Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

APRESENTAÇÃO PÚBLICA DO CD “MEMÓRIAS” DA BANDA MUSICAL DE MONÇÃO

A Banda Musical de Monção apresenta esta sexta-feira, 19 de julho, pelas 21h30, no espaço exterior da Biblioteca Municipal de Monção, o novo CD da bicentenária filarmónica monçanense, denominado "Memórias", em referência à história de Monção e à Banda Musical de Monção.

BMM.jpg

Além da apresentação pública do CD, o evento cultural engloba o lançamento do cartão de sócio,  um mini concerto com diversos elementos da BMM, sessão de autógrafos e dedicatórias, terminando com um pequeno convívio entre todos os participantes nesta noite de enriquecimento musical.

A entrada é livre.

Convidamo-lo(a) a assistir a este momento cultural.

Vídeo de apresentação: https://youtu.be/8teEYfgvJX4

ASSINATURA DE PROTOCOLO ENTRE O IPDJ E O DESPORTIVO DE MONÇÃO

21 de julho, domingo, 14h00, campo de jogos Manuel Lima

No próximo domingo, 21 de julho, pelas 14h00, celebra-se a assinatura de um protocolo de financiamento entre o Desportivo de Monção e o Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), no âmbito do Programa de Reabilitação de Instalações Desportivas (PRID 2019). 

desportivomaia.png

A cerimónia, que decorre no campo de jogos Manuel Lima, será presidida pelo Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, contando com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa.

MONÇÃO REALIZA IV FESTA DA ROSCA E DO PAPUDO

Além das roscas tradicionais, certame, marcado para domingo, 21 de julho, apresenta roscas feitas à fase de Alvarinho e canela.

Rosca 01.jpg

A IV Festa da Rosca e do Papudo realiza-se no dia 21 de julho, domingo, na Praça Nossa Senhora dos Milagres, em Cambeses,visando a divulgação, promoção e comercialização daquele produto típico da doçaria local que, recentemente, participou no concurso “7 Maravilhas Doces de Portugal”, tendo ficado em segundo lugar na eliminatória distrital.

Além de provas de vinhos dos rótulos produzidos na freguesia (Cortinha Velha, Milacrus e Trinta Raios), a IV Festa da Rosca e do Papudo, com sessão de abertura marcada para as 10h30, engloba atuação de bombos, workshop sobre a rosca e o papudo, e criação de logotipo humano da rosca.

O programa prevê ainda a apresentação da mascote, do projeto de Requalificação Urbanística da Praça dos Milagres, da peça de teatro “Mãos de Açúcar”, da autoria da Associação Filarmónica Milagrense, bem como atuações dos grupos “Os Teimosos” e “Alma de Fado”.

Nos cestos e tabuleiros, junto às roscas tradicionais, os munícipes e visitantes poderão deliciar-se com roscas feitas à base de Alvarinho e canela. Duas confeções com grande expressividade nos últimos anos, proporcionando uma maior oferta deste doce típico do concelho de Monção.

Rosca 02.jpg

De geração em geração com muito amor.

A preparação das roscas e papudos acompanha o andar do tempo, passando de geração em geração. A massa é feita com farinha triga e água, à qual se junta manteiga, açafrão, fermento, sal e açúcar, ficando a levedar durante duas a três horas.

Passo seguinte, as mãos experientes das doceiras moldam as roscas e os papudos, sendo colocados em tabuleiros polvilhados de farinha triga para não "apegar". Vai ao forno de lenha, com porta sempre aberta, até alourar. No final, levam cobertura de açúcar refinado.

Nos últimos tempos, tem havido algumas inovações no processo de confeção, apresentando-se roscas feitas à fase de Alvarinho e canela. Nos dias festivos e à quinta-feira, dia da feira semanal, verifica-se a presença de várias “rosqueiras” nas ruas de Monção, comercializando esta doçaria caraterística do nosso concelho. 

cartaz (3).jpg

CONCELHIA DO CDS-PP DE MONÇÃO APRESENTA DEMISSÃO

Demissão - Comissão Política Concelhia do CDS-PP Monção

A Comissão Política Concelhia do CDS-PP deliberou, por unanimidade, não ter condições pessoais e institucionais para continuar neste momento em funções e, consequentemente, não ter legitimidade para indicar representantes de Monção para as Eleições Legislativas de Outubro, facto já comunicado ao Sr. Presidente da Comissão Política Distrital e Secretaria Geral do CDS-PP.

Os Deputados Eleitos, Elisabete Amoedo e Ricardo Dias, representantes do CDS-PP, dos seus militantes e simpatizantes continuarão a exercer as suas funções na Assembleia Municipal, em prol de Monção, com o empenho e dedicação de sempre.

FEIRA DO ALVARINHO: PARCERIA ENTRE VALORMINHO E MUNICIPIO DE MONÇÃO RESULTOU NA RECOLHA DE 12 TONELADAS DE RESÍDUOS PARA RECICLAR

Ecoevento de referência nacional, a Feira do Alvarinho de Monção, a maior Wine Party de Portugal que decorreu entre os dias 5 e 7 deste mês, resultou na recolha de quase 12 toneladas de resíduos para reciclar: 1,5 toneladas de papel e metal, 2,7 toneladas de cartão e 7,4 toneladas de vidro.

Ecoevento (1).jpg

Desta forma, a Feira do Alvarinho de Monção acrescentou à assinalável presença de publico e rentabilização económica, uma aposta bem-sucedida na sensibilização ambiental e gestão dos resíduos produzidos durante aqueles três dias de alegria, música, convívio e amizade.

E como todos os resíduos recicláveis foram “transformados” em euros, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção, entidade escolhida na presenta edição, vai receber 470,70 euros. No próximo ano, este apoio caberá a outra coletividade.

A Valorminho e o Município de Monção procederam à distribuição de ecobags para separação de resíduos pelos expositores, tendo sido disponibilizadas diversas estruturas de acondicionamento do vidro, do papel/cartão e de embalagens de plástico e metal, verificando-se ainda o reforço de contentores na envolvente do recinto.

MONÇÃO INAUGURA NOVO CENTRO TECNOLÓGICO DO ISQ

Empresa tem como objetivo transformar este centro de excelência em Monção no maior laboratório europeu de ensaios ambientais de componentes automóveis.

moninaug (1).JPG

O novo centro tecnológico do ISQ (Instituto de Soldadura e Qualidade), em Monção, foi inaugurado esta segunda-feira, ao final da tarde, numa cerimónia presidida pelo Secretário de Estado da Economia, João Neves, tendo contado com as presenças, entre outros, do CEO da empresa, Pedro Matias, e do Presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa.

Considerando o setor automóvel crucial para o desenvolvimento do nosso país, o governante enalteceu a proximidade do novo centro da ISQ à Galiza e realçou a capacidade das duas regiões para, em conjunto, responderem aos desafios emergentes do setor.

“Este investimento vai potenciar a tecnologia automóvel nesta euro-região, afirmando-se como o primeiro passo de um projeto partilhado e com enorme alcance em termos de criação de emprego e atratividade empresarial” sustentou João Neves.

Para Pedro Matias, a presença do ISQ em Monção, tem como objetivo uma maior aproximação à indústria automóvel do Norte de Portugal e da Galiza e o reforço do posicionamento junto de novos mercados, contribuindo para fortalecer a aposta da empresa na área da mobilidade

“Em Monção, encontramos talento, vontade e ambição de querer fazer mais e melhor”, afirmou Pedro Matias, assegurando que “o nosso objetivo é transformar este centro de excelência em Monção no maior laboratório europeu de ensaios ambientais de componentes automóveis”.

O autarca monçanense, António Barbosa, congratulou-se com a implantação do ISQ no concelho, agradeceu aos responsáveis da empresa a escolha da nossa terra e louvou a sua aposta de descentralização, potenciando o crescimento económico nas regiões periféricas.

António Barbosa enalteceu ainda o papel aglutinador e dinamizador do ISQ na estratégia de desenvolvimento de Monção, realçando três vertentes essenciais para a afirmação do concelho como um território de futuro com capacidade para fixar pessoas e investimentos.

Por um lado, criação de emprego qualificado, contribuindo para manter os jovens licenciados monçanenses na sua terra, e colocação do Município de Monção na vanguarda da tecnologia automóvel, reforçando o seu posicionamento neste setor especifico. Por outro, incentivo para que outras empresas, de diferentes áreas e segmentos, possam instalar-se em Monção.

O ISQ - Instituto de Soldadura e Qualidade é uma entidade privada e independente, com cerca de 50 anos de atividade, que presta serviços de inspeção, ensaio, formação e consultoria técnica. Nas últimas décadas, o enquanto entidade inspetora, o ISQ esteve envolvido nos grandes projetos industriais e civis realizados em Portugal.

A nível internacional é de referir o envolvimento em centenas de projetos internacionais de I&D e os trabalhos realizados para entidades como o CERN e a ESA. Com uma presença internacional significativa, desenvolve atividade em toda a Europa e em mais de 20 países de outros continentes.

“Este é um dia histórico para Monção. Um ponto de viragem para alcançarmos objetivos mais ambiciosos. Jamais esqueceremos o contributo que a ISQ deu para o progresso da nossa terra. Estamos eternamente gratos” António Barbosa.

moninaug (2).JPG

moninaug (3).JPG

moninaug (4).JPG

moninaug (5).JPG

MUNICÍPIO DE MONÇÃO PROCEDE À ASSINATURA DE CONTRATO PROGRAMA

Realizou-se ontem, segunda-feira, pelas 11h30, nas instalações da Direção Geral das Autarquias Locais (DGAL), em Lisboa, a Assinatura do Contrato Programa Equipamentos para a Recuperação Urbanística do Adro da Igreja Paroquial de Cambeses e Envolvente.

mONÇAOcONTRpROG (1).JPG

Naquela cerimónia, presidida pelo Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, marcaram presença, entre outros, o autarca monçanense, António Barbosa, o Presidente da Fábrica da Igreja Paroquial de Cambeses, Padre André Gonçalves, e a Presidente da Junta de Freguesia de Cambeses, Catarina Lourenço.

O contrato de financiamento foi assinado entre a Direção Geral das Autarquias Locais (DGAL), a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR Norte) e a Fábrica da Igreja Paroquial de Cambeses, no montante de 30.972,42 €, correspondendo a 50% do valor do investimento a realizar na obra.

O “Programa Equipamentos” destina-se à comparticipação de obras de construção, reconstrução, ampliação, alteração ou conservação de equipamentos urbanos de utilização coletiva, incluindo equipamentos religiosos, a efetuar por instituições privadas de interesse público sem fins lucrativos, instituições particulares de solidariedade social e juntas de freguesia.

mONÇAOcONTRpROG (2).JPG

mONÇAOcONTRpROG (3).JPG

mONÇAOcONTRpROG (4).JPG

SENHOR DO BONFIM: QUILÓMETROS A PÉ POR DEVOÇÃO AO SANTO

Celebrada este domingo, 14 de julho, a Festividade em Honra do Senhor do Bonfim, na freguesia de Anhões, é uma das romarias mais conhecidas e concorridas do concelho de Monção. Além de proporcionar diversos momentos festivos, revela uma acentuada componente religiosa com devoção e veneração na figura do Senhor do Bonfim.

bonfim.jpeg

Situado em zona de montanha, sensivelmente a 16 quilómetros da sede do concelho, o Santuário do Senhor do Bonfim é visitado por milhares de pessoas durante o ano. Neste dia, sempre ao segundo domingo de julho, o recinto enche-se de crentes e muitos vendedores ambulantes que, desde tempos distantes, vêm aqui uma oportunidade de negócio. 

A “viagem” começa de madrugada com muita gente a fazer o percurso a pé. Sozinhos ou em grupo. A conversar, a rezar ou em silêncio profundo. Com o olhar preso no horizonte e o coração a transbordar de afeto e devoção. Algumas paragens para saciar a sede. Ou descansar as pernas. 

Muitos caminham descalços. Mais devagar. Cuidadosamente. Fazem-no com o sentimento, puro e verdadeiro, que ultrapassa todas as dificuldades. O objetivo é chegar e abraçar o Senhor do Bonfim. Acender uma vela, rezar em repouso e apreciar o interior do santuário. Adornado com as mais lindas flores. Belo.

Depois da missa e da procissão, que decorre com total recolhimento e fé, as famílias juntam-se à volta da toalha na carvalheira próxima. Depois de saciar a alma, falta saciar o corpo. Das cestas, saem produtos caseiros. Deliciosos. Da geleira, os vinhos mais aromáticos e tranquilizadores. Fresquinhos.

Começa o repasto. Que passa de mão em mão. De toalha em toalha. Fazendo desta romaria um hino à convivência e amizade. Com a banda sonora dos tocadores de concertina que deambulam pelo recinto e, mais tarde, se juntam no palanque para puxar a gente a um pezinho de dança.

Quem gosta, entra na dança. Os outros deixam-se andar por ali, sentindo o fabuloso ar de montanha e admirando a naturalidade das pessoas desta zona. Há quem volte a entrar no santuário. Agora mais desafogado. Para apreciar o altar-mor onde pontificam as imagens de S. Mamede e S. Caetano, e os outros altares, dedicados ao padroeiro e ao Imaculado Coração de Maria.

O regresso às freguesias de Monção, ou outras localidades vizinhas, faz-se à tardinha. Com a sensação interior de enorme plenitude emocional. E à chegada, seja onde for, alguém vai questionar: Que tal correu? A resposta será “bem, muito bem”, seguido da pergunta: ”Sabias que o altar-mor do santuário foi construído em 1868 e a torre em 1958?”, dando início a uma longa e esclarecedora conversa entre amigos.

34º FOLK MONÇÃO “O MUNDO A DANÇAR”

De 27 de julho a 5 de agosto

Com organização do Grupo Folclórico da Casa do Povo de Barbeita, o 34º Folk Monção “O Mundo a Dançar” promete voltar a encantar milhares de pessoas nos espetáculos a realizar no Alto Minho (Monção, Barbeita, Melgaço, Valença, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Arcos de Valdevez e Ponte da Barca) e na Galiza (Salvaterra de Miño e Vilanova de Arousa).

folkmonçaaoanterior (18).jpg

Na presente edição, a decorrer entre 27 de julho e 5 de agosto, marcam presença neste festival, um dos mais reconhecidos a nível nacional com certificação CIOFF desde 2006, grupos oriundos de Benim, Bolívia, Chile, Croácia, Filipinas, Japão, México, Portugal, Rússia e Sérvia, envolvendo cerca de 500 elementos.

Durante o festival, os participantes ficam alojados na EB 2.3 de Monção em beliches nas salas de aulas. Nestes dias, 120 voluntários (cozinha, limpeza, logística, guias, interpretes), alguns estrangeiros, vão ajudar a organização na realização do evento.

Pelo presente, vimos solicitar ao vosso órgão de comunicação social a melhor disponibilidade para apoiar a divulgação deste evento, colocando-nos à disposição para o que entenderem necessário.

Juntamos notas de imprensa, cartaz, banner, programa, vídeo promocional e fotos de edições anteriores.

Vídeo promocional:

https://www.facebook.com/municipiodemoncao/videos/444370319477653/

19157_Cartaz (18).jpg

Programafolmonçao.jpg

folkmonçaaoanterior (1).jpg

folkmonçaaoanterior (2).jpg

folkmonçaaoanterior (3).jpg

folkmonçaaoanterior (4).jpg

folkmonçaaoanterior (5).jpg

folkmonçaaoanterior (6).jpg

folkmonçaaoanterior (7).jpg

folkmonçaaoanterior (8).jpg

folkmonçaaoanterior (9).jpg

folkmonçaaoanterior (10).jpg

folkmonçaaoanterior (11).jpg

folkmonçaaoanterior (12).jpg

folkmonçaaoanterior (13).jpg

folkmonçaaoanterior (14).jpg

MONÇÃO RECEBE PRIMEIRO PHOTOPOINT DAS MESAS VENCEDORAS DO CONCURSO DA RTP “7 MARAVILHAS À MESA”

Após a revelação das “7 Maravilhas à Mesa”, a 16 de setembro de 2018, em Albufeira, a organização vai homenagear as localidades vencedoras, deixando um photopoint em cada uma delas, como marco para assinalar a eleição e criar uma rede entre as mesas eleitas.

Photopoint.jpg

O Município de Monção, eleito como uma das “7 Maravilhas à Mesa”, inaugurou, no passado dia 1 do corrente, no Parque das Caldas, o primeiro Photopoint. No ato, estiveram presentes António Barbosa, autarca monçanense, e Luis Segadães, presidente das “7 Maravilhas à Mesa”. O momento foi registado pela RTP, com a apresentadora Rita Belinha, tendo sido transmitido, em direto, no programa “Portugal em Direto”.

António Barbosa realçou a importância da eleição da nossa mesa para o desenvolvimento turístico do concelho de Monção. “Logo após a eleição começámos a receber visitantes que queriam degustar o nosso Cordeiro à Moda de Monção e tivemos que reorganizar a oferta da restauração” afirmou António Barbosa, acrescentando:

“Hoje temos 20 restaurantes que aderiram a esta iniciativa, onde foi colocada uma placa alusiva, que servem em rotação o cordeiro diariamente. Isto significou um grande empurrão para a economia local, para os restaurantes e para o aumento do número de turistas que nos visitam”.

Para Luís Segadães, a inauguração do Photopoint “é uma forma extraordinária de assinalar uma vitória para a qual contribuiu toda a população de Monção e da qual sabemos estarem muito orgulhosos. Não é todos os dias que uma iguaria tradicional como esta, enfrenta as melhores mesas de Portugal e volta para casa com um reconhecimento votado por todo o país”.

O concurso “7 Maravilhas à Mesa” elevou as potencialidades do enoturismo, com relevo para a gastronomia, vinhos, azeites e experiências turísticas, contribuindo para a promoção do património cultural, histórico, económico e gastronómico de todas as regiões.

A criação desta rede de mesas eleitas como uma das “7 Maravilhas à Mesa” tem como objetivo continuar a dar aos municípios e às regiões ferramentas de promoção e de desenvolvimento socioeconómico. Pretende também incentivar os visitantes a registar a sua passagem por Monção com registo fotográfico no Photopoint.

RIBA DE MOURO: INSTALADA UNIDADE DE BOMBEIROS ATÉ FINAIS DE SETEMBRO

A secção de Riba de Mouro dos Bombeiros Voluntários de Monção foi inaugurada a 21 de novembro de 1992 numa cerimónia presidida pelo então ministro Luis Marques Mendes. Cerca de década e meia depois, deixou de funcionar e servir a população daquela zona de montanha, a cerca de vinte quilómetros da sede do concelho.

ribamour (1).jpg

Hoje, ao inicio da tarde, numa cerimónia marcada pela informalidade com a presença do autarca monçanense, António Barbosa, elementos da junta de freguesia, direção e corpo ativo dos “soldados da paz”, procedeu-se à instalação de uma unidade de bombeiros de proximidade.

O autarca monçanense, António Barbosa, destacou a importância desta unidade na minimização dos incêndios florestais que, afirmou, constituem um perigo grande para as populações locais e uma perda irreparável em termos ambientais e paisagísticos.

ribamour (2).jpg

Com a imagem dos fogos que deflagraram em Monção no fatídico dia 15 de outubro de 2017 ainda presente na memória, António Barbosa aproveitou também para reafirmar o esforço e dedicação dos “soldados da paz” nos períodos mais quentes do ano, reconhecendo a coragem de cada voluntário(a) na defesa dos monçanenses.

Satisfeito com a presença dos bombeiros em Riba de Mouro, o autarca local, José Manuel Fernandes, considerou a unidade de proximidade uma iniciativa louvável com enorme relevância na salvaguarda da floresta e dos núcleos habitacionais mais isolados da freguesia.

“Embora com caráter temporário, é uma alegria voltarmos a ter bombeiros em Riba de Mouro” sublinhou José Manuel Fernandes, destacando “a total recetividade da junta e da população para que a presença dos bombeiros possa tornar-se permanente”.

Na perspetiva da direção e corpo ativo dos “soldados da paz” monçanenses, a presença física de bombeiros nesta área concelhia é uma mais-valia para as populações locais, O presidente da direção, Paulo Rocha, e o 2º comandante, Hélder Trancoso, observaram que a presente situação contribuirá para uma intervenção mais rápida com consequente diminuição da área ardida e maior segurança das pessoas e bens. 

Constituída por cinco bombeiros apoiados por uma viatura de combate a incêndios florestais, a unidade ficará em Riba de Mouro, durante o período diurno, até ao final de setembro, havendo a possibilidade de prolongamento caso as condições atmosféricas se mantenham elevadas.

Após visita ao edifício de dois andares, objeto de pequenas intervenções para garantir conforto e operacionalidade, António Barbosa pressionou o toque de emergência, ouvindo-se o som da sirene na freguesia. Desta vez, por uma boa causa. No final, registou-se a visita com fotografia coletiva.

ribamour (3).jpg

FEIRA DE ALVARINHO DE MONÇÃO: MASCOTE “ALVARINHO” PRONTO PARA A GRANDE FESTA

A nossa mascote “Alvarinho” não parou na última quinzena. Além de promover a Feira do Alvarinho em diversas localidades do norte de Portugal e da Galiza, teve de supervisionar a montagem do evento e tratar da logística ao nível dos vinhos para que tudo esteja pronto amanhã, sexta-feira, pelas 10h30, hora da sessão de abertura.

E ainda teve tempo para passar pelo ginásio, aprontando o corpinho para o desgaste de três dias de festa, visitar o cabeleiro, para uns últimos retoques na beleza natural, e conversar com o amigo sapateiro. Afinal de contas, nestes dias vai ser preciso dar corda aos sapatos.

Alvarinho na montagem da feira.jpg

FEIRA DE ALVARINHO DE MONÇÃO: LANÇAMENTO DE NOVOS PRODUTOS

Além de provas de vinhos, degustação de produtos gastronómicos e muita animação musical, a Feira do Alvarinho de Monção, a maior wine party de Portugal, proporciona ainda a promoção das empresas produtoras de vinho Alvarinho presentes no certame.

Alvarinho - Mascote Oficial 01 (1).jpg

Em alguns casos, os produtores aproveitam a importância do certame, visitado por dezenas de milhares de pessoas, para divulgarem e comercializarem os seus produtos. Em outros, cada vez mais, optam pelo lançamento exclusivo de produtos novos durante a feira.   

De acordo com informação veiculada pelos produtores presentes no certame deste ano, algumas empresas vão apresentar novos rótulos na edição deste ano enquanto outros apostam em ações de marketing e expositores com imagem interior renovada, mais apelativa e atrativa aos olhos dos visitantes.

Um dos produtos novos será o “Vale dos Ares em Borras Finas”, um Alvarinho que estagia durante 18 meses em inox, sob borras finas. O objetivo, segundo Miguel Queimado, é procurar uma interpretação da casta mais mineral e com mais textura de boca.

Outra novidade será o “Rebouça Grande Escolha 2018”. Luis Euclides Rodrigues adianta que é um vinho de boa acidez citrina com muito longo e marcante final.  A vindima é efetuada manualmente para caixas de aproximadamente 20 Kg. Após a decantação, inicia-se a fermentação em cascos de carvalho americano e termina em inox a baixa temperatura, durante 1 mês.

A Quinta das Pereirinhas vai apresentar “Alvarinho Quinta das Pereirinhas – Reserva da Família”, colheita 2016, garrafa Magnun de 1,5 litros, edição especial e limitada a 1500 garrafas numeradas. Segundo João Pereira, as uvas são produzidas numa única parcela, em regime de produção integrada (agricultura amiga do ambiente), onde curiosamente existe um Carvalho Alvarinho (Quercus róbur) com mais de 300 anos.

Por sua vez, Anselmo Mendes lança “Alvarinho Private”, um vinho proveniente da Quinta da Torre, na freguesia de Moreira, fruto de uma parcela chamada Vinha da Capela. Tiago Mendes, responsável de marketing e vendas, assinala tratar-se de um vinho que fermenta e estagia em barricas de carvalho francês usadas de 400 litros, durante 9 meses.

A Cortilha Velha, empresa que lançou o primeiro vinagre de Alvarinho na edição do ano passado, vai homenagear este ano o patrono da família, apresentando o “Legado de Manuel Covas”, um vinho estagiado em casco de carvalho que, diz Joaquim Covas, “honra a memória do nosso Pai”.

Alvarinho - Mascote Oficial 02 (1).jpg

FEIRA DO ALVARINHO DE MONÇÃO

De 5 a 7 de julho, no Parque das Caldas

A Feira do Alvarinho de Monção, certame destinado a promover aquele produto vínico singular e nobre da nossa região, realiza-se nos dias 5, 6 e 7 de julho, apresentando uma programação destinada a todos os públicos, complementada com provas de vinho, degustação de produtos locais e animação musical.

bannermmmon.png

No Parque das Caldas, vai localizar-se uma tenda gigante com produtores de vinho Alvarinho (31), um palco e uma área para o DJ. No exterior, um espaço para tasquinhas/doçaria tradicional (20), patrocinadores oficiais (4) artesanato e instituições (15) e restaurantes (5).

Acrescentam-se dois locais de venda de copos, uma área de recolha de informação, uma cafetaria, um posto médico, um espaço infantil, instalações sanitárias e o Espaço “Harmonias”, onde decorrerão as sessões de harmonização de diferentes tipos de Alvarinho (tranquilo com madeira, colheita tardia, espumante e aguardente) com pratos e doçaria tradicional.

Num evento de sucesso que se renova de ano para ano, a abertura oficial da Feira do Alvarinho de Monção está marcada para as 10h30, abrindo espaço a três dias de promoção dos vinhos Alvarinho, gastronomia local e rentabilização económica dos expositores, comércio, hotelaria e restauração do concelho.

Milhares de pessoas, de diferentes áreas geográficas de Portugal e Espanha, rumam à Terra de Deu-la-Deu Martins para “sentir” e “saborear” este certame. No último ano, no mesmo local, passaram pelo recinto da feira dezenas de milhares de pessoas, originando um significativo volume de negócio para o concelho de Monção.

Ao longo dos três dias, as tardes serão preenchidas com grupos de folclore e concertinas do nosso concelho. As noites iniciam-se com animação de rua (charangas), continuando, pela noite dentro, com DJ`s conhecidos do grande público. No palco 2, junto à área de restauração, o programa compreende música ao vivo durante o almoço e jantar.

A primeira noite, é dedicada aos anos 80 com DJ Fino. A segunda, aos anos 90 com Dj Pika. O Sunset, a partir das 18h00 de domingo, tem assinatura do Dj Nuno Luz. Numa parceria com a Rádio Comercial, o programa “Já se faz tarde”, com Diogo Beja e Joana Azevedo, é emitido em direto da Feira do Alvarinho de Monção.

A Feira do Alvarinho de Monção tem como finalidade reforçar a sua condição de instrumento estratégico para a promoção e comercialização daquele produto singular produzido em Monção e Melgaço, enaltecendo as suas características vinícolas ímpares e diferenciadoras e promovendo o estabelecimento de parcerias comerciais.

Assume-se ainda como um espaço de divulgação da atividade empresarial e associativa da região e como uma “montra” para a dinamização do mundo rural através da apresentação, valorização e comercialização de produtos e artigos locais e regionais.

“A Feira do Alvarinho de Monção promete três dias de promoção do vinho Alvarinho e da gastronomia local, duas maravilhas de Portugal, proporcionando muita animação para todos os públicos. O melhor do nosso concelho está aqui. Convido-o(a) a visitar Monção e a brindar connosco num ambiente amigável e fantástico”

António Barbosa

Presidente da Câmara Municipal de Monção

cartazmonnc.jpg

FREDERICO GRANELL EXPÕE EM MONÇÃO PINTURA E ESCULTURA

O artista Frederico Granell apresenta em Monção uma exposição de pintura e escultura "Tempo de travessia", que está patente ao público de 4 de julho a 10 de agosto, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho.

pastedImage.png

Segundo o artista Federico Granell: «La exposición trata del viaje, de descubrir lugares, de descubrir gente, sabores, luces, una de mis pasiones es viajar y eso se percibe en la pintura que realizo. Un paseo puede ser muy inspirador, ver como cambia el cielo con el paso de la tarde, un árbol de Monçao a orillas del Miño, la luz dorada proyectada sobre unas nubes al ponerse el sol en una playa del norte, un bosque, la naturaleza me transmite mucho. Nosotros somos pasajeros, ella permanece.

  Otro de mis temas favoritos es el paso del tiempo, en las casas abandonadas que pinto se percibe ese tiempo detenido. Ese cariño que se puso al construir un edificio y cómo, incluso en ruinas, mantiene una cierta belleza y dignidad.  La muestra se compone de momentos fugaces atrapados».

A entrada é livre! 

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00 

sábado: das 14h00 às 19h00

domingo e segunda feira: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt

www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

FEIRA DE ALVARINHO DE MONÇÃO LANÇA NOVOS PRODUTOS

Além de provas de vinhos, degustação de produtos gastronómicos e muita animação musical, a Feira do Alvarinho de Monção, a maior wine party de Portugal, proporciona ainda a promoção das empresas produtoras de vinho Alvarinho presentes no certame.

cartazalvr.jpg

Em alguns casos, os produtores aproveitam a importância do certame, visitado por dezenas de milhares de pessoas, para divulgarem e comercializarem os seus produtos. Em outros, cada vez mais, optam pelo lançamento exclusivo de produtos novos durante a feira.

De acordo com informação veiculada pelos produtores presentes no certame deste ano, algumas empresas vão apresentar novos rótulos na edição deste ano enquanto outros apostam em ações de marketing e expositores com imagem interior renovada, mais apelativa e atrativa aos olhos dos visitantes.

Um dos produtos novos será o “Vale dos Ares em Borras Finas”, um Alvarinho que estagia durante 18 meses em inox, sob borras finas. O objetivo, segundo Miguel Queimado, é procurar uma interpretação da casta mais mineral e com mais textura de boca.

Outra novidade será o “Rebouça Grande Escolha 2018”. Luis Euclides Rodrigues adianta que é um vinho de boa acidez citrina com muito longo e marcante final.  A vindima é efetuada manualmente para caixas de aproximadamente 20 Kg. Após a decantação, inicia-se a fermentação em cascos de carvalho americano e termina em inox a baixa temperatura, durante 1 mês.

A Quinta das Pereirinhas vai apresentar “Alvarinho Quinta das Pereirinhas – Reserva da Família”, colheita 2016, garrafa Magnun de 1,5 litros, edição especial e limitada a 1500 garrafas numeradas. Segundo João Pereira, as uvas são produzidas numa única parcela, em regime de produção integrada (agricultura amiga do ambiente), onde curiosamente existe um Carvalho Alvarinho (Quercus róbur) com mais de 300 anos.

Por sua vez, Anselmo Mendes lança “Alvarinho Private”, um vinho proveniente da Quinta da Torre, na freguesia de Moreira, fruto de uma parcela chamada Vinha da Capela. Tiago Mendes, responsável de marketing e vendas, assinala tratar-se de um vinho que fermenta e estagia em barricas de carvalho francês usadas de 400 litros, durante 9 meses.

A Cortilha Velha, empresa que lançou o primeiro vinagre de Alvarinho na edição do ano passado, vai homenagear este ano o patrono da família, apresentando o “Legado de Manuel Covas”, um vinho estagiado em casco de carvalho que, diz Joaquim Covas, “honra a memória do nosso Pai”.

MONÇÃO: VEM AÍ A FEIRA DO ALVARINHO!

Feira do Alvarinho de Monção | 5, 6 e 7 de julho | Parque das Caldas | Abertura oficial às 10h30.

A Feira do Alvarinho de Monção, certame destinado a promover aquele produto vínico singular e nobre da nossa região, realiza-se nos dias 5, 6 e 7 de julho, no Parque das Caldas, apresentando uma programação destinada a todos os públicos, complementada com provas de vinho, degustação de produtos e animação musical.

A abertura oficial está marcada para as 10h30.

cartazalvarimon.jpg

NSA_0419 m.jpg

NSA_0456 m.jpg

NSA_0504 m.jpg

NSA_0515 m.jpg

NSA_0553 m.jpg

NSA_0644 m.jpg

NSA_0774 m.jpg

NSA_0784 m.jpg

NSA_1330 m.jpg

NSA_1426 m.jpg

NSA_1769 m.jpg

NSA_8095 m.jpg

NSA_8105 m.jpg

FEIRA DO ALVARINHO DE MONÇÃO É UM EVENTO COM CONSCIÊNCIA AMBIENTAL E SOCIAL

A Feira do Alvarinho de Monção assume a sensibilização ambiental e a gestão dos resíduos produzidos durante os três dias do certame (5, 6 e 7 de julho) como uma questão com sinal prioritário, procurando, na presente edição, transformar-se num Ecoevento de referência nacional.

Ecoevento.jpg

Com a colaboração da Valorminho, S.A, entidade gestora de resíduos no nosso município, será implementada a recolha seletiva das embalagens de cartão, plástico, metal e vidro, sendo distribuídos diversos ecopontos em locais estratégicos do recinto.

Neste âmbito, serão distribuídas bolsas para a separação de resíduos e realizadas ações de sensibilização a todos os expositores, produtores de Alvarinho e restauração presente, informando quais os procedimentos a adotar no que respeita à gestão dos resíduos.

Todos os resíduos recicláveis serão “convertidos” em euros que reverterão, este ano, para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção. Desta forma, a questão ambiental associa-se à componente solidária, erguendo, bem alto, a bandeira da inovação ambiental e social.

O Município de Monção pretende fazer da Feira do Alvarinho um bom exemplo ambiental e social, garantindo a adequada gestão dos resíduos produzidos no recinto, desde a prevenção, reutilização e reciclagem dos materiais até à sensibilização dos expositores e público para participarem neste movimento coletivo.

Vimos solicitar a melhor atenção e colaboração de todos nesta iniciativa ambiental e social, fazendo da Feira do Alvarinho de Monção um Ecoevento de referência nacional.

7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL: VOTE NAS ROSCAS DE MONÇÃO – LIGUE 760 107 005

Os 140 doces (7 doces por distrito e regiões autónomas) votados por um painel de especialistas na segunda fase, entram agora na terceira fase com a votação do público. As Roscas de Monção fazem parte desta listagem deliciosa, sendo o único doce do Vale do Minho em concurso. As votações estão abertas. O número de apoio às Roscas de Monção é 760 107 005.

roscasmonç.jpg

Os doces que passam à fase seguinte são escolhidos pelo público, sendo divulgados em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, entre 2 de julho e 16 de agosto. As Roscas de Monção participam no primeiro programa, 2 de julho, juntamente com os restantes seis doces eleitos pelo distrito de Viana do Castelo.

O doce mais votado em cada programa passa às semifinais do concurso. Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, o qual será responsável pela repescagem de oito candidatos. Assim, aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, juntam-se mais 8 repescados, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Em sorteio, serão divididos pelas duas semifinais, a realizar nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal, serão apurados os 7 doces com mais votos contabilizados, perfazendo um total de 14 doces que chegam à final.

Nesta fase, os sete elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os doces. A final decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre, elegendo as “7 Maravilhas Doces de Portugal”. 

Roscas de Monção

Preparada a massa com farinha triga e água, ao qual se junta manteiga, açafrão, fermento, sal e açúcar, fica a levedar durante duas horas. Depois, as mãos das doceiras moldam as roscas que são colocadas em tabuleiros e polvilhadas de farinha triga para não "apegar".

Posteriormente, vai ao forno de lenha, com porta sempre aberta, até apresentar um aspeto alourado, sendo “adornadas” com açúcar refinado. Com sabor inconfundível e textura única, é o doce perfeito para acompanhar um Alvarinho elegante e aromático. 

A confeção das Roscas de Monção, parte integrante do rico património gastronómico local, tem passado de geração em geração, estando, desde sempre, associada à celebração de romarias e a ambientes festivos realizados no concelho de Monção.

Nos últimos tempos, fruto da grande procura deste doce caraterístico da nossa terra, as Roscas de Monção, como os papudos, têm sido confecionadas para serem comercializadas na feira semanal da localidade, todas as quintas-feiras. As “Rosqueiras” apresentam esta doçaria sobre belos panos de linho, em grandes cestos de vime, vendendo-a à unidade ou em grupos de meia ou uma dúzia.

LIGUE 760 107 005. VOTE NAS ROSCAS DE MONÇÃO.

Na nossa Mesa, só nos falta a sobremesa.

“ATIVIDADES DE VERÃO” E “FÉRIAS DIVERTIDAS” ENTRETÉM CRIANÇAS MONÇANENSES

Com a finalização do ano letivo, os alunos do pré-primário, 1º CEB e 2º CEB (3 aos 12 anos) do concelho de Monção vivem agora um período de descontração e lazer com a realização de várias atividades em espaços ao ar livre e equipamentos recreativos e culturais.

120 crianças, com idades entre 3 e 6 anos, do Agrupamento de Escolas de Monção, participam nas “Atividades de Verão” que decorrem até 12 de julho, entre as 9h00 e as 17h00, com intervalo para almoço, nas cantinas das Escola Básica José Pinheiro Gonçalves e na Escola Básica do Vale do Mouro.

Nas atividades de verão, que acontecem pela segunda vez no concelho, estão previstas várias iniciativas de caráter pedagógico, lúdico, cultural e desportivo, sendo a participação gratuita. A autarquia assegura também o transporte de ida e volta dos alunos.

A semelhança de anos anteriores, também as “Férias Divertidas” estão no terreno, proporcionando, nas próximas três semanas, entretimento, animação e aprendizagem a meia centena de crianças monçanenses, com idades compreendidas entre 6 e 12 anos. 

Com organização da Comissão de Crianças e Jovens de Monção e colaboração da APPACDM/Monção e Subzone, estão previstas visitas de caráter pedagógico e atividades desportivas, contando-se, entre estas, tiro ao arco, passeio de barco, paintball, canoagem, e tardes mágicas no picadeiro, na horta e na cozinha.

Ambos os programas permitem a ocupação saudável das crianças num período de pausa letiva, proporcionando-lhes o contacto com um conjunto de ações enriquecedoras sobre o ponto de vista emocional e social. Constituem igualmente o ponto de partida para a apetência dos jovens pela prática recreativa e desportiva.

Refira-se que, entre 1 e 26 de julho, a Plataforma Arte e Cultura (PAC), serviço municipal apoiado pelos artistas monçanenses Ricardo Campos, Patrícia Oliveira, Paulo Lobato e Ilídio Castro, promove ateliês de introdução à cerâmica, escrita criativa, pintura de mural, desenho em espaço público, marionetas, cenografia, expressão dramática e escultura. Destinam-se a crianças entre os 6 e os 12 anos.

Em agosto, na Biblioteca Municipal de Monção realiza-se a iniciativa “Mãos à Obra na Biblioteca”. Consta da realização de ateliês e passatempos (manualidades, jogos, leitura de contos, filmes) no espaço dedicado aos mais novos, destinando-se a crianças dos 6 aos 12 anos. Neste momento, decorrem as inscrições.