Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO: IBERDROLA SENSIBILIZA CRIANÇAS PARA A PROBLEMÁTICA AMBIENTAL

Iberdrola sensibilizou crianças para a preservação e valorização ambiental em ação educativa que decorreu em Cabeceiras de Basto

Cerca de 100 crianças participaram ontem, dia 20 de novembro, na Ação de Formação Ambiental sobre ‘Fauna e Flora’ que se realizou no auditório do Centro Hípico de Vinha de Mouros. Organizada pela Iberdrola, através da Biosfera e com o apoio da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, na iniciativa participaram 45 alunos do 3.º e 4.º ano do 1.º ciclo das Escolas Básicas do Arco de Baúlhe e da Faia e ainda 50 alunos dos 5.º e 6.º ano do 2.º ciclo da Escola Básica do Arco de Baúlhe.

Iberdrola sensibilizou crianças para a preservação e valorização ambiental (1)

Participaram nesta ação o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, a vereadora Dra. Carla Lousada, o presidente da Junta de Freguesia de Refojos, Outeiro e Painzela, Leandro Campos, Sara Hoya que é gestora de Ambiente na Iberdrola e Diego Fernandez, responsável pela Biosfera.

Iberdrola sensibilizou crianças para a preservação e valorização ambiental (2)

Ao longo do ‘circuito’ montado no auditório do Centro Hípico, as crianças ficaram a conhecer várias espécies de seres vivos – fauna e flora – estudadas no contexto ambiental do Sistema Eletroprodutor do Tâmega. Árvores, invertebrados, peixes, mamíferos, aves e anfíbios foram as espécies que estiveram expostas ao longo dos seis pontos de paragem, num percurso cheio de surpresas preparadas pela Biosfera, designadamente o ‘lago’ das trutas, onde as crianças foram estimuladas a interagir com os peixes.

Os mais pequenos ficaram a conhecer as árvores autóctones e infestantes mais abundantes da zona norte de Portugal como é exemplo o carvalho, castanheiro, azevinho, medronheiro, oliveira, eucalipto, mimosas, entre outras.

Coelho, codornizes, galinhas, pintainhos, rã ibérica, tritão, tartaruga, trutas foram também alguns dos animais que puderam ser observados ao longo do circuito.

No exterior do auditório, os mais novos foram ainda convidados a entrar num barco, uma experiência inédita para algumas das crianças que se divertiram muito com a experiência.

Esta ação educativa teve como principal objetivo sensibilizar os mais novos para a preservação ambiental, numa lógica da valorização dos territórios que veem implantados investimentos desta grandeza como a construção da barragem de Daivões, localizada no limite do concelho de Cabeceiras de Basto com Ribeira de Pena.

A sensibilização ambiental é uma ferramenta essencial para podermos atingir uma mudança de atitudes em relação à proteção ambiental e só através da educação se conseguirão atitudes mais corretas para com o ambiente, sendo esta a finalidade da Iberdrola com a dinamização desta iniciativa.

“Assumindo-se a Iberdrola como a energética do futuro, não poderia esquecer os que dele vão fazer parte: os mais novos. Foi com grande orgulho que a Iberdrola, juntamente com a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto e a Biosfera, desenvolveu esta ação de formação ambiental, que deu a cerca de 100 crianças uma outra visão sobre a natureza que as rodeia”, veiculou a empresa – “maior produtor de energias renováveis da Europa e dos EUA”.

Trata-se de um dos grandes eventos promovidos em Cabeceiras de Basto no âmbito do plano de ação socioeconómico desenvolvido com os municípios que envolvem o Sistema Eletroprodutor do Tâmega, um dos maiores projetos hidroelétricos dos últimos 25 anos, a nível europeu, que conta com um investimento de mais de 1.500 milhões de euros até 2023.

Iberdrola sensibilizou crianças para a preservação e valorização ambiental (3)

ARCUENSES COMEM ROJÕES E PAPAS DE SARRABULHO

Porta do Mezio no Arcos à Mesa: Rojões & Papas de Sarrabulho

24 de Novembro | Sábado

Cartaz_Atividades Porta do Mezio _rojões

10h00 – Caminhar e Reflorestar

A 24 de Novembro, vamos caminhar, reflorestar e aprender mais sobre a nossa floresta autóctone.

Cada participante levará um pequeno saco com sementes e à medida que formos caminhando vamos lançar estas sementes à terra.

Um passeio suave, desenhado também para pais e filhos, em que através de atividades guiadas que ajudam ao despertar dos sentidos vamos desenvolvendo uma ligação mais próxima e íntima com a natureza e mais concretamente com a floresta.

Características:

Ponto de encontro: 10h00 na Porta do Mezio

Distância aproximada: 6 km

Duração: 3h00

Dificuldade: Fácil

Inscrições/Informações: www.portadomezio.pt / 258510100 / portadomezio@ardal.pt

12h30 – Almoço – Rojões & Papas de Sarrabulho

Aproveite para se deliciar e degustar os Rojões e as Papas de Sarrabulho, no Centro de Promoção e Valorização dos Produtos Locais da Porta do Mezio!

Um espaço calmo, agradável e acolhedor para um almoço em família e com amigos.

Inscrições/Informações: 258510100 / 911 833 616

25 de Novembro | Domingo

09h30 – Viagem pela arte do Passado

Rumaremos até um dos locais mais emblemáticos do Mezio.

O Mezio foi um local de eleição das comunidades humanas da Idade da Pedra, há pelo menos 5000 anos atrás.

Aqui caçavam, encenavam rituais e criavam muita, mesmo muita arte. Bem perto da Porta iremos visitar várias Antas (túmulos) e gravuras (das mais importantes do NE peninsular) desvendando mistérios de um mundo perdido.

Características:

Ponto de encontro: 9h30 na Porta do Mezio

Distância aproximada: 8 km

Duração: 4h00

Dificuldade: Fácil

Inscrições/Informações: www.portadomezio.pt / 258510100 / portadomezio@ardal.pt

12h30 – Almoço – Rojões & Papas de Sarrabulho

Aproveite para se deliciar e degustar os Rojões e as Papas de Sarrabulho, no Centro de Promoção e Valorização dos Produtos Locais da Porta do Mezio!

Um espaço calmo, agradável e acolhedor para um almoço em família e com amigos.

BEATRIZ COSTA LEVA FEIJÃO TARRESTE À IRLANDA, UMA ESPECIALIDADE DE ARCOS DE VALDEVEZ

Aluna do IPVC, vencedora do Young Chef Awards 2018 leva feijão tarreste à Irlanda

Beatriz Costa, vencedora do Young Chef Awards 2018, do Minho, a única região portuguesa de gastronomia europeia, vai representar Portugal no concurso internacional de culinária, o European Young Chef Award, que decorre nos dias 25 e 26 de novembro, na Irlanda.

Beatriz Costa - European young Chef Awards

O Minho Young Chef Awards 2018, realizado em maio, foi uma iniciativa que integrou as três Comunidades Intermunicipais do Alto Minho Cávado e Ave, o Instituto Internacional da Gastronomia, Cultura, Artes e Turismo (IGCAT), e a Plataforma das Regiões Gastronómicas.

Do Minho, Beatriz leva um arroz de tacho cozido numa mistura de água, entrecosto estufado e vinho tinto, cebolas, alhos, chouriças feijão tarreste, produzido em Arcos de Valdevez e outros ingredientes, todos produtos caseiros e locais da região. O principal objetivo é o de valorizar a região do Minho, o seu receituário, os seus produtos endógenos e a sua riqueza diferenciadora no que diz respeito à gastronomia.

É com grande satisfação que vemos um dos produtos de Arcos de Valdevez, integrante da Arca do Gusto Slow Food, ser a escolha desta chefe para a elaboração do prato!

O feijão “Tarreste” caracteriza-se por ser um feijão miúdo, de pele fina com formato de rim e presenta uma grande variabilidade de padrões e cores. Depois de sujeito a cozedura o feijão mantém o grão inteiro, com interior creme e aveludado de sabor intenso.

Quanto à sua utilização culinária é frequente em sopas e pratos com massa e arroz. Existem uma série de receitas, tradicionais de utilização deste produto.

Este feijão tem na sua composição nutricional altos valores de fibra bruta e de ácidos gordos insaturados que podem contribuir para a redução dos níveis plasmáticos de colesterol e triglicerídios.

Boa sorte!

Fonte: TV Europa

FAMALICÃO RECEBE SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE LITERACIA

Famalicão apresentou o que de melhor faz pela literacia a especialistas europeus. Simpósio internacional decorreu na Universidade Porto

O Município de Vila Nova de Famalicão apresentou, no início deste mês, num simpósio internacional as suas boas práticas no âmbito da promoção da literacia, concretamente com a divulgação dos resultados do Programa Litteratus, que integra os Programas Educativos Municipais.

summit

Pioneiro na implementação deste programa orientado para o pré-escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico, Vila Nova de Famalicão mostrou no “Promotion of literacy in Portugal: Investigation and Intervention”, organizado pela Faculdade Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, as suas práticas e os resultados da promoção da literacia.

O objetivo do colóquio realizado foi juntar prática, ciência e tecnologia dedicada à literacia, três etapas que já estão em prática há bastante tempo em Vila Nova de Famalicão.

Assim, investigadores, psicólogos, professores, terapeutas, programadores e outros profissionais da área da literacia de vários países da Europa ouviram que, desde o ano letivo de 2011/2012, o Município de Vila Nova de Famalicão tem vindo a implementar o projeto Litteratus desde o Pré-escolar ao 3.º e 4.º ano de todas as escolas do Município.

A técnica superior Adelaide Dias, coordenadora do GADI – Gabinete de Avaliação, Diagnóstico e Intervenção, na sua comunicação, neste simpósio, explicou que este trabalho visou igualmente a promoção da respetiva formação de todos os professores envolvidos.

Além de equipar todas as escolas da rede municipal com livros do projeto, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão tem investido anualmente desde 2011 na formação de professores, tendo contribuído para a formação de aproximadamente 350 professores até este ano letivo.

Depois de realizada a respetiva avaliação, ao nível da implementação do “Falar, Ler e escrever” (a versão do Litteratus para o pré-escolar) os educadores consideram que a aplicação deste programa em contexto de Jardim de infância é fundamental, pois permite uma maior intencionalização e sistematização de estratégias promotoras das competências pré-leitoras. Entre outros aspetos, verifica-se o aumento do vocabulário, mudanças no desenvolvimento das crianças. O manual, com imagens e histórias muito atraentes, estimula o gosto pela leitura nas crianças.

Também ao nível do 1º ciclo, nomeadamente no 4º ano de escolaridade, em Vila Nova de Famalicão os resultados têm vindo a demonstrar que existem diferenças estatisticamente significativas entre o momento antes e após a intervenção com o programa, com os alunos a obter melhores resultados no pós-teste tanto para compreensão de leitura como no reconhecimento de palavras. Também se verificam melhorias significativas nos resultados dos alunos que fazem parte do grupo experimental (professores que aplicam o Litteratus) nos vários domínios de avaliação do Português.

Segundo o Vereador da Educação, Leonel Rocha, “este trabalho de monitorização e avaliação contínua permite reorientar o programa Litteratus para uma lógica de intervenção mais precoce com o objetivo de prevenir dificuldades na leitura e escrita no 1º Ciclo”. O autarca explica que, pelo acompanhamento e apoio constante das técnicas do GADI a este programa, com enfoque no “Falar, Ler e escrever” neste ano letivo, “é de esperar que mais tarde eventuais dificuldades na leitura e na escrita sejam muito menores”.

NATAL ILUMINA BRAGA

Luzes de Natal iluminam-se em Braga no dia 1 de Dezembro. Inauguração às 17h30 na Praça da República

Dia 1 de Dezembro as Luzes de Natal acendem-se e Braga ficará embelezada com a luz, cor e alegria tão características desta época natalícia. A cerimónia de inauguração da iluminação está marcada para as 17h30 na Praça da República.

Natal Braga

A animação inicia-se mais cedo. Às 16h30 realiza-se o concerto “Canto Lírico visita o Natal”, pela Ópera de Bolso, e um concerto protagonizado pelo Coro Juvenil do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. Após o acender das luzes terá lugar o espectáculo de dança “Christmas Lights”, pela Academia Souldancers de Braga.

A árvore de Natal, localizada na Arcada, e a decoração da fachada no mesmo local terão uma iluminação interactiva inovadora que promete surpreender e fazer as delícias dos Bracarenses e dos milhares de visitantes que passam por Braga nesta época festiva.

Neste dia a Avenida Central transforma-se na capital da magia com inesquecíveis concertos, inebriantes espectáculos e vibrantes animações onde cada segundo será celebrado como único e cada abraço partilhado o ponto de partida para o melhor dos Natais: o Nosso.

São milhares de luzes nas ruas, praças e avenidas do Centro Histórico, nos principais monumentos e nas rotundas do Concelho que contribuirão para engrandecer ainda mais o programa natalícia na Cidade. Este é já um cartão-de-visita da Cidade, que tem realizado inúmeras actividades para toda a família e animação no período natalício, fazendo de Braga – especialmente do Centro Histórico - uma passagem obrigatória nesta altura mágica do ano.

CMB01122017SERGIOFREITAS0000009905

CELORICO DE BASTO ACOLHE MOSTRA EDUCATIVA E PROFISSIONAL

Celorico de Basto prepara-se para receber a III Mostra Educativa e Profissional. 33 entidades marcarão presença nesta mostra

O Município de Celorico de Basto em parceria com o CLDS 3G e o Agrupamento de Escolas estão a desenvolver a III Mostra Educativa e Profissional. Uma mostra que se prevê rica na oferta e terá lugar no Gimnodesportivo da Escola Básica e Secundária de Celorico de Basto, no próximo dia 23 de novembro, com inauguração marcada para as 10h00.

cartaz final da III mostra educativa

“Tudo no mesmo espaço para alunos e jovens desempregados” é o tema desta mostra educativa e profissional que contará com a presença de entidades como Universidades públicas e privadas, Institutos politécnicos, Escolas Profissionais, forças de segurança como a GNR, a Força Aérea, o Exército, a Marinha, e entidades de diferentes áreas que trarão uma mostra significativa do que existe em Portugal quando está em causa a “procura de uma profissão ou o aperfeiçoamento de conhecimentos”.

“Esta mostra educativa é uma forma de dar aos alunos do Agrupamento de Escolas a oportunidade de conhecer de perto entidades que poderão ser responsáveis pelo seu futuro profissional e estudantil” disse Joaquim Mota e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto. “Ter exemplos, conhecer de perto os cursos lecionados nas universidades e nas escolas profissionais, entender que existem alternativas e que com esforço e empenho tudo é possível, tudo é alcançável, é também um objetivo desta mostra educativa. Temos muitos jovens que terminado o 12º ano não sabem que caminho percorrer, e muitos estão sem fazer nada, os tais “nem, nem” que não trabalham nem estudam. Esta mostra é também uma forma de os orientar, de os ajudar a encontrar o rumo certo” referiu o autarca.

A III Mostra Educativa e Profissional decorrerá no Gimnodesportivo da Escola Básica e secundária, das 10h00 às 16h30, da próxima sexta-feira.

SOALHEIRO DESAFIA ALUNOS DA ESCOLA DE HOTELARIA E TURISMO DE VIANA DO CASTELO A CRIAR HARMONIZAÇÕES IMPROVÁVEIS

Projeto arrancou este ano letivo e pretende demonstrar que a gastronomia portuguesa é rica e variada e que pode ser combinada com perfis distintos do Soalheiro.

Uma abordagem detalhada do Vinho Verde e do território de

Monção e Melgaço – A Origem do Alvarinho é um dos objetivos fundamentais.

Consciente da importância da formação de base para a criação de profissionais de topo, a Quinta de Soalheiro desafiou a Escola de Hotelaria e Turismo de Viana Castelo para um projeto que permitirá uma educação sustentada dos seus alunos e que contribuirá certamente para criar embaixadores de Portugal e dos vinhos portugueses nos quatro cantos do mundo. O projeto arrancou no dia 20 de novembro e já promete muitas surpresas. O desafio lançado aos alunos tem como base o desenvolvimento de uma harmonização improvável: desafiar os paladares de um prato típico da região onde a escola está inserida com diferentes estilos de Soalheiro. Um desafio que permitirá demonstrar que a gastronomia portuguesa é rica e variada e que pode ser combinada com perfis distintos de Vinho Verde, especificamente dentro da casta Alvarinho. Os resultados serão apresentados no início de 2019, num evento dedicado ao efeito.

Capturar

O modelo base do projeto centra-se em visitas formativas ao terroir Monção e Melgaço: a origem do Alvarinho e Master Class sobre as especificidades dos Vinhos Portugueses, com especial incidência no Vinho Verde e na Casta Alvarinho, e os paralelismos destes com os vinhos do mundo. O Soalheiro, pela sua diversidade de gama, disponibiliza ainda um kit de formação composto por vinhos de todas as suas dimensões, um info kit explicativo da origem do terroir, Monção e Melgaço e da história do Alvarinho e Fichas Técnicas dos Vinhos. Este kit formação é utilizado de acordo com as necessidades das escolas e serve de ferramenta de trabalho para professores e alunos nas ações letivas e projetos educativos.

“O nosso objetivo é contribuir para que estes alunos aprendam a trabalhar com diferentes estilos de vinho,

para que possam adaptar esses conhecimentos a vinhos de qualquer parte do mundo” - afirmam os produtores.

VINHO É CULTURA: PARTIR À DESCOBERTA DE CHEIROS, MEMÓRIAS, LUGARES…

“Não é preciso beber vinho, para ter cultura de vinho” desmistifica o enólogo Luís Cerdeira quando se refere à formação de base em que os alunos começam a frequentar os cursos profissionais com 14/15 anos. Acrescentando, “o vinho faz parte da nossa tradição. Está enraizado na dieta mediterrânea e é fundamental que os jovens aprendam e evoluam. Não é beber por beber. A cultura do vinho tem a ver com a entrega, com a dedicação, com o simbolismo do momento. Podemos dar história, dar dimensão”.

Na primeira fase deste projeto piloto, a arrancar este ano letivo, integram escolas de norte a sul do país e de diferentes níveis de ensino. O projeto abrange, desta forma, alunos com formações diversas: gestão e administração hoteleira, cozinha, catering, restauração e bar, uma vez que, os sentidos devem ser desafiados e trabalhados num todo para que a harmonia final seja perfeita. Durante o primeiro semestre letivo será implementado também nas Escolas de Hotelaria de Fátima, Porto, Coimbra e Faro e na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Instituto Politécnico do Porto.

“Acreditamos que o turismo pede criatividade para dar a conhecer o potencial do nosso país. Não podemos estagnar face ao presente.

É necessário evoluir e desafiar convenções para que façam ver as potencialidades da nossa terra, do nosso património, das nossas tradições.

É preciso saber fazer as escolhas adequadas. O futuro deles prende-se com inovação e diferenciação. Só os melhores se vão destacar”

concluem os produtores.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE CELEBRA CONTRATO INTERADMINISTRATIVO COM AGÊNCIA PORTUGUESA DO AMBIENTE

O Município de Esposende e APA – Agência Portuguesa do Ambiente, assinaram um contrato interadministrativo com vista à apresentação de uma candidatura a fundos comunitários, através do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, no âmbito do Eixo Prioritário 2 “Promover a adaptação às Alterações Climáticas e a Prevenção e Gestão de Riscos”.

DSC02959

A intervenção em causa - “Ações materiais de proteção do litoral entre Rio de Moinhos e Antas” - tem um custo estimado de 2,2 milhões de euros, sendo que a APA custeará até ao montante de 50 mil euros e o Município de Esposende financiará na ordem dos 250 mil euros. Prevê-se, logo que a candidatura seja aprovada, o lançamento de concurso e o início dos trabalhos, a ocorrer previsivelmente até ao final do primeiro semestre de 2019.

Com a execução desta intervenção estará a promover-se a minimização dos riscos de erosão costeira que se faz sentir nesse troço do litoral, envolvendo a instalação de uma estrutura de defesa ativa na zona de Belinho, no troço onde se verifica a ocorrência dos maiores riscos de galgamento. A par dessa componente, realizar-se-á também a colocação de uma estrutura barreira que permitirá um mais adequado ordenamento do território, permitindo, dessa forma, a minimização do pisoteio desregrado e, assim, a recuperação do próprio sistema dunar. Esta estrutura percorre cerca de 6Km entre Rio de Moinhos e Antas e representará a última fase da Ecovia do Litoral na zona norte do concelho.

De facto, com a execução desta ligação entre Rio de Moinhos (Marinhas) e Antas, ficará praticamente concluída a totalidade do percurso ao longo de todo o litoral do concelho de Esposende, com exceção dos percursos de Cedovém (Apúlia) e do Parque da Cidade de Esposende, cujos projetos se encontram em elaboração.

Concluídos, estão os troços da Avenida Marginal de Esposende e da Marginal de Fão, Marginal de Esposende-Cepães, Cepães-Rio de Moinhos e o percurso da margem esquerda do Estuário do Rio Neiva, em Antas, freguesia onde está ainda em execução a construção da Ponte Pedonal e Ciclável sobre o Rio Neiva, encontrando-se também a decorrer a empreitada do troço Fão-Apúlia. Simultaneamente, está a ser elaborado um projeto para a construção de uma ponte pedonal e ciclável sobre o rio Cávado, que estabelecerá a ligação entre as duas margens.

Além da Ecovia do Litoral, e ainda no plano da mobilidade suave, Esposende integra também a Ecovia do Cávado Homem que ligará Esposende a Terras de Bouro, estando em execução o troço Fão-Fonte Boa.

“Tanto a Ecovia do Litoral Norte como a Ecovia do Cávado Homem constituem ativos da maior relevância para o Município, nomeadamente ao nível do ordenamento, da proteção ativa do litoral e das margens do rio e, naturalmente, também ao nível turístico”, refere o Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, para quem “a qualidade de vida de um território também passa pela criação de infraestruturas desta natureza”.

Benjamim Pereira refere que o contrato interadministrativo celebrado com a APA constitui “um passo muito importante para a concretização de estratégias de proteção costeira e de revitalização de todo o espaço natural, em simultâneo permitindo a conclusão do troço que faltava no percurso da Ecovia que atravessa o concelho”. O projeto deste troço foi elaborado no âmbito do Programa Polis Litoral Norte, tendo sofrido reajustes por via desta candidatura.

PONTE DE LIMA LEVA A LOURES ALHEIRA DE GALO E ARROZ DE SARRABULHO À MODA DE PONTE DE LIMA E O GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO ANIMA A FESTA

Estão quase esgotadas as inscrições para o almoço de arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima e a alheira de galo, numa iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho em parceria com os restaurantes de Ponte de Lima. Mas, praticamente metade das inscrições já estão asseguradas, devendo as mesmas ficarem esgotadas dentro de pouco tempo!

IMG_6274

A iniciativa vai ter lugar no próximo dia 3 de Fevereiro em Loures, a ter lugar na cantina da Câmara Municipal de Loures.

Sob a experiente batuta do Chefe Paulo Santos, da Casa de S. Sebastião, na freguesia limiana de S. Pedro de Arcos, espera-se uma adesão bem mais superior à verificada no ano passado. Os comensais vão ter a oportunidade de saborear uma das requintadas obras do paladar da gastronomia minhota e portuguesa em geral – o arroz de sarrabulho com rojões à moda de Ponte de Lima!

Trata-se, realmente, de uma iniciativa a não perder e cuja inscrição não deve ser relegada para mais tarde… os contactos são os seguintes:

- Teotónio Gonçalves – 964 006 657

- Mário Oliveira – 914 080 246

IMG_6307

CapturarAlmoçoSarrabulho2019

VILAVERDENSES CAMINHAM PELAS MARGENS DO RIO HOMEM

Trilho junta beleza das margens do rio Homem e das freguesias do Vade e da Nóbrega na Rota das Colheitas

Depois de mais de trinta iniciativas Na Rota das Colheitas, do Município de Vila de Verde, chegou o momento de fechar mais uma edição da programação. A decorrer durante o evento Fim de Semana Gastronómico ‘Vila Verde, Capital do Pica no Chão’, o trilho ‘Aboim da Nóbrega a Vade’ realiza-se no dia 25 de novembro, domingo, com o ponto de encontro marcado no Parque de Campismo e Caravanismo Rural de Aboim da Nóbrega às 08h30. Este ano, a organização preparou um trajeto diferente do habitual de modo a despertar maior interesse e divulgar as zonas ribeirinhas.

cartaz trilho da nobrega a vade1

A atividade desportiva acontece durante a manhã e prolonga-se até o período da tarde, com a organização a cargo do Parque de Campismo de Aboim da Nóbrega e ATAHCA, com o apoio da Junta de Freguesia de Aboim da Nóbrega e Gondomar e a Junta de União de Freguesias do Vade. Gratuitas e abertas a toda a população, as inscrições encerram no dia 22 de novembro, quinta-feira, pelas 14h00 e pode ser feita via e-mail (campismoaboim@atahca.pt) ou telefónico (253 348 094/ 913 936 566).

De Aboim da Nóbrega ao Vade há muito para apreciar!

Sem medo ao frio, os participantes são desafiados a fazer 15km de distância com grau de dificuldade moderada e em percurso circular. O trajeto alberga os encantos das margens do rio Vade: a 1ª cascata do rio Vade (100 metros do parque), casa da pequenina, castelo de Aboim, capela são João, montes Chão Grande, de Perre e Valcião, capelinha da Nossa Senhora do Amparo e o campo de futebol Fonte Perdiz em Aboim da Nóbrega. Em estreia, são visitados diversos lugares de referência das freguesias do Vade como as cascatas do Vade na zona do boco, moinhos de produção de energia, ponte da Agrela, passadiços do Vade e Pavilhão do Vade. No final da iniciativa, os caminheiros têm direito a um lanche reforçado oferecido pelas Juntas das Uniões de Freguesia de Aboim da Nóbrega e Gondomar e do Vade. O evento está previsto terminar pelas 16h com autocarro assegurado para o regresso ao parque de campismo.

“Uma forma de inovar, de fazer algo diferente!”

Domingos Costa é um dos organizadores e frisa a importância desta atividade, deixando claro os objetivos a que se propõe. “O trilho Aboim da Nóbrega a Vade tem como propósito ajudar a promover toda esta zona e dar a conhecer o local, bem como juntar e atrair as pessoas e dinamizar o comércio local”, revela um dos responsáveis pelo Parque de Campismo Rural de Aboim da Nóbrega. Domingos Costa afirma também que o percurso deste ano é distinto do habitual: “É uma forma de inovar, de fazer algo diferente! Queremos que as pessoas venham passar um dia agradável junto das nossas margens bonitas!”.  Acrescenta também que, neste momento, as inscrições decorrem a bom ritmo e espera uma boa adesão à semelhança de outros trilhos.

O ‘Trilho ‘Aboim da Nóbrega a Vade’ é um dos eventos que encerra a IX edição da programação Na Rota das Colheitas, promovida pelo Município de Vila Verde, que durante quatro meses apostou de forma intensiva na valorização e divulgação da cultura tradicional da região do Minho e na promoção do concelho de Vila Verde e respetivas freguesias.

BENFICA MAIS FELIZ DO QUE O CRAV

Grande jogo de rugby em Arcos de Valdevez com qualidade, ritmo e incerteza no marcador até ao final.

028

Entrada forte da equipa lisboeta no jogo, uma das primeiras classificadas do CN1 e que ainda na época passada jogou no escalão superior, muito pressionante e a impor o seu físico e organização tentando perfurar a defesa arcuense.

Sendo certo que nos primeiros 20 minuto de jogo o conseguiu, remetendo o CRAV para o seu meio campo defensivo, conseguindo através de perfurações de alguns dos seus mais poderosos jogadores criar dificuldades que a equipa da casa foi conseguindo parar. Com o decorrer da 1ª parte o CRAV foi conseguindo equilibrar o jogo, principalmente nos avançados, ficando assim o jogo mais dividido e com oportunidades para ambas as equipas .

O resultado ao intervalo era de 3-7

Na segunda parte os lisboetas marcaram primeiro (3-14) e quando se pensava que estaria assim sentenciado o jogo, foi o CRAV que tomou conta dos acontecimentos e conseguir ir para cima dos adversários, com uma resposta a um nível de jogo que ainda não tinha apresentado esta época.

Num jogo que continuou equilibrado, o ascendente que o CRAV apresentou nessa fase, foi traduzido em pontos fazendo com que a 10 minutos do final tivesse conseguida dar a volta ao resultado passando a vencer por 15-14.

O Benfica com uma penalidade conseguir retornar à condição de vencedor 15-17, momento em que o CRAV passou procurar voltar à frente do marcador. E foi por muito pouco que não o conseguiu, numa jogada bem delineada pelos seus avançados e já dentro da área dos 22 encarnada um passe adiantado frustrou a clara oportunidade minhota, sendo que quase na resposta, num contra ataque, os forasteiros marcariam o seu ultimo ensaio sentenciando o jogo nos 15-21 finais.

Nos minutos finais o CRAV ainda podia ter obtido um ponto de bónus defensivo, mas não foi possível, sendo certo que seria de inteira justiça, num bom jogo onde ambas as equipas procuraram vencer e onde o CRAV demonstrou que, a continua assim, ainda vai ter uma palavra no desenrolar do campeonato.

001

019

023

O ANTIGO “CAFÉ GUERRA” EM PONTE DE LIMA ERA O PONTO DE ENCONTRO DAS GENTES DA CABRAÇÃO EM DIA DE FEIRA

O estabelecimento nas vilas de um local de encontro das gentes de uma determinada aldeia ou freguesia em dia de feirar constituiu desde sempre uma das características das feiras e mercados medievais, as quais chegaram até aos nossos dias pela força do costume e tradição.

12193804_193968834269493_1361079369266961922_n

Ainda antes do surgimento da viação mecanizada, vulgo “camionetas” de carreira, apinhadas até ao tejadilho com bagagens e mercadorias, as gentes saíam manhã cêdo das aldeias em ranchos e, uma vez chegadas à bila, lá íam elas à sua vida, cada um para seu lado, tratar dos seus negócios… os mais novos tinham geralmente encontro marcado com os conversados!

Ao longo do dia vendiam e que tinham a vender, contratavam os jornaleiros para os trabalhos domésticos ou da lavoura, procediam ao pagamento quando era o caso e, de tempos a tempos, acorriam ao local de reunião do seu povo para ali deixar as alfaias compradas à guarda de um familiar ou vizinho enquanto de novo regressava à confusão do mercado por entre as tendas dos feirantes. E, chegada a altura do regresso a casa, lá íam todos juntos, tornando mais suave o sacrifício da caminhada.

Entretanto vieram as camionetas de carreira. Quem na feira de Ponte de Lima não se recorda ainda dos velhinhos autocarros do “Cura” aguardando os passageiros junto ao mercado municipal? Seguiu-se a generalização do uso da viatura particular e as gentes da aldeia deixaram de fazer a caminhada a pé… da Cabração a Ponte de Lima distam cerca de treze quilómetros e havia que contar com outros tantos na viagem de regresso!

Mas, o antigo costume manteve-se atá aos nossos dias. Cada localidade possuem o seu ponto de encontro em diferentes sítios da bila.

A título de exemplo, as gentes da Cabração tinham por local de encontro a Torre de S. Paulo, a qual curiosamente exibe um magnífico painel de azulejos da autoria de Jorge Colaço, alusivo à lenda que deu origem ao seu nome – Cabras são, Senhor!

Com o passar do tempo e por razões de comodidade, passaram também a frequentar um café existente nas proximidades, aproveitando para descansar da correria da feira até chegada a hora do regresso a casa. Era o velhinho e já desaparecido Café Guerra que as pessoas da Cabração guardam na memória com saudade dos tempos idos.

CÂMARA MUNICIPAL DE PONTE DA BARCA RECUPERA PATRIMÓNIO NATURAL EM ENTRE-AMBOS-OS-RIOS E ERMIDA

Dando continuidade ao périplo pelas freguesias do concelho, Augusto Marinho, Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca, acompanhado pela Presidente da União de Freguesias de Entre Ambos-os-rios, Ermida e Germil, Rosa Reitor, esteve na passada quinta-feira em visita de trabalho às freguesias de Entre Ambos-os-Rios e Ermida, da União de freguesias de Entre Ambos-os-rios, Ermida e Germil.

Capturar

Na visita o Presidente da Câmara Municipal aproveitou para verificar no terreno os trabalhos executados naquelas freguesias no âmbito de uma candidatura ao POSEUR - Programa Operacional  Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

Em Entre Ambos-os-Rios teve oportunidade de verificar a limpeza que foi feita nas margens do rio Froufe, sendo que também as margens  do rio Lima (desde da foz do rio Tamente até antiga Central Hidroelétrica de Lindoso), a margem esquerda do rio Tamente e margens do ribeiro de Cabaninhas foram objeto desta intervenção.  

Conservar a biodiversidade e a paisagem dos ecossistemas fluviais, em especial a recuperação e proteção de espécies e habitats com estatuto de conservação desfavorável é o objetivo principal do projeto“Ordenamento e manutenção das galerias ripícolas dos rios Froufe, Lima e Tamente e ribeiro de Cabaninhas”, e representa um investimento de  74.689,00€.

Já na Ermida foi possível verificar in loco a implementação do projeto “Recuperação da Paisagem Cultural da Área Degradada Associada à Branda de Bilhares (Ordenamento do Pastoreio). Com um investimento de 74.990,00€, os trabalhos de recuperação consistiram, essencialmente, na regularização do caminho de acesso à Branda de Bilhares, limpeza e desmatação da área envolvente da Branda de Bilhares, remoção de elementos inertes resultantes da ruína de muros e edificação existente, colocação de muro e vedação a jusante da Branda de Bilhares, de forma a condicionar o pastoreio abaixo desse local.

46439188_1548354391932205_763935052571607040_o

BENFICA MAIS FELIZ DO QUE O CRAV

Grande jogo de rugby em Arcos de Valdevez com qualidade, ritmo e incerteza no marcador até ao final.

183

Entrada forte da equipa lisboeta no jogo, uma das primeiras classificadas do CN1 e que ainda na época passada jogou no escalão superior, muito pressionante e a impor o seu físico e organização tentando perfurar a defesa arcuense.

Sendo certo que nos primeiros 20 minuto de jogo o conseguiu, remetendo o CRAV para o seu meio campo defensivo, conseguindo através de perfurações de alguns dos seus mais poderosos jogadores criar dificuldades que a equipa da casa foi conseguindo parar. Com o decorrer da 1ª parte o CRAV foi conseguindo equilibrar o jogo, principalmente nos avançados, ficando assim o jogo mais dividido e com oportunidades para ambas as equipas .

O resultado ao intervalo era de 3-7

Na segunda parte os lisboetas marcaram primeiro (3-14) e quando se pensava que estaria assim sentenciado o jogo, foi o CRAV que tomou conta dos acontecimentos e conseguir ir para cima dos adversários, com uma resposta a um nível de jogo que ainda não tinha apresentado esta época.

Num jogo que continuou equilibrado, o ascendente que o CRAV apresentou nessa fase, foi traduzido em pontos fazendo com que a 10 minutos do final tivesse conseguida dar a volta ao resultado passando a vencer por 15-14.

O Benfica com uma penalidade conseguir retornar à condição de vencedor 15-17, momento em que o CRAV passou procurar voltar à frente do marcador. E foi por muito pouco que não o conseguiu, numa jogada bem delineada pelos seus avançados e já dentro da área dos 22 encarnada um passe adiantado frustrou a clara oportunidade minhota, sendo que quase na resposta, num contra ataque, os forasteiros marcariam o seu ultimo ensaio sentenciando o jogo nos 15-21 finais.

Nos minutos finais o CRAV ainda podia ter obtido um ponto de bónus defensivo, mas não foi possível, sendo certo que seria de inteira justiça, num bom jogo onde ambas as equipas procuraram vencer e onde o CRAV demonstrou que, a continua assim, ainda vai ter uma palavra no desenrolar do campeonato.