Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO COM M GRANDE, DE MARAVILHA

Numa cerimónia realizada na Praça da Praia dos Pescadores, em Albufeira, no domingo à noite, foram reveladas as “7 Maravilhas à Mesa. Após quase dois meses de votação pública, a “Mesa de Monção”, única representante do Minho na gala final, consagrou-se como uma das 7 mesas eleitas pelos portugueses.

07

As restantes foram Albufeira, Bairrada ao Mondego, Lajes do Pico, Mirandela, Terras da Chanfana e Vila Real. Antes da entrega de prémios, o presidente das “7 Maravilhas à Mesa”, Luis Segadães, revelou que a próxima edição, em 2019, será dedicada à doçaria.

Albufeira acolheu a cerimónia, um evento que contou com Salvador Sobral como artista convidado. “Amar pelos Dois” e “Mano a Mano” foram os dois temas interpretados pelo vencedor do Festival da Canção, em 2017. Em palco, como em todas as galas deste ano, esteve Daniel Pereira Cristo e a sua banda, com uma “Rapsódia à Mesa”. O espetáculo contou ainda com três momentos de dança e um momento piromusical no final.

As “7 Maravilhas à Mesa foram a sétima edição das “7 Maravilhas em Portugal”, um projeto que uniu gastronomia, vinhos e azeites, e roteiros num conceito integrado de “mesa” que não existia. O projeto arrancou em novembro do ano passado, com a fase de candidaturas. De uma lista longa de cerca de 200 mesas candidatas, foram selecionadas 49 pré-finalistas por um painel de 77 especialistas de todas as regiões do país.

A votação pública começou a 20 de julho e as finalistas foram apuradas em 7 galas eliminatórias, emitidas aos domingos em prime time na RTP1 e RTP Internacional. Em cada gala eliminatória foram apuradas duas finalistas, num total de 14, que foram votadas numa segunda fase de votação, entre 9 de setembro e a gala final, realizada no domingo à noite.

As 7 mesas eleitas foram escolhidas por votação pública e apuradas pelo maior número de votos, as 7 em pé de igualdade. Todo o processo de votação foi auditado pela PwC. Os espetáculos contaram com apresentação de Catarina Furtado e José Carlos Malato.

“Agradeço a todos que contribuíram para este sucesso da “Mesa de Monção”. Quando os monçanenses estão unidos, todos os desafios são possíveis de concretização.  Um momento histórico para o nosso concelho com benefícios nos mais variados setores. Este selo de qualidade abre-nos uma porta que, todos juntos, queremos aproveitar para a promoção do nosso território, aliando as vertentes gastronómica, turística, patrimonial e festiva” António Barbosa

01

02

03

04

05

06

SEMANA DA EUROCIDADE MONÇÃO – SALVATERRA DO MIÑO

De 25 a 30 de setembro

A primeira edição da “Semana da Eurocidade Monção – Salvaterra do Miño”, a realizar entre 25 e 30 de setembro, engloba diversas atividades que visam reforçar o relacionamento social, cultural, desportivo e económico entre as duas regiões transfronteiriças.

Sede eurocidade

Neste período, está prevista a realização de conferência, roteiro noturno, concerto musical, espetáculo de dança e jogos tradicionais. Esta iniciativa conjunta engloba ainda a assinatura de Protocolo de Colaboração entre o Concelho de Salvaterra do Miño e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção.

A conferência, marcada para o dia 25, terça-feira, pelas 19h00, realiza-se na Casa Museu de Monção/UM, subordinada ao tema “Mobilidade Transfronteiriça: Viver em Portugal, Trabalhar na Galiza; Trabalhar na Galiza, Viver em Portugal”, da autoria de um representante do EURES Transfronteiriço.

No dia 27, quinta-feira, pelas 12h00, o salão nobre do Concello de Salvaterra de Miño recebe a assinatura do Protocolo de Colaboração entre o Concelho de Salvaterra do Miño e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monção.

No dia seguinte, com inicio às 21h30, realiza-se o roteiro noturno pela Eurocidade. Com distância de 4,5 quilómetros e duração aproximada de 2h30, consta de caminhada pelas muralhas e ecopistas dos dois municípios, com saída do Parque das Caldas, em Monção, e chegada ao Parque da Canuda, em Salvaterra de Miño.

A caminhada é gratuita, sendo necessária a respetiva inscrição, a qual deve ser feita em formulário próprio, acedendo ao linkhttps://goo.gl/8pzKJp, na Loja Interativa de Turismo de Monção, no Posto de Turismo de Salvaterra de Miño e na sede da Eurocidade. Refira-se que não está disponível transporte de regresso a Monção. Aconselha-se lanterna, refletores, calçado apropriado e água.

Ponte internacional inaugurada em 1995

A Ponte Internacional sobre o Rio Minho, ligando Monção e Salvaterra de Miño, foi inaugurada no dia 29 de março de 1995, potenciando, nos anos seguintes, o relacionamento cultural/social/desportivo e o intercâmbio económico entre as duas localidades vizinhas.

Os habitantes de Monção e Salvaterra de Miño, habituados a “passar” de barco ou transbordador para o outro lado, sentiam finalmente a possibilidade de uma circulação mais cómoda, rápida e intemporal. Visitar e conviver com amigos tornou-se mais fácil. Ir de comprar, em ambos os sentidos, também.

Para celebrar a passagem do 20º aniversário, os dois municípios uniram-se na elaboração de um programa comemorativo e simbólico que compreendeu o descerramento de placa com denominação da ponte e a assinatura de um protocolo de geminação entre as duas localidades raianas.

No dia 1 de maio de 2017, feriado nacional, foi inaugurada a sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, com a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, e o Vice-Presidente da Xunta da Galicia, Alfonso Rueda Valenzuela.

A estrutura localiza-se no antigo edifício da PIDE, após obras de requalificação/adaptação daquele espaço. Símbolo de opressão e repressão durante o Estado Novo, imóvel assume-se, nos dias que correm, como ponto de partida para o reforço de atividades conjuntas entre as duas localidades vizinhas unidas pelo Rio Minho.

Programa

MONÇÃO: FREGUESIAS À MESA - ROTEIRO “7 MARAVILHAS À MESA”

Ao longo desta semana, António Barbosa promove sessões de esclarecimento nas 33 freguesias, incentivando as pessoas a votarem na “Mesa de Monção”. A final, onde serão anunciadas as “7 Maravilhas à Mesa”, decorre este domingo, 16 de setembro, em Albufeira.

DSC_0686

As linhas telefónicas abriram no domingo à noite às 22h00 e, poucos minutos depois, Longos Vales uniu-se numa fotografia/chamada coletiva para o 760 10 70 47. Mais de uma centena de pessoas deram o seu apoio à “Mesa de Monção”, contribuindo, com o seu voto, para que a nossa mesa seja uma das “7 Maravilhas à Mesa”.

O pontapé de saída para a fase final não podia ser melhor. Em verdadeiro clima de festa, nesta ação marcaram presença muitos populares, os dois grupos folclóricos da freguesia (Estrela dos Vales e Amigos de Longos Vales), o clube de futebol, o Grupo de Bombos “Os Ceboleiros”, e o Grupo de Concertinas “Os Magníficos”.

A alegria prolongou-se durante duas a três horas, contudo, o Roteiro “7 Maravilhas à Mesa” pelas 33 freguesias do concelho começou mais cedo. A partir das 14h30, António Barbosa passou por Lordelo, Parada, Sago, Trute, Luzio e Anhões, terminando em Longos Vales.

Na segunda-feira, o autarca monçanense esteve em Lapela, Troporiz, Lara, Cambeses e Pias, onde juntou cerca de três centenas de pessoas. Um apoio inequívoco na “Mesa de Monção” com animação, bolo, Alvarinho e um cordão humano. De mão dada, os rostos evidenciavam entusiasmo e otimismo nesta candidatura. 

Ontem, entre as 18h30 e as 22h00, o roteiro “7 Maravilhas à Mesa” passou pelas freguesias de Badim, Ceivães, Sá, Valadares e Messegães. O Município de Monção congratula-se com o apoio manifestado à “Mesa de Monção”, visível em todas as freguesias, onde decorreram as sessões de esclarecimento.

António Barbosa deseja que o entusiasmo e colaboração vivido durante estes primeiros dias do Roteiro “7 Maravilhas à Mesa”, tenha continuidade, em todo o território concelhio, até à noite do próximo domingo, 16 de setembro. Nesse sentido, solicita à população que, dentro das possibilidades de cada um(a), apoie a nossa mesa.

DSC_0701

lapela 05

LV 10

MONÇÃO APRESENTA "TEATRO INVISÍVEL"

UNIVERSIDADE INVISÍVEL

HÁ ESTRADAS PARA LÁ?

15 SET | MONÇÃO | ENTRADA LIVRE

PROGRAMA E SINOPSES:

CINETEATRO JOÃO VERDE

10:00 – 12:30 Encontro + Conversa O TEATRO DA ESTRADA

Álvaro Domingues

Álvaro Domingues, Filipe Caldeira e Vera Mantero são os convidados da próxima UNIVERSIDADE INVISÍVEL: “Ui! Há Estradas para Lá?”, que acontece no dia 15 de Setembro, no Cineteatro João Verde, em Monção.

Esta é a quarta sessão de 2018 da UNIVERSIDADE INVISÍVEL e durante este ano andamos em torno da ideia de Justiça.

As aproximações ao tema fazem-se, umas vezes de forma mais concreta e outras de forma mais abstrata, através de abordagens teóricas (encontros e conversas), de espetáculos, filmes e livros. As opções são várias para que cada um, em função dos seus interesses, formações, idade e até disponibilidade de tempo, possa escolher.

Este é um dos momentos em que o território acolhe também espetáculos exteriores às Comédias do Minho.

A Rua da Estrada é um modo de organizar e um modo de ver. Pela linha do asfalto por onde vai também a rede elétrica, o gás, a água, o saneamento, alinham-se de um lado e do outro as formas visíveis das atividades dos humanos, os seus dramas e comédias: as casas, as esplanadas, os cafés, restaurantes, armazéns, indústrias, tudo. Pelos cartazes, anúncios, objetos publicitários, pelo movimento dos veículos e dos corpos se percebe a palpitação dos dias, a organização da sociedade e do espaço. Nas máquinas, conduzindo ou sendo transportado, vai o passante mais ou menos distraído com os códigos da estrada. A paisagem corre pelas janelas, pelo retrovisor, acelerando e retardando ao sabor da velocidade, do engarrafamento, do semáforo, da travagem brusca. É a azáfama urbana. Muitas e variegadas gentes, como dizia o cronista.

COM Álvaro Domingues

(1959) Álvaro Domingues é geógrafo, doutorado pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É docente e investigador na Faculdade de Arquitetura da UP, conferencista, ensaísta, publicando regularmente sobre geografia urbana e paisagem. A sua obra concentra-se especialmente na cultura e território de Portugal, com incursões ocasionais nas áreas da teoria da análise do território. Rua da Estrada, Vida no Campo (ambos editados pela Dafne, Porto) e Volta a Portugal (Contraponto, Lisboa), são algumas obras recentemente publicadas pelo autor.

CINETEATRO JOÃO VERDE

10:00 – 22:30 FEIRA DO LIVRO TEMÁTICA

Numa parceria com a livraria Centésima Página, acontece uma feira do livro que dará especial atenção ao tema de cada encontro.

A literatura infantil está presente em todos os encontros. 

O Cão que Corre Atrás de Mim ©Susana Pomba

CINETEATRO JOÃO VERDE

15:00 Espetáculo O CÃO QUE CORRE ATRÁS DE MIM (E O AVÔ ELÍSIO À JANELA) + CONVERSA

PÚBLICO-ALVO | a partir dos 3 anos

Este espetáculo é um retrato-memória da infância escrito a quatro mãos (duas mãos que não param quietas; outras duas que as acompanham e observam), em que há espaço para o medo, o risco, a rua, um cão que ladra (e talvez morda) e um avô à janela capaz de nos proteger pelo canto do olho. “Caco, porque é que estás a trepar?”, perguntava o meu avô Elísio. “Porque me chamo Caco, Caco, Caco…”, dizia eu a imitar o eco. O meu nome atirado contra uma montanha partir-se-ia em mil bocados. Quero dizer, em cacos. Talvez não seja o nome mais respeitável do mundo. Um nome que é um pedaço de uma coisa partida. Mas é o meu.

criação Filipe Caldeira

direção artística Filipe Caldeira e Catarina Gonçalves

interpretação Filipe Caldeira

texto original Isabel Minhós Martins

apoio à dramaturgia Joclécio Azevedo

cenografia Ana Guedes

apoio à cenografia Emanuel Santos

sonoplastia Rodrigo Malvar

voz Catarina Gonçalves

figurinos Jordann Santos

desenho e operação de luz Miguel Carneiro

vídeo Teresa Pinto

apoio à residência Teatro do Frio; Companhia Instável

agradecimentos Seteventos; Escola Viva

Produção Executiva e Difusão Circular Associação Cultural

co-produção Maria Matos Teatro Municipal e Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre

Encomenda do Programa para Crianças e Jovens do Maria Matos Teatro Municipal  

CINETEATRO JOÃO VERDE

16:30 – Filme + Conversas de Porta Aberta

De portas abertas a todos os que queiram juntar-se, assistimos a um filme, escolhido pelo convidado do encontro, e conversamos sobre o que vimos e sobre o que pensamos sobre o tema. As únicas condições de acesso são: o gosto por ver filmes e a vontade de conversar…

CINETEATRO JOÃO VERDE

21:00 Espetáculo SERRENHOS DO CALDEIRÃO, EXERCÍCIOS EM ANTROPOLOGIA FICCIONAL + CONVERSA

Esta é uma peça povoada de vozes que vêm de longe. Tomando como ponto de partida o processo de desertificação/ desumanização da Serra do Caldeirão, no Algarve, as recolhas de vídeo aí feitas por Vera Mantero, e outras realizadas em filme pelo etnomusicólogo Michel Giacometti, esta peça olha para as práticas de vida tradicionais e rurais em geral. Trata-se de um espetáculo sobre o conhecimento transmitido pelas culturas orais existentes de norte a sul do país e de outros continentes, por isso, os índios da América do Sul, trazidos aqui através de citações de Eduardo Viveiros de Castro, se confundem tanto com estes Serrenhos. Este “retrato alargado” procura resgatar uma sabedoria quase perdida, que liga corpo e espírito, quotidiano e arte. Uma sabedoria que podemos (e devemos, para nosso bem) reativar.

conceção e interpretação Vera Mantero

desenho de luz Hugo Coelho

captura de imagens e elaboração de guião para o vídeo Vera Mantero

montagem vídeo Hugo Coelho

excertos vídeo da Filmografia Completa de Michel Giacometti Salir (Serra do Caldeirão), Cava da Manta (Coimbra), Dornelas (Coimbra), Teixoso (Covilhã), Manhouce (Viseu), Córdova de S.Pedro Paus (Viseu) e Portimão (Algarve)

excertos de textos de Antonin Artaud, Eduardo Viveiros de Castro, Jacques Prévert e Vera Mantero

residências artísticas Centro de Experimentação Artística - Lugar Comum/Fábrica da Pólvora de Barcarena/Câmara Municipal de Oeiras e DeVIR/CaPA Faro

co-produção DeVIR/CaPA

produção O Rumo do Fumo

agradecimento Editora Tradisom

Este projeto foi uma encomenda dos Encontros do DeVIR da DeVIR/CAPa/Faro.

O QUE É A UNIVERDADE INVISÍVEL?

Aqui aprende-se através de aproximações diversas e valoriza-se o encontro individual com a arte e com o conhecimento. Também aqui nem sempre somos capazes de aferir no imediato o que aprendemos ou a importância do que aprendemos. As sementes germinam na invisibilidade.

Tomamos a imagem da colmeia. Move-nos a necessidade de reforçar o alcance do processo de polinização que, tão ou mais importante que a produção de mel (produção esta visível e quantificável), é difícil ou até impossível de medir sendo, no entanto, determinante para o equilíbrio e sobrevivência da natureza, da sobrevivência humana.

Acreditamos, pois, que a experiência da arte, e das múltiplas formas de conhecimento, age ao nível mais íntimo de cada um e, tal como no processo de polinização, em tempos e de modos imprevisíveis, mas imprescindíveis à construção, consolidação e manutenção dos valores humanos. Tal como a polinização não impede as catástrofes naturais, também a arte e o conhecimento não impedem a barbárie humana, mas sem a polinização e sem a arte e o conhecimento o mundo seria certamente um lugar pior.

Orienta-nos ainda a afirmação do escultor Rui Chafes: “Não sei o que a arte pode mas sei o que deve. A arte deve manter as perguntas acesas.” Muito desejamos que este seja um lugar de perguntas acesas.

Serrenhos do Caldeirão © Luís da Cruz

MONÇÃO PROPORCIONA TRANSPORTE GRATUITO PARA TODOS OS ALUNOS E OFERTA DE FICHAS DE ATIVIDADES DO 1º E 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

A entrada no ano letivo 2018/2019 vai custar menos aos bolsos dos monçanenses. O governo alargou até ao 6º ano, a entrega gratuita de manuais escolares. A autarquia garante transporte a todos e oferece as fichas de atividades do 1º e 2º CEB, do ensino público.

Bom ano letivo

A Câmara Municipal de Monção está apostada em reforçar as condições de funcionalidade e aprendizagem nos estabelecimentos de ensino do Agrupamento de Escolas de Monção, criando um conjunto de medidas para implementação no ano letivo 2018/2019.

Em conjunto com o apoio para a aquisição de material de limpeza e cedência de material escolar aos estabelecimentos de ensino, o Município de Monção vai garantir transporte escolar gratuito a todos os alunos e oferecer as fichas de atividades do 1º e 2º CEB, do ensino público.

Além de constituir um importante apoio financeiro para os encarregados de educação, a oferta das fichas de atividades, que acontece pela primeira vez, contribui para a rentabilização da economia local, uma vez que a encomenda das fichas apenas é possível nas papelarias do concelho.

O transporte escolar gratuito abrange todos os patamares de ensino público, tendo havido a preocupação da autarquia em definir trajetos que permitam aos alunos sair mais tarde e chegar mais cedo a casa. Uma vantagem para quem vive nas zonas mais afastadas da sede do concelho.

No capitulo da educação, referência ainda para intervenções estruturais no parque escolar do concelho. Recentemente, decorreram obras de requalificação no Jardim de Infância de Cortes. Na próxima semana, avançam os trabalhos previstos para a Escola Secundária de Monção.

Destaque ainda para a comparticipação na alimentação dos alunos com escalão, prolongamento de horário com atividades extracurriculares, apoio na frequência do ensino superior público e Banco Municipal de Livros Escolares, disponibilizando manuais usados e tratados do 7º ao 12º ano.

No dia 12, na Biblioteca Municipal, será entregue material escolar aos alunos acompanhados pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção. Iniciativa apoiada pelo Centro Funerário do Alto Minho (CFAM), constando da entrega de kits escolares constituídos por cadernos, lápis, afias, canetas, tesouras, colas e lápis coloridos.

“Apostamos na valorização do ensino público, proporcionando condições adequadas a todos os intervenientes no processo educativo (alunos, professores, auxiliares e encarregados de educação) e garantindo uma verdadeira igualdade de oportunidade para todos” – António Barbosa

13 ATLETAS DO DEU-LA-DEU KARATE CLUBE DE MONÇÃO PARTICIPAM NO CAMPEONATO EUROPEU

O XIX Campeonato Europeu de Karate Goju-Ryu realiza-se entre 19 e 23 de setembro, na cidade da Maia. O encontro vai juntar diversos países europeus e centenas de atletas que vão competir em Kata (formas), Kumite (combate desportivo) e Irikumi (combate tradicional).

01

O Deu-la-Deu Karaté Clube de Monção participa nesta competição internacional com 13 atletas nas vertentes de Kata e Kumite. A preparação dos atletas já começou, tendo, no passado sábado, decorrido mais um treino supervisionado pelo Sensei António Costa, com a presença do presidente, António Barbosa, e do vereador, João Oliveira.

António Barbosa veio dar os parabéns aos dirigentes e jovens desportistas do Deu-la-Deu Karaté Clube de Monção pela presença no campeonato europeu, congratulando-se com o crescimento do clube e transmitindo aos jovens atletas uma palavra de incentivo e encorajamento. “Façam o melhor que sabem. Sem pressão. Acima de tudo, desfrutem desta experiência”, disse.

Os jovens monçanenses presentes neste campeonato europeu são: Daniela Fernandes, André Alves, João Amoedo, Rodrigo Oliveira, Vítor Hugo Oliveira, Mateus Fernandes, Joel Ribeiro, Pedro Fernandes, Ruben Alves, Pedro Santos, Pedro Peres, Maria Guedes, e Marta Ferreira.

Fundado em 2010, o Deu-la-Deu Karaté Clube de Monção tem em atividade perto de uma centena de atletas de diferentes idades, promovendo demonstrações públicas da modalidade e participando em encontros de karaté realizados em diferentes regiões do país.

Um dos pontos altos da atividade do clube é a organização de um torneio internacional de karaté, em Maio, o qual engloba centenas de atletas e dezenas de clubes de vários países. Entre estes, contam-se alguns campeões nacionais e regionais em vários escalões.

04

05

MONÇÃO REALIZA SESSÃO DE FOGO-DE-ARTIFÍCIO EM HONRA DE NOSSA SENHORA DAS DORES

Fogo em Honra à Virgem das Dores em Monção será lançado a 15 de Setembro

Na impossibilidade de brindar os monçanenses com a Grandiosa Sessão de Fogo de Artifício da Festa em Honra à Virgem das Dores, no passado dia 19 de Agosto, a Comissão de Festas, após profundo diálogo entre os seus membros, vem, agora, anunciar uma nova data para a mesma.

Print

Gostaríamos de dizer-vos que foi com muita tristeza que não pudemos contrariar esta decisão, que chegou através de Despacho do Governo e que era absolutamente incontornável.

Saibam que, a seu devido tempo, nos informámos de todos os passos que deveriam ser tomados para evitar uma situação, que é cada vez mais frequente. De tudo tentamos, contudo, não estava nas nossas mãos.

Pelo carinho que temos a estas festividades e por considerarmos que é a Virgem das Dores que devemos lembrar em tempos de contrariedade e incerteza, tomamos a decisão de trazer vida e cor à nossa vila, no próximo dia 15 de Setembro - Dia de Nossa Senhora das Dores.

Assim sendo, e porque nenhuma decisão é perfeita, é aos nossos emigrantes que deixamos uma palavra de carinho, pois, a esta data, muitos deles já estarão de regresso aos seus países de acolhimento. A Comissão de Festas agradece o vosso compromisso com esta festa, a vossa devoção e a forma carinhosa como sempre nos ajudaram. Foi graças a vocês, também, que se tornou possível realizar um festa tão bonita e tão marcante.

Na esperança de que a nossa decisão seja compreendida pelos que estão longe e que todos aqueles que cá permanecem se possam juntar a nós no próximo dia 15 de Setembro, despede-se a Comissão de Festas de 2018.

Foi uma verdadeira honra para nós.

Print

 

 

DONA MARIA TERESA CARDEAL ANDRADE MARTINS SALGUEIRO – PATRONA DA CASA MUSEU DE MONÇÃO DA UNIVERSIDADE DO MINHO

A Casa Museu de Monção é uma Unidade Cultural da Universidade do Minho criada em conformidade com os objectivos e as condições do Legado instituído pela Senhora Dona Maria Teresa Cardeal Andrade Martins Salgueiro, falecida em 29 de Outubro de 2001.

capa livro 22 setembro

Herdeira de uma avultada fortuna e sem herdeiros legitimários, a Senhora Dona Maria Teresa decidiu legar através de testamento realizado em 1992 uma parte muito importante dessa fortuna à Universidade do Minho, sob condição de a legatária criar na sua casa de Monção uma Unidade Cultural denominada Casa Museu de Monção, de modo a valorizar e divulgar, sob o ponto de vista museológico, etnográfico e sociológico, o imóvel em si e o seu recheio, como expressão e testemunho do modo de viver de uma família da alta burguesia, na primeira metade do século XX, no Alto Minho.

O Legado estabelece que a Universidade do Minho, sem prejuízo de «prosseguir a política cultural mais geral que lhe é própria», deverá prestar atenção especial, nas actividades a desenvolver na Casa Museu de Monção, ao meio e às instituições da região em que se insere a nova Unidade Cultural, «de molde a ser sempre uma unidade aberta à comunidade e interactiva com as demais realidades socioculturais existentes na região».

De realçar que a decisão da Senhora Dona Maria Teresa se concretizou após uma visita à Casa Museu Nogueira da Silva, em Braga, também um Legado instituído a favor da Universidade do Minho, cerca de 15 anos antes, pelo Comendador Nogueira da Silva e o modo exemplar como a Universidade desenvolveu esta Casa Museu motivou a Senhora a Legar os seus bens à Universidade do Minho.

A Casa Museu de Monção é um belo edifício da segunda metade do século XVIII, pertencente à família da Senhora Dona Maria Teresa, rodeado de um belo jardim aonde se destaca uma fonte em estilo «arte nova». O recheio da Casa é característico de uma família culta e rica, mas sem preocupações de coleccionismo. Entre os objectos destacam-se pelo seu valor: pano de armar sino-português dos fins do século XVII, de seda azul com águia bicéfala bordado a ouro; tapete otomano de oração o século XVIII de seda vermelha; conjunto de porcelanas de Companhia das Índias, do século XVIII; colecção de paliteiros em prata; objectos vários da ourivesaria Leitão e baixela da Casa Mergulhão; casquinhas inglesas do século XVIII; pinturas da Escola Inglesa e Holandesa de pintura; mobiliário francês, precioso conjunto de porcelanas de Sévres do século XIX.

Do recheio da Casa fazem parte também uma colecção de cerca de 500 garrafas de vinho do Porto datadas de 1926. Calcula-se que esta colecção fosse pertença do pai da Senhora Dona Maria Teresa, o Dr. Andrade, médico e professor de Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, e grande apreciador da viticultura e que mantinha uma vinha extensa nos actuais jardins da Casa. Enquanto vivo, supomos que esta colecção tivesse sido mantida pelo marido da Senhora, o Dr. Martins Salgueiro, advogado, mas que tinha na caça, pesca e fotografia os seus hobbies favoritos, não tendo como tal o interesse necessário pela actividade vinícola para tratar devidamente os vinhos legados pelo pai da Senhora Dona Maria Teresa.

Fonte: Universidade do Minho / Casa Museu de Monção

ARTISTA VENEZUELANO LUÍS NÓBREGA EXPÕE PINTURA EM MONÇÃO

Encontra-se patente ao público até ao próximo dia 29 de setembro, na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, a exposição de pintura do jovem artista venezuelano Luís Nóbrega, intitulada "Pele e Figura".

39557571_2078565992154282_364714775801757696_n

Sinopse da exposição: «Na primeira exposição individual do artista, Luís Nóbrega, o jovem desenvolve a figura e o retrato humano, evocando as correntes contemporâneas e clássicas no realismo, no simbolismo e na reinterpretação».

A entrada é livre!

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

terça a sexta feira: das 09h30 às 12h00 e das 14h00 às 17h00

sábado: das 14h00 às 18h00

domingo e segunda feira: encerrada

Mais informações em:

www.casamuseumoncao.uminho.pt 
www.facebook.com/pages/Casa-Museu-de-MonçãoUniversidade-do-Minho/809321412454696

40438315_2096920613652153_4714563378658410496_n

40465540_1899873313399495_5641859024161865728_n

40467675_1899874473399379_1536083031800938496_n

40481633_1899873733399453_1563790518662463488_n

40522152_1899874916732668_5244768527184822272_n

40532745_1899873556732804_3920417105219944448_n

40577101_1899874446732715_4561686921155182592_n

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE MONÇÃO DESEJA BOM REGRESSO AOS EMIGRANTES MONÇANENSES

Publicamos a mensagem do presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa, desejando um bom regresso aos emigrantes e dizendo-lhes que, caso pretendam regressar definitivamente, o Município de Monção está de portas abertas e braços estendidos para os receber.

Presidente CMM, António Barbosa

BOM REGRESSO. VOLTEM SEMPRE!

“Depois de um merecido período de férias, os nossos emigrantes regressam ao país de acolhimento. Uns fizeram-no no passado fim-de-semana. Outros fazem-no neste. “O trabalho está à espera” ou “os filhos tem escola”, são algumas das frases que mais tenho ouvido nos últimos dias.

Apesar de a mobilidade e a comunicação estar mais facilitada nos dias de hoje, permitindo mais viagens à terra natal durante o ano e contactos permanentes com os familiares, a despedida é sempre um momento de angústia e tristeza para quem vai e para quem fica.

Nesta hora, quero desejar-vos uma boa viagem, feita com tranquilidade e segurança, e um regresso ao trabalho em total normalidade. Quero também dizer-vos que o Município de Monção está de portas abertas e braços estendidos, caso pretendam regressar definitivamente.

Durante o mês, falei com vários casais e empresários com vontade de regressarem a Monção. Fiquei satisfeito porque entendem que a nossa terra tem futuro para eles e para os seus filhos. Manifestei-lhes a minha total confiança no progresso de Monção. Esclareci-os sobre os projetos em curso e as expetativas para os próximos anos.

E disse-lhes também que podem contar com o apoio da autarquia através do Gabinete de Apoio ao Emigrante e do Gabinete de Apoio ao Empreendedorismo. Queremos um concelho com potencial para a população viver com dignidade e os empresários investirem com segurança. Queremos uma terra de sucesso, onde todos se sintam bem. O nosso objetivo é firme e claro. Contamos com vocês”.

António Barbosa

Presidente da Câmara Municipal de Monção

MINHOTOS: TODOS COM A “MESA DE MONÇÃO”!

Este domingo, 2 de setembro, em Lagoa, vamos a jogo com Lagoa, Calheta, Tarouca, Gouveia, Villa Oeiras e Aveiro. Contamos com o apoio de todos para fazermos da “Mesa de Monção” uma das “7 Maravilhas da Gastronomia”.

mesa-cordeiro2 (Large)

A “Mesa de Monção – Cordeiro à Moda de Monção” é uma das 49 pré-finalistas do concurso “7 Maravilhas à Mesa”. Até ao momento, foram efetuadas seis galas de apuramento. A última, onde participa a Mesa de Monção, realiza-se no dia 2 de setembro, domingo, em Lagoa.

Monção concorre com as mesas de Lagoa, Calheta, Tarouca, Gouveia, Villa Oeiras e Aveiro, sendo a única mesa em toda a região do Minho, após eliminação da Mesa de Braga na primeira gala. A finalíssima decorre no dia 16 de setembro, em Albufeira, reunindo 14 mesas, duas por cada eliminatória.

As pré-finalistas apuradas, através de chamadas telefónicas recebidas, são as mesas de Terras de Chanfana, Vila Real, Bragança, Vila de Frades, Bairrada a Mondego, Lages do Pico, Albufeira, Alijó, Mirandela, Zambujeira do Mar, Tomar e Chaves. Faltam duas que saem da gala deste domingo.

Neste período de promoção, Monção desenvolveu várias ações de divulgação do número de apoio, sensibilizando a população local para a relevância deste concurso e para a importância em apoiarem a candidatura. Caso sejamos consideradas uma das “7 Maravilhas à Mesa”, as repercussões no território concelhio serão bastante positivas.

Entre as ações de promoção, referência para a apresentação do padrinho da nossa mesa. O monçanense Evaristo Cardoso, Chef da Seleção Nacional de Futebol, entre 1986 e 1997, e proprietário do Restaurante “Solar dos Presuntos”, fundado a 30 de outubro de 1974.

E para a criação humana do número de apoio e chamada telefónica coletiva.  Perto de um milhar de pessoas formaram a palavra “Vote” e o número de apoio “760 10 70 47”, fazendo um cordão à sua volta. Após o registo aéreo da iniciativa, todos, mesmo todos, pegaram no telemóvel e fizeram a chamada. Do outro lado, a resposta: "Mesa de Monção, agradece o seu voto".

Além de populares e visitantes, marcaram presença nesta ação promocional vários elementos da Assembleia Municipal, vereadores, presidentes de junta e instituições/associações/clubes do concelho. Muitos vestidos a preceito, com as cores e as vestimentas representativas da nossa terra.

Para António Barbosa, as ações desenvolvidas traduziram-se “numa inequívoca e clara demonstração de apoio à candidatura da “Mesa de Monção”, revelando-se como “um sinal muito forte que a nossa mesa tem o apoio e envolvimento de toda a população monçanense”.

adega-palacio (Large)

aguardente (Large)

Cordeiro (Large)

Cordeiro-9931-22 (Large)

Feira_alvarinho (Large)

museu-alvarinho (Large)

património (Large)

vinho-excecao (Large)

RUI ALARCON, VENCEDOR DA VOLTA A PORTUGAL EM BICICLETA DE 2017 e 2018, CONFIRMADO NO “MONÇÃO E MELGAÇO GRANFONDO - A ORIGEM DO ALVARINHO”

Com organização da Bikeservice e apoio das autarquias de Monção e Melgaço, o “Monção e Melgaço Grandfondo – A Origem do Alvarinho” estreia-se no dia 23 de setembro, domingo, com a presença de dois mil participantes, número limite de inscrições.

alarcon

A partida e chegada faz-se de Monção, percorrendo dois concelhos “cobertos” de beleza, história e tradição, onde o cultivo e produção do vinho Alvarinho se confunde com a singularidade, nobreza e caráter das suas gentes. A prova compreende Granfondo (131 km), Mediofondo (106 km) e Minifondo (62 km).

Com muitas caras conhecidas da modalidade já inscritas, a organização confirmou, esta manhã, a presença de Rui Alarcon, vencedor da Volta a Portugal em Bicicleta deste ano, feito já conseguido no ano transato, com a as cores da equipa W52 – F.C. Porto.

A organização agendou também uma caminhada solidária. Valor de 7,00 € com oferta de t-shirt e lanche. Previsto também um Granfondo Kids, um espaço de diversão para alimentar os sonhos dos pequenos participantes e, quem sabe, lançar as sementes de futuros campeões. Realiza-se no dia anterior, 22 de setembro, pelas 17h00, com inscrição gratuita.

Venha à descoberta da origem do Alvarinho.

MONÇÃO E ARCOS DE VALDEVEZ UNEM-SE PARA PROMOVEREM A FEIRA INTERFREGUESIAS DA PORTELA DE ALVITE

Portela do Alvite recebe mais uma vez, Feira Tradicional Interfreguesias (Sistelo e Merufe)

Numa aposta clara em manter e valorizar as tradições, os usos e os costumes em espaço rural, as freguesias de Sistelo, em Arcos de Valdevez e de Merufe, em Monção, uniram-se novamente, para promover mais uma vez, a Feira Interfreguesias da Portela de Alvite.

Foto_1

A realizar-se no fim-de-semana, de 1 a 2 de setembro, esta iniciativa, organizada pelas Juntas de Freguesia de Sistelo e Merufe e pela Associação Socio-cultural e Recreativa de Sistelo, com o apoio do Municípios de Arcos de Valdevez e Monção, conta com uma agenda preenchida e dedicada ao mundo rural, com a realização da feira da cachena e do garrano; concurso de gado, corridas de cavalos, encontro de concertinas, atuações de ranchos e rusgas, a realização de um trilho pedestre “Rota do Gado: da branda à feira” e ainda vários momentos musicais.

O Presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, considera que esta iniciativa é de louvar, não só pela promoção dos concelhos e pelo dinamismo económico e atratividade turística que gera, como também pelo agradável convívio e cooperação vividos entre freguesias e os concelhos vizinhos.

Esta iniciativa insere-se num conjunto de ações de promoção de Sistelo 7 maravilhas de Portugal – Aldeias e como Património Cultural/Monumento Nacional.

MONÇÃO REALIZA XIV FEIRA TRADICIONAL DE PORTELA DE ALVITE

Dias 1 e 2 de setembro. Feira tradicional naquela área de montanha que divide as freguesias de Merufe, em Monção, e Sistelo, em Arcos de Valdevez, tem como finalidade a promoção do mundo rural e a valorização dos usos e costumes da região.

Portela de Alvite

Numa aposta clara em defender as tradições e costumes ancestrais e valorizar a identidade rural em áreas de montanha, as freguesias de Merufe, em Monção, e de Sistelo, em Arcos de Valdevez, promovem, pela décima quarta vez, a Feira Tradicional de Portela de Alvite.

Marcada para este fim de semana, dias 1 e 2 de setembro, no recinto da feira do gado, o certame dedicado ao mundo rural compreende tasquinhas tradicionais, expositores com material agrícola, feira do garrano, concurso de gado (barrosã, cachena e minhota) e corridas de cavalos.

No sábado, pelas 09h00, decorre concurso de gado, seguindo-se entrega de prémios. Pelas 15h00, encontro de concertinas. À noite, com inicio às 22h00, atuação do Grupo Folclórico das Lavradeiras de S. Pedro de Merufe e animação musical com Hugo Costa & Ricardo Rocha.

No domingo, a partir das 9h00, realiza-se a Feira da Cachena e do Garrano e o Trilho Pedestre “Rota do Gado”. A tarde é preenchida com grupos de rusgas e corridas de cavalos. O ponto final do certame acontece pelas 19h00 com a entrega de prémios.

Nestes dois dias, aquele espaço de montanha, que divide os concelhos de Monção e Arcos de Valdevez, enche-se de expositores com material agrícola e tasquinhas com petiscos tradicionais e vinhos da região, sendo muito procurado pelos comerciantes de gado de vários pontos da região minhota.

A Feira Tradicional de Portela de Alvite é organizada pela Associação de Desenvolvimento Integrado de Portela de Alvite e conta com a colaboração das autarquias de Monção e Arcos de Valdevez e Juntas de Freguesia de Merufe e Sistelo, aldeia classificada como uma das 7 Maravilhas de Portugal.

MINHOTOS TODOS UNIDOS COM A “MESA DE MONÇÃO”

À hora marcada, 19h07, a Praça Deu-la-Deu estava cheia. Perto de um milhar de pessoas formaram a palavra “Vote” e o número de apoio “760 10 70 47”, fazendo um cordão à sua volta. Após o registo aéreo da iniciativa, todos, mesmo todos, pegaram no telemóvel e fizeram uma chamada coletiva. Do outro lado, a resposta: "Mesa de Monção, agradece o seu voto"

DSC_0350-800x600

Além de populares e visitantes, marcaram presença nesta ação promocional, realizada na passada sexta-feira, vários elementos da Assembleia Municipal, vereadores, presidentes de junta e instituições/associações/clubes do concelho. Muitos vestidos a preceito, com as cores e as vestimentas representativas da nossa terra.

Para o autarca local, António Barbosa, a iniciativa traduziu-se “numa inequívoca e clara demonstração de apoio à candidatura da “Mesa de Monção- Cordeiro à Moda de Monção”, revelando-se como “um sinal muito forte que a nossa mesa tem o apoio e envolvimento de toda a população monçanense”.

A “Mesa de Monção – Cordeiro à Moda de Monção” participa na última gala de apuramento do concurso “7 Maravilhas à Mesa”, no dia 2 de setembro, em Lagoa, no Algarve, concorrendo com as mesas de Lagoa, Calheta, Tarouca, Gouveia, Villa Oeiras e Santa Cruz.

A final realiza-se em Albufeira, no dia 16 de setembro, estando já apuradas as mesas de Terras de Chanfana, Vila Real, Bragança, Vila de Frades, Bairrada a Mondego, Lages do Pico, Albufeira, Alijó, Mirandela, Zambujeira do Mar, Tomar e Chaves.

A “Mesa de Monção – Cordeiro à Moda de Monção” é a única representante da região do Minho. Evaristo Cardoso, Chef da Seleção Nacional de Futebol, entre 1986 e 1997, e proprietário do Restaurante “Solar dos Presuntos”, fundado a 30 de outubro de 1974, apadrinha a nossa candidatura.

MONÇÃO DEBATE PARTICIPAÇÃO DO EXÉRCITO PORTUGUÊS NA GRANDE GUERRA

Dia 25 de Agosto (sábado) - conferência pelo Tenente-General Alexandre Sousa Pinto O Exército Português e a Grande Guerra.

Cartaz programa

A Casa Museu de Monção promove amanhã, sábado, dia 25 de agosto de 2018, pelas 16h00, uma conferência proferida pelo Tenente-General Alexandre Sousa Pinto O Exército Português e a Grande Guerra, a ter lugar na Sala de Conferências daquela instituição.

Trata-se do encerramento da exposição - A participação dos soldados monçanenses na 1ª Grande Guerra (1914-1918).

A cerimónia conta também com a intervenção do Prof. Doutor Artur Anselmo, Presidente da Academia das Ciências de Lisboa.

Trata-se de uma iniciativa conjunta da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho com a Liga dos Combatentes - Núcleo de Monção e conta com a colaboração do Dr. Manuel Penteado Neiva (cedência espólio), do Município de Monção e do Museu Militar do Porto e de Lisboa.

Organização:

Casa Museu de Monção/Universidade do Minho

Liga dos Combatentes – Núcleo de Monção

Colaboração:

Dr. Manuel Penteado Neiva (cedência espólio)

Município de Monção

Museu Militar do Porto

Museu Militar de Lisboa

PROMOÇÃO DA “MESA DE MONÇÃO” NA FEIRA SEMANAL

No âmbito do plano promocional da “Mesa de Monção – Cordeiro à Moda de Monção”, única representante da região do Minho no concurso “7 Maravilhas à Mesa”, decorre, durante o dia de hoje, feira semanal em Monção, uma ação de divulgação da nossa candidatura.

DSC_0390

Numa banca alusiva à nossa mesa, situada à entrada do recinto da feira, duas funcionárias do município estão a distribuir flyers pelas pessoas, informando-as sobre a iniciativa e apelando ao seu voto. A ação está a correr bem, com grande interesse e participação dos populares. Alguns, logo ali, fazem a chamada para o 760 10 70 47. 

A divulgação da “Mesa de Monção” prossegue amanhã com uma ação mediática na Praça Deu-la-Deu. Esta consiste em dois momentos: criação humana do número de apoio, juntando meio milhar de pessoas, e chamada telefónica coletiva. Prevista para as 19h07, a iniciativa arranca pelas 17h00 com presença de animador.

No sentido de garantir o maior número de apoio, o presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa, vai fazer um périplo pelo comércio tradicional, distribuindo um flyer e convidando proprietários e funcionários a aderirem à iniciativa. No mesmo sentido, seguiram convites para as juntas de freguesias e associações locais.

Em cerimónia muito participada, foi apresentado, na terça-feira, no Museu do Alvarinho, o padrinho da candidatura, Evaristo Cardoso, antigo Chef da Seleção Nacional de Futebol, entre 1986 e 1997, e proprietário do emblemático Restaurante “Solar dos Presuntos”, em Lisboa, fundado a 30 de outubro de 1974. 

As inscrições para o autocarro gratuito, limitado a 50 pessoas, para presença na Gala de Apuramento em Lagoa, no Algarve, foram preenchidas em tempo record. O lançamento da iniciativa foi feito na sexta-feira passada e as vagas ocupadas durante o fim de semana.

DSC_0395

DSC_0401

DSC_0403

MONÇÃO REALIZA FEIRA DO 27

Certame, dedicado à comercialização de gado e produtos do campo, realiza-se este fim-de-semana, 25 e 26 de agosto, no lugar de Santo Amaro, em Ceivães. Muitos emigrantes, quase com a mala feita para o regresso ao trabalho no estrangeiro, não vão falhar a oportunidade de confraternizarem com familiares e amigos numa festa que lhes traz imensas recordações de tempos passados.

Feira do 27

Com organização da União de Freguesias de Ceivães e Badim e da Associação Cultural, Desportiva e Social dos Jovens de Ceivães, realiza-se este fim-de-semana, 25 e 26 de agosto, a “Feira do 27”. Certame, dedicado à comercialização de gado e produtos do campo, decorre no lugar de Santo Amaro, em Ceivães.

Considerando o sucesso dos últimos anos, as expetativas para a presente edição são bastante positivas, esperando-se que seja bem-sucedida quer em termos de afluência de público quer em relação à promoção do mundo rural e rentabilização económica dos expositores presentes.

Apoiada pela Câmara Municipal de Monção, a “Feira do 27” abre portas na tarde de sábado, dia 25, Grupo de Bombos Bombolásticos, pelas 16h30, aula de zumba, pelas 17h30. A noite é saudosamente abrilhantada pelo grupo “Thema Solus”, seguindo-se, a partir da 01h00, a DJ Keu.

No domingo, dia 26, o certame arranca às 8h00 com a realização de uma feira de gado com prémios para os melhores exemplares e exposição/venda de produtos do campo como hortaliças, legumes, ovos, feijão, roscas, artesanato local etc.

Quando o relógio marcar 11h00, realiza-se a abertura oficial do certame com a presença das autoridades locais, seguindo-se visita aos expositores, entrega de prémios e animação musical com o Grupo de Concertinas “Os Magníficos”. Pelas 20h00, ponto final da “Feira do 27” com convívio aberto à população, animado por Rui Afonso.

Antes disso, com inicio às 16h00, realiza-se um festival de folclore com três agrupamentos: Grupo Folclórico “Os Amigos de Longos Vales”, Rancho Folclórico da Casa do Povo de Barbeita, e Grupo Folclórico das Lavradeiras de São Pedro de Merufe.

O objetivo central da “Feira do 27” assenta na revitalização de um certame com grande tradição de comercialização de gado que, tendo estado em pousio durante mais de quarenta anos, continua vivo na memória de gerações de monçanenses.

Decorrendo num período com presença de muitos emigrantes, alguns deles quase com as malas feitas para o regresso ao trabalho no estrangeiro, a “Feira do 27” constitui uma oportunidade, talvez a última este ano, de confraternizarem com familiares e amigos e recordarem o quotidiano de tempos passados.