Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAFE RECEBE FESTIVAL DE ROCK

Rock with Benefits: o festival de inverno que junta música com causas regressa a Fafe

Nos dias 30 de Novembro e 1 de Dezembro, o Rock with Benefits volta a ocupar a cidade de Fafe para trazer música nacional à sala de visitas do Minho. 

cartaz

Aos já habituais Teatro Cinema de Fafe e Café Avenida, junta-se também este ano o Arquivo Municipal de Fafe que vai receber três concertos gratuitos na tarde de sábado.

Outra das grandes novidades deste ano são os espetáculos que antecipam o festival e que têm um caráter mais pedagógico e de aposta na formação de público. EDUCATION ROCKS é o nome do mais recente projeto da TIME TO DO - Associação Cultural.

As noites no Teatro Cinema de Fafe contam nesta edição com um concerto por noite.

Miguel Araújo é um músico, cantor, compositor e letrista português, considerado uma das mais brilhantes mentes da canção pop-rock. Vem ao Rock with Benefits apresentar o seu terceiro disco, “Giesta”. Tiago Nacarato ficou conhecido por todos depois de uma presença num programa de televisão. Já reconhecido das mais diferentes salas do Porto, traz a Fafe as suas influências que cruzam o Atlântico: Vinicius de Moraes, Caetano Veloso ou Chico Buarque.

Marco importante desta oitava edição do festival é o alargar do horário dos concertos. Sábado, dia 1 de Dezembro, as portas do Arquivo Municipal de Fafe abrem-se para receber público, permitindo não só que se descubra salas que estão interditas ao longo do ano, mas também dando palco aos nomes emergentes e de quem mais se ouvirá falar nos próximos anos. Filipe SambadoPrimeira Dama e Mister Roland inauguram esta nova rubrica do festival.

O primeiro dia no Café Avenida conta com gente da casa. Os fafenses Vas Dost vêm apresentar o seu EP Postwaves, que definem como um registo Neo Post-Punk de inspiração britânica. Os vizinhos Paraguaii vêm de Guimarães e completam esta noite de punk e rock. A sua música foi uma vez descrita na Vice como “pop-psico-tropical-com-travo-a-qualquer-coisa-que-às-vezes-parece-blues-agreste”.

No último dia de festival, Jepards e Astrodome tomam as rédeas do Café Avenida.Jepards são também uma banda local que surgir pela necessidade de fugir à monotonia dos fins-de-semana e das inseguranças de jovens adultos. Os Astrodome são uma banda do Porto de influencias psych band instrumental. Riffs difusos, beats ritmados e acordes ecoantes constroem uma viagem para quem se quer perder pelo espaço sideral. A noite termina ainda com André Tentúgal (We Trust) num DJ Set com os seus discos preferidos e o seu gosto eclético e divertido.

O último destaque prende-se com a vertente educacional e pedagógica. Sendo a promoção cultural o pilar deste festival, não podemos descurar a educação pelas artes e a formação cultural de públicos. EDUCATION ROCKS é a maior novidade do festival em 2018 contando com três grandes projetos: Isaura traz o espetáculo Memória ao Teatro Cinema de Fafe para um público sénior; Filipe Pinto leva O Planeta Limpo ao Multiusos de Fafe para as escolas de 1.º ciclo e por fim o projeto Livres e Iguais de Carlão ocupa também o teatro da cidade, sendo dedicado ao 3.º ciclo e ensino secundário.

FILARMÓNICA DE OLIVENÇA DESFILA EM LISBOA NAS COMEMORAÇÕES DO 1º DE DEZEMBRO, DIA DA RESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA NACIONAL

O Movimento 1º de Dezembro lançou a ideia deste grandioso Desfile e mobilizou por todo o país, com o apoio dos seus delegados e da Confederação Musical Portuguesa, diferentes bandas e municípios.

É possível realizá-lo graças ao apoio da Câmara Municipal de Lisboa e à capacidade de organização da EGEAC. A iniciativa conta também com o endosso da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que o incluiu no Programa Oficial das Comemorações do 1º de Dezembro, e com a colaboração da CMP – Confederação Musical Portuguesa. Agradecemos também o apoio facultado pelo "Recheio" e pelo "Amanhecer", assim como a cobertura e transmissão pela RTP.

Entre os participantes, destaca-se este ano a Filarmónica de Olivenza, em representação daquele território português sob administração de Espanha.

13886481_1107835025958511_557363345744018004_n

Fundada eml 28 de marzo de 1851 pelo ilustre filántropo oliventino José María Marzal, é a decana das bandas de Extremadura espanhola e uma de las mais antigas de Espanha. Ostenta o privilégio de usar uniforme militar com espachim, concedido nos finais do Século XIX.

Ao longo da sua existência tem obtido importantes prémios e distinções:

– 1er Premio Certamen de Bandas Civiles (Badajoz 1929).

– Diploma de Honor Certamen de Bandas (Cazalla de la Sierra – Sevilla 1929).

– 2º Premio Certamen de Bandas Semana de las Fuerzas Armadas (Badajoz – 1987).

– 1er Premio Certamen de Bandas “Ciudad de la Música” (Villafranca de los Barros – Badajoz 2000).

– 1er Premio Certamen de Bandas “Ciudad de la Música” (Villafranca de los Barros – Badajoz 2001).

– Medalla de Extremadura 2001 por sus más de 150 años ininterrumpidos dedicados a la enseñanza y fomento de la cultura musical. Decreto 119/2001 de 25 de julio JUNTA DE EXTREMADURA.

– 2º Premio Concurso de Bandas Taurinas Féria del Toro (Santarem – Portugal 2003).

– Título de Comendadora de la Orden de “El Miájón de los Castúos” otorgado por el Centro de Iniciativas Turísticas de Almendralejo (2006).

Participou em muitos actos institucionais como a entrega de Medalhas de Extremadura en Mérida (dirigida por Miguel del Barco, autor do hino de Extremadura), na recepção aos Reis de Espanha en Zafra e Badajoz en 1992 o no bicentenário da fundação do Regimento de Castilla 16. Actuou no Teatro López de Ayala de Badajoz como no Gran Teatro de Cáceres. Esteve presente, en 1994 no Festival de Teatro Clásico de Alcántara.

Em 1995 gravou o seu primeiro CD con obras própias dol repertório para bandas e em 1998 o hino para o C.F. Exotremadura conjuntamente com o Coral de Almendralejo. Em 2008 editou o seu segundo CD denominado TOROS EN OLIVENZA, o qual recolhe alguns dos mais belos pasodobles toreiros que se escreveram, incluindo a primera gravação de ANTOÑITO FERRERA, escrito por Antonio Cotolí Ortiz e dedicado ao popular diestro extremenho.

En 2011, actuou como banda convidada na Asamblea Nacional de la Confederación Española de Sociedades Musicales celebrada en Llerena, oferecendo um concerto. A sua presença é frequente em numerosas localidades extremenhas e portuguesas (Alcácer do Sal, Silves, Tomar, Arrentela). Também tem realizado actuações en Barberá del Vallés (Barcelona), EXPO´92 y Realtem es Alcázares (Sevilla), Aracena y Trigueros (Huelva), Algimia de Alfara (Valencia), Cámara de Lobos (Isla de Madeira- Portugal) y Saturnia y Montemerano (Grosetto- Italia).

Desde a sua primeira aparição, é a banda responsável por animar os festejos taurinos na Feria Ibérica del Toro de Olivenza e participa em numerosas ediciones da Feria de San Juan de Badajoz. A Semana Santa oliventina não seria a mesma sem o acompanhamento musical da Filarmónica de Olivença, tendo estado também presente nas de Badajoz, Llerena, Jeréz de los Caballeros y Plasencia.

Pertenece à Federación Extremeña de Bandas de Música, comprotida de forma directa com o desenvolvimento musical da região. Actualmente é dirigida por Salvador Rojo Gamón.

45596868_1963312017109243_6967114987714117632_n

BANDAS DE MÚSICA VÃO ENCHER A AVENIDA DA LIBERDADE EM LISBOA

O Movimento 1º de Dezembro lançou a ideia deste grandioso Desfile e mobilizou por todo o país, com o apoio dos seus delegados e da Confederação Musical Portuguesa, diferentes bandas e municípios.

45596868_1963312017109243_6967114987714117632_n

É possível realizá-lo graças ao apoio da Câmara Municipal de Lisboa e à capacidade de organização da EGEAC. A iniciativa conta também com o endosso da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que o incluiu no Programa Oficial das Comemorações do 1º de Dezembro, e com a colaboração da CMP – Confederação Musical Portuguesa. Agradecemos também o apoio facultado pelo "Recheio" e pelo "Amanhecer", assim como a cobertura e transmissão pela RTP.

O Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas "1º de Dezembro" foi um êxito em 2012, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017. Será êxito maior em 2018.

14h30 - Concentração junto ao Monumento aos Mortos da Grande Guerra, na Avenida da Liberdade (ao Cinema S. Jorge)

15h00 - Início do Desfile

16h30 - Concentração final, na Praça dos Restauradores, e Apoteose Final com interpretação conjunta por 1.900 músicos dos três hinos: Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.

17h00 - Fecho e desmobilização das bandas

Nesta 7ª edição, desfilarão as seguintes bandas e grupos, aqui ordenados por géneros e por ordem alfabética dos distritos e concelhos respectivos:

GRUPOS DE PERCUSSÃO:

  • Tocándar (Marinha Grande)
  • Grupo de Bombos de Atei (Mondim de Basto)

BANDA NACIONAL:

  • Banda de Música da Força Aérea

BANDAS FILARMÓNICAS:

  • La Filarmónica de Olivenza (Olivença)
  • Banda Velha União Sanjoanense (Albergaria-a-Velha - São João de Loure)
  • Banda da Sociedade Filarmónica União Mourense "Os Amarelos" (Moura)
  • Associação Filarmónica Vilarinhense de Vilarinho de Castanheira (Carrazeda de Ansiães)
  • Banda Filarmónica de Felgar (Torre de Moncorvo)
  • Associação Filarmónica Retaxense (Castelo Branco)
  • Sociedade Filarmónica de Tinalhas (Castelo Branco)
  • Sociedade Filarmónica Oleirense (Oleiros)
  • Banda Filarmónica da União de Aldeia de João Pires (Sociedade Recreativa e Musical) - com o Grupo de Cantares de Pedrógão de São Pedro (Adufes) (Penamacor)
  • Associação Filarmónica Progresso Pátria Nova de Coja (Arganil - Coja)
  • Associação Filarmónica de Arganil (Arganil)
  • Banda de Ançã | Phylarmónica Ançanense (Cantanhede)
  • Associação Filarmónica Liberalitas Julia (Évora)
  • Banda da Sociedade Filarmónica Corvalense (Reguengos de Monsaraz)
  • Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva (Loulé)
  • Sociedade Filarmónica Bendadense (Sabugal - Bendada)
  • Banda Academia de Santa Cecília (de São Romão) (Seia)
  • Sociedade Filarmónica Turquelense (Alcobaça)
  • Sociedade Filarmónica Alvaiazerense de Santa Cecília (Alavaiázere)
  • Centro Cultural Azambujense (Azambuja)
  • Banda 14 de Janeiro de Elvas (Elvas)
  • Associação Musical da Várzea (Amarante - Várzea)
  • Sociedade Musical 1.º de Agosto - Banda de Música de Coimbrões (Gaia - Coimbrões)
  • Sociedade Filarmónica de Crestuma (Gaia - Crestuma)
  • Associação Filarmónica 1º Dezembro Cultural e Artística Vilarense Reis Prazeres (Ourém - Fátima)
  • Sociedade Velha Filarmónica Riachense (Torres Novas - Riachos)
  • Sociedade Filarmónica Progresso Matos Galamba (Alcácer do Sal)
  • Banda Musical do Concelho de Sabrosa (Sabrosa)
  • Sociedade Musical 2 de Fevereiro - Banda de Santar (Nelas - Santar)
  • Sociedade Filarmónica Fraternidade de São João de Areias (Santa Comba Dão)
  • Filarmónica Recreio de Santa Bárbara (Terceira - Angra do Heroísmo)
  • SFUCO – Sociedade Filarmónica União e Capricho Olivalense (Lisboa)

Será um total de 35 entidades, integrando 2 grupos de percussão, 1 banda nacional militar e 32 bandas filarmónicas civis.

Cerca de 1900 músicos, provenientes dos mais diversos pontos do país, irão descer a Avenida da Liberdade para celebrar Portugal, a Independência nacional e a Restauração, através de uma merecida homenagem a esta prática musical e à importante acção formativa e cívica das bandas filarmónicas.

Tendo como ponto de partida o monumento aos Mortos da Grande Guerra, o desfile descerá até à Praça dos Restauradores, para uma interpretação conjunta final das Bandas participantes, sob a direcção do Maestro Capitão António Rosado, da Banda de Música da Força Aérea.

Ao longo do desfile, serão interpretadas várias marchas.

A apoteose final, com os músicos de todas as bandas formados em parada junto ao Monumento aos Restauradores, consiste na interpretação sequencial, como se de uma só orquestra se tratasse, dos Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.

FAMALICÃO REALIZA FESTIVAL "FORA DA CAIXA"

BINNAR: o festival “fora da caixa” está de regresso a Famalicão. Festival decorre de 12 a 30 de novembro e vai percorrer vários espaços do concelho famalicense

Disruptivo e fora da caixa. É assim o BINNAR, o festival de artes que regressa a Vila Nova de Famalicão já no próximo dia 12, segunda-feira, e que até ao final do mês de novembro vai levar música, teatro, cinema, entre outras artes, a vários espaços culturais do concelho famalicense.

BINNAR vai passar pelo Museu da Indústria Têxtil

A iniciativa, promovida pela plataforma cultural com o mesmo nome e com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão, volta a ter como base nesta sua terceira edição a criação e a liberdade artística.

Exemplo disso mesmo é o que vai acontecer no dia 24 de novembro, a partir das 21h30, no Museu da Indústria Têxtil. O universo do têxtil vai servir de inspiração para o trabalho de quase uma dezena de artistas que vão expor neste espaço, mas também para um concerto exclusivo do compositor português Eduardo Patriarca, inspirado nos sons das máquinas presentes no museu.

Para o dia 21, quarta-feira, está também agendado outro dos pontos altos do festival. Falamos da performance teatral “(Des)Alinhar”, um trabalho em residência dos alunos da Academia Contemporânea do Espectáculo com o ator/encenador Jorge Paxeco que terá como cenário um palco pouco habitual – a feira semanal de Famalicão. “Na Feira de Famalicão, onde se trocam produtos, dinheiro, bens alimentares, vamos trocar outros bens, sem peso ou forma, os risos, os afectos, as emoções, os tempos, os olhares…”, explica a organização.

Do vasto e diverso programa do BINNAR, destaque ainda para uma exposição coletiva de fotografia analógica, patente de 12 a 30, no Museu Soledade Malvar; para uma instalação de videoarte, no dia 17, no Mosteiro de Arnoso Santa Eulália; para os concertos do grupo 10.000 Russos, no dia 18, às 18h30, no Mosteiro de Arnoso Santa Eulália, dos espanhois Hyggelig, no dia 23, às 21h30, na Fundação Castro Alves e de Alex Hedley, no espaço “A Casa ao Lado”, e Gargoola, no Espaço Cultural Cru, no dia 30 de novembro.

Refira-se que a entrada em todas as iniciativas e eventos realizados no âmbito do festival é gratuita.

Mais informação e programação completa em facebook.com/binnar.org

DSC_7191

VALENÇA RECEBE GUITARRISTA JOHN STOWELL EM CONCERTO DE JAZZ

Jazz em Valença com um dos maiores Guitarristas do Mundo. John Stowell em Concerto com Big Band

Um dos maiores guitarristas de jazz de todos os tempos vai estar em Valença. John Stowell, o guitarrista americano é o cabeça de cartaz convidado do espetáculo Big Band Jazz, sexta-feira, 9 de novembro, às 21h, no auditório do CILV – ESCE Valença.

unnamed

O concerto de jazz estará a cargo do grupo Big Band do Conservatorio Superior de Música de A Coruña. Este é um espetáculo de um de um grupo de novos criadores de Jazz na Galiza - BIG BAND CSM CORUÑA, sob a direção de Alberto Conde.

Um espetáculo que promete uma grande noite de jazz, em Valença, com a apresentação de um repertorio composto por standards de jazz.

O espetáculo tem entrada livre.

BANDAS FILARMÓNICAS DESFILAM EM LISBOA NAS COMEMORAÇÕES DO DIA DA RESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA EM 1640

45596868_1963312017109243_6967114987714117632_n

O Movimento 1º de Dezembro lançou a ideia deste grandioso Desfile e mobilizou por todo o país, com o apoio dos seus delegados e da Confederação Musical Portuguesa, diferentes bandas e municípios. É possível realizá-lo graças ao apoio da Câmara Municipal de Lisboa e à capacidade de organização da EGEAC.

A iniciativa conta também com o endosso da SHIP - Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que o incluiu no Programa Oficial das Comemorações do 1º de Dezembro, e com a colaboração da CMP – Confederação Musical Portuguesa. Agradecemos também o apoio facultado pelo "Recheio" e pelo "Amanhecer", assim como a cobertura e transmissão pela RTP.

CANTORA LÍRICA BRACARENSE CRISTIANA OLIVEIRA DESLUMBRA EM ITÁLIA NO TEATRO MASSIMO BELLINI

A cantora lírica Cristiana Oliveira participa em Itália no espectáculo Andrea Chénier que está em cena até ao próximo dia 7 de Novembro, no Teatro Massimo Bellini, na Catania. Trata-se de um drama de ambiente histórico em quatro quadros baseados no libreto de Luigi Illica, com música de Umberto Giordano.

45081565_2279660722106131_3270376055533207552_n

A sua ficha técnica em italiano descreve o seguinte:

Personaggi e interpreti

Andrea Chénier: Hovhannes Ayvazyan/ Gianluca Zampieri (31 ottobre, 3, 7 novembre)

Carlo Gérard: Marco Di Felice/ Francesco Verna (31 ottobre, 3, 7 novembre)

Maddalena di Coigny: Amarilli Nizza/ Cristiana Oliveira (31 ottobre, 3, 7 novembre)

La mulatta Bersi: Sonia Fortunato

La Contessa di Coigny: Lorena Scarlata

Madelon: Lorena Scarlata

Roucher: Enrico Marchesini

Il romanziero Pietro Fléville, pensionato del Re: Carlo Checchi

Fouquier Tinville, accusatore pubblico: Gianluca Failla

Il sanculotto Mathieu, detto “Populus”: Alessandro Busi

Un “Incredibile”: Saverio Pugliese

L’Abate, poeta: Saverio Pugliese

Schmidt, carceriere a San Lazzaro: Carlo Checchi

Il Maestro di Casa: Gianluca Failla

Dumas, presidente del Tribunale di Salute Pubblica: Carlo Checchi

Orchestra e Coro del Teatro Massimo Bellini

Direttore :Antonio Pirolli

Maestro del coro: Luigi Petrozziello

Regia: Giandomenico Vaccari

Assistente alla regia: Alessandro Idonea

Allestimento del Teatro Massimo Bellini

Con sopratitoli in italiano e in inglese a cura di Prescott Studio, Firenze, con Inserra Chair (Montclair State University) e ICAMus, USA

Durata: 2 ore e 50 minuti (con due intervalli)

Prima rappresentazione

Martedì 30 ottobre 2018 ore 20,30 (Turno A)

Repliche

Mercoledì 31 ottobre 2018 ore 17,30 (Turno R)

Venerdì 2 novembre 2018 ore 20,30 (Turno B)

Sabato 3 novembre 2018 ore 17,30 (Turno S1)

Domenica 4 novembre 2018 ore 17,30 (Turno D)

Martedì 6 novembre 2018 ore 17,30 (Turno C)

Mercoledì 7 novembre 2018 ore 17,30 (Turno S2)

44245499_1210717089067236_6774872419048882176_n

Cristiana Oliveira é natural de Braga, cidade onde iniciou os seus estudos musicais de piano e violino.

De acordo com a sua biografia oficial que se transcreve, Cristiana Oliveira é licenciada em Canto pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, nas classes dos Professores Oliveira Lopes e Margarida Reis.

Frequentou vários cursos de aperfeiçoamento e masterclasses com Ana Paula Matos, Patricia MacMahon, Enza Ferrari, Paulo Ferreira, Marc Tardue, Mme Dechorgnat no Conservatório Internacional de Paris, Gabriella Morigi em Bolonha e Palmira Troufa com quem estuda regularmente.

Em 2010 foi aceite no curso intensivo do Estúdio de Ópera de Nova Iorque onde interpretou o papel de Yaroslavna na ópera "Prince Igor", de Borodin.

Em 2011 obteve uma Menção Honrosa no Concurso Nacional de Canto Luísa Todi.

Apresentou-se em vários recitais de Lieder e Oratória em Portugal, Espanha, Itália e Estados Unidos da América.

Na ópera interpretou Dido em "Dido e Aeneas", de Purcell, Gretel em "Hansel e Gretel", de Humperdink nos Teatros de Tomar e Ourém e Helena Sá e Costa e recentemente Ivette em "La Rondine", de Puccini e Nita na Zarzuela "Los Gavilanes", no Teatro Nacional de São Carlos.

Em 2012 fez a sua estreia no papel de Violetta Valery de "La Traviata" de Verdi no Atelier de l'Opera, Centro de Alto Aperfeiçoamento Operático de Barcelona e no Festival de música de Sant Pere Sallavinera com aclamadas críticas.

Ainda no mesmo ano obteve o 1º Prémio no Concurso Internacional de Interpretação do Estoril.

Em 2013 ganhou o prémio especial "Concerto a Milano" no Concurso Internacional de Canto Maria Malibran em Milão.

Do seu repertório fazem parte as grandes heroínas para soprano lírico/spinto de coloratura.

45081566_2279660925439444_8112480201738289152_n

45081573_2279660942106109_1820453155771514880_n

45117306_2279660862106117_7942968129011843072_n

45130784_2279661078772762_6524039182136901632_n

45146044_2279661185439418_6529629889526497280_n

45162046_2279667075438829_103088981859631104_n

45166270_2279661092106094_6004753300765802496_n

45176636_2281607091911494_8368196842235625472_n

45189866_2279661162106087_2648556978250448896_n

45302325_2279660748772795_7230965428686684160_n

SANTA MARTA DE PORTUZELO RECEBEU CONCERTO DE OUTONO

Com a igreja cheia, a expectativa de um excelente concerto confirmou-se, no passado dia 13 de outubro, na Igreja Paroquial de Santa Marta de Portuzelo.

Concerto de Outono1

Sob a batuta do Maestro Martinho Rodrigues, a Banda Club Pardilhoense realizou a 4ª edição, este ano com o nome de Concerto de Outono.

Mais uma vez a voz de Sílvia Sequeira encheu a igreja, soprano de uma excelente qualidade.

Com a duração de quase duas horas o Maestro guardou para final uma surpresa, arrancando do público o Cristovão Siano para cantar “Amar pelos dois”, fazendo lembrar dois anos atrás a apresentação do cartaz da Romaria de Santa Marta.

Este concerto teve a organização da Junta de Freguesia, com a colaboração da Câmara Municipal de Viana do Castelo e da Paróquia de Santa Marta.

Fotos: Junta de Freguesia de SantaMarta de Portuzelo

Concerto de Outono2

Concerto de Outono3

Concerto de Outono4

Concerto de Outono5

BARCELOS REALIZA ENCONTRO DE COROS E NOITE DE FADOS

Encontro de Coros e Noite de Fados enceram Projeto Artístico

Estão abertas as inscrições para a última fase do Projeto Artístico (PA) Barcelos 2018, uma iniciativa dedicada à educação através das expressões artísticas e que tem como principal objetivo criar condições de produção, revelação e valorização das competências dos jovens do concelho. 

Capturar1

O Projeto Artístico 2018 está de volta com o Encontro de Coros, que vai decorrer no Teatro Gil Vicente, nos dias 24 e 25 de novembro, pelas 21h30, e cujas inscrições estarão abertas até dia 31 de outubro. 

A Noite de Fados sobe ao palco do Teatro Gil Vicente a 1 de dezembro, pelas 21h30. As inscrições decorrem até dia 31 de outubro e o casting de seleção decorre no dia 3 de novembro, pelas 10h00, na Casa da Juventude.

O Projeto Artístico é uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Barcelos e pela Casa da Juventude que decorre entre junho e dezembro e tem como objetivos criar, incentivar e proporcionar a realização, revelação e a valorização dos jovens barcelenses em diferentes áreas artísticas.

A música, a dança e o teatro são diversas formas de expressão de arte pelas quais os jovens do concelho mostram um relevante interesse, facto que se confirma pela forte participação nos vários projetos levados a cabo pelo Pelouro da Juventude.

PONTE DE LIMA RECEBE BUDDA POWER BLUES

27 de Outubro – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

O Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima abre as portas ao público no próximo sábado, 27 de Outubro, às 22h00, para apresentar o projecto musical português mais representativo dos Blues – Budda Power Blues.

budda_4x3_

Considerados a melhor e mais importante banda de Blues nacional, os Budda Power Blues têm em Budda Guedes a figura mais notória do género em Portugal. Com o trio como formação, Budda Power Blues são reconhecidos por frequentemente juntarem três vozes à guitarra, baixo e bateria, oferecendo uma massa sonora pouco habitual nesta formação.

Em 2016 foram seleccionados para representar Portugal pela primeira vez no European Blues Challenge, pelo que a banda liderada por Budda Guedes fortaleceu o seu papel como a melhor banda portuguesa de Blues.

Em 2013 foram escolhidos para serem a banda europeia de Shirley King, a filha do lendário BB King, tendo acompanhado a Norte Americana desde então.

Em 2017 editam o seu 6.º disco, fruto do desafio feito à diva do Jazz português Maria João para que se juntasse ao trio e fizesse um disco de Blues. Blues Experience conta com 10 temas da autoria de Budda Guedes.

Em 2018 editam o seu 7.º disco: “Back to Roots”. Neste disco procuram as possíveis ou imaginárias interferências que a cultura portuguesa possa ter tido no Blues. Trata-se de um disco de Blues fortemente inspirado na cultura lusitana, seja por temática lírica ou por retrato de paisagens, relatos de sentimentos, etc.

Mas não é só em Portugal que Budda Power Blues tem vindo a ganhar notoriedade. A carreira internacional do trio tem-se solidificado e intensificado desde o seu primeiro espectáculo internacional em 2013 no mítico Blues Garage (Hannover). Em 2014 foram seleccionados, de entre mais de 200 candidatos de todo o mundo, para representar Portugal no Cotai Jazz & Blues Fest em Macau. Foram cabeças de cartaz por duas vezes no festival Blues Express Luxembourg (2013 e 2014). Fizeram uma pequena tour na Letónia e Suiça, em 2015 (Palladium Rīga, Kuldiga Live Festival, Blue Balls Festival).

O trio conta concertos no Blues Garage – Hannover, Cotai Jazz & Blues Fest (Macau), Blue Balls Festival (Switzerland), Lusitainian Blues Night Aalt Stadhaus (Differdange – Luxembourg), etc.

Se tivéssemos que resumir um concerto de Budda Power Blues numa frase diríamos que se trata de um espectáculo de Blues do século XXI bem condimentado com todas as origens do estilo e onde o entretenimento anda lado a lado com a mestria dos instrumentos e arranjos.

Discografia:

Back to Roots (2018)

Blues Experience (2017)

Budda Power Blues (2015)

One in a Million (2013)

Kind of Gypsys (2010)

Busted (2008)

Wanted (2006)

Bilhetes à venda (4,00€) e mais informações no Teatro Diogo Bernardes, pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

CERVEJA LETRA PROMOVE CONCERTOS AO VIVO

Letraria - Brewpub Vila Verde acolhe Cooltourall este sábado

Já este Sábado, dia 20 de Outubro, no âmbito da programação do Cooltourall, evento promovido pela associação cultural Bullire, o "Letra Music Sessions" acolhe os artistas locais Rita Franklin e PISC0 que prometem animar a noite na Letraria - Brewpub Vila Verde, a partir das 20h00.

Assinatura Email 2017

O “Letra Music Sessions”, fabricado pela cerveja LETRA, pretende promover mensalmente concertos ao vivo. Até ao final do ano, estão já confirmados dois nomes internacionais no cartaz, nomeadamente os projetos Lamansarda, de Itália, e Make Like a Tree, da Ucrânia.

Mas não haverá apenas música no cartaz. Já no dia 26 de Outubro, a Vila Verdense, Diana Silva, irá apresentar a sua primeira exposição de pintura intitulada “Intrinsic”.

É objetivo da marca, em cada uma destas iniciativas culturais, apresentar uma nova cerveja a quem desejar visitar o espaço onde são produzidas anualmente mais de 100 cervejas diferentes.

JULIEN ARGÜELLES E ORQUESTRA DE JAZZ DE ESPINHO - UM DOS MELHORES SAXOFONISTAS CONTEMPORÂNEOS NO PALCO DO TEATRO DIOGO BERNARDES

20 de Outubro – 22h00 – Teatro Diogo Bernardes – Ponte de Lima

O Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, apresenta no próximo sábado, dia 20 de Outubro, às 22h00, uma das duas únicas oportunidades de assistir ao concerto “A Northern Wind”, que junta Julian Argüelles (saxofone) e a Orquestra de Jazz de Espinho, com direcção musical de Daniel Dias e de Paulo Perfeito, uma vez que este espectáculo apenas poderá ser apreciado em Ponte de Lima e em Espinho, oportunidades únicas para apreciar um dos melhores saxofonistas contemporâneos.

julian_arguelles_4x3_

O que tem em comum as orquestras de Kenny Wheeler, Django Bates e Carla Bley? Para alem de terem deixado uma marca indelével na história do jazz moderno, todas elas contaram com a sonoridade marcante do saxofonista britânico Julian Argüelles. No entanto, as competências de Julian vão muito para além de ser virtuoso como instrumentista e improvisador e no concerto com a Orquestra de Jazz de Espinho iremos escutar algumas das obras que o consagram como um dos mais notáveis compositores de jazz contemporâneos.

Julian Argüelles nasceu em Birmingham, em 1966, e aos 18 anos mudou-se para Londres, onde foi rapidamente reconhecido como um músico criativo e original. Aos 20 anos integrou a prestigiada banda inglesa Loose Tubes. Tocou em gravações e digressões por todo o mundo com músicos de renome internacional como Hermeto Pascoal, Dave Holland, Django Bates, John Scofield, Kenny Wheeler, John Abercrombie, Bill Frisell e John Taylor. Lidera os seus próprios grupos e gravou mais de uma dezena de discos como líder. Estas gravações e as suas composições conquistaram variados prémios prestigiantes. Em 2004, Julian Argüelles mudou-se para a Escócia e em 2012 ganhou o prémio de Melhor Instrumentista nos Scottish Jazz Awards.

De acordo com o Jazz Composers Forum, “a música de Julian Arguëlles é uma autêntica digressão pelos estilos e texturas mais diversos, partindo do jazz e incorporando frequentemente elementos da música pop e de dança ou das músicas do mundo. A sofisticação é o traço mais distintivo das suas composições, marcadas não só pelo lirismo como também pelas mais inesperadas inflexões melódicas. Tornou-se uma das figuras-chave do jazz britânico das últimas décadas, tanto no formato de pequena banda como em orquestras, ou ainda em gravações a solo em que cria paisagens sonoras inusitadas com sobreposições de variados instrumentos de sopro.

Vem de longe a ligação de Julian Argüelles aos grandes ensembles. A enorme originalidade e forte personalidade de Julian Argüelles enquanto compositor tem sido pretexto para encomendas de outros agrupamentos como a NDR Big Band (Hamburgo), o Apollo Saxophone Quartet, o Fontanella Recorder Consort e a Scottish National Jazz Orchestra.

O primeiro trabalho discográfico do saxofonista surgiu em 1990, em quarteto, e foi um sinal importante de que se estava perante um músico de excepção, mais não fosse por contar com o pianista consagrado John Taylor. Desde cedo, também, passou a ser presença assídua nos palcos do nosso país, participando no primeiro disco a solo de Mário Laginha, em 1994, e colaborando com este de forma recorrente. A partir de 1995, e durante três anos consecutivos, todos os CDs de Argüelles foram eleitos “CD do Ano” pela publicação Independent On Sunday.

Julian Argüelles procura manter uma actividade intensa como professor: ensina na Royal Academy of Music e no Trinity College of Music, em Londres e no Royal Northern College of Music, em Manchester. O seu Octeto é Ensemble em Residência na Universidade de York.

Com a sua música, Julian Arguëlles procura essencialmente transmitir emoções, seja através de música complexa ou simples, brilhante ou obscura, cumprindo sempre a tradição do jazz, que se traduz pela procura incessante da inovação.”

Bilhetes (6,00€) e mais informações podem ser obtidos pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt

VIANA DO CASTELO REALIZA ENCONTRO DE COROS

Encontro de Coros em Viana do Castelo

No próximo dia 27de outubro (sábado), em Viana do Castelo, realiza-se um Encontro de Coros, organizado pelo Centro de Estudos Regionais, que terá lugar no Teatro Sá de Miranda, a partir das 14.30 horas.

42917397_1931892003499912_774843702567763968_n

O Encontro de Coros enquadra-se nas atividades comemorativas do 40º aniversário do Centro de Estudos Regionais, associação cultural sem fins lucrativos, de reconhecida utilidade pública, com sede em Viana do Castelo, cujo principal fim é a investigação, estudo e divulgação do património cultural e ambiental da região minhota.

Participam no encontro os coros: Vocal Ensemble (Braga), Madrigal (Rio Tinto), Grupo Coral da Universidade Sénior de Oliveira de Azeméis, Coro da Universidade Sénior Contemporânea (Porto) e o Coro do Centro de Estudos Regionais.

O evento conta com o apoio do município de Viana do Castelo, dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo e do Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana.  

A direção do Centro de Estudos Regionais

Viana do Castelo, 16de outubro 2018

CABECEIRAS DE BASTO DÁ AS BOAS-VINDAS AOS DOCENTES AO SOM DO SAXOFONE

Quarteto de Saxofones da ESMAE deu concerto de boas-vindas aos docentes na Casa do Tempo. Concerto encerrou ciclo de Concertos Rápidos do ‘Mosteiro de Emoções’

A Casa do Tempo de Cabeceiras de Basto recebeu ontem, dia 10 de outubro, os educadores e professores do Agrupamento de Escolas de Cabeceiras de Basto com um Concerto Rápido, uma iniciativa integrada no programa cultural ‘Mosteiro de Emoções’.

Quarteto de Saxofones da ESMAE deu concerto de boas-vindas aos docentes na Casa do Tempo

Durante o concerto promovido pela Câmara Municipal e oferecido especialmente aos docentes que lecionam no concelho, a plateia assistiu à atuação de um conjunto da área de Sopros da ESMAE, que se vai estabelecendo como um dos mais inovadores e dinâmicos em Portugal. De referir que a atuação do Quarteto de Saxofones da ESMAE - Bernardo Salabert, Cláudio Pereira, Pedro Pereira e Rui Cunha – encerrou o ciclo de ‘Concertos Rápidos’ em Cabeceiras de Basto.

Assistiram a este espetáculo o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, os vereadores Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, a diretora do Agrupamento de Escolas, Dra. Céu Caridade, o professor Dimitris  Andrikopoulos, compositor e professor da ESMAE, entre muitos educadores e professores.

Na oportunidade, o presidente da Câmara, depois de saudar a plateia e desejar “um ano muito positivo para todos os professores e alunos”, disse: “orgulhamo-nos de ter em Cabeceiras de Basto uma comunidade educativa dinâmica, que tem sido verdadeira parceira da Câmara Municipal na construção de uma terra mais rica e participativa, mais desenvolvida e mais solidária”.

Agradecendo toda a colaboração e cooperação da comunidade educativa, Francisco Alves mostrou-se disponível para continuar a colaborar com o Agrupamento de Escolas e com a comunidade educativa com o objetivo de “criar as melhores condições para o ensino e para a aprendizagem”.

Por seu turno, a diretora do Agrupamento, Dra. Céu Caridade agradeceu à Câmara Municipal a receção preparada para os docentes, destacando as boas relações de cooperação estabelecidas com o Município. Aos professores e seus alunos desejou também um ano letivo proveitoso.

Coube ao professor Dimitris  Andrikopoulos, compositor e professor da ESMAE, apresentar o quarteto e percurso dos quatro alunos da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo que protagonizaram o último Concerto Rápido do programa cultural ‘Mosteiro de Emoções’.