Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESCOLA DO ROCK DE PAREDES DE COURA FAZ-SE À ESTRADA EM TOUR PELA GALIZA

27, 28 e 29 julho

Depois da uma semana de residência intensiva, a Escola do Rock de Paredes de Coura faz-se à estrada pela Galiza à boleia de um camião-palco. A primeira paragem é já esta terça-feira, 27 de julho, no Auditório do Espazo Fortaleza, em Tomiño, pelas 20h00, invertendo a lógica dos grandes festivais e dando a oportunidade a jovens que estão a dar os primeiros passos no mundo da música de serem ‘cabeça de cartaz’.

foto Escola do Rock.jpg

No dia seguinte, quarta-feira, 28 de julho, o encontro está marcado para a Plaza Mayor de Ponteareas, pelas 21h00, prosseguindo na quinta-feira, 29 de julho, na Playa América, de Nigrán, pelas 19h00, numa tour promovida pelo Município de Paredes de Coura, em parceria com o Concello de Tomiño, Concello de Ponteareas e Concello de Nigrán. 

“A Escola do Rock é um projeto único onde a educação pela arte, neste caso pela música, assume uma dimensão maravilhosa e cativante”, sustenta Vitor Paulo Pereira, presidente da Câmara de Paredes de Coura, acrescentando que “o currículo disciplinar escolar é essencial e tem muito peso na nossa sociedade. Mas a arte, a música, a dança ou outra qualquer forma cultural são manifestações importantíssimas nas formações dos nossos jovens e ferramentas fundamentais de formação, cidadania, até na preparação para aquilo que chamam de mercado de trabalho”.

Recorde-se que com este projeto, Paredes de Coura viu reconhecida pela Universidade do Minho, em 2015, com o Prémio UM-Cidades. A Escola do Rock reinventa-se ano após ano, como aconteceu nesta edição na sequência da pandemia, e este ano promove um pequeno tour/festival itinerante que vai percorrer num camião-palco com cerca de 19 metros de frente e 13 de altura, com videowall integral, algumas cidades e vilas do Norte de Portugal e Galiza.

Este minifestival itinerante, organizado em parceria com escolas de música locais das cidades e vilas por onde passa, pretende proporcionar uma experiência única aos alunos da Escola do Rock, dando-lhes a oportunidade de tocarem em contextos diversos. As primeiras partes dos concertos vão ser feitas por escolas ou bandas locais, como as The Rebel Spirits, os Garagebamzos e a Gain Over.

TOUR ESCOLA DO ROCK

Galiza

27 julho

Tomiño, no Auditório do Espazo Fortaleza, às 20h00

28 julho

Ponteareas, na Plaza Mayor, às 21h00

29 julho

Nigrán, Playa América, às 19h00

cartaz Escola do Rock.jpg

PAREDES DE COURA PEDIU A REVISÃO DA LEI DA CONTRIBUIÇÃO PREDIAL EM 1900

Na sessão de 16 de Maio de 1900 da Câmara dos Senhores Deputados da Nação Portugueza, a Câmara Municipal de Paredes de Coura, pediu a revisão da lei da contribuição predial de 26 de julho de 1899, enviando para a mesa uma representação, termo então usual para identificar um pedido ou uma proposta.

A referida representação foi apresentada pelo sr. deputado Miguel Dantas e enviada á commissão de fazenda e mandada publicar no Diario do Governo.

A representação foi feita nos seguintes termos:

O sr. Miguel Dantas: - Mando para a mesa, e peço que seja publicada no Diario do governo, uma representação da camara municipal do concelho de Paredes de Coura, pedindo a revisão da lei de contribuição predial, de 26 de julho de 1899.

Capturardiarioparlamento1900dantas.JPG

PONTE DE LIMA / PAREDES DE COURA: PROVISÃO DE D. AFONSO VI SOBRE QUEIXAS CONTRA FERNANDO DANTAS, CAPITÃO DO CONCELHO DE COURA

Carta de Gaspar Pacheco de São Paio, escrivão da Câmara de Sua Magestade na vila de Ponte de Lima, pela qual certifica que existe no cartório da câmara uma provisão de D. Afonso VI sobre as queixas da câmara de Ponte de Lima contra Fernão Dantas, capitão do concelho de Coura, por ter tomado as águas de S. Romão e Bretea

Contem: o traslado da provisão de D. Afonso VI pela qual manda que o capitão Fernão Dantas não bula com as águas de S. Romão e Bretea sob pena de 5 anos de degredo em África e 1.000 cruzados aplicados para as despesa da Mesa do Desembargo do Paço (1665 Mai. 22, Lisboa); Traslado da certidão passada por João Maciel Vidal, escrivão da correição de Viana Foz do Lima, de que Fernão Dantas foi notificado do conteúdo da provisão régia (1665 Dez. 12, Ponte de Lima); Traslado do termo de desistência que fez Fernão Dantas Barbosa, juiz ordinário do concelho de Coura, das águas do carvalhal pertencentes aos moradores da Labruja, termo da vila de Ponte de Lima (1665 Dez. 30, Coura).

Fonte: Arquivo Municipal de Ponte de Lima

PT-MPTL-CCRPTL-043_m0001_dissemination.jpg

PT-MPTL-CCRPTL-043_m0002_dissemination.jpg

PT-MPTL-CCRPTL-043_m0003_dissemination.jpg

PT-MPTL-CCRPTL-043_m0004_dissemination.jpg

PT-MPTL-CCRPTL-043_m0005_dissemination.jpg

PT-MPTL-CCRPTL-043_m0008_dissemination.jpg

ESCOLA DO ROCK TRAZ CONCERTOS DIÁRIOS E TOUR "VIRA FEST" A PAREDES DE COURA

18 – 23 julho | Paredes de Coura

Arranca este domingo, 18 de julho, mais uma edição da Escola do Rock de Paredes de Coura, este ano com a particularidade de todas as noites serem preenchidas com concertos no centro da vila com bandas residentes de edições anteriores e deste ano, mas também por esta edição preceder o ‘Vira Fest’, um pequeno tour/festival itinerante que vai percorrer num camião-palco algumas cidades e vilas do Norte de Portugal e Galiza.

AF_8mx3m_50%_EDR_outdoor..png

“A Escola do Rock é um projeto único onde a educação pela arte, neste caso pela música, assume uma dimensão maravilhosa e cativante. Estamos muito felizes e apenas lamentamos a redução das inscrições, atendendo à situação pandémica que atravessamos”, lamentou Vitor Paulo Pereira, presidente da Câmara de Paredes de Coura e entidade promotora desta iniciativa anual, acreditando no regresso pleno em próximas edições: “pedimos desculpa a todos os jovens que ficaram de fora, porém, brevemente, terão mais oportunidades de participar nesta escola de sonho”, salientou.

Assim, já este domingo na noite de Paredes de Coura ouvir-se-ão pelas 21h00 os The Rebel Spirits, que a par dos Outsiders (tocam a 20 de julho) foram as bandas residentes selecionadas para a edição deste ano da Escola do Rock.

O toque para o arranque da Escola é logo pela manhã do dia seguinte, decorrendo nos moldes habituais nas salas da Caixa da Música, mas com a particularidade de os alunos serem divididos em turnos para cumprir as recomendações de prevenção da pandemia. Assim, até 23 de julho seguir-se-á uma residência intensiva da Escola do Rock, preenchida com ensaios, workshops, sessões de cinema, jam sessionsshowcases, demonstrações de instrumentos e concertos.

Escola de sonho

Nestas atividades pretende-se que os alunos possam ir além da destreza musical e desenvolvam outras competências fundamentais enquanto músicos e pessoas, tais como comunicação, autoconfiança, tolerância, trabalho em equipa e autonomia.

Já as duas Bandas Residentes terão à sua disposição espaços exclusivos para ensaio e a tutoria dos formadores desta incubadora de bandas que é a Escola do Rock, culminando com a gravação de um single e a apresentação de alguns concertos em diferentes contextos.

Segue-se o Vira Fest que permitirá à Escola do Rock apresentar-se em algumas cidades portuguesas e galegas, fazendo uso de um camião-palco, com cerca de 19 metros de frente e 13 de altura, com videowall integral.

O Vira Fest é um minifestival itinerante, organizado em parceria com escolas de música locais das cidades e vilas por onde passa, que pretende proporcionar uma experiência única aos alunos da Escola do Rock, dando-lhes a oportunidade de tocarem em contextos diversos. Uma tour em condições inéditas, possibilitando aos alunos tocar em condições singulares e facilitando o acolhimento da Escola por parte dos municípios, uma vez que permite facilmente fazer concertos ao ar livre e em total segurança para o público e para os participantes. Invertemos a lógica dos grandes festivais e damos a oportunidade a jovens que estão a dar os primeiros passos no mundo da música de serem ‘cabeça de cartaz’.

cartaz_lineup.jpg

IG_1.png

MUPI_1 (1) (1).jpg

mupi_2.jpg

PAREDES DE COURA INAUGUROU ELEVADORA - CENTRO DE CAPACITAÇÃO EMPRESARIAL

“Na verdade, não somos verdadeiramente uma Câmara Municipal. O nosso modo de governança e de ação aproxima-se mais de uma start-up política ou social que segue a inovação e os desafios para melhorar a vida das pessoas do que propriamente de uma instituição política formal, que apenas se preocupa em fazer o esperado e manter-se no poder”, assumiu Vitor Paulo Pereira na inauguração da incubadora de empresas Elevadora – Centro de Capacitação Empresarial de Paredes de Coura, que resultou da requalificação do Mercado Municipal, num investimento que ultrapassou 1 milhão de euros.

Elevadora 1.jpg

Antes, já o secretário de Estado do Planeamento havia feito os maiores elogios ao autarca courense: “tem a capacidade de imaginação de um homem que pode transformar o território”, sublinhou Ricardo Pinheiro, ilustrando com o facto de ser um território raiano que “necessita permanentemente de estar a criar e conquistar as pessoas que estão à volta. Para Paredes de Coura não há dificuldades quando as dificuldades aparecem”.

“Não ficamos parados a gerir Covid”

Na visita ao novo espaço Elevadora, Vitor Paulo Pereira deixou claro que apesar da pandemia o seu executivo nunca perdeu o foco: “Não ficamos parados a gerir Covid”, explicando que “foi neste tempo difícil que conseguimos implantar em Paredes de Coura a primeira fábrica de vacinas do país, que abrirá as portas a muitos jovens licenciados que poderão viver e trabalhar em Paredes de Coura, numa área altamente inovadora e profissionalmente gratificante”.

O presidente da Câmara acrescenta que este investimento coloca Paredes de Coura no “centro da inovação e da competitividade territorial ao permitir a criação de um novo polo de biotecnologia entre o Norte de Portugal e Galiza”. Mas também foi neste período pandémico que os courenses viram ser criada a cobertura integral do concelho com fibra ótica ou até a substituição de luminárias “tradicionais” por luminárias Led, traduzida por uma grande poupança orçamental, eficiência energética e ganhos ambientais.

Entretanto, ultimam-se as obras de expansão e requalificação do Parque Empresarial de Formariz e a preparação do projeto que levará à criação da 3ª Zona Industrial de Paredes de Coura, que nascerá na freguesia de Linhares. Sem esquecer, contudo, a nova ligação ao Parque Empresarial de Castanheira, que continuará a ser competitivo e com muita vitalidade.

“Em nome de um sonho maior que é Paredes de Coura”

“Nós não queremos apenas conseguir coisas que muitos consideravam possível. Nós queremos mudar Paredes de Coura, queremos mudar o mundo, o seu mundo. O futuro do território não está dependente da nossa posição no país relativamente ao centro, mas sim da nossa capacidade de criar ou da nossa capacidade de desafiar o destino”, insistiu Vitor Paulo Pereira, sustentando que que “o objetivo não é fazer política. O nosso objetivo é realizar os sonhos que começam no coração e acabam nas mãos. No fundo, estamos sempre tentados a fazer coisas que nos assustem, sempre em prol de todos os courenses e em nome de um sonho maior que é Paredes de Coura”.

A Elevadora – Centro de Capacitação Empresarial de Paredes de Coura nasceu no espaço do Mercado Municipal, cuja abertura ao público data de 1990, e foi recentemente alvo de obras de requalificação. Reúne escritórios individuais, “co-working” e “open-office”, pensados para empresas na área tecnológica, num edifício que agora ganhou melhores condições de funcionalidade e conforto, traduzido no alargamento das valências disponíveis para empreendedores, comerciantes e comunidade, que também dispõem não só de um novo espaço comercial e de serviços, como de uma área envolvente mais apelativa que convida a população ao lazer e à prática desportiva.

A Space Creative Tech Hub e a Hybrida, bem como a EPRAMI – Escola Profissional Alto Minho Interior foram alguns dos novos ‘empreendedores’ que marcaram presença nesta iniciativa, dando a conhecer os seus projetos em carteira, que têm por base um território de baixa densidade para a escala global.

Elevadora 2.jpg

Elevadora 3.jpg

Elevadora 4.jpg

Elevadora 5.jpg

Elevadora 6.jpg

Elevadora 7.jpg

Elevadora 8.jpg

SECRETÁRIO DE ESTADO DO PLANEAMENTO INAUGURA ELEVADORA - CENTRO DE CAPACITAÇÃO EMPRESARIAL DE PAREDES DE COURA

quarta-feira | 14 julho | 14h30

Paredes de Coura inaugura amanhã a incubadora de empresas Elevadora, bem como das obras de requalificação do Mercado Municipal e espaço urbano envolvente, no Largo D. Maria Luísa Abreu e Antas, com a presença do secretário de Estado do Planeamento, Ricardo Pinheiro.

i050395.jpg

Destinada à incubação de entidades que pretendam desenvolver projetos nas áreas da inovação tecnológica de cariz digital, visando fomentar a criação de empresas inovadoras e tecnologicamente relevantes para o concelho, na tentativa de travar a desertificação do território e alavancar a economia local em projetos inovadores, competitivos, de forte cariz internacional, capazes de promover e incentivar emprego altamente qualificado, a Elevadora – Centro de Capacitação Empresarial de Paredes de Coura reúne escritórios individuais, “co-working” e “open-office”, pensados para empresas na área tecnológica no piso superior do Mercado Municipal de Paredes de Coura, cuja abertura ao público data de 1990, e foi recentemente alvo de obras de requalificação num investimento que ultrapassou 1 milhão de euros.

O velho edifício com 30 anos de existência ganhou agora melhores condições de funcionalidade e conforto, traduzido no alargamento das valências disponíveis para empreendedores, comerciantes e comunidade, que agora dispõem não só de um novo espaço comercial e de serviços, mas também de uma área envolvente mais apelativa que convida a população ao lazer e à prática desportiva.

PRIMEIRA REPÚBLICA ARROLOU EM 1911 OS BENS CULTUAIS DE PAREDES DE COURA

Em 24 de Julho de 1911, a Comissão Jurisdicional dos Bens Cultuais procedeu ao arrolamento dos bens cultuais situados na freguesia e concelho de Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo, constando de: Igreja Matriz de Santa Maria de Paredes de Coura; Capela de Nossa Senhora do Rosário, de Lamana; Capela de São Sebastião, em Nogueira.

Tratou-se de um procedimento imposto pela Comissão Jurisdicional dos Bens Cultuais, um organismo criado a seguir à implantação do regime republicano e destinado à expropriação do património eclesiástico.

São designados por bens cultuais porque se destinavam ao culto, não devendo serem confundidos com “bens culturais”. Após a instauração da Ditadura Militar em 28 de Maio de 1926 com o consequente derrube da Primeira República, passaram a ser devolvidos à Igreja e paróquias os bens paroquiais expropriados pelo anterior regime.

Fonte: Arquivo do Ministério das Finanças

Capturarfincoura1.JPG

Capturarfincoura2.JPG

Capturarfincoura3.JPG

Capturarfincoura4.JPG

Capturarfincoura5.JPG

Capturarfincoura6.JPG

Capturarfincoura7.JPG

Capturarfincoura8.JPG

Capturarfincoura9.JPG

Capturarfincoura10.JPG

Capturarfincoura11.JPG

Capturarfincoura12.JPG

Capturarfincoura13.JPG

Capturarfincoura14.JPG

Capturarfincoura15.JPG

Capturarfincoura16.JPG

Capturarfincoura17.JPG

Capturarfincoura18.JPG

Capturarfincoura19.JPG

PAREDES DE COURA: PROCESSO DE REQUERIMENTO DE PASSAPORTE DE ANTÓNIO JOSÉ RODRIGUES PARA VIAJAR PARA O BRASIL

À semelhança de muitos minhos, o courense António José Rodrigues, emigrou para o Brasil em 1890. Era natural de São Pedro de Formariz, filho de José dos Santos Rodrigues e Flora Rita Rodrigues e, já com a idade de 57 anos, viajou para o Rio de Janeiro. Os documentos que junto se reproduzem fazem parte do processo de requerimento do seu passaporte.

Fonte: ANTT

PT-ADLSB-AC-GCL-H-D-006-00014-00033_m0003_derivada

PT-ADLSB-AC-GCL-H-D-006-00014-00033_m0002_derivada

PT-ADLSB-AC-GCL-H-D-006-00014-00033_m0004_derivada

PT-ADLSB-AC-GCL-H-D-006-00014-00033_m0001_derivada

PT-ADLSB-AC-GCL-H-D-006-00014-00033_m0002_derivada

PT-ADLSB-AC-GCL-H-D-006-00014-00033_m0003_derivada

PT-ADLSB-AC-GCL-H-D-006-00014-00033_m0004_derivada

PT-ADLSB-AC-GCL-H-D-006-00014-00033_m0001_derivada

PAREDES DE COURA: QUANTO SE PAGAVA EM 1930 PARA TELEFONAR PARA OUTRAS LOCALIDADES?

O Ministério do Comércio e Comunicações - Administração Geral dos Correios e Telégrafos - Direcção dos Serviços de Exploração Eléctrica - 2.ª Divisão, através da Portaria nº. 6908, publicada em Diário do Govêrno n.º 203/1930, Série I de 1930-09-02, criou e mandou abrir à exploração o posto telefónico público de Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo.

Capturartelefcoura.JPG

PAREDES DE COURA GARANTIU O INVESTIMENTO MAIS IMPORTANTE E ESTRATÉGICO DO ALTO MINHO

“Temos boas contas e estamos a fazer uma gestão rigorosa do dinheiro público, sem perder a capacidade de investimento. Sabemos por onde devemos caminhar e temos uma estratégia”, defendeu Vitor Paulo Pereira na apresentação do Relatório de Prestação de Contas do Município de Paredes de Coura, que se traduziu numa taxa de execução ao nível da receita de 89%.

vitor_paulo_pereira.jpg

Neste exercício de transparência das contas do Município, o presidente da Câmara de Paredes de Coura também esclareceu que o passivo atual e consolidado é de 5,8M€, o que representa uma diminuição de quase 1 milhão de euros. Esta tem sido uma situação recorrente desde o ano de 2014 com esta liderança autárquica: “são resultados muito positivos que evidenciam contas saudáveis, rigorosas e o reforço na consolidação do equilíbrio financeiro alcançado nos últimos anos”, sublinhou Vitor Paulo Pereira.

Cobertura total de fibra ótica

Aliás, a linha de orientação deste executivo tem tido sempre como máxima projetar um futuro melhor para os courenses, consubstanciado nas múltiplas conquistas até agora realizadas. Nestes últimos dois anos, foram conseguidos “investimentos que transformarão para sempre as nossas vidas. A nova ligação da A3 ao Parque Industrial de Formariz orçada em 9,5M€ e a Requalificação e Expansão da Zona Industrial de Formariz com o valor total de 1.8M€ permitirão a fixação de novas empresas que diversificarão o nosso tecido industrial e colocarão Paredes de Coura no grupo dos concelhos mais exportadores do norte do país”, projetou Vitor Paulo Pereira. 

Sem se deter, o autarca recorda que Paredes de Coura garantiu “talvez o investimento mais importante e mais estratégico que o Alto Minho conseguiu até ao momento. Não estamos a falar apenas de uma Fábrica de Vacinas. Estamos a falar de mais outros investimentos na mesma área, que abrirão as portas a um sector que pode gerar a curto prazo outros investimentos e criar centenas de postos de trabalho licenciado ou altamente qualificado”, reforçando que se se considerar que “cada posto de trabalho nesta área de produção de vacinas cria 4 postos de trabalho indiretos, já podemos ter uma noção deste investimento que pode chegar nos próximos anos aos 80 milhões de euros”.

Eficiência energética e gestão inteligente da energia

Em traços gerais, o autarca sustenta que tem sido seu propósito e da vereação que o acompanha “fazer de Paredes de Coura um concelho moderno, sustentável, aberto ao mundo e que cuide e se preocupe com as pessoas”. Vitor Paulo Pereira ilustra com o facto deste território ser “o primeiro concelho do país a ter cobertura total de fibra ótica. É um investimento estratégico, porque acaba por reforçar a centralidade e a competitividade do território. Ficamos ligados ao Mundo e não podemos esquecer que a fibra é o maior canal de comunicação, de conhecimento bem como um bom instrumento para fazer negócios. É mais uma boa autoestrada que anula os constrangimentos da geografia”.

Como se não bastasse, a eficiência energética e a gestão inteligente da energia é também um dos objetivos desta gestão autárquica e que foi atingida neste último ano, traduzido pelo investimentos 1,5 milhões de euros em tecnologia Led que substituirá 6 mil luminárias de iluminação pública: “Com este projeto, também único no nosso distrito, reduziremos a fatura energética e será possível ter a luz ligada toda a noite. Foi um projeto complexo, um projeto que deu muito trabalho, mas está feito, poupamos dinheiro e reduzimos a emissões de CO2 para a atmosfera”, enfatizou.

Gás natural ainda este ano

Na procura de diminuir a fatura energética das famílias courenses, Vitor Paulo Pereira anunciou também que está para breve a chegada do gás natural a Paredes de Coura, cujo custo poderá refletir-se para metade: “no final de 2021 o gás natural chegará às nossas zonas industriais, bem como às primeiras casas em meados do ano seguinte. Estamos a transformar e a qualificar a nossa terra. Somos cada vez mais um território com boas infraestruturas e com bons padrões de desenvolvimento”, sublinhou o autarca,

“O futuro, já o afirmamos noutros lugares, pertence aqueles que estão dispostos a perder o equilíbrio. Equilíbrio nas contas e desequilíbrio ou ousadia na arte de pensar o desenvolvimento de Paredes de Coura. Nos tempos que correm, arriscar, ser inquieto e ousado é o que de mais sensato se pode fazer. Não há verdadeiro desenvolvimento sem decisões corajosas. Estamos dispostos a lutar e a correr riscos”, apontou Vitor Paulo Pereira, sem esquecer os tempos difíceis daqueles que sofreram mais os efeitos indesejáveis desta pandemia. “As famílias, as empresas, os comerciantes e as instituições sociais continuarão a enfrentar muitas dificuldades e nós procuraremos ter políticas capazes de atenuar os efeitos nefastos desta crise que atravessamos”, prometeu o autarca, recordando que neste último ano “houve uma aposta no apoio às instituições de solidariedade social, humanitárias, comércio local e população em geral, em detrimento dos apoios às entidades culturais, recreativas e desportivas, pelo cancelamento das suas atividades, na sequência das restrições impostas pela Direção-Geral da Saúde”.

Rede viária com investimentos significativos

O Município insiste em procurar ter políticas capazes de atenuar os efeitos nefastos desta crise que atravessamos, sem esquecer a valorização do território ao nível das infraestruturas. Assim, o ano de 2020 traduziu-se também pelos investimentos na rede viária das freguesias no valor superior a 1 milhão de euros, bem como na Proteção Civil e na Defesa da Floresta em quase meio milhão de euros.

Em traços gerais, Paredes de Coura continua a ser um território que cresce, que cria emprego. Uma terra de indústria, uma terra empreendedora e que se afirma no contexto nacional pela ousadia e inovação dos seus projetos, e que também se afirma no contexto nacional pelos projetos educacionais e culturais: “o presente relatório de Prestação de Contas mostra também que apostamos muito na formação escolar das nossas crianças e dos nossos jovens, da forma como a entendemos, inclusiva, popular e contemporânea, tradicional e cosmopolita. Investimos no ano de 2020 na educação 1,5M€. O apoio às famílias foram uma preocupação, cujos apoios se traduziram em subsídios de natalidade, apoios escolares e apoios à ajuda da manutenção do rendimento, através da concessão de vales, descontados no comércio tradicional”.

Acima de tudo, como sublinha Vitpr Paulo Pereira, Paredes de Coura “procura aproveitar as oportunidades e não apenas resolver problemas. Sabemos por onde vai o futuro. Não procuramos ser modernos. Procuramos ser inovadores e assumir riscos porque não assumir riscos, no presente, é uma atitude potencialmente suicida no futuro”, concluiu.

Câmara 2coura.jpg

MARCELO REBELO DE SOUSA VISITOU AS "COMÉDIAS DO MINHO" EM PAREDES DE COURA

O oitavo episódio do programa “Da Comida e Do Amor” já está disponível online e o convidado é o Presidente da República.

Durante o seu périplo pelo Alto Minho, em maio, Marcelo Rebelo de Sousa visitou a sede das Comédias do Minho, em Paredes de Coura, e jantou em casa do ator da companhia. Luís Filipe Silva criou o formato do programa para a plataforma Comédias Takeaway, lançada durante a segunda quarentena. Todos os episódios deste “talk show caseiro” (com um toque de programa de culinária) são filmados por videoconferência, a partir da cozinha do ator. O episódio lançado hoje é a única exceção ao formato digital.

marcelo11.png

A presença de Marcelo Rebelo de Sousa é a resposta ao convite que o ator lhe fez em Belém. As Comédias do Minho foram a companhia escolhida para a celebração do Dia Mundial do Teatro (27 de março), no Palácio Presidencial. Luís Filipe Silva não resistiu e convidou Marcelo Rebelo de Sousa para participar no seu programa. O Presidente da República aceitou e o resultado está, agora, disponível.

A conversa passa pelas raízes minhotas de Marcelo, pelas memórias que o Cozido à Portuguesa evoca e pelas vocações dos homens à mesa. Marcelo Rebelo de Sousa quis conhecer melhor o seu anfitrião e o entrevistador acabou por ser, também, entrevistado.

O episódio “Cozido à Portuguesa, uma receita presencial” está disponível em: https://youtu.be/2-poF9NV78g

GOVERNO PROIBIU EM 1944 A CAÇA À PERDIZ NOS CONCELHOS DE BRAGA, BARCELOS, ARCOS DE VALDEVEZ E PAREDES DE COURA

O Ministério da Economia - Direcção Geral dos Serviços Florestais e Aqüícolas - 2.ª Repartição Técnica, através da Portaria nº. 10819, publicada em Diário do Govêrno n.º 289/1944, Série I de 30 de Dezembro de 1944, proibiu, a partir de 1 de Janeiro de 1945, a caça à perdiz nos concelhos de Arcos de Valdevez, Barcelos, Braga e Paredes de Coura.

Capturarperdiz.JPG

ESTE VERÃO, OS FINS DE TARDE ACONTECEM AO AR LIVRE, NA COMPANHIA DAS COMÉDIAS DO MINHO.

As Comédias do Minho estreiam o espetáculo de teatro FIM DE TARDE, no dia 1 de julho. A criação de Leonor Barata marca o regresso da companhia minhota ao formato presencial. Ao longo de um mês, a peça vai percorrer os concelhos de Paredes de Coura, Vila Nova de Cerveira, Melgaço, Valença e Monção.

CdM_Fim-de-tarde_evento.jpg

O regresso aos palcos faz-se ao ar livre e em horário de fim de tarde. Acomodar a segurança dos espectadores e a eventualidade de novo recolher obrigatório fez parte das premissas de criação. Os espectadores podem contar com um espetáculo que, com humor, coloca em cena algumas questões sobre a forma como contamos histórias e, com elas, nos construímos

Leonor Barata é uma criadora que desenvolve o seu trabalho na fronteira entre o teatro e a dança. O universo clássico está, muitas vezes, presente nas suas criações. Em FIM DE TARDE, parte da premissa de que “antes dos gregos não havia nada” para, de uma forma lúdica, explorar questões sobre a repetição das narrativas ao longo dos séculos. Será que há uma ‘grande narrativa’ que se reproduz em todas as pequenas narrativas ao longo do tempo? A pergunta traz consigo as possibilidades do “E se?”. Os três atores em cena ensaiam novos ângulos e desfechos para histórias que todos conhecem e para as suas múltiplas personagens. Será que somos nós que construímos a nossa narrativa ou é a ‘grande narrativa’ que nos constrói? Que sentido damos ao que vivemos através da forma como contamos a(s) nossa(s) história(s)?

Passado mais de um ano desde o início da pandemia de COVID-19, importa questionar de que forma a circularidade dos discursos influencia o olhar de cada um sobre si e sobre a sociedade. Depois de um ano e meio sem espetáculos presenciais, as Comédias do Minho ensaiam possibilidades para o fazer dentro dos limites de segurança, para que o teatro continue a ser uma realidade nas aldeias do Vale do Minho.

Envio em anexo duas fotografias da fase de ensaios (©Sara Barros), o dossier de imprensa com informações adicionais e alguns materiais gráficos. Não hesite em contactar-me, caso necessite de mais informações.

Fim de Tarde_ensaios2_©Sara Barros.jpeg

CdM_Fim-de-tarde_flyer-digital_AF.jpg

Fim de Tarde_ensaios1_©Sara Barros.jpeg

PAREDES DE COURA DESCEU À CAPITAL EM 2012 PARA PROTESTAR CONTRA O ENCERRAMENTO DO TRIBUNAL

Perto de um mil autarcas de mais de cinquenta municípios foram a Lisboa, em 28 de Junho de 2012, protestar contra o encerramento dos tribunais nos seus concelhos. Entre eles encontrava-se o presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura e muitos courenses agitando bandeiras do seu concelho.

A concentração, em frente ao Ministério da Justiça, foi convocada pela Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP) e, de acordo com os seus promotores, a manifestação visou a “defesa da Justiça em todo o território nacional”. Entretanto, foi encontrada solução para o problema em Paredes de Coura.

13258326_cFR63.jpeg

13258153_otEg9.jpeg

13274140_DZp3T.jpeg

13258261_zeMoE.jpeg

13274287_REfhW.jpeg