Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DE LIMA: CONCURSO DE POESIA JÁ TEM VENCEDORES

Sessão inaugural de “Poesia à Sexta” anuncia vencedores de Concurso de Poesia

A primeira edição de 2019 de “Poesia à Sexta”, vai associar-se ao Dia Mundial da Poesia, que se comemora este mês, e anuncia os vencedores do Concurso de Poesia – uma competição destinada a laurear trabalhos inéditos e não publicados e a valorizar este género de expressão literária.

poesia_sexta_2019_cartaz_programa_alt.jpg

Esta sessão terá lugar no próximo dia 22 de março, pelas 21h30, no Auditório da Biblioteca Municipal de Ponte de Lima, e contemplará a entrega de certificados de participação e de galardões aos vencedores do concurso, que contou com o envolvimento de 65 candidatos.

Segue-se, posteriormente, uma Sessão de Poesia – momento moderado pelo grupo ‘Pontas Soltas’- que revisitará alguns autores consagrados a nível local, nacional e internacional.

Junte-se a nós e venha celebrar a poesia em língua portuguesa nesta edição de estreia de 2019 de “Poesia à Sexta”.

DOIS REIS E UM SONO | TEATRO EXTREMO: UM ESPECTÁCULO DESTINADO A SER APRECIADO EM CONJUNTO COM A FAMÍLIA – VENHAM TODOS, MIÚDOS E GRAÚDOS

15 de Março – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

Sexta-feira, 15 de Março, às 22h00, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, Dois Reis e Um Sono, de Natália Correia e Manuel de Lima, pelo Teatro Extremo, com encenação de Fernando Jorge Lopes.

dois_reis_mupi_.png

Peça escrita por Natália Correia em colaboração com Manuel de Lima, Dois Reis e um Sono conta-nos a história de dois reinos em litígio, sendo a alegórica figura do Sono o motivo da discórdia entre monarcas irmãos. Uma parábola sobre o poder, a vaidade, o consumismo, o amor, a conquista e o uso da liberdade de expressão, mas também sobre qual o limite do nosso livre arbítrio e para onde caminha a Humanidade.

50.ª criação do Teatro Extremo

Prestes a completar 25 anos de existência (em Março de 2019), o Teatro Extremo abre estas comemorações levando à cena “Dois Reis e um Sono” que ficará, para memória futura, inscrita como a sua quinquagésima criação.

Esta peça, inserida no nosso ciclo intitulado “Resgate da Memória e da Beleza ao Público Contemporâneo”, ilustra exemplarmente o caminho criativo realizado pela nossa companhia nestas duas décadas e meia de existência:

Uma arte dedicada às novas gerações, onde a poesia e o trabalho de actor são as palavras chave que desvendam o universo artístico desta estrutura de criação, programação e de animação sócio-cultural educativa, que realiza um serviço público reconhecido não só localmente, mas também por todo o país e inclusivamente no estrangeiro.

Para um teatro que tem por desejo cumprir os fundamentos de uma arte popular sem ser populista e

erudita sem ser elitista, é com toda a naturalidade que mergulhamos neste texto de Natália Correia e Manuel de Lima, que escrito há meio século, conserva toda a sua frescura quanto aos motivos que encerra na sua trama.

Procurando ter como referência um público infanto-juvenil, o texto, ao contrário de muitos que procuram a “infantilização” dos públicos a que se dirigem, está pejado de várias camadas de leitura que a todos são dadas a perceber e que contribuem para a seu maior interesse e profundidade.

Tendo como subtítulo “Há grande complicação na corte do mandrião”, esta peça critica não só o imobilismo e a ligeireza com que muitos de nós colocam o seu destino nas mãos de outros (porque é mais cómodo não pensar), mas também expressa inequivocamente uma crítica à cupidez e ganância de quem detém o poder, financeiro ou político, numa sociedade de consumo criada para a crise e para a guerra, tendo por objectivo gerar complicações para vender facilidades, transformando tudo em mercadoria, inclusive até o sono.

Ainda assim os autores não quiseram deixar de nos dar uma nota de esperança, acabando a obra com uma redenção poética em torno do amor, da inteligência, da necessidade de pensar pela própria cabeça e de mudar o estado ao qual chegámos.

De modo a abrirmos mais as portas da percepção ao “espírito” nataliano, convidámos o Armando Nascimento Rosa para nos ajudar na dramaturgia da peça e na sua expressão musical, o qual como homem de teatro e especialista da obra da autora foi essencial para levar a obra a bom porto.

Para ilustrar a peça tanto ao nível dos figurinos bem como do cenário, fomos em busca de uma estética retro-futurista declaradamente inspirada nas primeiras séries de Flash Gordon (1936) ou de Buck Rogers (1939), apresentadas ainda e só no cinema (e que depois foram a fonte de inspiração da saga Guerra das Estrelas por exemplo) e que harmoniza plasticamente reis e princesas, impérios e democracias, naves e espadas, com o nosso imaginário contemporâneo.

A tudo isto tentámos juntar no caminho para a representação, a “loucura” de Alfred Jarry e da sua patafísica, a qual foi fonte de inspiração para os autores da peça na sua carpintaria teatral e salientar ainda as referências clássicas de Natália Correia, colocando o Sono/Hypnos numa dimensão que transvasasse a realidade intrínseca da peça.

Esperemos que o resultado final seja um estímulo para que quem dele usufrui, de modo a que novas interrogações e necessidades daqui nasçam na procura da felicidade e de uma vida melhor, quer no presente, quer no futuro.

Teatro Extremo

Ficha Artística e Técnica

Autoria: Natália Correia e Manuel de Lima; Direcção Artística: Fernando Jorge Lopes; Dramaturgia e Composição Musical: Armando Nascimento Rosa; Elenco: Bibi Gomes, Carlos Sebastião, Fernando Jorge Lopes, Francisca Lima, Jefferson Oliveira, José Graça, José Neto, Rui Cerveira e ainda António Olaio, João Dacosta, João Rodrigues, Josefina Correia, Marta Valente, Victor Pinto Ângelo; Desenho de Luz e Direcção Técnica: Celestino Verdades; Cenografia e Adereços: Celestino Verdades, Daniel Verdades e Fernando Jorge Lopes, Maria João Montenegro; Caracterização Especial Ministro Pencudo e Sono: Pessoa Júnior; Figurinos: Alice Rolo; Movimento: Maria João Garcia; Operação de Luz: Daniel Verdades; Operação de Som e Vídeo: Maria João Montenegro; Arranjos e Produção Musical em Estúdio: Mário Rui Teixeira; Design Gráfico e Fotografia: P2F Atelier; Realização e Edição de Vídeo: António Rodrigues; Spot Rádio: Paulo Lázaro; Direcção de Produção: Sofia Oliveira; Assistência de Produção: Josefina Correia e Paula Almeida; Comunicação e Assessoria de Imprensa: Nádia Santos; Promoção: Victor Pinto Ângelo; 50.ª criação do Teatro Extremo

Maiores de 6 anos.

Bilhetes à venda (4,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA APROVA INVESTIMENTO DE 4 MILHÕES DE EUROS PARA O ALARGAMENTO DA REDE DE SANEAMENTO NO CONCELHO

O Município de Ponte de Lima no contexto da agregação dos sistemas municipais de abastecimento de água para consumo público e de saneamento de águas residuais urbanas do Alto Minho definiu como prioritário, tendo-se submetido para efeitos de financiamento ao POSEUR (Portugal 2020), um conjunto de importantes investimentos, no valor de cerca de 4 milhões de euros, com vista a promover a ampliação da rede de saneamento e recolha de águas residuais no concelho.

IMG_2571_Paços do Concelho_Miguel Costa.jpg

Esperando-se que a aprovação do financiamento seja concretizada o mais brevemente possível, acredita-se que possam ser iniciados, ainda este ano, os procedimentos para a contratação das novas empreitadas por parte das Águas do Alto Minho, sendo a contrapartida nacional deste investimento, ou seja, a parte não financiada assumida pelo Município de Ponte de Lima.

Os projetos incorporam um considerável alargamento da rede saneamento de águas residuais em Ponte de Lima, apostando-se em soluções que promovem a otimização do funcionamento infraestruturas já existentes, nomeadamente das Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) recentemente criadas ou beneficiadas.

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA DA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TENOLOGIA

III Feira da Educação, Ciência e Tecnologia, de 14 a 17 de março, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima. Inauguração 14 de março – 10h30

Apresentado as últimas novidades tecnológicas disponíveis no mercado, a III Feira da Educação, Ciência e Tecnologia chega novamente a Ponte de Lima, no dia 14 de março, e está inserida no projeto “Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta”.

53417866_2080778618642877_674205356032786432_n.jpg

Este evento reúne um conjunto de projetos, equipamentos e infraestruturas locais intimamente ligadas às áreas que são determinantes no desenvolvimento de todo e qualquer ser humano, das sociedades e, por conseguinte, dos territórios.

Para além destes projetos pedagógicos, as últimas novidades tecnológicas disponíveis no mercado vão ser apresentadas pelo tecido empresarial apenso ao setor, na região. A Feira procura, ainda, dar a conhecer os melhores projetos pedagógicos dinamizados pelos Centros Educativos de Ponte de Lima. Para além da divulgação destes projetos pedagógicos, a Feira constitui também uma excelente oportunidade para o conhecimento da oferta ao nível dos Cursos Profissionais e de Ensino Superior.

A III Feira da Educação, Ciência e Tecnologia vai-se realizar entre os dias 14 e 17 de março, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima.

Mais do que dar palco ao que está a acontecer no ecossistema, o objetivo é o de apresentar conceitos inovadores, e munir a nova geração de ferramentas que lhes permitam encarar os desafios desta nova era. Desde oficinas experimentais, a caças ao tesouro digitais e workshops dedicados à cozinha molecular, o programa conta com várias dezenas de atividades a realizar num espaço de quatro dias.

O primeiro destes dias é marcado pela Maratona da Saúde, com rastreios, momentos musicais, e workshops de temas diversos.

A véspera de fim-de-semana conta com o Desafio Jovem, integrado na Festa da Juventude Limiana 2019, com o tema “Novas Tecnologias”. Este é o ponto central do segundo dia de Feira, que conta ainda com palestras cujos temas orbitam a igualdade de género, a importância da atividade física, a saúde e o ambiente.

O terceiro dia continua com a apresentação do projeto “Loving the Planet”. Eduardo Rêgo, presidente e voz de programas como BBC Vida Selvagem, dá a conhecer a ONG que nasceu da necessidade de unir esforços para alcançar a sustentabilidade e equilíbrio global. Na noite de sábado, o mágico mais emblemático de Portugal apresenta o seu espetáculo em Ponte de Lima. Pelas 21h00, Mário Daniel surge como dos pontos altos da Feira, que encerra a 17 de março com demonstrações de Robótica, sessões de “à conversa com os pais”, workshop de gastronomia molecular, entre diversas outras atividades patentes ao programa da III Feira de Educação, Ciência e Tecnologia, que pode ser consultado no site oficial do Município www.cm-pontedelima.pt.

PIROTECNIA MINHOTA BRILHA NOS CÉUS DA ÁSIA

A conceituada empresa Pirotecnia Minhota, sediada no concelho de Ponte de Lima, representou Portugal, no passado dia 2 de Março, na 10ª Competição Internacional Piromusical das Filipinas.

safe_image.jpg

A sua demonstração teve lugar no passado dia 2 de Março, na Baía de Manila, local onde decorre aquela competição.

44587997_2047667751962392_1432253034938761216_n.png

Remonta a milhares de anos Antes de Cristo a descoberta na China do fogo-de-artifício. Foram, porém, os gregos e os árabes que trouxeram para a Europa e, nomeadamente para a Península Ibérica o conhecimento desta arte. Inicialmente ligada nas culturas orientais à celebração de rituais de exorcização dos maus espíritos e, entre os povos árabes e islamizados, a práticas alquimistas, a pirotecnia encontra-se presentemente associada a ocasiões festivas e outras manifestações caraterizadas por momentos de alegria e felicidade dos povos ou das comunidades.

51819947_2212077155521450_8273109259894390784_n.jpg

Constituindo o Minho uma região particularmente festiva e marcada pela exuberância das suas festas e romarias, bem definidoras do caráter alegre e jovial das suas gentes, o espetáculo do fogo-de-artifício tornou-se bastante apreciado ao ponto de não haver cidade ou aldeia, por mais recôndita e insignificante que seja, que não possua a sua demonstração por ocasião da festa à padroeira e ainda, no período pascal, a acompanhar o compasso ou visita pascal.

Este fascínio do minhoto pelo espetáculo de luz e cor que o fogo-de-artifício proporciona e que, aliás, se manifesta de igual modo no traje, no artesanato, nas decorações das romarias, enfim, em muitas formas na maneira de viver do minhoto, levou-o ainda a tornar-se um exímio pirotécnico e dominar as suas técnicas de produção, ao ponto de se encontrarem aqui os melhores artistas e industriais de fogo-de-artifício – e a pirotecnia do Minho encontrar-se atualmente entre as mais reconhecidas do mundo!

São afamadas as grandiosas exibições que se realizam na nossa região, mormente em Viana do Castelo e Ponte de Lima por ocasião das Festas d’Agonia e das Feiras Novas, atraindo sempre milhares de visitantes. Não obstante, bem poderia o Minho unir esforços para realizar anualmente uma grandiosa demonstração de pirotecnia – a Festa do Fogo – eventualmente sob a forma de concurso, reunindo num espetáculo único todos os fogueteiros da nossa região, numa clara aposta na promoção desta atividade e do próprio turismo. Constituiria uma iniciativa que os próprios industriais do setor compreenderiam o seu alcance e na qual certamente participarão de bom grado. Apenas resta saber qual o concelho minhoto que ousará afirmar-se como a capital da pirotecnia?

Fotos: Dave Cruz

52983647_2243737952355370_6177441733735874560_n.jpg

52987175_2243738005688698_4532518745981059072_n.jpg

53016190_2243737829022049_2082873999699738624_n.jpg

53083454_2243737752355390_6720990907564294144_n.jpg

53364973_2243737909022041_7613867484021522432_n.jpg

53539950_2243737779022054_7270164920887410688_n.jpg

53630598_2243738045688694_3399241021626777600_n.jpg

53636752_2243737709022061_3451128641788837888_n.jpg

53646171_2243737975688701_2301936564659290112_n.jpg

53820979_2243737732355392_4047984218096009216_n.jpg

FIM-DE-SEMANA SEM DESCANSO NO TEATRO DIOGO BERNARDES, EM PONTE DE LIMA, COM MÚSICA DE ALTO NÍVEL E PARA TODOS OS GOSTOS

ORQUESTRA JAZZ DE MATOSINHOS | SARA CORREIA | BANDA DO EXÉRCITO – DESTACAMENTO DO PORTO | PÚBLICOS DO TDB – EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA DE MIGUEL ESTIMA

8 de Março de 2019 – 22h00 – Do ballroom à sala de concerto – Uma viagem pelos tempos do jazz com a Orquestra Jazz de Matosinhos

9 de Março de 2019 – 22h00 – Noite de Fado | Sara Correia

10 de Março de 2019 – 16h00 – Banda do Exército | Destacamento do Porto

A encerrar as Comemorações do Dia de Ponte de Lima, cuja Sessão Solene decorreu no passado dia 4 de Março, o respectivo Programa Cultural apresenta três espectáculos musicais de alto nível que preenchem a programação do Teatro Diogo Bernardes que, praticamente, não irá encerrar as portas, tal o número de espectáculos a efectivar no próximo fim-de-semana, quer aqueles que no total se apresentarão ao longo do mês de Março, em que a 27 se celebra o Dia Mundial do Teatro e que, na nobre sala de espectáculos de Ponte de Lima atingirão o significativo número de 15 espectáculos, aos quais se deverão acrescentar os que preenchem a programação do projecto de Descentralização Cultural nas Freguesias do Concelho.

Em paralelo, no espaço do bar do Teatro Diogo Bernardes, estará aberta a exposição de fotografia Públicos do TDB, da autoria de Miguel Estima, patente até Dezembro, que se presenta, segundo o autor, com a colaboração da espectadora atenta Salete Calvinho, da seguinte forma: Uma casa de espectáculos ganha alma e torna-se calorosa com a entrada das pessoas que adentram expectantes, entusiasmadas ou curiosas. É o ritual da espera na fila, da escolha do lugar e por vezes da esperança de haver ainda lugar. Precisa do público como elemento orgânico que preenche e dá vida aos espaços, em torno de um acontecimento artístico que une gente e a nutre através da arte. Esses frequentadores curiosos, que se desejam críticos e atentos ao que no palco acontece. É com o público e com os artistas que o espectáculo acontece, evolui e ganha dimensões peculiares. No Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, o espaço físico é também espaço virtual de memórias, sons, cenas e cenários que inspiraram o projecto e a recolha de imagens que agora vos apresento. As fotografias percorrem momentos diversos, desde o antes ao após espectáculo e permitiram-me revisitar o espaço temporal nos espectáculos que o TDB apresentou entre Fevereiro e Maio de 2014. Espero que a visita que agora vos proponho seja do vosso agrado e a sintam como também vossa a partir de agora.

Voltando aos espectáculos, a abrir este fantástico leque de concertos, o primeiro, intitulado Big Bands: Do Ballroom à Sala de Concerto – Uma viagem pelos tempos do jazz com a Orquestra Jazz de Matosinhos, integrado num conjunto de concertos pedagógicos, contando com a apresentação do seu autor e crítico de jazz Manuel Jorge Veloso, colocará em evidência a importância que as big bands tiveram na História do Jazz, enquanto formação instrumental indissociável da evolução dos vários estilos jazzísticos. E servirá também para cotejar traços distintivos desse percurso, desde os tempos em que as grandes orquestras eram um elemento essencial à dança nos grandes espaços de diversão públicos até à atmosfera calorosa dos pequenos clubes e das mais reputadas salas de concerto.

Percorrendo o repertório do chamado “período de ouro” que ficou a marcar o trajecto das big bands (1925/1955), a Orquestra Jazz de Matosinhos tocará nesta primeira série várias peças-chave das

orquestras de Fletcher Henderson, Jimmie Lunceford, Duke Ellington, Count Basie, Benny Goodman, Tommy Dorsey, Artie Shaw, Dizzy Gillespie, Woody Herman, Stan Kenton ou Gerry Mulligan, arranjadores, compositores e chefes de orquestra de referência nesse período.

A 8 de Março sobe ao palco Sara Correia, numa Noite de fado que promete ficar na memória de todos.

Sara Correia acaba de lançar o seu álbum de estreia, homónimo, criado em parceria com o produtor Diogo Clemente.

O álbum foi apresentado pela primeira vez ao vivo, no dia 6 de Setembro, na Praça do Município em Lisboa. Uma noite que ficará certamente marcada na história de Sara Correia, que emocionou todos os que assistiam, numa Praça do Município completamente lotada e totalmente rendida ao talento e presença do furacão Sara Correia.

Para muitos, Sara Correia não será uma nova voz porque é, desde muito cedo, presença habitual nas melhores casas de fado da cidade. E, por isso, canta com a propriedade e força de quem cresceu no fado.

Aos 13 anos consagrou-se vencedora da Grande Noite do Fado e, logo de seguida, foi convidada para cantar numa das mais míticas casas de fado da cidade, a Casa de Linhares. Aí teve o privilégio de cantar e aprender ao lado de grandes nomes como Celeste Rodrigues, Jorge Fernando, Maria da Nazaré, entre outros.

Cresceu e aprendeu a ouvir Amália Rodrigues, “fadista inteira” que a inspirou no caminho que traçou até hoje, em todas as suas vertentes. Mas Sara Correia tem também como referências outras grandes vozes, como Fernanda Maria, Beatriz da Conceição e Hermínia Silva.

Além das casas de fado, já actuou em grandes palcos como o Centro Cultural de Belém, os festivais Caixa Alfama e Caixa Ribeira e foi convidada para cantar no Concerto por um Novo Futuro, na maior sala de espectáculos do país, a Altice Arena.

Esta tão promissora estreia em disco, já se encontra disponível nas lojas e em todas as plataformas digitais.

Por último, na tarde de 10 de Março, com entradas gratuitas, limitadas a 2 por pessoa até esgotar a lotação da sala, o Concerto da Banda do Exército – Destacamento do Porto.

A Banda do Exército – Destacamento do Porto, é criada como consequência das várias transformações e reestruturações levadas a cabo, na organização do Exército Português, desde o início do séc. XIX até aos dias de hoje. Assim, é legítima herdeira das tradições históricas das antigas bandas militares, sediadas na cidade do Porto, nomeadamente a Banda Militar do Regimento de Infantaria N.º 18, Banda Militar do Regimento N.º 6, Banda da Região Militar do Norte, Banda Militar do Porto e demais designações estabelecidas por via das várias reorganizações, ao longo dos tempos, da música militar no Exército.

Dentro da estrutura militar, tem por missão assegurar, no respectivo âmbito de actuação, as normas de protocolo relativas às cerimónias e actos militares e participar em actividades culturais e recreativas da responsabilidade do Exército.

Os elevados níveis artísticos tornaram-na conhecida e estimada não só na região onde está sediada, mas também em outros locais do país onde se tem apresentado. Efectivamente, para além da intensa colaboração e brilhantismo que confere às inúmeras cerimónias e desfiles militares, a sua acção tem sido considerada relevante como elemento de divulgação da cultura musical no seio das populações nortenhas.

Para além das actividades estritamente militares, foi ainda designada para representar o Exército nos festivais de bandas militares, tendo efectuado “Tattoos” nas cidades do Porto, Coimbra, Évora, Braga e Maia.

Em Setembro de 2008 foi convidada a representar o Exército Português no “Encuentro Internacional de Bandas Militares Segovia Military Tattoo 2008”, na cidade espanhola de Segóvia.

Em parceria com a Banda Sinfónica Portuguesa colaborou em Novembro de 2007, 2008, 2010 e Julho de 2012 na realização dos II, III, IV e X Cursos Nacionais de Direcção de Banda com os prestigiados maestros Jan Cober (Holanda), Douglas Bostock (Inglaterra), Eugene Corporon (EUA) e José Rafael Pascual Vilaplana (Espanha), respectivamente.

Em Agosto de 2009 foi convidada a participar no festival anual internacional ClarinetFest 2009, acompanhando reputados clarinetistas solistas internacionais, numa organização da Associação Internacional de Clarinete, na Casa da Música na cidade do Porto.

Passaram por esta banda os mais ilustres maestros de bandas militares, sendo de destacar, os já desaparecidos: Capitão Domingos Caldeira, primeiro maestro de que se tem conhecimento, Capitão João Carlos de Sousa Morais, talentoso maestro e compositor, cujas obras se têm mantido através dos tempos nos mais variados programas de concerto e o Capitão Carlos Soares de Oliveira, maestro ainda hoje muito recordado e tido como referência no contexto de grandes maestros militares. Desde Setembro de 2018, é chefiada pelo Tenente Chefe de Banda de Música, Artur António Duarte Cardoso.

Bilhetes à venda e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

PONTE DE LIMA PROMOVE ARRENDAMENTO NO CENTRO HISTÓRICO

Ponte de Lima - Centro Com Vida: Período de candidaturas até 15 de março – 1ª Fase

O período de candidaturas ao à 1ª fase do Centro Com Vida – projeto lançado pelo Município de Ponte de Lima como incentivo ao arrendamento na zona do Centro Histórico, está a decorrer até 15 de março.

banner_1fase_2019-01.jpg

Ao promover este programa o Município incentiva a dinamização, gestão e conservação do parque habitacional do Centro Histórico de Ponte de Lima através da promoção do arrendamento privado para cidadãos com idades compreendidas entre os 18 e os 40 anos que aí queiram passar a residir.

Entende-se este incentivo como um auxílio importante para a conservação e manutenção do parque habitacional privado, numa perspetiva de médio e longo prazo, contribuindo ainda para a melhoria do desempenho ao nível das respetivas funções habitacionais, económicas, sociais e culturais.

Podem candidatar-se ao projeto Centro Com Vida cidadãos com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 40 anos; casais não separados judicialmente de pessoas e bens ou em união de facto, com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 40 anos, podendo um dos elementos do casal ter idade até 42 anos; e ainda cidadãos em coabitação, com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 40 anos, partilhando uma habitação, como residência permanente dos mesmos.

Consulte o regulamento em http://www.cm-pontedelima.pt.

Para mais informações contate através do seguinte endereço: centrocomvida@cm-pontedelima.pt