Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

TERRAS DE BOURO EDITA BOLETIM MUNICIPAL - CLIQUE NA IMAGEM!

161_page-0001.jpg

Edição nº 161 do Boletim Informativo da Câmara Municipal de Terras de Bouro

A Câmara Municipal de Terras de Bouro já colocou à disposição dos munícipes, na sua página eletrónica, a sua mais recente publicação informativa. Trata-se de uma edição trimestral, alusiva, neste caso, ao terceiro trimestre de 2020 e que tem como principal finalidade divulgar as principais atividades do município, assim como prestar as mais diversas informações relacionadas com os vários serviços municipais.

PONTE DE LIMA E AS AMEIAS DA PONTE MEDIEVAL

No início da década de 80 do século passado, ainda as ameias da ponte medieval de Ponte de Lima encontravam-se parcialmente soterradas no leito do rio Lima mas visíveis de quem as observava a partir da ponte. Algumas ameias porque a maioria delas desapareceram porque foram removidas ou permanecem em local mais profundo.

150526432_1531380610385912_7842897266705618724_n.j

Não passaram despercebidas ao autor destas linhas, à época colaborador do semanário “Cardeal Saraiva” que ao tema deu em 1982 o devido destaque… em primeira página!

Alguns anos depois, o Município de Ponte de Lima recuperou estes pedaços da História do concelho limiano e devolveu-as ao seu devido lugar. Foi um exemplo a seguir do que deve ser feito para a preservação do nosso património!

TERRAS DE BOURO EDITA BOLETIM MUNICIPAL - CLIQUE NA IMAGEM!

A Câmara Municipal de Terras de Bouro já colocou à disposição dos munícipes, na sua página eletrónica, a sua mais recente publicação informativa. Trata-se de uma edição trimestral, alusiva, neste caso, ao terceiro trimestre de 2020 e que tem como principal finalidade divulgar as principais atividades do município, assim como prestar as mais diversas informações relacionadas com os vários serviços municipais.

- Boletim Municipal Nº161 (https://bit.ly/3s0lUol)

150131873_1532114256990976_1617911873665955330_o.j

AMARES LANÇA NOVA EDIÇÃO DO BOLETIM CULTURAL - CLIQUE NA IMAGEM!

“Nenhuma terra vive sem cultura”. É desta forma que Isidro Araújo, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Amares, inicia o texto de apresentação do segundo número do Boletim Cultural de Amares. “A cultura é tudo aquilo que somos hoje e que nos identifica enquanto membros desta comunidade. É por isso importante também avivar essa dimensão de valores, de presente e de passado, que nos fazem aquilo que somos hoje”, continua o vereador, convidando os amarenses a usarem e a usufruírem da obra agora publicada.

145724509_3668260136601097_5944295614274199472_n.p

Com 160 páginas, a publicação divide-se em 17 capítulos, com destaque para Francisco de Sá Miranda, considerado o introdutor no nosso país do verso decassílabo, e que viveu em Amares com a sua família, e onde se encontra sepultado, na freguesia de Carrazedo. O estudo da vida e obra de Francisco de Sá de Miranda está no cerne do Centro de Estudos Mirandinos, recentemente criado pela Câmara Municipal de Amares, e que tem como propósito afirmar-se enquanto polo de referência na investigação e divulgação do poeta do Neiva. O Boletim Cultural apresenta uma entrevista ao diretor do CEM, Sérgio Guimarães de Sousa, e à investigadora Marcia Arruda Franco, que é professora de Literatura Portuguesa na Universidade de São Paulo, e estudiosa da obra de Sá de Miranda e de outros autores quinhentistas.

Vergílio Alberto Vieira, considerado o “poeta maior de Amares”, e cuja sua obra se encontra editada em Espanha, Bulgária, Egito, Moçambique e Brasil, é também recordado neste Boletim, numa altura em que assinala 50 anos de vida literária, enquanto poeta, crítico literário e autor de obras para crianças.

A Abadia, sobre a qual o Município de Amares publicou recentemente um livro, é outro dos capítulos abordados nesta segunda edição do Boletim Cultural de Amares, que inclui uma entrevista ao Juiz da Confraria da Nossa Senhora da Abadia, Carlos Portela.

Os 75 anos do final da II Guerra Mundial, assinalados em 2020, também não foram esquecidos nesta obra, com Jorge Brandão, da Biblioteca Municipal de Amares, a assinar o capítulo “Por Amares, os livros Holocausto: a leitura contra o esquecimento”, com sugestões de diversos livros com a temática do Holocausto.

De referir que o Boletim Cultural de Amares foi lançado no ano passado, com periodicidade anual, e pretende dar voz à história, ao património e à cultura de Amares. No fundo, como escreve Isidro Araújo na edição inaugual, “dar voz àquilo que somos e à alma qe temos”.

O Boletim Cultural de Amares pode ser consultado na Biblioteca Municipal de Amares ou on-line, através do website da autarquia.

ESCRITOR ALEXANDRE VIEIRA – MINHOTO POR ADOPÇÃO – DECLAROU-SE UM AMANTE DO FOLCLORE DA NOSSA REGIÃO!

Em artigo publicado no jornal monçanense “Terra Minhota” na sua edição de 19 de Julho de 1959, o jornalista e escritor Alexandre Vieira declara-se minhoto – não por nascimento mas por adopção – e tece considerações acerca do folclore e da Casa do Minho, em Lisboa.

Fonte: Fundação Mário Soares

terraminhoalexvieirfms.png

JANUÁRIO BARBEITOS: UM MONÇANENSE INESQUECÍVEL!

As imagens reproduzem o que terá sido um rascunho de texto de Alexandre Vieira, para o livro Figuras Gradas, intitulado "Januário Barbeitos (Um Monçanense inesquecível)".

O livro de Alexandre Vieira "Figuras gradas do movimento social português" foi publicado em 1959 numa edição do autor. Este documento trata-se, provavelmente, de um rascunho para o segundo volume de Figuras Gradas que Alexandre Vieira teria em preparação pouco antes de morrer.

Fonte: Fundação Mário Soares

fmsalexvieirabarbeitos (1).png

fmsalexvieirabarbeitos (2).png

JANUÁRIO BARBEITOS: UM MONÇANENSE QUE FOI UM DESTACADO MILITANTE LIBERTÁRIO

BNP N61 CX08 F001.jpg

So o título “Sucumbiu um Homem dinâmico”, publicou o escritor e jornalista Alexandre Vieira no jornal “A Terra Minhota”, na sua edição de 31 de Agosto de 1968, um artigo sobre o falecimento do monçanense Januário Barbeitos, também ele um destacado militante anarco-sindicalista. O artigo vem ilustrado com uma imagem de um almoço da lampreia na Casa do Minho, em Lisboa, na qual esteve presente.

Capturarfmscinholamp.PNG

A foto que acima reproduzimos é da autoria do fotógrafo profissional Alfredo Ferreira, também ele curiosamente simpatizante libertário. Foi por ele entregue ao Arquivo Histórico-Social, criado pelo Centro de Estudos Libertários, reunido em Lisboa nos anos 1980-1987 e depositado na Biblioteca Nacional, o qual foi depois doado a esta instituição e posteriormente acrescentado de mais alguns espólios e doações.

Fontes: Biblioteca Nacional / Fundação Mário Soares

fmsbarbeitos1.png

CHAMADA DE ARTIGOS PARA A REVISTA "ESTUDOS REGIONAIS" (Nº. 15, 2021)

O Centro de Estudos Regionais publicará, no final do segundo semestre de 2021, o 15º volume (2ª série), da revista Estudos Regionais. Trata-se, considerando a primeira série, da 40ª edição desta publicação periódica. 

O Centro de Estudos Regionais aceita a receção de resumos de artigos ou propostas de recensão até ao dia 15 de fevereiro de 2021. Os textos a propor (estudos, ensaios, notas de investigação, recensões e leituras), devem enquadrar-se no domínio das Ciências Sociais e Humanas. Será dada preferência a temas relacionados com a região do noroeste de Portugal. A comunicação da aceitação dos artigos propostos ocorrerá até ao dia 1 de março de 2021, após apreciação pela Equipa Redatorial e Coordenação Científica. As normas da revista podem ser consultadas na edição nº 14 (2020), nas páginas 229 e 230, ou no sítio www.cer.pt.

A Direção do Centro de Estudos Regionais

Viana do Castelo, 6 de janeiro de 2021

134990288_3659334717422290_6882969305107353457_o.j

MUNICÍPIO DE TERRAS DE BOURO HOMENAGEIA JORNAL "GERESÃO" E O SEU FUNDADOR DR. AGOSTINHO MOURA

O Município de Terras de Bouro disponibiliza a edição n.º 326 do jornal Geresão como forma de homenagem a este meio de comunicação social que apareceu nas bancas, pela primeira vez, em dezembro de 1990. Com este gesto, a autarquia e a Dr.ª Cláudia de Moura pretendem enaltecer o trabalho empenhado do Dr. Agostinho Moura na causa pública e o seu indiscutível contributo na valorização e promoção da vila do Gerês.

CA 9874 Jornal Geresao 326_page-0001.jpg