Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PONTE DE LIMA DÁ INÍCIO À COMEMORAÇÃO DOS NOVE SÉCULOS DE EXISTÊNCIA COM CONGRESSO ALUSIVO À HISTÓRIA DO CONCELHO

Nos dias 4 e 5 de março de 2024 realiza-se o I Congresso Ponte de Lima: do Neolítico à Idade Média que visa celebrar a efeméride dos nove séculos de atribuição do foral de D. Teresa e fomentar o interesse pela História do Concelho nas suas várias dimensões.

Faça a sua inscrição e marque presença neste primeiro congresso que conta com a presença de conceituados investigadores que irão abordar temas relacionados com a génese da vila e do concelho de Ponte de Lima.

O congresso está certificado pelo CENFIPE – Centro de Formação e Inovação dos Profissionais da Educação.

Programa: https://www.cm-pontedelima.pt/cmpontedelima/uploads/writer_file/document/6521/programa_congresso_ponte_de_lima_do_neolitico_a_idade_media.pdf

Inscrição: https://www.cm-pontedelima.pt/pages/1743

417542943_769152158593430_1761584031171412504_n.jpg

PONTE DE LIMA: CARICATURISTA SEBASTIÃO SANHUDO NASCEU HÁ 173 ANOS!

173º aniversário do caricaturista Sebastião Sanhudo

Nascido na paróquia de Santa Maria dos Anjos, vila de Ponte de Lima, no dia 20 de fevereiro de 1851, é filho de Inácio José de Sousa Sanhudo e de sua mulher Maria José de Lima Sampaio. Destacou-se como caricaturista em vários periódicos sendo que foi diretor e ilustrador no jornal humorístico “O Sorvete”.

Fonte: Arquivo Distrital de Viana do Castelo

428607380_718457657098532_5343749643230360226_n.jpg

VALENÇA CELEBROU O FERIADO MUNICIPAL EM HONRA DE SÃO TEOTÓNIO

428486091_853639336791549_4316610123455214051_n.jpg

Ontem, dia 18 de fevereiro, Valença celebrou o dia de todos os valencianos e de São Teotónio, Feriado Municipal, com diversos atos protocolares, religiosos e culturais e homenageou personalidades e instituições.

As celebrações começaram nos Paços do Concelho com o hastear da bandeira e o hino de Valença, a entoar na Fortaleza, pela Associação Musical de São Pedro da Torre. Seguiu-se a deposição de uma coroa de flores na estátua de São Teotónio, na Coroada.

Em Ganfei decorreu a eucaristia e a procissão com o arcipreste Padre Gonçalo do Vale a dar a bênção aos fiéis na Praça de São Teotónio, com o relicário do santo, mesmo ao lado.

Seguiu-se a sessão solene com as intervenções do Presidente da Câmara Municipal, da Assembleia Municipal e da Junta de Freguesia de Ganfei.

O Presidente da Câmara Municipal, José Manuel Carpinteira, traçou um perfil dos investimentos âncora realizados e em curso bem como dos projetos que marcarão Valença, nos próximos tempos, e em que a captação de novos investimentos empresariais e a criação de emprego serão uma prioridade. José Manuel Carpinteira salientou, ainda, que “contamos com todos nesta missão diária de fazer evoluir e prosperar Valença”.

O Presidente da Assembleia Municipal, José António Cerqueira, destacou a importância de evocar o dia de todos os valencianos e o papel da Assembleia Municipal na representatividade democrática dos valencianos. José António Cerqueira lançou, ainda, o desafio, para a criação da Assembleia Municipal Jovem.

Já o Presidente da Junta, Armando Fernandes, agradeceu a oportunidade das celebrações se realizarem em Ganfei e a sua importância para a projeção da imagem do santo.

Ponto alto das celebrações foi a atribuição da Medalha de Mérito Municipal à jornalista Fátima Campos Ferreira, ao artista Marco Santos, à Casa Toga, ao Centro Humanitário de Valença da Cruz Vermelha Portuguesa, à ASRAR - Associação Social e Recreativa dos Aposentados e Reformados do Concelho de Valença e a título póstumo a Paulo Pacheco, Presidente da União de Freguesias de Gondomil e Sanfins.

A sessão terminou com a apresentação do livro "São Teotónio - O Primeiro Santo Português - De Valença para o Mundo", de Secundino Cunha, que pretende reforçar a importância da figura de São Teotónio para a identidade valenciana.

Ao longo da sessão os momentos musicais estiveram a cargo da Academia de Música da Fortaleza de Valença.

Durante a tarde, também, em Ganfei, decorreu o 38º aniversário do Concerto do Coral Polifónico São Teotónio com uma tarde cultural ligada à música polifónica.

De realçar que, no átrio exterior da Junta de Freguesia de Ganfei esteve patente ao público, a exposição “São Teotónio vai à Escola”, com trabalhos de todas as escolas básicas do 1º ciclo do concelho, resultantes das 27 sessões pedagógicas que a Câmara Municipal dinamizou nas últimas semanas, para os 478 alunos das sete escolas básicas, do primeiro ciclo, do concelho.

Ao longo de 14 sessões, técnicos do município, explicaram, aos jovens alunos, o porquê de ser feriado municipal, em Valença, a 18 de fevereiro, bem como dar a conhecer os pontos mais marcantes da vida e obra de São Teotónio, primeiro santo português.

A Câmara Municipal entende que estas sessões são fundamentais para dar a conhecer as grandes marcas que caracterizam a identidade cultural valenciana.

424638661_853639360124880_2209357545408250181_n.jpg

424656142_853639373458212_7913120092101777156_n.jpg

424679527_853639363458213_3512900118588722505_n.jpg

424729062_853639660124850_8288540211939028147_n.jpg

424918623_853639333458216_1648043979765658272_n.jpg

424926727_853639920124824_3986691029564610706_n.jpg

424958286_853639656791517_4680456359982564600_n.jpg

425023562_853639646791518_7113902624452094598_n.jpg

CAMINHA: CAPELA DA SENHORA DO BOM SUCESSO NA MATA DO CAMARIDO RECORDA A VITÓRIA SOBRE O INVASOR NAPOLEÓNICO – FOTOS DE JOSÉ ERNESTO COSTA

“200 ANOS DAS INVASÕES FRANCESAS EM CAMINHA

NA 2ª INVASÃO FRANCESA, AS TROPAS NAPOLEÓNICAS, SOB O COMANDO DO GENERAL SOULT, TENTARAM INVADIR PORTUGAL ATRAVÉS DA FRONTEIRA DO RIO MINHO, TENDO SIDO VENCIDAS, NESTE LOCAL, A 16 DE FEVEREIRO DE 1809, PELAS TROPAS PORTUGUESAS, AUXILIADOS PELOS POPULARES.

PARA COMEMORAR ESSE FEITO FOI EDIFICADA A CAPELA DE Nª SRª DO BOM SUCESSO, QUE AINDA HOJE GUARDA A MEMÓRIA DA VITÓRIA PORTUGUESA SOBRE O INVASOR.”

428606423_775119061302025_6022632689257881502_n.jpg

428609970_775119281302003_705227967589293908_n.jpg

PONTE DE LIMA DÁ INÍCIO À COMEMORAÇÃO DOS NOVE SÉCULOS DE EXISTÊNCIA COM CONGRESSO ALUSIVO À HISTÓRIA DO CONCELHO

Nos dias 4 e 5 de março de 2024 realiza-se o I Congresso Ponte de Lima: do Neolítico à Idade Média que visa celebrar a efeméride dos nove séculos de atribuição do foral de D. Teresa e fomentar o interesse pela História do Concelho nas suas várias dimensões.

Faça a sua inscrição e marque presença neste primeiro congresso que conta com a presença de conceituados investigadores que irão abordar temas relacionados com a génese da vila e do concelho de Ponte de Lima.

O congresso está certificado pelo CENFIPE – Centro de Formação e Inovação dos Profissionais da Educação.

Programa: https://www.cm-pontedelima.pt/cmpontedelima/uploads/writer_file/document/6521/programa_congresso_ponte_de_lima_do_neolitico_a_idade_media.pdf

Inscrição: https://www.cm-pontedelima.pt/pages/1743

417542943_769152158593430_1761584031171412504_n.jpg

PONTE DE LIMA DÁ INÍCIO À COMEMORAÇÃO DOS NOVE SÉCULOS DE EXISTÊNCIA COM CONGRESSO ALUSIVO À HISTÓRIA DO CONCELHO

Nos dias 4 e 5 de março de 2024 realiza-se o I Congresso Ponte de Lima: do Neolítico à Idade Média que visa celebrar a efeméride dos nove séculos de atribuição do foral de D. Teresa e fomentar o interesse pela História do Concelho nas suas várias dimensões.

Faça a sua inscrição e marque presença neste primeiro congresso que conta com a presença de conceituados investigadores que irão abordar temas relacionados com a génese da vila e do concelho de Ponte de Lima.

O congresso está certificado pelo CENFIPE – Centro de Formação e Inovação dos Profissionais da Educação.

Programa: https://www.cm-pontedelima.pt/cmpontedelima/uploads/writer_file/document/6521/programa_congresso_ponte_de_lima_do_neolitico_a_idade_media.pdf

Inscrição: https://www.cm-pontedelima.pt/pages/1743

417542943_769152158593430_1761584031171412504_n.jpg

417481063_769152301926749_1686858787332066836_n.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA ASSINALA CENTENÁRIO DE MANUEL CAMPELOS

Capturarcampelos.JPG

A Câmara Municipal de Vizela, numa parceria com a família de Manuel Campelos, vai promover um programa comemorativa para assinalar o centenário de Manuel Campelos, que se celebra no próximo dia 24 de fevereiro.

Assim, este programa comemorativo irá estender-se ao longo dos próximos meses, cujo programa será apresentado no próximo dia 20 de fevereiro, pelas 11.00h, no miniauditório do edifício sede do Município.

Manuel Campelos foi fundador e líder do Movimento para a Restauração do Concelho de Vizela, integrou a Comissão Instaladora do Município de Vizela, logo após a criação do concelho em 1998, e era cidadão honorário do Município de Vizela.

Manuel Campelos foi, acima de tudo, um Homem perseverante e lutador, um exemplo de coragem de quem não quis desistir e que nos faz voltar no tempo e lembrar aqueles que fizeram de um sonho comum a independência de um Povo...

Ninguém como Manuel Campelos se entregou, ao longo de mais de três décadas, de forma contínua, persistente e abnegada, a uma luta perseverante, que chegou ao fim a 19 de março de 1998 e que elevou, finalmente, Vizela a Concelho.

SAVE_20180224_110823

QUEM FOI O VIZELENSE MANUEL CAMPELOS?

Manuel Campelos foi fundador e líder do Movimento para a Restauração do Concelho de Vizela, integrou a Comissão Instaladora do Município de Vizela, logo após a criação do concelho em 1998, e era cidadão honorário do Município de Vizela.

Manuel Campelos foi, acima de tudo, um Homem perseverante e lutador, um exemplo de coragem de quem não quis desistir e que nos faz voltar no tempo e lembrar aqueles que fizeram de um sonho comum a independência de um Povo...

Com a celebração deste centenário, a Câmara Municipal pretende homenagear e relembrar um homem que, como ninguém, se entregou, ao longo de mais de três décadas, de forma contínua, persistente e abnegada, a uma luta perseverante, que chegou ao fim a 19 de março de 1998 e que elevou, finalmente, Vizela a Concelho.

VALENÇA CELEBRA FERIADO MUNICIPAL – DIA DE SÃO TEOTÓNIO

Valença celebra o Feriado Municipal em honra de São Teotónio - O Primeiro Santo Português, a 18 de fevereiro, homenageando as personalidades e instituições valencianas que se destacaram no último ano.

Na sessão solene, o Município de Valença, vai atribuir a Medalha de Mérito Municipal à jornalista Fátima Campos Ferreira, ao artista Marco Santos, à Casa Toga, ao Centro Humanitário de Valença da Cruz Vermelha Portuguesa, à ASRAR - Associação Social e Recreativa dos Aposentados e Reformados do Concelho de Valença e a título póstumo a Paulo Pacheco, Presidente da União de Freguesias de Gondomil e Sanfins.

Outro dos momentos de destaque das comemorações prende-se com a apresentação do livro "São Teotónio - O Primeiro Santo Português - De Valença para o Mundo", da autoria de Secundino Cunha, que pretende reforçar a importância da figura de São Teotónio para a identidade valenciana.

A sessão decorrerá às 11h00, na sede da Junta de Freguesia de Ganfei, contando com momentos musicais a cargo da Academia de Música da Fortaleza de Valença.

Programa das Comemorações

9h – Içar da Bandeira / Hino, com a participação da Associação Musical de São Pedro da Torre, nos Paços do Concelho.

9h15 - Deposição de Coroa de Flores a São Teotónio, na Coroada - Fortaleza de Valença.

9h30 – Deposição de Coroa de Flores a São Teotónio, no lugar de Tardinhade – Ganfei.

9h45 – Missa e Procissão, com a participação da Associação Musical de São Pedro da Torre, na sede da Junta de Freguesia de Ganfei.

11h15 – Sessão Solene do Feriado Municipal, na sede da Junta de Freguesia de Ganfei com intervenções do Presidente da Assembleia Municipal e do Presidente da Câmara Municipal.

12h30 – Apresentação do Livro “São Teotónio, o Primeiro Santo Português de Valença para o Mundo”, de Secundino Cunha.

16h00 - Concerto do Coral Polifónico São Teotónio - 38º aniversário na sede da Junta de Freguesia de Ganfei

𝗦𝗮̃𝗼 𝗧𝗲𝗼𝘁𝗼́𝗻𝗶𝗼 | 𝟭º 𝗦𝗮𝗻𝘁𝗼 𝗣𝗼𝗿𝘁𝘂𝗴𝘂𝗲̂𝘀

Nasceu em 1082 na freguesia de Ganfei e faleceu, em Coimbra, a 18 de Fevereiro de 1162. São Teotónio é o primeiro santo português, celebrado como o reformador da vida religiosa. Conhecido como padroeiro dos cristãos escravizados, por ter amparado 1000 moçárabes, capturados numa incursão à Andaluzia por D. Afonso Henriques.

Feriado Municipal de Valença.jpg

VALENCIANO SÃO TEOTÓNIO FOI O PRIMEIRO SANTO PORTUGUÊS

São Teotónio, o primeiro santo português que ajudou a fundar Portugal

São Teotónio nasceu em Valença, em 1002, tendo sido criado pelo seu tio-avô e Bispo de Coimbra, D. Crescónio. Formado em Teologia e Filosofia em Coimbra e Viseu, tornar-se-ia Prior da Sé desta cidade em 1112.

123251604_2785596091698740_8478589436715508195_n.p

Peregrinou por duas vezes à Terra Santa. Quando regressou da primeira, foi-lhe oferecido o Bispado de Viseu, que recusou. Ao voltar da segunda, em 1131, fundou com outros dez homens de grande virtude o Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra, tornando-se o seu primeiro prior, revelando-se um membro eminente e muito admirado, nomeadamente por S. Bernardo de Claraval.

Em 1153 o Papa Adriano IV quis fazer de São Teotónio Bispo de Coimbra, seguindo o legado do seu tio-avô, mas o santo recusou.

São Teotónio assumir-se-ia desde cedo como um fervoroso apoiante da independência portuguesa, sendo inclusive conselheiro de D. Afonso Henriques. Tido como homem muito respeitado e de grande valor, terá sido ele a convencer o Rei a libertar milhares de moçárabes que tinham sido feitos cativos na sequência da guerra de Reconquista realizada pelas tropas portuguesas.

São Teotónio foi um importante participante no processo político-religioso que culminaria com o reconhecimento da independência de Portugal pelo Papa Alexandre III em 1179, com a bula “Manifestis Probatum”.

Falecido a 18 de fevereiro de 1162, não chegaria a assistir a tal momento marcante da História portuguesa, tendo sido sepultado numa capela do Mosteiro de Santa Cruz, mesmo ao lado do local onde se encontra o túmulo de D. Afonso Henriques.

Em 1163, um ano após a sua morte, o Papa Alexandre III canonizou-o, tornando-se deste modo São Teotónio o primeiro santo português reconhecido pela Santa Sé. O seu culto foi espalhado pelos agostinianos um pouco por todo o mundo, sendo até aos dias de hoje o santo padroeiro da cidade de Viseu e da respetiva diocese. É ainda padroeiro da sua terra natal, Valença.

No concelho de Odemira, uma extensa freguesia foi também batizada com o nome do santo, que evidentemente é também seu padroeiro. A Igreja Católica celebra-o no dia da sua morte, 18 de fevereiro.

Fonte: Miguel Louro / Nova Portugalidade

O CARNAVAL EM PONTE DE LIMA (1865-1868)

208729_101247583218603_958817_n.jpg

  • Crónica de José Sousa Vieira

A discordância quanto à etimologia da palavra Carnaval, a sua ancestralidade, como remanência possível de festejos de gregos e ou de romanos, a forma hábil como a cultura cristã o tentou adaptar, a ligação, a partir do séc. VI, segundo alguns, à Quaresma, que cerca de dois séculos antes terá entrado para o calendário litúrgico, possivelmente nunca preocupou as mentes da quase totalidade dos foliões que, geração após geração, não perderam, nem perdem, a oportunidade de nele participar de forma activa.

Em Ponte de Lima, o advento da imprensa escrita permite acompanhar alguns desses festejos.

Em 1865, já lá vão quase 159 anos, o O Lethes n.º 9, de 3 de Março, descreve como decorreram os bailes de máscaras em “todos os três dias de Carnaval”, no primeiro andar da casa do Sr. José Brandão, no Largo de Além da Ponte, e no Paço do Marquês de Ponte de Lima.

Pouco concorridos, os de “Além”, muito participados, de mascarados e espectadores, o que leva a crer “que estes são os divertimentos que mais interesse inspiram aos nossos conterrâneos”, os do Paço, ali na proximidade da Câmara Municipal, edifício onde também estava instalado o Teatro D. Fernando, que, de portas fechadas, cumpria mais uma proibição, recorrentes durante a sua existência.

“O Salão do Paço era vistosamente decorado. O plano de divisão tirava tudo à forma porque se achava a sala do antigo Café Concerto, em Lisboa. A parte da galeria, que formava a cabeceira do salão, era adornada de quase todas as elegantes que compõem a nossa mais selecta sociedade(...)”, descrevia o articulista, que não deixou de invectivar os adversários políticos ao pormenorizar algumas das mascaradas (O Lethes, numa alegoria ao jornal; Baco; as velhas janotas; o romeiro; o terror do tanas).

E é, fundamentalmente, em tom de confronto que, no mesmo texto, se descreve “um desacato às cousas sagradas”. “Um espectáculo indigno, novo porém nos fastos deste concelho (..)”

“Em parte alguma se consente que este ao aquele, por ignorância ou malevolência faça a mais insignificante alusão aos actos da nossa religião, da religião do Estado(1), ridicularizando-a.”

“Na quadra do Carnaval os editais de polícia lembram sempre a proibição de tal prática como incriminada e punida pelas nossas leis.”

Não obstante, numa “insolente mascarada dos que precedem o fúnebre préstito do Cristo morto”, entraram no “salão dos mascarados de matraca em frente, com os competentes fogaréus, seis homens, que para melhor semelharem os farricocos, envergaram os vestidos que estes usam, e se acham depositados na Santa Casa da Misericórdia desta vila”.

“Sacrilégio igual jamais houve no centro de uma povoação católica como esta se presa de ser”, e tudo na presença da autoridade administrativa que, impassível, “contemplou tal desacato”.

Termina, o articulista, pedindo, ao governador civil, a punição severa dos autores e cúmplices, e antes escreve que este “concelho está confiado ao Srs. Gonçalo Manoel da Rocha Barros e José Pereira de Sá Sotto-maior, aquele administrador do concelho, este substituto, e na actualidade no exercício das respectivas funções (...) e a Santa Casa da Misericórdia desta vila (...) entregue à vigilância e solicitude do Sr. padre António da Feitosa e Tenente Coronel, José Francisco Pereira & C. (...)”, numa clara tentativa do envolvimento destes adversários políticos no “desacato às cousas sagradas”.

Em 1866 e 1867, no Teatro D. Fernando, em benefício das Irmandades da Senhora das Dores e de S. João Baptista, são anunciados diversos bailes de máscaras.

No ano seguinte, 1868, os bailes efectuam-se no Teatro D. Fernando e no Hotel dos Dois Amigos, no Pinheiro.

Segundo o Echo do Lima, n.º 157 de 27 de Fevereiro, no “teatro a concorrência de máscaras (...) foi diminuta. Em compensação no Hotel dos Dois Amigos houve muita animação (...)” e “dançou-se entusiasticamente até às 4 horas da manhã”.

(1) Em Portugal, a Lei da Separação entre o Estado e a Igreja foi publicada a 20 de Abril de 1911, na sequência da implantação da República, em 1910. Esta lei provocou diversos conflitos, incluindo o corte de relações diplomáticas do Vaticano com Portugal.

422033614_7566465983363355_5241678638003373927_n.jpg

CERVEIRA HOMENAGEIA HERÓIS DE 1809

O Município de Vila Nova de Cerveira vai assinalar a “Comemoração do 15 de Fevereiro – Homenagem aos Heróis de 1809”, precisamente no dia 15 de fevereiro, com um programa simples, mas carregado de simbolismo. Às 10h00, na Biblioteca Municipal decorre a formalização deste contrato de comodato no âmbito da segurança municipal, prosseguindo-se com a deposição de uma coroa de flores no monumento ‘Memória’, e no busto do Coronel Coelho de Araújo, com entoação do Hino Nacional.

De realçar que o 15 de fevereiro é uma data incontornável na história recente do Município de Vila Nova de Cerveira. Nesse dia, no ano de 1809, as tropas de Napoleão tentaram invadir Portugal pelo Minho, concretamente por Vila Nova de Cerveira, tendo sido repulsas pelas forças Lusas comandadas pelo Coronel Coelho de Araújo, cujo busto se encontra na Praça 15 de Fevereiro. Como homenagem a esses heroicos defensores do Minho durante a “Guerra Peninsular”, Vila Nova de Cerveira ergueu o monumento da ‘Memória’, cuja primeira pedra foi lançada a 15 de fevereiro de 1909, sob o reino de D. Manuel II.

FB_GNR.png

INSTA_GNR.png

BARCELOS: TERTÚLIA VAI RECORDAR COMISSÕES ADMINISTRATIVAS MUNICIPAIS

Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril ao longo de 2024

“Comissões Administrativas da Câmara Municipal de Barcelos: 1974-1976” é o tema da 2.ª Tertúlia do programa das Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, promovidas pelo Município de Barcelos. O evento realiza-se na próxima quinta-feira, pelas 21h15, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Imagem 1 (1).jpg

A Tertúlia, que vai ser moderada pelo Dr. Horácio Barra, terá como convidados três protagonistas políticos que integraram as Comissões Administrativas: Dr. António Seara, Sr. Carlos Coutada e Dr. António Reis.

Esta será uma excelente oportunidade para recordar episódios vividos nessa altura, percebendo-se como se organizava o poder político-administrativo logo a seguir à Revolução de Abril.

Recorde-se que a Câmara Municipal de Barcelos está a assinalar os 50 anos da Revolução do 25 de Abril com um conjunto de iniciativas ao longo de todo o ano de 2024. A primeira ação aconteceu a 12 de janeiro com a apresentação da Comissão Executiva e das linhas gerais do programa a que se seguiu a realização da Tertúlia “O Dia D”, que contou com a participação do Furriel Manuel Correia da Silva, do Cabo José Alves Costa e do Dr. Mário Vale Lima, numa conversa moderada pelo Dr. Victor Pinho.

A programação das Comemorações dos 50 anos da Revolução dos Cravos, que o Município de Barcelos vai promover ao longo de todo o ano, é muito diversificada e direcionada a todas as faixas etárias. Inclui um Ciclo de Tertúlias e Conferências – cerca de 12, nas quais serão discutidos os mais diversos assuntos relacionados com a Revolução; publicações diversas, casos do livro “Barcelos e o 25 de abril de 1974 - a Administração Local e a Sociedade (1960 - 1989)”, do historiador barcelense, Dr. Vítor Pinho; publicação com a identificação de todos os participantes da Assembleia Municipal desde o 25 de Abril, (edição da Assembleia Municipal de Barcelos); lançamento do livro “Herdeiro do Cravo”, de Francisco Duarte Mangas; concertos musicais com Sérgio Godinho, Fernando Tordo, Luca Argel, Anónimos de Abril, ainda os concertos “Que força é essa – a Força da Música de Barcelos”, Concerto Mil Vozes a Cantar Abril, a “Ópera - Pequena História de um Povo com Memória e a encerrar as comemorações um Concerto de Música Clássica. Estão também agendados dois cortejos mobilizando a comunidade educativa, concretamente o Desfile com as escolas do concelho de Barcelos e o Desfile Recriação Histórica, com os grupos de teatro do concelho de Barcelos, a apresentação de três peças de Teatro, poesia, cinema e concursos literários.

D. TAREJA: E FEZ VILA O LUGAR DE PONTE! – PONTE DE LIMA RECEBEU O PRIMEIRO FORAL EM 4 DE MARÇO DE 1125

As naçôes todas são mystérios. / Cada uma é todo o mundo a sós. / Ó mãe de reis e avó de impérios, / Vella por nós! – Fernando Pessoa

800px-D._Teresa,_mãe_de_D._Afonso_Henriques_-_História_de_Portugal,_popular_e_ilustrada (1).png

Teresa de Leão – Condessa do Condado Portugalense e mãe de D. Afonso Henriques que viria a tornar-se o o primeiro Rei de Portugal – atribuiu a Ponte de Lima a sua carta de foral há precisamente 899 anos. Ponte de Lima vai celebrar no próximo ano 9 séculos de História.

A infanta do reino de Leão nasceu na Póvoa de Lanhoso por volta de 1080 tendo aí falecido em 11 de Novembro de 1130, encontrando-se os seus restos mortais na Sé de Braga onde se encontram, junto ao túmulo de seu marido, o Conde D. Henrique, para onde foran transferidos por ordem do Rei D. Afonso Henriques.

 

Braga_March_2016-40.jpg

Traslado requerido pelo concelho ao rei D. Fernando, datado de 1377.

PT-TT-FC-001-439_m0001_derivada.jpg

PT-TT-FC-001-439_m0002_derivada.jpg

PONTE DE LIMA COMEMORA NO PRÓXIMO MÊS DE MARÇO 899 ANOS DE HISTÓRIA – FORAL DE D. TERESA FOI ATRIBUÍDO EM 4 DE MARÇO DE 1125

As Comemorações dos 900 do Foral de Ponte de Lima decorrem entre 2023 e 2025! Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, preside à Comissão de Honra!

O município limiano pretende assinalar os 900 anos de existência da Vila de Ponte de Lima através de um conjunto de iniciativas e de manifestações culturais que decorrerão até 2025, ano em que serão evocados os nove séculos da história de Ponte de Lima.

15665728_LzurW.jpeg

A propósito das comemorações, o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Vasco Ferraz, salientou que “os próximos tempos, naturalmente que com uma maior concentração durante o ano de 2025, trarão aos limianos e a todos os que nos visitam uma série de iniciativas e de manifestações culturais para evocar os nove séculos da nossa história”.

Entretanto, para assinalar a efeméride foi criada uma Comissão de Honra, presidida pelo Presidente da República, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, que será “composta por personalidades nacionais de várias áreas da vida pública, desde o ensino à atividade política, passando pelo desenvolvimento empresarial e a sociedade civil, que fizeram ou têm feito um contributo único para o aprofundamento do carácter e da herança social, histórica e cultural do País e de Ponte de Lima, assim como para a sua projeção além dos limites geográficos da Nação.”

Durante a sessão solene de ontem, dia 4 de março de 2023, onde se assinalaram os 898 anos do Foral atribuído por D. Teresa, o município limiano apresentou oficialmente a logomarca comemorativa dos 900 anos de Ponte de Lima, que surge associada aos arcos da ponte medieval da vila, assim como um website oficial das comemorações: http://www.pontedelima900.pt/index

1185174_509493135797871_2094814268_n.jpg