Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BRAGA RECEBE EXPOSIÇÃO SOBRE A FLORESTA

Exposição “A Floresta” patente até Janeiro no Largo São João do Souto. Primeira exposição itinerante da Fundação ”la Caixa” em Portugal

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, o Presidente Honorário do BPI e curador da Fundação “la Caixa”, Artur Santos Silva, e José Pena do Amaral, membro da Comissão Executiva do BPI, inauguraram hoje, dia 15 de Novembro, em Braga, a exposição “A Floresta”.

CMB15112018SERGIOFREITAS00000015909

Patente no Largo São João do Souto até 10 de Janeiro, a exposição destaca a Floresta, um dos ecossistemas terrestres com maior biodiversidade no mundo e que conservam o património de milhares de milhões de anos de evolução. A Península Ibérica é umas das regiões com maior biodiversidade da Europa. Nela estão representadas quase todas as paisagens florestais do continente e é o habitat de um grande número de espécies.

Como salientou o Edil, este é um excelente exemplo de uma instituição que revela compromisso com o desenvolvimento da sociedade, algo que o Município tem procurado potenciar junto dos diversos agentes. “Esta iniciativa é um excelente exercício de educação ambiental, uma aula que pode ser absorvida pelas gerações mais novas de modo a estimular o contacto com a floresta e a sua interacção com a sociedade. Deixo o repto a todos os Bracarenses e aos muitos visitantes que nesta época estão na Cidade para visitarem a exposição e aprenderam mais sobre estes temas”, realçou.

A exposição apresenta um percurso pelas principais espécies árboreas da Península Ibérica, a sua ecologia e ligação com o ser humano, através de uma singular colecção. Apresenta cinco exemplares excepcionais de árvores de Portugal que por motivos morfológicos, históricos ou culturais são considerados únicos.

Trata-se da primeira exposição itinerante da Fundação ”la Caixa” em Portugal. Esta mesma exposição - adaptada agora à realidade de Portugal - teve mais de um milhão de visitantes nas várias cidades de Espanha onde esteve presente.

As florestas desempenham uma série de funções ambientais fundamentais para que a vida no planeta seja tal como a conhecemos. Deste modo, a primeira parte da exposição centra-se na organização hierárquica dos diferentes níveis de vida, desde a biosfera até ao nível microscópico. Ao mesmo tempo, é feita uma viagem pelos diferentes elementos que compõem e caracterizam os ecossistemas florestais e as suas dinâmicas naturais, desde o modo como o crescimento das árvores afecta o clima às relações que se estabelecem entre seres vivos, passando pelos diferentes componentes e processos que ocorrem no solo da floresta.

Os protagonistas destes ecossistemas são as árvores e a elas é dedicada a segunda parte da exposição. As árvores são seres vivos pluricelulares, vegetais e lenhosos que ocupam o estrato mais elevado da vegetação. É neste âmbito que se explica as partes constituintes de uma árvore, as funções de suporte e de captação das raízes e como se expandem as florestas através das sementes. Também se explicam as diferentes partes que compõem a madeira das árvores e como as alterações climáticas as influenciam.

De facto, através da cronologia das mudanças climáticas mais recentes compreende-se em grande medida a distribuição actual das florestas e das espécies florestais no conjunto do continente europeu e, mais concretamente, na Península Ibérica.

Actualmente, a Península Ibérica tem 21,6 milhões de hectares de floresta, o que corresponde a 36% da sua superfície total, pouco menos de 60 milhões de hectares. É uma das regiões com mais biodiversidade no continente e com maior área florestal, sendo essa riqueza evidente na grande diversidade de espécies de flora e fauna que habitam as suas florestas. Neste sentido, a exposição apresenta dezoito das espécies mais representativas de toda a Península Ibérica.

A exposição pode ser visitada de Segunda-feira a Sexta-feira, das 12h30 às 14h e das 17h às 21h, e aos Sábados, Domingos e feriados, das 11h às 14h e das 17h às 21h. O horário nas férias de Natal (de 17 de Dezembro a 7 de Janeiro, inclusive) é das 10h30 às 14h e das 17h às 21h. Nos dias 24 e 31 de Dezembro pode ser visitada das 11h às 14h (fechado da parte da tarde) e dias 25 de Dezembro e 1 de Janeiro estará encerrada. A entrada é gratuita.

CMB15112018SERGIOFREITAS00000015910

CMB15112018SERGIOFREITAS00000015911

CMB15112018SERGIOFREITAS00000015916

CERVEIRA SENSIBILIZA PARA A REFLORESTAÇÃO

1º Eco Free Trail CTR: Cerveira corre pela reflorestação

Considerado um território de beleza natural e com excelentes condições para a corrida de montanha, Vila Nova de Cerveira vai ser palco, a 16 de dezembro, de um evento de caráter não competitivo que conjuga estas duas vertentes. O 1º Eco Free Trail CTR desafia os atletas a participar numa ação de sensibilização para a reflorestação, em que o custo de 5 euros associado à inscrição é revertido na totalidade para a aquisição de árvores que serão plantadas em áreas identificadas do concelho.

Eco Trail

O Eco Free Trail CTR consiste num conjunto de iniciativas que a Associação Cerveira Team Running pretende dinamizar com alguma regularidade, dando o seu contributo em torno da proteção e da preservação ambiental. O objetivo desta primeira ação é chamar a atenção para o importante papel que cada cidadão pode ter no processo de reflorestação.

Agendado para dia 16 de dezembro, os interessados podem optar por dois percursos – grau fácil ou difícil -, e alinhar num evento que, além de desfrutar dos trilhos e caminhos ancestrais, associa-se à preocupação ambiental.

Para adquirir a "dorsal de ECOATLETA”, os interessados devem proceder à inscrição, enviando o primeiro e último nome para o email cerveirateamrunning@sapo.pt, até 12 de dezembro. No dia da iniciativa é solicitado o donativo de 5 euros, sendo que o seguro será da responsabilidade de cada participante. A verba angariada será na totalidade para adquirir espécies autóctones para reflorestar uma área previamente identificada no concelho, com o apoio da Proteção Civil Municipal.

O 1º Eco Free Trail CTR conta com a parceria de várias empresas instaladas no concelho, assim como com o apoio logístico da Câmara Municipal.

FAMALICENSES DEBATEM FLORESTA

A floresta em debate no próximo “Ambientar-se”

A floresta vai ser o tema central da sessão deste mês do ciclo de cinema “Ambientar-se”, agendada para sexta-feira, dia 26 de outubro. “Floresta Eterna” é o filme escolhido para exibir durante a iniciativa, que decorrerá na Casa do Território, no Parque da Devesa. 

Desta vez a dinamização da sessão estará ao cargo da Associação Famalicão em Transição.

Produzido este ano, o documentário “Floresta Eterna” nasce de um projeto com o mesmo nome que pretende levar a comunidade a repensar a sua relação com a floresta e reconectar e transformar a comunidade através de um projeto de arte, envolvendo as pessoas ativamente na sua cocriação. “O projeto teve lugar no concelho de Góis, que sofreu incêndios sem precedentes em outubro de 2017 devido a décadas de práticas florestais insustentáveis e à monocultura generalizada de eucalipto em Portugal, ao colapso das comunidades e à desertificação humana”. O documentário “Floresta Eterna” repensa e transforma a relação de uma comunidade com as suas florestas, através das vozes das pessoas que vivem em Góis, Arganil e Lousã.

Recorde-se que as sessões de cinema “Ambientar-se” pretendem promover o debate sobre temas ambientais. A iniciativa está marcada para as 21h30 e é de entrada gratuita.

VIZELA AGRADECE A TODOS QUANTOS COMBATERAM O INCÊNDIO FLORESTAL QUEM ONTEM DEFLAGROU EM VILARINHO

Agradecimento a todos os envolvidos no combate ao incêndio florestal

A Câmara Municipal de Vizela vem por este meio agradecer reconhecidamente a todas os que se empenharam no combate ao incêndio florestal que deflagrou ao início da tarde de ontem, na zona de Paradela, em Vilarinho, Santo Tirso, e que depois se alastrou ao Monte da Garrafinha, em Vizela.

Desde Bombeiros de Vizela e de todas as outras corporações presentes, à Proteção Civil e à Guarda Nacional Republicana, todos contribuíram para evitar um desastre de maiores dimensões e foram inexcedíveis na sua luta em prol da defesa das populações, dos seus bens e de todo o património florestal envolvido.

Por último, um agradecimento muito especial ao Comando dos Bombeiros de Vizela e aos seus homens, que desde o primeiro momento se esforçaram no combate a este incêndio, continuando a honrar o Concelho e a prestar um contributo essencial na defesa de pessoas e bens.

CERVEIRA PREVINE FOGOS FLORESTAIS

Proteção Civil: Cerveira cumpre proposta do plano

De forma a prevenir e a minimizar, tanto quanto possível, o risco de ocorrência de fogos florestais no concelho, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira interveio, entre março e julho, numa área correspondente a 110ha, através da limpeza de faixas de gestão de combustível nas freguesias consideradas prioritárias, da beneficiação de pontos de água, da limpeza de caminhos florestais e da abertura de corta-fogos, num investimento superior a 150 mil euros.

20180704_111335

Pela preservação da vasta mancha verde que abraça o seu território, Vila Nova de Cerveira tem vindo a implementar um vasto programa de ação para a defesa da floresta contra incêndios, com recurso a orçamento municipal, mas também a cofinanciamento.

Entre o conjunto de medidas já implementadas no terreno destaca-se o melhoramento dos dois pontos de água para meios aéreos e terrestres, assim como a execução de faixas de gestão de combustível não só nas freguesias prioritárias (nível I e II), mas também em determinadas zonas que, apesar de não integrarem os critérios delineados pelo Governo, o Município cerveirense identificou como necessárias para uma intervenção pontual. No total, foram alvo de limpeza 50,9ha junto às estradas municipais (as nacionais são da competência da Infraestruturas de Portugal), suportado totalmente orçamento municipal (cerca de 100 mil euros).

20180705_113504

Ao nível da limpeza de caminhos florestais e de abertura de corta-fogos, para além dos vários projetos apresentados pelos Baldios de Sopo e de Covas, há ainda um conjunto de ações identificadas na Carta do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios para o ano 2018, aprovada pela respetiva Comissão Municipal, nomeadamente ao longo de 7,7kms de rede viária florestal em Covas (pagos pelo Município), e de 30,4kms em Gondarém, Sopo e Sapardos em estreita colaboração com o ICNF. Não obstante, e em parceria com os Sapadores Florestais há ainda a registar trabalhos em cerca de 20ha de faixas de gestão de combustível executadas através de protocolo de serviço público.

No que diz respeito a intervenções cofinanciadas, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira executou uma beneficiação florestal de dimensões significativas, num investimento de cerca de 50 mil euros cofinanciado pelo POSEUR. A operação já realizada visou a instalação de faixas de redução/interrupção de combustível da rede primária de quatro freguesias do concelho (Gondarém, Loivo, União de Freguesias de Reboreda e Nogueira e União de Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe), numa área total de 37ha, fora das freguesias consideradas prioritárias pelo Governo.

De acordo com o autarca cerveirense, “o Município reforçou de antemão a prevenção e a vigilância para o ataque de primeira intervenção e, apesar de tomadas todas as medidas que estão dentro da esfera de competências da autarquia para minimizar estes riscos, há determinadas situações que não se conseguem controlar”. Fernando Nogueira defende que as forças de segurança devem proceder a uma vigilância suplementar para potenciais pirómanos, eventualmente já referenciados e que, nos períodos mais críticos, representam um perigo iminente”.

Para além destas empreitadas de beneficiação, de investimento municipal, cofinanciadas e/ou colaboração, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira dinamizou um conjunto de sessões de sensibilização e informação junto das populações para a limpeza de terrenos e das faixas de gestão de combustível; dotou de mais e melhores condições os Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, a Unidade Local de Covas, e os Sapadores Florestais; e criou, juntamente, com o Governo, uma Equipa de Intervenção Permanente. De sublinhar que a nível de cooperação intermunicipal, Vila Nova de Cerveira e Valença já estão a colaborar no Centro Intermunicipal de Proteção Civil, que visa a partilha de meios e recursos operacionais em prol da preservação e prevenção florestal, consubstanciada na segurança das suas populações.

Ao nível dos privados, Vila Nova de Cerveira assistiu a uma grande consciencialização por parte dos proprietários florestais, que executaram vários hectares de faixas de proteção junto às estradas municipais.

20180725_140947

NOVA VIATURA DOS SAPADORES FLORESTAIS JÁ ESTÁ EM TERRAS DE BOURO

A Associação Florestal do Cávado (AFC) recebeu três novas viaturas para as equipas florestais de Terras de Bouro, Amares e Barcelos.

O Executivo Municipal de Terras de Bouro deu as boas vindas à nova viatura e manifestou junto do Presidente da Associação Florestal do Cávado, Carlos Cação, o seu agrado pela chegada deste novo meio que reforça a operacionalidade da equipa de sapadores florestais de Terras de Bouro. Este novo equipamento significa assim, uma evidente mais-valia, para a primeira intervenção no combate aos fogos florestais, sendo que, aumenta também a motivação e a qualidade de trabalho dos próprios sapadores florestais.

CAPA

No âmbito do protocolo celebrado entre o Município de Terras de Bouro e a Associação Florestal do Cávado importa referir também e sobre esta temática, a importância dos sapadores florestais através das ações de silvicultura preventiva, nomeadamente, na roça de matos e limpeza de povoamentos, a realização de fogos controlados, linhas de quebra-fogo e outras infraestruturas, competindo à AFC, assegurar a coordenação dos trabalhos e gerir a gestão financeira das esquipas, além dos procedimentos administrativos necessários ao seu normal funcionamento.

Refira-se, por último, que que a Associação Florestal do Cávado (AFC) é a associação com mais equipas de sapadores florestais do país.

DSC07804

CELORICO DE BASTO SENSIBILIZA CRIANÇAS PARA CUIDAR DA FLORESTA

Campo de Férias de Gandarela em Celorico de Basto ensina a cuidar da floresta. Sensibilizar para prevenir foi objetivo

As cerca de 80 crianças que integram o Campo de Férias da Gandarela participaram hoje, 16 de julho, numa ação de sensibilização promovida pelos Bombeiros Voluntários Celoricenses sobre “Cuidar da Floresta”.

37131089_864741090383019_4161101922821996544_n

“Procuramos oferecer às nossas crianças, durante estas 6 semanas, atividades que sejam divertidas mas não esquecemos o fator aprendizagem. Esta ação de hoje é uma questão de cidadania que devia ser colocada em prática por todos mas que é, muitas vezes, declinada” disse Vera Carvalho, coordenadora do campo de férias.

De facto, os bombeiros procuraram sensibilizar as crianças e mostrar-lhes quais os comportamentos a adquirir para cuidar das florestas. Não deitar lixo nas florestas e fazer limpeza regular, são duas normas que ficaram bem explícitas durante a ação de sensibilização. Explicaram ainda que cuidar bem das florestas ajuda a minimizar os riscos de incendio e, em caso de incêndio, torna-me mais fácil a sua extinção e diminui o risco para pessoas, animais e bens.

“De facto estas ações são muito importantes para nós. Na semana passada tivemos a Guarda Nacional Republicada a ensinar regras de segurança quando se circula de bicicleta, e afazer uma operação STOP e hoje tivemos os bombeiros a explicar como cuidar da florestas e não ficaremos por aqui. A sensibilização para estas problemáticas é fundamental porque as crianças aprendem enquanto se divertem” referiu Daniel Meireles, Presidente do GCRNIG, Grupo Cultural Recreativo Núcleo Infantil de Gandarela de Basto, organizador deste campo de férias.

De facto, este campo de férias procura ser o mais completo possível dando às crianças a hipótese de vivenciar experiências únicas, divertidas e pedagógicas. “É com orgulho que apoiamos a organização deste campo de férias. As atividades promovidas são muito interessantes e nota-se que as crianças estão empenhadas em saber mais. Esta ação em particular é muito importante, primeiro porque estamos no período crítico, com mais probabilidade de incêndios, e depois é preciso não esquecer as tragédias que o nosso país sofreu nos últimos anos. Todos contamos para ajudar a acabar com estas situações” ressalvou Fernando Peixoto, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto. 

Efetivamente o campo de férias mostra-se dinâmico nas várias atividades apresentadas, para além das ações de sensibilização mencionadas anteriormente, as crianças já foram à praia, à piscina, ao parque aquático de Amarante, fizeram jardinagem na ação “Florir Gandarela”, visitaram a fábrica dos chocolates em Vila do Conde, participaram no atelier de cerâmica, foram ao cinema e muito mais. Mas de hoje até ao final do campo de férias, as crianças terão ainda muitas ações de diversão e aprendizagem.

37179759_864741197049675_8176017469719183360_n

37185121_1731073286975792_4333372197776130048_n

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE ALARTA PARA PERÍODO CRÍTICO NA FLORESTA

Principiou o Período Crítico, durante o qual vigoram medidas e ações especiais de prevenção contra incêndios florestais, por força de circunstâncias meteorológicas excecionais. O Período Crítico, estabelecido no âmbito do Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios, vigora de 1 de julho a 30 de setembro, podendo a sua duração ser alterada, em situações excecionais, por despacho governamental.

floresta

Durante o período não é permitido o lançamento de balões com mecha acesa e de foguetes. Está proibida a realização de queimadas e queimas de sobrantes em todos os espaços rurais e está igualmente interdito o uso de fogo para fumigação e desinfestação de apiários, se os fumigadores não estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.

Se tiver resíduos verdes, sobrantes do jardim, agricultura ou floresta, não os queime. Aguarde pelo fim da interdição legal. Até lá amontoe os sobrantes num local afastado das habitações e, se possível, faça compostagem, utilize-os nas camas dos animais, triture-os, mas nunca os elimine com recurso ao fogo durante este período.

Não coloque velas acesas nas alminhas e cruzeiros junto da floresta.

Em espaços rurais não faça fogueiras para recreio ou lazer, bem como para a confeção de alimentos.

Recorde que todos temos o dever de proteger a floresta.

INSTITUTO PORTUGUÊS DO DESPORTO E JUVENTUDE PROMOVE PROGRAMA DE VOLUNTARIADO JOVEM EM VIZELA

Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas Vizela + Verde

O Município de Vizela viu aprovado o seu projeto ao Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas – ‘Vizela + Verde, promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude.

cartaz Vizela + verde

Este programa é direcionado para jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos e vai decorrer entre 2 de julho e 15 de setembro de 2018. Ao todo, está previsto o envolvimento de 40 jovens.

O projeto ‘Vizela + Verde’ visa a preservação dos recursos florestais e seus ecossistemas, através da prevenção e deteção de incêndios florestais, incentivando o voluntariado ambiental de jovens, preferencialmente residentes no concelho de Vizela, com vista à sensibilização, promoção e vigilância, nomeadamente na valorização da floresta e na diminuição dos riscos de fogos florestais.

Pretende-se, assim, efetuar a vigilância fixa em dois pontos estratégicos do Concelho de Vizela, no Monte do São Bento e Alto de Penabesteira, para deteção dos incêndios florestais e sensibilização das populações, ficando vigiada a totalidade da área do Concelho de Vizela.

As inscrições têm de ser efetuadas com um registo individual previamente no portal do Instituto Português do Desporto e Juventude, não existem custos de inscrição. Os jovens que reúnam os requisitos do programa são selecionados, por ordem de inscrição, pelas Direções Regionais do IPDJ.

Para mais informações sobre este projeto, bem como o formulário de inscrição encontram-se disponíveis em https://programas.juventude.gov.pt/registoIndividual.

Condições Obrigatórias:

- Sensibilidade e idoneidade para o exercício do voluntariado para a natureza e florestas

- Idade entre 18 e 30 anos

Funcionamento do Programa:

- 2 de Julho a 15 de Setembro

- Períodos de 15 dias

Horários dos Turnos:

- Manhã: 09H30 às 14H30 - Tarde: 14H30 às 19H30

Apoios:

- Subsidio diário de 10 €

- Identificação individual

- Seguro de acidentes pessoal

- Transporte aos locais de vigia

FAMALICÃO APRESENTA DISPOSITIVO DE DEFESA E VIGILÂNCIA DA FLORESTA

Amanhã, quinta-feira, 28 de junho, pelas 15h00, no Castro de São Miguel-O-Anjo

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão convida os órgãos de comunicação social para a apresentação do dispositivo municipal de defesa e vigilância da floresta 2018, que se realiza esta quinta-feira, dia 28 de junho, pelas 15h00, no Castro de São Miguel-O-Anjo, na freguesia de Calendário. 

SOCIAIS-DEMOCRATAS PROMOVEM REFLEXÃO ACERCA DO REFLORESTAMENTO E CONSERVAÇÃO DA FLORESTA EM BRAGA

A Comissão Política do PSD Braga convida promove o começo do ciclo de conferências ‘PENSAR BRAGA, SERVIR BRAGA’ agendado para o próximo dia 29 de Junho, sexta-feira, às 21h00, no salão nobre da Associação Comercial de Braga.

Esta primeira sessão, que abordará temas relacionados com o reflorestamento e conservação da floresta em Braga, contará com os seguintes intervenientes:

Hugo Soares, presidente da Comissão Política da Secção de Braga do PSD;

Luís Macedo, ex-diretor do Parque Nacional da Peneda Gerês;

Roriz Mendes, juiz presidente da Irmandade da Penha;

Firmino Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Braga.

A moderação deste debate ficará a cargo de Joaquim Barbosa, membro da Comissão Política do PSD.

Reflorestar-Braga

BARCELOS APRESENTA RESULTADOS DA CAMPANHA PARA LIMPEZA DAS FLORESTAS

Visita de trabalho da equipa de fiscalização, sexta-feira, dia 8, a Aborim e Quintiães

Foram mais de 700 os proprietários de Barcelos contactados pelas equipas multidisciplinares da Câmara Municipal nos últimos meses e os resultados já estão apurados.

Na próxima sexta-feira, dia 8 de junho, pelas 10h00, os grupos de trabalho,  coordenados pela vereadora Anabela Real, vão realizar uma visita às freguesias de Aborim e Quintiães, para apresentação dos dados da campanha de sensibilização/fiscalização para a limpeza de terrenos no âmbito das novas disposições legais do Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

Aborim e Quintiães são duas das freguesias do concelho consideradas de maior risco de incêndio e onde as taxas de execução de limpeza de terrenos ronda os 80%. Nesta visita, serão divulgados os números relativos às taxas de execução de limpeza nas freguesias prioritárias de intervenção devido ao elevado risco de incêndios e de fogos florestais.

MUSEU DE VILARINHO DA FURNA REALIZA IV JORNADAS TÉCNICAS SOBRE OS CARVALHOS

Museu de Vilarinho da Furna/Campo do Gerês, de 26 a 28 de outubro irão decorrer em Terras de Bouro as IV Jornadas Técnicas Sobre os Carvalhos.

Estas Jornadas técnicas sobre os Carvalhos, agora com realização bienal, nos anos pares, dão continuidade a um projeto iniciado em 2013 como corolário do objetivo partilhado por várias entidades de promoverem uma floresta portuguesa saudável e rica para aqueles que nela vivem e dela dependem, bem como proporcionar espaços lúdicos e de ócio aos visitantes.

CAPA

Com a duração gratuita de 3 dias, estas jornadas decorrem no Campo do Gerês, Terras de Bouro, em pleno coração do Minho e do único Parque Nacional, o da Peneda-Gerês, onde se encontra a Mata de Albergaria de uma riqueza natural única. Os participantes, oradores, convidados e escolas são recebidos nos Museus de Vilarinho das Furnas e da Geira, para partilharem a sua experiência e conhecimento através de apresentações, debates, provas gastronómicas e momentos didáticos. Como a floresta não se vive em sala, são programadas saídas à floresta para conhecer o espaço mas também para darem o seu contributo ao legado deste património coletivo, através de ações de plantação e colheita de sementes. Se na floresta se geram uma multiplicidade de valores económicos, sociais e ambientais, o que se quer com estas jornadas é que cada um experiencie isso mesmo.

Para as IV Jornadas Técnicas sobre os Carvalhos e como tema principal foi escolhido o lema “Educar para a Floresta Autóctone” em três abordagens: a) Educar para o futuro; b) Educar para amanhã e c) Educar para beneficiar.

De facto, existe a necessidade urgente de repensar sobre a nossa forma de agir e incutir em todos nós, nomeadamente nos mais novos, uma consciência crítica sobre a problemática ambiental.

 Para formalizar a sua inscrição, inscreva-se aqui

https://goo.gl/forms/fbc7QrJ8usHYPERLINK "https://goo.gl/forms/fbc7QrJ8usYd6vlD2"Yd6vlD2  - Inscrições limitadas

Confirmem a vossa presença até ao dia 19 de outubro, através do e-mail:

martins@atahca.pt (José Carlos Martins -Técnico da ETL do GAL da ATAHCA) ou contactar pelos números 253321130 /911 193 518.

CABECEIRAS DE BASTO ESTUDA DEFESAS DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS

Defesa da Floresta Contra Incêndios em análise

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, acompanhado dos vereadores, Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, do técnico do GTF – Gabinete Técnico Florestal e do COM – Comandante Operacional Municipal, reuniu com os presidentes de Junta de Freguesia ontem, dia 21 de maio, nos Paços do Concelho.

DSC_5603

Em cima da mesa estiveram em análise assuntos relacionados com a Defesa da Floresta Contra Incêndios, designadamente faixas de gestão de combustível associadas à rede viária.

Na segunda parte da reunião foram abordadas questões relacionadas com as medidas de autoproteção dos aglomerados populacionais/aldeias.

TERRAS DE BOURO EDUCA PARA A PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

Projecto “Prevenir e Educar Por uma Floresta Verde” decorreu em Terras de Bouro entre os dias 10 e 13 e maio

De 21 de março a 13 maio, a Tranquilidade, o DN, o JN e a TSF, com o apoio de entidades como o ICNF, a ANPC, a SmartForest, entre outros, percorreram o país, de norte a sul, com o projeto “Prevenir e Educar Por uma Floresta Verde”.

1

A iniciativa, que decorreu em Terras de Bouro, entre os dias 10 e 13 de maio, visou promover ações de prevenção e educação por uma floresta verde, junto das escolas através do MediaLab DN/JN e dos mais novos, mas também junto da população em geral.

Para isso o “Prevenir e Educar por uma Floresta Verde” teve duas etapas: às quintas e sextas-feiras esteve presente em escolas dos 2º e 3º ciclos do ensino básico, realizando atividades sob a temática das florestas. Os mais novos irão simular min redações, produzindo conteúdos de texto, áudio e vídeo sobre o que entendem ser os melhores métodos de defesa da floresta e de prevenção contra os incêndios.

Durante os sábados, a Tranquilidade colocou um roadshow no centro das vilas e cidades que acolhem o projeto, onde foram exibidos os trabalhos feitos pelos alunos, e que puderam ser vistos por todos quantos passaram pela Carrinha. Este foi também o espaço de eleição para a inscrição das famílias na caminhada pedagógica do dia seguinte, para a participação num QUIZ sobre a temática com direito a prémio e para a distribuição de folhetos informativos. No domingo, a iniciativa terminou com uma caminhada pedagógica, auxiliada pelas entidades que apoiam o projeto, alertando para potenciais falhas do ordenamento da floresta e apresentando medidas concretas de proteção da mesma. Neste mesmo passeio foi distribuído um kit aos participantes.

O projeto "Previnir e Educar por uma Floresta Verde" foi uma iniciativa promovida e desenvolvida pelo Diário de Notícias, Jornal de Notícias e rádio TSF em parceria com a Tranquilidade que visa preservar e valorizar o património florestal português através da dinamização de sessões lúdico-pedagógicas em escolas e de ações de sensibilização para os cuidados a ter com a Floresta Portuguesa, nomeadamente, ao nível da prevenção e comportamentos de risco, bem como da educação para os cuidados a ter em caso de incêndio.

PARCEIROS DO PROJETO EM TERRAS DE BOURO

Câmara Municipal de Terras de Bouro | Autoridade Nacional de Proteção Civil | GNR | ICNF | OPF/ Sapadores Florestais | Movimento ECO | Smartforest

826x400_Img-Central_Caminhada-Pedagogica_03

826x400_Img-Central_Caminhada-Pedagogica_05

32169543_1821702564518105_5771337311585304576_n

32219295_1821700651184963_886957591832297472_n

32231649_1821703977851297_7717588246980460544_n

32253715_1822532357768459_8644883969793327104_n

32258266_1822529164435445_5279449606415974400_n

32260738_1823578947663800_814813535807733760_n

32260833_1822527414435620_879719085879853056_n

32283742_1823579184330443_62165726009491456_n

32293388_1823580957663599_7450460209090134016_n

32308803_1823580724330289_5426780827348369408_n

PREVENÇÃO FLORESTAL: GOVERNO CELEBRA PROTOCOLOS DE FINANCIAMENTO COM 49 MUNICÍPIOS

Apoio destina-se à criação de faixas lineares de gestão de combustível e de fogo controlado (corta-fogos). Monção, um dos dois concelhos do Alto Minho que viu a sua candidatura aprovada, esteve representado pelo Vice-Presidente, João Oliveira, recebendo uma verba de 8.700,00 €.

01

O governo assinou com 49 municípios portugueses um conjunto de protocolos de colaboração, cujo objetivo consiste na criação de faixas lineares de gestão de combustível e de fogo controlado (corta-fogos). No total, serão criados 3300 quilómetros em todo o território nacional.

A cerimónia, realizada no passado sábado, no Pavilhão Multiusos de Montalegre, foi presidida pelo Primeiro-Ministro, António Costa, que esteve acompanhado nesta deslocação a Trás-os-Montes pelo Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e pelo Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.

02

Monção, um dos dois concelhos do Alto Minho que viu a sua candidatura aprovada, esteve representado pelo Vice-Presidente, João Oliveira, recebendo uma verba de 8.700,00 €. Em conjunto com outros financiamentos aprovados anteriormente, permitirá reforçar a componente preventiva, minimizando os riscos de incêndio no nosso território.

No discurso, António Costa, comparou “este esforço extraordinário de apostar na prevenção e combate aos fogos” como “um grande desígnio nacional” para que, no futuro, “a floresta deixe de constituir um perigo e ameaça e seja encarada como uma fonte de rendimento e de fixação de pessoas”.

Além da criação de faixas lineares de interrupção de combustível, a cerimónia englobou ainda a celebração de protocolos para a constituição de novas equipas de sapadores florestais, envolvendo associações defensoras da floresta, baldios e juntas de freguesias.

Pela primeira vez, foi também oficializada a criação de brigadas de sapadores a nível supramunicipal porque, como disse António Costa, “o fogo não identifica as fronteiras dos municípios, tendo de ser combatido sem olharmos à delimitação geográfica”.

Refira-se que, no passado dia 21 de abril, em Alijó, o governo assinou contratos-programa com 18 municípios da região norte do país, destinando-se à regularização da rede hídrica nacional. Monção, representado pelo seu presidente, António Barbosa, foi contemplado com 159.000,00 €.

03

CENTRO DE ESTUDOS REGIONAIS DE VIANA DO CASTELO PROMOVE DEBATE SOBRE OS MODELOS DO FUTURO PARA A FLORESTA

Floresta: Modelos de Futuro

No próximo dia 19 de maio, no Auditório Municipal de Ponte de Lima, às 16.00 horas, tem lugar o encontro “Floresta: Modelos de Futuro”, iniciativa coorganizada pelo Centro de Estudos Regionais e Ilumiano, em parceria com a Universidade Aberta.

Floresta_Modelos_Futuro_cartaz

Participam como oradores o Prof. Doutor António Bento Gonçalves, investigador e docente do Departamento de Geografia do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, e a Prof.ª Doutora Ana Paula Martinho, docente do Departamento de Ciência e Tecnologia da Universidade Aberta. A apresentação e moderação do debate estará a cargo da Dr.ª Andreia Amorim, geógrafa e investigadora na área da análise e gestão da paisagem, dinâmicas ambientais e ordenamento do território.

O encontro Floresta: Modelos de Futuro visa promover o conhecimento e o debate sobre a importância da floresta, avaliar o estado da floresta portuguesa e da sua gestão, identificar propostas de usos sustentáveis e apresentar ideias e caminhos possíveis quanto à proteção e usufruto deste recurso natural.

A entrada é gratuita e os interessados podem solicitar um certificado de participação.

FAFE PROTEGE A FLORESTA

Município de Fafe apoio acção de sensibilização para a protecção da floresta

O Município de Fafe formalizou, esta manhã, o apoio ao Lions Clube de Fafe para a realização da actividade ‘Eu Sou Vigilante da Floresta’, promovida, este ano, a 25 de Maio. A iniciativa procura alertar as crianças para a importância do Meio Ambiente e dos cuidados que devem ter para o preservar e os sensibiliza para a Protecção Ambiental, alertando-os, em particular, para o perigo do flagelo dos incêndios florestais.

ND5_1760A

É uma actividade que envolve os alunos e professores do 4º ano do 1º Ciclo do Ensino Básico dos Agrupamentos Escolares do Concelho. Estão previstas várias acções ao longo do dia, desde a visita ao Quartel dos Bombeiros, uma simulação de incêndio com a explicação dos Bombeiros sobre as noções elementares no combate a incêndios, uma caminhada pelo centro da Cidade e a plantação de árvores no Parque da Cidade.

Esta é uma iniciativa que tem o apoio da Autarquia desde a década de 90, tendo sido plantadas, até ao momento, mais de 600 árvores distribuídas por diversos locais do concelho.

O Presidente do Lions Clube de Fafe, Rogério Faria, agradeceu o apoio da Autarquia para a realização desta iniciativa.

O Presidente da Câmara Municipal de Fafe, Raul Cunha, destaca “a importância destas actividades para a consciencialização dos mais jovens para a necessidade, cada vez maior, de proteger o Ambiente, sobretudo num ano em que o flagelo dos incêndios florestais ainda está muito presente na nossa memória.

O Lions Clube de Fafe é uma instituição que promove, no concelho, diversas actividades de cariz ambiental, cultural e cívico, que dinamizam Fafe e alertam a comunidade escolar e os mais jovens para estas importantes questões ambientais."

COMO GARANTIR O FUTURO DA FLORESTA?

Para termos uma floresta sustentável, hà que dar valor aos seus produtos e serviços.

No dia 11 de maio, no âmbito das comemorações dos 25 anos, e com a presença do Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, a FORESTIS – Associação Florestal de Portugal realiza o seminário “Valorização dos bens e serviços da floresta”, às 14h00, na Sala SC 1 do FORUM BRAGA, durante a Feira AGRO 2018.

ImagemSeminarioForestis

O evento tem como intuito abordar a importância ambiental, social e económica dos produtos e serviços prestados pelas florestas, procurando encontrar soluções que assegurem a sua sustentabilidade.

Com a presença de José Lima Santos, Professor Catedrático do ISA - Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, ligado à avaliação e análise dos custos-benefícios de mudanças ambientais; Henrique Pereira Santos, presidente da Montis – Associação de Conservação da Natureza; e José Gaspar, Professor da ESAC - Escola Superior Agrária de Coimbra pretende-se promover o debate sobre a valorização dos produtos e serviços prestados pela floresta portuguesa, maioritariamente privada.

Com o apoio destes ilustres oradores, vamos procurar debater novas formas de retribuição aos produtores florestais pelo valor que estes proporcionam à sociedade através da oferta destes produtos e serviços, potenciando uma nova economia para os espaços florestais cuja manutenção pode ir além da exploração de produtos lenhosos.” Indica Luís Braga da Cruz, presidente da FORESTIS

A FORESTIS – Associação Florestal de Portugal, é um movimento associativo de âmbito nacional, sem fins lucrativos e de utilidade pública, fundado em 1992, com o intuito de apoiar ativamente a gestão, a defesa e o associativismo na floresta privada e comunitária.

Agrega 31 Associações Sub-Regionais, que apoiam 17.000 proprietários florestais