64592668_2253659144688602_6346629317388140544_n.jpg

64641285_2253655288022321_2978486122432167936_n.jpg

64653616_2253659861355197_5316980997743443968_n.jpg

64734606_2253653728022477_4421828148748877824_n.jpg

64735726_2253655514688965_4556131256403755008_n.jpg

64742507_2253658568021993_5821521586372476928_n.jpg

64781937_2253659254688591_6616696809421012992_n.jpg

64787562_2253652661355917_3671485430718529536_n.jpg

64809568_2253657054688811_6040805647090450432_n.jpg

64821927_2253651294689387_2924738923164860416_n.jpg

64876202_2253656944688822_5175896918412230656_n.jpg

64894894_2253651208022729_922562342435160064_n.jpg

64909764_2253654264689090_5311854606383316992_n.jpg

64912461_2253655644688952_154865903534604288_n.jpg

64937084_2253655741355609_3418600732742385664_n.jpg

64944968_2253657298022120_112635345538908160_n.jpg

64985479_2253655681355615_6099025337537003520_n.jpg

CAMINHA E VILARELHO DESPERTARAM EM FLOR

Caminha tem mais encanto engalanada com os magníficos tapetes de flores em dia de Corpo de Deus.

65189875_2252618031459380_3025601630201446400_n.jpg

Durante a noite foi grande a azáfama das gentes da vila minhota para que se mantenha a tradição e a beleza da festa.

Da outra margem do rio Minho, serão muitos os irmãos galegos que virão a Caminha deslumbrar-se com as decorações florais. E seguir a procissão que percorrerá as ruas desta linda terra minhota.

Fotos: https://www.facebook.com/caminhamun/

64463716_2252620138125836_3515540120298061824_n.jpg

64479407_2252620211459162_8087765581232603136_n.jpg

64480076_2252617394792777_6431864949126987776_n.jpg

64498238_2252617521459431_2504142594162819072_n.jpg

64500716_2252617594792757_8395069632267943936_n.jpg

64502118_2252617858126064_8860781375783960576_n.jpg

64513064_2252618024792714_8687763493052481536_n.jpg

64582198_2252620298125820_5091990110900060160_n.jpg

64667475_2252619438125906_3668655090220138496_n.jpg

64735225_2252620814792435_1894632798661115904_n.jpg

64743788_2252621241459059_4199157398943825920_n.jpg

64747729_2252620288125821_5907696600473403392_n.jpg

64761330_2252617961459387_5415297828555587584_n.jpg

64832952_2252622358125614_592816421558288384_n.jpg

PONTE DE LIMA ALINDA-SE AINDA MAIS COM OS TAPETES FLORIDOS EM DIA DE CORPO DE DEUS

A vila de Ponte de Lima despertou hoje ainda mais linda. É dia de Corpo de Deus. E, as ruas e ruelas da vetusta vila medieval engalanaram-se com magníficos tapetes de flores por onde irá passar a procissão.

Trata-se de verdadeiras obras de arte efémera que atestam o talento e o gosto artístico das gentes caminhenses que o fotógrafo minhoto Joaquim Rios tão bem soube captar através da sua objectiva.

Fotos: Joaquim Rios / https://www.facebook.com/visitpontedelima/

64489240_1030053803851931_5111512906218864640_n.jpg

64600405_1030053890518589_2103170919923974144_n.jpg

64609953_1030053720518606_3845079058111004672_n.jpg

64616818_1030053863851925_8591431027325403136_n.jpg

64656404_1030053760518602_2974614870839787520_n.jpg

64731951_1030053827185262_249437746202935296_n.jpg

64783174_1030053633851948_9060391265060782080_n.jpg

64807913_1030053623851949_2034720922321027072_n.jpg

64885990_1030053833851928_677675440499851264_n.jpg

65172719_1030053613851950_2168130436260167680_n.jpg

65300520_1030053737185271_906718349814136832_n.jpg

IGREJA RECONHECE CAMINHO QUE LIGA BRAGA A SANTIAGO DE COMPOSTELA

A Igreja acaba de reconhecer o Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela na distância de 240 quilómetros, como itinerário de peregrinação jacobeia.

A Momento em que o deão assina o certificado 1.jpg

O delegado de peregrinações do cabido da Catedral de Santiago, o deão Segundo L. Pérez López, assinou um certificado onde refere que o traçado cumpre "as condições de outros caminhos de peregrinação" e por isso "concede a Compostela" a quem o percorrer.

Esta é a razão porque, desde 28 de março, é mais fácil aos peregrinos que cumprem o Caminho da Geira e dos Arrieiros obterem a Compostela. A assinatura do documento foi revelada apenas esta quinta-feira, 6, para evitar que coincidisse com o período eleitoral vivido em Espanha.

A Momento em que o deão assina o certificado.jpg

O reconhecimento resulta da análise da “documentação histórica e atual”, apresentada pela Associação Codeseda Viva - com destaque para os investigadores Jorge Fernández, Carlos da Barreira e Luís Ferro -, uma das organizações que tem trabalhado na investigação e divulgação do itinerário, que atravessa quatro municípios portugueses e 15 galegos.

Os investigadores conseguiram provar a autenticidade do traçado com documentos que datam dos séculos XIV a XX, e elementos patrimoniais e toponímicos. As conclusões foram publicadas num livro, do qual foram impressos 22 exemplares, entregues a diversas entidades, em maio de 2018. Em fevereiro passado, a associação reuniu com o deão da Catedral de Santiago, que se mostrou surpreendido com as provas da existência histórica do caminho e pediu um resumo da obra. A entrega aconteceu a 28 de março.

Caminho da Geira e dos Arrieiros 01 (Foto Rute Nunes) (1).jpg

O primeiro traçado [que se mantém no essencial] foi apresentado em Ribadavia (Espanha) a 9 de fevereiro de 2017 e no dia 1 de abril seguinte em Braga, pela a Associação do Caminho Jacobeu da Geira Minhoto Ribeiro, constituída em 2006 com o objetivo de investigar e promover este itinerário.

A Associação Codeseda Viva é outra das organizações envolvidas no projeto – à semelhança, por exemplo, da que congrega as autarquias espanholas da região - e o objetivo dos que investigam a história, património, traçado e outros recursos necessários à validação deste caminho [ainda não possui albergues, nem está marcado, pelo que deve usar-se GPS] é a sua oficialização até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

Caminho da Geira e dos Arrieiros 01.jpeg

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi percorrido desde 2017 por mais de 500 pessoas. Este ano 135 já receberam a Compostela, que se juntam a poucas outras a quem foi entregue nos últimos dois anos – a primeira a 22 de maio daquele ano.

O casal Maria Batista, natural das Caldas da Rainha, e João Reis, natural de Lisboa, respetivamente engenheiros agrícola e informático, residentes no Cadaval, e o seu amigo Luís Sobreiro (viticultor), residente em A-dos-Francos (Caldas da Rainha), foram os primeiros a percorrer o itinerário, depois da sua apresentação em Braga. Partiram a 6 de maio de 2017 e chegaram a Santiago de Compostela no dia 17 seguinte. O jornalista Carlos Ferreira, residente em Leiria, foi primeiro a cumprir o percurso sozinho, entre 14 e 22 de maio.

“A amplitude da riqueza natural e patrimonial do Caminho da Geira e dos Arrieiros transporta-nos aos tempos ancestrais dos romanos e da construção da Catedral de Santiago de Compostela, percorrendo florestas, bosques e vinhedos, atravessados por rios largos e pequenos ribeiros, onde a nossa presença ainda surpreende os animais no seu ambiente natural. É um itinerário de espiritualidade, descoberta e aventura, que convida os peregrinos a regressarem ao verdadeiro Caminho”, descreve o jornalista.

Caminho da Geira e dos Arrieiros 02.JPG

Caminho da Geira e dos Arrieiros 03.jpg

Capturarcertifdeaocompost.PNG

VISITA À SINAGOGA DE LISBOA DÁ A CONHECER OBRA DO ARQUITETO CAMINHENSE MIGUEL VENTURA TERRA

Neste evento vamos ficar a conhecer, através de uma Visita Guiada, a Sinagoga de Lisboa, a sua origem e a história da comunidade israelita no nosso país. Venha daí e não perca mais este evento do Caminhando.

sinagoga1.jpg

História da comunidade israelita em Lisboa:

A actual comunidade judaica de Lisboa tem a sua origem nos grupos de judeus sefarditas que se instalaram em Portugal no inicio do séc. XIX. Eram na sua maioria negociantes, provenientes de Gibraltar e Marrocos (Tânger, Tetuão e Mogador) e alguns dos nomes ainda exprimiam uma ligação às suas terras de origem ibérica, antes do período da expulsão. É o caso de CONQUI (de Cuenca, provincia de Cuenca) ou CARDOSO (de Cardoso, Distrito de Viseu).

Eram pessoas com nível cultural acima da média, sabendo ler e escrever e falando, para além do hebraico litúrgico, o árabe ou o inglês e o Haquitia, dialecto judeu-hispano-marroquino. Tinham numerosos contactos internacionais, devido não só às actividades comerciais mas também aos laços familiares espalhados pelo mundo. Estes factores explicam o rápido florescimento económico e cultural não só, aliás, dos judeus de Lisboa mas também dos grupos que se foram instalando nessa primeira metade do séc. XIX, nos Açores e em Faro.

Paralelamente à sua integração rápida e bem sucedida na vida portuguesa, os primeiros grupos de judeus procuraram logo organizar-se como tal, criando salas de oração e adquirindo terrenos para enterrar os mortos segundo o ritual judaico. A primeira sepultura é a de José Amzalak, falecido a 26 de Fevereiro de 1804 e enterrado num terreno pertencente ao Cemitério Inglês da Estrela, sem dúvida devido à nacionalidade inglesa dos primeiros judeus de Lisboa, originários, como vimos, de Gibraltar.

Nessa altura os judeus ainda eram considerados como uma colónia estrangeira e a comunidade ainda não tinha existência legal. A Carta Constitucional de 1826 reconhecia apenas o catolicismo como a única religião permitida aos cidadãos portugueses, remetendo os outros cultos para os estrangeiros. Daí que nessa altura se fale de “colónia” israelita, tal como se falava de colónia inglesa ou alemã.

Não podendo obter a legalização da comunidade, os judeus de Lisboa foram criando, sobretudo na segunda metade do sec.XIX, instituições de beneficência sob a forma de associações autónomas, cujos estatutos eram submetidos á aprovação do Governo Civil ou sob a forma de fundações privadas, geralmente dirigidas por senhoras. Estas instituições desempenharam um papel decisivo na união e organização do judaísmo português.

Outro passo decisivo para a constituição da actual comunidade judaica de Lisboa é dado em 1894 com a realização de uma Assembleia Geral dos judeus de Lisboa com o fim de unificar os serviços de Shehitá (abate ritual e aprovisionamento de carne cacher). Sob o impulso de Isaac Levy e Simão Anahory, inicia-se um processo que culmina na criação, em 1897, de uma comissão para a edificação de uma sinagoga única e com a eleição do Iº Comité da Comunidade Israelita de Lisboa, cujo Presidente Honorário é Abraham Bensaúde e o Presidente EfectivoSimão Anahory.

A construção da Sinagoga Shaaré Tikvá

Existiam em Lisboa, desde 1810, várias casas de orações, mas dificilmente reuniam as condições necessárias ao culto, pois situavam-se em modestos andares. Assim apesar das dificuldades ocasionadas pela falta de reconhecimento oficial, a comunidade consegue comprar, em nome de particulares, um terreno para a construção de um edifício de raíz, próprio e condigno.

O projecto da sinagoga foi da autoria de um dos maiores arquitectos da época,Miguel Ventura Terra. Situada no nº 59 da Rua Alexandre Herculano, teve de ser construída dentro de um quintal muralhado, dado que não era permitida a construção com fachada para a via pública de um templo que não fosse de religião católica, então religião oficial do estado.

Lançada a Primeira Pedra em 1902, a Sinagoga Shaaré-Tikvá é finalmente inaugurada em 1904, culminando um esforço de mais de 50 anos dos judeus de Lisboa.

Fonte: https://caminhando.pt/

sinagoga3.jpg

MUNICÍPIO DE PONTE DA BARCA REÚNE COM VIA MARIANA

O Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Barca, Augusto Marinho, reuniu esta manhã com a Associação Via Mariana nos Paços do Concelho.

Capturarpbviamariana.PNG

A reunião teve como propósito a sinalização e manutenção do caminho Mariano em Ponte da Barca, a criação de um albergue e a participação do município na passagem da peregrinação de" Fuenterroble de Salvatierra - Salamanca" em agosto.

A Via Mariana Luso Galaica compreende um itinerário de 372Km entre Braga e Muxía,em 17 etapas, seguindo as rotas entre os santuários Marianos.

61802929_1801745456593096_1703805537684029440_o.jpg

SERVIÇO DE PEREGRINOS DA CATEDRAL DE SANTIAGO DE COMPOSTELA REVELA ESTATÍSTICAS REFERENTES AO CAMINHO QUE LIGA BRAGA À CAPITAL DA GALIZA

Estatísticas incluem pela primeira vez o Caminho Braga-Santiago

O Serviço de Peregrinos da Catedral de Santiago de Compostela acaba de revelar, pela primeira vez, as estatísticas referentes à atribuição da compostela em referência ao Caminho da Geira e dos Arrieiros, que liga Braga à capital da Galiza na distância de 240 quilómetros.

Estatisticas compostela caminho da geira peregrinos açores.jpg

Segundo os dados publicados no site do serviço, a compostela foi entregue em abril a 18 peregrinos que completaram o caminho (referido como Braga C.G.A.) e a três em março. A entrega formal do documento começou no final de março, embora haja pessoas que o tenham recebido antes.

Além destes peregrinos, há outros 145 que partiram de Braga e receberam a compostela, mas as estatísticas da Catedral de Santiago não especificam qual o caminho que seguiram.

As associações ligadas à valorização do Caminho da Geira e dos Arrieiros referem que o itinerário foi percorrido por 300 pessoas desde a apresentação do primeiro traçado, há dois anos, em Braga, devendo  ultrapassar o meio milhar no corrente ano.

Estatisticas compostela caminho da geira sé braga.JPG

“A nossa experiência no apoio aos peregrinos diz-nos que muitos não pedem a compostela, pelo que, como acontece com outros caminhos, os números das estatísticas são inferiores à realidade”, explica Abdón Fernández, presidente da Associação Jacobeia do Caminho da Geira Minhoto Ribeiro.

A associação tem registo da passagem de peregrinos a pé, de bicicleta e a cavalo, mas reconhece que há muitos que não se anunciam, pelo que “é muito difícil” saber com certeza quantos cumpriram o percurso desde maio de 2017.

Estatisticas compostela caminho da geira3 peregrinos da Batalha.jpg

Por outro lado, há peregrinos que fizeram o Caminho da Geira e dos Arrieiros, mas porque começaram noutras cidades ou em localidades intermédias do percurso não estão contabilizados. Para isso acontecer, é preciso que o seu número mensal justifique a designação de itinerário seguido (incluindo assim todos e não apenas os que partem de Braga). Para constar no relatório anual do Serviço de Peregrinos da Catedral de Santiago de Compostela é necessário que seja feito por mais de 500 pessoas.

Nos primeiros quatro meses deste ano, os caminhos de Santiago foram percorridos por 43.051 pessoas, a grande maioria a pé (40.842). Os portugueses foram 4.675 e a cidade do Porto o principal ponto de partida nacional, com 3.892 peregrinos. Em Portugal, a maioria escolheu os caminhos Central e da Costa, que justificaram a atribuição de 10.963 e 584 compostelas, respetivamente.

A Compostela é um documento entregue aos peregrinos que completem o Caminho de Santiago, percorrendo no mínimo os últimos 100 quilómetros a pé ou a cavalo, ou 200 quilómetros em bicicleta, e que declarem tê-lo feito por motivos religiosos ou religiosos/espirituais.

A validação dos quilómetros faz-se através da Credencial do Peregrino, que deve ostentar no mínimo dois selos por dia, nos últimos 100 ou 200 quilómetros, conforme o método utilizado, obtidos de preferência em estabelecimentos ou instituições ligados à Igreja e ao Caminho de Santiago.

O Serviço de Peregrinos da Catedral de Santiago de Compostela emite, em iguais condições, o Certificado de Distância, um documento que certifica o número de quilómetros feito pelos peregrinos.

Estatisticas compostela caminho da geira1 peregrinos açores.jpg

BRAGA RECEBE CARDEAL GIANFRANCO RAVASI

‘Success Full Pensamento’ promove pontes entre religiões. Cardeal Gianfranco Ravasi é o convidado de honra do evento que decorre no Altice Forum Braga

O Cardeal Gianfranco Ravasi é o convidado de honra da primeira edição do Success Full Pensamento. A iniciativa, que debaterá precisamente o pensamento enquanto promotor de pontes entre religiões, culturas e povos, constituir-se-á então oportunidade para escutar as reflexões do presidente do Pontifício Conselho para a Cultura no Vaticano sobre Sucesso, Valores, Ciência, Vida ou Fé. A decorrer no próximo dia 7 de Maio, no Altice Forum Braga, a partir das 21h30, o Success Full Pensamento, promovido em parceria pelo Município de Braga, Universidade Católica Portuguesa e pelo Grupo de Comunicação Idioteque, contará ainda com a participação de um grupo de agitadores que terão a prerrogativa de questionar o Cardeal da Igreja Católica sobre questões diversas de actualidade.

CartazCardealBrag.jpg

Multidisciplinar, oriundo de geografias distintas e detentor das mais diferentes formações, vivências e experiências, o conjunto de incentivadores terá o papel fundamental de alargar a discussão a temáticas entendidas enquanto construtoras de vínculos entre civilizações, sociedades, doutrinas, disciplinas ou cânones. Os alunos do Colégio das Caldinhas (Instituição Jesuíta secular sediada em Santo Tirso), o espanhol Adrián Gramary (psiquiatra), a italiana Giovanna Masciotta (investigadora), a brasileira Cibelli Almeida (fundadora do projecto “BE BRAGA”), o grego Dimitris Andrikopoulos (compositor), a senegalesa Saidatina khady Seye (corporiza uma história de inserção no mundo português), o venezuelano Rafael Montes (maestro), e a polaca Danuta Kondek (mestre em Economia) são alguns desses aceleradores de conversa. Círculo ao qual juntar-se-ão Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e Isabel Capeloa, Reitora da Universidade Católica.

O SUCCESS FULL é uma iniciativa independente, humanista e da cidadania, multiplicadora e transformadora de consciências ao nível social, que procura realizar, através da organização de eventos e de uma recolha de entrevistas, um estudo internacional sobre o que é verdadeiramente o sucesso pleno nos dias de hoje e questionar em que medida esse sucesso individual pode (e deve) contribuir para o Sucesso colectivo da nossa civilização. A intenção é alargar a discussão a outras áreas: saúde (1ª. edição entretanto realizada em Santo Tirso), empresariado ou arquitectura.