Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO REALIZA SESSÃO DE ESCLARECIMENTO SOBRE EMPREGABILIDADE

Como preencher um currículo? Qual a melhor forma de se candidatar a um estágio profissional? Qual a importância de um plano de negócios? O que fazer quando se pretende iniciar um negócio por conta própria?  O peso da experiência conta na procura de emprego? E o facto de pertencer a uma associação? E o voluntariado?

Eprami 01.JPG

Estas e outras questões foram respondidas por Hélio Silva, do Gabinete de Inserção Profissional, aos alunos da Escola Profissional de Monção (EPRAMI) que, esta quinta-feira, assistiram à sessão de esclarecimento sobre empregabilidade, no auditório da escola. 

Com base no portal do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Hélio Silva, esclareceu, durante uma hora, todas as temáticas relacionadas com a inserção no mundo laboral, destacando os requisitos inerentes aos estágios profissionais, questão importante para os alunos que preenchiam as cadeiras do auditório.

Presente na sessão, António Barbosa referiu que Monção conhece um impulso na criação de emprego com as áreas ligadas ao turismo e hotelaria na linha da frente da procura por parte dos visitantes. Ao contrário de outras épocas, acrescentou, hoje em dia não é preciso sair da nossa terra para garantir uma ocupação laboral.

Deixando uma porta aberta a quem o procurar, António Barbosa disse aos presentes que as opções de agora vão fazer toda a diferença no futuro, aconselhando-os a agirem com ponderação e responsabilidade durante a sua vida profissional.  No final, deu os parabéns à EPRAMI porque, como disse, o mercado de trabalho gosta dos jovens formados nesta escola.

MONÇÃO: BARROÇAS E TAIAS PRETENDE VALORIZAR RECINTO EXTERIOR DA ANTIGA ESCOLA PRIMÁRIA

Com o emparcelamento agrícola em fase de arranque, junta de freguesia aponta também como prioridade a requalificação da rede viária.

O “Roteiro de Proximidade” em Barroças e Taias iniciou-se junto à sede de junta da freguesia num espaço que o executivo local pretende requalificar para colocar ao serviço da população, terminando, ao final da tarde, com a realização de reunião de trabalho com a Associação “Gestos e Encontros”.

DSC_0250 m.JPG

Nesta deslocação, o presidente, António Barbosa, esteve acompanhado pelo vereador, Duarte Amoedo, e pelo secretário do GAP, Filipe Amoedo, tendo sido recebidos pelo executivo local: Almerindo Marinho, presidente, Magda Rei, secretaria, e Laurindo Teixeira, tesoureiro.

Após troca de impressões sobre o espaço mencionado e confirmado o Road Book da visita, a comitiva deslocou-se à antiga escola primária da freguesia. Com uma das salas do edifício alugada, o objetivo da junta de freguesia incide na requalificação da área exterior. 

O périplo pela freguesia continuou com deslocação a ruas e caminhos que o executivo local tenciona valorizar com novo pavimento e, em alguns casos, com a colocação de gradeamento e instalação de nova sinalética. Casos da Rua de Temporão, Rua das Taias e Rua de Barroças.

Esta jornada de trabalho, que culminaria à noite com a reunião descentralizada do executivo local, ficou marcada pela visita a várias empresas localizadas na freguesia, onde se aflorou o andamento atual dos negócios e as expetativas face aos próximos anos.

Com os “Irmãos Amorim, Lda”, empresa que caminha para os 40 anos de atividade, abordou-se o presente e futuro empresarial da extração e comercialização de granito. Na “Autolider” falou-se sobre o novo pavilhão da empresa no Polo Empresarial da Lagoa, o qual deverá entrar em funcionamento no próximo verão.

Nas instalações da “Simone Afonso, Criações, Lda”, a comitiva inteirou-se das expetativas das funcionárias da empresa com a nova marca de roupa e, na “Deslok Móveis”, a conversou versou a concorrência dos grandes grupos empresariais e as apostas diferenciadoras das empresas locais para ultrapassarem essa contrariedade. 

Tal como em Moreira, também em Barroças e Taias reina a incerteza e incredulidade em relação ao início do emparcelamento agrícola. António Barbosa colocou ponto final nas reticências levantadas pelos populares, afirmando que o investimento é uma realidade. “Está em fase de concurso público e, após cumpridas todas as formalidades, avança no terreno” esclareceu.

Ao final da tarde, com a presença do vereador João Oliveira, decorreu uma reunião de trabalho com elementos da Associação “Gestos e Encontros”. Após terem manifestado as suas prioridades, com a necessidade de uma sede no topo da lista, deram a conhecer ao executivo monçanense o plano de atividades para o presente ano.

DSC_0265 - Cópia m.JPG

DSC_0296 m.JPG

DSC_0317 m.JPG

DSC_0350 m.JPG

DSC_0352 m.JPG

MONÇÃO: PLATAFORMA ARTE E CULTURA GANHA ESPAÇO FISICO

Situada no último andar do Cine Teatro João Verde, a PAC complementa a oferta daquela sala de espetáculos e procura atrair o público jovem para as múltiplas facetas da atividade cultural.

DSC_0485monç (1).JPG

A Plataforma Arte e Cultura (PAC), serviço municipal apoiado pelos artistas monçanenses Ricardo Campos, Patrícia Oliveira, Paulo Lobato e Ilídio Castro, está no terreno há alguns meses com intervenções em espaços públicos e educativos, bem como na realização de manifestações culturais.

Na terça-feira, feriado municipal, ganhou um espaço físico no último andar do Cine Teatro João Verde. Ao longo da subida, são visíveis frases apologistas da cultura nos degraus e paredes. Chegados ao local, uma sala ampla que passará a receber pequenos espetáculos, ações de formação e oficinas de trabalho.

Será, podemos dizê-lo, um encontro com a cultura num espaço adaptado para complementar a oferta cultural do Cine Teatro João Verde e para incentivar a imaginação e criatividade junto dos jovens monçanenses, através da aprendizagem e aperfeiçoamento de áreas como o teatro, o desenho, a pintura ou a escultura.

Após dar as boas vindas aos presentes, João Oliveira, falou da atividade desenvolvida pela Plataforma Arte e Cultura, focando a pintura de murais nas escolas, a criação de presépio e ateliê na iniciativa “Monção – Vila Mágica”, a representação teatral no “Fim de Semana do Cordeiro à Moda de Monção – Maravilha de Portugal”, e a Mostra de Teatro Escolar “Represent`Art”, cuja apresentação decorrerá nos dias 6 e 7 de abril, no Cine Teatro João Verde.

Apelidando o novo espaço como “incubadora artística”, o responsável pela pasta da cultura acredita que “daqui surgirão boas ideias para a promoção cultural do território” e “para a criação de novos públicos vocacionados para a criação e fruição de atividades culturais”. Sustentou que a PAC está aberta a todas as pessoas que mostrem curiosidade pela cultura ou pretendam valorizar a sua vocação artística.

Antonio Barbosa congratulou-se com o aproveitamento daquele espaço, até agora sem qualquer utilização, e referiu que a aposta da cultura será sempre uma prioridade do atual executivo. Disse: “a cultura não pode ser vista como uma despesa, mas sim como um investimento, cujos frutos serão recolhidos mais tarde”.

Reafirmando a abertura da PAC a todos que a procurem, convidou os presentes a participar neste projeto: “Façam parte desta iniciativa. O vosso envolvimento, tornando este espaço vivo e dinâmico, é a melhor garantia que estamos no caminho certo, contribuindo para uma sociedade ativa e participativa”.

DSC_0485monç (2).JPG

DSC_0485monç (3).JPG

MONÇÃO DEBATE ONCOLOGIA

10 E 11 de MAIO realiza-se o III Encontro Ibérico de Oncologia em MONÇÃO

Nos dias 10 e 11 de Maio, realiza mais um Encontro Ibérico, evento que este ano cumpre a 3.a edição. Com periodicidade anual, reforça, assim, o seu estatuto de reunião agregadora entre profissionais, na região do Alto Minho e Galiza.

É nosso objetivo acompanhar o ritmo do desenvolvimento da Oncologia e as respetivas implicações ao nível científico, formativo, social e da prática clínica; interrelacionar conhecimentos entre os profissionais de saúde. Pretende-se continuar projetos para contribuir para a melhoria dos cuidados em Oncologia, em conjunto com profissionais que estão na linha da frente no tratamento e prevenção das doenças oncológicas, com ganhos efectivos em saúde, quer na sobrevivência como na qualidade de vida dos doentes. Assim sendo, a “Importância da equipa multidisciplinar” foi o tema escolhido para o Encontro Ibérico.

Reunimos, alguns dos nomes mais importantes da área: Ana Ferreira Assistente Social do IPO Porto, Drº José Miguel Lopes Coordenador Regional ARS Norte dos Cuidados Paliativos, Drº Michael Sapateiro do IPO Porto, Drº Duarte Soares, Presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, Drª Irene Esperon Psicologa Clínica da Unidade de cuidados Paliativos do Hospital do Meixoeiro de Vigo, Enfermeira Maria Dias da European Oncology Nursing Society, entre muitos outros que estarão presentes neste congresso que já é uma referência nacional.

A CADO encontra-se, atualmente, a funcionar nas antigas instalações dos Bombeiros Voluntários de Melgaço e surge com o objetivo principal de dar apoio aos doentes oncológicos, aos seus cuidadores e familiares. Foi constituída em Abril de 2016, por um grupo de jovens, na sua maioria profissionais de saúde e da área social.

A associação pretende tornar-se numa referência na região do Alto Minho no apoio, promoção e proteção da saúde, da educação e do apoio social ao doente oncológico, contribuindo para o bem-estar e qualidade de vida. Ao longo destes meses de existência a CADO tem ajudado a alertar e informar a população sobre as causas e efeitos da doença, bem como ajudar na prevenção da mesma. Mas o trabalho não termina aqui já que a associação apoia o doente oncológico ao nível das questões socioeconómicas e jurídicas; presta cuidados a nível da reabilitação física e promover atividades de lazer/desportivas; Promove a integração social dos doentes oncológicos na sociedade; proporciona fácil acesso em artigos essenciais para o bem-estar físico e psicológico do doente; entre muitos outros.

MONÇÃO CELEBRA FERIADO MUNICIPAL COM ENTREGA DE MEDALHA DE OURO AO PALÁCIO DA BREJOEIRA

Comemorações decorrem amanhã, 12 de março. Programa inicia-se esta noite, pelas 20h00, com realização de ceia medieval, no cais da antiga estação da CP, com manjares, trajes e animação próprias da época.

A carta de foral, outorgada pelo Rei D. Afonso, a 12 de março de 1261, além de originar ou consolidar a existência da vila de Monção, tornando-a responsável pela condução do seu destino, marca, desde o inicio, a união da sua história com a da pátria, de cuja fronteira se tornava uma sentinela vigilante.

Os séculos posteriores confirmaram o patriotismo dos seus habitantes, através do esforço com que se entregaram a defender a integridade e independência de Portugal e, em tempos mais recentes, a trabalhar incessantemente para aumentar o seu prestigio, trazendo-lhe progresso e prosperidade.

Nesta data, Monção comemora, com orgulho no passado e confiança no futuro, a celebração desta importante data para todos os monçanenses através da realização de momentos simbólicos e iniciativas focalizadas no desenvolvimento económico, cultural e turístico do nosso concelho.

Este ano, o programa começa no dia anterior, 11 de março, pelas 20h00, com a realização de Ceia Medieval, no cais da antiga estação da CP. Com organização da Associação “Buraca da Moura”, o repasto engloba princípios de copa, duas cobertas, sobremesas e vinhos do reino. Durante o jantar, com os presentes ataviados à época, está prevista animação e um brinde surpresa.

No dia 12, pelas 11h00, realiza-se a saudação da Banda Musical de Monção, seguida de cerimónia de entrega de títulos honoríficos e condecorações, no Cine Teatro João Verde. Este ano, será distinguida como Instituição de Mérito – Medalha de Ouro, o “Palácio da Brejoeira, Viticultores S.A.”.

De acordo com António Barbosa, trata-se de um reconhecimento merecido pelo forte contributo que o Palácio da Brejoeira tem dado à cultura e turismo monçanense e à valorização de um dos recursos endógenos mais emblemáticos do concelho: a casta Alvarinho.

Pelas 15h00, decorre a inauguração da Plataforma Arte e Cultura – PAC. Espaço físico localizado no último andar do Cine Teatro João Verde, cuja missão incidirá na divulgação cultural junto das camadas populacionais mais jovens da comunidade.

Naquela sala criativa, decorrerão pequenos espetáculos, ações de formação e oficinas de trabalho. Paralelamente, a PAC terá uma acentuada componente de intervenção no exterior, projetando arte e cultura nos espaços públicos e escolares.

A celebração da Carta do Foral representa a afirmação da identidade monçanense e dos nossos valores históricos, bem como a valorização das suas tradições e do património cultural das suas gentes. Constitui também uma excelente oportunidade para a promoção do concelho nas mais variadas áreas de intervenção.

MONÇÃO CELEBRA FERIADO MUNICIPAL NO DIA 12 DE MARÇO

Programa prevê inauguração da Plataforma Arte e Cultura – PAC e distinção do “Palácio da Brejoeira, Viticultores S.A.” como Instituição de Mérito – Medalha de Ouro. No dia 11, pelas 20h00, realiza-se uma ceia medieval, no cais da antiga estação da CP, com manjares, trajes e animação próprias da época.

cartazA4.jpg

A carta de foral, outorgada pelo Rei D. Afonso, a 12 de março de 1261, além de originar ou consolidar a existência da vila de Monção, tornando-a responsável pela condução do seu destino, marca, desde o inicio, a união da sua história com a da pátria, de cuja fronteira se tornava uma sentinela vigilante.

Os séculos posteriores confirmaram o patriotismo dos seus habitantes, através do esforço com que se entregaram a defender a integridade e independência de Portugal e, em tempos mais recentes, a trabalhar incessantemente para aumentar o seu prestigio, trazendo-lhe progresso e prosperidade.

Nesta data, Monção comemora, com orgulho no passado e confiança no futuro, a celebração desta importante data para todos os monçanenses através da realização de momentos simbólicos e iniciativas focalizadas no desenvolvimento económico, cultural e turístico do nosso concelho.

Este ano, o programa começa no dia anterior, 11 de março, pelas 20h00, com a realização de Ceia Medieval, no cais da antiga estação da CP. Com organização da Associação “Buraca da Moura”, o repasto engloba princípios de copa, duas cobertas, sobremesas e vinhos do reino. Durante o jantar, com os presentes ataviados à época, está prevista animação e um brinde surpresa (imagem em anexo).

No dia 12, pelas 11h00, realiza-se a saudação da Banda Musical de Monção, seguida de cerimónia de entrega de títulos honoríficos e condecorações, no Cine Teatro João Verde. Este ano, será distinguida como Instituição de Mérito – Medalha de Ouro, o “Palácio da Brejoeira, Viticultores S.A.”. Pelas 15h00, no mesmo local, decorre a inauguração da Plataforma Arte e Cultura – PAC.

A celebração da Carta do Foral representa a afirmação da identidade monçanense e dos nossos valores históricos, bem como a valorização das suas tradições e do património cultural das suas gentes. Constitui também uma excelente oportunidade para a promoção do concelho nas mais variadas áreas de intervenção.

Desde 1261. A fazer história.

FEIRA DE PIAS DÁ A PROVAR A "FODA" À MODA DE MONÇÃO!

MONÇÃO JÁ ANUNCIA A FEIRA... DE PIAS!

Cordeiro (Large)

Prato saboroso com nome ousado

A confeção deste prato em alguidar levado ao forno de lenha não só recupera o saber dos nossos antepassados como lhe adiciona um pouco de arte, carinho e profissionalismo das atuais cozinheiras. O nome artístico, digamos assim, reflete bem o caráter afável e bem-disposto dos monçanenses. Reza a história que:

“Os habitantes do burgo, que não possuíam rebanhos, dirigiam-se às feiras para comprar o animal. E, como em todas as feiras, havia de tudo, bons e maus. A verdade é que os produtores de gado, quando os levavam para a feira queriam vendê-los pelo melhor preço e, para que parecessem gordos, punham-lhes sal na forragem, o que os obrigava a beber muita água.

Na feira, apareciam com uma barriga cheia de água e pesados, parecendo realmente gordos. Os incautos que não sabiam da manha compravam aqueles autênticos “sacos de água” e, quando se apercebiam do logro, exclamavam à boa maneira do Minho: “que grande foda!”.

O termo tanto se vulgarizou que o prato passou a designar-se, localmente, por Foda à Moda de Monção. De tal modo que é frequente, pelas alturas festivas (Páscoa, Corpo de Deus, Senhora das Dores e Natal ou Fim de Ano) ouvir as mulheres: “Ó Maria, já meteste a foda?”

49898543_1943229512650746_1235991064079237120_n.jpg

MENSAGEM DE NATÁLIA ROCHA, VEREADORA DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE MONÇÃO

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Mensagem da Vereadora da Educação, Juventude e Recursos Humanos, Natália Rocha

Natália Rocha

Instituído em 1975 pela Organização das Nações Unidas, o Dia Internacional da Mulher celebra-se hoje, 8 de março, com um conjunto de iniciativas um pouco por todo o mundo. Trata-se de uma data simbólica para refletirmos sobre o papel da mulher na sociedade, bem como a sua importância no contexto familiar, social e profissional.

Com a entrada da mulher no mundo laboral, a meados do século XIX, iniciou-se um percurso longo e penoso para a efetivação de um patamar de equidade com os homens. Muitas conquistas têm sido feitas, contudo, ainda há um longo caminho a percorrer até chegarmos ao objetivo final: plena igualdade entre ambos os sexos.

Na mensagem do ano passado, destaquei a relevância da comemoração desta data como forma de chamarmos a atenção e colocarmos na agenda mediática a “subalternização” da mulher em relação ao homem. Foquei os vencimentos, menores em trabalhos semelhantes, e as posições de chefia, igualmente inferiores face ao sexo oposto.

Este ano, estou ainda mais convicta da importância da celebração desta data. Pelas razões expostas e também pelos assustadores números de violência doméstica contra mulheres nos últimos tempos. Desde o início do ano, em pouco mais de dois meses, a violência doméstica já tirou a vida a 12 mulheres. Inaceitável. Algo tem que ser feito. Com prioridade.

Razão pela qual entendo e defendo o Dia de Luto Nacional pelas Vitimas de Violência Doméstica, celebrado ontem, 7 de março, em todo o país. Mais que um ato simbólico, o luto significa uma maior mobilização nacional, uma mensagem de solidariedade aos familiares das vítimas e um compromisso, muito sério, no combate a este flagelo social.

A Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, anunciou a criação de uma equipa técnica multidisciplinar para apresentar propostas concretas sobre recolha de dados quantitativos, aperfeiçoamento dos mecanismos de proteção à vítima e reforço dos modelos de formação. Ficamos a aguardar. Com a expectativa que as ações no terreno, contribuam para solucionar esta problemática social.

Há um ano, desejei a todas as monçanenses, a passagem de um dia muito feliz, de sorriso aberto e coração cheio. Na altura, manifestei a minha solidariedade com as preocupações de cada uma e deixei uma porta aberta para vos ajudar a ultrapassar os problemas e agruras da vida.

Não foram palavras de mera circunstância. Nem da minha, nem da vossa parte. Ao longo do ano, senti a vossa proximidade, ouvi-vos com atenção e procurei, tanto quanto possível, responder aos vossos anseios. Uma forma de ser e estar que vai continuar. Estarei sempre disponível para uma palavra carinhosa, um gesto amigável e uma atitude de grande disponibilidade.

Todas juntas, sem exceção, devemos continuar a pugnar pela igualdade efetiva de direitos, pela paridade profissional e remuneratória com os homens e pela salvaguarda da nossa dignidade enquanto mulheres, fortalecendo, sem receio, o nosso papel na construção de uma sociedade monçanense mais justa, fraterna e solidária.

Só, dessa forma, cada uma à sua maneira, seremos dignas herdeiras da nossa querida heroína, Deu-la-Deu Martins, fazendo do seu exemplo extraordinário um motivo de orgulho nesta terra apaixonante e do seu legado um desafio aliciante para cumprirmos com empenho e dedicação.

Um dia feliz para todas.

Natália Rocha,

Vereadora da Educação, Juventude e Recursos Humanos

mulher.png

MONÇÃO REALIZA 3ª OLIMPIADAS DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA

No âmbito do projeto “No poupar está o ganho”, decorrem as 3ªs Olimpíadas de Educação Financeira. Trata-se de uma ação de formação da Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, destinada a alunos do 1º e 2º CEB dos municípios da região norte.

Imagem.png

Na etapa online ficou apurada a turma do 4ºA, da EB de Pias, da professora Cristina Ribeiro, passando à etapa final que terá lugar no dia 26 de março, na Fundação António Cupertino de Miranda, sucedendo à turma do 4º ano da EBI de Tangil, a qual esteve na final da última edição. 

Congratulando-se com a presença na final, a Vereadora da Educação, Juventude e Recursos Humanos, Natália Rocha, felicita a professora e os alunos da turma selecionada e enaltece os objetivos do projeto “No poupar está o ganho” e o trabalho desenvolvido pelas escolas monçanenses.

Esta iniciativa visa incentivar o interesse dos alunos do 1º e 2º CEB pelos temas da educação financeira para, de forma pedagógica e lúdica, tomarem consciência da importância do dinheiro e adquiram competências com vista à aquisição de um comportamento responsável do ponto de vista financeiro.

MONÇÃO CELEBRA FERIADO MUNICIPAL

Desde 1261. A fazer história.

A carta de foral, outorgada pelo Rei D. Afonso, a 12 de março de 1261, além de originar ou consolidar a existência da vila de Monção, tornando-a responsável pela condução do seu destino, marca, desde o inicio, a união da sua história com a da pátria, de cuja fronteira se tornava uma sentinela vigilante.

Capturarferiamonç.PNG

Os séculos posteriores confirmaram o patriotismo dos seus habitantes, através do esforço com que se entregaram a defender a integridade e independência de Portugal e, em tempos mais recentes, a trabalhar incessantemente para aumentar o seu prestigio, trazendo-lhe progresso e prosperidade.

Nesta data, Monção comemora, com orgulho no passado e confiança no futuro, a celebração desta importante data para todos os monçanenses através da realização de momentos simbólicos e iniciativas focalizadas no desenvolvimento económico, cultural e turístico do nosso concelho.

Este ano, o programa começa no dia anterior, 11 de março, pelas 20h00, com a realização de Ceia Medieval, no cais da antiga estação da CP. Com organização da Associação “Buraca da Moura”, o repasto engloba princípios de copa, duas cobertas, sobremesas e vinhos do reino. Durante o jantar, com os presentes ataviados à época, está prevista animação e um brinde surpresa.

No dia 12, pelas 11h00, realiza-se a saudação da Banda Musical de Monção, seguida de cerimónia de entrega de títulos honoríficos e condecorações, no Cine Teatro João Verde. Pelas 15h00, no mesmo local, decorre a inauguração da Plataforma Arte e Cultura – PAC.

A celebração da Carta do Foral representa a afirmação da identidade monçanense e dos nossos valores históricos, bem como a valorização das suas tradições e do património cultural das suas gentes. Constitui também uma excelente oportunidade para a promoção do concelho nas mais variadas áreas de intervenção.

MONÇÃO FESTEJA À VIRGEM DAS DORES

“Palco Monção” é novidade das festas em 2019 que vão ter mais um dia

No passado dia 28 de fevereiro a Comissão de Festas organizou, para todos os interessados, uma sessão de esclarecimento sobre o novo espaço da festa e as novidades não faltaram, com o anúncio de que as Festas em Honra terão mais um dia e haverá um palco para artistas monçanenses, destacando o que melhor se faz em Monção.

Comunicado de Imprensa - Palco Monção é novidade das festas em 2019 que vão ter mais um dia (1).JPG

O trabalho da Comissão de Festas em Honra à Virgem das Dores é contínuo e o objetivo é “fazer a melhor festa de sempre”, como diz o juiz da festa Davide Guedes.

Perante os presentes, os juízes – Davide Guedes e Filipa Fernandes – fizeram-se acompanhar dos mordomos que farão parte da equipa que está responsável pelo terrado das festas. Na plateia os restantes mordomos também marcavam presença.

O início da apresentação aconteceu sob o olhar atento dos presentes, alguns tiravam notas, outros estavam atentos ao que ia sendo dito pelo juiz da festa. Com as obras de requalificação de vários pontos do centro histórico de Monção que o Município está a realizar não se torna viável apresentar o espaço da festa nos mesmos moldes, por esse motivo haverá mudanças inerentes às necessidades.

O espaço de divertimentos, habitualmente situado na antiga estação de caminhos-de-ferro, vai passar para o Parque das Caldas, no local onde agora se realiza a Feira do Alvarinho.

Mas as mudanças não se ficam por aqui, desde a Avenida 25 de Abril até a Praça da República haverá obras, o que obriga a uma transferência de quem por lá está nos dias de festa para outro local. Neste caso irá ser usada a Praça do Emigrante e a Avenida das Caldas, onde já foram feitas medições pela Comissão. “Além de medições estamos já a conversar de forma a tornar o espaço o mais acessível e justo para todos os comerciantes”, afirma Davide Guedes.

“Esta mudança pode impactar, mas vai trazer novas condições. Por um lado vamos ter árvores a proteger quem quiser passear durante a tarde, por outro vamos ter, por exemplo, um espaço de refeições – uma aposta nossa – onde seja agradável estar, também na Avenida das Caldas”.

As novidades vão surgindo com o passar dos dias, mas a Comissão aproveitou esta mudança ainda para criar condições para que os constrangimentos destas mudanças sejam ainda menores. “O Palco Monção vai proporcionar um início de noite diferentes. O ponto principal será um palco natural, como a Praça do Emigrante e dali as pessoas ou sobem para a Praça Deu-la-Deu ou descem para a Avenida das Caldas, criando um elo de ligação entre todo o percurso da festa”, conclui Davide Guedes.

Comunicado de Imprensa - Palco Monção é novidade das festas em 2019 que vão ter mais um dia (2).JPG

“CARNAVAL NA PRAÇA 2019” ANIMA MONÇÃO

28 Fevereiro | 3 e 4 de Março

Em conjunto com o Rali à Lampreia, o “Carnaval na Praça” afirma-se como uma das apostas do Município de Monção no arranque do ano. Por um lado, procura promover e dinamizar turisticamente o Carnaval em Monção. Por outro, pretende incentivar a criatividade e o espírito de associativismo da comunidade monçanense.

52789793_2388404144513018_4610914315883511808_n.jpg

Envolvendo todas as gerações, o “Carnaval na Praça” visa surpreender tanto os monçanenses como os visitantes, assumindo-se como um dos melhores carnavais do Norte do Portugal. A folia e magia estendem-se dos mais novos aos mais velhos, as ruas enchem-se de cor, movimento e alegria, e os fantasiados revelam sentido de humor e grande imaginação.

O programa carnavalesco inicia-se na quinta-feira, 28 de fevereiro, pelas 10h00, com o desfile de carnaval das escolas. A saída é na EB José Pinheiro Gonçalves e a concentração na Praça Deu-la-Deu. Participam o Agrupamento de Escolas de Monção, Colégio do Minho e Santa Casa da Misericórdia de Monção.

No dia 3 de março, domingo, pelas 15h00, realiza-se o Baile de Máscaras Júnior, na Praça Deu-la-Deu, com animação a cargo do Dj Pedro Pagodes. Pelas18h00, entrega de prémios aos três primeiros classificados. As inscrições estão abertas no próprio dia, no local.

No dia seguinte, 4 de março, segunda à noite, decorre o desfile e concurso de carnaval. Após inscrição e validação dos participantes inicia-se, pelas 22h15, o desfile de carnaval com saída do Largo da Estação e chegada à Mega Tenda instalada na Praça Deu-la-Deu, passando pela Avenida da Estação, Praça da República, Rua Dr. Álvares da Guerra e Museu do Alvarinho.

Pelas 00h00, apresentação em palco de todos os concorrentes (individuais e em grupo), com animação a cargo do Dj. Pedro Pagodes. A coreografia/representação de cada concorrente deverá ser feita no palco, situado no interior da Mega Tenda, não podendo exceder a duração de 3 minutos.

Segue-se a entrega de prémios. Na categoria individual, 1º prémio (150,00 €) e 2º prémio (50,00 €). Na categoria grupos até quatro pessoas, 1º prémio (200,00 €) e 2º prémio (100,00 €). Na categoria grupos 5 ou mais pessoas, 1º prémio (400,00 €) e 2º prémio (150,00 €).

A noite continua com animação a cargo dos Dj`s Los Bandidos. Na Mega Tenda, com entrada livre, encontram-se os bares Baluarte, República, Lés-a-Lés e Oh My God e a Discoteca Fábrika, prometendo uma noite em cheio na Praça Deu-la-Deu, uma vez que, todos eles, estão encerrados a partir da meia noite.

O júri apreciará e avaliará a criatividade, a coreografia, o guarda-roupa e originalidade do tema, bem como a elaboração e construção dos disfarces, a alegria e animação dos concorrentes e o cumprimento dos requisitos do Regulamento de Participação.

Programa:

https://issuu.com/moncaomunicipio/docs/carnavalnapraca2019_moncao

Vídeo Promocional:

https://www.facebook.com/municipiodemoncao/videos/307956619920256/