Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPOSENDE: AUTOCARRO DE ALUGUER QUE FAZIA A LIGAÇÃO ENTRE PORTO E ESPOSENDE EM 1926

Autocarro_1926 (2).jpg

Esta imagem, datada de agosto de 1926, mostra o autocarro de aluguer que a família Azevedo, da freguesia de Antas, concelho de Esposende, utilizava nas férias para a deslocação do Porto para Antas. No veículo encontram-se vários membros da família, entre os quais um bebé e um homem no exterior, em pose

Fonte: Biblioteca Digital do Cávado

PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ESPOSENDE PRESENTE NO PORTO EM HOMENAGEM A ANTÓNIO RODRIGUES SAMPAIO

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, marcou, ontem, presença nas comemorações dos 140 anos da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, que tem como patrono a figura de António Rodrigues Sampaio, esposendense que foi um dos maiores vultos do liberalismo português de oitocentos, jornalista e parlamentar. O programa comemorativo fica marcado pelo descerramento de um monumento dedicado a Rodrigues Sampaio, junto ao edifício sede da Associação, na rua com o mesmo nome.

Homenagem Rodrigues Sampaio (5).jpg

Em sessão realizada na sede da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, fez a apresentação do Prémio Rodrigues Sampaio, galardão instituído pela Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto e que o Município de Esposende, em parceria com esta instituição, relançou este ano, com periocidade bienal.

Benjamim Pereira referiu que o Prémio visa distinguir personalidades que, pelo seu trabalho, nas áreas da cultura e da comunicação social, contribuam para uma sociedade mais inclusiva e mais crítica. A instituição deste galardão enquadra-se na política cultural do Município e nas metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Aludindo aos importantes cargos que António Rodrigues Sampaio ocupou e à sua relevante intervenção, nomeadamente a nível político, “tendo atingido os mais altos cargos da Nação”, o autarca assinalou que o reconhecimento do Município a tão ilustre figura se encontra refletido na toponímia do concelho (Largo Rodrigues Sampaio, em Esposende, onde se ergue o busto de António Rodrigues Sampaio, espaço que está a ser alvo de uma intervenção de requalificação), e na atribuição do seu nome a um Agrupamento de Escolas e ao Fórum Municipal, atual sede da Assembleia Municipal.

Na sessão interveio também o presidente da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, Francisco Mangas, e o Vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, Filipe Araújo, que realçaram a grandiosidade da personalidade de António Rodrigues Sampaio. Germano Silva, historiador e membro da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, contextualizou a colocação do busto de António Rodrigues Sampaio, peça que a associação encomendara ao escultor Teixeira Lopes aquando da sua fundação, em 1882.

Nas comemorações marcaram também presença Franquelim Neiva Soares e Francisco Marques, descendentes de António Rodrigues Sampaio.

Nascido em S. Bartolomeu do Mar, Esposende, António Rodrigues Sampaio (1806-1882) foi jornalista e político que, entre outras funções, foi deputado, par do Reino, ministro e presidente do Conselho (chefe de governo). Foi um dos maiores vultos do liberalismo português do século XIX, jornalista ímpar e parlamentar de exceção. Personalidade controversa, polémica, mesmo revolucionária, mas sempre coerente e fiel aos seus princípios e desígnios, foi um agitador de renome nacional, o que lhe valeria a alcunha d’ O Sampaio da Revolução, em virtude de se ter notabilizando como redator principal do periódico A Revolução de Setembro.

Homenagem Rodrigues Sampaio (1) (3).jpg

Homenagem Rodrigues Sampaio (2) (2).jpg

Capturarrs1 (5).JPG

Capturarrs2 (1).JPG

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE GESTÃO DAS PESSOAS VAI REALIZAR 53º ENCONTRO NACIONAL COM LÍDERES MUNDIAIS NO PORTO EM NOVEMBRO

  • Entrevista conduzida por Ígor Lopes

A cidade do Porto, em Portugal, vai ser palco, no dia 11 de novembro, do 53º Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas (APG) by Pessoas | International People Conference, um evento que vai trazer a Portugal os maiores líderes mundiais na área de gestão de pessoas e recursos humanos, muitos oriundos de zonas lusófonas, como o Brasil, para discutir os desafios atuais nas empresas e nas organizações, mas também as questões que envolvem o mercado de trabalho.

marcAsérioReport4APGPeopleHub@ISCAC(20-05-2022)-06697 (1).jpg

Esta iniciativa, que terá lugar no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, será organizada pela APG e prevê receber um grande público. Para saber mais sobre o tema, conversamos com Pedro Ramos, presidente da Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas, que falou sobre a programação, desvendou alguns dos nomes nacionais e internacionais que estarão presentes e explicou a importância do encontro para afirmar Portugal no mundo.

O que é o evento?

Trata-se do 53º Encontro Nacional da APG (Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas) que, este ano, pela dua dimensão internacional, tem uma designação acrescida com o subtítulo “International People Conferece”. Decorrerá no dia 11 de novembro na premiada cidade do Porto, mais concretamente, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto. A Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas existe a representar os Gestores de Pessoas desde 1964, mas está cada vez mais atual na ligação aos países de língua portuguesa, à Europa e ao Mundo da Liderança e da Gestão de Pessoas nas empresas e organizações.

Quem irá participar?

Vamos ter connosco os maiores gurus da atualidade da Liderança e da Gestão de RH. Desde logo, os americanos Ken Blanchard, o autor de maior referência internacional sobre liderança e Dave Ulrich, o chamado “pai” da Gestão de Recursos Humanos moderna. Também contaremos com nomes sonantes do nosso mundo lusófono: a brasileira Leyla Nascimento, uma “autoridade” mundial na gestão das pessoas. Ainda, contaremos com vários outros palestrantes do Brasil (Marcelo Pirani, Paulo Sardinha, Denize Dutra, entre outros), outros de Espanha, da Alemanha, da Colômbia, da China, dos nossos países irmãos Moçambique, Angola e Cabo Verde. E, claro, vamos ter vários renomados palestrantes portugueses. As duas palestras de abertura e encerramento serão efetuadas por 2 dos mais importantes CEOs nacionais, o Ricardo Costa e o Nelson Ferreira Pires. Nunca um evento em Portugal, num só dia, reuniu tantas estrelas cintilantes no que toca à gestão de RH no Mundo.

IMG_9036.jpg

Quais os objetivos do certame?

O grande objetivo deste nosso grande evento é descrito no nosso título do congresso: “Taking People & Business to the next level”. Ou seja, chegou o momento de passar de nível, elevar o papel da Gestão das Pessoas no mundo e associar essa nova dimensão à própria Gestão das Empresas. Se, no fim do dia 11 de novembro, conseguirmos saber qual é esse nível e como poderemos chegar lá rapidamente, o objetivo da APG terá sido atingido.

O que se pretende discutir?

Para atingir o grande objetivo, serão discutidos os grandes e principais temas que afetam hoje a Gestão e a Gestão de Pessoas nas nossas empresas e organizações. Os temas relacionados com uma nova liderança necessária nas organizações, aos temas da saúde mental, da felicidade corporativa, do envolvimento das Pessoas e do seu novo papel no desenvolvimento do Negócio, à Experiência do colaborador que exige um posicionamento das pessoas no centro das decisões, até aos novos modelos de aprendizagem nas organizações, aos novos fenómenos de humanização nas empresas com e sem a tecnologia, tema absolutamente critico sobretudo neste pós-pandemia, entre outros. Discutiremos o que hoje faz realmente a diferença para o sucesso das empresas com as Pessoas a Bordo!

Que resultados espera?

Uma partilha de ideias, reflexões, conhecimentos, mas, sobretudo, uma dimensão experiencial tão importante nos nossos dias, que ligue, como nós dizemos na promoção, “de Portugal para o Mundo e do Mundo para Portugal”! Uma partilha gigante, à dimensão do globo, com epicentro aqui em Portugal, na nossa charmosa cidade do Porto.

Como está o mundo do trabalho neste momento?

O mundo do trabalho está profundamente desafiador. A pandemia e agora a pós-pandemia veio “trazer ao cimo” uma serie de novos e renovados desafios. Desde a necessidade de repensar os modelos de trabalho, cada vez mais híbridos, até à necessidade de capacitar as pessoas e a alocar aos projetos de forma diferente, alinhando novas estratégias e novas formas de gerir os seus desempenhos e performances. Existe hoje a necessidade de, para além do trabalho, pensar “o próprio trabalho” para além das fronteiras físicas e temporais das empresas e das pessoas. Uma nova visão holística do trabalho e dos trabalhadores, uma necessidade de atrair o talento de forma continuada e esquecer os velhos modelos de retenção das pessoas e dos talentos, são marcantes nos nossos dias. E, não menos importante, a necessidade “arranjar pessoas” para as várias funções, não existem hoje trabalhadores disponíveis e a necessidade de atração atingiu níveis nunca antes imagináveis. Este é o novo mundo do trabalho! Bem-vindos. Estes desafios são mesmo à escala mundial.

O que motiva ações e eventos como este?

Cada vez mais, estamos menos só no mundo! É essencial juntar todas as vozes, mas, sobretudo, todos os protagonistas que vivem com as mesmas “dores” e sentem os mesmos desafios. Depois, é importantíssimo acrescentar valor e elevar o nível da discussão entre os Gestores de Pessoas por forma a ajudar a desenhar os percursos mais eficazes na obtenção de resultados nas empresas. A APG tem esta missão. Potenciar o melhor que as empresas têm – as suas Pessoas!

Qual a importância deste encontro para o mercado de trabalho e empresarial de Portugal?

É de extraordinária importância como hub de conhecimento e experiência para reunir as melhor experiências e conhecimentos e distribuir essas mesmas experiências transformando-as em melhores práticas de gestão das pessoas. Logo, é essencial para um país como Portugal, que está hoje no centro do mundo das decisões e ligações à Europa, a África e às Américas, liderar esta confluência das melhores práticas da Gestão de RH.

Entidades de que países estarão presentes?

Temos, para além das individualidades que participação a título individual, vários palestrantes que nos trarão cases internacionais extraordinários. Da Alemanha, o Philipp Zimmerman vai trazer-nos o case do processo de transformação global da Siemens, da China, teremos a Renata Thiebaut que apresentará o que a super renomada Alibaba está a fazer no que toca à transformação das competências na era digital, do Brasil, a Camila Almeida da Companhia Aérea Azul vem apresentar-nos o case de como se tornou numa das mais premiadas companhias aéreas do mundo sempre com  foco nas Pessoas e na dimensão “employee experience”, só para dar alguns exemplos. E não podemos esquecer a presença das empresas que em Portugal fazem a diferença nestas matérias como a Adecco, a Randstad, a Multipessoal, a Swaifor, a Cegoc, a Coverflex, a Ticket Restaurant, a The Key Talent, a Keep, entre outras que estarão presentes connosco e que nos apoio nesta “viagem”.

Quantos participantes são esperados?

Esperamos várias centenas de participantes naquele que marcará o primeiro grande Encontro Internacional de Gestão de Pessoas em Portugal nesta pós-pandemia. Para se inscrever baste aceder a este site: https://eventos.eco.pt/enapg/. Neste site do evento, encontrará todas as informações necessárias sobre este nosso 53º Encontro Nacional da APG | International People Conference.

Como a APG avalia a pertinência desta iniciativa?

Este é “o” Encontro de Gestores de Pessoas no Mundo que marcará o início daquilo que será a nova Gestão de Pessoas no Mundo. Logo, a nossa APG | Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas está muito animada e com um enorme sentido de responsabilidade sobre esta nossa missão. Expetativa em alta, animação na preparação ao rubro. Vamos lá acolher a Gestão de Pessoas de “Portugal para o Mundo e do Mundo para Portugal”.

Qual o valor das pessoas para o mercado de trabalho?

Para responder a esta questão, vou parafrasear o meu amigo Ricardo Costa que fará o discurso de abertura do nosso congresso: “As Empresas não são feitas de Pessoas, as Empresas SÃO as Pessoas”! Tudo dito…

Por que realizar no Porto?

Um dos objetivos da atual Direção da APG é, precisamente, apostar numa #APGdeTodos! Por isso, é preciso descentralizar, ir para junto dos Gestores de Pessoas e das Empresas e deixar de considerar Lisboa como o único epicentro das decisões e das partilhas. Assim, só poderíamos este ano fazer o nosso Encontro Nacional noutra cidade que não Lisboa. O Porto é, desta forma, o nosso próximo destino. A cidade do Porto é uma das mais premiadas da Europa, tem meios e uma atratividade incrível, e sabe receber “como ninguém”. Assim, diria, “todos os caminhos da Gestão de Pessoas” vão dar ao Porto no dia 11 de novembro!

Qual a diferença desta edição para as anteriores?

A edição anterior do nosso Encontro Nacional foi on-line devido à pandemia. Ainda assim, tratou-se de um evento verdadeiramente nacional. Tivemos participações e mesas redondas das várias regiões de Portugal, de norte a sul, incluindo as ilhas. Este ano, a APG resolveu arrojar bem mais e partir à conquista do Mundo. Estamos na edição nº 53 do Encontro Nacional, um evento promovido anualmente pela Associação Portuguesa de Gestão das Pessoas (APG).

Qual o perfil esperado dos participantes?

O perfil dos participantes é bem eclético. Basicamente, esperamos Líderes de topo das empresas e Gestores de Pessoas de diferentes setores de atividade e de empresas nacionais, multinacionais, grande, médias e pequenas empresas, bem como Gestores com diversos perfis académicos e profissionais. Uma enorme riqueza para a discussão, análise e debate de ideias e partilha de experiências.

IMG_9021 (7).jpg

QUEM FOI O JORNALISTA LIMIANO SEVERINO COSTA?

severino_costa (4).jpg

Severino Costa nasceu em Ponte de Lima, em 1912 e foi viver para Viana do Castelo, onde concluiu o Curso Geral dos Liceus.

Em 1918, assume a direcção do semanário "Correio do Minho" e em 1920 subscreve o primeiro editorial no "Correio do Minho", defendendo as suas convicções democráticas e republicanas. Neste mesmo ano é admitido como funcionário do Banco Nacional Ultramarino, produzindo vários trabalhos ligados a esta área: "A Conversão da Dívida Pública Portuguesa", "Crédito Documentário" e "Operações da Bolsa".

A partir de 1925, passa a correspondente regional do diário "O Século".

Em 1945, torna-se Delegado Distrital do Jornal "Comércio do Porto", com as colunas: "Flagrantes do Momento", "Documentos Limianos", "Vinhetas Vianenses" e "Dia a Dia no Cidade".

Colaborou ainda no "Faro de Vigo", "Pueblo Gallego", "Diário de Valladolid", "A Aurora do Lima", "Notícias de Viana" e na Revista "Cadernos Vianenses".

Fundou a Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Alto Minho e o Cine-Clube em 1955. Foi 2º Secretário do Instituto Histórico do Minho e membro da secção vianense do Rotary Clube (do qual também foi presidente).

Em 1976, publicou um ensaio "Eça de Queiroz - Subsídios Biográficos" no qual analisou a ligação de Eça com Viana e em Abril deste mesmo ano, a Câmara Municipal de Viana do Castelo atribui-lhe a Medalha de Ouro da Cidade.

Faleceu em 14 de Abril de 1990, tendo o seu nome perpetuado numa artéria da cidade, por deliberação da Câmara Municipal, em 16 de Novembro de 1992.

O Arquivo Privado de Severino Costa foi oferecido ao Arquivo Municipal em 1997, pelo seu filho Carlos Eurico da Costa e em 2006, por sua nora D. Maria Bernardete Moreira da Cruz.

Este espólio é uma referência única da história etnográfica e monumental contemporânea vianense, constituído por cerca de 1400 fotografias (da sua autoria e colecionadas de outros autores) e 3100 negativos.

Fonte: Arquivo Municipal de Viana do Castelo

DANIEL BASTOS APRESENTA NO PORTO LIVRO SOBRE A DIÁSPORA PORTUGUESA

No próximo dia 11 de setembro, o escritor e historiador Daniel Bastos apresenta no Porto o seu mais recente livro “Crónicas - Comunidades, Emigração e Lusofonia”.

Autor - Daniel Bastos (1).jpeg

A obra, que reúne as crónicas que o historiador tem escrito nos últimos anos em diversos meios de comunicação dirigidos para a diáspora, é apresentada às 17h00 no Fórum da FNAC Santa Catarina, no Porto.

A apresentação do livro, que é prefaciado pelo advogado e comentador Luís Marques Mendes, e conta com posfácios de Maria Beatriz Rocha-Trindade, Presidente da Comissão de Migrações da Sociedade de Geografia de Lisboa, e de Isabelle Oliveira, Presidente do Instituto do Mundo Lusófono, estará a cargo do ativista cultural Joaquim Pinto da Silva.

Nesta nova obra, composta por cerca de centena e meia de crónicas, e realizada com o apoio da Sociedade de Geografia de Lisboa - Comissão de Migrações, uma das mais relevantes instituições culturais do país, Daniel Bastos pretende “dignificar, reconhecer e valorizar as sucessivas gerações de compatriotas que, por razões muito diversas, saíram de Portugal”.

Através de uma assumida visão de compromisso com os emigrantes, o historiador revela o empreendedorismo, as contrariedades, a resiliência e a solidariedade das comunidades portuguesas, a riqueza do seu movimento associativo, e as enormes potencialidades culturais, económicas e políticas que as mesmas representam nas pátrias de acolhimento e de origem. Uma visão que para o autor “emanando do legado histórico português, antevê os emigrantes como argonautas indispensáveis ao desígnio nacional de desbravar os mares desconhecidos do futuro, e antepara a Lusofonia como um espaço indispensável para a afirmação de Portugal no concerto das Nações”.

Professor e autor de vários livros que retratam a história da emigração portuguesa, Daniel Bastos é atualmente consultor do Museu das Migrações e das Comunidades, sediado em Fafe, e da rede museológica virtual das comunidades portuguesas, instituída pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

Capa do Livro (1).jpg

EXPOSIÇÃO COLONIAL PORTUGUESA: UMA MINHOTA E UMA INDÍGENA GUINEENSE DA ETNIA BIJAGÓS

Em 1934, realizou-se no Palácio de Cristal, no Porto, a 1ª Exposição Ultramarina Colonial Portuguesa.

Capturarexpocolonialporto.PNG

O certame destinou-se a mostrar a grandeza de Portugal, incluindo os seus territórios ultramarinos. Para o efeito, reconstituiram-se no local aldeias indígenas, foi criado um jardim zoológico com animais exóticos e edificadas réplicas de monumentos ao mesmo tempo que se dava a conhecer os diferentes povos e grupos étnicos, a sua gastronomia e o empreendedorismo empresarial do país naqueles territórios.

Na prática, esta exposição viria a tornar-se um ensaio para a organização da Exposição do Mundo Português que veio a ter lugar em Lisboa apenas seis anos depois.

Na imagem vemos uma minhota com o seu traje domingueiro de lavradeira – vulgo traje à vianesa – junto de uma jovem indídegena guineense da etnia dos Bijagós.

Fonte: Arquivo Municipal do Porto

FC PORTO ASSINOU PROTOCOLO DE UTILIZAÇÃO COM CENTRO DE ESTÁGIOS DE MELGAÇO

Durante o período de um ano, equipa B do Futebol Clube do Porto está em Melgaço em preparação para a nova época

A Melsport – Melgaço, Desporto e Lazer E.M. assinou hoje, 22 de julho, um protocolo de utilização do Centro de Estágios de Melgaço com o Futebol Clube do Porto – Futebol SAD. A cerimónia protocolar aconteceu esta manhã, na Câmara Municipal de Melgaço.

protocolo-CE-e Futebol-Clube-porto-melgaco (8).jpg

O protocolo tem como intuito que o Centro de Estágios de Melgaço passe a acolher estágios, de futebol e de outras modalidades, bem como outras atividades desportivas promovidas pelo FC Porto, garantindo a prestação de um serviço de qualidade elevada, que cumpra com todos os requisitos necessários para a sua boa prática desportiva no contexto de preparação/competição da equipa.

protocolo-CE-e Futebol-Clube-porto-melgaco (4).jpg

A Melsport compromete-se, ainda, a promover a receção oficial da equipa nos Paços do Concelho, bem como a visita ao Solar do Alvarinho e a espaços de referência locais, assim como a promover junto da Escola Superior de Desporto e Lazer de Melgaço os contactos necessários para que esta disponibilize um conjunto de equipamentos inovadores na ótica do estudo da alta performance e ainda o contato junto das empresas locais com vista à realização de atividades de team building, como rafting, canyoning, entre outras.

protocolo-CE-e Futebol-Clube-porto-melgaco (20).jpg

protocolo-CE-fcp-melgaco (1).JPG

selecao-nacional-basquetebol-centro-estagios-melgaco  (2).jpg

EQUIPA B DO FC PORTO ESTÁ EM ESTÁGIO EM MELGAÇO

A equipa B do FC Porto está, atualmente e até 25 de julho, a estagiar nas instalações do Centro de Estágios de Melgaço, de forma a preparar a pré-epoca.

Neste âmbito, no dia 23 de julho, pelas 17h00, será realizado um jogo de preparação à porta aberta, sem bilheteira, frente ao Real Clube Celta de Vigo B, no Centro de Estágios de Melgaço.

centro-estagios-melgaco-exterior-1030x687.jpg

ginasio-centro-estagios-melgaco-36-scaled.jpg

CENTRO DE ESTÁGIOS DE MELGAÇO PREPARADO PARA ATLETAS DE DIVERSAS MODALIDADES E NÍVEIS DE COMPETIÇÃO

O Centro de Estágios de Melgaço registou, neste primeiro semestre de 2022, um crescimento na ordem dos 26% face ao período homólogo no ano de 2019, antes da pandemia COVID-19. A aposta na qualidade da oferta e requalificação dos vários espaços justificam o crescimento.

O espaço está preparado para receber atletas de diversas modalidades e de todos os níveis de competição, constituindo uma das grandes apostas do município no chamado turismo desportivo. De realçar que, em 2004, foi oficializado pela UEFA e selecionado para centro de treinos para o Euro 2004.

Inaugurado em 2001, o Centro de Estágios de Melgaço é um espaço idealizado e construído de forma a oferecer um serviço de elevada qualidade, com equipamentos adjacentes que visam a atividade desportiva, tanto na vertente lúdica como na vertente competitiva ao mais alto nível. O complexo constitui-se como um polo dinamizador do desenvolvimento do desporto, lazer e turismo na região e posiciona-se como um dos mais modernos, melhor equipados e mais completos complexos desportivos. «Em 2021 foi alvo de inúmeras e profundas intervenções com o intuito de dotar os vários espaços de condições de excelência, oferecendo assim uma experiência de qualidade a quem escolhe o nosso Complexo para treinar, quer para a realização de estágios profissionais, quer para a utilização do público em geral dos seus diversos equipamentos.», atenta o autarca melgacense, Manoel Batista, e também Presidente da Melsport – Melgaço, Desporto e Lazer EM.

NUM ÚNICO ESPAÇO, MELGAÇO CONSEGUE RESPONDER A TODAS AS NECESSIDADES DOS DISTINTOS GRUPOS DE TRABALHO

O Complexo divide-se em duas grandes áreas: a área de lazer, com diversos equipamentos que permitem a prática do desporto de manutenção e equipamentos destinados a atividades lúdicas e culturais; e a área destinada ao desporto de alta competição, servida por infraestruturas capazes de acolher diversas modalidades, tanto para competição como para treino.

É nesta última área que se situa o Centro de Estágios, dotado de um conjunto de equipamentos próprios, disponibilizados em exclusivo aos clubes em estágio. Com uma localização privilegiada e inserido num espaço natural de rara beleza, o Centro de Estágios de Melgaço oferece condições de excelência para acolher equipas e desportistas profissionais e amadores, das mais variadas modalidades, como futebol, futsal, andebol, basquetebol, trail running, atletismo, ciclismo, salto com vara, rugby, entre outras. É composto por estádio de futebol (com capacidade para 1700 espectadores), pista de atletismo, campo de treinos, balneários, clube de saúde, ginásio de manutenção, salas de tratamentos e massagem, entre outros. Estes equipamentos encontram-se vedados ao exterior, mas interligados entre si, visando oferecer as condições necessárias a um melhor estágio, em segurança, tranquilidade e com privacidade.

Até ao momento, o Centro de Estágios recebeu atletas de vários pontos do mundo: Espanha, França, Itália, Canadá, Austrália, China, Qatar, Marrocos, Guiné Equatorial, Roménia, Angola, Polónia, Portugal, Dinamarca, Rússia, Suíça e Nigéria (são alguns dos exemplos).

O Centro de Estágios de Melgaço tem ainda, neste momento, em estágio a Seleção Nacional SUB 15 de Basquetebol, feminina e masculina, e também a sua congénere da Polónia. Nos dias 22, 23 e 24 de julho decorrerão jogos abertos ao público (sem bilheteira) entre as duas Seleções de Basquetebol, no gimnodesportivo do Centro de Estágios. Dia 22 de julho, às 18h30 e 20h30, e nos dias 23 e 24 de julho, os jogos acontecem pelas 16h00 e 18h00.

porto-futebol-centro-estagios-melgaco (15).jpg

porto-futebol-centro-estagios-melgaco (36).jpg

MIGUEL VENTURA TERRA E OS PROJETOS PARA A CONSTRUÇÃO DO MONUMENTO AO INFANTE D. HENRIQUE NO PORTO

Capturarveterra1.JPG

1394-1894, por Ventura Terra

Folha do semanário ilustrado Pontos e Vírgulas, com gravura representando maqueta para o concurso do monumento ao Infante Dom Henrique, da autoria do arquiteto Ventura Terra.

Responsabilidade: Santos (fotogr.); António de Sousa Nogueira (grav.)

Local de edição: Porto

Editor: Pontos e Vírgulas

Impressor: Litografia União

Preto e branco

Capturarveterra2.JPG

Projeto para o monumento ao Infante Dom Henrique

Documento/Processo, 1997 – 1997

PT-CMP-AM/COL/PST/D.PST:2204(12)

Local de edição: Porto

Editor: Câmara Municipal do Porto

Colorido

Estampilha: não

(Coleção: Comemorações Henriquinas no Porto, em 1894, nº 12)

Capturarveterra3.JPG

Projeto para o monumento ao Infante Dom Henrique apresentado depois do concurso, conjugando dois dos projetos anteriores

Documento/Processo, 1997 – 1997

PT-CMP-AM/COL/PST/D.PST:2204(17)

Local de edição: Porto

Editor: Câmara Municipal do Porto

Colorido

Estampilha: não

(Coleção: Comemorações Henriquinas no Porto, em 1894, nº 17)

MIGUEL ALVES É UMA DAS SEIS PERSONALIDADES QUE COMPÕEM GRUPO DE TRABALHO PARA ATRAÇÃO DE NOVOS OPERADORES PARA O AEROPORTO DO PORTO

Presidente da Câmara Municipal de Caminha, que também é Presidente do Conselho Regional do Norte, chamado a assumir papel de relevo da definição da estratégia para o aeroporto Sá Carneiro, no Porto

Miguel Alves é uma das seis personalidades que compõem o grupo de trabalho que vai tentar encontrar uma estratégia para atração de novos operadores para o aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. O grupo contará também com dois autarcas e representantes de mais três entidades.

MAlves.png

O Presidente da Câmara Municipal de Caminha, que também é Presidente do Conselho Regional do Norte, foi chamado a assumir, nesta qualidade, um papel de relevo da definição da estratégia para o aeroporto Sá Carneiro.

A criação deste grupo de trabalho foi conhecida ontem. Segundo a agência Lusa, o grupo vai definir mecanismos e incentivos para atrair novos operadores para o aeroporto Francisco Sá Carneiro e apresentar propostas ao Governo para reforçar a conectividade aérea da região Norte.

São também conhecidos todos os elementos que vão integrar este grupo de trabalho: presidentes da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-Norte), da Câmara do Porto, Câmara da Maia, do Conselho Regional do Norte, do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) e da Associação Empresarial de Portugal (AEP).

A agência refere que este grupo de trabalho está já organizado, estando em fase de agendamento a primeira reunião. Sobre as motivações, destaca a vocação industrial e exportadora da região, a internacionalização das suas empresas, a atratividade turística e as relações de cooperação com a diáspora portuguesa no mundo.

PRESIDENTE DA CÂMARA DE VIANA DO CASTELO NA INAUGURAÇÃO DA NOVA LOJA DA CASA PEIXOTO NO PORTO

O Presidente da Câmara Municipal, Luís Nobre, marcou presença na inauguração da nova loja da Casa Peixoto no Porto, num momento que reuniu clientes, fornecedores e parceiros da empresa vianense. O edil esteve presente naquele que é um momento importante para a empresa de comércio de materiais de construção e decoração, agradecendo à administração por elevar o nome de Viana do Castelo.

casa peixoto (1).jpg

A Casa Peixoto abriu a nova loja em Paranhos, na estrada da Circunvalação, no Porto, sendo esta, agora, a maior loja que a empresa tem no país.  

Com mais de quatro décadas de existência, a Casa Peixoto apresenta agora um conceito inovador e uma nova estética. Com uma área comercial superior a 8 mil metros quadrados, a loja portuense representa o maior desafio da marca desde a abertura da loja de Aveiro. O espaço foi projetado para proporcionar uma nova experiência ao consumidor e pretende destacar-se como um local de referência na apresentação das últimas tendências de decoração e materiais de construção. 

Com um conceito de estética diferenciado, semelhante a uma galeria de arte, conta com milhares de produtos expostos em áreas amplas e organizadas, no qual se destacam marcas nacionais premium, entre muitas outras marcas selecionadas pela sua qualidade, seleção de matérias-primas e produção, seguindo os mais importantes critérios de sustentabilidade. 

A Casa Peixoto conta atualmente com 6 lojas físicas nas cidades de Viana do Castelo, Braga, Guimarães, Porto, Aveiro e Lisboa e, além-fronteiras, conta também com um representante em Paris, além da loja online. 

Atualmente, o negócio familiar já vai na terceira geração e conta com mais de 200 colaboradores, tendo alcançado em 2021, um volume de negócios superior a 52 milhões de euros e com uma previsão de 65 milhões de euros no final do presente ano.

casa peixoto (2).jpg

casa peixoto (3).jpg

casa peixoto (4).jpg

OFÍCIO-PRECATÓRIO DO JUÍZO CRIMINAL DO PORTO AO JUIZ DE DIREITO DE VILA NOVA DE FAMALICÃO

Ofício-Precatório do Juízo Criminal da comarca do Porto ao Juiz de Direito da comarca de Vila Nova de Famalicão, datado de 20 de Março de 1950, a ordenar a citação dos arguidos José Casimiro da Silva e Armando Filipe Cerejeira Pereira Bacelar, acusados do crime de imprensa e crime contra a segurança do Estado, a propósito da publicação de "Eleições Livres" editada pela Comissão Distrital de Braga dos Serviços de Candidatura do General Norton de Matos.Contém a cópia da queixa deduzida no processo de corpo de delito contra: 1) José Casimiro da Silva; 2) Dr. Armando Filipe Cerejeira Pereira Bacelar; 3) Dr. José Graça, 4) Miguel Augusto Alves Ferreira; 5) Dr. Fernando Marques Coelho Correia Simões; 6) Joaquim Vítor Batista Gomes de Sá.

Fonte: Arquivo Municipal de Ponte de Lima

PT-MPTL-GNM-J-CSDC-002-000006_m001_dissemination.j

PT-MPTL-GNM-J-CSDC-002-000006_m003_dissemination.j

PT-MPTL-GNM-J-CSDC-002-000006_m005_dissemination.j

MAREADA – ASSOCIAÇÃO CULTURAL LEVA AO PORTO TERTÚLIA SOBRE APÚLIA E O SARGAÇO

Sob o mote “Apúlia e Sargaço – Uma relação entre a terra e o Mar” e a convite da Macaréu – Associação Cultural, falou-se desta vila do concelho de Esposende nas instalações da associação portuense, no Porto, no passado sábado, dia 11.

PSX_20211211_184500.jpg

O evento, que contou com uma interventiva plateia e foi promovido pela associação portuense em colaboração com a Mareada, deu a conhecer a tradição da apanha do Sargaço em Apúlia através de pequenos documentários e testemunhos recolhidos pela Mareada, bem como através de um trabalho realizado por esta associação, demonstrativo da importância do Sargaço na vila Apuliense.

Apúlia e as tradições da apanha do sargaço estão intimamente ligadas, dada a importância do sargaço na sua história e que, principalmente nos últimos 100 anos, a tem transformado.

A associação Apuliense planeia apresentar em breve este mesmo trabalho no concelho de Esposende.

PSX_20211211_194332.jpg

PSX_20211211_195154.jpg

IMG-20211111-WA0003.jpg

CRAV CONQUISTA VITÓRIA SOFRIDA NO PORTO

CDUP B e C.R. Arcos de Valdevez defrontaram-se no dia 20 de novembro no Estádio Universitário do Porto. O resultado cifrou-se em 15-37 favorável os minhotos, espelhando a superioridade dos visitantes e a boa réplica dada pela equipa da casa.

CDUP - CRAV 1.jpg

 O início de jogo foi disputado sob o signo do equilíbrio, com os visitados a quererem mostrar os seus pergaminhos de equipa da casa. Assim, aos 4 minutos inauguraram o marcador, com a conversão de uma penalidade, ao que o CRAV respondeu com outra dois minutos depois, restabelecendo a igualdade no marcador (3-3). No entanto, ao minuto 12, após nova penalidade a favor dos arcuenses (3-6), é o CDUP quem marca o primeiro ensaio (10-6).

Contudo a superioridade dos da casa durou pouco mais que 10 minutos. No minuto 23, o CRAV passa para a frente do marcador com o seu primeiro ensaio e não mais largou a posição de vencedor. Até ao intervalo, os minhotos viriam a fazer um segundo ensaio, deixando o resultado em 10-23.

Em campo estavam duas maneiras diferentes de estar em casa. De um lado, o CDUP, com uma equipa menos poderosa fisicamente, conseguia pontualmente algumas penetrações, explorando falhas defensivas do adversário. Por outro lado, esta jovem equipa do CDUP mostrava uma forte organização defensiva, que foi adiando a supremacia dos visitantes. Por sua vez, os arcuenses, como referido, mostraram alguma falta de acerto defensivo em alguns momentos do jogo, mas dominaram quase por completo as operações com um jogo vistoso e intenso, com várias perfurações em várias zonas do terreno, aproveitando a mobilidade das suas unidades.

O início da segunda parte foi o retrato fiel do jogo. Durante quase 25 minutos, o CRAV conseguiu instalar-se no meio campo adversário, dominando na grande maioria dos capítulos do jogo, visto que tinha a supremacia na posse de bola.  O terceiro ensaio dos minhotos, que finalmente tinham quebrado a defesa adversária, viria apenas ao minuto 67 (10-30). Três minutos depois, o CRAV lograva o quarto ensaio, equivalente ao ponto de bónus ofensivo. Tudo parecia estar bem encaminhado para os arcuenses, que atingiriam a plenitude dos objetivos: a vitória mais o ponto de bónus por quatro ensaios marcados ou mais três que o adversário. Todavia, a lutadora equipa do CDUP respondeu com um ensaio nos cinco minutos finais, invalidando o bónus ofensivo do CRAV, que voltou a querer marcar mais pontos, mas sem efeito perante a aguerrida defesa dos portuenses.

Em termos de balanço, o resultado espelha o que se passou no jogo, com um claro domínio da equipa arcuense, que teve uma forte réplica do seu adversário.

CDUP - CRAV 2.jpg