Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MINHOTOS EM LOURES CANTAM AO MENINO JESUS – UMA INICIATIVA DO GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO

Entrai pastores, entrai / Por este portal sagrado / Vinde adorar o menino / Numas palhinhas deitado – entoaram os componentes do Grupo Folclórico Verde Minho à medida que devotamente se dirigiam para o presépio onde está representada a Sagrada Família, na Igreja Matriz de Loures.

DSC00058.JPG

Devidamente trajados de acordo com a época natalícia e convenientemente agasalhados, os homens descobriram respeitosamente a cabeça e perfilaram-se junto ao altar. Uma luz trémula das velhas candeias conferia um ambiente quase místico à festa do nascimento de Jesus.

Para além dos minhotos que afluíram à Igreja Matriz de Loures para assistir e participar no evento, a assistência contou com a participação de alguns paroquianos.

DSC00057.JPG

A abrir o espectáculo, o Director do Grupo Folclórico, deu as boas-vindas a todos os presentes e, em nome da entidade organizadora, fez uma breve apresentação cujo teor seguidamente transcrevemos:

“Os cânticos ao Menino Jesus constituem uma das tradições cristãs mais apreciadas pelo nosso povo, celebradas durante a quadra natalícia e profundamente ligada à Missa do Galo. E é essa tradição que hoje, todos nós, propomos aqui trazer, nos moldes em que a mesma era vivida em terras de Entre-o-Douro-e-Minho!

Como quase todas as tradições populares que foram entretanto cristianizadas, também esta tem as suas origens pagãs. É nesta altura do ano que se celebra o Solstício de Inverno ou seja, o nascimento do Sol, outrora venerado como uma divindade. Sucede que o Galo simboliza a aurora, o nascimento do Sol, o amanhecer de um novo ano solar após um prolongado período de inverno. E, porque a Natureza constitui um ciclo de perpétuo renascimento, a celebração do mito através da sua ritualização assegura a passagem da morte para a vida, o nascimento do Sol.

Não existindo embora qualquer fundamentação histórica para a atribuição desta data ao nascimento de Jesus, as nossas gentes continuam a festejar com imensa alegria a Natividade, com a mesma fé e fervor com que os nossos ancestrais celebravam o nascimento do Sol.

- Vamos, pois, cantar louvores ao Menino Jesus, preservando as nossas tradições!”

DSC00056.JPG

DSC00047.JPG

DSC00048 (2).JPG

DSC00049.JPG

DSC00050.JPG

DSC00051.JPG

DSC00052.JPG

DSC00053.JPG

DSC00054.JPG

DSC00036.JPG

DSC00037.JPG

DSC00041 (2).JPG

DSC00042 (2).JPG

DSC00043.JPG