Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DA BARCA ALERTA PARA OS MAUS-TRATOS NA INFÂNCIA

Agentes de “palmo e meio” alertam para a problemática dos maus-tratos na infância

Abril é o mês da prevenção dos maus tratos na infância. Foi neste contexto que durante a manhã de ontem, em Ponte da Barca, várias crianças do concelho vestiram a farda das autoridades para uma "Operação STOP". Os pequenos agentes alertaram os automobilistas para outros perigos fora da estrada, em particular os maus-tratos na infância, numa ação promovida pela CPCJ de Ponte da Barca, em parceria com  a Escola Segura, GNR, Câmara Municipal e  Agrupamento de Escolas.

30550582_1655070731235514_1388275834_o

Augusto Marinho, Presidente da Câmara Municipal não quis deixar de cumprimentar os agentes de “palmo e meio” e felicitar todos os envolvidos nesta iniciativa de alerta para esta problemática que como referiu “é da responsabilidade de toda a comunidade”.

A Campanha Laço Azul (Blue Ribbon) nasceu em nos Estados Unidos, no final da década de 80, quando Bonnie W. Finney, uma avó atenta e preocupada, amarrou uma fita azul à antena do seu carro. A trágica história de maus-tratos aos seus netos – um deles mortalmente espancado - levou Bonnie a alertar a comunidade para este flagelo da sociedade atual, utilizando o laço de cor azul como metáfora dos corpos espancados e nódoas negras resultantes das agressões.

IMG_0433

PONTE DA BARCA EXIGE AO GOVERNO COLOCAÇÃO DE CONSERVADOR NO REGISTO CIVIL

O presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca, Augusto Marinho, foi o primeiro subscritor do abaixo-assinado promovido hoje em frente aos Paços do Concelho pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Registos e do Notariado (STRN), a “exigir” a colocação de um conservador no registo civil de Ponte da Barca. O autarca barquense fez um apelo "em particular" ao primeiro-ministro e à ministra da Justiça, enquanto "responsáveis políticos", para que resolvam prontamente esta situação.

1

Este abaixo-assinado surge na sequência de uma vigília e uma manifestação pacífica do STRN, realizada no dia 28 de Março em frente da Conservatória de Ponte da Barca pelo facto de existir uma conservadora designada desde Julho do ano passado para Ponte da Barca mas que nunca compareceu no local de trabalho, situação que até à data continua por resolver.

3

"O que a Câmara exige é que se cumpra aqui um serviço público. Que seja prestado um serviço de interesse dos cidadãos e que seja exercido com todas as condições”, afirmou  Augusto Marinho, que classificou  de "lamentável" a ausência, "há nove meses" de um conservador na Conservatória do Registo Civil, Predial, Comercial e Automóvel deste concelho.

"Abriram concurso, concorreram, nomearam uma pessoa que nunca assumiu o lugar. Esta situação tem criado graves transtornos aos cidadãos, ao município, às empresas, aos profissionais da área e que urge resolver" defendeu, ainda, o autarca, exigindo celeridade na resolução deste constrangimento imposto à comunidade barquense, e devolvendo, assim, a dignidade a tão importante serviço público.

IMG_0435

VICTOR DE CASTRO APRESENTA EM PONTE DA BARCA O SEU LIVRO "CANCRO - O MELHOR DA MINHA VIDA" COM CASA CHEIA

Casa cheia na Apresentação de livro “Cancro – O Melhor da minha vida” do escritor barquense Victor de Castro

Foi com o auditório da Casa da Cultura cheio que se procedeu ontem, Dia Mundial da Voz, à apresentação do Livro “Cancro – O Melhor da minha vida”, do barquense Victor de Castro, obra que retrata precisamente a importância da voz e a luta vivida pelo autor depois de lhe ser diagnosticado cancro e de ter sido submetido a uma Laringectomia que quase lhe roubou a voz.

5

Na presença de inúmeros amigos e familiares, e por entre alguns momentos culturais de música e dança, Victor de Castro não disfarçava a emoção enquanto ouvia a leitura de excertos do livro por algumas alunas do Agrupamento de Escolas, bem como pela apresentação da sua obra feita pela professora e sua amiga de longa data, Rosa Maria Arezes, que integrava um painel de convidados do qual faziam ainda parte os médicos, Mário Viana e Lima Rodrigues, e a terapeuta da fala do IPO Porto, Rita Viana, que segundo o autor “foram determinantes, quer ao nível pessoal quer profissional, no processo da doença oncológica”, e o Presidente da Câmara, Augusto Marinho.

Numa sessão emotiva onde foi relatada esta história que nos ensina como se fazem das provações um incentivo à vida, Victor de Castro, um sobrevivente de cancro que após ter descoberto a doença decidiu não lhe dar tréguas e lutar para vencer com aquilo que considera ser o mais importante - a família, especialmente o seu filho e a sua esposa, a quem teceu as mais sentidas palavras “por todo o apoio e luta” que com ele travou, sem nunca esquecer “os amigos, os médicos e profissionais de saúde que me acompanharam”.

“Cancro – O Melhor da minha vida” é um livro inspirador, escrito na primeira pessoa, com uma mensagem de alerta mas, essencialmente, de esperança a outros doentes oncológicos e dirigido, também, aos sobreviventes, aos cuidadores, médicos e a todos os profissionais de saúde. É um livro com uma mensagem que não deixa ninguém indiferente.

2

3

4

VICTOR DE CASTRO APRESENTA EM PONTE DA BARCA O LIVRO "CANCRO O MELHOR DA MINHA VIDA"

Apresentação do Livro "Cancro o melhor da minha vida" de Victor de Castro

A Câmara Municipal de Ponte da Barca promove a apresentação do livro "Cancro o melhor da minha vida" do barquense Victor de Castro, a ter lugar no hoje, dia 16 de abril, às 21h30, na Casa da Cultura, dia em que se assinala, também, o Dia Mundial da Voz.

Print

MAURIZIO PADOVAN LEVOU A PONTE DA BARCA "O VIOLINO DO SOLDADO"

No âmbito do centenário do fim da I Guerra Mundial, Maurizio Padovan apresentou “O Violino do Soldado” em Ponte da Barca

O músico, professor e investigador italiano Maurizio Padovan apresentou, na passada sexta-feira, em Ponte da Barca, o concerto-conferência “O Violino do Soldado”. A iniciativa, inserida nas comemorações do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918), decorreu em duas sessões, à tarde para o público escolar e à noite para o público em geral, com o propósito de  mostrar a importância da música durante a primeira grande guerra.

1

Entre vários aspetos de natureza política, económica, social e cultural relacionados com a 1ª Guerra Mundial, Maurizio Padovan explicou, com recurso a fotografias e vídeos que documentam a época e com a ajuda do seu violino que, durante este conflito, a música acompanhava as tropas nas longas horas nas trincheiras, no curso das marchas ou, durante o repouso, nas segundas linhas. À falta de instrumentos musicais, os soldados improvisavam e recorriam às matérias-primas que tinham como bidões ou caixas de munições para construir os seus próprios instrumentos musicais, mais toscos mas que serviam as funções.

Os soldados cantavam para ganhar coragem antes de entrarem em combate, para vencerem as saudades da família, para esquecer os sofrimentos da frente de batalha ou da prisão, como protesto ou para manter a esperança. Foi esta esperança e ilusão transmitidas pela música que permitiu a sobrevivência de muitos soldados.

2

4

5

6

PONTE DA BARCA ASSINALA DIA MUNDIAL DA VOZ

No âmbito do Dia Mundial da Voz, Ponte da Barca promove apresentação de Livro “Cancro – O Melhor da minha vida” de Victor de Castro

Vai ter lugar, no próximo dia 16 de abril, às 21h30, na Casa da Cultura de Ponte da Barca, a apresentação do Livro “Cancro – O Melhor da minha vida” do barquense Victor de Castro, dia em que se comemora o Dia Mundial da Voz.

O Livro editado retrata precisamente a importância da voz e a luta vivida pelo autor depois de lhe ser diagnosticado cancro e de ter sido submetido a uma Laringectomia que quase lhe roubou a voz.

Esta história ensina como se fazem das provações um incentivo à vida.

Print

PONTE DA BARCA HOMENAGEIA OS SEUS FILHOS QUE TOMBARAM NA PRIMEIRA GRANDE GUERRA

Ponte da Barca assinalou centenário da Batalha de La Lys com homenagem a Soldados Barquenses

Um monumento erigido em Ponte da Barca para honrar os seus naturais que morreram em combate na Primeira Guerra Mundial, foi ontem inaugurado no Largo Heróis da Grande Guerra, na passagem do centenário da batalha de La Lys (ocorrida a 09 de abril de 1918), considerada a mais sangrenta das batalhas em que soldados portugueses estiveram envolvidos. O Município de Ponte da Barca prestou assim reconhecimento público a todos os barquenses que tombaram na Primeira Grande Guerra, numa cerimónia emotiva precedida por uma missa em memória dos combatentes e com Guarda de Honra pelos militares do Regimento de Braga.

Capturarpb

Na batalha de La Lys foram três os barquenses que perderam a vida: Domingos Cerqueira (Lavradas), João de Sousa (Grovelas) e José Maria Fernandes Júnior (Ponte da Barca), mas ao todo foram vinte e seis os barquense que tombaram na Primeira Guerra Mundial, como lembrou na ocasião o Presidente da Câmara, Augusto Marinho: “foi em defesa da nossa soberania, dos nossos valores que  vinte e seis  barquenses perderam a vida pelo que é nosso dever preservar e manter viva a memória histórica dos atos praticados por uma gesta de portugueses.”

3

Foi com este propósito que a Câmara Municipal de Ponte da Barca decidiu assinalar o Centenário da Batalha de La Lys, como forma de manter viva a valentia e bravura dos milhares de portugueses que nela participaram, mas, de forma muito particular os corajosos barquenses: “as lições humanas, morais e éticas que a Grande Guerra encerra não podem ser esquecidas, pelo que se torna um dever evocarmos e homenagearmos todos aqueles que nela estiveram envolvidos”, salientou  autarca barquense.

Augusto Marinho defendeu, ainda, que  evocar e homenagear estes soldados éum ato de justiça para com o passado, é um ato de reconhecimento no presente e é, também, uma forma de prevenirmos o futuro.”

O Memorial agora inaugurado pretende simbolizar o sacrifício dos barquenses que serviram o seu País em tempo de guerra, lutando pela sua independência, pela paz e pela liberdade. Através deste Memorial é intenção do Municipal perpetuar a lembrança de avós e bisavós e o apego aos valores que nos unem, ficando assim estabelecida uma relação sentimental entre os barquenses de hoje e a memória daqueles que, na Grande Guerra, lutaram e deram a vida pela sua Pátria, assegurando que eles não serão esquecidos.

4

Soldados Barquenses que tombaram na Primeira Grande Guerra

António Gomes Armada – Ruivos

António José Ribeiro – Lindoso

António Martins – Oleiros

António Rodrigues Gomes – São Tomé do Vade

Augusto Gomes de Brito – Bravães

Avelino António da Silva – Bravães

Carlos Augusto Pinheiro de Almeida – Grovelas

Celestino Júlio Dias – Germil

Custódio José da Cunha – Bravães

Domingos Cerqueira – Lavradas

Francisco Gonçalves – São Tomé do Vade

Francisco Rodrigues – Crasto

Francisco da Silva – Sampriz

João Afonso Rodrigues – Sampriz

João de Sousa – Grovelas

José Gomes – Bravães

José Maria Cerqueira – Vila Nova de Muía

José Maria Fernandes Júnior – Ponte da Barca

Manuel Alexandre Mendes – Bravães

Manuel António de Sousa- Oleiros

Manuel de Jesus Monteiro – Vila Nova de Muía

Manuel Joaquim Rodrigues – Santa Maria de Azias

Manuel Pereira – São João Batista de Vila Chã

Severino Joaquim Pereira – Britelo

Tomás José da Costa – Oleiros

Tomás José Vieira – Oleiros

9

10

PONTE DA BARCA RECEBE "O VIOLINO DO SOLDADO"

13 de Abril | 21h30 | Casa da Cultura de Ponte da Barca: Concerto-conferência “O Violino do Soldado” com Maurizio Padovan

A Câmara Municipal de Ponte da Barca promove no dia 13 de Abril, pelas 21h30, na Casa da Cultura, o concerto-conferência O Violino do Soldado, com Maurizio Padovan.

Print

Com entrada gratuita, a iniciativa, inserida no âmbito da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918), pretende lembrar este acontecimento através do insólito olhar da música. Execuções musicais, recontos, imagens e filmagens, revelarão aspetos curiosos e inéditos da vida infernal nas trincheiras, das condições dos prisioneiros portugueses, da disciplina e da estratégia de terror, das dizimações, da gestão do tempo livre das tropas e do papel da música para os soldados nas frentes de combate.

Maurizio Padovan é músico, professor e um dos mais qualificados e notáveis historiadores de dança do panorama internacional. Foi docente na Faculdade de Musicologia da Universidade de Cremona-Pavia (Itália). Participou em numerosos convénios internacionais e deu cursos de dança renascentista e seminários de música e dança em escolas e instituições didácticas (Itália, França, Portugal).

Desde 1989 está com regularidade em Portugal, a convite da Escola Superior de Dança de Lisboa, da Universidade do Minho, da Associação Portuguesa de Educação Musical, do Clube Unesco de Educação Artística de Lisboa, da Casa da Música de Porto, de vários Centros de Formação de Professores, do Clube Unesco de Educação Artística de Lisboa, de Câmaras Municipais e Casas das Artes para leccionar cursos de especialização e formação, para dar concertos e para a realização de espectáculos de música e de dança.

Violinista especializado em instrumentos antigos, é director do ensemble “Accademia Viscontea” e do ensemble “Vioulinàires”; gravou discos, deu cursos musicais, stages e centenas de concertos em Itália e no estrangeiro (Espanha, França, Bélgica, Suíça, Áustria, Alemanha, Hungria, Singapura). Colabora com o Departamento de Instrução da Província de Milão no projecto “Mùsica na didáctica”. Para os estudantes da Escola Secundária publicou os volumes Voci, ritmi e strumenti del Medioevo, Musica e società del Rinascimento e Il Barocco: musica e società. É autor dos mais importantes estudos e publicações editoriais e discográficas sobre o violino “occitano” em Itália.

ARTISTA LUÍSA FERNANDES EXPÕE EM PONTE DA BARCA

“A Arte de Começar” apoia artistas barquenses. Segunda exposição patente até ao final do mês na Loja Interativa do Turismo

Segunda exposição integrada no projeto "A Arte de Começar" a cargo de Luísa Fernandes, uma barquense que estuda Artes e design, na Escola Superior de Educação de Coimbra e para quem a arte é uma forma de se expressar.

Capturarpb

A “Arte de Começar” foi lançado pela autarquia de Ponte da Barca e tem como intuito a promoção dos artistas do concelho que, embora não tenham um vasto currículo na área da arte, sentem um grande fascínio pelo mundo dos trabalhos manuais.

A mostra vai estar patente na Loja Interativa de Turismo até ao dia 30 de abril, podendo ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14h às 18h, e ao sábado, das 10h às 13h.

1

2

3

4

REAL ASSOCIAÇÃO DE VIANA DO CASTELO PROMOVE DEBATE SOBRE FERNÃO DE MAGALHÃES E AS SUAS LIGAÇÕES A PONTE DA BARCA

30221782_1741207105948946_365965659256913920_n

"Reais Conversas com..."

As "Reais Conversas com...", continuam na Casa da Cultura da Ponte da Barca, no dia 27 de Abril às 21h30m.

Depois do sucesso alcançado, no dia 27 de Maio de 2017, em Ponte de Lima, com a realização da primeira edição das “Reais Conversas com …”, subordinada ao tema “A Feira de Ponte”, chegou agora a vez de realizar a segunda edição na Ponte da Barca.

As “Reais Conversas com…” são encontros informais sobre temas relacionados com a História (e histórias) local e assuntos da actualidade, promovidas pela Real Associação de Viana do Castelo, que decorrerão em todo o Alto Minho.

A Real Associação de Viana do Castelo, em colaboração com a Câmara Municipal de Ponte da Barca, escolheu para tema das segundas “Reais Conversas com…” Fernão de Magalhães, as Terras da Nóbrega e outras histórias e convidou os Eng.ºs António de Mattos e Silva, António Borges Taveira e José de Mattos e Silva, personalidades que têm participado em diversos colóquios sobre o navegador, para nos falarem de Fernão de Magalhães e da sua ligação a Ponte da Barca, no dia em que passam 497 anos da sua morte.

A moderação está a cargo da Dr.ª Maria José Gonçalves, Vice-Presidente da Câmara Municipal da Ponte da Barca.

Está pois criado o ambiente para uma boa conversa...

SANTIAGO BELACQUA ESPÕE "CRISTO SUSPENSO" EM PONTE DA BARCA

“Cristo Suspenso” de Santiago Belacqua esteve em exposição em Ponte da Barca

Depois de um mês em exposição, Ponte da Barca despede-se da mostra “Cristo Suspenso” de Santiago Belacqua, que contempla quadros de pintura e arte digital que mostram uma outra forma de ver a religiosidade. As cores fortes, uma luminosidade sumptuosa, um cenário quase transcendental e a imagem de um Cristo sempre em elevação mostram como a arte sacra contemporânea pode ser hoje um excelente elemento de inspiração cristã.

Capturarpb

“Estamos perante um artista plástico que aliou a pintura à arte digital, criando obras que desafiam o público à reflexão, à fruição e à vivência de sentimentos e emoções”, diz a Vereadora da Cultura de Ponte da Barca, Maria José Gonçalves, para quem foi “um privilégio poder exibir nos Paços do Concelho uma das coleções da obra de Santiago Belacqua, cuja grandeza  está na qualidade e diversidade da sua obra, mas está de igual modo no seu desprendimento material e na sua generosidade.”

E no término desta exposição, Santiago Belacqua presenteou o Município com uma extraordinária obra alusiva aos monumentos mais icónicos do Concelho de Ponte da Barca, nomeadamente a Ponte Medieval, o Mosteiro de Bravães, o Castelo de Lindoso, o Mercado Pombalino, a Igreja da Misericórdia e o Pelourinho.

Recorde-se que esta coleção de Santiago Belacqua tem atraído muitas atenções pela forma como aborda a cristandade e a sua simbologia, com recurso a técnicas inovadoras, criativas e pela forma como passa a imagem de fé.

LINCE VAI A PONTE DA BARCA

Lince em concerto na Casa da Cultura de Ponte da Barca a 14 de Abril

Sofia Ribeiro, antiga teclista dos “We Trust” e dos “There Must Be a Place”, trará a Ponte da Barca o seu mais recente projeto musical, sob a forma de Lince. Este projeto demarca-se pela sua sonoridade, através de vozes, pianos e sintetizadores. O concerto acontece no dia 14 de abril, às 22h00, na Casa da Cultura.

Capturarpb

No final de 2016, LINCE deu a conhecer 2 temas em nome próprio que rapidamente despertaram a curiosidade dos ouvidos mais atentos, dentro e fora de portas. Os primeiros meses de 2017 foram repartidos entre o estúdio, a compor, e os palcos (Sofar Sounds, Lisboa Dance Festival, Alive), a testar e a aprimorar as novas composições.  Ao escutar os temas que integram “Drops”, o seu EP de estreia, é evidente uma aparente dicotomia entre emoções e sensações, entre temas de características dançáveis e outros de carácter contemplativo, entre diálogos e monólogos, assentes em bases sonoras que nos provocam ora a inércia ora o movimento.

Recorde-se que este espetáculo está inserido no ciclo de concertos que arrancou em janeiro e por onde já passaram nomes como Manuel Fúria, Few Fingers e TT Syndicate.

Os bilhetes custam 2€ e podem ser adquiridos na Casa da Cultura ou na Loja Interativa de Turismo.

PONTE DA BARCA PROMOVE CONCERTO-CONFERÊNCIA "O VIOLINO DO SOLDADO" COM MAURIZIO PADOVAN

13 de Abril | 21h30 | Casa da Cultura de Ponte da Barca

A Câmara Municipal de Ponte da Barca promove no dia 13 de Abril, pelas 21h30, na Casa da Cultura, o concerto-conferência O Violino do Soldado com Maurizio Padovan. A entrada é livre.

A iniciativa, inserida no âmbito da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918) pretende lembrar este acontecimento através do insólito olhar da música. Execuções musicais, recontos, imagens e filmagens, revelarão aspetos curiosos e inéditos da vida infernal nas trincheiras, das condições dos prisioneiros portugueses, da disciplina e da estratégia de terror, das dizimações, da gestão do tempo livre das tropas e do papel da música para os soldados nas frentes de combate.

PONTE DA BARCA DISPÕE DE NOVO VEÍCULO DE RECOLHA DE RESÍDUOS SELETIVOS

Novo circuito dedicado e vocacionado para o comércio e serviços locais

Ponte da Barca dispõe de um novo veiculo de recolha de resíduos seletivos dedicado e vocacionado para o comércio e serviços locais.

IMG_0248

A medida, que vai abranger todo o concelho, resulta de uma parceria entre a empresa Resulima e a Câmara Municipal de Ponte da Barca com a qual se pretende disponibilizar um circuito de recolha porta-a-porta de papel/cartão e plástico de modo a garantir o seu correto encaminhamento para reciclagem, bem como promover uma maior  limpeza urbana do concelho.

O novo circuito vai funcionar às terças e quintas-feiras, durante o período da tarde.