Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PRODUTORES DO PARQUE NACIONAL PENEDA GERÊS VISITAM EMPRESAS DE SUCESSO NA GALIZA

No âmbito do Projeto Revitagri-PNPG, Coordenado pelas Escola Superior Agrária e de Ciências Empresariais do IPVC, os produtores dos Parque Nacional da Peneda Gerês fizeram ontem uma visita técnica de produtores agroalimentares e de investigadores à Galiza.

DSC_0350

A visita teve por objetivo visitar empresas de sucesso do setor agroalimentar, permitindo assim perceber modelos de negócio e processos de fabrico.

O programa começou pela visita à Cooperativa Sta Mariña de Loureiro, uma empresa que se dedica aos Produtos Lácteos. O grupo seguiu para visitar a Lalinense, empresa que trabalha na área do fumeiro.

Da parte da tarde, as visitas dedicaram-se às plantas aromáticas e medicinais, através da visita à Milhulloa S.Coop.Galega e terminou com a visita ao Museu do Mel.

DSC_0382

Mais de meia centena de produtores e investigadores tiveram a oportunidade de ver em loco, empresas similares às existentes no parque e a forma de produção/comercialização.

Esta visita serviu ainda para contactos comerciais entre produtores, e revelou-se muito produtiva para as empresas visitadas e para os produtores.

O projeto, vai continuar a desenvolver ações, continuando a promover sinergias de forma a encontrar soluções de sustentabilidade e novas oportunidades de negócio com os produtos endógenos do Parque Nacional da Peneda Gerês.

DSC_0136

CERVEIRA E TOMIÑO (GALIZA) REALIZAM ENCONTRO IBÉRICO DE DEMOCRACIA E ORÇAMENTOS PARTICIPATIVOS

OPT Cerveira-Tomiño foi experiência em destaque na Corunha

Os autarcas de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño, Fernando Nogueira e Sandra Gonzalez, foram os convidados do segundo dia do IV Encontro Ibérico de Democracia e Orçamentos Participativos, a decorrer na Corunha, entre 4 e 6 de julho. O Orçamento Participativo Transfronteiriço Cerveira-Tomiño foi analisado como uma experiência inovadora e de sucesso.

OPT corunha

Dando continuidade aos encontros celebrados desde 2012 nas localidades de Odemira, Mollina e Ponta Delgada, o IV Encontro Ibérico tem como objetivo ser um espaço de intercâmbio das diversas experiências dos Orçamentos Participativos implementados em toda a Península Ibérica e ilhas, assim como nalgumas cidades da América Latina.

Ao longo de três dias, o encontro desenvolve-se entre conversas abertas, reuniões de trabalho, workshops, conferências, mesas redondas, apresentação de livros e mesas de experiências. E foi nesta vertente que o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, e a alcaldesa de Tomiño, Sandra Gonzalez, foram desafiados pela organização a partilhar e testemunhar a experiência do Orçamento Participativo Transfronteiriço que já vai na segunda edição, e cuja adesão cresceu significativamente.

Fernando Nogueira realçou que “apesar de oficialmente não existirem fronteiras, a verdade é que no dia-a-dia ainda encontramos barreiras na cooperação transfronteiriça”. Por sua vez, a alcaldesa complementou a afirmação do homólogo português: “Para nós, o OPT é um meio para fomentar a geminação entre as duas comunidades vizinhas”.

Como resultado deste trabalho de reflexão em comum doIV Encontro Ibérico de Democracia e Orçamentos Participativos,o Concello da Coruña na qualidade de organizador da iniciativa, em estreita colaboração com os parceiros, pretende avançar com uma agenda partilhada dando continuidade ao aprofundamento em torno da democracia participativa.

A LÍNGUA PORTUGUESA É O IDIOMA DA GALIZA

36565372_1102253276593770_683638641813094400_n

"Por eso no nos cansaremos de aconsejar a nuestro literatos que adopten la ortografía portuguesa, que es con ligerísimas, casi imperceptibles variantes, la que usaban nuestros antepasados, que nosotros hemos abandonado sin motivo y debemos recuperar. […]

Hay, sin embargo, quien ha hecho la afirmación de que una vez adoptada la ortografía portuguesa, el gallego se refunde en el portugués y por tanto desaparece, y que por eso debe darse al gallego, para que adquiera fisionomía propia y exclusiva, algo que lo separe del portugués para que este no lo absorba.

A este argumento debemos objetar que si ambos idiomas fueron uno mismo hasta que tomaron o iniciar tomar distinto rumbo merced al capricho de un monarca enemigo de Galicia, no vemos la razón de que continúen separados porque no debieron separarse jamás.

Como quiera que sea, necesitamos adoptar una buena ortografía, y una vez adoptada, que se respete y se use, porque de lo contrario tendremos tantos lenguajes como escritores, yendo a parar muy pronto el gallego a manos del enterrador."

PONTEVEDRA (GALIZA) E CIM ALTO MINHO ARRANCAM COM O PROJECTO "A RAIA NO MEDIO"

Arranca o proxecto "A Raia no Medio" en colaboración coa Área de Cooperación Transfronteiriza da Deputación de Pontevedra

O proxecto A Raia no Medio nace no contexto da constitución da AECT Río Minho (impulsada pola Deputación de Pontevedra e CIM Alto Minho, xunto a 16 Concellos pontevedreses e 10 Concellos do Norte de Portugal) e o traballo histórico do IGADI arredor da EuroRexión Galicia-Norte de Portugal e as áreas transfronteirizas a nivel comunitario.

No 2018 o traballo centrarase arredor da identificación e análise dos medios de comunicación de ámbito local que artellan a grella informativa do espazo territorial que abranxe a AECT Río Minho. Así as cousas entre xuño e outubro do presente anos elaborarase unha base de datos das iniciativas de comunicación local (dende radios a xornais físicos e dixitais, a iniciativas en redes sociais, blogs ou revistas e magazines), na idea de identificar as fortalezas e debilidades da comunicación na raia por medio da sistematización de entrevistas a medios, entidades e persoas chave; fortalecendo o coñecemento mutuo e apuntando mecanismos para unha maior e mellor comunicación nas dúas beiras do río Miño.

"A Raia no Medio" nace con vontade de continuidade; coma un programa do IGADI de construción de cidadanía eurorexional galego-portuguesa no contexto da Declaración de Tui, por medio dun traballo multiactor, que implique a administracións públicas, sociedade civil, cidadanía e empresas. A creación de capital e cohesión social, fai parte do berce do proxecto coma matriz e forza de desenvolvemento local, social e económico.

O proxecto poderá seguirse por medio das redes sociais do IGADI co cancelo #ARaiaNoMedio. Se tes interese en participar ou coñecer máis de perto o proxecto podes contactarnos no enderezo electrónico; info@igadi.org

Fonte: http://www.igadi.org/

CERVEIRA PROMOVE DESPORTO NÁUTICO

OPT Cerveira-Tomiño 2018: Dinamização da iniciativa ‘Desporto Náutico Para Todos’

O rio Minho é protagonista de um dos projetos vencedores da edição 2018 do Orçamento Participativo Transfronteiriço Cerveira-Tomiño. O ‘Desporto Náutico Para Todos’ vai decorrer, ao longo deste mês de julho, com atividades de turismo e desporto inclusivo para pessoas com dificuldades de mobilidade. Inscrições gratuitas através da Associação Vontade de Tomiño.

Desporto Náutica para Todos

O projeto ‘Desporto Náutico Para Todos’ foi apresentado conjuntamente ao OPT 2018, pela Asociación de Persoas con Discapacidade - Vontade (Tomiño) e a Associação Desportiva e Cultural da Juventude de Cerveira. A doca adaptada de Goián, no Espaço Fortaleza, é o ponto de partida para estas jornadas náuticas compartilhadas por Cerveira e Tomiño.

A iniciativa vai ser desenvolvida em três modalidades, Desporto Turismo Inclusivo para mostrar o património cultural e fluvial do Rio Minho; Orientação inclusiva destinada a testar a capacidade de coordenação e trabalho da equipa de participantes; e Prova de Slalom realizada pelas equipas num percurso traçado mediante diferentes níveis de dificuldade.

Pretende-se que a execução deste projeto se prolongue até ao Outono, de forma a que a prática de remo possa ser divulgada aos jovens estudantes entre os 8 e 18 anos de idade de ambos os concelhos geminados.

Para mais informações e inscrições, os interessados devem contactar a Associação Vontade pelo telefone 0034 986 623 044 e/ou email info@vontade.org

O Orçamento Participativo Transfronteiriço integra a Agenda Estratégica de Cooperação Transfronteiriça Cerveira-Tomiño, projeto cofinanciado em 75% pela convocatória INTERREG VA POCTEP, fundos FEDER da UE.

DEPUTADO DA DEPUTACION PROVINCIAL DE PONTEVEDRA VISITA SEDE DA EUROCIDADE MONÇÃO –SALVATERRA DE MIÑO

Numa jornada de reconhecimento pelo território banhado pelo rio Minho, Uxio Benitez, deputado da Cooperación Transfronteiriza da Deputación Provincial de Pontevedra, visitou, esta manhã, a sede da Eurocidade Monção – Salvaterra de Miño, no lugar da Lodeira, em Monção.

DSC_0998 (Large)

Acompanhado pela equipa gestora dos projetos Interreg Smart Minho e Visit Rio Minho, o responsável galego foi recebido pelo vereador da Ação Social, Cultura e Turismo, João Oliveira, naquele espaço de promoção e cooperação transfronteiriça, outrora posto alfandegário.

João Oliveira e Uxio Benitez trocaram impressões sobre as fragilidades e potencialidades do rio Minho, coincidindo ambos na importância deste troço de água internacional no desenvolvimento empresarial, cultural e social desta região do noroeste peninsular.

Neste contacto, foram aflorados alguns projetos estruturantes para os dois lados da fronteira que, em síntese, estão relacionados com a valorização da travessia rodoviária e pedonal, com uma maior dinamização cultural e desportiva entre as duas localidades e com o reforço da componente turística associada à navegabilidade do rio Minho.

DSC_0012 (Large)

DSC_0992 (Large)

FÓRUM DO RIO MINHO TRANSFRONTEIRIÇO DEBATE COOPERAÇÃO ENTRE AS DUAS MARGENS DO RIO MINHO

Cidadania ativa e envolvimento de agentes sociais marcam I Fórum do Rio Minho Transfronteiriço

Mais de uma centena de agentes sociais debateram, esta quinta-feira, as bases da “Estratégia 2030”, que potenciará a cooperação transfronteiriça de ambas as margens do rio Minho para a próxima década. O I Fórum do rio Minho Transfronteiriço, que decorreu na Escola Superior de Ciências Empresariais, em Valença, teve uma enorme adesão de representantes de áreas tão diversas como Governo,Turismo, Mobilidade, Educação e a Integração Social.

_D6C3363

Ao longo da jornada de trabalho, os participantes manifestaram o compromisso para continuar a trabalhar na elaboração da “Estratégia 2030”, um plano inserido dentro do projeto de cooperação transfronteiriça Smart Minho, e cujos resultados serão apresentados num II Fórum Transfronteiriçoagendado para os finais de 2018. A realização de um estudo e diagnóstico do território do rio Minho como um espaço comum despertou um grande entusiasmo partilhado entre autoridades governamentais e não governamentais presentes.

Fernando Nogueira, na qualidade de vice-diretor do recém criado AECT Rio Minho, sublinhou que “com esta ação, ninguém se quer sobrepôr às políticas dos governos de Portugal e de Espanha. O que se pretende é seguir a linha de ação delieanada na última Cimeira Ibérica por anbos os governos, no âmbito da cooperação transfronteiriça”. E acrescentou: “Nesta região, a figura de uma Intervenção Territorial Integrada (ITI) apresentar-se-ia como um modelo inovador para as políticas de desenvolvimento territorial transfronteiriço.Hoje foi o vencer da primeira inércia, pelo que agora temos de continuar a alimentar esta máquina rumo ao sucesso dsstas nossas ambições”.

Já Úxio Benítez, diretor do AECT Rio Minho,destacou a necessidade dos fundos europeus chegarem aos territórios estritamente fronteiriços, recordando que “as regiões transfronteiriças são as menos desenvolvidas socioeconomicamente já que, durante muitos anos, existiram verdadeiros obstáculos para crescer de mãos dadas com os nossos vizinhos e vizinhas da outra margem do rio, visto que as fronteiras não o permitiam. Precisamente para reverter esses desiquilibrios nasceram os fundos Interreg que procuram compensar”.

O I Fórum do Rio Minho Transfronteiriçoenquadra-se nas ações de Estratégia de Cooperação Inteligente Transfronteiriça do projeto Smart Minho, que conta com um investimento de 942.022,47 euros, cofinanciado pelo programa INTERREG VA POCTEP, fundos FEDER da União Europeia.

_D8C1789