Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ARTISTA GALEGO XAIME FUENTES EXPÕE EM MONÇÃO

Exposição de pintura, escultura, desenho e colagem de Xaime Fuentes na Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção

A Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção / Universidade do Minho acolhe a partir de hoje e até final de janeiro de 2023 a exposição de pintura, escultura, desenho e colagem do artista galego Xaime Fuentes.

O título desta exposição é ESTRUCTURAS DE ESCENARIOS NÓMADES.

Segundo Anxo Pastor: «Pegadas de pintura (notas)

Niño, paxaro, árbore mestre, circulo encendido da pintura, xeometría que se borra por una racha de vento. Sopro nómade. Pintura para saír, soño teimoso de percorrer o corazón, pintura dunha primeira neve a caír».

Não perca esta exposição!

Horário da Sala de Exposições Temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho:

De terça a sexta feira: das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00;

sábado das 14h00 às 19h00;

domingo e segunda feira: encerrada

Xaime Fuentes (2).jpg

FESTIVAL DE TEATRO AMADOR DO NOROESTE PENINSULAR ATRIBUI PRÉMIO PALCO DE TERRA AO TEATRO ESCOITADE E MANUEL RAMOS COSTA

O Teatro Escoitade, de Vigo, foi premiado, na categoria “Instituição”, pelo trabalho desenvolvido ao longo de 50 anos na dinamização e promoção do teatro amador na Galiza. Na categoria “Personalidade”, a distinção foi para o ator e encenador Manuel Ramos Costa, por uma vida dedicada ao teatro amador, em especial, na Contacto - Companhia de Teatro Água Corrente de Ovar.

Capturarmanuelramoscosta (12).JPG

Os Prémios PALCO DE TERRA são uma iniciativa da companhia Teatro de Balugas, cuja primeira edição se realizou em 2017. São galardões concedidos anualmente para reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas e instituições, no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Norte de Portugal e Galiza.

A cerimónia de entrega acontece no dia 11 de dezembro, às 16h30, no auditório da Junta de Freguesia de Balugães (Barcelos), que encerra o Palco de Terra - Festival de Teatro Amador do Noroeste Peninsular.

O ator, encenador e dramaturgo Fernando Pinheiro foi o vencedor da primeira edição, em 2017, e entre os galardoados estão ainda os nomes do Cénico Lírio do Neiva (2018), Núcleo Promotor do Auto da Floripes 5 de Agosto (2019), Dantas Lima (2019), Teatro do Noroeste-CDV (2020), Orlando Alves (2020), Programa CREARTE - Crescimento da Arte Teatral em Esposende (2021) e Maria Laura Pinto (2022).

Capturarteatrpremio (1).JPG

EUROCIDADE CERVEIRA-TOMIÑO: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO TRANSFRONTEIRIÇO VAI DAR VOZ AOS JOVENS

Votação decorre entre 9 e 13 de dezembro.

Com o objetivo de integrar os jovens no processo participativo, a Eurocidade Cerveira-Tomino vai realizar um Orçamento Participativo Transfronteiriço (OPT) focado na juventude. A votação, dirigida aos jovens entre os 12 e os 25 anos, a residir ou a estudar em Vila Nova de Cerveira ou Tomiño, decorre entre 9 e 13 de dezembro e os projetos elegíveis já são conhecidos.

Cada jovem vai ter a oportunidade de votar no seu projeto preferido e os dois projetos mais votados serão financiados pelas Câmaras num valor conjunto de 20.000€. Os projetos elegíveis foram selecionados após dois encontros, realizados entre abril e junho, com o objetivo de integrar a juventude no processo de atualização da Agenda Estratégica da Eurocidade Cerveira-Tomiño 2030. Durante as sessões, que decorreram em Vila Nova de Cerveira e Tomiño, foram realizadas algumas dinâmicas de grupo que possibilitaram uma aproximação entre os jovens dos dois concelhos, permitindo a partilha e o reconhecimento de interesses e ideias comuns e a priorização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Assim, o projeto “Música Nova” terá como base workshops de educação para os valores através da música, ensaios de grupos musicais improvisados e miniconcertos e atuações de rua. Por seu lado, o projeto “Jogos Eurocidade” dinamizará diversas atividades desportivas baseadas em jogos tradicionais e/ou provas típicas dos jogos sem fronteira UE, adaptadas aos recursos e desportos mais atuais, como o paintball, slide, insufláveis, entre outros. À votação estão, também, dois projetos dedicados ao clima “Eurocidade pelo clima” e “Youth4Clima”. O primeiro terá como base workshops formativos em competências de comunicação (uso de redes sociais e comunicação audiovisual) e planificação de atividades, campanhas de sensibilização dirigida à população sénior e população ativa, campanhas e atividades de sensibilização em ambiente escolar, encontros/debates, ato de intercâmbio com campanhas internacionais contra as alterações climáticas. Já o segundo centrar-se-á em workshops de reutilização de resíduos quotidianos, workshops de utilização de recursos naturais locais na produção de produtos (exemplo sabonetes, detergentes, velas, etc.), ações de reflorestação margem ribeirinha (galeria ripícola), programa anual de limpeza das margens, articulados entre os dois concelhos e entre freguesias, ações de capacitação dos jovens sobre fauna ribeirinha (aves, mamíferos peixes e anfíbios) e flora autóctone e ribeirinha, intervenção artística em parceria com entidades culturais do território, exposição fotografia/vídeos (aves migratórias; flora), ervário individual, Ciência Cidadã e plataforma de georreferenciação de espécies invasoras.

Os projetos pretendem contribuir para o alcance das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS), nomeadamente o ODS 3 (saúde de qualidade), o ODS 4 (educação de qualidade), o ODS 11 (água potável e saneamento), o ODS 13 (ação climática) e o ODS 15 (proteger a vida terrestre), com foco nas seguintes metas: “adaptação, redução de impacto e alerta precoce no que respeita às alterações climáticas”, “melhorar a educação, aumentar a consciencialização e a capacidade humana e institucional sobre medidas de mitigação, adaptação, redução de impacto e alerta precoce no que respeita às alterações climáticas”, “até 2030, reduzir num terço a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis via prevenção e tratamento, e promover a saúde mental e o bem-estar” e “até 2030, implementar medidas para evitar a introdução e reduzir significativamente o impacto de espécies exóticas invasoras nos ecossistemas terrestres e aquáticos, e controlar ou erradicar as espécies prioritárias”.

O processo participativo vai decorrer nos estabelecimentos de ensino e online, em função das seguintes premissas: os jovens entre os 12 e os 18 anos, a estudar em Vila Nova de Cerveira ou Tomiño, vão votar nos estabelecimentos de ensino e os jovens com mais de 18 anos ou com idades compreendidas entre os 12 e os 25 anos, mas que não estão matriculados num estabelecimento de ensino de Vila Nova de Cerveira ou Tomiño, podem votar diretamente no site www.participacerveiratomino.eu.

Os dois municípios transfronteiriços continuam, assim, empenhados em adotar medidas em linha com o seu compromisso de partilhar cada vez mais serviços, projetos e iniciativas.

VALENÇA: TRIATLETA TUDENSE AIDA VALIÑO SERÁ A MADRINHA DA VI URBAN TRAIL NIGHT EUROCIDADE

A atleta tudense Aida Valiño Gómez, será a madrinha da VIª Urban Trail Night Eurocidade e participará, também, na distância de 8 Kms da prova.

10978509_10204658022343672_1724367443864908132_n (3).jpg

A apresentação da prova realizou-se no Centro Interfederado de Remo e Piraguismo de Tui.

A VIª Urban Trail Night Eurocidade realiza-se sábado, 26 de novembro, com saída de Valença, do Centro Coordenador de Transportes, às 19h30 (PT). A principal novidade desta edição será a existência de duas distâncias, de 8 e 16 km, aptas a todo o tipo de atletas.

A Aida Valiño é uma referência do desporto tudense e das mulheres no mundo do desporto em Espanha. Alia o desporto, ao trabalho e à maternidade representando, também, as mulheres, na semana em que  se evoca o 25 de novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres.

CapturarAIDA2 (1).JPG

Esta atleta de elite do desporto espanhol, desde muito jovem que compete no triatlon e conta com um rico palmarés de conquistas em provas nacionais e internacionais. Começou primeiro na natação e foi uma das primeiras a abrir caminho para as mulheres no mundo do triatlon.

Em 2014, depois de vencer o Campeonato de Espanha de Triatlon de média distância, sofreu um grave acidente que parecia acabar com a sua carreira. A sua força e tenacidade colocaram-na, de novo, um ano depois, a triunfar no Triatlon de Elche. Nova paragem e novo regresso às  competições em 2019. Em 2020 conquistou o Campeonato Ibérico de Triatlon, de média distância, em Caminha. A pandemia e nova paragem, mas a paixão pelo desporto mantém-se, assim como a posição de pedra basilar de suporte do seu marido, o tudense e medalhado olímpico Gustavo Rodríguez.

CapturarAIDA1 (19).JPG

O AGRUPAMENTO EUROPEU DE COOPERAÇÃO TERRITORIAL DA EURORREGIÃO GALICIA – NORTE DE PORTUGAL ABRE NOVAS CONVOCATÓRIAS DO PROGRAMA IACOBUS

Programa IACOBUS abre novas convocatórias 2022-23 para estadias de investigação e publicações científicas (Papers) na Eurorregião Galicia - Norte de Portugal, com um orçamento total de 200.000 euros

- O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial da Eurorregião Galicia–Norte de Portugal abre novas convocatórias do Programa IACOBUS 2022-23, nas modalidades de Estadias de Investigação e Publicações Científicas (Papers), destinadas a PDI, Investigadores pré e post-doutorais e PAS das Universidades, Institutos Politécnicos e Centros Tecnológicos da Eurorregião Galicia-Norte de Portugal.

-  As candidaturas estão abertas desde o dia 15 de novembro até oo dia 16 de dezembro de 2022.

- As novas convocatórias têm uma dotação orçamental total de 200.000 €, 150.000 € para  Estadias de Investigação e 50.000 € para Publicações Científicas (Papers)

- Reserva-se um 5% das estadias de investigação para pessoas com deficiência, cujo grau de descapacidade seja igual ou superior a 33%.

O Programa IACOBUS – https://iacobus.gnpaect.eu/é um programa de cooperação, científica, cultural e pedagógica, gerido pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial da Eurorregião Galicia – Norte de Portugal, que tem como principais objetivos promover e fomentar sinergias e o desenvolvimento conjunto de atividades de investigação, formativas e de divulgação entre Universidades, Institutos Politécnicos, Centros Tecnológicos e Fundações Biomédicas da Eurorregião GNP.

O IACOBUS inclui projetos de investigação de todas as áreas de conhecimento. Tem um grande sucesso no universo académico da Eurorregião, como demonstram os números globais das anteriores edições: mais de 2.300 candidaturas apresentadas com um financiamento total de cerca de 1.600.000€.

O IACOBUS Estadias de Investigação promove e financia estadias transfronteiriças para o desenvolvimento de projetos de investigação, em alguma das entidades que participa no programa, que são 39 (7 Universidades; 4 Institutos Politécnicos, 22 Centros Tecnológicos e 6 Fundações/Institutos de Investigação de Saúde). Podem candidatar-se ao programa Docentes (PDI); Investigadores pre e post-doutorais e Pessoal de Administração e Serviços (PAS) por parte das instituições de ensino superior. No caso dos Centros Tecnológicos podem participar Gestores de Inovação, com pelo menos 5 anos de experiência nessas tarefas, e Técnicos de I+D con menos de 5 anos de experiência.

Para poder participar, os candidatos têm que ter contrato laboral/vínculo de investigação em vigor -também durante o período de realização da estadia- com alguma das entidades participantes, assim como estar em condições de poder trabalhar do outro lado da fronteira.

As novas convocatórias promovem medidas em prol da igualdade de oportunidades, reservando um 5% das estadías de investigação para pessoas com deficiência que acreditem, mediante certificado, un grau de pelo menos um 33% de discapacidade, sempre que superem a nota de corte definida pela Comissão de Avaliação.

O IACOBUS - Publicações Científicas (Papers) promove ajudas económicas à publicação de artigos científicos e de investigação em alguma das revistas indexadas no Journal Citation Report (JCR) ou no SCOPUS. São os dois indicadores de qualidade mais conhecidos e mais utilizados pelos organismos de avaliação da atividade investigadora à escala internacional. Os artigos têm que ser desenvolvidos através de uma colaboração transfronteiriça conjunta, por autores que pertençam às instituições de Ensino Superior da Eurorregião Galicia-Norte de Portugal (Universidades e Institutos Politécnicos) que fazem parte do programa.

O IACOBUS é um programa que está fundamentado nas prioridades definidas no Plano de Investimentos Conjuntos Galicia - Norte de Portugal (PIC 21-27) e nas áreas estratégicas estabelecidas pela Estratégia de Especialização Inteligente Transfronteiriça Galicia - Norte de Portugal (RIS3-T). Destacar, também, que o programa conta com apoio e financiamento da União Europeia, através do programa POCTEP.

O período de candidatura é de 15 de novembro até 16 de dezembro de 2022. Todos os documentos das novas convocatórias estão disponíveis na Web do programa. As candidaturas são apresentadas diretamente na mesma plataforma (iacobus.gnpaect.eu).

Para mais informação contactar diretamente com o AECT da Eurorregião GNP através dos e-mails: gnpaect@gnpaect.eu e iacobus@gnpaect.eu

ASSOCIAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA DEFENDE CERTIFICAÇÃO DO CAMINHO DA GEIRA

Uma assembleia de peregrinos portugueses e galegos reunida em Caldelas, no Concelho de Amares, acaba de nomear um grupo de trabalho com o objetivo de constituir a Associação Transfronteiriça do Caminho da Geira e dos Arrieiros (ATCGA).

Associacao transfronteirica do caminho da geira e dos arrieiros 01 (1).jpeg

O grupo de trabalho, constituído pelo presidente União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, José Manuel Almeida, e pelos peregrinos António Devesa, Luís Miguel Sampaio e Vítor Cunha, tem como  missão contactar os municípios portugueses por onde passa este itinerário jacobeu, “com a intenção de  perceber o seu interesse e motivá-los a envolverem-se no projeto”.

“Em face dos resultados obtidos, que esperamos possam corresponder às nossas melhores expetativas, será criada a comissão instaladora da ATCGA”, explica o moderador da assembleia de peregrinos, Carlos Ferreira, adiantando que a associação “poderá integrar pessoas coletivas ou individuais, como peregrinos, municípios ou coletividades, sejam portugueses ou galegos”.

Associacao transfronteirica do caminho da geira e dos arrieiros 04 (1).JPG

“A ATCGA terá como objetivos representar e defender os interesses dos peregrinos e do Caminho, mas sem descorar os relacionados com a cultura, património, economia, ambiente, tradições e outros valores das povoações por onde passa”, refere Carlos Ferreira.

Para melhor responder a estes desafios, as pessoas envolvidas na iniciativa “entendem que é muito importante a certificação deste itinerário pelas autoridades governamentais portuguesas e galegas, das áreas da Cultura e do Turismo, à semelhança do que já fez o Arcebispado de Santiago, e vão empenhar-se nesse sentido”, destaca o moderador da assembleia de peregrinos.

No entanto, o trabalho da ATCGA não está “exclusivamente dependente da homologação pelas autoridades civis e deverá manter-se para além disso, embora se reconheça que é um dos aspetos fundamentais”.

Além dos membros do grupo de trabalho e, naturalmente, do moderador, participaram na assembleia, que decorreu no sábado, dia 12, no Auditório da Vila de Caldelas, o vereador do Município de Amares com o pelouro do Turismo, Delfim Rodrigues, e os peregrinos Abdón Fernández (Plataforma Berán no Caminho/ACJMR), Carlos de Barreira (Associação Codeseda Viva), Manuel Rocha (Confrade Maior da Archicofadía Universal del Apostol Santiago), Leonel Pereira e Paulo Silva.

CapturarARV (1).JPG

O Caminho da Geira e dos Arrieiros começa na Sé de Braga e passa pelos municípios de Amares, Terras do Bouro, Castro Laboreiro e Melgaço, entrando em território galego pela Portela Homem. Nos últimos cinco anos foi percorrido por mais de três mil peregrinos, um terço dos quais no corrente ano;  sobretudo de Portugal e Espanha, mas também de Itália, Inglaterra, Alemanha, Croácia, Ucrânia, Rússia, Polónia, Brasil, EUA, Austrália ou Países Baixos.

Este itinerário foi apresentado em 2017 em Ribadavia (Galiza) e Braga, reconhecido pela Igreja em 2019, reconhecido pela associação de municípios transfronteiriços Eixo Atlântico em 2020 e é um itinerário oficial da Peregrinação Europeia de Jovens do Ano Santo Jacobeu 2021/22.

O percurso tem 240 quilómetros e destaca-se por incluir patrimónios únicos no mundo: a Geira Romana, a via do género mais bem conservada do mundo, e a Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés. Além disso, o seu traçado é um dos escassos cinco que ligam diretamente à Catedral de Santiago de Compostela.

Associacao transfronteirica do caminho da geira e dos arrieiros 02.jpeg

Associacao transfronteirica do caminho da geira e dos arrieiros 03.jpeg

BRAGA PROMOVE POTENCIALIDADES TURÍSTICAS E CATIVA MERCADO ESPANHOL

Município participou na 23ª edição do XANTAR - Salão Internacional de Turismo Gastronómico

Braga marcou presença com espaço próprio em mais uma edição do Xantar - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorreu entre 9 e 13 de Novembro, em Ourense (Espanha). Durante os 5 dias deste relevante evento galego, Braga afirmou-se enquanto destino patrimonial, cultural e gastronómico, naquela que é considerada a maior Feira Internacional de Turismo Gastronómico da Península Ibérica, divulgando os produtos e serviços dos operadores turísticos que actuam no nosso território.

Xantar 1.jpg

Sendo um evento de cariz gastronómico, foi dado destaque à doçaria tradicional, com degustações do Pudim Abade de Priscos ou Fidalguinhos, acompanhados com vinho verde e ‘vinho de missa’.

Aproveitando o Ano Xacobeo alargado a 2022, esta edição do Xantar contou com uma área especial destinada a promover a gastronomia e o turismo nos Caminhos de Santiago de Compostela. Nesse sentido, Braga esteve também presente no espaço da Federação Portuguesa do Caminho de Santiago, promovendo o território enquanto Cidade de peregrinações, em conjunto com os municípios de Castro Daire, Lamego, Alvaiázere, Covilhã, Belmonte, Pinhel, Setúbal, Vila Pouca de Aguiar e Castelo Branco. Braga afirma-se cada vez mais como um ponto de passagem e de início para os peregrinos que escolhem rumar a Santiago de Compostela, apresentando como vantagem as várias rotas de peregrinação que passam e iniciam no território.

Nos últimos anos, o Xantar tem seguido uma linha de internacionalização que tem permitido a criação de redes de cooperação no domínio da Gastronomia e do Turismo Sustentável e Saudável, tratando-se de uma plataforma privilegiada de promoção em mais 100 órgãos de comunicação social.

Prevê-se que a presente edição alcance um crescimento notável. Serão mais de 20 mil visitantes, quase 200 expositores e mais de 150 actividades, entre degustações, showcookings, conferências e apresentações, neste evento que pretende criar uma ligação experimental entre o expositor e o visitante.

Xantar 3.jpg

Xantar 4.jpg

MONÇÃO: FORMAÇÃO/CAPACITAÇÃO DE PROMOTORES TURÍSTICOS

As ações decorrem nas Eurocidades de Valença-Tui e Monção-Salvaterra de Miño. As inscrições estão abertas, limitando-se, cada uma, ao limite máximo de 20 participantes.

No âmbito do projeto "Rio Minho: Um Destino Navegável", a Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal vai lançar duas ações de formação/capacitação de promotores turísticos. A primeira realiza-se na Eurocidade Valença-Tui, nos dias 17, 18 e 25 de novembro, e a segunda na Eurocidade Monção-Salvaterra de Miño, nos dias 12, 14 e 16 de dezembro.

Constando de duas manhãs e um dia inteiro, as inscrições para cada ação, com mínimo de 12 e máximo de 20 pessoas, encontram-se já disponíveis, podendo os interessados aceder, através do seguinte link:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScGPyYB80BJow0ZeAp5USkfThs7wRqK2HnXFU3v1OgNrtphug/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0

Destinando-se aos agentes turísticos da região, localizados em postos de informação ou “portas de entrada” da região, como museus, lojas de turismo, restauração ou unidades de alojamento, as ações têm com objetivo o reforço da marca comum “Rio Minho”, potenciando o conhecimento e o trabalho em rede dos profissionais do setor.

Pretende-se, também, transmitir informação detalhada dos principais pontos de interesse dos quatro municípios, bem como das respetivas potencialidades e produtos endógenos. Nos objetivos propostos, engloba-se, igualmente, visitas aos centros históricos, passeios pelas margens do Rio Minho, transmissão de técnicas de comunicação e criação de produtos turísticos transfronteiriços.

Dias

17, 18 e 25 de novembro

12, 14 e 16 de dezembro

Programas

Programa (primeira acción)

Programa (segunda acción)

Inscrição

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScGPyYB80BJow0ZeAp5USkfThs7wRqK2HnXFU3v1OgNrtphug/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0

CENTRO GALEGO DE LISBOA COMEMORA HOJE 114 ANOS AO SERVIÇO DA GALIZA E DA COMUNIDADE GALEGA

Passam hoje precisamente 114 anos desde que foi fundada em Lisboa a Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa.

Terá naturalmente uma cerimónia comemorativa. Porém, em virtude das obras que está a realizar no espaço exterior (esplanada frontal, uma vez que o espaço posterior foi reformado no mês de Setembro), as mesmas deverão ocorrer no próximo mês de Janeiro em data a anunciar brevemente.

XuventudGalicia 005

A COMUNIDADE GALEGA EM LISBOA

A presença de galegos entre nós remonta aos primórdios da Reconquista e da formação da nacionalidade. Porém, o fenómeno da imigração galega entendida enquanto tal teve o seu começo a partir do século XVII, facto a que não é certamente alheia a situação política da época caracterizada pela dominação filipina. Vinham sobretudo para a lides dos campos, ocupar-se em trabalhos sazonais, procurando obter o indispensável para regressarem às origens e providenciarem o sustento da família. Mas também havia os que se estabeleciam nas cidades, nomeadamente em Lisboa, dedicando-se às mais variadas profissões e ofícios.

capture3

Aguadeiros galegos no Chafariz de Alfama

Por essa altura, no alto de uma colina do sítio de Alcântara já se encontrava construída a Capela de Santo Amaro que viria a tornar-se o local mais concorrido dos galegos que viviam em Lisboa, tornando-se palco de festas e romarias em homenagem àquele que se tornara o seu padroeiro nesta cidade. Com efeito, a pequena ermida foi erguida na sequência de uma promessa feita por frades da Ordem de Cristo que, numa viagem de regresso de Roma, a nau em que vinham foi acometida de temporal no mar e, perante o receio de naufrágio, prometeram construir uma capela no local onde aportassem sãos e salvos.

De traça renascentista, a ermida apresenta forma circular e é rodeada por um átrio. A capela original foi construída em 1549 e constitui, muito provavelmente, a actual sacristia. A Capela de Santo Amaro está classificada como Monumento Nacional por Decreto de 16 de Julho de 1910.

Com o tempo, a presença de galegos foi crescendo em número, tendo passado a concentrar-se preferencialmente nas cidades de Lisboa e Porto. Por altura da “Guerra das Laranjas” ocorrida em 1801, altura em que perdemos Olivença, chegou a ser aventada a possibilidade da sua expulsão a qual, proposta que contou com a oposição do Intendente da Polícia porque tal resultaria em deixar de ter “quem servisse as cidades de Lisboa e Porto”. Acredita-se, porém, que em consequência do crescimento económico verificado a partir da segunda metade do século XIX, a comunidade galega tenha atingido perto de trinta mil indivíduos, a maioria dos quais a viver em Lisboa.

Como costuma dizer-se, os galegos eram então pau para toda a obra. Havia entre eles taberneiros e carvoeiros, moços de fretes e hospedeiros. Eça de Queirós, na sua obra “Os Maias”, faz-lhes frequentes alusões, confundindo-os embora com espanhóis. Porém, é a profissão de aguadeiro que mais o identifica e fica associado na vida lisboeta. Com a sua indumentária característica e a respectiva chapa de identificação municipal no boné, o aguadeiro galego percorria a cidade vendendo a água em barris. E era vê-los a abastecer-se nos chafarizes e fontes do Aqueduto das Águas Livres, nas bicas que lhes estavam reservadas pelo município a fim de evitar as brigas que frequentemente ocorriam. De referir que, até ao início do século XX, a maioria da população lisboeta era forçada a recorrer aos fontenários uma vez que poucas eram as habitações que dispunham de água canalizada. Os aguadeiros organizavam-se em companhias e, uma vez que tinham a primazia do abastecimento de água, eram ainda obrigados a participar no combate aos incêndios.

Outra das actividades pela qual ficaram particularmente conhecidos consistiu na venda dos palitos fosfóricos, então feitos de enxofre que tinham de ser mergulhados num pequeno frasco de ácido sulfúrico. Dada a sua utilização demorada e ainda pouco prática, os palitos fosfóricos ficaram então conhecidos por “espera-galego”, criando-se desse modo uma imagem que passou a conotar de forma algo injusta os próprios galegos, sugerindo tratarem-se de mandriões. Porém, a colónia galega não se ocupava apenas das profissões mais labregas, por assim dizer humildes, mas destacava-se em todas as áreas sociais, muitas das quais de grande relevo, tendo nomeadamente eleito vereadores para a edilidade lisboeta como sucedeu com o escritor Carlos Selvagem. É, aliás, no início do século que surge na zona da Graça, em Lisboa, por iniciativa de um empresário galego, um bairro para os trabalhadores da sua fábrica que desperta ainda grande curiosidade devido à simbologia ali sempre presente – o Bairro Estrela d’Ouro.

Todos os anos, por ocasião do dia que é consagrado a Santo Amaro e que ocorre em meados do mês de Janeiro, uma autêntica multidão acorria à Romaria de Santo Amaro para festejar o seu padroeiro. Rezam as crónicas da época que, em redor da capela, era um ver de gaitas-de-foles e pandeiretas e um nunca mais acabar de xotas e muiñeiras, carballesas e foliadas. Contudo, esta festa foi perdendo o seu fulgor e deixou de realizar-se. A própria capela veio a encontrar-se ao abandono, chegando uma das suas dependências a ser utilizada como armazém de carvão.

Entretanto, em 1908, os galegos que vivem em Lisboa constituíram a sua própria associação – a Xuventude de Galicia (Centro Galego de Lisboa). E, em meados do século passado, passaram a celebrar o dia 25 de Julho em homenagem a S. Tiago, Padroeiro da Galiza. E, para o festejar, escolhiam então uma velha capelinha actualmente em ruína, situada no Alto da Boa Viagem, junto ao farol do Esteiro, em Caxias, e para lá acorriam juntamente com os minhotos, o mesmo é dizer os “galegos d’aquém Minho”. Mas, à semelhança do que antes sucedera com a Romaria de Santo Amaro, também esta acabou votada ao esquecimento e deixou de ser celebrada. Também, há pouco mais de meio século, criaram o grupo “Os Anaquinos da Terra” que procura manter e divulgar as tradições folclóricas das gentes da Galiza.

Em virtude da sua identidade cultural e sobretudo linguística, a comunidade galega encontra-se presentemente integrada na sociedade portuguesa a tal ponto que não se faz notar pela forma de estar ou de se exprimir. Pese embora os acontecimentos históricos terem determinado a separação política de um povo que possui raízes comuns, portugueses e galegos continuam irmanados do mesmo sentimento que os une e do supremo ideal de virem ainda um dia a construir uma só nação. Como disse Ramón Cabanillas, no seu poema “Saúdo aos escolares Lusitanos”:

                                               Irmáns no sentimento saudoso!

                                               Mocedade da pátria portuguesa!

                                               Este homilde fogar galego é voso.

                                               É voso este casal,

                                               onde vive a soñar, orante, acesa,

                                               a alma da Galiza e Portugal!

capture1

Um aspecto da Romaria de Santo Amaro, nos começos do século XX. Na imagem, galegos vendedores de pinhões em forma de rosários.

capture2

Entre as numerosas ocupações, os galegos também faziam de moços de fretes

Capturarxuvgal (7).JPG

XuventudGalicia 023

Consciente da sua identidade própria e da necessidade de criar uma associação, a comunidade galega radicada em Lisboa  fundou em 10 de novembro de 1908, a Xuventude de Galícia – Centro Galego de Lisboa, cuja primeira Xunta Diretiva foi constituída por José Lorenzo Covas, Manuel Alvarez Covas, Ramiro Vidal Carreira, Francisco Sanchez, Marcelino Outerelo Rocha, Casimiro Movilla e Ramiro Martin Y Mart.

Atualmente sediada na Rua Júlio de Andrade, n.º 3, num magnífico palacete dos finais do século XIX construído segundo a traça de um arquiteto italiano, com uma soberba vista sobre Lisboa, a Xuventude de Galícia é desde 1980 reconhecida como Pessoa Coletiva de Utilidade Pública. Na realidade, trata-se de uma autêntica embaixada dos interesses culturais da Galiza e o lídimo representante da comunidade galega radicada em Lisboa.

XuventudGalicia 017

XuventudGalicia 019

XuventudGalicia 020

Fotos: Arquivo Municipal de Lisboa / Carlos Gomes

galegos_lisboa4

O FOLCLORE NA XUVENTUDE DE GALICIA

Há 65 anos, a Xuventude da Galiza – Centro Galego de Lisboa constituiu no seu seio o Grupo Anaquiños da Terra, tendo procedido à sua primeira apresentação pública nas suas instalações, à altura localizadas na rua da Madalena, em plena baixa lisboeta. Inicialmente constituído apenas como grupo coral, veio posteriormente a incorporar a dança tradicional do povo galego.

A sua denominação, “Anaquiños da Terra”, significa literalmente “pedaciños da nosa terra”, o que nos remete directamente para a preservação e divulgação dos usos e costumes das gentes da Galiza. De resto, como se indica no seu site oficial, “Os Anaquiños da Terra acaban por ser o principal vehículo de expresión da tradición galega”.

Conforme a sua própria descrição, “os cantares son esencialmente femininos, os instrumentos, entre os cuais destacan as pandeiretas, as cunchas, como as utilizadas pólos peregrinos a Santiago de Compostela, as piñas, o tambor, o bombo, o pandeiro, a zanfona (instrumento de cordas medieval) e a gaita, entre outros.

Na danza tradicional galega, onde destaca especialmente a muiñeira, a xota e a pandeirada, características dos bailes tradicionais, tamén existén danzas asociadas a eventos específicos, como son: a danza de Maio, a danza dos paos ou a danza da regueifa, típica de bodas. Existe tamén otyro tipo de danza mais recente produto de interaccións com outras tradicións, normalmente traídas por emigrantes galegos, como son: a polca, o valse galego ou a mazurca.

Os traxes dos “Anaquiños da Terra” son típicos de Galícia, de varias rexións e com diversas aplicacións”.

Fotos: Xuventude de Galicia / Centro Galego de Lisboa

253876_218199308204309_117007301656844_796320_7077

381059_1716273523451_1736637627_910071_560933072_n

VIZELA NA 23ª EDIÇÃO DA XANTAR – FEIRA DE TURISMO GASTRONÓMICO

Dando continuidade à estratégia de consolidação da imagem e identidade do Concelho de Vizela enquanto destino turístico, a Câmara Municipal vai novamente participar na Xantar – Feira Internacional de Turismo Gastronómico, que decorrerá entre os dias 9 a13 de novembro em Ourense, Espanha.

Xantar-logotipo-2022-2 (1).png

Na 23ª edição deste certame estará em destaque o Bolinhol, havendo também lugar para a promoção do Bacalhau à Zé do Pipo - Bacalhau de Vizela, dos vinhos produzidos em território vizelense, bem como da restante oferta turística existente no Concelho.

No dia 12, sábado, serão vários os momentos em que Vizela estará em destaque no certame, nomeadamente, com intervenção pública em ato oficial por parte do Presidente da Câmara Municipal de Vizela, Victor Hugo Salgado e a atuação da Banda da Sociedade Filarmónica Vizelense.

A XANTAR, que recebe anualmente mais de 20.000 visitantes, é a única feira internacional de Turismo Gastronómico incluída no calendário oficial de Feiras Comerciais Internacionais espanholas, tendo-se convertido numa referência para destinos enogastronómicos de Espanha e Portugal. Um evento que, de acordo com a organização, contará novamente com mais de 100 meios de comunicação social e mais de 150 expositores.

Com a participação na XANTAR, a Câmara Municipal pretende potenciar dinâmicas que permitam a consolidação da imagem e identidade do Concelho de Vizela enquanto destino turístico, divulgando os segredos de um vale recheado de saberes, sabores e tradições.

VIANA DO CASTELO PARTICIPA EM OURENSE NO XANTAR 2022 – SALÃO INTERNACIONAL DE TURISMO GASTRONÓMICO

O Município de Viana do Castelo marca presença de 9 a 13 de novembro na 23ª edição de XANTAR - Salão Internacional de Turismo Gastronómico, que decorre em Ourense (Galiza, Espanha). À semelhança de anos anteriores, o concelho vianense apresenta-se a um mercado estratégico de proximidade.

Xantar-logotipo-2022-2 (1).png

Durante os 5 dias, XANTAR oferece um completo programa de atividades onde se apresentam mais de 200 experiências gastronómicas para desfrutar e conhecer o melhor da gastronomia dos destinos presentes.

Com stand próprio, numa promoção integrada com a Entidade Regional Porto e Norte, Viana do Castelo marca presença no evento com o intuito de conquistar visitantes e turistas da Galiza.

O concelho promove neste certame os seus principais eventos e potencialidades turísticas, apostando na promoção do seu património natural e paisagístico e da sua riqueza monumental e cultural e na apresentação de produtos e serviços turísticos das diversas empresas do setor turístico que operam em Viana do Castelo.

A 10 de novembro, dia dedicado à Região de Turismo do Porto e Norte, haverá lugar a animação especial promovida pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, com destaque para o ‘showcooking’ da Escola de Hotelaria e Turismo de Viana do Castelo e Prova de Vinho comentada pelo Solar do Louredo.

Durante os dias 9 e 10 de novembro, serão também promovidos momentos de prova de vinhos dos produtores locais (Quinta do Abade, Caroça Family WineYards e Armindo Dias Fernandes, Lda.) e degustação de Torta de Viana da pastelaria Dona Farinha Cake Design e Pastelarias do Castelo, com este produto certificado em destaque neste certame.

A Fundação Gil Eannes estará também presente no stand do Município com a divulgação do Navio-Museu e de toda a sua oferta.

RUI LAGES E ANTÓNIO LOMBA QUEREM DISCUTIR NA CIMEIRA IBÉRICA LIGAÇÃO EFETIVA, REGULAR E SEGURA ENTRE CAMINHA E A GUARDA (GALIZA)

Autarcas enviaram carta conjunta à Ministra Ana Abrunhosa para incluir assunto na agenda

Os Presidentes das Câmaras de Caminha e A Guarda endereçaram uma carta conjunta à Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, solicitando que seja incluída na agenda da Cimeira Ibérica, agendada para a próxima semana, em Viana do Castelo, “a possibilidade de concretização de uma ligação efetiva, regular e segura entre estes dois povos, firmando assim as relações transfronteiriças entre os dois países”.

António Lomba e Rui Lages (4).jpg

Rui Lages e António Lomba apelam à sensibilização da governante para o tema e afirmam que o que aqui está em causa é a união dos dois povos, que desde sempre viram o rio Minho como um espaço comum que os une, “mas a verdade é que, nestes últimos tempos tem sido um espaço que nos tem separado, por contingências alheias aos próprios concelhos”.

Na carta assinada por ambos, os dois autarcas começam por recordar o património histórico comum e cultural único, as relações de vizinhança, laços familiares, comerciais e turísticos. Ligados por um ferryboat – Santa Rita de Cássia - durante três décadas, essa ligação foi interrompida por problemas de atracagem do lado galego, cujo cais de atracação se encontra inoperacional e a necessitar de uma intervenção da ordem dos 500 mil euros, que não estará solucionada antes do verão do próximo ano.

A missiva ressalva também que, do lado português, o ferry encontra-se operacional, mas parado, sendo certo também que a embarcação, de idade avançada, necessita de ser substituída por outra mais eficaz, movida a energias mais limpas e amigas do ambiente, com menor calado e capaz de superar as questões do assoreamento do rio Minho.

Motivos de sobra para, aproveitando a presença dos líderes dos dois países, discutir a questão ao mais alto nível já no dia 4 de novembro (sexta-feira) em Viana do Castelo, na 33ª Cimeira Luso-Espanhola, que será presidida pelo Primeiro-Ministro, António Costa, e pelo Presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez.

A Cimeira Ibérica dará continuidade ao aprofundamento das relações bilaterais, reunindo, ao que está anunciado, duas dezenas de membros dos Governos dos dois países. Recorde-se que a última Cimeira decorreu em outubro de 2021, em Trujillo (Cáceres), em Espanha, tendo então sido assinados entre Portugal e Espanha oito acordos.

XUVENTUDE DE GALICIA INAUGURA EM LISBOA EXPOSIÇÃO COLECTIVA FOTOGRÁFICA “DIVERSIDADES”

Sábado, 29 de outubro 16h:00h.

Inauguración da exposición colectiva de fotografía “Diversidades”.

Pode ser visitada do 27 de outubro de luns a venres

De 11.00 a 14.00 h. e de 15.00 a 20.00 h. ata 1 de novembro

Salón Leocadia Boullosa da Xuventude de Galicia - Centro Galego de Lisboa.

Rua Júlio de Andrade, 3 – 1150-206 Lisboa (Xunto ao Jardim do Torel)

Capturarxuv (4).JPG

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO ARCUENSE ENCONTRA-SE COM O PRESIDENTE DA XUNTA DA GALIZA

Ligação entre Arcos de Valdevez/Ponte da Barca, a Fronteira da Madalena e Celanova

O Presidente da Câmara Municipal, João Esteves, participou com o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Ponte da Barca, José Alfredo Oliveira, numa reunião de trabalho, na Galiza, que contou com a presença do Presidente da Xunta da Galiza, o Diretor do AECT Norte Portugal e Galiza, do Vice-Presidente da CCDR-N e várias associações empresariais de Portugal e Espanha, para abordar assuntos transfronteiriços, nomeadamente relacionados com a melhoria da ligação do IC28 à fronteira da Madalena e a Celanova.

40b3a38e-2cb4-4d2a-b54d-ae95328d5789 - Cópia - Cópia (3).jpg

Este encontro acontece depois, de em Agosto, 8 autarcas, de Viana do Castelo a Celanova, representantes da CIM Alto Minho e da Deputación de Ourense terem assinado uma carta dirigida ao primeiro-ministro de Portugal, e ao presidente do Governo espanhol, a reivindicar a execução da melhoria da ligação do IC28 à fronteira da Madalena e a Celanova.

Para todos os envolvidos, esta ligação deverá ser um desígnio dos dois Governos, pois é de extrema importância para a segurança rodoviária, o desenvolvimento social e económico e atratividade e competitividade desta região transfronteiriça.

Os autarcas querem que a concretização da ligação do IC28 à fronteira da Madalena e a Celanova seja realizada com brevidade.

A concretização da melhoria desta infraestrutura transfronteiriça permitirá a mobilidade de bens, serviços e pessoas e é uma prioridade para os responsáveis políticos, dirigentes e empresários, já que irá dar um novo impulso no desenvolvimento sustentável destes territórios e terá um papel decisivo na fixação e atração de pessoas e investimentos para esta região transfronteiriça.

ic28arc (4).png

ENCHENTE HISTÓRICA EM VALENÇA NO DIA DA HISPANIDAD

Ontem, 12 de Outubro, comemorou-se, no país vizinho, o Dia da Hispanidad e Valença recebeu uma das maiores enchentes de visitantes do ano.

Valença1 (1).jpg

O Dia da Hispanidad, festa nacional de Espanha, coincidiu com a quarta-feira, dia de feira em Valença e com a boa temperatura que se faz sentir proporcionou uma enchente histórica, na Fortaleza, na Feira Semanal, em toda a área urbana e nos serviços de restauração, por todo o concelho.

Os fluxos de visitantes e turistas, dos últimos dias, já registavam números significativos graças ao facto de muitos espanhóis aproveitaram o feriado para umas mini-férias, uma expectativa de tendência que se mantém até ao fim de semana.

Este ano, o Dia da Hispanidad celebra os 530 da chegada de Cristóvão Colombo à América, a 12 de outubro de 1492.

Também neste dia, a cidade de Tui comemorou a ‘Festividad Virgen Del Pilar’ e o Presidente da Câmara Municipal, José Manuel Carpinteira, no âmbito desta celebração, participou na Missa Solene que se realizou na Catedral de Tui, e na ‘Homenaje a los Caidos’, que decorreu na Plaza de San Fernando.

Valença2.jpg