Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ASSOCIAÇÃO DE HOTÉIS DE PORTUGAL REALIZA CICLO DE CONFERÊNCIAS

Sobre a Associação de Hotéis Rurais de Portugal

A Associação de Hotéis Rurais de Portugal (AHRP) desenvolverá, em diversas regiões de Portugal, um ciclo de conferências integrado no Projeto HRP Global, apoiado pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização e de participação gratuita. Tendo por público alvo os proprietários e gestores de hotéis rurais e de outros empreendimentos de Turismo no Espaço Rural, empresas de animação turística, entidades públicas e privadas do setor, docentes e estudantes da área de ensino de turismo e jornalistas, a AHRP disponibilizará um conjunto diversificado de temas, incentivando ao debate, à discussão de soluções e desafios para o setor, assim como preparar, direcionar e mobilizar os agentes de Turismo no Espaço Rural para os mercados internacionais.

P1033907 (1)

Fundada em 2007, a Associação de Hotéis Rurais de Portugal tem como principal objetivo a representação e promoção do Turismo Rural e Hotéis associados.

A sua missão é a de promover e divulgar os Hotéis Rurais de Portugal a nível nacional e internacional, potenciando o valor turístico de cada região.

Além da promoção, a Associação de Hotéis Rurais de Portugal também atua na área da qualificação e formação destas unidades com o objetivo de elevar os seus níveis de serviço para padrões de excelência, de forma, a corresponder às expectativas dos mercados-alvo. A visão da AHRP é a de representar todos os Hotéis Rurais de Portugal e unidades do TER, representando-os junto da tutela e entidades governamentais, defendendo e garantindo as suas necessidades e aumentando a sua representatividade na economia nacional. Atualmente são associados da AHRP 157 unidades hoteleiras distribuídas pelo Algarve, Alentejo, Lisboa e Vale do Tejo, Centro, Norte e Região Autónoma da Madeira.

A Associação de Hotéis Rurais de Portugal (AHRP) desenvolverá, em diversas regiões de Portugal, um ciclo de conferências integrado no Projeto HRP Global, apoiado pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização e de participação gratuita. Tendo por público alvo os proprietários e gestores de hotéis rurais e de outros empreendimentos de Turismo no Espaço Rural, empresas de animação turística, entidades públicas e privadas do setor, docentes e estudantes da área de ensino de turismo e jornalistas, a AHRP disponibilizará um conjunto diversificado de temas, incentivando ao debate, à discussão de soluções e desafios para o setor, assim como preparar, direcionar e mobilizar os agentes de Turismo no Espaço Rural para os mercados internacionais. Já no segundo painel as intervenções focaram-se no património natural, abordando-se os temas “As marcas naturais do território", por Manuel Sousa, docente do ISAG Porto e “A gestão sustentável dos recursos naturais, uma oportunidade de negócio?”, por Paulo Valadas Castro, Federação Europeia de Parques Nacionais e Naturais.

P1033916 (1)

FAFE ACOLHEU CONFERÊNCIA INTERNACIONAL “DESAFIOS PARA O TURISMO EM ESPAÇO RURAL”

Sobre a Associação Hotéis Rurais de Portugal

Fundada em 2007, a Associação de Hotéis Rurais de Portugal tem como principal objetivo a representação e promoção do Turismo Rural e Hotéis associados.

A sua missão é a de promover e divulgar os Hotéis Rurais de Portugal a nível nacional e internacional, potenciando o valor turístico de cada região.

Além da promoção, a Associação de Hotéis Rurais de Portugal também atua na área da qualificação e formação destas unidades com o objetivo de elevar os seus níveis de serviço para padrões de excelência, de forma, a corresponder às expectativas dos mercados-alvo.

A visão da AHRP é a de representar todos os Hotéis Rurais de Portugal e unidades do TER, representando-os junto da tutela e entidades governamentais, defendendo e garantindo as suas necessidades e aumentando a sua representatividade na economia nacional.

Atualmente são associados da AHRP 157 unidades hoteleiras distribuídas pelo Algarve, Alentejo, Lisboa e Vale do Tejo, Centro, Norte e Região Autónoma da Madeira.

P1033029

Sobre o projeto HRP Global – Ciclo de conferências

A Associação Hoteis Rurais de Portugal (AHRP) desenvolverá, em diversas regiões de Portugal, um ciclo de conferências integrado no Projeto HRP Global, apoiado pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização e de participação gratuita.

Tendo por público alvo os proprietários e gestores de hotéis rurais e de outros empreendimentos de Turismo no Espaço Rural, empresas de animação turística, entidades públicas e privadas do setor, docentes e estudantes da área de ensino de turismo e jornalistas, a AHRP disponibilizará um conjunto diversificado de temas, incentivando ao debate, à discussão de soluções e desafios para o setor, assim como preparar, direcionar e mobilizar os agentes de Turismo no Espaço Rural para os mercados internacionais.

Conferência Internacional decorreu em Fafe: “Desafios para o turismo em espaço rural”.

Um novo tempo espera o turismo em espaço rural. As oportunidades existem, e em Fafe foi debatido o caminho a percorrer para criar valor, numa área com trabalho feito, mas com muito para fazer.

A participação foi elevada, no passado dia 21 de Março, no Teatro Cinema de Fafe, na Conferência Internacional “Desafios para o turismo em espaço rural”.

A iniciativa teve por objetivo debater os desafios que o Turismo em Espaço Rural irá enfrentar e quais as possíveis iniciativas e soluções que poderão ser implementadas para melhor preparar os Hotéis Rurais e outros empreendimentos de Turismo no Espaço Rural, no futuro.

Participaram na conferência múltiplas organizações internacionais, nacionais e regionais, com destaque para a Diretora de e-marketing da Federação Internacional Logis de France (Marie Lou Lopez), o Presidente da Associação ASETUR (Ventura Garcia Fafian), o Presidente do Forum Internacional para la Naturaleza y el Turismo (Arturo Crosby), o Turismo de Portugal (Luís Coito), o Turismo Porto e Norte de Portugal (Nuno Ferreira), a Federação Nacional de Turismo Rural (Ricardo Ambrósio), a Associação Salvador (Sara Coutinho), o Secretário Geral Adjunto da AHRESP (António Sousa Martins), a Docente do IESF/ESTF (Isabel Borges), a Diretora Comercial do projeto Hotel Rural Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo (Paula Sousa), o Markteer da Little Dudes (João Fernandes) e o Diretor da Associação de Hotéis Rurais de Portugal (Jorge Vieira).

 Logo pela manhã foi constituída a Mesa de Honra, na qual participaram o Presidente do Município de Fafe, o Presidente da AHRP, o representante do IESF/ESTF e o representante do Turismo de Portugal, desenvolvendo-se de seguida o painel institucional “Hotelaria Rural e dinâmicas territoriais”, moderado por António Cardoso, Vice-Presidente CIMAve e Presidente do Município de Vieira do Minho.

Após o almoço decorreram os painéis técnicos. O segundo do dia e a iniciar a tarde foi moderado por Carlos Meneses Rodrigues, docente do IESF/ESTF, tendo refletiu sobre as “Boas Práticas na Hotelaria Rural” ao que se lhe seguiu a temática em torno das “Tendências de futuro”, moderado por Mafalda Cabral, Administradora da Sol do Ave.

Diversos momentos relevantes, provocadores e interativos foram colocados à discussão a uma plateia repleta.

Cândido Mendes, Presidente da AHRP e Pompeu Martins, Vereador da Cultura, demonstravam no final da conferência uma elevada satisfação pela organização e pela dinâmica criada durante toda a conferência que gerou a discussão em torno da organização, acolhimento, oferta e promoção, associação, sustentabilidade e internacionalização do Turismo em Espaço Rural.

Os participantes foram surpreendidos com a qualidade do evento proporcionado pelos Hotéis Rurais de Portugal, interiorizando a máxima apresentada “o nosso cliente/turista, no final, não tem apenas que ficar satisfeito com a sua experiência… tem que dizer WOW!!!”.

P1033165

ASSOCIAÇÃO DE HOTÉIS RURAIS DE PORTUGAL ORGANIZA CICLO DE CONFERÊNCIAS

“Doçaria conventual e local”: Instituto Politécnico do Cávado Ave - Barcelos

No âmbito do Projeto HRP Global, promovido pela Associação de Hotéis Rurais de Portugal, teve lugar no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave a segunda iniciativa do Ciclo de Workshops.

Poster_conferencia_Fafe

Tendo como tema "Doçaria Conventual e Local", o workshop decorreu na manhã do dia 19 de março e teve por objetivo debater o importante legado no âmbito da doçaria conventual e local, algo que nem sempre é valorizado e divulgado de forma consistente e eficaz, pelo que com esta iniciativa se pretendeu sensibilizar para a valorização da doçaria conventual e local através de uma promoção adequada e integrada com as ofertas turísticas a criar.

O workshop contou com a presença de académicos e de profissionais do setor do turismo e desenvolveu-se em quatro interessantíssimas e complementares intervenções.

A abrir Filipe Pereira, do IPCA refletiu sobre o tema “Pão de Ló-valorizar e afirmar uma multitude de formas” e João Pedro Gomes, Universidade de Coimbra, proporcionou uma discussão em torno de “Mito e História na Doçaria Portuguesa”. Já na segunda parte do workshop Josefina Salvado dissertou sobre” A Importância das Fontes Históricas na Criação de Narrativas de Storytelling no Turismo Gastronómico”, tendo o workshop terminado com a transmissão da experiência e vivência de Paula Sousa, Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo com o tema “Enoturismo –um novo desafio” e da sua conjugação com a doçaria e outros produtos complementares para a dinamização turística.

Sobre a Associação de Hotéis Rurais de Portugal

Fundada em 2007, a Associação de Hotéis Rurais de Portugal tem como principal objetivo a representação e promoção do Turismo Rural e Hotéis associados. A sua missão é a de promover e divulgar os Hotéis Rurais de Portugal a nível nacional e internacional, potenciando o valor turístico de cada região. Além da promoção, a Associação de Hotéis Rurais de Portugal também atua na área da qualificação e formação destas unidades com o objetivo de elevar os seus níveis de serviço para padrões de excelência, de forma, a corresponder às expectativas dos mercados-alvo.

A visão da AHRP é a de representar todos os Hotéis Rurais de Portugal e unidades do TER, representando-os junto da tutela e entidades governamentais, defendendo e garantindo as suas necessidades e aumentando a sua representatividade na economia nacional.

Atualmente são associados da AHRP 157 unidades hoteleiras distribuídas pelo Algarve, Alentejo, Lisboa e Vale do Tejo, Centro, Norte e Região Autónoma da Madeira.

Sobre o projeto HRP Global – Ciclo de conferências

A Associação de Hotéis Rurais de Portugal (AHRP) desenvolverá, em diversas regiões de Portugal, um ciclo de conferências integrado no Projeto HRP Global, apoiado pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização e de participação gratuita.

Tendo por público alvo os proprietários e gestores de hotéis rurais e de outros empreendimentos de Turismo no Espaço Rural, empresas de animação turística, entidades públicas e privadas do setor, docentes e estudantes da área de ensino de turismo e jornalistas, a AHRP disponibilizará um conjunto diversificado de temas, incentivando ao debate, à discussão de soluções e desafios para o setor, assim como preparar, direcionar e mobilizar os agentes de Turismo no Espaço Rural para os mercados internacionais.

“Cooperação entre entidades locais e nacionais”

Escola Superior de Turismo de Portalegre

Na passada quarta-feira, dia 14 de Março, teve lugar na Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Portalegre a Conferência “Cooperação entre entidades locais e nacionais”. Integrada no Projeto HRP Global, esta foi a primeira de seis conferências de percorrerão várias regiões do país e que colocarão em discussão os desafios para o setor.

A iniciativa teve por objetivo identificar possíveis áreas para o desenvolvimento e estabelecimento de parcerias e cooperações entre diversas entidades no âmbito do turismo para assim tirar proveito das sinergias que possam surgir para divulgação de Portugal como destino de TER.

Participaram na conferência Manuela Murteira da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, Pedro Pedrosa da A2Z, Elsa Milheiro, docente da ESECS-IPP e José Manuel Coelho da Quinta do Barrieiro.

Aberta a sessão pela Presidente do Município de Portalegre, Drª Maria Adelaide Teixeira e pelos representantes da Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre e da Associação de Hotéis Rurais de Portugal, os cerca 96 conferencistas participaram ativamente nos dois painéis programados “Cooperação territorial” e “Cooperação entre unidades locais para o desenvolvimento regional”.

No primeiro painel abordaram-se matérias associadas ao papel e às dinâmicas institucionais para o desenvolvimento do território e promoção de redes institucionais, nomeadamente “O papel das comunidades intermunicipais no desenvolvimento do território” e “Projetos de cooperação interterritorial de base regional”.

Já no segundo painel as intervenções focaram-se no papel e contributo das entidades privadas para o acompanhamento, articulação e envolvimento nas redes e nos projetos territoriais em desenvolvimento, abordando-se os temas “A contribuição do TER para o desenvolvimento regional mediante a cooperação entre unidades e empresas locais no território português" e “Alentejo Sculpture Park – Maria Leal da Costa – Parque de Esculturas de Marvão”.

Programa Fafe vista leitura

PÁSCOA NO RINOTERRA MINHO

Programa completo com alojamento ou só Almoço Pascal

É no seu espaço pleno de charme e calmaria que o Rinoterra Minho propõe que se desfrute de umas mini-férias de Páscoa ou, simplesmente, de um belo Almoço Tradicional naquele dia festivo. O programa especial para a ocasião - que pode ser usufruído de 26 de Março a 2 de Abril - é constituído por duas noites de alojamento (com pequeno-almoço), um jantar ou o Almoço de Páscoa, com bebidas selecionadas incluídas, uma massagem de relaxamento (45minutos) e acesso livre ao Spa (jacuzzi e sauna). O programa completo tem o preço de 220€/ pessoa.

Rinoterra Minho - Sala B

Para os que optarem por desfrutar apenas do Almoço de Páscoa, a ementa tem como entradas corações de sushi e kebab de frango e sésamo, a que se seguem duas opções de prato principal: bacalhau à Brás com camarão e alho francês ou carré de borrego com couscous de beterraba.  Para sobremesa, haverá mousse de 3 chocolates. O preço é de 30€/ pessoa (vinhos selecionados e café incluídos).

Situado no alto de Seixas, em Caminha, o Rinoterra Minho oferece o encanto de uma antiga quinta portuguesa, a que se adicionou o requinte e o conforto, com uma agradável combinação de vistas para o rio e para a montanha, juntando a elegância à descontração do campo.

A 2 km do centro da vila e com sete quartos, o espaço nasceu da recuperação de uma antiga casa portuguesa, e é hoje um refúgio de charme.

As reservas podem ser feitas pelo email geral@rinoterra.com ou pelos telefones (+ 351) 258 724 442 ou 963 373 912.

Páscoa (Almoço) - Rinoterra Minho

Páscoa (Programa) - Rinoterra Minho

Rinoterra - Edifício (vistas)

Rinoterra - Sala de Massagens

ASSOCIAÇÃO HOTÉIS RURAIS DE PORTUGAL REALIZA CICLO DE CONFERÊNCIAS EM FAFE E PORTALEGRE

Sobre a Associação Hotéis Rurais de Portugal

Fundada em 2007, a Associação de Hotéis Rurais de Portugal tem como principal objetivo a representação e promoção do Turismo Rural e Hotéis associados. A sua missão é a de promover e divulgar os Hotéis Rurais de Portugal a nível nacional e internacional, potenciando o valor turístico de cada região. Além da promoção, a Associação de Hotéis Rurais de Portugal também atua na área da qualificação e formação destas unidades com o objetivo de elevar os seus níveis de serviço para padrões de excelência, de forma, a corresponder às expectativas dos mercados-alvo.

Poster_conferencia

A visão da AHRP é a de representar todos os Hotéis Rurais de Portugal e unidades do TER, representando-os junto da tutela e entidades governamentais, defendendo e garantindo as suas necessidades e aumentando a sua representatividade na economia nacional.

Atualmente são associados da AHRP 157 unidades hoteleiras distribuídas pelo Algarve, Alentejo, Lisboa e Vale do Tejo, Centro, Norte e Região Autónoma da Madeira.

Sobre o projeto HRP Global – Ciclo de conferências

A Associação Hoteis Rurais de Portugal (AHRP) desenvolverá, em diversas regiões de Portugal, um ciclo de conferências integrado no Projeto HRP Global, apoiado pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização e de participação gratuita.

Tendo por público-alvo os proprietários e gestores de hotéis rurais e de outros empreendimentos de Turismo no Espaço Rural, empresas de animação turística, entidades públicas e privadas do setor, docentes e estudantes da área de ensino de turismo e jornalistas, a AHRP disponibilizará um conjunto diversificado de temas, incentivando ao debate, à discussão de soluções e desafios para o setor, assim como preparar, direcionar e mobilizar os agentes de Turismo no Espaço Rural para os mercados internacionais.

Poster workshop_Portalegre

“Cooperação entre entidades locais e nacionais”, 14 de Março

Escola Superior de Turismo de Portalegre

Horário: 14.00 horas às 18.00 horas

A iniciativa tem por objetivo identificar possíveis áreas para o desenvolvimento e estabelecimento de parcerias e cooperações entre diversas entidades no âmbito do turismo para assim tirar proveito das sinergias que possam surgir para divulgação de Portugal como destino de TER.

Participarão na conferência oradores de instituições regionais, entidades com vasta experiência na dinamização do território, investigadores e empresários, nomeadamente a Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, a A2Z, ESECS-IPP e a Quinta do Barrieiro.

“Desafios para o turismo em espaço rural”, 21 de Março

Teatro Cinema de Fafe

Horário: 10.00 horas às 18.00 horas

A iniciativa tem por objetivo debater quais os desafios que o Turismo em Espaço Rural irá enfrentar e quais as possíveis iniciativas e soluções que poderão ser implementadas para melhor preparar os Hotéis Rurais e outros empreendimentos de Turismo no Espaço Rural, no futuro.

Participarão na conferência o Turismo de Portugal, o Turismo Porto e Norte de Portugal, a ASETUR, a Associação Logis de France, Associação Salvador, AHRESP, editores e empresas consultoras, bem como académicos e empresários associados ao Turismo no Espaço Rural.

Poster_workshopBarcelos

Poster conferencia

BOOKING.COM ATRIBUI GALARDÃO À RINOTERRA MINHO

Rinoterra Minho com pontuação de 9.7 nos Guest Review Awards. Galardão instituído pela Booking.com

Pelo terceiro ano consecutivo, o Rinoterra Minho - Boutique hotel viu ser-lhe atribuída a pontuação de 9.6 (num máximo de 10) nos Guest Review Awards, instituídos internacionalmente pela Booking.com e que acabaram de ser entregues às unidades hoteleiras selecionadas.

Rinoterra Minho

Anualmente, são premiadas as propriedades com uma pontuação mínima de 8.0, com base em comentários de clientes, on-line. Segundo a Booking.com "estas propriedades proporcionaram excelentes experiências aos hóspedes, e os Guest Review Awards são uma óptima forma de mostrar este feito."

A pontuação é baseada em todos os comentários publicados no website dos espaços, durante os 24 meses anteriores. Os parceiros elegíveis recebem um certificado oficial.

Situado no alto de Seixas, em Caminha, o Rinoterra Minho oferece o encanto de uma antiga quinta portuguesa, a que se adicionou o requinte e o conforto, com uma agradável combinação de vistas para o rio e para a montanha, juntando a elegância à descontração do campo.

A 2 km do centro da vila de Caminha e com sete quartos, o espaço nasceu da recuperação de uma antiga casa portuguesa, e é hoje um refúgio de charme. 

Class. Booking 2017

JÁ SE PODE (VOLTAR A) BEBER PIRATAS EM LISBOA

O “Pirata” reabriu no nº 95 da rua Morais Soares

Um ano após o encerramento do Pirata dos Restauradores, eis que o antigo estabelecimento reabriu na rua Morais Soares, nº 95, perto da Praça do Chile, em Lisboa.

IMG_02421

De maiores dimensões, espaço renovado e acolhedor, apesar de novo mantém muito do espólio do Pirata do Restauradores, entre ele o Gerente de há mais de 20 anos, obreiro das mágicas poções do Pirata e do Perna de Pau, dos célebres pregos e do inconfundível arroz doce.

Segundo Paula Tavares, filha de José Tavares, proprietário do Pirata há mais de 20 anos, as marcas registadas e a imagem sobreviveram a um ano de paragem, as fórmulas mantém-se fiéis ao segredo (desde 1929) e espera-se que muitos possam voltar a beber Piratas e Pernas de Pau e ajudar na divulgação destes produtos e desta casa tão icónica da cidade de Lisboa.

19856564.jpg

Célebre pelos seus dois famosos aperitivos – o “Pirata” e o “Perna de Pau” – o Bar “Pirata” era um dos mais emblemáticos estabelecimentos da baixa lisboeta, a par das “Ginginhas” do Largo de São Domingos e da rua das Portas de Santo Antão, famosas pelas suas marcas “Eduardinho” e “Espinheira”.

IMG_02451

O “Pirata” é uma mistura à base de vinho generoso gaseificado ou seja, misturado com soda. O “Perna de Pau” é a mesma bebida acrescentada de ginginha.

O fecho do histórico estabelecimento nos Restauradores deixou uma enorme nostalgia e revolta em muitos e muitos dos seus clientes habituais que se viram privados de duas bebidas quase centenárias. O Pirata era ainda um ponto de atracão de milhares de visitantes, nacionais e estrangeiros, que ali podiam degustar aquelas bebidas e um estabelecimento histórico da cidade de Lisboa que actualmente, em face da vertigem do turismo, vê desaparecer lojas e estabelecimentos que fazem parte da memória da cidade.

Mas, a partir de agora, se quiser voltar a beber Piratas, será muito bem-vindo nesta nova casa do Pirata!

Bem-haja pela preferência e pela ajuda na manutenção e defesa da memória de um dos estabelecimentos mais emblemáticos da nossa cidade, património cultural e memória vida de muitas décadas!

IMG_02441

FAMALICÃO VAI TER HOTEL DE ALTA QUALIDADE VOCACIONADO PARA O TURISMO DE NEGÓCIOS

Câmara Municipal reconheceu interesse público municipal do Hotel Quinta das Pirâmides que vai nascer em Telhado

Chama-se Hotel Quinta das Pirâmides e é um projeto turístico com Hotel Resort e Spa, restaurantes e centro de congressos projetado para a freguesia de Telhado, em Vila Nova de Famalicão. A intenção para a construção desse equipamento direcionado para o turismo de negócios parte de um promotor privado e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão manifestou na última reunião do executivo, por unanimidade, o interesse público do projeto para o concelho, condição essencial para a sua concretização.

DSC_6033

Trata-se de um projeto diferenciador na região, pela qualidade, pela localização e pelo potencial que o rodeia. O empreendimento vai nascer numa antiga quinta rural com 16 hectares, localizada na Avenida do Aziveiro em Telhado.

A construção do equipamento hoteleiro procura tirar partido do espaço rural, da beleza natural da quinta e da zona envolvente, aproveitando a proximidade aos castros históricos de Vermoim e Santa Cristina, a sua referência na obra de Camilo Castelo Branco e aproveitando a localização estratégica, muito perto das cidades de Braga (10km), Guimarães (15km) e Vila Nova de Famalicão (7km).

O hotel será construído em duas fases. A primeira fase com recuperação de parte do edificado para 32 quartos, SPA com 600 m2, dois restaurantes, salas de congressos para 300 pessoas e estacionamento. A segunda fase está relacionada com a ampliação da capacidade hoteleira.

O projeto direciona-se para o turismo de negócios, durante a semana e turismo de alta qualidade, nos fins-de-semana, feriados e férias e terá um nível de 4 estrelas superior. O investimento, cifrado na primeira fase em 3 milhões de euros, vai gerar 11 empregos diretos e 15 indiretos.

“É uma boa notícia para o concelho de Vila Nova de Famalicão que, reconhecidamente, se encontra deficitário em termos de alojamento hoteleiro, apesar do crescimento que tem existido no setor nos últimos anos”, assinala o Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, recordando “o enorme potencial do concelho para o mercado, não só pela localização geográfica particularmente privilegiada mas também pela presença diária no território de muitos estrangeiros relacionados com a forte atividade empresarial e industrial do concelho”.

RESTAURANTES VIRAM "CASAS DE PASTO"

Parlamento está de acordo sobre a entrada de animais em restaurantes

As três propostas apresentadas pelo PAN, Os Verdes e o Bloco de Esquerda vão agora ser discutidas na especialidade

As bancadas parlamentares mostraram-se disponíveis para a produção de legislação que permita a entrada de animais de companhia nos estabelecimentos de restauração. O PAN, Os Verdes e o Bloco de Esquerda (BE) apresentaram três propostas onde davam aos proprietários dos estabelecimentos o poder de decisão sobre a questão.

alfacinhas_retiro_f3

Na discussão das propostas que aconteceu quarta-feira na Assembleia da República, André Silva, deputado do PAN, utilizou exemplos de países europeus onde já é possível encontra animais de companhia em restaurantes. "No nosso país, verifica-se uma ingerência do Estado. Deve deixar-se que o mercado opere livremente e que os proprietários tenham o poder de decidir quem entra ou não nos seus estabelecimentos", disse, acrescentando que a necessidade de identificar ou não os estabelecimentos, com recurso a dísticos nas portas, deverá ser discutido na especialidade.

"Uma cidade justa é também uma cidade que trata bem os seus animais", afirmou a deputada do BE, Maria Manuel Rola. O partido que tinha também apresentado uma proposta neste sentido, defendeu que o bem-estar dos animais é uma preocupação dos portugueses e que devem estar asseguradas as condições para a entrada de animais em estabelecimentos comerciais de restauração. O BE focou ainda a necessidade de haver um dístico identificativo e a restrição do acesso aos espaços de confeção de alimentos.

Heloísa Apolónia, deputada d'Os Verdes, defende que é necessário discutir na especialidade que animais serão permitidos, se cães e gatos ou também outros, e quais as normas a seguir para que a medida não perturbe o funcionamento dos estabelecimentos. "Pode ser recusado acesso a animais que, pelo seu comportamento ou porte, perturbem o normal funcionamento", defendeu.

O PSD mostrou-se "sensível ao tema" e disponível para aprofundar a discussão, dando preferência ao projeto d'Os Verdes que apelidou de "o mais sensato". O CDS, pela voz de Nuno Magalhães, anunciou que o partido tem uma posição favorável à medida e afirmou que "está disponível para viabilizar estes diplomas e para, em sede de especialidade, podermos fazer uma lei".

Para o PS, é "mais um passo importante em matéria de animais", e para o PCP é importante ouvir os trabalhadores do setor, as empresas de restauração e as associações de bem-estar animal. A deputada comunista Ana Virgínia Pereira, não fechou a porta à proposta e disse estar "disponível para aprofundar a discussão nesta matéria"

Fonte: https://sol.sapo.pt/

MELGAÇO RECUPERA ANTIGO HOTEL DAS TERMAS

Antigo Hotel das Termas de Melgaço vai ser recuperado pelo Grupo Pinto da Costa & Carriço. O investimento na recuperação do hotel está na ordem dos 2,5 milhões de euros

Em Melgaço, vai ‘nascer’ uma nova unidade hoteleira: o Grupo Pinto da Costa & Carriço vai recuperar o emblemático Hotel das Termas de Melgaço. Localizado num dos mais belos recantos do Norte de Portugal, a unidade hoteleira complementará a oferta da estância termal e será uma mais-valia para a região. O processo desenvolver-se-á na propriedade onde se localizava o ‘Grande Hotel do Pezo’, conjunto edificado hoje em ruínas, construído na segunda metade do séc. XIX, e circunjacente ao Parque Termal de Melgaço. O investimento na recuperação do hotel está na ordem dos 2,5 milhões de euros.

Hotel do Pezo_foto antiga

«Aquele hotel, que um dia foi um estabelecimento de referência na região, vai voltar a ser.», afirma a CEO do Grupo, Carina Pinto da Costa. Como noticia o blog Entre o Minho e a Serra, o hotel «(…) era tido como um hotel de elevada qualidade onde os clientes saiam muito satisfeitos.» Sob o conceito de Hotel-Boutique, será uma unidade hoteleira de 4 estrelas, com cerca de 44 quartos. ‘Um alojamento de características diferenciadoras, numa filosofia de sustentabilidade ambiental.’, conta o arquiteto responsável pelo projeto, José António Lopes, do gabinete de arquitetura Ad quadratum Arquitectos.

O projeto tem assinatura do gabinete de arquitetura ad quadratum arquitectos

Considerando uma área da propriedade aproximada de 11.900 m2 e uma área de construção estimada em 4.500 m2 de ampliação e 1.800 m2de reabilitação de estruturas existentes, o processo prevê a estruturação de uma unidade hoteleira orientada para a classificação de 4 estrelas, que assenta essencialmente na reconstrução do conjunto edificado existente (hoje votado à ruína) e agora vocacionado para o acolhimentos das funções de receção, acolhimento e outras valências sociais, e ainda na ampliação com construção nova, esta acolhendo essencialmente as unidades de alojamento, dispostas ao longos de diversas alas de quartos (44 unidades).

«Toda a intervenção está orientada para a observância de princípios de sustentabilidade ambiental, num contexto de adjacência ao Parque e Complexo Termal das Termas de Melgaço. Neste enquadramento, o projeto assume propósitos de grande integração paisagística, propondo espaços de estadia em íntima proximidade e comunhão com os elementos naturais da envolvente.», refere José António Lopes, afirmando que, «Associado ao gesto de reabilitação do património arquitetónico e à valorização do património natural de enquadramento, o processo assume-se como uma oportunidade de resgatar à ruína um conjunto edificado de grande significado histórico para Melgaço, desde sempre em relação próxima e ‘cúmplice’ com o complexo/fonte termal, onde o elemento Água pontua como valor maior.»

O GRUPO PINTO DA COSTA & CARRIÇO

Com esta intervenção, o Grupo Pinto da Costa & Carriço fica uma vez mais associado à área hoteleira, desta vez com a recuperação de um edifício histórico que assume um papel de relevo na dinamização da atividade turística e hoteleira de Melgaço. Saiba-se que o Grupo assumiu, em julho, a gerência das Termas de Melgaço, apostando em mais e melhores serviços e deixando agora a estância aberta todo o ano.

O Grupo Pinto da Costa & Carriço atua em áreas de negócio diversificadas, tais como: Hotelaria, Restauração, Fitness, Saúde e Bem-estar, Imobiliária e Moda.

Impressão de fax de página completa

VALENÇA DUPLICA OFERTA HOTELEIRA

Oferta hoteleira duplica num ano em Valença. Alojamentos Locais reforçam oferta

Valença conta atualmente com 37 unidades de alojamento, número que duplicou face ao ano anterior com o surgimento das novas unidades de alojamento local.

unnamed

Fortaleza com Mais de 2 Milhões de Visitantes

A atratividade de Valença, com a Fortaleza (candidata a Património Mundial junto da UNESCO) a receber mais de 2 milhões de turistas por ano, a rede de ecopistas e os Caminhos de Santiago são fatores que tem motivado a crescente aposta dos privados. O posicionamento da cidade na fronteira de Portugal com Espanha, a gastronomia emblemática e um comércio tradicional singular reforçam a oferta. O novo regime jurídico da exploração dos estabelecimentos de alojamento local deu, também, um incentivo crescente ao surgimento destas novas unidades turísticas.

Património Emblemático Requalificado

Para além de reforçarem e diversificarem a capacidade de oferta de alojamentos em Valença, as novas unidades estão a permitir a requalificação de edifícios emblemáticos, um pouco por todo o concelho.

Pelo concelho encontramos 10 unidades em Valença, 5 em Cerdal, 4 em Fontoura, 4 em São Pedro da Torre, 3 em Gondomil, 2 na Silva, 2 em São Julião, 2 em Arão, 2 em Ganfei, 1 em Gandra, 1 em Taião e 1 em Friestas.

Para além destas unidades estão mais umas quantas em processo de obtenção do registo.

Registo Obrigatório

Todas as unidades, para poderem operar, tem obrigatoriamente de ter um número de registo. O novo regime torna obrigatória a identificação com o número do Registo Nacional de Estabelecimentos de Alojamento Local (RNT) as ofertas de alojamento local, desde 1 de julho.

Quem se esteja a inscrever pela primeira vez numa plataforma eletrónica para comercializar os seus imóveis, terá de incluir este número. Quem já está inscrito deverá atualizar os seus dados, sob pena de ser fiscalizado e multado.

Informe-se nos Serviços Técnicos Municipais

Os interessados poderão obter mais informações nos Serviços Técnicos de Obras de Valença, na Rua Mouzinho de Albuquerque, ou através do e-mai: sop@cm-valenca.pt ou telefone 251 809 513

GUIMARÃES APRESENTA IDENTIDADE GRÁFICA DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO

ESTA QUARTA-FEIRA, 21 DE JUNHO (11H)

Cerimónia decorrerá no Salão Nobre da Câmara Municipal de Guimarães. Futura Escola-Hotel ficará situada na Quinta do Costeado, na Cruz de Pedra, em Creixomil.

A Câmara Municipal de Guimarães e o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) apresentam esta quarta-feira, 21 de junho, a identidade gráfica da Escola Superior de Hotelaria e Turismo (ESHT). A sessão pública, com início às 11 horas, decorrerá no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

A apresentação contará com as presenças do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, e do Presidente do IPCA, Agostinho Silva. Na cerimónia, estará também presente o designer Nuno Duarte Martins, autor da identidade gráfica da ESHT e docente da Escola Superior de Design do IPCA.

A ESHT ficará instalada na Quinta do Costeado, em Guimarães, onde irá funcionar como Escola-Hotel. Esta nova escola superior do IPCA vai, contudo, iniciar a sua atividade letiva já no ano letivo 2017/2018, com a oferta do Mestrado em Gestão do Turismo e da licenciatura em Gestão de Atividades Turísticas.

A oferta letiva inclui, também, Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) de Organização em Gestão de Eventos e de Turismo, Natureza e Aventura. Estes cursos funcionarão, provisoriamente, no Campus do IPCA (licenciatura e mestrado), em Barcelos, e no Pólo de Guimarães, situado no AvePark.

ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DE GUIMARÃES VAI SER UM HOTEL COM ALUNOS

PROJETO FOI PUBLICAMENTE APRESENTADO

Modelo de ensino baseia-se na aprendizagem em contexto real. Escola terá uma aposta especializada no turismo e em diferentes valências como a hotelaria, a gestão e a promoção turística e gastronomia.

Guimaraes_Escola-Hotel_Apresentacao.jpg

Um modelo de aprendizagem centrado no estudante, baseado na aquisição de conhecimentos e competências e com uma formação fundamentalmente prática nas áreas da gestão turística, hotelaria, gastronomia e tecnologia alimentar, é o conceito de Escola-Hotel que Guimarães terá brevemente com a instalação da Escola Superior de Hotelaria e Turismo, o que permitirá aumentar a oferta formativa do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave no concelho de Guimarães, reunindo cerca de meio milhar de alunos, ao que tudo indica, a partir de 2018.

A localização da escola ficará definida muito em breve, existindo nesta altura três possíveis espaços para acolher um projeto inspirado nos melhores modelos internacionais, assente no conceito “aprender fazendo” (learning by doing), onde todas as unidades curriculares terão uma forte componente prática em contexto real de trabalho. A Quinta do Costeado, na Cruz de Pedra, a Quinta da Cantonha, na Costa, e as antigas instalações da empresa “Trimco – Equipamentos Frigoríficos, Lda”, em Couros, são as possibilidades que estão em estudo.

A Escola pretende ser também um laboratório de investigação aplicada, onde estudantes e docentes possam procurar respostas para desafios concretos colocados pelas empresas do setor hoteleiro, do setor alimentar, da restauração, agentes de promoção turística, entre outros, criando-se uma relação com a comunidade que será determinante para o seu sucesso. «Vamos criar uma Escola de referência, que incluirá respostas inovadoras e que resulta de um esforço conjunto entre Câmara, IPCA e Governo», referiu Domingos Bragança.

Acompanhado na sessão por João Carvalho e Agostinho Silva, responsáveis do IPCA, bem como por Filipe Fontes, Diretor do Departamento de Urbanismo e de Promoção do Desenvolvimento da Autarquia, o Presidente do Município de Guimarães lembrou que a Câmara Municipal «apenas pode avançar para a aquisição de um imóvel, depois de aprovada formalmente a função que pretende instalar, neste caso, pelo Ministério da Ciência, da Escola Hotel». João Carvalho destacou «o entusiasmo e vontade de querer do senhor Presidente da Câmara», enquanto Agostinho Silva disse que a «alargada oferta educativa do novo projeto inclui licenciaturas e mestrados» nas áreas da indústria alimentar, hoteleira e turismo.

Valências (também) para a sociedade civil

Em Guimarães, a Escola Superior terá uma “Boutique Hotel”, unidade hoteleira com cerca de 10 quartos com características de hotel de charme a ser incluído na rede dos Solares de Portugal e na rede Pousadas de Portugal. No seu interior, haverá um restaurante de serviço à la carte, com uma sala de serviço com cerca de 40 lugares sentados, em que a gestão do serviço de sala e do serviço de cozinha é efetuada pelos estudantes dos diferentes cursos, sob a supervisão dos docentes.

O Laboratório de Restauração, onde serão feitos estudos de mercado com potenciais consumidores, inovação e desenvolvimento de novas práticas gastronómicas e artes culinárias, bem como a criação de um Bar Pedagógico, que permitirá aos alunos experimentar e praticar o serviço de bar e de cafetaria em contexto de hotelaria, são alguns dos exemplos dos espaços pedagógicos da nova Escola, que terá também uma cozinha de catering e cafetaria de hotelaria com serviço tipo free-flow (fluxo livre de clientes).

Esta cozinha será constituída por todos os espaços habituais numa cozinha profissional: armazéns, salas de preparação, blocos de confeção de catering, zona de grill, copas de utensílios e de louça, zona de gestão de resíduos e zona de pizzas e massas. Destacam-se nestas instalações as salas de panificação, pastelaria e produção de gelados artesanais. Na Escola, haverá ainda um laboratório de aplicação gastronómica e tecnologia alimentar, prova de vinhos e de análise sensorial e um laboratório de microbiologia alimentar, ferramentas importantes para estudos de segurança alimentar, melhoria de especialidades gastronómicas tradicionais e realização de testes de rotina a outros produtos alimentares.

GUIMARÃES VAI TER ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO

“ESCOLA-HOTEL” APRESENTADA NA 2ª FEIRA

Aprovado: Guimarães vai ter Escola Superior de Hotelaria e Turismo!

Anúncio foi feito por Domingos Bragança em reunião do Executivo. Modelo inovador de criação de uma “Escola-Hotel” será apresentado em conferência de imprensa, que contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e do Presidente do IPCA.

Guimaraes_Casa_Costeado_Possivel_Escola_Hotel.jpg

A Câmara Municipal de Guimarães e o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) vão apresentar em conferência de imprensa, na próxima segunda-feira, 06 de março, às 11:30 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, os termos do projeto Escola-Hotel, que acaba de ser aprovado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Com esta decisão, Guimarães passará a ter uma Escola Superior de Hotelaria e Turismo, cujas instalações poderão ficar situadas na antiga Quinta do Costeado, na Cruz de Pedra. A possível escolha tem por objetivo a requalificação e a regeneração desta zona simbólica de Guimarães, bem como pelo valor histórico do edifício onde se insere. A Escola-Hotel responderá à necessidade de uma resposta qualificada e inovadora de formação para as áreas da restauração e hotelaria de toda a região.

Na sua oferta formativa, o IPCA disponibilizará ações de formação contínua no âmbito dos laboratórios de alimentação e restauração (Cozinha). O projeto “Escola-Hotel” resultou de um trabalho conjunto do Presidente do IPCA, do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e do Ministro da Ciência, que aprovou agora a implementação deste modelo de ensino em Portugal.

FAMALICÃO INAUGURA NOVO EMPREENDIMENTO TURÍSTICO

Novo empreendimento turístico, em Vermoim, com quatro quartos e piscina exterior, abraça cultura e história. Requinte informal na Casa da Estalagem

O que outrora foi uma típica casa rural, com a corte dos animais e as alfaias agrícolas no piso inferior, para aquecer quem morava no piso de cima da habitação, é hoje um moderno e requintado empreendimento turístico de alojamento local. A Casa da Estalagem, em Vermoim, Vila Nova de Famalicão, hoje inaugurada pelo Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, é também peculiar. Pela localização geográfica, no coração do Vale do Ave, onde a indústria têxtil fervilha, e pela identidade com a história.

AFS_1765.jpg

Para lá chegar basta repetir o trajeto feito pelos vikings, em 1016, quando atacaram o Castelo de Vermoim, localizado ali mesmo, na encosta do Monte Caruito. Esta forma de dar a direção do novo projeto hoteleiro é contada pelos proprietários, o casal António e Agostinha Macedo, que assim aliam a história ao turismo.

Num ambiente sofisticado, a Casa da Estalagem dispõe de quatro quartos temáticos, decorados em estilo contemporâneo e evocativos de Artur Cupertino de Miranda, Narciso Ferreira, Bernardino Machado e Camilo Castelo Branco, todas personalidades famalicenses, cozinha equipada e outras áreas comuns para lazer e trabalho, para além de piscina exterior. Todos os quartos têm grandes janelas, por onde entra muito sol. As tarifas variam entre os 90 e os 110 euros.

“Pode dizer-se que esta é uma boa alternativa de alojamento para aproveitar o sossego fora da urbe, num ambiente confortável, mas simples e descomplicado, para quem está em trabalho ou lazer, sozinho ou em família”, descreveu António Macedo, sublinhando que a reabilitação conservou as qualidades arquitetónicas do edifício, como as paredes, os tetos altos de trave de madeira e o fogão a lenha.

Paulo Cunha, por seu lado, salientou o reforço da oferta hoteleira no concelho que este novo empreendimento traduz, lembrando que nos últimos três anos abriram quatro novas unidades hoteleiras – o Villa’s House, o Villa Prime Hotel, o Hi!Go e, agora, a Casa da Estalagem, que, juntas, contabilizam cerca de vinte quartos. “Sinal de confiança no território e da crescente afirmação do concelho famalicense no plano regional e nacional, sobretudo no domínio económico”, disse, argumentando: “Estes investimentos são feitos a partir de uma matriz de contexto de oportunidade e de avaliação de uma área económica onde existe mercado. E, portanto, estou certo que os investidores que criaram estes vinte quartos veem no concelho de Famalicão um potencial de dinamismo económico que se tem traduzido no crescimento da capacidade exportadora.”

O autarca enalteceu ainda a “vocação empreendedora” de António Macedo. “É um empresário daqueles que gostamos de ter connosco, arrojado e que acredita no território. Obrigado pelo seu empenho e dedicação.” 

AFS_1860.jpg

ARCOS HOTEL COM BUFFET DE CARNAVAL E PRÉMIOS PARA AS MELHORES FANTASIAS

O Luna Arcos Hotel, em Arcos de Valdevez, vai comemorar o Carnaval com o que será uma viagem até aos trópicos!

13413083_968788879905427_291973706408472736_n.jpg

No dia 27 de Fevereiro (segunda), a festa começa pelas 19h30, com um buffet temático inspirado no Carnaval Brasileiro, por 35€/ pessoa, estando a animação a cargo do dueto Ofir Show.

O convite é para que os participantes se apresentem fantasiados, habilitando-se a ganhar prémios que vão ser sorteados ao longo da noite.

Situada no centro da vila alto-minhota, esta unidade da cadeia Luna Hotéis & Resorts apresenta ainda a opção de um pack com alojamento, que inclui Jantar de Carnaval e uma noite de alojamento com pequeno-almoço buffet, por 135€/quarto.

O Jantar- Buffet de Carnaval inclui saladas simples, salada de palmito, pastelinhos de carne picada, salada de camarão com milho, frango com fruta tropical, mousse de queijo Briè e taças com fruta fresca.

Haverá ainda creme de abóbora com croutons de ervas finas, canoa de abacaxi com camarão e frutos do mar e molho de cocktail, e a típica feijoada à brasileira.

O buffet de sobremesas oferece fruta fresca, quindins, pudim de leite condensado, cocada de caramelo, brigadeiros, bolo de bolacha, tarte de frutas e leite creme queimado.

O jantar festivo é acompanhado por vinhos das caves do Hotel, caipirinha, sumos, água e café

As reservas podem ser feitas pelo email arcoshotel@lunahoteis.com ou pelo tel. 00351 258 093 600.

12400429_868394776611505_3153122753774561328_n.jpg

OFERTA HOTELEIRA CRESCE EM FAMALICÃO

Presidente da Câmara inaugura Casa da Estalagem, segunda-feira, 20 de fevereiro, pelas 10h30, na Rua do Olival, n.17, em Vermoim (junto à Escola Primária)

É na encosta do monte Caruito, que fez o Castelo de Vermoim cabeça de terra reconhecida, “merecer” ser atacado pelos vikings, durante uma incursão à região Entre-Douro-e-Minho, em 1016, que a partir da próxima segunda-feira, 20 de fevereiro, é possível desfrutar de uma estadia com as melhores comodidades e com o sereno enquadramento do verde Minho.

PC__8042.jpg

A Casa da Estalagem é um novo empreendimento hoteleiro de alojamento local que nasceu darecuperação de uma antiga casa rural de Vermoim e que vai ser inaugurada na próxima segunda-feira, 20 de fevereiro, pelas 10h30, durante uma visita do Presidente da Câmara, no âmbito do roteiro Famalicão Made IN, na Rua do Olival, (junto  à Escola Primária da freguesia).

O empreendimento, iniciativa do empresário António Macedo, disponibiliza 4 suites, associadas a outras tantas figuras ilustres famalicenses – Artur Cupertino de Miranda, Narciso Ferreira, Bernardino Machado e Camilo Castelo Branco -,  e um conjunto de áreas comuns de grande conforto, vocacionadas para o lazer, para o trabalho e para o repouso.

Para além da envolvente histórica com o Castelo de Vermoim e com o Castro das Eiras, realce para a proximidade para com uma zona de grande concentração de empresas, nomeadamente do setor têxtil. É por isso também para o universo empresarial que o projeto nasceu, tendo como alvo os quadros profissionais médios e superiores de visita à região.

Recorde-se que a oferta hoteleira tem vindo a crescer de forma significativa em Vila Nova de Famalicão, tendo aberto nos últimos três anos quatro novos empreendimentos – o Villa’s House, o Villa Prime Hotel, o Hi!Go e, agora, a Casa da Estalagem.

PC__7999.jpg

SÃO VALENTIM COM PROGRAMA ROMÂNTICO NO ARCOS HOTEL

Ementa idealizada para desfrutar a duo…

O Arcos Hotel Nature & Spa, em Arcos de Valdevez, sugere um programa com uma noite de alojamento para festejar, em ambiente romântico, o São Valentim. A 14 de Fevereiro, a proposta é viver aqui momentos únicos, acompanhados pela serenidade da montanha envolvente!

Arcos Hotel Nature & Spa (Sala).jpg

A ementa do Jantar de São Valentim, inspirada no romantismo da data, é iniciada com uma flute de espumante e frutos silvestres. Na mesa, haverá uma selecção de pães e azeite gourmet, e a entrada será Creme de Ervilhas com Tártaro de Ostras e Coulis de Beterraba. Como pratos principais, a escolha recaiu sobre um Risoto de Cogumelos Silvestres com Robalo do Mar e Ar de Coentro, e ainda Naco de Vitela com Puré de Couve-Roxa, Cenoura Baby e Molho de Vinho do Porto. Segue-se Coração Ardente, como sobremesa, e café servido com mini Charutos dos Arcos, a concluir uma refeição para ficar na memória.

Além da animação musical com o duo Ofir Show, o jantar é acompanhado por Sangria de Espumante com frutos vermelhos, vinhos das nossas caves, águas e refrigerantes.

O programa preparado pelo Arcos Hotel, situado no centro da bela vila alto-minhota, permite ainda acesso livre ao Spa, com piscina interior, sauna, jacuzzi e banho turco.

O preço do jantar é 35€ por pessoa (com bebidas). Se optar por desfrutar do pack com alojamento, o programa de São Valentim ficará por 65€ por pessoa, em quarto duplo, com pequeno-almoço buffet incluído.

As reservas devem ser feitas pelo tel. (+ 351) 258 093 600 ou geral@arcoshotelnature.com