Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAFE DÁ A CONHECER O PATRIMÓNIO

Município de Fafe apresenta Exposição de Fotografia dedicada ao ‘ Barroco e ao Rococó’ no concelho. III Fascículo "Património Religioso – Memória e Identidade"

A Câmara Municipal de Fafe inaugura no próximo dia 12 de novembro mais uma Exposição de Fotografia em torno do "Património Religioso – Memória e Identidade", desta feita dedicada aos estilos Barroco e o Rococó em Fafe.

O evento terá lugar na Biblioteca Municipal de Fafe, na próxima segunda-feira, 12 de novembro, às 14:30.

As 37 fotografias em exposição dão a conhecer vários elementos dos estilos Barroco e o Rococó em 9 templos fafenses: as Igrejas de Paços, Quinchães, Cepães, Vinhós, Aboim e Estorãos; e ainda as capelas de N. Sra. dos milagre (S. Gens), capela de Sto. António (Arões Sta. Cristina) e S. José (Fafe).

A exposição será acompanhada pelo lançamento do terceiro fascículo "O Barroco e o Rococó em Fafe - PARTE 1", que vem assim dar continuidade á coleção "Património Religioso: memória e identidade", que se iniciou com um fascículo dedicado aos templos de cunho românico aos quais se seguiram os templos de influência Maneirista e Barroca, no fascículo número 2.

Esta Iniciativa pretende dar continuidade ao roteiro do "Património Religioso: memória e identidade", no qual se pretende dar a conhecer todas as igrejas e capelas do concelho de Fafe, ao longo de vários fascículos que se desenvolverão em torno de diferentes temáticas.

Recorde-se que a entrada na Exposição, que permanece na Biblioteca Municipal durante todo o mês, é livre.

ALUNOS DE CABECEIRAS DE BASTO RECEBEM SEBENTA DO PATRIMÓNIO

Mais de trezentos alunos receberam a Sebenta do Património. Mosteiro de S. Miguel de Refojos em destaque

No âmbito do programa ‘Mosteiro de Emoções’, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto entregou ontem, dia 6 de novembro, aos alunos dos 3º e 4º anos do 1º ciclo, a Sebenta do Património da autoria da Escritora de contos infantis Belanita Abreu, com ilustrações de Maria Abreu. A entrega, aos cerca de 300 alunos destes dois anos de escolaridade, foi organizada em duas sessões que decorreram no Auditório do Mercado Municipal e que contaram com a presença da Vereadora da Educação, da Diretora do Agrupamento e dos professores. A escritora do conto não pode estar presente mas deixou a todos uma mensagem em vídeo.

DSC_7942

A Sebenta do Património inclui uma história, cujo título é ‘A LENDA DA PENA AZUL - O Segredo do Mosteiro de São Miguel de Refojos’, e um conjunto de passatempos com alusão ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos, um monumento que continuará a atrair e a seduzir cada vez mais visitantes e turistas, levando o nome de Cabeceiras de Basto bem longe. Desta forma a Câmara Municipal aposta num processo permanente e sistemático de trabalho educacional centrado no Património Cultural como fonte primária de conhecimento e enriquecimento individual e coletivo.

A partir da experiência e do contacto direto com as evidências e manifestações da cultura, em todos os seus múltiplos aspetos, sentidos e significados, o trabalho de Educação Patrimonial procura levar as crianças, neste caso particular, a um processo ativo de conhecimento, apropriação e valorização da herança cultural, capacitando-os para um melhor usufruto destes bens, e propiciando a geração e a produção de novos conhecimentos, num processo contínuo de criação cultural.

Esta Sebenta do Património contém, nas páginas centrais, um poster com alusão ao Mosteiro para ser ilustrado por cada uma das crianças que a receberão, dando origem a uma outra iniciativa, designada ‘Concurso de Ilustração Infantil’ que decorrerá no 1º semestre de 2019.

Na oportunidade, a Vereadora da Cultura, Dra. Carla Lousada, incentivou os pequenos alunos a lerem com atenção a história que a Sebenta contém e a trabalharem a ilustração e os passatempos que a mesma propõe, elementos que despertarão em todos o interesse por conhecerem melhor o Património fantástico que é o Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

A Dra. Céu Caridade, Diretora do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto, incentivou os alunos a procurarem conhecer melhor a sua terra e o seu património e a afirmarem com orgulho e sem qualquer vergonha ou complexo que são de Cabeceiras de Basto, «porque a nossa terra é sempre a melhor terra», disse.

Estas sessões de entrega da Sebenta do Património aos pequenos leitores foi animada com a leitura do conto pelo Centro de Teatro da Câmara Municipal que assim deu um brilho especial ao momento e despertou, desde logo, um elevado interesse nos alunos.

O Programa cultural “Mosteiro de Emoções” é financiado por fundos comunitários através do NORTE 2020 e desenvolve-se até julho de 2019.

Próximas iniciativas:

NOVEMBRO

21 de novembro | 17h30

O Futuro visita o passado – Ciclo de tertúlias - Tertúlia Sobre Educação Patrimonial

Local: Casa do Tempo

30 de novembro | 15h30

Concurso Literário Nacional – Conto Infantil de Cabeceiras de Basto

Cerimónia da Entrega de Prémios

Local: Biblioteca Municipal Dr. António Teixeira de Carvalho, no Arco de Baúlhe

DEZEMBRO

6 a 9 dezembro (de 5ª feira a domingo)

Bienal Internacional de Flauta Transversal – Exposição, Master classes e Concertos

Local: Mosteiro de S. Miguel de Refojos – Cabeceiras de Basto

Banda Cabeceirense | Adriana Ferreira, Ana Maria Ribeiro e Michel Bellavance e Isolda Crespi

Sebenta do Património - Mosteiro de Emoções

PONTE DE LIMA: CASA DE POMARCHÃO FOI DOADA À FUNDAÇÃO CHAMPALIMAUD

Solar minhoto do Séc. XV foi doado à Fundação Champalimaud

A Casa de Pormachão, um solar minhoto na freguesia de Arcozelo, em Ponte de Lima, que data do séc. XV, vai ser um centro de encontros e retiros científicos da Fundação Champalimaud.

45422938_1174628646022817_4597878364290678784_n

O velho solar — classificado como Imóvel de Interesse Público desde 2002 — foi deixado por vontade de Frederico Luís de Albuquerque Vilhena Villar, falecido recentemente, e constitui “uma das mais valiosas doações feitas àquela fundação, criada por António Champalimaud”.

A fundação prevê realizar vários encontros internacionais no solar já no ano de 2019, alguns dos quais “encontros improváveis, que juntarão cientistas e intelectuais de diferentes áreas, como medicina e arte, ou biologia e música”.

A casa de Pomarchão é uma das mais significativas casas solarengas da região de Ponte de Lima, que “combina uma estrutura maneirista de raiz, com variados elementos barrocos, posteriormente acrescentados, numa tradição arquitectónica de continuidade” tendo sofrido obras de ampliação em 1755, nomeadamente com a construção da capela.

http://www.diarioimobiliario.pt/

Casa-de-Pomarchao-doada-a-Fundacao-Champalimaud-Foto-DR-0-3_fullview

Casa-de-Pomarchao-doada-a-Fundacao-Champalimaud-Foto-DR-01_fullview

Casa-de-Pomarchao-doada-a-Fundacao-Champalimaud-Foto-DR-02_fullview

Ccasa-de-Pomarchao-doada-a-Fundacao-Champalimaud-Foto-DR_fullview

Solar-minhoto-do-Sec.-XV-foi-doado-a-Fundacao-Champalimaud_fullview

FAMALICÃO PREMEIA REABILITAÇÃO DO PALÁCIO DA IGREJA VELHA

Reabilitação do Palácio da Igreja Velha vence primeira edição do Prémio Januário Godinho. Prémio foi entregue na passada sexta-feira, no Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide

A reabilitação do Palácio da Igreja Velha, em Vermoim, é a obra vencedora da primeira edição do Prémio Januário Godinho, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, que foi entregue na passada sexta-feira, no Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide. O projeto de arquitetura foi da responsabilidade do gabinete VISIOARQ arquitetura, tendo como co-autores os arquitetos Vicente Gouveia, Nuno Poiarez, Pedro Afonso. A promoção da obra ficou a cargo da empresa Vetor Predileto Unipessoal.

AFS_6803

O prémio foi atribuído por unanimidade, tendo o júri destacado “a magnitude do interior do edifício e dos espaços exteriores e a forma como os projetistas o souberam interpretar e valorizar, tendo o projeto refletido a adequação do programa à pré-existência.” Do projeto foi valorizada, também, “a integração do novo edifício quanto à escala, volumetria e implantação”.

De acordo com a ata do júri O edifício, construído no último quartel do século XIX, “foi cuidadosamente reabilitado em todos os seus compartimentos e dependências. Os elementos singulares e artísticos, tais como a talha em madeira trabalhada, a riqueza dos tetos em estuque, marmoreados, com artesoados e ainda mobiliário, na sua maior parte, de estilo D. José conferem a autenticidade deste Palácio. Adossado a edifício localiza-se a capela cuja talha, com frescos, pintura de teto e estuques cuidadosamente restaurados.”

Na entrega do prémio, o arquiteto Nuno Poiarez, assumindo-se como um profissional “da velha guarda que respeita o passado”, afirmou que “ao classificar de interesse municipal o edifício, a autarquia deu o input ao cliente fazendo-o acreditar que estava no caminho certo reabilitando-o na sua plenitude e foi rigorosamente reabilitado segundo as normas tradicionais antigas com todos os requisitos, mas ao mesmo tempo com todo o conforto contemporâneo e modernista”.

Por sua vez, o arquiteto Fernando Gonçalves, da empresa promotora, destacou o investimento feito para salvaguardar um edifício histórico. “O prémio significa o reconhecimento de um trabalho em que nós apostamos, uma reabilitação feita com rigor e o culminar de um desafio enorme e de um investimento na ordem dos 5 milhões de euros”.

Para a diretora do Departamento de Urbanismo da Câmara Municipal, Francisca Magalhães, que também integrou o júri, este prémio “é um estímulo à reabilitação, não sendo o único, este pretende promover a qualidade da reabilitação”. Segundo a responsável “o conjunto destas ações demonstram a vontade política que existe na promoção da reabilitação urbana”.

Com o valor de 7 mil euros, o prémio divide-se em 2 mil euros para o promotor e 5 mil euros para a equipa projetista. Na fachada do edifício premiado será colocada uma placa com a menção do prémio e o ano em que foi atribuído.

Refira-se que o renascimento do Palácio da Igreja Velha começou a escrever-se em 2012 quando a Telhabel adquiriu este singular património histórico, então degradado e com futuro incerto, para o recuperar e reabilitar.

Esta imponente construção, edificada em 1881 ao estilo barroco, com duas torres acasteladas e uma capela de estilo neogótico, dedicada a S. Francisco de Assis, está agora salvaguardada e valorizada, vocacionando-se para a realização de eventos e para hospedar quem neles participa.

A extensão do edifício mereceu ainda a atribuição recente do conceituado prémio da Architizer, plataforma online de arquitetura que reúne trabalhos de mais de 40 mil empresas de arquitetura do mundo.

Refira-se que a entrega do prémio Januário Godinho decorreu no âmbito do colóquio “A Linha do Tempo e o Tempo de Reabilitar” que reuniu um conjunto diversificado de especialistas nacionais nas áreas da arquitetura e do património em S. Miguel de Seide.

A iniciativa esteve inserida na 3.ª edição do Festival Visão’ 25 que terminou na sexta-feira.

AFS_8338

CABECEIRAS DE BASTO REABILITA MOSTEIRO DE S. MIGUEL DE REFOJOS

Presidente da Câmara visitou obras de reabilitação das torres da Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto visitou na passada quarta-feira, dia 24 de outubro, as obras de reabilitação do Mosteiro, mais concretamente os trabalhos de beneficiação da fachada principal e das torres sineiras, a uma altura de 42 metros.

Presidente da Câmara visitou obras de reabilitação das torres da Igreja  (1)

O presidente da Câmara fez-se acompanhar nesta visita pelos vereadores Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, técnicos do Município, um historiador local e ainda pelo técnico responsável da obra.

De salientar que estes trabalhos resultam de uma candidatura a fundos comunitários no montante global de 2 milhões de euros, aprovada pelo Programa Operacional Regional do Norte (Norte 2020) – designada ‘Mosteiro de S. Miguel de Refojos, Património Cultural Ímpar’ – que visa a afirmação do património histórico-cultural como produto turístico de afirmação do território de Cabeceiras de Basto na região.

A intervenção que está neste momento em curso inclui, ainda, o arranjo do adro e a instalação de um sistema eletrostático de afastamento de aves, prevendo aquela mesma candidatura estudos diversos sobre patologias e outros problemas estruturais que afetam o imóvel, sobre a antiga Botica e sobre o sistema hidráulico do Mosteiro para a melhoria do conhecimento científico e histórico deste bem.

Estas obras que contam também com o apoio e acompanhamento da Direção Regional de Cultura do Norte, têm como objetivo primordial desenvolver uma intervenção completa de proteção e salvaguarda do património edificado, assegurando a sua preservação, presente e futura.

Presidente da Câmara visitou obras de reabilitação das torres da Igreja  (2)

FORTE E ESTAÇÃO ARQUEOLÓGICA DE LOVELHE É SÍTIO DE INTERESSE PÚBLICO

Chega ao fim mais um longo processo administrativo de classificação de património de Vila Nova de Cerveira, encetado em 1977. O conjunto do Forte e Estação Arqueológica de Lovelhe está, a partir de hoje, classificado como Sítio de Interesse Público, de acordo com uma publicação em Diário da República, assinada a 19 de setembro pelo ministro da Cultura, Luís Filipe Mendes.

aro 01

 “Tínhamos dois processos em vias de classificação que já se arrastavam há 40 anos e, no espaço de dois anos, após muita perseverança, foram finalmente concluídos. O Fortim da Atalaia, em 2017, e agora o Forte e Estação Arqueológica de Lovelhe estão classificados como de Interesse Público, dois desfechos de importância incalculável para a respetiva proteção, conservação e valorização futura”, reage o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira.

No caso concreto do conjunto do Forte e Estação Arqueológica de Lovelhe, o objetivo é torná-lo um espaço visitável e acessível à comunidade cerveirense e turistas porque, de acordo com Fernando Nogueira, “não há no Norte Peninsular uma estação arqueológica tão rica como o Forte de Lovelhe".

A classificação como Sítio de Interesse Público poderá viabilizar a criação do núcleo museológico de Lovelhe, a recuperação do Forte de Lovelhe e o aprofundamento da exploração das valências da Quinta do Forte de Lovelhe.

O Forte de Lovelhe e a Estação Arqueológica de Lovelhe localizam-se no lugar da Breia, na União de Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe.

É formado por um amplo conjunto patrimonial que inclui a Fortaleza, mas também um vasto conjunto de ruínas arqueológicas que têm vindo a ser intervencionadas desde a década de 80 pelo Prof. Doutor Carlos A. Brochado de Almeida, dando a conhecer vários vestígios provenientes das seguintes ocupações – forte setecentista – igreja medieval – villa romana – habitat da idade do ferro.

DSC_0012

BRAGA QUER VER "VIAS ROMANAS" RECONHECIDAS COMO ITINERÁRIO CULTURAL EUROPEU

Braga lidera candidatura das ‘Vias Romanas’ a Itinerário Cultural Europeu

O Município de Braga procedeu à entrega da candidatura das vias romanas europeias a itinerário cultural europeu durante o 8.º Forum do Conselho Europeu das Rotas Culturais, que teve lugar em Görlitz, na Alemanha. O dossiê foi entregue pelo vereador do Património, Miguel Bandeira, ao director do Instituto de Itinerários Culturais do Concelho da Europa, Stefano Dominioni.

mde

“Este é um passo fundamental para o reconhecimento da importância de Braga no contexto da rede de vias romanas europeias e para a projecção internacional do nosso património”, salientou Miguel Bandeira.

O Forum do Conselho Europeu das Rotas Culturais teve a participação dos mais altos representantes das instituições ligadas à gestão do património cultural e turístico das cerca de três dezenas de rotas culturais actualmente classificadas. Este encontro constituiu o momento oportuno para a troca de ideias e experiências entre os mais diversos participantes, e o lugar privilegiado para se promover a divulgação do vasto e rico património arqueológico Bracarense.

A Cidade de Braga esteve presente em associação com a rota romana “Via de La Plata”, representando as cidades de Gijón (Espanha), Ljujbljana (Eslovénia), Arlon (Bélgica), Alésia (França) e Udine (Itália), que se espera venha a ser classificada como Itinerário Cultural Europeu, titulo atribuído pelo Conselho da Europa.

PONTE DAS TÁBULAS EM BARCELOS PASSA A SER DE USO PEDONAL

O Município de Barcelos promove a travessia pedonal, em exclusivo, da Ponte das Tábuas, sobre o Rio Neiva, de forma a defender aquela importante construção da rede viária medieval e um dos mais significativos monumentos do Caminho Português a Santiago.

Capturar1

Em causa está a degradação do piso da ponte durante os últimos anos, e a impossibilidade de se garantir a estabilidade estrutural, pela circulação de automóveis e principalmente de máquinas agrícolas, que implica um risco para a segurança do monumento e para os seus utilizadores. A ponte ficará encerrada a todo o trânsito motorizado, destinando-se apenas à passagem de peões e de ciclistas.

O piso da ponte será alvo de obras de conservação e de restauro, para a reposição de algumas lajes degradadas.

A Ponte das Tábuas situa-se na extrema das freguesias de Aguiar, Balugães e Cossourado, e está documentada desde 1135, tendo sido beneficiada durante os inícios do século XVII, por ocasião da reforma viária da Dinastia Filipina.

A antiguidade da ponte atesta a importância do lugar na passagem do rio e por este lado do vale do Neiva, por onde passava a estrada medieval entre o Porto e Ponte de Lima, e por essa via, o acesso mais importante a Compostela em território português, durante as Idades Média e Moderna.

Hoje, ainda é calcorreada por dezenas de peregrinos que todos os dias seguem pelo território de Barcelos, em direção a Santiago de Compostela.

ESTADO ENTREGA ESTAÇÃO RADIONAVAL DE APÚLIA E FORTE DE S. JOÃO BAPTISTA AO MUNICÍPIO DE ESPOSENDE

Esposende viveu, hoje, um dia histórico e emblemático, com a assinatura do Auto de Entrega de uma parcela de terreno da Estação Radionaval de Apúlia e a assinatura do Auto de Cedência do Forte de S. João Baptista ao Município.

.

A cerimónia decorreu junto ao Forte de S. João Baptista, com a presença do Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, e revestiu-se de particular simbologia, porque encerra um processo com duas décadas, como salientou o Presidente do Município, Benjamim Pereira, considerando que Esposende recebe uma “prenda dupla” no ano em que celebra as bodas de prata da elevação a cidade.

Em causa está a aquisição de uma parcela de terreno de 35 560 metros quadrados da antiga Estação Radionaval de Apúlia, pelo montante de 936 mil euros, e a cedência do Forte de S. João Baptista, por um período de 50 anos, pelo valor de 204 mil euros, sendo que o Município terá que realizar investimentos de 1,5 milhões de euros na requalificação deste imóvel.

Ambos os imóveis estão devolutos há vários anos, apresentando evidentes sinais de degradação. Por via deste acordo com a Administração Central, ambos passam para a posse da Câmara Municipal de Esposende que, no âmbito de uma parceria com a Universidade do Minho, irá criar duas unidades dedicadas à investigação e tecnologia marinhas. Assim, na Estação Radionaval de Apúlia ficará instalado o Instituto Multidisciplinar de Ciência e Tecnologia Marinha (IMCTM) e no Forte de S. João Baptista será criado o Centro de Divulgação Científica de Atividades Marinhas (CDCAM), sendo que, neste caso, a parceria envolverá outras entidades, para além da Universidade do Minho.

O Presidente da Câmara Municipal expressou a sua satisfação por ver concluído um processo que se arrastou no tempo e que foi sofrendo sucessivos avanços e recuos. Reconheceu, contudo, a complexidade do processo e afirmou o empenho e determinação do Município na alienação destes espaços. Benjamim Pereira frisou que estes imóveis implicaram investimento do Município, só possível graças à boa situação financeira da Câmara Municipal, considerando que este desfecho foi para o bem da comunidade e do próprio país, atendendo aos projetos que irão ser desenvolvidos.

Com sentido de realização, mas com os olhos postos no futuro, Benjamim Pereira afirmou que o Município já está a trabalhar com vista à execução dos referidos projetos e que pretende aproveitar eventuais oportunidades de financiamento. Assumindo que a responsabilidade do Município começa agora, referiu que, no imediato, o trabalho passa pela limpeza e vedação destes espaços, a par do desenvolvimento dos projetos..

Focado no projeto de desenvolvimento traçado para Esposende, Benjamim Pereira afirmou empenho e determinação na sua concretização e apontou um conjunto de investimentos, alguns em curso e outros em vias de execução, assegurando que “há estabilidade nas políticas do Município”.

Concluiu com agradecimentos ao Governo e a todos quantos estiveram envolvidos na concretização dos atos hoje formalizados.

“Os fins públicos que estes edifícios serviram durante muitos anos vão agora ser substituídos por outros serviços, também eles em benefício de Esposende, do Norte, de Portugal e dos Portugueses”, afirmou o Secretário de Estado da Defesa Nacional.

Marcos Perestrello reconheceu que o processo foi longo, assinalou, contudo, que o desfecho foi positivo, na medida em que prevalece o caráter público destas infraestruturas. Saudou, assim, o acordo alcançado e os benefícios que dele resultam, salientando que tanto a Câmara Municipal como o Governo fazem uma “gestão exigente” dos recursos. Assumiu, de resto, que a Administração Central não consegue tratar a totalidade do seu património sem a parceria das autarquias.

.

.

.

.

.

.

AMARES SENSIBILIZA JOVENS PARA A DEFESA DO PATRIMÓNIO

Município de Amares sensibiliza os mais novos para a riqueza patrimonial do concelho. Iniciativa marca arranque das Jornadas Europeias do Património

“Partilhar Memórias” com os alunos do 1º ciclo” do Agrupamento de Escolas de Amares foi a atividade que marcou, esta manhã, o arranque das Jornadas Europeias do Património, integradas no Ano Europeu do Património, assinalado também no concelho.

IMG_20180928_094638

“O Município de Amares preparou um conjunto de atividades que pretende chamar a atenção dos amarenses para o nosso património e, em particular, criar nos mais jovens um novo olhar, mais atento e apaixonado, sobre aquilo que representa determinado património e que tem uma história associada, que atravessa gerações e séculos de vida”, começou por referir vice-presidente da Câmara de Amares e vereador da Cultura, Isidro Araújo.

“Convidámos, neste sentido, algumas pessoas ligadas à comunidade a partilhar com os mais novos a sua paixão pelo nosso património (i) material, as suas histórias de vida e memórias para que perpetuem no tempo e possam servir de incentivo à perseveração e valorização daquilo que faz parte das nossas raízes e da nossa cultura”.

Jornadas decorrem até domingo

A iniciativa prolonga-se até domingo. Amanhã, dia 29, pelas 9h00, vai decorrer uma visita histórica guiada, sob o tema “Explorando a Abadia” e à noite realiza-se a encenação da obra do Padre António Vieira, “Sermão de Santo António aos Peixes”, seguida de uma conferência sobre a vida e obra do mesmo, no Mosteiro de Santo André de Rendufe.

Durante o fim de semana três dos monumentos mais emblemáticos do concelho de Amares: Mosteiro de Rendufe, Santuário de Nossa Senhora da Abadia e o Mosteiro de Santa Maria de Bouro estão de portas abertas ao público.

IMG_20180928_100035

IMG_20180928_102033

IMG_20180928_105325

IMG_20180928_113004

IMG_20180928_115128

BRAGA HOMENAGEIA ALBANO BELINO

Sexta-feira, 28 de Setembro, no Museu D. Diogo de Sousa

O Município de Braga organiza esta Sexta-feira, 28 de Setembro, uma sessão de homenagem a Albano Belino, iniciativa realizada no âmbito das Jornadas Europeias do Património que este ano decorrem sob o mote “Partilhar Memórias”.

Albano Belino_1

A iniciativa, que irá decorrer a partir das 21h30, no Museu D. Diogo de Sousa, conta com a reedição do seu legado historiográfico sobre Braga, cuja apresentação estará a cargo de António Amaro das Neves.

Albano Ribeiro Belino (1863-1906) é um dos nomes maiores na salvaguarda do património bracarense. Precursor das pesquisas sobre o legado de Bracara Augusta, devotou um conjunto significativo de estudos e publicações a Braga, tendo ainda reunido um valioso espólio arqueológico com a finalidade de criar um museu.

Desiludido com a falta de entusiasmo bracarense, acabou por deixar o seu legado à Sociedade Martins Sarmento. O Museu com que sonhara acabaria por nascer doze anos após a sua morte, embora só tenha realmente funcionado na contemporaneidade.

«Hoje, convictos da valia do seu contributo para a nossa memória colectiva, prestamos a melhor homenagem que Albano Belino desejaria: tornar novamente acessíveis as suas mais relevantes publicações sobre a cidade que tanto estimou», refere a Vereadora da Cultura, Lídia Dias, na nota de abertura do livro que será lançado esta sexta-feira.

A reedição das obras de Albano Belino, nas quais se contam, entre outras, a “Arqueologia Cristã” ou “Inscripções e lettreiros da cidade de Braga e algumas freguezias ruraes”, contou com a especial colaboração da Biblioteca Pública de Braga.

BARCELOS APOSTA EM APLICAÇÃO DIGITAL PARA PROMOVER O PATRIMÓNIO

Framie sugere aos seus utilizadores três rotas temáticas

Com o objetivo de promover e dinamizar o património natural, cultural e artístico de Barcelos, a Câmara Municipal criou, através da aplicação digital Framie – Coleciona o Mundo, três rotas temáticas que permitem aos seus utilizadores descobrirem de forma ativa e divertida o melhor que o concelho tem para oferecer.

IMG_3526

A Framie é uma aplicação mobile, para já disponível apenas para iOS, que visa a criação de uma rede de coleções fotográficas temáticas que as pessoas completam com os seus próprios registos.

A ‘app’ funciona da seguinte forma: o utilizador procura no portefólio da Framie uma coleção de que goste e adiciona ao seu portefólio pessoal; depois, o desafio é encontrar cada um dos itens da coleção e tirar a fotografia que corresponde à moldura; feitas todas as correspondências a coleção fica completa.

Além da componente de jogo, a Framie tem uma componente social, permitindo seguir outros utilizadores e ver as suas coleções.

As três rotas temáticas criadas para melhor conhecer o concelho são “Monumentos de Barcelos”, “Experienciar Barcelos” (que inclui a Rota da Olaria e Rota do Figurado) e “Património Natural de Barcelos”.

Os utilizadores da aplicação serão, assim, guiados pelos pontos de interesse determinados em cada rota, construindo no seu telemóvel uma coleção digital as suas próprias fotografias, podendo partilhá-las nas suas redes sociais.

A aplicação Framie – Coleciona o Mundo foi desenvolvida por estudantes da Universidade do Porto, incluindo barcelenses, tendo sido distinguida como melhor projeto na área “ICT & Services” 2017 em Portugal e disputou o prémio de melhor startup universitária do mundo em Copenhaga.

Barcelos assinala Dia Mundial do Turismo

O marketing digital é o tema da ação de formação que irá decorrer amanhã, às 14h30, no Posto de Turismo de Barcelos. Realizado no âmbito do Dia Mundial do Turismo, o workshop visa dotar os profissionais de competências no domínio do marketing digital, de forma a alertar para a necessidade de um posicionamento nesta área, sendo que este é um dos maiores fatores de competitividade estratégica na ação operacional destes profissionais.

O Dia Mundial do Turismo contempla, ainda, da parte da manhã, um percurso pedestre pelo Caminho de Santiago, descida do Rio Cávado em canoa (entre Barcelos e Esposende), visita guiada à feira de Barcelos e workshop de pintura de galos.

IMG_3529

SUCATA DE ANTIGO ELEVADOR DEGRADA A PAISAGEM DO MONTE DE SANTA LUZIA EM VIANA DO CASTELO

Desde há muitos anos que uma velha carruagem do elevador de Santa Luzia encontra-se abandonada no meio da floresta, oferecendo a que sobe ao Santuário uma imagem degradante que não se coaduna com a beleza magnífica de Viana do Castelo.

16698411_KgyAq

Trata-se tão simplesmente de lixo em forma de sucata a poluir a paisagem e a dar uma péssima imagem aos visitantes.

A velha carcaça do elevador até poderia constituir motivo de atracção turística se, uma vez recuperado o aspecto, ali ficasse em exposição, devidamente assinaladas as suas características e época em que funcionou, contribuindo para a preservação da memória daquele funicular. Mas, nestas condições é que não é minimamente recomentável, sendo preferível a sua remoção para um sucateiro!

Foto: José Carlos Vieira

BARCELOS PARTICIPA NAS JORNADAS EUROPEIAS DO PATRIMÓNIO

O Município de Barcelos volta a associar-se às Jornadas Europeias do Património, que se realizam no fim de semana de 28, 29 e 30 de setembro, este ano sob o tema “Partilhar Memórias”.

Capturar1

O Gabinete de Arqueologia e Património Histórico da Câmara Municipal vai assinalar a efeméride, no sábado, 29 de setembro, no Museu de Olaria, com um encontro de jogos de tabuleiro, às 14h00, destinada ao público em geral. A atividade tem o apoio da Associação Cidade Curiosa, tem entrada livre, mas limitada à lotação da sala.

No mesmo dia, pelas 21h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, realiza-se uma tertúlia sobre a partilha das memórias, das tradições, dos usos e dos costumes no território de Barcelos, dinamizada por convidados com percursos de vida bem firmados no domínio da promoção e na preservação do património imaterial do concelho.

O tema em destaque nestas Jornadas Europeias do Património tem como objetivo fazer o encontro de gerações, através da partilha de vivências e, também, convidar os barcelenses a exercitar a memória e as capacidades intelectuais.

ESPOSENDENSES PARTILHAM MEMÓRIAS NAS JORNADAS DO PATRIMÓNIO

Esposende convida a “Partilhar Memórias” nas Jornadas Europeias do Património

O Município de Esposende vai levar a efeito, entre os dias 28 e 30 de setembro, as Jornadas Europeias do Património, este ano subordinadas à temática “Partilhar Memórias”, que integram um vasto conjunto de iniciativas direcionadas aos vários públicos.

JEP_2018

A iniciar o programa, no dia 28, sexta-feira, o Museu Municipal de Esposende realiza, ao longo do dia, a Oficina do Sal, uma oficina ludo-pedagógica relacionada com a ancestral prática de extração e exploração do sal no litoral de Esposende, dirigida a crianças dos 6 aos 12 anos. Esta atividade repete-se nos dias 29 e 30, pelas 14h30. Os interessados deverão fazer reserva prévia, através do e-mail museu.municipal@cm-esposende.pt.

Pelas 15h30, decorrerá no Forte de S. João Baptista a cerimónia de assinatura do contrato de cedência de utilização deste imóvel e do auto de entrega da Estação Radionaval de Apúlia.

À noite, no Largo dos Bombeiros, às 22h00, terá lugar o concerto com o intérprete esposendense Nuno Casais.

Associando-se também a estas comemorações, a Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura estará de portas abertas ao público, nos dias 29 e 30, sábado e domingo, entre as 15h00 e as 19h00. Ainda no dia 30, às 16h00, decorrerá a sessão da Hora do conto “Memórias com História(s)”, para crianças a partir dos três anos acompanhadas pelos pais. As inscrições são efetuadas através do e-mail biblioteca.municipal@cm-esposende.pt ou do telefone 253 960 181.

No sábado, dia 29, a partir das 15h00, o Largo Fonseca Lima estará transformado num espaço de exposição e de promoção dos grupos de teatro e das academias de dança do concelho, através de espetáculos e aulas abertas. Esta atividade repete-se no dia 30, entre as 15h00 e as 17h30.

Nos Estaleiros Navais de Esposende – Centro de Atividades Náuticas de Esposende, haverá lugar a artes visuais e performativas sobre a obra de Franklin Vilas Boas, intitulada “Ingénua”. O programa inclui, ainda no sábado, às 16h00, a abertura da exposição, às 16h30 conversa e visita orientada e, às 18h30, performance por Favela Discos.

À noite, a animação musical volta ao Largo dos Bombeiros, a partir das 21h30, com o Festival Folclórico com a participação de grupos do concelho de Esposende.

O programa do dia 30 inicia às 10h30, com a visita guiada Caminho dos Mareantes, com partida do Museu Municipal, pelas mais emblemáticas ruas da cidade e principais monumentos, onde é abordada a evolução da vila marinheira, hoje cidade turística de Esposende. Os interessados deverão inscrever-se previamente, através do e-mail museu.municipal@cm-esposende.pt

A partir das 11h00, os Zés P’reiras animarão as ruas da cidade e, de tarde, pelas 15h00, no Largo dos Bombeiros decorrerá o Festival de Bandas de Música do Concelho.

As Jornadas Europeias do Património integram também o concerto “Entre o mar e a memória… o naufrágio de Belinho e os sons da Ibéria e da Flandres quinhentistas”, pelo Ensemble “O Bando de Surunyo”, com direção artística de Hugo Sanches, e que decorrerá a partir das 18h00, na Igreja da Misericórdia de Esposende. Inserido na programação da MusiCórdia MMXVIII – Temporada de Música, este concerto tem como ponto de partida a descoberta do naufrágio do navio quinhentista de Belinho, atravessando algumas memórias musicais da cultura da Ibéria e da Flandres. Será uma sessão onde serão revelados cenários e detalhes que dão contexto histórico, social ou emocional ao naufrágio quinhentista do navio de Belinho e à música da época.

O programa propõe, ainda, visitas às exposições patentes do Museu Municipal, nomeadamente à mostra fotográfica “Arquiteturas do concelho, Esposende entre o atlântico e as suas terras”, do arquiteto António Menéres, e à exposição “Memento, Momento”, dedicada à vida e obra do arquiteto esposendense Viana de Lima. Já no Museu Marítimo de Esposende será possível visitar a exposição “A Construção Naval na Ribeira Cávado – Os Estaleiros de Esposende e Fão”.

ARCOS DE VALDEVEZ INTEGRA ROTA CISTERCIENSE

Arcos de Valdevez integra a Rota Cisterciense, percurso pelo noroeste peninsular que liga os vales do Lima e Minho à Galiza, através dos concelhos de Arcos de Valdevez e Melgaço.

MOSTEIRO DE ERMELO 1

 A Rota Cisterciense do Alto Minho-Galiza pretende dar visibilidade ao Património material e imaterial; reconhecer o valor dos conjuntos monacais no desenvolvimento do turismo cultural e religioso; lançar um olhar humanista e místico sobre 900 anos de História; dar um contributo para o Itinerário Cultural Europeu dos Caminhos de Cister; ligar o Vale do Lima ao Vale do Minho pela montanha, contribuir para o seu desenvolvimento; fortalecer os laços transfronteiriços, tendo referências memoriais e registos raianos.

A rota que se inicia no Mosteiro de Santa Maria do Ermelo, em Arcos de Valdevez, passa também pelo Mosteiro de Santa Maria de Fiães (Melgaço), pelo Mosteiro de Santa Maria de São Clódio, em Leiro, na Galiza, culminando na abadia de Santa Maria de Oseira, na província de Ourense.

O caminho transfronteiriço poderá ser percorrido futuramente a pé, a cavalo ou em motociclo.

Para o Municipio arcuense esta é uma ação que irá contribuir para enriquecer a oferta turística no concelho, bem para dinamizar economicamente o território ao nível da restauração, hotelaria e comércio local.

MUNICÍPIO DE BRAGA QUER ALIENAR EDIFÍCIO DA ANTIGA FÁBRICA "CONFIANÇA"

Caderno de encargos rigoroso garante salvaguarda e valorização patrimonial do edifício da Confiança. Proposta de alienação segue agora para a Assembleia Municipal

A proposta de alienação do edifício da antiga fábrica Confiança foi aprovada esta Quarta-feira, 19 de Setembro, em sede de reunião do Executivo Bracarense. O documento segue, agora, para a Assembleia Municipal, a realizar a 4 de Outubro. Com um caderno de encargos “rigoroso”, que vai regular a venda em hasta pública, e que inviabiliza a transformação do imóvel num estabelecimento para fins comerciais, está dado o primeiro passo para a salvaguarda do edifício e para a regeneração urbana da área envolvente.

Braga, 08/10/2014 - Fábrica confiança em Braga..(Sérgio Freitas)

“Os nossos principais objectivos de preservação arquitectónica, de valorização da memória industrial, de enquadramento urbanístico, de impacto na regeneração da zona envolvente, que é crucial na ligação entre a Universidade do Minho e o centro da Cidade, estão salvaguardadas não pela acção do Município, mas pela acção de um privado que, cumprindo um caderno de encargos elaborado de forma muito restrita e rigorosa, possa elaborar um projecto compaginável com todos estes requisitos”, referiu Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, garantindo quer pelo Plano Director Municipal (PDM), quer pela força do caderno de encargos, “não será possível utilizar o edifício para construção habitacional ou centro comercial, por fruto das condicionantes urbanísticas”.

O Autarca explicou, ainda, que após terem sido equacionadas todas as possibilidades, “esta é a solução que melhor defende o interesse público”, por isso Ricardo Rio considerou “ser pouco sério” estar a dizer que existe pressa do Executivo e que este é um processo precipitado. “Ao longo dos últimos três anos e em diferentes contextos, como em sede de reunião de executivo, em entrevistas ou em debates na campanha eleitoral, foram várias as vezes em que equacionamos a alienação nestas circunstâncias. Durante esse período nunca houve interesse em promover debates, nem ninguém apresentou alternativas ou soluções à Câmara Municipal. Por isso, é estranho que só no momento em que a Autarquia se prepara para concretizar aquilo que pré-anunciou durante quase três anos, é que passou a ser importante promover debates e recolher contributos da sociedade”, acusou Ricardo Rio, considerando que “isso é uma tentativa de bloquear aquilo que é a concretização da regeneração daquela zona da Cidade”.

O edifício pode vir a ser utilizado para dar respostas às necessidades actuais como, por exemplo, o alojamento de estudantes universitários. “Em 2013 essa foi uma possibilidade equacionada e, estes dias, a própria Juventude Socialista (JS) veio sugerir essa mesma modalidade. Se for esse o caminho, será algo positivo e teremos o sector privado a suprimir uma necessidade de alojamento dos estudantes universitários”, explicou Ricardo Rio, vincando que neste momento “não existe nenhuma garantia que esse seja o destino do edifício, nem que os promotores nacionais e internacionais que nos últimos anos identificaram essa oportunidade venham agora a jogo em sede de hasta pública”.

Município adopta modelo que garante pleno funcionamento das Actividades de Enriquecimento Curricular

Outro assunto que marcou a reunião do Executivo Municipal foi o Programa Municipal de Enriquecimento Curricular, através do qual o Município retoma a implementação das actividades de enriquecimento curricular (AEC) que tinha delegado nos Agrupamentos Escolares. Para este ano lectivo, as AEC do 1º Ciclo do Ensino Básico são asseguradas por entidades parceiras, públicas ou privadas, fruto de acordos de colaboração.

Este novo modelo surge das dificuldades de implementação das AEC por parte dos próprios agrupamentos de escolas, devido à escassez de professores. “Não sendo algo permanente e integrado no projecto pedagógico do 1º Ciclo, existem vários factores que prejudicam a aspiração de realização profissional dos professores. Esta é uma matéria que se arrasta há mais de uma década e não pode ser resolvida apenas pelo Município de Braga, por isso estamos disponíveis para dialogar com outros municípios e com quem a responsabilidade que é o Ministério da Educação”, garantiu Ricardo Rio.

O Município de Braga adoptou um modelo colaborativo porque, segundo Ricardo Rio, ao longo dos anos, quer no período em que a Câmara tinha a responsabilidade de contratar esses docentes, quer no período em que os Agrupamentos faziam essa contratação, “existia uma sucessão de desistências e de abandonos dos contratos o que levava a uma interrupção da actividade lectiva das AEC e a um significativo prejuízo para os alunos e para toda a comunidade educativa”. Agora, continuou o Autarca, “ao contratarmos estas entidades e caso um professor desista de prestar um determinado serviço, são elas que assumem a responsabilidade de encontrar outro que imediatamente possa desempenhar aquela tarefa sem ter que passar por todas as condicionantes burocráticas que existem num processo de contratação pública”, concluiu Ricardo Rio.

Braga, 08/10/2014 - Fábrica confiança em Braga..(Sérgio Freitas)