Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO: CHEF ÁLVARO COSTA APRESENTA DOCES E SABORES DA QUADRA NATALÍCIA

O Chef Álvaro Costa, que ao longo deste ano assumiu a função de Chef residente da cozinha experimental da Praça – Mercado Municipal de Famalicão, vai realizar neste mês de dezembro dois showcookings com preparação de sugestões para a mesa de Natal.

Capturarshowwcook (10).JPG

A primeira sessão decorreu no passado sábado, 3 de dezembro, com  a preparação de aletria com lima e pera. No dia 10 de dezembro a sessão repete-se, mas com a preparação de um Arroz de Galo com Figos Secos.

O programa “Chef Residente” é um programa que decorreu ao longo do ano, com uma ligação profunda à gastronomia e ao território.

O showcooking é de participação gratuita e começa às 16h00.

 

ARCOS DE VALDEVEZ: ROJÕES E PAPAS DE SARRABULHO RETORNAM ÀS MESAS DOS RESTAURANTES ARCUENSES

Arcos à Mesa - 26 e 27 Novembro

No próximo fim-de-semana, 26 e 27 de novembro, a iniciativa Arcos à Mesa leva às mesas dos restaurantes arcuenses os tradicionais Rojões acompanhados das Papas de Sarrabulho.

316124245_499116245576257_8589225455125392053_n (4).jpg

Este é um prato muito procurado e apreciado nesta época do ano. Em Arcos de Valdevez terá ainda a oportunidade de saborear a doçaria tradicional, entre os quais os Charutos dos Arcos, eleitos uma das 7 Maravilhas Doces de Portugal, e comprovar a qualidade dos bons vinhos verdes produzidos no concelho e na região.

Em Arcos de Valdevez estas mostras gastronómicas decorrem ao longo do ano e são uma mostra da excelente gastronomia e qualidade dos restaurantes. As especialidades típicas que promovem são: carne cachena com arroz de feijão tarrestre, o cabritinho mamão da serra, o bacalhau à lavrador, o cozido à minhota, o arroz pica no chão, entre outros petiscos caraterísticos da região.

Construa Memórias em Arcos de Valdevez!

Experimente a nossa gastronomia e visite o Parque Nacional Peneda-Gerês/Reserva Mundial da Biosfera, o centro histórico da Vila de Soajo e Sistelo, umas das 7 Maravilhas de Portugal Aldeias.

Aproveite e visite o Centro histórico da Vila de Arcos de Valdevez, passe também pelo Paço de Giela, pelas Oficinas de Criatividade Himalaya, e pelo Centro Interpretativo do Barroco, a porta de entrada para o Barroco, no Alto Minho.

ARCOS À MESA: “Rojões & Papas de Sarrabulho”

26 e 27 de Novembro

RESTAURANTES ADERENTES

- Alto da Prova

- A Floresta

- A Regional

- Cantinho do Abade

- Churrasqueira do Mercado

- Churrasqueira da Ponte Nova

- Costa do Vez – Grill

- D. Isabel

- Manjar das Hortas

- O Barriguinhas

- O Encontro

- O Lagar

- O Pote

- Saber ao Borralho

- Solar do Galvão

- Solar do Vez

- Tasquinha da Ti Mélia

- Restaurante do Parque do Mezio

PROGRAMA

26 de Novembro  |  SÁBADO

10H00 - 11h30 | Arcuenses com Ciência: Palestra “Fotossíntese Artificial: conservação de energia solar em combustível”

            - Oficinas de Criatividade Himalaya – Centro Ciência Via dos Arcos

             (Requer inscrição prévia através do formulário de Inscrição, disponibilizado nas redes Socias das Oficinas de Criatividade Himalaya| Tel. 258 547 326, e-mail. oficinashimalaya@cmav.pt)

22H00 | MÚSICA: “CAROLINA DE DEUS”

            - Auditório da Casa das Artes 

            (venda/reserva de bilhetes a partir de 21 de novembro. Preço único: €5,00)

27 de Novembro  |  DOMINGO

10H30 | “No tempo dos reis… À luz das velas”

            - Paço de Giela

             (Requer inscrição prévia | Tel. 258 520 529, e-mail. pacodegiela@cmav.pt)

COUVADA TRADICIONAL FEZ AS DELÍCIAS DOS MINHOTOS QUE ONTEM AFLUÍRAM À CASA DO MINHO EM LISBOA

A couvada minhota – uma iguaria sem requinte mas que tem a simplicidade daquilo que constituía a alimentação do lavrador sobretudo nesta época do ano – é um dos pratos mais apreciados da nossa cozinha tradicional, a lembrar com nostalgia a vivência das nossas gentes das nossas aldeias.

Capturarcouv1 (5).JPG

As carnes vieram de Ponte de Lima, os enchidos e o vinho de Vila Nova de Cerveira e a alegria também foi genuinamente minhota, onde não faltaram as concertinas a animar o convívio.

A iniciativa contou com a presença entre outros do Vice-presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, Dr. Miguel Teixeira, do deputado municipal Dr Jorge Nuno de Sá, representantes da Junta de Freguesia do Lumiar e de várias casas regionais e grupos folclóricos.

Entretanto, a Casa do Minho celebrou um protocolo com a Junta de Freguesia do Lumiar com vista à realização de diversas atividades naquela freguesia. Também foi tornado público que os ensaios do Rancho Folclórico da Casa do Minho passarão a realizar-se às sextas-feiras a partir das 21,45 no Lagar de São Vicente, em Telheiras.

Capturarcouv2 (3).JPG

Capturarcouv3 (7).JPG

Capturarcouv4 (3).JPG

MELGAÇO: GELADO DE AGUARDENTE DE ALVARINHO DONA PATERNA NUMA PARCERIA COM A MARCA NEVEIROS

Marca de vinhos de Melgaço aposta em novos sabores

A novidade vai ser apresentada na Festa do Espumante de Melgaço, que acontece de 25 a 27 de novembro

Numa parceria com a conceituada gelataria portuense Neveiros, a marca de vinhos de Melgaço Dona Paterna vai apresentar e dar à prova o gelado de aguardente de alvarinho no próximo fim de semana. Foi em agosto passado que a Dona Paterna anunciou que em 2023 lançaria um gelado de alvarinho, mas chegou mais cedo e para a Festa do Espumante de Melgaço, que acontece nos dias 25, 26 e 27 de novembro.

Capturaraguardentepater (4).JPG

O resultado é uma harmonia perfeita entre o doce do gelado e o sabor da aguardente vínica de alvarinho, a Dona Paterna XO. Tem apenas três ingredientes - leite, açúcar e aguardente, na sua forma artesanal e natural. «É um gelado requintado, como a aguardente que lhe dá forma. Uma simplicidade com explosão de sabores.», garante a Neveiros.

O gelado de alvarinho Dona Paterna nasce da vontade da marca em inovar e apostar em novos segmentos. Recorde-se que, no início deste ano, a marca de Melgaço arriscou, em parceria com uma produtora local – Elisangela Castro, da Sabor do Céu - na criação de um ovo da Páscoa com aguardente Dona Paterna e em bombons de alvarinho Dona Paterna. «O alvarinho é muito versátil. Conseguimos com ele criar experiências sem que a autenticidade do seu sabor se perca. A aposta da nossa marca em novos produtos, como o foi o caso dos bombons e do ovo de Páscoa, e agora do gelado, é uma forma de potenciarmos ainda mais o valor desta nossa casta, o alvarinho. Acreditamos que assim conseguiremos chegar a um público maior e díspar.», atenta o produtor da Dona Paterna, Carlos Codesso, considerando que «Tenho a certeza de que mesmo os mais céticos e quem não aprecia aguardente não irão ficar indiferentes a este gelado. O resultado é excecional. Um gelado com caráter.»

«A tradição anda de mãos dadas com a criatividade nesta parceria entre a Neveiros e a Dona Paterna. Duas marcas históricas e pioneiras que prometem agora conquistar muitos fãs com esta combinação entre o sabor da aguardente, com o prazer de um gelado artesanal.», refere a marca de gelados portuense.

AGUARDENTE DONA PATERNA XO GALARDOADA COM MEDALHA DE OURO

Em abril passado, no âmbito do concurso «Os Melhores Verdes 2022», uma iniciativa promovida pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), a Aguardente Vínica XO de Alvarinho Dona Paterna foi galardoada com medalha de ouro, na categoria Aguardente de Vinho Verde.

A aguardente Dona Paterna XO é uma aguardente vínica, que resulta da destilação de vinhos da casta Alvarinho e com os cuidados que tal operação exige.

Assim como a aguardente Dona Paterna Velhíssima, também a Dona Paterna XO envelhece em cascos de carvalho, de diferentes origens e durante vários anos.

Apresenta-se de cor topázio, com aroma característico da madeira, dado o seu envelhecimento de anos em barricas de madeira, complexo e de sabor macio, estruturado e untuoso. O ex-libris da Dona Paterna neste segmento.

A PAIXÃO PELA VINHA LEVOU À CRIAÇÃO DA MARCA DONA PATERNA EM 1990

Localizada numa das mais importantes sub-regiões da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, a sub-região de Monção e Melgaço, a adega Dona Paterna situa-se, concretamente, no município mais a norte de Portugal, Melgaço, na Quinta da Carvalheira, no centro da freguesia de Paderne, uma região fortemente marcada pela cultura da vinha, nomeadamente da casta alvarinho, uma das castas brancas mais ilustres e considerada, por muitos, a melhor casta branca enxertada nas vinhas portuguesas.

O alvarinho Dona Paterna nasceu da paixão de Carlos Codesso que, inspirado pelo seu pai, Manuel Francisco Codesso, desde muito novo se interessou pela viticultura. Obstinado e incentivado pelo progenitor, em 1974, iniciou as primeiras plantações de alvarinho. O acumular de experiência, o contacto com a vinha, o cultivo de videiras, o explorar e conhecer o terroir e, por fim, a experiência na vinificação, foi a pedra-base para a criação, em 1990, da marca de vinho alvarinho Dona Paterna. «Foram das primeiras vinhas contínuas em Melgaço. Comecei a produzir vinho, como lavrador, na altura nas designadas adegas de garagem, e a participar em concursos de vinho, recebendo algumas distinções. Em 1990 decidi criar a marca Dona Paterna.», conta Carlos Codesso.

Esta relação entre o vinho e o terroir onde se insere, a sub-região Monção e Melgaço, o respeito pelo meio ambiente, bem como a aposta na tecnologia, permite hoje apresentar diferentes perfis de alvarinho Dona Paterna de elevada qualidade, entre vinhos, espumantes e aguardentes.

Capturargeladopater (1).JPG

CASA DO MINHO EM LISBOA JUNTA MINHOTOS À MESA PARA APRECIAREM A COUVADA TRADICIONAL

O “maestro” que vai confecionar a Couvada à Minhota é Paulo Duque – Cerveirense da Freguesia de Covas e Presidente da Direção da Casa do Minho – uma garantia da qualidade do repasto

Os minhotos que vivem na região de Lisboa vão no próximo domingo, dia 20 de Novembro, afluir à Casa do Minho para degustar um dos mais apreciados pratos que outrora faziam parte da ementa habitual dos nossos lavradores – a couvada à minhota!

313426196_568779501920247_3982997341957163857_n.jpg

A couvada constitui desde sempre um dos pratos mais apreciados do lavrador minhoto. Mal começava o Outono e com ele as longas noites passadas à lareira, as couves faziam parte da alimentação diária do pobre camponês. Juntava-lhe as batatas, o feijão, a chouriça e, de um modo geral, um pouco de tudo quanto a lavoura lhe oferecesse. Era um verdadeiro manjar dos deuses.

Remonta ao século IV Antes de Cristo a origem da couve, altura em que os gregos a descobriram na região da Jônia e dela se surpreenderam pelos seus poderes medicinais, para além das suas virtudes culinárias. Porém, foram os romanos que a trouxeram para a Península Ibérica e nos deram a conhecer, passando a constituir o género de verdura mais consumida até aos finais da Idade Média.

Rica em fibras, iodo, cálcio, potássio, enxofre, magnésio e ômega 3; além de vitaminas A, B1, B2, B6, C e K, a couve é uma hortaliça da família Brassicaceae, constituindo um alimento de baixa caloria, desde sempre utilizado no tratamento de doenças estomacais, tendo vindo com o tempo a revelar-se como um excelente anti-inflamatório, antibiótico e anti-irritante natural, aplicado no combate a gripes, problemas hepáticos, renais e menstruais; artrite, bronquite, hemorroidas, úlceras e pedras nos rins e, na medicina alternativa, como vermífugo, para evitar ressacas, e até mesmo para baixar a febre, quando aplicada em forma de cataplasma.

Conhecida na Galiza por “verça”, a variedade de couve-galega é no Minho responsável por uma das melhores iguarias da cozinha tradicional portuguesa – o caldo verde – considerada uma das 7 maravilhas da gastronomia de Portugal!

O paladar constitui um dos sentidos que o minhoto sempre conserva e o mantém permanentemente ligado ao seu rincão natural, ao seu pedaço de Minho. E, na capital, a Casa do Minho faz jus à sua tradicional divisa: Uma boa mesa para uma boa política regionalista!

cof

Paulo Duque, Presidente da Direção da Casa do Minho, garante a qualidade da confeção desta iguaria da nossa cozinha tradicional.

BRAGA PROMOVE POTENCIALIDADES TURÍSTICAS E CATIVA MERCADO ESPANHOL

Município participou na 23ª edição do XANTAR - Salão Internacional de Turismo Gastronómico

Braga marcou presença com espaço próprio em mais uma edição do Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorreu entre 9 e 13 de Novembro, em Ourense (Espanha). Durante os 5 dias deste relevante evento galego, Braga afirmou-se enquanto destino patrimonial, cultural e gastronómico, naquela que é considerada a maior Feira Internacional de Turismo Gastronómico da Península Ibérica, divulgando os produtos e serviços dos operadores turísticos que actuam no nosso território.

Xantar 1.jpg

Sendo um evento de cariz gastronómico, foi dado destaque à doçaria tradicional, com degustações do Pudim Abade de Priscos ou Fidalguinhos, acompanhados com vinho verde e ‘vinho de missa’.

Aproveitando o Ano Xacobeo alargado a 2022, esta edição do Xantar contou com uma área especial destinada a promover a gastronomia e o turismo nos Caminhos de Santiago de Compostela. Nesse sentido, Braga esteve também presente no espaço da Federação Portuguesa do Caminho de Santiago, promovendo o território enquanto Cidade de peregrinações, em conjunto com os municípios de Castro Daire, Lamego, Alvaiázere, Covilhã, Belmonte, Pinhel, Setúbal, Vila Pouca de Aguiar e Castelo Branco. Braga afirma-se cada vez mais como um ponto de passagem e de início para os peregrinos que escolhem rumar a Santiago de Compostela, apresentando como vantagem as várias rotas de peregrinação que passam e iniciam no território.

Nos últimos anos, o Xantar tem seguido uma linha de internacionalização que tem permitido a criação de redes de cooperação no domínio da Gastronomia e do Turismo Sustentável e Saudável, tratando-se de uma plataforma privilegiada de promoção em mais 100 órgãos de comunicação social.

Prevê-se que a presente edição alcance um crescimento notável. Serão mais de 20 mil visitantes, quase 200 expositores e mais de 150 actividades, entre degustações, showcookings, conferências e apresentações, neste evento que pretende criar uma ligação experimental entre o expositor e o visitante.

Xantar 3.jpg

Xantar 4.jpg

VIZELA NA 23ª EDIÇÃO DA XANTAR – FEIRA DE TURISMO GASTRONÓMICO

Dando continuidade à estratégia de consolidação da imagem e identidade do Concelho de Vizela enquanto destino turístico, a Câmara Municipal vai novamente participar na Xantar – Feira Internacional de Turismo Gastronómico, que decorrerá entre os dias 9 a13 de novembro em Ourense, Espanha.

Xantar-logotipo-2022-2 (1).png

Na 23ª edição deste certame estará em destaque o Bolinhol, havendo também lugar para a promoção do Bacalhau à Zé do Pipo - Bacalhau de Vizela, dos vinhos produzidos em território vizelense, bem como da restante oferta turística existente no Concelho.

No dia 12, sábado, serão vários os momentos em que Vizela estará em destaque no certame, nomeadamente, com intervenção pública em ato oficial por parte do Presidente da Câmara Municipal de Vizela, Victor Hugo Salgado e a atuação da Banda da Sociedade Filarmónica Vizelense.

A XANTAR, que recebe anualmente mais de 20.000 visitantes, é a única feira internacional de Turismo Gastronómico incluída no calendário oficial de Feiras Comerciais Internacionais espanholas, tendo-se convertido numa referência para destinos enogastronómicos de Espanha e Portugal. Um evento que, de acordo com a organização, contará novamente com mais de 100 meios de comunicação social e mais de 150 expositores.

Com a participação na XANTAR, a Câmara Municipal pretende potenciar dinâmicas que permitam a consolidação da imagem e identidade do Concelho de Vizela enquanto destino turístico, divulgando os segredos de um vale recheado de saberes, sabores e tradições.

LAMPREIA DO RIO MINHO: VALENÇA CAPACITA RESTAURAÇÃO COM PRODUTOS DO CONCELHO

A Câmara Municipal de Valença realizou uma ação de capacitação da restauração local focada na Lampreia do rio Minho.

CapturarLAMPR2.JPG

Esta ação de capacitação explorou as novas formas de confecionar e apresentar esta iguaria, nomeadamente, Lampreia estufada com cogumelos e Lampreia fumada com agridoce de cebola roxa, salteado de cogumelos selvagens e ovo líquido.

Trazer novos públicos a consumir lampreia, qualificar e diversificar a oferta de pratos, tendo por base este produto foi um dos objetivos desta ação.

Nesta ação de formação e capacitação participaram cozinheiros de vários restaurantes do concelho.

O Município pretende que a restauração de Valença apresente, além dos pratos tradicionais, sabores inovadores, atrativos e seguindo as novas tendências gastronómicas, tendo por base produtos endógenos de Valença, já qualificados, como é o caso da Lampreia do Rio Minho.

As  ações de capacitação foram financiadas pelo Programa Operacional Mar2020.

CapturarLAMPR1 (1).JPG

VIANA DO CASTELO PARTICIPA EM OURENSE NO XANTAR 2022 – SALÃO INTERNACIONAL DE TURISMO GASTRONÓMICO

O Município de Viana do Castelo marca presença de 9 a 13 de novembro na 23ª edição de XANTAR - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorre em Ourense (Galiza, Espanha). À semelhança de anos anteriores, o concelho vianense apresenta-se a um mercado estratégico de proximidade.

Xantar-logotipo-2022-2 (1).png

Durante os 5 dias, XANTAR oferece um completo programa de atividades onde se apresentam mais de 200 experiências gastronómicas para desfrutar e conhecer o melhor da gastronomia dos destinos presentes.

Com stand próprio, numa promoção integrada com a Entidade Regional Porto e Norte, Viana do Castelo marca presença no evento com o intuito de conquistar visitantes e turistas da Galiza.

O concelho promove neste certame os seus principais eventos e potencialidades turísticas, apostando na promoção do seu património natural e paisagístico e da sua riqueza monumental e cultural e na apresentação de produtos e serviços turísticos das diversas empresas do setor turístico que operam em Viana do Castelo.

A 10 de novembro, dia dedicado à Região de Turismo do Porto e Norte, haverá lugar a animação especial promovida pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, com destaque para o ‘showcooking’ da Escola de Hotelaria e Turismo de Viana do Castelo e Prova de Vinho comentada pelo Solar do Louredo.

Durante os dias 9 e 10 de novembro, serão também promovidos momentos de prova de vinhos dos produtores locais (Quinta do Abade, Caroça Family WineYards e Armindo Dias Fernandes, Lda.) e degustação de Torta de Viana da pastelaria Dona Farinha Cake Design e Pastelarias do Castelo, com este produto certificado em destaque neste certame.

A Fundação Gil Eannes estará também presente no stand do Município com a divulgação do Navio-Museu e de toda a sua oferta.

VALENÇA PARTICIPOU NO EVENTO “MINHO GASTRONÓMICO” SOB O LEMA “CARNES E CALDOS”

O Município de Valença esteve presente no programa “Minho Gastronómico”, sob o lema “Carnes e Caldos”, que se realizou no Instituto de Design de Guimarães de 4 a 6 de novembro.

CapturarVALEN1 (6).JPG

\A iniciativa foi promovida pelo Consórcio Minho IN e englobou os 24 municípios da região do Minho através das Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave.

O Município de Valença esteve presente com o Caldo Verde, uma das 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa e os Lombelos de Porco com Pêra Assada e Creme de Castanha.

Para Ana Paula Xavier, estes eventos são fundamentais porque permite articular a promoção da gastronomia do concelho com a atratividade turística que o município quer desenvolver, qualificando assim uma das maiores riquezas da região.

Trata-se de um evento ímpar no âmbito da promoção da gastronomia, potenciando a tradição e apostando na inovação. Neste contexto, o programa “Minho Gastronómico” passou por Guimarães, depois de já ter estado em Viana do Castelo e Braga.

O Showcooking foi realizado pelos Chef's Rui Ribeiro e Maria Fernandes com o apoio da EPRAMI.

CapturarVALEN2 (6).JPG

MUNICÍPIO PROMOVE ESPOSENDE NO XANTAR – SALÃO INTERNACIONAL DE TURISMO GASTRONÓMICO

Integrado na estratégia de promoção do concelho, o Município de Esposende vai marcar presença na 23.ª edição do Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorrerá entre os dias 9 e 13 de novembro, em Ourense, Galiza, Espanha.

Capturarxantespo3.JPG

Reconhecido como uma referência ao nível dos certames de gastronomia, este evento constitui mais uma excelente oportunidade para reforçar a visibilidade de Esposende como destino turístico, procurando conquistar novos visitantes, sobretudo na época baixa, de modo a atenuar o impacto da sazonalidade. O Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico afigura-se, pois, como o cenário ideal para posicionar Destinos Enoturísticos – Gastronómicos de Excelência, ligando distintos territórios da Península Ibérica.

Nesta edição, dedicada à gastronomia dos Caminhos para Santiago de Compostela, o Município de Esposende vai apostar na promoção da sua gastronomia e produtos endógenos, com particular incidência no projeto ESLOCAL, aproveitando para fazer a divulgação do "Caminho Português da Costa", bem como da riqueza natural e cultural que o concelho encerra.

Ao longo dos cinco dias do evento, decorrerão ações de animação e degustação de produtos locais do concelho, nomeadamente dos vinhos, cerveja artesanal, queijos e doçaria. Simultaneamente, a mascote “Pedrinhas” promoverá, de forma itinerante pelo recinto do certame, a divulgação do destino Esposende, que terá especial destaque no sábado, 12 de novembro, dia dedicado ao concelho.

A atratividade do stand/expositor de Esposende e de todo o espaço, a excelente localização e toda a dinâmica criada com a animação itinerante constituirão fatores muito apelativos e impactantes.

A presença de Esposende neste evento insere-se no Plano de Ação para a Sustentabilidade, Crescimento e Competitividade do Turismo em Esposende 2018-2022 e cruza-se com as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.

IMG-20211103-WA0029.jpg

Capturarxantespo1 (2).JPG

Capturarxantespo2.JPG

CASTELO DO NEIVA APRESENTA “UM MAR DE IGUARIAS” GASTRONÓMICAS

A Mostra Gastronómica "Um Mar de Iguarias" chega hoje a Castelo do Neiva!

Uma sugestão perfeita para degustar e apreciar o bom peixe e marisco da nossa costa. Doces, música e muita animação também não vão faltar.

Marcam presença na experiência gastronómica, integrada na programação "Aldeias de Mar" os seguintes restaurantes : Pedra Alta, Casa da Joana, Segredos do Mar, Sede do Castelense, Taberna da Laurinda, Restaurante O Carvalho, e o Tasco Regional e ainda a Pastelaria do Castelo.

314413287_5921895584508474_5462025916410622482_n.jpg

FIM-DE-SEMANA GASTRONÓMICO DA CARNE MINHOTA EM PONTE DE LIMA – 4 A 6 DE NOVEMBRO

Ponte de Lima descobre-se à mesa, e é neste sentido que o Município propõe ao visitante uma incursão pelo melhor da gastronomia de produção regional.

Capturarplgastr.JPG

No próximo fim de semana de 4 a 6 de novembro, promove, em parceria com a APACRA – Associação Portuguesa de Criadores de Bovinos da Raça Minhota, o Fim de Semana Gastronómico da Carne Minhota.

Esta ação promocional, que decorre nos restaurantes aderentes do concelho, tem como objetivo a valorização da Carne Minhota, promovendo o consumo deste importante produto endógeno de grande qualidade, certificado e de paladar inesquecível.

A presente edição do fim de semana dedicado à carne minhota estende-se à comunidade educativa, com a introdução da carne minhota na ementa escolar do dia 4 de novembro. Esta ação resulta de um desafio lançado pela autarquia aos estabelecimentos de ensino do concelho, desde jardins-de-infância, 1º ciclo, secundário e profissional, para confecionarem as suas refeições com este produto endógeno. Numa sintonia entre vários serviços, criou-se uma ementa que tem por base o hambúrguer de carne minhota acompanhado de arroz de cenoura, sopa e salada mista, a servir na refeição de sexta-feira, 4 de novembro, primeiro dia do Fim de Semana Gastronómico da Carne Minhota.

Neste âmbito, cabe à autarquia fornecer a carne para a confeção da referida ementa, que servirá 4 300 alunos, num total de 7 500 hamburgers a distribuir pelos estabelecimentos escolares do concelho.

O desenvolvimento rural é um dos pilares do crescimento sustentável, considera a autarquia que aposta em várias iniciativas de valorização e promoção do mundo rural, incentivando o consumo de produtos locais de qualidade.

Ao longo de todo o fim de semana, o público pode contar com iguarias confecionadas com carne Minhota, nos restaurantes aderentes, e a par da gastronomia, desfrutar de um programa recreativo e musical a acontecer nas ruas do Centro Histórico de Ponte de Lima.

O Fim de Semana Gastronómico da Carne Minhota integra o projeto "Em Época Baixa, Ponte de Lima em Alta", que mantém a mais-valia de condições especiais na estadia e na restauração, com as unidades hoteleiras aderentes ao projeto a atribuírem um desconto de 10% em alojamento, noites de sexta-feira e sábado, enquanto na restauração, os restaurantes aderentes oferecem um leite-creme por dose, nas refeições de sábado e domingo.

ARROZ “PICA NO CHÃO” À MESA EM 29 RESTAURANTES DO CONCELHO DE BARCELOS

Vão ser três dias de provar, comer e “chorar por mais”. Está aí à porta mais uma edição do Fim de Semana do Arroz Pica no Chão, que decorre entre os dias 4 e 6 de novembro, em 29 restaurantes do concelho. A iniciativa é promovida pela Câmara Municipal de Barcelos e visa dar destaque à gastronomia tradicional e dinamizar o setor da restauração do concelho.

CapturarPICABAR.JPG

Este evento está inserido no programa anual “7 Prazeres da Gastronomia”, sendo que o Fim de Semana do Arroz Pica no Chão já vai para a sua décima terceira edição. A iniciativa integra-se num conjunto de atividades de promoção das qualidades turísticas da gastronomia local, potenciadas pela figura do galo e pelo universo cultural que se construiu à sua volta, no concelho de Barcelos.

Participam nesta edição os seguintes restaurantes: Alma dos Reis (Igreja Nova), Ávila (Vila Seca), Babette (Barcelos), Belchior (Campo), Belo Horizonte (Rio Côvo Santa Eulália), Bom Gosto (Arcozelo), Casa do Eduardo (Milhazes), Casa dos Arcos (Barcelos), Casa Lourenço (Areias S. Vicente), Chuva (Barcelinhos), Cozinha Regional de Barcelos (Várzea), Furna (Barcelos), Galliano (Barcelos), Manjar das Estrelas (Várzea), Maria de Medros (Barcelinhos), Muralha (Barcelos), Os Mouros (Arcozelo), Pedra Furada (Pedra Furada), Pérola (Barcelos), Restaurante 2000 (Tamel S. Pedro Fins), Rústico (Mariz), Sonho do Cávado (Manhente), Solar das Fontes (Várzea), Taberna do Armindo (Carvalhas), Taberna Lopes (Gilmonde), Taberna “O Manhoso” (Tamel S. Veríssimo), Taberninha O Chico (Perelhal), Tasquinha O Telheiro (Viatodos), e Vera Cruz (Barcelos).

Iniciativa integra percurso pedestre e visita a quintas produtoras de vinho verde

Paralelamente ao Fim de Semana do Arroz Pica Chão, vai realizar-se no sábado, dia 5, entre as 8h00 e as 13h00, um percurso pedestre "Pelo trilho do monte d'Assaia à Veiga do Este", que irá percorrer as freguesias de Viatodos, Monte de Fralães, Grimancelos e Minhotães. Da parte da tarde, pelas 14h, vai realizar-se a Rota Criativa do Vinho e da Vinha. A realização desta rota tem como objetivos a promoção e o conhecimento dos vinhos produzidos em Barcelos, através da realização de visitas técnicas e provas dos vinhos produzidos nas unidades locais: a Quinta do Barco, na freguesia de Manhente, e o Solar dos Azevedos, na freguesia da Lama.

As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias, e podem ser feitas através de turismo@cm-barcelos.pt ou pelo telefone 253 811 882 até 7 de novembro.

CASA DO MINHO EM LISBOA REALIZA COUVADA MINHOTA NO PRÓXIMO DIA 20 DE NOVEMBRO

Os minhotos que vivem na região de Lisboa vão no próximo dia 20 de Novembro afluir à Casa do Minho para degustar um dos mais apreciados pratos que outrora faziam parte da ementa habitual dos nossos lavradores – a couvada à minhota!

cof

A couvada constitui desde sempre um dos pratos mais apreciados do lavrador minhoto. Mal começava o Outono e com ele as longas noites passadas à lareira, as couves faziam parte da alimentação diária do pobre camponês. Juntava-lhe as batatas, o feijão, a chouriça e, de um modo geral, um pouco de tudo quanto a lavoura lhe oferecesse. Era um verdadeiro manjar dos deuses.

Remonta ao século IV Antes de Cristo a origem da couve, altura em que os gregos a descobriram na região da Jônia e dela se surpreenderam pelos seus poderes medicinais, para além das suas virtudes culinárias. Porém, foram os romanos que a trouxeram para a Península Ibérica e nos deram a conhecer, passando a constituir o género de verdura mais consumida até aos finais da Idade Média.

Rica em fibras, iodo, cálcio, potássio, enxofre, magnésio e ômega 3; além de vitaminas A, B1, B2, B6, C e K, a couve é uma hortaliça da família Brassicaceae, constituindo um alimento de baixa caloria, desde sempre utilizado no tratamento de doenças estomacais, tendo vindo com o tempo a revelar-se como um excelente anti-inflamatório, antibiótico e anti-irritante natural, aplicado no combate a gripes, problemas hepáticos, renais e menstruais; artrite, bronquite, hemorroidas, úlceras e pedras nos rins e, na medicina alternativa, como vermífugo, para evitar ressacas, e até mesmo para baixar a febre, quando aplicada em forma de cataplasma.

Conhecida na Galiza por “verça”, a variedade de couve-galega é no Minho responsável por uma das melhores iguarias da cozinha tradicional portuguesa – o caldo verde – considerada uma das 7 maravilhas da gastronomia de Portugal!

O paladar constitui um dos sentidos que o minhoto sempre conserva e o mantém permanentemente ligado ao seu rincão natural, ao seu pedaço de Minho. E, na capital, a Casa do Minho faz jus à sua tradicional divisa: Uma boa mesa para uma boa política regionalista!

cof

Paulo Duque, Presidente da Direção da Casa do Minho, garante a qualidade da confeção desta iguaria da nossa cozinha tradicional

VIANA DO CASTELO: INICIATIVA MOSTRA GASTRONÓMICA "UM MAR DE IGUARIAS" ADIADA DEVIDO ÀS CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS

Devido às condições meteorológicas previstas, foi decidido o adiamento do evento “Um Mar de Iguarias” integrada no evento "Aldeias de Mar-Castelo do Neiva". Esta iniciativa será realizada no próximo dia 5 de novembro, desde que as condições meteorológicas o permitam, com a habitual animação e a excelente gastronomia local.

A inauguração da exposição "Um Mar de Tradições" irá decorrer conforme o previsto, próximo sábado, dia 29 de outubro, pelas 11h00, na sede do GRECANE.

O Município de Viana do Castelo agradece a compreensão de todos.

um_mar_de_iguardias_5novembro (1) (29).jpeg

GASTRONOMIA E FOLCLORE PORTUGUÊS NA MAIOR MOSTRA COMERCIAL DE ANDORRA

Encerrou ontem, domingo, a Feira de Andorra la Vella, certame comercial e social do Principado de Andorra organizado pelo Comú (Câmara Municipal) de Andorra la Vella, capital do país. Durante os 3 dias de abertura recebeu mais de 70.000 visitantes para desfrutarem das últimas novidades em veículos automóveis, adquirir o forfait da temporada de esqui ou descobrir as últimas novidades em matéria de realidade virtual. Paralelamente decorreu a 11ª Feira de Associações, evento que reuniu 36 associações de caráter social, desportivo, cultural e solidário.

GFCP Fira2023 (2) (6).jpg

Desde a sua criação, o Grupo de Folclore Casa de Portugal tem participado em todas edições apresentando a cultura popular portuguesa e promovendo a cultura gastronômica portuguesa. Nesta edição, os elementos do Grupo decoraram o stand com motivos de ouro regional que as lavradeiras ostentam ao peito quando envergam os trajes regionais e a mesa apresentou as melhores iguarias portuguesas que o público não perdeu oportunidade de degustar e adquirir. Assim, os pastéis de Belém e os bolos caseiros rivalizaram com os rissois, as pataniscas e os bolinhos de bacalhau, além dos diferentes enchidos e a broa de milho e de centeio. Para matar a sede, os visitantes puderam degustar o vinho verde branco e outros refrescos lusitanos.

O ponto alto do certame foi no sábado à tarde onde a Feira registou a maior enchente e no palco de espetáculos situado no jardim do Parc Central, o Grupo de Folclore Casa de Portugal fez a sua atuação apresentando danças e cantigas do seu reportório enquadrado na região do Alto Minho. No final da atuação os assistentes foram convidados a dançar o Vira Geral abarrotando o palco de portugalidade.

No domingo à tarde, embora a chuva tivesse marcado ato de presença, não impediu que o grupo de bombos da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro e o Rancho Folclorico dos Residentes do Alto Minho apresentassem também o seu reportório cultural.

GFCP Fira2023 (5) (1).jpg

GFCP Fira2023 (4).jpg

GFCP Fira2023 (3) (8).jpg

GFCP Fira2023 (1) (5).jpg

GFCP Fira2023 (6) (4).jpg