Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MINHO E GALIZA CELEBRAM DIA MUNDIAL DOS PEIXES MIGRADORES

Aquamuseu e Estação Hidrobioloxía “Encoro do Con” celebram o Dia Mundial dos Peixes Migradores

Com o lema "Ligando Peixes, Rios e Pessoas", é celebrado no próximo sábado, 21 de abril, o "Dia Mundial dos Peixes Migradores" (WFMD: World Fish Migration Day). Com caráter transfronteiriço, o Aquamuseu do Rio Minho, de Vila Nova de Cerveira e a Estación Hidrobiológica “Encoro do Con”, da Universidade de Santiago de Compostela estão a desenvolver em conjunto uma ação de sensibilização alargada no terreno para dar a conhecer os peixes migradores do Baixo Minho e o efeito dos obstáculos nas suas migrações.

Peixes migradores1

Várias organizações vão comemorar este dia organizando mais de 400 atividades em todo o mundo, tendo como objetivo consciencializar a sociedade das necessidades dos peixes migradores, garantindo que as redes fluviais naturais permaneçam conectadas, e que seja intermediária para que as que estão fragmentadas possam ser restauradas.

Desta forma, o Aquamuseu do Rio Minho, de Vila Nova de Cerveira e a Estación Hidrobiológica “Encoro do Con”, da Universidade de Santiago de Compostela, que desenvolvem em conjunto o projecto POCTEP Migra Miño-Minho, organizam uma atividade no rio Furnia incidirá sobre o impacto das barreiras na migração de peixes. Vai-se proceder à captura de peixes por pesca elétrica e conhecer as atividades que estão a ser realizadas no projeto Migra Miño-Minho. No Aquamuseu será realizada uma visita aos aquários e ao museu das pescas, que recria todo o percurso do Minho, as suas espécies e as tradições e atividades associadas à pesca, dando a conhecer os peixes migratórios, sua importância e ameaças.

A atividade começará no rio Furnia (Tomiño) às 15h15 e vai terminar no Aquamuseu (Vila Nova de Cerveira) às 18h30. Os participantes terão um autocarro gratuito em Vila Nova de Cerveira (14h00 no Centro de Coordenação de Transporte), em Tui (14h30 na Praça de Galicia) e em Tomiño (14h55, na Praça do Concelho) para levá-los ao rio Furnia e ao Aquamuseu, trazendo-os de regresso após conclusão da atividade.

O Projeto POCTEP Migra Miño-Minho (Proteção e Conservação das Populações de Peixes Migradores no troço internacional do rio Minho e seus afluentes) é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através do Interreg VA Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020. Procura melhorar a proteção e conservação do habitat fluvial da sub-bacia do troço internacional do rio Minho, desde a barragem de Freira até à foz com ações de requalificação dos canais fluviais e das espécies de peixes migradores presentes no rio Minho e seus afluentes; também promove a cooperação transfronteiriça entre autoridades e instituições com responsabilidades comuns na gestão da pesca fluvial.

A construção de barreiras transversais (barragens e açudes) tornou-se um dos principais fatores que provocaram a diminuição da população de peixes que habitam estes rios, pois tem um efeito direto sobre os movimentos migratórios dos peixes, impedindo-os de se mover livremente para completar os seus ciclos reprodutivos, acesso a áreas de alimentos ou, simplesmente, passar para outras seções da rede fluvial. Além dessas estruturas artificiais, interrompe-se o regime fluvial natural, fundamental para a reprodução dos peixes. O efeito desta fragmentação fluvial é sentido, especialmente, em espécies que preferem migrar para o mar ou para as seções superiores dos rios para completar seu ciclo de vida, o que as colocou em grave perigo de sobrevivência.

http://www.worldfishmigrationday.com

PÓVOA DE LANHOSO ASSINALA DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS

Câmara Municipal de Póvoa de Lanhoso promove caminhada noturna a 18 de maio para assinalar o Dia Internacional dos Museus

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso promove, no próximo dia 18 de maio, uma caminhada noturna, que, de entre outros objetivos, visa assinalar o Dia Internacional dos Museus. As inscrições já estão a decorrer.

CaminhadaNoturna_18Maio

Esta caminhada noturna, organizada pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, será um desafio aos sentidos e uma experiência arrebatadora, capaz de contagiar todos os/as participantes quando confrontados/as com locais encantados, imbuídos por uma atmosfera misteriosa e distante da agitação diária.

Sensivelmente a meio do percurso, os/as participantes serão convidados a visitar o Museu de Arte Sacra da Real Confraria de Nossa Senhora de Porto de Ave e a apreciarem a coleção de ex-votos iluminados só com recurso à lanterna. Esta nova abordagem ao espaço museológico é uma forma de assinalar o Dia Internacional dos Museus, que se comemora precisamente a 18 de maio, este ano com o tema: Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos.

Os/As amantes das caminhadas pelo concelho da Póvoa de Lanhoso devem ficar atentos/as ao calendário anual.

Características da caminhada noturna:

- Dia: 18 de maio

- Ponto de encontro: Praça Eng.º Armando Rodrigues

- Hora de saída: 21h00

- Hora prevista de chegada: 00h00

- Distância: 12 quilómetros

- Dificuldade: fácil

- Os/as participantes devem levar lanterna

- Inscrições gratuitas, mas obrigatórias para castelo.lanhoso@mun-planhoso.pt com nome completo e nº de ºBI/CC

- Data limite para as inscrições: 17 de maio

- Oferta de moscatel e bananas

- Mais informações:

Tel: 253 634 312 / 253 639 700

TERRAS DE BOURO COMEMORA DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

O Município de Terras de Bouro, através do Núcleo Museológico de Campo do Gerês, associa-se uma vez mais às comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, com uma iniciativa de “Portas Abertas” a 18 de abril.

CAPA

A Direção-Geral do Património Cultural, coordenadora nacional do DIMS, em colaboração com o ICOMOS Portugal, expressa também a vontade e o desejo para que todas as pessoas se associem a esta comemoração através da participação nas iniciativas que decorrem em todo o país.

Em 2018, o tema proposto para o DIMS pelo ICOMOS Internacional é Património Cultural: de geração em geração.

A DGPC, em colaboração com o ICOMOS Portugal, promove a divulgação deste tema com a finalidade de impulsionar o diálogo intergeracional enquanto ferramenta de conhecimento, de desenvolvimento e de diversidade. Salvaguardar a herança cultural é reforçar laços identitários, fomentar o diálogo entre a tradição e o progresso, assumir os valores da memória como alavancas de futuro, estimular a transferência intergeracional de conhecimentos e reforçar a partilha de informação, sensibilizando os mais novos, aprendendo com os mais velhos, impulsionando a comunicação entre gerações, para conhecer mais, preservar melhor e cimentar a importância da cultura e do património enquanto elementos aglutinadores das comunidades.*

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/ *

Museu da Geira

Museu de Vilarinho da Furna

Museu VF1

Museu VF2

MUSEU DE MARINHA EXPÕE SOBRE A GRANDE GUERRA

O Museu de Marinha vai inaugurar no próximo dia 18 de abril, às 17 horas, uma exposição dedicada à participação da Marinha Portuguesa na I Guerra Mundial, intitulada “A Marinha na Grande Guerra”.

image001

Com o deflagrar do conflito armado que se generalizou entre as principais potências europeias em 1914, Portugal viu-se perante o desafio de manter uma posição de não-beligerância, assegurando de igual modo a soberania sobre os territórios nacionais. À Marinha Portuguesa competiu a salvaguarda dos interesses do Estado nas águas nacionais, na metrópole e nas colónias, garantindo a defesa e vigilância dos portos, da navegação e das principais vias de comunicação marítima.

E, passados cem anos, o grande desafio da exposição passa por manter a memória de todos aqueles que, em terra e no mar, intervieram e participaram na Grande Guerra, entre 1914 e 1918, alguns inclusive com o sacrifício da própria vida, garantindo dessa forma a defesa de Portugal.

A exposição é temporária e estará em exibição entre 18 de abril e 11 de novembro de 2018. De salientar que a exposição é gratuita, na medida em que visitar a exposição permanente do Museu de Marinha, que custa entre 3,25€ e 6,50€, dará também acesso a visitar a exposição temporária, sem qualquer custo adicional.

MUSEU DE ARTE SACRA E ETNOLOGIA DE FÁTIMA EVOCA CAMINHOS DE SANTIAGO

"Caminhos de Santiago" é título do próximo “Chá com Arte” que decorrerá no sábado dia 21 de abril no CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, em Fátima, tendo como convidados especiais Luísa Sousa “Um caminho para Todos – Diário de uma peregrina no caminho de Santiago” e Carlos Ferreira “Caminhos de Santiago de Compostela”.

image002

Pelas 16h00, após a degustação dos biscoitos da Doce Oureana e do Chá de Aromas de Oureana, num ambiente intimista, os convidados estarão à conversa sobre as suas experiências e conselhos para quem pretenda fazer os Caminhos de Santiago.

A entrada é livre.

LUISA SOUSA

UM CAMINHO PARA TODOS

Diário e reflexões ao longo do Caminho de Santiago: de Sevilha a Santiago de Compostela

Via de la Plata e Caminho Sanabrês 42 dias, 1000 Km

«Num mundo tão competitivo e de aparências como o que vivemos atualmente, quem não segue determinados padrões (ainda) é visto com outros olhos. Sejam de admiração ou de incredibilidade. Viver a vida da forma que me faz sentido e realiza, sem comparações com os demais, tem sido um Caminho de busca pessoal, ainda longe de estar terminado.

Luísa Sousa, 34 anos, licenciada em Ciências Sociais na Universidade Aberta e artesã de profissão, chega-nos com pés de peregrina e sorriso tímido, mas nunca parte sem deixar pegadas de simplicidade e dádiva.

Tem uma marcada predileção pela natureza, talvez por sempre ter estado rodeada pela mais bela fauna e flora da sua terra natal, a ilha da Madeira.

Desenganem-se pelo seu ar falsamente frágil, a sua fibra é da qualidade do Carvalho que envelhece o vinho do Porto, cidade por onde passou na sua vida académica.

Dona duma escrita simples, atual, viva e envolvente. Acredita no que escreve, porém isso nada mais é que o seu processo diário de contemplação transposto para algo físico e inteligível.

Facilmente nos vemos num mundo diferente, esse mundo que pelos seus olhos se torna melhor. Pessoa prática e sem grandes rodeios vai trazendo a arte nas suas diversas formas para a vida de quem se deixa por ela tocar.»

(…) As vivências ao longo da Via de la Plata e do Caminho Sanabrês, não se esgotam nestas linhas partilhadas: há coisas que são indizíveis, outras que ficam com quem as viveu e outras ainda que só se compreendem quando as vivenciamos. nDeixo o testemunho da minha visão dos acontecimentos com a certeza de que se o relato for realizado por algum dos meus companheiros de viagem, coexistirão histórias com versões diversas. Afinal, são tantos os Caminhos quanto o número de peregrinos que os percorrem!

Partilho o bom e o menos bom, as alegrias, os receios, as dificuldades e os presentes inesperados, sem romancear os factos. Se decido partilhar as minhas vivências, tem como único objetivo testemunhar de que este pode ser, verdadeiramente, UM CAMINHO PARA TODOS! (…)

CARLOS FERREIRA

Natural de Pombal e residente em Leiria, de 50 anos, tinha dezasseis quando publicou pela primeira vez. É um texto de 750 caracteres no Jornal do Incrível, sobre como enriquecer sem esforço, pelo qual recebeu 200 escudos (menos de um Euro!). Ainda hoje desconfia da aplicabilidade do conteúdo do texto.

Em 1985, com dezoito anos, iniciou a carreira de jornalista na Rádio Comercial de Leiria e depois passou por Órgãos de Informação como a Semana de Leiria (1985), Jornal de Leiria (1985-1989), Correio da Manhã (1986-2012), revista Diana (1989-1990), Jornal da Batalha (1990-1991) e O Crime (1991-2001). Tem ainda trabalhos publicados no DN-Jovem, Blitz, Comércio do Porto, Região de Leiria, Bailadoiro (Leiria), O Mensageiro (Leiria), Rádio Comercial e Agência Notícias de Portugal.

Entre as reportagens que realizou nestes 32 anos na Europa, Brasil e Macau, destaca a cobertura do caso do Assassino da Praia do Osso da Baleia (1987), do pós-guerra no Kosovo (1999 e 2007), do último ano da soberania portuguesa em Macau (1999) e das comemorações dos 500 Anos do Descobrimento do Brasil (2000).É autor dos livros ‘Guia do Peregrino-Papa Bento XVI em Portugal” (Presselivre, 2010) e “Na Mente do Assassino-O Serial Killer da Lourinhã” (Cofina Média Books, 2012), "Guia de Fátima: 100 Anos das Aparições (Atlântico Press, 2016),"Fátima 1917-2017, Livro de Ouro" (Atlântico Press, 2017).

Caminhos de Santiago de Compostela – Sinopse

“Há meia hora que espero. Mas basta ver o céu negro de nuvens carregadas, que ameaçam desabar, para perceber o inevitável. O tempo está escuro, mais do que o habitual àquela hora. Na rua passam alunos, outras pessoas a caminho do trabalho e algumas que não denunciam o seu destino. Encasacadas e de chapéu de chuva em posição de resistir ao vento frontal. Esperar é nunca alcançar. Sigo-lhes o exemplo e parto. Um passo é uma luta contra o rio que enche a estrada, as valetas, os terrenos marginais. É um combate contra a água projetada pelos rodados dos camiões que circulam incessantes, às vezes perigosamente perto. E que provocam sucessivas vagas de vento e fazem penetrar ainda mais fundo no corpo a chuva e o frio, como ondas gigantes contra uma casca de noz. Desistir não é hipótese. Resta continuar”.

(...) O Caminho Português para Santiago de Compostela é o segundo mais importante e gera receitas anuais superiores a nove milhões de euros. A frequência de peregrinos aumentou seis vezes na última década. Em sentido contrário há também um crescente número de fiéis no Caminho de Fátima, arrastando orações e gerando negócios. Estes são os dois principais santuários cristãos da Península Ibérica, aos quais afluem 230 mil peregrinos tradicionais por ano – mais de nove milhões de pessoas, se incluirmos a totalidade de visitantes. Esta reportagem conta a história dos caminheiros e de um jornalista que palmilhou os seus destinos.

AQUAMUSEU DO RIO MINHO DÁ A CONHECER O SÁVEL

Sável é o peixe em destaque neste 2º trimestre

Pela importância económica e histórica, e à semelhança do ano anterior, o Aquamuseu do rio Minho volta a disponibilizar uma exposição, de caráter informativo e fotográfico, relacionada com o sável. Este ano, a temática versa “A Pesca do Sável no rio Minho” e pode ser visitada até 30 de junho.

Sável

A cada trimestre, o Aquamuseu do rio Minho dinamiza uma mostra mais alargada, quer no tempo quer no formato, dando destaque a uma espécie, explorando toda informação associada.

Assim, entre 4 de abril e 30 de junho, a proposta é o sável do rio Minho e as diversas curiosidades, como caraterísticas, distribuição, períodos e artes de pesca, registos de pesca e testemunhos.

FUNDAÇÃO GIL EANNES PRESTA CONTAS

FUNDAÇÃO GIL EANNES aprova o Relatório de Atividades, Balanço e Contas de 2017

O Relatório de Atividades, Balanço e Contas de 2017 foi aprovado, ontem, em reunião de Conselho de Administração, Conselho de Fundadores e Conselho Fiscal, documento que demonstra que o ano de 2017 se traduziu no melhor ano de sempre em termos de receitas e nº de visitantes na história da Fundação Gil Eannes.

Neste relatório são descritas as várias atividades desenvolvidas ao longo do ano destacando-se as comemorações do 19º aniversário do regresso do navio hospital Gil Eannes a Viana do Castelo onde foi lançada a nova linha editorial da Fundação Gil Eannes, com a apresentação do livro “João Alvares fagundes – Um Homem dos Descobrimento” do historiador Senos da Fonseca, do livro “Heróis que o tempo não apaga – Um conto real de vida” do capitão Valdemar Aveiro. De salientar, ainda, várias exposições temporárias que foram realizadas no navio museu, bem como, a participação nas feiras de turismo de Xantar, em Orense, BTL e Feira do Livro de Viana do Castelo que muito contribuíram para a divulgação do Navio Gil Eannes.

A avaliação feita pela Tripadvisor considerou o Gil Eannes como o 7º melhor museu português e único no norte, no top 10 nacional.

A Fundação Gil Eannes congratula-se por o ano de 2017 ter sido um ano de referência, como o melhor de sempre quer no número de visitas alcançadas quer na situação económica financeira, para a qual contribuíram os cerca de 85 mil visitantes, mais precisamente 84 435, que no ano de 2017 “navegaram” a bordo do navio museu Gil Eannes.

De realçar que, no primeiro trimestre de 2018, apresenta um crescimento de cerca de 40% no numero de visitantes, prevendo-se que no final do ano ultrapasse a barreira dos 100 000.

Relembramos que o Navio Hospital Gil Eannes encontra-se aberto a visitas todos os dias entre 9H30 e as 19H00.

A marcação de visitas guiadas a grupos deve ser feita atempadamente para o telefone 258 809 710 ou por email visitas@fundacaogileannes.pt

ARTISTAS SANTAMARTENSES EXPÕEM NO NAVIO GIL EANNES ARTE DESENVOLVIDA A PARTIR DE ESCAMAS DE PEIXE

Exposição de artistas Santamartenses

José Manuel Sá e Carla Sá têm exposição aberta ao público no Centro de Mar, no navio Gil Eanes, em Viana do Castelo.

Exposição de artistas Santamartenses

Oportunidade para as pessoas apreciarem a qualidade dos seus trabalhos desenvolvidos com escama de peixe. Há cerca de doze anos que desenvolvem estas técnicas, muito características do arquipélago dos Açores.

A sessão de abertura foi no passado dia 24 e a exposição estará aberta durante um mês.

FAMALICENSES DEBATEM BARREIRAS ARQUITECTÓNICAS

Famalicão promove debate sobre barreiras arquitetónicas na cidade

“Famalicão Sem Barreiras”, assim se chama a conferência que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão vai promover na próxima quarta-feira, dia 21 de março, nopequeno auditório da Casa das Artes, no âmbito do Plano Municipal de Mobilidade e Acessibilidade.

Museu Bernardino Machado 035

A iniciativa, que decorrerá entre as 14h30 e as 16h30, será dividida em dois momentos.

O primeiro consistirá na realização de uma mesa redonda de reflexão sobre as questões da inclusão, mobilidade e acessibilidade e contará com os testemunhos de Bento Amaral, enólogo, professor e atleta paraolímpico; William Machado, nomeado em 2009 Secretário Municipal do Idoso e da Pessoa com Deficiência de Três Rios, no Rio de Janeiro; e de Isabel Ribeiro, presidente da Associação Portuguesa dos Enfermeiros de Reabilitação. A este momento seguir-se-á uma breve visita guiada por alguns locais da cidade.

Sensibilizar a população para a importância de garantir a mobilidade de todos e permitir a melhoria da qualidade de vida de quem vê a sua mobilidade limitada é o principal objetivo desta iniciativa aberta ao público.

AQUAMUSEU DO RIO MINHO APRESENTA O "MUNDO DAS INVASORAS"

Faça uma visita ao “Mundo das Invasoras”

O Aquamuseu do Rio Minho apresenta, até 3 de junho, a exposição itinerante “No Mundo das Invasoras”. Dar a conhecer aos visitantes os diversos grupos de espécies invasoras que têm impactos nocivos em Portugal e na Europa é o principal objetivo.

Espécies invasoras

As espécies invasoras são uma ameaça crescente em Portugal, ocorrendo em todo o Mundo em proporções alarmantes, afetando a diversidade biológica, as atividades económicas (agricultura, silvicultura e pesca) ou a saúde pública (causando doenças ou alergias).A sua introdução pode dar origem à predação ou competição com espécies autóctones, pois são espécies exóticasque se expandem naturalmente, sem a intervenção direta do Homem, em habitats naturais ou semi-naturais.

Organizada pelo Aquamuseu do Rio Minho, com o apoio da Câmara Municipal e do CMIA de Vila do Conde, “No Mundo das Invasoras” pretende dar a conhecer aos cidadãos os diversos grupos de espécies invasoras que têm impactos nocivos em Portugal e na Europa sensibilizando-os para esta problemática. A exposição é dirigida a toda a população, desde o público escolar, crianças, adolescentes, estudantes universitários, cientistas e famílias.

A exposição é composta por 24 painéis:Espécies Invasoras; Algas; Plantas não vasculares; Plantas vasculares; Fungos; Animais (Filo das Esponjas, Filo dos Cnidários, Filo dos Ctenóforos, Filo dos Platelmintes, Filo dos Nemátodes, Filo dos Moluscos, Filo dos Briozoários, Filo dos Anelídeos, Filo dos Artropodes, Filo dos Equinodermes, Filo dos Cordados); Investigação no CMIA.

Horário do Aquamuseu: De Terça a Domingo das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00

PARABÉNS AO MUSEU ALVARINHO

Equipamento visitado por cerca de 30 mil pessoas, celebra hoje 3 anos de vida

O Museu Alvarinho, localizado na Casa do Curro, foi inaugurado no dia 28 de fevereiro de 2015 numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque. A partir desse dia, Monção passou a contar com um equipamento defensor e promotor do vinho Alvarinho, aberto a munícipes, turistas e apaixonados pelo mundo dos vinhos.

Alvarinho

Passados três anos, aquela estrutura situada em pleno centro histórico da vila de Monção recebeu cerca de 30 mil visitantes de várias nacionalidades, com portugueses e espanhóis no topo da lista, constituindo-se como um espaço relevante de promoção desta casta excecional.

Distribuído por diferentes áreas, o Museu Alvarinho proporciona aos visitantes uma autêntica viagem pelo mundo deste famoso néctar, disponibilizando informação interativa sobre a origem, evolução e empresas dedicadas à produção deste verdadeiro ex. libris do concelho de Monção.

As empresas de Vinho Alvarinho com produto rotulado, tantas e tantas vezes premiadas em concursos nacionais e internacionais, encontram neste espaço “uma porta de acesso” para a valorização dos seus produtos, bem como um “ponto de encontro” para provas comentadas, sessões promocionais e estabelecimento de parcerias negociais.

CERVEIRA ORGANIZA FÉRIAS DA PÁSCOA NO AQUAMUSEU DO RIO MINHO

Inscrições abertas para as Férias da Páscoa 2018 no Aquamuseu

Já está agendada mais uma semana de atividades lúdico-pedagógicas para crianças dos 7 aos 13 anos, no âmbito das Férias da Páscoa promovidas pelo Aquamuseu do rio Minho.De 26 a 29 de março, entre as 14h00 e as 17h00, a temática sugerida são os “Animais das Nossas Margens”, e cujas inscrições já estão abertas.

Cartaz férias da páscoa Aquamuseu 2018

Ao longo dos quatro dias, os participantes são desafiados a desenvolver ações que abordam as caraterísticas gerais, o ciclo de vida, a reprodução, as ameaças e a importância biológica dos quatro animais selcionados e que podem ser encontrados junto às margens do rio Minho.

Para além da elaboração de um livro de registo que será usado ao longo da semana, as atividades propostas pretendem dar a conhecer a garça real, o pato real, o guarda rios e as lontras de água doce.

A participação nesta iniciativa necessita de inscrição, cujo valor por criança é de 15€. Para mais informaçõesdeverá ser contactado o Aquamuseu do rio Minho, através do telefone 251 708 026 ou do endereço de e-mail aquamuseu@cm-vncerveira.pt

CÂMARA DE CAMINHA LEVA ALUNOS AO MUSEU DO PAPEL MOEDA

Escolas que aderiram ao programa ‘No poupar está o ganho!’

A Câmara Municipal de Caminha levou ao Museu do Papel Moeda, da Fundação Cupertino de Miranda, no Porto, os alunos do 3º e 4º das Escolas Básicas de Caminha, Dem, Moledo e do Vale do Âncora, que aderiram ao o projeto de educação financeira ‘No poupar é que está o ganho!’. O objetivo é consciencializar os alunos da importância do dinheiro, para que possam tomar decisões corretas e informadas no futuro, contribuindo para que sejam consumidores mais responsáveis.

Museu papel moeda

As visitas, organizadas e asseguradas pelo Município de Caminha, decorreram na semana passada e são uma das ações do projeto, por nós já divulgado, ‘No poupar está o ganho!’, levado a cabo pela Fundação Dr. António Cupertino de Miranda e promovido no Alto Minho pela CIM.

Este projeto tem como objetivos mudar atitudes e comportamentos; capacitar os jovens a tomar decisões financeiramente corretas; incluir a educação financeira nos projetos educativos e criar uma nova geração de consumidores informados e mais responsáveis. Vai ainda ao encontro dos objetivos e temas definidos no Referencial de Educação Financeira promovido pelo Plano Nacional de Formação Financeira e pelo Ministério da Educação e dá resposta à necessidade de formação sentida pelos professores que, desde o ano passado, viram a educação financeira ser incluída no âmbito do curriculum nacional.

Sobre a visita ao Museu, refere-se que iniciou numa das salas de exposição do museu, onde os alunos ficaram a conhecer um pouco melhor a forma como surge o papel moeda (notas) no nosso país e no mundo; seguiu-se um filme sobre a evolução do papel moeda em Portugal e foram abordados conceitos como orçamento, poupança, gastos supérfluos, etc! Por fim, as crianças puderam visualizar notas de euro de forma pormenorizada, compreendendo quais os países que utilizam a moeda única e a sua importância para a Europa e para o mundo! Foi distribuído a cada aluno participante uma caderneta de poupança para poder anotar as suas “receitas”, os seus “gastos”, as suas “poupanças” e os seus orçamentos, dando-lhes ainda a oportunidade de fazerem várias atividades ou jogos que lhes permitirão ficar a conhecer melhor o dinheiro e a poupança! Foi fornecido, ainda, outro apoio didático, nomeadamente os cadernos da Fundação, onde estão explicados pormenorizadamente todos os conceitos. Cada aluno encontra-se agora inscrito numa plataforma onde poderão e deverão realizar-se exercícios que permitirão à turma/escola fazer parte do ranking nacional do projeto. Todos os professores participantes receberam formação adequada, apoio personalizado e permanente por parte dos técnicos da Câmara e da plataforma da Fundação.

MUSEU NACIONAL DE ETNOLOGIA REALIZA OFICINAS DEDICADAS ÀS ARTES TRADICIONAIS

Todos os sábados, entre os meses de março e junho, decorrerão no espaço do Museu de Arte Popular uma a duas oficinas de iniciação nas áreas da tecelagem manual, fiação, olaria, cestaria, tapeçaria e tinturaria dirigidas ao adulto ou famílias, concebidas e conduzidas por artesãos/ formadores especializados.

3 de Março (sábado)

Oficinas de Tapeçaria e Tinturaria

A cargo de Isabel Bordaleiro e Fátima Gavinho

Valor de inscrição: € 50,00

Horário: 10h às 13h | 14h às 17h

Local: Museu de Arte Popular, Av. Brasília, 1400-038 Lisboa

Inscrições e informações úteis:
Tel. 213 041 160; Tlm. 964 088 200; oficinasdeprimaveramap@gmail.com

28058897_2010199242530095_891583533538428894_n

FAFENSES DEBATEM ENSINO

Conversas no Museu da Educação - O Meu Professor é o melhor do mundo

As ‘Conversas no Museu da Educação’, promovidas pelo Município de Fafe, continuam este mês. Desta feita, a próxima sessão, que decorre a 27 de Fevereiro, tem como tema ‘O meu Professor é o melhor do mundo’ e irá recordar o conhecido professor Rui Adérito Valente (1945-2002), prematuramente falecido. De igual forma, está prevista a intervenção de duas docentes que vão abordar temas ligados a temas da área educativa.

Capturarfafe

Recorde-se que, ao longo deste ano, o Museu da Educação, localizado na freguesia de S. Martinho de Silvares, vai ser palco de diversas Conversas, com temas e convidados distintos, sempre em torno da temática educativa, numa iniciativa do Município de Fafe, com o apoio da Junta de Freguesia local, no sentido de dinamizar este espaço museológico inaugurado em Junho de 2017.

Tratam-se de conversas informais, abertas ao público e com entrada livre.

A sessão tem início marcada para as 18h00. 

AQUAMUSEU DO RIO MINHO FUNDEIA BÓIA DE MONITORIAZAÇÃO JUNTO À ILHA DOS AMORES

Porque é importante monitorizar em prol do conhecimento, o Aquamuseu do Rio Minho colocou uma boia no estuário do rio Minho, junto à ilha dos Amores, com o objetivo de registar parâmetros físico-químicos da água.

Boia estuário do rio Minho

Integrada no projeto MIGRA MIÑO-MINHO, a aquisição deste equipamento foi efetuada por um dos parceiros do projeto - Agência Portuguesa do Ambiente (APA), de forma a que, muito em breve, se possa receber dados em tempo real de uma secção do rio sobre a qual há pouca informação com estas caraterísticas.

Candidatado ao Interreg Espanha-Portugal, o projeto MIGRA MIÑO-MINHO tem como principal desafio melhorar a proteção e a gestão sustentável do espaço natural de fronteira que forma a sub-bacia internacional do rio Minho, desde a barragem de Frieira (província de Ourense) até a sua desembocadura, com atuações de melhoria do estado de conservação dos leitos fluviais e das espécies de peixes migradores presentes no rio Minho e nos seus afluentes.

FORJÃES VAI TER NÚCLEO MUSEOLÓGICO DO JUNCO

Núcleo Museológico do Junco de Forjães vai integrar grupo restrito de projetos de Turismo Criativo

O Município de Esposende viu selecionada a sua proposta de criação do Núcleo Museológico do Junco, em Forjães, para integrar o conjunto de iniciativas-piloto de turismo criativo a serem desenvolvidas no âmbito do CREATOUR “Desenvolver Destinos de Turismo Criativo em Cidades de Pequena Dimensão e Áreas Rurais”.

junco

A proposta de desenvolvimento de um projeto de turismo criativo, em Esposende, assentará na organização de experiências artesanais, tendo por base atividades associadas à arte tradicional do trabalho do junco, designadamente a introdução de processos de inovação e criatividade, resultantes de uma metodologia de interação entre a comunidade local e os visitantes.

Para os promotores, o projeto proposto pelo Município de Esposende apresenta um grande potencial para o desenvolvimento de destinos turísticos criativos, devido à sua inovação, criatividade e autenticidade.

Com a criação do futuro Núcleo Museológico do Junco, em Forjães, pretende-se criar um espaço de memória vocacionado para o desenvolvimento desta arte, preservando a identidade de uma atividade intrinsecamente ligada à população local, tendo em conta os valores do presente, do passado e do futuro. Pretende-se, ainda, valorizar a tradição associada à inovação, através da utilização de outros materiais em conjunto com o junco, numa tentativa de ligação desta arte ao ambiente e ao nosso quotidiano.

Agora, a iniciativa será desenvolvida com mais detalhe, durante um IdeaLab regional, agendado para os dias 9 e 10 de março e, posteriormente, apresentada a nível nacional, a 6 de junho de 2018, com vista à boa implementação do projeto. Estão, ainda, previstas conferências internacionais, nos dias 7 e 8 de junho e no outono de 2019.

Este projeto visa desenvolver, implementar e promover ofertas de turismo criativo durante o período de execução do CREATOUR, entre 2018 e 2019, contemplando o trabalho de campo de investigadores que vão coligir documentação e efetuar a avaliação das iniciativas-piloto.

PAREDES DE COURA VIVE PAIXÃO DA RÁDIO

A Paixão da Rádio reúne em Paredes de Coura quatro dos melhores programas da rádio portuguesa

Manhã TSF (TSF) :: Antena Aberta (Antena 1) :: Prova Oral (Antena 3) :: Serões Inquietos (TSF)

sexta-feira | 9 fev

Quatro dos melhores programas da rádio portuguesa são transmitidos esta sexta-feira, dia 9 de fevereiro, a partir de Paredes de Coura. A Paixão da Rádio faz-se com a “Manhã TSF” (TSF), “Antena Aberta” (Antena 1), “Prova Oral” (Antena 3) e “Serões Inquietos” (TSF), numa homenagem à rádio e antecipando o dia 13, Dia Mundial da Rádio. 

Capturar1

Promovida pelo Município de Paredes de Coura com o apoio do Crédito Agrícola - Caixa do Noroeste, esta iniciativa contempla ainda no dia seguinte, sábado, dia 10 de fevereiro, a “Tertúlia matinal: A Paixão da Rádio, o amor ao jornalismo e à arte de contar” com Ana Maria Lourenço (consultora de comunicação), António Jorge (Antena 1), Fernando Alves (TSF), Fernando Alvim (Antena 3), Pedro Pinheiro (TSF) e Sofia Branco (presidente do Sindicato dos Jornalistas), tendo por moderador Ricardo Alexandre (RTP), bem como a exposição que se prolonga até 16 de março,  “Radiofonia: a paixão da rádio”, com alguns dos mais icónicos aparelhos de outros tempos onde predominam marcas como Philips, RCA, His Master’s Voice, Marconi, Telefunken, Siemens, Roberts Radio, Ultra, Viking, entre outras, provenientes da coleção particular da família Sansão Vaz.

Tertúlia com vozes da rádio, do jornalismo e da comunicação

“Para mim a rádio será sempre eterna. Inventem o que quiserem, fogo de artifício, efeitos especiais, projeções tecnológicas ou até mágicas, mas a rádio será sempre imaginação, imaginação. O mistério que será sempre a maior força do mundo. A rádio é a imagem sonhada, a imagem pensada e sentida. Não há maior e mais bela imagem do que essa, porque essa não vem dos olhos, vem do coração. A rádio vem do coração”, argumenta Vitor Paulo Pereira no texto de apresentação desta iniciativa A Paixão da Rádio, recordando os tempos em que as pessoas tentavam “adivinhar o rosto pela voz. E como as vozes eram bonitas, todos achávamos que os jornalistas seriam, por consequência, bem-parecidos”, mas também trazendo à memória “as palavras raras e cuidadas”.

O presidente da Câmara de Paredes de Coura lembra-se do tempo em que os profissionais da rádio “amavam a profissão e respiravam o país. Tinham uma visão humana, sábia e inteligente da geografia. Sabiam que, mesmo no lugar mais recôndito, havia sempre uma vivalma atenta que gostava muito do trabalho que faziam”, recordou.

Exposição de alguns dos mais icónicos rádios de outros tempos

Esta sexta-feira A Paixão da Rádio começa bem cedo com a ‘Manhã TSF’, da TSF, entre as 8h00 e as 10h00, prossegue com a ‘Antena Aberta’, da Antena 1, entre as 11h00 e as 12h00, recuperando ao final da tarde a emissão rádio com a ‘Prova Oral’, da Antena 3, entre as 19h00 e as 20h00, prolongando noite dentro com os ‘Serões Inquietos’, da TSF, entre as 21h00 e 23h00. À exceção deste último programa que será transmitido a partir do Museu Regional de Paredes de Coura, todos os outros serão transmitidos a partir da Galeria Noroeste / Coura, no edifício da Caixa de Crédito Agrícola, onde também estará patente a exposição “Radiofonia: a paixão da rádio”, cuja inauguração ocorre às 18h00.

Por sua vez, a “Tertúlia matinal: A Paixão da Rádio, o amor ao jornalismo e à arte de contar” decorrerá na manhã de sábado, entre as 11h00 e as 13h00, na Biblioteca Aquilino Ribeiro.

Capturar2

FAMALICÃO INAUGURA EXPOSIÇÃO FÓRMULA 3 DE SCHUMACHER NO MUSEU DO AUTOMÓVEL

Exposição “Monolugares em Portugal - Passado e Presente” é inaugurada este sábado, dia 10 de fevereiro.

Em 1990, um ano antes de entrar na Fórmula 1, Michael Schumacher venceu o Grande Prémio de Macau após uma renhida competição com o finlandês Mika Häkkinen. O Fórmula 3 que conduziu o piloto alemão à vitória – Reynard 903 da Volkswagen – é a grande estrela da exposição “Monolugares em Portugal – Passado e Presente”, patente a partir deste sábado, dia 10 de fevereiro, no Museu do Automóvel de Vila Nova de Famalicão.

AFS_7091

A mostra reunirá cerca de duas dezenas de Fórmulas que ajudaram a escrever a história do automobilismo. Para além do F3 de Schumacher, cedido pela Fundação Casa de Macau, destaque também para vários Fórmula Ford, alguns deles ainda em atividade, como o Fórmula V, Fórmula Renault e o Fórmula BMW.

O Mygale FB1-BMW, que levou o ex-campeão DTM Martin Tomczyk ao triunfo da primeira edição na Formula Baviera Júnior Cup; o Mygale 2000 Ford com que Pedro Salvador se sagrou campeão da Fórmula Novis by Ford e o monolugar de construção nacional APIS, que nos dias de hoje compete na classe Super Tuga da Fórmula Ford Portugal, são outros dos carros que vão também estar expostos.

Haverá ainda lugar para alguns monolugares de gerações anteriores, como o Lotus 61 M, ex-Robert Giannone, ou o Olympic que foi campeão de Fórmula V em Portugal pelas mãos de Manuel Nogueira Pinto.

“É com enorme orgulho que vamos reunir aqui, em Vila Nova de Famalicão, um espólio tão vasto de monolugares de competição. Gostaria de agradecer à Fundação Casa de Macau, pela cedência de um carro que faz parte dos livros de história do automobilismo mundial, assim como a todos os proprietários privados, cuja preciosa colaboração foi indispensável para tornar esta exposição possível”,disse o diretor do Museu, Amadeu Melo e Silva.

A exposição vai estar patente até 14 de março, podendo ser visitada de terça a sábado, entre as 10h00 e as 12h30 e as 14h30 e as 17h30.

Recorde-se que o Museu do Automóvel de Vila Nova de Famalicão integra desde 2017 a Associação Internacional de Museus de Transportes e Comunicações. O espaço guarda um valioso espólio de mais de uma centena de carros, retratando a evolução do design e da técnica automóvel ao longo do século XX. O alcance da instituição não se esgota nas coleções expostas, estendendo-se às áreas da formação e educação através da Escola de Restauro Automóvel e da Escola de Educação Rodoviária.

Inauguração da exposição reúne vários nomes do automobilismo nacional

A inauguração da exposição acontece este sábado, dia 10, a partir das 15h00, com uma tertúlia aberta ao público sobre os Fórmulas em Portugal.

Participam nesta iniciativa o ex-piloto Carlos Gaspar, várias vezes campeão nacional de velocidade e com uma carreira internacional reconhecida, Miguel Lacerda, campeão nacional de Fórmula V em 1972 e José Leite, ex-Diabolique Motorsport e um dos artificies do ressurgimento da Fórmula Ford em Portugal em 1985.

A tertúlia será moderada por Hugo Reis, diretor da revista “Topos & Clássicos” e contará também com a presença de João Paulo Matos, um Gentleman Driver que compete com regularidade na Fórmula Ford Portugal, Ginho Rodrigues, Team Manager da equipa Gianfranco Motorsport e Duarte Fidalgo, fundador da Feature Engineering e membro da equipa italiana Trident Racing no campeonato GP3 Series.

“Estamos bastante entusiasmados por reunir um painel tão abrangente de atores das corridas de monolugares do nosso país que irão partilhar as suas histórias e experiências com todos aqueles que marcarem presença na inauguração da exposição. Esta é a melhor forma iniciar esta exibição única, percorrendo várias gerações, e que dará a conhecer ao público em geral o outro lado das corridas de automóveis”, afirma Amadeu Melo e Silva.

AFS_7092