Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PORTUGAL DIZ NÃO AO ÓDIO RACIAL E ÉTNICO: SOMOS TODOS JUDEUS!

Pese embora os esforços daqueles que a todo o custo procuram semear o ódio étnico e racial, não raras as vezes a pretexto de alegadas “justas causas”, a sociedade portuguesa é por natureza pacífica e resultado da convivência, ao longo de muitos séculos, com inúmeros povos de todos os continentes.

Sinagoga Portuguesa de Amesterão

A imagem mostra o local reservado ao culto na Sinagoga Portuguesa de Amesterdão.

 

Não existe família em Portugal que não possua no seu seio pessoas oriundas do Brasil, Angola, Cabo Verde, Moçambique… ou não tenha deixado algures um dos seus filhos misturados com uma família nos lugares mais recônditos do planeta!

Entre os portugueses contam-se inúmeros cidadãos de origem judaica e, durante a Segunda Guerra Mundial, serviu Portugal de abrigo – e de entreposto! – a milhares de famílias que escaparam ao holocausto, graças ao empenho de diplomatas e funcionários consulares como Aristides de Sousa Mendes, Teixeira Branquinho e Sampaio Garrido, de forma concertada com o regime que inclusivamente possibilitou a travessia da fronteira e a boa vontade da ditadura franquista.

De novo, está a ressuscitar nalguns países europeus o mesmo ódio que no passado levou ao extermínio milhões de pessoas – judeus, comunistas, ciganos, Testemunhas de Jeová e muitos outros! – algo que desde já rejeitamos liminarmente.

Somos portugueses e temos orgulho da nossa identidade e passado glorioso. Rejeitamos o ódio racial e étnico da mesma maneira que repudiamos os seus fomentadores. Perante a ascensão do antisemitismo, somos todos judeus!

VIEIRA DO MINHO PROMOVE TURISMO NA HOLANDA

Vieira do Minho participou na Feira de Turismo Vakantiebeurs na Holanda

O Município de Vieira do Minho participou, este fim de semana na Vakantiebeurs, uma importante feira de turismo e laser que se realizou, na cidade de Utrecht, na Holanda.

VakantieBeurs.jpg

O Município fez-se representar, nesta Feira Internacional de Turismo pelo presidente da Câmara Municipal, António Cardoso. A presença do autarca vieirense nesta emblemática feira de turismo, que reuniu no mesmo espaço países dos cinco continentes, serviu para promover e divulgar  o concelho de Vieira do Minho junto do mercado internacional.

 De referir que Vieira do Minho é detentora de um incalculável património natural, com especial destaque para as suas serras, rios, albufeira e paisagem natural, condições essencial para se poder afirmar como destino turístico a nível internacional.

VIZELA RECEBE ALUNOS HOLANDESES

Presidente da Câmara recebeu alunos holandeses de Venray

O Presidente da Câmara Municipal de Vizela recebeu esta manhã um grupo de alunos de Vernay, na Holanda.

receção alunos Vernay

O grupo de 18 alunos holandeses, com idades entre os 13 e 15 anos, estive em Vizela durante uma semana, tendo sido acolhidos por famílias vizelenses, no âmbito de um intercâmbio entre a Escola Secundária de Vizela e o Raayland College, em Vernay, na Holanda.

Durante o encontro, os alunos manifestaram o seu contentamento pela sua estadia em Vizela, demonstrando ter apreciado muito a Cidade.

BRAGA RECEBE EMBAIXADOR DA HOLANDA

Embaixador da Holanda recebido no Salão Nobre dos Paços do Concelho. Iniciativa promovida pela InvestBraga

O Embaixador da Holanda em Portugal, Jan Bijl de Vroe, foi recebido hoje, dia 20 de Outubro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, no âmbito de uma iniciativa dinamizada pela InvestBraga e que tem por missão promover o contacto do corpo diplomático com a realidade Bracarense enquanto vector estratégico de promoção da Cidade e dos seus activos.

CMB20102016SERGIOFREITAS0000003129.jpg

Na ocasião, o Edil realçou o facto de existir um potencial de colaboração entre Braga e a Holanda nos campos científico, académico e empresarial, assim como na área do turismo, podendo o número de visitantes oriundos desse país aumentar. “Para que essas ligações se materializem temos de mostrar o que de melhor existe na Cidade e criar condições para que as instituições de braga, o tecido económico e universitário possam desenvolver relações de futuro com a Holanda”, disse.

Segundo o Autarca, uma das grandes mais-valias de Braga reside na capacidade de ligar à monumentalidade e tradição, a força e energia que resulta da juventude e do espírito inovador e empreendedor que demonstra nas mais diversas áreas. “Essa é uma imagem de marca que queremos capitalizar e que vamos explorar no futuro”, referiu.

Por seu turno, o Embaixador da Holanda referiu que a visita a Braga permitiu-lhe ter um ´feedback muito positivo´ sobre as oportunidades existentes no território, sobretudo as que têm origem na ´mistura entre tecnologia e cultura´ promovida no Concelho. A visita do Embaixador teve ainda como propósito assistir ao concerto do Coro holandês Cantorij St. Bavo, de Haarlem, no Bom Jesus.

CMB20102016SERGIOFREITAS0000003132.jpg

CMB20102016SERGIOFREITAS0000003135.jpg

ARCOS DE VALDEVEZ RECEBE PORTUGAL-HOLANDA EM SUB-20

Seleções nacionais de sub 20 de Portugal e Holanda levaram até ao Estádio Municipal da Coutada muitos aficionados da modalidade

No passado dia 24 de março disputou-se no Estádio Municipal da Coutada em Arcos de Valdevez, um jogo de futebol entre as seleções sub-20 de Portugal e Holanda, que levou a estas instalações desportivas muitos aficionados da modalidade. Este encontro foi realizado no âmbito da participação da Seleção Portuguesa de futebol no Torneio Internacional de Toulon, França, a decorrer entre 18 e 29 de maio.

Este jogo foi uma grande oportunidade para se poderem ver de perto algumas promessas do nosso futebol nacional e mesmo algumas certezas, sendo disso exemplos os jogadores Hedberto, Gilson, Evanildo Fernandes, Romário Baldé, André Horta, Rui Moreira, José Gomes, Joel Pereira e Dalcio, o marcador do golo da seleção portuguesa.

Edgar Borges, técnico da formação das quinas, elogiou as condições apresentadas, referindo mesmo que Arcos de Valdevez poderá receber qualquer tipo de seleção nacional.

Quanto ao jogo considerou que Portugal merecia vencer e o penalti sofrido no último momento (gerando alguma confusão) acabou por não ajudar ao desfecho mais favorável.

Já o Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, considerou este dia como um dos mais importantes para o concelho de Arcos de Valdevez no que ao desporto diz respeito “porque não é todos os dias que temos uma Seleção Nacional a jogar em Arcos de Valdevez, coroada com uma casa cheia.”

O autarca admitiu ainda que a Autarquia continua a manter excelentes relações com a Associação de Futebol de Viana do Castelo e a Federação Portuguesa der Futebol, existindo mesmo a possibilidade da realização de novos encontros de seleções nacionais em Arcos de Valdevez.

A escolha de Arcos de Valdevez para a disputa deste encontro deixou os arcuenses cheios de orgulho e atestou a qualidade das instalações desportivas disponíveis no concelho de Arcos de Valdevez.

PORTUGAL X HOLANDA DISPUTA-SE EM ARCOS DE VALDEVEZ

No dia 24 de março, pelas 15h00, disputa-se no Estádio Municipal da Coutada em Arcos de Valdevez, um jogo entre as seleções sub-20 de Portugal e Holanda. Encontro a realizar no âmbito da participação da seleção portuguesa de futebol no Torneio Internacional de Toulon, França, a decorrer entre 18 e 29 de maio.

Nesta deslocação da Seleção Nacional estão fortemente envolvidas a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez e a Associação de futebol de Viana do Castelo.

A escolha de Arcos de Valdevez para a disputa deste encontro deixa os arcuenses cheios de orgulho e atesta a qualidade das instalações desportivas disponíveis no concelho.

De referir ainda que a Seleção ficará instalada em Arcos de Valdevez.

FESTIVAL HOLANDÊS EUROSONIC’S CONVIDA GNRATION

Festival Eurosonic’16, em Groningen: gnration é exemplo europeu de boas práticas de programação cultural

O reputado festival holandês ´Eurosonic Noorderslag´ convidou o gnration para estar presente no evento por considerar a estrutura Bracarense um exemplo europeu em políticas de programação cultural.

O Festival, uma das maiores iniciativas em solo europeu na área da indústria musical, decorreu na passada semana em Groningen. A plataforma profissional de promoção europeia, que cumpriu este ano a sua trigésima edição, desafiou o gnration a integrar uma conferência sobre o impacto das cidades no desenvolvimento da indústria musical.

Luís Fernandes, actual director de programação do gnration, esteve no painel que contou com a participação do vice-presidente de Groningen, Paul de Rook, assim como de representantes das cidades de Nantes (França), Aarhus (Dinamarca) e Londres (Reino Unido). Entre as temáticas abordadas estiveram a capacidade das políticas culturais em influenciar o meio artístico envolvente e os factores de diferenciação das cidades periféricas em contextos de programação cultural.

O convite para estar presente no Festival é, assim, o reconhecimento do trabalho desenvolvido no último ano e meio pelo gnration na área cultural, com a aposta numa programação artística de elevada qualidade.

O gnration arrancou no último fim-de-semana com lotação esgotada a programação para este ano com uma homenagem ao cineasta japonês Hayao Miyazaki, que incluía a projecção de várias obras do realizador e um filme-concerto encomendado ao músico português Noiserv.

A programação deste espaço cultural para este trimestre contará, entre outras actividades, com nomes como os portugueses HHY & The Macumbas, o conceituado duo internacional jazz composto por Chris Corsano e Joe McPhee, a vanguarda de Ben Frost, um dos nomes maiores da electrónica contemporânea, o espectáculo de comunidade Flux, levado a cabo por jovens da Escola Básica de Palmeira, e a primeira gnration club night, que receberá o conceituado produtor britânico Kode 9, o produtor português Nigga Fox, um dos nomes maiores da editora Príncipe Discos, e Consórcio, projecto comissariado pelo gnration que engloba um conjunto de artistas bracarenses na área da música electrónica.

PARLAMENTO APROVA ATRIBUIÇÃO DA NACIONALIDADE AOS JUDEUS SEFARDITAS DE ORIGEM PORTUGUESA

Parlamento Português acaba de aprovar a atribuição de nacionalidade portuguesa a descendentes dos judeus sefarditas expulsos de Portugal a partir do século XV.

O projeto aprovado prevê a atribuição da nacionalidade portuguesa por naturalização aos descendentes de judeus sefarditas portugueses que demonstrem “tradição de pertença a uma comunidade sefardita de origem portuguesa, com base em requisitos objetivos comprovados de ligação a Portugal, designadamente apelidos, idioma familiar, descendência direta ou colateral”.

Designam-se de judeus sefarditas os judeus descendentes das tradicionais comunidades judaicas da Península Ibérica (Sefarad).

A lei 43/2013 terá ainda um período de regulamentação antes de poder ser aplicada.

Sinagoga Portuguesa de Amesterão

A imagem mostra o local reservado ao culto na Sinagoga Portuguesa de Amesterdão. 

“LIMIANO”: O QUEIJO QUE NASCEU EM PONTE DE LIMA!

O queijo “Limiano” nasceu em 1959, em Ponte de Lima, por iniciativa do industrial Américo Tavares da Silva, um dos primeiros gerentes da firma Lacto-Lusa Ld.ª. Esta empresa possuía a fábrica em Vale de Cambra e dispunha de filial em Arcos de Valdevez, cabendo-lhe a produção do queijo “Pastor”, à época produzido no tipo flamengo, com aspeto idêntico ao do queijo “Limiano”. A Lacto-Lima foi criada em 1957, tendo a Lacto-Lusa como sócia maioritária. A ideia da criação do queijo “Limiano” resultou da procura crescente deste género de lacticínio associada à abundante produção de leite na nossa região.

Em regra, o queijo flamengo apresenta a forma arredondada e a pasta, de cor amarelada, semidura, contendo um teor de matéria gorda de 45 a 60%, é obtida após a coagulação de leite de vaca, depois da sua pasteurização. A sua maturação obtém-se após 3 semanas, a uma temperatura de 12 a 15º C e com uma humidade relativa variando entre 65 e 75%.

À semelhança do que sucede com a generalidade dos queijos do tipo flamengo, aliás como o seu próprio nome indica, também o queijo “Limiano” em nada tem a ver com a produção tradicional caraterística da região que, devido à implantação no mercado de modelos importados, jamais saiu do circuito doméstico.

Com efeito, o queijo flamengo tem a sua origem na cidade holandesa de Edam, outrora um condado pertencente à Flandres, situado a cerca de vinte quilómetros a nordeste de Amesterdão. Conhecido desde o século XIV, o queijo de Edam é produzido com leite de vaca, tendo-se tornado um dos queijos mundialmente mais afamados. A sua caraterística capa de cor avermelhada resulta de uma mistura com urucu, uma planta que os holandeses comercializavam com os índios do Brasil por altura das invasões holandesas no século XVI, da qual resulta um condimento entre nós conhecido por colorau.

palmyra

Quando a Corte de D. João VI se transferiu para o Brasil na sequência das invasões francesas, os nobres ali instalados passaram a importar da Holanda os queijos de Edam, fazendo-o através dos comerciantes estabelecidos em Portugal. Este queijo deu origem ao “queijo-do-reino” ou “queijo tipo reino”, fabricado na região da Mantiqueira, em Minas Gerais, sendo o primeiro queijo curado industrial produzido no Brasil.

Mantelães  1879

Na segunda metade do século XIX, o Conselheiro Miguel Dantas criou em mantelães, no concelho de Paredes de Coura, a Fábrica de Lacticínios de Coura na qual, de acordo com as palavras do conceituado médico veterinário Dr. Vieira de Sá, “foram feitas as primeiras tentativas para fabricar (ou imitar) o queijo holandês, que se importava em grandes quantidades da Holanda, chamando-lhe “queijo flamengo”. Esta empresa veio a pertencer ao Dr. Bernardino Machado que foi Presidente da República e era genro do Conselheiro Miguel Dantas.

Em 1987, a Lacto-Lusa transformou-se em sociedade anónima, passando a integrar a Lacto-Lima e, em 1994, como resultado da compra e fusão de 7 empresas de lacticínios, surge o Grupo Lacto Ibérica S.A. que, em 1999, encerrou a unidade fabril que mantinha em Ponte de Lima, passando o queijo “Limiano” a ser produzido em Vale de Cambra, dando origem a forte contestação que se estendeu inclusivamente aos tribunais devido à sua denominação. Em 2004, o Grupo Lacto Ibérica S.A foi adquirido pelo grupo francês Bel que passou a designar-se Bel Portugal.

Entretanto, apesar da sua denominação de origem ou seja, do gentílico com que se identifica, o queijo “Limiano” não voltou à terra onde nasceu – Ponte de Lima – mas continua a ser lembrado com saudade e apetite pelos seus conterrâneos!