Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PINTOR ORLANDO POMPEU INAUGUROU EM CHAVES EXPOSIÇÃO “METAMORFOSES POMPEUANAS II”

O mestre-pintor fafense Orlando Pompeu inaugurou ontem na Galeria Carneiro Rodrigues, em Chaves, a exposição “Metamorfoses Pompeuanas II”.

Metamorfoses Pompeuanas II” em Chaves

O mestre-pintor Orlando Pompeu, na inauguração da nova exposição em Chaves, acompanhado do galerista Carneiro Rodrigues (esq.), e do historiador Daniel Bastos (dir.), curador do artista plástico no espaço lusófono

 

A inauguração da exposição de um dos mais conceituados artistas plásticos portugueses da atualidade, detentor de uma obra que está representada em variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Dubai, Japão e Canadá, contou com presença de vários amigos, admiradores e colecionadores do pintor de referência nacional e internacional.

Nesta nova exposição, composta por obras cujo registo se carateriza pela espontaneidade e pela linha gestual de caráter expressionista, Orlando Pompeu infunde o seu notável e singular universo artístico marcado pela cor, criatividade e contemporaneidade.

Refira-se que a exposição estará patente ao público até à quadra natalícia, durante o período normal de funcionamento da galeria arte localizada em pleno centro histórico da cidade transmontana.

VIANA DO CASTELO RECEBE EXPOSIÇÃO RETROSPETIVA DE JOSÉ MARQUES

Acontece no próximo sábado, dia 17 – 11 horas, nos antigos Paços do Concelho, Praça da República.

Já aqui escrevemos, aquando do seu passamento, há quase um ano, que José Marques era um cidadão multifacetado, que fez um percurso de vida regularmente destacado, quer nos ENVC, quer para além desta empresa.

26166501_1501840156597089_9164327387008314545_n

José Marques foi sempre um operário adiantado em relação a quase tudo o que era novo e, na sua condição de reformado, esse espírito combativo e inovador, sem medos, antes ousado e decidido, reforçou-se.

Entre as várias incursões que ia fazendo por áreas distintas, teve relevância a sua adesão às artes, levando-o posteriormente à fundação da Arte Matriz, onde, entre outras variantes, se ministravam aulas de pintura.

A Arte Matriz, dado o seu dinamismo, tornou-se rapidamente numa associação criativa, na qual abundavam iniciativas que primavam pela diferença. Paralelamente, José Marques ia fortalecendo a sua auto aprendizagem na pintura – um sonho de criança – explorando, fundamentalmente, o seu manuseamento fácil do lápis e dos pinceis.

A alma da Arte Matriz faleceu, mas esta Associação continua a desenvolver esforços para honrar a memória do seu fundador, que agora lhe presta homenagem com esta mostra dos muitos trabalhos que ele foi produzindo no pouco tempo em que a arte abraçou.

Gonçalo Fagundes Meira

Cartaz

Viana_PR

Viana_PR_2

Bailando

FÁTIMA CARVALHO EXPÕE PINTURA NA CASA MUSEU DE MONÇÃO

Exposição de pintura "Simbiose Mais Que Perfeita" da artista Fátima Carvalho na Casa Museu de Monção/Universidade do Minho

A partir do próximo dia 3 (sábado) e até ao dia 31 de novembro, estará patente ao público na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura da artista Fátima Carvalho, intitulada "Simbiose Mais Que Perfeita".

34715067_1039786046146615_6484777348485873664_n

Segundo a artista Fátima Carvalho: «Intitula-se Simbiose Mais Que Perfeita uma vez que inclui os trabalhos figurativos da relação do Homem com a Natureza e a Mãe Natureza existido Ela própria sem necessidade da presença do Homem».

A entrada é livre! 

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

quadro

PINTOR ARCUENSE MUTES INTEGROU EXPOSIÇÃO DIVERSEXCITY’2018

DIVERSEXCITY 2018 é um evento de arte contemporânea que promove a produção artística 2D, 3D e cénica, sobre a temática ‘diversidade de género e uma visão da sociedade actual’. Está incluído numa série de eventos que irão decorrer na cidade do Porto em Outubro sobre o mesmo tema.

43426751_10217023928613171_6464605935795961856_n

Os artistas são convidados a intervir e incorporar signos, símbolos das suas visões utópicas (ou não) e pessoais, ambicionadas para a aceitação da realidade actual da diversidade de género, nas suas realizações.

Pretende-se desta forma, fomentar a informação e discussão sobre um tema actual e deveras importante ‘diversidade de géneros’, como se manifesta na sociedade e como a sociedade se manifesta sobre esta sua transformação, criando assim um olhar sem filtros, real, da sociedade do século XXI.

Foi neste âmbito que no passado dia 6 de Outubro a Galeria Geraldes da Sivla no Porto, com curadoria de Lisa Teixeira Lopes, abriu as suas portas para a exposição coletiva ‘DIVERSEXITY’, sito na rua Santo Ildefonso 225 – 229 4000 – 470, na cidade do Porto, do qual o Arcuense Mutes foi um dos selecionados. Os artistas que integraram a exposição Diversexcity 2018, foram:

Acácio de Carvalho, Albino Costa, Ana Del Rio, Catarina Machado, César Vieira, Cristina Camargo, Céu Costa, Domingos Leite de Carvalho, Duarte Barros, Florentina Resende, Henrique do Vale, Isabel Mourão Alves, José Rosinhas, Lauren Maganete, Maria Rafael, Maria Rosas, Manuel Meira, Mutes, Miguel Vasconcelos, Nuno Raminhos, Pedro de Sousa Araújo, Ruy Silva, Sílvia Carreira, Susana Bravo e Teresa Ricca.

43308904_10217023918092908_5620651364712448000_n

43372283_10217023918452917_1037059058080677888_n

43375197_10217023920812976_6156344588089950208_n

43398226_10217023925093083_4745782542450294784_n

43419316_10217023935213336_7839587909714837504_n

43443962_10217023936893378_8980146814816616448_n

43450471_10217023924333064_6435598345154068480_n

43473471_10217023914132809_6550286444542296064_n

43476087_10217023916452867_7364715890014683136_n

43477957_10217023926813126_2635214473366863872_n

43494492_10217023923253037_3343360963075112960_n

43518838_10217023926253112_7838926025189752832_n

43528210_10217023918812926_9117054382049853440_n

43555416_10217023930893228_8866161470862262272_n

ANDREIA PESSOA EXPÕE EM PONTE DA BARCA

Andreia Pessoa expõe na Loja Interativa de Turismo de Ponte da Barca

Andreia Pessoa inaugurou o projeto “A Arte de Começar”, lançado pela autarquia de Ponte da Barca como forma de apoiar os artistas locais, e desde então tem-se dedicado intensivamente à pintura, criando novos quadros.

Capturar1

Face a isso, trouxe a público as suas novas obras, mostrando assim que a “Arte de Começar” também motiva a continuidade da Arte.

A mostra pode ser visitada de terça a sábado, das das 10h às 13h e das 14h às 18h.

43030123_1490778594356452_9172835669238611968_o

43033971_1490778781023100_2938699740130312192_o

43066060_1490778477689797_1744702757442420736_o

PINTOR VICTOR ALVES EXPÕE EM VIANA DO CASTELO

Galeria da SCMV mantem ciclo de exposições. Victor Alves é o Artista que se segue

A mostra vai esta patente de 04 a 31/Outubro/2018, com abertura programada para as 17,30 horas da próxima quinta – feira, dia 04. Victor Alves É natural de Paredes de Coura, mas presentemente divide-se entre Moledo do Minho e Viana do Castelo. Expõe desde 1989. Individualmente, mostrou a sua arte em boa parte do norte de Portugal e em Espanha, particularmente na Galiza. Coletivamente, para além da França e Espanha, expôs em boa parte das cidades do território nacional.

Apresentação do PowerPoint

Está representado em coleções particulares, especialmente em Portugal e Espanha, e em instituições públicas e privadas, sendo de destacar, no plano autárquico, as Câmaras Municipais de Paredes de Coura, Ponte Lima, Viana do Castelo, Vila Verde e Caminha. Representa-se igualmente no Ministério das Finanças, na Fundação Casa Museu "A Solaina" de Pontevedra (Espanha), no Centro Cultural do Alto Minho, na Coleção da Caja Circulo de Burgos, Espanha e, em permanência, na Galeria Chroma de Vigo, Espanha.

Sobre a sua arte, em 1991, escreveu Jorge A: “Sobressalto de lirismo, a pintura de Victor Alves introduz-nos num universo mágico, em que a opacidade do quotidiano se fratura para deixar emergir os grandes fluídos vitais – o sol e o mar, referências obsessivas de um permanente exercício de renascer”. E o mesmo crítico escreveu ainda em 1994: “Nestes meandros de ser, a obra de Victor F. Alves soa como um respirar, como um ato de sobreviver”.  

Ao visitá-la, respiremo-la, então, observando-a com atenção, porque raramente abrangemos a arte a partir de uma observação fugidia.

Gonçalo Fagunde Meira

Imagem_1_A

Imagem_1_B

Imagem_2_A

Imagem_3_A

Imagem_4_A

Imagem_4_B

Imagem_5_A

PINTOR VICTOR BARROS EXPÕE NA ORDEM DOS MÉDICOS DE VIANA DO CASTELO

Victor Silva Barros vai expor na Sede da Ordem do Médicos local, sita na Rua da Bandeira, nº 472, no período de 21 de Setembro a 28 de Outubro, com abertura já na próxima sexta-feira, amanhã, pelas 21,30 horas, sendo, no ato, servido aos convidados um verde de honra. Para os amantes da arte fica o convite para que marquem presença.

Apresentação do PowerPoint

Sendo um vianense, para os seus concidadãos quase passa despercebido, porém a sua pintura está bem presente em boa parte do país e no estrangeiro.

Pinta pouco, mas a sua melhor marca define-se em duas vertentes: criatividade e qualidade na execução. Não é por acaso que só pinta e vive da pintura e que não aposta na transitoriedade, reconhecendo antes que não se pode ser um bom pintor apenas pintando nas horas vagas.

É verdade que é difícil ser pintor a tempo inteiro em Portugal, mas quem faz opções é por que acredita nas que faz. E a pintura de Victor Barros prova bem que a opção por ser apenas Pintor, criando e executando no tempo e com o devido tempo, lhe assenta muito bem.

Quem lhe adquire uma obra, sabe que vai ser senhor de uma peça de arte onde se investiu criatividade e longa laboração oficinal. Que o digam as muitas instituições e particulares que um pouco pelo mundo inteiro lhe adquiriram os seus quadros.

Gonçalo Fagundes Meira

2016 - a magia das coisas simples

2017 - adeus (a morte do cisne) . 100 X 60 cm

2017 - auto-retrato - óleo sobre tela - 40 x 30 cm

2018 - «ephémera - ou a destuição da simetria» - 68 x 68 cm

PINTORA ADRIANA MOLDER EXPÕE EM FAMALICÃO

O universo fantasmagórico de Adriana Molder na Ala da Frente de Famalicão

Exposição de pintura “Fantasmagoriana”, para ver até 19 de janeiro, na galeria de arte contemporânea famalicense

20882753_1938852286439056_6220273224281824177_n

Adriana Molder é o nome que se segue na galeria Ala da Frente, em Vila Nova de Famalicão. A artista portuguesa, que vive entre Lisboa e Berlim, inaugura no próximo dia 22 de setembro a exposição “Fantasmagoriana”, uma série de sete pinturas/retratos envoltos num ambiente predominantemente obscuro, fantasmagórico e cinematográfico.

Na mostra, que vai estar patente na galeria de arte contemporânea famalicense até janeiro do próximo ano, Adriana Molder apresenta um conjunto de trabalhos em acrílico sobre tela solta, de cores fortes, habitado por espectros, fantasmas e histórias de amor.

Adriana Molder, Fretting, da série Fantasmagoriana 2015, acrílico sobr...

Retratos que, explica a artista, lançam olhares “não tanto sombrios ou aterradores, mas cheios de uma melancolia singularmente doce”.

Refira-se ainda que “Fantasmagoriana” tem como base a coletânea de contos alemães com o mesmo nome, que será publicada em português no livro-catálogo que acompanha a nova exposição da Ala da Frente. “E é nestes (retratos) que o público pode conseguir reconhecer-se em rostos que, tal como os fantasmas destes contos, não são mais do que vestígios de emoções passadas”, explica.

A literatura e o cinema têm sido, de resto, uma constante fonte de inspiração para o trabalho de Adriana Molder, que neste trabalho procurou dar aquilo que mais procura para os seus retratos – a intensidade.

Nascida em Lisboa, em 1975, Adriana Molder vive e trabalha em Berlim e na capital portuguesa. Em 2003 recebeu o prémio revelação CELPA/Vieira da Silva e, em 2007, o Herbert Zapp Preis für Junge Kunst (Prémio Jovem Artista).

Expõe regularmente desde 2002. Tem desenvolvido um corpo de trabalho de desenho e pintura, focado essencialmente no retrato. O seu trabalho está representado em várias coleções públicas e privadas, em Portugal e no estrangeiro, tais como a Coleção Berardo, Coleção António Cachola, Fundação EDP, Fundació Sorigue, em Espanha, ou o Kupferstichkabinett - Staatliche Museen (Gabinete de Gravuras e Desenho do Museu Estatal), em Berlim, na Alemanha.

Adriana Molder, I thought You were Fire but you were just Blue, da séri...

PINTOR LIMIANO RICARDO FERREIRA EXPÕE EM PONTE DE LIMA

Município de Ponte de Lima promove exposição de pintura do limiano Ricardo Ferreira

O Município de Ponte de Lima apresenta na Biblioteca Municipal de Ponte de Lima a mais recente exposição de pintura, da autoria do limiano Ricardo Ferreira, intitulada “Recantos da minha Terra”.

A mostra vai estar patente no auditório da Biblioteca Municipal de 05 a 14 de setembro, com entrada livre.

A exposição deste artista limiano destaca-se por incluir pinturas alusivas a Ponte de Lima, através de aguarelas coloridas, retratando o património arquitetónico desta vila.

A inauguração oficial terá lugar no dia 05 de setembro, pelas 17h30.

Visitem-nos e apreciem a obra deste artista da terra!

ricardo_ferreira_cartaz

ARTISTA VENEZUELANO LUÍS NÓBREGA EXPÕE PINTURA EM MONÇÃO

Encontra-se patente ao público até ao próximo dia 29 de setembro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do jovem artista venezuelano Luís Nóbrega, intitulada "Pele e Figura".

39557571_2078565992154282_364714775801757696_n

Sinopse da exposição: «Na primeira exposição individual do artista, Luís Nóbrega, o jovem desenvolve a figura e o retrato humano, evocando as correntes contemporâneas e clássicas no realismo, no simbolismo e na reinterpretação».

A entrada é livre!

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt 
www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

40438315_2096920613652153_4714563378658410496_n

40465540_1899873313399495_5641859024161865728_n

40467675_1899874473399379_1536083031800938496_n

40481633_1899873733399453_1563790518662463488_n

40522152_1899874916732668_5244768527184822272_n

40532745_1899873556732804_3920417105219944448_n

40577101_1899874446732715_4561686921155182592_n

CABECEIRAS DE BASTO EXPÕE COLETIVA DE PINTURA

Presidente da Câmara inaugurou exposição Coletiva de Pintura

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, inaugurou esta tarde, dia 3 de agosto, na Casa da Cultura, a Exposição Coletiva de Pintura e Desenho ‘Diálogos 20+2’ da artista Cabeceirense Rosa Dixe e do artista Portuense José Silva.

Presidente da Câmara inaugurou exposição Coletiva de Pintura (1)

Constituída por 20 quadros, a mostra estará patente ao público até ao dia a 12 de setembro próximo.

Acompanharam o presidente da Câmara nesta iniciativa o presidente da Junta de Freguesia de Refojos de Basto, Outeiro e Painzela, Leandro campos, a secretária da Junta de Freguesia de Bucos, Manuela Martins e a presidente da Basto Vida, Fátima Oliveira, familiares e amigos dos artistas e público em geral.

A inauguração terminou com um momento de convívio e de contacto com os trabalhos expostos na sala de exposições.

Presidente da Câmara inaugurou exposição Coletiva de Pintura (2)

PUSKAS EXPÕE EM MONÇÃO “PERCURSOS ARTÍSTICOS DO PINTOR”

Encontra-se patente ao público até ao próximo dia 31 de agosto, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do artista monçanense Puskas, intitulada "Percursos artísticos do pintor". 

36554841_2155917747756311_4088104534105128960_n

Sinopse da exposição: «José de Barros, Puskas, nascido em 1954, em Monção. Autodidata convicto, no sentido absoluto do termo, sem ter frequentado escolas de arte oficiais, públicas ou privadas, Puskas fez uma aprendizagem gradual num curto espaço de tempo, através de muito trabalho de pesquisa e uma forma natural e intuitiva para aplicação de regras de ouro desta modalidade. Os seus temas preferidos fixam-se em panoramas diurnos, prefigurados nos mistérios das sombras iluminadas, nos espaços urbanos e rurais, onde emprega uma linguagem plástica plena de referências humanas. Retrata com frequência cenas históricas e lendas, realiza obras de caráter abstracionista com mestria, mistura com destreza as várias correntes artísticas nas suas criações, dotando-as de um cunho muito pessoal de rara singularidade

A entrada é livre!

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

37971877_2071763522843750_3156378728620097536_n

PINTORA PAULA PEREIRA EXPÕE "OUTRAS FORMAS DE VER AS FESTAS D'AGONIA"

Outras formas de ver as Festas d’Agonia: Exposição de Paula Pereira

É uma exposição num estilo artístico a que Viana não está muito habituada. Normalmente as festas d’Agonia, de forma mais ou menos salientada, são pintadas muito em forma de retrato, isto apesar de Luiz Filipe, um vianense que foi pioneiro do modernismo, ter ousado tratar as nossas festas com uma variante artística diferente, que, à época, não colheu o agrado de boa parte dos vianenses. Felizmente Luíz Filipe não fez cedências e legou-nos uma obra sobre Viana e os seus usos e costumes, onde as festas têm lugar de destaque, que hoje concita uma admiração generalizada.

folheto recortes d'agonia

Paula Pereira trilha um caminho semelhante, sem concessões e muito convicta do trabalho que vai fazendo, procurando formas diferentes de pintar e de dar expressão aos temas em que se inspira, daí muito reconhecida além-fronteiras e suficientemente premiada.

A exposição que nos vai apresentar na Galeria da Santa Casa da Misericórdia, na Praça da República, com inauguração no dia 3, amanhã, sexta – feira, pelas 21,30 horas, que tem por tema as nossas enaltecidas Festas, que estamos prestes a iniciar, não vai deixar ninguém indiferente. Está bem ao estilo de uma artista que não se resigna e teima sempre em nos surpreender, especialmente aos amantes da arte. Bem merecem as Festas d’Agonia esta exposição de cariz tão diferente do habitual.

O ato inaugurativo contará com uma prova de vinhos, gentileza da Adega Cooperativa de Ponte da Barca, e com um momento musical, a cargo de Joana Cruz e Raquel Viana.

Gonçalo Fagundes Meira

PINTORA NELA MÜLLER EXPÕE DESENHO E PINTURA EM ARCOS DE VALDEVEZ

“À descoberta do Norte Mágico”: Exposição de desenho e pintura

À descoberta do Norte Mágico é o título da exposição de desenho e pintura que reúne trabalhos de Nela Müller, artista que decidiu há alguns anos fixar residência no nosso concelho, escolhendo a Vila do Soajo.

DSC06887

De acordo com as palavras da pintora, as paisagens marítimas e os recantos pitorescos de algumas vilas do Altominho são a fonte de inspiração para têmperas e desenhos a tinta-da-china agora apresentados.

Nela Mûller tem uma longa atividade como pintora e os seus trabalhos estão representados em museus e coleções particulares.

A exposição está patente no átrio da Biblioteca Municipal Tomaz de Figueiredo e pode ser visitada até 29 de Julho.

A exposição pode ser visitada de segunda a sexta das 9h30 às 17h30.

OBRA PLÁSTICA DE MÁRIO CESARINY ESTÁ EXPOSTA NA CASA DOS CRIVOS EM BRAGA

Selecção de obras da colecção da Fundação Cupertino de Miranda

Está patente na Casa dos Crivos a exposição “A Origem das Pequenas Invenções” de Mário Cesariny, com curadoria de António Gonçalves. A presente exposição da obra plástica de Mário Cesariny oferece-nos uma visão antológica com base numa selecção de obras da colecção da Fundação Cupertino de Miranda.

CMB11072018SERGIOFREITAS00000013632

Embora Mário Cesariny tenha sido mais referenciado no âmbito da sua criação poética, não é contudo possível descurar a sua prestação plástica e este núcleo de obras é um testemunho do que foi essa sua intervenção. Trata-se de um autor que desenvolveu uma obra que demonstra uma enorme liberdade, leva-nos para territórios criativos onde o carácter experimental e informalista defendem a sua acção dentro do movimento surrealista. 

Esta mostra contempla, entre outros, os núcleos da pintura, desenho e colagens. No que concerne à Pintura, as obras assumem um carácter experimental e informalista, onde são apresentados os aquamotos e peças com as experiências de tinta-da-China e vernizes. Uma conjugação desse informal com intervenção do autor numa articulação do acaso com um sentido mais objectivo.

No Desenho, as linhas vão-nos denunciando algumas das figuras que preenchem a sua obra, como o exemplo a “Menina Poesia”.

Na Colagem, revela-se a articulação da palavra com a imagem numa constante estruturação poético/visual num sentido mais provocatório.

O documentário “Autografia: um Retrato de Mário Cesariny” encontra-se disponível para visualização no auditório da Casa dos Crivos, através de marcação emcultura@cm-braga.pt.

Trata-se de um documentário que retrata a vida, do percurso e individualidade do poeta e pintor surrealista Mário Cesariny. Documentário realizado por Miguel Gonçalves Mendes, vencedor do Prémio de Melhor Documentário Português no Festival DocLisboa 2004, Autografia pretende retratar, não o poeta e pintor Mário Cesariny, mas sim a sua vida, o seu percurso e a sua individualidade.

Realizam-se Visitas Guiadas à exposição, às Quartas-feiras, às 17h00, ou em outro dia e horário mediante marcação prévia em cultura@cm-braga.pt. A visita poderá ser feita em português ou inglês.

A exposição estará patente até dia 9 de Setembro e a entrada é livre!

CMB11072018SERGIOFREITAS00000013628

CMB11072018SERGIOFREITAS00000013629

CMB11072018SERGIOFREITAS00000013630

CMB11072018SERGIOFREITAS00000013631

CANADÁ: TORONTO ACOLHE EXPOSIÇÃO DE PINTURA DO ARTISTA FAFENSE ORLANDO POMPEU

No âmbito do programa das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas no Canadá, o mestre-pintor Orlando Pompeu inaugurou na passada quinta-feira (5 de julho) na Peach Gallery em Toronto, a exposição de pintura “Con-Textos de Criatividade”.

A curadoria da exposição, composta por quarenta aguarelas sobre papel que foram todas vendidas durante a iniciativa cultural aberta à comunidade luso-canadiana, esteve a cargo do historiador e escritor Daniel Bastos, que tem divulgado os trabalhos do artista plástico junto das Comunidades Portuguesas.

1

O curador da exposição Daniel Bastos (à esquerda) acompanhado do comendador Manuel da Costa proprietário da Peach Gallery

 

A convite da Peach Gallery, uma das mais recentes e vibrantes galerias de arte em Toronto, Daniel Bastos, que se encontra na maior cidade do Canadá a apresentar o seu último livro “Terras de Monte Longo”, justificou a ausência do artista na exposição por motivos de saúde, assegurando que as obras expostas refletem um estilo pictórico singular, heterogéneo, criativo e contemporâneo que concorrem para que Orlando Pompeu seja um dos mais conceituados pintores portugueses da atualidade.

No decurso da iniciativa cultural, que contou com a presença de vários elementos da comunidade luso-canadiana, o comendador Manuel da Costa, um dos mais ativos e beneméritos empresários portugueses em Toronto, e proprietário da Peach Gallery, mostrou-se muito satisfeito por receber a exposição de Orlando Pompeu, que ficará patente à comunidade luso-canadiana durante todo o mês de julho. Para Manuel da Costa, a arte é um elemento cultural importante na formação dos cidadãos e por conseguinte na valorização cultural da comunidade luso-canadiana em Toronto.

Orlando Pompeu nasceu a 24 de maio de 1956, em Cepães - Fafe / Portugal. Estudou desenho, pintura e escultura em Barcelona, Porto e Paris. Nos anos 90 progrediu no seu percurso artístico ao ir viver para os Estados Unidos da América, primeiramente, e depois, Japão. A sua obra consta de variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Alemanha, Itália, Croácia, Áustria, Brasil, México, Dubai, Canadá, Estados Unidos da América e Japão.

2

3

4

5

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

 

PINTORA TERESA RICCA EXPÕE EM MONÇÃO

Exposição de pintura "Mulheres com História(s)" da artista Teresa Ricca na Casa Museu de Monção/Universidade do Minho

Encontra-se patente ao público até ao próximo dia 31 de julho, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura da artista Teresa Ricca, intitulada "Mulheres com História(s)".

14449771_1587652551542999_7713898500369160707_n

Sinopse da exposição, segundo a artista: «Em cada mulher há a história do mundo, somatório de pequenas histórias pessoais, somatório de histórias de cidades, de países, de continentes, histórias de sobrevivência, de fugas, e de ternura. Esta coleção de olhares, é feita para ser homenagem às MULHERES COM HISTÓRIA(S)».

A entrada é livre!

Muito agradecemos a sua visita e a melhor divulgação da exposição.

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

Terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

36559144_1805255892861238_1042713352461090816_n

"PINTORES DA CAVE" EXPÕEM EM VIZELA

Exposição Coletiva de Pintura dos Pintores da Cave

No próximo sábado, dia 30 de junho, terá lugar a inauguração da Exposição Coletiva de Pintura dos Pintores da Cave, na Casa Municipal de Cultura Jorge Antunes.

Capturarviz

A coletiva estará patente até ao dia 27 de julho e reúne trabalhos de Colette Oliveira, Maria do Céu Guimarães, Maria das Neves e Silvina Monteiro, produzidos no âmbito da oficina de pintura criativa que acontece na Casa Municipal de Cultura Jorge Antunes sob orientação de Martinho Lima.

Os Pintores da Cave surgiram em 1998, na Fundação Jorge Antunes, com a oficina de pintura criativa e mantêm-se até aos dias de hoje.

São um grupo de alunos que se juntam para pintar, conversar e ouvir boa música. A cave da Fundação serve de palco para a criatividade e pauta o ritmo das pinceladas. Aqui nascem obras criadas com todo o sentimento.