Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ARCOS DE VALDEVEZ VAI ESTE ANO RECEBER O ENCONTRO DA EX-CASA DO MINHO DE LOURENÇO MARQUES (MOÇAMBIQUE)

Conforme o deliberado no XXII convívio da Casa do Minho em Paredes de Coura, o próximo convívio ficou marcado para ter lugar em Arcos de Valdevez, no próximo dia 6 de Abril.

47299239_10210322078487919_8525134921461661696_n

Esta comunicação feita pela organização do encontro vai no sentido das pessoas começarem a agendar a festa e, para facilitar aqueles que estão longe e até no estrangeiro poderem com tempo alinharem as suas vidas e respectivos programas.

O BLOGUE DO MINHO espera em breve dar a conhecer o programa definitivo deste evento.

CASA CERVEIRENSE EM LISBOA INAUGURA SEDE SOCIAL

A Casa Cerveirense em Lisboa procede no próximo dia 3 de Fevereiro à inauguração da sua sede social, na Freguesia dos Olivais, mais precisamente na rua Cidade de Vila Cabral, Lote 352, em Olivais Norte.

45494884_891548607709054_7805728917288910848_n.jpg

O anúncio acerca da obtenção de instalações com vista ao funcionamento da sede social foi feito em 2017 por Rosa Paula Brito, Presidente da Direcção daquela instituição regionalista, no decorrer do almoço comemorativo do 8º aniversário, ontem realizado na Quinta da Valenciana, em Fernão Ferro, no concelho de Sesimbra.

Entretanto, a Casa Cerveirense em Lisboa endereçou a todos os cerveirenses – e também ao BLOGUE DO MINHO – o convite que a seguir reproduzimos e agradecemos.

“Caros Cerveirenses e amigos

No próximo dia 3 de fevereiro, com início às 15 Horas, a Casa Cerveirense em Lisboa vai inaugurar a sua sede.

Para tal, e com a simplicidade que se pretende, dispensando a rigidez protocolar, a direção tem o prazer de o convidar, contando que nos honre com a sua presença, num ambiente festivo com a alegria que nos caracteriza.

Iniciaremos com a bênção do espaço, a que se segue um verde de honra, continuando pela tarde a receber quem quiser vir brindar connosco, há existência deste nosso pequeno cantinho, que será a partir deste dia a casa e o ponto de encontro da família cerveirense.

Presidente da Direção

Rosa Brito”

13419249_1758865380995057_1416404357683361511_n.jpg

CASA CERVEIRENSE EM LISBOA INAUGURA SEDE SOCIAL

A Casa Cerveirense em Lisboa procede no próximo dia 3 de Fevereiro à inauguração da sua sede social, na Freguesia dos Olivais, mais precisamente na rua Cidade de Vila Cabral, Lote 352, em Olivais Norte.

13419249_1758865380995057_1416404357683361511_n.jpg

O anúncio acerca da obtenção de instalações com vista ao funcionamento da sede social foi feito em 2017 por Rosa Paula Brito, Presidente da Direcção daquela instituição regionalista, no decorrer do almoço comemorativo do 8º aniversário, ontem realizado na Quinta da Valenciana, em Fernão Ferro, no concelho de Sesimbra.

45494884_891548607709054_7805728917288910848_n.jpg

A Casa Cerveirense em Lisboa endereçou a todos os cerveirenses – e também ao BLOGUE DO MINHO – o convite que a seguir reproduzimos e agradecemos.

“Caros Cerveirenses e amigos

No próximo dia 3 de fevereiro, com início às 15 Horas, a Casa Cerveirense em Lisboa vai inaugurar a sua sede.

Para tal, e com a simplicidade que se pretende, dispensando a rigidez protocolar, a direção tem o prazer de o convidar, contando que nos honre com a sua presença, num ambiente festivo com a alegria que nos caracteriza.

Iniciaremos com a bênção do espaço, a que se segue um verde de honra, continuando pela tarde a receber quem quiser vir brindar connosco, há existência deste nosso pequeno cantinho, que será a partir deste dia a casa e o ponto de encontro da família cerveirense.

Presidente da Direção

Rosa Brito”

48413833_2270654543149469_4341800916475707392_n (1).jpg

A cedência de instalações resulta de um acordo com o Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana, I.P.

A escassa distância do Aeroporto de Lisboa, da Segunda Circular, da avenida de Berlim, avenida Infante D. Henrique e da avenida Marechal Gomes da Costa, a sede da Casa Cerveirense beneficia de situação privilegiada devido à da proximidade de proximidade de magníficos parques urbanos constituídos por extensas zonas verdes, de entre os quais se destaca o Parque Urbano do Vale Fundão, um local excelente para a comunidade cerveirense levar a efeito algumas das suas actividades regionalistas.

Capturar1
REGIONALISMO CERVEIRENSE EM LISBOA REMONTA AOS COMEÇOS DA DÉCADA DE OITENTA DO SÉCULO XX
Apesar da Casa Cerveirense em Lisboa contar com pouco mais de nove anos de existência, o regionalismo cerveirense na capital lisboeta tem um historial mais vasto e que remonta aos começos da década de oitenta do século passado, altura em que se começaram a realizar anualmente os chamados “almoços cerveirenses”. Estes tiveram lugar durante vários anos consecutivos e eram organizados pela “Casa Cerveirense”, uma associação que reunia numas instalações na zona da Freguesia de Benfica mas que, contudo, jamais veio a ser legalmente constituída.
Em 1987, a Casa do Concelho de Ponte de Lima realizou em novembro o III Almoço Limiano e, pela primeira vez, juntou os representantes das diversas associações concelhias minhotas então existentes em Lisboa: a Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, a Liga dos Amigos do Concelho de Valença e a Casa Cerveirense.
Algum tempo depois, perante a promessa de poderem vir a ocupar cargos diretivos na Casa do Minho, os dirigentes da Casa Cerveirense aderiram a esta associação deixando de realizar os “almoços cerveirenses” e abandonando a ideia da legalização da sua associação regionalista. Porém, há quatro anos, uma nova geração de cerveirenses resolveu meter mãos à obra e constituir a Casa Cerveirense em Lisboa.

img464

A imagem regista um momento do III Almoço Limiano realizado em 1987, vendo-se em primeiro plano o representante da Casa Cerveirense.


A comunidade cerveirense radicada na região de Lisboa é constituída sobretudo por pequenos empresários na área de hotelaria, após uma longa tradição de tabernas e carvoarias onde ombrearam com os galegos. Não obstante, à semelhança do que se verifica com a comunidade minhota em geral, existe uma nova geração de descendentes constituída por jovens licenciados já nascidos na capital lisboeta que anseiam preservar as suas raízes e ligação com a região de origem dos seus país, devendo o regionalismo prestar-lhes uma especial atenção e potenciar as suas capacidades em prol da nossa região.

Apesar de contar com apenas quatro anos de existência, o regionalismo cerveirense na capital lisboeta tem um historial mais vasto e que remonta aos começos da década de oitenta do século passado, altura em que se começaram a realizar anualmente os chamados “almoços cerveirenses”. Estes tiveram lugar durante vários anos consecutivos e eram organizados pela “Casa Cerveirense”, uma associação que reunia numas instalações na zona da Freguesia de Benfica mas que, contudo, jamais veio a ser legalmente constituída.

Em 1987, a Casa do Concelho de Ponte de Lima realizou em novembro o III Almoço Limiano e, pela primeira vez, juntou os representantes das diversas associações concelhias minhotas então existentes em Lisboa: a Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, a Liga dos Amigos do Concelho de Valença e a Casa Cerveirense.

Algum tempo depois, perante a promessa de poderem vir a ocupar cargos diretivos na Casa do Minho, os dirigentes da Casa Cerveirense aderiram a esta associação deixando de realizar os “almoços cerveirenses” e abandonando a ideia da legalização da sua associação regionalista. Porém, há quatro anos, uma nova geração de cerveirenses resolveu meter mãos à obra e constituir a Casa Cerveirense em Lisboa.

A comunidade cerveirense radicada na região de Lisboa é constituída sobretudo por pequenos empresários na área de hotelaria, após uma longa tradição de tabernas e carvoarias onde ombrearam com os galegos. Não obstante, à semelhança do que se verifica com a comunidade minhota em geral, existe uma nova geração de descendentes constituída por jovens licenciados já nascidos na capital lisboeta que anseiam preservar as suas raízes e ligação com a região de origem dos seus país, devendo o regionalismo prestar-lhes uma especial atenção e potenciar as suas capacidades em prol da nossa região.

Capturar2

PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DO FOLCLORE PORTUGUÊS, DOUTOR DANIEL CAFÉ, VAI PARTICIPAR NO ALMOÇO DO ARROZ DE SARRABULHO COM ROJÕES À MODA DE PONTE DE LIMA QUE O GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO REALIZA EM LOURES

Ponte de Lima leva a Loures a sua mais afamada especialidade gastronómica e conta com a participação do Doutor Daniel Café, Presidente da Federação do Folclore Português, numa iniciativa do Grupo de Folclore Verde Minho

Estão quase esgotadas as inscrições para o almoço de arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima e a alheira de galo, numa iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os restaurantes de Ponte de Lima. Mas, praticamente metade das inscrições já estão asseguradas, devendo as mesmas ficarem esgotadas dentro de pouco tempo!

IMG_6307

A iniciativa vai ter lugar no próximo dia 3 de Fevereiro em Loures, a ter lugar na cantina da Câmara Municipal de Loures.

Sob a experiente batuta do Chefe Paulo Santos, da Casa de S. Sebastião, na freguesia limiana de S. Pedro de Arcos, espera-se uma adesão bem mais superior à verificada no ano passado. Os comensais vão ter a oportunidade de saborear uma das requintadas obras do paladar da gastronomia minhota e portuguesa em geral – o arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima!

Trata-se, realmente, de uma iniciativa a não perder e cuja inscrição não deve ser relegada para mais tarde… os contactos são os seguintes:

- Teotónio Gonçalves – 964 006 657

- Mário Oliveira – 914 080 246

IMG_6274

MINHOTOS EM NEWARK RECEBEM ANO NOVO À MODA DO MINHO

A comunidade minhota em Newark prepara-se para receber o Ano Novo 2019. E a festa tem lugar na Casa do Minho, em Newark, no Estado de New Jersey.

47390935_1235475929935275_4631150264752013312_n

A festa vale pela confraternização e cimento das gentes minhotas radicadas nos Estados Unidos da América – mas os produtos endógenos do Minho devem marcar presença mais acentuada e não serem substituídos por produtos de outros países de diferentes culturas. A título de exemplo, o “champanhe” jamais deverá substituir o vinho verde da nossa região!

O BLOGUE DO MINHO endereça a todos os minhotos radicados nos Estados Unidos da América os melhores votos de um Ano Novo de Paz, Saúde e Alegria!

Fotos: Casa do Minho

14368682_691555717660635_238538983303573538_n

49094864_1254470481369153_7820122031302639616_n

49491037_1254470451369156_1528095208674164736_n

49625814_1254470458035822_7334935819439833088_n

CASA DO MINHO EM LISBOA ORGANIZA ALMOÇO DO ARROZ DE SARRABULHO COM ROJÕES À MODA DE PONTE DE LIMA - EVENTO ESTÁ PREVISTO PARA ABRIL

Alheira de Galo será servida como entrada do almoço

A Casa do Minho vai em breve levar a efeito o Almoço do Arroz de Sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima, uma iniciativa que conta com o apoio de um grupo dos melhores restaurante e cozinheiros daquele concelho minhoto.

28511389_WEB_40789303_GI05072017PEDROGRANADEIRO_000234_WEB-1-960x640_c

Outra das novidades que será dada a oportunidade a degustar é a alheira de galo, uma das mais recentes especialidades da nossa região.

A animação estará a cargo do Rancho Folclórico da Casa do Minho.

O BLOGUE DO MINHO conta em breve informar a data e o local da realização deste grandioso evento para o qual se espera a participação de mais de meio milhar de pessoas. Entretanto, a Casa do Minho já se encontra a receber pedidos de inscrição para o referido evento, o que promete uma grandiosa jornada gastronómica a fazer jus ao lema: uma boa mesa para uma boa política regionalista!

Fotos: https://www.evasoes.pt/

28511408_WEB_40789329_GI05072017PEDROGRANADEIRO_000236_WEB-1-960x640_c

ARCUENSES EM LISBOA CANTAM AO MENINO JESUS NA IGREJA DE SANTO AGOSTINHO EM MARVILA

O evento contou ainda com a participação de representações da Beira e do Douro Litoral

A Igreja Paroquial de Santo Agostinho, em Marvila, recebeu anteontem um encontro de cantares tradicionais ao Menino Jesus, excelentemente interpretados pelo Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, o Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa – Arganil e o Rancho Tradicional de Cinfães.

DSC_9857

O local escolhido não podia ser melhor. Apesar de pouco conhecido inclusive pelos lisboetas, a Igreja de Santo Agostinho – outrora pertencente ao antigo Convento de Nossa Senhora da Conceição de Marvila da Ordem de Santa Brígida – constitui uma das igrejas de Lisboa que reúne mais esplendor.

Profusamente decorada com motivos de arte do barroco, desde os painéis de azulejos à talha dourada, não esquecendo os magníficos quadros com o ciclo da vida de Santa Brígida, é considerada um dos mais belos templos seiscentistas que sobreviveram ao terramoto de 1755. A igreja veio em 1959, a tornar-se sede da Paróquia de Marvila sob a invocação de Santo Agostinho.

Fotos: César Laranjo

DSC_9861

DSC_9862

DSC_9823

DSC_9853

DSC_9788

DSC_9795

DSC_9804

DSC_9812

ENTRAI, PASTORES, ENTRAI! – MINHOTOS CANTAM AO MENINO NA IGREJA MATRIZ DE LOURES

A iniciativa contou ainda com a participação de grupos beirões e durienses

Terminou há instantes em Loures o anunciado encontro de cantares tradicionais ao Menino Jesus.

DSCF3637

Neste evento participaram o Grupo de Folclore das Terras da Nóbrega – Alto Minho; o Grupo de Danças e Cantares do Alto do Moinho – Douro Litoral; o Rancho Folclórico da Ribeira de Celavisa – Arganil; o Rancho Tradicional de Cinfães e, naturalmente o anfitrião Grupo Folclórico Verde Minho – Alto Minho.

DSCF3590 (2)

DSCF3594

DSCF3597

DSCF3604

DSCF3613 (2)

DSCF3614

DSCF3619 (2)

DSCF3621

DSCF3622

DSCF3623

DSCF3624

DSCF3583

DSCF3647

DSCF3654

DSCF3658 (2)

DSCF3663 (2)

DSCF3665 (2)

DSCF3675

DSCF3677 (2)

DSCF3679

DSCF3682

DSCF3683

DSCF3686

DSCF3688

DSCF3689

DSCF3691

DSCF3692

DSCF3696

DSCF3701