Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BANDAS DE MÚSICA DÃO FESTIVAL EM CERVEIRA

Domingo é dia do XIV Festival de Bandas de Música

Cinco bandas filarmónicas da região Norte do país vão atuar, este domingo, 22 de setembro, em Vila Nova de Cerveira, no âmbito do XIV Festival de Bandas de Música. Pelo forte convívio em torno da valorização da música filarmónica, o sucesso deste evento já ultrapassa as fronteiras cativando o público da Galiza.

Cartaz Festival de Bandas 2019.jpg

Tradicionalmente, em setembro, o centro histórico cerveirense ecoa as sonoridades filarmónicas de cinco bandas convidadas para um dia recheado de intercâmbio cultural, que arranca com um desfile pelas ruas, durante a manhã, e os concertos, no período da tarde. O encerramento do festival é já um momento muito peculiar, com a interpretação da Marcha de Valdemar Sequeira - “Ponte da Amizade” - em uníssono pelas bandas participantes (19h00).

Organizado pela Cerveira – Associação Cultural e Recreativa, com o apoio do Município de Vila Nova de Cerveira, as bandas presentes nesta XIV edição são: Banda Filarmónica Musical de Vila de Anha (Viana do Castelo); a Banda de Música de Moreira da Maia (Maia); a Banda Musical de Pevidém (Guimarães); a Banda de Música de Goleães (Fafe); e a Banda Musical de Freamunde (Freamunde).

“MÃO MORTA” ESTREIA FILME-CONCERTO EM FAMALICÃO

Filme-concerto da banda rock portuguesa é o grande destaque da 4.ª edição do Close-Up

Os Mão Morta vão estrear-se no palco da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão no próximo dia 19 de outubro com a interpretação, ao vivo, de uma banda sonora para o filme “A Casa na Praça Trubnaia”, obra máxima do cineasta Boris Barnet, “o outsider do cinema mudo soviético”.

Era Uma Vez em...Hollywood.jpeg

O filme-concerto da banda rock portuguesa vai contar com mais de 80 minutos de música composta exclusivamente para esta apresentação e é o grande destaque da quarta edição do Close-Up, Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão, que decorre entre os dias 12 e 19 de outubro no espaço cultural famalicense.

Mas este não é o único filme-concerto a estrear nesta nova edição do Observatório. A abertura do evento, no dia 12 de outubro, estará a cargo da Orquestra de Jazz de Matosinhos, dirigida por Pedro Guedes, que aceitou o desafio do Close-Up para acrescentar som ao filme mudo soviético “O Couraçado Potemkine”, realizado por Sergei Eisenstein.   

Ao longo dos oito dias do Observatório serão apresentadas cerca de 40 sessões de cinema contemporâneo cruzadas com a história do cinema.

Mão Morta.jpg

Destaque para duas sessões especiais: a exibição do mais recente filme de Quentin Tarantino, “Era uma vez em…Hollywood”, e a antestreia em Portugal de “Alpha: Nos Bastidores da Corrupção” do filipino Brillante Mendoza.

Haverá ainda tempo para um passeio pelo cinema francês com dois protagonistas - Agnès Varda e Jean-Luc Godard - mas que inclui outros nomes que inquietaram a produção francesa tais como Jean-Pierre Melville, Sacha Guitry, Max Ophüls, Georges Franju ou Louis Malle.

O cinema português vai também estar em destaque com um programa dedicado aos filmes escritos e realizados pelo cineasta-fotógrafo Eduardo Brito, onde se incluem duas curtas metragens em antestreia – “Úrsula”, uma encomenda do Observatório, e “La Ermita”.

Orquestra de Jazz de Matosinhos.jpg

Há ainda um extenso programa para as escolas com uma dezena de sessões de cinema, oficinas e uma masterclasse de Pedro Serrazina. “Toy Story 4” e a versão live action do filme “O Rei Leão” são as duas propostas do Close-Up para as famílias.

Dos realizadores, jornalistas e académicos convidados para as sessões comentadas, destaque para a presença no Observatório do realizador João Canijo e de Vasco Câmara, editor do suplemento cultural Ípsilon do jornal Público. 

“O Tempo foi a perspetiva que escolhemos como mote para a quarta edição do Close-Up: o tempo que passa e o tempo do cinema. A história desenrola-se perante os nossos olhos e o Cinema, como máquina que permite deslocamentos no tempo, lança-nos na espiral complexa das histórias do passado e do futuro, projetadas no presente”, explica Vitor Ribeiro, programador do Observatório.

Mais informações e programa completo no site do Observatório, em www.closeup.pt, no site da Casa das Artes, em www.casadasartes.org

Toy Story 4.jpg

BARCELOS RECEBE CICLO DE CONCERTOS

“triciclo” regressa com três meses de música em Barcelos

O ciclo de concertos “triciclo” está de volta para mais três meses de programação transversal, a decorrer entre outubro e dezembro, e que conta com o Conjunto Corona, Krake + Adolfo Luxúria Canibal e Ruído Vário.

triciclo_cartaz.png

Este ciclo itinerante de concertos, promovido pelo Município de Barcelos, volta a contar com a componente de “serviço educativo”, bem como showcases e workshops surpresa e inicia no dia 5 de outubro com o trio punk Deaf Kids. A banda de São Paulo regressa a Portugal e traz uma sonoridade psicadélica e pesada à blackbox do Teatro Gil Vicente. Para terminar o mês, no dia 30 de outubro, Adolfo Luxúria Canibal junta-se a Krake para repetir um espetáculo que foi criado e apresentado para o Zigurfest deste ano. O vocalista dos míticos Mão Morta e o baterista barcelense vão apresentar um espetáculo experimental e ainda desconhecido para o grande público, mas com o selo de qualidade que os dois músicos carimbam em cada projeto que integram.

O ciclo musical prossegue no dia 9 de novembro com os portuenses Conjunto Corona e os barcelenses Solar Corona. Uma noite entre o hip-hop e o stoner rock que acontece na sede do Gil Vicente FC. O Teatro Gil Vicente vai receber os belgas Slumberland, liderados pelo cineasta e músico Jochem Baelus, a 21 de novembro. Secadores de cabelo, agulhas de tricô, câmaras super 8 ou máquinas de costura são alguns dos instrumentos improváveis utilizados pelos Slumberland.

No último mês de programação, o "triciclo" vai juntar O Gringo Sou Eu e a escola de música da Banda Musical de Oliveira. O músico brasileiro vai preparar um espetáculo original com os jovens alunos desta banda com mais de duzentos anos existência nascida na freguesia de Oliveira, em Barcelos. Esta iniciativa insere-se no projeto de Serviço Educativo do triciclo, que tem como objetivo a aproximação de comunidades, assim como a formação pessoal e artística de jovens locais. A apresentação ao vivo decorre a 14 de dezembro, no Theatro Gil Vicente.

O encerramento fica a cargo de Ruído Vário, projeto de Ana Deus e Luca Argel que aborda a obra de Fernando Pessoa. O espetáculo foi criado a convite da Casa Fernando Pessoa em 2017 e vai ser apresentado na Biblioteca Municipal de Barcelos, a 21 de dezembro.

Os bilhetes estão disponíveis no Theatro Gil Vicente e em www.bol.pt.

VIZELA INCREMENTA ENSINO DE MÚSICA

Câmara assinou protocolo com a Sociedade Filarmónica Vizelense

A Câmara Municipal e a Sociedade Filarmónica Vizelense assinaram o protocolo de colaboração para a implementação da atividade de enriquecimento curricular de música nas escolas públicas do 1.º CEB, durante o ano letivo 2019/2020.

ass. SFV.JPG

Este protocolo, no valor de €11.760,00, prevê a colaboração da Sociedade Filarmónica Vizelense com o Município de Vizela, através da disponibilização dos respetivos profissionais, na atividade de música.

De realçar que a Sociedade Filarmónica Vizelense, através da sua Academia de Música, é uma entidade privilegiadamente vocacionada para o ensino da música e das artes, dispondo de um corpo docente qualificado, sendo titulares de certificação que lhes confere habilitação para a docência, e disponível para o ensino dessa atividade no domínio artístico, científico e tecnológico. De destacar ainda toda a experiência que a Sociedade Filarmónica Vizelense tem no ensino da música e expressão musical ao nível do Ensino Básico no concelho de Vizela que, ao longo de vários anos, vem desenvolvendo, quer no ensino articulado, quer no ensino supletivo nos vários projetos de domínio artístico, em parceria com o Município de Vizela.

As AEC desenvolvem-se de acordo com os objetivos definidos no Projeto Educativo de cada Agrupamento, atendendo ao contexto da escola, com o objetivo de atingir o equilíbrio entre os interesses dos alunos, a formação e perfil dos profissionais que as asseguram e os recursos materiais e imateriais de cada território, e constam do Plano Anual de Atividades.

De destacar que este ano as AECs voltaram para a alçada da Câmara Municipal, tendo iniciado aquando do início do ano letivo, contrariamente a situações verificadas em anos transatos em que as AECs apenas iniciaram em janeiro.

Cumprindo a premissa deste Executivo de que a Educação é o Futuro, a Câmara Municipal irá privilegiar esta vertente, promovendo e operacionalizando medidas de desenvolvimento da educação, tomando este aspeto como determinante na qualificação e competitividade futura das gerações vindouras no Concelho.

FAMALICÃO RECEBE ORQUESTRA DE JAZZ DE MATOSINHOS E MÃO MORTA COM TRABALHOS INÉDITOS PARA A CASA DAS ARTES

Dois filmes-concerto para ver e ouvir a 12 e a 19 de outubro, na abertura e encerramento do Close-up, em Famalicão

São novas e originais as composições sonoras que a Orquestra de Jazz de Matosinhos e os consagrados Mão Morta vão apresentar em palco na Casa das Artes de Famalicão para acompanhar a projeção dos filmes “O Couraçado Potemkine” e “A Casa na Praça Trubnaia”, dois clássicos da história do cinema.

O Couraçado Potemkine.jpg

Dia 12 e 19 de outubro, sempre às 21h30, no Grande Auditório, são dois momentos maiores da programação deste equipamento cultural do Município de Vila Nova de Famalicão e que farão parte do seu património próprio.  Ambos os filmes-concerto são exibidos em estreia, por encomenda da Casa das Artes, no âmbito do Close-up – Observatório de Cinema de Famalicão, à reputadíssima Orquestra de Jazz de Matosinhos e aos catedráticos do rock português Mão Morta.

Destaca-se que os filmes têm, respetivamente, uma duração de 70 minutos e de 80 minutos e que obrigaram a que tanto a Orquestra de Jazz de Matosinhos como os Mão Morta (em trio) olhassem com olhos criativos para “O Couraçado Potemkine”, um dos exemplares do revolucionador da montagem Serguei Eisenstein, e “A Casa na Praça Trubnaia”, obra máxima do ucraniano Bornis Barnet, e fizessem nascer as suas próprias bandas sonoras, que interpretarão ao vivo no palco do Grande Auditório da Casa das Artes.

Momentos únicos são aguardados neste capítulo da programação própria do teatro municipal, num excelente cruzamento de linguagens.

Orquestra Jazz de Matosinhos (1).jpg

Fichas técnicas

ORQUESTRA DE JAZZ DE MATOSINHOS – filme-concerto – O Couraçado Potemkine de Serguei Eisenstein – 12.Out (21h30, GA) _ ESTREIA

Título original: Bronenosets Potyomkin (Rússia, ficção, 1925, 70 min)

Classificação: M/12

É um dos melhores filmes de todos os tempos, um dos mais conhecidos da história do cinema e apresenta uma das mais célebres sequências da sétima arte. Para Charlie Chaplin, era mesmo o seu favorito. Realizado por Sergei Eisenstein, "O Couraçado Potemkin” é um filme mudo soviético que estreou em 1925 e apresenta uma versão dramatizada da rebelião ocorrida em 1905, onde os tripulantes do navio de guerra Bronenosets Potyomkin/O Couraçado Potemkin se revoltaram contra seus oficiais superiores. Razões mais que suficientes para este ser um grande desafio para a Orquestra Jazz de Matosinhos e o seu diretor, Pedro Guedes, compositor da música original. Integrado na IV edição do Close-Up - Observatório de Cinema de Famalicão, o filme-concerto "O Couraçado Potemkin” estreia dia 12 de outubro na Casa das Artes de Famalicão.

A Orquestra Jazz de Matosinhos, criada em 1999 com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos, é um laboratório permanente. Não esquece a tradição das grandes big bands do passado, mas promove continuamente a criação, a investigação, a divulgação e a formação na área do jazz, cruzando a ambição internacional com o sentido de responsabilidade local. Constituindo uma autêntica orquestra nacional de jazz, apresenta repertórios de todas as variantes estéticas e de todas as épocas do jazz, assumindo-se como um fórum alargado de compositores e músicos, lançando pontes, estabelecendo parcerias e produzindo um repertório nacional específico para big band contemporâneo, versátil e diverso. Dirigida por Pedro Guedes e Carlos Azevedo, tem colaborado com nomes tão diversos como Maria Schneider, Carla Bley, Lee Konitz, John Hollenbeck, Jim McNeely, Kurt Rosenwinkel, João Paulo Esteves da Silva, Carlos Bica, Ingrid Jensen, Bob Berg, Conrad Herwig, Mark Turner, Rich Perry, Steve Swallow, Gary Valente, Dieter Glawischnig, Stephan Ashbury, Chris Cheek, Ohad Talmor, Joshua Redman, Andy Sheppard, Dee Dee Bridgewater, Maria Rita, Maria João, Mayra Andrade, Manuela Azevedo, Sérgio Godinho, Manuel Cruz,  Fred Hersh, Rebecca Martin, Peter Evans, Fay Claassen entre muitos outros.

fotos Mão Morta.jpg

MÃO MORTA – filme-concerto – A Casa na Praça Trubnaia de Boris Barnet – 19.Out (21h30, GA) _ ESTREIA

Título original: Dom na Trubnoi (Rússia, ficção, 1928, 80 min)

Classificação: M/12

Parasha Pitunova chega a Moscovo, vinda da província, para trabalhar como empregada doméstica. Esta comédia conta a história da casa onde ela vai trabalhar, e dos seus habitantes. Uma sátira à hipocrisia da pequena burguesia, que sobrevivera na URSS à Revolução e que continuava, sorrateiramente, a explorar os necessitados. Esta obra-prima de Barnet, o outsider do cinema mudo soviético, será apresentado com uma banda-sonora em estreia, composta e tocada ao vivo pelos Mão Morta, uma das principais bandas de rock portuguesas, com uma carreira de mais de 30 anos.

Os Mão Morta, formados em novembro de 1984 por Joaquim Pinto, Miguel Pedro e Adolfo Luxúria Canibal, construíram um dos percursos mais sólidos e revelantes do rock nacional, com a edição de 12 álbuns de estúdio e 7 ao vivo, entre os quais “Corações Felpudos” (1990), “Mutantes S.21” (1992), “Müller no Hotel Hessischer Hof” (1997), “Há Já Muito Tempo que Nesta Latrina o Ar se Tornou Irrespirável” (1998), “Primavera de Destroços” (2001), “Nus” (2004), “Pelo Meu Relógio São Horas de Matar” (2014), que deambulam entre géneros como o punk rock, metal, ou industrial. Em 2019 Mão Morta cria um espectáculo de dança contemporânea, "No Fim Era o Frio", com 6 bailarinos, sendo também o título do seu novo álbum de originais, que acabaram de editar e se junta assim aos outros 19 álbuns da sua discografia, grande parte deles sistematicamente incluídos nos diversos balanços dos melhores discos de sempre da música portuguesa. Em resposta à encomenda do Close-up, os Mão Morta estreiam na Casa das Artes de Famalicão a banda sonora para o filme A Casa na Praça Trubnaia, com mais de 80 minutos de música composta para esta apresentação, que entrará para o seu património de históricas apresentações ao vivo.

Concluindo

De 12 a 19 de outubro, em vários espaços da Casa das Artes, o quarto episódio do Close-up – Observatório de Cinema de Famalicão, contará com cerca de 40 sessões de cinema contemporâneo cruzadas com a história da 7ª Arte (com um passeio pelo Cinema Francês), sob o mote do Tempo (o que passa e o tempo do Cinema), incluindo os filmes-concerto em estreia já enunciados, filmes comentados por realizadores, jornalistas e académicos, sessões especiais e ante-estreias, um panorama em volta da obra de Eduardo Brito.

Haverá também espaço para conversas, música e poesia no café-concerto e no foyer, e sessões para famílias e para escolas, com filmes, oficinas e uma masterclasse de Pedro Serrazina.

Mais pormenores da programação do Close-up serão revelados em breve.

A Casa das Artes de Famalicão é cada vez mais o seu lugar na Cultura!

A Casa na Praça Trubnaia.jpg

MONÇÃO CRIA HINO DO ALTO MINHO

CIM Alto Minho apresenta resultados do programa cultural “Sente a História”

Conferência de imprensa realiza-se a 10 de setembro na Biblioteca Municipal de Monção. Data: 10 de setembro. Hora: 14h30. Local: Biblioteca Municipal de Monção

A Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) convida um representante do vosso órgão de informação para a conferência de imprensa de apresentação dos resultados do programa cultural “Sente a História – Ação Promocional de Música e Património – Novas Abordagens, Novos Talentos”*, bem como para o lançamento do CD "Canções das Lendas e Hino do Alto Minho", que se realiza na próxima terça-feira (dia 10 de setembro), pelas 14h30, na Biblioteca Municipal de Monção.

A iniciativa, que integrou uma programação de 30 concertos em 30 locais históricos dos 10 concelhos do Alto Minho, envolvendo mais de 1500 músicos, foi organizada pela CIM Alto Minho, produzida pela Eventos David Martins e cofinanciada pelo Norte 2020 – Programa Operacional Regional do Norte, tendo-se afirmado como motor de desenvolvimento cultural, turístico e económico da região do Alto Minho.

Na conferência de imprensa serão apresentados os resultados alcançados com esta programação cultural, com as respetivas linhas de programação (bandas filarmónicas, coros e jovens solistas do Alto Minho em contexto de música de câmara) e ações de capacitação, bem como o impacto cultural e económico que trouxe à região.

A conferência de imprensa contará com a presença do presidente da CIM Alto Minho, José Maria Costa; do presidente da Câmara Municipal de Monção, António Barbosa; e do diretor de produção, David Martins.

*Sobre o “Sente a História”

O programa cultural “Sente a História – Ação Promocional de Música e Património – Novas Abordagens, Novos Talentos” apresenta características inéditas no país. Centrado na capacitação, valorização e no desenvolvimento de competências de diferentes gerações de músicos locais, bem como na criação de novos talentos, o programa decorreu de 13 maio de 2018 a 21 de julho de 2019 e envolveu os municípios de Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira.

Além de ter permitido uma experiência de história ao vivo, onde a música foi ao encontro da arquitetura dos monumentos, contemplou três linhas de programação (bandas filarmónicas, coros e jovens solistas do Alto Minho em contexto de música de câmara), tendo como objetivo surpreender o público com novas abordagens e novos talentos.

As bandas filarmónicas, com os novos maestros a garantirem o rejuvenescimento desta arte na sequência das ações de capacitação deste programa, atuaram em contexto de concerto com interpretações surpreendentes com jazz, rock, fado, música barroca, popular ou erudita, em formato acústico ou com o som amplificado.

No que diz respeito aos coros, esteve também patente o cruzamento da tradição com a inovação. Exemplo disso é o facto de o cantor popular repentista Augusto “Canário” ter escrito as letras das canções que vão invocar as lendas da região. Em paralelo, seis compositores de referência do jazz à música erudita (Afonso Alves, Eurico Carrapatoso, Carlos Azevedo, Fernando Lapa, Mário Laginha e Telmo Marques) compuseram sobre as palavras do sentir tradicional, 10 peças corais polifónicas dedicadas a uma lenda de cada município e, ainda, um Hino do Alto Minho. Vozes de todos os coros da região fundiram-se no Coro Intermunicipal do Alto Minho, num gran finale que encerrou o projeto em julho de 2019, onde foram interpretadas todas as canções das lendas e o Hino do Alto Minho.

De modo a fomentar os tesouros patrimoniais do Alto Minho, os dias em que ocorreram os concertos foram também de património aberto, tendo ocorrido ainda visitas e tours guiados.

ESPAÇO GUIMARÃES CELEBRA A JUST DANCE PARTY

O evento Just Dance chega ao centro comercial Espaço Guimarães, onde terá a oportunidade para mostrar os seus melhores moves e ainda se habilita a ganhar prémios incríveis.

O centro comercial Espaço Guimarães, gerido pelo grupo Klépierre em Portugal, celebra o 10º aniversário do jogo Just Dance com um evento único no país, que promete muito ritmo, música e animação. De 18 a 22 de setembro das 13h00 às 21h00, o Piso 1 do centro comercial transforma-se numa autêntica pista e conta ainda com a presença de uma das figuras nacionais mais reconhecidas do mundo da dança, o Cifrão.

image007justd.jpg

O Espaço Guimarães convida a participar em competições diárias do jogo Just Dance, numa versão transportada do ecrã para a realidade para proporcionar uma experiência de jogo in loco e cheia de prémios. Uma Nintendo Switch, uma viagem a Paris e ainda a possibilidade de integrar o jogo Just Dance 2020 são algumas das surpresas reservadas para os vencedores.

No dia 22 de setembro das 16h30 às 18h30, o Cifrão junta-se à Just Dance Party com a promessa de meter todos a dançar.

A diversão continua para além da pista de dança com a “Studio Experience”, onde os participantes têm a oportunidade de entrar no jogo Just Dance para criar um avatar personalizado, através da realidade aumentada. Pinturas faciais, acessórios para tirar as fotografias mais originais e muitas outras surpresas garantem momentos únicos e memoráveis.

Os dias vão ser de festa e vividos com muito entusiasmo! Junte a sua família e amigos, calce uns ténis confortáveis, traga muita energia e está preparado para este mega evento onde poderá dançar ao som dos maiores hits musicais.

Não perca a animação da Just Dance Party no Espaço Guimarães e revele os seus melhores passos de dança!

ORQUESTRA XXI REGRESSA A CABECEIRAS DE BASTO

Cabeceiras de Basto integra, pelo segundo ano consecutivo, a digressão da Orquestra XXI e que neste ano inicia hoje, dia 5 de setembro, na Casa da Musica, no Porto, passando por Cabeceiras de Basto, na sexta-feira, e terminando no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, no dia 8 de setembro, depois de passar por Oliveira de Azeméis na véspera.

Foto concerto Orquestra XXI.JPG

A Orquestra XXI é um projeto que reúne dezenas de jovens músicos portugueses residentes no estrangeiro e que tem o duplo objetivo de manter uma forte ligação entre estes jovens e o seu país de origem e, ainda, de levar momentos musicais de excelência a públicos diversificados.

Note-se que a flautista Cabeceirense Adriana Ferreira integra esta magnífica Orquestra e estará, por isso, amanhã entre nós. Adriana Ferreira encontra-se a trabalhar em Itália na Orquestra da Academia Nacional de Santa Cecília em Roma, Itália, tendo já passado pela Orquestra Nacional de França e pela Orquestra Filarmónica de Roterdão, motivo de grande orgulho para todos os Cabeceirenses que poderão desfrutar na próxima sexta-feira de um sublime concerto da Orquestra XXI.

A Orquestra XXI, dirigido pelo jovem maestro Dinis Sousa, regressa ao Mosteiro de S. Miguel de Refojos, em Cabeceiras de Basto, desta vez com o extraordinário violoncelista Pavel Gomziakov a interpretar o Primeiro Concerto de Shostakovich, um dos mais emblemáticos e desafiantes do repertório para violoncelo. O programa abre com uma obra da compositora Ana Seara, que se tem destacado entre a nova geração de compositores em Portugal, e termina com a última sinfonia de Brahms, uma das mais importantes sinfonias de todo o repertório sinfónico.

Esta digressão é dedicada ao oboísta Samuel Bastos, membro fundador da Orquestra XXI que nos deixou tão prematuramente em Maio.

Cabeceiras de Basto recebe, assim, no seu Mosteiro um extraordinário espetáculo com entrada livre e gratuita, concerto que proporcionará aos Cabeceirenses e a todos os que nos visitarem uma noite cultural única que coloca Cabeceiras de Basto na rota dos maiores eventos culturais do país.

O espetáculo é oferecido a todos pela Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto.

Programa:

Ana Seara - Tua lágrima em mim
D. Shostakovich - Concerto para Violoncelo e Orquestra nº 1
J. Brahms - Sinfonia nº 4
Orquestra XXI
Pavel Gomziakov, violoncelo
Dinis Sousa, direção musical

Orquestra XXI - Cartaz.jpg

MÚSICA E MOVIMENTO NO ESTAÇÃO VIANA SHOPPING

Instalação Sonora interativa “Baloica” de 9 de setembro a 9 de outubro no Piso 2

No dia 9 de setembro inaugura no Estação Viana Shopping a peça que une música e movimento. “Baloica” é o nome da instalação desenvolvida pela dupla Elas Duas, que chega ao Centro no âmbito do projeto Pulsar Viana e estará patente até dia 6 de outubro no Piso 2

unnamedbaloicovian.png

Durante um mês, o Centro vai ser palco de uma experiência sonora colaborativa, fruto da instalação Baloica, que envolve os visitantes numa dinâmica imersiva e musical, que pode ser realizada em grupo. Baloica é uma peça constituída por três baloiços que se transformam num instrumento musical assim que entram em movimento. Os sons disparados diferem consoante o movimento efetuado, sendo a complexidade da música proporcional ao número de pessoas presentes no baloiço.

Cláudia Oliveira e Isabel Bourbon são as responsáveis pela criação da obra (consultar o video aqui) e fundadoras do projeto Elas Duas, um estúdio multidisciplinar minhoto que procura desenvolver novas experiências tecnológicas.

Através do design, da interação e da intervenção no espaço, a dupla procura encontrar novas relações entre a tradição e a tecnologia. No seu trabalho, Elas Duas desenvolvem peças criativas que visam envolver o espetador em experiências colaborativas e imersivas.

Esta iniciativa junta-se à 3ª edição do Pulsar Viana, o programa cultural e de lazer do Estação Viana Shopping que pretende promover a partilha dos valores da região. Este projeto tem como principal objetivo dinamizar o Centro e ainda oferecer aos visitantes uma oportunidade única de conhecerem mais sobre as regiões de Viana do Castelo e do Minho, homenageando esta região.