Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

VEREADORA BARQUENSE SÍLVIA TORRES SEM PAPAS NA LÍNGUA: SER DO NORTE É DO CARALHO!...

Em clara alusão à polémica reportagem da TVI que classificou as nossas gentes como “menos educadas”, causando indignação geral, a vereadora da Câmara Municipal de Ponte da Barca, Drª Sílvia Torres, publicou um poema na sua página do facebook que o BLOGUE DO MINHO transcreve sem interferência do lápis azul!

72482562_2795356607141516_457241685756215296_o.jpg

//Hoje deu me uma inspiração súbita! Desculpem qualquer coisinha!! Mas sou do Norte! 

Ser do Norte…
Ser do norte é do caralho!
É falar alto e bom som e não ser nenhum paspalho!
É ter um país inteiro aos seus pés e respeitá-lo de lés a lés!
Ser do Norte é ter educação, gostar e preservar uma boa tradição!
É ter o coração na boca, a saudade na alma e pouca ou nenhuma calma!
É ter vaidade ou chieira, é gostar de romarias e de ir a uma boa feira!
Ser do Norte é ser fodido! É falar pelos cotovelos e ser bem compreendido!
É ter um bom coração, ser fiel ao seu país, e dizer um palavrão!
É ser alegre e bondoso e respeitar todo o idoso!
É gostar de folclore, saber bem bater o pé e gostar de ver balé!
Ah… ser do norte que orgulho, que imensa satisfação! Porque somos tão honestos, muito pouco "chico espertos" e temos bom coração!
Ah ser do Norte que riqueza, que privilégio sem fim...
É ter imensa beleza e saber dançar assim!!

☝Quem te dera ser do Minho, quem te dera ser do Norte, mas na vida não se tem tudo e tu tiveste pouca SORTE!!!
✍Sílvia Torres

PONTE DA BARCA: ONDE FICA O SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PAZ QUE LEMBRA AS APARIÇÕES NO BARRAL?

O Santuário de Nossa Senhora da Paz é um santuário mariano localizado na freguesia de São João Batista de Vila Chã, no concelho de Ponte da Barca e distrito de Viana do Castelo. Este templo católico situa-se a cerca de 10 km de distância da sede do concelho, a vila de Ponte da Barca, e fica situado na entrada do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

11113299_503476233138624_8441379087072748993_o.jpg

O Santuário de Nossa Senhora da Paz dá expressão ao pedido de Nossa Senhora, feito a 10 e 11 de maio de 1917 indicado ao pequeno Severino Alves: “Diz aos pastores do monte que rezem sempre o terço, que os homens e mulheres cantem a ESTRELA DO CÉU, e se apeguem comigo, que hei-de acudir ao mundo e aplacar a guerra”.

O Santuário de Nossa Senhora da Paz é um local de peregrinação cristã que faz memória dos acontecimentos que levaram à sua fundação, ou seja, as aparições de Nossa Senhora da Paz ao pastorinho Severino Alves. O acolhimento dos peregrinos e visitantes é elemento fundamental da missão deste santuário mariano, o qual conta com o apoio de diversos voluntários da freguesia deste mesmo Santuário.

O que aconteceu no Barral a 10 e 11 de maio de 1917?

O protagonista do caso foi um pobre pastorinho, de nome Severino Alves, de dez anos de idade, filho de uma pobre e virtuosa viúva, e irmão de mais outros seis, todos eles muito tementes a Deus. No dia 10 de maio de 1917, deviam ser oito horas da manhã, ia esse rapazinho a caminho do monte rezando o terço, como costumava fazer, quando numa ramada próxima da Ermida de Santa Marinha, sentiu um relâmpago que o impressionou. Dá mais alguns passos, atravessa um portelo e defronta uma Senhora, sentada, com as mãos postas, tendo o dedo maior da mão direita destacado, em determinada direção. O seu rosto era lindo como nenhum outro, toda Ela cheia de luz e esplendor, de maneira a confundir vista, cobrindo-lhe a cabeça um manto azul e o resto do corpo um vestido branco. Logo que o pequeno vidente a viu, caiu para o lado surpreendido com tal acontecimento. Readquirindo ânimo, levantou-se, e exclamou: “Jesus Cristo!”. Nesse mesmo instante desapareceu a Visão. O pároco da localidade, que não parecia ser um espírito que facilmente se dominava por factos, que não parecessem credíveis, ouviu com atenção o rapazinho, não só atendendo á fama de bem comportado, que gozava na localidade, mas atendendo à sinceridade e à precisão com que relatou tudo o que viu. O pároco aconselhou-o, finalmente, a que voltasse ao lugar da Aparição e pedisse a essa Visão que o informasse quem era. No dia seguinte ao da primeira Aparição, dia 11 de maio de 1917, uma sexta-feira, deviam ser também oito horas da manhã, pois ia soltar as ovelhas e os carneiros a fim de os levar para o monte, sem que sentisse relâmpago algum, quando atravessava o portelo, deparou-se com a mesma Senhora, que estava sentada no mesmo sítio do dia anterior. Nesse dia, 11 de maio, Severino foi ao local, à mesma hora, mas já preparado pelo seu pároco, a quem logo terá contado do sucedido. Ao ver de novo a dita senhora, ajoelhou-se e disse: “Quem falou ontem fale hoje”. Perante a firmeza da frase, “a Aparição com uma voz que era um misto de rir e cantar, diferente do falar de todos os mortais que tem visto, tranquilizou-o dizendo-lhe: ‘Não te assustes. Sou Eu, menino.' E acrescentou: ‘Diz aos pastores do monte que rezem sempre o terço, e que os homens e mulheres cantem a Estrela do Céu. E as Mães que têm filhos lá fora, que rezem o terço, cantem a Estrela do Céu e se apeguem comigo, que hei-de acudir ao Mundo e aplacar a guerra'”.Depois de dizer o que fica escrito, sem que a criança tivesse mais tempo para formular uma resposta além de: “Sim, Senhora”, a Visão, olhando para uma ramada, acrescentou: “Que gomos tão lindos, que cachos tão bonitos!”. Mal o pastorinho tinha olhado para a ramada, voltando a cabeça, já a Visão tinha desaparecido. O privilegiado vidente foi imediatamente avisar do acontecido às mães dos filhos da localidade que estavam no exército. A comoção do pequeno teria sido tamanha que depois destes factos, nunca mais quis voltar sozinho ao sítio da Aparição. Às perguntas feitas, o rapazinho respondia sempre da mesma forma: “Se quiserem acreditar, que acreditem, se não quiserem que não acreditem”, e acrescentava: “Eu fiz a minha obrigação, avisando como me mandaram”.

De 1917 até ao Cinquentenário das Aparições (1967)

As primeiras multidões de devotos dirigem-se a partir do momento em que o relato chega aos jornais A Ordem (Porto - 9 de junho de 1917) e Echos do Minho (Braga - 17 de junho de 1917), muito antes de serem publicadas as primeiras notícias sobre as aparições de Fátima.

"No Barral, as pessoas, de forma muito zelosa, mantiveram-se fiéis e cumpriram as orientações do senhor arcebispo primaz de Braga, que recomendava contenção, reserva e que aguardassem as orientações das autoridades eclesiásticas, e nunca tomaram a liberdade de colocar, sequer, à veneração popular uma imagem".

Após uma elevada afluência de peregrinos, apenas 50 anos depois da Aparição foi autorizada a colocação de uma imagem num nicho - no local das duas aparições. É ainda por esta altura, década de 1960, que é realizado um comunicado sobre as "Aparições do Barral", o qual é levado ao Congresso Mariano Internacional, por ocasião do Cinquentenário das Aparições de Fátima. É despertado, de novo, o interesse de muitos perante algo que ficara "esquecido".

São João Batista de Vila Chã (oficialmente, Vila Chã (São João Batista) foi uma freguesia portuguesa do concelho de Ponte da Barca, com 10,11 km² de área e 484 habitantes (2011). Densidade: 47,9 hab/km².

Foi uma das freguesias iniciais da terra medieval da Nóbrega, tendo vindo a beneficiar do foral manuelino a esta outorgado em Outubro de 1513. Anexou a antiga freguesia de Santa Marinha da Nóbrega, hoje lugar do Barral.

A freguesia de São João Batista seria extinta (agregada) pela reorganização administrativa de 2012/2013, sendo o seu território integrado na União das Freguesias de Vila Chã (São João Batista e Santiago).

Fonte: Wikipédia

Santuário_de_Nossa_Senhora_da_Paz_(1).jpg

800px-Monumento_ao_Anjo_Padroeiro_de_Portugal.jpg

800px-Busto_de_Homenagem_Cónego_Prof._Dr._Avelino

800px-Igreja_Imaculado_Coração_de_Maria_-_Vista_

800px-Igreja_Imaculado_Coração_de_Maria_-_Vitral

800px-Santuário_de_Nossa_Senhora_da_Paz_-_Paisage

NOSSA SENHORA FEZ A SUA APARIÇÃO EM PONTE DA BARCA DOIS DIAS ANTES DE APARECER AOS PASTORINHOS NA COVA DA IRIA

O QUE ACONTECEU NO BARRAL A 10 E 11 DE MAIO DE 1917

O protagonista do caso foi um pobre pastorinho, de nome SEVERINO ALVES, de dez anos de idade, filho de uma pobre e virtuosa viúva, e irmão de mais outros seis, todos eles muito tementes a Deus.

18486278_1869750913237540_8170633494994682458_n.jp

No dia 10 de maio de 1917, deviam ser oito horas da manhã, ia esse rapazinho a caminho do monte rezando o terço, como costumava fazer, quando numa ramada próxima da Ermida de Santa Marinha, sentiu um relâmpago que o impressionou.

Dá mais alguns passos, atravessa um portelo e defronta uma Senhora, sentada, com as mãos postas, tendo o dedo maior da mão direita destacado, em determinada direção. O seu rosto era lindo como nenhum outro, toda Ela cheia de luz e esplendor, de maneira a confundir vista, cobrindo-lhe a cabeça um manto azul e o resto do corpo um vestido branco.

Logo que o pequeno vidente a viu, caiu para o lado surpreendido com tal acontecimento.

Readquirindo ânimo, levantou-se, e exclamou: “Jesus Cristo!”. Nesse mesmo instante desapareceu a Visão.

O pároco da localidade, que não parecia ser um espírito que facilmente se dominava por factos, que não parecessem credíveis, ouviu com atenção o rapazinho, não só atendendo á fama de bem comportado, que gozava na localidade, mas atendendo à sinceridade e à precisão com que relatou tudo o que viu. O pároco aconselhou-o, finalmente, a que voltasse ao lugar da Aparição e pedisse a essa Visão que o informasse quem era.

No dia seguinte ao da primeira Aparição, dia 11 de maio de 1917, uma sexta-feira, deviam ser também oito horas da manhã, pois ia soltar as ovelhas e os carneiros a fim de os levar para o monte, sem que sentisse relâmpago algum, quando atravessava o portelo, deparou-se com a mesma Senhora, que estava sentada no mesmo sítio do dia anterior.

Nesse dia, 11 de maio de 1917, o rosto da Aparição desprendia-se em sorrisos. Quando a viu, o pastorinho caiu de joelhos e disse um pouco surpreendido (para não dizer assustado) o que o pároco lhe havia aconselhado: “Quem não falou ontem, que fale hoje”.

Então a Aparição com uma voz que era um misto de rir e cantar, diferente do falar de todos os mortais que tem visto, tranquilizou-o, dizendo-lhe: “Não te assustes, sou Eu, menino”. E acrescentou: “Diz aos pastores do monte que rezem sempre o terço, que os homens e mulheres cantem a ESTRELA DO CÉU, e se apeguem comigo, que hei-de acudir ao mundo e aplacar a guerra”.

Depois de dizer o que fica escrito, sem que a criança tivesse mais tempo que responder a tudo: “Sim, Senhora”, a Visão, olhando para uma ramada, acrescentou: “Que gomos tão lindos, que cachos tão bonitos!”

Mal o rapazinho tinha olhado para a ramada, voltando a cabeça, já a Visão tinha desaparecido. O privilegiado Vidente foi imediatamente avisar do acontecido as mães dos filhos da localidade que estavam no exército. A comoção do pequeno teria sido tamanha que depois destes factos, nunca mais quis voltar sozinho ao sítio da Aparição.

Às perguntas feitas, o rapazinho respondia sempre da mesma maneira: “Se quiserem acreditar, que acreditem, se não quiserem que não acreditem”, e acrescentava: “Eu fiz a minha obrigação, avisando como me mandaram”.

Local da Aparição de Nossa Senhora da Paz.

Texto e fotos: Maria Vilas Boas / https://www.facebook.com/aparicoes.barral/

11113299_503476233138624_8441379087072748993_o.jpg

984193_365277700291812_7594610871589042449_n.jpg

18491648_1869751006570864_856072063076107755_o.jpg

MUNICÍPIO DE PONTE DA BARCA APRESENTA PROJETO PIONEIRO A NÍVEL NACIONAL PARA CONTROLO FRONTEIRIÇO

  • Medida visa combater propagação da pandemia COVID-19

A Câmara Municipal de Ponte da Barca desenvolveu um projeto a que deu o nome de “Fronteira Segura”, pronto a implementar que visa apoiar a Guarda Nacional Republicana no cumprimento da missão de vigilância e controlo do posto fronteiriço da Madalena, no Lindoso.

91099656_2350778905023079_9036267593400320000_o.jp

Este projeto, dotado de meios tecnológicos, consiste na instalação de um sistema de segurança integrado, composto por videovigilância, deteção de intrusão e sistema de intervenção de voz no local e estará ligado à GNR, permitindo, deste modo, a vigilância e o controlo remoto, libertando recursos humanos para outras ocorrências no concelho.

Esta iniciativa surge no seguimento da decisão do Governo, no inicio de Março, de encerrar todas as fronteiras terrestres com Espanha, com a exceção de nove pontos de passagem, onde não se inclui a fronteira da Madalena, em Lindoso, verificando-se aqui a interdição de toda a circulação, pedonal e rodoviária.

Atendendo ao facto de se ter verificado já a violação do encerramento desta fronteira, e que contribuiu para o sentimento de insegurança da população, a Câmara Municipal de Ponte da Barca, depois de reforçar a barreira de betão, tomou a iniciativa de apresentar esta proposta de colaboração à Guarda Nacional Republicana, que foi imediatamente acolhida com agrado.

Segundo Augusto Marinho, Presidente da Camara Municipal de Ponte da Barca: “Esta medida visa reforçar a confiança da população nas medidas adotadas pelo município para combater a propagação do COVID-19 no concelho de Ponte da Barca, que até este momento conta com um caso positivo, desde o início da pandemia”.

O projeto “Fronteira Segura”, cujos custos são integralmente suportados pela autarquia foi desenvolvido em parceria com uma empresa de Segurança Privada, Segurvez, e já está, neste momento, em condições de ser implementada, aguardando apenas avaliação final por parte da GNR e validação da Comissão Nacional de Proteção de Dados.

91277924_2350779361689700_7966702118289539072_o.jp

ROMARIA DE S. BARTOLOMEU E ENTRUDO DO PAI VELHO CANDIDATOS ÀS “7 MARAVILHAS DA CULTURA POPULAR”

O Município de Ponte da Barca submeteu a Romaria de S. São Bartolomeu e o Entrudo do Pai Velho ao concurso “7 Maravilhas da Cultura Popular” duas expressões culturais de elevada relevância, que se realizam em momentos distintos no ano e que atraem inúmeros visitantes ao concelho.

Capturarpbcandtelev.PNG

“Numa perfeita simbiose entre o sagrado e o profano, a Romaria de S. Bartolomeu é o condensar das múltiplas facetas de um território onde as tradições e vivências se mantêm vivas e renovadas, logo não faria outro sentido que não candidatar esta expressão maior da nossa cultura popular. O mesmo acontece com o Pai Velho, um dos raros e autênticos entrudos do país. É uma tradição ancestral que temos que preservar e promover, ”, disse o Autarca de Ponte da Barca, Augusto Marinho.

As “7 Maravilhas da Cultura Popular” são uma iniciativa que pretende valorizar e reconhecer o património cultural material e imaterial das várias regiões e localidades do país, contribuindo para a diferenciação e promoção territorial, contemplando várias categorias.

COMUNICADO | COVID 19: PONTE DA BARCA SUSPENDE ATIVIDADES A REALIZAR EM MARÇO

O Município de Ponte da Barca, no âmbito do seu Plano de Contingência e seguindo as orientações emanadas pelo Despacho 2836-A/2020 e as recomendações da Direção Geral da Saúde devido ao COVID-19, onde é aconselhada a suspensão de eventos ou iniciativas públicas em locais fechados e abertos informa que, como medida preventiva excecional, estão SUSPENSAS todas as iniciativas a realizar durante o mês de Março.

Mais se informa que estas medidas serão avaliadas de acordo com o desenrolar da situação e de acordo com as orientações emanadas pela DGS e pelo Governo.

Para mais informações contactar a Autarquia de Ponte da Barca através do número 258480180 ou do e-mail geral@cmpb.pt

CÂMARA MUNICIPAL APOIA CONSTRUÇÃO DE PARQUE DE MERENDAS NO SANTUÁRIO DA NOSSA SENHORA DA PAZ

Foi através de um protocolo de colaboração que a Câmara Municipal de Ponte da Barca e a Confraria da Nossa Senhora da Paz formalizaram um apoio financeiro para a construção de um parque de merendas no Santuário da Nossa Senhora da Paz.

Capturarbarcapaz.PNG

22.927,80 €, é o valor que a autarquia vai transferir para a construção da nova infra estrutura que vem assim melhorar as condições de acolhimento das muitas pessoas que visitam aquele local de culto, onde Nossa Senhora ali terá feito duas aparições a um pastorinho, a 10 e 11 de maio de 1917.

“Através destes protocolos pretendemos ajudar a resolver situações que promovem diretamente o desenvolvimento das Freguesias e o bem-estar das suas populações”, referiu o autarca de Ponte da Barca, Augusto Marinho, salientando ainda que a construção deste parque de merendas pretende proporcionar “aos visitantes um maior usufruto deste espaço que representa a identidade e a história da freguesia”.

89496968_2310094889091481_6133696843286052864_o.jp

PONTE DA BARCA ATRAVÉS DA OBJECTIVA DE ARTUR PASTOR

As imagens mostram soberbas e verdejantes paisagens rurais do concelho de Ponte da Barca em meados do século passado, através da objectiva de um dos mais conceituados fotógrafos portugueses: Artur Pastor.

arturpastorpontebarca (1).jpg

A ponte medieval, o antigo mercado e o pelourinho, a venda de peixe e algumas vistas panorâmicas são os registos que aqui se apresentam.

Artur Arsénio Bento Pastor de seu nome completo (1922-1999) nasceu em Alter do Chão. Em 1945 participou no VII Salão Internacional de Arte Fotográfica sob alto patrocínio do Presidente da República, organizado pelo Grémio Português da Fotografia, tendo recebido um diploma de participação

No ano seguinte, participou na 1ª exposição “Motivos do Sul”, em Faro, no XIII Salon International de Fotografia e, em Madrid, organizado pela Real Sociedad Fotográfica.

Em 1947, expôs no VI Salón International de Arte Fotográfico, em Barcelona. Ainda no mesmo ano, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal e no XXIII Salón Internacional de Fotografia, em Zaragoza.

Fonte: AML

arturpastorpontebarca (2).jpg

arturpastorpontebarca (3).jpg

arturpastorpontebarca (4).jpg

arturpastorpontebarca (5).jpg

arturpastorpontebarca (6).jpg

arturpastorpontebarca (7).jpg

PROTECCÇÃO CIVIL DO DISTRITO DE VIANA DO CASTELO ASSINALA DIA INTERNACIONAL DA PROTECÇÃO CIVIL EM PONTE DA BARCA

Uma exposição de meios dos vários agentes de Proteção Civil do distrito de Viana do Castelo está hoje patente na Praça da República de Ponte da Barca com o objetivo de assinalar o Dia Internacional da Proteção Civil. Esta data pretende destacar o papel do patamar preventivo do sistema de proteção civil, nos diferentes níveis territoriais, realçando a necessidade de melhorar o conhecimento sobre os riscos, de implementar sistemas de monitorização e de aviso à população e de envolver os cidadãos numa cultura de segurança, estimulando a sua participação e solidificando a ideia de que a proteção é uma responsabilidade de todos e para todos.

“Esta comemoração comporta um sentido que nos envolve a todos já que objetiva a sensibilização para questões de prevenção e de atuação”, referiu o Presidente da Câmara, Augusto Marinho, que por lá já passou, salientando ainda ser uma forma de “reconhecimento do trabalho destes organismos em defesa e proteção da população”

Capturarprotcivilpbarc.PNG

A iniciativa conta com a participação dos diversos Agentes de Proteção Civil do distrito, designadamente GNR, PSP, Polícia Marítima, Forças Armadas, Bombeiros Voluntários, Cruz Vermelha, SEF, ICNF e  CDOS / ANPC.

89023257_2300687170032253_5072691727622471680_o.jpg

89039440_2300688063365497_2860008942765867008_o.jpg

89072015_2300687880032182_2033712498359664640_o.jpg

89288451_2300690020031968_3892102743774461952_o.jpg

PONTE DA BARCA FIRMA PROTOCOLO PARA A TERRITORIALIZAÇÃO DA REDE NACIONAL DE APOIO ÀS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Foi no passado dia 28 de fevereiro que se procedeu à assinatura de um protocolo para a Territorialização da Rede Nacional de Apoio às Vitimas de Violência Doméstica, subscrito pela Secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade, municípios do Alto Minho e diversas instituições sociais, educacionais, segurança e justiça do nosso distrito.

Capturarpbprotterrt.PNG

A cerimónia foi presidida pela Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, e em representação de Ponte da Barca esteve o Presidente da Câmara, Augusto Marinho.

O acordo agora firmado visa criar e potenciar a rede local de parceria e melhorar a resposta de prevenção, proteção e combate à violência contra as mulheres e à violência doméstica (VMVD), no âmbito da Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018-2030 – Portugal + Igual (ENIND) e respetivo plano de ação para a prevenção e o combate à VMVD 2018-2021, em articulação com o plano de ação para a igualdade entre mulheres e homens 2018-2021 e o plano de ação para o combate à discriminação em razão da orientação sexual, identidade e expressão de género, e características sexuais 2018-2021.

87701500_218194869236562_7365424258970812416_n.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE PONTE DA BARCA E AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROMOVEM ENCONTRO DE COSTURA SOLIDÁRIA

A Câmara Municipal de Ponte da Barca juntou-se ao Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca no sentido de colaborar com a Organização Não Governamental (ONG) “Dress a Girl Around the World”, fundada em 2009, nos Estados Unidos, com a missão de fazer vestidos para doar a meninas de países carenciados, levando-lhes dignidade, proteção e esperança.

Capturardresspbarc.PNG

Em Portugal esta ONG iniciou as suas atividades em Maio de 2016. Para tal lançou o desafio a todas as IPSS’s locais na confeção de vestidos/calções ou doações, lançando o mesmo desafio à comunidade em geral.

Todos aqueles que queiram colaborar com esta causa podem consultar o site https://dressagirl.pt/  onde estão disponíveis os moldes e todas as indicações para a confeção da peça de vestuário (vestido ou calção).

Um Encontro de Costura Solidária, no dia 22 de março, às 14h30, na Praça da República, é o culminar deste desafio agora lançado, numa ação que pretende dar a conhecer os trabalhos realizados e que serão enviados para os meninos e meninas de países carenciados

A Dress a Girl Portugal conta com a colaboração de vários Ateliers de Costura, Centros de Dia, Escolas, Universidades Sénior e grupos informais, espalhados por todo o país (continente e ilhas), promovendo encontros de costura solidária e depende inteiramente do trabalho voluntário e de doações, desde a confeção dos vestidos e calções à matéria prima utilizada.

Junte-se a esta causa, traga a sua máquina e costure com o coração! Se não tem máquina, qualquer gesto faz diferença! É sempre possível ajudar e em conjunto vamos “costurar com amor”.

GONÇALO CADILHE APRESENTA EM PONTE DA BARCA O SEU LIVRO “NOS PASSOS DE MAGALHÃES”

No âmbito do projeto Projeto “School4All”, desenvolvido pelo Município de Ponte da Barca, em colaboração com o Agrupamento de Escolas e que visa um conjunto de ações e medidas de promoção de sucesso escolar, vai decorrer na sexta-feira, 6 de março, às 15h, na Escola Secundária, a apresentação do livro “Nos Passos de Magalhães, de Gonçalo Cadilhe. Uma segunda apresentação acontece à noite, pelas 21h, na Casa da Cultura, dirigida ao público em geral.

Capturargonçacadilhepbarca.PNG

Sobre o Livro:

Nos Passos de Magalhães é a história de lugares mágicos contada pelos olhos de um viajante moderno, ao mesmo tempo que nos guia pela Lisboa Manuelina, pelas cidades espanholas dos Descobrimentos, pelas fortalezas da Expansão Portuguesa no Oriente, pelas ilhas encantadas das Especiarias e pelas margens desoladas do Estreito de Magalhães, Gonçalo Cadilhe reinventa a viagem de um homem que conquistou o seu lugar no mundo. e provoca no leitor o desejo de partir.

Sobre o Autor:

Gonçalo Cadilhe era já um nome conhecido na literatura portuguesa de viagens quando em 2007 propôs ao semanário Expresso uma viagem temática, subordinada à figura de Fernão de Magalhães e à primeira circum-navegação. Chamou-lhe “biografia itinerante”. De facto, o projecto – que passou das crónicas do jornal para a publicação em livro e para a difusão em série televisiva – procura trazer a vida do grande navegador para a ribalta, mas distingue-se das biografias tradicionais por enfatizar o lugar do biógrafo-viajante na contemporaneidade da sua própria viagem. A articulação de presente e passado no encontro de culturas, o jogo narrativo entre a reconstrução da figura de Magalhães e a representação da multifacetada diferença do Outro, o cruzamento do uno e do diverso na globalização actual, e ainda a sensibilidade do olhar do autor-viajante e o estilo dúctil da sua escrita, tudo isto foram razões substantivas para o enorme êxito que o livro conheceu. Tomando em consideração quer as discussões genológicas sobre biografia e sobre literatura de viagens, quer a questão da busca permanente do exótico no planeta global, o meu artigo pretende estudar a fecunda hibridez desta obra, que, na pós-modernidade, cruza tempos e espaços numa peculiar viagem de demanda intercultural.

DESFILE DE MODA: CRIAÇÕES DE FERNANDO REI ENCANTARAM PONTE DA BARCA

Foi na noite do passado sábado que em Ponte da Barca se assistiu ao desfile de moda de apresentação das criações de Fernando Rei. Com casa cheia, o criador da Tearte apresentou várias peças numa fusão entre o tradicional e o moderno, com propostas contemporâneas confecionadas no tear manual e inspiradas nos motivos dos Lenços de Namorados. Foi ainda exibida a réplica da capa da "Serra Amarela", resultado de uma parceria com Fernando Rei, que como referiu o Presidente da Câmara, Augusto Marinho, “visa fazer renascer este elemento identitário da nossa terra e das nossas gentes”.

CapturarBarcadesfilemoda.PNG

Abrilhantado ainda pelo ator Alexandre Silva, que apresentou o espetáculo, o evento contou com momentos musicais a cargo do grupo (Em)Canto, que brindaram o público com cantares tradicionais à Capela.

EXPOSIÇÃO DAS PEÇAS DE FERNANDO REI E OFICINA DE TEAR NA LOJA INTERATIVA DE TURISMO

As peças que passaram pela passarela vão estar expostas, de 4 a 14 de março, na Loja de Turismo e para os interessados em aprender a trabalhar com o tear e a fazer a sua própria peça,  Fernando Rei vai promover oficinas de tear, a ter lugar nos dias 14 e 28 de março e 04 e 18 de abril, com um custo de 60€. Para mais informações e inscrições contacte a Loja Interativa de Turismo através do e-mail  lojaturismo@cmpb.pt

CPAA4550_1 (Large).jpg

CPX34838 (Large).jpg

CPX35677 (Large).jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE PONTE DA BARCA AVANÇA COM ATENDIMENTO DIGITAL AO MUNÍCIPE NAS FREGUESIAS

Atenta à evolução tecnológica e com vista à de prestação de um serviço público mais célere à população, a Câmara Municipal de Ponte da Barca, no âmbito das medidas que vem implementando no âmbito da modernização administrativa, formalizou cinco acordos de parceria para a implementação do atendimento digital assistido no Concelho.

Capturarpbarcmunicfreg.PNG

A sessão, que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Augusto Marinho e do Vereador para a Modernização Administrativa, José Alfredo Oliveira permitiu a formalização dos acordos para existência de atendimento digital assistido com as Juntas de Freguesias de Azias, Lavradas, Lindoso, União de Freguesias de Ponte da Barca, Vila Nova de Muía e Paço Vedro de Magalhães, e com a União de Freguesias de Crasto, Ruivos e Govelas.

Estes acordos, que são resultado de uma parceria com a AMA – Agência para a Modernização Administrativa dotados de financiamento comunitário, vão permitir já a partir do mês de Março a existência do atendimento digital assistido em Juntas de Freguesia, tendo sido atribuídos para o efeito novos equipamentos informáticos com o objetivo de promover a proximidade do atendimento aos munícipes, neste caso  recorrendo ao atendimento digital, aproveitando e maximizando o acesso às plataformas de serviços públicos eletrónicos existentes no Município de Ponte da Barca, tornando-os cada vez mais rápidos e eficientes.

A par das distâncias à sede de concelho (na maioria dos casos são Freguesias que confrontam com outros municípios), a densidade populacional e afluência no atendimento público foram os critérios que presidiram à indicação dos locais onde serão instalados os postos de atendimento ao munícipe.

“Tendo necessariamente de estar mais próximos dos seus munícipes, a Câmara Municipal em colaboração com as Juntas de Freguesia, poderá assim responder de forma rápida e eficaz ao munícipe, a quem coloca dúvidas ou apresenta problemas, disponibilizando às populações um serviço de mais proximidade, gratuito e onde poderão entregar documentação como se estivessem no Balcão Único do Município” afirmou Augusto Marinho, Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca, que vê assim, nesta medida, mais um investimento na dotação do cidadão de um conjunto de ferramentas que lhe permitam ser mais autónomo na sua intervenção a nível local e na resolução dos seus problemas.

DOÇARIA CENTRAL E COOPERATIVA AGRÍCOLA DE ARCOS DE VALDEVEZ E PONTE DA BARCA PREMIADAS NA GALA ALTO MINHO ATIVAR BUSINESS AWARDS 2020

A Gala Alto Minho Ativar IPVC Business Awards 2020, que decorreu na passada quinta-feira, em Viana do Castelo, premeia o “melhor do mundo científico, tecnológico e empresarial” do distrito. O evento é promovido pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e pela Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL), com o apoio da Comunidade Intermunicipal (CIM) Alto Minho.

premio_IPVC-Cooperativa2.jpg

O evento atribuiu, na totalidade, 10 prémios, numa decisão tomada por um júri composto por várias entidades da região. Duas entidades arcuenses foram distinguidas com os prémios Instituição de Mérito Regional e Prémio Carreira.

O trabalho desenvolvido pela Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca na divulgação dos produtos da região, principalmente da carne de raça Cachena, que tem conquistado vários prémios em concursos nacionais e internacionais, permitiu-lhes conquistar o prémio de Instituição de Mérito Regional deste ano.

Fundada em 1830, a Doçaria Central confeciona doces tradicionais, como os célebres "Charutos de Ovos" dos Arcos, uma das “7 Maravilhas Doces de Portugal”. A dedicação de Alzira Galvão, conhecida como "Francisca doceira", da secular Doçaria Central de Arcos de Valdevez, em conservar a história e a tradição do concelho, garantiu-lhe o Prémio Carreira.

O Presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, João Esteves, esteve presente na entrega dos prémios e felicitou as duas instituições, realçando o seu papel na economia e no desenvolvimento de Arcos de Valdevez.

premio_IPVC-doçaria.jpg