Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

RANCHO FOLCLÓRICO DA CASA DO MINHO – DECANO DO FOLCLORE MINHOTO NA REGIÃO DE LISBOA – COMEMORA 75 ANOS DE DIVULGAÇÃO DAS NOSSAS TRADIÇÕES NA CAPITAL DE PORTUGAL!

Constituído em 1943, o Rancho Folclórico da Casa do Minho é o mais antigo agrupamento folclórico minhoto na região de Lisboa.

10409468_1422446658034434_4138927194034844996_n

Integrando a Casa do Minho, fundada em fundada em 1923, de igual modo a mais antiga agremiação regionalista minhota sediada na capital com vista a congregar as gentes da região d’Entre-o-Douro-e-Minho ali radicadas, com a finalidade de defender os interesses do Minho e das suas gentes.

P1120503

O Rancho Folclórico da Casa do Minho tem como objectivo divulgar a etnografia e a cultura minhota, fruto de uma recolha feita com rigor e critério ao longo de muitos anos no Alto e no Baixo Minho.

Esta recolha baseia-se na música, nos cantares e nas danças, assim como nos trajes típicos que os seus elementos envergam.

Sob a divisa “Pelo Minho e pelos minhotos!”, comemora a Casa do Minho 95 anos de Regionalismo – e o Rancho Folclórico da Casa do Minho 75 anos de Folclore – como um estandarte a erguer-se em prol do Minho!

A comunidade minhota que vive na região de Lisboa – naturais e seus descendentes – celebram ambas as efemérides com o mesmo entusiasmo com que certamente os seus fundadores experimentaram no acto inaugural.

O BLOGUE DO MINHO endereça a todos os sócios e dirigentes da Casa do Minho e do seu Rancho Folclórico as mais cordiais felicitações, augurando-lhes mais e maiores êxitos na sua caminhada!

15625996_1279982578712075_8610819901668532075_o

20988327_10209469386041304_7803292463936448932_o (1)

fatima 2016 (1)

foto batalha 1

8334A580-3CFB-47EE-BA84-94D1C8BB875A

VETERANOS DA CASA DO MINHO DO RIO DE JANEIRO COMEMORAM 21 ANOS A DANÇAR

Gostaríamos de convidá-los para a comemoração dos 21 anos de sucesso dos nossos Veteranos que mantêm viva as tradições de Portugal, através dos cantos e das danças do Alto Minho!

No cardápio churrasco completo com saladas variadas.

Para dançar o conjunto "Os Amigos do Alto Minho".

O folclore ficará por conta dos nossos Veteranos e do Rancho convidado, os Camponeses de Portugal! Reservas pelos telefones (21) 2225-1820 | (21) 2205-4698 ou pelo email contato@minho.com.br.

Reservas pelos telefones (21) 2225-1820 | (21) 2205-4698 ou pelo email contato@minho.com.br

45132928_1894645210614059_509627320261148672_n

CASA DO MINHO EM LISBOA: COUVADA À MINHOTA É UMA ESPECIALIDADE QUE NOS DESPERTA A NOSTALGIA DA VIDA DE ANTIGAMENTE NAS NOSSAS ALDEIAS

Os minhotos que vivem na região de Lisboa encontram-se neste instante reunido à volta da mesa, na Casa do Minho, a degustar um dos mais apreciados pratos que outrora faziam parte da ementa habitual dos nossos lavradores – a couvada à minhota!

cof

A seguir, a festa é animada pelo rancho folclórico, ao toque da concertina e com a exuberante alegria que caracteriza as gentes do Minho.

A couvada constitui desde sempre um dos pratos mais apreciados do lavrador minhoto. Mal começava o Outono e com ele as longas noites passadas à lareira, as couves faziam parte da alimentação diária do pobre camponês. Juntava-lhe as batatas, o feijão, a chouriça e, de um modo geral, um pouco de tudo quanto a lavoura lhe oferecesse. Era um verdadeiro manjar dos deuses.

Remonta ao século IV Antes de Cristo a origem da couve, altura em que os gregos a descobriram na região da Jônia e dela se surpreenderam pelos seus poderes medicinais, para além das suas virtudes culinárias. Porém, foram os romanos que a trouxeram para a Península Ibérica e nos deram a conhecer, passando a constituir o género de verdura mais consumida até aos finais da Idade Média.

Rica em fibras, iodo, cálcio, potássio, enxofre, magnésio e ômega 3; além de vitaminas A, B1, B2, B6, C e K, a couve é uma hortaliça da família Brassicaceae, constituindo um alimento de baixa caloria, desde sempre utilizado no tratamento de doenças estomacais, tendo vindo com o tempo a revelar-se como um excelente anti-inflamatório, antibiótico e anti-irritante natural, aplicado no combate a gripes, problemas hepáticos, renais e menstruais; artrite, bronquite, hemorroidas, úlceras e pedras nos rins e, na medicina alternativa, como vermífugo, para evitar ressacas, e até mesmo para baixar a febre, quando aplicada em forma de cataplasma.

Conhecida na Galiza por “verça”, a variedade de couve-galega é no Minho responsável por uma das melhores iguarias da cozinha tradicional portuguesa – o caldo verde – considerada uma das 7 maravilhas da gastronomia de Portugal!

O paladar constitui um dos sentidos que o minhoto sempre conserva e o mantém permanentemente ligado ao seu rincão natural, ao seu pedaço de Minho. E, na capital, a Casa do Minho faz jus à sua tradicional divisa: Uma boa mesa para uma boa política regionalista!

cof

cof

IMG-20181111-WA0002

IMG-20181111-WA0005

IMG-20181111-WA0008

IMG-20181111-WA0009

IMG-20181111-WA0010