Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPETÁCULO “DANÇA NA VILA” A 30 DE JULHO NO GERÊS

O Município de Terras de Bouro, através  do projeto "Cultura para Todos em Terras de Bouro, irá proporcionar no próximo dia 30 de julho um espetáculo intitulado "Danças do Mundo" . O evento irá decorrer na Praceta Honório de Lima, na Vila do Gerês e contará com cerca de 20 artistas nacionais e internacionais premiados em vários campeonatos nacionais e internacionais de dança.

O “Cultura Para Todos” trata-se de um projeto de inclusão social que visa a "promoção da arte", cultura e desporto como meio de integração junto da população, inclusivamente com recurso a práticas musicais e artísticas que se podem revelar agregadores e potenciadores dos níveis de bem-estar físico e psicológico, além de proporcionar a aquisição de competências e aprendizagens.

capela (1).jpg

ARCOS DE VALDEVEZ LANÇA BRANDA CIENTÍFICA DE SÃO BENTO DO CANDO NO PARQUE NACIONAL DA PENEDA-GERÊS

A Câmara Municipal dos Arcos de Valdevez e a Associação BIOPOLIS apresentam esta sexta-feira (29 de julho de 2022), pelas 15h, o projeto da Branda Científica de São Bento do Cando.

Branda Científica.jpg


Em pleno coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês, irá ser construída uma estação internacional de investigação para apoiar os trabalhos dos cientistas na região.
Respondendo aos desafios da Estratégia Europeia para a Biodiversidade 2030, e do European Green Deal, a Branda Científica de São Bento do Canto apoiará investigação interdisciplinar de suporte no âmbito do restauro da biodiversidade e ecossistemas na Europa e da gestão sustentável dos recursos naturais, nomeadamente no domínio das montanhas, que são verdadeiras sentinelas das alterações climáticas. Irá também apoiar investigação sobre os recursos culturais, que formam parte integral da paisagem no espírito da Convenção Europeia da Paisagem.
As Brandas são um tipo de povoamento na Serra da Peneda que significa "aldeia de Verão". Nesta região, os pastores e as suas famílias movimentavam-se entre as Inverneiras (aldeias de Inverno) e as Brandas todos os anos, procurando a proteção dos elementos no Inverno, e as pastagens frescas no Verão. Numa versão moderna deste conceito, a branda será uma aldeia de verão para os cientistas do BIOPOLIS e das várias instituições participantes.
A Branda Científica de São Bento do Cando terá condições para acolher cursos de doutoramento e mestrado de curta duração, trabalho de campo de investigadores, tendo para além dos alojamentos um conjunto de laboratórios de suporte. Irá ainda funcionar como espaço para apoio a workshops com investigadores.
Na região decorrem já um conjunto de trabalhos de investigação, desde a arqueologia à ecologia, que têm resultado numa obra científica reconhecida a nível internacional e que entre outros aspetos levou à descrição de novas espécies para a ciência e novos sistemas de monitorização da biodiversidade, mas agora esses trabalhos irão ter o apoio infraestrutural que lhe permitirão abraçar novos desafios científicos.
Serão intervencionados um conjunto de edifícios da Confraria de São Bento do Cando, dando-lhes novos usos e mantendo o apoio sazonal aos peregrinos que acorrem a esta aldeia.
Este projeto conta com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), do Ministério da Coesão Territorial, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) e da Fundação para a Ciência e a Tecnologia - FCT.
Durante o evento será também assinado o “Acordo de Cooperação da Branda Científica” com a Universidade do Porto, Universidade do Minho, Universidade de Trás-os-Montes, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Instituto Politécnico de Bragança, Universidade de Vigo e Universidade de Santiago de Compostela.
Esta é mais uma iniciativa de promoção do conhecimento e inovação da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez com parceiros para a fixação e atração de talento, pessoas e investimento qualificado para Arcos de Valdevez.

GERÊS SEGURO 2022

Teve início no dia 15 de julho a terceira edição do “Gerês Seguro”, um projeto que desde 2020 tem como principais objetivos a divulgação de um conjunto de regras relacionadas com boas práticas ambientais relativas à ocupação dos locais de maior afluência turística no concelho de Terras de Bouro.

Visa ainda sensibilizar e orientar visitantes e turistas, nomeadamente clientes dos mais variados estabelecimentos turísticos, de modo a usufruírem em segurança dos recursos turísticos do Parque Nacional da Peneda Gerês e, com isso, ajudar a comunicar o Gerês como um destino seguro.

Este projeto resulta de uma parceira entre a associação Gerês Viver Turismo e a Câmara Municipal de Terras de Bouro, contando com o apoio da Carclasse S.A., através da cedência de uma viatura 100% elétrica.

Gerês Seguro 2022.jpeg

ANIMAÇÃO DE VERÃO NO GERÊS

De Julho a Setembro serão muitos os dias com animação cultural no Gerês, para turistas e população local. Uma programação que complementa a oferta turística do concelho de Terras de Bouro, no qual domina o património natural.

Tal como em anos anteriores, a diversidade de expressões artísticas é notória, sendo uma das interessantes caraterísticas do conjunto de eventos, que envolve espetáculos de stand-up comedy, muitos concertos com artistas de diferentes estilos musicais, animação de rua, cinema ao ar-livre e dança.

A agenda pode ser consultada em www.geres.pt, sendo a programação cultural da responsabilidade da associação empresarial Gerês Viver Turismo, com apoio da Câmara Municipal de Terras de Bouro.

Cartaz animação de verão 2022 vf (1).jpg

 

TERRAS DE BOURO: GERÊS GRANFONDO BY TREK 2022 FOI UM SUCESSO

No dia 5 de junho a vila do Gerês recebeu cerca de 1300 ciclistas que participaram na edição 2022 da prova velocipédica Gerês Granfondo by Trek, evento que contou com apoio do Município de Terras de Bouro e organização da Bikeservice.

IMG-20220605-WA0001.jpg

Aquele que já é apelidado de “o mais mítico dos Granfondos portugueses” teve a sua nona edição que percorreu os concelhos de Terras de Bouro, Vieira do Minho e Montalegre, com partida e chegada na vila do Gerês, tendo sido efetuados três diferentes percursos: Granfondo 131km, Mediofondo 87km e Minifondo 57km.

“A mescla entre tradição e modernidade volta a ser a marca distintiva do Gerês Granfondo, cujo percurso será duro e desafiador, no paraíso natural que é o Parque Nacional da Peneda Gerês, uma das sete maravilhas naturais de Portugal. “ -   Bikeservice

Este evento, contou com a presença do  Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo e dos Vereadores, António Cunha e Isménia Loureiro no lançamento da corrida e na entrega de trofeus, tendo o Presidente agradecido à Bikeservice, na pessoa de Manuel Zeferido, por continuar a dar preferência ao Gerês, sublinhando a importância  deste evento, por um lado, na promoção de Terras de Bouro como destino turístico de eleição associando-o, também, à prática de desportos de natureza e, por outro lado, como dinamizador da economia local, na medida em que durante vários dias foram milhares  de visitantes com estada e consumo no comércio local do concelho.

IMG-20220605-WA0002.jpg

IMG-20220605-WA0006.jpg

283564231_5069824413126169_599146428363056845_n.jpg

283678333_5069826356459308_7477310680051039416_n.jpg

283784298_5069821689793108_798595447322992184_n.jpg

284170886_5069827166459227_1751423035874482730_n.jpg

284264879_5069822473126363_950290633368791496_n.jpg

284320995_5069823873126223_1206970120583719671_n.jpg

284495019_5069823966459547_7601462004149851341_n.jpg

284947492_5069825079792769_3362442671768501820_n.jpg

285052186_5069823023126308_3818239579466606891_n.jpg

ALUNOS DO DISTRITO DE BRAGA VISITAM TERMAS DO GERÊS

Atividade “Dias a Viver a Água” proporciona visitas pedagógicas  ao Gerês

A CIM Cávado está a promover uma atividade denominada “Dias a Viver a Água”. Esta ação está inserida na 8ª edição do projeto “AQUA Cávado: o rio que nos une”.

IMG-20220510-WA0027.jpg

Neste âmbito e no que concerne ao “Percurso Montanha”, têm decorrido várias visitas ao Gerês, que contaram com a presença da Vereadora do Município, Ana Genoveva, que deu assim as boas-vindas ao nosso concelho e agradeceu também a visita.  A Buvete das Termas do Gerês e o Parque Tude de Sousa  foram os locais visitados pelas turmas escolares de vários locais do distrito de Braga.

Nos dias 15, 22, 29 de março e 10 de maio estiveram no nosso concelho: a Escola EB1 de Macieira de Rates, de Barcelos, com 17 alunos; a Escola EB de Goios – Marinhas, de Esposende com  49 alunos; a Escola EB 2, 3 de Gualtar, de Braga e a Escola Básica Dr. Francisco Sanches, de Braga, com 20 alunos.

No dia 31 de maio, será rececionada a Conservatória Calouste Gulbenkian, de Braga com 48 alunos.

Sublinhe-se ainda que, na primeira visita e porque o Parque Tude de Sousa estava em manutenção, procedeu-se à apresentação de conteúdos promocionais do concelho de Terras de Bouro no Auditório Prof. Emídio Ribeiro do Centro de Animação Termal como forma de promover e divulgar o nosso território. Esta é também a forma assumida pelo Município de Terras de Bouro, mais uma vez e no seguimento de políticas adotadas nesse sentido, de difundir as maravilhas naturais e medicinais que tanto nos caracterizam e, desta feita, também junto dos mais novos.

IMG-20220510-WA0030.jpg

IMG-20220510-WA0033.jpg

IMG-20220510-WA0026.jpg

WhatsApp Image 2022-04-11 at 22.30.42.jpeg

WhatsApp Image 2022-04-11 at 22.30.43.jpeg

WhatsApp Image 2022-04-11 at 22.30.42 (1).jpeg

WhatsApp Image 2022-04-11 at 22.30.42 (4).jpeg

WhatsApp Image 2022-04-11 at 22.30.42 (6).jpeg

WhatsApp Image 2022-04-11 at 22.29.26 (1).jpeg

WhatsApp Image 2022-04-11 at 22.30.10 (1).jpeg

WhatsApp Image 2022-04-11 at 22.30.11 (1).jpeg

IMG-20220510-WA0028.jpg

IMG-20220510-WA0029.jpg

VEZEIRA ANIMOU VILA DO GERÊS

As vezeiras de Rio Caldo e Vilar da Veiga cumpriram, uma vez mais, o secular costume de se dirigir para a serra, atravessando a vila do Gerês no dia 15 de maio.

283094084_319635313686376_4778997988812942830_n.jpg

O evento, organizado pela Associação Lírio do Gerês e contando com a colaboração do Município de Terras de Bouro, Junta de Freguesia de Rio Caldo, Junta de Freguesia de Vilar da Veiga e Hoteleiros do Gerês, animou a vila termal ao longo do fim de semana com provas gastronómicas, animação musical e chegas de bois, contribuindo, desta forma, para mais uma importante promoção e desenvolvimento da economia local, para além do fundamental reavivar das tradições ancestrais.

É de salientar ainda, neste âmbito, que o Município de Terras de Bouro tem em marcha a conceção do processo de classificação e inscrição da Vezeira no Inventário Nacional de Património Cultural (material e imaterial). Tal processo pretende dar relevância a esta manifestação do património cultural imaterial , salvaguardando assim eventuais ameaças à continuidade da prática e da transmissão desta herança cultural às gerações futuras, de forma a garantir a sua continuidade.

282129381_319635297019711_5236437310255749763_n.jpg

283061724_319635377019703_3232655296851964228_n.jpg

283143641_319635447019696_6957331505701347723_n.jpg

283089357_319635437019697_3571975533448668075_n.jpg

282791350_319635527019688_4607603312032002323_n.jpg

283140473_319635707019670_4635551565911424200_n.jpg

283105865_319635513686356_7771416285783399531_n.jpg

TERRAS DE BOURO REALIZOU CAMPANHA DE RECOLHA DE SANGUE EM MOIMENTA E NO GERÊS

Os Serviços Educativos do Município de Terras de Bouro, em parceria com o Instituto Português do Sangue e da Transplantação, IP, procederam, mais uma vez, a uma campanha de recolha de sangue.

IMG-20220504-WA0021.jpg

A recolha de sangue foi realizada no dia 4 de maio, nos Serviços Educativos, em Moimenta e no dia 5 de maio, no Centro de Animação Turística do Gerês.

Graças ao espírito solidário dos terrabourenses conseguimos alcançar os objetivos propostos, motivando-nos assim para continuarmos a repetir esta iniciativa futuramente.

Doar sangue é um ato de solidariedade e amor ao próximo. O poder desse gesto é maior do que imaginamos e pode significar milhares e milhares de vidas salvas.

O Município de Terras de Bouro agradece a todos os que doaram sangue nestes dias, pois este nobre gesto poderá ajudar salvar vidas.

IMG-20220504-WA0023.jpg

IMG-20220504-WA0033.jpg

IMG-20220504-WA0036.jpg

IMG-20220504-WA0010.jpg

IMG-20220504-WA0016.jpg

TERRAS DE BOURO: SUBIDA DA VEZEIRA AO GERÊS

Vezeira 1 - 2019.jpg

XVI Subida da Vezeira a 14 e 15 de maio na Vila do Gerês

A Associação Lírio do Gerês irá organizar no fim de semana de 14 e 15 de maio,  a XVI Subida da Vezeira, costume secular em que o gado das vezeiras de Rio Caldo e Vilar da Veiga se dirige para a serra. A iniciativa conta com o apoio do Município de Terras de Bouro, da Junta de Freguesia de Rio Caldo e da Junta de Freguesia de Vilar da Veiga, assim como dos Hoteleiros do Gerês.

Programa:

XVI Subida da Vezeira 2022

14 de maio

14h30 - Passeio pedestre (visita a alguns dos currais da vezeira)

(Concentração em frente ao CAT Gerês) INf: 966 793 234

21h30 - ATUAÇÃO DO GRUPO MUSICAL “VERDE CANTO”

15 de maio

10h00 - Passagem do gado no centro da vila do gerês (vezeiras de Vilar da Veiga e de Rio Caldo)

11h15 - ATUAÇÃO DO RANCHO DE PARADELA / VALDOZENDE (PRACETA DA COLUNATA HÓNORIO DE LIMA)

11h45 - ABERTURA DA PROVA GASTRONÓMICA

(ATUAÇÃO DE CONCERTINAS, RANCHO DE PARADELA E CHARANGA DE VILAR DA VEIGA)

16h00 - Chegas de bois

17H00 - CANTARES AO DESAFIO: AUGUSTO MOREIRA  e CRISTIANA SÁ

Vezeira 2 - 2019.jpg

Capturarvezgeres.JPG

VILA DO GERÊS ABRE ÉPOCA TERMAL

Vila do Gerês recebeu milhares durante o fim de semana da abertura da época termal

Ao longo de dois dias de animação e salutar convívio, muitos foram aqueles que se dirigiram à Vila do Gerês para presenciar e participar nas atividades promovidas pelo Município de Terras de Bouro como forma de assinalar a abertura da época termal e de incentivar e dinamizar a economia local.

IMG_0349.jpg

Para além da feira de artesanato e da animação pela Charanga de Vilar da Veiga, o sábado ficou marcado pelo concerto dos Pólo Norte que atraiu à noite uma multidão que assistiu com grande entusiasmo ao espetáculo. Já o domingo registou a já tradicional e honrosa presença da Banda de Música de Carvalheira e a realização do programa em direto “Somos Portugal” da TVI, oportunidade de atrair à vila termal muitos espectadores e de promover pela televisão o Gerês e Terras de Bouro em todo o país e no estrangeiro.

IMG_0359.jpg

20220430_235649.jpg

20220501_000413.jpg

20220501_000650.jpg

20220501_003130.jpg

20220501_193714.jpg

20220430_234859.jpg

20220430_235345.jpg

20220430_235611.jpg

ABERTURA DA ÉPOCA TERMAL ANIMA VILA DO GERÊS

Com o intuito de promover Terras de Bouro e de assinalar de forma condigna e abrangente a abertura da época termal de 2022, para além da fundamental dinamização da economia local, principalmente na Vila do Gerês, o Município de Terras de Bouro promove no fim de semana de 30 de abril e 1 de maio, uma serie de atividades nesta localidade.

Neste âmbito,  decorrerá uma feira de artesanato nos dois dias, com animação de rua, destacando-se no dia 30 de abril, pelas 22h30, a atuação do reconhecido grupo musical, Polo Norte e no domingo à tarde, a realização do programa televisivo “ Somos Portugal” da TVI.

Abertura da Época Termal 2022 - Vila do Gerês.

ULTRA TRAIL DA GEIRA: VIA ROMANA REGRESSOU COM CENTENAS DE PARTICIPANTES

Ricardo Sousa foi o grande vencedor

Depois de 2 anos de interregno devido à COVID-19, realizou-se, este domingo, a 13ª edição do Ultra Trail Geira / Via Nova Romana. A corrida de trail em ambiente de montanha, organizada numa parceria entre o Clube Orientação do Minho e a Confraria Trota Montes, contou, como habitualmente, com o apoio dos Município de Amares e o Município de Terras de Bouro.

IMG_4965.jpg

Esta edição fez parte do Circuito Nacional de Ultra Trails e Trails e englobou duas provas em simultâneo: o Ultra Trail da Geira / Via Nova Romana com uma distância de cerca de 50 km e a Corrida da Geira, com uma distância de 20km.

Ricardo Sousa, a correr pela Águias de Alvelos, foi o grande vencedor do Ultra Trail da Geira, com um tempo de 04:55:53.697. Nelson Loureiro venceu a Corrida da Geira em 01:21:42.327.

Restantes resultados : XIII Ultra Geira Via Nova Romana 2022 (stopandgo.pro)

A cerimónia de entrega de prémios decorreu no Jardim das Termas, em Caldelas, na presença do Vereador do Desporto do Município de Amares, Vítor Ribeiro, do Presidente da União de Freguesias da Caldelas, Sequeiros e Paranhos, José Almeida,  do Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo, e Vereadora Ana Genoveva Araújo, representantes da Cruz Vermelha de Amares, do Clube de Orientação do Minho e da Confraria Trota Montes.

A Ultra Trail Geira / Via Nova Romana teve início às 08h00 no Campo do Gerês, Terras de Bouro e foi percorrida quase integralmente em parte da via romana que ligava Bracara Augusta e a Asturica Augusta, com uma distância de cerca de 50 km. A partida decorreu no Museu da Geira, percorrendo parte do concelho de Terras de Bouro e a meta foi instalada em Caldelas, no concelho de Amares.

A Corrida da Geira teve início às 10h15, na distância de 20km, com a partida em S. Sebastião da Geira e chegada no mesmo local, em Caldelas, da Ultra Trail.

A Via Nova Romana constitui um património histórico, cultural e turístico único.

Trata-se de um trajeto de vários quilómetros que é possível percorrer, praticamente, sem obstáculos, usufruindo da magnífica paisagem envolvente que atravessa parte dos concelhos de Terras de Bouro e Amares.

As ruínas, as pedreiras ou os muitos marcos miliários da região – quantidade incomparável a outras áreas do Império Romano – são apenas alguns dos atrativos da Via Nova Romana.

IMG_4966.jpg

IMG_4993.jpg

TERRAS DE BOURO ASSINALA DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS NO NÚCLEO MUSEOLÓGICO DE CAMPO DO GERÊS COM “PORTAS ABERTAS” A 19 DE ABRIL

No sentido de assinalar este evento anual que destaca, em 2022, a importância do "Património e Clima", o Município de Terras de Bouro promove a iniciativa "Portas Abertas" no Núcleo Museológico de Campo do Gerês, no próximo dia 19 de abril.  Desta forma, o público em geral poderá visitar o Núcleo Museológico gratuitamente, das 10h00 às 12h30 e das 13h30 às 16h30.

DIMS2022.jpg

Contactos para informações: 253 351 888

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (DIMS) foi criado pelo Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS) a 18 de abril de 1982, e aprovado pela UNESCO no ano seguinte, com o objetivo de sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para a necessidade da sua proteção e valorização. Celebrando o património nacional, comemora também a solidariedade internacional em torno do conhecimento, da salvaguarda e da valorização do património em todo o mundo.

O tema "Património e Clima" pretende perspetivar as grandes causas da sustentabilidade e da economia circular do ponto de vista do Património Cultural, que tem vindo a sofrer, em maior ou menos grau, os efeitos do aquecimento global, da alteração de ecossistemas envolventes, de situações de seca extrema ou de exposição à subida das águas. No entanto, o património cultural pode também ser um agente na construção de uma ação climática inclusiva, transformadora e estável, através da salvaguarda e proteção contra os impactos climáticos adversos, da construção de respostas informadas a situações de desastre, e da aprendizagem que nos transmite na utilização e reutilização de materiais locais, recicláveis, ecológicos e amigos do ambiente.

VILA DO GERÊS DISTINGUIDA COM “PRÉMIO CINCO ESTRELAS REGIÕES”

O Município de Terras de Bouro regista com agrado a distinção da Vila do Gerês com o “Prémio Cinco Estrelas Regiões”,  na categoria Aldeias e Vilas.

1-01.png

O “Prémio Cinco Estrelas Regiões” é um sistema de avaliação que mede o grau de satisfação que produtos, serviços e marcas de origem portuguesa conferem aos seus utilizadores, tendo como critérios de avaliação as 5 principais variáveis que influenciam a decisão de compra dos consumidores. Desta forma, pretende dar-se visibilidade a estas marcas, que pela sua tipologia se caraterizam por oferecer um serviço de grande proximidade, tão valorizado por todos.

Através de um inquérito nacional, com nomeações diretas pela população, são identificados os ícones nacionais mais relevantes para os portugueses, ao nível de elementos culturais, recursos naturais, monumentos e património, aldeias, vilas e cidades, gastronomia  e produtos naturais e típicos do país.

TERRAS DE BOURO PROMOVE AUDIÇÕES DE GUITARRA E CANTO

Audições de Guitarra e Canto a 12 e 13 de abril na vila do Gerês e em Rio Caldo

A Escola de Musica de Terras de Bouro promove nos dias 12 e 13 de abril audições de guitarra clássico e canto na Vila do Gerês e em Rio Caldo.

As sessões terão a orientação do Professor Luís Pinho e decorrerão no Auditório da Vila do Gerês a 12 de abril, pelas 19 horas, para os alunos do polo do Gerês e a 13 de abril na sede do Grupo C.D. R de Rio Caldo, também pelas 19 horas, para os alunos do polo de Rio Caldo.

Cartaz - Audições de Guitarra Clássica e Can

VILARINHO DA FURNA VIVE NA MEMÓRIA DOS SEUS HABITANTES

Em 1971 não se afundou apenas uma aldeia inteira. No fundo das águas do rio Homem não jazem apenas paredes graníticas e campos outrora verdejantes e cultivados. Ali, estão submersas memórias de um povo que vivia em comunidade e partilhava tudo. Hoje, partilham o sentimento de tristeza por já não terem a sua Vilarinho da Furna.

Capturarvilarinhodafurna1.JPG

Vilarinho da Furna. Por Benkeboy

No dia 1 de janeiro de 1971, flocos de neve caíam suavemente sobre os telhados desta aldeia, perdida entre as serras do Gerês e Amarela. Manuel Antunes lembra-se bem desse dia. E, se não se lembrasse, sempre teria as centenas de registos fotográficos que tem dos últimos dias que passou na aldeia.

Manuel Antunes, professor reformado da Universidade Lusófona e sociólogo, nasceu e cresceu naquela pequena aldeia da freguesia do Campo do Gerês, situada no extremo nordeste do concelho de Terras de Bouro, até aos 12 anos, altura em que foi estudar para Viana do Castelo. Contudo, continuava a visitar a aldeia sempre que possível, principalmente na altura das férias do Natal, da Páscoa e durante os três meses de verão.

Capturarsaemdaaldeiavfurna.JPG

Habitantes de Vilarinho da Furna a saírem da aldeia. Por Manuel Antunes

Naquele primeiro dia do ano de 1971, Manuel Antunes, com cerca de 20 anos e já a viver e a estudar Filosofia em Lisboa, aproveitou as férias de Natal para visitar uma tia que ainda lá vivia e despedir-se da aldeia antes de esta se perder para sempre nas águas da albufeira.

“Vi o desmontar das casas, tirei umas fotografias, trouxe também alguns objetos para o museu e viemos embora no dia 2. Fomos as últimas pessoas de Vilarinho a sair de lá no dia 2 de janeiro de 1971”, contou em entrevista à EscapadaRural.

Capturarconstbarragvfurna.JPG

Construção da barragem de Vilarinho das Furnas. Por Manuel Antunes

barragem de Vilarinho das Furnas acabaria por ser fechada em fevereiro de 1971, mas só foi oficialmente inaugurada a 21 de maio de 1972.

Capturarmuseuetnvilarinhofurna.JPG

Museu Etnográfico de Vilarinho da Furna. Fonte: CM Terras de Bouro

“Um museu para evocar uma aldeia submersa”

Manuel Antunes, agora com 70 anos, é um dos maiores guardiães da memória de Vilarinho da Furna, antes mesmo da barragem ter sido construída. “Quando foi decidido construir a barragem, em 1967, eu lancei a ideia de criar o Museu Etnográfico de Vilarinho da Furna”, recorda. Uma ideia que classifica de “mirabolante”, mas que permite hoje em dia não esquecer a extinta aldeia comunitária.

Foi também ideia do sociólogo levar algumas das casas de Vilarinho da Furna para construir o próprio museu, que foi inaugurado em 1989 e pode ser visitado a poucos quilómetros da aldeia, na sede da freguesia, Campo do Gerês. “O fundamental do museu são as próprias casas trazidas de Vilarinho”, afirma.

Capturardesmontarcasavfurna.JPG

Desmontar de uma das casas de Vilarinho da Furna. Por Manuel Antunes

O Museu Etnográfico foi construído com as pedras de duas casas de Vilarinho da Furna e a capela da aldeia foi utilizada para construir as fundações do edifício. “Foi a maneira que eu encontrei na altura para manter a memória de Vilarinho”, explica Manuel Antunes, acrescentando que não há nenhum outro lugar no mundo que tenha “um museu para evocar uma aldeia submersa”, com a exceção do Museu da Luz, construído em 2003 para recordar a Aldeia da Luz.

Mas, ao contrário da Aldeia da Luz, submersa pelas águas da barragem do Alqueva, em 2002, em Vilarinho da Furna não se fez nenhuma aldeia nova para onde as pessoas pudessem ir. “Para que é que interessava uma aldeia quando tinham tirado os campos, que era a principal fonte de rendimento”, argumenta Manuel Antunes.

 

Capturarvilarinhodafurna1.JPG

Vilarinho da Furna. Por Manuel Antunes

“A mais perfeita expressão da democracia”

As cerca de 250 pessoas que viviam na aldeia dispersaram-se pelas várias terras dos concelhos de Braga, Viana do Castelo, Ponte da BarcaPonte de LimaBarcelosVieira do Minho, Terras de Bouro, onde encontraram novas gentes, novos costumes. Mas onde também se perdeu a vida comunitária de Vilarinho da Furna.

sistema comunitário de Vilarinho resistiu ao avançar dos séculos, mesmo quando essa forma de viver caía em desuso na Europa.

A população da aldeia organizava encontros semanais – geralmente às quintas-feiras -, onde os representantes das várias famílias da povoação analisavam, até à exaustão, os problemas que a todos diziam respeito, e se decidiam, por vontade expressa da maioria, as soluções a adotar.

 

Capturarreuniaojuntavfurna.JPG

Reunião da Junta. Por Manuel Antunes

As cerca de 250 pessoas que viviam na aldeia dispersaram-se pelas várias terras dos concelhos de Braga, Viana do Castelo, Ponte da BarcaPonte de LimaBarcelosVieira do Minho, Terras de Bouro, onde encontraram novas gentes, novos costumes. Mas onde também se perdeu a vida comunitária de Vilarinho da Furna.

sistema comunitário de Vilarinho resistiu ao avançar dos séculos, mesmo quando essa forma de viver caía em desuso na Europa.

A população da aldeia organizava encontros semanais – geralmente às quintas-feiras -, onde os representantes das várias famílias da povoação analisavam, até à exaustão, os problemas que a todos diziam respeito, e se decidiam, por vontade expressa da maioria, as soluções a adotar.

Capturarmanuelantunes.JPG

Manuel Antunes. Fonte: AFURNA

Um mergulho em Vilarinho da Furna

Manuel Antunes guarda muitas memórias da sua infância na aldeia, algumas das quais estão registadas nos quatro livros que escreveu sobre Vilarinho da Furna e nas fotografias expostas no museu etnográfico. Mas guarda “essencialmente uma emocionante revolta”, porque as famílias receberam muito pouco.

“As famílias receberam, sem contar as casas, uma média de meio escudo por cada metro quadrado. Uma sardinha já custava um escudo”, compara. Assim, a Companhia Portuguesa de Eletricidade (antecessora da EDP) pagou pela aldeia toda cerca de 20 mil escudos, o que seriam cerca de 100 mil euros hoje em dia.

Foi um momento difícil para as 57 famílias que viviam em Vilarinho da Furna. “Pagaram pouco e só começaram a pagar em setembro de 1969 e depois deram um ano para as pessoas saírem de lá. Foi uma situação muito complicada”, explica o sociólogo.

Capturardestruiçãovfurna.JPG

A destruição de Vilarinho da Furna. Por Manuel Antunes

Apesar de tudo, os habitantes da aldeia foram-se adaptando e hoje atenuam as saudades visitando o museu e a aldeia quando o nível da água o permite. Também foi criada em 1985 a Associação dos Antigos Habitantes de Vilarinho da Furna (AFURNA) com o objetivo de preservar, promover e estender no tempo a memória da aldeia.

“A aldeia está debaixo de água, tudo bem, mas a gente vai procurar rentabilizar o melhor possível”, assume Manuel Antunes. Para isso, foi ainda criado o Museu Subaquático de Vilarinho da Furna, em 2001, em parceria com a empresa de animação turística Cavaleiros do Mar, sediada em Viana do Castelo. Com máscaras, barbatanas e botijas de oxigénio é possível nadar entre as ruínas, entrar nas casas e explorar a aldeia de uma perspetiva diferente.

Capturarantigaaldeiavfurna1.JPG

Vilarinho da Furna. Por Daniela Goreti Batista Morence

Enquanto que alguns gostam de mergulhar na aldeia submersa, a maioria gosta de ver Vilarinho da Furna completamente a descoberto e andar pelo meio das ruas como se a barragem nunca tivesse sido construída e a aldeia numa tivesse sido apagada.

Apesar da seca que se faz sentir em Portugal atualmente, a aldeia de Vilarinho da Furna ainda permanece debaixo de água, mas “já se vê o topo de algumas casas”, conta o sociólogo com entusiasmo.

Este fenómeno vai acontecendo de tempos a tempos e é uma alegria para quem lá deixou as memórias enterradas. “A gente mata saudades. É um momento para a gente se encontrar”, diz Manuel Antunes na esperança de ver a sua aldeia em breve, se o rio Homem o permitir.

Fonte: https://www.escapadarural.pt/

PORTO CANAL NO MUSEU ETNOGRÁFICO DE VILARINHO DA FURNA

No dia 22 de fevereiro, uma equipa de reportagem do canal televisivo PORTO CANAL deslocou-se ao nosso concelho para efetuar filmagens para o programa VIVER AQUI, sobre a Aldeia de Vilarinho da Furna. Na ocasião, a Vereadora Municipal da Cultura, Drª Ana Genoveva, acompanhou a visita ao Museu Etnográfico de Vilarinho da Furna. No local, a Sra. Vereadora fez uma visita pelo museu onde foi falando da aldeia, nomeadamente quando foi submersa, dos usos e costumes dos habitantes da aldeia comunitária, os trabalhos a que se dedicavam, o vestuário usado, como eram as casas, assim como da forma como viviam: o comunitarismo.

MUSEUETNVILARFURNAPORTOCANALAL (4).jpg

Posteriormente, já na albufeira e junto à aldeia de Vilarinho da Furna, a convite da Sra. Vereadora, também se realizou uma entrevista ao Dr. Manuel Antunes, Presidente da AFURNA, Associação dos Antigos Moradores de Vilarinho da Furna, onde falou da sua experiência enquanto habitante da aldeia, as vivências e o processo de saída da mesma.

Tratou-se de mais uma oportunidade para dar a conhecer os hábitos ancestrais de quem habitou na aldeia de Vilarinho da Furna, hoje submersa.

MUSEUETNVILARFURNAPORTOCANALAL (5).jpg

MUSEUETNVILARFURNAPORTOCANALAL (3).jpg

TERRAS DE BOURO: ESTÁ DE VOLTA O FESTIVAL DE CAMINHADAS NO GERÊS

Organizado pela associação Gerês Viver Turismo e com o apoio da Câmara Municipal de Terras de Bouro, vai realizar-se nos dias 26 e 27 de março mais uma edição do Festival de Caminhadas no Gerês.

Desta feita em parceria com seis empresas de animação turística que operam no destino turístico Gerês e cujos profissionais são profundamente conhecedores do território. O evento conta ainda com o apoio da Decathlon Braga, das Águas do Fastio e da Carclasse.

Esta será a 9ª edição do evento e em 2022 os participantes terão a oportunidade de percorrer trilhos na envolvente da aldeia de Campo dos Abades - Santa Isabel do Monte, cujo património natural e paisagístico é de inegável valor.

Em cada um dos dias vão realizar-se 3 caminhadas guiadas, percorrendo outros tantos trilhos, todos eles circulares mas com extensões e graus de dificuldade diferentes, do fácil ao difícil, possibilitando a participação de todos, independentemente da experiência que possam ter.

No final das caminhadas, em ambos os dias, será promovido o convívio entre todos os participantes com a oferta do típico Caldo no Pote e de malga alusiva ao evento.

Este festival, considerado como um dos mais interessantes e significativos do género em Portugal, tem como objetivo principal a promoção do Gerês enquanto destino turístico com condições ímpares para a prática de atividades de lazer na Natureza, proporcionando o contato direto com o património natural e cultural, sendo que são também objectivos da organização a sensibilização para a preservação da Natureza e a prática de atividades em montanha de forma segura e responsável.

As inscrições são obrigatórias e encerram às 12:00 do dia 22 de março. Informação completa pode ser consultada em www.geres.pt

CARTAZ - FESTIVAL DE CAMINHADAS.jpg