Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BISCOITOS ARTESANAIS MIOLO DE NÓS®: UM MIX DE TRADIÇÃO COM MODERNIDADE EM TRÊS SABORES: SÉSAMO, CAJU E ERVA-DOCE

Marca 100% portuguesa inspira-se na Portugalidade para criar a sua variedade de biscoitos doces

A Miolo de Nós®, uma marca 100% portuguesa, localizada em Famalicão, inspirada na força e ímpeto do caráter de ser Português, criou uma variedade de biscoitos doces artesanais com 3 sabores surpreendentes: sésamo, erva-doce e caju.

Miolo de Nós_Caju_1.4.jpg

É uma autêntica viagem sensorial através de sabores que têm origem no melhor da essência de ser português, em toda a sua vertente histórica e cultural.  A Miolo de Nós® quis trazer para perto o Brasil (país irmão), com os biscoitos de caju; o aroma do Oriente trazido pelos navegadores portugueses, com as especiarias e o sésamo;  e que não faltassem as notas campestres da gastronomia alentejana, com a erva-doce. 

De qualidade superior, os biscoitos são produzidos com métodos artesanais e matérias-primas cuidadosamente selecionadas. São o resultado de bons ingredientes trabalhados por mãos que gostam do que fazem. A Miolo de Nós® gosta de tradições, mas adora ser moderna.

Apostando na promoção de uma alimentação equilibrada, a Miolo de Nós®  procura a utilização de elementos saudáveis na produção dos seus biscoitos, sem comprometer o seu sabor e/ou a sua textura. Assim, privilegia as gorduras “boas” (caju, azeite), as sementes como fonte de nutrientes e fibras (sésamo), e também as plantas aromáticas que reduzem o apetite e auxiliam o processo digestivo (erva-doce).

Miolo de Nós_Erva-Doce_1.3.jpg

VIEIRA DO MINHO ATRIBUI BOLSAS DE ESTUDO A UMA CENTENA DE ESTUDANTES

Cem alunos universitários do concelho de Vieira do Minho vão receber bolsa de estudo num investimento municipal que ronda os 60 mil euros.

Esta medida, aprovada hoje em reunião de câmara, pretende apoiar a continuação da formação dos estudantes finalistas do ensino secundário oriundos de famílias economicamente mais carenciadas, cujas disponibilidades financeiras não lhes permitem fazê-lo apenas pelos seus próprios meios, bem como colaborar na formação de quadros técnicos superiores residentes no concelho de Vieira do Minho.

154583292_2049957998479354_6724361817008176788_o.j

CENTRO CULTURAL DE PAREDES DE COURA RECONVERTIDO EM CENTRO DE VACINAÇÃO

Paredes de Coura inicia esta quinta-feira a vacinação contra a Covid-19 na comunidade, de acordo com o Plano Nacional de Vacinação. O Centro Cultural, que tantas vezes acolheu os mais diversos espetáculos, foi o espaço reconvertido pelo Município para a instalação do Centro de Vacinação na Comunidade e que vai receber por dia 400 pessoas com mais de 80 anos para a toma das desejadas vacinas.

“Garantimos todas as condições para que as pessoas possam ser vacinadas em Paredes de Coura e com segurança. No entanto, devemos pensar que a vacinação não vai resolver de imediato os nossos problemas. Teremos de continuar a ser cuidadosos, responsáveis e vigilantes”, alertou o presidente da Câmara, Vitor Paulo Pereira, acreditando que com esta nova etapa um previsível regresso à normalidade estará mais próximo.

“Quando iniciarmos a vacinação dos nossos velhinhos, dos nossos queridos pais e avós, abrimos uma porta ao otimismo e ganharemos esperança num mundo diferente que não nos obrigará a amar à distância. Todos temos saudade do mundo velho dos afetos. Todos temos saudade de um abraço apertado e sentido”, reconheceu Vitor Paulo Pereira, acreditando, gradualmente, em dias melhores: “Tenho a convicção de que, progressivamente, a vacinação reforçará as defesas dos nossos entes queridos de mais idade e trará uma maior segurança e paz a todas as famílias. Com calma e serenidade vamos esperar pela nossa vez. Até lá, proteja-se e tenha cuidado”.

400 pessoas por dia com mais de 80 anos

Nesta nova fase das nossas vidas, e depois do Centro Cultural também já ter sido na primeira vaga da pandemia reconvertido em Hospital de Retaguarda que felizmente não foi necessário utilizar, agora o espaço dedicado ao Centro de Vacinação na Comunidade também foi projetado no sentido de satisfazer todas as necessidades dos nossos concidadãos.

Assim, tendo em conta a necessidade de garantir as acessibilidades para pessoas com mobilidade reduzida -- cadeiras de rodas, macas ou pessoas que usem bengala ou muletas --, a entrada no espaço será feita pela porta de cargas existente junto ao parque de estacionamento das traseiras do Centro Cultural, através da rampa de acesso existente. Num outro âmbito, toda a circulação interior no edifício, incluindo o acesso às casas de banho, será feita ao mesmo nível, sem qualquer degrau ou desnível. Por sua vez, dentro do Centro de Vacinação na Comunidade está disponível uma área de receção, registo e encaminhamento, bem como espaços individuais para administração da vacina e duas salas de vigilância onde, após a toma da vacina, as pessoas possam ficar sob acompanhamento médico caso façam alguma reação adversa à vacina.

Nesta fase são convocadas as pessoas maiores de 80 anos após agendamento prévio pelo Centro de Saúde – Unidade de Cuidados à Comunidade -- e, seguidamente, as pessoas maiores de 50 anos com doenças associadas (diabetes, neoplasia maligna ativa, doença renal crónica, insuficiência hepática, obesidade, hipertensão arterial, etc.). Estima-se que estarão abrangidos neste grupo de risco cerca de 1300 courenses, cuja vacinação será levada a cabo em pouco mais de uma semana. O Município em articulação com as Juntas de Freguesia também se disponibilizou para fazer os contactos e agendamentos necessários da população, tal como já havia acontecido anteriormente com a vacina da gripe.

MUNICÍPIO DE CAMINHA MANTÉM SESSÕES DE TERAPIA DA FALA NOS JARDINS DE INFÂNCIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SIDÓNIO PAIS

A terapia da fala continua a ser uma realidade para todas as crianças do pré-escolar do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais. Estas sessões promovidas no âmbito do projeto School4All - Caminha visam a  promoção do sucesso escolar das crianças do concelho. Tal como no ano passado estas sessões são disponibilizadas pelo Município e têm continuidade mesmo com ensino à distância.

Recorde-se que esta medida foi implementada no ano letivo 2019/2020. É considerada uma medida de excelência e é muito acarinhada pelos pais, alunos e educadores de infância. O processo passa pela equipa multidisciplinar School4All Caminha que realiza um rastreio anual aos alunos do último ano do pré-escolar, com o objetivo de identificar precocemente todas as crianças que apresentem défices ao nível da linguagem e/ou fala que venham a condicionar negativamente o seu sucesso escolar. Esta identificação precoce permite implementar atempadamente os programas de intervenção e as estratégias pedagógicas necessárias para mitigar as dificuldades de cada aluno, favorecendo o processo de ensino-aprendizagem ainda antes da transição para o 1º ciclo.

No ano letivo anterior foram observados 97,5% dos alunos finalistas do pré-escolar do AESP, num total de 79 crianças de todos os estabelecimentos de ensino. Destes, 42 apresentaram fragilidades ao nível da linguagem e/ou fala. No presente ano letivo foram rastreadas 59 crianças, representando 81% dos alunos elegíveis. Contudo, as atividades de promoção da consciência fonológica englobam todos os alunos do ensino pré-escolar. Optou-se por um modelo de funcionamento misto, com sessões presenciais desenvolvidas uma vez por mês em cada sala e atividades semanais enviadas às educadoras de infância (atividade e vídeo explicativo). Nesta fase de ensino à distância, as sessões não pararam. Foram reestruturadas de modo a serem desenvolvidas pelas famílias. Os desafios fonológicos são enviados semanalmente com suporte material e de vídeo explicativo.

O School4All é mais um investimento na educação e formação dos alunos do concelho. Este projeto é cofinanciado em 85% pelo Fundo Social Europeu, sendo a restante quantia assumida pelo Município de Caminha. Resulta de uma candidatura aprovada no âmbito do Programa Operacional Regional do Norte, Norte 2020, submetido ao eixo prioritário 8: educação e aprendizagem ao longo da vida, no montante de cerca de 266 mil euros, financiado em 85% pelo Fundo Social Europeu.

VISCONDES DE VILA NOVA DE CERVEIRA E MARQUESES DE PONTE DE LIMA EM PAREDES DE COURA: “ROL DOS PAPÉIS QUE ESTÃO NOS BUFETES PEQUENOS DA SECRETARIA QUE PODEM EMPRESTAR ALGUM DIA” PROVAVELMENTE DO SÉCULO XVIII

Refere "escritura de dote que meus avós deram a minha mãe quando casou com meu pai, uma petição de meu avô o senhor visconde a el rei para que lhe mande paasar uma tuitiva para a Igreja de Santa Maria de Insalde, concelho de Coura [Paredes de Coura], uma quitação de 375$475 reis e que se pagaram na alfândega um maço de quitações as mais delas das missas que se dizem em São Lourenço e em Santa Cruz do Castelo e das tenças de minhas tias freiras na Rosa, um maço de escrituras da fazenda da Índia, um maço com testamentos de meu avô o senhor visconde; uma transação de minha avó a senhora D. Maria feita a meu pai e algumas escrituras de fazendas de Alfândega da Fé e um papel dos linhos de Torres Vedras, um maço de feitos sobre a fazenda de Alfândega da Fé e uma sentença contra o marquês de Gouveia para se lhe pagar jugada da Alfândega da Fé e umas cartas de partilha de meus avós e a doação dos linhos de Torres Vedras". Em baixo está escrito: "igoanha". Na segunda folha está está escrito "Corte do Lobo / róis".

Fonte: ANTT

PT-TT-VNC-B-3066_m0001.jpg

PAREDES DE COURA: DILIGÊNCIA DE HABILITAÇÃO A FAMILIAR DO SANTO OFÍCIO DE ANTÓNIO SOARES BRANDÃO

António Soares Brandão, casado com Ana Maria dos Reis pretendente a familiar, cirurgião, natural de São Pedro de Rubiães, concelho de Paredes de Coura, morador em Lisboa. Obteve carta de Familiar do Santo Ofício a 27 de Junho de 1732.

Na impossibilidade de publicar todo o extenso processo de habilitação, deixamos aqui as páginas iniciais do mesmo.

A pertença à família do Santo Ofício representava um privilégio uma vez que conferia estatuto social aos seus membros. Para ingressar na família do Santo Ofício ou na vida religiosa os candidatos eram submetidos a um processo de habilitação através do qual tinham de justificar a sua pureza de sangue. Os seus antepassados não podiam ser negros, judeus, mouros ou ciganos e a sua conduta cívica, moral e religiosa deveria ser irrepreensível.

As principais funções dos Familiares do Santo Ofício encontravam-se ligadas à sua máquina, cabendo-lhes executar as prisões de suspeitos de heresia, sequestrar os bens dos condenados, nos crimes em que coubesse confisco, e efetuar diligências a mando dos inquisidores. Havia ainda Familiares médicos, que examinavam os presos e avaliavam sua resistência à tortura. Exerciam, também, função precípua nos célebres Autos-de-fé, trajados com pompa, ladeando os penitentes em procissão e os condenados até o cadafalso.

Fonte: ANTT / Wikipédia

PT-TT-TSO-CG-A-008-001-3846_m0001_derivada.jpg

PT-TT-TSO-CG-A-008-001-3846_m0003_derivada.jpg

PT-TT-TSO-CG-A-008-001-3846_m0005_derivada.jpg

PT-TT-TSO-CG-A-008-001-3846_m0006_derivada.jpg

PT-TT-TSO-CG-A-008-001-3846_m0007_derivada.jpg

PT-TT-TSO-CG-A-008-001-3846_m0009_derivada.jpg

PT-TT-TSO-CG-A-008-001-3846_m0010_derivada.jpg

CÂMARA DE VIZELA FAZ PARCERIA COM ACIV PARA APOIAR A COLOCAÇÃO DE TOLDOS NOS ESTABELECIMENTOS DE COMÉRCIO E RESTAURAÇÃO

No seguimento da política de revitalização do centro urbano e das freguesias, inseridas no RUS - Plano de Ação - Regeneração Urbana Sustentável e no PARU – Plano de Ação de Regeneração Urbana de Vizela, a Câmara Municipal vai efetuar uma parceria com a ACIV - Associação Comercial e Industrial de Vizela, para apoiar a aquisição de novos toldos pelos estabelecimentos de comércio e restauração de todo o Concelho.

toldos.jpg

Assim, a Câmara Municipal irá comparticipar em 50% a aquisição de toldos por parte destes estabelecimentos, até um limite máximo de 300,00€ por toldo e segundo características definidas pela Câmara Municipal e aprovadas pela ACIV.

O objetivo desta medida é a uniformização e valorização da imagem urbana, aumentando a qualificação do espaço público e a qualidade estética destes espaços, tornando-os mais atrativos, melhorando a imagem de Vizela e fomentando a atividade turística no Concelho.

De destacar que a Câmara Municipal considera muito importante a revitalização do centro urbano e das freguesias, para a dinâmica turística que se pretende para o concelho de Vizela, que se pretende abrangente e que fomente dinâmicas conducentes a uma Vizela com futuro: uma cidade competitiva, capaz de atrair e fixar cidadãos, de captar investimentos e de atrair visitantes, mas também uma cidade sustentável, nas diferentes vertentes ambiental, social, económica e institucional.

VIEIRA DO MINHO TEM NOVOS TRILHOS NA SERRA DA CABREIRA

O Município de Vieira do Minho encontra-se a desenvolver 3 novos trilhos sinalizados que vêm reforçar a rede de percursos pedestres já existentes na Serra da Cabreira.

153814564_2049844145157406_2681098770913439686_o.j

- PR7 – Senhora da Lapa ao Castro de Anissó: este fará a ligação circular entre o Santuário de N.ª Sr.ª da Lapa e o Castro de Anissó. Situado na União de Freguesias de Anissó e Soutelo, este percurso com cerca de 10 km de extensão engloba pontos de interesse como o próprio santuário, construído no interior de uma rocha de grandes dimensões, miradouros com vistas dignas de registo, locais com história milenar, como o Castro de Anissó com evidências de povoados celtas e mouros.

- PR8 – II Invasões Francesas: este localiza-se na União de Freguesias de Campos e Ruivães, e tem como intuito de perpetuar e promover a história associada às ocorrências das II Invasões Francesas. Associado a este trilho com 11 km de extensão, o seu utilizador poderá encontrar vários factos relativos às batalhas travadas nas pontes de Saltadouro e Misarela, bem como a todas as lendas e contos.

- PR9 – Nascente do Rio Ave: este está essencialmente presente na União de Freguesias de Anjos e Vilarchão, e está a ser criado para dar a conhecer o coração da Serra da Cabreira aos seus utilizadores. Pretende-se com este trilho valorizar e proteger a Nascente do rio mais português, o Rio Ave.

Recentemente a equipa de Sapadores Florestais de Vieira do Minho

procedeu à limpeza do percurso Senhora da Lapa ao Castro de Anissó.

153722476_2049844155157405_3999215434465200202_o.j

154802865_2049844178490736_7409815355071902630_o.j

153497146_2049844255157395_6813949352127286744_o.j

LAMPREIA DO RIO MINHO – UM PRATO DE EXCELÊNCIA

Com a participação de 47 restaurantes do Vale do Minho, 11 do concelho de Monção, a 12ª edição funciona em regime takeaway, todos os fins de semana, até 15 de abril.

CAPAlampreiamonç.jpg

A ADRIMINHO, a Confraria da Lampreia do Rio Minho, e os seis municípios do Vale do Minho (Melgaço, Monção, Valença, Paredes de Coura, Vila Nova de Cerveira e Caminha), promovem a 12ª edição da “Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência”, decorrendo entre 15 de fevereiro e 15 de abril, aos fins de semana.

Devido ao surto pandémico que vivemos, os restaurantes participantes nesta iniciativa intermunicipal vão funcionar em regime de takeaway, cumprindo todas as normativas e recomendações da Direção Geral de Saúde, bem como as medidas restritivas constantes no estado de emergência.

Participam 80 restaurantes dos seis concelhos, contando-se, entre estes, 12 restaurantes do concelho de Monção. Primando pela qualidade, requinte e tradição, convidam os habitantes da região do Vale do Minho e os amantes da boa gastronomia a manterem esta tradição, levando para casa os diferentes pratos de lampreia para degustação em contexto familiar.

A “Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência” constitui um importante contributo para a promoção deste prato típico da região, assumindo-se, neste período adverso, como a manifestação de um ato de solidariedade com todas as pessoas que, direta ou indiretamente, estão envolvidas na preservação e valorização deste recurso singular do nosso território.

A organização desta iniciativa, cuja programação tem reforçado a componente cultural, histórica e turística dos municípios envolvidos, revela, na presente edição, uma carga de enorme simbolismo retratada na firmeza e resiliência de quem se recusa a desistir: pescadores, vendedores, restaurantes, unidades de alojamento, empresas de animação e outros profissionais ligados ao setor.

O que diz António Barbosa

“A iniciativa Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência constitui um valioso cartão-de-visita da região num período de época baixa. Com tradição, inovação e profissionalismo, os restaurantes de Monção disponibilizam a afamada e saborosa Lampreia do Rio Minho. Este ano, devido à pandemia, vão funcionar em regime de takeaway.

Louvo a determinação, perseverança e capacidade de adaptação dos nossos empresários de restauração, desejando-lhes sucesso neste período difícil.  Convido os monçanenses a encomendarem este prato tradicional num dos nossos restaurantes, apoiando a gastronomia local e todos os profissionais do setor”.

Catálogo em https://tinyurl.com/yqqmmdlc

2lampreiamonç2.jpg

03lampreiamonç3.jpg

04lampreiamonç4.jpg

CÂMARA DE VIZELA DUPLICOU APOIO EXTRAORDINÁRIO AOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS PARA FAZER FACE ÀS DIFICULDADES DECORRENTES DO SURTO EPIDÉMICO COVID-19

Na sequência do surto da nova estirpe de coronavírus SARS-COV-2, foi decretado o Estado de Emergência Nacional, tendo sido decretadas pela Presidência do Concelho de Ministros, um conjunto de medidas de ordem preventiva e restritiva, designadamente deveres de confinamento obrigatório e de especial proteção, para evitar a transmissão da doença na comunidade.

reunião BVVvizz.JPG

De igual modo, tendo em consideração a atual situação evolutiva do surto epidémico, o Município de Vizela implementou o respetivo Plano de Contingência Municipal e adotou, ainda, um conjunto de medidas excecionais com âmbitos temporais e de aplicação diferenciados, designadamente no combate ao surto, no estímulo à recuperação económica e na proteção social.

Assim, e dadas as dificuldades com que as instituições se têm deparado, torna-se de primordial importância mitigar os constrangimentos de natureza diversa com que estas se deparam, pelo que a Câmara Municipal aprovou um reforço de apoio financeiro e a Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vizela, no valor de €20.000,00, para fazer face às dificuldades decorrentes do surto epidémico do coronavírus SARS-COV-2 e, assim, assegurar o desenvolvimento e realização das atividades sociais regulares daquela corporação.

Com a atribuição deste apoio, a Câmara Municipal pretende reconhecer a importante missão que é desempenhada pelos Bombeiros de Vizela, em prol da qualidade de vida das populações e do desenvolvimento do nosso Concelho, em especial nestes tempos de pandemia.

PRESIDENTE DA CÂMARA DE VIZELA PRESENTE NA ASSINATURA DO CONTRATO PARES 2.0 ENTRE O MINISTÉRIO DO TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL E A SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VIZELA

O Presidente da Câmara Municipal esteve hoje presente por videoconferência, na sessão de outorga do Contrato de Comparticipação Financeira no âmbito do PARES 2.0 entre o Ministério do Trabalho Solidariedade e Segurança Social e a Santa Casa da Misericórdia de Vizela e que permitirá um importante investimento para a ampliação da capacidade da resposta social Creche no Concelho de Vizela.

Reunião com Ministra - Assinatura 2.0.png

O Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais, denominado PARES 2.0, assenta no apoio a importantes investimentos na área dos Equipamentos Sociais, viabilizando a promoção de respostas sociais de qualidade aos utentes, a adoção de soluções capazes de assegurar a qualidade e a modernização desses serviços e responder, de forma mais eficiente, às novas necessidades sociais diagnosticadas nos municípios onde estas respostas sociais são estratégicas por contribuir para o seu desenvolvimento.

De destacar que a Santa Casa da Misericórdia de Vizela apresentou uma candidatura ao PARES 2.0 para a construção de uma creche, e que vem ao encontro das necessidades do nosso Concelho, onde as taxas de cobertura ao nível dos equipamentos para a infância, no caso concreto da valência da creche são reduzidas face às necessidades diagnosticadas.

Esta política vem no seguimento da nova dinâmica implementada por este Executivo Municipal na área da ação social e no reforço da sua ação no âmbito da intervenção social municipal, e que resultou na criação do programa Vizela + Social, um programa que assenta na reestruturação total da área social, assim como de criação de verdadeiras almofadas sociais no Concelho.

PCP QUESTIONA MINISTRA DA CULTURA ACERCA DA SITUAÇÃO DO PATRIMÓNIO HISTÓRICO EM GUIMARÃES

Ponte Soeiro e Igreja de Santa Cristina de Serzedelo - Guimarães

A preservação e divulgação do património histórico é hoje uma importante reivindicação das populações, mobilizando amplos sectores da nossa sociedade.

O património histórico, material e imaterial, é um importante e precioso activo, fundamental no desenvolvimento cultural, social e económico das comunidades. Porque é um elemento estrutural da memória histórica colectiva de um povo ou comunidade; porque desempenha um importante papel na educação e formação cívica das populações, e na preservação da sua identidade histórica e cultural.

Nesse sentido, as deputadas do PCP, Ana Mesquita e Diana Ferreira, questionaram o Ministério da Cultura sobre a situação  de duas importantes estruturas com valor histórico no concelho de Guimarães: a Ponte Soeiro, na freguesia de Gondar, e a Igreja de Santa Cristina de Serzedelo.

Junto publicamos os requerimentos apresentados na Assembleia da República.

O PCP continuará atento a estas situações que têm visto a sua resolução adiada e lutará para que não sejam esquecidos estes importantes marcos históricos do concelho de Guimarães.

Capturarpcpreq1.PNG

Capturarpcpreq2.PNG

Capturarpcpreq3.PNG

Capturarpcpreq4.PNG