Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FEIRA DO LIVRO DE PONTE DE LIMA ABRE HOJE AO PÚBLICO

XXIV Feira do Livro de Ponte de Lima abre hoje as portas ao público a partir das 18h30

De 18 a 21 de Julho de 2019, a Feira do Livro de Ponte de Lima está de regresso, e traz consigo o melhor da literatura portuguesa e estrangeira.

Feira do Livro 2019 programa.jpg

De livro em mão, o recinto do Pavilhão de Feiras e Exposições percorre-se a passo lento, para que se assimile esta enorme montra de literatura. 

Das revisitações de clássicos, às contemporâneas “estreias absolutas”, perde-se a conta às novidades desta edição, em que são as crianças quem mais fica a ganhar.

O ciclo de programação antecipa o que de mais relevante vai acontecer no evento, com mais editoras e novidades.

Com uma série de propostas que equilibram as forças entre o livro de papel e as ferramentas digitais, a 24ª edição da feira mostra-se consciente do facto de que o negócio livreiro cada vez está mais diversificado, e como tal, dá atenção redobrada às expectativas dos colaboradores, e em particular dos visitantes. Neste sentido, são várias as linguagens artísticas que, ao longo da feira, entram no espaço cultural. Destaque-se AMFF in Concert 2019, o concerto pela Academia de Música Fernandes Fão, num tributo ao Festival de Vilar de Mouros com início às 22h30 do primeiro dia de evento.

Por entre maratonas de contos, conversas com autores, encontros de escritores, insufláveis, tertúlias, ateliers, espetáculos de ballet, concertos literários, e diversas outras atividades lúdicas, desenrolam-se os quatro dias da 24ª Edição da Feira do Livro Limiana.

A cultura a baixo preço, e a oferta diversificada e acessível, atraem anualmente milhares de visitantes à feira, que pretende bater recordes de visitas.

O evento tem inauguração oficial agendada para as 18h30 de amanhã, dia 18 de julho, seguida por um Verde Literário, estando de portas abertas nos seguintes três dias. O programa completo do evento pode ser consultado através do site oficial do Município de Ponte de Lima, ou das suas redes sociais.

A XXIV Feira do Livro de Ponte de Lima deve a sua organização ao Município de Ponte de Lima, estando a cargo da Biblioteca Municipal, em parceria com a livraria União, a Universidade Aberta, a Universidade Fernando Pessoa, o Centro de Estudos Regionais (CER), o Centro de Informação Europe Direct do Minho (CIED Minho), a Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua (ALAAR) e a Associação de Escritores, Jornalistas e Produtores Culturais de Ponte de Lima (AEJPCPL).

Programa Dia 18.jpg

Programa Dia 19.jpg

Programa Dia 20.jpg

Programa Dia 21.jpg

BARCELOS FAZ BALANÇO POSITIVO DA FEIRA DO LIVRO

Chegou ao fim a 37ª edição da Feira do Livro de Barcelos que, entre os dias 2 e 14 de julho, animou e encheu de livros a Avenida da Liberdade e o Largo da Porta Nova, contando com mais de 90 editoras e 17 livreiros, distribuidores e alfarrabistas.

CMB_9758.JPG

Esta edição teve como objetivo principal a promoção e o incentivo à leitura, destacando-se a evocação a Sophia de Mello Breyner, cujo centenário do nascimento se comemora no presente ano, a Agustina Bessa-Luís, a escritora da “Sibila, que faleceu recentemente, e a Florbela Espanca, de quem se comemoram os 125 anos do seu nascimento.

DSC_2175.JPG

Marcada por lançamentos e apresentações de livros, recitais de poesia e música, teatro, concertos e animação de rua, a Feira do Livro de Barcelos voltou a oferecer uma grande variedade e qualidade de eventos. Por isso, o público correspondeu em grande número, quer visitando os stands e adquirindo livros, quer participando nas tertúlias, convivendo de perto com grandes nomes da cultura e da música portuguesas.

O evento abriu com uma intervenção artística de A Capoeira – Companhia de Teatro de Barcelos, seguindo-se o lançamento do livro “O Sonho de Ver o Invisível” de Luís Carvalhido com a apresentação de António F. Maia, José Augusto Santos e João Lobo.

A Feira do Livro contou ainda com alguns nomes da cultura, do jornalismo e da televisão portuguesa, tais como José António Saraiva (dia 14), antigo diretor do semanário “Expresso”, Catarina Furtado (dia 11), Joana Amaral Dias (dia 6) e Hélder Reis (dia 10) na apresentação dos livros “Eu e os Outros: uma Espécie de Memórias”, “Adolescer é Fácil # só que não!”, “Psicopatas Portugueses” e “Lendas, Mitos e Ditos de Portugal”, respetivamente.

Os escritores barcelenses também estiveram em destaque, com a realização de uma tertúlia, no dia 8 de julho, que contou com a participação de Domingos da Calçada, Rui Sousa Basto, José Ilídio Torres e Joana Luísa Matos, e a apresentação do livro “Menina entre 2 Azuis”, de Inês Martins de Faria, Prémio Literário do Município de Barcelos 2018, no dia 14 de julho-

O espaço infantil voltou a ser centro das atenções para as inúmeras crianças, graças ao vasto e variado conjunto de atividades, como ateliês, apresentação de livros, pintura, leitura de histórias e sessão de contos. Os mais novos tiveram ainda oportunidade de usufruir de atividades permanentes, tais como, o cantinho da leitura, jogos didáticos, mural de pintura e desenhos para colorir.

CMB_0768 (1).JPG

g8.jpg

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA DO LIVRO

XXIV Feira do Livro de Ponte de Lima: milhares de títulos, novidades literárias e verdadeiros achados

De regresso a Ponte de Lima, a Feira do Livro volta a abrir as portas do Pavilhão de Feiras e Exposições de Ponte de Lima, desta vez entre os dias 18 e 21 de julho de 2019, para a sua 24ª Edição.

Cartaz Final Feira do Livro 2019 (1).jpg

Promoções especiais, novidades, livros em segunda mão, e verdadeiros achados. Há muito por onde escolher no maior evento dedicado ao livro e ao negócio livreiro do Concelho.

A iniciativa com entrada gratuita, arranca com apresentações de livros, com conversas com autores e encontros de escritores. Sem esquecer as sessões de histórias, os concertos literários, os ateliês e oficinas, assim como os insufláveis. Em suma, equilibram-se as forças entre o livro de papel e as ferramentas digitais. 

Com algumas novidades e um novo recorde no número de expositores e editoras, a Feira regista milhares de títulos.

O primeiro dia da Feira abre às 10h00, sendo que a inauguração oficial, se prevê para as 18h30 com a presença do Edil Limiano, seguida por um verde literário.

AMFF in Concert 2019, o concerto pela Academia de Música Fernandes Fão, inicia às 22h30 e encerra o primeiro dia de feira, cujo horário se estende das 10h às 12h, e das 14h às 24h.

Os dias de sexta e de sábado dividem-se segundo o mesmo horário, das 10h00 às 13h00, das 14h00 às 19h30 e das 21h00 à 01h00, contemplando um programa semelhante, com destaque para a sessão no âmbito do projeto BiblioSénior, para II Encontro de Autores da Associação de Escritores, Jornalistas e Produtores Culturais de Ponte de Lima (AEJPCPL), e para a Tertúlia: Parentalidade, Literatura e Emoções.

Destaquem-se ainda as várias apresentações de livros, sem esquecer, às 22h30 de sexta-feira, a noite de Fado, com Deolinda Leones, e sábado, o espetáculo musical com ConecSom, pela mesma hora.

O dia de encerramento da 24ª Edição da Feira do Livro de Ponte de Lima decorre das 10h às 13h, e das 14h às 20h, e é marcado pelo Espetáculo de Ballet e Danças Urbanas “Quatro Estações”, por Pezinhos de Lã, às 14h.

O evento de longa tradição, deve a sua organização ao Município de Ponte de Lima, estando a cargo da Biblioteca Municipal, em parceria com a livraria local “União”, que representa mais de 100 editoras nacionais. Em colaboração estão também outras instituições locais e regionais como a Universidade Aberta, a Universidade Fernando Pessoa, o Centro de Estudos Regionais (CER), o Centro de Informação Europe Direct do Minho (CIED Minho), a Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua (ALAAR) e a Associação de Escritores, Jornalistas e Produtores Culturais de Ponte de Lima (AEJPCPL).

BARCELOS REALIZA FEIRA DO LIVRO E EVOCA SOPHIA E AGUSTINA

De 5 a 14 de julho na Avenida da Liberdade e Largo da Porta Nova

37ª Feira do Livro de Barcelos evoca Sophia e Agustina

A 37.ª edição da Feira do Livro de Barcelos realiza-se entre os dias 5 e 14 de julho, na Avenida da Liberdade e no Largo da Porta Nova, e, do vasto programa, merece destaque a evocação que vai ser feita a Sophia de Mello Breyner, cujo centenário do nascimento se comemora no presente ano.

Os principais momentos de recordação da primeira mulher a receber o Prémio Camões acontecem no dia de abertura da Feira, dia 5 de julho, a partir das 21h30, com a conversa de Martim Sousa Tavares, seu neto, moderada pelo jornalista da Rádio Renascença, Pedro Mesquita, e com a representação de "O Bojador", um espetáculo de marionetas com base em texto daquela autora. A homenagem contará ainda com um recital poético intitulado “Paisagens sonoras da poesia”, a realizar no dia 10 de julho, às 22h30.

O programa relativo a Sophia compreende, ainda, para os mais pequenos, a exibição da peça de teatro "No sotão da avó Sophia", pelo Tin.Bra-Academia de Teatro, no dia 5 de julho, às 21h30, e a dramatização do conto "A Menina do Mar" por Inácia Cruz, no dia 14 de julho, às 21h30.

Também Agustina Bessa-Luís, a escritora da “Sibila, que faleceu recentemente, vai ser recordada. Isabel Rio Novo, autora da sua biografia, "O Poço e a Estrada", falará com o jornalista, Alberto Serra, no dia 12 de julho, às 21h30.

Florbela Espanca, de quem se comemoram os 125 anos do seu nascimento, também será evocada com um espetáculo de poesia e música, a realizar no dia 7 de julho, às 22h30, pela Associação d'Improviso.

António Mota, um dos maiores escritores portugueses para crianças e jovens, virá, no dia 9 de julho, às 21h30, falar do seu livro “No meio do nada”, a propósito dos seus 40 anos de escrita. Estarão presentes ainda outros escritores, tais como, Maria João Fialho Gouveia, Paulo M. Morais e António Tavares, Prémio Leya 2015, que irão falar dos seus livros “Os Távoras: entre a Virtude e o Pecado”, “Pratas Conquistador” e “Homens do Pó”, respetivamente.

A Feira do Livro conta ainda com grande nomes da cultura portuguesa, tais como José António Saraiva (dia 14), antigo diretor do semanário “Expresso”, e nomes da televisão, tais como Catarina Furtado (dia 11), Joana Amaral Dias (dia 6) e Hélder Reis (dia 10), que  irão apresentar os seus últimos livros, “Eu e os Outros: uma Espécie de Memórias”, “Adolescer é Fácil # só que não!”, “Psicopatas Portugueses” e “Lendas, Mitos e Ditos de Portugal”, respetivamente .

Os escritores barcelenses também estarão em destaque, com a realização de uma tertúlia, no dia 8 de julho, às 21h30, com a participação de Domingos da Calçada, Fernando Pinheiro, Rui Sousa Basto, José Ilídio Torres e Joana Luísa Matos, e a apresentação do livro "Menina entre 2 Azuis", de Inês Martins de Faria, Prémio Literário do Município de Barcelos 2018, no dia 14 de julho, às 18h00.

Luís Carvalhido, fotógrafo vianense residente em Barcelos, vai apresentar o seu último livro “O Sonho de Ver o Invisível”, no dia 5 de julho, às19 horas.

Do programa musical merecem destaque os concertos com Captain Boy, no dia 6 de julho, às 22h30, a Orquestra de Jazz de Matosinhos, no dia 12 de julho, às 23h00, o concerto tributo aos Queen pelas Guitarras de Manhente – Escola de Rock, no dia 13, às 18h, e o espetáculo musical de encerramento da 37ª Feira do Livro, no dia 14 de julho, às 22h30, com a Banda Atlantis e Diana Martins.

A Feira do Livro contempla um vasto programa para o público infantil e juvenil com diversas atividades diárias: pinturas faciais, jogos didáticos, mural de pintura, desenhos para colorir e conversas com vários autores, destacando a apresentação de um grande espetáculo musical “Peter Pan e a ilha dos 3 Olhos” pela Companhia Rituais dell Arte, no dia 7 de julho, às 18h00.

A exposição “A Sabedoria através do Olhar de um Mocho”, coleção de José Antunes, patente ao público na Biblioteca Municipal, completa a variedade de propostas da 37ª Feira do Livro de Barcelos, que este ano conta com a participação de 90 editoras e 17 livreiros, distribuidores e alfarrabistas, ocupando uma vasta área de cerca de 165 metros de stands, da Avenida da Liberdade ao Largo da Porta Nova, com entrada livre,  e aberta ao público entre as 17h e as 24h.

Todos os dias haverá animação de rua pel’ A Capoeira - Companhia de Teatro de Barcelos.

Capturarbbbrr.PNG

FEIRA DO LIVRO LEVA CULTURA AO CENTRO DE BRAGA

‘Alameda Literária’ recebe o certame de 28 de Junho a 14 de Julho

As biografias são o tema central da edição 2019 da Feira do Livro de Braga que se realiza entre os dias 28 de Junho a 14 de Julho. A 'Avenida Literária', composta pelas ruas Dr. Justino Cruz, Rua Francisco Sanches e Largo S. João do Souto, volta a ser a aposta da organização do certame que tem como mecenas cultural a dst.

CMB25062019SERGIOFREITAS00000019670.jpg

Treze editoras distribuídas por 26 stands integram a edição deste ano que inclui mais de 30 apresentações de livros/revistas, 12 tertúlias/conversas, mais de uma dezena de actividades para o público infanto-juvenil, sessões de cinema e exposições. À semelhança dos anos anteriores, o programa da Feira do Livro funde-se com o Mimarte – Festival de Teatro de Braga que levará onze espectáculos à Praça Municipal.

A abertura oficial da Feira do Livro está marcada para esta Sexta-feira, 28 de Junho, às 18h30, com a presença da Ministra da Cultura, Graça Fonseca.

Para a vereadora da Cultura, Lídia Dias, a Feira do Livro será um momento único de partilha do melhor que se faz em Portugal na área da literatura. “Esta será a oportunidade para os Bracarenses e todos quantos nos visitam nesta altura do ano, para desfrutar de momentos únicos de cultura, conhecimento e aprendizagem”, referiu Lídia Dias na apresentação do certame que decorreu esta Terça-feira, 25 de Junho.

Segundo Lídia Dias, a Feira do Livro 2019 conta com a colaboração de inúmeras associações e entidades culturais do Concelho, destacando o papel do mecenas cultural do evento que, mais uma vez, realiza a Gala dst na qual será atribuído o Grande Prémio de Literatura.

O Grande Prémio de Literatura dst comemora este ano a 24.ª edição, sendo uma das mais relevantes distinções na área das Letras em Portugal. Este ano o prémio será atribuído à escritora Lídia Jorge. A gala deste ano, marcada para o dia 28 de Junho, às 21h30, no Theatro Circo, ficará também marcada pelo espectáculo ‘Elas e o Jazz’.

Tendo em conta a temática do certame, estão previstas entrevistas e conversas com Viriato Soromenho-Marques, António Carlos Cortez, Pedro Mexia, Nuno Júdice, José Pacheco Pereira (acerca do Ephemera) e Lídia Jorge (vencedora do Prémio de Literatura dst).

Este ano e pela primeira vez, os expositores terão à disposição sacos de papel personalizados.

Livreiros/Editores presentes:

Angels Formula Alfarrabista; Arte Europeo; Braga Alfarrabista; Comunidade Cristo de Betânea; Dinalivro; Edições Piaget; Livraria Alfarrabista Varadero; Livraria Centésima Página; Livraria Ler.Com.Gosto; Livraria Minho; Município de Braga; Palavras & Rimas; Poética Edições.

Horário Feira do Livro:

  • Segunda a Quinta-feira: das 12h00 às 22h00
  • Sexta-feira: das 12h00 às 23h00
  • Sábado: das 10h00 às 23h00
  • Domingo: das 15h00 às 20h00

O programa completo do evento pode ser consultado no portal do Município em www.cm-braga.pt

CMB25062019SERGIOFREITAS00000019672.jpg

CMB25062019SERGIOFREITAS00000019675.jpg

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA DO LIVRO

Feira do Livro de Ponte de Lima apresenta novidades para a 24.ª edição

A XXIV Feira do Livro de Ponte de Lima – maior evento literário do concelho – irá decorrer entre os dias 18 e 21 de julho de 2019, no pavilhão de Feiras e Exposições da Expolima.

 

Cartaz Final Feira do Livro 2019.jpg

Este ano o certame contará com apresentações de livros, conversas com autores, encontros de escritores, sessões de histórias, concertos literários, ateliês e oficinas, insufláveis e espetáculos musicais.

A Feira será engrandecida com marcas editorias de renome, publicações em lançamento e livros de fim de edição a um preço simpático.

O evento, organizado pelo Município de Ponte de Lima, através da Biblioteca Municipal, com a parceria da livraria local “União”, que representa mais de 100 editoras nacionais, conta também com a colaboração de outras instituições locais e regionais – a Universidade Aberta, a Universidade Fernando Pessoa, o Centro de Estudos Regionais (CER), o Centro de Informação Europe Direct do Minho (CIED Minho), a Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua (ALAAR) e a Associação de Escritores, Jornalistas e Produtores Culturais de Ponte de Lima (AEJPCPL).

Esperamos por si nesta feira! A entrada será, como sempre, gratuita.

POETA AVELINO COSTA RODRIGUES APRESENTA EM VIEIRA DO MINHO O SEU LIVRO "POESIAS DO QUINTO IMPÉRIO"

Apresentação pública do Livro “Poesias do Quinto Império”

A Casa Museu Adelino Ângelo vai acolher, sábado, dia 22 de Junho, pelas 17h00 a sessão pública de apresentação do livro “ Poesias do Quinto Império”, de autoria de  Avelino Costa Rodrigues (IbnViterbo).

casa-lamas.jpg

Trata-se de um livro que já mereceu a atenção quer do Papa Francisco, quer do Presidente da República Portuguesa, Professor Marcelo Rebelo de Sousa.

Neste sentido, a Câmara Municipal de Vieira do Minho convida os Vieirenses a participar nesta sessão inteiramente dedicada à poesia.

“UM LIVRO, UMA CONVERSA E ÀS VEZES UM FILME” JUNTA EM VILA PRAIA DE ÂNCORA ÁLVARO DOMINGUES E ALEXANDRE ALVES DA COSTA

“Um livro, uma conversa e às vezes um filme” foi apresentado no dia 14 de junho, o livro “A Rua da Estrada”, de Álvaro Domingues, apresentado por Alexandre Alves da Costa. A sessão decorreu na Ludoteca e Biblioteca Municipal de Vila Praia de Âncora, pelas 18H30.

foto-Alvaro Domingues.jpg

Esta terceira edição de “Um livro, uma conversa e às vezes um filme” junta em Vila Praia de Âncora nomes bem conhecidos, como são os casos de Álvaro Domingues e Alexandre Alves da Costa. Álvaro Domingues é docente do mestrado integrado e do curso de doutoramento da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto. Entre outras obras, é autor de Políticas Urbanas e Políticas Urbanas II (FCGulbenkian, 2003 e 2011, com Nuno Portas e João Cabral); A Rua da Estrada (Dafne, 2009); Vida no Campo (Dafne 2012); Território Casa Comum (com N. Travasso, FAUP, 2015) Volta a Portugal (Contraponto, 2018).

Alexandre-Alves-Costa.png

Na sinopse de “A Rua da Estrada” lê-se: “A Rua da Estrada é um conceito que emerge sobre os escombros da dupla perda da "cidade" e do "campo" e da oposição convencional entre o "urbano" e o "rural". Da cidade, existe a ideia muito comum de que se trata ao mesmo tempo de uma forma de organização social (a polis ou a civitas) intensa e diversa que ocupa um território densamente construído, com uma forma, um centro e uns limites perfeitamente definidos. Esta imagem da cidade aparece como um "interior" confinado, rodeado pelos espaços extensivos e rarefeitos da agricultura, da floresta ou dos espaços ditos naturais. No mesmo registo, o rural seria o espaço da agricultura; agrícola porque maioritariamente dependente da economia agro-florestal, e rural, no sentido cultural, porque correspondente a estilos de vida e visões do mundo dominadas por um certo tradicionalismo atávico e pelo fechamento sobre si. Nada mais falso. As transformações da agricultura e do rural são tão radicais, quanto as que se verificam nas cidades. 

Hoje a urbanização progride a um ritmo avassalador e já não está exclusivamente dependente da aglomeração e da proximidade física entre as pessoas, os edifícios e as actividades. As infraestruturas - como a as estradas ou as redes de telecomunicações, água ou de energia -, percorrem territórios imensos que tornam possível um sem número de padrões de localização e de formas de organização social. O urbano é um "exterior" desconfinado e instável, por contraposição à imagem da cidade amuralhada.
A Rua da Estrada é a perfeita imagem desta metamorfose. Mais do que lugar, a Rua da Estrada emerge como resultado da relação, do movimento. O fluxo intenso que a percorre é o seu melhor trunfo e a sua própria justificação. Sem fluxo não há troca nem relação, génese primordial da velha cidade. Dizia-me alguém explicando as manobras de sedução que praticava para tornar o seu negócio visível para quem vai na estrada: "o problema é fazê-los parar".

A decorrer nas Bibliotecas de Caminha e de Vila Praia de Âncora, “Um livro, uma conversa e às vezes um filme” ainda vai trazer ao concelho Júlio Machado de Vaz com o livro “O Amor é: Para Memória Futura” e Francisco Guedes de Carvalho; Frei Bento Domingues com o livro “A Religião dos Portugueses” e Nuno Brandão Costa com o livro “São João de Deus” e Sérgio Fernández.

Esta iniciativa é organizada pelos Amigos da Rede de Bibliotecas de Caminha e pela Câmara Municipal de Caminha.

É de referir que os Amigos da Rede de Bibliotecas de Caminha (RBC) tornam-se leitores inscritos nas bibliotecas do concelho de Caminha. O estatuto de Amigo da RBC é formalizado através do preenchimento de um formulário, (com os dados biográficos essenciais e contactos) e da oferta de um livro que reverterá para a coleção da Biblioteca Municipal. A participação no grupo de Amigos da RBC é voluntária, exclui qualquer compensação e cessará no momento em que o Amigo assim o desejar. Através da sua ação, os Amigos RBC pretendem contribuir, de modo particular, para o desenvolvimento das competências e serviços das mesmas e, genericamente, para o progresso cultural da comunidade que estas servem.

a rua da estrada.jpg

VICTOR DE CASTRO APRESENTOU O LIVRO “CANCRO, O MELHOR DA MINHA VIDA”

Victor de Castro apresentou ontem em Melgaço, na Casa da Cultura, o seu livro “Cancro, o melhor da minha vida”, um relato de memórias do autor e das fases mais negras da sua vida após o diagnóstico da doença oncológica.

cancro.jpg

Foi um momento para “Falar sobre cancro”, uma tertúlia destinada a todos os interessados em saber mais sobre aquela doença, e que reuniu os Enfermeiros Mário Monteiro e Sandra Reis; o Médico Manuel Lima Rodrigues; a Presidente do Centro de Apoio ao Doente Oncológico, Catarina Malheiro; e a professora Rosa Azeres, amiga de longa data do autor. Também o Presidente do Município de Melgaço, Manoel Batista, esteve presente na sessão.

FAFE FOI PALCO DE APRESENTAÇÃO DE OBRA COLETIVA SOBRE HOSPITAIS E SAÚDE ENTRE BRASIL E PORTUGAL

No passado dia 4 de junho (terça-feira), foi apresentada na cidade de Fafe, o livro “Hospitais e Saúde no Oitocentos: diálogos entre Brasil e Portugal”.

A sessão de apresentação da obra coletiva de referência na área da História e Saúde, resultado de um conjunto de trabalhos elaborados por investigadores luso-brasileiros sobre arquitetura, urbanismo, património cultural e saúde no séc. XIX, decorreu no salão nobre da Santa Casa da Misericórdia de Fafe, uma das maiores instituições sociais do Norte de Portugal.

dbdbdbdb (1) (1).JPG

O historiador fafense Daniel Bastos (dir.), na sessão de apresentação do livro “Hospitais e Saúde no Oitocentos: diálogos entre Brasil e Portugal”, na Santa Casa da Misericórdia de Fafe, acompanhado da vice-provedora da instituição, Maria da Conceição Castro, e do arquiteto e urbanista brasileiro Renato Gama-Rosa

 

A apresentação da obra, uma publicação da editora Fiocruz, que concentra a maior parte dos lançamentos da Fundação Oswaldo Cruz, a mais importante instituição de ciência e tecnologia em saúde da América Latina, e uma das principais instituições mundiais de pesquisa em saúde pública, localizada no Rio de Janeiro, esteve a cargo do historiador fafense Daniel Bastos. E do arquiteto e urbanista brasileiro Renato Gama-Rosa, do Departamento de Património Histórico da Casa de Oswaldo Cruz, um dos organizadores do livro, em conjunto com a docente brasileira Cybelle Salvador Miranda, da Universidade Federal do Pará.

Refira-se, que um dos sete capítulos do livro, onde os cientistas sociais luso-brasileiros revisitam a benemérita rede de dezenas de associações de beneficência fundadas por emigrantes portugueses na transição do séc. XIX para o séc. XX, e que ainda hoje são instituições de referência no Brasil, principal destino da emigração lusa na época, é assinado pelo historiador Daniel Bastos com o título “O Hospital da Misericórdia de Fafe e a Contribuição da Benemerência Brasileira em Portugal no Século XIX”.

No decurso da sessão, que contou com a presença de vários membros da instituição social e da sociedade local, entre eles, da vice-provedora da instituição, Maria da Conceição Castro, em representação do provedor Vítor Ferreira Leite, dada a sua presença numa reunião da trabalho na capital portuguesa, e do vereador da Cultura do Município de Fafe, Pompeu Martins, todos foram unânimes em considerar que este novo livro é mais um contributo para o estreitar dos laços históricos e culturais luso-brasileiros. E em particular, no caso da Misericórdia de Fafe, sublinha a herança dos “brasileiros de torna-viagem” na instituição, assim como no concelho onde ainda hoje se encontram as suas marcas na cidade.

Refira-se que esta foi a primeira apresentação do livro em Portugal, após o seu lançamento no Brasil no início do ano no Rio de Janeiro, na Fundação Oswaldo Cruz, e posteriormente em Belém, na Universidade Federal do Pará.

dbdbdbdb (2).JPG

dbdbdbdb (3).JPG

dbdbdbdb (4).JPG

dbdbdbdb (5).JPG

dbdbdbdb (6).JPG

dbdbdbdb (7).JPG

dbdbdbdb (8).JPG

dbdbdbdb (9).JPG

dbdbdbdb (10).JPG

dbdbdbdb (11).JPG

dbdbdbdb (12).JPG

dbdbdbdb (13).JPG

dbdbdbdb (14).JPG

dbdbdbdb (15).JPG

dbdbdbdb (16).JPG

DANIEL BASTOS APRESENTOU EM BRUXELAS NOVO LIVRO SOBRE GÉRALD BLONCOURT E O NASCIMENTO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA

Na passada sexta-feira (31 de maio), foi apresentada na capital da Europa o livro Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”.

dbbastos (1).jpg

O historiador Daniel Bastos (ao centro.), na sessão de apresentação do livro Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”, na livraria portuguesa em Bruxelas “La Petite Portugaise”, ladeado de Elisabete Soares, representante da livraria luso-belga, e de Paulo Pisco, deputado eleito pelo círculo da emigração na Europa

A obra, concebida e realizada pelo historiador minhoto Daniel Bastos a partir do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt, um dos grandes nomes da fotografia humanista recentemente falecido em Paris, e prefaciada pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da Direção da Associação 25 de Abril, foi apresentada na livraria portuguesa em Bruxelas “La Petite Portugaise”.

No decurso da sessão, a representante da livraria luso-belga, Elisabete Soares, caracterizou o historiador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, como um fautor de várias iniciativas cívicas para a cidadania ativa, e Paulo Pisco, deputado eleito pelo círculo da emigração na Europa que apresentou a obra, destacou o trabalho desenvolvido por Daniel Bastos em prol do conhecimento e valorização da emigração portuguesa. E em particular, este novo livro como um importante contributo para a preservação da memória do fotógrafo humanista Gérald Bloncourt, recentemente falecido em Paris, um homem que amou e honrou os portugueses.

Neste novo livro, realizado com o apoio da Associação 25 de Abril, Daniel Bastos revela uma parte pouco conhecida do espólio de Gérald Bloncourt, afamado fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa, mas que retratou também a explosão de liberdade que tomou conta do país após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

Através de imagens até aqui praticamente inéditas, o historiador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, aborda factos históricos que medeiam a Revolução dos Cravos e a celebração do Dia do Trabalhador na capital portuguesa. Designadamente, a chegada do histórico líder comunista Álvaro Cunhal ao Aeroporto de Lisboa, a emoção do reencontro de presos políticos e exilados com as suas famílias, o caráter pacífico e libertador da Revolução de Abril, e as celebrações efusivas do 1.º de Maio de 1974, a maior manifestação popular da história portuguesa.

Refira-se que durante o presente mês de junho, o livro vai ser apresentado no dia 7 de junho (sexta-feira), na FNAC em Braga, às 21h00, e no dia 10 de junho (segunda-feira), Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, na FNAC-Santa Catarina no Porto, às 17h00. Ainda no dia 22 de junho (sábado), no âmbito das comemorações do Dia de Portugal no Canadá, será apresentado às 10h00 na Galeria dos Pioneiros Portugueses em Toronto.

dbbastos (2).jpg

dbbastos (3).jpg

dbbastos (4).jpg

dbbastos (5).jpg

DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRAGA NOVO LIVRO SOBRE GERÁLD BLONCOURT E O NASCIMENTO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA

No dia 7 de junho (sexta-feira), é apresentado na capital do Minho o livro “Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”.

A obra, concebida pelo historiador minhoto Daniel Bastos a partir do espólio de Gérald Bloncourt, um dos grandes nomes mundiais da fotografia humanista, recentemente falecido na capital francesa, é apresentada às 21h00 na FNAC-Braga.

Capturardb.PNG

O historiador Daniel Bastos (dir.) foi em 2015 o responsável pela realização do livro de Gérald Bloncourt (esq.) “O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”, que retrata a emigração portuguesa nos anos 60, e que contou com prefácio do ensaísta e pensador Eduardo Lourenço.

A apresentação da obra, uma edição trilingue (português, francês e inglês) traduzida por Paulo Teixeira, e prefaciada pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da Direção da Associação 25 de Abril, estará a cargo da Professora de Ciência Política da Universidade do Minho, Isabel Estrada Carvalhais.

Neste novo livro, realizado com o apoio da Associação 25 de Abril, uma das instituições de referência do Portugal democrático, Daniel Bastos revela uma parte pouco conhecida do espólio de Gérald Bloncourt, afamado fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa nos anos 60, mas que foi também um espectador privilegiado da explosão de liberdade que tomou conta do país após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

Através de imagens até aqui praticamente inéditas, o investigador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, aborda factos históricos que medeiam a Revolução dos Cravos e a celebração do Dia do Trabalhador na capital portuguesa. Designadamente, a chegada do histórico líder comunista Álvaro Cunhal ao Aeroporto de Lisboa, a emoção do reencontro de presos políticos e exilados com as suas famílias, o caráter pacífico e libertador da Revolução de Abril, e as celebrações efusivas do 1.º de Maio de 1974, a maior manifestação popular da história portuguesa.

A publicação do livro, que contou com a colaboração de Isabelle Repiton, viúva de Gérald Bloncourt, e é enriquecida com memórias e testemunhos do fotojornalista franco-haitiano, representa cerca de meio século após a Revolução de Abril um novo contributo e oportunidade para revisitar a génese da democracia portuguesa.

Segundo Vasco Lourenço, esta obra ilustrada pela lente humanista de Bloncourt, fotógrafo que em 2016 foi agraciado pelo Presidente República Portuguesa com a Ordem do Infante D. Henrique, constitui uma viagem ao “tempo dos sonhos cheios de esperança, da afirmação da cidadania, da construção de uma sociedade mais livre e mais justa, do fim e do regresso de uma guerra sem sentido com a ajuda ao nascimento de novos países independentes, onde a língua portuguesa continuou a ser o principal factor congregador”.

3 - Capa do livro (3).jpg

4- Contra-capa do livro (3).jpg

VIEIRA DO MINHO REALIZA FEIRA DO LIVRO

Feira do Livro já abriu ao Público

A Feira do Livro de Vieira do Minho abriu, hoje, as portas ao público. A abertura do certame contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, António Cardoso e foi abrilhantada pela atuação do Grupo de Cavaquinhos da Universidade Sénior.

DSC_5275.JPG

Com a presença de duas dezenas de editoras, a Feira do Livro pretende estimular e intensificar a curiosidade e o gosto pela leitura, quer no público infanto-juvenil, quer no público adulto.

Os Vieirenses podem visitar e adquiri livros a preços mais acessíveis de 23 a 27 de Maio na Praça do Município.

De salientar, ainda que o certame integra um vasto programa cultural e recreativo a não perder. Até segunda-feira sucedem-se  as conversas com autores, lançamentos de livros, sessões de autógrafos entre outras atividades.

Venha até à sede do concelho, e adquira um livro.

DSC_5285.JPG

VIEIRA DO MINHO REALIZA FEIRA DO LIVRO

Os Livros estão de Regresso à Praça do Município

É já esta quarta-feira, dia 23 de Maio, que a Feira do Livro de Vieira do Minho abre portas ao público. O certame inicia, no dia 23 e prolonga-se até ao dia 27 de Maio, na Praça do Município.

33613893_1178407938967702_2358986439158398976_n.jpg

Além de muitas novidades bibliográficas para crianças e adultos, a Feira apresenta um programa cultural variado, com destaque para as oficinas literárias, encontros com contadores de histórias e escritores, ateliers livres, apresentação de livros, entrega de prémios aos melhores leitores de 2019 e a atuação da Tuna Masculina da CESPO – Famalicão.

Esta iniciativa do Município de Vieira do Minho contempla atividades de excelência, como conversas com autores, apresentações, lançamentos de livros e sessões de autógrafos, e assume-se  como um verdadeiro convite à leitura.

De salientar que este certame tem por objectivo contribuir para estimular e intensificar a curiosidade e o gosto pela leitura, quer no público infanto-juvenil, quer no público adulto.

Até à próxima segunda-feira, há livros, histórias, momentos musicais e outras atividades a não perder.

MONÇÃO APRESENTA LIVRO E INAUGURA EXPOSIÇÃO COM “DESENHOS DE OBSERVAÇÃO” QUE MOSTRAM “UM ALTO MINHO BELÍSSIMO”

Durante 12 meses, 55 artistas e entusiastas do desenho passaram pelo Alto Minho, através de residências artísticas e encontros de sketching, para observar, sentir e registar, de forma espontânea, os principais recursos identitários da nossa região.

mmmaoaonnb (1).JPG

O resultado é uma coleção única de memórias e de momentos, evocados em cerca de 160 desenhos a cores ou a preto e branco, que deixam transparecer o que de melhor a região tem para oferecer: monumentos, paisagens, recantos pitorescos e pormenores que passam despercebidos.

A apresentação da publicação “Desenhos do Alto Minho: Sketching com história”, no Museu do Alvarinho, esteve a cargo de Eduardo Salavisa, coordenador do projeto. Falou do convite lançado pela CIM Alto Minho, do espírito momentâneo e criativo inseparável da atividade dos Urban Sketchers e de um conjunto de “desenhos de observação” que mostram um “Alto Minho belíssimo”.

O presidente do Conselho intermunicipal da CIM Alto Minho, José Maria Costa, focou-se na visa artística de uma publicação com inspiração artística que, acrescentou, permitirá aos residentes e forasteiros apreciar a beleza natural, patrimonial e humana da região, bem como alguns pormenores deliciosos que passam despercebidos no dia a dia.

Uma redescoberta de espaços na região do Alto Minho também sublinhada pelo autarca monçanense, António Barbosa, o qual destacou a interação com o público proporcionada pela iniciativa e a concertação estratégica dos dez municípios na concretização deste projeto.

Antonio Barbosa referiu que “é um orgulho ser minhoto e uma honra pertencer à CIM Alto Minho”, terminando com um agradecimento à organização: “Artistas de diferentes locais visitaram o nosso território e passaram para o papel aquilo que nos identifica. O resultado final é mais um contributo para a promoção da nossa região. Obrigado a todos que participaram no projeto”.

Após a apresentação do livro, realizou-se a abertura da exposição. No primeiro andar do Museu do Alvarinho, a história de um dos vinhos brancos mais afamados do mundo, articula-se, até 2 de junho, com os traços e as cores de um território com alma feito por gente autêntica.

Os Urban Sketchers são um coletivo de autores com mais de 800 membros que desenham as cidades onde vivem e os locais por onde viajam. Encontram-se regularmente para desenhar em grupo e estão associados em países de todo mundo.

mmmaoaonnb (2).JPG

mmmaoaonnb (3).JPG

mmmaoaonnb (4).JPG

mmmaoaonnb (5).JPG

26ª EDIÇÃO DA FEIRA DO LIVRO DE PONTE DA BARCA MARCADA PELA ADESÃO E DIVERSIDADE

Depois de uma intensa semana dedicada aos livros e à cultura, numa iniciativa por onde passaram diversas apresentações de obras e encontros com autores, a 26ª edição da Feira do Livro de Ponte da Barca ficou marcada pela evocação de um dos grandes vultos de Ponte da Barca, Frei Agostinho da Cruz, num sentimento de orgulho da história barquense aliado à novidade e à irreverência de novos autores e novas obras literárias. “

Capturarflivrbarc.PNG

“A Feira do Livro de Ponte da Barca é um grande evento cultural que vai além da compra e venda de livros, pois apostamos numa oferta diversificada, criando um espaço dedicado aos livros, à cultura, à pedagogia e ao lazer, o que tem contribuído para a afirmação deste evento como referência obrigatória”, salientou o Presidente da Câmara, Augusto Marinho.

O dia inaugural ficou marcado pela apresentação do Livro "Frei Agostinho da Cruz: Vida e Obra do Venerável Poeta", de Luís Arezes, iniciativa integrada no âmbito das Comemorações dos 400 anos da morte de Frei Agostinho da Cruz, que contou, ainda, com a colaboração da Associação "Os Canários de Bravães".

Outro dos momentos altos da edição deste ano aconteceu no sábado, aquando da apresentação do Documentário "Viver a Natureza em Ponte da Barca" produzido pelo Município de Ponte da Barca sobre a fauna e a flora do nosso Concelho, sendo um documentário único e pioneiro que mostra toda a força e beleza de um território que Miguel Torga designou como o “Portugal Nuclear, a Ibéria na sua pureza essencial...”

Durante a semana os visitantes tiveram oportunidade de participar na apresentação de várias obras, nomeadamente dos escritores João Tordo, Ana Bacalhau, José Viale Moutinho e Mariana Machado, certame que incluiu momentos com diversas atividades para aos mais jovens, destacando-se a entrega dos Prémios do Concurso de Leitura, que decorreu ao longo do ano entre os alunos do Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca e da EPRALIMA.

Ao longo de toda a semana foram muitos os que visitaram a 26.ª Feira do Livro, atraídos quer pelas novidades literárias assim como pelos vários espetáculos culturais, numa adesão constante por parte dos barquenses e de quem visitou Ponte da Barca num fim-de-semana com uma agenda cultural preenchida, consolidando assim uma das maiores e mais conhecidas iniciativas culturais do Município de Ponte da Barca.

fairabarcccs (1).jpg

fairabarcccs (2).jpg

fairabarcccs (3).jpg

fairabarcccs (4).jpg