Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ERMIDA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM JUNTO AO ESTÁDIO NACIONAL FOI DURANTE MUITOS ANOS LOCAL DE CONFRATERNIZAÇÃO ENTRE MINHOTOS E GALEGOS

Em meados do século passado, os minhotos e os galegos radicados na região de Lisboa acorriam ao sítio conhecido por Alto da Boa Viagem, assim denominado por ali existir uma pequena ermida dedicada a Nossa Senhora da Boa Viagem, uma devoção dos homens do mar. Chamavam-lhe “Romaria de São Tiago” e ocorria invariavelmente num domingo próximo do dia 25 de Julho, por iniciativa conjunta da Xuventud de Galícia e da Casa do Minho.

P2140023.JPG

Tratava-se de uma alegre confraternização que, para além dos petiscos, envolvia a prática de jogos ao ar livre e, naturalmente, manifestações de folclore. Até então, antes do aparecimento daquelas colectividades, era a Romaria de Santo Amaro, perto de Alcântara, a grande festa das gentes da Galiza que viviam em Lisboa. Porém, um desentendimento entre as duas organizações ditaram o fim daquela que era um verdadeiro traço de união entre as gentes minhotas e galegas, povos que partilham a mesma matriz identitária.

As gentes da Galiza não voltaram mais ao local para confraternizar. A Casa do Minho ainda organizou a festa por mais alguns anos e, mesmo depois de interrompida com a mudança do regime, lá voltou em meados da década de 80 do século passado. Mas o brilho já não era o mesmo. E, eis a razão pela qual a Casa do Minho mantém a denominação “Romaria de São Tiago” para identificar a festa que anualmente realiza em Lisboa, na zona de Belém.

Aninhada junto ao farol do Esteiro, com uma vista magnífica sobre o rio Tejo e o Oceano Atlântico, a pequena capela foi votada ao abandono e degradando-se ano após ano. O carro eléctrico já havia deixado de seguir até ao Estádio Nacional. A zona envolvente sempre foi bastante movimentada devido à construção da estrada Marginal, oferecendo riscos à circulação pedonal.

A capela original foi erguida em 1734, num local onde outrora existiu o Convento de Nossa Senhora da Boa Viagem. Ali se realizavam procissões, peregrinações, votos e oferendas.

Com a extinção das ordens religiosas em 1834, o convento foi abandonado e, mais tarde demolido. Com as obras do Estádio Nacional, a capela mudou de sítio. Actualmente encontra-se restaurada e classificada como “Imóvel de valor concelhio”, de acordo com o Edital n.º 184/2004 (2ª série), publicado no Diário da República, N.º 67, II Série, 19 de março de 2004.

Para as gentes minhotas e galegas, resta a memória das alegres confraternizações sob a égide de São Tiago – Patrono da Galiza!

Foto: http://umafotomilpalavras.blogspot.com/