Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO PROMOVE VISITAS GUIADAS

Instalações artísticas da Devesa com visita-guiada neste sábado

É já neste sábado, 28 de setembro, pelas 17h00, que vai decorrer, na Devesa, uma visita-guiada pelo artista Edgar Massul às suas instalações patentes no parque.

Foto da autoria da fotógrafa Inês D`Orey.jpg

No dia em que o parque verde de Famalicão comemora sete anos, esta é uma oportunidade para os visitantes percorrerem o espaço acompanhados pela arte de Edgar Massul, um artista plástico nacional e multidisciplinar.

A participação é livre e gratuita, sendo que o ponto de encontro está agendados para as 17h00, na Casa do Território.

As obras patentes compõem uma intervenção artística singular de Edgar Massul - artista em residência durante o GERMINAL 2019 onde realizou processo de estudo para esculturas no Parque da Devesa, Land Art.

As obras de Edgar Massul são esculturas que se integram e desintegram na paisagem, corpos efémeros no compasso do tempo, por isso, e em contexto do processo GERMINAL e da residência artística da Companhia de Teatro O Cão Danado, e estão divididas em 3 coleções: "Shadows", "Sara's Dreams" e "Untitled (Mabor Working Class Series)"

Estas instalações serão objeto de registo fotográfico pela fotógrafa Inês D`Orey. Dado o seu carácter efémero, o olhar da fotografia preservará a memória desta intervenção artística com um registo singular sobre o trabalho de Edgar Massul.

A exposição estará patente no Parque da Devesa até ao final do mês de setembro.

FEIRAS NOVAS DE PONTE DE LIMA SÃO UM POEMA AO CRIADOR E TÊM A FORÇA DA JUVENTUDE

Feiras Novas em Ponte de Lima são sempre… Feiras Novas! A cada ano se rejuvenescem sem perderem o lastro da tradição, a patine dos mais valiosos monumentos que sempre ajudam a preservar a nossa memória, a lembrar aquilo que somos.

69492233_2660030177355172_3380410179899097088_n.jpg

Tradição e modernidade não são incompatíveis – mas não se confunda modernidade com perda de memória e identidade!

A cada edição das Feiras Novas as gerações sucedem-se. Os jovens que este ano desfilaram nos cortejos da vila limiana – talvez a mais bela e encantadora de Portugal! – nunca experimentaram os festejos ocorridos noutras épocas. Mas, nem por isso sentiram a necessidade de vivenciarem tais experiências para seguir as pisadas dos seus antepassados e descerem à rua com os seus trajes característicos… eles representam a sua própria identidade – a nossa identidade colectiva!

Ponte de Lima possui algo de mágico que prende as suas gentes. A sua inigualável beleza, as suas tradições, a alegria e generosidade das suas gentes, o seu valioso património histórico e artístico – como disse o poeta Teófilo Carneiro:

Pintores de Portugal, ajoelhai!

Isto é um milagre, não é cor nem tinta!...

Mas não pinteis, pintores! Orai, rezai!

Uma beleza destas não se pinta!...

E, quem mais poderia consagrar tão sublime louvor ao Criador através da imagem senão os consagrados fotógragos santamartenses Sérgio Moreira e Sílvia Moreira? Mas não fotografeis… Orai, rezai!

Fotos: Sérgio Moreira & Sílvia Moreira

69230315_2659617854063071_8363231275925897216_n.jpg

69264971_2659638577394332_88902004801273856_n.jpg

69433601_2659626507395539_7226477299531513856_n.jpg

69483545_2659611120730411_7495818787472539648_n (1).jpg

69510996_2659979540693569_7338832407044292608_n.jpg

69540682_2661735493851307_3182092349928898560_n.jpg

69587905_2659791154045741_859126109264936960_n.jpg

69589327_2661751047183085_636415098436452352_n.jpg

69601567_2659968164028040_6220226484246675456_n.jpg

69602587_2662077113817145_6141954106891173888_n.jpg

69617476_2664792780212245_5975496060854861824_n.jpg

69621683_2661742327183957_4260516933822054400_n.jpg

69685107_2659603340731189_4095685361835966464_n.jpg

69685430_2659785624046294_6273006559958138880_n.jpg

69689925_2659789390712584_6918870384582328320_n.jpg

69693354_2664802643544592_3743099977405038592_n.jpg

69704786_2661743803850476_8400181635487629312_n.jpg

69879302_2661768627181327_531170378001678336_n.jpg

69906727_2659787870712736_4986968741649580032_n.jpg

69939362_2659570374067819_8110947577018449920_n.jpg

69987977_2659999667358223_8056351030788489216_n.jpg

70175351_2664785463546310_5231174139649196032_n.jpg

70242948_2659799320711591_1560502858636328960_n.jpg

70310210_2661748570516666_8779250608604446720_n.jpg

70465090_2661752437182946_4898174613541879808_n.jpg

70735300_2659808654043991_2716755466863509504_n.jpg

QUEM É JOSÉ CARLOS VIEIRA A QUEM O BLOGUE DO MINHO DEVE MUITAS DAS SUAS EXCELENTES REPORTAGENS FOTOGRÁFICAS NA NOSSA REGIÃO?

Os leitores do BLOGUE DO MINHO estão desde há muito tempo familiarizados com as excelentes reportagens fotográficas da autoria do nosso colaborador José Carlos R. Vieira, um caminhense a residir em Viana do Castelo.

155388_1721026512031_5498992_n.jpg

Entre as suas reportagens, destacamos as que se relacionam com a Romaria de Nossa Senhora d’Agonia, cujas festividades aliás, encontra-se neste momento a aompanhar.

O BLOGUE DO MINHO encontra-se muito grato pela sua disponibilidade e colaboração, permitindo-nos levar aos leitores momentos únicos das tradições da nossa região.

VILA VERDE REALIZA CONCURSO FOTOGRÁFICO

Concurso. Fotografia e tradição de mãos dadas Na Rota das Colheitas

O concurso fotográfico ‘A Rota das Colheitas de Vila Verde através das objetivas' vai premiar as melhores fotografias enquadradas nas atividades da programação Na Rota das Colheitas. De agosto a novembro, sucedem-se pelo concelho de Vila Verde mais de quatro dezenas de iniciativas dedicadas às tradições locais e ao genuíno pulsar do mundo rural.

2019 cartaz-concurso-rota.jpg

Recriações de práticas agrícolas ancestrais, feiras e festas das colheitas, arraiais, eventos gastronómicos, espetáculos culturais, atividades de desporto e natureza…

Os apaixonados pela fotografia dispõem de excelentes oportunidades para captar momentos únicos e ainda se habilitam a ganhar prémios pelo caminho. A iniciativa é organizada pela Foto Felicidade e pelo Município de Vila Verde.

O grande objetivo do concurso é “desafiar a criatividade de cada um dos participantes, de modo a que se desenvolvam hábitos culturais e competências técnicas fotográficas”. Os melhores trabalhos vão integrar uma exposição fotográfica e serão distribuídos prémios pelos três vencedores: 1º prémio - 150.00€, patrocínio da Foto Felicidade; 2º prémio - 75.00€, patrocínio da Felicidade Noivas; 3º prémio - 35.00€ em impressões digitais na Foto Felicidade.

A participação é aberta a todas as pessoas com idades superiores a 15 anos, sendo que os menores de idade necessitam de uma declaração de autorização dos encarregados de educação para poderem participar. Os trabalhos devem ser enviados para a Foto Felicidade até ao dia 15 de dezembro. Os interessados podem consultar aqui o regulamento do concurso.

FOTÓGRAFOS SÉRGIO MOREIRA E SÍLVA MOREIRA CONTINUAM A SURPREENDER-NOS COM OS SEUS MAGNÍFICOS INSTANTÂNEOS E A VALORIZAR A BELEZA E TRADIÇÕES DE SANTA MARTA DE PORTUZELO

“Eu admiro demais os detalhes. O detalhe de um sorriso tímido, da forma como os olhos se movem, tudo revela algo” – confessa Sérgio Moreira, o artista que não pára de nos deslumbrar com as suas magníficas fotografias, exaltando a beleza única das nossas gentes!

67788587_2610964352261755_4161165187690266624_n.jpg

A sublime beleza da nossa região não se restringe ao encanto das suas paisagens e à monumentalidade histórica das suas vilas medievais, com as suas muralhas guarnecidas a lembrar tempos heróicos e ainda vestígios de civilizações antigas como o património dolménico, a arquitectura românica e, mais recentemente, o barrôco que inspira inclusive muitos motivos etnográficos.

Ela encontra-se sobretudo nos traços delicados da fisionomia das nossas gentes, na beleza singular da mulher minhota, na simbiose das suas origens celtas e visigóticas. Um retrato magnífico que, mais do que ninguém, a dupla Sérgio Moreira & Sílvia Moreira tão bem têm conseguido captar!

67561177_2611265338898323_6829850478633811968_n (1).jpg

67778460_2609866602371530_6502401351648018432_n.jpg

67789634_2612067578818099_2291370270801264640_n.jpg

67792886_2611076545583869_6086023582473781248_n.jpg

67802694_2608426012515589_7333990591627264000_n.jpg

67818491_2609876962370494_7029707354299957248_n.jpg

67894493_2610984692259721_1214657854145822720_n (1).jpg

67931804_2613102698714587_1582998428453961728_n.jpg

67939046_2610962252261965_5426842795136516096_n.jpg

68335549_2611308425560681_8301232954856701952_n.jpg

68344679_2611014932256697_6032879319305420800_n.jpg

68394903_2610993955592128_1128644803261628416_n.jpg

FOTÓGRAFOS SÉRGIO MOREIRA E SÍLVA MOREIRA CONTINUAM A SURPREENDER-NOS COM OS SEUS MAGNÍFICOS INSTANTÂNEOS E A VALORIZAR A BELEZA E TRADIÇÕES DE SANTA MARTA DE PORTUZELO

“Eu admiro demais os detalhes. O detalhe de um sorriso tímido, da forma como os olhos se movem, tudo revela algo” – confessa Sérgio Moreira, o artista que não pára de nos deslumbrar com as suas magníficas fotografias, exaltando a beleza única das nossas gentes!

67788587_2610964352261755_4161165187690266624_n.jpg

A sublime beleza da nossa região não se restringe ao encanto das suas paisagens e à monumentalidade histórica das suas vilas medievais, com as suas muralhas guarnecidas a lembrar tempos heróicos e ainda vestígios de civilizações antigas como o património dolménico, a arquitectura românica e, mais recentemente, o barrôco que inspira inclusive muitos motivos etnográficos.

Ela encontra-se sobretudo nos traços delicados da fisionomia das nossas gentes, na beleza singular da mulher minhota, na simbiose das suas origens celtas e visigóticas. Um retrato magnífico que, mais do que ninguém, a dupla Sérgio Moreira & Sílvia Moreira tão bem têm conseguido captar!

67561177_2611265338898323_6829850478633811968_n (1).jpg

67778460_2609866602371530_6502401351648018432_n.jpg

67789634_2612067578818099_2291370270801264640_n.jpg

67792886_2611076545583869_6086023582473781248_n.jpg

67802694_2608426012515589_7333990591627264000_n.jpg

67818491_2609876962370494_7029707354299957248_n.jpg

67894493_2610984692259721_1214657854145822720_n (1).jpg

67931804_2613102698714587_1582998428453961728_n.jpg

67939046_2610962252261965_5426842795136516096_n.jpg

68335549_2611308425560681_8301232954856701952_n.jpg

68344679_2611014932256697_6032879319305420800_n.jpg

68394903_2610993955592128_1128644803261628416_n.jpg

MostrART REGRESSA AO ESTAÇÃO VIANA SHOPING

Exposição de ilustração, fotografia e arte digital, de 5 de agosto a 1 de setembro, em galeria efémera

Inaugura no próximo dia 5 de agosto, em galeria efémera, no segundo piso do Estação Viana Shopping, uma exposição de ilustração,  fotografia e arte digital. MostrART é o nome da mostra que os visitantes podem conhecer até dia 1 de setembro.

image_processing20190729-19523-1boxn1n.jpg

Durante o mês de agosto, o Piso 2 será então palco de mais uma edição da MostrART, este ano subordinada ao tema “O Futuro”. Artistas nacionais e internacionais recorrem à fotografia, ilustração e arte digital com o objetivo de alertar e transformar comportamentos e mentalidades para um tema ou preocupação atual.

O que é o Futuro? O que será que este nos reseva? A temática “O Futuro, Que Futuro, Qual Futuro”, da edição de 2019 da MostrART, pretende estimular a reflexão de todos os visitantes relativamente ao desconhecido e para o que pode ser o futuro que temos medo que chegue, o que pode ser o futuro que queremos, o ideal, ou o futuro para do qual não temos como fugir.

Esta é a 7ª edição da MostrART, que pelo 5º ano consecutivo se apresenta no Estação Viana Shopping em galeria efémera. O MostrART tem vindo a constituir-se como um ponto alto no que diz respeito à divulgação artística contemporânea, abordando temas marcantes da atualidade. O objetivo da mostra é precisamente o de estimular a reflexão, a discussão e, se possível, contribuir para uma mudança de mentalidade.

Sobre o Estação Viana Shopping

Inaugurado em 2003, o Estação Viana Shopping é a superfície comercial de referência na cidade de Viana do Castelo e na região Minho litoral. Com 92 lojas, distribuídas por três pisos, tem cerca de 19.182 m2 de Área Bruta Locável (ABL). A arquitetura do Centro é única, com a linha do comboio a atravessá-lo. A par com as lojas de roupa, acessórios, sapatarias, decoração, telecomunicações e serviços os visitantes podem usufruir da zona de restauração e dos mais de 600 lugares de estacionamento. O Estação Viana Shopping oferece ainda aos visitantes uma esplanada panorâmica e o vianamini, um espaço infantil gratuito, inspirado na temática dos comboios e destinado a crianças entre os 2 e os 9 anos de idade. A par da experiência única de compras e de lazer que oferece aos seus clientes, o Estação Viana Shopping assume a responsabilidade de dar um contributo positivo para um mundo mais sustentável, trabalhando ativamente para um desempenho excecional nas áreas ambiental e social. Todas as iniciativas e novidades sobre o Centro podem ser consultadas no site www.estacaoviana.pt e na página de Facebook disponível em www.facebook.com/estacao.viana.

DANIEL BASTOS APRESENTOU EM GUIMARÃES NOVO LIVRO SOBRE GÉRALD BLONCOURT E O NASCIMENTO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA

Foi ontem apresentado na cidade berço de Portugal, o livro Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”.

dbastospp (1).JPG

O historiador Daniel Bastos (dir.), na sessão de apresentação do livro “Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”, no fórum da FNAC-Guimarães, acompanhado do deputado na Assembleia da República, Joaquim Barreto (centro), e do tradutor Paulo Teixeira (esq.)

 

A obra, concebida e realizada pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt, um dos grandes nomes da fotografia humanista recentemente falecido em Paris, e prefaciada pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da Direção da Associação 25 de Abril, foi apresentada no fórum da Fnac-Guimarães.

A sessão de apresentação, que computou a presença do vereador Seara de Sá, em representação do Município de Guimarães, esteve a cargo do deputado na Assembleia da República, Joaquim Barreto, que caraterizou o livro como um importante contributo para a história do nascimento e construção da democracia em Portugal.

Refira-se que, neste novo livro, realizado com o apoio da Associação 25 de Abril, Daniel Bastos revela uma parte pouco conhecida do espólio de Gérald Bloncourt, afamado fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa, mas que retratou também a explosão de liberdade que tomou conta do país após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

Através de imagens até aqui praticamente inéditas, o historiador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, aborda factos históricos que medeiam a Revolução dos Cravos e a celebração do Dia do Trabalhador na capital portuguesa. Designadamente, a chegada do histórico líder comunista Álvaro Cunhal ao Aeroporto de Lisboa, a emoção do reencontro de presos políticos e exilados com as suas famílias, o caráter pacífico e libertador da Revolução de Abril, e as celebrações efusivas do 1.º de Maio de 1974, a maior manifestação popular da história portuguesa.

dbastospp (2).JPG

dbastospp (3).JPG

dbastospp (4).JPG

dbastospp (5).JPG

dbastospp (6).JPG

dbastospp (7).JPG

dbastospp (8).JPG

dbastospp (9).JPG

dbastospp (10).jpg

dbastospp (11).JPG

TERRAS DE BOURO INAUGURA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA SOBRE "SEGREDOS DO CÁVADO"

Inauguração da Exposição fotográfica “Segredos do Cávado” nos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Terras de Bouro

Até 31 de julho a Câmara Municipal de Terras de Bouro terá patente a exposição fotográfica “Segredos do Cávado, mostra que foi inaugurada a 10 de julho pelo Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Manuel Tibo e pelo responsável da CIM Cávado, Eng.º Luís Macedo.

20190710_112212.jpg

Depois de ter passado pelos Municípios de Esposende, Barcelos, Braga, Amares e Vila Verde, a exposição fotográfica “Segredos do Cávado” chega agora ao Município de Terras de Bouro, tratando-se de uma exposição alusiva ao valioso património construído existente ao longo dos Rios Cávado e Homem.

20190710_112211.jpg

Esta exposição, inserida no Projeto "AQUA Cavado: o rio que nos une", é promovida pela CIM Cávado, Agência de Energia do Cávado em parceria com Município de Terras de Bouro e pretende dar a conhecer o imenso e valioso património, quer de fins hidráulicos, industriais ou de qualquer outra natureza dos Rios Cávado e Homem, e da necessidade dar a conhecer o passado para se preparar o futuro, e mostrar o património para que as pessoas o descubram.

A exposição é composta por fotografias dos arquivos dos Municípios do Cávado, da EDP Produção, da UM-Museu Nogueira da Silva e do Museu da Imagem, tendo contado com a colaboração do pintor Luís Coquenão na conceção e apresentação do historiador Eduardo Pires de Oliveira.

De referir, por último, a oportunidade que os presentes tiveram nesta ocasião para degustar o doce “Beneditinos de S. Bento” que, como é do conhecimento geral, se encontra a disputar a final distrital das 7 Maravilhas dos Doces de Portugal, renovando o Município de Terras de Bouro o apelo à votação até dia 15 de Agosto nesta iguaria que representa o  concelho.

20190710_113222.jpg

20190710_113510.jpg

20190710_113618.jpg

20190710_113646.jpg

20190710_113659.jpg

20190710_114450(0).jpg

20190710_114501.jpg

TERRAS DE BOURO REVELA "SEGREDOS DO CÁVADO"

Exposição Fotográfica "Segredos do Cávado" - Câmara Municipal de Terras de Bouro  | 10 a 31 de julho de 2019

A partir do próximo dia 10 de julho os Paços de Concelho da Câmara Municipal de Terras de Bouro irão acolher a Exposição Fotográfica “Segredos do Cávado”, mostra que estará patente até ao dia 31 de julho.

Cartaz exposição Segredos do Cávado TB.jpg

A exposição fotográfica “Segredos do Cávado”, organizada pelo Município de Terras de Bouro, Comunidade Intermunicipal do Cávado e a Agência de Energia do Cávado, está integrada no Projeto “AQUA Cávado: o rio que nos une” e pretende dar a conhecer o imenso e valioso património construído existente ao longo dos rios Cávado e Homem, quer de fins hidráulicos, industriais ou de qualquer outra natureza e da necessidade de interiorizarmos e darmos a conhecer o passado para prepararmos o futuro.

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS APRESENTA EM VIANA DO CASTELO A EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA "DIVERSIDADE DE OLHARES"

Abertura da exposição de fotografia “Diversidade de olhares”

No próximo dia 1 de julho (segunda-feira) realiza-se a abertura da exposição “Diversidade de Olhares”, com trabalhos desenvolvidos pelo Clube de Fotografia da Academia Sénior do Centro de Estudos Regionais, no Estação Viana Shopping (piso 2), às 17.30 horas.

Diversidade de olhares é uma exposição de fotografia, resultante do trabalho desenvolvido no âmbito do Clube de Fotografia da Academia Sénior do Centro de Estudos Regionais. Cada autor apresenta um conjunto de fotografias que, pela diversidade de temáticas, opções estéticas e cromáticas, evidenciam olhares múltiplos sobre a realidade.  

A Academia Sénior do Centro de Estudos Regionais é um projeto do Centro de Estudos Regionais que visa a dinamização de atividades culturais, sociais e educacionais para maiores de 50 anos. Com quinze anos de existência, a Academia Sénior proporciona atividades formativas em áreas muito diversas.  Entre elas, mantém um Clube de Fotografia. Constituído por amantes da fotografia, que se reúnem periodicamente, procurando desenvolver os seus conhecimentos e competências, o Clube de Fotografia tem exposto os seus trabalhos em diversos espaços, nomeadamente, na Galeria da Santa Casa de Misericórdia de Viana do Castelo, na Delegação da Ordem dos Advogados de Viana do Castelo, no Convento de S. Domingos, na Residência BellaVida Viana e na sede do Centro de Estudos Regionais.

A sessão de abertura da exposição contará com um momento musical executado pelo Coro do Centro de Estudos Regionais.

A exposição, de entrada livre, não tem fins comerciais. 

A direção do Centro de Estudos Regionais

Viana do Castelo, 28 de junho de 2019

BRAGA PARQUE COMEMORA 20 ANOS COM EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA DE HUGO DELGADO

Sexta-feira, 28 de junho, às 18h00, junto à escadaria principal do Braga Parque

O Braga Parque convida todos os bracarenses e visitantes para a inauguração da exposição de fotografia “20 anos. A Cidade. O Shopping. As Pessoas”, amanhã, pelas 18h00, no corredor em frente à escadaria do centro comercial. A exposição fotográfica, que reúne os principais marcos da cidade, da sua população e do seu shopping, assinala a comemoração dos 20 anos do Braga Parque em Braga, ponto de encontro dos bracarenses e que parte do quotidiano de todos. A entrada é livre e gratuita.

poster expo bragaparque.jpg

Os registos fotográficos a apresentar são da autoria de Hugo Delgado que, é para muitos, o fotógrafo de Braga. O seu reconhecido trabalho como fotojornalista tem-lhe valido não só prémios, mas o reconhecimento da cidade que o vê, todos os dias, de máquina na mão, a fotografar o presente de todos.

A exposição divide-se em três momentos distintos, que correspondem à cidade (junho), ao shopping (agosto) e às pessoas (outubro de 2019).

Primeiro, a Cidade, a Polis. Em junho, todos poderão apreciar 20 momentos, 20 fotografias do lugar onde vivemos, onde pertencemos, onde o Shopping nasceu. A Cidade: 20 anos.

Em agosto de 2019, vamos conhecer 20 momentos em que o Shopping Braga Parque fez história. O Shopping: 20 anos. Durante 20 anos, foi palco de estórias que aquecem a memória comum. O edifício cresceu, ganhou outras formas e expandiu horizontes. Serão, assim, contados 20 anos em 20 imagens, que retratam obras feitas no edifício ao longo dos anos, mas também primeiras edições de eventos tão marcantes como os desfiles de moda, os concursos de bandas ou concertos de grandes artistas nacionais.

Por fim, mas não menos importante, em outubro de 2019, os protagonistas serão os bracarenses. As Pessoas: 20 anos. O passatempo a decorrer nas redes sociais permitirá selecionar 20 imagens a serem reproduzidas hoje pelo Hugo Delgado. O “antes e depois” de bracarenses que vivem o shopping, que gostam do shopping, que se propõem a fazer parte da história do Shopping.

Sobre Hugo Delgado, o Fotógrafo

Hugo Delgado, natural de Braga, formou-se em Fotografia e Fotocomposição. Desde muito jovem revelou um talento ímpar para a fotografia que se veio a confirmar com a sua passagem pelas mais prestigiadas publicações nacionais e internacionais. O Público, NY Times, CNN, The Guardian, Courrier Internacional são apenas algumas que se destacam no seu percurso profissional. Atualmente é fotojornalista da Agência WAPA e da Agência Lusa.

Sobre o Braga Parque

O centro comercial Braga Parque situa-se em Braga, cidade a Norte de Portugal que pelo facto de ter uma forte tradição na atividade comercial é apelidada de "Capital do Comércio".

O Braga Parque, graças às suas múltiplas expansões ao longo de 20 anos, é hoje o maior centro comercial da região do Minho. Oferece 180 lojas e restaurantes, tendo como âncoras 11 lojas: Pingo Doce, NOS Cinemas, SportZone, Fitness Up, FNAC, Bershka, Zara, H&M, C&A, Cortefiel, Benetton, Nespresso, Tiger, Zippy, Mango e Primark

DANIEL BASTOS APRESENTOU EM TORONTO NOVO LIVRO SOBRE GÉRALD BLONCOURT E O NASCIMENTO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA

No passado sábado foi apresentado em Toronto, no Canadá, o livro Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”.

dbastlivrfaf (1).jpg

O historiador Daniel Bastos (dir.), na sessão de apresentação do livro “Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”, na Galeria dos Pioneiros Portugueses em Toronto, acompanhado do comendador luso-canadiano Manuel da Costa

A obra, concebida e realizada pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt, um dos grandes nomes da fotografia humanista recentemente falecido em Paris, e prefaciada pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da Direção da Associação 25 de Abril, foi apresentada na Galeria dos Pioneiros Portugueses, um museu que se dedica à perpetuação da memória e das histórias dos pioneiros da emigração lusa para o Canadá.

A sessão muito concorrida, que contou com a presença de vários representantes da comunidade luso-canadiana e órgãos de comunicação social da diáspora, esteve a cargo do comendador Manuel da Costa, um dos mais ativos e beneméritos empresários portugueses em Toronto, que enalteceu o trabalho que o investigador da nova geração de historiadores nacionais tem realizado em prol das Comunidades Portuguesas.

Segundo Manuel da Costa, a iniciativa promovida pela Galeria dos Pioneiros Portugueses, no âmbito das comemorações do Dia de Portugal no Canadá, visou enriquecer a história, cultura e cidadania da comunidade luso-canadiana, incentivando nessa esteira Daniel Bastos, a conceber novos trabalhos junto da comunidade portuguesa, porquanto uma comunidade sem memória é uma comunidade sem história.

Refira-se que no decurso da tertúlia, ocorreram várias intervenções por parte de representantes da comunidade luso-canadiana, como foi o caso de Armando Branco, presidente da Liga dos Combatentes do Núcleo de Ontário, e de Artur Jesus, representante da Associação Cultural 25 de Abril de Toronto, que explanaram a missão destas relevantes coletividades e destacaram as conquistas de Abril no desenvolvimento de Portugal.

Neste novo livro, realizado com o apoio da Associação 25 de Abril, Daniel Bastos revela uma parte pouco conhecida do espólio de Gérald Bloncourt, afamado fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa, mas que retratou também a explosão de liberdade que tomou conta do país após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

Através de imagens até aqui praticamente inéditas, o historiador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, aborda factos históricos que medeiam a Revolução dos Cravos e a celebração do Dia do Trabalhador na capital portuguesa. Designadamente, a chegada do histórico líder comunista Álvaro Cunhal ao Aeroporto de Lisboa, a emoção do reencontro de presos políticos e exilados com as suas famílias, o caráter pacífico e libertador da Revolução de Abril, e as celebrações efusivas do 1.º de Maio de 1974, a maior manifestação popular da história portuguesa.

dbastlivrfaf (2).jpg

dbastlivrfaf (3).jpg

dbastlivrfaf (4).jpg

dbastlivrfaf (5).jpg

dbastlivrfaf (6).jpg

dbastlivrfaf (7).jpg

dbastlivrfaf (8).jpg

dbastlivrfaf (9).jpg

dbastlivrfaf (10).jpg

dbastlivrfaf (11).jpg

DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRAGA NOVO LIVRO SOBRE GÉRALD BLONCOURT E O NASCIMENTO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA

Na passada sexta-feira à noite (7 de junho), foi apresentado em Braga o livro Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”.

dannibasstos.jpeg

O historiador Daniel Bastos (dir.), na sessão de apresentação do livro “Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”, na FNAC em Braga, acompanhado da Professora de Ciência Política da Universidade do Minho, Isabel Estrada Carvalhais, e do tradutor da obra, Paulo Teixeira

 

A obra, concebida e realizada pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt, um dos grandes nomes da fotografia humanista recentemente falecido em Paris, e prefaciada pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da Direção da Associação 25 de Abril, foi apresentada na no fórum da FNAC na capital minhota.

No decurso da sessão muito concorrida, a Professora de Ciência Política da Universidade do Minho, Isabel Estrada Carvalhais, académica a quem esteve a cargo a sessão apresentação do livro, caracterizou o olhar de Bloncourt expresso no novo livro de Daniel Bastos, que representa um relevante contributo para a memória coletiva nacional sobre a revolução democrática, como “um olhar de esperança e dignidade sobre os portugueses”.  

Refira-se que, neste novo livro realizado com o apoio da Associação 25 de Abril, Daniel Bastos revela uma parte pouco conhecida do espólio de Gérald Bloncourt, afamado fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa, mas que retratou também a explosão de liberdade que tomou conta do país após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

Através de imagens até aqui praticamente inéditas, o historiador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, aborda factos históricos que medeiam a Revolução dos Cravos e a celebração do Dia do Trabalhador na capital portuguesa. Designadamente, a chegada do histórico líder comunista Álvaro Cunhal ao Aeroporto de Lisboa, a emoção do reencontro de presos políticos e exilados com as suas famílias, o caráter pacífico e libertador da Revolução de Abril, e as celebrações efusivas do 1.º de Maio de 1974, a maior manifestação popular da história portuguesa.

dannibasstos.jpg

DANIEL BASTOS APRESENTOU EM BRUXELAS NOVO LIVRO SOBRE GÉRALD BLONCOURT E O NASCIMENTO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA

Na passada sexta-feira (31 de maio), foi apresentada na capital da Europa o livro Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”.

dbbastos (1).jpg

O historiador Daniel Bastos (ao centro.), na sessão de apresentação do livro Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”, na livraria portuguesa em Bruxelas “La Petite Portugaise”, ladeado de Elisabete Soares, representante da livraria luso-belga, e de Paulo Pisco, deputado eleito pelo círculo da emigração na Europa

A obra, concebida e realizada pelo historiador minhoto Daniel Bastos a partir do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt, um dos grandes nomes da fotografia humanista recentemente falecido em Paris, e prefaciada pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da Direção da Associação 25 de Abril, foi apresentada na livraria portuguesa em Bruxelas “La Petite Portugaise”.

No decurso da sessão, a representante da livraria luso-belga, Elisabete Soares, caracterizou o historiador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, como um fautor de várias iniciativas cívicas para a cidadania ativa, e Paulo Pisco, deputado eleito pelo círculo da emigração na Europa que apresentou a obra, destacou o trabalho desenvolvido por Daniel Bastos em prol do conhecimento e valorização da emigração portuguesa. E em particular, este novo livro como um importante contributo para a preservação da memória do fotógrafo humanista Gérald Bloncourt, recentemente falecido em Paris, um homem que amou e honrou os portugueses.

Neste novo livro, realizado com o apoio da Associação 25 de Abril, Daniel Bastos revela uma parte pouco conhecida do espólio de Gérald Bloncourt, afamado fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa, mas que retratou também a explosão de liberdade que tomou conta do país após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

Através de imagens até aqui praticamente inéditas, o historiador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, aborda factos históricos que medeiam a Revolução dos Cravos e a celebração do Dia do Trabalhador na capital portuguesa. Designadamente, a chegada do histórico líder comunista Álvaro Cunhal ao Aeroporto de Lisboa, a emoção do reencontro de presos políticos e exilados com as suas famílias, o caráter pacífico e libertador da Revolução de Abril, e as celebrações efusivas do 1.º de Maio de 1974, a maior manifestação popular da história portuguesa.

Refira-se que durante o presente mês de junho, o livro vai ser apresentado no dia 7 de junho (sexta-feira), na FNAC em Braga, às 21h00, e no dia 10 de junho (segunda-feira), Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, na FNAC-Santa Catarina no Porto, às 17h00. Ainda no dia 22 de junho (sábado), no âmbito das comemorações do Dia de Portugal no Canadá, será apresentado às 10h00 na Galeria dos Pioneiros Portugueses em Toronto.

dbbastos (2).jpg

dbbastos (3).jpg

dbbastos (4).jpg

dbbastos (5).jpg

VIZELA PROMOVE CONCURSO DE FOTOGRAFIA

No âmbito da estratégia municipal de promoção turística que contempla ações a implementar ao longo do mandato, a Câmara Municipal de Vizela vai promover o Concurso de Fotografia de Vizela com o objetivo de promover e divulgar Vizela, dando a conhecer o património concelhio em todas as suas vertentes.

cartaz concurso foto.jpg

Pretende-se que as objetivas dos fotógrafos/concorrentes se direcionem exclusivamente para o património vizelense, para valorização e enaltecimento do mesmo, vedando-se assim a participação de fotografias registadas em outras localidades, o que não acontecia em edições anteriores.

O objetivo é envolver a comunidade numa recolha original de fotografias, podendo apresentar-se ao Concurso de Fotografia de Vizela todos os projetos relativos aos temas: Património Histórico, Cultural e Religioso e Património Natural.

Serão atribuídos prémios às três melhores fotografias em cada um dos temas a concurso.

Os interessados em participar no Concurso de Fotografia de Vizela devem proceder à entrega dos trabalhos na Loja Interativa do Turismo até ao dia 21 de julho e proceder ao preenchimento da respetiva ficha de inscrição, com a indicação do tema a que concorre.

DANIEL BASTOS APRESENTA EM BRAGA NOVO LIVRO SOBRE GERÁLD BLONCOURT E O NASCIMENTO DA DEMOCRACIA PORTUGUESA

No dia 7 de junho (sexta-feira), é apresentado na capital do Minho o livro “Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”.

A obra, concebida pelo historiador minhoto Daniel Bastos a partir do espólio de Gérald Bloncourt, um dos grandes nomes mundiais da fotografia humanista, recentemente falecido na capital francesa, é apresentada às 21h00 na FNAC-Braga.

Capturardb.PNG

O historiador Daniel Bastos (dir.) foi em 2015 o responsável pela realização do livro de Gérald Bloncourt (esq.) “O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”, que retrata a emigração portuguesa nos anos 60, e que contou com prefácio do ensaísta e pensador Eduardo Lourenço.

A apresentação da obra, uma edição trilingue (português, francês e inglês) traduzida por Paulo Teixeira, e prefaciada pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da Direção da Associação 25 de Abril, estará a cargo da Professora de Ciência Política da Universidade do Minho, Isabel Estrada Carvalhais.

Neste novo livro, realizado com o apoio da Associação 25 de Abril, uma das instituições de referência do Portugal democrático, Daniel Bastos revela uma parte pouco conhecida do espólio de Gérald Bloncourt, afamado fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa nos anos 60, mas que foi também um espectador privilegiado da explosão de liberdade que tomou conta do país após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

Através de imagens até aqui praticamente inéditas, o investigador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, aborda factos históricos que medeiam a Revolução dos Cravos e a celebração do Dia do Trabalhador na capital portuguesa. Designadamente, a chegada do histórico líder comunista Álvaro Cunhal ao Aeroporto de Lisboa, a emoção do reencontro de presos políticos e exilados com as suas famílias, o caráter pacífico e libertador da Revolução de Abril, e as celebrações efusivas do 1.º de Maio de 1974, a maior manifestação popular da história portuguesa.

A publicação do livro, que contou com a colaboração de Isabelle Repiton, viúva de Gérald Bloncourt, e é enriquecida com memórias e testemunhos do fotojornalista franco-haitiano, representa cerca de meio século após a Revolução de Abril um novo contributo e oportunidade para revisitar a génese da democracia portuguesa.

Segundo Vasco Lourenço, esta obra ilustrada pela lente humanista de Bloncourt, fotógrafo que em 2016 foi agraciado pelo Presidente República Portuguesa com a Ordem do Infante D. Henrique, constitui uma viagem ao “tempo dos sonhos cheios de esperança, da afirmação da cidadania, da construção de uma sociedade mais livre e mais justa, do fim e do regresso de uma guerra sem sentido com a ajuda ao nascimento de novos países independentes, onde a língua portuguesa continuou a ser o principal factor congregador”.

3 - Capa do livro (3).jpg

4- Contra-capa do livro (3).jpg

BRAGA REVELA VENCEDORES DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA "A SEMANA SANTA DE BRAGA"

Ocorreu ontem, dia 17 de maio, pelas 21h, na loja FNAC do shopping Braga Parque, em Braga, o anúncio dos premiados da 11ª edição do Concurso de Fotografia “A Semana Santa de Braga”.

concurso_foto_11_edicao_2019_premiados_semana_santa_braga.jpg

Sobre a iniciativa

Esta é uma iniciativa da Comissão da Semana Santa de Braga que visa sensibilizar todos os amantes da fotografia para o tema em particular, e em geral para esta época tão especial da cidade de Braga, bem assim como estimular e difundir a criatividade na arte da fotografia.

Tem como patrocinador exclusivo a reputada marca CANON. Conta com o apoio à divulgação da entidade regional de turismo do Porto e Norte de Portugal e da loja FNAC de Braga e tem ainda como media partner o jornal “Diário do Minho”.

Sobre a edição e resultados deste ano

Abel Rocha, membro da Comissão responsável por esta iniciativa, comentou no momento da conferência de imprensa “Este concurso já leva onze anos de existência. Tendo presente esta contextualização, é muito natural que alguns dos concorrentes, e até premiados, se vão repetindo anualmente. Para a organização, é um orgulho – e não visto como uma menos valia – esta participação continuada e sempre interessada. Encaramos esta frequência de participação como sinal de credibilidade e confiança nesta iniciativa e, arriscaríamos alvitrar, de tentativa de superação pessoal dos concorrentes, que vão tentando, ano após ano, ver os seus trabalhos reconhecidos. Há fotógrafos com muita qualidade que, por via desse acreditar e

Por outro lado, apraz-nos constatar a participação de novos concorrentes. Em todas as edições, há  concorrentes que chegam ao concurso pela primeira vez, e este é o outro “lado bom” que há que reconhecer a esta iniciativa: é que, apesar da sua já (algo) longa existência, ela continua a despertar interesse e participação e é ainda relevante para muitos.

Há ainda que reconhecer que o concurso pode e deve merecer o reforço da sua comunicação, de modo a poder chegar a cada vez mais pessoas e a um círculo mais vasto de território, visando aumentar a participação de mais concorrentes.

Dois aspetos ainda de sublinhar e que se referem com a envolvência da comunidade e o aumento do espólio de fotografia, objectivos iniciais desta iniciativa e que são desideratos alcançados, sem dúvida nenhuma.

Palavra final para a qualidade global dos trabalhos apresentados a concurso, o que foi realçado pelos membros do júri. Dir-se-á inclusive que esta (a qualidade) tem vindo a aumentar em cada ano, o que torna este concurso renhido, desafiante e com uma reputação crescentemente reconhecida.”

A diversidade de participação é também um aspeto a destacar com participantes de todas as idades (dos 19 aos 67 anos) e das mais variadas localidades do país: Amares, Braga, Barcelos, Caminha, Corroios (Seixal), Esposende, Fafe, Guimarães, Moreira da Maia, Penamacor, (Castelo Branco), Porto, Póvoa de Lanhoso, Travanca (Amarante), Viana do Castelo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia, Vila Verde e Vizela.

Podemos adiantar alguns dados estatísticos referentes a esta edição:

  • 73 concorrentes
  • 418 fotos a concurso
  • 24 fotos premiadas
  • média de idades: 43 anos (mais novo: 19 anos / mais velho: 67 anos)
  • participantes masculinos: 54 = 86%
  • participantes femininos: 19 = 14%

O júri deste ano foi composto pelas seguintes personalidades:

  • Presidente: Hugo Delgado
  • Representante da Comissão: José Alberto de Sousa Ribeiro
  • Representante da Canon: João Salvador
  • Representante do Diário do Minho: Luis Carlos Lopes Fonseca
  • Representante da Porto e Norte: Marco Sousa
  • Maria Francisca Xavier, convidada

Os prémios a concurso foram atribuídos aos seguintes concorrentes:

1º prémio: João Felipe da Silva Barbosa, 31 anos, de Braga

EOS M50 BLK 15-45 IS STM VUK (no valor de 749€) + assinatura digital anual do Diário do Minho (no valor de 60€)

2º prémio: Vítor Nuno Gomes Pinto Ferreira, 50 anos, de Caminha

EOS 2000D 18-55 IS II VUK (no valor de 479€) + assinatura digital anual do Diário do Minho (no valor de 60€)

3º prémio: José Pedro Apolinário Teixeira Pinto, 24 anos, de Braga

PowerShot G9 X Black Pack (no valor de 449€) + assinatura digital anual do Diário do Minho (no valor de 60€)

As 10 Menções Honrosas (com direito a uma assinatura digital anual do Diário do Minho, no valor de 60€) foram atribuídas a:

André Paulo Renato Pereira Borges, 48 anos, de Braga

Carlos Manuel Cunha Ferreira, 46 anos, de Braga

José Pedro Apolinário Teixeira Pinto, 24 anos, de Braga

Jorge Manuel Rocha Pimenta, 50 anos, do Braga

José Rodrigo de Carvalho Faria Lima, 45 anos, de Braga

Luís Filipe Gomes Vilaça, 28 anos, de Braga

Nuno Álvaro Santos Sousa, 46 anos, de Barcelos

Pedro Manuel Pimenta Gonçalves Ferreira, 45 anos, de Braga

Silvino Jorge Rodrigues, 50 anos, de Braga

Sofia Carolina Rodrigues Brandão Bahia, 25 anos, de Braga

Todos os premiados recebem ainda um Certificado de Participação.

As fotos premiadas estão disponíveis no sítio oficial da Semana Santa, neste link.

A quase totalidade dos prémios e certificados foi entregue na ocasião. Para os não presentes, informa-se que estes estão disponíveis para levantamento, mediante apresentação do BI ou Cartão de Cidadão, até ao dia 30 de junho, ao balcão da secção de fotografia da FNAC de Braga.

A assinatura digital do Diário do Minho será disponibilizada diretamente, via email, pelo Diário do Minho.

Para além dos premiados, todos os concorrentes que manifestarem vontade de obter um Certificado de Participação, devem informar a organização, que o remeterá via email ou em papel (para levantamento na Sé Catedral de Braga). Todos os pedidos serão atendidos no máximo até ao dia 30 de maio. Os Certificados serão disponibilizados, de uma só vez, no dia 31 de maio.

Todos os trabalhos premiados (um total de 24 fotos) serão alvo de exposição, esta inserida no programa cultural da Semana Santa de Braga de 2020.

A organização endereça os votos de parabéns a todos os premiados e, em geral, a todos quantos se inscreveram e submeteram fotos ao concurso.

BELEZA E TRADIÇÃO: CARDIELOS ESTÁ EM FESTA!

Cardielos está em festa em honra de Nossa Senhora do Amparo. Os festejos começaram com o hastear da bandeira e o cortejo da mordomia que percorreu os lugares de Outeiros e Ponte, para o Alto de Outeiros, sítio onde foi erguido o mastro da festa.

60183185_2450582661633259_4880185911821729792_n.jpg

Confessa Sérgio Moreira, um dos autores desta obra-prima da fotografia: “Eu admiro demais os detalhes. O detalhe de um sorriso tímido, da forma como os olhos se movem, tudo revela algo”.

Como em nenhum outro lugar, a beleza e a tradição combinam aqui de uma forma tão perfeita que só pode ter mão divina na sua criação – as moças, jovens e belas nos seus trajes característicos, conferem à festa um encanto inigualável que só imaginariamos possível no monte Olimpo, a morada dos deuses gregos e, por conseguinte, da perfeição divina.

Mas, eis que não são atenienses as mulheres mais belas que aqui exaltamos – são vianenses! – são de Cardielos, terra onde por agora se festeja a Nossa Senhora do Amparo, que atrai centenas de forasteiros movidos pela beleza e tradição das nossas gentes!

Fotos: Sérgio Moreira & Sílva Moreira

60258585_2455792017778990_6975054629897764864_n.jpg

60306701_2454196197938572_8737130096260808704_n.jpg

60317063_2454204457937746_5786481654033809408_n.jpg

60338262_2453976121293913_6811357891350495232_n.jpg

60338624_2454005374624321_7496168170177167360_n.jpg

60344096_2455766601114865_5249832924986998784_n.jpg

60345859_2454198251271700_2180334637371359232_n.jpg

60351711_2453925047965687_3930089204066811904_n.jpg

60362041_2453999977958194_5151163266906456064_n.jpg

60364024_2457593190932206_2181586671877750784_n.jpg

60388329_2455758294449029_9035410657230454784_n.jpg

60434900_2457593707598821_1317201048741347328_n.jpg

60551392_2453977127960479_656545077576859648_n.jpg

60637306_2454191651272360_3202362800269688832_n.jpg

DANIEL BASTOS VAI A BRUXELAS APRESENTAR A OBRA "GÉRALD BLONCOURT - DIAS DE LIBERDADE EM PORTUGAL"

Bruxelas recebe apresentação do livro “Geráld Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”

No próximo dia 31 de maio (sexta-feira), é apresentado em Bruxelas o livro Gérald Bloncourt – Dias de Liberdade em Portugal”.

A obra, concebida pelo historiador português Daniel Bastos a partir do espólio de Gérald Bloncourt, um dos grandes nomes mundiais da fotografia humanista, recentemente falecido na capital francesa, é apresentada às 18h30 na livraria portuguesa em Bruxelas “La Petite Portugaise”.

1- O historiador Daniel Bastos  (esq.) e o fotógrafo Gérald Bloncourt.jpg

O historiador Daniel Bastos (esq.) foi em 2015 o responsável pela realização do livro de Gérald Bloncourt (dir.) “O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”, que retrata a emigração portuguesa nos anos 60 e 70, e que contou com prefácio do ensaísta e pensador Eduardo Lourenço.

 

A apresentação da obra, uma edição trilingue (português, francês e inglês) prefaciada pelo coronel Vasco Lourenço, presidente da Direção da Associação 25 de Abril, estará a cargo do deputado eleito pelo círculo da emigração na Europa, Paulo Pisco.

Neste novo livro, realizado com o apoio da Associação 25 de Abril, uma das instituições de referência do Portugal democrático, Daniel Bastos revela uma parte pouco conhecida do espólio de Gérald Bloncourt, afamado fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa nos anos 60 e 70, mas que foi também um espectador privilegiado da explosão de liberdade que tomou conta do país após a Revolução de 25 de Abril de 1974.

4- Contra-capa do livro (2).jpg

Através de imagens até aqui praticamente inéditas, o investigador cujo percurso tem sido alicerçado no seio da Lusofonia, aborda factos históricos que medeiam a Revolução dos Cravos e a celebração do Dia do Trabalhador na capital portuguesa. Designadamente, a chegada do histórico líder comunista Álvaro Cunhal ao Aeroporto de Lisboa, a emoção do reencontro de presos políticos e exilados com as suas famílias, o caráter pacífico e libertador da Revolução de Abril, e as celebrações efusivas do 1.º de Maio de 1974, a maior manifestação popular da história portuguesa.

A publicação do livro, que contou com a colaboração de Isabelle Repiton, viúva de Gérald Bloncourt, e é enriquecida com memórias e testemunhos do fotojornalista franco-haitiano, representa cerca de meio século após a Revolução de Abril um novo contributo e oportunidade para revisitar a génese da democracia portuguesa.

Segundo Vasco Lourenço, esta obra ilustrada pela lente humanista de Bloncourt, fotógrafo que em 2016 foi agraciado pelo Presidente República Portuguesa com a Ordem do Infante D. Henrique, constitui uma viagem ao “tempo dos sonhos cheios de esperança, da afirmação da cidadania, da construção de uma sociedade mais livre e mais justa, do fim e do regresso de uma guerra sem sentido com a ajuda ao nascimento de novos países independentes, onde a língua portuguesa continuou a ser o principal factor congregador”.

3 - Capa do livro (2).jpg