Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUNICÍPIO DE BRAGA DESAFIA ENTIDADES A PARTICIPAR NO PROGRAMA "FLORESTAR BRAGA"

Inscrições até 9 de Novembro

Dia 23 de Novembro é o Dia da Floresta Autóctone e para assinalar a data, o Município promove mais uma edição do programa 'Florestar Braga'. Esta é uma iniciativa de sensibilização ambiental que desde 2014 lança o desafio às entidades do Concelho, oferecendo árvores para serem plantadas no âmbito deste programa.

CMB24112017SERGIOFREITAS0000009840.jpg

Nesta iniciativa, todas as entidades são desafiadas a participar na florestação com a plantação de espécies autóctones e com o lançamento de “granadas de sementes”.

Todas as entidades de ensino, IPSS, associações ou adoptantes do Projecto Rios poderão receber espécies da floresta autóctone para plantar no logradouro das suas instalações (ou junto da linha de água adoptada no caso do Projecto Rios) ou e espaço público em colaboração com a sua Junta ou União de Freguesias.

O Município de Braga coloca à disposição das entidades árvores ou arbustos autóctones, nomeadamente carvalhos alvarinhos, portugueses e negral, sobreiros, castanheiros, cedros do Bussaco e bastardo, cerejeiras bravas, freixos, pinheiro mansos, tílias, amieiros, azinheiras, vidoeiros, azevinhos e medronheiros.

Outra iniciativa prevista é o lançamento de “granadas de sementes”. As entidades que pretendam receber material para elaboração das “granadas” (por ordem de chegada de inscrições, tendo em conta a argila disponível), o Município de Braga faculta a argila e as sementes de leguminosas e cada entidade fará as suas próprias granadas, podendo, também, a comunidade escolar mobilizar os alunos para recolherem bolotas de carvalho e/ou sobreiro ou outras sementes de árvores ou arbustos autóctones.

Para participar nesta edição do ‘Florestar Braga’, os interessados devem fazer a sua inscrição através do email ambiente@cm-braga.pt, até 9 de Novembro, indicando os seguintes dados:

  • Nome da entidade e local de entrega;
  • Nome do responsável, e-mail e telemóvel;
  • Número de pessoas a envolver;
  • Local de plantação ou de lançamento das “granadas de sementes”;
  • Dia e hora prevista da plantação;
  • Número de espécies a plantar (acima indicadas e por ordem de prioridade).

Para eventuais esclarecimentos, está disponível o contacto telefónico através do número 253 202 860.

JOVENS DE VIZELA AJUDARAM NA PREVENÇÃO E DETEÇÃO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Terminou no passado dia 15 de setembro, o programa Vizela + Verde promovido pela Câmara Municipal de Vizela, no âmbito do programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas, do IPDJ – Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P.

Vizela + verde.jpeg

Neste projeto, que iniciou a 1 de julho, estiveram envolvidos 40 jovens voluntários dos 18 aos 27 anos, de todas as freguesias do concelho de Vizela.

Estes jovens efetuaram vigilância fixa em dois pontos estratégicos do Concelho de Vizela, no Monte do São Bento e Alto de Penabesteira e acionaram mais de duas dezenas de alertas de incêndio dentro e fora do concelho de Vizela, a saber Guimarães, Felgueiras, Lousada e Santo Tirso.

Este projeto traduz-se em mais uma medida de planeamento municipal, com o objetivo de acautelar uma intervenção mais rápida nos incêndios na sua fase inicial, para assim se limitar o seu desenvolvimento.

A Câmara Municipal de Vizela agradece a participação ativa destes jovens "no grande desafio" que é a preservação da natureza e da floresta, e assim reduzir o flagelo dos incêndios, que são os grandes objetivos do programa Voluntariado Jovem para as Florestas.

VIEIRA DO MINHO APOIA VOLUNTARIADO JOVEM PARA A FLORESTA

António Cardoso entregou material de identificação aos voluntários para a Floresta

No âmbito do Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas “ Vieira Vigia +”, promovido pela APOSC, em colaboração com a Câmara Municipal de Vieira do Minho e financiado pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, o  presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho, António Cardoso, entregou, material identificativo aos jovens voluntários que diariamente sobem à Serra da Cabreira para  efetuar ações de vigilância, prevenção e limpeza.

DSC_5622.JPG

Nesta sessão, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Município, António Cardoso, aproveitou a ocasião para sublinhar, junto dos jovens, a importância do projeto para o concelho e para o meio ambiente.

Na sua missão, os jovens são acompanhados, no terreno, por técnicos florestais e da proteção civil, para fazerem ações de vigilância na floresta, um contributo dos mais novos para prevenir a ocorrência de incêndios nas florestas de Vieira do Minho.

Para além da entrega do material identificativo, (t-shirts, bonés, mochilas e garrafas térmicas) aos jovens que integram o programa Voluntariado Jovem para as Florestas, o momento serviu também para assinalar o Dia Internacional da Juventude que se celebrou no dia 12 de agosto.

DSC_5650.JPG

ARCOS DE VALDEVEZ QUER REFORÇAR MEIOS DE COMBATE AO FOGO

Incêndios: Autarquia arcuense reclama reforço do policiamento, da investigação dos incêndios e o segundo helicóptero

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez participou numa reunião da Subcomissão Distrital de Proteção Civil, com a ANMP, GNR, PSP, Polícia Judiciária e outras entidades de Proteção Civil, para analisar o elevado número de ignições ocorridos no distrito e no concelho neste mês de julho.

helicóptero.jpg

Nesta reunião, o Presidente da Câmara arcuense solicitou o reforço do efetivo de patrulhamento e vigilância, nomeadamente GNR e Exército, a intensificação da investigação dos incêndios pelas forças de Segurança, nomeadamente, a Polícia judiciária.

A Autarquia apela aos cidadãos que assumam e pratiquem comportamentos que contribuam para a diminuição do risco de ignição, não usando fogo junto das áreas florestais e informando as Autoridades sobre qualquer situação suspeita.

João Manuel Esteves também solicitou ao Ministério da Administração Interna, o reforço de meios, em particular de efetivos das forças de segurança, para vigilância mais ativa das áreas florestais, bem como a presença do segundo helicóptero no centro de meios aéreos do distrito.

De notar que, apesar das dificuldades deparadas pela dispersão dos meios pelas várias ignições praticamente simultâneas, o sucesso das operações tem sido visível, com a envolvência dos Bombeiros e de todos os Agentes de Proteção Civil, entre outras entidades cujo apoio é fulcral.

MUNICÍPIO DE BRAGA APRESENTA EQUIPA DE SAPADORES FLORESTAIS

O Município de Braga apresenta a equipa de sapadores florestais da Associação Florestal do Cavado, em conferência que terá lugar, amanhã, no Clube de Caçadores de Braga, localizado na Variante do Alto da Vela, em Braga.

2

A iniciativa contará com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e do vereador da Protecção Civil, Altino Bessa.

Constituída por cinco elementos com uma viatura de apoio cedida pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a equipa incide a sua intervenção sobre os perímetros florestais do Mosteiro de São Martinho de Tibães, zonas que têm grande relevância, não apenas no contexto florestal, mas também no plano ambiental, paisagístico, cultural, religioso e turístico, cuja preservação e protecção é fundamental e é uma prioridade em termos da defesa da floresta contra incêndios.

CABECEIRAS DE BASTO TEM PLANO DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS VÁLIDO ATÉ JANEIRO DE 2021

Notícias alarmistas causam confusão e dúvidas que importa esclarecer

Ação de Fogo Controlado - Cabeceiras de Basto.JPG

A propósito de notícias vindas a público recentemente e de comunicado do passado dia 22 do Bloco de Esquerda do distrito de Braga que referem que o Município de Cabeceiras de Basto não tem Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI), a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, ao mesmo tempo que contesta tais informações, esclarece:

O PMDFCI - Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Cabeceiras de Basto foi aprovado com parecer vinculativo do ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, está atualizado e encontra-se em vigor e válido até janeiro de 2021.

O PMDFCI de Cabeceiras de Basto foi objeto de recalendarização, em 13 de dezembro de 2019, aprovada, por unanimidade, em sede da Comissão Municipal de Defesa da Floresta, de modo a ajustar o programa de ação (Caderno II) às novas exigências da defesa da floresta contra incêndios e às alterações que a nova legislação entretanto publicada impôs.

Em termos operacionais o Plano Operacional Municipal (POM) foi aprovado, por unanimidade, pela Comissão Municipal de Defesa da Floresta, em 30 de abril de 2020.

No âmbito da monitorização do PMDFCI informamos que trimestralmente são registadas as ações desenvolvidas no Município e submetidas na plataforma do Sistema de Informação de Incêndios Florestais (SGIF), nomeadamente no que diz respeito às ações de gestão de combustíveis, sensibilização, beneficiação de rede viária florestal e rede de pontos de água. O relatório de execução anual de 2019 foi apresentado e enviado ao ICNF.

Refira-se que o Município de Cabeceiras de Basto está, desde o final do ano passado, a trabalhar na revisão do atual PMDFCI em estreita colaboração com as entidades competentes para que o PMDFCI 3ª geração entre em vigor, em fevereiro de 2021, logo após o termo de vigência do atual Plano.

Porque está relacionado com a política de defesa da floresta, importa destacar, ainda, que o Gabinete Técnico Florestal de Cabeceiras de Basto, em perfeita articulação com a Proteção Civil Municipal, tem concretizado e em curso outras medidas fundamentais para a valorização e defesa da floresta e das populações. Assim, informamos que Cabeceiras de Basto tem em vigor um Plano de Fogo Controlado e o Regulamento Municipal de Uso do Fogo. Tem também implementado o Programa Aldeia Seguras/Pessoas Seguras, abrangendo um total de 47 oficiais de Segurança Local, com 3 Planos de Evacuação testados.

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto lamenta alguma desinformação que é veiculada no espaço público e informa que mantém, em articulação com todos os parceiros que integram a Comissão Municipal de Defesa da Floresta, uma atenção muito especial à problemática da defesa da floresta contra incêndios, uma vez que 3/4 do território do concelho é florestal ou apresenta aptidão florestal.

MUNICÍPIO DE BRAGA DESMENTE BLOCO DE ESQUERDA

Braga tem Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios actualizado até Janeiro de 2021

bragaflorestaplano.JPG

No seguimento das recentes notícias que referem que o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Braga (PMDFCIB) não se encontra actualizado, e face às afirmações do Secretariado Distrital de Braga do Bloco de Esquerda (BE), o Município de Braga vem por este meio refutar essas informações e esclarecer o seguinte:

O Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Braga encontra-se em vigor, actualizado e devidamente aprovado pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) até Janeiro de 2021.

O ICNF apresenta no seu site o ponto de situação dos PMDFCI a nível nacional, (reporte de 30 de Junho 2020) através do qual é possível, também, verificar que o Plano do Município de Braga se encontra actualizado com parecer vinculativo positivo do ICNF (ver em: https://fogos.icnf.pt/infoPMDFCI/PMDFCI_PUBLICOlist.asp)

O Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Braga em vigor foi alvo de uma recalendarização a 3 de Dezembro de 2019, aprovado em sede da Comissão Municipal de Defesa da Floresta, nos termos do artigo 5.º, n.º 2, do “Regulamento Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios”, publicado pelo Despacho n.º 443-A/2018, de 9 de Janeiro, alterado pelo Despacho n.º 1222-B/2018, de 2 de Fevereiro. Esta recalendarização ocorreu precisamente para ajustar e adaptar o Plano às ligeiras alterações introduzidas pelos mais recentes diplomas desta área.

Refira-se que no âmbito da monitorização anual do PMDFCI, na reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta de Braga, de 14 de Abril de 2020, foi aprovado o relatório de execução 2019 do Plano, tendo sido superados os objectivos previstos no programa de acção.

Quanto à componente de resposta operacional, foi aprovado no dia 14 de Abril de 2020, em reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta, o Plano Operacional Municipal que enumera e detalha os recursos humanos e materiais nas acções de vigilância, rescaldo, primeira intervenção, assim como os meios complementares de apoio ao combate a incêndios, no que concerne ao Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais de âmbito municipal. Este Plano, de carácter reservado que corresponde ao caderno III do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, é de actualização anual e organiza as diversas entidades, de forma a responder adequadamente nas fases de maior empenhamento.

Não obstante, a Divisão Municipal de Protecção Civil já encetou, desde o início do ano, os necessários trabalhos de actualização do Plano, em estreita articulação com o Plano Director Municipal, para que o PMDFCI de 3ª geração possa entrar em vigor em Janeiro de 2021, data correspondente ao término da vigência do actual Plano.

Município de Braga, 23 de Julho de 2020

JUVENTUDE DE CABECEIRAS DE BASTO VIGIA A FLORESTA

Jovens Voluntários continuam de ‘olhos postos’ na floresta

Entrou esta semana na segunda fase o ‘Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas – Jovens Unidos pela Floresta e Meio Ambiente’ promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), em colaboração com a Câmara Municipal e com as Juntas de Freguesia do concelho de Cabeceiras de Basto.

Sessão Voluntariado Florestas.jpg

Durante este 2.º período, que se estende até 28 de julho, os jovens continuarão a proceder à sensibilização das populações para a preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas; inventariação e monitorização de áreas ardias; limpeza e manutenção de parques de lazer; vigilância a pé nas áreas definidas pelas entidades locais de coordenação, entre outros.

O programa contou na sua segunda sessão de apresentação com a presença da vereadora da Juventude, Dra. Carla Lousada, e do presidente da Junta de Freguesia de Refojos, Outeiro e Painzela, Leandro Campos. A ação de formação foi ministrada pelo Gabinete Técnico Florestal (GTF) da Câmara Municipal.

Durante a sessão, a todos os jovens inscritos foi-lhes distribuído equipamento de identificação e divulgação, máscaras e dispositivos individuais com gel de mãos higienizante, tendo em conta as medidas de prevenção necessárias neste contexto de pandemia.

O Programa direcionado a jovens com idades entre os 18 e 30 anos decorre até ao dia 11 de setembro.

O período de inscrições (até 10 dias antes da data de início de cada período) mantém-se aberto para os restantes três períodos que o programa de Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas integra, designadamente:

    3.º período: 29 de julho a 12 de agosto

    4.º período: 13 a 27 de agosto

    5.º período: 29 de agosto a 11 de setembro

Inscrições e Informações:

GEI – Gabinete de Emprego e Inserção da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto

 Casa Municipal da Cultura de Cabeceiras de Basto

Casa da Juventude de Cabeceiras de Basto

As inscrições têm de ser efetuadas através de registo individual no portal do Instituto Português do Desporto e Juventude, estando o formulário de inscrição disponível em:

 https://programas.juventude.gov.pt/florestas

PROTEÇÃO CIVIL ARCUENSE SENSIBILIZA PARA A PREVENÇÃO DOS INCÊNDIOS RURAIS

Realizada nova sessão “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” em Arcos de Valdevez

Decorreu no dia 9 de julho mais uma sessão, da iniciativa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras”, desta vez no lugar de Várzea, freguesia de Soajo.

aldeia_segura_varzea.jpg

Esta iniciativa consiste na prevenção e mitigação dos efeitos dos incêndios rurais, por via de campanhas de sensibilização para a prevenção de comportamentos de risco, divulgação de medidas de autoproteção, elaboração do plano de evacuação e realização de um simulacro.

A implementação deste programa resultou da articulação entre a Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, Serviço Municipal de Proteção Civil, Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, o Comando Distrital de Operações de Socorro de Viana do Castelo, a GNR de Arcos de Valdevez, o SEPNA – GNR, os Sapadores Florestais, o ICNF, O Centro de Saúde, a Junta de Freguesia de Soajo e a Comissão de Baldios de Soajo.

aldeia_segura_varzea2.jpg

aldeia_segura_varzea3.jpg

CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA APOIA COM 5.000,00€ BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS PARA ABERTURA DE CAMINHOS FLORESTAIS

Desde que assumiu funções, que este Executivo Municipal tem assumido a área do Proteção Civil como fundamental na ação autárquica, tendo procedido no início deste mandato ao reforço dos equipamentos da Proteção Civil, com a aquisição de uma viatura 4x4 com diverso equipamento e a constituição da equipa de prevenção de Proteção Civil, que foi também devidamente equipada com o fardamento respetivo.

BVV Caminhos.jpg

Assim, a Câmara Municipal, em parceria com várias entidades, como os Bombeiros Voluntários de Vizela, a Brigada de Sapadores Florestais, e a empresa contratada para o trabalho de gestão de combustíveis/limpeza florestal, encontram-se no terreno tendo em vista a preparação do período critico de incêndios rurais/florestais.

Nesse seguimento, a Câmara Municipal vai apoiar os Bombeiros Voluntários de Vizela com 5.000,00€ para as despesas com o equipamento necessário à execução dos trabalhos de limpeza dos principais acessos ao Monte de S. Bento, assim como a proceder à abertura de caminhos florestais.

De destacar que, tendo em atenção o período que se avizinha, a Câmara Municipal está a efetuar todo o planeamento municipal, acautelando uma intervenção mais rápida nos incêndios na sua fase inicial, para assim se limitar o seu desenvolvimento.

De destacar que este Executivo Municipal definiu a área de proteção civil como uma prioridade tendo implementado uma nova política, não apenas ao nível da reorganização do serviço municipal de Proteção Civil, nomeadamente na aquisição de equipamentos para reforçar a sua operacionalidade no terreno junto das populações, mas também no trabalho que tem sido feito em parceria com os Bombeiros Voluntários e a GNR de Vizela.

CERVEIRA LIMPA FLORESTA

Realizada limpeza de 130ha de rede primária e 30kms de rede viária florestal

A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e o ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Floresta concretizaram, ao longo deste semestre de 2020, uma profícua parceria em prol da proteção e defesa da floresta contra incêndios. No total, foram realizadas várias intervenções de melhoramento na rede viária florestal e na rede primária do concelho.

rede primária3.jpg

Os trabalhos realizados consistiram na limpeza e no alargamento de 30kms da rede viária florestal, assim como a colocação de 160 metros de travessia de águas. Fruto ainda de uma candidatura submetida pelo ICNF a fundos comunitários foi ainda possível avançar com a instalação de 130ha de Rede Primária em Vila Nova de Cerveira, contemplando as freguesias a União de Freguesias de Candemil e Gondar, a União de Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe, e as freguesias de Covas, Loivo e Sopo.

Apesar de concretizadas todas estas ações no terreno, e de os particulares, de uma forma geral, também darem cumprimento à legislação, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira já manifestou publicamente a sua preocupação para com a perda de um meio aéreo de combate a incêndios na região do Alto Minho. Fernando Nogueira alertou que o concelho cerveirense poderá ficar duplamente prejudicado pois, em caso de ocorrências graves em simultâneo, o destacamento com caráter extraordinário de um meio aéreo oriundo de outro distrito não tem a mesma primeira intervenção por razões de autonomia e tempo de operacionalidade do aparelho.

Em 2018, o concelho de Vila Nova de Cerveira integrava a lista dos 20 concelhos com maior risco de incêndios pelas condições naturais e especificidades da orografia. O autarca assegura que, “apesar de todos os esforços de limpeza encetados, o risco não tem diminuído, antes pelo contrário, tem aumentado porque o combustível acumula de ano para ano, e com um Inverno e Primavera muito chuvosos, vai dar origem a uma maior quantidade de manta morta, potenciando a perigosidade do risco de ocorrência de incêndios”.

VIEIRA DO MINHO: PROIBIDO FAZER QUEIMAS E QUEIMADAS

O Município de Vieira do Minho informa que, as Queimas e Queimadas estão proibidas de 1 de julho a 30 de setembro de 2020, em função da entrada no designado Período Crítico.

FOGO2019-1.jpg

Em 2020, o Período Crítico vigora de  1 de julho  a 30 de setembro, podendo a sua duração ser alterada, em situações excecionais, por despacho do membro do governo responsável pela área das florestas. (Lei n.º 76/2017, de 17 de agosto, artigo 2.º-A).

Assim sendo, durante o período crítico existe um conjunto de proibições, que devem ser respeitadas:

- é estritamente proibido realizar queimadas para renovação de pastagem ou eliminação de restolho, bem como o uso do fogo nos espaços rurais e florestais para a queima de resíduos agrícolas e florestais;

- é igualmente proibido o uso de fogareiros e grelhadores, salvo se usados nos locais autorizados;

- é proibido fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais;

- é proibido o lançamento de balões de mecha acesa e de foguetes e o uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da Câmara Municipal;

- é proibido fumigar ou desinfestar em apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas;

- é obrigatório usar de dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa e nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 kg,  consoante o  peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

Quem desrespeitar estas restrições, pode incorrer em contraordenação, cuja coima pode ir de 140 a 5.000 euros, para pessoas singulares, e de 800 até 60.000 euros para pessoas coletivas. Em caso de originar um incêndio, pode incorrer em crime de incêndio florestal (Lei n.º 56/2011, 15 de novembro).

VIGILÂNCIA FLORESTAL EM FAMALICÃO É ASSEGURADA COM RECURSO A MEIOS AÉREOS

Programa Municipal de Vigilância Florestal foi apresentado ontem

O programa de vigilância florestal e prevenção contra incêndios do município de Vila Nova de Famalicão vai contar este ano com um sistema de vigilância área, no âmbito de um projeto piloto desenvolvido em parceria com a empresa Flying Equipment Skyline.

image63470.jpeg

O protocolo de cooperação para a utilização deste novo meio de apoio através da captação e transmissão de imagens aéreas foi aprovado esta quinta-feira de manhã, dia 2, na reunião do executivo municipal, e foi um dos temas em destaque na apresentação do Programa Municipal de Vigilância Florestal que decorreu ontem com a presença, entre outros, do vice-presidente e vereador da Proteção Civil, Ricardo Mendes, representantes da empresa e elementos das forças de segurança e socorro do concelho.

“Trata-se de um recurso que estava a ser testado na área militar e que agora passa também a ter uma utilização civil, complementando o dispositivo municipal de monitorização e vigilância do território”, explicou Ricardo Mendes, acrescentando que se trata de “mais uma ferramenta à disposição das forças de primeira linha de combate aos fogos florestais”.

O responsável técnico da empresa Flying Equipment Skyline, Gerson Fernandes, explicou que no ar a plataforma em causa tem um aspeto semelhante a uma asa de parapente gigante, é motorizada, tripulada e com oito horas de economia. “É a primeira vez que está a ser utilizada na área da Proteção Civil. No fundo vai estar a monitorizar o território e ao mesmo tempo a comunicar com os serviços municipais de Proteção Civil, identificando os pontos negros e mais perigosos do concelho para que possa haver uma prevenção e atuação mais eficaz naquela zona”, disse.

Refira-se ainda que o esquema de vigilância florestal em Famalicão funciona durante todo o ano, através de um sistema de videovigilância composto por 12 câmaras, sendo que durante o período critico, ou em dias de alerta amarelo ou superior, a vigilância fixa é complementada pela vigilância móvel e vigilância armada.

Este ano, o dispositivo de vigilância móvel foi reforçado com 12 operacionais que percorrerão o concelho para prevenir e detetar eventuais focos de ignição.

Recorde-se que a prevenção de incêndios florestais não se esgota na vigilância. Durante todo o ano são realizados trabalhos de conservação da rede viária florestal e ações de silvicultura preventiva.

image63476.jpeg

AFS_4516.jpg

VIEIRA DO MINHO INICIA PROGRAMA DE VOLUNTARIADO JOVEM PARA A NATUREZA E FLORESTAS

Arrancou, hoje, mais uma edição do Programa “ Vieira Vigia+ ”

Arrancou hoje, em Vieira do Minho, com as devidas medidas de segurança, mais uma edição do  Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas, designado por “Vieira Vigia+”.

DSC_4799.JPG

O arranque do programa decorreu no Auditório Municipal de Vieira do Minho e contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, António Cardoso, que aproveitou a ocasião para sublinhar, junto dos jovens, a importância do projecto para o concelho e para o meio ambiente.

Segundo António Cardoso “ os jovens voluntários vão, nos próximos meses, informar, vigiar, e sensibilizar a população que circula na Serra da Cabreira, para as boas práticas ambientais, limpar pontualmente os resíduos mais simples que as pessoas vão deixando pela floresta e, ainda, alertar as autoridades em caso de incêndio".

Desde hoje, dia 1 de julho, e até ao próximo dia 30 de setembro, os jovens voluntários que integram o  programa vão  proceder  à realização de ações de sensibilização da população para a preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas, proceder à inventariação e monitorização de espécies animais e vegetais em risco, proceder à inventariação, sinalização e manutenção de caminhos florestais e acessos a pontos de água, realizar atividades de reflorestação, efetuar vigilância móvel, a pé ou de bicicleta, nas áreas definidas pelas entidades locais de coordenação, entre outras atividades.

Refira-se que este programa é promovido pela APOSC, em colaboração com a Câmara Municipal de Vieira do Minho e financiado pelo Instituto Português do Desporto e Juventude para um total de 48 bolsas.

Os jovens ficam obrigados à prestação de 5 horas diárias, entre as 9h00 e 21h00, incluindo sábados, domingos e feriados, recebendo por isso um subsídio no valor de 200 euros, por projeto.

E, para que este programa decorra sem incidente, em tempos de COVID 19, procedeu-se ao fornecimento de máscaras, um folheto informativo com normas e regras de segurança e um crachá identificativo para cada jovem.

Paralelamente, ao Programa Vieira Vigia+, estiveram também, hoje, no Auditório Municipal de Vieira do Minho 70 jovens do concelho para iniciar as atividades no âmbito do Programa Municipal Jovem Voluntário, promovido todos os anos pela Câmara Municipal.

Estes jovens, cuja maioria se encontra em férias escolares vão prestar 20 horas semanais de atividades, recebendo como compensação um subsídio mensal de 200 euros.

Nesta época  de Verão, os jovens irão desenvolver ações nas várias valências do Município (Posto de Turismo, Parque de Campismo, Piscinas Municipais, Casa Museu Adelino Ângelo, Pavilhão Municipal, Biblioteca Municipal, etc), bem como em Instituições e Associações do concelho ou ainda nas Juntas de Freguesia.

Refira-se, ainda que este programa funciona durante todo o ano, tendo, contudo, o seu exponencial máximo, nos meses de verão dada a  grande adesão dos jovens quando terminam o seu ano lectivo.

No momento de receção, o presidente do Município de Vieira do Minho, António Cardoso, mostrou-se bastante satisfeito com a forte adesão por parte dos jovens e salientou ainda que “esta medida, para além de permitir a ocupação dos tempos livres, oferece um conjunto de atividades que constituem um espaço de aprendizagem e visam estimular e valorizar a participação dos jovens em projetos do Município e da comunidade”.

DSC_4861.JPG

VIEIRA DO MINHO ABRE INSCRIÇÕES PARA JOVENS VOLUNTÁRIOS VIGILANTES DA NATUREZA E DA FLORESTA

Vieira Vigia + Voluntariado Jovem Para a Natureza e Floresta, inscrições abertas

No âmbito das suas ações de apoio à juventude, a Câmara Municipal de Vieira do Minho em estreita colaboração com a APOSC promovem pelo terceiro ano consecutivo o Programa Vieira Vigia + Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas.

serra_cabreira.jpeg

Neste sentido, a autarquia informa que se encontram abertas as candidaturas para o Programa Jovem Voluntário, cujo objectivo é incentivar as ações de voluntariado através do apoio a jovens do Concelho.

Podem candidatar-se ao programa  os jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos de idade inclusive, mediante formalização de candidatura nos serviços de Ação Social da Câmara Municipal de Vieira do Minho.

Os jovens selecionados irão desenvolver ações de voluntariado tais como: sensibilização da população para a preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas; inventariação e monitorização de espécies animais e vegetais em risco; inventariação, sinalização e manutenção de caminhos florestais e acessos a pontos de água; atividades de reflorestação; atividadesde controlo de espécies invasoras; vigilância móvel, a pé ou de bicicleta, nas áreas definidas pelas entidades locais de coordenação; vigilância fixa nos postos de vigia; inventariação de áreas necessitadas de limpeza e limpeza e manutenção de parques de lazer, entre outras.

Os jovens ficam obrigados à prestação de 5 horas diárias, entre as 9h00 e 21h00, incluindo sábados, domingos e feriados, recebendo por isso um subsídio no valor de 200 euros, por projeto.

De referir ainda que este programa é promovido pelo IPDJ e conta com o apoio das Juntas de Freguesia do Concelho e dos Bombeiros Voluntários de Vieira do Minho.

CÂMARA E BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE VIZELA AVANÇAM COM LIMPEZA DOS TERRENOS FLORESTAIS

Portugal assinalou ontem o terceiro ano da tragédia de Pedrogão Grande, violento incêndio que deflagrou a 17 de junho de 2017, e que provocou a morte a 66 pessoas, no mais mortífero fogo registado em Portugal.

BVV (1).JPG

Desde que assumiu funções, que este Executivo Municipal tem assumido a área do Proteção Civil como fundamental na ação autárquica, pelo que tem trabalhado para evitar que catástrofes em tudo similares não se verifiquem no concelho de Vizela, tendo procedido no início deste mandato ao reforço dos equipamentos da Proteção Civil, com a aquisição de uma viatura 4x4 com diverso equipamento e a constituição da equipa de prevenção de Proteção Civil, que foi também devidamente equipada com o fardamento respetivo.  

Assim, a Câmara Municipal, em parceria com várias entidades, como os Bombeiros Voluntários de Vizela, a Brigada de Sapadores Florestais, e a empresa contratada para o trabalho de gestão de combustíveis/limpeza florestal, encontram-se no terreno tendo em vista a preparação do período critico de incêndios rurais/florestais.

Os Bombeiros Voluntários de Vizela encontram-se no Monte de S. Bento, há cerca de 15 dias, a efetuar a limpeza dos principais acessos, assim como de alguns caminhos penetrantes, num total de cerca de duas dezenas de bombeiros, apoiados com todo o equipamento necessário à respetiva limpeza.

Assim, na encosta de S: bento, virada para Tagilde, já efetuaram o alargamento e limpeza de mais de 2 km de caminhos florestais, e na encosta virada para S. João já fizeram o alargamento e limpeza de mais de 3 km de caminhos florestais.

Assim, com este planeamento municipal, pretende-se acautelar uma intervenção mais rápida nos incêndios na sua fase inicial, para assim se limitar o seu desenvolvimento.

De destacar que este Executivo Municipal definiu a área de proteção civil como uma prioridade tendo implementado uma nova política, não apenas ao nível da reorganização do serviço municipal de Proteção Civil, nomeadamente na aquisição de equipamentos para reforçar a sua operacionalidade no terreno junto das populações, mas também no trabalho que tem sido feito em parceria com os Bombeiros Voluntários e a GNR de Vizela.

ASSOCIAÇÃO CIDADÃOS DE ESPOSENDE PREOCUPADA COM A GESTÃO LOCAL DA FLORESTA

Após aprovação de um novo diploma para os sapadores florestais, a Associação considera que valor gasto com uma entidade privada não fazem sentido.

Fotografia Artigoespo.jpg

Associação Cidadãos de Esposende manifestou a sua preocupação com a gestão da floresta no concelho e a estratégia de combate a incêndios, na sequência da aprovação de um novo diploma referente ao trabalho das equipas de sapadores florestais (ESF).

Estas equipas são constituídas por cinco elementos e existem equipas privadas e brigadas de sapadores florestais (BSF) pertencentes exclusivamente às comunidades intermunicipais (CIM), sendo pois profissionais de diferentes entidades e variadas instituições.

De que forma é coordenada e que estratégia conjunta existe são algumas das preocupações levadas a público por esta associação.

O novo diploma

O novo diploma, aprovado pelo governo a 21 de maio, pretende aumentar a eficiência do trabalho das equipas de sapadores florestais. O objetivo é colocar no terreno estas equipas mas integradas nas brigadas de sapadores florestais e exclusivamente em serviço publico.

Para suportar esta alteração, a verba de 40 mil euros anuais passa para 45 mil euros. Este aumento adicional de 5 mil euros para as equipas de sapadores florestais é atribuído sempre que a entidade titular seja uma entidade intermunicipal detentora de brigadas de sapadores florestais que prestem exclusivamente serviço público.

Situação em Esposende

No caso de Esposende, a gestão florestal está entregue à Associação Florestal do Cavado.

Esta cobra anualmente 40 mil euros ao estado para a limpeza de terrenos e a Câmara Municipal de Esposende, liderada por Benjamim Pereira, paga à mesma associação 35 mil euros para a limpeza de terrenos camarários.

Se o presidente da Câmara optar por prescindir do serviço privado e aderir à comunidade intermunicipal os apoios são diferentes, podendo chegar a 60 mil euros e consequentemente deixa de despender 35 mil euros pagos a privados para a limpeza de terrenos camarários.

Importa realçar que as viaturas e todo o equipamento utilizado pela Associação Florestal do Cavado são propriedade do estado e cedidas em regime de comodato. Ao transferir os sapadores florestais para comunidades intermunicipais, a autarquia não necessita adquirir qualquer viatura ou equipamentos novos uma vez que já existem e são propriedade do estado.

Com estatuto de comunidade intermunicipal há também a vantagem de aceder ao projeto POSEUR , fundos estruturais europeus para aquisição de máquinas florestais.

Com as alterações no diploma de 21 de maio que diferencia ESF de BSF, o sinal do governo é exigir às autarquias maior empenho na gestão da floresta e estimular a criação brigadas pertencentes a comunidades intermunicipais.

A Associação de Cidadãos de Esposende refere ainda que as comunidades intermunicipais apoiadas pelo projeto POSEUR estão a adquirir tratores florestais, sendo a sua produtividades na limpeza de mato dez vezes superior à intervenção das equipas de sapadores florestais.

CERVEIRA REFORÇA SAPADORES FLORESTAIS COM EQUIPAMENTO DE PREVENÇÃO

Equipa de Sapadores Florestais reforçada com equipamento de prevenção

Fruto da proposta vencedora na edição 2019 do Orçamento Participativo Jovem 'Melhor Equipamento e Mais Segurança’, a equipa de Sapadores Florestais de Vila Nova de Cerveira (ESF20-111) acaba de ser apetrechada com um conjunto de equipamentos para apoiar nos trabalhos de limpeza e prevenção a incêndios florestais.

OP Jovem 2019 Sapadores 1.jpg

Apresentada pelo jovem estudante da ETAP Cerveira, Duarte Pires, a ideia tem como objetivo contribuir para “o bom desempenho dos elementos que integram a equipa de Proteção Civil que, diariamente, trabalham em prol da segurança e bem-estar das pessoas e seus bens, através da aquisição de equipamento”.

Após sinalizadas as necessidades, a verba de 5 mil euros serviu para adquirir dez EPI’s Florestal Sapadores (casacos e calças), cinco Torgas – Ferramenta Florestal Multifunções, duas Mochilas Extintoras, uma Roçadora de Mochila e cinco Máscaras Ignífugas. Complementarmente, o ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, através do Fundo Florestal Permanente, também cedeu à equipa mais uma Motosserra, uma Roçadora Florestal e cinco EPI’s de Silvicultura (calça, casaco, camisola, t-shirt e botas).

De relembrar que a edição 2019 do OPJovem teve dois projetos vencedores - ‘Mais Equipamento e Melhor Segurança’ e Registo para Todos’ -, para um investimento de 10 mil euros. A edição deste ano 2020 foi cancelada pois, apesar da vertente digital associada, é certo que o trabalho no terreno carece de dinâmicas sociais de participação pública contínuas.

TERRAS DE BOURO REÚNE COMISSÃO MUNICIPAL DE DEFESA DA FLORESTA

Decorreu no dia 22 de maio, por videoconferência, a reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta que tem como missão a coordenação de programas de defesa da floresta e é constituída por várias entidades com responsabilidades ao nível da articulação, planeamento e acção.

IMG-20200526-WA0011.jpg

Durante este encontro foi aprovado, por unanimidade, o Plano Operacional Municipal  relativo ao ano de 2020.

O Plano Operacional Municipal enumera e detalha os recursos humanos, recursos materiais e meios complementares de apoio ao combate a incêndios, no que concerne ao Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais no âmbito municipal. Este Plano, de carácter reservado, corresponde ao caderno III do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra-Incêndios, procurando organizar as diversas entidades, de forma a responder adequadamente nas fases de maior empenhamento

Para além da aprovação do Plano Operacional Municipal, foi apresentado e aprovado também, o Regimento Interno da Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios.Presentes estiveram os Bombeiros, GNR, Infraestruturas de Portugal, REN, EDP e o ICNF.