Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ARCOS DE VALDEVEZ INVESTE NA DEFESA DA FLORESTA

320 mil euros na defesa da Floresta Contra incêndios em Arcos de Valdevez

No último ano, o Município investiu cerca de 320 mil euros em obras e limpezas de terrenos.

IMG_20201125_104315.jpg

A Câmara Municipal, de acordo com o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, neste último ano procedeu à intervenção em pontos de água, caminhos florestais e à realização de limpezas de terrenos, no valor de cerca de 320 mil euros.

Naquilo que toca aos pontos de água, a intervenção da Câmara Municipal teve como finalidade garantir a operacionalidade de 10 pontos de água distribuídos pelo concelho, nomeadamente em Paradela, São Braz da Anta, Monte do Castelo, Miranda, São Jorge, Sabadim, Carralcova e Paradela.

No âmbito, da limpeza de mato, trilhos e limpezas coercivas, foram intervencionados 270 mil m2. Foram também celebrados protocolos com 5 equipas de Sapadores Florestais que realizaram ações de limpeza de mato e vias, bem como de vigilância e apoio ao combate de incêndios.

Estas medidas potenciam a funcionalidade de toda a rede de defesa da floresta contra incêndio e apoiam a prevenção e o combate a incêndios florestais.

IMG_20201125_131333.jpg

IMG-20210114-WA0000.jpg

FAMALICÃO COLOCA PLANO MUNICIPAL DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS EM DISCUSSÃO PÚBLICA

Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios 2021-2030 está em discussão pública

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão tem em discussão pública até ao dia 23 de fevereiro o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios 2021-2030 (PMDFCI) de Vila Nova de Famalicão.

AFS_7071.JPG

O plano visa operacionalizar, ao nível municipal e local, as normas de Defesa da Floresta Contra Incêndios (DFCI) contidas no Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de junho, na sua redação atual, que estrutura o Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios (SDFCI).

Este plano é composto por três cadernos: diagnóstico; plano de ação e plano operacional municipal (reservado). O Plano de Ação estrutura-se em pontos 5 estratégicos nomeadamente: aumento da resiliência do território aos incêndios florestais; redução da incidência dos incêndios; melhoria da eficácia do ataque e da gestão dos incêndios; recuperação e reabilitação dos ecossistemas e adaptação de uma estrutura orgânica e funcional eficaz.

O Plano Operacional Municipal (POM), operacionaliza anualmente o PMDFCI, identificando o dispositivo operacional para as ações de vigilância, deteção, fiscalização, 1ª intervenção, combate, rescaldo e vigilância pós-incêndio.

A proposta do Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios de Vila Nova de Famalicão 2021-2030 encontra-se disponível para consulta na página eletrónica do Município (www.famalicao.pt). Durante este período, os interessados podem apresentar, por escrito, as suas observações, reclamações e sugestões através de requerimento dirigido ao Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, identificando devidamente o seu subscritor, por via postal, ou através do endereço de correio eletrónico gtf@famalicao.pt.

FORESTIS SENSIBILIZA PARA BOAS PRÁTICAS NA GESTÃO DO EUCALIPTO

No dia 11 de fevereiro, às 17h00, realiza-se o Webinar “Boas Práticas de Gestão Florestal no seu Eucaliptal”, organizado pela FORESTIS – Associação Florestal de Portugal com a colaboração da Associação Florestal do Baixo Vouga, CELPA - Associação da Indústria Papeleira e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P. (ICNF, I.P.).

image005eucaliptal.jpg

Na sessão serão apresentadas formas de prevenção e luta que estão a ser estudadas e testadas para combater o gorgulho-do-eucalipto e como estas poderão integrar o Plano de Controlo para o Gorgulho (plano nacional de combate ao inseto).

O evento integra-se no Grupo Operacional FITOGLOBULUS (www.gofitoglobulus.pt)

PROGRAMA

17:00   Boas vindas

17:05   Apresentação do FITOGLOBULUS

            Rosário Alves da FORESTIS – Associação Florestal de Portugal

17:10   Importância do FITOGLOBULUS para os proprietários florestais

            Luís Sarabando da Associação Florestal do Baixo Vouga

17:20   Práticas de gestão florestal de prevenção e combate à praga

            Susana Barreiro do Instituto Superior de Agronomia

17:30   Luta Biológica, química e biotécnica

            Carlos Valente do Raiz - Instituto de Investigação da Floresta e Papel

            Luís Bonifácio do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P.

17:50   Plano de controlo para o gorgulho-do-eucalipto

            Helena Martins do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas

18:00   Perguntas e respostas

18:20   Encerramento

CAMINHA: SAPADORES FLORESTAIS REALIZAM TRABALHO INTENSO NA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS

Equipa ao serviço do Município atua todo o ano cobrindo dezenas de hectares de território

A equipa de Sapadores Florestais ao serviço do Município de Caminha levou a cabo, durante o ano de 2020, um trabalho intenso na defesa da floresta contra incêndios, em diversas freguesias de concelho. Só na área da gestão de combustíveis, a equipa interveio numa área de cerca de 50 hectares. A equipa, criada em 2018, faz parte da estratégia que o Município no âmbito da prevenção e combate dos incêndios florestais.

fotocamm.jpg

De referir que, no âmbito do trabalho definido quer no Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios, bem como nos trabalhos elencados pelo Gabinete Técnico Florestal, a equipa de Sapadores Florestais efetuou trabalhos de gestão de combustíveis em áreas diversas, nas freguesias de Lanhelas, Âncora, UF de Moledo e Cristelo, União de Freguesias de Gondar e Orbacém, União de Freguesias de Caminha e Vilarelho, Vila Praia de Âncora e Vile, contabilizando um total de cerca de 50 hectares.

Em Lanhelas, por exemplo, os profissionais atuaram numa área de baldio em torno de um aglomerado populacional e na zona envolvente da capela de Santo Amaro. De realçar também o trabalho de limpeza feito no estradão de Bulhente, entre Vila Praia de Âncora e Vile, bem como de limpeza e manutenção dos pontos de água, durante os meses de fevereiro e março.

Realizou ainda trabalhos de gestão de combustíveis em zonas críticas para a defesa de alguns aglomerados na União de Freguesias de Gondar e Orbacém, em complemento das áreas definidas no âmbito do serviço público e dando resposta à solicitação da Junta de Freguesia, durante os meses de junho e a primeira quinzena de julho.

Sublinhe-se ainda a limpeza do parque de merendas do Perrinchão e zona envolvente e o apoio à realização de queimas de sobrantes.

A equipa levou também a cabo a limpeza da faixa de gestão de combustíveis da Zona Empresarial da Gelfa, de acordo com a competência do Município para a gestão daquela área, num total de cerca de 10 hectares.

Foram feitas também intervenções em diversos troços da rede viária florestal, com limpeza e abertura de faixa de gestão de combustíveis para desobstrução das vias, por forma a facilitar a circulação sobretudo aos meios de combate a incêndios e também aos meios durante as ações de vigilância.

No âmbito do serviço público definido pelo ICNF, foram feitos trabalhos de gestão de combustíveis em torno de alguns aglomerados e também na rede viária florestal em áreas do baldio de Venade, Dem, Orbacém, Arga de S. João, Arga de Baixo e Arga de Cima, num total de cerca de 25 hectares.

De salientar também que, durante o período critico de incêndios, a equipa efetuou ações de vigilância armada fixa e móvel, acorrendo a dezenas de ocorrências e tendo conseguido extinguir com sucesso, grande parte delas através das ações de primeira intervenção. Por exemplo, no grande incêndio ocorrido em setembro de 2020, no lugar de Pedras Frias, em Dem, a equipa de Sapadores Florestais, foi dos primeiros meios a chegar ao local da ocorrência, tendo efetuado trabalhos de primeira intervenção, bem como trabalhos de apoio ao combate ao incêndio e rescaldo da área ardida nos dias subsequentes.

Este ano, o trabalho não parou. Desde o dia 4 de janeiro, a equipa de Sapadores Florestais, esteve em Moledo a executar trabalhos para a criação de uma faixa de gestão de combustíveis e manutenção em dois estradões florestais, numa extensão total de mais de 4 quilómetros, desde o parque de merendas de Perrinchão até Carvoeiro e desde aí, até à Fonte de Barbanços já em Cristelo, por serem vias importantes para travar um eventual incêndio que afete aquela encosta toda entre Moledo e Cristelo, dando assim resposta a uma necessidade premente e também ao solicitado pela junta de freguesia.

Durante o restante do ano 2021 a equipa de Sapadores Florestais continuará a levar a cabo os trabalhos planificados no âmbito do trabalho definido pelo Município e no âmbito dos trabalhos definidos pelo ICNF.

ESPOSENDE RECEBE MAIS 2 MIL ÁRVORES AUTÓCTONES PARA REFLORESTAÇÃO

No âmbito do programa Floresta Comum, Esposende foi contemplado com mais cerca de 2000 árvores autóctones para reflorestação.

Arvores01.jpg

Este programa promove o fomento e incentivo à criação de uma floresta autóctone com altos índices de biodiversidade e de produção de serviços de ecossistema.

O projeto educativo aprovado permitiu captar para o concelho aproximadamente 2000 árvores de espécies adaptadas ao território, quer em termos edafoclimáticos, quer ecológicos, como o pinheiro-manso, medronheiro, bétula, azereiro e diferentes espécies de carvalhos. Para a entrega e distribuição das árvores, o Município contou com a colaboração das Juntas de Freguesia do concelho.

O Município de Esposende vai dar continuidade à sua aposta no fomento das espécies nativas, aliado ao combate das espécies invasoras. Recorde-se que a perda de biodiversidade e o colapso dos ecossistemas são considerados, pela Organização das Nações Unidas (ONU), como fazendo parte das cinco maiores ameaças à humanidade, assim como os eventos climáticos extremos, crises alimentares e de água e falha na adaptação às alterações climáticas.

Esta iniciativa enquadra-se no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que concerne ao ODS 13 – Ação Climática, ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

ARCOS DE VALDEVEZ ASSINALA DIA DA FLORESTA AUTÓCTONE

De forma assinalar o Dia da Floresta Autóctone, o Município de Arcos de Valdevez dinamizou esta segunda-feira, várias ações para promover junto da população, a importância da conservação das florestas locais.

plantação guilhadeses ..JPG

A primeira ação decorreu da parte da manhã, na Escola Básica Professor António Alves Melo Machado, com uma aula de campo sobre a importância da floresta autóctone e a plantação de uma árvore em conjunto com os alunos.

Na parte da tarde foi realizada uma plantação na margem do rio Vez, em Guilhadeses, que contou com a participação dos alunos da Escola Profissional do Alto Lima. Os alunos plantaram 100 árvores de espécies ribeirinhas que resultaram da candidatura do Município ao Projeto “Floresta Comum”.

Foram ainda plantados exemplares de amieiros e bétulas, de médio porte, nas margens do rio Vez, na zona urbana, dotados de um QR-Code, que permite saber mais sobre esta espécie ribeirinha.

Com estas iniciativas, o Município pretendeu sensibilizar a comunidade escolar e a população em geral para a importância da Floresta Autóctone e promover a consolidação da galeria ripícola de forma a preservar e valorizar o património natural do rio Vez.

Ainda no âmbito das comemorações do Dia da Floresta Autóctone, está patente ao público, no Centro de receção do Museu da Água ao Ar Livre do Rio Vez, gratuitamente, até dia 31 de dezembro, a Exposição “Árvores Nativas de Portugal”, bem como está a decorrer o desafio “A mais bela Árvore Nativa” junto das instituições de solidariedade social, o qual pretende que os utentes recriem uma espécie da floresta nativa, quer  em maquete, em bordado, em desenho, em poster ou outra forma que achem pertinente, usando diversos materiais (materiais naturais ou reciclados).

Colocação de qrcode (2).JPG

plantação_guilhadeses.JPG

plantação_final_guilhadeses.jpg

plantação_escola_primária.jpg

Plantação - escola primaria.jpg

Colocação de qrcode (1).JPG

ESPOSENDE PROMOVE SEMANA DA FLORESTA AUTÓCTONE

Com o intuito de sensibilizar a população para a importância da floresta autóctone, o Município de Esposende e a empresa municipal Esposende Ambiente estão a promover a Semana da Floresta Autóctone, que decorre até ao próximo sábado, 28 de novembro.

EntregadeÁrvores.jpg

O evento, que integra várias propostas, teve início no dia 23 de novembro, com a “Comemoração do Dia da Floresta Autóctone”, tendo sido entregues várias plantas e espécies florestais autóctones aos estabelecimentos de educação e ensino e Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) aderentes.

O programa inclui também sessões de teatro, com a apresentação da peça “Clarinha e a Fonte do Tempo”, pela associação cultural Fugir do Medo, em vários estabelecimentos de educação e ensino do concelho. Esta peça foi criada no âmbito do Projeto E-Ribeiras e aborda a temática das alterações climáticas associada à disponibilidade dos recursos hídricos.

Está ainda a ser desenvolvida, uma vez mais, a iniciativa “Os Sapadores vão à escola!”, na qual os Sapadores Florestais demonstram algumas das tarefas e funções relacionados com o seu trabalho diário. Por sua vez, o Gabinete Técnico Florestal do Município e o biólogo Vasco Ferreira realizam palestras online, no Agrupamento António Rodrigues Sampaio, dedicadas à floresta autóctone e às florestas marinhas, respetivamente.

Aos estabelecimentos de educação e ensino e IPSS do concelho foi proposto o desafio “Dia a dia pense verde todo o ano: Dia da Floresta Autóctone”, que consistiu na realização de um “rosto” para uma árvore de forma a assinalar o Dia da Floresta Autóctone. Os participantes tiraram fotografias dos seus trabalhos e enviaram-nos para o Centro de Educação Ambiental, encontrando-se encontram disponíveis no site da Esposende Ambiente e no Blogue do CEA.

Por fim, no dia 28 de novembro, será realizado o webinar “Hoje é dia de: Sprays desinfetantes com óleos essenciais & Como fortalecer o sistema imunitário”, com a naturopata Raquel Carvalho. Esta formação pretende dar a conhecer as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais de diversas plantas aromáticas e medicinais.

Com estas ações pretende-se dar a conhecer os benefícios ecológicos e económicos da floresta autóctone em comparação com os espaços florestais de espécies introduzidas, concretamente ao nível da adaptação às condições do solo e do clima do território, sendo por isso mais resistentes a pragas, doenças, incêndios, longos períodos de seca ou de chuva intensa. A Semana da Floresta Autóctone tem subjacente o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere a Proteger a Vida Terrestre (ODS 15) e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade (ODS 17).

DesafioDia a Dia Pense Verde Todo o Ano.JPG

Os Sapadores Vão à Escola.jpg

Teatro A Clarinha e o Fonte do Tempo.jpg

VIEIRA DO MINHO ASSINALA DIA DA FLORESTA AUTÓCTONE COM PLANTAÇÃO DE ÁRVORES

Para assinalar o Dia da Floresta Autóctone, que se comemorou, ontem, dia 23 de Novembro, o Município de Vieira do Minho em colaboração com as equipas de Sapadores Florestais procederam à plantação de espécies autóctones na Serra da Cabreira.

20201124_110117.jpg

A acção de plantação contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, António Cardoso, que aproveitou o ensejo para também ele dar o seu contributo, plantando uma árvore.

Segundo António Cardoso, esta acção teve por objectivo a reflorestação da Serra da Cabreira, um ex-libris do concelho, sensibilizar a população local para a promoção e conservação das florestas, realçando a sua importância quer económica, quer ambiental.

Segundo o edil Vieirense, esta acção teve ainda por objectivo dar a conhecer as espécies autóctones do concelho.

Refira-se que nesta acção foram plantadas na Serra da Cabreira mais de 100 exemplares de espécies autóctones, nomeadamente  Carvalho Alvarinho (Quercus robur) e Bétulas (bétula celtibérica).

20201124_110541.jpg

CAMINHA: MATA NACIONAL DO CAMARIDO ENRIQUECIDA COM NOVOS SOBREIROS, CARVALHOS, BORDOS E FREIXOS

Dia da Floresta Autóctone assinalou-se ontem, mas a arborização e rejuvenescimento da área continua

Assinalou-se ontem o Dia da Floresta Autóctone, celebrado no concelho de Caminha com a plantação de várias árvores no Camarido. A ocasião que serviu também para fazer um balanço do trabalho de gestão florestal em curso nesta Mata Nacional, que já permitiu plantar cerca de quatro mil árvores nos últimos meses.

matacamaridocaminha (4).jpg

Ao Município de Caminha juntaram-se associações ambientalistas do concelho e o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, naquela que foi uma celebração simbólica, que passou pela plantação de sobreiros, carvalhos, bordos e freixos em diversas zonas da Mata Nacional do Camarido.

Para o Presidente da Câmara, “a ideia inicial seria a de podermos contar com a presença dos alunos da nossa escola – que são o presente e o futuro no concelho e do mundo - mas este contexto da pandemia não nos permitiu uma celebração mais alargada. De todo o modo, contamos com as nossas associações ambientalistas e assinalamos o momento chamando a atenção para o extraordinário trabalho que homens e mulheres, sapadores florestais e não só, fazem na gestão da nossa Mata do Camarido, quer ao nível de limpezas, quer ao nível da plantação de novas árvores”.

Miguel Alves conclui: “hoje, temos no Camarido o que muitos reclama que se faça: um espaço cuidado, mais limpo de infestantes, novas árvores e uma proteção maior aos aglomerados arbóreos e às casas circundantes à Mata. O ICNF tem feito um excelente trabalho no Camarido e é justo que se aplauda o que tem mérito”.

Antes da plantação, uma volta de carro permitiu apreciar alguns dos trabalhos mais recentes, nomeadamente de arborizações, desenvolvidas numa área de cerca de 4 ha, com a plantação aproximada de 4000 plantas. A esta primeira fase seguir-se-ão intervenções de maior dimensão, cumprindo o Plano de Gestão Florestal e concretizando mais arborizações, com o objetivo de rejuvenescimento e diversificação de povoamentos de pinheiro bravo e reconversão de povoamentos de acácia austrália. Serão utilizadas espécies autóctones, designadamente sobreiro, carvalho nacional, bordo e freixo.

matacamaridocaminha (1).jpg

matacamaridocaminha (2).jpg

matacamaridocaminha (3).jpg

GOVERNO ACOLHE MEDIDA PAN: CRIAÇÃO DE PROGRAMAS DE FORMAÇÃO A NOVOS AGRICULTORES-FLORESTAIS

O Grupo Parlamentar do PAN – Pessoas-Animais-Natureza conseguiu o acolhimento do Governo, em sede de discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2021, de uma medida que visa a criação de programas de formação a novos agricultores-florestais. O objetivo é que, no primeiro semestre de 2021 o Governo, em articulação com Câmaras Municipais e as Juntas ou Uniões de Freguesia, cria um programa de formação dirigido a novos agricultores- florestais, com o objectivo de desenvolver programas educativos sobre a produção de floresta biológica e a agricultura sintrópica.

No entender do PAN, a definição de estratégias sustentáveis para a gestão da nossa floresta tem sido considerado um fator determinante para minimizar os impactos dos incêndios, no combate à seca e desertificação e às alterações climáticas. Nas últimas décadas a gestão da nossa florestal tem sido baseada no cultivo de extensas áreas de monoculturas, principalmente de eucaliptos e pinheiro bravo, com reflexos catastróficos na nossa biodiversidade, nos nossos recursos aquíferos e na criação de condições propícias à proliferação de grandes incêndios florestais. 

Neste sentido, para o PAN é fundamental que estimular o surgimento de novos agricultores florestais, bem como odesenvolver programas de formação educativos e que promovam novas técnicas para a gestão florestal mais sustentável, que contribua para a riqueza do país respeitando as suas especificidades e encontrando soluções que minimizem o consumo de energia e de recursos naturais.

ARCOS DE VALDEVEZ ASSINALA DIA INTERNACIONAL DA FLORESTA AUTÓCTONE

Exposição “Árvores Nativas de Portugal”: Centro de Informação e Acolhimento do Museu da Água ao Ar Livre do Rio Vez

No dia 23 de novembro assinala-se o Dia Internacional da Floresta Autóctone, e, de forma a assinalar a data, o Centro de Informação e Acolhimento do Museu da Água ao Ar Livre do Rio Vez tem patente ao público até dia 31 de dezembro a Exposição “Árvores Nativas de Portugal”. 

Anexo sem nome 00575.jpg

A mostra, com entrada livre, é alusiva a 19 espécies de árvores originárias do território português e reúne um conjunto de fotos da espécie, nomeadamente detalhes da folha/flor/fruto, nome comum e científico, área de distribuição geográfica, utilizações mais comuns e ainda um QR-code para “saber mais”.

O Centro de Informação e Acolhimento do Museu da Água ao Ar Livre do Rio Vez convida as escolas e a população em geral a visitar a exposição e descobrir mais acerca das árvores nativas de Portugal.

MUNICÍPIO DE BRAGA DESAFIA ENTIDADES A PARTICIPAR NO PROGRAMA "FLORESTAR BRAGA"

Inscrições até 9 de Novembro

Dia 23 de Novembro é o Dia da Floresta Autóctone e para assinalar a data, o Município promove mais uma edição do programa 'Florestar Braga'. Esta é uma iniciativa de sensibilização ambiental que desde 2014 lança o desafio às entidades do Concelho, oferecendo árvores para serem plantadas no âmbito deste programa.

CMB24112017SERGIOFREITAS0000009840.jpg

Nesta iniciativa, todas as entidades são desafiadas a participar na florestação com a plantação de espécies autóctones e com o lançamento de “granadas de sementes”.

Todas as entidades de ensino, IPSS, associações ou adoptantes do Projecto Rios poderão receber espécies da floresta autóctone para plantar no logradouro das suas instalações (ou junto da linha de água adoptada no caso do Projecto Rios) ou e espaço público em colaboração com a sua Junta ou União de Freguesias.

O Município de Braga coloca à disposição das entidades árvores ou arbustos autóctones, nomeadamente carvalhos alvarinhos, portugueses e negral, sobreiros, castanheiros, cedros do Bussaco e bastardo, cerejeiras bravas, freixos, pinheiro mansos, tílias, amieiros, azinheiras, vidoeiros, azevinhos e medronheiros.

Outra iniciativa prevista é o lançamento de “granadas de sementes”. As entidades que pretendam receber material para elaboração das “granadas” (por ordem de chegada de inscrições, tendo em conta a argila disponível), o Município de Braga faculta a argila e as sementes de leguminosas e cada entidade fará as suas próprias granadas, podendo, também, a comunidade escolar mobilizar os alunos para recolherem bolotas de carvalho e/ou sobreiro ou outras sementes de árvores ou arbustos autóctones.

Para participar nesta edição do ‘Florestar Braga’, os interessados devem fazer a sua inscrição através do email ambiente@cm-braga.pt, até 9 de Novembro, indicando os seguintes dados:

  • Nome da entidade e local de entrega;
  • Nome do responsável, e-mail e telemóvel;
  • Número de pessoas a envolver;
  • Local de plantação ou de lançamento das “granadas de sementes”;
  • Dia e hora prevista da plantação;
  • Número de espécies a plantar (acima indicadas e por ordem de prioridade).

Para eventuais esclarecimentos, está disponível o contacto telefónico através do número 253 202 860.

JOVENS DE VIZELA AJUDARAM NA PREVENÇÃO E DETEÇÃO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS

Terminou no passado dia 15 de setembro, o programa Vizela + Verde promovido pela Câmara Municipal de Vizela, no âmbito do programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas, do IPDJ – Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P.

Vizela + verde.jpeg

Neste projeto, que iniciou a 1 de julho, estiveram envolvidos 40 jovens voluntários dos 18 aos 27 anos, de todas as freguesias do concelho de Vizela.

Estes jovens efetuaram vigilância fixa em dois pontos estratégicos do Concelho de Vizela, no Monte do São Bento e Alto de Penabesteira e acionaram mais de duas dezenas de alertas de incêndio dentro e fora do concelho de Vizela, a saber Guimarães, Felgueiras, Lousada e Santo Tirso.

Este projeto traduz-se em mais uma medida de planeamento municipal, com o objetivo de acautelar uma intervenção mais rápida nos incêndios na sua fase inicial, para assim se limitar o seu desenvolvimento.

A Câmara Municipal de Vizela agradece a participação ativa destes jovens "no grande desafio" que é a preservação da natureza e da floresta, e assim reduzir o flagelo dos incêndios, que são os grandes objetivos do programa Voluntariado Jovem para as Florestas.

VIEIRA DO MINHO APOIA VOLUNTARIADO JOVEM PARA A FLORESTA

António Cardoso entregou material de identificação aos voluntários para a Floresta

No âmbito do Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas “ Vieira Vigia +”, promovido pela APOSC, em colaboração com a Câmara Municipal de Vieira do Minho e financiado pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, o  presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho, António Cardoso, entregou, material identificativo aos jovens voluntários que diariamente sobem à Serra da Cabreira para  efetuar ações de vigilância, prevenção e limpeza.

DSC_5622.JPG

Nesta sessão, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Município, António Cardoso, aproveitou a ocasião para sublinhar, junto dos jovens, a importância do projeto para o concelho e para o meio ambiente.

Na sua missão, os jovens são acompanhados, no terreno, por técnicos florestais e da proteção civil, para fazerem ações de vigilância na floresta, um contributo dos mais novos para prevenir a ocorrência de incêndios nas florestas de Vieira do Minho.

Para além da entrega do material identificativo, (t-shirts, bonés, mochilas e garrafas térmicas) aos jovens que integram o programa Voluntariado Jovem para as Florestas, o momento serviu também para assinalar o Dia Internacional da Juventude que se celebrou no dia 12 de agosto.

DSC_5650.JPG

ARCOS DE VALDEVEZ QUER REFORÇAR MEIOS DE COMBATE AO FOGO

Incêndios: Autarquia arcuense reclama reforço do policiamento, da investigação dos incêndios e o segundo helicóptero

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez participou numa reunião da Subcomissão Distrital de Proteção Civil, com a ANMP, GNR, PSP, Polícia Judiciária e outras entidades de Proteção Civil, para analisar o elevado número de ignições ocorridos no distrito e no concelho neste mês de julho.

helicóptero.jpg

Nesta reunião, o Presidente da Câmara arcuense solicitou o reforço do efetivo de patrulhamento e vigilância, nomeadamente GNR e Exército, a intensificação da investigação dos incêndios pelas forças de Segurança, nomeadamente, a Polícia judiciária.

A Autarquia apela aos cidadãos que assumam e pratiquem comportamentos que contribuam para a diminuição do risco de ignição, não usando fogo junto das áreas florestais e informando as Autoridades sobre qualquer situação suspeita.

João Manuel Esteves também solicitou ao Ministério da Administração Interna, o reforço de meios, em particular de efetivos das forças de segurança, para vigilância mais ativa das áreas florestais, bem como a presença do segundo helicóptero no centro de meios aéreos do distrito.

De notar que, apesar das dificuldades deparadas pela dispersão dos meios pelas várias ignições praticamente simultâneas, o sucesso das operações tem sido visível, com a envolvência dos Bombeiros e de todos os Agentes de Proteção Civil, entre outras entidades cujo apoio é fulcral.

MUNICÍPIO DE BRAGA APRESENTA EQUIPA DE SAPADORES FLORESTAIS

O Município de Braga apresenta a equipa de sapadores florestais da Associação Florestal do Cavado, em conferência que terá lugar, amanhã, no Clube de Caçadores de Braga, localizado na Variante do Alto da Vela, em Braga.

2

A iniciativa contará com a presença de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e do vereador da Protecção Civil, Altino Bessa.

Constituída por cinco elementos com uma viatura de apoio cedida pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a equipa incide a sua intervenção sobre os perímetros florestais do Mosteiro de São Martinho de Tibães, zonas que têm grande relevância, não apenas no contexto florestal, mas também no plano ambiental, paisagístico, cultural, religioso e turístico, cuja preservação e protecção é fundamental e é uma prioridade em termos da defesa da floresta contra incêndios.

CABECEIRAS DE BASTO TEM PLANO DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS VÁLIDO ATÉ JANEIRO DE 2021

Notícias alarmistas causam confusão e dúvidas que importa esclarecer

Ação de Fogo Controlado - Cabeceiras de Basto.JPG

A propósito de notícias vindas a público recentemente e de comunicado do passado dia 22 do Bloco de Esquerda do distrito de Braga que referem que o Município de Cabeceiras de Basto não tem Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI), a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, ao mesmo tempo que contesta tais informações, esclarece:

O PMDFCI - Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Cabeceiras de Basto foi aprovado com parecer vinculativo do ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, está atualizado e encontra-se em vigor e válido até janeiro de 2021.

O PMDFCI de Cabeceiras de Basto foi objeto de recalendarização, em 13 de dezembro de 2019, aprovada, por unanimidade, em sede da Comissão Municipal de Defesa da Floresta, de modo a ajustar o programa de ação (Caderno II) às novas exigências da defesa da floresta contra incêndios e às alterações que a nova legislação entretanto publicada impôs.

Em termos operacionais o Plano Operacional Municipal (POM) foi aprovado, por unanimidade, pela Comissão Municipal de Defesa da Floresta, em 30 de abril de 2020.

No âmbito da monitorização do PMDFCI informamos que trimestralmente são registadas as ações desenvolvidas no Município e submetidas na plataforma do Sistema de Informação de Incêndios Florestais (SGIF), nomeadamente no que diz respeito às ações de gestão de combustíveis, sensibilização, beneficiação de rede viária florestal e rede de pontos de água. O relatório de execução anual de 2019 foi apresentado e enviado ao ICNF.

Refira-se que o Município de Cabeceiras de Basto está, desde o final do ano passado, a trabalhar na revisão do atual PMDFCI em estreita colaboração com as entidades competentes para que o PMDFCI 3ª geração entre em vigor, em fevereiro de 2021, logo após o termo de vigência do atual Plano.

Porque está relacionado com a política de defesa da floresta, importa destacar, ainda, que o Gabinete Técnico Florestal de Cabeceiras de Basto, em perfeita articulação com a Proteção Civil Municipal, tem concretizado e em curso outras medidas fundamentais para a valorização e defesa da floresta e das populações. Assim, informamos que Cabeceiras de Basto tem em vigor um Plano de Fogo Controlado e o Regulamento Municipal de Uso do Fogo. Tem também implementado o Programa Aldeia Seguras/Pessoas Seguras, abrangendo um total de 47 oficiais de Segurança Local, com 3 Planos de Evacuação testados.

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto lamenta alguma desinformação que é veiculada no espaço público e informa que mantém, em articulação com todos os parceiros que integram a Comissão Municipal de Defesa da Floresta, uma atenção muito especial à problemática da defesa da floresta contra incêndios, uma vez que 3/4 do território do concelho é florestal ou apresenta aptidão florestal.

MUNICÍPIO DE BRAGA DESMENTE BLOCO DE ESQUERDA

Braga tem Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios actualizado até Janeiro de 2021

bragaflorestaplano.JPG

No seguimento das recentes notícias que referem que o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Braga (PMDFCIB) não se encontra actualizado, e face às afirmações do Secretariado Distrital de Braga do Bloco de Esquerda (BE), o Município de Braga vem por este meio refutar essas informações e esclarecer o seguinte:

O Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Braga encontra-se em vigor, actualizado e devidamente aprovado pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) até Janeiro de 2021.

O ICNF apresenta no seu site o ponto de situação dos PMDFCI a nível nacional, (reporte de 30 de Junho 2020) através do qual é possível, também, verificar que o Plano do Município de Braga se encontra actualizado com parecer vinculativo positivo do ICNF (ver em: https://fogos.icnf.pt/infoPMDFCI/PMDFCI_PUBLICOlist.asp)

O Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Braga em vigor foi alvo de uma recalendarização a 3 de Dezembro de 2019, aprovado em sede da Comissão Municipal de Defesa da Floresta, nos termos do artigo 5.º, n.º 2, do “Regulamento Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios”, publicado pelo Despacho n.º 443-A/2018, de 9 de Janeiro, alterado pelo Despacho n.º 1222-B/2018, de 2 de Fevereiro. Esta recalendarização ocorreu precisamente para ajustar e adaptar o Plano às ligeiras alterações introduzidas pelos mais recentes diplomas desta área.

Refira-se que no âmbito da monitorização anual do PMDFCI, na reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta de Braga, de 14 de Abril de 2020, foi aprovado o relatório de execução 2019 do Plano, tendo sido superados os objectivos previstos no programa de acção.

Quanto à componente de resposta operacional, foi aprovado no dia 14 de Abril de 2020, em reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta, o Plano Operacional Municipal que enumera e detalha os recursos humanos e materiais nas acções de vigilância, rescaldo, primeira intervenção, assim como os meios complementares de apoio ao combate a incêndios, no que concerne ao Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais de âmbito municipal. Este Plano, de carácter reservado que corresponde ao caderno III do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, é de actualização anual e organiza as diversas entidades, de forma a responder adequadamente nas fases de maior empenhamento.

Não obstante, a Divisão Municipal de Protecção Civil já encetou, desde o início do ano, os necessários trabalhos de actualização do Plano, em estreita articulação com o Plano Director Municipal, para que o PMDFCI de 3ª geração possa entrar em vigor em Janeiro de 2021, data correspondente ao término da vigência do actual Plano.

Município de Braga, 23 de Julho de 2020

JUVENTUDE DE CABECEIRAS DE BASTO VIGIA A FLORESTA

Jovens Voluntários continuam de ‘olhos postos’ na floresta

Entrou esta semana na segunda fase o ‘Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas – Jovens Unidos pela Floresta e Meio Ambiente’ promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), em colaboração com a Câmara Municipal e com as Juntas de Freguesia do concelho de Cabeceiras de Basto.

Sessão Voluntariado Florestas.jpg

Durante este 2.º período, que se estende até 28 de julho, os jovens continuarão a proceder à sensibilização das populações para a preservação da natureza, florestas e respetivos ecossistemas; inventariação e monitorização de áreas ardias; limpeza e manutenção de parques de lazer; vigilância a pé nas áreas definidas pelas entidades locais de coordenação, entre outros.

O programa contou na sua segunda sessão de apresentação com a presença da vereadora da Juventude, Dra. Carla Lousada, e do presidente da Junta de Freguesia de Refojos, Outeiro e Painzela, Leandro Campos. A ação de formação foi ministrada pelo Gabinete Técnico Florestal (GTF) da Câmara Municipal.

Durante a sessão, a todos os jovens inscritos foi-lhes distribuído equipamento de identificação e divulgação, máscaras e dispositivos individuais com gel de mãos higienizante, tendo em conta as medidas de prevenção necessárias neste contexto de pandemia.

O Programa direcionado a jovens com idades entre os 18 e 30 anos decorre até ao dia 11 de setembro.

O período de inscrições (até 10 dias antes da data de início de cada período) mantém-se aberto para os restantes três períodos que o programa de Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas integra, designadamente:

    3.º período: 29 de julho a 12 de agosto

    4.º período: 13 a 27 de agosto

    5.º período: 29 de agosto a 11 de setembro

Inscrições e Informações:

GEI – Gabinete de Emprego e Inserção da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto

 Casa Municipal da Cultura de Cabeceiras de Basto

Casa da Juventude de Cabeceiras de Basto

As inscrições têm de ser efetuadas através de registo individual no portal do Instituto Português do Desporto e Juventude, estando o formulário de inscrição disponível em:

 https://programas.juventude.gov.pt/florestas