Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PROJETO INOVADOR DE COMBATE AO ANALFABETISMO E PROMOÇÃO DAS LITERACIAS INICIA-SE NO PORTO

Inicia-se, amanhã, com a assinatura do protocolo de colaboração entre as entidades copromotoras envolvidas , às 17,00 horas, na sede da Junta de freguesia de Paranhos, o projeto-piloto inovador “Percursos de Cidadania, Alfabetização e Literacias”, de combate ao analfabetismo e de promoção das literacias da população adulta do porto, em especia,l os habitantes da freguesia de Paranhos.

A Iniciativa conta com a presença dos responsáveis da entidades envolvidas, Alberto Machado , Presidente da Junta de freguesia de Paranhos, António Tavares, Provedor da Santa Casa de Misericórdia do Porto, Rui Pedroto da Fundação Manuel António da Mota, Francisco Gil Silva da Escola Artística Árvore, António Leite, delegado regional  do Instituto de Emprego e Formação Profissional e Armando Loureiro, Presidente da APEFA, Associação Portuguesa de Educação e Formação de Adultos- Aprendências que, colaborativamente, vão construir respostas promotoras de felicidade e de aprendizagens.

As oficinas de alfabetização e Literacias decorrerão na casa da cultura de Paranhos, em horários compatíveis com a disponibilidade dos adultos e contam com um conjunto de professores voluntários que aderiram ao projeto .

Trata-se de um projeto-piloto de alfabetização, inédito pela sua configuração pedagógica e organizacional, e está a ser desenvolvido em geografias diversas, como Póvoa de Varzim e Esposende.

A direcção da APEFA

Armando Gomes Loureiro

PINTOR ARCUENSE MUTES PARTICIPA NO PORTO EM COLETIVA DE PINTURA

Exposição Coletiva de Pintura “Art Without Stigmas”

No próximo dia 2 de Março, na Galeria 60-62 Art Gallery, situada na Rua São João, nº 62, no Porto, vai estar patente uma exposição coletiva de pintura, denominada “Art Without Stigmas”. Nesta exposição que conta com a participação de 12 artistas, estará o Arcoense Mutes.

O objetivo primordial deste evento, é dar a conhecer ao público a forma como estes 12 artistas plásticos, com percursos de vida e artísticos significativamente distintos, percepcionam o Mundo e o estado atual da nossa Sociedade através da sua Linguagem, a Arte. Os artistas que vão expor nesta colectiva são.

- André Gigante

- Elisa Costa

- Jacqueline de Montaigne

- Laura Hidalgo

- Leonor Sousa

- Madina Ziganshina

- Manuel Gomes

- Mutes

- Patrícia Ferreira

- Rita Ravasco

- Rita Vidigal

- Third

Esta exposição estará patente até ao dia 31 de Março.

52970898_320415998679174_2720075901785079808_n.jpg

GRUPOS FOLCLÓRICOS DEVEM DAR-SE AO RESPEITO: NO FOLCLORE TAMBÉM SE CABULA!

No folclore também se recorre à cábula! – que o diga o “Danças e Cantares Etnográficos do Orfeão Universitário do Porto”. A avaliar pelas fotos do próprio grupo e que disponibiliza ao público através da sua página no Facebook, caso se submetessem a exame nesta área seguramente obteriam a reprovação… fazemos votos que obtenham melhor aproveitamento noutras cadeiras uma vez que nesta não aprenderam a lição!

30728248_10156342695310979_3083555329028390912_n.jpg

20525541_10155548282300979_2867594593248059465_n.jpg

1010102_10152258262035979_414564977_n.jpg

17904494_10155142916830979_6580399578011514860_n.jpg

DOZE D´ARTE NA GALERIA DAYS ARE

Vai estar patente ao público na Galeria DAYS ARE, situada na rua Miguel Bombarda, nº 124 sala A, na cidade do Porto, uma exposição coletiva de pintura denominada Doze D´Arte.

51243271_1987258118246439_7210319473650171904_n.jpg

Esta exposição vai patentear obras de pintores de Norte a Sul do Pais, sendo este um coletivo de Artistas onde cada um dos seus intervenientes, prima pela sua forma de fazer Arte.

A exposição é inaugurada no próximo sábado dia 16-02-2019, com vernissage pelas 16:00, até ás 20:00 h, sendo a curadoria a cabo de Aurelina Dias.

Os artistas que ingressam esta exposição, são: Alua Polen, Ana Camilo, Carl Godinho, Carlos Saramago, Dila Moniz, Luiz Morgadinho, Martinho Lima, Miguel Silva, Mutes, Paulo Sanches , Pedro Raf , Vitor Zapa.

NAMORAR PORTUGAL CONQUISTA CORAÇÃO DO PORTO

Porto recebeu a nova linha da Ecoemotion e a Biblioteca Municipal de Vila Verde foi palco do Casting Namorar Portugal!

A marca Namorar Portugal continua a espalhar amor pelo país. Terça-feira, dia 5 de fevereiro, marca territorial do Município de Vila Verde esteve a conquistar corações na Invicta.

A (1)nambbeb.JPG

Localizado numa zona central e de grande afluência turística na cidade do Porto, o espaço Cork Solution recebeu a nova linha Namorar Portugal da Ecoemotion. 'Porto dos Namorados' é a coleção que vem romper lugares comuns da estética de artigos de lar e de escritório com uma nova e singular coleção de produtos feitos em cortiça.

A marca surpreende ainda com a apresentação de um tecido em cortiça que pode ser comercializado ao metro e de um papel autocolante inspirado nos motivos dos Lenços de Namorados que vai permitir encadernar e preservar belas memórias. No mesmo dia, a Biblioteca Professor Machado Vilela, em Vila Verde, acolheu um grupo de jovens à procura do sucesso no mundo da moda que se apresentou para o ‘Casting Namorar Portugal’.

A (2)nambbeb.JPG

Namorar Portugal conquista corações na Invicta

Carlos Maia começa por explicar que o nome da coleção ‘Porto dos Namorados’ foi escolhida em homenagem ao local de apresentação, a cidade do Porto. A Cork Solution vende a retalho produtos em cortiça exclusivos da Ecoemotion e, para o representante da empresa, “tem sido um bom porto de abrigo”. A marca volta a apostar este ano em produtos de decoração para a casa e escritório. Da renovação e a conceção de novas formas de produtos já existentes à criação de novos utensílios, a Ecoemotion surpreendeu pela criatividade. Fruteiras em dois formatos diferentes, um novo formato de bases de copo, um toalhete e novos despeja bolsos são alguns exemplos dos novos produtos em cortiça da linha para a casa. “Reforçámos ainda uma área que somos mais competitivos e fortes, a área do escritório”, revelou Carlos Maia. Envelopes de cortiça com motivos inspirados nos bordados minhotos são uma nova aposta da marca.

“Lançámos ainda um novo bloco A5, diferente, em que o elástico é colocado ao meio e o interior é personalizado com quatro diferentes motivos dos Lenços de Namorados”, afirmou o representante da Ecoemotion. Mas as surpresas não pararam por aqui. Para satisfazer os seus clientes e criar soluções diferenciadas e adequadas às necessidades de cada um, a marca torna-se precursora na venda de tecido de cortiça ao metro com os motivos dos Lenços de Namorados. “Assim qualquer pessoa pode fazer a sua própria peça”, afirmou Carlos Maia. Foi com este mote que foi apresentado ainda um papel autocolante com motivos inspirados nos bordados tradicionais.

A (3)nambbeb.JPG

Dezenas de jovens rumam a Vila Verde na procura de um sonho

Dezenas de jovens apaixonados pelo mundo da moda rumaram ontem a Vila Verde, o epicentro do Mês do Romance, na tentativa de tornar realidade o sonho de brilhar na passerelle. Treze raparigas e três rapazes foram selecionados no ‘Casting Namorar Portugal’, uma das diversas iniciativas promovidas pelo Município de Vila Verde, no âmbito da programação “Fevereiro, Mês do Romance”. Este evento permite identificar e promover novos talentos que terão a oportunidade de desfilar na Gala Namorar Portugal e/ou no Desfile de Acessórios de Moda. O Município de Vila Verde aposta, mais uma vez, na promoção1 o potencial e o talento dos jovens na área da moda, bem como valorizar e divulgar um dos maiores símbolos da cultura vilaverdense, os Lenços de Namorados, numa conjugação harmoniosa de tradição e modernidade.

A (4)nambbeb.JPG

A (5)nambbeb.JPG

A (6)nambbeb.JPG

A (7)nambbeb.JPG

ARRANCA HOJE NO PORTO O FESTIVAL DE CINEMA INFANTIL INDIEJÚNIOR ALLIANZ

A 3.ª edição do IndieJúnior Allianz, Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil do Porto, tem início hoje, 29 de janeiro, e decorre até dia 3 de fevereiro. Durante 6 dias, o evento volta a ocupar o Teatro Municipal Rivoli e a Biblioteca Municipal Almeida Garrett, aos quais se juntam, este ano, a Casa das Artes e a Reitoria da Universidade do Porto.

image004allli.jpg

IndieJúnior Allianz apresenta um programa diversificado e promete revisitar alguns dos filmes que marcaram os adultos de hoje. Ao todo serão cerca de 50 filmes, entre curtas e longas metragens que abrangem animação, ficção e documentário. Os visitantes poderão ainda aproveitar atividades para toda a família, desde exposições a debates, oficinas e sessões de cinema para bebés.

“A cultura é uma das principais apostas da Allianz, pelo que temos investido bastante em iniciativas e atividades como o IndieJúnior Allianz. É, sem dúvida, um evento cada vez mais importante no panorama cultural nacional e que nos permite estar próximos das famílias portuguesas. Queremos, sobretudo, retribuir a confiança que os nossos Clientes depositam em nós e, por isso, temos trabalhado ativamente para levar a cultura a todos, incluindo aos mais jovens, o foco deste festival e os nossos Clientes de amanhã”, afirma José Francisco Duarte Neves, Membro do Comité de Direção e Diretor de Market Management e de Produto P&C da Allianz Portugal.

No âmbito da política de Responsabilidade Social da Companhia, através do Projeto EPIS, que apoia crianças e jovens em risco de abandono escolar, a Allianz irá levar, na quarta-feira, duas turmas da Escola Básica e Secundária do Cerco, em Campanhã, para assistirem a uma sessão de cinema do IndieJúnior Allianz.

Paralelamente a estas atividades, a Allianz irá, no fim-de-semana, surpreender as famílias com momentos de ativação no Teatro Rivoli, através de um photobooth em forma de foguetão e distribuição de balões alusivos ao festival.

IndieJúnior Allianz, que integra o IndieLisboa, é organizado a pensar nas crianças e ideal para a descoberta de novos autores e tendências do cinema infantojuvenil. Para mais informações consulte o programa completo em http://www.indiejunior.com/.

Sobre a Allianz

A Allianz Portugal integra o Grupo Allianz, um dos maiores grupos financeiros do mundo, presente em mais de 70 países e com cerca de 145.000 colaboradores. Mais de 60 milhões de clientes, a nível mundial, confiam no seu know-how e sentido de responsabilidade. A Allianz Portugal tem, também, como acionista e principal parceiro estratégico, o Banco BPI. Posiciona-se no mercado nacional de forma inovadora, apostando no desenvolvimento de produtos de acordo com as necessidades de segurança dos seus Clientes, na expansão da sua rede de distribuição e na melhoria da prestação de Serviço. Conta atualmente com cerca de 600 colaboradores e mais de 6.000 mediadores em todo o país. Desde Dezembro de 2004, a Allianz Portugal é uma seguradora com Certificação da Qualidade ISO 9001, que abrange a maior parte dos seus produtos e serviços.

IndieJúnior Allianz 2019.jpg

AUTARCAS DEBATEM DESCENTRALIZAÇÃO EM FAMALICÃO

Rui Moreira e Paulo Cunha debatem descentralização, amanhã, em Famalicão. Conferência realiza-se no auditório da Fundação Cupertino de Miranda, no centro da cidade, a partir das 14h30

Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, e Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, são dois dos autarcas que já manifestaram publicamente a não aceitação da transferência de competências propostas pelo Governo de Portugal para 2019 e cujos executivos aprovaram já essa recusa. Ambos os autarcas vão marcar presença amanhã, terça-feira, 29 de janeiro, na Fundação Cupertino de Miranda de Vila Nova de Famalicão, na conferência intitulada “Impactos da descentralização de competências para as Autarquias Locais” promovida em parceria pelo Observatório das Autarquias Locais e pelo Grupo Skillmind com o apoio da autarquia famalicense.

Fundação Cupertino de Miranda.JPG

Para além de Paulo Cunha e Rui Moreira participam ainda como oradores e intervenientes nesta conferência os autarcas de Guarda e Vila Real, Álvaro Amaro e Rui Santos, respetivamente, o Presidente do Conselho de Administração Executivo das Infraestruturas de Portugal, António Laranjo, o presidente da direção da AICCOPN, Manuel Reis Campos, o presidente da Associação Portuguesa de Geógrafos, José Alberto Rio Fernandes, e ainda o CEO do Grupo Skillmind, Luís Ramalho, e o presidente do Observatório das Autarquias Locais, Bartolomeu de Noronha.

A conferência vai decorrer no auditório da Fundação Cupertino Miranda, a partir das 14h30. As inscrições já estão esgotadas.

“Descentralizar as tarefas ou as decisões?”, “Descentralização: interior vs local” e o impacto da descentralização de competências na gestão rodoviária e no investimento público serão, entre outros, alguns dos temas abordados na conferência.

MONÁRQUICOS EVOCAM CENTENÁRIO DA MONARQUIA DO NORTE

A Real Associação do Porto, em parceria com a Causa Real e as Reais Associações de Lisboa, Braga e Viana do Castelo, vai promover a evocação do Centenário da Monarquia do Norte.

49897833_2118767744859545_1142029403119681536_n.jpg

No próximo dia 19 de Janeiro, Sábado, no Ateneu Comercial do Porto, pelas 18h00, haverá uma Conferência subordinada ao tema “Cem anos da monarquia do norte – uma história de resistência”, na qual serão oradores os historiadores Dr. Carlos Bobone e o Prof. Dr. Nuno Resende.

A conferência é de entrada livre, seguindo-se um Jantar sujeito a inscrição prévia até quinta-feira, dia 17 de Janeiro, ambos limitados à lotação do espaço.

O contributo para o jantar, no valor de 25,00 €, deverá ser efectuado por transferência bancária ou multibanco, para o nosso:

NIB: 0033 0000 0011 1128 3420 5

IBAN: PT50 0033 0000 0011 1128 3420 5

Agradecemos o envio do respectivo comprovativo para a nossa sede ou, preferencialmente, por email para realporto@realporto.pt, impreterivelmente até ao referido dia 17 de Janeiro.

Pelo interesse do tema e pela qualidade dos oradores, temos a expectativa de poder contar com a vossa presença!

PINTOR ARCUENSE MUTES EXPÕE NO PORTO

Arcuense Mutes e colegas, expõe na Galeria Days Are,  Miguel Bombarda, Porto

Foi inaugurada no passado dia 1 de Dezembro, na Galeria Days Are, situada na rua Miguel Bombarda 124 sala A, no Porto, uma exposição de pintura denominada (Coletiva de arte).

47354695_1949233915382193_9151813097109848064_n

Esta exposição é composta por pintores de diferentes linguagens pictóricas, onde cada um se diferencia do seu trabalho, seguindo uma linhagem muito própria.

Os pintores que se expõe  nesta coletiva, com a curadoria de Aurelina Dias, são: Carla Pinheiro, Dagoberto Silva, Damião Vieira, Denis Oudet, Francesco Pluma, Jorge Marques, José Soares, Mariza Miguelez, Mutes, Odete Pinheiro, Tozé Pais.

A exposição pode ser visitada durante o funcionamento da Galeria, e estará patente ao público até ao dia 9 de Janeiro.

PINTOR ARCUENSE MUTES INTEGROU EXPOSIÇÃO DIVERSEXCITY’2018

DIVERSEXCITY 2018 é um evento de arte contemporânea que promove a produção artística 2D, 3D e cénica, sobre a temática ‘diversidade de género e uma visão da sociedade actual’. Está incluído numa série de eventos que irão decorrer na cidade do Porto em Outubro sobre o mesmo tema.

43426751_10217023928613171_6464605935795961856_n

Os artistas são convidados a intervir e incorporar signos, símbolos das suas visões utópicas (ou não) e pessoais, ambicionadas para a aceitação da realidade actual da diversidade de género, nas suas realizações.

Pretende-se desta forma, fomentar a informação e discussão sobre um tema actual e deveras importante ‘diversidade de géneros’, como se manifesta na sociedade e como a sociedade se manifesta sobre esta sua transformação, criando assim um olhar sem filtros, real, da sociedade do século XXI.

Foi neste âmbito que no passado dia 6 de Outubro a Galeria Geraldes da Sivla no Porto, com curadoria de Lisa Teixeira Lopes, abriu as suas portas para a exposição coletiva ‘DIVERSEXITY’, sito na rua Santo Ildefonso 225 – 229 4000 – 470, na cidade do Porto, do qual o Arcuense Mutes foi um dos selecionados. Os artistas que integraram a exposição Diversexcity 2018, foram:

Acácio de Carvalho, Albino Costa, Ana Del Rio, Catarina Machado, César Vieira, Cristina Camargo, Céu Costa, Domingos Leite de Carvalho, Duarte Barros, Florentina Resende, Henrique do Vale, Isabel Mourão Alves, José Rosinhas, Lauren Maganete, Maria Rafael, Maria Rosas, Manuel Meira, Mutes, Miguel Vasconcelos, Nuno Raminhos, Pedro de Sousa Araújo, Ruy Silva, Sílvia Carreira, Susana Bravo e Teresa Ricca.

43308904_10217023918092908_5620651364712448000_n

43372283_10217023918452917_1037059058080677888_n

43375197_10217023920812976_6156344588089950208_n

43398226_10217023925093083_4745782542450294784_n

43419316_10217023935213336_7839587909714837504_n

43443962_10217023936893378_8980146814816616448_n

43450471_10217023924333064_6435598345154068480_n

43473471_10217023914132809_6550286444542296064_n

43476087_10217023916452867_7364715890014683136_n

43477957_10217023926813126_2635214473366863872_n

43494492_10217023923253037_3343360963075112960_n

43518838_10217023926253112_7838926025189752832_n

43528210_10217023918812926_9117054382049853440_n

43555416_10217023930893228_8866161470862262272_n

FAMALICENSES CONVERSAM ACERCA DAS IMAGENS DO PORTO

Conversas à volta das imagens do Porto, no Arquivo Municipal de Famalicão

No próximo dia 11 de outubro, quinta-feira, pelas 18h00, o Arquivo Municipal Alberto Sampaio, em Vila Nova de Famalicão, vai acolher a conferência intitulada “O arquivo em imagens: contextualização do arquivo fotográfico no seio da Câmara Municipal do Porto”, inserida na iniciativa “Conversas à volta de…”.

A conferência, com entrada livre, tem como convidada Maria do Rosário Guimarães, que exerce funções como Técnica Superior no Arquivo no Histórico Municipal do Porto desde 1994, sendo coordenadora do Setor de Informação e Reprodução, do Arquivo Fotográfico e da Biblioteca de Assuntos Portuenses.

O arquivo fotográfico municipal, instalado no Arquivo Histórico, é resultado da produção documental do Município do Porto no decurso da sua atividade e de aquisições de arquivos e coleções de fotógrafos que trabalharam na cidade do Porto entre os séculos XIX e XX. Este acervo permite apoiar a administração municipal, preservar e divulgar o património iconográfico e mostrar os mais diversos aspetos da vida local e nacional. Nesta “conversa à volta de…” pretende-se dar a conhecer as diversas espécies fotográficas existentes nesta instituição.

Refira-se que Maria do Rosário Guimarães é licenciada em Filosofia e Pós Graduada com o Curso de Especialização em Ciências Documentais pela Universidade de Coimbra. Tem participado em programas de promoção do Arquivo no sentido de despertar a comunidade para a importância do seu património documental e também para a intensificação de uma política de captação de novos públicos. Tem apresentado diversas comunicações relacionadas com o acervo fotográfico integradas no Ciclo “O documento do Mês” da Casa do Infante. Tem orientado estágios curriculares de alunos das Licenciaturas, Pós Graduações e Mestrados de diversas Universidades no âmbito das Ciências da Informação, História da Arte e da Fotografia no que concerne ao tratamento documental de arquivos fotográficos

SERRALVES MOSTRA-SE EM FAMAÇLICÃO COM A EXPOSIÇÃO “A MINHA CASA NÃO É A TUA CASA”

Mostra vai estar patente até junho de 2019 e conta com um programa de atividades paralelo com inúmeras atividades

José Pedro Croft, Pedro Cabrita Reis, Gil Heitor Cortesão, Ângela Ferreira e Luís Palma são apenas alguns dos artistas que estão representados na exposição “A minha Casa é a tua Casa – Imagens do doméstico e do urbano na coleção de Serralves”, que foi inaugurada esta segunda-feira, na Casa do Território, no Parque da Devesa. A mostra partilhada que resulta do acordo de adesão do município de Famalicão ao Conselho de Fundadores da Fundação celebrado em 2016, reúne perto de duas dezenas de obras de artistas consagrados e ficará patente até junho de 2019. Até lá decorre um conjunto de atividades paralelas destinadas a todos os públicos.

image58931

Já neste domingo, 7 de outubro, pelas 15h00, haverá uma visita guiada à exposição promovida por um responsável do serviço educativo de Serralves. Ao longo do período da exposição poderão ainda ser agendadas visitas orientadas para grupos.

No dia 22 de outubro, decorrerá uma ação de formação sobre a exposição, destinada a técnicos da área da cultura, educadores e professores. A entrada é livre, mas de inscrição obrigatória.

Para 2019, estão também já agendas diversas oficinas para as famílias e escolas, para além de visitas ao território e passeios comentados e ainda um ciclo de conversas “à volta de Casa”.

“A minha casa é a tua casa” é uma exposição que coloca o doméstico e o quotidiano no centro das preocupações, propondo diferentes interpretações daquilo que se entende por casa.

Para a presidente do Conselho de Administração de Serralves, Ana Pinho, a realização desta exposição vem “reforçar os laços e a parceria com o município de Vila Nova de Famalicão. A Fundação sai dos seus muros e mostra-se num município que aposta fortemente na cultura”. A responsável salientou ainda a “forte componente do serviço educativo desta exposição, com oficinas e ateliers diversificados”.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, mostrou-se orgulhoso por esta parceria com a Fundação Serralves que se afirma cada vez mais como“um projeto cultural democrático e moderno”. “É um projeto do Norte que se afirma no contexto cultural nacional e internacional”, sublinhou o autarca, acrescentando que, com esta exposição, a fundação traz a Famalicão “um bom pedaço de Serralves”.

Recorde-se que, com a celebração do acordo de adesão do município a Serralves iniciou-se uma relação de cooperação entre estas duas instituições, baseada num projeto integrativo de promoção e divulgação cultural e ambiental, que entre outras atividades prevê, por exemplo, o acesso em Famalicão às inúmeras exposições itinerantes da Coleção de Serralves, entre outras iniciativas.

Neste âmbito, o município tem marcado presença nas atividades de Serralves, nomeadamente na Festa de Outono, que decorreu no passado fim de semana, entre outras.

A Minha Casa é a Tua Casa

Imagens do Doméstico e do Urbano na Coleção de Serralves

01 Outubro 2018 a 02 Junho 2019

Local

Casa do Território (Parque da Devesa)

  1. Fernando Mesquita

V.N. de Famalicão

Tel: 252374184

Horário

3ª a 5ª feira: 09h30-13h00 e 14h00-17h30

Sábado, domingo e feriados: 14h30-18h30

PROGRAMAÇÃO│ATIVIDADES PARALELAS

VISITA ORIENTADA À EXPOSIÇÃO

7 OUT │15h00 (com educador do Serviço Educativo de Serralves)

                           Público-alvo: Geral.

Nota: Ao longo do período de exibição, poderão ser agendadas visitas orientadas para grupos, com um mínimo de 10 participantes, em data e horário a combinar.

Condições: Gratuito.

AÇÂO DE FORMAÇÃO sobre a Exposição

22 OUT (Seg)│09h30/17h00 (com educador do Serviço Educativo de Serralves)

                        (Público-alvo:Técnicos da área da cultura, educadores, professores…).

Condições: Gratuito. Inscrição prévia.

OFICINAS/WORKSHOPS PARA FAMÍLIAS

- Lugares Íntimos (com educador do Serviço Educativo de Serralves)

  13 JAN 2019 (Dom)│15h00

- A minha casa é a tua casa (dinamização: A Casa ao Lado-Centro Artístico)

  10 FEV e 14 ABR 2019│15h00

(resultará na construção de uma instalação artística elaborada pela comunidade, a ser exposta no exterior)

Condições: Gratuito

SERVIÇO EDUCATIVO PARA ESCOLAS

- Visita-conversa à Exposição (Público alvo: 2º, 3º CEB e Secundário)

- Oficina “A minha casa de sonho” (Público alvo: 1º e 2º CEB)

Condições: Gratuito. Inscrição prévia (Consultar o Plano de Atividades Educativas do Município de V.N. de Famalicão 2018-2019)

VISITAS AO TERRITÓRIO/PASSEIOS COMENTADOS – Tema: Arquitetura Contemporânea*

- Casa # doméstico │23 MAR 2019│14h00

- Casa # urbano│11 MAI 2019│14h00

Público-alvo: Geral

Condições: Gratuito. Inscrição prévia.

CICLO DE CONVERSAS…À VOLTA DE CASA*

image58928

FEV│MAR│ABR 2019

Arte, criação artística e a sua relação/diálogo com a arquitetura será o mote destas conversas, onde se pretende a participação de alguns artistas representados nesta Exposição e coloca-los em diálogo/reflexão com arquitetos convidados.

Público-alvo: Geral

Condições: Gratuito

*Com a colaboração do Dep. do Ordenamento e Gestão Urbanística.

NOTA FINAL: Programa em aberto e sujeito a atualização. Poderão surgir alterações, por razões não previstas e devidamente justificadas.

UNIVERSIDADE SÉNIOR DE FAMALICÃO INICIA ANO LETIVO COM MAIS DE 80 ALUNOS

Visita ao Museu de Serralves abre atividades no dia 9 de outubro

A Universidade Sénior de Vila Nova de Famalicão inicia as atividades do ano letivo 2018-2019 no dia 9 de outubro, com uma visita ao Museu de Serralves, que é considerado o mais importante museu de arte contemporânea em Portugal. Na ocasião será realizado também um almoço-convívio com os mais de 80 alunos que frequentam a instituição.

Fernando Costa _ Presidente da Universidade Sénior de Famalicão _01

As aulas na Universidade Sénior começam no dia 10 de outubro. No total, são disponibilizadas 16 opções diferentes de aulas, em áreas de conhecimento como Literatura, Psicologia, Economia, Filosofia, História, Direito, Desenho/Pintura, Informática, Fotografia Digital, Grupo de Cantares, Técnicas de Meditação e Yoga.

O novo ano letivo traz algumas novidades. Além das aulas de Inglês e Francês, os alunos poderão aprender dois novos idiomas. Serão disponibilizados aos alunos aulas de Italiano e Espanhol.

“Temos aulas todos os dias e uma oferta bastante diversificada”, explica Fernanda Costa, presidente da Universidade Sénior de Vila Nova de Famalicão, acrescentando que “todas as disciplinas são adaptadas à realidade dos seniores”.

A responsável salienta que a missão da Universidade Sénior de Vila Nova de Famalicão vai além de ministrar conteúdos, é proporcionar “momentos felizes através da interação, participação em atividades recreativas e vivências socioculturais”.

Fundada em 2005, a Universidade Sénior de Vila Nova de Famalicão visa incentivar a participação e organização dos seniores em atividades culturais e de lazer, divulgar a história, as línguas, a arte, a informática, as tradições, os locais e demais fenómenos culturais entre os idosos, ser um polo de informação e divulgação de serviços e direitos dos seniores, desenvolver as relações interpessoais e sociais entre as diversas gerações famalicenses e fomentar o voluntariado na comunidade famalicense.

Podem inscrever-se na Universidade Sénior de Vila Nova de Famalicão cidadãos famalicenses com mais de 50 anos. A Universidade Sénior está instalada na Rua Narciso Ferreira, Nº 57, 1º andar (junto à Tabacaria Sampaio).

Fernanda Costa _ Presidente da Universidade Sénior de Famalicão 02

PAN ASSINALA PROIBIÇÃO DE ABATE DE ANIMAIS COM MURAL A SER PRODUZIDO NO PORTO

PAN assinala a entrada em vigor da lei que proíbe o abate de animais com iniciativa de street art no Porto

  • Artista plástico Bruno Lisboa dará vida ao conceito criativo num mural alusivo
  • A legislação que proíbe o abate de animais como forma de controlo da população entra em vigor a 23 de setembro
  • Comissão Política Nacional do PAN inaugura mural no sábado dia 22 de setembro pelas 18h00, Rotunda de Francos

Para assinalar simbolicamente uma data histórica em Portugal, que marca a entrada em vigor da legislação que proíbe o abate de animais como forma de controlo da população no próximo dia 23 de setembro, o PAN, Pessoas-Animais-Natureza, convidou o artista plástico Bruno Lisboa para desenvolver, num registo aberto e informal que valoriza novos projetos que se identifiquem com a street art, as ilustrações alusivas a esta mudança pela qual tantos portugueses aguardavam.

A Comissão Política Nacional do PAN marcará presença no próximo sábado dia 22 de setembro, pelas 18h00, na Rotunda de Francos no Porto com o objetivo de assinalar esta conquista que resulta da dedicação e da cooperação de diversas associações, de grupos informais e de milhares de anónimos, durante vários anos, por uma sociedade ética que se pauta por valores como a compaixão e a empatia onde o abate indiscriminado de animais não tem mais lugar.

Recordar que a principal alteração legal está relacionada com a forma de controlo da população de cães e gatos. Assim, passa a ser proibido o abate de animais e passa a ser obrigatória a esterilização de todos os animais recolhidos pelos Centro de Recolha Oficial de Animais (CROA), com exceção daqueles que não tiverem condições de saúde para serem sujeitos à cirurgia. Os animais recolhidos devem obrigatoriamente ser destinados à adoção.

ÂNGELO DE SOUSA: QUASE TUDO O QUE SOU CAPAZ PARA VISITAR ATÉ OUTUBRO

Caminha apresenta mais uma exposição itinerante da Fundação de Serralves – Museu de Arte Contemporânea

O Museu Municipal de Caminha tem patente ao público a exposição ÂNGELO DE SOUSA: QUASE TUDO O QUE SOU CAPAZ, realizada a partir de obras da Coleção de Serralves. Na cerimónia de abertura, Miguel Alves realçou a importância e as vantagens da descentralização da oferta cultural para as pessoas e para a valorização do território: ‘Esta maneira de Serralves se apresentar também aqui em Caminha é aquilo que deve ser feito do meu ponto de vista. A descentralização da oferta cultural tem várias vantagens: a oportunidade que temos de conhecer obras e artistas, uma aventura completamente diferente e que não teríamos se ela estivesse exposta na Fundação Serralves; e a valorização do território, tornando-o mais forte, mais capaz de atrair e mais capaz de resistir nos momentos difíceis’. A exposição pode ser visitada até ao dia 7 de outubro.

Exposição Ângelo de sousa (1)

Esta exposição decorre no âmbito da integração do município de Caminha como Fundador de Serralves, em 2016. Sobre a integração de novos municípios à Fundação de Serralves, Miguel Alves saudou os que aderiram a Fundadores de Serralves este ano, deixando uma mensagem particular ao Município de Ponte de Lima: ‘quero saudar neste esforço de descentralização a adesão este ano de quatro Municípios - Lisboa, Aveiro, Espinho e Ponte de Lima - particularmente estes nossos vizinhos que, independentemente de diferenças partidárias, souberam perceber, da mesma maneira, a força que temos com esta agregação a Serralves e a partilha de Serralves aqui com a nossa população do Alto Minho’.

A cerimónia de inauguração decorreu ontem ao final da tarde, e contou com as presenças de Miguel Alves, presidente da Câmara municipal de Caminha, Ana Pinho, presidente da Fundação de Serralves, João Ribas, diretor do Museu de Serralves, Miguel de Sousa, Paula Fernandes, Curadora de exposição, entre outros.

Paula Pinho sublinhou também a importância da descentralização cultural, afirmando a importância de Serralves ‘sair do seu mundo’ e ‘levar a arte contemporânea a outros mundos’.

Esta iniciativa integra-se num programa de exposições e apresentação de obras da Coleção de Serralves especificamente selecionadas para os locais de exposição, com o objetivo de tornar o acervo acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.

Ângelo de Sousa (Lourenço Marques, Moçambique, 1938 - 2011, Porto), além de ser uma das figuras mais influentes da arte portuguesa da segunda metade do século XX, é um dos artistas melhor representados na coleção de Serralves, com trabalhos realizados entre os anos 1960 e 2010, e que abarcam todos os meios artísticos a que ele se dedicou ao longo da sua prolífica carreira: desenho, pintura, escultura, instalação, filme e fotografia.

“Ângelo de Sousa: Quase tudo o que sou capaz” junta uma parcela muito considerável destas obras - a quase totalidade dos desenhos, pinturas e esculturas - com o objetivo de sublinhar a importância da contaminação entre aquelas disciplinas para a evolução da sua prática artística: ao reunir cerca de 26 obras de vários períodos da sua carreira, esta exposição combate a imagem dominante do pintor Ângelo, mostrando que o desenho e a escultura são não apenas facetas fundamentais da sua obra como aquelas em que porventura é mais evidente o espírito experimentalista da sua obra.

Caracterizados por uma aparente simplicidade — o artista tenta obter, nas suas palavras, “o máximo de efeitos com o mínimo de recursos, o máximo de eficácia com o mínimo de esforço, e o máximo de presença com o mínimo de gritos” —, os desenhos, pinturas e esculturas de Ângelo de Sousa não ilustram conceitos, nunca partem de ideias, mas da ânsia de fazer e pensar com as mãos. A exposição sublinha esta vontade de trabalhar com elementos simples, ao apresentar as primeiras obras de Ângelo de Sousa, ainda figurativas, mas apontando já para a depuração que viria a caracterizar o artista, lado a lado com os exercícios abstrato-geométricos — nomeadamente desenhos, telas e esculturas — que o impuseram como um dos maiores estudiosos da cor e da luz.

A curadoria é da responsabilidade de Paula Fernandes e a produção da Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

A exposição pode ser visitada de terça-feira a domingo das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00 e a entrada é gratuita.

Exposição Ângelo de sousa (2)

Exposição Ângelo de sousa (3)

Exposição Ângelo de sousa (4)

ARCOS DE VALDEVEZ LEVOU AO PORTO RECRIAÇÃO HISTÓRICA DO TORNEIO DE VALDEVEZ

Recriação do torneio histórico aconteceu a 27 de junho em Vigo e a 28 de junho no Porto

Cidades de Vigo e Porto receberam duelo histórico entre Afonso Henriques e o primo Afonso VII de Leão e Castela

recontro_porto8

O Recontro de Valdevez, um dos momentos cruciais para a formação de Portugal, ganhou vida nas ruas do centro histórico de Vigo a 27 de junho e na Estação de S.Bento, no Porto, a 28. As recriações históricas desse episódio medieval envolveram vários figurantes de época.

Em Vigo foi realizada uma arruada pelas ruas do centro histórico, com saída do Camões – Centro Cultural Português, tendo sido convidado o alcaide de Vigo e o Consulado Português nesta cidade. 

Já no Porto, o Recontro ganhou vida no átrio principal da estação de São Bento, não estivesse este momento representado nos icónicos azulejos de Jorge Colaço. Esta recriação foi ainda uma bela homenagem ao artista, já que em 2018 se comemoram os 150 anos do seu nascimento, assumindo assim esta iniciativa no âmbito do programa celebrativo definido pela Infraestruturas de Portugal.

Apesar de ter começado na estação de São Bento, o evento alastrou-se pelas ruas da Baixa do Porto.

Entre os figurantes estiveram, Afonso Henriques, Afonso VII e respetivas guardas e escudeiros.

A música e a dança, típicas da época, também não faltaram.

Estes eventos em Vigo e no Porto serviram de apresentação à recriação Histórica do verdadeiro Recontro, que acontece a 7 e 8 de julho em Arcos de Valdevez.

O Recontro de Valdevez é um momento referencial da história de Portugal que teve lugar em 1141 e colocou frente-a-frente os exércitos de Afonso Henriques, futuro primeiro rei de Portugal, e os do seu primo Afonso VII de Leão e Castela. 

Esta é já a 3.ª edição de uma verdadeira viagem à Idade Média e ao século XII com dois dias cheios de dança, música e atividades, das 15h às 00h, no histórico e recentemente reabilitado Paço de Giela. 

Contexto: A história do torneio que evitou uma batalha

O Recontro de Valdevez, ou Torneio de Arcos de Valdevez, aconteceu no Vale do Rio Vez, em Arcos de Valdevez, quando D. Afonso Henriques rompeu a paz de Tui (1137) e invadiu território galego.

Em resposta, as forças de Afonso VII de Leão e Castela entraram em terras portuguesas, arrasando os castelos à sua passagem. Era sinal de uma batalha quase certa, mas o momento acabou por culminar num “bafordo”, um tipo de torneio medieval representativo da destreza dos cavaleiros envolvidos, cujo resultado da contenda era normalmente aceite por ambas as partes, evitando um desnecessário derramamento de sangue. 

Assim aconteceu em Valdevez: os dois primos acordam uma convivência pacífica, numa lição inteligente de diplomacia e bom senso, bases fundamentais para o início da consolidação do futuro reino de Portugal e, sobretudo, de união face ao rápido avanço árabe no Sul.

De qualquer forma, a sorte das armas pendeu para o lado português e muitos historiadores consideram que o episódio foi o passo decisivo e a última etapa para o nascimento de Portugal, já que valeu a D. Afonso Henriques as boas graças da Igreja e antecedeu a celebração do Tratado de Zamora em 1143.

recontro_porto3

recontro_porto5

recontro_porto6

MAREANTES DO RIO DOURO RUFAM NO FOLKLOURES’18 AS TRADIÇÕES DAS GENTES DO DOURO LITORAL – É É JÁ NO PRÓXIMO SÁBADO, 7 DE JULHO, EM LOURES

Os Mareantes do Rio Douro vão participar na próxima edição do FolkLoures’18

Com cerca de 300 anos de existência, a Associação recreativa “OS MAREANTES DO RIO DOURO”, Grupo Internacional, com sede em Vila Nova de Gaia, tem de geração em geração mantido a tradição de Festeiros ao São Gonçalo, primeira festa do ano que se realiza a 10 de Janeiro, percorrendo as ruas da cidade, desde a zona ribeirinha até à Igreja de Mafamude.

CapturarMareantesDouro

O seu grupo é composto por cerca de 50 homens, mais seus patronos (dois Mordomos que transportam as imagens de São Gonçalo e São Cristóvão e um terceiro que encarna a figura de São Roque), com participação em quase todos os Festivais Internacionais de Folclore que se realizam no país.

O seu Grupo de bombos abrilhanta as mais diversas romarias e tem-se deslocado várias vezes ao estrangeiro.

Capturarfolk