Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DE LIMA: NO INÍCIO DO PRÓXIMO ANO CUMPRE-SE O PRIMEIRO CENTENÁRIO DO FALECIMENTO DO ILUSTRE LIMIANO QUE FOI O DR. ALVES DOS SANTOS

Passa no próximo dia 17 de Janeiro de 2024 precisamente o 1º centenário do falecimento em Coimbra do Dr. Alves dos Santos. De seu nome completo Augusto Joaquim Alves dos Santos, nasceu em 14 de Outubro de 1866 na Freguesia de Santa Maria da Cabração, concelho de Ponte de Lima, e faleceu na cidade de Coimbra. Era filho de Manuel Joaquim Rodrigues dos Santos e de Ana Maria Alves Soares.

A atribuição do seu nome a um estabelecimento de ensino em Ponte de Lima como seu patrono seria a homenagem mais digna a dar a conhecer a personalidade e a obra de um dos mais ilustres limianos

O Dr. Alves dos Santos – um dos mais ilustres filhos de Ponte de Lima – foi o pioneiro do estudo e investigação da psicologia no nosso país, continuando a sua obra a ser estudada pelos mais notáveis académicos decorridos mais de oito décadas desde a data do seu desaparecimento. A obra que publicou em 1923, Psicologia Experimental e Pedologia”, é considerada aliás um marco “na história da psicologia em Portugal pelo seu pioneirismo e importância histórica”.

Figura controversa, padre apóstata, monárquico convertido ao republicanismo, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. É apontado como o principal autor da reforma do ensino primário de 1911. Pioneiro em Portugal da Psicologia Experimental, criou o primeiro laboratório nesta área. Conhecia em profundidade os principais psicólogos europeus do seu tempo, tendo privado com Henri Piéron (colaborador de Binet), cursou no Instituto Jean-Jacques Rosseau, em Genebra, com Edouard Claparède e Paul Godin.

De seu nome completo Augusto Joaquim Alves dos Santos, o nosso ilustre conterrâneo nasceu em 14 de Outubro de 1866, na Freguesia de Cabração, tendo falecido em 17 de janeiro de 1924 na cidade de Coimbra onde viveu e se distinguiu.

Entre os inúmeros cargos que exerceu, o Dr. Alves dos Santos foi Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Ministro do Trabalho e por três vezes eleito deputado pelo círculo de Coimbra entre 1910 e 1921, chegando inclusivamente a presidir à Câmara dos Deputados. Foi ainda Diretor da Biblioteca da Universidade de Coimbra e, um ano após a implantação da República, Chefe do Gabinete do Presidente do Governo provisório.

Foi um eminente teólogo, tendo frequentado o curso de Teologia do Seminário de Braga e recebido ordens sacras. Comendador da Ordem de Santiago em 1904, lecionou Grego e Hebraico no Liceu de Coimbra, Pedagogia, Psicologia e Psicologia Infantil nomeadamente na Escola Normal Superior daquela cidade e, entre inúmeras cadeiras, Pedagogia, Psicologia e Lógica, História da Filosofia e Psicologia Experimental na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

A ele se deveu a instalação do Laboratório de Psicologia daquela Faculdade, no qual também desempenhou as funções de Diretor.

A sua obra literária é igualmente vasta, sendo de destacar os seguintes trabalhos:

  • “Concordismo e Idealismo”, publicado em 1900;
  • “O Problema da origem da família e do matrimónio em face da Bíblia e da Sociologia”, editado em 1901;
  • “A nossa escola primária – o que tem sido e o que deve ser”, em 1910;
  • “O ensino primário em Portugal, nas suas relações com a história geral da nação”, em 1913;
  • “Elementos de filosofia científica”, em 1918;
  • “Portugal e a Grande Guerra” (duas conferências), Coimbra, 1913;
  • “Psicologia experimental e Pedagogia”, Coimbra, 1923.

2815567594_1

A foto, publicada na revista “Ilustração Portugueza” de 28 de janeiro de 1922, mostra a visita do Dr. Alves dos Santos, na qualidade de Ministro do Trabalho, ao asilo D. Maria Pia 

Transcreve-se o assento paroquial de batismo de Manoel Joaquim Rodrigues dos Santos, pai de Augusto Joaquim Alves dos Santos, também ele natural da Freguesia de Cabração, concelho de Ponte de Lima, cuja imagem junto se reproduz.

“Manoel Joaquim filho legitimo de Antonio Jose Rodriguez dos Sanctos, e de Anna Joaquina Dantas do Lugar da Egreja desta freguesia de Santa Maria da Cabração julgado de Ponte de Lima; nasceo no dia quinze de Agosto de mil oito centos trinta, e nove, foi baptizado solenemente na pia Baptismal desta Igreja, com imposição dos sanctos oleos, no dia dezoito do ditto mês, por mim padre Joao Antonio Pereira de Amorim Paroco desta Igreja. Forao padrinhos, Joao Antonio Rodrigues, solteiro (…) Maria Joanna Rodrigues solteira ambos (…) e do mesmo Baptizado. Nepto Paterno de Joao Rodrigues dos Sanctos, e de Maria Affonso do Lugar da Igreja desta mesma (…) materno do Padre Manoel Jose de (…), e de Rosa Maria de Antas solteira, ambos da freguesia da Labruje, Lugar do Socorro. Pª constar fiz este assento que assino: era dia mês comes est. Supra.

O Paroco Joao Antº Perª de Amorim Vigº”

(Arquivo Distrital de Viana do castelo. Fundo paroquial de Ponte de Lima – Cabração. Livro de baptismos. Nº. do livro: 2 Fls 4 Cota 3.13.1.31)

AlvesSantos-Cunha Leal

O Dr. Alves dos Santos (segundo a contar da direita) foi Ministro do Trabalho no governo do Dr. Cunha Leal

A revista “Ilustração portuguesa” de 26 de janeiro de 1924, publicou a notícia do falecimento do Dr Alves dos Santos.

BRAGA: PROJECTO PEDAGÓGICO AJUDA CRIANÇAS A LIDAR COM O CANCRO NO SEIO FAMILIAR

‘Os superpoderes da Júlia’ é o nome do projecto pedagógico que o Município de Braga, em parceria com a Liga Portuguesa Contra o Cancro, leva aos alunos do 4º ano das escolas do Concelho. Trata-se de um audiolivro infantil com o objectivo de ajudar os adultos a explicar às crianças o que é o cancro, qual o seu impacto no dia-a-dia da família e mostrar como podem os mais pequenos contribuir para o bem-estar e recuperação do doente.

CMB01032023SERGIOFREITAS00021513814634.jpg

O projecto resulta do protocolo recentemente assinado entre a Autarquia, a Liga Portuguesa Contra o Cancro e os Agrupamentos de Escolas do Concelho, e apresenta-se como uma ferramenta essencial para minimizar uma das principais dificuldades sentidas pelas famílias com cancro, além de um importante recurso de literacia para a saúde que se revela útil na actuação de todos os professores.

“Este é um projecto para desmistificar a doença e tudo aquilo que ela provoca no seio familiar e é uma forma de dotar as crianças com competências para encarar essas situações”, explicou Sameiro Araújo, que acompanhou esta Quarta-feira, a primeira sessão de apresentação na EB de São Paio de Merelim, acompanhada pela directora do Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado, Maria José Correia.

Segundo a vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, que tutela a área da saúde, “por vezes os pais e restantes familiares, não conseguem explicar às crianças como lidar com estas situações”, por isso, este livro transmite essas competências “de uma forma bastante agradável e através de uma história envolvente”. As sessões são dinamizadas por elementos da Academia Sénior de Braga, num momento de “partilha intergeracional”, e por voluntários que elaboram o material para uma leitura encenada.

O livro vai ser distribuído pelas escolas do Concelho e pode ser obtido no site da Liga Portuguesa Contra o Cancro em: https://www.ligacontracancro.pt/www/ospoderesdajulia/livro/

Já o audiolivro poder ser visualizado em: https://youtu.be/H7GHS4fCkCA

CMB01032023SERGIOFREITAS00021513814636.jpg

CMB01032023SERGIOFREITAS00021513814637.jpg

CMB01032023SERGIOFREITAS00021513814638.jpg

CMB01032023SERGIOFREITAS00021513814644.jpg

CHEGA: É HORA DOS PAIS!

De acordo com a comunista e feminista russa, Aleksandra Kollontay, 1921, "O homem novo, da nossa nova sociedade, será moldado pelas organizações socialistas, creches, infantários, escolas, residências universitárias e muitas outras instituições deste tipo, nas quais a criança passará a maior parte do dia e onde educadores inteligentes (socialistas) a converterão num socialista consciente". Para o movimento “Mobilizar com Valores” a destruição da família e a sua substituição pelo estado totalitário estão em marcha. E isso, segundo defende o movimento, está a ser feito na Escola.

Livro Maria Helena.jfif

O debate que ocorrerá amanhã (sábado 28/11) no Fórum Mobilizar com Valores é sobre este tema e tem o título do livro da escritora Maria Helena Costa, “É hora dos Pais: Uma defesa do superior interesse das crianças", da Editora Contra Corrente. Para a autora, conceitos como estudos do género e teoria do género pertencem à ideologia do género, nada têm de científico ou fundamentado, antes são parte intrínseca de um projecto que pretende refazer o ser humano e a sociedade segundo uma determinada ideia anti-natural, anti-história, anti-biologia, anti-psicologia e anti-pessoa.

No Fórum haverá também a participação do pai que não permitiu que os filhos frequentassem a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, Artur Mesquita Guimarães, de Vila Nova de Famalicão. Para os organizadores deste Fórum esta será uma oportunidade de debater com cidadãos, pais e educadores, sobre o que se está a ser ensinado nas escolas, especificamente na disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, mas transversal a todas as disciplinas .

O encontro será virtual, através de plataforma digital, e decorrerá entre as 17h e as 18h. O evento é gratuito, mas com inscrição obrigatória através do link http://bit.ly/inscricaoforummcv. Após inscrição o participante receberá instruções sobre como aceder à plataforma na hora do fórum. Mais informações: mobilizarcomvalores2020@gmail.com

Fórum OnLine Mobilizar com Valores.jpeg

PONTE DE LIMA: AUGUSTO JOAQUIM ALVES DOS SANTOS FOI UM DOS MAIS EMINENTES PEDAGOGOS E O INTRODUTOR DO ENSINO DA PSICOLOGIA EM PORTUGAL

A atribuição do seu nome a um estabelecimento de ensino em Ponte de Lima como seu patrono seria a homenagem mais digna a dar a conhecer a personalidade e a obra de um dos mais ilustres limianos

O Dr. Alves dos Santos – um dos mais ilustres filhos de Ponte de Lima – foi o pioneiro do estudo e investigação da psicologia no nosso país, continuando a sua obra a ser estudada pelos mais notáveis académicos decorridos mais de oito décadas desde a data do seu desaparecimento. A obra que publicou em 1923, Psicologia Experimental e Pedologia”, é considerada aliás um marco “na história da psicologia em Portugal pelo seu pioneirismo e importância histórica”.

Figura controversa, padre apóstata, monárquico convertido ao republicanismo, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. É apontado como o principal autor da reforma do ensino primário de 1911. Pioneiro em Portugal da Psicologia Experimental, criou o primeiro laboratório nesta área. Conhecia em profundidade os principais psicólogos europeus do seu tempo, tendo privado com Henri Piéron (colaborador de Binet), cursou no Instituto Jean-Jacques Rosseau, em Genebra, com Edouard Claparède e Paul Godin.

De seu nome completo Augusto Joaquim Alves dos Santos, o nosso ilustre conterrâneo nasceu em 14 de Outubro de 1866, na Freguesia de Cabração, tendo falecido em 17 de janeiro de 1924 na cidade de Coimbra onde viveu e se distinguiu.

Entre os inúmeros cargos que exerceu, o Dr. Alves dos Santos foi Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Ministro do Trabalho e por três vezes eleito deputado pelo círculo de Coimbra entre 1910 e 1921, chegando inclusivamente a presidir à Câmara dos Deputados. Foi ainda Diretor da Biblioteca da Universidade de Coimbra e, um ano após a implantação da República, Chefe do Gabinete do Presidente do Governo provisório.

Foi um eminente teólogo, tendo frequentado o curso de Teologia do Seminário de Braga e recebido ordens sacras. Comendador da Ordem de Santiago em 1904, lecionou Grego e Hebraico no Liceu de Coimbra, Pedagogia, Psicologia e Psicologia Infantil nomeadamente na Escola Normal Superior daquela cidade e, entre inúmeras cadeiras, Pedagogia, Psicologia e Lógica, História da Filosofia e Psicologia Experimental na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

A ele se deveu a instalação do Laboratório de Psicologia daquela Faculdade, no qual também desempenhou as funções de Diretor.

A sua obra literária é igualmente vasta, sendo de destacar os seguintes trabalhos:

  • “Concordismo e Idealismo”, publicado em 1900;
  • “O Problema da origem da família e do matrimónio em face da Bíblia e da Sociologia”, editado em 1901;
  • “A nossa escola primária – o que tem sido e o que deve ser”, em 1910;
  • “O ensino primário em Portugal, nas suas relações com a história geral da nação”, em 1913;
  • “Elementos de filosofia científica”, em 1918;
  • “Portugal e a Grande Guerra” (duas conferências), Coimbra, 1913;
  • “Psicologia experimental e Pedagogia”, Coimbra, 1923.

2815567594_1

A foto, publicada na revista “Ilustração Portugueza” de 28 de janeiro de 1922, mostra a visita do Dr. Alves dos Santos, na qualidade de Ministro do Trabalho, ao asilo D. Maria Pia 

VIEIRA DO MINHO DESTACA A IMPORTÂNCIA DE BRINCAR

António Cardoso participou no “Almoço em Família” no Centro Escolar do Cávado

No âmbito da iniciativa "Maio - mês da Família", levada a cabo pelo Município de Vieira do Minho através do projeto Jovens ao Leme - E6G e a CPCJ de Vieira do Minho, realizou-se no Centro Escolar do Cávado um Workshop sobre a importância do Brincar, dirigido às famílias das crianças que frequentam aquele estabelecimento escolar.

32366653_1170220449786451_8511694950885228544_n

Esta iniciativa teve como principal objetivo reforçar a importância do brincar no desenvolvimento da criança, momento prazeroso no qual ocorrem aprendizagens fundamentais para o seu desenvolvimento e vida futura. Ainda numa lógica de promoção da corresponsabilização da família no processo educativo e de participação nas atividades escolares, realizou-se o 1º Almoço em Família, que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, António Cardoso. Refira-se que ambas as iniciativas serão reproduzidas em todos os Centros Escolares e Escolas Básicas do Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo.

Segundo O presidente da Câmara Municipal, António Cardoso “esta iniciativa vai de encontro às  boas práticas de apoio às famílias praticadas pelo Município de Vieira do Minho e que lhe tem valido a bandeira verde das Autarquias Familiarmente Responsáveis atribuída pelo Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis”.

ESCOLAS DE PONTE DE LIMA ASSINALAM 500 ANOS DA REFORMA EM ATIVIDADE PEDAGÓGICA

Escolas do concelho de Ponte de Lima assinalam 500 anos da Reforma em atividade pedagógica

Mais de 200 alunos das escolas EB 2/3 de Freixo e de António Feijó participaram numa iniciativa evocativa dos 500 anos da Reforma Protestante que decorreu na passada quinta-feira, 16 de novembro, no Auditório Rio Lima. Em ambiente lotado, os estudantes assistiram a uma palestra informal, ministrada por Adalberto Hiller – diretor administrativo da Unidade de Ponte de Lima da Universidade Fernando Pessoa – que destacou o essencial da vida e obra do monge alemão responsável pela renovação teológica do cristianismo, pela tradução do Novo Testamento para alemão – trabalho que proporcionou o acesso às Escrituras sem a mediação do clero -, e pela propugnação de um ensino universal, obrigatório e gratuito para todas as franjas da população sem constrangimentos de género e de estatuto social.

Escolas do Concelho (Medium)

A atividade de pendor didático, promovida pelo Município de Ponte de Lima como complemento curricular da disciplina de História do 8.º ano, incluiu a interpretação musical de “Castelo Forte” - hino oficial da Igreja Luterana composto por Martinho Lutero e baseado no salmo 46 da Bíblia Sagrada -, e a exibição do filme “Luther” que conta com Joseph Fiennes no papel do monge-reformador cujo pensamento provocou a cisão com o catolicismo e a subsequente alteração do mapa religioso da Europa do século XVI.

MUNICÍPIO ARCUENSE OFERECE JOGO ÀS CRIANÇAS PARA CONHECEREM A BIODIVERSIDADE DO RIO VEZ

Município arcuense oferece Jogo da Memória “Biodiversidade do Rio Vez

No âmbito de uma atividade inserida no plano de atividades extra curriculares proporcionadas pelo Município nos jardins-de-infância, foi criado o Jogo da memória da Biodiversidade do rio Vez.

jogo_memoria (1)

Este jogo é uma  ferramenta pedagógica que permite a aprendizagem de alguns nomes de plantas e animais do rio Vez, direcionado para crianças a partir dos 3 anos. Através dele é permitido o contacto com imagens de 20 exemplares da biodiversidade do rio Vez, facilitando a sua memorização. A Câmara Municipal acolheu a iniciativa e, com o envolvimento de Bernardete Amorim (fotógrafa), Sara Simões (responsável pela conceção) e Sónia Pinto (ilustradora do jogo), foi oferecido um exemplar a todas as crianças do ensino pré-escolar (cerca de 400), esperando com esta iniciativa levar a um maior reconhecimento da conservação do rio Vez.

jogo_memoria (2)

jogo_memoria3

ALVES DOS SANTOS: UM LIMIANO QUE FOI UM DOS MAIORES PEDAGOGOS DO SÉCULO XX

Figura controversa, padre apóstata, monárquico convertido ao republicanismo, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. É apontado como o principal autor da reforma do ensino primário de 1911. Pioneiro em Portugal da Psicologia Experimental, criou o primeiro laboratório nesta área. Conhecia em profundidade os principais psicólogos europeus do seu tempo, tendo privado com Henri Piéron (colaborador de Binet), cursou no Instituto Jean-Jacques Rosseau, em Genebra, com Edouard Claparède e Paul Godin.

As suas ideias pedagógicas assentavam num pressuposto, comum a todo o republicanismo, a educação o principal factor de regeneração do país. Figura controversa, padre apóstata, monárquico convertido ao republicanismo, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

É apontado como o principal autor da reforma do ensino primário de 1911. Pioneiro em Portugal da Psicologia Experimental, criou o primeiro laboratório nesta área. Conhecia em profundidade os principais psicólogos europeus do seu tempo, tendo privado com Henri Piéron (colaborador de Binet), cursou no Instituto Jean-Jacques Rosseau, em Genebra, com Edouard Claparède e Paul Godin.

As suas ideias pedagógicas assentavam num pressuposto, comum a todo o republicanismo, a educação o principal factor de regeneração do país.

Obras sobre o ensino e pedagogia: Estatística Geral da Circunscrição de Coimbra relativa ao ano de 1903-1904(1906); A nossa escola primária (o que tem sido, o que deve ser), (1910); O Ensino primário em Portugal nas suas relações com a história geral da nação (1913); Para a história do ensino público em Portugal( um documento importante), artigo (1916); O "crescimento"da criança portuguesa. Subsídios para a constituição duma pedologia nacional (1917); Educação Nova - As bases. O corpo da criança (1919); Assistência às crianças normais, de ambos os sexos, desde os 7 aos 18 anos, em perigo moral, artigo (1919-1921); Um Plano de Reorganização do Ensino Público- Projecto Lei (1921); Laboratório de Psicologia Experimental, artigo (1922-1925); A Medida em Psicologia, artigo (1922-1925); Psicologia Experimental e Pedagogia ( Trabalhos, observações e experiências realizadas no Laboratório) (1923).

Obras sobre Alves dos Santos: Álvaro Garrido, A Utopia pedagógica de Alves dos Santos (lente republicano: 1866-1924), (1998)

Fonte: http://www.filorbis.pt/educar/pedagogos.htm

ALVES DOS SANTOS NASCEU HÁ 150 ANOS! - FOI UM EMINENTE PEDAGOGO E UM DOS MAIORES VULTOS LIMIANOS

Passa no próximo mês de Outubro precisamente 150 anos sobre a data de nascimento daquele que foi um dos maiores vultos limianos de que há memória – o Dr Augusto Joaquim Alves dos Santos – introdutor do estudo da Psicologia em Portugal. O seu perfil de pedagogo justificaria a atribuição do seu nome a um estabelecimento de ensino em Ponte de Lima, tornando-se seu patrono.

DR. ALVES DOS SANTOS: UM LIMIANO ILUSTRE E DESCONHECIDO

De seu nome completo Augusto Joaquim Alves dos Santos, o nosso ilustre conterrâneo nasceu em 14 de Outubro de 1866, na Freguesia de Cabração, tendo falecido em 17 de janeiro de 1924 na cidade de Coimbra onde viveu e se distinguiu.

Apesar dos esforços desenvolvidos não conseguimos identificar possíveis descendentes ou outros familiares, nomeadamente na Freguesia de que foi natural. Sabemos unicamente que era filho de Manuel Joaquim Rodrigues dos Santos e Ana Maria Alves Soares.

Não é nosso propósito aqui fazer a sua biografia mas, no caso vertente, não resistimos a enumerar alguns dados biográficos pois o conhecimento do Dr. Alves dos Santos não dispensa apresentação.

Entre os inúmeros cargos que exerceu, o Dr. Alves dos Santos foi Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Ministro do Trabalho e por três vezes eleito deputado pelo círculo de Coimbra entre 1910 e 1921, chegando inclusivamente a presidir à Câmara dos Deputados. Foi ainda Diretor da Biblioteca da Universidade de Coimbra e, um ano após a implantação da República, Chefe do Gabinete do Presidente do Governo provisório.

Foi um eminente teólogo, tendo frequentado o curso de Teologia do Seminário de Braga e recebido ordens sacras. Comendador da Ordem de Santiago em 1904, lecionou Grego e Hebraico no Liceu de Coimbra, Pedagogia, Psicologia e Psicologia Infantil nomeadamente na Escola Normal Superior daquela cidade e, entre inúmeras cadeiras, Pedagogia, Psicologia e Lógica, História da Filosofia e Psicologia Experimental na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

A ele se deveu a instalação do Laboratório de Psicologia daquela Faculdade, no qual também desempenhou as funções de Diretor.

A sua obra literária é igualmente vasta, sendo de destacar os seguintes trabalhos:

- “Concordismo e Idealismo”, publicado em 1900;

- “O Problema da origem da família e do matrimónio em face da Bíblia e da Sociologia”, editado em 1901;

- “A nossa escola primária – o que tem sido e o que deve ser”, em 1910;

- “O ensino primário em Portugal, nas suas relações com a história geral da nação”, em 1913;

- “Elementos de filosofia científica”, em 1918;

- “Portugal e a Grande Guerra” (duas conferências), Coimbra, 1913;

- “Psicologia experimental e Pedagogia”, Coimbra, 1923;

O Dr. Alves dos Santos foi militante do Partido Republicano Nacionalista desde que se extinguira o Partido Republicano Evolucionista do Dr. António José de Almeida.

Sobre o seu perfil político, o periódico “O Despertar” de Coimbra, na sua edição de 19 de janeiro de 1924 afirmava:

Foi um orador fluente. Tanto da tribuna sagrada como em comícios públicos e mais tarde no parlamento, o sr. Dr. Alves dos Santos era sempre ouvido com o mais vivo interesse.

Conhecedor a fundo da língua, o saudoso extinto era fecundo em maravilhosas imagens, chegando, por vezes, a empolgar a assistência, com o seu gesto largo e manifesta sinceridade que exprimia às suas palavras.

Os seus adversários políticos, nomeadamente, eram os primeiros a reconhecer-lhe o mais formoso talento”.

Ainda segundo o mesmo periódico, o Dr. Alves dos Santos era uma figura “essencialmente popular, sem escusados preconceitos”, “estimadíssimo em Coimbra” e “um amigo devotado das crianças, às quais dedicava os mais vivos afectos”, razão pela qual lhes consagrou muitos dos seus estudos.

O Dr. Alves dos Santos residia no número catorze da rua Alexandre Herculano, na cidade de Coimbra, e faleceu na sequência de “uma horrorosa enfermidade para a qual a sciencia médica é ainda impotente”, conforme noticiava a “Gazeta de Coimbra”, no dia do seu falecimento.

No seu funeral estiveram representadas a Universidade de Coimbra, o Governador Civil do Distrito, os ministros do Interior e do Trabalho, a Câmara Municipal de Coimbra e a Misericórdia local entre numerosas outras entidades. Isto apesar da vontade manifesta do Dr. Alves dos Santos na realização de uma cerimónia fúnebre discreta.

Na Câmara Municipal e no Centro Nacionalista foi içada a bandeira nacional a meia haste e na Câmara dos Deputados foi aprovado um voto de sentimento.

Os restos mortais do Dr. Alves dos Santos encontram-se depositados no Cemitério da Conchada, em Coimbra, mais concretamente na sepultura nº. 16 do leirão nº. 23, conforme notícia publicada em “O Despertar” de 19 de janeiro de 1924.

O seu nome não consta da toponímia da cidade de Coimbra nem do Concelho de Ponte de Lima.

Contudo, como dizia o periódico acima citado na referida edição, o Dr. Alves dos Santos foi um “patriota dos mais eminentes, foi sempre um grande liberal, perdendo o país no saudoso finado um dos seus filhos mais ilustres”.

- Carlos Gomes, “O Anunciador das Feiras Novas”, nº X, Ponte de Lima, 1993

AlvesSantos-Cunha Leal

O Dr. Alves dos Santos (segundo a contar da direita) foi Ministro do Trabalho no governo do Dr. Cunha Leal

ALVES DOS SANTOS: PIONEIRO DO ESTUDO DA PSICOLOGIA EM PORTUGAL

O Dr. Alves dos Santos, um dos mais ilustres filhos de Ponte de Lima, foi o pioneiro do estudo e investigação da psicologia no nosso país, continuando a sua obra a ser estudada pelos mais notáveis académicos decorridos mais de oito décadas desde a data do seu desaparecimento. A obra que publicou em 1923, “Psicologia Experimental e Pedologia”, é considerada aliás um marco“na história da psicologia em Portugal pelo seu pioneirismo e importância histórica”.

Num dos trabalhos publicados na Revista Portuguesa de Pedagogia a propósito da criação do laboratório de psicologia experimental da Universidade de Coimbra, J. F. Gomes inclui alguns dados biográficos que transcrevemos: “Alves dos Santos nasceu em Cabração, Ponte de Lima, em 14 de Outubro de 1866 e faleceu em 17 de Janeiro de 1924, com 58 anos incompletos. Doutorou-se na Faculdade de Teologia de Braga em 1890. Com a extinção da Faculdade de Teologia, Alves dos Santos é colocado na Faculdade de Letras de Coimbra, sendo nomeado professor de pedagogia por Decreto de 9 de Dezembro de 1911. (…) De Agosto até finais de Novembro de 1912 efectua uma visita às Universidades de Genebra e Paris, tendo adquirido livros e equipamento laboratorial que lhe permitiram fundar e organizar no regresso a Coimbra o laboratório de psicologia experimental, tendo o funcionamento deste sido iniciado em meados de Fevereiro de 1913”. Este foi, pois, o primeiro laboratório de psicologia experimental instalado em Portugal.

Em 1992, Professor Dr. Amâncio da Costa Pinto, actualmente professor catedrático a exercer docência na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, publica na revista Psychologica um artigo científico sob o título “Estudos de Memória Humana na década de 1920 na Universidade de Coimbra”, no qual analisa “o modo como a memória humana foi abordada a nível teórico e a nível experimental”, fazendo incidir a sua reflexão no capítulo “Mnemometria” da obra “Psicologia Experimental e Pedologia” do Dr. Alves dos Santos e também na tese de doutoramento “ O problema da recognição: Estudo psicológico teórico-experimental”, do Dr. Sílvio de Lima, publicada em 1928. A parte do artigo dedicada ao estudo da obra do Dr. Alves dos Santos aborda os seguintes temas: A “Noção de memória”, a “Classificação das memórias”, “Mecanismos e operações de memória” e a “Descrição dos dois estudos experimentais realizados”.

Afirma o articulista que “…este capítulo e os restantes do livro, além de terem por objectivo promover as investigações do Laboratório e os trabalhos dos alunos, constituem um excelente manual de formação dos futuros investigadores em psicologia experimental. Se o livro não foi usado como tal durante as décadas seguintes, não foi por falta de mérito e valor pedagógico nele contido”. E acrescenta: “Alves dos Santos apresenta ainda uma concepção inovadora de memória humana, ao afirmar que é precisamente a memória que torna “possível e inteligível a unidade e a identidade do eu”. Só muitas décadas mais tarde, nomeadamente nos anos 70 e 80, é que o estudo da memória humana veio a ter o protagonismo por ele antecipado. Acrescente-se a finalizar a elaboração temerosa, porque esboçada em nota de rodapé, mas valiosa e consequente, de uma classificação das memórias humanas, tema que voltou a interessar os investigadores nestes últimos 20 anos”.

A título de curiosidade e sem pretender reproduzir integralmente o artigo referido, transcrevemos uma breve passagem a respeito da “Classificação das memórias” que é feita: “Alves dos Santos rejeita a noção de que a memória é uma mera faculdade para reter ideias. A memória enquanto faculdade é “um erro”, já que não há uma memória, mas “memórias ou um feixe de memórias”, e estas em regra são muito desiguais, tanto em qualidade, como em quantidade…”. A causa desta diversidade resulta “da estrutura do órgão, que as elabora, e das circunstâncias da sua produção”. Por estrutura do órgão Alves dos Santos refere-se provavelmente à complexidade e plasticidade do cérebro, enquanto que as circunstâncias de produção teriam a ver com “a riqueza das respectivas associações”.

Alves dos Santos propõe dois sistemas de classificação de memórias. O primeiro sistema de memória é desenvolvido no corpo do texto e classifica a função mnésica em inorgânica, orgânica e psíquica. É uma classificação proposta na sequência talvez dos estudos de Rbot.

A memória inorgânica seria uma expressão da energia físico-química.

A memória orgânica, de ordem biológica, seria privativa de seres dotados de sistema nervoso. As modificações neste tipo de memória seriam susceptíveis de persistência, mesmo após ter desaparecido o estímulo que as desencadeou e de reprodução activa destas através da evocação e da identificação.

Alves dos Santos não define nem esclarece o mecanismo destas operações, principalmente as respeitantes à reprodução das impressões e modificações conservadas. Acrescenta no entanto uma explicação fisiológica para o seu bom funcionamento ao referir que a conservação depende da plasticidade do cérebro proporcionada pela nutrição e que a reprodução seria dependente do estado do aparelho vascular.

(…) Para justificar esta diversidade de memórias, Alves dos Santos adverte: “Não é de admirar, pois que “memórias” cada um tem as suas; e, todas juntas, são tantas, como os cabelos da cabeça”.

Relativamente ao Laboratório de Psicologia Experimental da Universidade de Coimbra, fundado em 1912 pelo Dr. Alves dos Santos, os seus aparelhos e outros instrumentos então utilizados encontram-se actualmente à guarda do actual Laboratório de Psicologia Experimental existente na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, constituindo um núcleo museológico devidamente catalogado e descrito num volume dedicado ao laboratório e ao seu fundador. De referir ainda que, apesar do ensino da psicologia ter-se iniciado naquela Universidade em 1911, apenas no ano lectivo de 1976/1977 teve início o Curso Superior de Psicologia inserida na Faculdade de Letras para em 1980 ser finalmente criada a Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação.

Não vamos enumerar aqui a sua vasta obra literária e científica como também não nos alongaremos na sua descrição biográfica porquanto já o fizemos em edições anteriores da revista Anunciador das Feiras Novas, bastando para tal os interessados seguirem as referências bibliográficas do presente artigo. Lembramos apenas, a quantos estejam porventura interessados em conhecer a sua obra, que podem consultar na Biblioteca Municipal de Ponte de Lima o seu livro “Elementos de Filosofia Sciêntífica”, constituindo este o único título disponível neste local. Contudo, na Biblioteca Nacional, em Lisboa, encontram-se depositados além daquele, ainda os seguintes livros do Dr. Alves dos Santos: “Um plano de reorganização do ensino público: projecto de lei, para apresentar à Câmara dos Senhores Deputados”, “O problema da origem da família e do património em face da Bíblia e da sociologia”, “Orações fúnebres”, “Elogio fúnebre do Conselheiro de Estado, Ernesto Rodolpho Hintze Ribeiro, proferido nas exéquias… 13 de Novembro de 1907”, “Estatística geral da circumscripção escolar de Coimbra, relativa ao anno de 1903-1904” e “O ensino primário em Portugal: nas suas relações com a história geral da nação”.

A propósito do Doutor António de Pádua, outro médico ilustre que nasceu no concelho limiano, escrevia Francisco de Magalhães, no Elucidário Regionalista de Ponte de Lima, o seguinte: “Honrada e, ainda mais, envaidecida sentia-se, também, Ponte de Lima. É que sucedeu, e no decurso de uma porção de anos, três filhos seus – desta vila pequenina, sempre, porém, farta de glórias – pertencerem, simultaneamente, ao corpo docente da Universidade de Coimbra, a saber: Doutor Alfredo da Rocha Peixoto, da Faculdade de Matemática; Doutor Augusto Joaquim Alves dos Santos, da Faculdade de Teologia; e Doutor António de Pádua, da Faculdade de Medicina.

Qual a cidade de província, populosa mesmo – e intencionalmente saio dos limites duma vila – que se pudesse exprimir, naquele instante, sob este aspecto, como Ponte de Lima ?

Não obstante, como disse o cronista, Ponte de Lima ter-se sentido “honrada e, ainda mais, envaidecida”, o Dr. Alves dos Santos permaneceu no desconhecimento da generalidade dos seus conterrâneos até muito recentemente, tendo cabido à revista “Anunciador das Feiras Novas” o mérito de o ter dado a conhecer e divulgar a sua obra. Ainda assim, uma sugestão feita à Câmara Municipal de Ponte de Lima e por esta unanimemente aceite, com vista à realização de uma homenagem por ocasião da passagem dos setenta e cinco anos sobre a data do seu falecimento, acabaria por cair no esquecimento em virtude da mudança de vereação entretanto verificada. Ficámo-nos pela atribuição do seu nome a uma artéria da vila quando foi necessário escolher novos topónimos para arruamentos entretanto construídos.

Contudo, a memória do Dr. Augusto Joaquim Alves dos Santos merecia mais porquanto constituiu uma das figuras mais notáveis do concelho de Ponte de Lima. A sua brilhante carreira de pedagogo, cientista e escritor bem justificaria a sua escolha para patrono de um estabelecimento de ensino no concelho de Ponte de Lima, proposta que pode ser apresentada pela Câmara Municipal ao abrigo do Decreto-Lei nº. 314/97, de 15 de Novembro. Assim exista vontade e Ponte de Lima sentir-se-á mais “honrada e, ainda mais, envaidecida”!

Carlos Gomes. O Anunciador das Feiras Novas, nº XXIII, Ponte de Lima, 2006

2815567594_1

A foto, publicada na revista “Ilustração Portugueza” de 28 de janeiro de 1922, mostra a visita do Dr. Alves dos Santos, na qualidade de Ministro do Trabalho, ao asilo D. Maria Pia

Transcrição:

“Aos vinte e hum dias do mês de outubro do anno de mil e oito centos sasenta e seis n’esta parochial Igreja de Sancta Maria da Cabração, concelho de Ponte do Lima Diocese de Braga Primaz Baptizei Solenemente hum indevido do sexo masculino a quem dei o nome de Augusto Joaquim Santos que nasceo nesta freguesia no dia quatorze de outubro pelas quatro horas da manha do dito mês e anno folho legitimo de Manoel Joaquim Rodrigues dos Santos e Anna Maria Alves Soares natural da freguesia de Sam João da Rebeira e ele natural desta freguesia recebidos (…) de Ponte de Lima mas parochianos Proprietarios e moradores no Lugar da Igreja desta freguesia. Nepto Paterno de Antonio Jose Rodrigues dos Santos já defunto e Anna Joaquina Dantas proprietários e moradores no Lugar de Igreja que he desta freguesia e ella hoje residente na freguesia da Labruje deste concelho Materno de Antonio Jose Alves, Soares digo de Antonio Jose Alves e Mariana Luisa Soares da freguesia de Sam João da Ribeira Lugar de Crasto proprietários e forão Padrinhos o Reverendo Manoel Joaquim Soares thio do Baptizado e Maria Rosa Alves, solteira thia do Baptizado ambos da freguesia de Sam João da Rebeira Lugar de Crasto os quais todos sei serem os próprios. E para constar labrei em duplicado o prezente assento que depois de lido e conferido perante os Padrinhos comigo assinarão Era est supra.

os Padrinhos Manoel Joaquim Soares

                      Maria Rosa Alves

O Parocho     Antonio Raymundo da Cunha Ferreira”

(Arquivo Distrital de Viana do Castelo. Fundo Paroquial de Ponte de Lima – Cabração. Livro de baptismos. Datas extremas: 1855 – 1890. Fls. 33 Cota 3.13.1.32)

COLÓQUIO INTERNACIONAL DESTACA PROJETO EDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA

Exposição do Projeto Educativo do Município de Ponte de Lima em destaque em Colóquio Internacional

Nos dias 17 e 18 de abril, decorreu no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, o Colóquio Internacional "Crianças, Cidade e Cidadania", onde foi exibida a Exposição intitulada "Janelas de Luz para a Infância", que apresenta os resultados do Projeto Educativo de Educomunicação, Ambiente e Cidadania Infantil, dinamizado pelo Município de Ponte de Lima.

IMG_7285 (Small)

Com esta exposição deu-se a conhecer este inovador projeto e apresentaram-se as ideias, sentimentos e pensamentos das crianças de 6 escolas de Ponte de Lima a convidados e participantes de seis nacionalidades.

Foi uma oportuna ocasião para convocar os participantes do colóquio a acreditarem na infância universal, nas suas linguagens e nos seus olhares sensíveis e particulares, onde as crianças limianas tiveram especial destaque através do projeto educativo do Município de Ponte de Lima.

IMG_7287 (Small)

IMG_7288 (Small)

PONTE DE LIMA EXPÕE SOBRE "A EDUCAÇÃO DO ESTADO NOVO"

A Escola do Estado Novo.Exposição no Espaço Internet em Ponte de Lima. 28 de novembro a 12 de dezembro

O Município de Ponte de Lima em parceria com o Centro Local de Aprendizagem da Universidade Aberta em Ponte de Lima (CLA da UAB) apresenta entre 24 de novembro e 12 de dezembro, no Edifício da Escola da Avenida (Espaço Internet), a exposição “A Escola do Estado Novo”. 

estado_novo_.jpg

A mostra apresenta uma réplica de uma sala de aula do antigo regime, juntamente com os materiais e recursos pedagógicos utilizados na época, tendo como finalidade a reflexão sobre os 40 anos da democracia, trazendo à memória do público mais velho e informando o público mais jovem sobre as referências ideológicas que orientavam o sistema de ensino e em que condições a educação era aplicada.

A par desta exposição, irá decorrer a conferência “A Educação do Estado Novo”, no dia 28 de novembro, pelas 15h00, no local da exposição, que tem como objetivo analisar o estado do sistema educativo no Estado Novo, ao nível da educação de adultos, jovens e crianças. A conferência irá contar com a presença dos Professores Luís Mota e António Moreira, investigadores do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) da Universidade de Coimbra e, ainda, o fotógrafo limiano, Amândio de Sousa Vieira, que contribuirá com a sua experiência de aluno no Estado Novo.

Em ambas as ações, a entrada é gratuita, sendo possível efetuar a inscrição para a conferência através da seguinte hiperligação:

https://docs.google.com/forms/d/1RTWmmU6AIuM9md2vBCqk_YHz0wCDb_rNmiaClTGFlJA/viewform?c=0&w=1&usp=mail_form_link

Para mais informações contate a CLA – Universidade Aberta, através do seguinte e-mail: cla_ponl@uab.pt, ou pelo telef: 258753493 /9 156762349.

VILA NOVA DE CERVEIRA ACOLHE SEMINÁRIO SOBRE EDUCAÇÃO INFANTIL

Especialistas e comunidade refletem e debatem realidade das crianças e jovens durante a crise

"Educação Infantil em contexto de crise", é o tema do seminário organizado pela Creche de Campos, que se realiza sábado, 24 de maio, no auditório do Centro de Apoio às Empresas em Campos, Vila Nova de Cerveira. Oradores especialistas vão expor o seu ponto de vista.

Seminario educação Infantil em contexto de crise

Os objetivos deste encontro visam a reflexão sobre o impacto da crise económica e social na vida das crianças e jovens e o debate em torno dos métodos a adoptar para uma tentativa de resolução dos problemas inerentes à crise.

A sessão de abertura deste seminário, agendada para as 09h30, será presidida pelo presidente do Centro Social e Paroquial de Campos, Pe. Eugénio Araújo, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias Campos-Vila Meã, Joaquim Hilário, e o Diretor da Segurança Social de Viana do Castelo, José Eduardo Esteves.

Durante o período da manhã decorre o I Painel intitulado “Família: Crise ou Mudança?”, com moderação do Diretor da Segurança Social de Viana do Castelo, José Eduardo Esteves. A primeira oradora é a Prof.ª Doutora Maria Emília Vilarinho, do Departamento de Ciências da Educação do Instituto de Educação da Universidade do Minho, que vai abordar o tema: “Famílias e Crianças num contexto de crise: realidade(s) e novos desafios para as comunidades”. Segue-se a comunicação do Pediatra Fernando Jimenez, sobre as "Consultas pediátricas em tempo de crise”.

Após pausa para almoço, está programada uma atuação da Escola de Música do Centro Social e Paroquial de Campos, antecedendo o II Painel que versa sobre “Quando 1+1 dão 3. Como e o que transformar para uma boa mudança?”, moderado pela docente da Escola Superior Gallaecia, Sandra Rocha e Sousa. "O caminho faz-se caminhando” é o assunto em debate inserido pela Pedopsiquiatra e Mediadora Familiar, Ana Vasconcelos.

O encerramento deste encontro, dirigido a técnicos e comunidade em geral, é da responsabilidade da vereadora da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Aurora Viães.

ARCOS DE VALDEVEZ DEBATE AMANHÃ A ESCOLA DA GERAÇÃO DIGITAL

5 de Abril

sábado, manhã e tarde

A ESCOLA DA GERAÇÃO DIGITAL

Da ficção Científica à Investigação Científica

Auditório da Casa das Artes

Organização do CENFIPE- Centro de Formação e Inovação dos Profissionais de educação /Escolas do Alto-Lima e Paredes de Coura. Apoio do Município de Arcos de Valdevez.

Intervenções de David Justino, Elvira Fortunato, João Lobo Antunes e João Seabra.

Consultar programa detalhado em www.cenfipe.edu.pt

ARCOS DE VALDEVEZ DEBATE A ESCOLA DA GERAÇÃO DIGITAL

5 de Abril

sábado, manhã e tarde

A ESCOLA DA GERAÇÃO DIGITAL

Da ficção Científica à Investigação Científica

Auditório da Casa das Artes

Organização do CENFIPE- Centro de Formação e Inovação dos Profissionais de educação /Escolas do Alto-Lima e Paredes de Coura. Apoio do Município de Arcos de Valdevez.

Intervenções de David Justino, Elvira Fortunato, João Lobo Antunes e João Seabra.

Consultar programa detalhado em www.cenfipe.edu.pt

SEMINÁRIO “PAI, BRINCAS COMIGO?” JUNTA CERCA DE UMA CENTENA DE PARTICIPANTES EM VIZELA

A Câmara Municipal de Vizela, em parceria com a Associação Humanitária de Mulheres Empreendedoras, promoveu ontem o seminário “PAI, BRINCAS COMIGO?”, subordinado ao tema ‘O Impacto do Envolvimento Paterno no Desenvolvimento e Progressão das Famílias e das Crianças’.

O seminário abriu com a contadora de histórias, Sofia Freitas. Seguiu-se o Presidente da Câmara Municipal, Dinis Costa, e a Presidente da AHME, Ana Sofia Costa.

Entre os oradores do seminário, de destacar Ricardo Loureiro, sociólogo e representante da FNAJ - Federação Nacional das Associações Juvenis, técnico especializado em igualdade e não discriminação, que falou sobre as representações sociais da paternidade e da maternidade e as masculinidades hegemónicas e masculinidades alternativas.

Seguiu-se o Prof. Doutor Jorge Gato, Doutorado em Psicologia pela Universidade do Porto e Professor Auxiliar na Faculdade de Psicologia da Universidade Lusófona do Porto, que falou sobre os Perfis de envolvimento paterno e familiar - organização dos comportamentos e sobre a homoparentalidade e heteroparentalidade.

Por último, interveio a Dr.ª Ana Alves, Advogada e Jurista no Gabinete para Encaminhamento de Vítimas de Violência Doméstica de Vizela, que abordou os direitos de proteção e licença de parentalidade - boas práticas e responsabilidade social.

No final, teve lugar um debate aberto ao público, moderado por Carla Xavier, Psicóloga e representante da AHME - Associação Humanitária de Mulheres Empreendedoras Especializada em Igualdade de Género.

O seminário, que contou com a presença de cerca de 100 participantes, teve como objetivo promover a participação ativa dos pais na vida familiar e como público-alvo jovens e associações juvenis, pais, mães, encarregados de educação, técnicos e profissionais de entidades da sociedade civil e população geral com especial interesse na área.

VIZELA PROMOVE SEMINÁRIO “PAI, BRINCAS COMIGO?”

A Câmara Municipal de Vizela, em parceria com a Associação Humanitária de Mulheres Empreendedoras, vai promover o seminário “PAI, BRINCAS COMIGO?”, subordinado ao tema ‘O Impacto do Envolvimento Paterno no Desenvolvimento e Progressão das Famílias e das Crianças’.

Seminario EPaterno FRENTE

O seminário terá como objetivo promover a participação ativa dos pais na vida familiar e terá como público-alvo jovens e associações juvenis, pais, mães, encarregados de educação, técnicos e profissionais de entidades da sociedade civil e população geral com especial interesse na área.

Esta atividade terá lugar no dia 20 de março, no auditório Luís Lopes Guimarães, das 13.30h às 17.30h e as inscrições devem ser enviadas para: seminario-epaterno@cm-vizela.pt.

MUSEU BERNARDINO MACHADO EM FAMALICÃO EVOCA AMANHÃ PEDAGOGIA DE BENTO DE JESUS CARAÇA

NOTA BIOGRÁFICA

Luís Andrade é professor auxiliar no Departamento de Filosofia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

É doutor em História e Teoria das  Ideias, especialidade História das Ideias Politicas, pela Universidade Nova de Lisboa.

É investigador do Seminário Livre de História das Ideias, que coordena, e do Centro de História da Cultura da Universidade Nova de Lisboa, a cuja Comissão Directiva pertence.

A sua investigação tem-se dirigido, entre outras áreas científicas, para a história do pensamento português contemporâneo, domínio em que é autor de várias obras: Planetário utópico e cultura integral. Aspectos do discurso utópico português contemporâneo (1996); Sol Nascente. Da cultura republicana e anarquista ao neo-realismo (2007); Intelectuais, utopia e comunismo. A inscrição do marxismo na cultura portuguesa (2010).

MUSEU BERNARDINO MACHADO EM FAMALICÃO EVOCA PEDAGOGIA DE BENTO DE JESUS CARAÇA

Luís Andrade é professor auxiliar no Departamento de Filosofia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

É doutor em História e Teoria das Ideias, especialidade História das Ideias Politicas, pela Universidade Nova de Lisboa.

É investigador do Seminário Livre de História das Ideias, que coordena, e do Centro de História da Cultura da Universidade Nova de Lisboa, a cuja Comissão Directiva pertence.

A sua investigação tem-se dirigido, entre outras áreas científicas, para a história do pensamento português contemporâneo, domínio em que é autor de várias obras: Planetário utópico e cultura integral. Aspectos do discurso utópico português contemporâneo (1996); Sol Nascente. Da cultura republicana e anarquista ao neo-realismo (2007); Intelectuais, utopia e comunismo. A inscrição do marxismo na cultura portuguesa (2010).