Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAFE TOMA CAFÉ CULTURAL

Café Cultural regressa para a semana: Graffiti mantém-se como grande destaque com artistas nacionais, brasileiros e mexicanos

O projeto Café Cultural regressa para a semana e mantém os murais de graffiti como grande aposta. Nesta terceira edição, contaremos com a presença de Nelson Soares, graffiter português, Waldir Junir, do Brasil, e Sune Nesu, artista mexicano.

CAFE-CULTURAL-MARÇO-POSTFB.png

Para além de pintarem um mural no Parque da Cidade, os graffiters darão um workshop na Cercifaf, no dia 26.

Os trabalhos no Parque da Cidade serão apresentados a 29 de Março. Recorde-se que este espaço tem-se tornado, ao longo das edições do Café Cultural, uma galeria a céu aberto com dezenas de murais espalhados pelo Parque, dando uma nova vida a este espaço.

Recorde-se que, por Fafe, já passaram, na senda desta arte, artistas nacionais e outros vindos do Brasil, México, Chile e Inglaterra. Todos têm deixado cá rasgos da sua arte – o graffiti – espalhados por vários espaços, dando um novo colorido à cidade.

PINTURA EM LOURES DA AUTORIA DO GRAFITER NORTE-AMERICANO ARCY ILUSTRA CALENDÁRIO DO GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO

Depois de conceber o cartaz do FolkLoures’19 – Encontro de Culturas Verde Minho – eis que o Grupo Folclórico Verde Minho volta a utilizar o mesmo motivo artístico na edição do calendário do ano 2019: a pintura mural denominada “Tradição” produzida em Loures por Arcy e que retrata na parede de empena de um edifício uma bela lavradeira minhota com o seu traje domingueiro e os seus magníficos brincos à rainha.

Capturarcal

Não podia, pois, o Grupo Folclórico Verde Minho – entidade organizadora do FolkLoures – deixar de destacar esta magnífica obra de arte, com a devida vénia da “Loures Artes Pública”.

31543665_1703365536406657_8767232972282658816_n

Na sua página pessoal do facebook, Arcy deixou o seguinte comentário:

"Tradição"

20 ' x50'

Loures, Portugal - 2018

Muito obrigado aos maravilhosos anfitriões da Loures Arte Pública por todo o seu trabalho árduo e dedicação a preparar para este festival de semanas. Também grandes ups para a Montana Colors por fornecerem a tinta! Até à próxima!

35924347_1006511932889206_85486024037236736_n

Frequentemente associado a uma cultura suburbana onde pontificam os mais diversos grupos de transgressão das normas sociais, o grafiti, na forma como atualmente se apresenta, tem a sua origem no movimento de contracultura surgido um pouco por toda a Europa por ocasião do levantamento estudantil do maio de 1968, em Paris. Considerado frequentemente como um ato de vandalismo condenado por lei, o próprio ato de produção do grafiti é assumido como um ato de rebeldia em relação à ordem estabelecida.

Convém, antes de mais, estabelecer uma clara distinção entre o mural de grafiti concebido com reconhecida qualidade artística e contendo uma mensagem da reles pichagem que apenas conspurca as paredes e não respeita o direito à propriedade e ao asseio urbano.

Existem grafitis que constituem autênticas obras de arte, transmitindo preocupações de natureza política, social ou ambientais através de representações críticas e emocionais. Com evidentes traços caraterísticos do expressionismo, surrealismo e simbolismo, alguns das pinturas destes murais podem muito bem serem consideradas verdadeiras manifestações estéticas do neoexpressionismo.

36087644_1009827002557699_7633668816559407104_n

PINTURA EM LOURES DA AUTORIA DO GRAFITER NORTE-AMERICANO ARCY ILUSTRA CALENDÁRIO DO GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO

Depois de conceber o cartaz do FolkLoures’19 – Encontro de Culturas Verde Minho – eis que o Grupo Folclórico Verde Minho volta a utilizar o mesmo motivo artístico na edição do calendário do ano 2019: a pintura mural denominada “Tradição” produzida em Loures por Arcy e que retrata na parede de empena de um edifício uma bela lavradeira minhota com o seu traje domingueiro e os seus magníficos brincos à rainha.

Capturarcal

Não podia, pois, o Grupo Folclórico Verde Minho – entidade organizadora do FolkLoures – deixar de destacar esta magnífica obra de arte, com a devida vénia da “Loures Artes Pública”.

31543665_1703365536406657_8767232972282658816_n

Na sua página pessoal do facebook, Arcy deixou o seguinte comentário:

"Tradição"

20 ' x50'

Loures, Portugal - 2018

Muito obrigado aos maravilhosos anfitriões da Loures Arte Pública por todo o seu trabalho árduo e dedicação a preparar para este festival de semanas. Também grandes ups para a Montana Colors por fornecerem a tinta! Até à próxima!

35924347_1006511932889206_85486024037236736_n

Frequentemente associado a uma cultura suburbana onde pontificam os mais diversos grupos de transgressão das normas sociais, o grafiti, na forma como atualmente se apresenta, tem a sua origem no movimento de contracultura surgido um pouco por toda a Europa por ocasião do levantamento estudantil do maio de 1968, em Paris. Considerado frequentemente como um ato de vandalismo condenado por lei, o próprio ato de produção do grafiti é assumido como um ato de rebeldia em relação à ordem estabelecida.

Convém, antes de mais, estabelecer uma clara distinção entre o mural de grafiti concebido com reconhecida qualidade artística e contendo uma mensagem da reles pichagem que apenas conspurca as paredes e não respeita o direito à propriedade e ao asseio urbano.

Existem grafitis que constituem autênticas obras de arte, transmitindo preocupações de natureza política, social ou ambientais através de representações críticas e emocionais. Com evidentes traços caraterísticos do expressionismo, surrealismo e simbolismo, alguns das pinturas destes murais podem muito bem serem consideradas verdadeiras manifestações estéticas do neoexpressionismo.

36087644_1009827002557699_7633668816559407104_n

JOVENS DE FAMALICÃO LEVAM ARTE URBANA PARA O MEIO RURAL E CONVERTEM LENDAS E TRADIÇÕES DAS FREGUESIAS EM PINTURAS MURAIS

PROJETO URBAN YOUTH ESTARÁ EM OITO FREGUESIAS ATÉ FINAL DO ANO E EM 16 ATÉ 2020

As lendas e tradições das freguesias de Vila Nova de Famalicão estão a ser reveladas através da representação artística em pinturas murais espalhadas por todo o concelho.

unnamed

Denominado Urban Youth, o projeto resulta de uma parceria do Pelouro da Juventude do Município de Famalicão, a partir da Casa da Juventude, com o Centro Artístico - A Casa Ao Lado. Até final deste ano, o projeto estará concluído em oito freguesias, estando já previstas mais oito pinturas murais, todas em freguesias diferentes, nos próximos dois anos.

"Sob a nossa orientação, os trabalhos estão a ser executados por jovens de Famalicão, sendo que o objetivo passa por proporcionar-lhes a oportunidade de usufruir da experiência artística e de adquirir valores no sentido de promover uma cidadania mais participativa", conta Ricardo Miranda, diretor artístico do Centro Artístico - A Casa Ao Lado.

"Esta descentralização da arte urbana para os meios rurais tem sido muito bem acolhida nas freguesias e até têm sido os próprios presidentes das Juntas a contactar o Pelouro da Juventude, de forma a usufruirem do projeto", revela Ricardo Miranda, que confessa a ambição de "ver esta iniciativa cobrir as 48 freguesias de Famalicão para, no final, produzir um livro ilustrativo de toda a obra realizada".

Com pinturas murais já concluídas em diversas freguesias - Sinçães, Requião, Jesufrei, zona das Lameiras e Santiago D'Antas -, está agendada para a tarde de amanhã, sábado, dia 17, a inauguração de mais uma pintura mural do projeto Urban Youth, no parque infantil das Camélias, na freguesia de Bairro.

Ao longo de 24 metros de comprimento, este mural da autoria de 15 jovens famalicenses ilustra a forte ligação daquela localidade ao barro e à cerâmica, potenciada pela Fundação Castro Alves que, desde 1979, com a criação da Escola de Cerâmica Artística, formou centenas de crianças que se tornaram artesãos de excelência, reconhecidos em todo o país.

Até final do ano, o Urban Youth avançará ainda com mais dois projetos, a realizar na Associação Dar as Mãos, em Vila Nova de Famalicão, e na freguesia de Gavião.

PINTURA EM LOURES DA AUTORIA DO GRAFITER NORTE-AMERICANO ARCY ILUSTRA CARTAZ DO FOLKLOURES’19

A organização do FolkLoures’19 – Encontro de Culturas Verde Minho – acaba de editar o cartaz do evento e deverá em breve fechar o respectivo programa com todos os grupos participantes assegurados, tudo indicando que irá alcançar um êxito superior ao registado este ano.

 

Layout 1

A pedido da “Loures Arte Pública” e sob a denominação genérica “Tradição”, Arcy retratou na parede de um edifício uma bela lavradeira minhota em traje domingueiro, retratada de perfil com os seus magníficos brincos à rainha.

Não podia, pois, o Grupo Folclórico Verde Minho – entidade organizadora do FolkLoures – deixar de destacar esta magnífica obra de arte, com a devida vénia da “Loures Artes Pública”.

 

31543665_1703365536406657_8767232972282658816_n

Na sua página pessoal do facebook, Arcy deixou o seguinte comentário:

"Tradição"

20 ' x50'

Loures, Portugal - 2018

Muito obrigado aos maravilhosos anfitriões da Loures Arte Pública por todo o seu trabalho árduo e dedicação a preparar para este festival de semanas. Também grandes ups para a Montana Colors por fornecerem a tinta! Até à próxima!

Frequentemente associado a uma cultura suburbana onde pontificam os mais diversos grupos de transgressão das normas sociais, o grafiti, na forma como atualmente se apresenta, tem a sua origem no movimento de contracultura surgido um pouco por toda a Europa por ocasião do levantamento estudantil do maio de 1968, em Paris. Considerado frequentemente como um ato de vandalismo condenado por lei, o próprio ato de produção do grafiti é assumido como um ato de rebeldia em relação à ordem estabelecida.

Convém, antes de mais, estabelecer uma clara distinção entre o mural de grafiti concebido com reconhecida qualidade artística e contendo uma mensagem da reles pichagem que apenas conspurca as paredes e não respeita o direito à propriedade e ao asseio urbano.

Existem grafitis que constituem autênticas obras de arte, transmitindo preocupações de natureza política, social ou ambientais através de representações críticas e emocionais. Com evidentes traços caraterísticos do expressionismo, surrealismo e simbolismo, alguns das pinturas destes murais podem muito bem serem consideradas verdadeiras manifestações estéticas do neoexpressionismo.

 

35924347_1006511932889206_85486024037236736_n

36087644_1009827002557699_7633668816559407104_n

PAN ASSINALA PROIBIÇÃO DE ABATE DE ANIMAIS COM MURAL A SER PRODUZIDO NO PORTO

PAN assinala a entrada em vigor da lei que proíbe o abate de animais com iniciativa de street art no Porto

  • Artista plástico Bruno Lisboa dará vida ao conceito criativo num mural alusivo
  • A legislação que proíbe o abate de animais como forma de controlo da população entra em vigor a 23 de setembro
  • Comissão Política Nacional do PAN inaugura mural no sábado dia 22 de setembro pelas 18h00, Rotunda de Francos

Para assinalar simbolicamente uma data histórica em Portugal, que marca a entrada em vigor da legislação que proíbe o abate de animais como forma de controlo da população no próximo dia 23 de setembro, o PAN, Pessoas-Animais-Natureza, convidou o artista plástico Bruno Lisboa para desenvolver, num registo aberto e informal que valoriza novos projetos que se identifiquem com a street art, as ilustrações alusivas a esta mudança pela qual tantos portugueses aguardavam.

A Comissão Política Nacional do PAN marcará presença no próximo sábado dia 22 de setembro, pelas 18h00, na Rotunda de Francos no Porto com o objetivo de assinalar esta conquista que resulta da dedicação e da cooperação de diversas associações, de grupos informais e de milhares de anónimos, durante vários anos, por uma sociedade ética que se pauta por valores como a compaixão e a empatia onde o abate indiscriminado de animais não tem mais lugar.

Recordar que a principal alteração legal está relacionada com a forma de controlo da população de cães e gatos. Assim, passa a ser proibido o abate de animais e passa a ser obrigatória a esterilização de todos os animais recolhidos pelos Centro de Recolha Oficial de Animais (CROA), com exceção daqueles que não tiverem condições de saúde para serem sujeitos à cirurgia. Os animais recolhidos devem obrigatoriamente ser destinados à adoção.

GRAFFITI DÁ MAIS COR A FAFE

Café Cultural destaca arte urbana e teatro. Projecto já coloriu vários espaços da cidade com graffiti

O Projecto Café Cultural Residências Artísticas está de regresso este mês. Com o Graffiti e o Teatro em destaque, o Café Cultural tem conquistado o agrado do público.

cafecultural-marco-cartaz

Em Setembro, Fafe acolhe o graffiter mexicano Spaike Spike e Camilo Sapiens, artista também ligado a esta arte. Giuliana Maria, atriz brasileira, também marca presença nestas Residências Artísticas.

A 19 de Setembro, na Cercifaf, decorrerá um Workshop de Teatro com Giuliana Maria; No dia 25, Camilo Sapiens dará um workshop de graffiti em Arões Santa Cristina, contando aqui com a presença de vários idosos da freguesia. 

Os Graffitis são apresentados, a 28 de Setembro, no Parque da Cidade. No mesmo dia, à noite, terminam as Residências Artísticas com o monólogo “Batatas fritas em óleo quente”, da autoria de Vicente Coda, na Sala Manoel Oliveira.

O Café Cultural é um projecto, criado numa parceria entre o Município de Fafe e a organização Café Cultural do artista plástico e produtor brasileiro, Vicente Coda, que estimula as mais variadas linguagens artísticas através do acolhimento e de interacção. Atá ao momento, foram vários os artistas, de diferentes áreas, desde música, teatro e graffiti, que passaram por Fafe, proporcionado momentos de partilha, inspiração e arte.

Recorde-se que todas estas iniciativas são de entrada livre.

Capturar1

Capturar2

Capturar3

Capturar4

Capturar5

Capturar6

FAMALICÃO NÃO ESQUECE CAMILO CASTELO BRANCO

Frederico Draw perpetua Camilo no novo mural de arte urbana de Famalicão

Desde o passado sábado que Vila Nova de Famalicão respira ainda mais Camilo. A cidade ganhou um novo mural de arte urbana, um trabalho assinado pelo português Frederico Draw e inspirado na obra camiliana “Maria Moisés”.

image58727

O desafio foi lançado ao artista portuense pela Galeria Matriz Arte, em conjunto com a autarquia famalicense.

“O projeto foi interessante a dobrar. Primeiro, porque tenho muitos amigos em Famalicão e já tinha vontade de intervir cá e, segundo, porque não foi só chegar a Famalicão, inspirar-me na cidade e começar a trabalhar. Tive a oportunidade de conhecer a Casa de Camilo, de ler alguns dos seus contos e teve que haver um estudo prévio da conceção do projeto que me obrigou a ter um cuidado especial que me fez estar mais envolvido com a obra e com a cidade também”, explicou o autor do mural que no passado sábado, 8 de setembro, deu os últimos retoques na pintura.

image58718

O presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, felicitou o artista pelo “brilhantismo” da marca que deixou na cidade, que para o autarca constitui mais uma razão para que os famalicenses desfrutem do espaço público.

Mais do que a questão estética, há que realçar a questão do nosso património, da nossa cultura e identidade. Sabemos que Camilo Castelo Branco tem uma ligação muito forte com o nosso concelho. É quase como um legado que nos traz a responsabilidade permanente de criar condições para que a sua vida e obra estejam presentes não só em Seide, na Casa-Museu, mas também em toda a cidade”, referiu o edil.

O mesmo salientou a responsável pela Galeria Matriz Arte, Helena Romão. “É uma obra que vem tornar o centro de Famalicão ainda mais bonito e que dá a conhecer algo que o concelho tem de muito valor e interesse, como é o caso da ligação a Camilo Castelo Branco”.

O trabalho de Frederico Draw em Famalicão pode agora ser visto num edifício localizado junto à Igreja Matriz Velha do concelho. Formado em Arquitetura, começou a pintar em 2001 e é hoje um dos nomes mais conceituados da arte urbana em Portugal.

image58721

PINTOR NORTE-AMERICANO RETRATA LAVRADEIRA MINHOTA EM LOURES

O famoso grafiter norte-americano Arcy acaba de concluir em Loures uma magnífica obra de arte sob a denominação genérica “Tradição”. Trata-se de um bela minhota retratada de perfil com os seus magníficos brincos à rainha.

36087644_1009827002557699_7633668816559407104_n

Na sua página pessoal do facebook, Arcy deixou o segunte comentário:

"Tradição"

20 ' x50'

Loures, Portugal 🇵🇹 - 2018

Muito obrigado aos maravilhosos anfitriões da Loures Arte Pública por todo o seu trabalho árduo e dedicação a preparar para este festival de semanas. Também grandes ups para a Montana Colors por fornecerem a tinta! Até à próxima!

Frequentemente associado a uma cultura suburbana onde pontificam os mais diversos grupos de transgressão das normas sociais, o grafiti, na forma como atualmente se apresenta, tem a sua origem no movimento de contracultura surgido um pouco por toda a Europa por ocasião do levantamento estudantil do maio de 1968, em Paris. Considerado frequentemente como um ato de vandalismo condenado por lei, o próprio ato de produção do grafiti é assumido como um ato de rebeldia em relação à ordem estabelecida.

Convém, antes de mais, estabelecer uma clara distinção entre o mural de grafiti concebido com reconhecida qualidade artística e contendo uma mensagem da reles pichagem que apenas conspurca as paredes e não respeita o direito à propriedade e ao asseio urbano.

Existem grafitis que constituem autênticas obras de arte, transmitindo preocupações de natureza política, social ou ambientais através de representações críticas e emocionais. Com evidentes traços caraterísticos do expressionismo, surrealismo e simbolismo, alguns das pinturas destes murais podem muito bem serem consideradas verdadeiras manifestações estéticas do neoexpressionismo.

35924347_1006511932889206_85486024037236736_n

FAFE DESTACA O GRAFFITI E O VÍDEO

Café Cultural regressa a Fafe com destaque para o Graffiti e o Vídeo

Em Junho, acolhemos, em Fafe, novas Residências Artísticas do Café Cultural. O Graffiti mantém-se como projecto desta edição que terá pela primeira vez, como destaque o Vídeo.

cafecultural-marco-cartaz

No dia 19, a vídeomaker Natália Loyola, promove um Workshop na Escola Profissional de Fafe vocacionado para as Rimas Visuais.

A 22 de junho, o graffiter brasileiro, Alex Senna, e Farid Rueda, graffiter mexicano, estarão na Cercifaf, para mais um workshop. Oa artistas apresentam os seus Murais, a 29 de Junho, no Parque da Cidade, espaço que tem acolhido alguns dos Graffitis do Café Cultural, trazendo a Arte Urbana à cidade.

As Residências Artísticas terminam a 29 de Junho, com a apresentação da Sinergia Artística na Escola Profissional de Fafe.

GRAFITI DÁ COR AO PARQUE DA CIDADE DE FAFE

Mural retrata elementos da Natureza

Foi apresentado, esta tarde, o Mural de Graffiti no Parque da Cidade, desenvolvido pelo artista chileno, Otto Schade, no âmbito de mais uma edição do Projecto Café Cultural.

DSA_2444A

Com uma extensão de 24 metros, o Mural retrata elementos alusivos à natureza num espaço, o Parque da Cidade, que tem sido alvo de um grande projecto de requalificação.

Pompeu Martins, Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Fafe, aproveitou a ocasião para revelar a sua satisfação por ver mais um mural desenhado na cidade.

Desde que promovemos o Projecto Café Cultural, em parceria com o Professor Vicente Coda, os graffitis começaram a marcar presença em locais emblemáticos da cidade. A Arte Urbana começou a ganhar expressão em Fafe.

Os primeiros deram uma nova cor à Praça das Comunidades e este, que agora apresentamos, vem juntar-se ao último graffiti, no Parque da Cidade, no âmbito da primeira residência artística.

São expressões de arte que ganham cada vez mais adeptos no nosso concelho e que reúnem o agrado da população, tornando os espaços mais aprazíveis e bonitos.”

Recorde-se que o Projecto Café Cultural foi criado numa parceria entre o Município de Fafe e a organização Café Cultural do artista plástico e produtor brasileiro, Vicente Coda. Este projecto, centrado nas diferentes formas culturais, destacou o teatro, a música e o graffiti, com várias iniciativas e diferentes convidados, como o actor Rui Rodrigues, o graffiter Otto Schade e os músicos Guilherme Lapa e Inês Lapa.

Esta segunda edição do projecto culmina esta noite, na Sala Manoel Oliveira com a apresentação do trabalho de Sinergia Artística, a peça teatral, "Pêndulo", um texto de autoria de Vicente Coda, com a participação do actor Rui Rodrigues e os músicos Guilherme Lapa e Inês Lapa.

DSA_2445A

DSA_2457A

DSA_2462A

DSA_2465A

DSA_2466A

Os Clássicos

FAFE RECEBE SEGUNDA EDIÇÃO DO CAFÉ CULTURAL

Teatro, Música e Graffiti em destaque

Fafe acolhe, pela segunda vez, o ciclo de residências artísticas do projecto Café Cultural. Também como na primeira edição, este projecto, centrado nas diferentes formas culturais, destaca o Teatro, a Música e o Graffiti, com a participação do músico português Guilherme Lapa e da Inês Lapa, do actor Rui Rodrigues e do graffiter chileno Otto Schade.

post-cafecultural

Os artistas, que participam em Residências Artísticas no concelho, já desde 15 de Março, vão, para a semana, apresentar os seus projectos. Terça-feira, 27 de Março, o Grupo Cultural e Recreativo Nun’Álvares recebe uWorkshop de Música com Inês Lapa e Guilherme Lapa, às 16h00. A 29 de Março, será apresentado o trabalho de Graffiti, às 15h00, no Parque da Cidade. À noite, tem lugar a habitual Sinergia Artística com a peça teatral, "Pêndulo", um texto de autoria de Vicente Coda, na Sala Manoel Oliveira, a partir das 21h00, com a participação do actor Rui Rodrigues e os músicos Guilherme Lapa e Inês Lapa.

O Café Cultural Residências Artísticas é um projecto, criado numa parceria entre o Município de Fafe e a organização Café Cultural do artista plástico e produtor brasileiro, Vicente Coda, que estimula as mais variadas linguagens artísticas através do acolhimento e de interacção.

FAMALICÃO RECEBE ARTE URBANA

Projeto Urban Youth chegou a Jesufrei

Depois de Vila Nova de Famalicão e Requião, Jesufrei foi a freguesia escolhida para receber o terceiro mural de arte urbana realizado por jovens famalicenses no âmbito do projeto Urban Youth.

DSC_2824

O mural, cuja elaboração envolveu a participação de mais de uma dezena de jovens, é inspirado noArcanjo S. Miguel, o protetor de Jesufrei, e está localizado no Centro Paroquial da freguesia.  

A intervenção artística, que ilustra o Arcanjo S. Miguel a proteger a povoação, foi inaugurada este domingo pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, num momento que contou, com as presenças da vereadora da Juventude da autarquia, Sofia Fernandes, e do presidente da Junta de Freguesia, Carlos Alberto Fernandes, entre outras.  

Paulo Cunha elogiou o trabalho de todos quantos se envolveram neste projeto, “que embeleza a freguesia, mas que acima de tudo é uma representação da memória e identidade da comunidade de Jesufrei”, disse.

Recorde-se que o Urban Youth é um projeto de intervenção artística com recurso a técnicas como o grafite e a azulejaria, desenvolvido pelo Pelouro da Juventude da Câmara de Famalicão, em parceria com o centro artístico A Casa ao Lado. A primeira intervenção deste projeto decorreu na cidade, no Parque de Sinçães, com a ilustração de escritores famalicenses, seguindo-se depois o polidesportivo de Requião, onde foi retratada uma lenda antiga da freguesia.

DSC_2832

DSC_2913

MARTINHO DIAS LEVA A ARTE DO GRAFITI A ESCOLA DE FAMALICÃO

Alunos da Escola Secundária de Joane e o artista Martinho Dias partilharam pintura de mural

O artista plástico Martinho Dias que está representado no “NY Arts Annual Catalogue 2009” e na revista “NY Arts -Top Websites 2010”, Nova Iorque e, que em 2012, representou Portugal no 10.º Simpósio Artístico Internacional, na Alemanha, partilhou com cerca de 50 alunos do curso de Artes Visuais da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, de Joane, a pintura de um mural artístico, no âmbito do projeto “Artista no Municipio”, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.

DSC_1945

O projeto arrancou em 2016 e englobou um conjunto de atividades culturais e artísticas, como o desenvolvimento da exposição na Casa das Artes sobre obra de Camilo denominada “A Corja” e uma sessão de Improbabilidades Criativas realizada no Parque da Devesa.

Esta quarta-feira, foi inaugurado o mural artístico que embeleza as salas de aula do Bloco C, da Escola Secundária Padre Benjamim Salgado.

O diretor da escola, Alfredo Mendes, não escondeu a satisfação “por ver os alunos da escola envolvidos neste projeto” e salientou “a ligação artística e cultural muito forte” que sempre existiu na escola Benjamim Salgado.

Por sua vez, Martinho Dias elogiou “a abertura e a confiança por parte da escola e dos professores em acolher esta iniciativa”. Mostrou-se satisfeito com o “entusiasmo demonstrado pelos alunos desde o início do projeto” e assumiu que foi “um desafio muito gratificante”.

Da parte da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o vereador da Educação e Cultura, Leonel Rocha salientou a atitude dos professores e responsáveis da escola que “olharam para o projeto como um desafio e uma oportunidade de proporcionar aos seus alunos novas experiências e competências”. Em jeito de conclusão e olhando o painel, o autarca afirmou: “valeu a pena!”.

DSC_1903

GUIMARÃES DÁ A CONHECER ARTE URBANA

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA DOMINGO, 22 DE JANEIRO

Guimarães promove novas visitas guiadas a mostras de arte urbana em paragens de autocarro

Mais duas visitas ao projeto “As Paragens onde o Tempo Habita”, com inscrições abertas. Iniciativas decorrerão em dois domingos de manhã. A próxima é já neste fim-de-semana e a última em fevereiro.

Guimaraes_Arte_Urbana.JPG

A Câmara Municipal de Guimarães tem abertas inscrições para a participação em mais duas visitas guiadas de autocarro, nos dias 22 de janeiro e 19 de fevereiro, às intervenções artísticas realizadas em dezassete abrigos de paragens de transportes públicos no centro de Guimarães, um dos eventos que, no passado dia 13 de dezembro, assinalou o 15º aniversário da elevação do Centro Histórico a Património Cultural da Humanidade.

As inscrições para o público poder acompanhar as visitas ao projeto urbano “As Paragens onde o Tempo Habita” são limitadas aos lugares existentes no autocarro. Os percursos nos dois dias têm início às 11 horas, no abrigo da Alameda S. Dâmaso (Norte), seguindo-se o da Rua de Santo António, Alameda da Universidade (2), Rua Teixeira Pascoais e Pavilhão Francisco de Holanda.

O périplo continua pela Avenida São Gonçalo (2), Alameda Dr. Mariano Felgueiras (em frente ao Hospital), Escola de Creixomil, Alameda Dr. Mariano Felgueiras (em frente ao GuimarãeShopping), Avenida D. Afonso Henriques, Largo República do Brasil (2), Alameda Abel Salazar (em frente à Escola Martins Sarmento), Rua Dr. R. Carvalho e Av. Cónego Gaspar Estaço (junto ao Tribunal).

Inscrições por email ou na Praça S. Tiago

Os interessados poderão efetuar as inscrições através de correspondência eletrónica (cultura@cm-guimaraes.pt) ou diretamente na Loja Interativa de Turismo de Guimarães, na Praça de S. Tiago, até ao dia anterior à data pretendida. Para tal, deverão indicar o nome, contacto de telemóvel, número de pessoas e data pretendida.

O projeto, coordenado pela Escola Superior Artística de Guimarães (ESAG), em parceria com as empresas ARRIVA e JCDecaux, é constituído por ilustrações da autoria de Flavie Monjon, Mafalda Neves, João Silvestre, Catarina Peixoto, Sérgio Marques e Evandro Souza Dias, jovens autores, mestres em ilustração pela ESAG, dirigida por Paulo Leocádio, que coordenará as duas visitas.

CELORICO DE BASTO, CAPITAL DAS CAMÉLIAS, APRESENTA “MONUMENTAL” MURAL DE GRAFFITI

Celorico de Basto, a Capital das Camélias, vai inaugurar, dia 20, pelas 12h30, um mural de graffiti inspirado nas camélias.

A ação integra-se no Café Cultural - Residência Artística e será o arranque da Festa Internacional das Camélias marcada para o terceiro fim-de-semana de março, nos dias 17, 18 e 19.

_DSC1409.jpg

“As camélias são rainhas em Celorico de Basto por isso, trabalhamos por forma a nos adaptarmos, o melhor possível, a essa realidade, criando todos os meios e formas que valorizem este património natural” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva. “Temos um artista altamente conceituado em artes plásticas que se destaca no graffiti que, certamente, nos irá presentear com uma obra de arte única” realçou.

A obra apresentada por Francisco Camilo ficará na rotunda do nó de Britelo, uma das portas de entrada na vila de Celorico. Inspirado nas camélias, o mural de graffiti ficará naquele local durante o período de promoção de um dos maiores certames promovidos em Celorico de Basto, a Festa Internacional das Camélias.

CASA DE PONTE DE LIMA EM LISBOA ADERE AO GRAFITI

A Casa do Concelho de Ponte de Lima em Lisboa está neste momento a proceder à execução de uma pintura mural no lado exterior de um dos muros que resguardam a sua entrada. Trata-se de um graffiti com motivos típicos de Ponte de Lima em forma de propaganda regionalista.

DSCF1793 ccpl-grafiti (2).JPG

Mais do que apresentar uma obra de arte urbana com valor artístico, pretende-se com esta iniciativa reduzir o impacto negativo resultante das demolições efectuadas em torno das suas instalações que têm em vista o prolongamento do “corredor verde” que liga ao Monsanto e cujas obras deverão arrancar em breve, de acordo com informação que recebemos da Câmara Municipal de Lisboa através da Junta de Freguesia de Campolide. Entretanto, aquelas instalações servirão de apoio à equipa de trabalhadores que se encontram envolvidos no projecto.

DSCF1793 ccpl-grafiti (7).JPG

Frequentemente associado a uma cultura suburbana onde pontificam os mais diversos grupos de transgressão das normas sociais, os graffiti, na forma como actualmente se apresenta, tem a sua origem no movimento de contracultura surgido um pouco por toda a Europa por ocasião do levantamento estudantil do Maio de 1968, em Paris. Considerado frequentemente como um ato de vandalismo condenado por lei, o próprio ato de produção dos graffiti é assumido como um ato de rebeldia em relação à ordem estabelecida.

CCPL 008.JPG

Convém, antes de mais, estabelecer uma clara distinção entre o mural de graffiti concebido com reconhecida qualidade artística e contendo uma mensagem da reles pichagem que apenas conspurca as paredes e não respeita o direito à propriedade e ao asseio urbano.

Existem graffiti que constituem autênticas obras de arte, transmitindo preocupações de natureza política, social ou ambientais através de representações críticas e emocionais. Com evidentes traços característicos do expressionismo, surrealismo e simbolismo, alguns das pinturas destes murais podem muito bem serem consideradas verdadeiras manifestações estéticas do neo-expressionismo. Não é o caso das pinturas murais em apreço que, sem qualquer preocupação estética, apenas procuram disfarçar um cenário de demolições.

DSCF1793 ccpl-grafiti (8).JPG

DSCF1793 ccpl-grafiti (9).JPG

DSCF1793 ccpl-grafiti (10).JPG

DSCF1793 ccpl-grafiti (11).JPG

CASA DA JUVENTUDE DE ESPOSENDE PROMOVE WORKSHOP DE GRAFFITI EM ABRIL

No âmbito das “Oficinas na Casa…”, a Casa da Juventude de Esposende vai promover, no próximo dia 15 de abril, às 14h30, um workshop de graffiti, ministrado pelo conceituado graffiter/artista portuense Godmess.

CJ

Nesta oficina será feita uma breve abordagem ao graffiti através da sua história e contextualização atual em Portugal e no Mundo, contrapondo com uma grande vertente prática que vai desde a criação do próprio Tag até aos vários tipos de sprays e métodos de pintura.

Esta ação destina-se a jovens com idades entre os 14 e 30 anos e é de participação gratuita, sendo limitada a 20 participantes. As inscrições devem ser efetuadas até ao dia 14 de abril.

Entre os dias 13 e 30 de abril, a Casa da Juventude apresenta a exposição de fotografia denominada "Olhares de Esposende", da autoria do jovem fotógrafo Ricardo Vale. A mostra poderá ser visitada de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 18h30, e, ao sábado, das 9h00 às 13h00.

Em abril, prossegue o Torneio Fifa 2015, com sessões nos dias 15,22 e 29, a partir das 14h30. Esta competição de futebol virtual tem como objetivo dinamizar os tempos livres dos jovens do concelho e tem vindo a apurar mensalmente um jogador, que irá participar na grande finalíssima, a realizar em Junho de 2015. A participação é gratuita e limitada a 20 participantes, devendo as inscrições serem efetuadas até ao dia 14 de abril.

Para mais informações, os interessados deverão contactar a Casa da Juventude, através do telefone 253 960 162 ou do e-mail casa.juventude@cm-esposende.pt