Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

PARTIDO SOCIALISTA QUESTIONA CÂMARA DE FAMALICÃO

Incêndios já consumiram 100 hectares de floresta famalicense 

Os vereadores do Partido Socialista na Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão quiseram saber qual o verdadeiro impacto dos incêndios florestais no concelho, em matéria de área ardida, mas o presidente da Câmara.

CM Vila Nova de Famalicão.jpeg

Mário Passos, que é o responsável máximo da Proteção Civil local, ao ser questionado pelo vereador Sérgio Cortinhas, remeteu essas informações para as corporações de bombeiros.O episódio aconteceu na última reunião do executivo municipal, tendo o vereador do CDS/PP Ricardo Mendes, que é vice-presidente, vindo em socorro do presidente da Câmara, informando os vereadores socialistas que no concelho de Famalicão já arderam este ano 100 hectares de floresta. Ou seja, ardeu no concelho de Famalicão uma área de floresta equivalente a 100 campos de futebol. Ou equivalente a três vezes a freguesia de Abade de Vermoim.

Sérgio Cortinhas também quis saber que meios humanos e logísticos é que a Câmara Municipal tem mobilizado no sentido de responder adequadamente a este problema, tendo Ricardo Mendes, vereador da Proteção Civil, referido que os meios humanos e logísticos são os necessários e adequados.

TRIBUNAL DE CONTAS CENSURA AJUSTE DIRETO

O vereador do PS Sérgio Cortinhas fez questão de criticar a Câmara Municipal na sequência da auditoria do Tribunal de Contas (TC) a um ajuste direto realizado pelo Município de Famalicão durante a pandemia da covid-19.

Em finais de 2020, a Câmara de Famalicão procedeu a um ajuste direto, no valor de 140.979,00€, para a instalação de uma estrutura amovível no Centro Hospitalar do Médio Ave, justificada com a necessidade urgente de apoio à Covid 19. Ora, o TC, na análise ao contrato celebrado entre a autarquia e a empresa JPA Construtora, refere que há evidências de desvios de conformidade, no que respeita aos requisitos do regime excecional de contratação pública.

O relatório do TC acrescenta que a situação de urgência não foi devidamente evidenciada e que havia tempo para procedimentos mais abertos de consultas prévias a outras empresas.

Face às conclusões do TC, Sérgio Cortinhas criticou “a falta de zelo do município”, dado que, “além de não identificar adequadamente a urgência da instalação da referida estrutura, não foi capaz de promover a auscultação do mercado e eventual negociação de melhores propostas” para a instalação da referida estrutura amovível de apoio à Covid 19, “com prejuízos para os cofres da autarquia”.

O Tribunal de Contas citou o Município e o Presidente da Câmara Municipal de então, no âmbito do direito ao contraditório, tendo apenas sido enviada a resposta do Presidente Paulo Cunha.

Em função disso, a vereadora do PS Maria Augusta Santos questionou a razão pela qual o Município entendeu não usar o direito ao contraditório. A vereadora referiu ainda que, embora conhecendo as preocupações que a todos nos assolaram numa fase muito aguda da pandemia, “é imperioso que no exercício da gestão de um município ou de uma qualquer outra entidade da administração pública haja um cumprimento escrupuloso dos procedimentos gerais da contratação pública e demais normativos legais”.

“MEIA DÚZIA” DE MÁRIO PASSOS GERA POLÉMICA

A propósito das declarações do Presidente da Câmara sobre os sucessivos atrasos de diversas obras em curso e respetivas revisões orçamentais, a vereadora do PS Maria Augusta Santos teceu alguns reparos na reunião do executivo de 228 de julho último.

Maria Augusta Santos referiu que as declarações foram proferidas no âmbito de uma reunião entre o Presidente da Câmara e o Presidente da Associação das Indústrias de Construção Civil e Obras Públicas e da Confederação Portuguesa de Construção e Imobiliário (AICCOPN), Manuel Reis Campos.

A propósito dos atrasos das obras, nomeadamente do centro da cidade, o Presidente da Câmara afirmou que “o atraso não é tão expressivo como em outros situações nacionais” e que “o que se passa em Famalicão, atendendo à dimensão da obra, até está a correr bem”.

Disse ainda que os atrasos se devem “a falta de recursos humanos, a falta de matérias-primas, que foram agravadas pela pandemia e pela guerra na Ucrânia”. E rematou dizendo: “Todos nós sabemos, todos menos meia dúzia…”.

A vereadora Maria Augusta Santos apontou que desconhecia a que “meia dúzia” o presidente da autarquia se referiu, nem sequer se fará parte dessa “meia dúzia”. Mais afirmou que, o que de facto sabia é que “praticamente todas as obras que têm sido objeto de propostas de alteração de prazos e revisões orçamentais que se prendem, em larga escala, com um planeamento desajustado e erros de avaliação prévia”, pelo que bastava ler os serviços/trabalhos complementares que estão vertidos nos respetivos relatórios e analisar o que se está a passar em quase todas as obras, nomeadamente nas do centro da Cidade.

Maria Augusta Santos considerou que, apesar do devido respeito que tem por Manuel Reis Campos, presidente da AICCOPN, não lhe parece sequer de bom tom que venha corroborar o injustificável, porque “as verdadeiras razões para os atrasos das obras são outras”.

Para além disso, a vereadora do PS observou que o Presidente da Câmara não precisa de ser “escoltado” nem de “bons ofícios” para justificar decisões de prorrogação de prazos e revisões orçamentais de obras que são da competência da Câmara Municipal.

PS _ Vila Nova de Famalicão.jpg

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE INSTALA TORRE DE VIGIA DE INCÊNDIOS EM BELINHO

O Município de Esposende instalou uma torre de vigia de incêndios rurais, no Monte da Senhora da Guia, em Belinho.

IMG-20220805-WA0018.jpg

Trata-se do primeiro equipamento desta índole criado no concelho, o qual foi estrategicamente colocado num dos pontos de maior visibilidade do território concelhio para deteção precoce de incêndios.

Esta torre de vigia contribui para garantir melhores condições de trabalho aos operacionais que efetuam a vigilância da mancha florestal concelhia, na medida em que permite aumentar a área de visibilidade, possibilitando uma maior eficácia nas ações de deteção.

A instalação deste equipamento, executada e suportada pelo Município, enquadra-se na estratégia municipal de defesa dos espaços naturais/rurais e consequente defesa e proteção das populações, visando também o cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas, nomeadamente no que concerne ao ODS 13 – Ação Climática, ao ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre e ao ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

Recentemente, por ocasião do alerta de incêndios rurais, o Vereador com o pelouro da Floresta, Guilherme Emílio, juntamente com o presidente de Junta de Freguesia da União das Freguesias de Belinho e Mar, Manuel Abreu, acompanhou o trabalho da Equipa de Sapadores Florestais de Esposende, visitando a torre de vigilância colocada este ano no terreno.

IMG-20220805-WA0026.jpg

IMG-20220805-WA0005.jpg

PS-VIEIRA DO MINHO: A FLORESTA COMO MEIO DE CRIAÇÃO DE RIQUEZA E BEM ESTAR

Na passada sexta-feira, 29 de julho, o PS de Vieira do Minho organizou mais uma conferência, desta vez subordinada ao tema “Desenvolvimento sustentável das florestas e meios rurais”.

PXL_20220729_204215682.jpg

A sede da Junta de Freguesia de Salamonde foi o local escolhido para receber esta conferência, a qual teve como principal orador o Presidente da Federação de Braga do PS e Deputado da Assembleia da República, Eng.° Joaquim Barreto.

No decurso da sua intervenção, o ex-Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto salientou que é necessário criar condições de riqueza e bem estar através da floresta pois serão um contributo fundamental para que as pessoas se possam fixar em territórios como Vieira do Minho.

O orador convidado defendeu também a importância de se fazer um uso múltiplo da floresta, valorizando as suas dimensões ambiental, económica e social.

Eng.° Joaquim Barreto falou da forte aposta que tem sido feita pelo atual governo na floresta, dando especial destaque às equipas de sapadores florestais e às equipas de intervenção permanente dos Bombeiros Voluntários, apostas de Vieira do Minho tem beneficiado.

Já a Presidente do PS de Vieira do Minho destacou o invejável património que o nosso concelho tem, referindo-se às nossas paisagens deslumbrantes, a nossa serra e às diversas albufeiras. Lembrando que o perímetro florestal de Vieira do Minho é superior a 4 mil hectares, Vânia Cruz referiu que “a floresta tem de se apresentar como um factor prioritário para o desenvolvimento económico e sustentável do concelho e que, em Vieira do Minho, é pese embora se tente fazer parecer o contrário, não existe uma estratégia municipal para potencialização da floresta, sendo a atual aposta muito deficitária e feita de iniciativas isoladas".

As conferências de Vieira regressam no mês de setembro com data, tema e local ainda a anunciar.

VIEIRA DO MINHO: VOLUNTARIADO JOVEM PARA A NATUREZA E FLORESTAS – JOVENS JÃO ESTÃO NO TERRENO!

Já se encontram no terreno os jovens que integram o Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas, uma iniciativa promovida pela APOSC, em colaboração com a Câmara Municipal de Vieira do Minho e financiada pelo Instituto Português do Desporto e Juventude.

vigilancia_floresta.jpg

Nos meses de  agosto e setembro os jovens vão realizar ações de sensibilização da população para a preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas, proceder à inventariação e monitorização de espécies animais e vegetais, realizar ações de vigilância na Serra da Cabreira e limpeza na Ilha do  Ermal.

Os jovens vão prestar de 5 horas diárias, recebendo por isso um subsídio no valor de 200 euros, por projeto.

CapturarVOL.JPG

ESCLARECIMENTO EXECUTIVO MUNICIPAL: PS DE VIEIRA DO MINHO É CONTRA A DEFESA DO PATRIMÓNIO FLORESTAL

Na sequência do comunicado do Partido Socialista de Vieira do Minho relativamente aos pontos em discussão na última reunião de câmara realizada a 20 de julho de 2022, o Executivo Municipal recorda que a Associação para o Ordenamento da Serra da Cabreira foi criado pelo Executivo do Partido Socialista em 2003 e sempre teve apoio do Município.

Sap.jpg

Perante o sentido de voto dos eleitos do PS e as suas justificações constatamos que:

  • O PS é contra o interesse público municipal de valorização e defesa de todo o património florestal;
  • O PS é contra a criação de novos postos de trabalho;
  • O PS é contra o trabalho realizado pelas quatro equipas de Sapadores Florestais, quando os seus dirigentes sabem que o Estado apenas comparticipa em 40% o seu funcionamento;
  • O PS ao votar contra, duvidando, da eficácia do projeto da resinagem, está contra a criação de uma mais valia na defesa e promoção da nossa floresta.

Concluímos que o PS de Vieira do Minho é contra a presença deste grupo de homens no perímetro florestal da Serra da Cabreira, que para além do trabalho que desenvolvem, prestam um serviço  público constante de vigilância e melhoria das acessibilidades. Perante tal postura, quase podemos afirmar que o PS de Vieira do Minho é defensor dos incêndios e da degradação ambiental e do nosso património florestal.

VIANA DO CASTELO: 7 EQUIPAS MILITARES NO TERRENO GARANTEM VIGILÂNCIA DO “SANTUÁRIO” QUE É SERRA DE SANTA LUZIA

O Presidente da Câmara Municipal, Luís Nobre, e o Comandante da Escola dos Serviços da Póvoa do Varzim, coronel António Coelho dos Santos, assinaram hoje o protocolo que garante que 7 equipas militares vão estar no terreno até 30 de setembro para ações de vigilância e patrulhamento na Serra de Santa Luzia. Na cerimónia, presidida pelo Diretor de Formação do Exército Português, major-general Paulo Maia Pereira, foi destacada a importância que este protocolo tem para os vianenses e para o território.

ABELO4790 2.jpg

O autarca vianense indicou que este protocolo “já é longo” e “tem produzido frutos significativos desde o momento em que passou a ser anualmente celebrado, proporcionando um ambiente de segurança”.

Luís Nobre agradeceu a disponibilidade do Exército e a dedicação “para proporcionar condições de segurança a um espaço que se assume como o nosso santuário e que é um património natural”. O edil considerou mesmo que este protocolo, assinado ininterruptamente, a cada verão, desde 2011, “tem sido absolutamente determinante” para a segurança de Santa Luzia, dos vianenses e visitantes.

“Temos todos bem presente o que foi viver os últimos grandes incêndios nesta serra, nomeadamente em 2005. Esta parceria tem sido renovada para bem do nosso país, da nossa cidade e do nosso património natural”, frisou o autarca.

“Desde que é celebrado anualmente este protocolo não só reduziu o número de ocorrências, como também diminuiu a dimensão das ocorrências. Para nós é imprescindível anualmente termos a garantia do Exército, que desde o primeiro momento mostrou disponibilidade para formalizar este protocolo e hoje foi reiterada a vontade de o continuar”, indicou.

O Diretor de Formação do Exército Português garantiu que esta “é uma das missões do Exército”, garantindo que servem a população e o povo “com tudo o que temos”. Maia Pereira realçou, por isso, a “missão tão nobre que é a vigilância de Santa Luzia, nesta área florestal tão rica”.

Recorde-se que os militares do exército da Escola dos Serviços da Póvoa do Varzim iniciaram a 1 de julho as ações de vigilância e patrulhamento na Serra de Santa Luzia, missão na qual vão estar empenhados até dia 30 de setembro. Assim, os militares percorrem e vigiam diariamente toda a serra, em estreita articulação com as entidades que integram o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), numa perspetiva dissuasora e de permanente vigilância.

Este protocolo com o Exército já se realiza há doze anos e tem sido uma ação fundamental para a prevenção dos incêndios florestais ao longo destes anos. A parceria decorre da preocupação que os incêndios rurais representam neste território, dado que estes constituem um dos principais obstáculos à sustentabilidade da floresta e dos ecossistemas que lhe estão associados, provocando a sua degradação e o desequilíbrio no fornecimento de bens e serviços, podendo ainda constituir um perigo para a vida e os bens da população.

ABELO4857 2.jpg

ABELO4889 2.jpg

ABELO4901 2.jpg

ABELO4928 2.jpg

ABELO4962 2.jpg

ABELO5107 2.jpg

ABELO5167 2.jpg

ABELO5255 2.jpg

ABELO5352 2 (1).jpg

TERRAS DE BOURO ABRE CANDIDATURAS AO PROGRAMA JOVEM VOLUNTÁRIO PARA A NATUREZA E FLORESTAS

Município de Terras de Bouro informa que se encontram abertas as candidaturas ao Programa Voluntário Jovem para a Natureza e Florestas 2022

No âmbito da Resolução do Conselho de Ministros nº 166/2017 de 2 de novembro e Regulamento nº 533/2022 de 03 de junho, estão abertas as candidaturas ao Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas.

O Programa VJNF - Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas 2022, visa promover práticas de voluntariado juvenil no âmbito da preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas, através da sensibilização das populações em geral, bem como da prevenção contra os incêndios florestais e outras catástrofes com impacto ambiental, da monitorização e recuperação de territórios afetados.

O projeto criado pela Câmara Municipal permite responder e integrar o crescimento da procura do PNPG, sem colocar em causa o valor da conservação e proteção da Natureza e do equilíbrio social e económico do território, no sentido, que o projeto tem como objetivos a divulgação de um conjunto de regras e boas práticas ambientais, relativas à ocupação e à utilização segura e limpa dos locais de maior afluência turística, assim como orientar e apoiar os clientes dos mais variados estabelecimentos do concelho a usufruírem em segurança dos recursos turísticos do PNPG e, com isso, ajudar a comunicar o Gerês como um destino seguro.

 As candidaturas deverão ser formalizadas na plataformacom o mínimo de 20 dias de antecedência face à data de início, sendo que:

-  Os projetos têm uma duração mínima de 15 dias e máxima de 60;

- O valor de ressarcimento diário dos jovens voluntários, é de 12,00 euros;

- A participação de cada voluntário tem uma duração diária de 5 horas;

https://programasjuventude.ipdj.gov.pt/vjnf/acoes

https://programasjuventude.ipdj.gov.pt/vjnf/acoes/2313municipio-de-terras-de-bouro-geres-seguro-2022

floresta.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA DISPENSA FUNCIONÁRIOS MUNICIPAIS QUE INTEGRAM O CORPO DE BOMBEIROS PARA INTEGRAR O DISPOSITIVO ESPECIAL DE COMBATE A INCÊNDIOS RURAIS

A Câmara Municipal de Vizela, face ao agravamento das previsões de risco de incêndio rural para os próximos dias e em reunião com os Bombeiros Voluntários de Vizela, no seguimento da Declaração de Situação de Contingência que vigora entre as 00H00 de 11 de julho e as 23H59 de 15 de julho de 2022 para todo o território continental, demonstrou toda a disponibilidade para a dispensa dos funcionários municipais, que integram o Corpo de Bombeiros, para integrar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), nos termos do Despacho n.º 8513-A/2022 de 11 de julho e 2022.

O Município de Vizela mantem à disposição todos os meios de proteção civil para intervir no Município e face à Declaração de Situação de Contingência, acionou o Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil de Vizela.

O Município de Vizela apela para a não adoção de comportamentos de risco nas áreas rurais e relembra que estão implementadas as seguintes medidas de caráter excecional:

  1. a) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem, com as exceções previstas no n.º 2 do artigo 68.º do Decreto -Lei n.º 82/2021, de 13 de outubro, na sua redação atual, nomeadamente o acesso, a circulação e a permanência de residentes permanentes ou temporários e de pessoas que ali exerçam atividade profissional;
  2. b) Proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;
  3. c) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;
  4. d) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal;
  5. e) Proibição da utilização de fogo -de -artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas.

MUNICÍPIO DE VIANA DO CASTELO APELA À ADOÇÃO DE COMPORTAMENTOS PREVENTIVOS FACE AO AUMENTO DO PERIGO DE INCÊNDIO RURAL

O Município de Viana do Castelo apela à população para a adoção de comportamentos preventivos face ao aumento do Perigo de Incêndio Rural. Recorde-se que foi declarada pelo Governo a situação de alerta entre as 00h00 de 8 de julho de 2022 e as 23h59 de 15 de julho de 2022.

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA, para os próximos dias prevê-se um agravamento das condições meteorológicas, com diminuição dos valores de humidade relativa e aumento da temperatura, que aumentam o perigo de incêndio rural.

Face a esta situação, o Centro de Coordenação Operacional Nacional da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), determinou a elevação do estado de alerta especial do Sistema Integrado de Operações de Proteção e Socorro (SIOPS), para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), em todos os distritos do território continental, entre as 00h00 de 8 de julho de 2022 e as 23h59 de 15 de julho de 2022.

Esta situação exige um acréscimo de cuidado pelo que, o Município de Viana do Castelo apela a toda a população para que mantenha um papel ativo de prevenção, precaução e de responsabilidade, adequando os comportamentos ao uso e fruição do espaço rural (observando as restrições em vigor), de modo a que se evitem ignições suscetíveis de originar incêndios rurais.

Assim e, sem prejuízo de outras restrições ou condicionamentos previstos no Decreto-Lei n.º 82/2021, de 13 de outubro, para o período referido é determinada a adoção das seguintes medidas, de caráter excecional:

  1. a) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como, nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;
  2. b) Proibição da realização de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração;
  3. c) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;
  4. d) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal;
  5. e) Proibição da utilização de fogo -de -artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas.

Ressalva-se a importância do cumprimento da legislação em vigor relativa à prevenção de incêndios rurais, (Decreto-Lei n.º 82/2021, de 13 de outubro), a qual refere que, proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos, devem realizar anualmente um conjunto de ações de proteção e segurança com vista à mitigação de riscos de incêndio. Uma das principais ações nesta matéria diz respeito à limpeza do terreno e à criação de uma faixa de proteção de 50 metros à volta de todas as casas, armazéns, estaleiros, oficinas ou fábricas e numa faixa de 100 metros à volta dos aglomerados populacionais, parques de campismo e zonas industriais.

A Vereadora da Proteção Civil, Fabíola Oliveira, refere que o dispositivo operacional municipal está fortemente empenhado em ações de vigilância, para que, em caso de eventual ocorrência de incêndio o tempo de resposta possa ser o menor possível.

A Câmara Municipal apela ainda para que, em caso de incêndio, ligue de imediato 112, ou em alternativa, para a Central da Companhia de Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo, através do seguinte contacto: 258 840 400.

PROIBIDAS QUEIMAS DE SOBRANTES NO CONCELHO DE CAMINHA ENTRE 1 DE JULHO E PELO MENOS ATÉ AO DIA 30 DE SETEMBRO

Queima de amontoados ou realização de fogueiras, sem autorização, são consideradas usos de fogo intencional

Durante o período compreendido entre o dia 1 de julho até pelo menos ao dia 30 de setembro de 2022, estão proibidas a queima de amontoados e a realização de fogueiras no concelho de Caminha, de forma a prevenir o risco de incêndio rural.

Esta proibição baseia-se no facto de no período em causa se verificar maior suscetibilidade de ocorrência de muitos e grandes incêndios rurais, sendo alguns destes provocados pela realização de queimas e fogueiras.

A plataforma de registo de queimas e queimadas estará encerrada neste período, não estando autorizada qualquer comunicação ou registo para queimas de sobrantes no Município. A queima de amontoados ou a realização de fogueiras, sem autorização, são consideradas usos de fogo intencional.

Recorde-se que já a 20 de maio, durante a visita do Ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, no âmbito do Encontro Distrital de Sapadores Florestais do Alto Minho, foi abordada a questão dos incêndios e o receio de que este seja um verão difícil e propício à ocorrência de fogos.

Na altura, o Presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, mostrou-se preocupado com o verão, lembrando que este ano, no Alto Minho, já aconteceram mais incêndios (376 na altura, que consumiram até então 2.179 hectares) do que durante todo o ano de 2021. Miguel Alves recordou que o Alto Minho tem poucos bombeiros, face à média do país, e apelou aos baldios e a todos os cidadãos, para que, no ano difícil de 2022, o fogo não possa ser devastador.

VIEIRA DO MINHO: RESINAGEM NA SERRA DA CABREIRA

O presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho, António Cardoso, visitou hoje, dia 28 de junho, o Projeto de Resinagem que está a ser implementado nas freguesias de Pinheiro e Cantelães. O projeto está a ser executado pela Associação para o Ordenamento da Serra da Cabreira, em estreita colaboração com o Município de Vieira do Minho e com os Conselhos Diretivos de Baldios de Cantelães e Pinheiro e respetivas Juntas de Freguesia.

20220628_095709.jpg

Este Projeto está localizado numa vasta área  de pinhal nas freguesias de Pinheiro e Cantelães e tem por objetivo a promoção sustentável da floresta, uma vez que para além de permitir a extração deste recurso natural, a resina, permite, em simultâneo, a limpeza e vigilância daquelas manchas florestais.

De salientar que a área de resinagem está dividida em nove talhões com cerca de dezoito mil bicas instaladas nos pinheiros. A primeira colheita deste recurso natural já se encontra em marcha, prevendo-se, ainda mais duas colheitas até ao final do mês de Outubro.

Após a primeira colheita no pinhal, a resina será encaminhada para a indústria de 1ª transformação, onde será submetida a destilação. Esta fase inclui ainda um processo prévio de filtragem, em que se removem as impurezas que se foram depositando nos púcaros, ao longo da campanha.

De referir ainda que a implementação deste projeto é o reflexo da aposta na valorização da floresta e seus ativos preconizada pelo Município Vieirense, pois esta atividade já permitiu a criação de seis postos de trabalho. Em simultâneo vai gerar receitas e contribuir simultaneamente para uma maior proteção das áreas florestais a intervencionar, através de uma maior presença humana, vigilância e efeito dissuasor relativamente à probabilidade de ocorrência de incêndios florestais.

20220628_100311.jpg

PÓVOA DE LANHOSO PROÍBE QUEIMAS E QUEIMADAS

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso informa que, entre os dias 1 de junho e 31 de outubro, está proibida a realização de Queimas de Amontoados e de Queimadas.

Vista da Senhora do Monte (junto ao Campo Escola de Escuteiros de Garfe para a Vila da Póvoa de Lanhoso).jpg

Desta forma, a plataforma eletrónica disponibilizada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) para a emissão de autorizações para a queima de amontoados e queimadas está suspensa desde ontem, dia 1 de junho, até que as condições meteorológicas sejam favoráveis para o uso do fogo em segurança (à semelhança das autorizações obtidas nos diversos balcões de atendimento).

A título excecional, as autorizações já emitidas e com parecer favorável até ao dia 8 de junho serão consideradas válidas, pelo que, após essa data, as mesmas não serão autorizadas.

De lembrar que, de acordo com a alínea a) do ponto 2, do artigo 66º do DL 82/2021, 13 outubro, na sua redação atual, quando o índice de perigo de incêndio rural  no concelho for inferior ao nível Muito Elevado, a queima de amontoados, incluindo a que decorra de exigências fitossanitárias, depende de autorização da Câmara Municipal respetiva, no período de 1 de junho a 31 de outubro de 2022.

BRAGA APOSTA NA PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Apresentação do Dispositivo Municipal de Vigilância e 1.ª Intervenção

Decorreu ontem, na Falperra, a apresentação do Dispositivo Municipal de Vigilância e Primeira Intervenção.

CMB02062022SERGIOFREITAS002151388932.jpg

Este dispositivo é constituído por equipas da Protecção Civil Municipal, Polícia Municipal, GNR, PSP, RC6, Bombeiros Sapadores, Bombeiros Voluntários, Sapadores Florestais e Unidades Locais de Protecção Civil do Concelho. Os objectivos passar por efectuar uma vigilância florestal com o intuito de detectar incêndios de forma precoce, possibilitando uma rápida intervenção, e funcionar como meio dissuasor.

De acordo com Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, a articulação existente entre as diversas entidades que compõem este dispositivo, que ao longo de todo o ano trabalham em todo o território para minorar os riscos e terem a capacidade de dar uma resposta rápida e eficaz em caso de incêndio. “Temos efectuado nos últimos anos um investimento considerável na dotação e manutenção de meios. Nunca teremos condições para dizer que estamos totalmente inumes a qualquer tipo de risco, mas podemos garantir aos Bracarenses que tudo estamos a fazer para, no limiar do controlável, estarmos o mais preparados possível para fazer face às circunstâncias que vamos enfrentar”, disse.

O Autarca lembrou ainda que a prevenção dos fogos florestais é uma responsabilidade que se alarga a todos os cidadãos. “Este é um esforço colectivo e os cidadãos são os primeiros a poderem contribuir para o mesmo através da adopção de comportamentos responsáveis e vigilantes”, afirmou.

Nesse sentido, relembre-se que o Município disponibiliza gratuitamente a utilização de bio trituradores para a eliminação de sobrantes agrícolas, florestais e de jardinagem, reduzindo assim o número de incêndios provocados pelo descontrolo de queimas. Para aceder a este serviço pode contactar a Divisão Municipal da Protecção Civil, através do telefone 253 61 60 60.

O Dispositivo Municipal de Vigilância e Primeira Intervenção conta, para as acções de vigilância, com um efectivo de 32 operacionais e 14 viaturas. Já na primeira intervenção o número de operacionais sobe para cerca de 65. Para além da dotação de meios, realizaram-se também acções de conservação dos caminhos florestais - resultando na beneficiação de cerca de 42 quilómetros de caminhos florestais e acesso ao miolo da floresta para acesso mais eficaz dos meios de combate ao fogo – e de beneficiação de pontos de água para abastecimento de meios aéreos – garantindo a cobertura adequada de todo o Concelho.

CMB02062022SERGIOFREITAS002151388934.jpg

CMB02062022SERGIOFREITAS002151388931.jpg

MUNICÍPIO DE FAFE ANUNCIA PROIBIÇÃO DE QUEIMAS E QUEIMADAS NO PERÍODO CONDICIONADO DE 1 DE JUNHO A 3 DE OUTUBRO

Nos dias de perigo muito elevado ou perigo máximo, é proibido utilizar fogareiros e grelhadores, lançar balões de mecha acesa e foguetes ou fumar em territórios rurais.

Imagem Período Condicionado_2022.jpg

O Município de Fafe informa que, no concelho de Fafe, está proibida a realização de Queimas de Amontoados e de Queimadas, no período condicionado de 1 de junho a 31 de outubro. Nos dias de perigo muito elevado ou perigo máximo, é proibido utilizar fogareiros e grelhadores (salvo se usados nos locais devidamente identificados para o efeito) e lançar balões de mecha acesa e foguetes, sendo que o uso de outra pirotecnia só é permitida com licenciamento do município. É igualmente proibido fumigar ou desinfestar apiários quando envolva uso de fogo e, em territórios rurais, é proibido fumar ou fazer qualquer tipo de lume.

Tendo em consideração as condições meteorológicas previstas para os próximos dias, excecionalmente, serão analisados todos os pedidos de autorização para a realização de Queimas de Amontoados, até ao dia 8 de junho, quarta-feira. Alerta-se que a realização de Queimas de Amontoados neste período está, obrigatoriamente, sujeita a Autorização Prévia do Município, através da aplicação Queimas e Queimadas do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Alerta-se para o facto de que as infrações ao previsto no Decreto-Lei 82/2021 constituem contraordenações puníveis com coima de 150 euros a 25.000 euros, no caso de pessoa singular, e de 500 euros a 125.000 euros, no caso de pessoas coletivas, sem prejuízo da responsabilidade criminal que possa resultar dos factos ocorridos.

É possível consultar todas as restrições em: www.ipma.pt/pt/riscoincendio.

MUNICÍPIO ARCUENSE PROMOVE SESSÕES DE ESCLARECIMENTO SOBRE LIMPEZA DE TERRENOS FLORESTAIS

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, através do Gabinete Técnico Florestal e Serviço Municipal de Proteção Civil, em parceria com as Juntas de Freguesia, a GNR e o SEPNA – Serviço de Proteção da Natureza, Ambiente e Proteção Animal, está a promover um conjunto de sessões de esclarecimento sobre a limpeza de terrenos florestais no âmbito do Decreto-Lei 82/2021, de 13 de outubro.

4f926933-891d-4bf9-aa83-ec9fcd5db59f.jpg

Estas ações de sensibilização estão decorrer em vários pontos do concelho e têm em vista o esclarecimento da população sobre as várias questões relacionadas com a gestão de combustíveis. A par das ações de sensibilização a GNR tem também patrulhado as freguesias prioritárias. De acordo com a legislação, os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que detenham terrenos à volta das habitações inseridas no espaço rural são obrigados a realizar a gestão e a limpeza de uma faixa de terreno com 50 metros.

Assim, no dia 22 de abril foi já realizada uma sessão de esclarecimento em Sistelo, no dia 27 será na União de Freguesias de Grade e Carralcova e no dia 28 em Soajo.

1baf8847-019b-4499-997f-464a5eeb9121.jpg

6463ab7b-beb8-4dbc-ab5c-0d630a499118.jpg

limpeza-50metros.jpg

Faixas_de_Gest_o_de_Combust_vel__ICNF_2018__1_725_

faixas-custom_2018.jpg

esquema_protecao_edificacoes.jpg

Capturarmatos.JPG

ARCOS DE VALDEVEZ COMEMORA SEMANA DA FLORESTA

No passado dia 25 de março a Diretora do ICNF, Arquiteta Sandra Sarmento, o Presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, o Vereador Olegário Gonçalves e o Conselho Diretivo dos Baldios da Freguesia de Sistelo, participaram numa ação de plantação de espécies Autóctones (carvalho alvarinho, sobreiros, pinheiro bravo, entre outras espécies), nos lugares da Estrica e Quebrada, no âmbito da comemoração da Semana da Floresta.

semana da floresta sistelo.jpg

Esta ação envolveu as equipas de Sapadores Florestais da Associação Florestal – ATLÂNTICA e das equipas CNAF - (Corpo Nacional de Agentes Florestas) do ICNF de Arcos de Valdevez, Melgaço e Ponte da Barca que, em conjunto, prepararam o terreno e deram apoio logístico para a plantação de 5000 árvores, numa área de aproximadamente 5ha.

semana da floresta sistelo2.jpg

semana da floresta sistelo3.jpg

VIEIRA DO MINHO: EPICGreen PLANTOU 250 ÁRVORES NA SERRADELA

Os alunos de engenharia da Universidade do Minho trocaram, a Universidade pela Serra da Cabreira, para a promoção de uma ação de sensibilização ambiental que teve por objetivo a plantação de árvores, naquele que é considerado o pulmão da serra.

20220326_104136.jpg

A atividade que  foi levada a cabo pela  EPICGreeen - Projecto Interno de responsabilidade Social Corporativa e sustentabilidade da EpiC Júnior, empresa de Engenharia da Universidade do Minho, decorreu junto à Casa de Abrigo da Serradela, tendo sido plantadas cerca de 250 árvores.

A iniciativa decorreu no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Floresta, e inseria-se na perspetiva ambiental da 1ª júnior empresa de Engenharia da Universidade do Minho cujo objetivo visa a implementação de medidas periódicas de consciencialização e educação.

O presidente do Município de Vieira do Minho, António Cardoso, associou-se à iniciativa promovida pelo grupo de jovens empreendedores, entre os quais se destaca uma jovem Vieirense.

A atividade contou também com a colaboração da Associação para o Ordenamento da Serra da Cabreira, através das Equipas de Sapadores Florestais.

1648467059748 (Copiar).jpg

PAN QUER MAIS INVESTIMENTO EM VIDEOVIGILÂNCIA E NA PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS

O Grupo Parlamentar do PAN – Pessoas-Animais-Natureza deu entrada no Parlamento de uma iniciativa em que questiona o Governo sobre o investimento na prevenção de incêndios, particularmente num ano que tem sido marcado por uma situação de seca.

Em linha com as preocupações manifestadas por diversas entidades e organizações não governamentais de ambiente, como é o caso da Zero, o PAN está preocupado com a falta de investimento na prevenção, que se reflete no facto de o plano de monitorização por videovigilância das florestas abranger apenas cerca de metade do país, deixando de fora regiões vulneráveis à ocorrência de incêndios de grandes dimensões. Uma situação incompreensivelmente deficitária, apesar das previsões do Ministério da Administração Interna (MAI) de que até 2019 o sistema devia cobrir metade do país. Distritos como os de Faro, Braga, Portalegre, Viana do Castelo e Vila Real estão sem rede de videovigilância para prevenir e combater incêndios florestais no verão.

O PAN interpelou igualmente o Governo pelas críticas de que tem sido alvo a opção de investimento previsto no Programa de Recuperação e Resiliência (PRR) de 120 milhões de euros para a execução de 37.500 hectares de rede primária estruturante de faixas de gestão de combustível a nível nacional a aplicar até 2025, sem que existam evidências científicas da sua eficácia, em detrimento de outras opções que passam por criar florestas mais resilientes aos incêndios – o que não passa pelo aumento de área de eucalipto.

De acordo com um relatório recente da UNEP (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), que alerta para um aumento de 14% do risco de incêndios florestais de grandes dimensões até 2030 e de cerca de 30% até 2050, recomenda aos Governos dos países mais vulneráveis – caso de Portugal - que priorizem o investimento na prevenção e não no combate aos incêndios. Segundo este estudo, atualmente, os meios de combate a incêndios recebem, aproximadamente, 50% dos fundos disponíveis, enquanto as áreas do planeamento e prevenção recebem menos de 1%.

TERRAS DE BOURO ASSINALA DIA MUNDIAL DA ÁRVORE E DA FLORESTA

Hoje, dia 21 de março, celebra-se o Dia Mundial da Árvore ou da Floresta. Terras de Bouro, Capital do Turismo da Natureza, concelho integrante do único parque nacional do país, o da Peneda Gerês e Reserva Mundial da Biosfera, realça a importância de assinalar esta data por toda a riqueza patrimonial de âmbito natural que possui e que tanto contribui para a riqueza turística que o município procura, afincadamente, desenvolver como forma de promover também a economia local.

“O objetivo da comemoração do Dia Mundial da Árvore é sensibilizar a população para a importância da preservação das árvores, quer ao nível do equilíbrio ambiental e ecológico, como da própria qualidade de vida dos cidadãos. Estima-se que 1000 árvores adultas absorvam cerca de 6000 kg de CO2 (dióxido de carbono).

Trinta por cento da superfície terrestre está coberta por florestas, onde se realiza a fotossíntese - produção de oxigénio a partir de dióxido de carbono. As florestas, em conjunto com as algas marinhas são apelidadas dos "pulmões do mundo", não apenas pela sua função de manutenção e renovação dos ecossistemas, como também pela sua importância em áreas estratégicas como a economia e a produção de bens e alimentos”.

“Plante uma árvore, semeie a vida no planeta”.

20220320 DiaMundial da ArvoreFloresta.jpg

VIANA DO CASTELO ASSINALA DIA MUNDIAL DA FLORESTA E DIA MUNDIAL DA ÁGUA

O município de Viana do Castelo assinala, esta segunda-feira, 21 de março, o Dia Mundial da Floresta e, amanhã, 22 de março, o Dia Mundial da Água.

ambiente 1vc.jpg

Assim, hoje, no Dia Mundial da Floresta, a Câmara Municipal promove, no Monte Galeão, uma ação de erradicação de espécies vegetais exóticas com comportamento invasor, que ameaçam de dia para dia o equilíbrio ecológico e a paisagem identitária do nosso território.

Esta ação desenvolve-se no âmbito do Programa de Manutenção e Reabilitação Ecológica das áreas classificadas do concelho, programa para o qual foram assinados protocolos de cooperação entre o Município Viana do Castelo e 18 empresas e 3 associações do concelho, envolvendo o tecido social e empresarial, no contexto da responsabilidade ambiental das instituições. Desta forma, estas entidades responsabilizaram-se pela manutenção das 13 áreas classificadas como Monumentos Naturais através de pelo menos duas intervenções anuais, por parte de cada uma, na área do Monumento Natural que apadrinham.

Esta será a primeira ação deste ano 2022, e contará com a presença de 15 colaboradores da Painhas PAGROUP, em colaboração com técnicos do Geoparque, do Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental e do Gabinete Técnico-Florestal, que integram a Divisão de Ambiente e Sustentabilidade da Câmara Municipal de Viana do Castelo. Em conjunto, irão proceder ao controlo de Acácia longifólia (Acácia-de-espigas) através de técnicas manuais de arranque, corte e descasque, promovendo à reabilitação da paisagem característica e identitária do Monte Galeão, que integra o Monumento Natural Local das Dunas Trepadoras do Faro de Anha.

Amanhã, Dia Mundial da Água, o Município integra a campanha “H2Off”, que visa impulsionar a mudança de comportamentos e apelar a uma consciencialização clara e atuante sobre o uso correto e eficiente da Água. Promovida pela APDA – Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas, pretende-se que, no próximo dia 22 de março, às 22h00, seja a “Hora de fechar a torneira”.

Paralelamente, o Município participou no Projeto NOR-WATER "Poluentes Emergentes nas águas da Galiza e Norte de Portugal: Novas ferramentas para a Gestão do Risco", cofinanciado pelo Programa de Cooperação INTERREG VA Espanha-Portugal (POCTEP), onde se desenvolveu uma exposição itinerante que iniciará um percurso pelos agrupamentos de escolas do concelho até de maio de 2022.