Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

RÁDIO DO FOLCLORE PORTUGUÊS (RFPTV) TRANSMITE AMANHÃ SOBRE AS VINDIMAS

Aos domingos das 10 às 12h, Sérgio da Fonseca, leva em directo aos ouvintes na Radio do Folclore Português online e em directo no Facebook o Programa "O Povo e a Música", onde se procura mostrar as raízes e a musica tradicional portuguesa.

53841500_1317008355119969_7275912020921155584_n.png

Cada programa é temático e o tema de amanhã são as vindimas.

José Alberto Gonçalves da Madeira e José Brito de Lisboa, trazem-nos a suas crónicas alusiva ao tema. Todos os domingos, também temos um grupo folclórico convidado. Caberá amanhã a vez ao Rancho Folclórico de Paranhos.

Pode acompanhar a emissão em directo aqui e aqui.

REVISTA "EVASÕES" DESTACA BACALHAU DE CEBOLADA EM PONTE DE LIMA - CLIQUE NAS IMAGENS!

Ponte de Lima: este fim de semana é dedicado ao bacalhau

São mais de 80 os restaurantes aderentes a este fim de semana gastronómico dedicado ao bacalhau, em Ponte de Lima.

30956997_WEB_44166167_20180405_GONCALODELGADO_03117_WEB-960x640_c (1).jpg

O bacalhau com cebolada é um dos pratos típicos da vila minhota. Normalmente, era o prato de destaques nas feiras quinzenais. E neste fim de semana – de 1 a 3 de março – será o prato de destaque em vários espaços.

O Fim de semana Gastronómico do Bacalhau de Cebolada inclui também um programa cultural, com muita animação de rua. Haverá estátuas vivas, dupla de andas que andará pelas ruas com roupa de pescadores, magia de rua temática, e o Bacalhau TV, que terá dois jornalistas vestidos de marinheiros a fazer reportagens e diretos.

Haverá também Encontro Concelhio de Bombos, no domingo, às 10 horas e durante a tarde, a partir das 15 horas realiza-se o tradicional Desfile da Tradição com todos os Grupos Folclóricos.

Fonte: https://www.evasoes.pt/

Fotografia de Gonçalo Delgado/Global Imagens

transferirevas (1).jpg

30957041_WEB_44166235_20180405_GONCALODELGADO_03138_WEB-960x640_c.jpg

bacalhau_de_cebolada_1__9253223315645bb499d2e5-960x640_c.jpg

TERRAS DE BOURO PUBLICA REVISTA MUNICIPAL

Edição nº 154 do Boletim Informativo da Câmara Municipal de Terras de Bouro

A Câmara Municipal de Terras de Bouro já colocou à disposição dos munícipes, na sua página eletrónica, a sua mais recente publicação informativa.

Trata-se de uma publicação trimestral, alusiva, neste caso, ao quarto trimestre de 2018 e que tem como principal finalidade divulgar as principais atividades do município e dar as mais diversas informações relacionadas com os vários serviços municipais.

CAPAtttbbbour.jpg

MUNICÍPIO ARCUENSE CELEBRA PROTOCOLO COM RÁDIO VALDEVEZ E RÁDIO COMERCIAL

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez celebrou recentemente um protocolo com a Rádio Valdevez e a Rádio Comercial no sentido de reforçar o sinal FM destas duas estações.

20190222_125555.jpg

O Município é proprietário do retransmissor de Teledifusão Analógica do Alto do Facho (Gião2) e, tendo em consideração o interesse desta infraestrutura para utilização como equipamento de emissão da Rádio Valdevez, de modo a assegurar uma maior cobertura e nível concelhio e regional, bem como para o reforço do sinal de radiodifusão da Rádio Comercial na região, cedeu, em regime de comodato, pelo prazo de 10 anos, à Rádio Valdevez o uso da referida infraestrutura.

Com este protocolo, a Câmara Municipal está também a pensar nos ouvintes destas Rádios, já que a partir de agora os seus sinais chegarão mais longe e a emissão terá mais qualidade.

REVISTA “A BARROSANA” PUBLICA ARTIGO DO BLOQUE DO MINHO ACERCA DA VILA DE SALTO

Acaba de ser publicada a edição de Março da revista “A Barrosana” que pode ser lida aqui, número que transcreve o artigo publicado no BLOGUE DO MINHO sob o título “Vila de Salto – Concelho de Montalegre – é terra minhota e deveria ser devolvida a Cabeceiras de Basto”.

Fundado e dirigido por Domingos Chaves, a revista A BARROSANA, "tem como objectivo principal, promover e divulgar o concelho de Montalegre, o seu património, a sua língua, as características e valores da sua cultura, bem como valorizar as obras, os homens e mulheres da região e toda a área geográfica onde se insere".

CapturarBarrosania1.PNG

CapturarBarrosania2.PNG

FAMALICÃO ACOLHE SEMINÁRIO INTERNACIONAL PARA DEBATER COMUNICAÇÃO MUNICIPAL

Iniciativa arranca amanhã, quinta-feira, pelas 09h30, na Casa das Artes

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Omnisinal - Comunicação e Tecnologias de Informação, Lda. convidam os órgãos de comunicação social para a sessão de abertura do seminário internacional Comunicação Municipal - Desafios e Tendências Inovadoras, que se realiza amanhã, quinta-feira, pelas 09h30, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

Dezenas de autarcas de todo o país vão participar no seminário que, ao longo dos dois dias, vai discutir os desafios e as tendências da comunicação municipal, nomeadamente o fenómeno das "fake news".

A iniciativa destina-se aos responsáveis e técnicos de gabinetes de comunicação e interessados em comunicação autárquica a quem cabe estar preparado para os novos desafios da comunicação municipal.

Segundo a organização, este ano, o número de inscritos ultrapassou as expectativas, tendo até sido recusado um número significativo de participantes por falta de capacidade da sala. Entre os 130 participantes estão inscritos vereadores, vice-presidentes e chefes de gabinetes de municípios de todo país.

O tema das fake news vai ser discutido no primeiro dia de seminário, que reúne investigadores ligados às universidades de Porto, Minho, Católica do Rio de Janeiro e Barcelona.

Na quinta-feira, o seminário, o vigésimo nono em 18 anos, abordará as seguintes temáticas: "A comunicação e as fake news", "Inovação na Comunicação e marketing digital", "Spin Doctoring nas autarquias", "Do storytelling ao framing, da mensagem à comunicação por processos", "Brasil: as mudanças na comunicação com a eleição do Presidente Bolsonaro" e "Os chefes de gabinete e os assessores na comunicação municipal".

O primeiro dia termina com uma tertúlia sobre "Os novos desafios e as tendências inovadoras na comunicação municipal".

Já na sexta-feira, Carlos Magno, fala da regulação da imprensa municipal, a partir da sua experiência como presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).

O colóquio termina na manhã de sexta-feira, mas para a tarde, como programa complementar, é dada a possibilidade de os participantes visitarem a Casa Museu de Camilo Castelo Branco, em S. Miguel de Seide, tendo assegurado o transporte e a visita guiada.

GUIMARÃES ASSINALA DIA MUNDIAL DA RÁDIO

Curtir Ciência | Conversas sobre a rádio em Guimarães

A primeira rádio de Guimarães surgiu em 1969. Muitos anos depois, as rádios locais enfrentam muitos desafios. No Dia Mundial da Rádio, no Curtir Ciência, falou-se do passado, do presente e do futuro. Uma verdadeira aula de comunicação dada por Américo Simões, Diretor de Programas da Rádio Santiago, a uma plateia maioritariamente composta por alunos da Escola Profissional Cisave.

image001curtcien.jpg

Américo Simões, perante uma plateia maioritariamente composta por alunos do Curso de Comunicação da Escola Profissional Cisave, descreveu o seu percurso de 35 anos ligado a este meio de comunicação, recordou o período áureo das rádios locais (“piratas”) em Guimarães, marcado pelo surgimento de várias estações (Fundação, Guimarães, Nova Guimarães, Santiago – que esteve para se chamar Rádio Foco) e referiu-se aos novos desafios.

DSC_4849 (1).JPG

O surgimento da televisão abalou o domínio da rádio como meio de comunicação por excelência, mas não levou ao seu desaparecimento, ao contrário do que muitos previram. Geração após geração, a rádio continua a ser o meio de contacto regular e permanente, agora também através da internet. Ela adaptou-se às evoluções tecnológicas e continua a ser uma plataforma de debate e comunicação, de promoção cultural e de informação.

“Quando surgiu o canal de televisão MTV, nos anos de 1990, caracterizado pela exibição em contínuo de videoclips de música, muitos vaticinaram a morte da rádio. Aliás, nessa altura um dos êxitos musicais dizia mesmo “vídeo killed the radio star”. Mas a rádio continua, enfrenta novos desafios e problemas, mas acho que enquanto houver necessidade de as pessoas terem as mãos no volante do carro, haverá sempre quem ouça rádio”, referiu Américo Simões. 

A concluir, Américo Simões fez questão de sublinhar que o meio rádio “tem muito de vocação”, mas que ela sozinha não chega. “A formação é muito importante. Cada um de vocês deve tentar ser o melhor nas respetivas áreas e isso só se consegue com esforço e formação”.

DSC_4857.JPG

MANUEL JOÃO BARBOSA: A SUA DEDICAÇÃO À CAUSA DO FOLCLORE É MERECEDORA DA NOSSA MAIS SINCERA HOMENAGEM!

A notícia é do Diário de Notícias e data de 5 de Setembro de 2009. Mas, apesar do tempo decorrido, não podiamos ficar indiferentes. Já na década de 70 do século passado, Manuel João Barbosa deu ao folclore a revista “Folclore” pelo que é mais do que justa esta singela homenagem que deveria servir de mote para o seu reconhecimento por parte de todo o movimento folclórico nacional.

22539957_1589082811135382_7378975878210874112_n

O caso raro de um jornal que defende o folclore

'Jornal do Folclore' sobrevive  há 13 anos com mais de duas mil assinaturas e o suor e as  palavras de um só homem.

Manuel João Barbosa é uma figura incontornável do folclore, em Portugal. Porque é proprietário, director, repórter, secretário, o faz-tudo do Jornal do Folclore, a única publicação portuguesa especializada. No país? "Não há no País, e creio que em todo o mundo, outra publicação que trate o tema folclore", conta ao DN, a partir de Santarém e entre escalas, como sempre - preparava-se para ir cobrir o Festival Internacional dos Açores.

"Em contacto com responsáveis de muitas formações estrangeiras, a informação que temos é que nenhum país tem qualquer publicação que trate a cultura popular", complementa. O primeiro número do jornal de Manuel João "saiu a 1 de Março de 1996" e, daí para cá, foram mais de "treze anos de publicação regular e ininterrupta".

E por força desta "carolice", como admite, Manuel João é um papa-léguas com "dezenas de milhares de quilómetros por ano". Multiplique-se por 13, então.

Com a ajuda pontual de duas ou três pessoas, Manuel João dirige, faz existir, no fundo, uma publicação com pretensões de, "não só informar", "mas também de formar, procurando oferecer aos grupos de folclore indicações úteis para o desenvolvimento de um trabalho de orientação acertada de representação etnográfica e folclórica".

Um tema difícil num país em que pintar uns trajes e subir o volume dos sistemas de som, normalmente, chega para o objectivo-mor: o aplauso.

Arriscando que o Jornal do Folclore "é um projecto arredado de interesses comerciais", é preciso pagar gráfica, viagens, internet, luz... Como? "[Com] uma considerável rede de assinantes", que ultrapassa as duas mil - o jornal custa 1,50€ por edição (mensal).

51062819_2158538231130373_3968301807272198144_n.jpg

EURODEPUTADO INÁCIO FARIA PROMOVEU REUNIÃO SOBRE DIABETES NO PARLAMENTO EUROPEU

O Eurodeputado José Inácio Faria, eleito pelo Movimento Partido da Terra e inscrito no Grupo do Partido Popular Europeu (PPE), reuniu anteontem no Parlamento Europeu, cerca de duas dúzias de especialistas sobre a Diabetes.

07022019-1.jpg

Entre os participantes no evento, técnicos da OMS (Organização Mundial de Saúde), profissionais do sector, designadamente médicos, nutricionistas, enfermeiros e farmacêuticos, para além de estudantes e indústrias alimentares.

Para o parlamentar natural de Viana do Castelo, o assunto é premente daí a convocação para o discutir em Bruxelas, mormente como membro da comissão de Saúde Pública, Segurança Alimentar e Ambiente.

José Inácio Faria elencou políticas necessárias para “melhor controlo da diabetes”, como exemplo, o sinalizar as embalagens , a aposta em produtos de baixo teor glicémico e a importância da nutrição para a doença.

Com a concretização de mais estas propostas podem-se evitar mortes, melhorar a qualidade dos cuidados médicos e reduzir complicações a longo prazo. A preocupação é constante e necessita de maior intervenção no mundo, pois segundo estudos realizados, em 2015, havia 415 milhões de cidadãos portadores de diabetes; no ano seguinte, estatísticas realizadas para Portugal, registaram quase 1 milhão de habitantes vítimas da doença, dos quais três mil casos eram de prevalência.

Da assembleia surgiu também a ideia de uma maior cooperação com prestadores de cuidados de saúde na Europa, o concentrar de conhecimentos, legislar sobre escolhas alimentares mais saudáveis, melhoria da composição de produtos alimentares e alertas à população para outros com elevado valor de gorduras saturadas em açúcar e sal.

Tito Morais / https://www.luso.eu/