Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CABECEIRAS DE BASTO COMEMORA DIA MUNDIAL DO LIVRO

Dia Mundial do Livro celebrou-se com Hora do Conto aberta à população

Cabeceiras de Basto festejou ontem, dia 23 de abril, o Dia Mundial do Livro com a realização da Hora do Conto aberta à população na Biblioteca Municipal Dr. António Teixeira de Carvalho, momento que contou com a presença da vereadora da Cultura e da Educação, Dra. Carla Lousada.

Dia Mundial do Livro celebrou-se com Hora do Conto (2)

‘O Ensinamento de Santiago’ foi o conto escolhido para esta celebração, conto que ao longo da semana passada foi apresentado a centenas de crianças do ensino pré-escolar, naquela Biblioteca.

Trata-se de uma magnífica história escrita por Ana Caridade e faz parte de uma tese de mestrado da aluna da ESMAE, Margarida Silva, que a interpretou.

É uma história que está também adaptada para crianças invisuais, pois tem o percurso todo traduzido em braille e tem também toda a informação na aplicação em código QR, aplicação que se torna uma fantástica ferramenta para o trabalho dos professores em sala de aula na abordagem à temática das emoções. É ainda um conto adaptado para alunos de educação especial.

Esta atividade foi desenvolvida pelo CTCMCB – Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto em parceria com a autora e com a intérprete.

O Ensinamento de Santiago que tem o foco na intervenção social pretende resgatar a criança, ser natural, através de um projeto de educação artística com propostas diversificadas estimulando o que se tem perdido, com as mudanças rápidas da nossa sociedade que, tantas vezes, as desconecta com a sua essência que é ser criança. É um abraço entre a tradição e a contemporaneidade.

É uma proposta de instalação itinerante que foi construída de forma a veicular a mensagem da criança em que paralelamente será interativa para as crianças poderem vivenciar jogos, brinquedos e brincadeiras (tradição) e terem contacto com a natureza e a sua natureza através da experimentação da Cidade das Memórias. Esta instalação é um bloco do projeto abrangente que inclui também uma performance em que se conta a história sobre esta Cidade das Memórias.

Dia Mundial do Livro celebrou-se com Hora do Conto (1)

MUNICÍPIO BRACARENSE ENTREGA COLEÇÃO DE LIVROS SOBRE BRAGA

Nas comemorações do Dia Mundial do Livro

A partir da próxima segunda-feira, 23 de Abril, o Município de Braga irá proceder à entrega de uma colecção de livros sobre Braga dirigidas às bibliotecas escolares das 13 Escolas do 2.º e 3.º ciclo do Ensino Básico existentes no território do concelho. A vereadora da Cultura e Educação, Lídia Dias, procederá à entrega de um dos conjuntos esta Segunda-feira, pelas 11h00, na biblioteca da Escola EB2/3 de Cabreiros.

livro

Esta iniciativa, que pretende comemorar o Dia Mundial do Livro assinalada anualmente a 23 de Abril, intitula-se “Braga nas Bibliotecas” e integra o projecto “À Descoberta de Braga”, cujo objectivo é fomentar no público escolar e na população bracarense o conhecimento e afecto pela história, património e identidade de Braga enquanto comunidade. Através da oferta de uma colecção de livros contendo estudos sobre Braga às bibliotecas escolares das escolas EB 2 e 3, o Município de Braga pretende a criação de uma secção intitulada “Bracarografia” de forma a fomentar o conhecimento dos alunos sobre o Município onde habitam.

São no total 112 livros centrados em estudos sobre a história e património bracarense, aos quais acrescem monografias de diversas freguesias e outras publicações temáticas. Além de publicações próprias, ou realizadas em parceria, a Câmara Municipal de Braga contou com a gentil colaboração da Junta de Freguesia de Adaúfe, Junta de Freguesia de S. Vicente, Junta de Freguesia de S. Victor, União de Freguesias de Nogueiró e Tenões, União de Freguesias de S. Lázaro e S. João do Souto, União de Freguesias de Celeirós Aveleda e Vimieiro, União de Freguesias de Ferreiros e Gondizalves, União de Freguesias de Lomar e Arcos, Junta de Freguesia de Gualtar, União de Freguesias de Merelim S. Pedro e Frossos, União de Freguesias de Merelim S. Paio Panoias e Parada de Tibães, União de Freguesias de Real Dume e Semelhe, Junta de Freguesia de Sequeira, Junta de Freguesia de Sobreposta, Junta de Freguesia de Tadim, Junta de Freguesia de Tebosa, Misericórdia de Braga, Irmandade de Santa Cruz, Lar Conde de Agrolongo, Instituto Monsenhor Airosa, Grupo Folclórico Dr. Gonçalo Sampaio, Rusga de S. Vicente, Instituto de História e Arte Cristãs da Arquidiocese de Braga e Associação de Festas de São João de Braga.

BARCELOS ASSINALA DIA MUNDIAL DO LIVRO

A Biblioteca Municipal de Barcelos vai comemorar o Dia Mundial do Livro, que se assinala a 23 de abril, com várias iniciativas. O ponto alto é o sarau literário e cultural nesse dia, às 21h30, no Teatro Gil Vicente, para o qual os espectadores estão convidados a levarem livros consigo que serão, depois, oferecidos a instituições de solidariedade social.

CartazFinalDML2018pdf

O evento contará com “Sons de Coimbra”, agrupamento de fado coimbrão interpretado por Paulo Sampaio, acompanhado por Domingos Mateus, Miguel Assis, António Tomé Pereira e Mário Freitas (guitarra) e Paulo Alão, Mário Neiva e José António Teixeira (viola).

Haverá, ainda, “Momentos de Poesia”, com a declamação de poetas barcelenses, pelo grupo “Haja Ânimo”, e a atuação do Coro de Câmara de Barcelos.

O Dia Mundial do Livro será também assinalado nas escolas do concelho. O ilustrador bracarense Sebastião Peixoto estará na EB1 de Alvelos com os alunos e nas escolas secundárias de Barcelinhos e Alcaides de Faria. Sebastião Peixoto ilustrou o livro ”Quando eu for… grande” que, em 2012, foi nomeado o melhor livro infanto-juvenil pela Sociedade Portuguesa de Autores, e editado na Colômbia e na China e, em 2017, ganhou um gold award na THESIF (The Seoul Illustration Fair).

Já na Biblioteca Municipal, durante todo o dia, realizar-se-ão oficinas de desenho e pintura por Sergio Astorga. Aos leitores que requisitem um livro será oferecida uma rosa, tradição que se iniciou na Catalunha e que se estendeu por todo o mundo.

A comemoração do Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor tem como objetivo reconhecer a importância e a utilidade dos livros, assim como incentivar hábitos de leitura na população.

O dia foi instituído pela UNESCO, em 1995, tendo a data sido escolhida por ser um dia importante para a literatura mundial – 23 de abril é recordado como o dia em que nasceu e morreu o famoso escritor inglês William Shakespeare, em que faleceu Miguel Cervantes e em que nasceu Vladimir Nabokov.

VICTOR DE CASTRO APRESENTA EM PONTE DA BARCA O SEU LIVRO "CANCRO - O MELHOR DA MINHA VIDA" COM CASA CHEIA

Casa cheia na Apresentação de livro “Cancro – O Melhor da minha vida” do escritor barquense Victor de Castro

Foi com o auditório da Casa da Cultura cheio que se procedeu ontem, Dia Mundial da Voz, à apresentação do Livro “Cancro – O Melhor da minha vida”, do barquense Victor de Castro, obra que retrata precisamente a importância da voz e a luta vivida pelo autor depois de lhe ser diagnosticado cancro e de ter sido submetido a uma Laringectomia que quase lhe roubou a voz.

5

Na presença de inúmeros amigos e familiares, e por entre alguns momentos culturais de música e dança, Victor de Castro não disfarçava a emoção enquanto ouvia a leitura de excertos do livro por algumas alunas do Agrupamento de Escolas, bem como pela apresentação da sua obra feita pela professora e sua amiga de longa data, Rosa Maria Arezes, que integrava um painel de convidados do qual faziam ainda parte os médicos, Mário Viana e Lima Rodrigues, e a terapeuta da fala do IPO Porto, Rita Viana, que segundo o autor “foram determinantes, quer ao nível pessoal quer profissional, no processo da doença oncológica”, e o Presidente da Câmara, Augusto Marinho.

Numa sessão emotiva onde foi relatada esta história que nos ensina como se fazem das provações um incentivo à vida, Victor de Castro, um sobrevivente de cancro que após ter descoberto a doença decidiu não lhe dar tréguas e lutar para vencer com aquilo que considera ser o mais importante - a família, especialmente o seu filho e a sua esposa, a quem teceu as mais sentidas palavras “por todo o apoio e luta” que com ele travou, sem nunca esquecer “os amigos, os médicos e profissionais de saúde que me acompanharam”.

“Cancro – O Melhor da minha vida” é um livro inspirador, escrito na primeira pessoa, com uma mensagem de alerta mas, essencialmente, de esperança a outros doentes oncológicos e dirigido, também, aos sobreviventes, aos cuidadores, médicos e a todos os profissionais de saúde. É um livro com uma mensagem que não deixa ninguém indiferente.

2

3

4

VICTOR DE CASTRO APRESENTA EM PONTE DA BARCA O LIVRO "CANCRO O MELHOR DA MINHA VIDA"

Apresentação do Livro "Cancro o melhor da minha vida" de Victor de Castro

A Câmara Municipal de Ponte da Barca promove a apresentação do livro "Cancro o melhor da minha vida" do barquense Victor de Castro, a ter lugar no hoje, dia 16 de abril, às 21h30, na Casa da Cultura, dia em que se assinala, também, o Dia Mundial da Voz.

Print

DANIEL BASTOS LEVA A BRUXELAS “TERRAS DE MONTE LONGO”

No dia 28 de abril (sábado), é apresentada em Bruxelas o livro Terras de Monte Longo”.

A obra, concebida pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio de um dos mais aclamados fotógrafos portugueses da sua geração, José de Andrade (1927-2008), fotógrafo de renome internacional, premiado e exposto em vários cantos do mundo, é apresentada às 15h00 na livraria portuguesa “La petite portugaise”.

Daniel Bastos

A apresentação da obra, uma edição trilingue traduzida para português, francês e inglês com prefácio do conhecido fotógrafo franco-haitiano que imortalizou a história da emigração portuguesa, Gérald Bloncourt, estará a cargo de Francisco Barros Castro, Economista na Comissão Europeia.

Neste novo livro, realizado com o apoio do Centro Português de Fotografia, instituição pública que assegura a conservação, valorização e proteção legal do património fotográfico nacional, Daniel Bastos esboça um retrato histórico conciso e ilustrado do interior norte de Portugal em meados dos anos 70.

Através de imagens até aqui inéditas, que José de Andrade captou nessa época em povoados rurais entre o Minho e Trás-os-Montes, o historiador e autor de livros sobre a emigração, aborda as memórias do passado, não muito distante, do Portugal profundo e rural na transição da ditadura para a democracia, um período fundamental da história contemporânea portuguesa, marcado por décadas de carências, isolamento, condições de vida duras e incontáveis episódios de emigração “a salto”.

Segundo Gérald Bloncourt, neste livro ilustrado pela objetiva humanista de José de Andrade, são-nos reveladas “fotografias sentidas de Portugal, do seu povo, da sua história”, repletas de “sentimentos de dignidade evidenciados por uma forma de estar serena e humana”.

Refira-se que esta iniciativa cultural na livraria “La petite portugaise”, um novo espaço cultural de referência da comunidade portuguesa em Bruxelas, junto das instituições europeias, enquadra-se num conjunto de várias sessões de apresentação da obra que serão realizadas, ao longo do ano, no seio das comunidades portuguesas residentes no estrangeiro.

CA 7217 Capa Terras Montelongo copy.cdr

CA 7217 Capa Terras Montelongo copy.cdr

PÓVOA DE LANHOSO PROMOVE FEIRA DO LIVRO

Póvoa de Lanhoso promove Feira do Livro. de 16 a 22 de abril

De 16 a 22 de abril, decorre na Póvoa de Lanhoso mais uma edição da Feira do Livro, promovida pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e pela Rede de Bibliotecas Escolares da Póvoa de Lanhoso.

FeiradoLivro

A edição deste ano decorre no Parque do Pontido, entre as 9h00 e as 19h00, sendo de destacar um programa de animação em simultâneo, que engloba por exemplo, workshops de Origami e propostas de dança.

Ainda no âmbito de mais esta edição da Feira do Livro, referência para a apresentação do Livro "Maria da Fonte a Rainha do Povo" de Maria João Fialho Gouveia, no dia 21 de abril, com a presença da autora.

Programa 

Dia 16 de abril - segunda-feira

9h30 - Abertura

Workshop de Origami

Sessões:

Manhã: 9h30/ 10h00/ 11h30 e 12h00

Tarde: 14h00/ 14h30/ 15h30 e 16h00

Concurso Nacional de Leitura 2018 - Fase Regional (Centro Interpretativo Maria da Fonte) - 10h00

Dança

Sessões:

Manhã: 9h30/ 10h30 e 11h30

Tarde: 13h30/ 14h30/ 15h30 e 16h30

Mimos

Sessões:

Manhã: 9h00 às 12h15

Tarde: 14h30 às 18h00

Dia 17 de abril - terça-feira

Exercício Teatral - "Se Fossemos, podíamos ser" de Maria do Céu Nogueira

Sessões:

10h00/ 11h00/ 14h00 e 15h00

Apresentação da Rapsódia Musical Infantil (J.I do Agrupamento de Escolas de póvoa de Lanhoso) - 10h45

Mimos

Sessões:

Manhã: 9h00 às 12h15

Tarde: 14h30 às 18h00

Dia 18 de abril -quarta-feira

Workshop de Origami

Sessões:

Manhã: 9h30/ 10h00/ 11h30 e 12h00

Tarde: 14h00/ 14h30/ 15h30 e 16h00

Mimos

Sessões:

Manhã: 9h00 às 12h15

Tarde: 14h30 às 18h00

Dia 19 de abril -quinta-feira

Marcha da Leitura (Agrupamento de Escolas de Póvoa de Lanhoso e Agrupamento de Escolas Gonçalo Sampaio) - Várias ruas da Vila

Workshop de Origami

Sessões:

Tarde: 14h00/ 14h30/ 15h30 e 1h00

Mimos

Sessões:

Tarde: 14h30 às 18h00

Dia 20 de abril -sexta-feira

orkshop de Origami

Sessões:

Manhã: 9h30/ 10h00/ 11h30 e 12h00

Mimos

Sessões:

Manhã: 9h00 às 12h15

Dança

Sessões:

Manhã: 9h30/ 10h30/ 11h30 e 12h30

Dia 21 de abril - sábado

Apresentação do Opúsculo "Contos de Fevereiro" de vários autores Povoenses - 16h00

Apresentação do Livro "Maria da Fonte a Rainha do Povo" de Maria João Fialho Gouveia - 21h00 (com a presença da autora)

Dia 22 de abril - domingo

 +Feira do livro - Encerramento

ESCRITOR ALFREDO DE SOUSA TOMAZ APRESENTA EM OURÉM O LIVRO “O HOMEM QUE NÃO TINHA UMA FAZENDA EM ÁFRICA

O escritor reside em Ponte da Barca onde recentemente apresentou a sua obra na Casa da Cultura

Data: 22 de Abril / Hora: 14h30

“O homem que não tinha uma fazenda em África”, da autoria de Alfredo de Sousa Tomaz, vai ser apresentado no dia 22 de Abril, às 14h30. É o dia dedicado aos "Poetas Oureenses", integrado na "Festa do Livro de Ourém 2018" que decorre de 18 a 25 de Abril, no antigo edifício dos Paços do Concelho e na Praça D. Maria II.

24993389_1663340920391801_3233345369951514855_n

Esta iniciativa tem um programa variado com diversas atividades, nomeadamente, encontros com escritores e ilustradores, sessões de autógrafos, recitais, mostra de produtos regionais, feira do livro, concurso concelhio de leitura, música, percurso artístico-literário, dança com livros, teatro e horas do conto.

Destaque para o VIII Concurso Concelhio de Leitura dirigido aos alunos do 1 e 2º ciclos das escolas do concelho, além dos encontros com vários autores e ilustradores e um espaço dedicado aos escritores ourienses.

A Festa do Livro é organizada pela Câmara Municipal de Ourém - Biblioteca Municipal com o apoio da Rede de Bibliotecas do Concelho de Ourém, Museu Municipal de Ourém - Casa do Administrador e a Livraria Arquivo.

Programa detalhado em www.ourem.pt

Com prefácio de Ricardo de Saavedra, conceituado jornalista e escritor, a obra compila uma série de histórias vividas pelo autor, desde que partiu para Angola ainda criança até ao momento em que teve de a deixar compulsivamente 25 anos depois.

Mais de quatro anos depois de se ter lançado nesta "aventura", Alfredo de Sousa Tomaz vê agora o nascer deste "filho", impulsionado, segundo o autor, pela publicação na revista Notícias Magazine, suplemento do Jornal de Notícias e Diário de Notícias, em 2010, de algumas das suas histórias de África: "como tinha muitas mais histórias para contar, decidi reuni-las em livro."

O autor refere, ainda, o orgulho em poder apresentar a obra em Ponte da Barca pois "embora não tendo nascido em Ponte da Barca, nem tampouco no Minho, escolhi para viver esta terra que me adoptou.”

Tal como Ricardo de Saavedra descreve no prefácio é este "livro sereno, perpassado por vezes de um subtil humor, que constitui uma achega preciosa à história que no terreno e dia a dia se viveu e ninguém teve ainda coragem para escrever.”

Alfredo Tomaz nasceu na Cova da Iria, Fátima, concelho de Vila Nova de Ourém, a 29 de Julho de 1942. Sexto filho de uma família numerosa e modesta, seu pai, para dar melhores condições de vida aos seus, partiu para Angola no início da década de 50 com os seus irmãos mais velhos, tendo-se-lhes juntado pouco depois o resto da família. Em Outubro de 1961 regressou a Portugal para cumprir o serviço militar na Força Aérea, onde permaneceu até Janeiro de 1965. Pouco depois de regressar a Luanda conheceu Maria de Fátima, com quem veio a casar em Dezembro de 1967. Dessa união nasceram dois filhos.

Em Luanda a sua atividade profissional esteve quase sempre ligada às viagens e turismo, tendo trabalhado na Companhia Nacional de Navegação e numa agência de viagens.

Em 1976, depois de um quarto de século de aventuras, venturas e desventuras, o autor regressou definitivamente a Portugal com a família, tendo-se fixado em Matosinhos, onde exerceu a sua atividade comercial até 2007. Atingida a idade da reforma, foi viver com a esposa para Ponte da Barca, Alto Minho, onde permanecem até hoje, assumindo orgulhosamente a condição de “minhotos adotivos”. Esta obra, não sendo exatamente uma autobiografia, é, contudo, baseada no percurso de vida do autor por terras de África.

22491669_1608428945882999_5215796107773029724_n

CASA DAS ARTES DE ARCOS DE VALDEVEZ APRESENTA O LIVRO "A MINHA FILHA INÊS" DE JAIME FERRERI



Apresentação de novo livro de Jaime Ferreri – A Minha Filha Inês

Terá lugar no próximo dia 13 de abril, sexta-feira, pelas 21h30, na Sala da Varanda da Casa das Artes /  Biblioteca Municipal Tomaz de Figueiredo em Arcos de Valdevez a apresentação do livro  "A minha filha Inês" do  reconhecido romancista, contista, cronista e poeta Jaime Ferreri.

a minha filha ines

"A minha filha Inês" é o último romance deste escritor, nascido em Bravães, Ponte da Barca, que se iniciou nas lides literárias em 1986, com a publicação da novela intitulada "Cabrito Montês", muito bem recebida pela critica e pelo público.

Seguiram-se depois os romances "Fizeram de mim soldado", publicado em 1992 e "Os homens também hibernam" em 1995.

Em 2005 publicou um livro de crónicas "Crónicas (des)alinhadas e um livro de poesia "Pecúlio".

Jaime Ferreri vive em Ponte da Barca e a par de uma dedicada carreira docente na área da informática e matemática, desenvolveu o gosto pela criação literária e pela dramaturgia, tendo ao longo dos anos encenado inúmeras peças de teatro, com particular destaque para as encenações anuais, por altura da Semana Santa, de “A Mui Dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo” no mosteiro de Bravães, Ponte da Barca

Sinopse por Fátima Lobo

"A MINHA FILHA INÊS”, romance de JAIME FERRERI, 1ª edição de 2017, transporta-nos à segunda metade do século passado, ousando pisar, já resolvidos os encontros e desencontros que marcaram as diversas personagens, a primeira década deste século.

Dedicado à MULHER (como definição do coletivo feminino que o autor gera), aborda o passado recente em ditadura, a guerra colonial, a liberdade que chegava a galopes de loucura por tantos freios sonegada. Por ele perpassa a ternura e o amor que deve adoçar o poder do paternalismo que destronou a Deusa-Mãe mas que vive nesta Mátria nas formas da Mãe-Natureza e no coração de matriz céltica que muitos homens receberam por educogenia.”

LUÍS SALGADO MATOS CONTA EM FAMALICÃO A HISTÓRIA DO CARDEAL CEREJEIRA

Luís Salgado Matos conta a história de Cardeal Cerejeira, esta quinta-feira, pelas 21h00. Apresentação do livro "Cardeal Cerejeira - Um Patriarca de Lisboa no século XX português", acontece no Arquivo Municipal Alberto Sampaio

O historiador Luís Salgado Matos vem à terra natal do Cardeal Cerejeira, Vila Nova de Famalicão, provocar o debate em torno do seu novo livro intitulado “Cardeal Cerejeira – Um Patriarca de Lisboa no século XX português”. O debate acontece já nesta quinta-feira, 12 de abril, pelas 21h00, no Arquivo  Municipal Alberto Sampaio, e insere-se no âmbito do ciclo de conferências “Conta-me a História”, que o município de Vila Nova de Famalicão tem vindo a promover à volta da sua História e das suas figuras mais proeminentes.

D. Manuel Gonçalves Cerejeira nasceu em Vila Nova de Famalicão, na fregu...

No seu novo livro, Luís Salgado de Matos defende que o cardeal Manuel Gonçalves Cerejeira era “completamente independente” de Oliveira Salazar e vem explicar os seus argumentos numa sessão que conta com a presença do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e do Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga. A moderação será assumida pela investigadora em Direito da Universidade Católica do Porto, Inês Granja Costa.

Manuel Gonçalves Cerejeira nasceu em Vila Nova de Famalicão, na freguesia de Lousado. Foi Cardeal Patriarca de Lisboa durante mais de 40 anos (1929 -1972), tendo sido uma das mais destacadas figuras da Igreja Católica Portuguesa. Participou em três conclaves dos quais saíram eleitos o Cardeal Engenio Pacelli (Pio XII, 1939), o Cardeal Roncalli (João XXIII) e o Cardeal Montini (Paulo VI, 1963), bem como no Concílio Vaticano II (1962–1965). Mais nenhum Cardeal terá participado em tantos Conclaves.

A obra de Luís Salgado Matos tem prefácio de D. Manuel Clemente e foi lançada no Museu de São Roque (Lisboa) neste mês de março, com a chancela da Gradiva, e “pretende provocar debate”, como referiu o autor. É precisamente isso que vem fazer à terra natal do Cardeal Cerejeira numa sessão de entrada livre.

Luís Salgado de Matos nasceu em Lisboa (1946). É investigador principal com agregação do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. É formado em Direito (1969) e doutor em Sociologia Política (2000) pela Universidade de Lisboa. Tem o Diplôme d’Études Approfondies em Análise Comparativa dos Sistemas Políticos pela Sorbonne (Universidade de Paris I, 1979). É autor de numerosa bibliografia sobre a Igreja, o Estado e as Forças Armadas.

LIVRO ‘SUCCESS FULL - CASOS DE SUCESSO NOS MUNICÍPIOS PORTUGUESES’ APRESENTADO EM BRAGA

Dia 20 de abril

A obra assenta numa abordagem diversificada dentro da área do Marketing Territorial

O livro «Success Full – Casos de Sucesso nos Municípios Portugueses», será apresentado, no próximo dia 20 de abril, na fnac de Braga, pelas 17h00. Trata-se de uma publicação inédita em Portugal, baseada em casos de sucesso na gestão de vários municípios de Portugal, onde Melgaço é referido como sendo um exemplo de sucesso e gestão.

LIVRO SUCCESS FULL - CASOS DE SUCESSO NOS MUNICÍPIOS PORTUGUESES

Pela primeira vez em Portugal, mais de duas dezenas de reputados académicos e investigadores de universidades, politécnicos e escolas de gestão, com a coordenação de João Abreu, elaboraram um conjunto de case studies baseados em 13 experiências de sucesso na gestão de municípios portugueses. «Success Full – Casos de Sucesso nos Municípios Portugueses», é um livro de inegável interesse para autarquias, entidades de coordenação supramunicipal, investigadores e docentes, partidos políticos, gestores. A obra, editada pela Idioteque, assenta numa abordagem diversificada dentro da área do Marketing Territorial, centrando-se em casos diferenciadores: aborda temáticas tão ricas e diversas como o turismo e património, a gastronomia e vinhos, a atração e promoção do investimento, as políticas culturais e de educação, a sustentabilidade, os eventos icónicos, entre outros. ‘Este é o reflexo do trabalho que a autarquia tem desenvolvido em prol do município’, considera Manoel Batista, Presidente da Câmara Municipal de Melgaço.

Amarante, Cabeceiras de Basto, Gondomar, Lamego, Maia, Mangualde, Paredes, Porto, São João da Madeira, Vila do Conde, Vila Nova de Famalicão e Vila Nova de Gaia, são os restantes municípios abordados.

CERVEIRA REALIZA FESTA DO LIVRO

Cerveira vive Festa do Livro e da Leitura ao longo de oito dias

Mais do que uma montra de publicações, a Festa do Livro e da Leitura de Vila Nova de Cerveira privilegia a celebração do conhecimento. De 17 a 24 de abril, a Biblioteca Municipal acolhe a XXIX edição da iniciativa, com uma diversidade de propostas culturais e literárias dirigidas à comunidade escolar e público em geral.

Cartaz Festa do Livro

Incentivar o gosto pelo livro e a prática pela leitura é o objetivo transversal a todas as feiras do livro, mas a forma de o alcançar pode e deve ser anualmente reinventada para continuar a cativar diferentes públicos. E em Vila Nova de Cerveira prima-se pela realização de atividades que promovam o contacto, o envolvimento e a interação entre os presentes, conjugando aprendizagem com diversão.

Assim, a programação da XXIX Festa do Livro e da Leitura é diversificada e apelativa, com momentos exclusivos para as escolas, com sessões de cariz familiar para pais e crianças, e com propostas que convidam o público em geral a participar.

De sublinhar que a presença de crianças e jovens neste evento é fator preponderante para a autarquia da ‘Vila das Artes’. Fazê-las viver o ambiente do mundo das letras, pelas brincadeiras e narrações de histórias ao vivo, contribui para elevar o interesse e a motivação pela leitura.

Programação:

  • Dias 17 a 20: Encontros com os escritores António Mota, Adelaide Graça e João Manuel Ribeiro (sessões escolares)
  • Dia 21: - Navegações – Oficina de Plástica – ‘(Re)crie a escultura do Mestre José Rodrigues’ (crianças e famílias) | Associação Cultural Convento S. Paio | 11h30

- Apresentação da Revista Nova Águia (Vol. XX e XXI) com testemunhos para José Rodrigues, na presença de Luandino Vieira, Manuel Cabral e o Diretor Renato Epifânio (público em geral) | Associação Cultural Convento S. Paio e Porta XIII | 17h00

  • Dia 22: Apresentação do Livro “Os Rostos e os Lugares” de Inácio Nuno Pignatelli, com momento musical protagonizado pela Academia de Música Fernandes Fão (público em geral) | 15h30
  • Dia 23: Comemoração do Dia Mundial do Livro - Encontro com a escritora Lara Xavier (ensino pré-escolar)
  • Dia 24: Sessão de poesia em homenagem a António Gedeão “Arma secreta” com Andreia Macedo e Zé Luís C (alunos do secundário e público geral) | 14h00

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO PUBLICA EM LIVRO PALESTRA DE RUI AGUILAR CERQUEIRA ACERCA DO REGIONALISMO E FOLCLORE MINHOTO EM MOÇAMBIQUE

O Grupo Folclórico Verde Minho acaba de editar em livro a palestra proferida em Loures por Rui Aguilar Cerqueira e subordinada ao tema “Folclore e Regionalismo Minhoto na África Austral: A Casa do Minho em Lourenço Marques (Moçambique)”. Entretanto, encontra-se no prelo o livro relativo à palestra proferida pelo Dr. Daniel Café, Presidente da Federação do Folclore Português, alusiva aos “40 anos da Federação do Folclore Português: o Presente, o Passado e o Futuro do Movimento do Folclore Nacional”.

Capturarcapamoç

Do livro de Rui Aguilar Cerqueira transcrevemos o respectivo prefácio:

O Grupo Folclórico Verde Minho promoveu mais uma conferência dedicada ao folclore e ao regionalismo, desta vez subordinada ao tema “Folclore e Regionalismo Minhoto na África Austral: A Casa do Minho em Lourenço Marques (Moçambique)”, cuja autoria coube a Rui Aguilar Cerqueira, um dos componentes daquela associação e do respectivo rancho folclórico. E ainda, ao longo dos últimos 22 anos, chamou a si a tarefa de voltar a reunir todos aqueles que, embora actualmente a viver de forma dispersa, mantêm a chama da amizade que os ligou em Moçambique.

Esta conferência assume particular importância porque contribui para preservar a memória de um pedaço da nossa região formado pelo conjunto de minhotos que, longe da sua terra natal, preservaram a sua identidade através de manifestações culturais de carácter regionalista, incluindo o folclore.

O curso da História que levou à independência política daquele antigo território português impôs a extinção das suas associações culturais e o repatriamento dos nossos conterrâneos – alguns dos quais já lá nascidos e assumindo Moçambique como a sua pátria! Após séculos de História e trabalho, pareceu então não haver lugar para muitos daqueles que, pese embora as suas raízes minhotas, continuam a amar a terra das acácias e do feitiço…

Com o tempo, a memória haveria de se perder se entretanto algo não fosse feito para contrariar essa tendência. Esta iniciativa, incluindo a sua publicação, constituirá seguramente um contributo para a construção da História do Minho e do seu Regionalismo, ajudando a preservar a sua memória e prestando a devida homenagem a todos quantos nas longínquas paragens do Índico souberam erguer bem alto as cores do nosso Minho.

ESPOSENDE HOMENAGEIA OS SEUS FILHOS QUE TOMBARAM NA PRIMEIRA GRANDE GUERRA

Município de Esposende homenageia combatentes da 1.ª Grande Guerra

No âmbito do programa evocativo do Centenário da 1.ª Grande Guerra (1914-1918), promovido pelo Município de Esposende, realizar-se-á uma missa na Igreja Matriz de Esposende e visitas aos cemitérios onde repousam os restos mortais de ex-combatentes esposendenses. As comemorações iniciaram-se há quatro anos e compreenderam diversas iniciativas culturais que muito contribuíram para elucidar a população sobre o impacto da 1.ª Grande Guerra no concelho.

CAPELÃO JOSÉ MANUEL SOUSA (1)

Assim, na segunda feira, dia 9 de abril, pelas 16h30, celebra-se uma missa, na Igreja Matriz de Esposende, em memória dos 197 combatentes esposendenses e dos 15 que perderam a vida na 1.ª Grande Guerra.

Na ocasião, serão evocados os nomes dos combatentes. A, a saber: António Joaquim D’Aldeia (Curvos); Francisco Gonçalves Enes (Marinhas); Francisco Fernandes Meira (Palmeira); José Alves da Lage (Gandra); Manuel Machado da Costa (Fão); Manuel Narcizo Arezes (Antas); Manuel Dias Gomes (Forjães); Porfírio Fernandes Pereira (Gemeses); Manuel Gonçalves Bedulho (Belinho); José da Silva Brás (Mar); Álvaro José Fernandes (Esposende); António Laranjeira Amaro (Antas); Joaquim Carlos Martins (Fão); Manuel Afonso Sampaio (Antas); Domingos Gonçalves Pires (Belinho).

Às 17h45, realiza-se uma visita ao Talhão dos Combatentes, no Cemitério de Marinhas, onde estão sepultados 37 combatentes e, às 18h15, os participantes visitam o Talhão dos Combatentes, no Cemitério de Fão, onde estão sepultados 19 soldados.

Em ambos serão colocadas coroas de flores, cerimónias que serão complementadas com o toque do silêncio, pelo cornetim da Banda de Antas. Na ocasião, o Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Arq.to Benjamim Pereira, proferirá algumas palavras alusivas à efeméride. Para o efeito, será disponibilizado um autocarro que transportará os participantes que queiram associar-se a esta homenagem.

Simultaneamente, o Presidente da Comissão das Comemorações do Centenário da 1.ª Grande Guerra, para Esposende, Manuel Albino Penteado Neiva, irá depor uma coroa de flores e uma placa evocativa, no cemitério de Richebourg, em França, junto dos túmulos dos combatentes aí sepultados.

O programa evocativo do Centenário da 1.ª Grande Guerra (1914-1918) arrancou em 15 de setembro de 2014 e compreendeu, entre diversas iniciativas, a conferência «Esposende e a 1.ª Grande Guerra: Os homens e os acontecimentos», as exposições «Novas da Guerra, Autores e Narrativas» e «Esposende nas trincheiras da 1ª Grande Guerra», Percursos Evocativos da participação de esposendenses na 1.ª Grande Guerra de Esposende, visitas pedagógicas da comunidade educativa à Escola de Serviços do Exército da Póvoa de Varzim, uma visita ao Museu Militar do Porto e o lançamento do livro “Soldados com Rosto”, da autoria de Albino Penteado Neiva.

ANTAS - Augusto Barros

BELINHO - Domingos Alves Salgueiro

CAPELÃO JOSÉ MANUEL SOUSA (2)

ESPOSENDE - Álvaro José Fernandes

FONTE BOA - Abílio Fernandes Mouquinho

FONTE BOA - José Fernandes de Campos

soldado grande guerra

DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRAGA O LIVRO “TERRAS DE MONTE LONGO”

No dia 13 de abril (sexta-feira), é apresentado na capital do Minho o livro Terras de Monte Longo”.

A obra, concebida pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio de um dos mais aclamados fotógrafos portugueses da sua geração, José de Andrade (1927-2008), fotógrafo de renome internacional, premiado e exposto em vários cantos do mundo, é apresentada às 21h30 no espaço da FNAC em Braga.

Autor - Daniel Bastos

A apresentação do livro, uma edição trilingue traduzida para português, francês e inglês com prefácio do conhecido fotógrafo franco-haitiano que imortalizou a história da emigração portuguesa, Gérald Bloncourt, estará a cargo do deputado Joaquim Barreto, presidente da Comissão Permanente de Agricultura e Mar da Assembleia da República.

Neste novo livro, realizado com o apoio do Centro Português de Fotografia, instituição pública que assegura a conservação, valorização e proteção legal do património fotográfico nacional, Daniel Bastos esboça um retrato histórico conciso e ilustrado do interior norte de Portugal em meados dos anos 70.

Através de imagens até aqui inéditas, que José de Andrade captou nessa época em povoados rurais entre o Minho e Trás-os-Montes, o historiador e autor de livros sobre a emigração, aborda as memórias do passado, não muito distante, do Portugal profundo e rural na transição da ditadura para a democracia, um período fundamental da história contemporânea portuguesa, marcado por décadas de carências, isolamento, condições de vida duras e incontáveis episódios de emigração “a salto”.

Segundo Gérald Bloncourt, neste livro ilustrado pela objetiva humanista de José de Andrade, são-nos reveladas “fotografias sentidas de Portugal, do seu povo, da sua história”, repletas de “sentimentos de dignidade evidenciados por uma forma de estar serena e humana”.

CA 7217 Capa Terras Montelongo copy.cdr

CA 7217 Capa Terras Montelongo copy.cdr

ANTIGO COMBATENTE JAIME FROUFE ANDRADE PUBLICA LIVRO SOBRE A SUA EXPERIÊNCIA DE COMBATE EM MOÇAMBIQUE

Acaba de sair a décima segunda edição de um pequeno livro (86 páginas) que escrevi sobre a minha experiência de guerra durante a minha comissão em Moçambique como alferes miliciano.

CapturarmOÇAMBIQUE

Infelizmente não posso oferecer um exemplar, como tanto gostaria, a cada camarada. Resta-me propor que me "comprem" esta obra-prima com o sombrio nome "Não sabes como vais morrer", editada pela AJHLP-Associação. dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto e levada ao palco pela companhia profissional "TeatroEnsaio".

Outra boa novidade é eu poder disponibilizar livros a preço de custo ou seja a 2.50 Euros, quantia que decidi arredondar para os 3 (três) Euros por causa dos portes do correio. Gosto grande seria ter-te como leitor. Se o quiseres só terás de me facultar um endereço (não esqueças o código postal) para eu te poder enviar o livro pelo correio.

Depois do livro te chegar às mãos, a quitação seria através da transferência dos 3 Euros para o

NIB 0035 0651 0031 2990 2003 4, de CGD.

Jaime Froufe Andrade

LUÍS SALGADO MATOS PROVOCA DEBATE NA TERRA NATAL DO CARDEAL CEREJEIRA

Apresentação do livro "Cardeal Cerejeira - Um Patriarca de Lisboa no século XX português", quinta-feira, 12 de abril, pelas 21h00, no Arquivo Municipal Alberto Sampaio

O investigador Luís Salgado de Matos defende no seu novo livro "Cardeal  Cerejeira - Um Patriarca de Lisboa no século XX português" que o cardeal Manuel Gonçalves Cerejeira era “completamente independente” de Oliveira Salazar e vai explicar os seus argumentos em Vila Nova de Famalicão, no próximo dia 12 de abril, pelas 21h00, no Arquivo Municipal Alberto Sampaio, na apresentação do livro no âmbito do ciclo de conferências “Conta-me a História”, que o município de Vila Nova de Famalicão tem vindo a promover à volta da sua História e das suas figuras mais proeminentes

D. Manuel Gonçalves Cerejeira nasceu em Vila Nova de Famalicão, na fregu...

Manuel Gonçalves Cerejeira nasceu em Vila Nova de Famalicão, na freguesia de Lousado. Foi Cardeal Patriarca de Lisboa durante mais de 40 anos (1929 -1972), tendo sido uma das mais destacadas figuras da Igreja Católica Portuguesa. Participou em três conclaves dos quais saíram eleitos o Cardeal Engenio Pacelli (Pio XII, 1939), o Cardeal Roncalli (João XXIII) e o Cardeal Montini (Paulo VI, 1963), bem como no Concílio Vaticano II (1962–1965). Mais nenhum Cardeal terá participado em tantos Conclaves.

A obra de Luís Salgado Matos tem prefácio de D. Manuel Clemente e foi lançada no Museu de São Roque (Lisboa) neste mês de março, com a chancela da Gradiva, e “pretende provocar debate”, como referiu o autor. É precisamente isso que vem fazer à terra natal do Cardeal Cerejeira numa sessão de entrada livre.

Luís Salgado de Matos nasceu em Lisboa (1946). É investigador principal com agregação do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. É formado em Direito (1969) e doutor em Sociologia Política (2000) pela Universidade de Lisboa. Tem o Diplôme d’Études Approfondies em Análise Comparativa dos Sistemas Políticos pela Sorbonne (Universidade de Paris I, 1979). É autor de numerosa bibliografia sobre a Igreja, o Estado e as Forças Armadas.

A conferência contará com as presenças e intervenções do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, e do Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga. A moderação será assumida pela investigadora em Direito da Universidade Católica do Porto, Inês Granja Costa.

MELGAÇO COMEMORA O LIVRO E A LEITURA

‘EM ABRIL LIVROS MIL’

Inumeráveis atividades promovem a cultura literária, onde adultos e crianças participam

Em Melgaço, o mês de abril é recheado de atividades lúdico pedagógicas e culturais: o município promove ‘Em abril Livros Mil’, uma iniciativa preenchida de diversas ações para assinalar o Dia Internacional do Livro Infantil (2 de abril) e o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor (23 de abril). Teatro, contos, espetáculos culturais, workshops, poesia, passeios, são as propostas, onde adultos e crianças poderão participar

ALM_N

Esta é a 3ª edição de ‘Em abril Livros Mil’, uma organização conjunta com os Serviços Educativos da Câmara e da Rede de Bibliotecas de Melgaço.

Programa ‘Em abril Livros Mil’

7 de abril | 15h00 | Salão paroquial da Vila

TEATRO PARA BEBÉS: ‘A viagem de balão do meu irmão João’ – Teatro a Quatro

Público: Bebés dos 6 meses aos 5 anos

Inscrição prévia obrigatória para o e-mail: mcodesso@cm-melgaco.pt, via tel. 251 410 060 ou presencialmente na Casa da Cultura.

Espetáculo limitado a 30 inscrições.

Sinopse:

O irmão do Freddy está quase a nascer, a barriga da Mãe continua a crescer.

"Mas afinal, quando chega o meu irmão? Quando pousar o balão? E onde é que o balão anda a voar? Dentro da barriga da minha Mãe. Queres espreitar?"

 

9 e 23 de abril | 10h00 | Casa da Cultura e Biblioteca Municipal

Workshop de Pintura por Margarete Barbosa

Público: alunos do ensino especial

 

10 e 17 de abril | 10h00 | Casa da Cultura e Biblioteca Municipal

Workshop de Pintura por Margarete Barbosa

Público: APPACDM

 

11 de abril | 14h30 | Casa da Cultura e Biblioteca Municipal

Peça de teatro ‘O Morto e a viúva forreta’, pelo grupo de teatro da sala de convívio da Vila

Bailarico tradicional com concertinas + lanche

Público: Salas convívio e lares

 

16 de abril | 10 e 15h30 | Torre de Menagem

A Sociedade Medieval – Serviços educativos

Público: 1º ciclo

 

16 de abril | A definir horário | Convento das Carvalhiças

Copista por um dia - Serviços educativos

Público: 2º ciclo

 

16 de abril | 10h45 | Escola Superior de Desporto e Lazer

Declamação de poesia por alunos do 2º ciclo para alunos da ESDL

Público: 2º ciclo

 

18 de abril | A definir horário | Centro histórico

Percurso pelo Centro Histórico - Serviços educativos

Público: 3º ciclo e secundário

 

18 de abril | 10h, 11h e 14h30 | Casa da Cultura e Biblioteca Municipal

Contador de histórias – Ana Azevedo

Público: Pré-escolar

 

19, 20 e 24 de abril | A definir horário | Biblioteca infantojuvenil

Orelhas de borboleta - Serviços educativos

Público: Pré-escolar

 

20 de abril |21h30 | Casa da Cultura e Biblioteca Municipal

Noite com o Poeta Manuel Alegre (a aguardar confirmação)

Público: Público em geral

 

23 de abril (Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor) | A definir horário

Ler Melgaço: frases pintadas nas passadeiras, pelas ruas de Melgaço

Descrição: Pintura de versos emblemáticos de poetas e ficcionistas portugueses no espaço público, com o recurso a dezenas de stencils. Nos pontos de maior circulação pedonal de cada município serão pintadas frases que interpelem os transeuntes e sirvam de meio para transportar a dinâmica das celebrações para as redes sociais.

 

23 a 28 de abril | A definir horário | Casa da Cultura e Biblioteca Municipal

Lusco-Fusco - Espetáculo de teatro da Comédias do Minho

Público: 1º ciclo

 

24 de abril | 15h00 | Escola Superior de Desporto e Lazer

Let’s movie & on with zumba

Público: EPRAMI + ensino profissional

 

26 de abril | 10h00 | Santa Casa da Misericórdia de Melgaço

A Boca do Sapo – Serviços educativos

Público: Sala de marcha/pequenos da Santa Casa da Misericórdia de Melgaço

 

26 de abril | 13h30 | Biblioteca Escolar

Concurso de leitura - editora Porto Editora

Descrição: Concurso de leitura organizado pela editora Porto Editora para alunos a partir do 2º ciclo, a partir da obra ‘O Recruta’, de Robert Muchamore. Esta obra pertence à coleção CHERUB: os agentes CHERUB tem todos menos de 17 anos e vestem calças de ganga e t-shirts. Parecem crianças perfeitamente normais…mas não são.

Público: alunos a partir do 2º ciclo

JOSÉ MILHAZES VAI À FEIRA DO LIVRO DE AMARES

José Manuel Milhazes Pinto nasceu a 2 de Outubro de 1958 na Póvoa de Varzim. Em 1977, parte para a União Soviética a fim de cursar História da Rússia e assistir à "construção do comunismo", levando a cabo os seus estudos na Universidade Estatal de Moscovo. Formado em 1983, constituiu família e ficou a residir na URSS.

A 8 de Agosto de 1989, escreve a primeira crónica para a TSF e, no ano seguinte, com o lançamento do jornal Público, torna-se seu correspondente em Moscovo.

Em 2002, começa também a colaborar com a SIC. A longa permanência na União Soviética e, depois, na Rússia, permitiu-lhe assistir e participar num dos períodos mais conturbados do séc. XX: a queda da "cortina de ferro" e a formação de novos Estados no Leste da Europa. Mantém o blogue www.darussiablogspot.com, alojado no sítio eletrónico do jornal Público.

image005

AMARES INAUGURA FEIRA DO LIVRO

Inaugurou, esta manhã, na Galeria de Artes e Ofícios em Amares, a Feira do Livro de Amares 2018/ X Mostra Pedagógica.

DSC02831

A apresentação do projeto Diogo Piçarra em Pessoa (apresentação do livro seguida de performance musical), na quinta feira, às 15h00, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Amares e o encontro com o escritor José Milhazes, na sexta-feira às 21h30, na Galeria de Artes e Ofícios, são dois dos pontos altos desta iniciativa que foi, oficialmente apresentada pelo presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, e pela Diretora do Agrupamento de Escolas, Flora Monteiro.

DSC02820

Nas palavras do presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira, “Um livro deve ser um amor para a vida toda” e, nesse sentido, apelou a todos os amarenses que “se apaixonem” pela leitura e visitem a Feira do Livro de Amares que é na opinião do autarca “um evento de referência”.

Destacando a importância da leitura e do contacto direto “com o toque e o cheiro livro”, Manuel Moreira sublinhou que a leitura torna os alunos e sociedade em geral mais “apetrechados e com mais competências”, apelando à adesão de todos os amarenses.

DSC02810

Já a diretora do Agrupamento de Escolas, Flora Monteiro, referiu que este é um dos eventos “mais importantes e mais bonitos” do concelho, sublinhando a importância de “ser acarinhado por todos os amarenses”.

“A Câmara fez um esforço para levar a Feira do Livro até ao próximo domingo e esperamos que seja um dia com muitos visitantes. Só assim faz sentido que haja este investimento” frisou.

Tanto o presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira, como a diretora do Agrupamento de Escolas de Amares fizeram questão de elogiar, ainda, a qualidade do trabalho patente na X Mostra Pedagógica e que traz até ao público, a par de toda a programação da Feira do Livro, trabalhos de todos os centros escolares e de todos os ciclos de ensino do concelho.

A cerimónia inaugural foi abrilhantada pelo grupo de bombos do Agrupamento de Escolas de Amares, “EscolABombar", pela actuação de duas alunas e um professor da AECA, contando, ainda, com momento de leitura encenada pela Oficina de Leitura LER + ESA e com a apresentação de duas Provas de Aptidão Profissional.

De hoje até ao próximo domingo já sabe: a Feira do Livro de Amares proporciona um encontro com a cultura, num programa variado para diversosgostos e idades.Visite!

DSC02801

Programa Feira do Livro