Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

“SER EM MELGAÇO”

Dia 9 de julho, na Porta Lamas de Mouro

Um evento que pretende despertar os sentidos da vida através do envolvimento com a natureza, Serenidade, envolvimento e respiração caracterizam o evento que o destino de natureza mais radical de portugal promove no dia 9 de julho: SER em Melgaço. A iniciativa tem como principal objetivo promover o envolvimento do público com a natureza, explorando diversas formas de interação com o meio natural e, por este motivo, a escolha da Porta Lamas de Mouro, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês, como palco de todas as ações.

Yoga, dança terapia, reiki, música ao vivo, intervenções artísticas, degustação de ervas medicinais e sessões sobre diversas temáticas/especialidades são algumas das atividades que compõe o evento e que decorrerão quer no interior, como na envolvente da Porta Lamas de Mouro, espaço que possui um enquadramento paisagístico com cenários naturais perfeitos para a iniciativa.

O evento arranca pelas 11h11, no Auditório “O Velho Carvalho”, e a escolha do horário de todas as atividades foi definido tendo como base o estudo da energia dos números para que, consoante as múltiplas ações programadas, exista uma relação com as energias correspondentes.

As ações são de participação livre e gratuitas.

Post_SER22.jpg

PROGRAMA

SER em Melgaço - Serenidade, Envolvimento, Respiração

11h11 – Inauguração

Auditório “O Velho Carvalho”

Gilberto Barbosa: PNL - Programação Neurolinguística e Hipnoterapia (Caminhos pra Saúde)

Nanni Pinto: acupuntura

Just Natur: apresentação e degustação de ervas medicinais em chã e infusões

Mia Garelha: triologia (desenho humano, astrologia, numerologia cármica)

Adriane Bavarosky: auricologia

(Inscrições gratuitas, mas obrigatórias, através do e-mail adomingues@cm-melgaco.pt – Anabela Garelha)

13h13 – Almoço

14h23 - “Içar do Espantalho” e inauguração da exposição “ESPANTALHOS, os guardiões das hortas” | Aldeia de Lamas de Mouro

14h40 – Inauguração da exposição “Trilhos Pólen Saturados” de AluaPolen | Receção Porta de Lamas

14h38 às 17h01 – Sentir a experiência: PNL, Acupuntura, Auricologia, Triologia e Reiki | Auditório “O Velho Carvalho”

Marco Martins – Omnilife: demonstração e exposição de cosmética natural e vegan.

15h06 - Yoga ao ar livre (monitor: Patrícia Cachetas), Chi Kung (monitores: Joana Pereira e Nanni Pinto) | Anfiteatro “Espelho de Água”

15h56 - Dança Terapia na natureza (monitora: Mia Garelha) | Anfiteatro "Espelho de Água"

17h01 – Música ao vivo: Sunset Reggae - Xis Connection & The Black Turf  | “Palco do Silêncio”

Todo o dia - Intervenções artísticas estilo “LandArt” | Sala de exposições “Eira das Artes” (envolvente ao evento)

Artistas: Madalena Lima, Mafalda de Castro e AluaPolen (Circulartes)

CÃO DE RAÇA CASTRO LABOREIRO NA FILATELIA PORTUGUESA

O Ministério dos Transportes e Comunicações - Correios e Telecomunicações de Portugal, através da Portaria n.º 329/81 de 4 de Abril, publicada em Diário da República n.º 79/1981, Série I de 1981-04-04, lançou em circulação, cumulativamente com as que estão em vigor, uma emissão de selos com tarja fosforescente alusiva aos «Cães de Raça Portuguesa»

Capturarfilacastrolabor.JPG

Capturarfilateliacao.JPG

XPQ73E45752345955B7D35FEZKU.jpg

SECRETÁRIA DE ESTADO DO TURISMO EM MELGAÇO PARA INAUGURAÇÃO DA REDE MUNICIPAL DE PERCURSOS PEDESTRES E CICLÁVEIS

Amanhã, 9 de junho, pelas 14h30, na Porta Lamas de Mouro

Melgaço dá mais um passo em prol do desenvolvimento do Turismo de Natureza: inaugura a rede municipal de percursos pedestres e cicláveis e celebra a certificação do concelho como Destino Turístico Sustentável.

A ação acontece amanhã, dia 9 de junho, pelas 14h30, na Porta Lamas de Mouro, e conta com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques.

percurso-pedestre-cevide-melgaco (45).jpg

MELGAÇO: PISCINAS DO CENTRO DE ESTÁGIOS REABREM ESTA SEXTA-FEIRA

Época balnear até 11 de setembro

As piscinas exteriores do Centro de Estágios de Melgaço reabrem na próxima sexta-feira, 10 de junho, para mais uma época balnear. A oferta turística no destino de natureza mais radical de Portugal fica assim mais completa para este verão.

NI_Reabertura_piscinas.jpg

Até 11 de setembro, munícipes e turistas poderão usufruir de um amplo espaço, de uma piscina para crianças, bem como de uma magnífica área verde em redor das piscinas.

E na envolvente existem ainda outras opções para descontrair e relaxar, nomeadamente um circuito de manutenção, parque infantil, lago artificial, anfiteatro ao ar livre, parque de merendas, mini golf, polidesportivo descoberto e campo de ténis.

HORÁRIOS:

Junho e setembro

Segunda a sexta-feira - das 13h às 20h

Sábado e Domingo – das 10h às 20h

 

Julho e agosto

Segunda-feira – das 13h às 20h

Terça-feira a Domingo – das 10h às 20h

Preçário:

As crianças até aos seis anos têm entrada gratuita

Jovens e adultos (> 13 anos) – 4,000€

Crianças entre os 7 e 12 anos – 2,00€

Após as 17h00

Jovens e adultos (segunda a sexta, após as 17h00) - 2,50€

Crianças (segunda a sexta, após as 17h00) - 1,50€

Uso da espreguiçadeira – 3,00€

MELGAÇO, O DESTINO DE NATUREZA MAIS RADICAL DE PORTUGAL!

O município de Melgaço é limitado a norte e leste pela região da Galiza, confronta com o Rio Minho e está inserido numa importante região montanhosa, cujos valores patrimoniais e ambientais são referência reconhecida internacionalmente. Região verdejante, tipicamente Minhota, de forte e fértil vegetação, onde se fabrica uma das mais sublimes castas de vinho verde, o famoso Alvarinho, Melgaço orgulha-se do seu bonito património histórico, cultural e arquitetónico, inserido no maravilhoso Parque Nacional da Peneda-Gerês. É uma terra rica em tradições, histórias, lendas e testemunhos de vivências passadas e detentor de uma rica e saborosa gastronomia.

A sua beleza natural, o clima, o património histórico e a gastronomia, são alguns dos motivos pelos quais muitos escolhem Melgaço para descansar!

MONÇÃO & MELGAÇO, A “ORIGEM DO ALVARINHO”

Hoje, 7 de junho, assinala-se o Dia de Monção & Melgaço, a “Origem do Alvarinho”. Os Presidentes da Câmara de Monção e Melgaço insistem, neste dia, num sentimento e num pensamento comum entre as duas autarquias relativamente à urgência do debate sobre a criação de uma DO (Denominação de Origem) própria, sabendo-se que a maioria dos produtores estão convencidos que esse será o caminho a seguir no futuro. Convictos de que estamos a falar da Sub-região com maior dinamismo, afirmação e diferenciação, que puxa pelo preço dos vinhos da região.
O dia 7 de junho assinala a conquista dos produtores que viram reconhecida, através da atribuição de uma marca e de um selo, a exclusividade, a autenticidade, a origem, e a qualidade dos vinhos produzidos em Monção & Melgaço, certificando que a Sub-Região está na origem da casta Alvarinho que, no nosso território, assume características únicas.

Monção & Melgaço - alvarinho.jpg

DONA PATERNA CELEBRA DIA DE MONÇÃO & MELGAÇO COM COPO DE BOAS-VINDAS DE ALVARINHO

No dia 7 de junho, no restaurante Miradouro do Castelo

A marca de Melgaço volta, uma vez mais, a apostar em sinergias com os produtores locais.

No dia 7 de junho (terça-feira), a marca de alvarinho Dona Paterna convida à celebração do Dia de Monção & Melgaço no restaurante Miradouro do Castelo, em Castro Laboreiro. Ao almoço ou jantar, todos os clientes serão brindados com um copo de vinho alvarinho Dona Paterna.

donapaterna (1).jpg

O dia 7 de junho assinala a conquista dos produtores da sub-região de Monção e Melgaço. A 7 de junho de 2017 foi criado o Selo de Garantia Exclusivo para Monção e Melgaço, certificado pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes. Desde então, todos os vinhos que tenham a denominação de Origem Vinho Verde, de uvas colhidas e vinificadas na sub-região de Monção e Melgaço, com menção a tal na rotulagem, e engarrafados por agentes da sub-região, podem usar este selo que certifica a autenticidade e genuinidade dos produtos provenientes de Monção e Melgaço, como forma de garantir que é esta sub-região que está na origem da casta alvarinho com características singulares.

«A sub-região de Monção e Melgaço tem condições naturais de microclima e solo que fazem desta um terroir único no mundo. Monção e Melgaço é a origem do alvarinho. Nós, produtores, temos de saber potenciar o que o território nos dá, e é muito. Conseguimos daqui fazer vinhos de excelência, reconhecidos por todo o mundo.», refere o produtor Carlos Codesso, considerando que «esta iniciativa pretende ser uma forma de brindar quem visita o território, mas também a população, com o que de melhor este tem, que é o alvarinho e a excelente gastronomia, aliada à natureza tão característica do Alto Minho, onde estamos inseridos.»

O vinho Alvarinho Dona Paterna é um clássico.

Um néctar cheio de delicadeza, frescura e mineralidade, com fruta branca delicada, citrinos, tons salinos e flores. Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves. Deve ser bebido entre 10-11ºC.

Com esta ação, a marca Dona Paterna volta, uma vez mais, a apostar em sinergias com os produtores locais. «Só faz sentido criando experiências que envolvem o território. Os vários agentes que aqui atuam. A sub-região só faz sentido assim e, para isso, temos de trabalhar em conjunto. O visitante, o cliente, não quer apenas uma experiência ou produto, mas sim uma variedade de vivências.», considera Carlos Codesso. Quem visitar o restaurante Miradouro do Castelo neste dia receberá ainda um outro miminho da marca Dona Paterna, como forma de agradecimento pela escolha da sub-região de Monção & Melgaço.

Restaurante Miradouro do Castelo é o mais antigo da vila de Castro Laboreiro na serra da Peneda, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês. Os pratos mais procurados da carta são fumeiro castrejo (como entrada), bacalhau à D. António ou com broa, cabrito no forno, e de sobremesa bucho doce ou arroz-doce. Morada: Vila de Castro Laboreiro, 4960-061, Melgaço. As reservas podem ser efetuadas através do telefone 251 465 469.

donapaterna (1).png

UM TERROIR ÚNICO NO MUNDO

Graças à exposição atlântica e a um clima caracterizado por elevada pluviosidade, humidade atmosférica, temperatura amena e pequenas amplitudes térmicas, a casta alvarinho atinge neste terroir o máximo das suas potencialidades.

O vinho Alvarinho é um vinho nobre. Esta casta só se produz até 200 metros de altitude, e é aqui que esta casta encontra as condições ideais para o cultivo e maturação. Por isso a sua raridade e baixa produção. Monção e Melgaço é, não só o berço, mas o solar do Alvarinho.

A sub-região de Monção e Melgaço foi criada em 1908, integrada na Região dos Vinhos Verdes, mas a casta Alvarinho existe em Portugal há mais de 700 anos.

donapaterna (2).jpg

A PAIXÃO PELA VINHA LEVOU À CRIAÇÃO DA MARCA DONA PATERNA EM 1990

Localizada numa das mais importantes sub-regiões da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, a sub-região de Monção e Melgaço, a adega Dona Paterna situa-se, concretamente, no município mais a norte de Portugal, Melgaço, na Quinta da Carvalheira, no centro da freguesia de Paderne, uma região fortemente marcada pela cultura da vinha, nomeadamente da casta alvarinho, uma das castas brancas mais ilustres e considerada, por muitos, a melhor casta branca enxertada nas vinhas portuguesas.

Em seu redor é possível admirar, para além da rica paisagem natural, o antigo Mosteiro e a sua vetusta igreja românica, considerado monumento nacional. Uma velha tradição histórica refere que o Mosteiro de Paderne terá sido fundado no século X por D. Paterna, casada com o Conde D. Hermenegildo, governador de Tui (Espanha) e irmã do famoso São Rosendo da Ordem dos Cónegos Regrantes de Stº Agostinho. O nome desta freguesia tem aqui a sua origem e, honrando a História, o nome deste vinho – Dona Paterna.

O alvarinho Dona Paterna nasceu da paixão de Carlos Codesso que, inspirado pelo seu pai, Manuel Francisco Codesso, desde muito novo se interessou pela viticultura. Obstinado e incentivado pelo progenitor, em 1974, iniciou as primeiras plantações de alvarinho. O acumular de experiência, o contacto com a vinha, o cultivo de videiras, o explorar e conhecer o terroir e, por fim, a experiência na vinificação, foi a pedra-base para a criação, em 1990, da marca de vinho alvarinho Dona Paterna. «Foram das primeiras vinhas contínuas em Melgaço. Comecei a produzir vinho, como lavrador, na altura nas designadas adegas de garagem, e a participar em concursos de vinho, recebendo algumas distinções. Em 1990 decidi criar a marca Dona Paterna.», conta Carlos Codesso.

Esta relação entre o vinho e o terroir onde se insere, a sub-região Monção e Melgaço, o respeito pelo meio ambiente, bem como a aposta na tecnologia, permite hoje apresentar diferentes perfis de alvarinho Dona Paterna de elevada qualidade, entre vinhos, espumantes e aguardentes.

donapaterna (3).jpg

FINAL DA VI TAÇA DO DESPORTO ESCOLAR – UNICEF ACONTECE EM MELGAÇO

Nos dias 3, 4 e 5 de junho

Cerca de 500 crianças participam no evento onde serão apurados vencedores de quatro modalidades: Andebol, Atletismo, Basquetebol e Ténis de Mesa.

Taca22_Facebook800x800.png

Melgaço recebe, de 3 a 5 de junho (sexta-feira a domingo), a final da VI Taça do Desporto Escolar – UNICEF onde participarão 480 crianças, alunos do 7º ano de escolaridade, oriundos de várias escolas do país. A iniciativa visa promover a prática da atividade física e desportiva e valorizar o sentimento de pertença dos alunos ao grupo/turma e amigos sob o lema “ganha a turma, ganha a escola”.

A VI Taça do Desporto Escolar UNICEF, que decorrerá no Centro de Estágios de Melgaço, dá continuidade ao projeto que nasceu em 2015 e caracteriza-se por ser uma competição combinada de quatro modalidades - Andebol, Atletismo, Basquetebol e Ténis de Mesa - sendo as equipas definidas com base nos torneios interturmas e interescolares. Cada escola participa, obrigatoriamente, nas quatro modalidades, com um total de quatro equipas, sendo cada equipa constituída por alunos da mesma turma.

«Será, sem dúvida, um excelente momento de convívio entre os jovens e professores do nosso país que, acima de tudo, pretende elevar a importância dos princípios e dos valores desportivos, da cidadania e da amizade, para além de incentivar à prática do desporto. A todos, boa sorte e boa estadia no destino de natureza mais radical de Portugal.», refere Manoel Batista, autarca de Melgaço.

A ação é uma iniciativa do Desporto Escolar e conta com a colaboração da UNICEF, cuja missão é promover e proteger os direitos da criança, nos quais se incluí a importância da atividade física e do desporto para o seu desenvolvimento. Para além do apoio do Município de Melgaço, conta ainda com a colaboração do IPDJ - Instituto Português do Desporto e Juventude, do CNID - Associação Jornalistas de Desporto, da Direção Geral da Educação, da DGEstE - Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e das Federações que tutelam o desenvolvimento do Andebol, Atletismo, Basquetebol e Ténis de Mesa.

Mais informações e programa em www.desportoescolar.dge.mec.pt (aqui).

MINHOTOS E GALEGOS UNIDOS CONTRA PROJETO DE LINHA DE MUITO ALTA TENSÃO

Autarcas e população contra projeto de muita alta tensão

Coincidindo com a reabertura da Igreja da Misericórdia, em Monção, após trabalhos de restauro do interior e exterior, António Barbosa esteve no local, antes da manifestação, transmitindo uma mensagem de solidariedade e apoio contra a instalação do projeto elétrico.

284266267_5577499448936789_1380697522588965900_n.jpg

Promovida pela Asociacion de Afectados Pola Liña de Alta Tension Fontefria-Fronteria Portuguesa, realizou-se, ontem à tarde, com início às 17h00, uma manifestação contra a instalação de uma linha de muito alta tensão, de 400 quilovolts (Kv), desde FonteFria, na Galiza, até à fronteira portuguesa, com prolongamento em território nacional.

Esta manifestação, realizada em Arbo, surge na sequência da intenção do governo espanhol em manter o traçado inicial daquele empreendimento elétrico, como se constata na declaração de impacto ambiental da Direção General de Calidade y Evaluacion Ambiental, publicada no passado dia 26 de abril, no Boletin Oficial do Estado.

Coincidindo com a reabertura da Igreja da Misericórdia, após trabalhos de restauro do interior e exterior, António Barbosa esteve no local, antes da manifestação, com o alcalde de Arbo, Horacio Gil, e com elementos da Asociacion de Afectados Pola Liña de Alta Tension Fontefria-Fronteria Portuguesa, transmitindo-lhes uma mensagem de solidariedade e apoio contra a instalação do projeto elétrico.

Na manifestação participou o vereador Agostinho Correia, tendo sublinhado as desvantagens do empreendimento elétrico para a população, meio ambiente e economia local, onde se destaca a produção do vinho Alvarinho. Presentes, também, os autarcas de Ceivães/Badim, Teresa Gonçalves, e de Tangil, Michel Fernandes, freguesias atravessadas pela linha de muito alta tensão.

282380281_5577499905603410_8127388368854176191_n.jpg

282107302_5577500472270020_6275115140361702801_n.jpg

281875672_5577500762269991_1096180515372615303_n.jpg

“FRENTE COMUM” DE AUTARCAS PORTUGUESES E GALEGOS CONTRA A LINHA DE MUITO ALTA TENSÃO

Monção, Melgaço, As Neves e Arbo reafirmam posição contrária à construção daquele empreendimento elétrico e marcam concentração / manifestação para o próximo Domingo, dia 29 de Maio, pelas 17 horas, em Arbo.

281921787_5562812797072121_7470706116830137665_n.jpg

De acordo com a declaração de impacto ambiental da Direção General de Calidade y Evaluacion Ambiental, publicada no passado dia 26 de abril, no Boletin Oficial do Estado, o Governo de Espanha mantem o traçado inicial da linha elétrica de muito alta tensão de 400 quilovolts (Kv), desde FonteFria, em território galego, até à fronteira portuguesa.

Ontem, terça-feira, os autarcas de Monção, António Barbosa, e de Melgaço, Manoel Baptista, e os alcaldes de Arbo, Horácio Gil, e As Neves, Xose Manuel Rodriguez, reuniram-se, em Arbo, para analisar a posição do governo espanhol e estabelecer uma “frente comum” contrária ao projeto elétrico.

Lamentando que o governo espanhol não tivesse atendido às legitimas preocupações das populações e do poder local, manifestadas em diversos locais e variadas formas, os quatro autarcas reafirmaram a sua posição contrária à construção daquele empreendimento elétrico.

Em uníssono, com determinação e firmeza, consideram que a instalação de uma linha de muito alta tensão terá um impacto negativo brutal em ambos os territórios e nas populações locais, originando diversos problemas para a saúde pública, comprovada em diferentes publicações e pesquisas efetuadas por organismos distintos e credíveis.

Concentração / manifestação no dia 29 de Maio, Domingo

A Asociacion de Afectados Pola Liña de Alta Tension Fontefria-Fronteria Portuguesa promove, no próximo domingo, dia 29 de maio, pelas 17h00, uma concentração/manifestação em Valiñas-Poste (Barcela-Sela), em Arbo, contra a instalação daquele empreendimento elétrico.

Os quatro municípios já manifestaram a sua participação na concentração/manifestação, comprometendo-se, por um lado, a incentivar as respetivas populações para estarem presentes e, por outro, a contactarem os restantes municípios da AECT Rio Minho, de forma a reforçar a “frente comum” de contestação ao projeto.

Entretanto, o alcalde de Arbo, Horácio Gil, reúne-se, esta sexta-feira, com a Subdelegada do Governo em Pontevedra, M. Carmen Larriba Garcia, aguardando-se que o Ministério de Transición Ecológica responda a um pedido de audiência, onde lhe será transmitida a posição da população e poder local nesta questão.

Assembleia Municipal rejeitou projeto

O projeto de instalação da linha elétrica de muito alta tensão de 400 quilovolts (Kv), desde FonteFria, em território galego, até à fronteira portuguesa, com o prolongamento à Rede Elétrica Nacional, atravessa sete concelhos do Alto Minho: Monção, Melgaço, Ponte de Lima, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez e Paredes de Coura.

Em janeiro de 2019, tanto a Assembleia Municipal de Monção como o Pleno do Concelho de As Neves aprovaram, por unanimidade, uma proposta de rejeição do projeto. Em junho de 2020, no decorrer do período de consulta pública, tornaram a manifestar-se contra, de forma bastante explicita, à construção daquela linha elétrica.

Sensivelmente um ano depois, em maio de 2021, em conjunto com a Asociacion de Afectados Pola Liña de Alta Tension Fontefria-Fronteria Portuguesa, o Município de Monção e o Concello de As Neves voltaram a dizer NÃO ao empreendimento, defendendo que:

“Mais do que uma linha de muito alta tensão, o território fronteiriço necessita de políticas ativas de valorização das potencialidades locais, bem como de medidas concretas que favoreçam o equilíbrio ambiental, a promoção social e cultural e a fixação das populações nos meios rurais”.

DESCOBRIR E DESFRUTAR DO QUE MELGAÇO TEM

“Pegada Zero – Melgaço Minho Tourism Design Experience, de 2 a 4 de junho

Serão três dias repletos de adrenalina, com uma panóplia de atividades para crianças e adultos, no destino de natureza mais radical de Portugal

De 2 a 4 de junho, o destino de natureza mais radical de Portugal, Melgaço, convida à descoberta do concelho durante o “Pegada Zero – Melgaço Minho Tourism Design Experience”. Serão três dias recheados de atividades e experiências inovadoras com base nos recursos endógenos, autênticos e sustentáveis da região, envolvendo vários agentes da região. Nesta edição, Melgaço convida ainda à estreia do documentário “Melgaço, Biodiversidade e Valores Naturais”.

PZ - noticia.jpg

Haverá um programa para a Fam Trip e um outro geral. Em linha com o posicionamento definido no seu Plano Estratégico setorial – Melgaço, o destino de natureza mais radical de Portugal, o evento “Pegada Zero – Minho Tourism Design Experience” pretende destacar as potencialidades do concelho na vertente de turismo de natureza, envolvendo os agentes que atuam na região: empresas de animação, restauração, alojamento, comunidade local, entre outras; mas também pretende que se desenvolvam ações de sensibilização sobre a conservação da natureza, junto das comunidades intervenientes, assim como criar ou reforçar a relação das mesmas com o setor do turismo.

A edição deste ano fica também marcada pela estreia do documentário “Melgaço, Biodiversidade e Valores Naturais”, do realizador Miguel Arieira (Associação Ao Norte), realizado no âmbito do Plano Educacional para a Reserva da Biosfera do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos - POSEUR-03-2215-FC-000068O trabalho promove o Património Natural do concelho de Melgaço: as espécies mais emblemáticas de Fauna e Flora; a diversidade de habitas; e as deslumbrantes paisagens. Destaque, ainda, para uma componente educacional, numa perspetiva de sensibilização para as questões relacionadas com a conservação destes valores naturais. A estreia está marcada para o dia 4 de junho, pelas 15h30, na Casa da Cultura de Melgaço e contará com a presença do biólogo Duarte Silva (Foradata - acompanhamento científico).

O património natural de Melgaço concede-lhe uma posição de destaque e contribui para que a região tenha todas as condições para a prática de atividades de turismo de natureza, não fosse o concelho estar situado na Área Protegida mais importante de Portugal, o Parque Nacional Peneda-Gerês (PNPG), consagrado pela UNESCO Reserva Mundial da Biosfera. As suas características geográficas e geológicas, fazem de Melgaço um destino de natureza por excelência. A valorização dos recursos naturais, culturais, enogastronómicos, como o PNPG, o Rio Minho (Rede Natura), o vinho alvarinho, o fumeiro e outros produtos locais, garantem a vivência de experiências únicas e diversificadas, ao mesmo tempo que permitirão dar a conhecer a região, as suas gentes e costumes, durante os três dias do evento.

PROGRAMA

FAM TRIP

Dia 01 de junho

15h00 – Check-in (Hotel Monte Prado)

– Receção dos participantes

19h00 – Momento de apresentação das empresas

20h00 – Atuação do grupo etnográfico Casa do Povo

20h30 – Jantar (Hotel Monte Prado)

Dia 02 de junho

09h00 – Caminhada aquática / Canyoning Varziela, Castro Laboreiro – Montes Laboreiro

13h00 – Almoço (Castro Laboreiro – Miradouro de Castro)

14h30 – Caminhada Just Nature

16h30 – Experiência Abelhas Buckfast

18h00 – Melgaço + Sustentável – Plantação de uma árvore no “Melgaço Sustainable Wood of Fame” (Centro de Estágios de Melgaço)

18h45 – Hotel Monte Prado

20h00 – Jantar (Restaurante Tasquinha da Portela)

Dia 03 de junho

08h00 – Check-out (Hotel Monte Prado)

09h00 – Experiência no Rio Minho

                Batismo de atividades praticadas no Rio Minho

  • Rafting
  • Canoaraft
  • Hidrospeed
  • Kayak
  • Salto Pendular
  • Paddle

13h00 – Almoço (Termas de Melgaço)

14h30 – Visita às Termas de Melgaço

15h00 – Prados de Melgaço

16h30 – Quinta de Soalheiro

PROGRAMA GERAL

Dia 04 junho

09h30 – Workshop -Técnicas de extração e imobilização em meio aquático | Escola Superior de Desporto e Lazer (IPVC)

09h45 – Parte Teórica

– Técnicas de extração em meio aquático

– Imobilização com talas moldáveis

10h45 – Parte prática nas piscinas exteriores do Centro de Estágios de Melgaço

Formadores: Artur Caldas e Pedro Leal

14h30 – Almoço (Buffet na Casa da Cultura de Melgaço)

Nota: Inscrição obrigatória em: https://forms.gle/pQUxixKTR7oDqHRr6

15h30 – Estreia do documentário “Melgaço, Biodiversidade e Valores Naturais”

Com o realizador Miguel Arieira (Associação Ao Norte) e o biólogo Duarte Silva (Foradata - acompanhamento científico) - Casa da Cultura de Melgaço

16h30 – Inauguração da exposição “Transfiguracion da Materia” de Xuli Fontes (Casa da Cultura de Melgaço)

17h00 – Encerramento do “Pegada Zero – Melgaço Minho Deisgn Experience”

A edição de 2022 está enquadrada na execução da Op. NORTE-06-3928-FEDER-000019, integrada no programa “Minho Tourism Design Experience”, financiado pela estratégia de eficiência coletiva PROVERE Minho Inovação, desenvolvida pelas comunidades intermunicipais (CIM) do Ave, Cávado e Alto Minho.

MELGAÇO, O DESTINO DE NATUREZA MAIS RADICAL DE PORTUGAL!

O município de Melgaço é limitado a norte e leste pela região da Galiza, confronta com o Rio Minho e está inserido numa importante região montanhosa, cujos valores patrimoniais e ambientais são referência reconhecida internacionalmente. Região verdejante, tipicamente Minhota, de forte e fértil vegetação, onde se fabrica uma das mais sublimes castas de vinho verde, o famoso Alvarinho, Melgaço orgulha-se do seu bonito património histórico, cultural e arquitetónico, inserido no maravilhoso Parque Nacional da Peneda-Gerês. É uma terra rica em tradições, histórias, lendas e testemunhos de vivências passadas e detentor de uma rica e saborosa gastronomia.

A sua beleza natural, o clima, o património histórico, a gastronomia e os vinhos de alvarinho, são alguns dos motivos pelos quais muitos escolhem Melgaço para descansar!

Capturarmelg.JPG

MELGAÇO LANÇA PACOTE TURÍSTICO “A LAMPREIA E AS PESQUEIRAS DO RIO MINHO”

Amanhã, sábado, dia 14 de maio, pelas 11h00. Durante a Festa dos Pescadores das Pesqueiras do rio Minho

Melgaço organiza amanhã, sábado, dia 14 de maio, a Festa dos Pescadores das Pesqueiras do rio Minho e, aproveitando o potencial turístico e cultural da atividade piscatória na raia, lança o pacote turístico “A Lampreia e as Pesqueiras do Rio Minho”. A festa é uma organização da autarquia melgacense e da Associação dos Pescadores e marca o encerramento da época de pesca nos dois lados da fronteira* neste rio. A iniciativa tem início pelas 11h00, junto ao acesso ao rio Minho na freguesia de Alvaredo (coordenadas: 42.101261, -8.313881).

rio-minho-pesqueiras.JPG

Para além de ser um momento de convívio entre os pescadores, assim como das várias instituições/entidades com as quais estes mantêm relações profissionais e/ou institucionais, a Festa dos Pescadores das Pesqueiras do rio Minho pretende chamar a atenção para a importância da atividade piscatória nas pesqueiras do Rio Minho, nomeadamente ao nível dos aspetos económicos, ecológicos, sociais, patrimoniais e culturais.

O pacote turístico “A Lampreia e as Pesqueiras do Rio Minho”, uma iniciativa promovida em colaboração com os pescadores, a Capitania do Porto de Caminha e o Município de Melgaço, nasceu com o propósito de preservar e divulgar as Pesqueiras do rio Minho, bem como a arte piscatória aqui desenvolvida, que foi sendo transmitida de geração em geração e que permanece até aos dias de hoje. A ação consiste em orientar os turistas pelos trilhos de acesso às pesqueiras, exemplificando todo o processo da arte da pesca, pelos próprios pescadores, desde a construção das redes até ao seu uso nas pesqueiras, contando as histórias e curiosidades sobre a arte da pesca artesanal e das construções milenares existentes nas duas margens.

A ação oferecerá, assim, aos turistas uma experiência associada à gastronomia, aos produtos endógenos e à descoberta das suas origens, à autenticidade do território e ao saber fazer tradicional. O rio Minho marca a identidade das gentes de Melgaço e a ele estão ligadas as principais atividades que foram, durante anos, as suas fontes de sobrevivência. O rio era rico em espécies que ainda hoje fazem as delícias gastronómicas, com destaque para o salmão, sável, savelha e, sobretudo, a lampreia, espécies utilizadas como produtos de promoção turística do concelho de Melgaço e da região.

PROGRAMA:

11h00 - Concentração dos pescadores e entidades convidadas (acesso ao Rio Minho por Alvaredo - coordenadas: 42.101261, -8.313881)

11h15 - Caminhada pelas pesqueiras e explicação da arte da pesca

             - Apresentação do pacote turístico “A Lampreia e as Pesqueiras do Rio Minho”

13h00 - Almoço convívio

PESQUIRAS DO RIO MINHO: preservar um saber comum aos dois territórios da raia

A origem da construção das pesqueiras do rio Minho perde-se na História: as primeiras referências documentadas são do séc. XI. Já eram utilizadas pelos romanos para a pesca daquela que é considerada uma das maiores iguarias do rio Minho: a lampreia. Testemunham saberes ancestrais na escolha dos melhores sítios para a sua implementação, na sua orientação em relação às correntes do rio, no processo de trabalhar a pedra e erguer os muros, na escolha das redes mais adequadas e, ainda, no sistema de partilha comunitária do seu uso.

O rio internacional concentra, nas duas margens e apenas no troço de 37 quilómetros, entre Monção e Melgaço, cerca de 900 pesqueiras (das quais cerca de 350 estão ativas), “engenhosas armadilhas” da lampreia, do sável, da truta, do salmão ou da savelha.

Estas construções representam um património ímpar que, dado o seu elevado valor, tem de ser conservado e preservado. Desta forma, está em curso a candidatura das pesqueiras do rio Minho ao registo nacional de património imaterial, promovida pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho. «Mais do que guardar a história que as pesqueiras encerram é dar-lhe dinâmica, do ponto de vista económico, tornando-as numa referência para o setor do turismo.», atenta Manoel Batista, autarca de Melgaço.

«É um património vivo, mas que está em risco, claramente. Esta candidatura é uma oportunidade de dar valor a esta prática viva e um momento único para os jovens voltarem ao rio, onde tem estado praticamente ausentes.», alertou o antropólogo Álvaro Campelo aquando da apresentação pública da candidatura, em agosto de 2020.

*No troço compreendido entre a linha que passa pelas torres do Castelo da Lapela, em Monção - Portugal, e pela igreja do Porto, em Espanha, e o limite superior da linha fronteiriça.

NI_festa_pescadores.jpg

MELGAÇO COMEMORA NO ANO EUROPEU DA JUVENTUDE DIA DA EUROPA COM DESAFIO AOS JOVENS

E lança dois concursos que decorrem até 30 de junho de 2022

No próximo dia 9 de maio celebra-se o Dia da Europa e neste ano Europeu da Juventude a Câmara Municipal de Melgaço vai assinalar a data com o lançamento de dois concursos destinados aos jovens. A iniciativa será apresentada nessa segunda-feira: de manhã no agrupamento de escolas de Melgaço, pelas 10h00, e de tarde no Salão Nobre da Câmara Municipal, pelas 15h00.

Post_Europa_Melgaco.jpg

“Europa em Melgaço”, é assim que se designam os concursos, um de cariz escolar e outro regional, mas com o mesmo propósito: desafiar os jovens a identificar projetos apoiados pelos fundos na União Europeia no concelho. O objetivo desta iniciativa «é sensibilizar os cidadãos mais jovens e as suas famílias, para os financiamentos da UE na sua Região.», refere o autarca de Melgaço, Manoel Batista.

Os concursos arrancam no dia 9 de maio e terminam a 30 de junho. Os vencedores serão premiados com uma máquina fotográfica e viagens a Bruxelas (para participar nas atividades do Parlamento Europeu).

As normas de participação serão reveladas nas sessões de apresentação e ficarão depois disponíveis no site da autarquia – www.cm-melgaco.pt.

NI_Europa_melgaco-REDES.jpg

AGUARDENTE VÍNICA XO DE ALVARINHO DONA PATERNA GALARDOADA COM MEDALHA DE OURO

No concurso “Os Melhores Verdes 2022”, onde a marca viu também mais quatro dos seus produtos serem distinguidos com o prémio Honra.

A Aguardente Vínica XO de Alvarinho Dona Paterna foi galardoada com medalha de ouro, na categoria Aguardente de Vinho Verde, no concurso «Os Melhores Verdes 2022», iniciativa promovida pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) que se realizou ontem (27 de abril), em Viana do Castelo.

paternavinhosmelg (5).jpg

A marca de alvarinho melgacense viu ainda mais quatro dos seus produtos serem distinguidos com o prémio Honra. São eles: Dona Paterna Alvarinho 2021, na categoria Vinho Verde Alvarinho; Dona Paterna Alvarinho Trajadura Escolha 2021, na categoria Vinho Verde Branco; e na categoria Aguardente de Vinho Verde a Dona Paterna Aguardente Bagaceira Alvarinho e a Dona Paterna Aguardente Bagaceira Velhíssima Alvarinho.

«É um enorme orgulho para a nossa marca, e para a região, ver os nossos produtos serem distinguidos perante uma vasta diversidade de vinhos de excelência que a região dos Vinhos Verdes tem.», afirma o produtor, Carlos Alberto Codesso, realçando que «a Aguardente Vínica XO de Alvarinho Dona Paterna é o nosso ex-libris neste segmento.»

Estas distinções são o resultado de uma enorme paixão e vontade de saber e fazer mais e melhor. «Foi o meu espírito aventureiro que me levou a apostar nas aguardentes quando mais ninguém tinha.», refere o produtor que trabalha no setor há já cerca de 50 anos.

O concurso “Os Melhores Verdes 2022” destacou 157 vinhos da Região dos Vinhos Verdes, em 11 categorias distintas.

paternavinhosmelg (6).jpg

AGUARDENTE VÍNICA XO DE ALVARINHO DONA PATERNA A aguardente Dona Paterna XO é uma aguardente vínica, que resulta da destilação de vinhos da casta Alvarinho, e com os cuidados que tal operação exige.

Assim como a aguardente Dona Paterna Velhíssima, também a Dona Paterna XO envelhece em cascos de carvalho, de diferentes origens e durante vários anos.

Apresenta-se de cor topázio, com aroma característico da madeira, dado o seu envelhecimento de anos em barricas de madeira, complexo e de sabor macio, estruturado e untuoso.

paternavinhosmelg (1).png

A NOVA IDENTIDADE

O conceito do novo logótipo e da identidade visual surge pelo prazer de abrir uma garrafa de vinho alvarinho e o poder saborear com familiares e amigos em momentos de confraternização, de alegria e de amizade.  Este novo conceito privilegia o foco na elegância, representada pela qualidade dos seus vinhos; na tradição histórica, recordando o mosteiro que deu origem ao nome; e o cuidado e requinte, que a marca tem no tratamento das uvas e em todo o processo que leva o vinho até a mesa do consumidor.

A nova imagem foi pensada com base na junção das letras “D” e “P”, as iniciais do nome Dona Paterna, resultando num monograma. A espiral em torno desse monograma simboliza o ato de abrir uma garrafa de vinho alvarinho, revelando e valorizando o movimento e a harmonia. «Transmite modernidade, mas mantém a nossa história e valores.», refere Carlos Codesso, contando que esta imagem teve ainda por base «a aposta em novos produtos, a médio-longo prazo».

A marca acompanha o rebranding da sua imagem com a aposta e forte presença nos meios digitais: com website (www.alvarinhodonapaterna.com) e redes sociais (facebooklinkedin e instagram).

A PAIXÃO PELA VINHA LEVOU À CRIAÇÃO DA MARCA DONA PATERNA EM 1990

Localizada numa das mais importantes sub-regiões da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, a sub-região de Monção e Melgaço, a adega Dona Paterna situa-se, concretamente, no município mais a norte de Portugal, Melgaço, na Quinta da Carvalheira, no centro da freguesia de Paderne, uma região fortemente marcada pela cultura da vinha, nomeadamente da casta alvarinho, uma das castas brancas mais ilustres e considerada, por muitos, a melhor casta branca enxertada nas vinhas portuguesas.

Em seu redor é possível admirar, para além da rica paisagem natural, o antigo Mosteiro e a sua vetusta igreja românica, considerado monumento nacional. Uma velha tradição histórica refere que o Mosteiro de Paderne terá sido fundado no século X por D. Paterna, casada com o Conde D. Hermenegildo, governador de Tui (Espanha) e irmã do famoso São Rosendo da Ordem dos Cónegos Regrantes de Stº Agostinho. O nome desta freguesia tem aqui a sua origem e, honrando a História, o nome deste vinho – Dona Paterna.

O alvarinho Dona Paterna nasceu da paixão de Carlos Codesso que, inspirado pelo seu pai, Manuel Francisco Codesso, desde muito novo se interessou pela viticultura. Obstinado e incentivado pelo progenitor, em 1974, iniciou as primeiras plantações de alvarinho. O acumular de experiência, o contacto com a vinha, o cultivo de videiras, o explorar e conhecer o terroir e, por fim, a experiência na vinificação, foi a pedra-base para a criação, em 1990, da marca de vinho alvarinho Dona Paterna. «Foram das primeiras vinhas contínuas em Melgaço. Comecei a produzir vinho, como lavrador, na altura nas designadas adegas de garagem, e a participar em concursos de vinho, recebendo algumas distinções. Em 1990 decidi criar a marca Dona Paterna.», conta Carlos Codesso.

Esta relação entre o vinho e o terroir onde se insere, a sub-região Monção e Melgaço, o respeito pelo meio ambiente, bem como a aposta na tecnologia, permite hoje apresentar diferentes perfis de alvarinho Dona Paterna de elevada qualidade, entre vinhos espumantes e aguardentes.

paternavinhosmelg (7).jpg

FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO: VENDAS CRESCERAM 40% E NÚMERO DE VISITANTES ULTRAPASSOU OS 50 MIL

55 mil euros de levantamentos no ATM instalado no recinto da FAF

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro (FAFM) regressou ao seu palco habitual e com excelentes resultados: mais de 50 mil pessoas passaram pelo evento que decorreu no passado fim de semana (dias 22, 23 e 24 de abril) em Melgaço e que, de acordo com os produtores, gerou um crescimento na faturação na ordem dos 40%, relativamente à FAFM de 2019, o último ano em que o evento decorreu nos moldes habituais. O caixa multibanco instalado no recinto da feira registou levantamentos de cerca de 55 mil euros. Nestes dias o alojamento no concelho esgotou e a afluência nos restaurantes locais foi elevada.

capa-festa-alvarinho-melgaco-2022.jpg

«Embora as espectativas fossem altas, havia sempre receio: era a primeira Festa do Alvarinho e do Fumeiro, nos moldes habituais, após o interregno de dois anos provocado pela pandemia COVID-19 e o primeiro evento sem a obrigatoriedade de utilização da máscara. Havia o risco de as pessoas ainda terem receio em participar, dada a dimensão e habitual afluência de pessoas, tal como os produtores no que respeita às quantidades de produção, mas foi uma das melhores Festas do Alvarinho e do Fumeiro de sempre.», atenta o autarca melgacense, Manoel Batista, realçando que o evento «superou todas as nossas expectativas. Registamos a maior enchente de sempre, ultrapassando os 50 mil visitantes esperados e os nossos produtores apontam para um crescimento na faturação na ordem dos 40%. Foi, de facto, um magnífico evento, com um enorme impacto económico para toda a região. Finalmente, voltamos ao nosso pleno, presencialmente, como merecemos. À nossa forma tradicional de fazer a Festa do Alvarinho. Uma palavra de agradecimento a todos os que tornaram possível este evento, especialmente a todos os produtores, pelo empenho e exigência na qualidade, uma característica que faz com que os produtos da nossa região sejam tão apreciados e falados em todo o país, mas também no mundo. É de louvar a sua capacidade para ultrapassar os dias desafiantes que vivemos desde 2020.».

inauguracao-festa-alvarinho-melgaco-2022 (47).jpg

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço começou, em 1995, por se apresentar como uma mostra de produtos locais para as populações locais. Com o passar dos anos, e como os dados demonstram inequivocamente, tornou-se numa festa reconhecida a nível nacional. Em 2009 o Turismo de Portugal reconheceu o seu Interesse para o Turismo.

«Não podemos descurar a grande importância deste evento para toda a economia local que, há 27 anos, é impulsionada também através deste evento. Não há exemplo no Alto Minho, nomeadamente nesta fileira do vinho e dos produtos locais, de um certame que tenha o impacto que tem a Festa do Alvarinho e do Fumeiro na economia dos municípios laterais. Até nos vizinhos galegos há grande impacto no alojamento.», realça Manoel Batista.

inauguracao-festa-alvarinho-melgaco-2022 (57).jpg

O EVENTO FOI INAUGURADO PELO MINISTRO DAS INFRAESTRUTURAS E HABITAÇÃO, PEDRO NUNO SANTOS

«A qualidade dos produtos desta região, e do alvarinho em particular, não tem parado de crescer. Aliás nós vamos assistindo, ano após ano, à premiação dos produtos que aqui se fazem, nomeadamente do alvarinho. Tem atingido uma grande qualidade. Nós precisamos é de ter mais capacidade de produção porque a procura está aí e é importante também sinalizar isso, aquilo que uma região como Melgaço e Monção tem conseguido produzir ao longo dos anos, no alvarinho, no fumeiro, no mel…Nós estamos de facto a conseguir tirar deste território produtos de grande qualidade.», referiu o ministro das Infraestruturas e Habitação no momento de inauguração da Festa do Alvarinho e do Fumeiro.

O evento, a 28ª edição, contou com a participação de 27 produtores de alvarinho, 15 de queijos, fumeiro e produtos locais, quatro tasquinhas e nove instituições e empresas, de diferentes ramos. Juntos, deram a conhecer o potencial da região. O recinto da Festa contou com um total de 55 expositores e uma zona de degustações com capacidade para cerca de 400 pessoas sentadas.

Durante os três dias do evento foi possível assistir a showcookings: três chefes, os estrela Michelin Arnaldo Azevedo e Vitor Matos, e ainda a chefe Cristina Manso Preto, apresentaram propostas gastronómicas com produtos autóctones melgacenses e, claro, harmonizados com alvarinho da sub-região de Monção e Melgaço.

Houve também oportunidade de assistir a três provas comentadas de vinhos, pelo sommelier Manuel Moreira, da Revista de Vinhos, que se debruçou nas temáticas: “Todas as ocasiões são boas para espumantes de alvarinho”, “Alvarinho à prova do tempo” e “Os segredos da prova de vinhos”.

Para além da exposição, prova e venda de produtos, decorreu ainda o habitual concurso do Mel, Salpicão, Presunto e Broa de Melgaço, produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP). Houve momentos de animação musical, diurna e noturna e ainda toda uma diversidade de atividades paralelas, de animação turística e desportiva e ainda de enoturismo, que permitiram dar a conhecer Melgaço.

inauguracao-festa-alvarinho-melgaco-2022 (133).jpg

27 ANOS A IMPULSIONAR A REGIÃO

Graças a uma promoção adequada ao evento e a algumas parcerias importantes, a FAFM é hoje um evento incontornável das festas gastronómicas do país, atraindo pessoas dos diversos pontos do território nacional e também um grande número de espanhóis, sobretudo da vizinha Galiza.

O certame promove o que Melgaço Tem: desde a gastronomia, ao artesanato, ao turismo, apresentando-se como uma oportunidade única para a criação e a consolidação de laços entre os agentes do comércio, os consumidores e a produção. «A Festa do Alvarinho e do Fumeiro é um dos nossos eventos âncora e o mais antigo. Um certame onde promovemos os nossos produtores que são reconhecidos em todo o mundo, distinguidos com prémios nacionais e internacionais dada a excelência dos seus produtos.», atenta o autarca, Manoel Batista, afirmando que «este tipo de eventos é de extrema importância para a nossa economia. São, indiscutivelmente, fulcrais no desenvolvimento do nosso território. Não são só festa e vinho! São a nossa Cultura. O nosso ADN. A nossa história.»

A realçar ainda que, em 2015, o fumeiro foi distinguido pela Comissão Europeia, através da integração do presunto e da chouriça de carne na lista dos produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP), juntando-se assim ao salpicão e à chouriça de sangue. Estes produtos são o resultado do saber-fazer das populações de Melgaço, que conhecem as técnicas de fabrico tradicionalmente utilizadas e que foram transmitidas de geração em geração.

sabado-festa-alvarinho-fumeiro-melgaco-2022 (84).j

sabado-festa-alvarinho-fumeiro-melgaco-2022 (88).j

festa-alvarinho-melgaco.jpg

FESTA-ALVARINHO-MELGACO-ISABEL-CARVALHAIS.jpg

festa-alvarinho-melgaco-sabado (1).jpg

festa-alvarinho-melgaco-sabado (2).jpg

festa-alvarinho-melgaco-sabado (26).jpg

ANTÓNIO BARBOSA – PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE MONÇÃO – ESTEVE PRESENTE NA INAUGURAÇÃO DA FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO DE MELGAÇO

Autarca monçanense desejou três dias de negócio e contactos empresariais aos produtores de vinho Alvarinho

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço decorre este fim de semana com um total de 55 expositores, entre os quais, 27 de produtores de vinho Alvarinho e 15 de queijos, fumeiro e produtos locais.

278977925_5470590106294391_6385647780297039165_n.j

A abertura do certame realizou-se ontem, ao final da tarde, numa cerimónia presidida pelo Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Soares, contando com a presença de António Barbosa.

Após os discursos oficiais, decorreu a habitual visita aos expositores. António Barbosa, acompanhado de João Oliveira, endereçou uma palavra de encorajamento aos produtores de vinho Alvarinho neste período de retoma económica, desejando-lhes três dias de negócio e contactos empresariais.

Antes da abertura do evento, realizou-se, na Escola Superior de Lazer e Desporto, a conferência “Alto Minho 2030”, subordinada ao tema “Desafios da cooperação transfronteiriça & conetividade e acessibilidade territorial: qual o posicionamento do território do Alto Minho?”.

Em cima da mesa, estiveram os investimentos de mobilidade projetados para a região nos próximos anos, tendo o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Soares, defendido as ligações transfronteiriças como uma prioridade no contexto de crescimento económico desta região.

A Feira do Alvarinho de Monção, no Parque das Caldas, decorre no primeiro fim de semana de julho, dias 1, 2 e 3, devendo, a breve prazo, abrir-se o período de candidaturas aos participantes. Falta pouco mais de dois meses para chegar a maior Wine Party de Portugal.

278976130_5470591016294300_4046480492776676932_n.j

278843227_5470591019627633_7012954776123164759_n.j

278973030_5470593072960761_6975607877032110463_n.j

278835648_5470593062960762_2227251371373099283_n.j

278901173_5470598889626846_1313565059346179109_n.j

278940321_5470598922960176_3217165924393187536_n.j

DONA PATERNA LANÇA BOMBONS COM ALVARINHO PARA CELEBRAR O REGRESSO DA FESTA DO ALVARINHO E DO FUMEIRO DE MELGAÇO

O certame acontece este fim de semana: dias 22, 23 e 24 de abril

Depois do sucesso dos ovos de chocolate da Páscoa o produtor de alvarinho Dona Paterna volta a inovar e a combinar sabor e tradição, desta vez para celebrar a Festa do Alvarinho e do Fumeiro, que arranca amanhã, 22 de abril, e acontece até domingo, 24 de abril, em Melgaço. A Dona Paterna marca presença no evento e convida os visitantes a passarem no seu stand para provarem os vinhos e os espumantes Dona Paterna, mas também os bombons de alvarinho, produzidos especialmente para a Festa, evento que será mais especial, já que esteve dois anos impedido de ser celebrado no formato in loco, devido à pandemia COVID-19.

novo-logo.png

«Queremos receber os visitantes, ansiosos, como todos nós, pelo regresso à normalidade da Festa do Alvarinho e do Fumeiro, com um miminho especial e que, de certa forma, divulga o nosso território e os produtos que temos. A junção do chocolate com vinho funciona perfeitamente e a nossa marca, em parceria com uma produtora de doces de Melgaço, Elisangela Castro, tem vindo a apostar em novas opções de sabores para que estes sejam mais um motivo para que visitem a nossa terra e mesmo para divulgação do território.», refere o produtor de alvarinho, Carlos Alberto Codesso.

A novidade gastronómica nasce das mãos de Elisangela Castro, da pastelaria melgacense Sabor do Céu. «Criei bombons com creme de limão aromatizados com o Alvarinho Dona Paterna. O resultado é fantástico: um equilíbrio perfeito entre o doce e o azedo e com um sabor a alvarinho.», sustenta Elisangela Castro. 

O produto estará também à venda na pastelaria da produtora, a Sabor do Céu, em Melgaço (contactos: Rua Dr. Augusto César Esteves - Melgaço, tlf +351 934 352 915) e integrará ainda a ementa do restaurante Tasquinha da Portela (Portela, Paderne, 4960-263 Melgaço), uma das referências do concelho de Melgaço e que tem também apostado em opções gastronómicas com ligação ao território e às suas tradições. «Queremos criar sinergias com os produtores locais. É certo que o vinho alvarinho é um dos maiores ex-libris de Melgaço, da região, mas as pessoas gostam e devem ter outras sugestões e aqui temos excelentes produtos, não só gastronómicos, como de turismo, desporto, natureza... No final, todos saímos a ganhar, porque se o nosso território ganha, nós também.», realça Carlos Codesso.

ALVARINHO DONA PATERNA 2021

O vinho Alvarinho Dona Paterna é um clássico. Um néctar cheio de delicadeza, frescura e mineralidade, com fruta branca delicada, citrinos, tons salinos e flores.

Ideal como aperitivo ou para acompanhar mariscos, pratos de peixe ou pratos de carnes de aves. Deve ser bebido entre 10-11ºC.

DONA PATERNA APRESENTA-SE NA FESTA COM A NOVA IMAGEM E TEM BRINDES PARA QUEM VISITAR O STAND

Este será também o primeiro evento em que a marca Dona Paterna se apresentará com a nova imagem: em fevereiro de 2022 a Dona Paterna passou por um processo de rebranding, apresentando agora um novo logótipo e uma nova identidade visual. Assim, para que o consumidor interiorize a nova identidade, serão oferecidos brindes durante a Festa do Alvarinho e do Fumeiro.

A NOVA IDENTIDADE

A aposta recaiu numa imagem renovada, moderna, leve, e forte, como forma de acompanhar e dar resposta às necessidades do público, mas também do setor, cada vez mais exigente e competitivo. O “brasão” que acompanhava a marca desde o nascimento, em 1990, «nunca será esquecido, porque é preciso honrar a história e a relação que foi criada com o nosso público ao longo destes cerca de 30 anos.», refere o produtor, Carlos Alberto Codesso.

O conceito surgiu pelo prazer de abrir uma garrafa de vinho alvarinho e o poder saborear com familiares e amigos em momentos de confraternização, de alegria e de amizade, privilegiando o foco na elegância, representada pela qualidade dos seus vinhos; na tradição histórica, recordando o mosteiro que deu origem ao nome; e o cuidado e requinte, que a marca tem no tratamento das uvas e em todo o processo que leva o vinho até a mesa do consumidor.

A nova imagem foi pensada com base na junção das letras “D” e “P”, as iniciais do nome Dona Paterna, resultando num monograma. A espiral em torno desse monograma simboliza o ato de abrir uma garrafa de vinho alvarinho, revelando e valorizando o movimento e a harmonia. «Transmite modernidade, mas mantém a nossa história e valores.», refere Carlos Alberto Codesso, contando que esta imagem teve ainda por base «a aposta em novos produtos, a médio-longo prazo».

bombons-alvarinho-dona-paterna-melgaco.jpg