Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PAPs: EMPRESAS PROCURAM ELETROTÉCNICOS DA EPATV

Quase uma dezena de “projetos excelentes que exigiram um esforço redobrado por causa da pandemia” foram apresentados hoje, dia 10 de maio, pelos 22 finalistas do Curso Técnico de Eletrotecnia, na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV).

edit-1199.jpeg

Esta é a síntese de Carlos Silva, Diretor do Curso, no final de uma manhã de apresentação de Provas de Aptidão Profissional (PAP) perante um júri que incluía Sandra Monteiro (Diretora Pedagógica), Carlos Marinho Silva (Diretor de Curso) Aurélio Machado, Sandra Guedes, Sara Vale (Diretora de Turma), Vítor Machado e Carlos Silva (Marco Monteiro, SMOV Energy Instalações Especiais).

Foi um dia emocionante para o antigo professor Vítor Machado: eram os “meus últimos alunos e quis deixar-lhes uma lembrança, personalizada, com o nome de cada um deles”. O atual Diretor do Curso, reconhece que a Eletrotecnia alcançou, com o “Prof. Vítor Machado, um prestígio grandioso ao ponto das empresas da região nos bombardearem com pedidos de finalistas. Se mais tivéssemos, mais estavam com emprego garantido, mas alguns, e bem, decidiram prosseguir estudos”.

Os finalistas entram agora na fase final dos estágios até 14 de julho. A maioria deles fica nas empresas onde estão a estagiar e outros seguem para o ensino superior.

Diogo Murça, Pedro Alves e Rafael Oliveira deliciaram o júri com a construção de um Parque de Estacionamento automatizado, e a mesma satisfação foi demonstrada após a construção de uma ponte móvel por Rodrigo Gonçalves e Rúben Martins.

Diogo Oliveira, Tiago Alves e Tomás Moreira mostraram aos juradas como se constrói uma máquina de compactamento de latas, enquanto Alexandre Martins, Miguel Antunes e Rafael Gonçalves mostraram a sua criatividade através de um manipulador fabril.

Uma rede de distribuição elétrica de baixa tensão foi criada por Jorge Silva, Nuno Silva e Tiago Lopes enquanto Diogo Costa, Diogo Esteves e João Paulo se divertiram com o seu carro controlado por aplicação de telemóvel.

A EPATV possui agora um novo sistema de videovigilância criado por José Matos, Pedro Silva e André Almeida e o Amaro Torrão e Rodrigo Campos construíram uma instalação elétrica para um prédio de quatro apartamentos.

edit-1213.jpeg

edit-1260.jpeg

edit-1194.jpeg

PONTE DA BARCA É INVESTIMENTO

Presidente da Câmara visita empresa que está a investir cerca de três milhões de euros em Ponte da Barca

Sempre numa lógica de proximidade ao tecido empresarial do concelho, o Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca, Augusto Marinho, visitou as novas instalações de uma empresa metalúrgica, a Desvendar Fórmulas, que se encontra a terminar um investimento de cerca de três milhões de euros em Ponte de Barca.

279387456_4459332540834361_6738294850304030543_n.j

Instalada na União de Freguesias de Touvedo São Lourenço e Salvador, a Desvendar Fórmulas é uma empresa que atua no setor da metalomecânica e manutenção industrial, contando já com 20 colaboradores em instalações que se estendem por 10.000 m2.

A empresa visitada é especializada em construção e reparação de equipamentos para britagem, construções metálicas, compra e venda de máquinas. Para além do mercado nacional, exportam os seus produtos essencialmente para o mercado Africano, sendo, por isso, mais uma empresa exportadora a atuar em Ponte da Barca.

Em 2020, a Desvendar Fórmulas, reforçou ainda mais a sua presença no mercado interno e externo com a criação da marca DFSTEEL, de modo a alcançar e fortalecer a internacionalização dos seus produtos além-fronteiras.

João Martins, proprietário da empresa, explicou ao Presidente Augusto Marinho que escolheu Ponte da Barca “sobretudo pelas condições que o concelho oferecia ao nível de área de trabalho, já que este tipo de serviços requer uma grande extensão, e também pela proximidade a Espanha”.

O Presidente Augusto Marinho referiu que “contactar de perto com a realidade empresarial existente no concelho, em diferentes áreas, conhecer a sua atividade, as suas dificuldades e os seus projetos económicos são os objetivos principais destas visitas”.

O autarca mostrou-se muito satisfeito por “ver empresas como esta instaladas no nosso concelho” salientando que “o seu sucesso ao nível nacional e internacional consolidam também as potencialidades do nosso concelho e contribuem para o seu desenvolvimento”.

Fica patente e bem presente que a estratégia definida, o desenvolvimento económico, está a resultar e a implementar-se de forma extremamente positiva. São estes os efeitos, desde logo, pretendidos, a aposta no investimento económico, no tecido empresarial, e a consequente a criação de emprego no nosso concelho.

O Presidente da Câmara Municipal acrescentou ainda que “é para isto que trabalhámos, é este o caminho que vamos trilhar, estamos a ter os resultados esperados. A aposta nesta área de relevo, não era uma opção mas sim uma obrigação, e continuará conforme delineado na política económica do Município, já com o início da construção da 1ª fase da expansão da Área de Acolhimento Empresarial do Rodo prevista para o mês de agosto, empreitada que ronda os 2 950 000,00 euros.”

279043468_4459334614167487_5307888199640345063_n.j

279145067_4459331844167764_3246857047517023320_n.j

FAMALICÃO: UMA DAS MAIORES FÁBRICAS EUROPEIAS DE PRODUÇÃO DE JANELAS EFICIENTES INICIA PRODUÇÃO NUM INVESTIMENTO DE 50 MILHÕES DE EUROS

União da Caixiave com a Tryba deu origem à ACWIN

A Caixiave, empresa fabricante líder no mercado ibérico em janelas e portas eficientes de PVC, juntou-se ao grupo francês Atrya, mais conhecido pela sua marca Tryba, e daí nasceu em Famalicão a primeira fábrica da Acwin que será tão só uma das maiores fábricas de produção de janelas eficientes da Europa.

Roteiro Created In - Caixiave_20220414_0067.jpg

O investimento é superior a 50 milhões de euros e visa permitir criar duas centenas de novos postos de trabalho. As primeiras unidades produzidas nas novas instalações da empresa, que ocupam 42 mil metros quadrados de área, são entregues aos clientes na próxima semana e prevê-se que a unidade esteja concluída na totalidade até ao final do ano.

Trata-se de uma empresa que encaixa no conceito de indústria 4.0, dada a elevada presença tecnológica presente nas instalações e a eficiência e sustentabilidade produtiva.

O Presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, visitou hoje a nova empresa no âmbito do Roteiro Famalicão Created IN e não podia ter ficado mais bem impressionado com mais este grande investimento realizado em Famalicão que vai criar “bons postos de trabalho e aumentar a capacidade exportadora do terceiro concelho mais exportador de Portugal”.

Acompanhado pelo administrador da empresa, Carlos Sá, Mário Passos descobriu um “investimento de verdadeiro interesse municipal e nacional, com o que de melhor há no mundo e a pensar no futuro. Dimensão tecnológica, sustentabilidade, produtividade e eficiência são conceitos muitos presentes, num investimento de futuro para Famalicão.”

Segundo o administrador, Carlos Sá, a nova unidade “vai permitir aumentar a capacidade de produção e enfrentar novos desafios que se apresentem no mercado externo. Grande parte da produção vai ser para exportação e vamos triplicar a nossa capacidade de produção ao nível de janelas eficientes”.

O projeto empresarial mereceu a declaração de interesse municipal, ao abrigo do regulamento Made2IN.

Roteiro Created In - Caixiave_20220414_0047.jpg

FAMALICÃO APOSTA NA INDÚSTRIA DO VESTUÁRIO

“Encontros Formação e Emprego” debruçam-se sobre o Têxtil e Vestuário

É já nesta quarta-feira, 23 de março, que se realiza mais uma sessão dos “Encontros Formação e Emprego”, promovidos pelo Município de Vila Nova de Famalicão em parceria com o IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional e a Rede Local de Educação e Formação.

Formação e Emprego.png

Desta vez, a iniciativa vai juntar empresários do setor do Têxtil e Vestuário e tem como orador Braz Costa, diretor geral do CITEVE e do CeNTI - Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes.

Informar e capacitar os empresários e as entidades de ensino acerca das medidas públicas de emprego e formação profissional disponíveis e promover a aproximação das escolas ao tecido empresarial são os principais objetivos destes encontros.

A sessão tem início às 17h00 e vai decorrer na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

Mais informações e inscrições em www.famalicaomadein.pt.

FAMALICÃO: TÊXTIL MANUEL GONÇALVES PRODUZ INOVAÇÃO SUSTENTÁVEL

“Famalicão Created IN” começou com visita ao Centro de Desenvolvimento Têxtil da TMG

No chão de fábrica da TMG – Têxtil Manuel Gonçalves, em Vale S. Cosme, existem as habituais secções associadas à produção, como a confeção, embalamento e fiação, mas existe também um Centro de Desenvolvimento Têxtil, onde se criam novos produtos, investigam novos materiais e aplicações, procuram-se métodos mais sustentáveis e desenham-se coleções.

Famalicão Created IN - TMG_20220317_0033.jpg

Inovação e sustentabilidade são conceitos na ordem do dia deste histórico grupo famalicense com mais de 80 anos de experiência que detém uma posição de grande relevo no mercado mundial do têxtil e do automóvel. O exemplo da “inovação com responsabilidade pela sustentabilidade social e ambiental” da TMG deu ontem o mote para o arranque do roteiro Famalicão Created IN com que o Presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, pretende valorizar, divulgar e homenagear a indústria famalicense que hoje, muito mais do que fabricar, cria, inova, acrescenta valor.

O exemplo da TMG é paradigmático. Com uma posição de grande relevo no mercado mundial do têxtil e do automóvel, o Grupo TMG apresenta-se como uma das marcas mais reconhecidas em Portugal e no mundo. Exporta para mais de 40 mercados e gere um amplo portefólio de negócios. Para além da indústria têxtil e automóvel, diversificou os negócios nas áreas do retalho têxtil, da operação privada de helicópteros, da produção de vinhos e da produção de energia hídrica e de cogeração.

Exemplo dessa aposta na sustentabilidade e na proteção do ambiente é a Lighting Bolt, marca de vestuário e acessórios de produção sustentável, gerida pelo Grupo TMG desde 2006, e que colocou recentemente no mercado pranchas de surf ecológicas, com uma maior redução de impacto ambiental.

A clássica máxima de sempre da Lighiting Bolt, “Destrói as ondas não as praias”, é uma imagem bem atual do compromisso da empresa  com a sustentabilidade. “A sustentabilidade não é para nós um produto, é um processo, um conceito presente no dia a dia da empresa e nas diferentes etapas de produção”, refere o administrador da empresa, Manuel Gonçalves.

Compromisso que está devidamente formalizado  com a adesão da TMG  à United Nations Global Compact (UNGC), iniciativa das Nações Unidas de cidadania empresarial, subscrevendo os 10 princípios de Desenvolvimento Sustentável.

Famalicão Created IN - TMG_20220317_0019.jpg

PONTE DE LIMA TEM EMPRESA ESPECIALIZADA EM DESIGN DE MOBILIÁRIO PERSONALIZADO

Executivo Municipal de Ponte de Lima visitou empresa especializada no design e conceção de modelos de mobiliário personalizado

O executivo da Câmara Municipal de Ponte de Lima visitou a empresa EBEN, instalada no Polo Empresarial da Gemieira. A empresa começou a laborar há um ano em Ponte de Lima, surgindo como resposta a uma necessidade do BMA Group, radicado em Paris, desde 2006.

WhatsApp Image 2022-02-24 at 16.48.38.jpeg

A EBEN, que conta com 27 colaboradores, é uma empresa especializada no design e conceção de modelos de mobiliário personalizado.

Micael Costa, sócio-gerente da EBEN destacou que a empresa foi um projeto iniciado em 2016 “baseado na necessidade da empresa mãe, sediada em Paris, a BMA Group, responder a um mercado de fabrico sobre medida e responder, cada vez mais, à exigência dos clientes e para se diferenciar no mercado dos escritórios”. O responsável comentou ter “encontrado” em Ponte de Lima “uma oportunidade de negócio com uma mão obra local muito qualificada e um nível de engenharia capaz de responder às exigências da EBEN”.

Micael Costa, filho de um emigrante de Ponte de Lima em França, nota que o que diferencia a EBEN “é a exigência, a qualidade, a capacidade de resposta rápida, a originalidade nos processos e a forma de lidar com os clientes”.

Orgulham-se de ser “uma carpintaria, mas com algo de diferente”, especificando a “arquitetura, o design, as patentes de produtos e uma grande dimensão internacional europeia”.

Sublinhou que, neste momento, 80% da produção é destinada à exportação, estando a maioria do mercado situado em França e 20% a nível nacional.

A EBEN faturou, no último ano, um milhão de euros e perspetiva alcançar nos próximos três anos os cinco milhões de euros.

Recentemente, ganhou o concurso para a construção da sede da Google na Europa, em Paris e exporta principalmente para França, Suíça, Alemanha e Luxemburgo.

Após a visita, o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima enalteceu a existência de novos investimentos em Ponte de Lima, considerando ser “um bom sinal”.

“Não deixa de ser um sinal daquilo que têm sido as políticas económicas de atração em Ponte de Lima. Nós temos vindo, ao longo dos anos, a preencher os nossos polos industriais, estamos, neste momento, na fase de término de um polo industrial novo dedicado à indústria do granito e estamos também a iniciar a construção de um novo polo industrial na freguesia de Calvelo que contamos que possa melhorar e aumentar o tecido económico, nomeadamente no que diz respeito, também, àquilo que pode vir a ser um incentivo à qualificação de novos técnicos no concelho. Esta empresa não deixa de ser exatamente um exemplo daquilo que acontece”, afirmou Vasco Ferraz.

Para o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima “a paixão pela terra” é também “um dos motivos pelos quais” os proprietários da empresa decidiram fazer o investimento em Ponte de Lima. “Estamos a falar de uma empresa em que um dos sócios é limiano, esteve fora muitos anos, e teve todo o prazer em voltar a Ponte de Lima. Fê-lo também através do seu outro sócio, o filho, luso-descendente”, sublinhou, acrescentando que estes laços a Ponte de Lima juntamente com “as políticas de incentivo fiscal que o Município pratica”, fizeram com que a empresa se sediasse em Ponte de Lima.

A fábrica de mobiliário de alta gama situa-se no Polo Empresarial da Gemieira, onde o Município de Ponte de Lima já não tem lotes disponíveis para venda e laboram atualmente 20 empresas.

WhatsApp Image 2022-02-24 at 16.48.46 (1).jpeg

WhatsApp Image 2022-02-24 at 16.47.52 (1).jpeg

WhatsApp Image 2022-02-24 at 16.48.15 (1) - Cópia

CRESCENTE DINÂMICA DA ZONA INDUSTRIAL DE CERVEIRA MOTIVA NOVO ESPAÇO PARA ALAVANCAR RESPOSTA DO PROGRAMA QUALIFICA

Protocolo de Colaboração confere melhores condições de formação e integração social, passando o Centro Qualifica a funcionar nas instalações do Centro de Cultura de Campos.

“O envolvimento de quatro entidades em prol deste desafio é revelador da importância da aprendizagem ao longo da vida e vai auxiliar a melhoria das qualificações pessoais e profissionais, contribuindo decisivamente para a sua integração plena no mercado de trabalho, ascensão na carreira e/ou reconversão profissional, assegurando a valorização do desenvolvimento económico-social do concelho” – Rui Teixeira, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira

Consciente do papel fulcral da educação e da formação para a promoção de uma verdadeira integração social e de uma maior empregabilidade, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira está a potenciar uma ação integrada e coordenada com mais três parceiros - Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas das Muralhas do Minho (Valença), o Centro de Cultura de Campos e a União de Freguesias de Campos e Vila Meã -, de forma a contribuir para a melhoria dos níveis de qualificação da população em geral, não descurando as especificidades da grande comunidade de imigrantes existente no concelho.

Centro Qualifica 2.jpg

O Protocolo de Colaboração entre as quatro entidades, assinado, esta terça-feira, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, da Coordenadora do Centro Qualifica, Eugénia Sobreiro, do Diretor do Centro de Cultura de Campos, Mário Luís Afonso, e do Presidente da União de Freguesias de Campos e Vila Meã, Joaquim Hilário, surge como resposta às reais necessidades de alargamento da oferta formativa e educativa potenciada pelo Centro Qualifica. Esta nova dinâmica impõe um novo espaço de funcionamento, com uma capacidade de acolhimento mais flexível e que fosse próximo da área industrial, por isso, o Centro Qualifica passará a funcionar nas instalações do Centro de Cultura de Campos, permitindo acompanhar a intensa atividade laboral dos polos da Zona Industrial e impulsionar o bem-estar socioeconómico dos Cerveirenses, residentes e daqueles que escolhem Vila Nova de Cerveira para viver e trabalhar.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, “o Centro de Apoio às Empresas já não estava a garantir a logística necessária para fazer face ao número crescente de turmas e de pedidos de formações, pelo que encontramos no Centro de Cultura de Campos uma boa solução, corroborada pelo interesse e disponibilidade da sua direção”. O autarca cerveirense não tem dúvidas de que “o envolvimento de quatro entidades em prol deste desafio é revelador da importância da aprendizagem ao longo da vida e vai auxiliar a melhoria das qualificações pessoais e profissionais, contribuindo decisivamente para a sua integração plena no mercado de trabalho, ascensão na carreira e/ou reconversão profissional, assegurando a valorização do desenvolvimento económico-social do concelho”.

Além de promover formações, de desenvolver processos de reconhecimento, validação e certificação de competências e de garantir informação, orientação e encaminhamento profissional, o Programa Qualifica tem uma grande especificidade no concelho de Vila Nova de Cerveira que se prende com a comunidade de imigrantes a frequentar o curso de Português Língua de Acolhimento (PLA), nível A1 e A2.

Neste momento, cerca de 60 imigrantes a trabalhar na Zona Industrial, oriundos de países como Bangladesh, India, Paquistão e Reino Unido, estão a aprender português, numa ação de integração social que começou com uma turma de 20 pessoas e que rapidamente foi alargada a três turmas, perspetivando-se um crescimento no futuro próximo.

O presente protocolo entra em vigor a 1 de março e tem uma duração de um ano, renovável por iguais períodos.

Centro Qualifica 3.jpg

Centro Qualifica 1.jpg

TRADE PARK NASCE EM FAMALICÃO PARA SERVIR A INDÚSTRIA

Área de acolhimento empresarial em construção junto às autoestradas

O concelho de Vila Nova de Famalicão, que é líder nas exportações no norte do país, segundo dados oficiais recentemente divulgados, vai ter uma nova zona de acolhimento empresarial junto ao nó de acesso às autoestradas A3 (Porto-Valença) e A7 (Póvoa de Varzim/Vila do Conde-Vila Pouca de Aguiar), cuja comercialização está excusivamente a cargo da agência imobiliária Medium.

Trade Park Famalicão 02.jpg

Para empresas ou investidores que procuram espaços de armazém com áreas de construção até 1.018,80 metros quadrados com acesso rápido à rede de autoestradas, o Trade Park, que está a nascer em Vila Nova de Famalicão, tem a solução perfeita.

As obras do novo parque empresarial iniciaram em novembro último e estima-se que estejam concluídas em setembro de 2022.

“O Trade Park é um novo empreendimento destinado à indústria no concelho de Vila Nova de Famalicão”, explica Miguel Marques, diretor de negócios empresariais da agência imobiliária Medium, que é responsável pela comercialização do empreendimento.

O Trade Park será formado por sete armazéns para a indústria, com zona administrativa, logradouro e áreas de produção e armazenamento.

Com projeto do gabinete de arquitetura HMVN, e construção a cargo da empresa Horácio Araújo Fernandes, Lda., os novos armazéns do Trade Park estão localizados na Rua do Senhor dos Aparecidos, na freguesia de Esmeriz, junto à zona sul da cidade de Vila Nova de Famalicão, com rápidos acessos à rede de autoestradas.

O Trade Park dispõe de lotes de terreno com áreas entre 1.129,85 metros quadrados e 1.694,05 metros quadrados. A área de construção é de 720 metros quadrados a 1.018,80 metros quadrados.

“A construção do Trade Park acompanha a dinâmica empresarial famalicense e responde à procura por espaços novos”, afirma o diretor de negócios empresariais da Medium, acrescentando que “em Famalicão estão sediadas muitas empresas de referência a nível nacional e internacional, porque há fatores de localização industrial no concelho que representam vantagens competitivas”.

Trade Park Famalicão 03.jpg

Trade Park Famalicão 01.jpg

CDU EM GUIMARÃES REALÇA IMPORTÂNCIA DO SECTOR TÊXTIL E VESTUÁRIO

Os candidatos da CDU continuam a multiplicar acções de contacto com a população e os trabalhadores. Torcato Ribeiro, cabeça de lista da CDU, esteve hoje em diversas iniciativas, entre as quais na empresa têxtil Lameirinho, em Guimarães.

lameirinho.jpeg

No contacto com os trabalhadores, Torcato Ribeiro teve oportunidade de realçar a importância do sector têxtil e vestuário para o país e para a região. O candidato destacou que "Temos muitas preocupações sobre a ausência de medidas de valorização da industria nacional e acerca do aumento dos custos de contexto, entre os quais a subida dos preços da energia e dos custos a pagar à banca pelas empresas. O governo não tem agido de forma a proteger as nossas empresas, pelo contrário."

Abordando os problemas dos trabalhadores, Torcato Ribeiro destacou que "as mulheres e homens que todos os dias fazem as fábricas funcionarem merecem ver o seu esforço reconhecido. Infelizmente, muitas vezes isso não acontece. Predominam os baixos salários e são diversos os atropelos aos direitos laborais. Não é desta forma que se defende a produção nacional." 

FAMALICÃO APOIA DESCARBONIZAÇÃO DA INDÚSTRIA

Candidaturas até 29 de abril

Aviso N.º 02/C11-i01/2022

Inserido no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) estão a decorrer candidaturas de projetos no âmbito do “Apoio à Descarbonização da Indústria”, que se enquadram num conjunto de medidas que visam contribuir para o objetivo da neutralidade carbónica, promovendo a transição energética por via da eficiência energética, do apoio às energias renováveis, com enfoque na  produção de hidrogénio e outros gases de origem renovável com o apoio da digitalização, introdução de novas tecnologias ou processos de produção mais sustentáveis e  energeticamente mais eficientes, incluindo opções de circularidade, a fim de os descarbonizar.

Beneficiários

Empresas, de qualquer dimensão ou forma jurídica, do setor da indústria, categorias B - Indústrias extrativas e C - Indústrias transformadoras, da Classificação portuguesa das atividades económicas, revisão 3, bem como as entidades gestoras de parques industriais (Nos termos do  Decreto-Lei n.º 232/92 que Regula a instalação e gestão de parques industriais) cujos investimentos possam impactar a redução de emissões de gases de efeito de estufa nas  empresas do setor da indústria instaladas nas áreas sob sua gestão. Podem também candidatar-se consórcios, que traduzam simbioses industriais ao nível dos investimentos propostos, devendo cada membro do consórcio cumprir as condições mencionadas acima no que diz respeito às empresas.

Tipologia de Projetos

- Processos e tecnologias de baixo carbono na indústria

- Adoção de medidas de eficiência energética na indústria

- Incorporação de energia de fonte renovável e armazenamento de energia

Limites dos apoios

Os apoios públicos assumem a forma de subsídios não reembolsáveis, de acordo com as regras da UE em matéria de auxílios de Estado, atendendo à natureza das despesas elegíveis, à taxa de cofinanciamento, e aos limites máximos de financiamento por projeto.

As taxas de cofinanciamento são variáveis, em função do perfil do investimento, da natureza das despesas, do local do investimento, e da dimensão da empresa.

Prazo para apresentação de candidaturas

O período para a receção de candidaturas decorrerá até às 19 horas do dia 29 de Abril de 2022.

O presente aviso está disponível em:

Apoio à Descarbonização da Indústria (Aviso N.º 02/C11-i01/2022)

O Famalicão Made IN está disponível para esclarecer todas as dúvidas sobre este programa.

Solicite já a sua reunião online através do nosso site, aqui.

Se preferir, entre em contacto connosco pelo 252 320 930 ou pelo e-mail madein@famalicao.pt

FAMALICÃO MANTÉM-SE COMO MUNICÍPIO MAIS EXPORTADOR DO NORTE E TERCEIRO NO PAÍS

Município famalicense mostra ainda um saldo da balança comercial muito positivo, tendo em conta o contexto nacional e internacional marcado pela pandemia

Apesar de um ano marcado pela pandemia da Covid 19, que atirou a economia portuguesa e os seus principais parceiros comerciais para a estagnação e retrocesso, o concelho de Vila Nova de Famalicão conseguiu manter, em 2020, a posição de município mais exportador da região Norte, e o terceiro lugar como município mais exportador do país, logo a seguir a Lisboa e Palmela.

cavadave (1).jpg

A última edição do Anuário Estatístico da Região Norte, editado no final do ano, pelo Instituto Nacional de Estatística, confirma a posição de Vila Nova de Famalicão ao nível do comércio externo do país, mostrando ainda um saldo da balança comercial muito positivo, tendo em conta o contexto nacional e internacional.

A saúde da balança comercial continua assim a ser um dos fatores que merecem maior destaque, com Famalicão a conseguir o feito de apresentar um saldo positivo de 765 milhões de euros (m€), resultado de uma diferença entre as exportações (1.746.464 m€) e as importações (981.278 m€). O concelho é, desta forma, um dos municípios que mais contributo líquido dá para a economia nacional.

“Apesar da tendência de queda da economia devido à pandemia, Vila Nova de Famalicão conseguiu manter-se como um dos municípios que mais contribui para a economia nacional. Somos um território que produz, que trabalha, que não baixa os braços”, refere a propósito o presidente da Câmara Municipal, Mário Passos.

Para o futuro o autarca mantém o otimismo e acredita que “com a capacidade de resiliência e empreendedorismo dos famalicenses vamos conseguir ultrapassar as adversidades provocadas por esta pandemia e continuar no rumo da inovação e do pioneirismo industrial do país”.

No que diz respeito ao peso dos vários setores nas exportações do município, o têxtil e vestuário continua a representar a maior fatia das exportações, seguindo-se o setor dos componentes setor automóvel, metalomecânica e por fim o agroalimentar.

Entretanto, de acordo com os dados mensais preliminares do Instituto Nacional de Estatística (INE), as exportações das empresas famalicenses acumularam até novembro de 2021 um crescimento de 23,86% face ao mesmo período de 2020 e de 4,12% face a 2019, o que vem trazer um novo alento ao tecido empresarial. A nível nacional e o no que diz respeito ao setor têxtil e vestuário, as exportações acumularam até outubro um crescimento de 15,2% face ao mesmo período de 2020 e de 1,5% face a 2019.

Refira-se que a força exportadora do município famalicense é conhecida e reconhecida há várias décadas, sendo o município sede de algumas das maiores empresas nacionais. Aquela que é a principal economia do Norte de Portugal tem nas suas fileiras perto de 15 000 empresas, que representam um volume de negócios na ordem dos cinco mil milhões de euros. Destas, perto de duas mil sociedades são da indústria transformadora que dão um contributo líquido importante para as contas nacionais e para a empregabilidade do país.

cavadave (2).jpg

GALIZA SOLIDÁRIA COM MINHOTOS CONTRA A EXPLORAÇÃO DO LÍTIO

O Concello de Tomiño mostra o seu apoio aos municipios portugueses do Alto Minho contra a posible mina de litio na Serra de Arga

Instan á Xunta e ao Goberno que demanden información dunha explotación que pode afectar ao río Miño e ás zonas transfronterizas

O Concello de Tomiño, no pleno celebrado onte, mostrou o seu apoio aos municipios portugueses do Alto Minho no seu rexeitamento a posible mina de litio na Serra de Arga que o Goberno da República Portuguesa someteu a consulta pública o pasado setembro. A alcaldesa, Sandra González, destacou “a ampla oposición que existe a ambas beiras do Miño a calquera tipo de explotación na Serra de Arga que comprometa a súa conservación”, e afirmou que “Tomiño sempre estará do seu lado para conservar o medio natural da zona transfronteiriza”.

Río Miño ao seu paso por Tomiño.jpg

As áreas nas cales está prevista a prospección e pesquisa da mina de litio inclúen, entre outras, o territorio dos concellos de Viana do Castelo, Ponte de Lima, Paredes de Coura, Caminha e Vila Nova de Cerveira, neste último incluén zonas que confrontan co río Miño e co río Coura, principal afluente do Miño nesa marxe. Nestas prospeccións o equipo de Avaliación Ambiental da mina afirma que non extraerán máis de 100 toneladas, pero non deixan claro de onde se retirarán. A concelleira de Medio Ambiente, Ana Belén Casaleiro, afirma que de ser cerca dos marxes do río Miño “podería afectar de forma moi significativa á zona internacional do río”.

Por todo isto o Concello de Tomiño solicita á Xunta de Galicia e ao Goberno de España que estuden as posibles afeccións ás poboacións transfronteirizas. “Instamos a que demanden ser notificados polas autoridades portugueses para que teñan a oportunidade de pronunciarse en canto a estas actividades cerca das zonas transfronterizas”, conclúen.

Tomiño expresa as súas condolencias polo falecemento de Manuel Garcés Estévez

Antes do inicio do pleno o Concello de Tomiño expresou as súas condolencias polo falecemento do veciño e profesor, Manuel Garcés Estévez. A alcaldesa destacou que “foi un mestre querido e admirado polos seus veciños e que formou a varias xeracións de tomiñeses e tomiñesas”.

Manuel Garcés foi o mestre escollido para dar nome ao Centro Rural Agrupado de Tomiño e grazas ao coidado e mimo co que tratou todo o que tiña que ver coa escola, consérvase na parroquia de Estás a Aula Museo Abdón Alonso que garda material didáctico, bibliográfico e documental dos anos 30, dende expedientes académicos de varias xeracións até libros das Misións Pedagóxicas ou mapas da época.

“Manuel Garcés foi un exemplo de Mestre Rural con máis de cincuenta anos de profesión, a súa vida foi a escola e todo o que tiña que ver coa educación. Don Manolo, como se lle coñecía popularmente, era unha boa persoa que deixou fonda pegada na vida de centos de nenos e nenas que pasaron polas súas aulas. Vaia para a súa familia o noso pesar e o noso recoñecemento e admiración pola figura de Manuel Garcés”, destacou a alcaldesa.

JORNADAS E EXPOSIÇÃO MARCAM CENTENÁRIO DA FUNDAÇÃO DA FÁBRICA BARCELENSE

A Câmara Municipal de Barcelos vai comemorar o centenário da Fábrica Barcelense com a realização de umas Jornadas e de uma exposição documental e de equipamentos, no dia 4 de dezembro, na Biblioteca Municipal de Barcelos.

Capturarfabrbarcel.JPG

As jornadas, a decorrer a partir das 9h30, com entrada livre, contam com a participação de José Manuel Lopes Cordeiro, Coordenador Científico do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, que falará da “indústria têxtil dos vales do Cávado e Ave”; Mário Costa, professor e coordenador do livro “O Turismo em Barcelos”, que abordará o tema “um roteiro da indústria em Barcelos”, e encerrarão, da parte da manhã, com a deposição de uma coroa de flores junto ao monumento a João Duarte.

Da parte da tarde, a partir das 14h30, Gaspar Sousa Coutinho, diretor-geral da Barcelcom Têxteis, S.A., atual proprietária da Fábrica Barcelense, abordará o tema “A intemporalidade e a gestão de uma empresa familiar”, seguindo-se Cristina Calheiros, da Universidade Católica, e Aprígio Guimarães, da Universidade Nova de Lisboa, que falarão do “Desafio da Descarbonização nas cidades e contributo das empresas”.

As jornadas encerram com a inauguração de uma exposição documental e de equipamentos alusiva ao centenário da Fábrica Barcelense, no mesmo dia, às 17h. Esta mostra está patente ao público até 31 de janeiro, na Biblioteca Municipal.

Quando em 1921, João Duarte, com um grupo de amigos de Barcelos e do Porto, constituiu a sociedade por quotas que fundaria a Fábrica Barcelense, abria-se uma nova época na história da indústria, em Barcelos, pois a existente limitava-se à serração de madeiras e à cerâmica.

Em 5 de março de 1921, é feita a escritura da sociedade por quotas, “A Barcelense, Limitada”, com sede em Barcelos, no notário da cidade do Porto, Dr. Ponce de Leão, com o objetivo de exercer a indústria de artigos de passamanaria, à qual poderia agregar a de qualquer outro ramo, podendo dedicar-se ainda a qualquer comércio, exceto bancário.

A Fábrica Barcelense iniciou a sua atividade com o fabrico de rendas e passamanarias, mas os problemas que se foram deparando com a dificuldade na importação de acessórios e material de fabrico, obrigaram, em 1931, a lançar-se no fabrico de meias e peúgas, surgindo, em 1935, a secção de tinturaria. Mais tarde, foi dotada com fiação de lã, e, finalmente, em 1960, com a fabricação de malhas e confeções.

ESTALEIROS NAVAIS ADQUIRIDOS POR GRUPO BENETAU: PRESIDENTE DA CÂMARA DE VILA NOVA DE CERVEIRA, RUI TEIXEIRA, VISITOU GB PORTUGAL

Líder europeu na construção de barcos de recreio adquiriu recentemente a antiga Starfisher e prevê trazer novas empresas para Cerveira.

O autarca cerveirense Rui Teixeira visitou os estaleiros navais da GB Portugal, antiga Starfisher, recentemente adquiridos pelo Grupo Benetau – líder europeu na construção de barcos de recreio. Acompanhado pelo Gerente Michel Delagarde, pelo Diretor de Produção, Jean-Paul Chapeleau, pelo Diretor Industrial, Corrado Capellano e pela Diretora de Recursos Humanos da empresa, Ana Maria Oliveira, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira teve a oportunidade de avaliar a possibilidade de sinergias a desenvolver entre as entidades.

estaleirvnc.jpg

O Grupo Benetau tem como objetivo crescer no mercado português, onde prevê duplicar o número de funcionários nesta unidade, aumentando desta forma a capacidade de produção. Um aumento que se figurará fundamental para o desenvolvimento do tecido empresarial, uma vez que será um atrativo para a implementação de outras empresas de setores complementares em Cerveira. Porém, consideram que para a contratação de mão de obra qualificada é necessário apostar em formação nas áreas de eletricidade, carpintaria, laminadores, entre outras.

A antiga Starfisher, localizada em Campos, Vila Nova de Cerveira emprega, atualmente, 200 colaboradores e tem como propósito projetar barcos a motor com comprimentos que variam de 6 a 14 metros em linhas, cruzeiro, passeio de pesca, aberto e externo. O estaleiro conta com 15.000 m2 de armazéns cobertos numa área total de 50.000 m2.

Com uma história de mais de um século, o grupo francês foi fundado pela família Benetau em 1884, em França. 100 anos depois foi cotado em bolsa, mantendo-se 56% do capital na família. Com um crescimento sustentado e baseado em aquisições, encontra-se atualmente a laborar em França, Estados Unidos, Polónia, Itália e Portugal apresentando um volume de negócios de cerca de 1,2 biliões de euros. O grupo é composto por 17 marcas, que empregam 7600 colaboradores, sendo a principal atividade a produção de barcos, embora produzam também casas modulares e prestem outros serviços complementares sem nunca descurar a responsabilidade social e ambiental e as questões de segurança.

Visita GB Portugal (1).jpeg

Visita GB Portugal (2).jpeg

PONTE DE LIMA: CALVELO VAI TER POLO INDUSTRIAL

Assinado Auto de Consignação da Empreitada do Polo Industrial de Calvelo, pelo valor de 2 468 622,08€

O futuro espaço industrial a instalar na rua do Couto, na freguesia de Calvelo,  vai abranger uma área total de 141.673,0 m2, dispondo de 42 lotes.

Polo_industrial_de_calvelo_1_1024_800.jpg

O Auto de Consignação foi assinado entre a Câmara Municipal e a empresa Armindo Fernandes Gomes Lda., representando um investimento no valor total de 2 468 622,08€ do Orçamento Municipal, tendo sido submetido a uma candidatura, no âmbito do Programa Norte 2020.

Os lotes destinam-se à instalação de indústrias ou serviços. O Município de Ponte de Lima, como entidade gestora, coordena a prestação de serviços comuns no interesse direto dos operadores económicos a instalar nesta nova área industrial, sendo da sua competência o licenciamento de construção e de utilização.

O Loteamento Industrial de Calvelo, à semelhança do Pólo Industrial da Gemieira, do Pólo Industrial e Empresarial da Queijada, do futuro Polo Industrial do Granito, direcionado para a exploração do granito; vem dar continuidade e fortalecer o propósito do Município de Ponte de Lima, de incrementar a atividade económica no concelho, promovendo uma dinâmica capaz de atrair investimento para o território, assim como a fixação empresas e trabalhadores.

O prazo de execução da empreitada é de 22 meses.

FAMALICÃO: MOVIMENTAÇÕES OPERÁRIAS EM DESTAQUE NO III CICLO DE CONFERÊNCIAS DO MUSEU DA INDÚSTRIA TÊXTIL

Museu da Indústria Têxtil recebe conferências nos dias 16 de outubro, 13 de novembro e 11 de dezembro

Subordinado ao tema «Percursos e memórias: Indústria e operariado nos séculos XIX – XX», o III Ciclo de Conferências do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave (MITBA) decorre ao longo do último trimestre de 2021, com três sessões, divididas pelos dias 16 de outubro, 13 de novembro e 11 de dezembro. Cada uma delas decorre ao sábado à tarde, a partir das  15h00, no MITBA, e inclui a visita guiada a uma unidade museológica famalicense no final da conferência.

AFR_3687.jpg

Tendo como pretensão apresentar alguns dos aspetos mais significativos das movimentações operárias ocorridas na Bacia do Ave naqueles séculos, entre os assuntos abordados serão apresentadas reflexões sobre as lutas reivindicativas do operariado, a questão do trabalho feminino na indústria têxtil e a primeira grande greve operária da região.

O ciclo de conferências inicia com Paula Ramos Nogueira, do Centro de Física da Universidade de Coimbra, a explorar o tema «Mulheres de Fábrica – Apontamentos sobre a feminização da indústria têxtil em Guimarães», a 16 de outubro, que inclui, no final, a visita ao Museu do Automóvel, em Ribeirão.

Já a segunda sessão, a 13 de novembro, terá como assunto «As lutas reivindicativas do operariado bracarense durante a I República (1910-1926)», e contará com a presença de Débora Duarte Val Escadas, doutoranda da Universidade do Minho. Desta vez, a visita será ao Núcleo de Lousado do Museu Nacional Ferroviário.

A terceira, e última conferência, prossegue os estudos das lutas operárias, com «As lutas dos operários têxteis da Bacia do Ave, 1956 -1974», tema que será explorado por José Manuel Lopes Cordeiro, Coordenador Científico do MITBA e professor na Universidade do Minho. A derradeira visita do ciclo, será ao museu anfitrião do Ciclo de Conferências.

Refira-se que as sessões são abertas ao público em geral, sendo necessária inscrição prévia, gratuita, através do link: https://bit.ly/cicloconferenciasmitba. O evento está acreditado pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua, na modalidade de Curso de Formação, para professores, com a duração de 10 horas.

Para mais informações, consulte: www.museudaindustriatextil.org

DSC_4807_2.jpg

VIANA DO CASTELO: “GIL EANNES – O ANJO DO MAR” – UM LIVRO DE JOÃO DAVID BATEL MARQUES EDITADO PELA FUNDAÇÃO GIL EANNES

“Gil Eannes – O Anjo do Mar” é a mais recente obra do escritor João David Batel Marques, o mesmo autor da coleção “A Pesca do Bacalhau”. Trata-se de uma edição bilingue – em Português e Inglês – com excelente apresentação gráfica e profusamente ilustrada, que transporta o leitor a uma época cuja missão do navio consistia em prestar apoio à frota bacalhoeira nos mares da Terra Nova e Gronelândia.

GilEannesAnjoMar (2).jpg

Qual “Anjo do Mar”, com os costados de branco vestidos, o navio Gil Eannes irrompia por entre as brumas, como um ano emergindo das águas gélidas, acudindo aos pescadores nas horas mais difíceis e temidas.

O Navio-Hospital Gil Eannes foi construído nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo em 1955. Navegou em muitos mares cumprindo as mais variadas missões. E, quando o seu destino já parecia traçado, eis que os vianenses se uniram e resgataram ao seus destino inglório de ser transformado num monte de sucata. E, em Janeiro de 1998, o navio regressou à cidade onde foi construído – Viana do Castelo!

José Maria Costa – Presidente da Fundação Gil Eannes – descreve com satisfação o acolhimento do navio Gil Eannes: “Em Viana do Castelo, temos o privilégio de acolher, na nossa antiga doca comercial, um navio que representa uma parte importante da história da nossa cidade e até do nosso país”.

O navio Gil Eannes tornou-se entretanto um importante pólo museológico, exemplar único de um navio hospital onde, por vezes através de delicadas intervenções cirúrgicas, foi possível salvar numerosas vidas de quem, na faina do mar, ousava enfrentar as situações mais perigosas para garantir um dos alimentos que durante muitas décadas foram o principal sustento do povo português.

Gil-Eannes-Viana-do-Castelo-1.jpg

EMPRESA DE FAMALICÃO PRODUZ COMPONENTES EM PLÁSTICO INJETADO

Injex certificada para a indústria automóvel mundial

A Injex, empresa especializada na produção de componentes técnicos em plástico, obteve uma certificação internacional que lhe permite entrar nas listas de fornecedores regulares dos fabricantes de automóveis.

A equipa Injex .JPG

A equipa Injex

Com sede em Vila Nova de Famalicão, a Injex, que desenvolve e produz peças em plástico injetado, foi certificada de acordo com o referencial IATF 16949, que é obrigatório no mercado exigente e competitivo em que se enquadram os fabricantes da indústria automóvel e os seus fornecedores.

“É um momento de grande alegria, que consolida a Injex como fabricante de peças para a indústria automóvel mundial, de acordo com as exigências mais avançadas do setor”, afirma José Duarte Pinheiro de Lacerda, fundador e CEO da empresa.

“Hoje podemos dizer aos nossos ‘stakeholders’ que o sistema de gestão da qualidade da Injex se encontra num plano altamente especializado, de acordo com os mais elevados padrões da indústria automóvel mundial”, acrescenta Pinheiro de Lacerda, informando que se trata de uma condição que coloca a fábrica de Vila Nova de Famalicão “num grupo muito restrito de empresas no contexto da totalidade dos fabricantes e fornecedores da indústria automóvel em Portugal”.

A IATF (The International Task Force), entidade que auxilia a indústria automóvel a desenvolver produtos de qualidade, lançou a sua primeira edição da IATF 16949 em outubro de 2016. Estabelecendo o padrão para um sistema de gestão da qualidade avançado no setor automóvel, a IATF 16949:2016 substitui a norma ISO/TS 16949.

A certificação IATF 16949:2016 – que está alinhada com a norma ISO 9001, respeitando a sua estrutura e requisitos –, harmoniza a avaliação e a certificação em toda a cadeia de fornecimento automóvel global, garantindo que os detentores da certificação adotam sistemas de gestão da qualidade orientados para a melhoria contínua, para a redução de variações na produção e do desperdício, bem como para o foco na prevenção de defeitos, numa perspetiva global e ao longo de toda a cadeia de valor.

Uma empresa da indústria automóvel que procure a certificação IATF 16949 também deve cumprir com a ISO 9001, que a Injex começou a cumprir em 2008 – cinco anos após a fundação da empresa.

Desde então, desenvolveu-se a relação comercial da Injex com a indústria automóvel, que agora se consolida com a certificação IATF 16949.

Para chegar até aqui, a Injex percorreu um longo caminho, tendo ultrapassado os diferentes níveis de geração de valor, designadamente a produção de componentes, a construção de moldes, o desenvolvimento de processos, o estudo e design de produtos, a impressão 3D, o produto certificado (serviço de certificação finlandês) e o crescimento contínuo das exportações.

A trabalhar há muitos anos para o setor automóvel, a Injex produz anualmente milhões de peças para diversas marcas, nomeadamente a Peugeot, Alfa Romeo, Jaguar, Volkswagen, Audi e Mercedes Benz.

José Duarte PInheiro de Lacerda _ fundador e CEO

José Duarte Pinheiro de Lacerda, fundador e CEO da Injex