Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

O POSTAL ILUSTRADO E A SUA HISTÓRIA

O aparecimento do postal ilustrado encontra-se associado ao turismo moderno que teve o seu advento sobretudo a partir dos começos do século XX. A Revolução Industrial operada no século XIX permitiu uma evolução notável das vias de comunicação, nomeadamente nos meios de transporte ferroviário e fluvial. Com elas veio também a instalação de grandes hotéis, casinos e outras formas de entretimento para os viajantes, muitos deles estrategicamente situados no centro das capitais ou junto às estações de comboio.

NUMBERAZORES002

A partir de então, os países e os continentes tornaram-se mais próximos, encurtando substancialmente o tempo demorado em viagens. Entretanto, surgiu o automóvel e, com ele, a possibilidade de deslocar-se mais facilmente e conhecer novas paisagens.

Beneficiando do progresso então verificado que veio introduzir novos hábitos na sociedade, as pessoas começaram a viajar, partindo à descoberta de novas terras e novas gentes, procurando por esse meio também enriquecer os seus conhecimentos em contacto com novas realidades. À semelhança do que antes se verificava com as estadias nas termas, viajar passou também a constituir uma forma de afirmação do estatuto social das classes mais abastadas.

Mas a industrialização não se reflectiu apenas no desenvolvimento dos transportes e vias de comunicação. Também as artes gráficas registaram um progresso notável com o desenvolvimento da zincogravura e, mais tarde, o aparecimento da impressão em offset. Este avanço dos processos de impressão possibilitou um incremento e uma melhoria na qualidade da imprensa que se reflectiu na produção de uma maior quantidade de jornais, no aparecimento das revistas ilustradas, publicações para viajantes e, como não podia deixar de suceder, na invenção do postal ilustrado.

Ao visitar um determinado local, o viajante tem a possibilidade de enviar à família ou aos amigos uma recordação do local por onde passou, realçando os aspectos locais que mais lhe apraz visitar e, simultaneamente, fazer-se notar na sociedade. Em consequência, o postal ilustrado tornou-se um excelente meio de promoção turística.

O postal ilustrado nunca pretendeu constituir-se como um registo histórico de um acontecimento ou sequer da imagem num determinado espaço temporal. De resto, os seus editores nunca adquiriram o hábito de inserirem a data de edição, até porque, destinando-se a serem vendidos, os mesmos por vezes permaneciam nos expositores por largos períodos de tempo até se esgotarem as edições. Porém, com o decorrer do tempo, as imagens que o postal reproduz vieram de certa forma a tornar-se um documento histórico na medida em que acabaram por registar uma realidade que existia ao momento em que as imagens foram captadas para serem reproduzidas no postal.

Não obstante o registo constante do postal ilustrado poder documentar um determinado momento histórico, ele não é inteiramente fiável porquanto o mesmo registo é propositadamente alterado pelo editor segundo critérios estritamente comerciais. Épocas houve que as cores quentes eram acentuadas e introduzidos elementos não constantes como nuvens e flores para preencher os espaços vazios e conferir um colorido mais atraente, da mesma forma que actualmente se procede a autênticas operações de limpeza com o recurso a programas informáticos de tratamento de imagem.

Não dispondo o postal ilustrado de data de edição, apenas é possível calculá-la aproximadamente através da imagem que reproduz ou ainda das técnicas utilizadas e dos grafismos empregues, como sucede com a utilização da fotografia, a impressão a preto, as diferenças de formatos e de tonalidade das cores, a serrilha e outros elementos estéticos aplicados na sua produção. Todos esses aspectos encontram-se directamente relacionados com a evolução dos meios de produção gráfica e ainda dos gostos gráficos e modas utilizadas em cada época.

Podemos ainda tomar como referência no que respeita à datação aproximada da produção do postal a ortografia empregue, como sucede com as edições mais antigas anteriores à Convenção Ortografica de 1911 implementada pela I República. Tal como a partir de agora passarão a ser legendados postais respeitando o Acordo Ortográfico de 1990. O carimbo dos CTT aposto sobre o selo apenas nos indica a data de circulação. A datação da imagem constante do postal é particularmente relevante nomeadamente para quem procura identificar elementos étnicos como o traje situando-o numa determinada época.

0001_Mfont (1).jpg

ESPOSENDE: À ESPERA DO SARGAÇO EM POSTAL CIRCULADO EM 1936

À espera do sargaço.jpg

Postal circulado em 1936 a retratar cena de espera do sargaço. Refira-se, no entanto, que por razões comerciais os postais nunca são datados e a sua verdadeira data de publicação é sempre anterior à altura em que foi utilizado, podendo até ter vários anos de circulação comercial devido à necessidade de produzir-se tiragens mais elevadas em virtude dos meios gráficos utilizados.

Neste caso, a identificação Espozende indica que a edição do postal é anterior à Convenção Ortográfica de 1911.

Propriedade: Manuel Albino Penteado Neiva / Fonte: Arquivo Municipal de Esposende

ESPOSENDE: SARGACEIRA EM POSTAL CIRCULADO EM 1936

Tipo de sargaceira.jpg

Tipo de sargaceira num postal circulado em 1936. Refira-se, no entanto, que por razões comerciais os postais nunca são datados e a sua verdadeira data de publicação é sempre anterior à altura em que foi utilizado, podendo até ter vários anos de circulação comercial devido à necessidade de produzir-se tiragens mais elevadas em virtude dos meios gráficos utilizados.

Propriedade: Manuel Albino Penteado Neiva / Fonte: Arquivo Municipal de Esposende

ESPOSENDE: SARGACEIRO EM POSTAL CIRCULADO EM 1936

Tipo de Sargaceiro.jpg

Tipo de sargaceiro num postal circulado em 1936. Refira-se, no entanto, que por razões comerciais os postais nunca são datados e a sua verdadeira data de publicação é sempre anterior à altura em que foi utilizado, podendo até ter vários anos de circulação comercial devido à necessidade de produzir-se tiragens mais elevadas em virtude dos meios gráficos utilizados.

Propriedade: Manuel Albino Penteado Neiva / Fonte: Arquivo Municipal de Esposende

ESPOSENDE: CASA DE HABITAÇÃO EM FÃO NO INÍCIO DO SÉCULO XX

CapturarESPFAO.JPG

Este postal reproduz a imagem de uma casa de habitação em Fão, Esposende, à volta de 1910. Data atribuída com base na presença de um selo da República Portuguesa de 1/2 centavos no verso deste postal. Refira-se, no entanto, que por razões comerciais os postais nunca são datados e a sua verdadeira data de publicação é sempre anterior à altura em que foi utilizado, podendo até ter vários anos de circulação comercial devido à necessidade de produzir-se tiragens mais elevadas em virtude dos meios gráficos utilizados. Neste caso, a identificação Espozende indica que a edição do postal é anterior à Convenção Ortográfica de 1911.

Propriedade: José Gonçalo Areia / Fonte: Biblioteca Municipal de Esposende