Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PINTORA ANA FERNANDES EXPÕE EM AMARES

O Presidente do Município de Amares, Manuel Moreira, e o Vice-Presidente e Vereador da Cultura, Isidro Araújo, inauguraram, esta manhã, a exposição de pintura “Utopia e Distopia”, da autoria Ana Cristina da Costa Fernandes. A mostra vai estar patente na Biblioteca Municipal de Amares até ao dia 20 de agosto e a entrada é livre.

IMG_7790.jpg

A beleza da abstração reside na perceção do espetador e só os sonhadores podem interpretar sonhos. Ao desafio do espaço de uma tela e pelo caminho do abstrato, respondo com cores, formas e texturas, imaginando sempre o meu elemento favorito, a ÁGUA. A água que tudo reflete e faz refletir. Ali reconta-se a vida com novo colorido, novas formas. Sempre em incessante movimento, aberta a renovados olhares, sentires…A água que não conhece obstáculos, contornando-os sempre. Que oferece carícias quando nela mergulhas…A água faz-me sonhar!" (Ana Fernandes)

IMG_7800.jpg

CERVEIRA – “VILA DAS ARTES” – HOMENAGEIA ATRAVÉS DE PINTURA MURAL O ETERNO MESTRE DOS INQUIETOS

A mesma pessoa, em dois períodos de vida distintos. O Município de Vila Nova de Cerveira e a Zet Gallery inauguram, este sábado, uma pintura mural de homenagem ao artista Henrique Silva pela ligação umbilical à Bienal Internacional de Arte de Cerveira. Com esta obra da autoria de Juan Domingues, plasmada numa das fachadas do Cineteatro de Cerveira – Marreca Gonçalves, completa-se a trilogia de eternização dos fundadores da Bienal e do conceito de ‘Vila das Artes’, através da arte interventiva e interativa com a comunidade.

Pintura mural Henrique Silva.jpg

À entrada da vila, num edifício histórico e junto ao rosto do Mestre José Rodrigues, surge um novo mural de 10m, com dois rostos do carismático artista Henrique Silva, na juventude e na atualidade. Em progresso desde o dia 10 de julho, e com inauguração agendada para este sábado, às 10h00, o artista plástico venezuelano, filho de emigrantes portugueses, inspirou-se no livro de Paula Alcântara Carreira, intitulado “Henrique – As múltiplas vidas de um homem só, uma biografia possível do pintor Henrique Silva”, para retratar o passado e o presente daquele que considera ser ‘o eterno mestre dos inquietos’, captando-lhe o olhar sincero e inquieto, e uma eterna incapacidade de resignação.

Atualmente, com 88 anos de idade, Henrique Silva foi um dos impulsionadores das bienais de Cerveira, tendo sido diretor das Bienais de Cerveira entre 1995 e 2007. Em dezembro de 2013 foi nomeado vice-presidente da FBAC e coordenador cultural, tendo também assumido funções de diretor artístico da XVIII Bienal de Cerveira (2015). Com uma vida dedicada às artes, Henrique Silva tem um vasto e meritório percurso artístico espalhado pelo mundo, assim como na partilha de conhecimentos e experiências na área da educação ao nível superior.

A presente pintura mural ‘Homenagem ao Eterno Mestre dos Inquietos’ integra um projeto inédito em Portugal, consubstanciado na maior rede de residências artísticas que abrange os 24 municípios representados pelas três Comunidades intermunicipais da região do Minho, numa estratégia concertada que se destina a reforçar a identidade cultural do Minho e, desta forma, a dinamizar o território do ponto de vista artístico e turístico. A candidatura lançada pelo consórcio Minho Inovação, sob a marca “Amar o Minho”, obteve o apoio do Norte 2020 e dos FEEI.

De sublinhar que, com esta inauguração, o Município de Vila Nova de Cerveira completa a trilogia de homenagem aos três fundadores da Bienal de Cerveira em espaços públicos. O primeiro trabalho artístico remonta a 2016, com o artista brasileiro Elton Hipólito a evocar o mestre José Rodrigues num mural, com oito metros, intitulado de “Lacunas da Memória”, a ocupar uma fachada do Cineteatro de Cerveira; e desde 2017, a fachada principal da Casa do Artista exalta o pintor Jaime Isidoro com uma intervenção artística da autoria de Ana Torrie, onde surge o pintor, acompanhado do seu gato de estimação.

ARTESANATO E ARTE POPULAR INSPIRAM MURAIS EM BARCELOS

Futuro Centro de Expressão pela Arte e Museu de Olaria são os locais escolhidos

Sob o chapéu da arte urbana e do intercâmbio cultural nasce o projeto “Café Cultura | Barcelos”, que traz até ao centro da cidade obras de arte criadas por graffiters nacionais.

Imagemartesbarc.JPG

O artesanato e a arte popular de Barcelos são o fio condutor de um trabalho que resulta da conjugação entre passado e presente, tradição e modernidade, história e contemporaneidade.

Trata-se de residências artísticas inseridas no projeto “Cultura para todos numa cidade educadora inclusiva”, promovido pelo Município e que conta, na totalidade, com 27 iniciativas a serem desenvolvidas até 2023.

O “Café Cultura | Barcelos” arrancou no dia 15 de julho e dele estão a nascer três painéis de cor, fruto de uma revolução artística expressa em obras de arte em graffiti.

A iniciativa conta com a participação do curador e criador do projeto “Café Cultura”, José Vicente dos Santos. O artista plástico e produtor brasileiro mais conhecido por “Vicente Coda” é o responsável pela escolha dos graffiters, pelas conceções dos projetos para a realização dos murais, pelo acompanhamento dos mesmos e por toda a logística inerente ao projeto.

Os trabalhos são feitos pelos graffiters Bruno Filipe, conhecido no mundo das artes como Ekyone, nascido na cidade do Porto, Nelson Fernandes Soares, artista plástico e urbano, oriundo de Guimarães, e Bruno Nogueira, conhecido entre os artistas urbanos como NEK, natural de Espinho.

Os murais estão a surgir no alçado exterior lateral e na parede lateral interna da sala/oficina da Casa Ascensão Correia, atualmente em obras para dar corpo ao Centro de Expressão pela Arte de Barcelos. A terceira obra está nascer no muro lateral interior do Museu de Olaria.

“Café Cultura | Barcelos” tem como premissa a valorização de espaços públicos e a promoção de Barcelos enquanto Cidade Criativa da UNESCO, dando, deste modo, início a uma nova área de criação até agora sem escola em Barcelos.

O projeto “Cultura para todos numa cidade educadora inclusiva” tem um financiamento de 392.656,00 € e integra o aviso “Norte-30-2019-34 – Cultura para todos”, colocado pelo PDCT (Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial) e gerido pela CIM Cávado.

QUEM É O MESTRE PINTOR FERNANDO ROSÁRIO – NATURAL DE ESPOSENDE – QUE CELEBRA MEIO SÉCULO DE CARREIRA ARTÍSTICA?

As gentes de Esposende – e do Minho – têm no Mestre Fernando Rosário o pintor exímio que retrata na tela, com cores vivas e intensas, a fisionomia das gentes de Esposende, revelando as suas alegrias e angústias, a bondade e a dureza da vida, o sentimento devoto e a expressão firme de quem ousa enfrentar o mar. Qual ourives burilando a mais requintada peça de filigrana, Fernando Rosário vai muito além da imagem superficial, ele capta a alma, o sentimento e a grandeza das personagens retratadas, pessoas simples que são as nossas gentes.

capa2a.jpg

Fernando da Silva do Rosário, filho de Joaquim do Rosário e de Eva Gonçalves Ferreira da Silva, natural de Esposende, nasceu a 30 de Janeiro de 1950.

O Pintor Fernando Rosário desde muito cedo demostrou o seu talento para a pintura e desenho sendo reconhecido e admirado pelos seus professores já nos bancos da Escola Primária.

Vindo de uma família das mais numerosas e humildes da Vila, agora Cidade, de Esposende é o quarto dos catorze filhos. Aos 13 anos foi para Viana do Castelo trabalhar e frequentou o Curso Comercial noturno, vindo depois mais tarde aos 15 anos enveredar pela carreira profissional que mais desejava de desenhador e maquetista numa litografia na cidade de Braga que na altura era uma verdadeira escola de grandes artistas.

316056_104244193015442_6175134_n

Em Novembro de 1971 foi chamado a cumprir o serviço militar em Lisboa e em 26 de Dezembro do mesmo ano, casa-se com Cristina L. Eiras. É mobilizado para cumprir o serviço Militar em Timor Leste em comissão de 1972 a 1974, aí aproveita o tempo e faz exposições temáticas como “Timor Sua Terra, Suas Gentes e Seus Trajes”, e concorre a vários concursos sobre “ Timor O Nosso Cartaz Turístico” e outros onde recebe menções honrosas e é premiado com primeiro prémio dos concursos.

Colaborou na imprensa local daquele território português no Pacífico. Findas as obrigações, regressa a Portugal e retoma a sua profissão em Braga como desenhador do 4º ano, durante mais quatro anos. Em 1978 regressou à sua Terra Natal Esposende, vindo a estabelecer-se na freguesia de Marinhas com o seu ateliê de pintura e ao mesmo tempo com fotografia; terra essa do grande Pintor Henrique Medina que um dia quis conhecer o artista Fernando Rosário. Fizeram grande amizade ao ponto de se encontrarem várias vezes para de falarem de pintura; várias vezes na casa dele em “Goios” nesta mesma freguesia. Esta convivência com este grande pintor vem proporcionar a Fernando Rosário uma útil aprendizagem, fazendo alguns trabalhos que o Mestre Medina não podia aceitar.

Após este ciclo na sua vida, inicia um novo ciclo a todos os níveis. Continuou a pintar cada vez mais, multiplicando o sucesso com exposições e redobrado acolhimento e admiração

Sendo no retrato a disciplina com que mais se identifica, este artista esposendense é um valor Consagrado com reconhecido Mérito, e percurso bem próprios no panorama Artístico Cultural Nacional e no Estrangeiro. As suas exposições e obras foram-se sucedendo por muitos lugares do nosso país. Nelas exprimiu a sua superior capacidade em registar os processos de transformação do sítio do imaginário à realidade. Alimenta a memória coletiva e a identidade da comunidade e oferece-a como fonte da historiografia local.

Em 15 de Agosto de 2009, recebe de Sua Santidade Bento XVI, uma “Bênção Apostólica em Penhor de Graças pelo Seu Talento e Amor há Arte”.

No dia 15 de Fevereiro de 2012, foi recebido por Sua Santidade Bento XVI em Audiência Geral do Sumo Pontífice no Vaticano, para lhe entregar a sua própria Paleta com o Retrato pintado de Sua Santidade, aquando a vinda Dele a Portugal e passando por Fátima enviando a Paz para todo o Mundo através do recinto da Nossa Senhora de Fátima, “O Altar do Mundo”.

Em 18 de Agosto de 2008 por altura do Dia do Município, foi Galardoado pelo Presidente do Município com a Medalha de Mérito Cultural do Município de Esposende.

Em 2010 foi- lhe Prestada a Homenagem, com um livro e mostra dos seus trabalhos numa Exposição de Pintura no Antigo Teatro Club, agora transformado em Casa Museu dos Azulejos, nesta Cidade de Esposende, nas Comemorações do 1º Centenário deste Museu.

O Mestre Fernando Rosário, está representado, entre muitas outras, galerias de retratos a óleo. É para ele bem representativa a Galeria de Retratos dos Antigos Professores da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, com 33 retratos expostos na Sala do Conselho Científico, de sua autoria, inaugurada em 05 de Dezembro de 2006, tendo sido lançado um livro um ano depois com os Retratos de todos os Professores e respetiva biografia, patrocinado pela Fundação Eng.º António de Almeida, na pessoa do seu representante e “Presidente da Fundação” Doutor Fernando Aguiar Branco; tendo mais três outros retratos de antigos Professores na mesma Universidade, sendo um deles, fundador da Biblioteca da Universidade em 1911, e outro mais antigo tendo sido professor do Príncipe Filipe. Segue-se agora outra galeria dos Antigos Presidentes da Faculdade de Letras da mesma Universidade.

Além destas também está representado na Faculdade de Direito, Faculdade de Engenharia e Reitoria do Porto, e na Academia Portuguesa de História em Lisboa com cinco retratos. Na Fundação Eng.º António de Almeida com o próprio Fundador e sucessores presidentes da mesma, no Porto. Todavia a obra deste grande pintor é mais extensa e qualificada.

É também a “Arte Sacra” a sua mais-valia. É a expressão mística do Divino e do celestial, onde a perfeição e a grandeza transcendem o humano e lhe dão alma numa plenitude de verdadeira eternidade. O observador é fascinado pelo mistério do seu talento, do sentimento e do carisma ímpar que irradia o perfume do intangível e sobrenatural, saindo da mão firme e hábil do pintor.

O encantamento multiplica-se, a tela ganha cor e vida, os olhos das suas personagens envolvem-nos em ambiências e caminhos de serena inquietude. A narrativa Bíblica transforma-se em real, o cenário que envolve torna-se comum, e o tempo uma companhia permanente no momento mágico.

10277740_505218246251366_5889294254967798896_n

Por fim, de todos estes trabalhos que desenvolveu, resulta um conjunto de louvores e menções honrosas públicas de várias entidades da vida Académicas, Científica, Eclesiásticas, Individualidades Civis, Culturais e Sociais do Nosso País e fora dele.

Não tenho dúvidas que Fernando Rosário possui a inegável magia dos Deuses da arte, explora o traço, a côr, a técnica e a mística das artes plásticas com a naturalidade de um Mestre que a vida prendou e que a arte chamou a si. Seria fácil filosofar sobre uma qualquer teoria, com a intenção de enriquecer o seu trabalho, de o submeter a uma crítica ou de criar histórias sobre a sua história; o que não faltaria seria tema. Fernando Rosário espelha nas suas telas os seus sentimentos. Em cada quadro deixa um bocado de si e, na mestria do seu imaginário constrói a arte: pincelada a pincelada, olhar a olhar. E talvez seja por esta lenta e precisa construção ser tão sentida, tão vivida, que quem o conhece não precise de filosofar ou de criar qualquer teoria para definir a sua obra. Como ele, ela é transparente e honesta, é sentimento, é razão, é arte.

(Do Poeta Escritor e amigo Jorge Braga).

Em conclusão o Mestre Fernando Rosário como lhe chamam na terra dos Doutores e quem bem conhecem as suas obras e a sua simplicidade é um Autodidata; aprendeu fazendo, não se descurando nunca da sua formação. Nela investiu muito do seu talento e esforço. Além disso, preocupando-se com o saber do próximo, Fernando Rosário passou a ministrar os seus conhecimentos no seu ateliê, onde muitos filhos desta terra ”bebem” deste mesmo saber que transmite com dedicação e desprendimento. O Mestre Fernando Rosário possui um curriculum invejável pelas muitas e variadas Personalidades que tem vindo a retratar tais como:

Presidente, beneméritos e mais Membros da Academia Portuguesa de História

Presidentes e fundador da Fundação Eng.º António de almeida no Porto

Professor Doutor Edivaldo M. Boaventura – Universidade Federal da Bahia (Brasil)

Pintou Grandes Personalidades Civis e Militares, Juízes e Advogados, Médicos, Cirurgiões, Presidentes de Câmaras, Homens e Mulheres que se destacaram na Vida Social, grandes Beneméritos, Homens Bons e Generosos, Simples e Valentes Homens do Mar, Sábios da nossa História e Cultura Portuguesa em geral, Arcebispos, Bispos, Cónegos, Monsenhores e mais Membros do Clero.

 Fernando Rosário pintou algumas dezenas de telas originais para muitas e variadas Igrejas do nosso País.

Em 1980, dedicou-se ao Estudo e Técnica da “Arte do Restauro, “adquirindo conhecimentos e experiências com materiais apropriados para uma melhor conservação. Desde então recuperou umas centenas de telas de grandes dimensões e de grande valor artístico, de grande beleza. Antiguidades centenárias de cariz religioso, “Arte Sacra” que muito admira e gosta de fazer; colocada em muitos lugares de culto, como na Igreja da Sé de Braga “Cidade dos Arcebispos”, principalmente para o Museu da mesma. No Passo Episcopal, na capela de S. Geraldo da Sé; em muitas Misericórdias e outras Instituições de Norte a Sul do país.

Como um grande Amigo e intelectual disse: o seu Curriculum é fruto de tudo que tem feito ao longo da vida apenas só com o seu talento.

Em Dezembro de 2011 concluiu o nono e décimo segundo Ano no Sistema de Reconhecimento e Validação de Competências na Escola Secundária Henrique Medina.

Em 10 de Abril de 2012 concluiu, com aproveitamento o CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES na Área das Arte Educação Visual e Tecnológica. Meses depois recebe o CERFIFICADO DE COMPTÊNCIAS PEDAGÓGICAS, pelo INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL,IP.

Fernando Rosário casou-se em 26 de Dezembro de 1971 com Cristina Loureiro Eiras, ambos naturais desta Cidade de Esposende, residentes na Rua Dr. Alexandre Tores Nº 58. Já com uma numerosa família composta por três filhas, sendo as duas mais velhas casadas, tem três netos tendo o mais velho 13 anos. O Pintor continua a trabalhar, a ter sonhos enquanto puder e Deus quiser.

1981- 18 De Agosto na Câmara M. de Esposende

1984- Em Outubro – Câmara Municipal de Esposende

1991- 15 De Agosto – – Câmara Municipal de Esposende

1993- Casa do Minho em - Lisboa

1994- De 04 a 12 de Fevereiro-Estalagem Estela Sol, - Povoa de Varzim

1994 Hotel do Pinhal- de 17 a 26 de Outubro

1996- Em 25 de Janeiro -Santa Casa da Misericórdia de Barcelos

1998 – Salão Nobre do Centro social de Lavra – Matosinhos

2006 – Junho - Santa Casa da Misericórdia de Barcelos

2008 - Pela Páscoa - Câmara Municipal de Esposende

2011 – De 18 a 16 de Outubro, Museu M. de Esposende

2012 – De 03 a 30 do Mês de Abril - No Museu Municipal de Esposende, - Arte Sacra

Paço Episcopal de Braga e em muitas Misericórdias, igrejas Salões nobres de Bombeiros como de Vila das Aves e outras instituições de Norte a Sul do país.

10308232_506320032807854_4891407737486323477_n

ESPOSENDE: PINTOR FERNANDO ROSÁRIO COMEMORA 50 ANOS DE PINTURA COM O LANÇAMENTO DE UM LIVRO A APRESENTAR A SUA OBRA

Venho por este meio comunicar-vos que, no dia 7 de agosto, pelas 15 horas, no Auditório Municipal de Esposende, terá lugar o lançamento de um livro, comemorativo dos meus 50 anos de pintura.

capa2a.jpg

Da responsabilidade de uma editora do Porto, é uma edição de luxo, capa dura e cerca de 250 páginas, de que constará a biografia do autor e uma grande parte da sua obra.

Para o enriquecimento da mesma, muito contribuiu a escrita de diversos textos, por parte de algumas das mais destacadas figuras da cultura esposendense e não só.

EXPOSIÇÕES EM PONTE DA BARCA E LÓBIOS NO ÂMBITO DO PROJETO JXUVENTUDE

Procedeu-se ontem, no átrio dos Paços do Concelho, à inauguração da exposição de fotografia de pássaros e paisagens de Eladio Garrido Barbeito, residente em Lóbios, no âmbito do projeto “Jxuventude”, uma cooperação entre os municípios de Ponte da Barca e Lóbios que pretende fomentar a partilha de experiências e conhecimento no âmbito da cultura, desporto e ambiente. No mesmo dia, na Biblioteca Municipal de Lóbios, inaugurar-se a exposição do barquense, Carlos Campos, uma mostra de retratos baseada em experiências de luz com iluminação natural, artificial e combinada.

214996820_3569006829866941_1686347506382713817_n.j

215795994_3569006683200289_3993741038379142639_n.j

216072802_3569005756533715_6742851842669160264_n.j

216598376_3569006113200346_7014648938240518286_n.j

EXPOSIÇÃO DO ARTISTA LIMIANO ALFREDO CÂNDIDO EM 1929

Exposição de Alfredo Cândido em 1 de Junho de 1929. Identificados na foto: 1-Joaquim Cardoso, 2-Adolfo Sardinha, 3-Raimundo Sardinha, 4-Maria Mata de Sousa, 5-Alfredo Cândido, 6-Rego Barros, 7-Maria do Carmo C. Dias Branco, 8-António Dias Branco, 9-Angélico de Sousa, 10-Gomes de Carvalho, 11-Carlos de Seixas. 12-António dos Santos Carvalheiro, 13-José Augusto Ruivo.

Na foto, Alfredo Cândido aparece assinalado com uma cruz, além da numeração.

Fonte: ANTT

PT-TT-EPJS-SF-001-001-0014-0752D_derivada.jpg

CELESTE FERREIRA EXPÕE EM ESPOSENDE – FOTOS DE LUÍS EIRAS

A exposição de Celeste Ferreira é composta por 117 pinturas a óleo desta artista plástica, natural de Gaia, que fixou residência em Esposende há cerca de 15 anos, terminado a sua carreira como docente. A criatividade de Celeste Ferreira, que expõe há mais de quatro décadas, remete para o mundo do imaginário e da fantasia, onde a mulher e as suas metamorfoses são um tema recorrente. A base cubista da sua obra converge, em alguns casos, com um certo realismo e alia-se à expressividade das cores, que em muitos trabalhos aponta para o fauvismo.

A exposição, patente na Sala de Exposições principal do Museu Municipal, pode ser visitada, durante este mês, de terça a sexta-feira, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, e, ao sábado e domingo, entre as 14h00 e as 18h00. A entrada é gratuita.

196581026_4268132999916403_4645666793890895750_n.j

196379649_4268132206583149_173871943829400015_n.jp

193642041_4268131916583178_4410213283214498493_n.j

197011596_4268131643249872_8404048979806439980_n.j

194600896_4268132033249833_8068487830939808078_n.j

192682834_4268131893249847_534418720205857737_n.jp

193946893_4268131786583191_4563822758436114813_n.j

195683352_4268131899916513_5896855296859441104_n.j

196595394_4268132689916434_775840220748358185_n.jp

196732243_4268131996583170_8458401547234219005_n.j

196397425_4268131663249870_6919330294184512965_n.j

197096596_4268134023249634_2059695431336168237_n.j

193888866_4268134439916259_2623559223269641405_n.j

196338562_4268132049916498_4992306712723515904_n.j

195683352_4268134966582873_4040257629851546328_n.j

PINTORA SÍLVIA MOTA LOPES EXPÕE EM AMARES "PINTAR COM POESIA"

Exposição de 5 junho a 10 julho

“Pintar com poesia – Devaneios, palavras, traços e cor” de Sílvia Mota Lopes

Esta exposição conta com trinta e duas pinturas referentes a trinta e dois poetas onde estão incluídas duas telas alusivas a autores de Amares, uma de Francisco de Sá de Miranda e outra de António Variações.

IMG_7266.JPG

Sílvia Mota Lopes é uma artista multifacetada, onde a pintura, a escrita, a ilustração e a música completam o seu trabalho artístico.

A exposição estará patente ao público na Biblioteca Municipal de Amares, de 5 de junho a 10 de julho, no horário da biblioteca.

A inauguração da exposição será realizada no dia 5 de junho (sábado) às 16h e conta com a com a apresentação da obra poética de Francisco de Sá de Miranda, por Sérgio Guimarães de Sousa, e alguns momentos musicais a cargo de Luís Capela e Narciso Fernandes.

1200.jpg

aCORdo quARTEto REALIZA EXPOSIÇÃO COLECTIVA DE PINTURA EM VIANA DO CASTELO

aCORdo quARTEto Pulsar Viana 2021 - Viana Shopping. De 1 de Junho a 31 de Agosto

aCORdo quARTEto são 4 pintores, AluaPolen, Bino, Mutes e Pessoa. Oriundos do Alto Minho, mais propriamente dos Concelhos de Melgaço, Arcos de Valdevez e Ponte da Barca.

IMG_20210513_170853.jpg

A paixão pela pintura e a necessidade de criar obras de Arte uniu-os. Vinculados por uma beleza estética e um traço pictórico distinto, expressam-se através de uma explosão de cores, emanando o seu eu, nas suas criações artísticas. Existe uma representação visível no imaginário, uma expressão interior de emoção e sensibilidade, onde o movimento, através das figuras abstratas ou corpóreas criadas são parte de cada um dos Artistas que compõe este quARTEto.

No decurso dos estilos construídos, enquadramentos cenográficos, e construções plásticas inspiradas no seu “habitat”, levam estes pintores a partilharem para com o espectador, uma novela gráfica através da pintura, baseada nas diferentes vivências, idades, inspirações, personalidades e vidas de cada um deles.