Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FOLCLORE DE PORTUGAL – O PORTAL DO FOLCLORE PORTUGUÊS POSSUI NOVA IMAGEM GRÁFICA E ESTÁ ALOJADO EM NOVO DOMÍNIO

Prestes a atingir 18 anos de existência, o “Folclore de Portugal – O Portal do Folclore Português” apresenta uma estrutura renovada e uma nova imagem gráfica. Além disso, passou a estar alojado no domínio http://www.folclore.pt/

Capturarfp

Trata-se de um dos poucos e mais antigos portais na internet dedicados ao folclore e à cultura tradicional portuguesa em geral, assim entendido no seu sentido mais abrangente. Por essa razão, é também um espaço rico de acesso a informação muito variada, desde a gastronomia ao calendário agrícola e aos usos, costumes e tradições em geral.

15825955_1205739719516437_5276518963960658118_n

É seu administrador e fundador o Dr. José Pinto, também ele ligado ao folclore durante muitos anos como dirigente e componente Rancho Folclórico de Vila Real.

Depois de várias décadas apenas reservada para fins militares sob a denominação de ARPANET e, mais tarde, reservada à comunidade científica, começava a Internet a dar os primeiros passos no domínio público e, alguns ranchos folclóricos a aventurarem-se ainda timidamente na utilização destas tecnologias. Por essa altura, o autor destas linhas publicou no jornal “Folclore”, ininterruptamente durante quatro anos consecutivos, a secção “O Folclore na Internet”, dando a conhecer as iniciativas que já se verificavam nesse domínio e incentivando a sua utilização, bem assim a comunicação entre os grupos folclóricos através do correio electrónico.

A adesão foi lenta mas a criação do Portal do Folclore foi, por assim dizer, o passo mais importante para que a Internet passasse a ser uma ferramenta a ser utilizada pelos ranchos folclóricos e de música tradicional O mérito pertence inteiramente ao Dr. José Pinto que, além de criar este espaço, mantém-no durante quase duas décadas e acaba de refrescá-lo com nova imagem gráfica, reestruturando-o e alojando-o em novo domínio com acesso mais facilitado. Valeu a pena!

Transcrevemos a apresentação que é feita no próprio site:

Folclore de Portugal – O Portal do Folclore Português foi criado em 1 de Novembro de 2000 e , desde a sua fundação, sempre teve como principais objectivos:

» disponibilizar online conteúdos diversificados sobre temas e assuntos relacionados com a Cultura Popular Portuguesa (Etnografia, Folclore, etc.): artesanato, gastronomia, literatura popular (provérbios, romanceiro, lendas, …), música popular tradicional, medicina popular, usos, costumes e tradições, e outros considerados úteis;

» incentivar a utilização da Internet por parte de todos os Grupos que se dedicam ao Folclore e à Etnografia de Portugal, criando um “espaço de encontro” para todos aqueles que se assumem na defesa, promoção e divulgação do Folclore Português, em todas as suas formas de expressão e manifestação, criando e dinamizando a “comunidade folclórica no cyberespaço”;

» criar e dinamizar espaços de (in)formação on-line para todos os interessados nos temas e assuntos relacionados com a Cultura Popular Portuguesa, com a colaboração de reputados técnicos nos diversos temas/assuntos;

» criar e dinamizar espaço(s) de debate sobre todos e quaisquer assuntos do interesse dos dirigentes e outros participantes no movimento associativo na área da cultura popular e etnográfica;

» promover o contacto entre os Grupos e os Indivíduos que se dedicam à recolha, registo, estudo, preservação e divulgação do Folclore das diversas “regiões etnográficas” de Portugal, potenciando e facilitando a partilha de experiências, a colaboração e a realização de iniciativas conjuntas, particularmente através da internet e do correio electrónico;

» colaborar na divulgação dos Ranchos Folclóricos e outros Grupos que cultivam a dinamizam as diversas formas de expressão e manifestação folclórica das respectivas “regiões etnográficas“, não só em Portugal, mas também no estrangeiro, disponibilizando online informações diversificadas sobre os Grupos de Folclore e outros: url’s dos respectivos sites, e-mails, contactos, propostas de permutas/intercâmbios, actividades, etc.;

» divulgar as manifestações da Cultura Tradicional do nosso Povo, por forma a que sejam cada vez mais conhecidas e melhor compreendidas;

» promover a transmissão online de Festivais e Encontros de Folclore, a exemplo de experiências já realizadas, e de que é pioneiro o Rancho Folclórico de Vila Real, ou outras actividades consideradas de interesse público;

» assumir-se como a vanguarda de um movimento que leve o “poder político” a reconhecer:

– que a Cultura Popular não pode continuar mais a ser o “parente pobre” da Cultura;

– o trabalho meritório desenvolvido pelos Grupos e Indivíduos que se dedicam ao Folclore, em particular, e à Cultura Popular, em geral;

– a necessidade de a estes Grupos serem disponibilizados recursos suficientes para a prossecução dos respectivos objectivos;

Folclore de Portugal – O Portal do Folclore Português tem como destinatários principais:

» todos os Grupos e Indivíduos que, de alguma forma, utilizam a internet para divulgarem as diversas manifestações da Cultura Popular Tradicional, particularmente o Folclore, ao mundo!

» as entidades, públicas e privadas, que estão relacionadas com a temática do Folclore;

» quem quer saber mais sobre a Cultura Popular do nosso Povo;

Folclore de Portugal – O Portal do Folclore Português será o que todos nós quisermos que seja, pelo que observações, comentários, sugestões e críticas construtivas serão sempre bem vindas!

Para contactar connosco: folclore@folclore-online.com!

Grupos-de-Folclore-do-Douro-Litoral-800x445

MAREANTES DO RIO DOURO ABRILHANTAM FOLKLOURES’18

Os Mareantes do Rio Douro vão participar na próxima edição do FolkLoures’18

Com cerca de 300 anos de existência, a Associação recreativa “OS MAREANTES DO RIO DOURO”, Grupo Internacional, com sede em Vila Nova de Gaia, tem de geração em geração mantido a tradição de Festeiros ao São Gonçalo, primeira festa do ano que se realiza a 10 de Janeiro, percorrendo as ruas da cidade, desde a zona ribeirinha até à Igreja de Mafamude.

CapturarMareantesDouro

O seu grupo é composto por cerca de 50 homens, mais seus patronos (dois Mordomos que transportam as imagens de São Gonçalo e São Cristóvão e um terceiro que encarna a figura de São Roque), com participação em quase todos os Festivais Internacionais de Folclore que se realizam no país.

O seu Grupo de bombos abrilhanta as mais diversas romarias e tem-se deslocado várias vezes ao estrangeiro.

Capturarfolk

SARGACEIROS DA APÚLIA DANÇAM NO FOLKLOURES’18

Iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho com o apoio da Câmara Municipal de Loures, no âmbito do FolkLoures’18

O Grupo de Sargaceiros da Casa do Povo da Apúlia, concelho de Esposende, vai participar no Festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. A próxima edição do FolkLoures decorre de 30 de Junho a 7 de Julho de 2018, e incluirá conferências, exposições, feira de produtos tradicionais e um festival de folclore a ter lugar no Parque da Cidade, em Loures.

Capturarsargaceirosapulia

Sargaço! Sargaço! – grita o sargaceiro ao avistar as algas que a mareada arroja, exortando os companheiros a entrarem mar dentro e enfrentarem com arrojo a rebentação das ondas. Após a maresia, a mareada é invariavelmente mais abundante, arrojando o mar as algas que se desprendem dos rochedos quase submersos. O grito do sargaceiro ecoa longínquo na praia. Os homens, vestidos de branqueta e a cabeça e pescoço protegido com o sueste, levam consigo o galhapão ou a gaiteira se o sargaço estiver próximo da praia. No areal, as mulheres transportam o sargaço nas carrelas para mais longe do alcance do mar, fazendo as camas onde fica a secar. Apó a secagem, as algas serão empregues como fertilizantes das terras, em produtos fito-sanitários e cosméticos, sendo cada vez mais conhecidas também as suas virtudes alimentares.

Fundado em 1934, o Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia é um representante ímpar do folclore da Região do Baixo-Minho e vai seguramente constituir a grande atracão deste Festival de Folclore.

Capturarfolk

FESTA DOS TABULEIROS DE TOMAR DESFILA NO FOLKLOURES’18

A tradicional Festa dos Tabuleiros regressa a Tomar no início do mês de Julho do próximo ano, conforme é tradição de quatro em quatro anos. Nesse sentido, não podia a organização do FolkLoures’18 deixar de conferir o devido destaque a tão importante manifestação cultural do nosso povo.

CapturarTabuleirosTomar

O Grupo de Tabuleiros da Festa do Divino Espírio Santo da Freguesia de Carregueiros vai representar o concelho de Tomar com um conjunto de 20 pessoas transportando 10 tabuleiros.

A Festa dos Tabuleiros é uma tradição multi-secular da cidade dos Templários que se tornou uma dos mais importantes cartazes turísticos de Portugal, constituindo a maior festividade nacional em Honra do Divino Espírito Santo.

Os tabuleiros sã constituídos por trinta pães enfiados em canas que partem de um cesto de vime ou verga, sendo encimados pela coroa do Espírito Santo e a respectiva pomba ou a cruz da Ordem de Cristo que teve Tomar como a sua sede e a quem devemos em grande medida a epopeia dos Descobrimentos Marítimos.

As moças que tamportam os tabuleiros são formosas e apresentam-se vestidas de branco, com fitas de cores vivas à cintura ou a tiracolo.

A Festa dos Tabuleiros propriamente dita é antecedida da saída das coroas e o cortejos dos rapazes, celebrações que atraem sempre à Princesa do Nabão milhares de visitantes.

A organização do FolkLoures’18 agradece a colaboração Grupo de Tabuleiros da Festa do Divino Espírio Santo da Freguesia de Carregueiros e da Casa do Concelho de Tomar.

Capturarfolk

BRAGA REALIZA PARADA FOLCLÓRICA

Decorreu ontem em Braga uma monumental Parada Folclórica, uma iniciativa integrada no programa das Festas de São João e que reuniu mais de duas dezenas de grupos folclóricos e etnográficos do Concelho de Braga.

35728662_967390650087563_8169967342562836480_n

O Presidente da Câmara Municipal de Braga, Dr. Ricardio Rio, integrou a Parada Folclórica devidamente trajado

 

Promover e divulgar a etnografia local, particularmente dos trajes e costumes associados ao São João, foi o objectivo da iniciativa. Os dois quilómetros de desfile foram acompanhados por gigantones e cabeçudos e pela Banda Musical de Cabreiros.

Fotos: Município de Braga

35426850_967389146754380_3746883134923210752_n

35429028_967392493420712_3980782389528887296_n

35431172_967393993420562_1030082278845317120_n

35431412_967389710087657_2491961903702605824_n

35432869_967394293420532_2342773697825210368_n

35434215_967392450087383_5435137665475280896_n

35434249_967392606754034_2223828121910509568_n

35437350_967389723420989_3005499589823299584_n

35460116_967390020087626_5514679742537662464_n

35462767_967394003420561_8821856091475279872_n

35463364_967388823421079_6067043464862760960_n

35471655_967391736754121_5349545491321323520_n

35472354_967392346754060_7820365139336495104_n

35473232_967390796754215_7805608202938089472_n

35474758_967391556754139_6015151691467325440_n

35475217_967392150087413_6826338840358158336_n

35475633_967389853420976_731358288272162816_n

35476174_967390620087566_5101707074975301632_n

35482195_967392650087363_4793891622184026112_n

35486041_967393856753909_1617988861294542848_n

35486479_967389150087713_8821583717534269440_n

35489390_967391826754112_5899935405590970368_n

35496467_967393823420579_4782274543102197760_n

35515703_967391376754157_4999720035694936064_n

35518020_967389406754354_281025516973064192_n

35518080_967390030087625_7408011320726913024_n

35524865_967393263420635_8406173613081755648_n

35526973_967389876754307_6346677790389043200_n

35533492_967391976754097_4922686490116358144_n

35534044_967389806754314_1649964407481958400_n

35534082_967389003421061_3197860940104073216_n

35544781_967392626754032_403559138631614464_n

35545472_967392926754002_172886877639016448_n

35545720_967393966753898_6679191534220345344_n

35545753_967391903420771_2751226019682713600_n

35545806_967391163420845_5645357725996023808_n

35546829_967391356754159_1829126120671281152_n

35550901_967389036754391_1070615646154260480_n

35553393_967391460087482_8839070470721503232_n

35629091_967393853420576_4727903096108220416_n

35654439_967392096754085_5817307497605627904_n

PENSAMENTO ORIENTAL – PROMOÇÃO DA CULTURA CHINESA: FOLKLOURES’18 RECEBE DANÇA TRADICIONAL DO TIBETE

Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa representará a comunidade chinesa no FolkLoures’18

A comunidade chinesa radicada em Portugal vai participar na próxima edição do FolkLoures – Encontro de Culturas, mais concretamente no festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. Junto à réplica das ruínas da Igreja de São Paulo, em Macau, o grupo “Pensamento Oriental - Promoção da Cultura Chinesa” vai apresentar a Dança de Tibete, “Capriccio de Kumara”.

CapturarTibete

Kumara é uma formação de dança tradicional da etnia Zang (Tibete), o que representa as tradições, os costumes através de movimentos livres e de grande amplitude. As danças tibetanas transmitem sempre uma atitude firme, de cabeça erguida e de peito cheio para os homens e uma postura de curvatura e suavidade para as mulheres, imagens essas inspiradas na vida quotidiana do povo tibetano nos grandes planícies. Contudo, devido à diversidade de culturas naquela região, a própria dança tibetana sofre de influências culturais das outras regiões vizinhas no seu resultado final.

Os movimentos das danças tibetanas tem subcategorias tanto para homens como para mulheres, um dos nomes atribuídos a uma subcategoria é "Chinese Tap Dance".

Os trajes utilizados para danças tibetanas correspondem ao vestuário comum do povo tibetano, cheios de cores e figuras.

A próxima edição do FolkLoures decorre de 30 de Junho a 7 de Julho de 2018, e incluirá conferências, exposições, feira de produtos tradicionais e um festival de folclore a ter lugar no Parque da Cidade, em Loures.

O FolkLoures é uma iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho que conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures.

FOLKLOURES 18 接受西藏传统舞蹈

东方思维中国文化的弘扬将代表中国社区在 FolkLoures 18

居住在葡萄牙的华人社区将参加下一期的 FolkLoures--文化会议, 更具体地说, 将于2018年7月7日举行的文化艺术节。在澳门圣保禄教堂遗址的复制品旁边, "东方思维的中国文化促进" 将呈现西藏之舞 "随想曲奈特·库马拉"。

奈特·库马拉是藏 (藏) 的传统舞蹈, 代表着传统、自由的风俗和大振幅的运动。藏族的舞蹈总是以坚定的姿态, 正面和胸部为男人, 并为妇女的曲率和柔软的姿态, 这些图像的启发, 藏族人民在大平原的日常生活。然而, 由于该地区文化的多样性, 藏族舞蹈本身也受到其他相邻地区的文化影响。

藏族舞蹈的运动对男女都有子范畴, 其中一个类别的名字是 "中国踢踏舞"。

藏族舞蹈所用的服饰, 与藏族人民的共同服饰相呼应, 色彩和人物都十分鲜艳。

下一版的 FolkLoures 源于6月30日至 2018年7月7日, 将包括会议, 展览, 传统产品和民俗节日在城市公园, 在洛里什

Capturarfolk

MINHOTOS EM LISBOA DÃO FESTIVAL DE FOLCLORE NA ALTA DE LISBOA

A Casa do Minho em Lisboa proporcionou hoje uma magnífica tarde de folclore sob as copas refrescantes do arvoredo da Quinta das Conchas, ao Lumiar, numa tarde quente e soalheira que convidava a um local aprazível e de frescura.

DSCF3785 (1).JPG

Após um pequeno desfile, subiram ao palco o Rancho Folclórico de Viegas – Santarém; Rancho Folclórico “As Mondadeiras” de Casa Branca – Portalegre; Grupo Folclórico “As Tricanas” de Ovar; Rancho Folclórico São Salvador de Grijó – Vila Nova de Gaia e, naturalmente, o anfitrião Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lisboa.

Para além do numeroso público presente, a iniciativa contou com a presença, entre outras entidades, do Dr. Pedro Delgado Alves, Presidente da Junta de Freguesia do Lumiar e deputado à Assembleia da República e, em representação da Federação do Folclore Português, João Carriço (membro suplente da Direcção) e Sandra Pereira (CTR da Estremadura Sul Centro Saloia).

DSCF3773 (1).JPG

GRUPO FOLCLÓRICO DE SANTA CRISTINA DO COUTO DANÇA NO BAIRRO ALTO EM LISBOA

 Grupo Folclórico de Santa Cristina do Couto, foi fundado em 18 de Junho de 1977, pertence à Freguesia que lhe deu o nome, ao Concelho de Santo Tirso e está inserido na Região do Baixo Minho/Ave.

35488031_2265980563412875_7553600283880718336_n

Fez a sua primeira apresentação ao público em Junho de 1978. Desde então, procura apresentar com rigor as danças e cantares, bem como o modo de trajar, daqueles que viveram em Santa Cristina do Couto no fim do século XIX princípio do século XX (1890- 1910).

É membro efetivo da Federação do Folclore Português e sócio fundador da Associação de Folclore e Etnografia de Santo Tirso.

De Norte a Sul do País incluindo Açores e Madeira e ainda no Estrangeiro, tem participado em Festivais Nacionais e Internacionais de Folclore.

Organiza todos os anos o Festival de Folclore, Exposição de Trajes e Utensílios Antigos, Encontro de Cantadores de Janeiras e Reis, além das festas das Rosas e de S. Martinho, também estas com Festival Folclore.