Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

AMARES REALIZOU FESTIVAL DO BACALHAU

Centenas de pessoas visitaram o Festival do Bacalhau em Amares

Caldelas convidou à boa gastronomia naquela que foi o IV Festival do Bacalhau. A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal de Amares em parceria com a União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, recebeu a visita de centenas de comensais que não quiseram perder a oportunidade de se deliciarem com o bom bacalhau e as mais diversas melhores iguarias confecionadas à base deste petisco rei, acompanhadas pelo arroz fresco de feijão e regadas pelo refrescante vinho verde do concelho.

DSC07494.jpg

“O Festival do Bacalhau é uma iniciativa que não pretende ter uma grande dimensão, ou seja, é um tipo de evento de verão, que oferece ao visitante um espaço de convívio e de boa gastronomia num conceito mais familiar e ao estilo dos bons arraiais, se quisermos, e que é um formato que tem resultado muito bem e que este ano voltou a resultar”, referiu o vice-presidente da Câmara de Amares, Isidro Araújo, em jeito de balanço.

Mantendo o mesmo formato dos anos anteriores, a iniciativa apresentou-se com uma praça de alimentação ligeiramente maior e uma loiça especialmente criada para o evento – um kit que continha todo o material necessário para que os visitantes pudessem usufruir da sua refeição.

“Este é um festival que está consolidado e que traz já muita gente de fora, nomeadamente, de Braga. O balanço é, neste sentido, muito positivo”, referiu o presidente da União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, José Almeida. “O bom ambiente e a boa gastronomia, fizeram desta edição mais um sucesso e é de destacar também a implementação dos kits para as refeições que funcionou muito bem em termos de organização”, concluiu.

Este ano, o Festival do Bacalhau contou com a participação dos restaurantes: O Correia, O Vale do Homem, Quinta do Côvo e Torres.

FAMALICÃO JUNTA MAIS DE MIL PESSOAS NO FESTIVAL DE CULINÁRIA

Mais de mil pessoas na 1.ª edição do Cooking Fest

O arraial Cooking Fest organizado na passada sexta-feira, pela União de Freguesias de Ruivães/Novais e pela AESACADEMY, com o apoio do Município de Vila Nova de Famalicão através do Há Cultura, superou largamente as expetativas.

Cooking Fest 1.jpg

As instalações exteriores da AESACADEMY, no Centro Empresarial Nortada, em Ruivães, foi o local escolhido para a realização deste evento que contou com vários espaços de degustação e com espetáculos de showcooking, onde se apresentaram versões alternativas aos pratos do quotidiano.

Desde os tradicionais queijos e do bacalhau, às carnes, peixes e hambúrgeres em pão de beterraba até às flores comestíveis, foram muitas as opções trazidas pelos chefs da AESACADEMY que tem apostado forte na formação.

Com animação para todas as idades, o programa teve ainda uma sessão de Zumba e não faltaram pessoas vindas dos concelhos vizinhos, que tiveram também a oportunidade de provar os melhores vinhos de produção regional, numa noite que abriu com a fanfarra dos Escuteiros locais, entrega de diplomas aos finalistas da Escola Básica e ainda atuações do Grupo Francisco Sousa, do Rancho da Casa do Povo de Ruivães, terminando com DJ´s pela noite dentro.

O programa, que contou com a apresentação de Duarte Veiga, Presidente da Junta desta União de Freguesias, teve a visita do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que destacou a envolvência e a dinâmica gerada no local como um exemplo a seguir.

Depois do sucesso da primeira edição, António Rodrigues, diretor da AESACADEMY não tem dúvidas que este evento veio para ficar e já se pensa no programa do próximo ano, esperando trazer a Ruivães um programa reforçado e com caraterísticas únicas.

Cooking Fest 2.jpg

PORQUE ESTRANHAM OS PORTUGUESES CERTOS HÁBITOS CULINÁRIOS DOS INGLESES SEM CONHECEREM A SUA ORIGEM PORTUGUESA?

Por esta altura do ano, muitos são os estrangeiros que nos visitam e, entre eles, os ingleses que possuem a particularidade de a fazerem acompanhar com batata frita, causando frequente estranheza entre nós.

0fish.jpg

Sucede que, o “fish and chips” ou seja, peixe frito com batatas fritas, atualmente bastante popular na Grã-Bretanha, teve a sua origem na culinária portuguesa, tendo sido levado para a Inglaterra e a Holanda pelos judeus portugueses, dando mais tarde origem à tempura que constitui uma das especialidades gastronómicas mais afamadas do Japão.

SARRABULHO DE PONTE DE LIMA VENCEU PRÉMIO REGIÕES 2019

O Arroz de Sarrabulho ou Sarrabulho á moda de Ponte de Lima, foi o vencedor na semana passada do prémio Regiões 2019, na sequência das avaliações realizadas por numerosos participantes.

03052019.jpg

Trata-se de um galardão atribuído a “ marcas, produtos, serviços de relevo regional”, onde a gastronomia é avaliada pela sua importância local, ora como referência imaterial, ora como integrante da economia agrícola.

Nos termos do Regulamento do concurso elaborado pela empresa responsável, com sede em Lisboa, o resultado é o somatório de opiniões públicas, salientando a participação de entidades dos sectores de marketing e restauração, inquéritos e deslocações do cliente mistério a restaurantes.

O sesquicentenário prato de Ponte de Lima, pois desde 1860 que está documentado a sua entrada no circuito comercial, obteve assim o selo de “ garantia de escolhas de consumo do melhor que se faz em Portugal “ cujo resultado foi uma “ amostra representativa da população portuguesa de 222.900 indivíduos”, informou também a organização do concurso.

Para além do arroz de Sarrabulho representando o Minho, estiveram também a concurso, outros pratos típicos e produtos regionais, como o Leitão à Bairrada, a Feijoada á Transmontana, a Alheira de Mirandela, os Pastéis de Belém, o queijo da Serra, entre outros.

Recorde-se, que para a preservação da receita e sua promoção, foi constituída em25 de janeiro de 2006 a Confraria Gastronómica do Sarrabulho à moda de Ponte de Lima, integrando o município local, as Escolas Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (Refóios) e a Profissional Agrícola e Desenvolvimento Regional (Arca), a Associação Empresarial de Ponte de Lima, a Adega Cooperativa, a extinta Região de Turismo do Alto Minho, e a título individual, o signatário, Franclim Sousa, ex-vereador da Cultura e Educação, Amâncio Cerqueira e Abílio Sá Lima.

Nos últimos anos, o Sarrabulho de Ponte de Lima é motivo de Encontros fóra de Portugal, nomeadamente na Espanha, França e Bélgica, com participação também de luso – descendentes de países vizinhos, designadamente Alemanha, Luxemburgo e Suíça, com deslocação de cozinheiras experientes na sua confecção, bem como utilização dos produtos (miudezas) artesanais da Minhofumeiro com sede na Correlhã que acompanham a iguaria limiana.

Tito Morais / https://www.luso.eu/

VINHO LOUREIRO (PONTE DE LIMA) E ARINTO DE BUCELAS (LOURES) NO FOLKLOURES - 19

No âmbito da programação do FolkLoures 2019, organizado pelo Grupo Folclórico Verde Minho daquela cidade da área metropolitana de Lisboa, realizou-se a harmonização dos vinhos Loureiro, do concelho de Ponte de Lima, e Arinto de Bucelas, do município anfitrião.

0807209.jpg

O evento, que decorreu no passado Sábado 6 do corrente mês de Julho, juntou confrades daquele néctar precioso com Região Demarcada em 1911, mas com referências de produção já no ano de 1594, e da casta Verde, o apreciado Loureiro, produção particular da Aromas4U, com sede no Parque Empresaria da Gemieira, também Ponte de Lima.

Foram padrinhos na solenidade, o atleta Nuno Barros, o primeiro português campeão do mundo em canoagem (2010) e da Europa (2014), natural da Seara, e João Pedro Coelho, o Melhor Cozinheiro Jovem nacional em 2017, de Fornelos, duas freguesias Limianas. Associaram-se o ex- eurodeputado da Saúde Pública e Segurança Alimentar, deputado á Assembleia Municipal de Lisboa pelo Movimento Partido da Terra, o jurista José Inácio Faria; o Grupo Verde Minho, organizador, presidido por Teotónio Gonçalves, ex- Provedor da Misericórdia local e dinâmico promotor das artes e tradições de Loures; o jornalista Carlos Gomes (Blogue do Minho), entre outros.

Para acompanhar os dois vinhos, foram de Ponte de Lima também produtos alimentares tradicionais, como a alheira de galo, o paio do lombo e a chouriça de carne, produzidos pela MinhoFumeiro, na Correlhã e o Folar Limiano, confecionado á base duma massa especial com enchidos, pelo Chef Vítor Lima, estabelecido na urbanização da Baldrufa, na sede do concelho.

Quanto ao FolkLoures, ele é já um grande acontecimento na região lisboeta. Este ano, estiveram em palco, representações nacionais e estrangeiras, como o Grupo de Bombos Us Bat na Pele, de Alfândega da Fé, Bragança e o de Arrufarte, Vertente Sul, de Odivelas; o organizador, Verde Minho, de Loures; do Douro Litoral, veio o Tradições Baile dos Pedreiros, de Penafiel, e também dessa mesma cidade, o seu Rancho Folclórico; de Guimarães, participou no Festival, o Rancho Folclórico de Moreira de Cónegos, enquanto o Baixo Alentejo esteve presente com o Grupo Coral e Etnográfico Camponeses de Pias. De mais longe, da Madeira, actuou  o Grupo de Danças e Cantares daquela ilha, e de África, a Dança Sancofa Black Gold, de Cabo Verde.

Numa pesquisa rápida de tempos idos, recordemos que o vinho Arinto de Bucelas foi introduzido na Corte inglesa de Carlos II, casado com a lusitana Catarina de Bragança, filha do rei D. João IV, (e introdutora do Chá), pelo 3º Conde de Castelo Melhor, Luis de Vasconcelos e Sousa (1636 – 1720) durante a sua permanência em Londres. O pai desse titular, João Rodrigues de Vasconcelos, faleceu em Ponte de Lima a 13 de Novembro de 1658, parente dos Viscondes de Vila Nova de Cerveira, Alcaides (e com D. Maria I elevados a Marqueses) de Ponte de Lima. Os fidalgos eram proprietários do Palácio da Rosa, na capital portuguesa, e da Quinta da Romeira, em Loures, ainda actualmente ex-libris do Arinto, com 75 hectares com plantio dessa casta, e detentora do rótulo - Prova Régia – comercializada em Portugal e estrangeiro.

Fonte: Tito Morais / https://www.luso.eu/

ATLETA LIMIANO NUNO BARROS – PRIMEIRO CAMPEÃO DO MUNDO (2010 E DA EUROPA (2014) EM CANOAGEM – VAI ESTAR PRESENTE NO FOLKLOURES’19. E PONTE DE LIMA AQUI TÃO PERTO!

João Mimoso de Morais, Presidente da Assembleia Municipal de Ponte de Lima também vai estar presente no FolkLoures’19

O Presidente da Assembleia Municipal de Ponte de Lima, Dr João Mimoso de Morais, o Dr. António Sousa, Presidente da Assembleia de Freguesia de Arca e Ponte de Lima (Sede do Concelho), o atleta Nuno Barros e o Chef João Pedro, eleito o Melhor Cozinheiro Jovem de Portugal 2017 são algumas das personalidades do concelho de Ponte de Lima que vão estar presentes em Loures na edição deste ano do FolkLoures’19.

imageNuno.jpg

O evento inclui uma prova de vinhos arintos de Loures e de Ponte de Lima, a que se junta o Folar Limiano, o chouriço e o presunto. E, muito provavelmente, as surpresas não ficarão por aqui… e Ponte de Lima aqui tão perto!

O evento conta com a participação dos confrades da Confraria dos Vinhos de Bucelas do qual Teotónio Gonçalves – Presidente do Grupo Folclórico Verde Minho – também é membro. Espera-se que idêntica iniciativa venha a ter lugar oportunamente em Ponte de Lima.

Trata-se de uma iniciativa que celebra a amizade entre os dois concelhos – Loures e Ponte de Lima – que através de eventos como este e a promoção do arroz de sarrabulho com rojões, estão a caminhar no sentido de uma estreita colaboração e, quem sabe, na geminação dos dois municípios.

Foto: Paulo Jorge Magalhães/ Arquivo Global Imagens

BARCELOS ESTÁ NA ROTA DOS PETISCOS

Barcelos recebe mais um fim de semana gastronómico. Rota dos Petiscos decorre de 5 a 7 de julho, em Barcelos

De 5 a 7 de julho, realiza-se a Rota dos Petiscos em Barcelos. Os Restaurantes e Tascas participam com uma grande diversidade de iguarias que fazem lembrar a tradicional merenda de outrora, das jornadas agrícolas convidando a degustar o rojão no pão, as pataniscas, bôlas, bifanas, petinga, polvo, taquinhos de bacalhau, chispes, entre muitas outras opções. Nesta edição encontrará também várias sopas e legumes, que mostram práticas agrícolas e a riqueza dos produtos da terra, desde as hortícolas, ao azeite, ervas aromáticas, entre outros sabores e produtos de elevada qualidade, disponíveis em espaços de excelência gastronómica na área dos Petiscos Tradicionais Minhotos.

Capturarbarcpetisc.PNG

No dia 6 de julho, os amantes dos petiscos poderão aprender a fazê-los num workshop dedicado à sua confeção, às 16h00,no restaurante Adega Costa, na Várzea. Neste workshop, todos os participantes poderão acompanhar a preparação de um workshop de petiscos de “Punheta de Bacalhau”. As inscrições pode ser feitas até 4 de julho atarvés do telefone 253811882 ou do e-mail turismo”cm-barcelos.pt.

Num espaço de três semanas, são dois os fins de semana dedicados ao melhor da gastronomia do concelho, inseridos na política de promoção de uma das suas maiores marcas, a Gastronomia e Vinhos. Os Petiscos Tradicionais fazem parte do Programa do Pelouro do Turismo 7 Prazeres da Gastronomia, e são o reflexo da identidade do território de Barcelos, um concelho turisticamente apetecível.

Este evento gastronómico conta com a participação de 20 tabernas e restaurantes: Adega Costa(Várzea), A Petisqueira Vilaça (Barcelos), Café Central (Paradela), Café e Restaurante “O Rabeca” (Gilmonde), Café Paulista (Barcelos); Café Restaurante Luar (Gilmonde), Casa das Bifanas (Barcelos), Casa Sêmea (Arcozelo), Faty Ferros (Arcozelo), Gil Vicente (Barcelos), Mogno Café (Vila Seca), Restaurante Bar do Xano (Barcelos), Restaurante Girassol “Letras” (Barcelos), Restaurante Vera Cruz (Barcelos), Taberna do Armindo (Remelhe), Taberna “O Manhoso” (Tamel .Veríssimo), Tasquinha do Careca (Perelhal), Tasquinha O Telheiro (Viatodos), Terraço dos Petiscos ( Vila Boa) e Tino Socorro (Alvelos).

CONFRARIA DA VITELA ASSADA À MODA DE FAFE FESTEJA ESTE SÁBADO O SEU VI CAPÍTULO

A Confraria da Vitela Assada à Moda de Fafe vai estar em festa este sábado, dia 6 de Julho, com a realização do seu VI Capítulo, que movimentará largas dezenas de pessoas e trará a Fafe diversos convidados de outras confrarias, em número de dezena e meia, nunca antes atingido.

65847444_2393534534002349_4250903504228450304_n.jpg

O Capítulo é a festa anual de confraternização dos membros de uma confraria, momento aproveitado para a entronização de novos confrades, como vai suceder este ano.

O programa do evento é o seguinte:

10h00 – Concentração no Jardim do Calvário dos convivas e confrarias convidadas, durante a qual será servido um “porto de honra” e será também a forma de dar a conhecer aquele centenário e aprazível espaço romântico aos confrades das confrarias convidadas.

11h30 – Cerimónia religiosa na Igreja Nova, com a celebração da palavra e a bênção dos escapulários, seguida do desfile pela cidade, em direcção à Câmara Municipal, acompanhado pelo grupo de bombos “Só Dava Assim”.

12h30 – Recepção e sessão solene no Salão Nobre dos Paços do Concelho, que inclui a entronização de 14 novos confrades, entre os quais um cidadão chinês.

13h30 – Almoço festivo na Quinta do Labaçoso, em Vinhós.

A Confraria da Vitela Assada à Moda de Fafe foi fundada oficialmente em 2013. No dia 6 de Julho desse ano corporizava-se um projecto que vinha de há mais de uma década, com a tomada de posse de duas dezenas de confrades, que se comprometeram a defender, valorizar e divulgar, na sua autenticidade, o prato mais típico de Fafe. A vitela assada em forno de lenha, em assadeira ou pingadeira de barro, com a necessária gestão de um tempo lento, para um aspecto tostado, de fazer crescer água na boca.

Dois anos depois, no dia 27 de Janeiro de 2015, foi constituída notarialmente num cartório da cidade.

A Confraria tem como objectivos gerais a promoção, a defesa e divulgação dos valores e tradições culturais da gastronomia nacional, com especial incidência para a Gastronomia de Fafe, do Minho, da Região Norte e de Portugal.

E, como nem só de carne vive o simbólico prato, há também lugar para o saboroso pão de ló e os doces de gema, bem como para o vinho verde que acompanha na perfeição a degustação do suculento prato, irmanando-se para tornar a refeição num momento de prazer.

vittel.JPG

FOLKLOURES'19: GASTRONOMIA TAMBÉM É FOLCLORE!

O FolkLoures’19 inclui uma prova de vinhos arintos de Loures e de Ponte de Lima, a que se junta o Folar Limiano, o chouriço e o presunto. A liderar a degustação estará o Chef João Pedro que foi eleito o Melhor Cozinheiro Jovem Portugal 2017.

João-Pedro-Coelho-no-Concurso-Cook-Off

O evento conta com a participação dos confrades da Confraria dos Vinhos de Bucelas do qual Teotónio Gonçalves – Presidente do Grupo Folclórico Verde Minho – também é membro. Espera-se que idêntica iniciativa venha a ter lugar oportunamente em Ponte de Lima.

Trata-se de uma iniciativa que celebra a amizade entre os dois concelhos – Loures e Ponte de Lima – que através de eventos como este e a promoção do arroz de sarrabulho com rojões, estão a caminhar no sentido de uma estreita colaboração e, quem sabe, na geminação dos dois municípios.

FOLKLOURES’19 JUNTA VINHOS ARINTOS DE BUCELAS E PONTE DE LIMA, FOLAR LIMIANO E OUTRAS IGUARIAS E CONTARÁ COM A PRESENÇA DE JOÃO MIMOSO DE MORAIS, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE PONTE DE LIMA

O FolkLoures’19 inclui no próximo dia 6 de Julho, uma prova de vinhos arintos de Loures e de Ponte de Lima, a que se junta o Folar Limiano, o chouriço e o presunto.  A liderar a degustação estará o Chef João Pedro que foi eleito o Melhor Cozinheiro Jovem Portugal 2017.

João-Pedro-Coelho-no-Concurso-Cook-Off

O evento conta com a participação dos confrades da Confraria dos Vinhos de Bucelas do qual Teotónio Gonçalves – Presidente do Grupo Folclórico Verde Minho – também é membro. Espera-se que idêntica iniciativa venha a ter lugar oportunamente em Ponte de Lima.

42504761_1778212945560802_3400862517809905664_n.jpg

Esta parceria contará com a presença, além de outras entidades, do Presidente da Assembleia Municipal de Ponte de Lima, sr. João Mimoso de Morais em representação da autarquia limiana.

Trata-se de uma iniciativa que celebra a amizade entre os dois concelhos – Loures e Ponte de Lima – que através de eventos como este e a promoção do arroz de sarrabulho com rojões, estão a caminhar no sentido de uma estreita colaboração e, quem sabe, na geminação dos dois municípios.

Cartaz-2019 (34).jpg

FOLKLOURES’19 JUNTA VINHOS ARINTOS DE BUCELAS E PONTE DE LIMA E CONTARÁ COM A PRESENÇA DE JOÃO MIMOSO DE MORAIS, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE PONTE DE LIMA

O FolkLoures’19 inclui no próximo dia 6 de Julho, uma prova de vinhos arintos de Loures e de Ponte de Lima, a que se juntam os confrades da Confraria dos Vinhos de Bucelas do qual Teotónio Gonçalves – Presidente do Grupo Folclórico Verde Minho – também é membro. Espera-se que idêntica iniciativa venha a ter lugar oportunamente em Ponte de Lima.

42504761_1778212945560802_3400862517809905664_n.jpg

Trata-se de uma iniciativa que celebra a amizade entre os dois concelhos – Loures e Ponte de Lima – que através de eventos como este e a promoção do arroz de sarrabulho com rojões, estão a caminhar no sentido de uma estreita colaboração e, quem sabe, na geminação dos dois municípios.

A iniciativa contará com a presença, além de outras entidades, do Presidente da Assembleia Municipal de Ponte de Lima, sr. João Mimoso de Morais em representação da autarquia limiana.

Cartaz-2019 (34).jpg

7 MARAVILHAS DOCES DE PORTUGAL: VOTE NAS ROSCAS DE MONÇÃO – LIGUE 760 107 005

Os 140 doces (7 doces por distrito e regiões autónomas) votados por um painel de especialistas na segunda fase, entram agora na terceira fase com a votação do público. As Roscas de Monção fazem parte desta listagem deliciosa, sendo o único doce do Vale do Minho em concurso. As votações estão abertas. O número de apoio às Roscas de Monção é 760 107 005.

roscasmonç.jpg

Os doces que passam à fase seguinte são escolhidos pelo público, sendo divulgados em 20 programas de daytime, a emitir em direto pela RTP, entre 2 de julho e 16 de agosto. As Roscas de Monção participam no primeiro programa, 2 de julho, juntamente com os restantes seis doces eleitos pelo distrito de Viana do Castelo.

O doce mais votado em cada programa passa às semifinais do concurso. Uma novidade desta edição é a existência de um Grande Júri, o qual será responsável pela repescagem de oito candidatos. Assim, aos 20 pré-finalistas apurados pelo público, juntam-se mais 8 repescados, resultando numa lista de 28 pré-finalistas.

Em sorteio, serão divididos pelas duas semifinais, a realizar nos dias 24 e 31 de agosto, dois programas em direto na RTP1, transmitidos em horário nobre. Em cada semifinal, serão apurados os 7 doces com mais votos contabilizados, perfazendo um total de 14 doces que chegam à final.

Nesta fase, os sete elementos do Grande Júri assumem grande preponderância, comentando e provando os doces. A final decorre a 7 de setembro de 2019 e será transmitida pela RTP1, em horário nobre, elegendo as “7 Maravilhas Doces de Portugal”. 

Roscas de Monção

Preparada a massa com farinha triga e água, ao qual se junta manteiga, açafrão, fermento, sal e açúcar, fica a levedar durante duas horas. Depois, as mãos das doceiras moldam as roscas que são colocadas em tabuleiros e polvilhadas de farinha triga para não "apegar".

Posteriormente, vai ao forno de lenha, com porta sempre aberta, até apresentar um aspeto alourado, sendo “adornadas” com açúcar refinado. Com sabor inconfundível e textura única, é o doce perfeito para acompanhar um Alvarinho elegante e aromático. 

A confeção das Roscas de Monção, parte integrante do rico património gastronómico local, tem passado de geração em geração, estando, desde sempre, associada à celebração de romarias e a ambientes festivos realizados no concelho de Monção.

Nos últimos tempos, fruto da grande procura deste doce caraterístico da nossa terra, as Roscas de Monção, como os papudos, têm sido confecionadas para serem comercializadas na feira semanal da localidade, todas as quintas-feiras. As “Rosqueiras” apresentam esta doçaria sobre belos panos de linho, em grandes cestos de vime, vendendo-a à unidade ou em grupos de meia ou uma dúzia.

LIGUE 760 107 005. VOTE NAS ROSCAS DE MONÇÃO.

Na nossa Mesa, só nos falta a sobremesa.