Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPAÇO GUIMARÃES APRESENTA O NOVO EQUIPAMENTO DO VITÓRIA SPORT CLUBE

23 de julho às 21h| Página de Facebook do Espaço Guimarães

O Espaço Guimarães, do grupo Klépierre, convoca todos os adeptos do Vitória Sport Clube a marcarem presença na apresentação do novo equipamento da equipa de futebol. Hoje, no dia 23 de julho às 21h, não perca o desfile exclusivo no perfil de Facebook do centro comercial para conhecer as novidades do seu clube para a nova temporada, em primeira mão.

JrzYb2V1.jpeg

Vai ser um momento imperdível para demonstrar o apoio ao Vitória na época 2021/2022 e ainda ter a oportunidade para ver alguns dos seus craques favoritos a desfilarem. O evento vai ser gravado no estádio do clube e transmitido em direto para que possa acompanhar todos os instantes de perto, a partir de casa.

Se quiser realmente vestir a camisola do seu clube preferido, visite a Vitória Store do Espaço Guimarães onde encontra hoje exclusivamente o merchandising oficial.

Descubra o novo equipamento do Vitória em primeira mão e torça pelo seu clube no Espaço Guimarães!

ESPAÇO GUIMARÃES LANÇA INICIATIVA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO ALIMENTAR

O Espaço Guimarães promove a economia circular para um futuro mais sustentável. O centro comercial quer ajudar os clientes a não desperdiçarem as sobras das suas refeições e lança uma iniciativa inovadora de combate ao desperdício alimentar.

Klépierre_Combate ao desperdício alimentar 1.jpg

A partir do mês de julho, vai poder levar para casa as sobras das suas refeições no food court do Espaço Guimarães. O centro comercial, gerido pela Klépierre, junta-se ao movimento desperdício zero e vai disponibilizar gratuitamente caixas de take-away no seu espaço de restauração.

Estima-se que os portugueses desperdiçam cerca de 1 milhão de toneladas de comida por ano. Se revertermos este número em refeições úteis, teríamos o suficiente para alimentar cerca de 360 mil pessoas com carências alimentares. São valores alarmantes aos quais a Klépierre não fica indiferente.

O jantar de hoje pode ser o almoço de amanhã – é a mensagem chave da iniciativa do centro comercial que pretende apelar a uma mudança de comportamento por parte dos clientes, sensibilizando e incentivando-os a reaproveitarem os restos das refeições. As caixas de take-away são feitas de cartão ondulado nano-micro e vão estar disponíveis na zonas de restauração para serem utilizadas de forma consciente.

A nova medida nasce pelo forte compromisso do Espaço Guimarães com a sustentabilidade e proteção do ecossistema, enquadrado no eixo de responsabilidade social e ambiental Act4Planet. Já no passado, a Klépierre apresentou a plataforma Too Good To Go a todos os lojistas da área da restauração para que também se juntassem a este movimento.

Escolha o planeta com o Espaço Guimarães. Juntos, caminhamos para um mundo melhor.

Klépierre_Combate ao desperdício alimentar 2.jpg

GUIMARÃES: PSICÓLOGA CLÍNICA SANDRA NETO PARTICIPA EM PALESTRA SOBRE “IMPACTOS DA PANDEMIA DE SARS-CoV-2/COVID-19”

Iniciativa dinamizada no âmbito do Curso EFA B3 de Geriatria

O impacto psicossocial e económico da Pandemia de SARS-CoV-2/ COVID 19, no mundo e em Portugal, tem sido e será marcante.

Sandra Neto.jpg

Houve um despoletar de desigualdades sociais e um recrudescimento de perturbações do foro psíquico, que se explica “por uma diversidade de fatores, designadamente pelo medo de contrair o vírus, pela diminuição dos contactos interpessoais, pelas mudanças abruptas na esfera laboral, por exemplo”.

De facto, adiantou Sandra Neto, “a pandemia de SARS-CoV-2/ COVID 19 provavelmente mudou a forma como nós «vivemos a vida», tendo não só acarretado incertezas, isolamento social e pressões económicas, como também interrompido o ritmo e rotinas habituais.”

Esta nova realidade tem sido motivo de preocupação por parte da comunidade científica, de diversas áreas disciplinares. Assim sendo, neste momento já há diversas investigações que concluem que a pandemia tem e terá impactos colossais, nomeadamente ao nível da saúde mental (stress, ansiedade e depressão). Aquelas investigações frequentemente comparam indicadores avaliados no período pré-pandemia e durante a pandemia, sendo que algumas apontam para um aumento do consumo de álcool e drogas. Por outro lado, há algumas evidências científicas que sugerem que “as pessoas com comportamentos aditivos, por exemplo as dependentes de opioides, terão consequências negativas mais expressivas, na eventualidade de contraírem o vírus. Isso ocorre porque os opioides podem prejudicar a função pulmonar e debilitar o sistema imunológico, causando condições crónicas como doenças cardíacas e pulmonares, aumentando assim o risco de complicações graves do SARS-CoV-2/ COVID 19.

Por todos esses motivos, a Oradora alertou para a necessidade de se apostar no autocuidado, quer físico, quer mental. Ao nível físico sublinhou a importância da qualidade do sono, da prática de atividade física regular, do consumo de alimentos saudáveis, bem como a necessidade de evitar comportamentos aditivos (tabaco, álcool, drogas).

Manter uma rotina, limitar a exposição aos meios de comunicação social, usar ponderadamente as redes sociais, manter-se ocupado, procurar desenvolver pensamentos positivos, estabelecer objetivos, reforçar a rede de suporte social, assim como fazer algo em prol do bem comum (ex: voluntariado) foram algumas das estratégias abordadas por Sandra Neto. A psicóloga clínica reforçou que as “informações excessivas, rumores e informações incorretas podem exacerbar a sensação de falta de controlo, pelo que importa «filtrar» a informação que vai sendo transmitida.”   

Por último, referiu que um problema preocupante foi o aumento da violência doméstica. Neste enquadramento, “confrontado com risco acrescido daquele fenómeno, no contexto do isolamento necessário para a contenção do SARS-CoV-2/ COVID 19, o Governo efetivou uma campanha de sensibilização cujo intuito foi proteger as vítimas de violência doméstica, delineando alguns conselhos de segurança e solicitando ativação das redes de suporte social”, terminou Sandra Neto.

Esta atividade é realizada no âmbito da primeira Atividade Integradora do Curso EFA B3 de Geriatria, financiado pelo Programa Operacional Capital Humano (POCH), Programa Portugal 2020, Estado Português e Fundo Social Europeu (FSE).

215901752_1153193561842335_366081964141765040_n.jp

GUIMARÃES: GOVERNO EXTINGUE FUNDAÇÃO MARTINS SARMENTO

Decreto-Lei n.º 58/2021 de 13 de julho

Sumário: Procede à extinção da Fundação Martins Sarmento.

A Fundação Martins Sarmento, doravante Fundação, foi criada pelo Decreto-Lei n.º 24/2008, de 8 de fevereiro, tendo como instituidores o Estado, através do Ministério da Cultura, o Município de Guimarães, a Universidade do Minho e a Sociedade Martins Sarmento.

Nos termos do artigo 3.º do referido decreto-lei, a Fundação tem como principais fins a investigação científica nos domínios histórico, arqueológico, etnográfico e literário e a defesa, preservação e promoção do património cultural, próprio e regional.

A Fundação foi criada com o objetivo de assegurar as atividades culturais desenvolvidas até então pela Sociedade Martins Sarmento, pessoa coletiva do tipo associativo, criada em 1881, pretendendo-se, dessa forma, reunir o financiamento e o contributo técnico e científico dos restantes fundadores.

No entanto, após os procedimentos formalmente indispensáveis à efetivação da sua instituição, verifica-se que a Fundação caiu numa total inatividade, que persiste há mais de 10 anos, tendo os seus fins passado a ser prosseguidos, na prática e em exclusivo, através das estruturas preexistentes da Sociedade Martins Sarmento, que tem mantido uma relevante atividade cultural e científica, e que conserva a seu cargo, afetos a tal atividade, os bens que, nos termos dos Estatutos da Fundação, fariam parte do património desta última.

Nesse sentido, consideram os quatro instituidores que a Fundação deve ser extinta.

Foram ouvidos o Município de Guimarães, a Universidade do Minho e a Sociedade Martins Sarmento.

Assim:

Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 198.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte:

Artigo 1.º

Objeto

O presente decreto-lei procede à extinção da Fundação Martins Sarmento, pessoa coletiva de direito privado e utilidade pública, instituída pelo Decreto-Lei n.º 24/2008, de 8 de fevereiro.

Artigo 2.º

Extinção

É extinta a Fundação Martins Sarmento, com o parecer favorável dos respetivos instituidores.

Artigo 3.º

Destino dos bens

O património existente da Fundação Martins Sarmento reverte para os instituidores, na medida das respetivas dotações, efetuadas de acordo com o artigo 3.º dos Estatutos da Fundação, aprovados em anexo ao Decreto-Lei n.º 24/2008, de 8 de fevereiro.

Artigo 4.º

Norma revogatória

É revogado o Decreto-Lei n.º 24/2008, de 8 de fevereiro.

Artigo 5.º

Entrada em vigor

O presente decreto-lei entra em vigor no dia seguinte ao da sua publicação.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 1 de julho de 2021. - António Luís Santos da Costa - Graça Maria da Fonseca Caetano Gonçalves.

Promulgado em 7 de julho de 2021.

Publique-se.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Referendado em 8 de julho de 2021.

O Primeiro-Ministro, António Luís Santos da Costa.

FESTIVAL VAUDEVILLE RENDEZ-VOUS COMEÇA NA PRÓXIMA SEMANA

O Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous realiza-se entre os dias 19 e 24 de julho nas cidades do Quadrilátero Urbano.

FB EVENTS VRV2021.jpg

Face ao anúncio de novas medidas de combate à pandemia de COVID-19 nos concelhos de risco elevado, o Festival Vaudeville Rendez-Vous procedeu a diversas alterações às datas e horários de apresentação dos seus espetáculos e atividades de mediação nos municípios de Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães, de forma a cumprir todas as regras e recomendações de segurança da Direção-Geral de Saúde e das várias entidades competentes.

Assim, os horários de espetáculos inicialmente agendados para as 19h00 passam para as 18h00 e as récitas inicialmente agendadas para as 22h00 passam para as 21h00. As apresentações finais das oficinas de criação passam para as 17h.

A performance ‘Roll with it’, de Dulce Duca, abre a programação em Barcelos, no dia 22 de julho, às 18h, na Praça dos Poetas. Este espetáculo de rua combina skate, malabares, teatro, música e pintura ao vivo. Uma comédia surrealista sobre uma mulher à procura do significado da sua vida, que lida com os seus problemas e tenta aprender através deles. Este espetáculo envolve a participação da comunidade local de skateboarders. É um espetáculo para todos os públicos.

‘Otus Extracts’, um duo composto por Hugo Oliveira e Sage Bachtler Cushman, atua na Praceta Francisco Sá Carneiro, no mesmo dia, às 21h, e recorrendo ao circo, ao teatro físico, ao movimento e à técnica clown, o espetáculo explora a tensão entre as personagens, objetos e o mundo de madeira em que residem. Imersos nas suas próprias nuances e rendidos através de acrobacias, malabarismos, corda, trapézio e manipulação de bastão, o seu mundo vai-se desenrolando.

O espetáculo ‘Espera’, que decorre no dia 23, às 18h, na Praça dos Poetas, convida o público, de uma forma sensível e muito subtil, a viver de perto as acrobacias que ocorrem no palco. Numa atmosfera que nos transporta para um lugar fora do tempo, feito de gestos simples, os acrobatas tornam-se artesãos do movimento, onde surgem paisagens perdidas, cheias de gestos humanos e encontros sinceros.

No dia 23, às 21h, o coletivo G. Bistaki traz à Praceta Francisco Sá Carneiro a estreia nacional de ‘BAÏNA][NA]’, um espetáculo que vai aproveitar o espaço público para elaborar um cenário social, sonhador e absurdo do nosso mundo contemporâneo. Vestidos com fatos brancos e armados com pás de neve e milho como alimento para pensamentos, estes quatro homens convidam-nos a atravessar o lugar como heras, numa viagem coreográfica e musical surpreendente. Imagens desatualizadas, futuristas ou fantásticas, juntam-se para dar ao espectador uma visão da nossa sociedade. A cenografia alimenta-se da arquitetura do lugar, através de uma instalação plástica in situ, alimentada pela luz e pelo vídeo. Nem circo nem dança, a linguagem de G. Bistaki é um cruzamento entre disciplinas. O uso do malabarismo, drama ou dança, resulta numa linguagem comum que dá origem a situações por vezes loucas e muitas vezes absurdas onde o escárnio e o riso prevalecem.

Praça dos Poetas, no dia 24, às 11h, recebe Étienne Tribu, vencedor da bolsa de criação Vaudeville Rendez-Vous, com a estreia nacional ‘Là-bas’, que é a historia de um jovem, que migra do seu país de origem para novas terras. Através do seu diário, ele conta-nos os seus sonhos, dúvidas e histórias de amor.

No mesmo local, às 18h, tem lugar o espetáculo ‘Rizoma’, de Rita Carmo Martins. Um vaso, uma mulher, um músico. «Rizoma» é um work-in-progress sobre a teoria filosófica do “Rhizome” de Deleuze e Guattari. Uma pesquisa contínua sobre sensibilidade, força, adversidade e infância. Uma respiração de liberdade horizontal num pensamento hierárquico e vertical da vida quotidiana. Uma aventura surrealista através da imaginação. Poesia visual.

Também no dia 24, às 21h, o duo Joel Marti e Pablo Molin traz à Praceta Francisco Sá Carneiro a performance ‘Random’, mais uma estreia nacional, que  apresenta características como equilíbrio, contorção, corda bamba, dança, teatro e diálogos perturbadores para uma história dificilmente credível, narrada por este duo pronto para qualquer coisa.

Ainda no âmbito do Festival, nos dias 20, 21, 22, entre as 16h e as 20h, tem lugar, no Pavilhão Municipal, um Workshop Intensivo de Skate – Streets With Attitude, dirigido a skaters e estudantes de circo que dominem este aparelho. Orientado pela artista Dulce Duca, este workshop, para maiores de 12 anos, permite aos participantes integrar o espetáculo ‘Roll With It’.

De 19 a 22 de julho, das 14h às 18h, no Parque da cidade, decorrem também as oficinas de criação com os artistas Julieta Rodrigues & António Oliveira/Radar 360, cujo workshop de apresentação final tem lugar no dia 22 de julho, às 18h.

Todos os espetáculos são de entrada gratuita, mediante reserva (máximo 3 por pessoa) através do email tgv@cm-barcelos.pt ou telefone 253 809 694.

O levantamento obrigatório de bilhete é efetuado entre 1 hora e 15 minutos antes do início do espetáculo, no local do evento. A lotação é limitada em conformidade com as regras da DGS e as reservas perdem a validade 15 minutos antes do espetáculo.

GUIMARÃES E VIZELA: ASSOCIAÇÃO ROMÃ DISTINGUE CURTA-METRAGEM RODADA NA REGIÃO

Associação Romã distingue a curta-metragem “Fim-de-Linha” uma produção do projeto “Novos Olhares, Velhas Causas”, uma iniciativa que atua nos concelhos de Guimarães e de Vizela

Fim de Linha 2.jpg

A Romã é uma IPSS que tem como objetivo a promoção do princípio da Igualdade de Género e a prevenção da Violência Doméstica, nas suas diferentes expressões. Esta entidade tem dado especial destaque à intervenção junto da pessoa agressora, como forma de incidir sobre a causa do problema e, assim, contribuir para a diminuição da violência doméstica e de género.

De acordo com Helena Silva, Psicóloga da Associação Romã, “os programas de intervenção com agressores, surgiram nos anos 70, nos Estados Unidos. Aqueles programas constituem uma ferramenta fundamental para a intervenção, prevenção e redução da violência doméstica e de género. É importante destacar o objetivo principal desses programas: a proteção da vítima, por meio da redução do comportamento violento dos agressores. São uma ferramenta necessária no combate à violência doméstica e de género, pois abordam a causa do problema”, referiu.

A psicóloga Helena Silva congratulou e distinguiu publicamente o projeto Novos Olhares, Velhas Causas pela “produção de um recurso didático bastante relevante, para a intervenção com agressores/as. Esta intervenção deve “ser baseada em evidências científicas, incidindo sobre os fatores de risco que despoletam o comportamento violento. Aquele recurso será útil, no trabalho daqueles fatores de risco, assim como no incentivo à mudança cognitiva e comportamental do/a agressor/a”. Ao criar este recurso “o projeto Novos Olhares, Velhas Causas está a aumentar os recursos didátidos e pedagógicos disponíveis nesta área”, terminou Helena Silva.

A eficácia dos programas de intervenção com agressores/as é uma das questões mais relevantes no campo da violência doméstica e de género. Tendo em consideração que um dos objetivos é a reabilitação e mudança do comportamento abusivo dos/as agressores/as como instrumento de prevenção e proteção da vítima, não é, pois, uma questão de somenos importância garantir a eficácia destes programas.

ESPAÇO GUIMARÃES CELEBRA O DIA INTERNACIONAL SEM SACOS DE PLÁSTICO

3 de julho | Espaço Guimarães

O Espaço Guimarães reforça o compromisso com o planeta e promove uma iniciativa green com o intuito de sensibilizar para a reutilização de sacos de plástico e o seu correto encaminhamento para a reciclagem.

espaçoguima.jpg

A proteção do nosso planeta está na ordem do dia para o Espaço Guimarães. No dia 3 de julho, o centro comercial, gerido pela Klépierre, assinala o Dia Internacional Sem Sacos de Plástico com a distribuição gratuita de sacos de algodão aos clientes.

Atualmente, cerca de 8 mil toneladas de plástico são lançadas para o oceano, algo que tem tido um forte impacto na degradação do planeta. Como forma de combater esta problemática, o Espaço Guimarães dinamiza uma ação que pretende apelar à reutilização de sacos de compras e uso de materiais sustentáveis nas práticas do dia-a-dia.

No próximo sábado, dia 3 de julho, nos corredores do centro comercial vai poder recolher um saco de algodão para utilizar nas suas próximas compras. Diga não aos sacos de plástico e opte por uma solução amiga do ambiente.

A nova medida nasce pelo forte compromisso do Espaço Guimarães com a sustentabilidade e proteção do ecossistema, enquadrado no eixo de responsabilidade social e ambiental Act4Planet.

Em 2021 foram várias as iniciativas implementadas pelo centro comercial, desde a introdução da tela purificadora no centro da cidade de Guimarães; o mais recente parque de estacionamento gratuito para bicicletas e trotinetes, como um incentivo ao uso destes veículos ecológicos; e a instalação de eco-pontas e papa-chicletes nas duas entradas principais do centro, os depósitos interativos para as beatas e chicletes.

Assuma o compromisso com o Espaço Guimarães e ajude a cuidar do nosso planeta.

BRAGA ANTECIPA PARA 2 DE JULHO ESPETÁCULO DE CIRCO CONTEMPORÂNEO "LOCAL"

Iniciativa do Quadrilátero Cultural foi antecipada para esta sexta-feira, 2 de julho, pelas 19h00, no Parque da Ponte, em Braga

Condições meteorológicas obrigam a alteração da data do espetáculo de Circo Contemporâneo “Local”, uma criação do INAC

Devido à previsão de condições meteorológicas adversas, o espetáculo de circo contemporâneo “Local”, apresentado pelo Instituto Nacional das Artes do Circo – INAC, que estava agendado para o próximo sábado, 3 de julho, pelas 19h00, no Parque da Ponte, em Braga, irá realizar-se já na sexta-feira, 2 de julho à mesma hora, pelas 19h00.

Foto de Mariana Vasconcelos  (7).jpg

Promovido no âmbito do projeto Quadrilátero Cultural, o espetáculo estreou no passado fim-de-semana em Barcelos, abordando novas linguagens artísticas e estéticas visuais, culminando num grande momento cultural e de entretenimento. Depois de Braga, o “Local” transitará para Guimarães onde será apresentado a 10 de julho, no Campo de São Mamede. Por fim, o espetáculo regressa a casa, a 15 de julho, com a apresentação no anfiteatro do Parque da Devesa.

Todos os espetáculos estão agendados para as 19h00, com entrada livre, mas limitada à lotação do respetivo recinto. Em Famalicão, obriga ao levantamento do ingresso no local a partir de uma hora antes, isto é, a partir das 18h00 do dia 15.

Refira-se que o projeto Quadrilátero Cultural integra quatro conceitos artísticos em circulação pelos quatro municípios de Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães.

O espetáculo “Local” pretende continuar a renovar o conceito de apresentação de circo contemporâneo em espaços não convencionais, criando relação cenográfica e de proximidade com o público e com as cidades, relacionando-se também, com o seu património. “Local” é uma reflexão sobre isso mesmo, mas também sobre a ancestralidade dos territórios onde serão apresentados, encontrando os pontos de encontro entre as várias cidades, o que as une e foi separando ao longo do tempo, através da expressão de uma prática artística que une também disciplinas artísticas e estéticas.

Esta criação, que conta com direção artística e encenação de Bruno Machado e Juliana Moura e interpretação de artistas nacionais e internacionais (Diogo Santos, Mau Jara, Pietro Barilli, Gaspar Ribeiro, Victor Abreu, Martina Mugheddu), cenografia de André Filipe Santos, composição musical de Luca Argel, é também ela um cruzamento de referências, nacionalidades e experiências, cuja fusão resultará na experimentação de um objeto artístico incomum, em espaços de apresentação incomuns e do dia-a-dia dos habitantes e visitantes, como são o anfiteatro do Parque da Devesa, em Famalicão, ou os locais dos centros históricos como são o Campo de São Mamede, em Guimarães, o Parque da Ponte, em Braga, e a Frente Ribeirinha, em Barcelos, que prometem imagens únicas.

O Quadrilátero Cultural é um projeto financiado pelo programa operacional NORTE 2020, através do FEDER [Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional].

Foto de Mariana Vasconcelos  (1).jpg

Foto de Mariana Vasconcelos  (4).jpg

posts_quadrilatero-28(1).jpg

PRESIDENTE DA REPÚBLICA FOI ONTEM A GUIMARÃES PARTICIPAR NAS COMEMORAÇÕES DA BATALHA DE SÃO MAMEDE

O Presidente da República participou nas comemorações da Batalha de São Mamede, em Guimarães, onde depositou uma coroa de flores junto à estátua de D. Afonso Henriques, em frente ao Paço dos Duques de Bragança.

210624-prmrs-ro-0107-4474.jpg

Após este momento o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa presidiu à Sessão Solene onde foi agraciado com a Medalha de Honra do Município de Guimarães.

A Sessão terminou com as intervenções do Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, e do Presidente da República.

Fonte: Presidência da República / Fotos: Rui Ochôa

210624-prmrs-ro-0116-4780.jpg

210624-prmrs-ro-0117-4796.jpg

210624-prmrs-ro-0119-5089.jpg

210624-prmrs-ro-0120-4825.jpg

210624-prmrs-ro-0121-4841.jpg

210624-prmrs-ro-0101-4379.jpg

210624-prmrs-ro-0104-4423.jpg

210624-prmrs-ro-0106-4445.jpg

GUIMARÃES: ETIQUETA DA EMPRESA “COMPANHIA DE FIAÇÃO E TECIDOS

transferiretiquetafiação.jpg

Etiqueta para indicação de metros, série e número. / Fábrica da Avenida e Fábrica de Campelos

A Companhia de Fiação e Tecidos de Guimarães foi constituída por escritura pública celebrada no dia 7 de maio de 1890.

Entrou em atividade no dia 1 de junho do mesmo ano, sob orientação dos seus primeiros diretores, o Visconde de Sendelo, Domingos Martins Fernandes e Pedro Pereira da Silva Guimarães.

Os fundadores compraram cerca de 140 mil metros quadrados de terrenos na margem esquerda do rio Ave, assim como todas as rodas e moinhos ali existentes.

Com o capital inicial (trezentos e cinquenta contos de reis) construíram o edifício fabril que ocupava 19 mil metros quadrados.

Os estudos, plantas, obra hidráulica exterior e montagem técnica foram realizados por Alexandre Rea, engenheiro da companhia John Hetherington & Sons, de Manchester. A obra, de grande dimensão e complexidade, foi dirigida pelo engenheiro James Lickfold, outro inglês bem recomendado pelo trabalho realizado com a montagem e gestão da Fábrica do Bugio (Fafe).

Em fevereiro de 1893 a gigantesca fábrica foi inaugurada. Em 2 de junho de 1897, James Lickfold fundou a Fábrica a Vapor de Tecidos de Linho de Guimarães (Fábrica da Avenida), que poucos anos mais tarde seria incorporada na Companhia, resultando na maior unidade industrial de Guimarães.

As duas fábricas apoiavam-se nas duas mini-hídricas construídas no rio Ave: uma em Campelos, junto à ‘fábrica-mãe’, a outra em Ronfe, onde ainda hoje funciona uma estação para produção de energia elétrica.

Fonte: Arquivo Municipal Alfredo Pimenta