Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GUIMARÃESHOPPING APOSTA NA SEGURANÇA

GuimarãeShopping implementou medidas adicionais para garantir segurança de visitantes, lojistas, prestadores de serviços e colaboradores

No âmbito do Plano de Desconfinamento decretado pelo Governo e consequente autorização para reabertura das atividades que tinham o seu funcionamento suspenso, o GuimarãeShopping vem comunicar as medidas de prevenção e contenção estabelecidas para controlo do novo coronavírus, garantindo a segurança dos visitantes, lojistas, prestadores de serviços e colaboradores.

39686de272d71a4fccca8f4c1bc23198.jpg

“O GuimarãeShopping reabre na próxima segunda-feira, dia 1 de junho, as atividades que estavam suspensas, em articulação com as autoridades de saúde e governamentais. A nossa prioridade é garantir aos visitantes, aos lojistas, aos prestadores de serviços e aos colaboradores um ambiente seguro e confortável e neste sentido implementámos um conjunto de medidas, incluindo a instalação de dispensadores de gel desinfetante em todas as entradas do Centro e a colocação de sinalética e avisos através do sistema de som das boas práticas de conduta social, com especial ênfase para a necessidade de cumprir com o distanciamento de 2 metros”, afirma Miguel Castro, diretor do GuimarãeShopping.

FALECEU A VIMARANENSE MARTA MENDES, RELIGIOSA DA ALIANÇA DE SANTA MARIA

A 17 de Maio, aos 35 anos de idade e na sequência de uma hemorragia cerebral ocorrida a 13 de Maio, faleceu a irmã Marta Mendes, religiosa da Aliança de Santa Maria, congregação com presença em Fátima desde há anos.

1614_irmarta_asm_2_5ec259aeebfd1.jpg

Nascida em Guimarães, a 29 de Outubro de 1984, a irmã Marta pertencia à Congregação da Aliança de Santa Maria, desde o dia 1 de Janeiro de 2006, tendo professado os seus votos perpétuos a 21 de Novembro de 2015, em Fátima.

Licenciada em Ciências Religiosas pela Universidade Católica Portuguesa, a irmã Marta encontrava-se a terminar o mestrado em Discernimento Vocacional e Acompanhamento Espiritual na Escola de Formadores de Salamanca.

A maior parte do seu serviço à Igreja foi orientado para o trabalho pastoral juvenil e vocacional da sua congregação nas dioceses onde residiu, nomeadamente, Aveiro, Lisboa e Leiria-Fátima. Actualmente, era Mestra de Noviças e fazia parte do Governo-Geral da Aliança de Santa Maria.

“Damos graças a Deus pelo dom que a Irmã Marta foi para a sua família, para a nossa Congregação, para a Igreja e para tantos e tantas que com ela se cruzaram e foram tocados pela sua vida. Estamos certas de que o testemunho do seu amor a Deus, o Amado do seu coração, continuará a iluminar a nossa caminhada de fé”, testemunham as irmãs da Aliança de Santa Maria, que agradecem “todos os gestos de presença amiga e de conforto na fé que nos têm chegado e que também nos sustentam nesta hora”.

Fotografia enviada pela congregação ASM / Fonte: https://www.noticiasdefatima.pt/

GUIMARÃES: FESTIVAL DE CIÊNCIA ONLINE (TAMBÉM) TEM A MARCA DO CURTIR CIÊNCIA

Dos vários contributos para este Festival (16 de maio, das 16:00 às 19:00 horas), destaca-se a participação de Mohan Munasinghe, Prémio Nobel da Paz e elemento de relevo da Comissão de Acompanhamento de Guimarães Capital Verde Europeia

Mohan Munasinghe _ ccvg.jpg

Nada melhor do que celebrar o Dia Nacional dos Cientistas (16 de maio) do que com um Festival de Ciência Online. Uma celebração da ciência e dos cientistas como motor para o progresso social.

O festival tem, também, a marca do Curtir Ciência. De facto, o Centro Ciência Viva de Guimarães participou de forma ativa, ao longo de várias semanas, nas reuniões de trabalho com vista à definição da grelha final das três horas de emissão deste festival. Entre outras propostas apresentadas pelo Curtir Ciência, surge, com destaque, a participação de Mohan Munasinghe, Prémio Nobel da Paz em 2007 (ao lado do ex-vice-presidente dos EUA Al Gore).

Munasinghe, uma das vozes mais autorizadas do mundo em matéria de alterações climáticas, integra a comissão de acompanhamento da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. De resto, o Prémio Nobel faz sempre questão de referir a sua ligação a Guimarães. Na curta entrevista concedida especificamente para este Festival de Ciência Online, Munasinghe começa por falar em Português e por saudar de forma particular a cidade de Guimarães.

“A nossa preocupação passou sempre por participar neste festival que celebra o papel da ciência e dos cientistas com alguém de renome. Mohan Munasinghe foi a primeira escolha, por ser um cientista renomado, distinguido com o Nobel da Paz e por se dedicar à cada vez mais fulcral questão das alterações climáticas. Em contexto de pandemia faz todo o sentido este olhar para o futuro do ponto de vista ambiental, discutindo o tipo de desenvolvimento que queremos para o nosso planeta”, refere Sérgio Silva, Diretor Executivo do Curtir Ciência.

O Festival de Ciência Online é a homenagem da Rede Nacional de Centros Ciência Viva ao trabalho dos investigadores que, através das suas conquistas, possibilitam avanços imprescindíveis para melhorar a qualidade de vida das populações em áreas como a saúde, a educação, o ambiente, a tecnologia, entre muitas outras. Do programa fazem parte sprintalks, visitas virtuais, atividades, desafios, e outras surpresas.

Contando com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o festival pode ser acompanhado, das 16.00 às 19.00, em www.cienciaviva.pt/festival/ ou bit.ly/YouTube_FestivalCienciaOnline.

METRO DE LISBOA REATIVA PAINÉIS DO ARTISTA VIMARANENSE JOSÉ DE GUIMARÃES NA ESTAÇÃO DE CARNIDE

Metro reativa painéis de néon de José de Guimarães na Estação Carnide | 18h00

O Metropolitano de Lisboa concluiu um conjunto de trabalhos técnicos que permitiram a reposição e a ligação dos painéis artísticos de néon existentes na estação de Carnide, de autoria do artista plástico José de Guimarães.

800px-José_de_Guimarães_(2019).jpg

Estes painéis, que serão ligados a partir das 18h00 de hoje, encontram-se desativados desde 2011, tendo o Metropolitano de Lisboa procedido aos trabalhos necessários à reposição do seu funcionamento, os quais vêm sendo desenvolvidos desde novembro de 2019.

Os painéis de néon, que serão agora reativados, encontram-se nos dois topos do átrio e do cais da estação que foi inaugurada em 1997, aquando do prolongamento da linha Azul entre as estações  do Colégio Militar e da Pontinha,  e conta com arquitetura de Sérgio Gomes e intervenção plástica de José de Guimarães.

Assim, quem passar pela estação Carnide poderá regressar ao passado e à origem do mundo, através de um conjunto de cores, linhas e luzes, que se acendem e apagam a um ritmo cadenciado.

Estes trabalhos evidenciam o compromisso do Metropolitano de Lisboa junto das populações que habitam e/ou trabalham na Área Metropolitana de Lisboa e o seu empenho para a melhoria progressiva da qualidade do serviço que diariamente presta aos seus clientes.

QUEM É JOSÉ DE GUIMARÃES?

Nascido em 25 de Novembro de 1939, em Guimarães, José de Guimarães é considerado um dos principais artistas plásticos portugueses de arte contemporânea, tendo uma vasta e notável obra na pintura, escultura e outras atividades criativas, o que faz com que seja dos mais galardoados artistas portugueses. Muitas das suas obras estão expostas em diversos museus europeus, bem como nos Estados Unidos da América, Brasil, Canadá, Israel e Japão.

Mais recentemente, em Portugal, José de Guimarães teve um forte envolvimento com a Capital Europeia da Cultura, em Guimarães, que viu nascer o Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), integrado na Plataforma das Artes e da Criatividade. A própria Imprensa Nacional-Casa da Moeda assinalou a Capital Europeia da Cultura através da cunhagem de uma moeda comemorativa da autoria do artista plástico. Já em 1990 foi-lhe concedido pelo então Presidente da República Portuguesa, Mário Soares, o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.

Ingressou na Academia Militar e no curso de Engenharia na Universidade Técnica em Lisboa em 1957. Iniciou a sua formação artística no ano seguinte assistindo a aulas de pintura com Teresa Sousa e Gil Teixeira Lopes e estudando gravura na Sociedade Cooperativa de Gravadores Portugueses. Entre 1961 e 1966, viajou pela Europa, conhecendo de perto a obra de antigos mestres (entre os quais Rubens) e concluiu a licenciatura de Engenharia. A sua carreira "definir-se-ia pela descoberta de regiões distantes e incomuns, de África ao Japão, do México à China. Cada uma destas culturas estimulou-o a desenvolver uma linguagem universal e a transmitir um universo imaginário que, afinal, reaviva a memória da própria História portuguesa, feita de enriquecedoras relações com países longínquos".

Fonte: Wikipédia

UNIDADES DE SAÚDE DO PORTO E VILA POUCA DE AGUIAR USAM AJUSTADORES DE MÁSCARAS PRODUZIDOS NO CURTIR CIÊNCIA

O que há de comum entre as unidades de saúde familiar Porto Douro e Aníbal Cunha, ambas do Porto, e o Centro de Saúde de Vila Pouca de Aguiar?

Em todos estes três serviços de saúde, as equipas médicas e de enfermagem usam os ajustadores de máscaras produzidos nas impressoras 3D do Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães.

ajustadores.jpg

Quando deu início à produção de material de proteção, o Curtir Ciência estava longe de imaginar que os pedidos surgiriam das mais diversas proveniências. Instituições e profissionais de saúde manifestaram desde logo um grande interesse nas peças. Além dos serviços locais que manifestaram interesse, os pedidos chegaram também de fora do concelho. Só no Centro de Saúde de Vila Pouca de Aguiar são cerca de 50 os profissionais, entre médicos, enfermeiros e auxiliares que dão uso às peças produzidas no Curtir Ciência. No caso das duas unidades do Porto, o número de profissionais é mais do dobro.

O Curtir Ciência aproveitou o período de confinamento para produzir material de proteção, colocando os seus meios técnicos e humanos ao serviço do esforço de mitigação da pandemia. Os objetivos iniciais – produzir 200 viseiras – depressa tiveram que ser revistos em virtude dos pedidos. Em breve, o Centro Ciência Viva de Guimarães iniciará a distribuição de mais de 1000 viseiras por instituições ligadas à saúde, educação e proteção civil.

No caso das peças ajustadoras, os pedidos surgiram sobretudo de profissionais de saúde. E percebe-se porquê. Toda a gente já deve ter visto os efeitos do uso continuado das máscaras, em particular nas orelhas, devido à força dos elásticos. “Estas peças permitem segurar as máscaras sem necessidade de prender os elásticos nas orelhas. São maleáveis o suficiente para se adequarem ao contorno da nunca de cada utilizador”, elucida Sérgio Silva, Diretor Executivo do Curtir Ciência.

Para conseguir responder às solicitações, o Curtir Ciência teve que aumentar a sua capacidade produtiva. Nesse esforço contou com o contributo solidário do Clube Ciência Viva da Escola Abel Salazar, de Ronfe, através da cedência de duas impressoras 3D.

GUIMARÃES ACOLHE CONCERTO DE ARIANNA CASELLAS ATRAVÉS DO FACEBOOK

Com raízes na Venezuela, Arianna Casellas estreia o EP “Concepto de Madre”. CLAV LIVE SESSION I Arianna Casellas. Dia 1 de maio pelas 19h00 

No EP editado pela Discos de Platão, Arianna Casellas canta o seu proto diário de viagem: uma mensagem metida em garrafa de vidro e atirada a um mar qualquer; um percurso de escadarias cujas direções não se entendem mas são giras de ver.

Arianna1.png

Este disco navega por entre histórias de aventuras, nostalgia e muita família, acompanhado por sonoplastias discretas que espreitam nos momentos narrados das canções.

Apercebeu-se então uma paisagem sonora de memórias, projeções e emoções dignas de um pirata maroto. Ou talvez só de alguém ainda bastante jovem, defendida pelos objetos aleatórios que usou para gravar as sonoplastias que acompanham as secções narradas das canções, do seu fiél Cuatro venezuelano e pela bravura do seu coração. 

Pretende não cair no típico belo nas suas explorações/composições musicais e vocais. Às vezes, aceita a sua sina e a agradabilidade de, de facto, cantar bem. Trabalha também com os Melifluo, com os Sereias e Zygosis.

Para ela, as canções são fundamentais, tal como o vinho à refeição.

Arianna Casellas nasceu na Venezuela, e de momento encontra-se a terminar a licenciatura na Faculdade de Belas Artes do Porto.

Apesar da situação atual relativa ao surto epidémico de impedir a realização de concertos, o mesmo será apresentado na Plataforma CLAV LIVE SESSIONS do Centro e Laboratório Artístico de Vermil no dia 01 de maio pelas 19h00.

Este concerto em formato Live Streaming será transmitido na rede de Facebook do CLAV-Centro e Laboratório Artístico de Vermil e na rede de Facebook do Comunidade Cultura e Arte.

ariannacasellas.jpg

VIZELA APOIA HOSPITAIS DE GUIMARÃES E FELGUEIRAS

Câmara entrega 7000 máscaras aos Hospitais de Guimarães e Felgueiras e ao ACES do Alto Ave

Na sequência do surto da nova estirpe de coronavírus SARS-COV-2, foi decretado o Estado de Emergência Nacional, tendo sido decretadas pela Presidência do Concelho de Ministros, um conjunto de medidas de ordem preventiva e restritiva, designadamente deveres de confinamento obrigatório e de especial proteção, para evitar a transmissão da doença na comunidade.

hospitalguimaraes.jpg

De igual modo, tendo em consideração a atual situação evolutiva do surto epidémico, o Município de Vizela implementou o respetivo Plano de Contingência Municipal e adotou, ainda, um conjunto de medidas excecionais com âmbitos temporais e de aplicação diferenciados, designadamente no combate ao surto, no estímulo à recuperação económica e na proteção social.

Neste seguimento, a Câmara Municipal, com contributo de vários empresários do nosso Concelho e da nossa região, está a entregar um kit às IPSS do Concelho, de onde cumpre destacar a Santa Casa da Misericórdia de Vizela, o Centro Social e Paroquial de Santa Eulália, o Centro Social e Paroquial de S. Miguel e a AIREV, e ainda às Unidades de Saúde Familiar do Centro de Saúde de Vizela e aos Bombeiros Voluntários de Vizela.

Assim, a Câmara Municipal está agora a entregar máscaras cirúrgicas oferecidas pelo empresário vizelense Paulino Moura, proprietário da empresa Atrai que, face as relações profissionais que mantém com China, conseguiu adquirir essas máscaras em tempo recorde para oferecer ao concelho de Vizela.

Assim, no decorrer do dia de hoje foram entregues 7000 máscaras nos Hospitais de Guimarães e Felgueiras e no ACES do Alto Ave, apoiando estas instituições na prevenção e combate, ajudando a colmatar a falta destes artigos junto da comunidade.

De destacar que a Câmara Municipal de Vizela tem acompanhado atentamente a evolução do surto epidémico do COVID-19 no concelho e tomado as medidas necessárias para informar a população e apoiar as várias instituições para fazer face às necessidades acrescidas vividas neste momento, efetuando também uma reavaliação diária das medidas de prevenção adotadas e a adotar de modo a prevenir e conter a respetiva propagação.

CLAV LIVE SESSION I PEDRO EMANUEL PEREIRA

Apresentação do Sons da Minha Terra, dia 25 de abril pelas 19h00

O pianista e compositor Pedro Emanuel Pereira apresenta o seu mais recente trabalho discográfico.

93793693_240873367320729_553001052522151936_n.jpg

Depois do tremendo sucesso de “Russian Journey”, um álbum inteiramente dedicado a obras de compositores russos, o pianista marca o regresso às suas origens revelando um modo de compor e improvisar diferentes. “Sons da Minha Terra” é um álbum que dá a conhecer as sonoridades da terra natal do pianista vimaranense, mas também da nobre alma portuguesa num dos tempos mais obscuros da sua história. 

Num conjunto de 10 canções para piano, que incluem uma improvisação sobre os temas do Hino de Guimarães e do Hino de Portugal, Pedro Emanuel Pereira explora com singular mestria uma nova abordagem que incorpora reminiscências da música tradicional portuguesa aliada à música de tradição erudita e clássica. 

Apesar da situação atual relativa ao surto epidémico de impedir a realização de concertos, o mesmo será apresentado na Plataforma CLAV LIVE SESSIONS do Centro e Laboratório Artístico de Vermil no dia 25 de Abril pelas 19h00.

Neste concerto será apresentado  “Sons da Minha Terra” que conta também com o lançamento da majestosa improvisação sobre temas de José Afonso “ Sons de Abril”.

Graduado com distinção honorável pelo Conservatório de Moscovo e pelo Conservatório de Amesterdão, Pedro Emanuel Pereira foi vencedor de inúmeras competições internacionais de piano.

Considerado um dos mais proeminentes pianistas da sua geração, Pedro Emanuel Pereira apresenta-se com a sua própria arte e visão do mundo, moldada pela jornada de sucesso que tem acompanhado a sua carreira na música erudita. A partir da sua abordagem num instrumento orquestral que venera, é através das teclas de um piano que personifica vivências, histórias e a cultura musical portuguesa, que se ouve a partir da brilhante poesia e dos diferentes estilos que explora.

Este concerto em formato Live Streaming será transmitido na rede de facebook do CLAV-Centro e Laboratório Artístico de Vermil e na rede de Facebook do Comunidade Cultura e Arte. 

GUIMARÃES PRODUZ SUPORTES PARA MÁSCARAS

Depois das viseiras, Curtir Ciência produz suportes para máscaras. As impressoras 3D do Centro Ciência Viva de Guimarães estão a produzir peças para segurar as máscaras, evitando assim o uso dos elásticos

Se a procura aumenta, a oferta tem que conseguir acompanhar essa tendência. Depois de ter começado uma fase de produção de viseiras de proteção para oferecer às equipas que estão no terreno no âmbito da pandemia covid-19, o Centro Ciência Viva de Guimarães decidiu aumentar a sua capacidade de resposta face aos pedidos que foram surgindo.

image001vimar.jpg

Quando o Curtir Ciência decidiu aderir à enorme cadeia de solidariedade que varre o país, colocando os seus meios técnicos e humanos ao serviço do esforço de mitigação da pandemia, tinha como meta a produção de duas centenas de viseiras de proteção. Só que, explica Sérgio Silva, diretor do Centro, “registou-se uma procura assinalável de material de proteção e fomos contactados por profissionais de saúde, por dirigentes de instituições que nos pedem este tipo de material”.

A capacidade de resposta do Centro tem limitações. As duas impressoras 3D não conseguem responder ao aumento da procura e aos pedidos. Já não só de viseiras de proteção, mas também de peças em pvc destinadas a segurar as máscaras normais. 

Toda a gente já deve ter visto na televisão reportagens sobre as consequências do uso continuado das máscaras, em particular nas orelhas, devido aos elásticos. As vulgares máscaras de proteção (máscaras cirúrgicas) prendem-se nas orelhas com um elástico. “Imagine-se o que é trabalhar 12 horas com uma máscara dessas. Estamos a produzir peças que permitem segurar as máscaras sem necessidade de prender os elásticos nas orelhas. Estas peças são maleáveis o suficiente para se adequarem ao contorno da nunca de cada utilizador. A sua grande vantagem é que evita que os elásticos tenham que ser presos nas orelhas, passam a encaixar nesta peça”, elucida Sérgio Silva.

Para conseguir responder às solicitações que chegam das várias entidades que compõem o Serviço Municipal e Proteção Civil e dos profissionais de saúde, o Curtir Ciência teve que aumentar a sua capacidade produtiva. Nesse esforço contou, para já, com o contributo solidário do Clube Ciência Viva da Escola Abel Salazar, de Ronfe, que teve a amabilidade de ceder duas impressoras 3D.

“Desta forma estamos a conseguir produzir as primeiras unidades destas peças que serão depois oferecidas em articulação com o Município de Guimarães”, conclui o diretor do Curtir Ciência.

Impressora 3D _ peças máscaras.jpg

CENTRO CIÊNCIA VIVA DE GUIMARÃES PRODUZ VISEIRAS DE PROTEÇÃO EM 3D

Material para oferecer a instituições do concelho que garantem ações no terreno neste período de pandemia

O Centro Ciência Viva de Guimarães está a produzir viseiras para distribuir pelos profissionais que permanecem no terreno nesta fase de pandemia. Os equipamentos estão a ser impressos nas impressoras 3D do Centro e serão entregues a instituições do concelho.

image001vimguima.jpg

“O Curtir Ciência entendeu aproveitar esta pausa imposta pela Covid-19 para, por um lado, continuar a garantir atividade através dos meios que tem ao seu dispor e, por outro, para dar o seu contributo neste enorme esforço que está a ser feito junto das populações”, explica Sérgio Silva, diretor do Centro Ciência Viva de Guimarães.

O centro adquiriu o material necessário, como os acetatos de PVC que garantem a proteção e os elásticos que seguram as peças que são produzidas nas impressoras 3D.

A intenção é produzir duas centenas de viseiras para distribuir, de forma gratuita e em articulação com o Município de Guimarães, por instituições concelhias que estão no terreno em contacto com populações mais vulneráveis ou a assegurar atividades fundamentais, como no caso dos bombeiros.

Atualmente as impressoras 3D do Curtir Ciência encontram-se em produção contínua de suportes, com o envolvimento dos profissionais do Centro que asseguram as tarefas de corte, furação e montagem de acetatos.

Esta ação de responsabilidade social segue-se a outras que o Curtir Ciência desenvolve com periodicidade ao longo do ano. Sérgio Silva recorda, por exemplo, a colaboração com o serviço de Pediatria do Hospital Senhora da Oliveira e com instituições que lidam com grupos mais vulneráveis da população, como sejam idosos e crianças e jovens institucionalizados.

“Temos essa responsabilidade de ligação afetiva e efetiva com a comunidade de que fazemos parte. Neste período sem igual que estamos a viver, o Curtir Ciência não podia deixar de dar o seu contributo para tentar minimizar os efeitos desta pandemia”, conclui Sérgio Silva.

CENTRO CIÊNCIA VIVA DE GUIMARÃES PROMOVE ATIVIDADES À DISTÂNCIA PARA FAZER EM CASA

Jogos, experiências científicas, desafios e concursos a pensar nas famílias em isolamento social neste tempo de pandemia. Programa arranca segunda-feira, dia 13 de abril

image001guimcentrcienviva.jpg

O Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães, que está encerrado ao público em virtude da pandemia, vai iniciar uma nova fase de atividades à distância. A partir de segunda-feira, 13 de abril, a Ciência vai ter com as pessoas, através de um programa que inclui desafios, passatempos, curiosidades, histórias, experiências científicas e muito mais! Tudo para Curtir Ciência em Casa!

“É uma forma de colocarmos os nossos recursos, técnicos e humanos, ao serviço da comunidade neste momento extremamente complexo que estamos a viver”, explica Sérgio Silva, diretor do Centro Ciência Viva de Guimarães.

Numa primeira fase após o encerramento ao público, esclarece Sérgio Silva, “a equipa do Curtir Ciência esteve envolvida na preparação de novas atividades para desenvolver no pós-pandemia. Agora, numa segunda fase, e em articulação com o Município de Guimarães, optou-se por delinear um programa de atividades a pensar nas pessoas que se encontram em recolhimento preventivo, em casa”.

O programa Curtir Ciência em Casa arranca na segunda-feira, 13 de abril, com desafios diários lançados através das plataformas digitais e que tocam diferentes áreas científicas. 

Geólogos de Trazer por Casa

Um desafio para que miúdos e graúdos fotografem os elementos geológicos existentes em suas casas: o tampo do balcão da cozinha, as escadas, os pavimentos, os terraços… Depois é só enviar as fotos para que a equipa do Curtir Ciência identifique as rochas ou minerais (ou até fósseis). As fotografias serão publicadas nas redes sociais com referência aos seus autores.

Biodiversidade à Janela

Que sinais de vida (animais, plantas) conseguem observar a partir das janelas ou terraços lá de casa? Um desafio à partilha de fotografias por parte de quem está em casa.

Ilustradores em Casa

Um concurso que é um desafio à criatividade de cada um na área da ilustração. Podem ser sobre a natureza, a Ciência, pormenores de casa, ou sobre as experiências sugeridas pelo Curtir Ciência. Os trabalhos serão publicados nas redes sociais do Curtir Ciência e premiados.

Cientistas de Trazer por Casa

Conjunto de curtas e divertidas experiências científicas para fazer em casa.

Laboratório na Cozinha

Atividades ligadas à gastronomia molecular, e a outras temáticas, que podem ser feitas em grupo, em casa.

Quebra-cabeças

Jogos e desafios tendo sempre a Ciência por base.

Sabia Que?

Um espaço com curiosidades do universo científico.

Além deste programa de atividades à distância, o Curtir Ciência – Centro Ciência Viva de Guimarães está envolvido na produção de viseiras de proteção, com uso das suas impressoras 3D. O material de proteção será oferecido a instituições de Guimarães que estão envolvidos nos grandes esforços de contenção da Covid-19.

Além disso, o Curtir Ciência assegura neste período o atendimento pelos meios habituais: telefone 253510830  email geral@ccvguimaraes.pt.

O RIO LIMA E A VISÃO MÍTICA DO HADES

35922660_1749853358428503_3697575518795726848_n.jp

  • Crónica de Carlos Gomes

Quando no ano 163 Antes de Cristo, as legiões romanas comandadas por Decimus Julius Brutus chegaram à margem esquerda do rio Lima, elas temeram atravessá-lo por acreditarem tratar-se do mítico rio do esquecimento e, ao transporem-no, esquecerem-se para sempre da sua pátria e de si mesmos. Tal superstição foi desfeita quando o tribuno romano atravessou o rio e, da outra margem, chamou todos os seus soldados pelo seu próprio nome.

PONTE DE LIMA RECONSTRÓI AÇUDE DO RIO LIMA - BLOGUE DO MINHO

O sítio escolhido pelas legiões romanas para atravessar o rio Lima foi naturalmente aquele que entretanto entenderam por mais adequado para construírem a ponte que liga as duas margens, um troço da qual veio a ser reconstruído ao tempo do rei D. Pedro I em virtude de ter sido derrubado pelas fortes correntes.

Foi também o local onde mais tarde veio a nascer a vila de Ponte de Lima – no sítio exacto onde a ponte que servia a estrada militar via XIX que constava do Itinerário de Antonino e que ligava Bracara Augusta (Braga a Astúrica Augusta (Astorga), passando por Lugo e Tui, se cruza com o rio como duas importantes vias de comunicação à época! – e em relação ao qual os romanos baptizaram por Lethes, numa clara alusão ao mítico Lethes, um dos cinco rios que na mitologia grega banhava o Hades, representando a passagem da vida para a morte através de uma barca conduzida por Caronte.

A travessia era paga e, a comprová-lo, as moedas encontradas em muitas sepulturas romanas, colocadas na boca do defunto para garantir o seu pagamento.

800px-Lytovchenko_Olexandr_Kharon.jpg

Interpretação do século XIX da travessia do rio Lethes por Caronte, por Alexander Litovchenko.

 

Segundo a mitologia grega, o rio Lethes era um dos cinco rios que banhava o Hades. A passagem da vida para a morte constituía a travessia feita do rio Lethes – o rio do esquecimento – através de uma barca conduzida por Caronte. Foi aliás, baseado nesta crença que Gil Vicente escreveu os seus autos, mormente o Auto da Barca do Inferno.

Também Dante, na Divina Comédia, na segunda parte da obra dedicada ao Purgatório, descreve o Lethes como um rio de cujas águas os pecadores tinham de beber para apagarem da memória os seus pecados cometidos e, desse modo, entrarem no Paraíso.

Porém, uma das mais conhecidas descrições do Hades e, consequentemente do rio Lethes constitui a versão apresentada pelo poeta épico Homero na Ilíada e na Odisseia.

Como é sabido, os romanos assimilaram a cultura dos gregos, atribuindo novas denominações às suas divindades. Na Grécia antiga, Lethes significava literalmente “esquecimento”, constituindo um dos cinco rios que banhavam o Hades. Os demais eram o Aqueronte (rio da dor), Cocito (lamento), Flegetonte (fogo) e Estige (invulnerabilidade), os quais faziam a fronteira entre os mundos superiores e inferiores. Lete é também uma das náiades, filha da deusa Eris, senhora da discórdia, irmã de Algea, Limos, Horcos e Ponos.

A origem etimológica da palavra Inferno provém do latim infernum ou inferus e que significa literalmente “profundezas”, “lugares baixos”, aludindo a um local de sepultura. O equivalente ao termo hebraico sheol, não existindo nela qualquer indicação de local de fogo e tormento a que os maus estavam condenados. Aliás, tal ideia só veio a ser concebida por associação com a Geena – o vale de Hinom, fora das muralhas de Jerusalém – que era usado como lixeira e onde também eram lançados os cadáveres de pessoas consideradas indignas, sendo utilizado o enxofre para manter o fogo aceso e queimar o lixo. De resto, o termo Geena ocorre doze vezes nas Escrituras Sagradas, tendo Jesus usado o vale de Hinom para representar a destruição eterna.

Em Lucas (12:5), o evangelista refere-se à Geena com as seguintes palavras: “Mas, eu vos indicarei quem é para temer: Temei aquele que, depois de matar, tem autoridade para lançar na Geena. Sim, eu vos digo temei a Este”. E assim surgiu o Inferno como um local de padecimento!

Para trás ficou – qual rio do Esquecimento! – a crença no mítico rio Lethes que, séculos após a chegada das legiões romanas, passou a ser local de atravessamento de milhares de peregrinos, através da ponte que os romanos ali ergueram, com destino a Compostela para ali venerarem o apóstolo São Tiago Maior que, depois de ter andado pelo Minho – Braga, Guimarães e Rates – a tentar converter os pagãos, veio mais tarde segundo a tradição cristã a ser sepultado no local onde entretanto foi erguida a monumental catedral na Galiza.

ANTNIO~1

António Feijó

 

Também designado de Belion e pelo historiador e geógrafo grego Estrabão identificado como o mítico Lethes, o rio Lima continua a ser cantado pelos poetas, tendo em António Feijó porventura um dos seus maiores bardos:

 

Nasci á beira do Rio Lima,

Rio saudoso, todo crystal;

D'ahi a angustia que me victima,

D'ahi deriva todo o meu mal.

 

É que nas terras que tenho visto,

por toda a parte por onde andei,

Nunca achei nada mais imprevisto,

Terra mais linda nunca encontrei.

 

São águas claras sempre cantando,

Verdes colinas, alvôr d'areia,

Brancas ermidas, fontes chorando

Na tremulina da lua - cheia...

JORNAL INGLÊS “THE TELEGRAPH” DESTACA O MINHO NA SUA EDIÇÃO DO ...

MATINÉS NO CLAV LIVE SESSIONS

O CLAV-Centro e Laboratório Artístico de Vermil sediado em Guimarães, de forma a compensar a interdição à realização de concertos, vai realizar já a partir de sexta feira dia 27 um série de retransmissões das suas CLAV LIVE SESSIONS com o titulo de Matinês no CLAV LIVE SESSIONS Retransmissão. 

retransmissoes.jpg

O objetivo é recuperar algumas das suas CLAV LIVE SESSIONS e fazer a retransmissão em live na sua página oficial do Facebbok. 

 

27 de março pelas 18h00- Manuel de Oliveira; 

Conhecido como o guitarrista Ibérico, Manuel de Oliveira entrega às suas composições os reflexos de uma alma ibérica que lhe corre nas veias sem, contudo, deixar latente um respeito, uma veneração intemporal, pelas suas origens e tradições. Com um vasto percurso internacional, é um dos mais prolíficos guitarristas contemporâneos. Do seu currículo destaca-se a edição internacional do álbum “Amarte” e a presença em alguns dos mais importantes festivais europeus – “Emociona Jazz!!” (Espanha) e “Couleurs Jazz” França), ao lado de nomes como Brad Mehldau, Chick Corea, Mike Stern e Richard Galliano, entre muitos outros. Manuel de Oliveira concebeu “Os Nossos Afetos”, espetáculo da cerimónia de abertura da Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura, com Cristina Branco, Chico César e Rão Kyao. O mais recente “Ibéria Live”,
com os conceituados músicos fundadores do Flamenco Jazz - Jorge Pardo e Carles Benavent, esgotou o CCB e Casa da Música em 2016. Os últimos três anos têm sido de criação para guitarra solo e parcerias com a cantora Susana Travassos, a violoncelista
Sandra Martins, o acordeonista João Frade e Rão Kyao, entre outros. Deste processo nasce a digressão nacional [ENTRE], trabalho que será gravado ao vivo para edição em 2020

 

28 de março pelas 18h00 – Birds Are Indie; 

Os Birds Are Indie nasceram em Coimbra, em 2010, entre Ricardo Jerónimo e Joana Corker, que se apaixonaram há 22 anos e aos quais se juntou Henrique Toscano, um amigo de longa data. Banda independente, afirmou-se junto do público e da crítica, tendo tocado por todo o país e por Espanha, onde apresenta a sua forma peculiar de estar em palco. A sua discografia conta com vários EPs e 4 álbuns, sendo o mais recente "Local Affairs" editado na conimbricense Lux Records onde, mantendo as melodias pop e ao seu habitual intimismo, a banda mostra uma nova faceta, mais pujante e com arranjos mais elaborados. Nesta altura em que celebram 10 anos de história, estão a gravar um novo disco que será editado em 2020.

 

29 de março pelas 18h00 – Aníbal Zola; 

Aníbal Zola é um cantautor e contrabaixista do Porto, com formação académica em Jazz, que desde 2008 tenta utilizar a língua portuguesa como cúmplice no seu processo de composição. Em Março de 2018 lançou o seu primeiro álbum “Baiumbadaiumbé” onde se podem ouvir canções acompanhadas só pelo contrabaixo, canções gravadas em 2016, para um disco de Pato Sentido, que nunca saiu, e pequenos arranjos com vários instrumentos tocados pelo próprio. O primeiro disco resultou de pequenas demos que o tempo fez com que se transformassem em temas do seu primeiro trabalho. É um disco com um som muito particular onde se podem sentir influências da música brasileira nordestina (há um baião e um maracatú), elementos plásticos que remetem à música de Tom Zé e ao tropicalismo brasileiro, algum rock e algum folk anglo saxónico. Em 2018 apresentou o seu álbum por várias cidades do país e passou também pela Galiza, com espetáculos a solo (contrabaixo e voz) e em trio. O seu próximo disco tem lançamento agendado para Fevereiro de 2020. Valsa de Três Notas Só é o primeiro single do seu novo trabalho e já toca nas rádios.

Estas transmissões serão efetuadas na página do facebook do  CLAV-Centro e Laboratório e Artístico de Vermil e na Página do facebook  do Comunidade Cultura e Arte. 

ENCHENTE SOCIALISTA NA SEDE DO PS EM GUIMARÃES PARA APOIAR A CANDIDATURA DE RICARDO COSTA

A Sede do PS em Guimarães foi pequena para receber todos os militantes socialistas vimaranenses que quiseram participar na sessão de esclarecimento, inserida na agenda de campanha da Lista B, e, com confiança no seu projeto de mudança e de inovação, exprimir o seu apoio a Ricardo Costa na corrida à liderança da Federação Distrital de Braga do PS.

_MG_0328.jpg

No encontro realizado ontem, pelas 21:30, Ricardo Costa reforçou ao seu vasto auditório a motivação da sua candidatura ao cargo de presidente da Federação, assumindo-se como “candidato para servir o Partido Socialista e para servir uma comunidade”.

Como tem vindo a acontecer desde o início da campanha, Ricardo Costa reafirmou o seu compromisso de reforço e credibilização do PS do  distrito de Braga, de acordo com a sua importância populacional, económica, académica, desportiva, na concretização do projeto que irá conduzir o distrito e os nossos cidadãos a assumir uma voz ativa e exigente no contexto nacional, o que hoje não sucede com responsabilidades da atual direção do PS distrital.

Durante a sessão, os presentes puderam abordar diversas questões sobre os temas mais relevantes traçados quer para o Partido Socialista quer para as populações, procurando atestar a garantia de que serão  salvaguardados os interesses do distrito de Braga em concordância com os interesses do concelho de Guimarães.

_MG_0260.jpg

_MG_0265.jpg

_MG_0212.jpg