Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

AMARES MARCA CAMINHO BRAGA-SANTIAGO E CALDELAS DISPONIBILIZA ALBERGUE

O Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela na distância de 240 quilómetros, começa a ser marcado com setas amarelas no Concelho de Amares “nos próximos dias” e os peregrinos vão ter um albergue ao dispor em Caldelas, a partir de junho.

Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros 01.jpg

A informação foi revelada pelo presidente da União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, José Manuel Almeida, na sequência de uma palestra sobre o caminho realizada este sábado, 16. Segundo o autarca, o albergue resulta do “aproveitamento de um espaço existente e disponível”, que precisa de “ligeiras obras de adaptação”.

Caldelas autarcas peregrinos e membros de associações 01.jpg

O albergue a criar “até final de junho” terá, de início, espaço para 20 peregrinos, instalações sanitárias, chuveiros e uma pequena cozinha para refeições ligeiras. Trata-se de um espaço que servia de refeitório e balneário à antiga escola primária de Caldelas (onde hoje funciona a junta de freguesia), construído nos anos de 1990, no centro da vila termal.

Por outro lado, “os serviços da união de freguesias e da Câmara de Amares vão iniciar a marcação deste caminho, no território do município, já nos próximos dias. Esse processo deverá estar concluído também até final de junho”, explicou José Manuel Almeida.

Caldelas autarcas peregrinos e membros de associações.jpg

Quanto ao investimento necessário, o presidente da união de freguesias “pensa que será muito pouco, dado as obras de adaptação [do albergue] serem pequenas, num total a rondar os cinco mil euros no máximo”, embora as contas ainda não estejam feitas.

“A União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, assim como o Município de Amares, tem o máximo interesse na revitalização do Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros”, refere José Manuel Almeida, adiantando que Caldelas é “um excelente local para a existência de um albergue, dado que pode oferecer aos peregrinos todas as condições e para todas as bolsas, desde uma estada económica até uma estada mais elaborada”.

O anúncio da criação do albergue e da marcação do caminho no Concelho de Amares foi feito na sequência de uma palestra realizada no Auditório de Caldelas pelo peregrino José Eusébio, que percorreu a pé o Geira Romana e dos Arrieiros em dezembro de 2018, em que participou também o presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira, e um conselheiro do Concelho de Beariz (Espanha).

O presidente da associação espanhola Codeseda Viva, Carlos de Barreira, fez uma apresentação sobre o Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros, que diferentes entidades portuguesas e espanholas pretendem ver homologado até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

Entretanto, os promotores deste itinerário estabeleceram contactos com os municípios de Braga, Terras de Bouro e Melgaço, no sentido de os sensibilizar para a necessidade de fazer as marcações com as setas amarelas, tradicionais do Caminho de Santiago, devendo acontecer em breve reuniões para oficializar este objetivo. Está também a ser estudada com a Arquidiocese de Braga a criação de um ponto de acolhimento de peregrinos em Covide (Terras de Bouro).

A Associação do Caminho Jacobeu da Geira Minhoto Ribeiro e a Associação Codeseda Viva coordenam a investigação histórica, patrimonial, do traçado e sobre outros recursos necessários à validação do caminho [ainda não possui albergues, nem está marcado, pelo que deve usar-se GPS], um trabalho iniciado em 2009 que pretendem ver reconhecido com a oficialização do traçado.

Este itinerário, também conhecido por Caminho da Geira Minhoto Ribeiro, foi percorrido por pelo menos 300 pessoas desde maio de 2017, estimando-se que o número cresça até 500 no corrente ano.

Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros.JPG

EUROCIDADE CERVEIRA-TOMIÑO DINAMIZA ECONOMIA TRANSFRONTEIRIÇA

Eurocidade Cerveira-Tomiño confere visão transfronteiriça à 16ª Mostra de Cultivos do Baixo Miño

Com o objetivo de fomentar a dinamização económica transfronteiriça e as relações comerciais entre o Baixo Miño e o Norte de Portugal, a Eurocidade Cerveira-Tomiño vai participar na 16ª Mostra de Cultivos do Baixo Miño, que decorre entre esta sexta-feira e domingo, no Pavilhão de Goián, Tomiño.

Mostra Cultivos.png

Mais de 30 expositores dos sectores agrário, floricultura, planta ornamental, empresas auxiliares, entre outras, marcam presença na 16ª Mostra de Cultivos do Baixo Miño, uma das mais importantes feiras do sector na Comarca do Baixo Miño e área de influência. Organizada pela Asociación Cultivos Baixo Miño (acuBam) e pelo Concello de Tomiño, o Pavilhão de Goián é palco de uma ampla programação que integra também atividades de cariz transfronteiriço.

A Eurocidade Cerveira-Tomiño vai promover um workshop centrado nas oportunidades de formação e emprego no setor agrário em ambas as margens do rio Minho.  A intenção é fazer um diagnóstico das necessidades formativas do sector, assim como para informar as empresas das modalidades formativas existentes e promover fórmulas estáveis de colaboração entre empresas, centros educativos e docentes através de intercâmbios, práticas em empresas, visitas… Nesta atividade, na qual participam empresas e centros educativos da Galiza e do Norte de Portugal, também será apresentada uma Bolsa de Emprego Agrária Transfronteiriça promovida pela acuBam. Este workshop está agendado para sexta-feira, entre as 10h00 a 12h00 (hora espanhola).

A programação transfronteiriça desta 16ª Mostra de Cultivos do Baixo Miño fica completa com a jornada técnica sobre ‘O setor agrário como motor de desenvolvimento sustentável no território transfronteiriço Baixo Miño (Galicia)-Norte de Portugal’. Nesta jornada, marcada para sábado a partir das 11h00 (hora espanhola), a subdiretora da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, Susana Mendes, apresentará as conclusões do workshop sobre formação e emprego no setor agrário celebrado no dia anterior.

Entre os participantes nesta atividades estarão representantes e sócios da Asociación de Cultivos do Baixo Miño (acuBam); da Associação para o Desenvolvimento Local, Rural, Agrícola, Florestal e Ambiental de Cerveira; da Associação Portuguesa de Produtores de Plantas e Flores Naturais; docentes do Instituto de Ensino Secundário Antón Alonso Ríos de Tomiño e da Escola Superior Agrária Ponte de Lima; empresas do sector agrário, administrações e pessoas relacionadas com a atividade económica e empresarial.

flyer-cultivos-2.jpg

TRAÇADO PORTUGUÊS GANHA DESTAQUE NO CAMINHO QUE LIGA BRAGA A SANTIAGO DE COMPOSTELA

A Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro, pioneira no estudo e divulgação do itinerário jacobeu que liga Braga a Santiago de Compostela, decidiu incluir a palavra “geira” na sua designação, para “integrar de forma mais clara a parte portuguesa” no projeto.

caminho da geira Dário Rodríguez secretário da Associação Jacobeia Geira Minhoto Ribeiro.jpg

“Esta mudança pretende integrar a parte portuguesa (Geira Romana) de uma forma mais clara e destacar o seu caráter transfronteiriço, porque estamos a trabalhar muito com associações lusas, como é o caso da Espaços Jacobeus, importantíssima em Portugal no tema dos caminhos”, explicou esta quarta-feira, 6, Darío Rodríguez, secretário da agora designada Associação Jacobeia Caminho da Geira Minhoto Ribeiro (CGMR).

caminho da geira geres.jpg

“Além de ser uma maneira de integrar e abarcar mais associações, é uma denominação mais exata: geira, por causa da antiga estrada romana; minhoto, devido ao Rio Minho, e Ribeiro, porque uma grande parte do traçado atravessa esta comarca espanhola”, adiantou Darío Rodríguez, em entrevista à Rádio Carballiño/Cadena SER, durante a qual fez um balanço da última assembleia geral da associação, que decorreu há alguns dias.

Caminho da geira inicio sé de braga (1).JPG

O secretário da Associação do CGMR revelou ainda que, a partir de outubro, parte do traçado será incluído nas Rotas Culturais da Universidade de Vigo/Campus de Ourense” e que “vai ser assinado um protocolo de colaboração com a universidade de Vigo para que os estudantes possam fazer investigação sobre este itinerário, com o apoio da associação”.

O objetivo da Associação do CGMR, que destaca o caráter multidisciplinar deste projeto, é “continuar a investigar e aprofundar as raízes do caminho, centrando-se agora no território entre Padrenda e Soutelo de Montes, já que há outras organizações a debruçar-se sobre os outros territórios, de forma a rentabilizar meios”, adiantou Darío Rodríguez, explicando que a associação vai começar a a divulgar o caminho jacobeu junto das escolas.

caminho da geira rio minho.JPG

A associação pretende a oficialização deste itinerário, que liga Braga a Santiago na distância de 240 quilómetros, até ao Ano Santo Jacobeu de 2021, e descreve-o como “um caminho de peregrinação e comercial de produtos vitivinícolas” e uma maneira de dinamizar do ponto de vista socioeconómico as zonas empobrecidas por onde passa.

Na entrevista à Rádio Carballiño/Cadena SER, Darío Rodríguez lamentou que até agora não tenha sido possível reunir as diferentes associações envolvidas no projeto de homologação deste traçado, com a “intenção de conseguir o maior consenso possível”, essencial para que o projeto tenha sucesso na Junta da Galiza (governo regional).

O secretário da Associação do CGMR recordou ainda uma recente reunião com o presidente da Academia Jacobeia, Xesus Palmou, mantida em A Estrada (Espanha), cuja “principal conclusão foi que o caminho vai ser declarado Itinerário Cultural Preferencial, um passo muito importante para a oficialização como via jacobeia, possivelmente já em 2020”.

A Associação do Caminho Jacobeu da Geira Minhoto Ribeiro e a Associação Codeseda Viva coordenam a

investigação histórica, patrimonial, do traçado e sobre outros recursos necessários à validação do caminho, um trabalho iniciado em 2009.

O Caminho da Geira Minhoto Ribeiro (também conhecido como da Geira Romana e dos Arrieiros) foi percorrido por pelo menos 300 pessoas desde maio de 2017, estimando-se que o número cresça até 500 no corrente ano.

caminho da geira.JPG

MELGAÇO E GALIZA PLANEIAM A CRIAÇÃO DO TROFÉU MINHO – GALAICO

Uma aposta no ciclismo

A empresa municipal Melsport - Melgaço, Desporto e Lazer, E.M., a Associação de Ciclismo do Minho (ACM) e a Federação Galega de Ciclismo (FGC), reuniram em Melgaço para definir estratégias de promoção do ciclismo e do desporto na zona Minho e da Galiza. Um dos objetivos é a criação do Troféu Minho – Galaico, referente a algumas vertentes de ciclismo, nomeadamente o ciclocrosse, modalidade que se encontra bastante enraizada na Galiza.

Reunião de trabalho melgaço.png

As entidades pretendem promover, conjuntamente, eventos e provas de ciclismo pontuáveis para as duas Federações. Neste contexto, está em cima da mesa a criação do troféu Minho – Galaico para algumas vertentes de ciclismo, nomeadamente o ciclocrosse, modalidade que se encontra bastante enraizada na Galiza. O V XCO Vila de Melgaço, a 5 de maio, será o primeiro evento de ciclismo que contará com a presença de escolas de BTT da vizinha Galiza, em virtude da reunião realizada. Em análise esteve também a concertação de calendários dos eventos na zona do Minho e da Galiza, com o propósito de não prejudicar o sucesso de cada um e de promover a participação de atletas portugueses em eventos realizados na Galiza e vice-versa.

“O desporto é uma alavanca de desenvolvimento da economia local e é este caminho que queremos potenciar. Melgaço já é uma referência para a prática de desportos de aventura e de deporto com cariz competitivo e/ou de lazer! É nossa intenção continuar a apostar no desporto. Assim, em 2019 reforçamos a aposta nas provas de ciclismo de estrada, com o acolhimento das competições mais importantes no panorama nacional”, afirma José Adriano Lima, Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Melgaço.Melgaço tem vindo a promover eventos desportivos de referência, a nível regional, nacional e internacional, atraindo atletas de vários pontos do País, mas também de Espanha. “Este sucesso muito se deve ao seu “braço armado” para o desporto que é a empresa municipal Melsport, EM., a qual tem ao seu dispor equipas de trabalho qualificadas que se envolvem nos diferentes projetos desportivos e que nos permitem a todos alcançar o sucesso”, realça o José Adriano Lima, também Presidente da Melsport.

Na reunião de trabalho estiveram presentes os responsáveis das três entidades, nomeadamente: José Adriano Lima, no título de Presidente da Melsport, Igor Moreira e Jorge Domingues, Técnicos da empresa municipal, José Luís Ribeiro, Presidente da ACM, Nuno Lopes, Secretário Técnico da ACM, Juan Carlos Muñiz, Presidente da Federación Galega de Ciclismo (FGC) e Guillermo Sande, Técnico da Federação.

ASSOCIAÇÃO DE CICLISMO DO MINHO ATRIBUIU TÍTULO DE SÓCIA HONORÁRIA À CÂMARA MUNICIPAL DE MELGAÇO

A ACM considera que Melgaço Tem condições de excelência para a prática do ciclismo e para acolher e organizar grandes eventos. É neste âmbito que se têm renovado parcerias de sucesso entre o Município, a ACM e a Melsport. Uma aposta que contribui não apenas para a promoção de Melgaço e desenvolvimento da economia local, mas, sobretudo, estimula a prática desportiva, nomeadamente do ciclismo.

Recorde-se que Melgaço recebe em 2019 os Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada das categorias de Elites e Sub 23, assim como o Grande Prémio do Minho e provas da Taça de Portugal e do Campeonato do Minho de BTT Maratonas, Ciclocrosse e Cross Country Olímpico.

Os eventos:

  • Taça de Portugal de Ciclocrosse: 20 de janeiro
  • IV Maratona de BTT de Melgaço Ukubo, pontuável para a Taça de Portugal: 17 de março
  • V BTT XCO de Melgaço, integrado no Campeonato do Minho de BTT XCO - SCORE Tech: 5 de maio
  • Campeonatos Nacionais de Elites e Sub 23: de 27 a 30 de junho
  • Grande Prémio do Minho (juniores): de 26 a 28 de julho

Centro de estágios de melgaço (4).jpg

JULIO IGLÉSIAS: UN CANTO A GALICIA, HEY

51505950_10156573707597203_6095716022285762560_n.jpg

Eu quero che tanto
E ainda non lo sabes
Eu quero che tanto
Terra do meu pai

Quero as tuas ribeiras 
Que me fan lembrare
Os teus ollos tristes 
Que me fan me chorare

Un canto a Galicia, hey
Terra do meu pai
Un canto a Galicia, hey
Miña terra nai

Teño morriña, hey
Teño saudade
Porque estou lonxe 
De eses teus lares

Eu quero che tanto
E ainda non lo sabes
Eu quero che tanto
Terra do meu pai

Quero as tuas ribeiras 
Que me fan lembrare
Os teus ollos tristes 
Que fan me chorare

Un canto a Galicia, hey
Terra do meu pai
Un canto a Galicia, hey
Miña terra nai

Teño morriña, hey
Teño saudade
Porque estou lonxe 
De eses teus lares

Teño morriña, teño saudade
Porque estou lonxe 
De eses teus lares
De eses teus lares
De eses teus lares
Tenho morriña! Teño saudade!
Teño morriña! Teño saudade!

Porque estou lonxe 
De eses teus lares
De eses teus lares
De esos teus lares
Teño morriña! Teño saudade!

Un canto a Galicia, hey
Terra do meu pai
Un canto a Galicia, hey
Miña terra nai

Un canto a Galicia, hey
Terra do meu pai
Un canto a Galicia, hey
Miña terra nai

Miña terra nai

Compositores: Benito Lauret / Julio Iglesias De La Cueva

Letras de Un canto a Galicia © Sony/ATV Music Publishing LLC

MINHO E GALIZA: A DANÇAR A GENTE SE ENTENDE!

Meia centena de bailarinos do Norte de Portugal e Galiza participam em Intercâmbio Cultural de Dança

A ADEIXA – Associação de Dança do Eixo Atlântico, com o apoio do Município de Vila Nova de Cerveira, volta a dinamizar umas férias de Carnaval culturalmente divertidas, com ênfase na dança. Durante quatro dias, mais de 50 bailarinos do Norte de Portugal e Galiza vão trabalhar em conjunto em ateliers coreográficos, workshops de formação e dois espetáculos gratuitos para o público em geral.

Cartaz Intercambio Cultural de Dança 2019.png

Com uma programação intensa, os participantes têm oportunidade de aperfeiçoar técnicas de dança, assim como potenciar o convívio e a troca de experiências.

O arranque deste Intercâmbio Cultural de Dança acontece, este sábado, 2 de março, com a atuação dos bailarinos com as coreografias próprias do repertório das escolas que representam. Segue-se um vasto trabalho coreográfico, que se monta ao longo dos quatro dias de intercâmbio, e cuja apresentação final acontece na terça-feira de Carnaval, dia 5 de março, com homenagem ao artista pop Prince e o seu legado.

Este trabalho conta com a participação de professores e coreógrafos reconhecidos na área, nomeadamente Juan Moredo e Mariana Mota (Vigo), Cátia Nicolau e Bárbara Tereso (Porto) e Larisa Dias (Rio de Janeiro), sob coordenação geral da professora de dança e diretora da ADEIXA, Liana Fortuna Rigon.

Estes dois espetáculos, de sábado e terça-feira, são de entrada livre para o público em geral, com início às 21h00, no Fórum Cultural de Cerveira.

CERVEIRA E TOMIÑO DESENVOLVEM ATIVIDADES DESPORTIVAS CONJUNTAS

200 participantes envolvidos em atividades desportivas transfronteiriças

O programa transfronteiriço ‘Desporto para Todos’, dinamizado pela Eurocidade Cerveira-Tomiño, conta com a participação de cerca de 200 pessoas. Atividades desportivas são gratuitas e decorrem em espaços e horários específicos em ambos os concelhos.

_D6C0484.jpg

As opções incluídas neste programa são a ‘Piscina em Família’, as ‘Atividades para Maiores de 55 anos’ e práticas de diversas modalidades desportivas em IPSS’s de Vila Nova de Cerveira e em paróquias de Tomiño.

As atividades desportivas acontecem atá ao mês de novembro, com uma interrupção durante o mês de agosto. Os interessados em obter mais informações ou efetuar inscrição devem consultar o website da eurocidade ( eurocidadecerveiratomino.eu/)

O Programa ‘Desporto para Todos’ integra a Agenda Estratégica para a Cooperação Transfronteiriça Amizade Cerveira-Tomiño, um projeto cofinanciado a 75% pelo Programa INTERREG V-A POCTEP, fundos FEDER da União Europeia.

MUNICÍPIO DE CERVEIRA E UNIVERSIDADE DE VIGO FORMALIZAM PARCERIA PARA O "IN COMMON SPORTS"

A convite do Município de Vila Nova de Cerveira, a Universidade de Vigo, através da Faculdade de Ciências da Educação e do Desporto, passa a integrar o consórcio de parceiros do projeto europeu ‘In Common Sports’. O ato formal de adesão aconteceu, esta terça-feira, em Pontevedra, com assinatura do acordo de parceria pelo Presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, e o Vice-reitor do Campus de Pontevedra – Universidade de Vigo, Jorge Soto.

pocommon1.jpg

O alargamento do ‘In Common Sports’ a Espanha já tem vindo a desenvolver-se no terreno desde o passado mês de janeiro, com a participação dos representantes da Universidade de Vigo no 4º meeting internacional do projeto que decorreu, este mês, em Budapeste (Hungria).

Atendendo aos objetivos do projeto financiado pelo Programa Erasmus+ Sport, o Município de Sanxenxo foi igualmente convidado a dar o seu contributo e, apesar de oficialmente não integrar o consórcio de parceiros, vai desenvolver várias atividades, nomeadamente as sessões de treino e as Olimpíadas Intergeracionais.

Durante a cerimónia de formalização desta parceria em Pontevedra, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, sublinhou “o reforço dos laços com uma instituição tão prestigiada como a Universidade de Vigo e a potencial criação de novos projetos entre as duas instituições, tendo em vista respostas mais inovadoras para o cidadão e para a comunidade”. Após a assinatura do documento, seguiu-se uma visita às piscinas municipais de Sanxenxo e uma receção na Escola de Turismo de Sanxenxo pelo Alcalde Telmo Martín.

Liderado pelo Município de Vila Nova de Cerveira (Portugal), o projeto ‘In Common Sports’ incorpora o Município de Aksakovo (Bulgária), o Município de Cesena (Itália), a cidade de Budapeste (Hungria), e a Universidade de Vigo, através da Faculdade de Ciências da Educação e do Desporto e do Município de Sanxenxo. Neste sentido, o V ‘Meeting In Common Sports’, que acontecerá, em maio, vai realizar-se em Pontevedra, assinalando esta nova adesão.

De relembrar que o consórcio de parceiros ‘In Common Sports’ aspira à realização de um estudo que envolve 400 participantes, e a implementação de 15 competições “Olimpíadas Intergeracionais’ com a participação mínima de 500 pessoas e o envolvimento de 80 organizações locais (IPSS’s, associações de jovens, desportivas e voluntários). A candidatura, submetida pelo Município cerveirense ao programa Erasmus+ Sport, conta com um financiamento superior a 300 mil euros.